SlideShare uma empresa Scribd logo
Prof.Rodriguinhofacebook.com/rodriguinhoquimica
1 GASES IDEAIS
1. (Unesp 2012) Os desodorantes do tipo aerossol contêm em sua formulação solventes e propelentes
inflamáveis. Por essa razão, as embalagens utilizadas para a comercialização do produto fornecem no
rótulo algumas instruções, tais como:
- Não expor a embalagem ao sol.
- Não usar próximo a chamas.
- Não descartar em incinerador.
Uma lata desse tipo de desodorante foi lançada em um incinerador a 25 ºC e 1 atm. Quando a temperatura
do sistema atingiu 621 ºC, a lata explodiu. Considere que não houve deformação durante o aquecimento.
No momento da explosão a pressão no interior da lata era
a) 1,0 atm.
b) 2,5 atm.
c) 3,0 atm.
d) 24,8 atm.
e) 30,0 atm.
2. (Fuvest 2014) O rótulo de uma lata de desodorante em aerosol apresenta, entre outras, as seguintes
informações: “Propelente: gás butano. Mantenha longe do fogo”. A principal razão dessa advertência é:
a) O aumento da temperatura faz aumentar a pressão do gás no interior da lata, o que pode causar uma
explosão.
b) A lata é feita de alumínio, que, pelo aquecimento, pode reagir com o oxigênio do ar.
c) O aquecimento provoca o aumento do volume da lata, com a consequente condensação do gás em seu
interior.
d) O aumento da temperatura provoca a polimerização do gás butano, inutilizando o produto.
e) A lata pode se derreter e reagir com as substâncias contidas em seu interior, inutilizando o produto.
3. (Fuvest 2014) A tabela abaixo apresenta informações sobre cinco gases contidos em recipientes
separados e selados.
Recipiente Gás Temperatura (K) Pressão (atm) Volume (l)
1 O3 273 1 22,4
2 Ne 273 2 22,4
3 He 273 4 22,4
4 N2 273 1 22,4
5 Ar 273 1 22,4
Qual recipiente contém a mesma quantidade de átomos que um recipiente selado de 22,4 L, contendo H2,
mantido a 2 atm e 273 K?
a) 1
b) 2
c) 3
d) 4
e) 5
Prof.Rodriguinhofacebook.com/rodriguinhoquimica
2 GASES IDEAIS
4. (Fuvest 2011) Um laboratório químico descartou um frasco de éter, sem
perceber que, em seu interior, havia ainda um resíduo de 7,4 g de éter, parte no estado líquido, parte no
estado gasoso. Esse frasco, de 0,8 L de volume, fechado hermeticamente, foi deixado sob o sol e, após um
certo tempo, atingiu a temperatura de equilíbrio T = 37 ºC, valor acima da temperatura de ebulição do
éter. Se todo o éter no estado líquido tivesse evaporado, a pressão dentro do frasco seria
NOTE E ADOTE
No interior do frasco descartado havia apenas éter.
Massa molar do éter = 74 g
K = ºC + 273
R (constante universal dos gases) = 0,08 atm.L / (mol.K)
a) 0,37 atm.
b) 1,0 atm.
c) 2,5 atm.
d) 3,1 atm.
e) 5,9 atm.
5. (Unesp 2011) Incêndio é uma ocorrência de fogo não controlado, potencialmente perigosa para os
seres vivos. Para cada classe de fogo existe pelo menos um tipo de extintor. Quando o fogo é gerado por
líquidos inflamáveis como álcool, querosene, combustíveis e óleos, os extintores mais indicados são
aqueles com carga de pó químico ou gás carbônico.
Considerando-se a massa molar do carbono = 12 g. 1
mol
, a massa molar do oxigênio = 16 g. 1
mol
e R
= 0,082 atm.L. 1
mol
.K–1, o volume máximo, em litros, de gás liberado a 27ºC e 1 atm, por um extintor
de gás carbônico de 8,8 kg de capacidade, é igual a:
a) 442,8.
b) 2 460,0.
c) 4 477,2.
d) 4 920,0.
e) 5 400,0.
6. (Acafe 2014) No jornal Folha de São Paulo, de 01 de novembro de 2013, foi publicada um
reportagem sobre uma Universidade paulista que foi construída sobre terra que contém lixo orgânico “[...]
