SlideShare uma empresa Scribd logo
A missão do Núcleo de Atendimento à
Educação de Gênero e Sexualidade - NADGS
é implementar políticas públicas relativas às
     questões de gênero e sexualidade no
processo educacional do Distrito Federal, em
   consonância com o Programa Nacional de
   Direitos Humanos e o Plano Nacional de
      Políticas para Mulheres, a partir do
    entendimento que existem fenômenos
  histórico-sociais como racismo, sexismo e
                   homofobia.
O espaço escolar constitui-se no ambiente
de convivência de maior manifestação das
      pressões sociais para que nossa
  sexualidade se realize conforme o que
  “naturalmente” se espera nas relações
entre estudantes, familiares, docentes e
    equipe técnica por se tratar de um
 contexto privilegiado de aprendizado de
     pautas de convivência social e de
 desenvolvimento de habilidades, dentre
     elas, os modos de compreender a
diversidade de gênero e sexualidade.
A questão de gênero a ser trabalhada em
     sala de aula, deve começar pelo
   entendimento de como esse conceito
ganhou contornos políticos. Formulado nos
  anos 1970 com profunda influência do
   pensamento feminista, o conceito de
    gênero foi criado para distinguir a
  dimensão biológica da dimensão social,
   baseando-se no raciocínio de que há
   machos e fêmeas na espécie humana
• Fruto de processos históricos, sociais e
  culturais, gênero, identidade, sexualidade e
  orientação sexual, além de fortemente
  relacionados requerem contribuições analíticas
  que considerem perspectivas multidisciplinares
  e, ao mesmo tempo, as considerem no plano da
  ética e dos direitos humanos, numa perspectiva
  emancipatória.

• A perspectiva de gênero também está presente
  nas questões mais diretamente ligadas à
  sexualidade humana. Essa presença se
  manifesta nas relações cotidianas e na vivência
  da sexualidade.
• Em cada período histórico e em cada
  cultura, algumas expressões do
  masculino e do feminino são dominantes
  e servem como referência ou modelo,
  não significando que devam ser tomadas
  como paradigmas.
Se as relações entre homens e
 mulheres são um fenômeno de
   ordem cultural, podem ser
     transformadas, sendo
fundamental o papel da educação
         nesse sentido.
Por meio da educação podem ser
      construídos valores,
   compreensões e regras de
 comportamento em relação ao
  conceito de gênero e do que
venha a ser mulher ou homem em
         uma sociedade.
O conceito de gênero também
permite pensar nas diferenças
    sem transformá-las em
desigualdades, ou seja, sem que
 as diferenças sejam ponto de
 partida para a discriminação.
A superação das discriminações implica a
      elaboração de políticas públicas
  específicas e articuladas. As questões
relativas às mulheres e aos homossexuais
    masculinos e femininos, não apenas
  explicitam práticas preconceituosas e
   discriminatórias – misoginia, sexismo,
 homofobia, lesbofobia, transfobia – que
 existem no interior da nossa sociedade,
  mas também indicam que essas mesmas
práticas vêm sofrendo transformações em
      função da atuação dos próprios
  movimentos sociais feministas e LGBT.
• GÊNERO significa que homens e
  mulheres são produtos da realidade
  social e não decorrência da anatomia de
  seus corpos.
• IDENTIDADE DE GÊNERO diz
  respeito à percepção subjetiva de ser
  masculino ou feminino, conforme os
  atributos, os comportamentos e os
  papéis convencionalmente
  estabelecidos para homens e mulheres.
• ORIENTAÇÃO SEXUAL se refere ao sexo
  das pessoas que elegemos como objeto de
  desejo e afeto. Hoje são reconhecidos três
  tipos de orientação sexual:
      - a heterossexualidade (atração física e
  emocional pelo “sexo oposto”)
      - a homossexualidade (atração física e
  emocional pelo “mesmo sexo”)
      - a bissexualidade (atração física e
  emocional tanto pelo “mesmo sexo” quanto
  pelo “sexo oposto”).
• SEXUALIDADE é um conceito dinâmico que vai
  evolucionando e está sujeito a diversos usos, múltiplas
  e contraditórias interpretações, e que se encontra
  sujeito a debates e a disputas políticas, pois se refere
  às elaborações culturais sobre os prazeres e os
  intercâmbios sociais e corporais

• HOMOFOBIA é o termo usado para se referir ao
  desprezo e ao ódio às pessoas com orientação sexual
  diferente da heterossexual.

