SlideShare uma empresa Scribd logo
GÊNERO:
feminilidades
      e
masculinidade
s em questão
O que é
gênero?
GÊNERO
• Refere-se a tudo que é classificado como
  feminino e masculino numa determinada
  cultura e contexto histórico.
• Comportamentos,         símbolos, objetos,
  imagens, representações, valores, marcas
  corporais...
GÊNERO

• Cada sociedade, cada cultura estabelece
  padrões que determinam um conjunto de
  símbolos,     valores,     comportamentos,
  habilidades que circunscrevem o que é
  FEMININO e o que é MASCULINO.
• Assim, um sujeito se define como
  feminino ou masculino a partir dessas
  “possibilidades” disponíveis no contexto
  sociocultural e histórico do qual faz parte.
GÊNERO
• Contraposição ao uso de termos
  como “sexo” e “diferença sexual”
  = determinismo biológico.
• Acentuar        o         caráter
  fundamentalmente social das
  distinções baseadas no sexo.
• A forma como essas distinções
  são representadas, valorizadas...
• Ferramenta
  ANALÍTICA/ferramenta
  POLÍTICA.
“Para que se compreenda o
   lugar e as relações entre
  homens e mulheres numa
 sociedade importa observar
 não exatamente seus sexos,
      mas sim tudo o que
socialmente se construiu sobre
           os sexos”.
                   (LOURO, 1997, p.21)
• As diferenças de gênero são interpretadas
  como se fossem naturais, determinadas
  pelos corpos e pela mente de cada um.
• Nas ciências biológicas, é recorrente essa
  busca por causas biológicas e psíquicas
  para explicar diferenças entre mulheres e
  homens.
• Os estudos de gênero
  argumentam que essas
  diferenças são socialmente
  construídas.
RELAÇÕES DE
           GÊNERO
• As questões de gênero dizem respeito às
  relações entre sujeitos femininos e
  masculinos, mas não se limita a isso,
  estendendo-se para as relações entre
  sujeitos  femininos     e    entre   sujeitos
  masculinos.
• As relações sociais serão sempre relações
  de poder, o que envolve conflitos,
  negociações, disputas, avanços e recuos,
  consentimentos, revoltas e alianças.
RELAÇÕES DE
           GÊNERO
• Os     gêneros      são     CONSTRUÇÕES
  socioculturais e históricas – não é “natural”
  nascer mulher ou homem.
• “Não se nasce mulher, torna-se mulher”
                                      mulher
  (Simone de Beauvouir)...
• Não se nasce homem, torna-se homem...
                                   homem
• Os processos que nos constituem como
  mulheres e homens são educativos
  (necessidade de ampliar essa noção)...
• O modo como mulheres e homens se
  comportam em sociedade corresponde a
  um intenso aprendizado sociocultural que
  nos ensina a agir conforme as prescrições
  de cada gênero.
• Há expectativas sociais com relação ao
  modo como mulheres e homens devem
  andar, falar, sentar, mostrar seu corpo,
  brincar, dançar, namorar, tocar o outro,
  modos específicos de trabalhar, dirigir um
  automóvel, entre outras atividades.
• Desconstrução    da   oposição    binária
  masculino-feminino          (pensamento
  dicotômico): homem e mulher como pólos
  opostos que se relacionariam dentro de
  uma lógica de dominação-submissão.

• Desconstruir significa problematizar a
  constituição de cada pólo, demonstrando
  que cada um supõe e contém o outro.
• A noção de poder advinda das
  teorizações foucaultianas, nos permite
  perturbar a ideia fixa e linear de
  superioridade masculina e submissão
  feminina – o poder se exerce em várias
  direções.