Com o passar do tempo, esse material começa a emitir gás metano, que é tóxico e explosivo […]”.
Quantos litros de O2(g) a 1,00 atm e 27°C são necessários para reagir em uma reação de combustão
completa com 40g de gás metano?
Dado:
Constante universal dos gases
 R : 0,082 atm L mol K .
C : 12 g / mol, H:1 g / mol.
 
  
a) 123L
b) 61,5L
c) 24,6 L
d) 49,2 L
7. (Ufu 2011) Em uma atividade experimental o professor pegou duas garrafas PET vazias e colocou
bexigas cheias na boca de cada uma delas. Em seguida, colocou uma das garrafas em uma bacia com água
quente e a outra em uma bacia com água fria. Um dos balões murchou e o outro ficou mais cheio.
Sobre estes fatos, assinale a alternativa correta.
a) O balão que murchou foi colocado em água quente, pois o aumento da temperatura causou uma
contração dos gases da bexiga.
b) O balão que ficou mais cheio foi colocado em água quente, devido ao aumento da temperatura do
sistema e à expansão dos gases presentes na bexiga.
c) O volume do balão que foi colocado em água fria diminuiu, porque a pressão do sistema aumentou,
reduzindo o choque das partículas de gás com as paredes do balão.
d) Em qualquer um dos casos, o volume dos balões foi alterado, porque o tamanho das partículas de gás
foi modificado.
Prof.Rodriguinhofacebook.com/rodriguinhoquimica
3 GASES IDEAIS
8. (Ufrgs 2010) Considere o enunciado a seguir e as três propostas para completá-lo.
Em dada situação, substâncias gasosas encontram-se armazenadas, em idênticas condições de temperatura
e pressão, em dois recipientes de mesmo volume, como representado a seguir.
Gás carbônico
(CO2)
Gás nitrogênio (N2)
+
Gás oxigênio (O2)
Recipiente 1 Recipiente 2
Nessa situação, os recipientes 1 e 2 contêm
1 - o mesmo número de moléculas.
2 - a mesma massa de substâncias gasosas.
3 - o mesmo número de átomos de oxigênio.
Quais propostas estão corretas?
a) Apenas 1.
b) Apenas 2.
c) Apenas 3.
d) Apenas 2 e 3.
e) 1, 2 e 3.
9. (Fgv 2014) Créditos de carbono são certificações dadas a empresas, indústrias e países que conseguem
reduzir a emissão de gases poluentes na atmosfera. Cada tonelada de CO2 não emitida ou retirada da
atmosfera equivale a um crédito de carbono.
(http://www.brasil.gov.br/meio-ambiente/2012/04/credito-carbono. Adaptado)
Utilizando-se 1 1
R 0,082 atm L mol K , 
    a quantidade de CO2 equivalente a 1 (um) crédito de
carbono, quando coletado a 1,00 atm e 300 K, ocupa um volume aproximado, em m3
, igual a
Dados: C = 12; O = 16.
a) 100.
b) 200.
c) 400.
d) 600.
e) 800.
10. (Unisinos 2012) Os gases perfeitos obedecem a três leis bastante simples: a lei de Boyle, a lei de
Gay-Lussac e a lei de Charles, formuladas segundo o comportamento de três grandezas que descrevem as
propriedades dos gases: o volume (V), a pressão (p) e a temperatura absoluta (T).
O número de moléculas influencia a pressão exercida pelo gás, ou seja, a pressão depende também,
diretamente, da massa do gás. Considerando esses resultados, Paul Emile Clapeyron (1799-1844)
estabeleceu uma relação entre as variáveis de estado com esta expressão matemática: pV nRT, onde n
é o número de mols, e R é a constante universal dos gases perfeitos.
Ao calibrar um pneu, altera-se o número de moléculas de ar no interior dele. Porém, a pressão e o volume
podem, também, sofrer modificação com a variação da temperatura.