• SEXISMO é a atitude preconceituosa que prescreve
  para homens e mulheres papéis e conduta
  diferenciada de acordo com o gênero atribuído a cada
  um, subordinando o feminino ao masculino.
A invisibilidade da temática, por
parte de educadoras e educadores e
de todas as autoridades do sistema
        educacional, concorre
   consideravelmente para que a
        violência se perpetue.
Muita gente vê nisso uma ameaça à
família, aos valores morais, à própria
vida em sociedade. É preciso questionar
esta visão, e refletir sobre como o
silêncio em relação a situações de
discriminação por preconceito e
violência de gênero contribui para a
reprodução de uma ordem desigual e
injusta.
Nossas ações estão em consonância com
     o Programa Nacional de Direitos
      Humanos e o Plano Nacional de
   Políticas para as Mulheres, voltadas
  para a educação inclusiva e não sexista,
que tem por objetivo garantir um sistema
 educacional não discriminatório, que não
         reproduza estereótipos de
           gênero, raça e etnia
“[...] para odiar, as pessoas
precisam aprender, e se podem
 aprender a odiar, podem ser
      ensinadas a amar”
              Nelson Mandela
Plano de Ação - NADGS

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

sexualidade
sexualidadesexualidade
sexualidade
Carlos Cruz
 
Educação, diferença, diversidade e desigualdade.
Educação, diferença, diversidade e desigualdade.Educação, diferença, diversidade e desigualdade.
Educação, diferença, diversidade e desigualdade.
Fábio Fernandes
 
Relações etino raciais e Gênero na Educação de Jovens e Adultos
Relações etino raciais e Gênero na Educação de Jovens e AdultosRelações etino raciais e Gênero na Educação de Jovens e Adultos
Relações etino raciais e Gênero na Educação de Jovens e Adultos
Joyce Ludimile
 
Instituições sociais - Escola
Instituições sociais - EscolaInstituições sociais - Escola
Instituições sociais - Escola
Dheyvson Dantas
 
Gênero e trangênero
Gênero e trangêneroGênero e trangênero
Gênero e trangênero
Pedro Neves
 
Gde 2009 livro_de_conteudo
Gde 2009 livro_de_conteudoGde 2009 livro_de_conteudo
Gde 2009 livro_de_conteudo
Carmem Rocha
 
Orientação sexual e a identidade de gênero na escola.
Orientação sexual e a identidade de gênero na escola.Orientação sexual e a identidade de gênero na escola.
Orientação sexual e a identidade de gênero na escola.
Fábio Fernandes
 
GÊNERO E SEXUALIDADE NAS PEDAGOGIAS CULTURAIS: IMPLICAÇÕES PARA A EDUCAÇÃO IN...
GÊNERO E SEXUALIDADE NAS PEDAGOGIAS CULTURAIS: IMPLICAÇÕES PARA A EDUCAÇÃO IN...GÊNERO E SEXUALIDADE NAS PEDAGOGIAS CULTURAIS: IMPLICAÇÕES PARA A EDUCAÇÃO IN...
GÊNERO E SEXUALIDADE NAS PEDAGOGIAS CULTURAIS: IMPLICAÇÕES PARA A EDUCAÇÃO IN...
Fábio Fernandes
 
Igualdade de Género | Linguagem Inclusiva
Igualdade de Género |  Linguagem InclusivaIgualdade de Género |  Linguagem Inclusiva
Igualdade de Género | Linguagem Inclusiva
José Cruz
 
Caderno secad genero_e_diversidade_sexual_na_escola
Caderno secad genero_e_diversidade_sexual_na_escolaCaderno secad genero_e_diversidade_sexual_na_escola
Caderno secad genero_e_diversidade_sexual_na_escola
Ana Valeria Silva
 
Conceitos de gênero, sexo e sexualidade sociologia
Conceitos de gênero, sexo e sexualidade sociologiaConceitos de gênero, sexo e sexualidade sociologia
Conceitos de gênero, sexo e sexualidade sociologia
Frederico Marques Sodré
 
O aprendizado de gênero, socialização na família e na escola.
O aprendizado de gênero, socialização na família e na escola.O aprendizado de gênero, socialização na família e na escola.
O aprendizado de gênero, socialização na família e na escola.
Fábio Fernandes
 
Racismo ótimo
Racismo    ótimoRacismo    ótimo
Racismo ótimo
Flávio Guedes
 
O uso da fala e as interações com a professora e com o professor.
O uso da fala e as interações com a professora e com o professor.O uso da fala e as interações com a professora e com o professor.
O uso da fala e as interações com a professora e com o professor.
Fábio Fernandes
 
Tema cidadania 1
Tema cidadania  1Tema cidadania  1
Tema cidadania 1
Lukaraja
 
Diversidade AAA
Diversidade AAADiversidade AAA
Diversidade AAA
Vanea Santos
 
Gênero e outras formas de classificação social.
Gênero e outras formas de classificação social.Gênero e outras formas de classificação social.
Gênero e outras formas de classificação social.
Fábio Fernandes
 
O aprendizado de gênero: socialização na família e na escola.
O aprendizado de gênero: socialização na família e na escola.O aprendizado de gênero: socialização na família e na escola.
O aprendizado de gênero: socialização na família e na escola.
Fábio Fernandes
 
Sandra fodra
Sandra fodraSandra fodra
Sandra fodra
NRTE
 
A sexualidade na era moderna
A sexualidade na era modernaA sexualidade na era moderna
A sexualidade na era moderna
Filipe Simão Kembo
 

Mais procurados (20)

sexualidade
sexualidadesexualidade
sexualidade
 
Educação, diferença, diversidade e desigualdade.
Educação, diferença, diversidade e desigualdade.Educação, diferença, diversidade e desigualdade.
Educação, diferença, diversidade e desigualdade.
 