• Os grupos dominados são capazes de
  fazer dos espaços e instâncias de
  opressão, lugares de resistência e de
  exercício de poder.
“Ao aceitarmos que a construção do
       gênero é histórica e se faz
incessantemente, estamos entendendo
    que as relações entre homens e
      mulheres, os discursos e as
 representações dessas relações estão
   em constante mudança. Isso supõe
  que as identidades de gênero estão
   continuamente se transformando”.
                      (LOURO, 1997, p.35)
IDENTIDADES DE
            GÊNERO
• As diversas formas pelas quais nos
  identificamos com os modelos culturais
  femininos e masculinos vão constituir nossas
  identidades de gênero.
• Maneiras como alguém se sente, se
  identifica, se apresenta para si e para os
  demais e como é percebida/o como
  “feminino” ou “masculino”
• Independe do sexo biológico e da orientação
  sexual.
IDENTIDADES DE
          GÊNERO
• Falamos        em      feminilidadeS   e
  masculinidadeS (no plural)...
• A cultura nos disponibiliza modelos
  diversos com os quais nos identificamos
  total,    parcialmente   ou      não nos
  identificados.
IDENTIDADES DE
    GÊNERO E SEXUAIS
• Há muitas vezes uma “confusão” entre essas
  identidades.
• Elas se afetam mutuamente e se hibridizam,
  mas não são a mesma coisa.
• Identidades de gênero: feminino e masculino.
• Identidades     sexuais:    formas    como
  vivenciamos a sexualidade (com pessoas do
  mesmo sexo, de outro sexo ou de ambos os
  sexos).
EDUCAÇÃO =
         CONSTRUÇÃO
• Nossa identidade de gênero e nossa
  subjetividade (nossa visão do mundo) nos
  são “fornecidas” por meio de processos
  educativos, que se iniciam ao nascermos.
• Somos “educados” para nos tornar mulheres
  e homens de determinados “tipos” – dentro
  de determinadas possibilidades.
• Esse processo educativo também envolve
  relações de poder (conflitos, alianças...)
INSTÂNCIA
        S
EDUCATIVA
• Família – Convívio social
        S
•   Mídias
•   Escola
•   Literatura e Arte
•   Religião
•   Ciência
•   Artefatos Culturais
Gênero   inicialppt
Gênero   inicialppt
TRANSGÊNEROS
• Trânsito entre os gêneros
• Pessoas cujo gênero e identidade social
  não correspondem ao sexo biológico e
  por isso vivem como pessoas do gênero
  com o qual se identificam.
• Se identificam com um gênero diferente
  de seu sexo biológico, a ponto de efetuar
  modificações corporais radicais (cirurgia
  de adequação de gênero).
GÊNERO E
• Em  DESIGUALDADES
     nossa cultura, os modelos e símbolos
  associados ao feminino e ao masculino
  colocam-se em status diferenciado de
  valor.
  valor

• Vivenciamos uma cultura
  em que o MASCULINO se
  coloca    como  padrão
  normativo.
GÊNERO E
      DESIGUALDADES
• Historicamente, o feminino tem sido
  considerado “naturalmente” inferior (em
  vários aspectos), o que tem justificado
  práticas de discriminação e subjugação
  contra mulheres e sujeitos que não
  compartilham        da   “masculinidade
  hegemônica”.
• Estigmas:    virilidade  masculina    e
  submissão feminina.
• Relacionamentos,
  Mundo do Trabalho,
  Participação Política,
  Educação,      Saúde...
  São     múltiplas   as
  instâncias         de
  desigualdade.
• As desigualdades traduzem-se, muitas
  vezes, em relações de violência.
• A violência é naturalizada/justificada por
  do sexismo e da misoginia comuns em
  nossa cultura.
• A despeito de todos os avanços e conquistas
  na direção da eqüidade de gênero, persiste
  entre nós a violência física, sexual ou
  psicológica, que agride, amedronta e
  submete não só as mulheres, mas também
  os homens que não se comportam segundo
  os rígidos padrões da masculinidade
  dominante.
SEXISMO
• Sexismo é termo que se refere ao conjunto
  de ações e idéias que privilegiam entes de
  determinado gênero (ou, por extensão, que
  privilegiam determinada orientação sexual)
  em detrimento dos entes de outro gênero
  (ou orientação sexual).
MISOGINIA

• Misoginia é um movimento de aversão ao
  que é ligado ao feminino.

• A misoginia é por vezes confundida com o
  machismo, mas enquanto que a primeira
  se baseia no ódio, o segundo
  fundamenta-se      numa     crença    na
  inferioridade da mulher.
MACHISMO
• É a crença de que os homens são
  superiores às mulheres.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O conceito de gênero e as relações de gêneros
O conceito de gênero e as relações de gênerosO conceito de gênero e as relações de gêneros
O conceito de gênero e as relações de gêneros
YanMBM
 
Dia Internacional da Mulher
Dia Internacional da MulherDia Internacional da Mulher
Dia Internacional da Mulher
univsenior
 
Identidade
IdentidadeIdentidade
Identidade
Lucas Almeida Sá
 
O papel da mulher na sociedade
O papel da mulher na sociedadeO papel da mulher na sociedade
O papel da mulher na sociedade
silvanapappi
 
A mulher na sociedade.
A mulher na sociedade.A mulher na sociedade.
A mulher na sociedade.
interatividade
 
Desigualdade De Género
Desigualdade De GéneroDesigualdade De Género
Desigualdade De Género
Instituto Monitor
 