O gráfico pressão versus volume, que representa uma transformação isotérmica de uma quantidade fixa
de um gás perfeito, é o
Prof.Rodriguinhofacebook.com/rodriguinhoquimica
4 GASES IDEAIS
a)
b)
c)
d)
e)
11. (Ueg 2011) Considere um recipiente de 6 L de capacidade e 27 ºC de temperatura, o qual apresenta
uma mistura de 1, 2 e 5 mols de dióxido de carbono, nitrogênio e argônio, respectivamente. A pressão
exercida no recipiente, em atm, será de, aproximadamente:
Dado: 1 1
R 0,082 atm L mol K 
   
a) 4,1
b) 8,2
c) 20,5
d) 32,8
12. (Ufpr 2014) A equação geral dos gases ideais é uma equação de estado que correlaciona pressão,
temperatura, volume e quantidade de matéria, sendo uma boa aproximação ao comportamento da maioria
dos gases.
Os exemplos descritos a seguir correspondem às observações realizadas para uma quantidade fixa de
matéria de gás e variação de dois parâmetros. Numere as representações gráficas relacionando-as com as
seguintes descrições.
1. Ao encher um balão com gás hélio ou oxigênio, o balão apresentará a mesma dimensão.
2. Ao encher um pneu de bicicleta, é necessária uma pressão maior que a utilizada em pneu de carro.
Prof.Rodriguinhofacebook.com/rodriguinhoquimica
5 GASES IDEAIS
3. O cozimento de alimentos é mais rápido em maiores pressões.
4. Uma bola de basquete cheia no verão provavelmente terá aparência de mais vazia no inverno, mesmo
que não tenha vazado ar.
Assinale a alternativa que apresenta a sequência correta na numeração das representações gráficas.
a) 1 – 3 – 4 – 2.
b) 2 – 3 – 4 – 1.
c) 4 – 2 – 1 – 3.
d) 4 – 3 – 1 – 2.
e) 2 – 4 – 3 – 1.
13. (Fgv 2012) O Brasil é um grande exportador de frutas frescas, que são enviadas por transporte
marítimo para diversos países da Europa. Para que possam chegar com a qualidade adequada ao
consumidor europeu, os frutos são colhidos prematuramente e sua completa maturação ocorre nos navios,
numa câmara contendo um gás que funciona como um hormônio vegetal, acelerando seu
amadurecimento. Esse gás a 27 C tem densidade 1
1,14 g L
 sob pressão de 1,00 atm. A fórmula
molecular desse gás é
Dado: 1 1
R 0,082 atm L mol K 
  
a) Xe.
b) 3O .
c) 4CH .
d) 2 4C H .
e) 2 4N O .
14. (Uel 2014) Em um balão de paredes rígidas, foram colocados 0,200 g de gás hidrogênio, 6,400 g de
gás oxigênio e um material sólido que absorve água. O volume do balão é de 4,480 L e é mantido à
temperatura de 0 ºC. No balão, passa-se uma faísca elétrica de modo que haja reação e a água formada
seja retirada pelo material absorvente, não exercendo pressão significativa. Com base nesse problema,
responda aos itens a seguir.
a) Supondo um comportamento ideal, qual é a pressão no balão (em atmosferas) após inserção de
oxigênio e hidrogênio? Considere
atm L
R 0,082 ;P V n R T
mol K

    

b) Após a reação, mantendo-se a temperatura inicial e o volume, qual a pressão no interior do balão?
15. (Fuvest 2012)
Uma estudante de Química realizou um experimento para investigar as velocidades de difusão dos gases
HC e NH3. Para tanto, colocou, simultaneamente, dois chumaços de algodão nas extremidades de um
Prof.Rodriguinhofacebook.com/rodriguinhoquimica
6 GASES IDEAIS
tubo de vidro, como mostrado na figura acima. Um dos chumaços estava
embebido de solução aquosa de HC (g), e o outro, de solução aquosa de NH3(g). Cada um desses
chumaços liberou o respectivo gás. No ponto de encontro dos gases, dentro do tubo, formou-se, após 10 s,
um anel de sólido branco ( 4NH C ), distante 6,0 cm do chumaço que liberava HC (g).
a) Qual dos dois gases, desse experimento, tem maior velocidade de difusão? Explique.
b) Quando o experimento foi repetido a uma temperatura mais alta, o anel de 4NH C (s) se formou na
mesma posição. O tempo necessário para a formação do anel, a essa nova temperatura, foi igual a,
maior ou menor do que 10 s? Justifique.
c) Com os dados do experimento descrito, e sabendo-se a massa molar de um dos dois gases, pode-se
determinar a massa molar do outro. Para isso, utiliza-se a expressão
3
3
velocidade de difusão do NH (g) massa molar do HC
velocidade de difusão do HC (g) massa molar do NH

Considere que se queira determinar a massa molar do HC . Caso o algodão embebido de solução
aquosa de NH3 (g) seja colocado no tubo um pouco antes do algodão que libera HC (g) (e não
simultaneamente), como isso afetará o valor obtido para a massa molar do HC ? Explique.