Relações etino raciais e Gênero na Educação de Jovens e Adultos
Relações etino raciais e Gênero na Educação de Jovens e AdultosRelações etino raciais e Gênero na Educação de Jovens e Adultos
Relações etino raciais e Gênero na Educação de Jovens e Adultos
 
Instituições sociais - Escola
Instituições sociais - EscolaInstituições sociais - Escola
Instituições sociais - Escola
 
Gênero e trangênero
Gênero e trangêneroGênero e trangênero
Gênero e trangênero
 
Gde 2009 livro_de_conteudo
Gde 2009 livro_de_conteudoGde 2009 livro_de_conteudo
Gde 2009 livro_de_conteudo
 
Orientação sexual e a identidade de gênero na escola.
Orientação sexual e a identidade de gênero na escola.Orientação sexual e a identidade de gênero na escola.
Orientação sexual e a identidade de gênero na escola.
 
GÊNERO E SEXUALIDADE NAS PEDAGOGIAS CULTURAIS: IMPLICAÇÕES PARA A EDUCAÇÃO IN...
GÊNERO E SEXUALIDADE NAS PEDAGOGIAS CULTURAIS: IMPLICAÇÕES PARA A EDUCAÇÃO IN...GÊNERO E SEXUALIDADE NAS PEDAGOGIAS CULTURAIS: IMPLICAÇÕES PARA A EDUCAÇÃO IN...
GÊNERO E SEXUALIDADE NAS PEDAGOGIAS CULTURAIS: IMPLICAÇÕES PARA A EDUCAÇÃO IN...
 
Igualdade de Género | Linguagem Inclusiva
Igualdade de Género |  Linguagem InclusivaIgualdade de Género |  Linguagem Inclusiva
Igualdade de Género | Linguagem Inclusiva
 
Caderno secad genero_e_diversidade_sexual_na_escola
Caderno secad genero_e_diversidade_sexual_na_escolaCaderno secad genero_e_diversidade_sexual_na_escola
Caderno secad genero_e_diversidade_sexual_na_escola
 
Conceitos de gênero, sexo e sexualidade sociologia
Conceitos de gênero, sexo e sexualidade sociologiaConceitos de gênero, sexo e sexualidade sociologia
Conceitos de gênero, sexo e sexualidade sociologia
 
O aprendizado de gênero, socialização na família e na escola.
O aprendizado de gênero, socialização na família e na escola.O aprendizado de gênero, socialização na família e na escola.
O aprendizado de gênero, socialização na família e na escola.
 
Racismo ótimo
Racismo    ótimoRacismo    ótimo
Racismo ótimo
 
O uso da fala e as interações com a professora e com o professor.
O uso da fala e as interações com a professora e com o professor.O uso da fala e as interações com a professora e com o professor.
O uso da fala e as interações com a professora e com o professor.
 
Tema cidadania 1
Tema cidadania  1Tema cidadania  1
Tema cidadania 1
 
Diversidade AAA
Diversidade AAADiversidade AAA
Diversidade AAA
 
Gênero e outras formas de classificação social.
Gênero e outras formas de classificação social.Gênero e outras formas de classificação social.
Gênero e outras formas de classificação social.
 
O aprendizado de gênero: socialização na família e na escola.
O aprendizado de gênero: socialização na família e na escola.O aprendizado de gênero: socialização na família e na escola.
O aprendizado de gênero: socialização na família e na escola.
 
Sandra fodra
Sandra fodraSandra fodra
Sandra fodra
 
A sexualidade na era moderna
A sexualidade na era modernaA sexualidade na era moderna
A sexualidade na era moderna
 

Destaque

[c7s] Reunião Fundamental I EBS 2011
[c7s] Reunião Fundamental I EBS 2011[c7s] Reunião Fundamental I EBS 2011
[c7s] Reunião Fundamental I EBS 2011
7 de Setembro
 
PROEJA-FIC - Conflito de Gerações - EMEF Cícero da Silva Brogni - Capão da Ca...
PROEJA-FIC - Conflito de Gerações - EMEF Cícero da Silva Brogni - Capão da Ca...PROEJA-FIC - Conflito de Gerações - EMEF Cícero da Silva Brogni - Capão da Ca...
PROEJA-FIC - Conflito de Gerações - EMEF Cícero da Silva Brogni - Capão da Ca...
Alexandre da Rosa
 
Cultura de paz (1)
Cultura de paz (1)Cultura de paz (1)
Cultura de paz (1)
Joao Lucas
 
Paz como se faz
Paz como se fazPaz como se faz
Paz como se faz
Solange Das Graças Seno
 
Orientação profissional
Orientação profissionalOrientação profissional
Orientação profissional
Adriana Ignácio
 
Convencionalismo e sexismo
Convencionalismo e sexismoConvencionalismo e sexismo
Convencionalismo e sexismo
Pedro Alexandre Costa
 