O Racismo
O RacismoO Racismo
O Racismo
marleneves
 
Palestra Ser Mulher: Direitos e Escolhas
Palestra Ser Mulher: Direitos e EscolhasPalestra Ser Mulher: Direitos e Escolhas
Palestra Ser Mulher: Direitos e Escolhas
Rosalia Ometto
 
Mulheres na História
Mulheres na HistóriaMulheres na História
Mulheres na História
Gleisi Hoffmann
 
Direitos humanos
Direitos humanosDireitos humanos
Direitos humanos
Luis De Sousa Rodrigues
 
Estratificação e Desigualdade Social
Estratificação e Desigualdade SocialEstratificação e Desigualdade Social
Estratificação e Desigualdade Social
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Diversidade cultural apresentação
Diversidade cultural   apresentaçãoDiversidade cultural   apresentação
Diversidade cultural apresentação
karlyapessoa
 
Racismo no Brasil
Racismo no BrasilRacismo no Brasil
Racismo no Brasil
João Alfredo Telles Melo
 
Violência contra mulher e Lei Maria da Penha
Violência contra mulher e Lei Maria da Penha  Violência contra mulher e Lei Maria da Penha
Violência contra mulher e Lei Maria da Penha
Vyttorya Marcenio
 
Gênero e Sexualidade
Gênero e Sexualidade Gênero e Sexualidade
Gênero e Sexualidade
Ilana Fernandes
 
Bullying
Bullying Bullying
Violência contra mulher -
Violência contra mulher - Violência contra mulher -
Violência contra mulher -
Conceição Amorim
 
Direitos da mulher
Direitos da mulherDireitos da mulher
Direitos da mulher
bejr
 
Desigualdade de gênero
Desigualdade de gêneroDesigualdade de gênero
Desigualdade de gênero
Wednei Gama
 
Os direitos humanos das mulheres e o mundo do trabalho
Os direitos humanos das mulheres e o mundo do trabalhoOs direitos humanos das mulheres e o mundo do trabalho
Os direitos humanos das mulheres e o mundo do trabalho
Conceição Amorim
 

Mais procurados (20)

O conceito de gênero e as relações de gêneros
O conceito de gênero e as relações de gênerosO conceito de gênero e as relações de gêneros
O conceito de gênero e as relações de gêneros
 
Dia Internacional da Mulher
Dia Internacional da MulherDia Internacional da Mulher
Dia Internacional da Mulher
 
Identidade
IdentidadeIdentidade
Identidade
 
O papel da mulher na sociedade
O papel da mulher na sociedadeO papel da mulher na sociedade
O papel da mulher na sociedade
 
A mulher na sociedade.
A mulher na sociedade.A mulher na sociedade.
A mulher na sociedade.
 
Desigualdade De Género
Desigualdade De GéneroDesigualdade De Género
Desigualdade De Género
 
O Racismo
O RacismoO Racismo
O Racismo
 
Palestra Ser Mulher: Direitos e Escolhas
Palestra Ser Mulher: Direitos e EscolhasPalestra Ser Mulher: Direitos e Escolhas
Palestra Ser Mulher: Direitos e Escolhas
 
Mulheres na História
Mulheres na HistóriaMulheres na História
Mulheres na História
 
Direitos humanos
Direitos humanosDireitos humanos
Direitos humanos
 
Estratificação e Desigualdade Social
Estratificação e Desigualdade SocialEstratificação e Desigualdade Social
Estratificação e Desigualdade Social
 
Diversidade cultural apresentação
Diversidade cultural   apresentaçãoDiversidade cultural   apresentação
Diversidade cultural apresentação
 
Racismo no Brasil
Racismo no BrasilRacismo no Brasil
Racismo no Brasil
 
Violência contra mulher e Lei Maria da Penha
Violência contra mulher e Lei Maria da Penha  Violência contra mulher e Lei Maria da Penha
Violência contra mulher e Lei Maria da Penha
 
Gênero e Sexualidade
Gênero e Sexualidade Gênero e Sexualidade
Gênero e Sexualidade
 
Bullying
Bullying Bullying
Bullying
 
Violência contra mulher -
Violência contra mulher - Violência contra mulher -
Violência contra mulher -
 
Direitos da mulher
Direitos da mulherDireitos da mulher
Direitos da mulher
 
Desigualdade de gênero
Desigualdade de gêneroDesigualdade de gênero
Desigualdade de gênero
 
Os direitos humanos das mulheres e o mundo do trabalho
Os direitos humanos das mulheres e o mundo do trabalhoOs direitos humanos das mulheres e o mundo do trabalho
Os direitos humanos das mulheres e o mundo do trabalho
 