Fernando Pessoa e Heterônimos: Uma proposta intertextual para o Ensino Médio
Fernando Pessoa e Heterônimos: Uma proposta intertextual para o Ensino MédioFernando Pessoa e Heterônimos: Uma proposta intertextual para o Ensino Médio
Fernando Pessoa e Heterônimos: Uma proposta intertextual para o Ensino Médio
Felipe De Souza Costa
 
Orientação escolar e vocacional EDUCATE
Orientação escolar e vocacional EDUCATEOrientação escolar e vocacional EDUCATE
Orientação escolar e vocacional EDUCATE
EDUCATE
 
Palestra homofobia e escola - alexandre araripe
Palestra   homofobia e escola - alexandre araripePalestra   homofobia e escola - alexandre araripe
Palestra homofobia e escola - alexandre araripe
fanny71
 
Manifestações de intolerância à diferença
Manifestações de intolerância à diferençaManifestações de intolerância à diferença
Manifestações de intolerância à diferença
carla.carlos
 
Assédio Sexual
Assédio SexualAssédio Sexual
Assédio Sexual
Tércio De Santana
 
Apresentação assédio moral
Apresentação assédio moral  Apresentação assédio moral
Apresentação assédio moral
Ronilson Peixoto
 
Prevenção ao assédio moral e sexual no trabalho
Prevenção ao assédio moral e sexual no trabalhoPrevenção ao assédio moral e sexual no trabalho
Prevenção ao assédio moral e sexual no trabalho
João Gretzitz
 
Preconceito Na Escola
Preconceito Na EscolaPreconceito Na Escola
Preconceito Na Escola
Janayna Ataide
 
PROJETO EDUCACIONAL PAZ NO COTIDIANO
PROJETO EDUCACIONAL PAZ NO COTIDIANOPROJETO EDUCACIONAL PAZ NO COTIDIANO
PROJETO EDUCACIONAL PAZ NO COTIDIANO
Rosangela Gomes
 
Curso Outros Olhares: Educação Antidiscriminatória
Curso Outros Olhares: Educação AntidiscriminatóriaCurso Outros Olhares: Educação Antidiscriminatória
Curso Outros Olhares: Educação Antidiscriminatória
Ntm Gravataí
 
Paz e solidariedade de simone helen drumond
Paz e solidariedade de simone helen drumondPaz e solidariedade de simone helen drumond
Paz e solidariedade de simone helen drumond
SimoneHelenDrumond
 
VOCÊ E A PAZ
VOCÊ E A PAZVOCÊ E A PAZ
VOCÊ E A PAZ
Jorge Luiz dos Santos
 
Assédio moral no trabalho power point
Assédio moral no trabalho power pointAssédio moral no trabalho power point
Assédio moral no trabalho power point
nilsonbelvio
 
Projeto A paz que eu quero ter
Projeto A paz que eu quero terProjeto A paz que eu quero ter
Projeto A paz que eu quero ter
Jucf
 

Destaque (20)

[c7s] Reunião Fundamental I EBS 2011
[c7s] Reunião Fundamental I EBS 2011[c7s] Reunião Fundamental I EBS 2011
[c7s] Reunião Fundamental I EBS 2011
 
PROEJA-FIC - Conflito de Gerações - EMEF Cícero da Silva Brogni - Capão da Ca...
PROEJA-FIC - Conflito de Gerações - EMEF Cícero da Silva Brogni - Capão da Ca...PROEJA-FIC - Conflito de Gerações - EMEF Cícero da Silva Brogni - Capão da Ca...
PROEJA-FIC - Conflito de Gerações - EMEF Cícero da Silva Brogni - Capão da Ca...
 
Cultura de paz (1)
Cultura de paz (1)Cultura de paz (1)
Cultura de paz (1)
 
Paz como se faz
Paz como se fazPaz como se faz
Paz como se faz
 
Orientação profissional
Orientação profissionalOrientação profissional
Orientação profissional
 
Convencionalismo e sexismo
Convencionalismo e sexismoConvencionalismo e sexismo
Convencionalismo e sexismo
 
Fernando Pessoa e Heterônimos: Uma proposta intertextual para o Ensino Médio
Fernando Pessoa e Heterônimos: Uma proposta intertextual para o Ensino MédioFernando Pessoa e Heterônimos: Uma proposta intertextual para o Ensino Médio
Fernando Pessoa e Heterônimos: Uma proposta intertextual para o Ensino Médio
 
Orientação escolar e vocacional EDUCATE
Orientação escolar e vocacional EDUCATEOrientação escolar e vocacional EDUCATE
Orientação escolar e vocacional EDUCATE
 
Palestra homofobia e escola - alexandre araripe
Palestra   homofobia e escola - alexandre araripePalestra   homofobia e escola - alexandre araripe
Palestra homofobia e escola - alexandre araripe
 
Manifestações de intolerância à diferença
Manifestações de intolerância à diferençaManifestações de intolerância à diferença
Manifestações de intolerância à diferença
 
Assédio Sexual
Assédio SexualAssédio Sexual
Assédio Sexual
 
Apresentação assédio moral
Apresentação assédio moral  Apresentação assédio moral
Apresentação assédio moral
 
Prevenção ao assédio moral e sexual no trabalho
Prevenção ao assédio moral e sexual no trabalhoPrevenção ao assédio moral e sexual no trabalho
Prevenção ao assédio moral e sexual no trabalho
 
Preconceito Na Escola
Preconceito Na EscolaPreconceito Na Escola
Preconceito Na Escola
 
PROJETO EDUCACIONAL PAZ NO COTIDIANO
PROJETO EDUCACIONAL PAZ NO COTIDIANOPROJETO EDUCACIONAL PAZ NO COTIDIANO
PROJETO EDUCACIONAL PAZ NO COTIDIANO
 
Curso Outros Olhares: Educação Antidiscriminatória
Curso Outros Olhares: Educação AntidiscriminatóriaCurso Outros Olhares: Educação Antidiscriminatória
Curso Outros Olhares: Educação Antidiscriminatória
 
Paz e solidariedade de simone helen drumond
Paz e solidariedade de simone helen drumondPaz e solidariedade de simone helen drumond
Paz e solidariedade de simone helen drumond
 
VOCÊ E A PAZ
VOCÊ E A PAZVOCÊ E A PAZ
VOCÊ E A PAZ
 
Assédio moral no trabalho power point
Assédio moral no trabalho power pointAssédio moral no trabalho power point
Assédio moral no trabalho power point
 
Projeto A paz que eu quero ter
Projeto A paz que eu quero terProjeto A paz que eu quero ter
Projeto A paz que eu quero ter
 

Semelhante a Plano de Ação - NADGS

Relações de genero e divers sexual
Relações de genero e divers sexualRelações de genero e divers sexual
Relações de genero e divers sexual
Flávia Cunha Lima
 
Sexualidade juvenil, direitos e diversidade sexual.
Sexualidade juvenil, direitos e diversidade sexual.Sexualidade juvenil, direitos e diversidade sexual.
Sexualidade juvenil, direitos e diversidade sexual.
Fábio Fernandes
 
Diversidade sexual e os diferentes estilos de vida
Diversidade sexual e os diferentes estilos de vidaDiversidade sexual e os diferentes estilos de vida
Diversidade sexual e os diferentes estilos de vida
Aluisio Èvora
 
PROCESSOS PSICOLÓGICOS RELACIONADOS À SEXUALIDADE E GÊNERO NA EDUCAÇÃO
PROCESSOS PSICOLÓGICOS RELACIONADOS À SEXUALIDADE E GÊNERO NA EDUCAÇÃOPROCESSOS PSICOLÓGICOS RELACIONADOS À SEXUALIDADE E GÊNERO NA EDUCAÇÃO
PROCESSOS PSICOLÓGICOS RELACIONADOS À SEXUALIDADE E GÊNERO NA EDUCAÇÃO
carolinagriz1
 
O combate à discriminação sexual e de gênero.
O combate à discriminação sexual e de gênero.O combate à discriminação sexual e de gênero.
O combate à discriminação sexual e de gênero.
Fábio Fernandes
 
Bicastiradentes orientaçãosexual
Bicastiradentes orientaçãosexualBicastiradentes orientaçãosexual
Bicastiradentes orientaçãosexual
temastransversais
 
Oficina sexualidade ot
Oficina sexualidade otOficina sexualidade ot
Oficina sexualidade ot
georgerlanio
 
Diversidade sexual na escola (cartilha do projeto)
Diversidade sexual na escola (cartilha do projeto)Diversidade sexual na escola (cartilha do projeto)
Diversidade sexual na escola (cartilha do projeto)
Rosane Domingues
 
Diversidade de Gênero na Gestão Escolar
Diversidade de Gênero na Gestão EscolarDiversidade de Gênero na Gestão Escolar
Diversidade de Gênero na Gestão Escolar
LIMA, Alan Lucas de
 
Sexualidade
SexualidadeSexualidade
Sexualidade
Adalila Leitão
 
educação sexual.pptx
educação sexual.pptxeducação sexual.pptx
educação sexual.pptx
RenildaCarvalho1
 
A importância dos conceitos.
A importância dos conceitos.A importância dos conceitos.
A importância dos conceitos.
Fábio Fernandes
 
Edu diversidadesexual
Edu diversidadesexualEdu diversidadesexual
Edu diversidadesexual
Licia Neppel
 
Diversidade sexual na escola (cartilha do projeto)
Diversidade sexual na escola (cartilha do projeto)Diversidade sexual na escola (cartilha do projeto)
Diversidade sexual na escola (cartilha do projeto)
Rosane Domingues
 
Diversidade sexual na escola
Diversidade sexual na escolaDiversidade sexual na escola
Diversidade sexual na escola
Orlando Santos Brito
 
2ºc
2ºc2ºc
Orientação sexual: desejos, comportamentos e identidades sexuais.
Orientação sexual: desejos, comportamentos e identidades sexuais.Orientação sexual: desejos, comportamentos e identidades sexuais.
Orientação sexual: desejos, comportamentos e identidades sexuais.
Fábio Fernandes
 
Dimensões da sexulidade estereotipos de género
Dimensões da sexulidade estereotipos de géneroDimensões da sexulidade estereotipos de género
Dimensões da sexulidade estereotipos de género
José António Farias
 
Artigo5
Artigo5Artigo5
Identidade de gênero e o ambiente escolar
Identidade de gênero e o ambiente escolarIdentidade de gênero e o ambiente escolar
Identidade de gênero e o ambiente escolar
Matheus Lincoln
 

Semelhante a Plano de Ação - NADGS (20)

Relações de genero e divers sexual
Relações de genero e divers sexualRelações de genero e divers sexual
Relações de genero e divers sexual
 
Sexualidade juvenil, direitos e diversidade sexual.
Sexualidade juvenil, direitos e diversidade sexual.Sexualidade juvenil, direitos e diversidade sexual.
Sexualidade juvenil, direitos e diversidade sexual.
 