Semelhante a Gênero inicialppt

Gênero Formação.pdf
Gênero Formação.pdfGênero Formação.pdf
Gênero Formação.pdf
AnaPaulaHoroback
 
Conceito de gênero.
Conceito de gênero.Conceito de gênero.
Conceito de gênero.
Fábio Fernandes
 
Sociologia Gênero e Saúde
Sociologia Gênero e Saúde Sociologia Gênero e Saúde
Sociologia Gênero e Saúde
Cláudia Hellena Ribeiro
 
Genero
GeneroGenero
Genero
Joe Álefe
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
AlessandraRibas7
 
Slides semana 4
Slides semana 4Slides semana 4
Slides semana 4
Eliete Correia Santos
 
Conceito de gênero.
Conceito de gênero.Conceito de gênero.
Conceito de gênero.
Fábio Fernandes
 
Identidade de gênero e orientação sexual.
Identidade de gênero e orientação sexual.Identidade de gênero e orientação sexual.
Identidade de gênero e orientação sexual.
Fábio Fernandes
 
Diversidade sexual na escola
Diversidade sexual na escolaDiversidade sexual na escola
Diversidade sexual na escola
Orlando Santos Brito
 
Repres. social e gênero
Repres. social e gêneroRepres. social e gênero
Repres. social e gênero
Psicologia_2015
 
O que é sexo
O que é sexoO que é sexo
O que é sexo
Carmem Rocha
 
Identidade de gênero e o ambiente escolar
Identidade de gênero e o ambiente escolarIdentidade de gênero e o ambiente escolar
Identidade de gênero e o ambiente escolar
Matheus Lincoln
 
os novos corpos do século XXI (SAUDE).pptx
os novos corpos do século XXI (SAUDE).pptxos novos corpos do século XXI (SAUDE).pptx
os novos corpos do século XXI (SAUDE).pptx
JessiellyGuimares
 
Cultura afro2
Cultura afro2Cultura afro2
Cultura afro2
culturaafro
 
AULA 01_O QUE É PSICOLOGIA SOCIAL.pptx
AULA 01_O QUE É PSICOLOGIA SOCIAL.pptxAULA 01_O QUE É PSICOLOGIA SOCIAL.pptx
AULA 01_O QUE É PSICOLOGIA SOCIAL.pptx
Denise Neiva
 
Oficina sobre BRINCANDO COM O “BICHO PAPÃO”: TECENDO DIÁLOGO SOBRE CORPO, GÊN...
Oficina sobre BRINCANDO COM O “BICHO PAPÃO”: TECENDO DIÁLOGO SOBRE CORPO, GÊN...Oficina sobre BRINCANDO COM O “BICHO PAPÃO”: TECENDO DIÁLOGO SOBRE CORPO, GÊN...
Oficina sobre BRINCANDO COM O “BICHO PAPÃO”: TECENDO DIÁLOGO SOBRE CORPO, GÊN...
Lilian Moreira
 
Sexualidade, sociedade e política
Sexualidade, sociedade e políticaSexualidade, sociedade e política
Sexualidade, sociedade e política
Fábio Fernandes
 
Aprest GêNero
Aprest GêNeroAprest GêNero
Aprest GêNero
vanusavalerio
 
Plano de Ação - NADGS
Plano de Ação - NADGSPlano de Ação - NADGS
Plano de Ação - NADGS
coordenacaodiversidade
 
Genero
GeneroGenero

Semelhante a Gênero inicialppt (20)

Gênero Formação.pdf
Gênero Formação.pdfGênero Formação.pdf
Gênero Formação.pdf
 
Conceito de gênero.
Conceito de gênero.Conceito de gênero.
Conceito de gênero.
 
Sociologia Gênero e Saúde
Sociologia Gênero e Saúde Sociologia Gênero e Saúde
Sociologia Gênero e Saúde
 
Genero
GeneroGenero
Genero
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
 
Slides semana 4
Slides semana 4Slides semana 4
Slides semana 4
 
Conceito de gênero.
Conceito de gênero.Conceito de gênero.
Conceito de gênero.
 
Identidade de gênero e orientação sexual.
Identidade de gênero e orientação sexual.Identidade de gênero e orientação sexual.
Identidade de gênero e orientação sexual.
 
Diversidade sexual na escola
Diversidade sexual na escolaDiversidade sexual na escola
Diversidade sexual na escola
 
Repres. social e gênero
Repres. social e gêneroRepres. social e gênero
Repres. social e gênero
 
O que é sexo
O que é sexoO que é sexo
O que é sexo
 
Identidade de gênero e o ambiente escolar
Identidade de gênero e o ambiente escolarIdentidade de gênero e o ambiente escolar
Identidade de gênero e o ambiente escolar
 
os novos corpos do século XXI (SAUDE).pptx
os novos corpos do século XXI (SAUDE).pptxos novos corpos do século XXI (SAUDE).pptx
os novos corpos do século XXI (SAUDE).pptx
 
Cultura afro2
Cultura afro2Cultura afro2
Cultura afro2
 
AULA 01_O QUE É PSICOLOGIA SOCIAL.pptx
AULA 01_O QUE É PSICOLOGIA SOCIAL.pptxAULA 01_O QUE É PSICOLOGIA SOCIAL.pptx
AULA 01_O QUE É PSICOLOGIA SOCIAL.pptx
 
Oficina sobre BRINCANDO COM O “BICHO PAPÃO”: TECENDO DIÁLOGO SOBRE CORPO, GÊN...
Oficina sobre BRINCANDO COM O “BICHO PAPÃO”: TECENDO DIÁLOGO SOBRE CORPO, GÊN...Oficina sobre BRINCANDO COM O “BICHO PAPÃO”: TECENDO DIÁLOGO SOBRE CORPO, GÊN...
Oficina sobre BRINCANDO COM O “BICHO PAPÃO”: TECENDO DIÁLOGO SOBRE CORPO, GÊN...
 
Sexualidade, sociedade e política
Sexualidade, sociedade e políticaSexualidade, sociedade e política
Sexualidade, sociedade e política
 
Aprest GêNero
Aprest GêNeroAprest GêNero
Aprest GêNero
 
Plano de Ação - NADGS
Plano de Ação - NADGSPlano de Ação - NADGS
Plano de Ação - NADGS
 
Genero
GeneroGenero
Genero
 

Mais de temastransversais

G6 agua
G6 aguaG6 agua
Bicastiradentes meioambiente reciclagem
Bicastiradentes meioambiente reciclagemBicastiradentes meioambiente reciclagem
Bicastiradentes meioambiente reciclagem
temastransversais
 
Bicastiradentes saudeii higieneesaude
Bicastiradentes saudeii higieneesaudeBicastiradentes saudeii higieneesaude
Bicastiradentes saudeii higieneesaude
temastransversais
 
Bicastiradentes saudei obesidadeinfantil
Bicastiradentes saudei obesidadeinfantilBicastiradentes saudei obesidadeinfantil
Bicastiradentes saudei obesidadeinfantil
temastransversais
 
Bicastiradentes pluralidadeculturalii etnias
Bicastiradentes pluralidadeculturalii etniasBicastiradentes pluralidadeculturalii etnias
Bicastiradentes pluralidadeculturalii etnias
temastransversais
 
Bicastiradentes pluralidadeculturali afrodescendencia
Bicastiradentes pluralidadeculturali afrodescendenciaBicastiradentes pluralidadeculturali afrodescendencia
Bicastiradentes pluralidadeculturali afrodescendencia
temastransversais
 
Bicastiradentes orientacaosexual sexualidadenaadolescencia
Bicastiradentes orientacaosexual sexualidadenaadolescenciaBicastiradentes orientacaosexual sexualidadenaadolescencia
Bicastiradentes orientacaosexual sexualidadenaadolescencia
temastransversais
 
BicasTiradentes_EticaI_ConvívioSocialFamíliaeEscola
BicasTiradentes_EticaI_ConvívioSocialFamíliaeEscolaBicasTiradentes_EticaI_ConvívioSocialFamíliaeEscola
BicasTiradentes_EticaI_ConvívioSocialFamíliaeEscola
temastransversais
 
A plataforma moodle como exemplo de ambiente virtual
A plataforma moodle como exemplo de ambiente virtualA plataforma moodle como exemplo de ambiente virtual
A plataforma moodle como exemplo de ambiente virtual
temastransversais
 
Ilicínea meioambinte 6
Ilicínea meioambinte 6Ilicínea meioambinte 6
Ilicínea meioambinte 6
temastransversais
 
Boa esperança.santa rita saúde.2.ppt
Boa esperança.santa rita saúde.2.pptBoa esperança.santa rita saúde.2.ppt
Boa esperança.santa rita saúde.2.ppt
temastransversais
 
Ipanema durandé meio-ambiente_8.2
Ipanema durandé meio-ambiente_8.2Ipanema durandé meio-ambiente_8.2
Ipanema durandé meio-ambiente_8.2
temastransversais
 