Diversidade sexual e os diferentes estilos de vida
Diversidade sexual e os diferentes estilos de vidaDiversidade sexual e os diferentes estilos de vida
Diversidade sexual e os diferentes estilos de vida
 
PROCESSOS PSICOLÓGICOS RELACIONADOS À SEXUALIDADE E GÊNERO NA EDUCAÇÃO
PROCESSOS PSICOLÓGICOS RELACIONADOS À SEXUALIDADE E GÊNERO NA EDUCAÇÃOPROCESSOS PSICOLÓGICOS RELACIONADOS À SEXUALIDADE E GÊNERO NA EDUCAÇÃO
PROCESSOS PSICOLÓGICOS RELACIONADOS À SEXUALIDADE E GÊNERO NA EDUCAÇÃO
 
O combate à discriminação sexual e de gênero.
O combate à discriminação sexual e de gênero.O combate à discriminação sexual e de gênero.
O combate à discriminação sexual e de gênero.
 
Bicastiradentes orientaçãosexual
Bicastiradentes orientaçãosexualBicastiradentes orientaçãosexual
Bicastiradentes orientaçãosexual
 
Oficina sexualidade ot
Oficina sexualidade otOficina sexualidade ot
Oficina sexualidade ot
 
Diversidade sexual na escola (cartilha do projeto)
Diversidade sexual na escola (cartilha do projeto)Diversidade sexual na escola (cartilha do projeto)
Diversidade sexual na escola (cartilha do projeto)
 
Diversidade de Gênero na Gestão Escolar
Diversidade de Gênero na Gestão EscolarDiversidade de Gênero na Gestão Escolar
Diversidade de Gênero na Gestão Escolar
 
Sexualidade
SexualidadeSexualidade
Sexualidade
 
educação sexual.pptx
educação sexual.pptxeducação sexual.pptx
educação sexual.pptx
 
A importância dos conceitos.
A importância dos conceitos.A importância dos conceitos.
A importância dos conceitos.
 
Edu diversidadesexual
Edu diversidadesexualEdu diversidadesexual
Edu diversidadesexual
 
Diversidade sexual na escola (cartilha do projeto)
Diversidade sexual na escola (cartilha do projeto)Diversidade sexual na escola (cartilha do projeto)
Diversidade sexual na escola (cartilha do projeto)
 
Diversidade sexual na escola
Diversidade sexual na escolaDiversidade sexual na escola
Diversidade sexual na escola
 
2ºc
2ºc2ºc
2ºc
 
Orientação sexual: desejos, comportamentos e identidades sexuais.
Orientação sexual: desejos, comportamentos e identidades sexuais.Orientação sexual: desejos, comportamentos e identidades sexuais.
Orientação sexual: desejos, comportamentos e identidades sexuais.
 
Dimensões da sexulidade estereotipos de género
Dimensões da sexulidade estereotipos de géneroDimensões da sexulidade estereotipos de género
Dimensões da sexulidade estereotipos de género
 
Artigo5
Artigo5Artigo5
Artigo5
 
Identidade de gênero e o ambiente escolar
Identidade de gênero e o ambiente escolarIdentidade de gênero e o ambiente escolar
Identidade de gênero e o ambiente escolar
 

Mais de coordenacaodiversidade

Curso Educação Patrimonial
Curso Educação PatrimonialCurso Educação Patrimonial
Curso Educação Patrimonial
coordenacaodiversidade
 
Dr Hala Evans - Sicle Cell Anaemia
Dr Hala Evans - Sicle Cell AnaemiaDr Hala Evans - Sicle Cell Anaemia
Dr Hala Evans - Sicle Cell Anaemia
coordenacaodiversidade
 
Apresentação Prof. Dra. Muna - Oficina de formação sobre Anemia Falciforme
Apresentação Prof. Dra. Muna - Oficina de formação sobre Anemia FalciformeApresentação Prof. Dra. Muna - Oficina de formação sobre Anemia Falciforme
Apresentação Prof. Dra. Muna - Oficina de formação sobre Anemia Falciforme
coordenacaodiversidade
 
Apresentação muna 02.03.2013_ formação de professores(as) de ensino básico an...
Apresentação muna 02.03.2013_ formação de professores(as) de ensino básico an...Apresentação muna 02.03.2013_ formação de professores(as) de ensino básico an...
Apresentação muna 02.03.2013_ formação de professores(as) de ensino básico an...
coordenacaodiversidade
 