Ipanema durandé meio-ambiente_8.2
Ipanema durandé meio-ambiente_8.2Ipanema durandé meio-ambiente_8.2
Ipanema durandé meio-ambiente_8.2
temastransversais
 
Ipanema durandé pluraridade cultural-5.1
Ipanema durandé pluraridade  cultural-5.1Ipanema durandé pluraridade  cultural-5.1
Ipanema durandé pluraridade cultural-5.1
temastransversais
 
Ipanema durandé orientacao-sexual_3.1
Ipanema durandé orientacao-sexual_3.1Ipanema durandé orientacao-sexual_3.1
Ipanema durandé orientacao-sexual_3.1
temastransversais
 
Ipanema durandé meio-ambiente_8.2
Ipanema durandé meio-ambiente_8.2Ipanema durandé meio-ambiente_8.2
Ipanema durandé meio-ambiente_8.2
temastransversais
 
Ipanema durandé saúde-3.1ppt
Ipanema durandé saúde-3.1pptIpanema durandé saúde-3.1ppt
Ipanema durandé saúde-3.1ppt
temastransversais
 
Boa esperança.santa rita orientação sexual_1.ppt
Boa esperança.santa rita orientação sexual_1.pptBoa esperança.santa rita orientação sexual_1.ppt
Boa esperança.santa rita orientação sexual_1.ppt
temastransversais
 
Boa esperança.santa rita pluralidade cultural 1.ppt
Boa esperança.santa rita pluralidade cultural 1.pptBoa esperança.santa rita pluralidade cultural 1.ppt
Boa esperança.santa rita pluralidade cultural 1.ppt
temastransversais
 
Boa esperança.santa rita meio ambiente 2.ppt
Boa esperança.santa rita meio ambiente 2.pptBoa esperança.santa rita meio ambiente 2.ppt
Boa esperança.santa rita meio ambiente 2.ppt
temastransversais
 

Mais de temastransversais (20)

G6 agua
G6 aguaG6 agua
G6 agua
 
Bicastiradentes meioambiente reciclagem
Bicastiradentes meioambiente reciclagemBicastiradentes meioambiente reciclagem
Bicastiradentes meioambiente reciclagem
 
Bicastiradentes saudeii higieneesaude
Bicastiradentes saudeii higieneesaudeBicastiradentes saudeii higieneesaude
Bicastiradentes saudeii higieneesaude
 
Bicastiradentes saudei obesidadeinfantil
Bicastiradentes saudei obesidadeinfantilBicastiradentes saudei obesidadeinfantil
Bicastiradentes saudei obesidadeinfantil
 
Bicastiradentes pluralidadeculturalii etnias
Bicastiradentes pluralidadeculturalii etniasBicastiradentes pluralidadeculturalii etnias
Bicastiradentes pluralidadeculturalii etnias
 
Bicastiradentes pluralidadeculturali afrodescendencia
Bicastiradentes pluralidadeculturali afrodescendenciaBicastiradentes pluralidadeculturali afrodescendencia
Bicastiradentes pluralidadeculturali afrodescendencia
 
Bicastiradentes orientacaosexual sexualidadenaadolescencia
Bicastiradentes orientacaosexual sexualidadenaadolescenciaBicastiradentes orientacaosexual sexualidadenaadolescencia
Bicastiradentes orientacaosexual sexualidadenaadolescencia
 
BicasTiradentes_EticaI_ConvívioSocialFamíliaeEscola
BicasTiradentes_EticaI_ConvívioSocialFamíliaeEscolaBicasTiradentes_EticaI_ConvívioSocialFamíliaeEscola
BicasTiradentes_EticaI_ConvívioSocialFamíliaeEscola
 
A plataforma moodle como exemplo de ambiente virtual
A plataforma moodle como exemplo de ambiente virtualA plataforma moodle como exemplo de ambiente virtual
A plataforma moodle como exemplo de ambiente virtual
 
Ilicínea meioambinte 6
Ilicínea meioambinte 6Ilicínea meioambinte 6
Ilicínea meioambinte 6
 
Boa esperança.santa rita saúde.2.ppt
Boa esperança.santa rita saúde.2.pptBoa esperança.santa rita saúde.2.ppt
Boa esperança.santa rita saúde.2.ppt
 
Ipanema durandé meio-ambiente_8.2
Ipanema durandé meio-ambiente_8.2Ipanema durandé meio-ambiente_8.2
Ipanema durandé meio-ambiente_8.2
 
Ipanema durandé meio-ambiente_8.2
Ipanema durandé meio-ambiente_8.2Ipanema durandé meio-ambiente_8.2
Ipanema durandé meio-ambiente_8.2
 