Apresentação Diversidade 2013
Apresentação Diversidade 2013Apresentação Diversidade 2013
Apresentação Diversidade 2013
coordenacaodiversidade
 
Apresentação diversidade 2013
Apresentação diversidade 2013Apresentação diversidade 2013
Apresentação diversidade 2013
coordenacaodiversidade
 
Educação do campo plano de ação 2013
Educação do campo  plano de ação 2013Educação do campo  plano de ação 2013
Educação do campo plano de ação 2013
coordenacaodiversidade
 
Educação do Campo - Núcleo de Educação do Campo
Educação do Campo - Núcleo de Educação do CampoEducação do Campo - Núcleo de Educação do Campo
Educação do Campo - Núcleo de Educação do Campo
coordenacaodiversidade
 
I Encontro dos Estudantes Africanos de Brasília
I Encontro dos Estudantes Africanos de BrasíliaI Encontro dos Estudantes Africanos de Brasília
I Encontro dos Estudantes Africanos de Brasíliacoordenacaodiversidade
 
VII Fórum Étnico-Racial - CRE Plano Piloto-Cruzeiro
VII Fórum Étnico-Racial - CRE Plano Piloto-CruzeiroVII Fórum Étnico-Racial - CRE Plano Piloto-Cruzeiro
VII Fórum Étnico-Racial - CRE Plano Piloto-Cruzeiro
coordenacaodiversidade
 
Plano de Ação CEDIV 2012
Plano de Ação CEDIV  2012Plano de Ação CEDIV  2012
Plano de Ação CEDIV 2012
coordenacaodiversidade
 
Educação da Relações Étnico-Raciais - Apresentação Deborah Moema
Educação da Relações Étnico-Raciais -  Apresentação Deborah MoemaEducação da Relações Étnico-Raciais -  Apresentação Deborah Moema
Educação da Relações Étnico-Raciais - Apresentação Deborah Moema
coordenacaodiversidade
 

Mais de coordenacaodiversidade (14)

Curso Educação Patrimonial
Curso Educação PatrimonialCurso Educação Patrimonial
Curso Educação Patrimonial
 
Dr Hala Evans - Sicle Cell Anaemia
Dr Hala Evans - Sicle Cell AnaemiaDr Hala Evans - Sicle Cell Anaemia
Dr Hala Evans - Sicle Cell Anaemia
 
Apresentação Prof. Dra. Muna - Oficina de formação sobre Anemia Falciforme
Apresentação Prof. Dra. Muna - Oficina de formação sobre Anemia FalciformeApresentação Prof. Dra. Muna - Oficina de formação sobre Anemia Falciforme
Apresentação Prof. Dra. Muna - Oficina de formação sobre Anemia Falciforme
 
Apresentação muna 02.03.2013_ formação de professores(as) de ensino básico an...
Apresentação muna 02.03.2013_ formação de professores(as) de ensino básico an...Apresentação muna 02.03.2013_ formação de professores(as) de ensino básico an...
Apresentação muna 02.03.2013_ formação de professores(as) de ensino básico an...
 
Apresentação Diversidade 2013
Apresentação Diversidade 2013Apresentação Diversidade 2013
Apresentação Diversidade 2013
 
Apresentação diversidade 2013
Apresentação diversidade 2013Apresentação diversidade 2013
Apresentação diversidade 2013
 
Educação do campo plano de ação 2013
Educação do campo  plano de ação 2013Educação do campo  plano de ação 2013
Educação do campo plano de ação 2013
 
Coragem
CoragemCoragem
Coragem
 
Educação do Campo - Núcleo de Educação do Campo
Educação do Campo - Núcleo de Educação do CampoEducação do Campo - Núcleo de Educação do Campo
Educação do Campo - Núcleo de Educação do Campo
 
I Encontro dos Estudantes Africanos de Brasília
I Encontro dos Estudantes Africanos de BrasíliaI Encontro dos Estudantes Africanos de Brasília
I Encontro dos Estudantes Africanos de Brasília
 
VII Fórum Étnico-Racial - CRE Plano Piloto-Cruzeiro
VII Fórum Étnico-Racial - CRE Plano Piloto-CruzeiroVII Fórum Étnico-Racial - CRE Plano Piloto-Cruzeiro
VII Fórum Étnico-Racial - CRE Plano Piloto-Cruzeiro
 
Organograma coord cediv-cdh
Organograma coord cediv-cdhOrganograma coord cediv-cdh
Organograma coord cediv-cdh
 
Plano de Ação CEDIV 2012
Plano de Ação CEDIV  2012Plano de Ação CEDIV  2012
Plano de Ação CEDIV 2012
 
Educação da Relações Étnico-Raciais - Apresentação Deborah Moema
Educação da Relações Étnico-Raciais -  Apresentação Deborah MoemaEducação da Relações Étnico-Raciais -  Apresentação Deborah Moema
Educação da Relações Étnico-Raciais - Apresentação Deborah Moema
 

Último

Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 

Último (20)

Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 

Plano de Ação - NADGS

  • 1.
  • 2. A missão do Núcleo de Atendimento à Educação de Gênero e Sexualidade - NADGS é implementar políticas públicas relativas às questões de gênero e sexualidade no processo educacional do Distrito Federal, em consonância com o Programa Nacional de Direitos Humanos e o Plano Nacional de Políticas para Mulheres, a partir do entendimento que existem fenômenos histórico-sociais como racismo, sexismo e homofobia.
  • 3. O espaço escolar constitui-se no ambiente de convivência de maior manifestação das pressões sociais para que nossa sexualidade se realize conforme o que “naturalmente” se espera nas relações entre estudantes, familiares, docentes e equipe técnica por se tratar de um contexto privilegiado de aprendizado de pautas de convivência social e de desenvolvimento de habilidades, dentre elas, os modos de compreender a diversidade de gênero e sexualidade.
  • 4. A questão de gênero a ser trabalhada em sala de aula, deve começar pelo entendimento de como esse conceito ganhou contornos políticos. Formulado nos anos 1970 com profunda influência do pensamento feminista, o conceito de gênero foi criado para distinguir a dimensão biológica da dimensão social, baseando-se no raciocínio de que há machos e fêmeas na espécie humana
  • 5. • Fruto de processos históricos, sociais e culturais, gênero, identidade, sexualidade e orientação sexual, além de fortemente relacionados requerem contribuições analíticas que considerem perspectivas multidisciplinares e, ao mesmo tempo, as considerem no plano da ética e dos direitos humanos, numa perspectiva emancipatória. • A perspectiva de gênero também está presente nas questões mais diretamente ligadas à sexualidade humana. Essa presença se manifesta nas relações cotidianas e na vivência da sexualidade.
  • 6. • Em cada período histórico e em cada cultura, algumas expressões do masculino e do feminino são dominantes e servem como referência ou modelo, não significando que devam ser tomadas como paradigmas.
  • 7. Se as relações entre homens e mulheres são um fenômeno de ordem cultural, podem ser transformadas, sendo fundamental o papel da educação nesse sentido.
  • 8. Por meio da educação podem ser construídos valores, compreensões e regras de comportamento em relação ao conceito de gênero e do que venha a ser mulher ou homem em uma sociedade.
  • 9.
  • 10. O conceito de gênero também permite pensar nas diferenças sem transformá-las em desigualdades, ou seja, sem que as diferenças sejam ponto de partida para a discriminação.
  • 11. A superação das discriminações implica a elaboração de políticas públicas específicas e articuladas. As questões relativas às mulheres e aos homossexuais masculinos e femininos, não apenas explicitam práticas preconceituosas e discriminatórias – misoginia, sexismo, homofobia, lesbofobia, transfobia – que existem no interior da nossa sociedade, mas também indicam que essas mesmas práticas vêm sofrendo transformações em função da atuação dos próprios movimentos sociais feministas e LGBT.
  • 12.
  • 13. • GÊNERO significa que homens e mulheres são produtos da realidade social e não decorrência da anatomia de seus corpos. • IDENTIDADE DE GÊNERO diz respeito à percepção subjetiva de ser masculino ou feminino, conforme os atributos, os comportamentos e os papéis convencionalmente estabelecidos para homens e mulheres.
  • 14. • ORIENTAÇÃO SEXUAL se refere ao sexo das pessoas que elegemos como objeto de desejo e afeto. Hoje são reconhecidos três tipos de orientação sexual: - a heterossexualidade (atração física e emocional pelo “sexo oposto”) - a homossexualidade (atração física e emocional pelo “mesmo sexo”) - a bissexualidade (atração física e emocional tanto pelo “mesmo sexo” quanto pelo “sexo oposto”).
  • 15. • SEXUALIDADE é um conceito dinâmico que vai evolucionando e está sujeito a diversos usos, múltiplas e contraditórias interpretações, e que se encontra sujeito a debates e a disputas políticas, pois se refere às elaborações culturais sobre os prazeres e os intercâmbios sociais e corporais • HOMOFOBIA é o termo usado para se referir ao desprezo e ao ódio às pessoas com orientação sexual diferente da heterossexual. • SEXISMO é a atitude preconceituosa que prescreve para homens e mulheres papéis e conduta diferenciada de acordo com o gênero atribuído a cada um, subordinando o feminino ao masculino.
  • 16. A invisibilidade da temática, por parte de educadoras e educadores e de todas as autoridades do sistema educacional, concorre consideravelmente para que a violência se perpetue.
  • 17. Muita gente vê nisso uma ameaça à família, aos valores morais, à própria vida em sociedade. É preciso questionar esta visão, e refletir sobre como o silêncio em relação a situações de discriminação por preconceito e violência de gênero contribui para a reprodução de uma ordem desigual e injusta.
  • 18. Nossas ações estão em consonância com o Programa Nacional de Direitos Humanos e o Plano Nacional de Políticas para as Mulheres, voltadas para a educação inclusiva e não sexista, que tem por objetivo garantir um sistema educacional não discriminatório, que não reproduza estereótipos de gênero, raça e etnia
  • 19. “[...] para odiar, as pessoas precisam aprender, e se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar” Nelson Mandela