Ipanema durandé pluraridade cultural-5.1
Ipanema durandé pluraridade  cultural-5.1Ipanema durandé pluraridade  cultural-5.1
Ipanema durandé pluraridade cultural-5.1
 
Ipanema durandé orientacao-sexual_3.1
Ipanema durandé orientacao-sexual_3.1Ipanema durandé orientacao-sexual_3.1
Ipanema durandé orientacao-sexual_3.1
 
Ipanema durandé meio-ambiente_8.2
Ipanema durandé meio-ambiente_8.2Ipanema durandé meio-ambiente_8.2
Ipanema durandé meio-ambiente_8.2
 
Ipanema durandé saúde-3.1ppt
Ipanema durandé saúde-3.1pptIpanema durandé saúde-3.1ppt
Ipanema durandé saúde-3.1ppt
 
Boa esperança.santa rita orientação sexual_1.ppt
Boa esperança.santa rita orientação sexual_1.pptBoa esperança.santa rita orientação sexual_1.ppt
Boa esperança.santa rita orientação sexual_1.ppt
 
Boa esperança.santa rita pluralidade cultural 1.ppt
Boa esperança.santa rita pluralidade cultural 1.pptBoa esperança.santa rita pluralidade cultural 1.ppt
Boa esperança.santa rita pluralidade cultural 1.ppt
 
Boa esperança.santa rita meio ambiente 2.ppt
Boa esperança.santa rita meio ambiente 2.pptBoa esperança.santa rita meio ambiente 2.ppt
Boa esperança.santa rita meio ambiente 2.ppt
 

Gênero inicialppt

  • 1. GÊNERO: feminilidades e masculinidade s em questão
  • 3. GÊNERO • Refere-se a tudo que é classificado como feminino e masculino numa determinada cultura e contexto histórico. • Comportamentos, símbolos, objetos, imagens, representações, valores, marcas corporais...
  • 4. GÊNERO • Cada sociedade, cada cultura estabelece padrões que determinam um conjunto de símbolos, valores, comportamentos, habilidades que circunscrevem o que é FEMININO e o que é MASCULINO. • Assim, um sujeito se define como feminino ou masculino a partir dessas “possibilidades” disponíveis no contexto sociocultural e histórico do qual faz parte.
  • 5. GÊNERO • Contraposição ao uso de termos como “sexo” e “diferença sexual” = determinismo biológico. • Acentuar o caráter fundamentalmente social das distinções baseadas no sexo. • A forma como essas distinções são representadas, valorizadas... • Ferramenta ANALÍTICA/ferramenta POLÍTICA.
  • 6. “Para que se compreenda o lugar e as relações entre homens e mulheres numa sociedade importa observar não exatamente seus sexos, mas sim tudo o que socialmente se construiu sobre os sexos”. (LOURO, 1997, p.21)
  • 7. • As diferenças de gênero são interpretadas como se fossem naturais, determinadas pelos corpos e pela mente de cada um. • Nas ciências biológicas, é recorrente essa busca por causas biológicas e psíquicas para explicar diferenças entre mulheres e homens. • Os estudos de gênero argumentam que essas diferenças são socialmente construídas.
  • 8. RELAÇÕES DE GÊNERO • As questões de gênero dizem respeito às relações entre sujeitos femininos e masculinos, mas não se limita a isso, estendendo-se para as relações entre sujeitos femininos e entre sujeitos masculinos. • As relações sociais serão sempre relações de poder, o que envolve conflitos, negociações, disputas, avanços e recuos, consentimentos, revoltas e alianças.
  • 9. RELAÇÕES DE GÊNERO • Os gêneros são CONSTRUÇÕES socioculturais e históricas – não é “natural” nascer mulher ou homem. • “Não se nasce mulher, torna-se mulher” mulher (Simone de Beauvouir)... • Não se nasce homem, torna-se homem... homem • Os processos que nos constituem como mulheres e homens são educativos (necessidade de ampliar essa noção)...
  • 10. • O modo como mulheres e homens se comportam em sociedade corresponde a um intenso aprendizado sociocultural que nos ensina a agir conforme as prescrições de cada gênero. • Há expectativas sociais com relação ao modo como mulheres e homens devem andar, falar, sentar, mostrar seu corpo, brincar, dançar, namorar, tocar o outro, modos específicos de trabalhar, dirigir um automóvel, entre outras atividades.
  • 11. • Desconstrução da oposição binária masculino-feminino (pensamento dicotômico): homem e mulher como pólos opostos que se relacionariam dentro de uma lógica de dominação-submissão. • Desconstruir significa problematizar a constituição de cada pólo, demonstrando que cada um supõe e contém o outro.
  • 12. • A noção de poder advinda das teorizações foucaultianas, nos permite perturbar a ideia fixa e linear de superioridade masculina e submissão feminina – o poder se exerce em várias direções. • Os grupos dominados são capazes de fazer dos espaços e instâncias de opressão, lugares de resistência e de exercício de poder.
  • 13. “Ao aceitarmos que a construção do gênero é histórica e se faz incessantemente, estamos entendendo que as relações entre homens e mulheres, os discursos e as representações dessas relações estão em constante mudança. Isso supõe que as identidades de gênero estão continuamente se transformando”. (LOURO, 1997, p.35)
  • 14. IDENTIDADES DE GÊNERO • As diversas formas pelas quais nos identificamos com os modelos culturais femininos e masculinos vão constituir nossas identidades de gênero. • Maneiras como alguém se sente, se identifica, se apresenta para si e para os demais e como é percebida/o como “feminino” ou “masculino” • Independe do sexo biológico e da orientação sexual.
  • 15. IDENTIDADES DE GÊNERO • Falamos em feminilidadeS e masculinidadeS (no plural)... • A cultura nos disponibiliza modelos diversos com os quais nos identificamos total, parcialmente ou não nos identificados.
  • 16. IDENTIDADES DE GÊNERO E SEXUAIS • Há muitas vezes uma “confusão” entre essas identidades. • Elas se afetam mutuamente e se hibridizam, mas não são a mesma coisa. • Identidades de gênero: feminino e masculino. • Identidades sexuais: formas como vivenciamos a sexualidade (com pessoas do mesmo sexo, de outro sexo ou de ambos os sexos).
  • 17. EDUCAÇÃO = CONSTRUÇÃO • Nossa identidade de gênero e nossa subjetividade (nossa visão do mundo) nos são “fornecidas” por meio de processos educativos, que se iniciam ao nascermos. • Somos “educados” para nos tornar mulheres e homens de determinados “tipos” – dentro de determinadas possibilidades. • Esse processo educativo também envolve relações de poder (conflitos, alianças...)
  • 18. INSTÂNCIA S EDUCATIVA • Família – Convívio social S • Mídias • Escola • Literatura e Arte • Religião • Ciência • Artefatos Culturais
  • 21. TRANSGÊNEROS • Trânsito entre os gêneros • Pessoas cujo gênero e identidade social não correspondem ao sexo biológico e por isso vivem como pessoas do gênero com o qual se identificam. • Se identificam com um gênero diferente de seu sexo biológico, a ponto de efetuar modificações corporais radicais (cirurgia de adequação de gênero).
  • 22. GÊNERO E • Em DESIGUALDADES nossa cultura, os modelos e símbolos associados ao feminino e ao masculino colocam-se em status diferenciado de valor. valor • Vivenciamos uma cultura em que o MASCULINO se coloca como padrão normativo.
  • 23. GÊNERO E DESIGUALDADES • Historicamente, o feminino tem sido considerado “naturalmente” inferior (em vários aspectos), o que tem justificado práticas de discriminação e subjugação contra mulheres e sujeitos que não compartilham da “masculinidade hegemônica”. • Estigmas: virilidade masculina e submissão feminina.
  • 24. • Relacionamentos, Mundo do Trabalho, Participação Política, Educação, Saúde... São múltiplas as instâncias de desigualdade.
  • 25. • As desigualdades traduzem-se, muitas vezes, em relações de violência. • A violência é naturalizada/justificada por do sexismo e da misoginia comuns em nossa cultura.
  • 26. • A despeito de todos os avanços e conquistas na direção da eqüidade de gênero, persiste entre nós a violência física, sexual ou psicológica, que agride, amedronta e submete não só as mulheres, mas também os homens que não se comportam segundo os rígidos padrões da masculinidade dominante.
  • 27. SEXISMO • Sexismo é termo que se refere ao conjunto de ações e idéias que privilegiam entes de determinado gênero (ou, por extensão, que privilegiam determinada orientação sexual) em detrimento dos entes de outro gênero (ou orientação sexual).
  • 28. MISOGINIA • Misoginia é um movimento de aversão ao que é ligado ao feminino. • A misoginia é por vezes confundida com o machismo, mas enquanto que a primeira se baseia no ódio, o segundo fundamenta-se numa crença na inferioridade da mulher.
  • 29. MACHISMO • É a crença de que os homens são superiores às mulheres.