16. (Unesp 2013) Uma equipe de cientistas franceses obteve imagens em infravermelho da saída de
rolhas e o consequente escape de dióxido de carbono em garrafas de champanhe que haviam sido
mantidas por 24 horas a diferentes temperaturas.
As figuras 1 e 2 mostram duas sequências de fotografias tiradas a intervalos de tempo iguais, usando
garrafas idênticas e sob duas condições de temperatura.
As figuras permitem observar diferenças no espocar de um champanhe: a 18 °C, logo no início, observa-
se que o volume de CO2 disperso na nuvem gasosa – não detectável na faixa da luz visível, mas sim do
infravermelho – é muito maior do que quando a temperatura é de 4 °C.
Numa festa de fim de ano, os estudantes utilizaram os dados desse experimento para demonstrar a lei que
diz:
a) O volume ocupado por uma amostra de gás sob pressão e temperaturas constantes é diretamente
proporcional ao número de moléculas presentes.
b) A pressão de uma quantidade fixa de um gás em um recipiente de volume constante é diretamente
proporcional à temperatura.
c) Ao aumentar a temperatura de um gás, a velocidade de suas moléculas permanece constante.
d) A pressão de uma quantidade fixa de um gás em temperatura constante é diretamente proporcional à
quantidade de matéria.
e) O volume molar de uma substância é o volume ocupado por um mol de moléculas.
Prof.Rodriguinhofacebook.com/rodriguinhoquimica
7 GASES IDEAIS
17. (Cesgranrio 1991)
A análise do gráfico anterior, que mostra as
transformações sofridas por um gás ideal quando
variamos a sua temperatura, pressão ou volume, nos
permite afirmar que o gás evolui:
a) Isobaricamente de 1 a 2.
b) Isotermicamente de 2 a 3.
c) Isobaricamente de 3 a 4.
d) Isometricamente de 4 a 2.
e) Isometricamente de 3 a 4.
18. (Ufop 2010) A pressão interna do pneu de um carro aumenta quando este é conduzido em uma
rodovia por trajetórias longas. A razão disso é que o atrito aquece os pneus, e o volume permanece
praticamente constante.
Pressão inicial do pneu = P1 Pressão final do pneu = P2
Temperatura inicial do pneu = T1 Temperatura final do pneu = T2
Com base nessa ilustração e considerando o volume do pneu constante, a equação que permite calcular a
pressão do pneu após longas trajetórias é
a) P2 = P1(T1/T2)
b) P2 = P1(T2/T1)
c) P2 = nR(T1/T2) / V2
d) P2 = nR(T2/T1) / V2
19. (Ufg 2013) Analise o esquema a seguir.
Ao se introduzir uma bolha de gás na base do cilindro, ela inicia sua ascensão ao
longo da coluna de líquido, à temperatura constante. A pressão interna da bolha e
a pressão a que ela está submetida, respectivamente,
a) aumenta e diminui.
b) diminui e diminui.
c) aumenta e permanece a mesma.
d) permanece a mesma e diminui.
e) diminui e permanece a mesma.
20. (Fuvest 2008) A velocidade com que um gás atravessa
uma membrana é inversamente proporcional à raiz quadrada
de sua massa molar. Três bexigas idênticas, feitas com
membrana permeável a gases, expostas ao ar e inicialmente
vazias, foram preenchidas, cada uma, com um gás diferente.
Os gases utilizados foram hélio, hidrogênio e metano, não
necessariamente nesta ordem. As bexigas foram amarradas,
com cordões idênticos, a um suporte. Decorrido algum
tempo, observou-se que as bexigas estavam como na figura.
Prof.Rodriguinhofacebook.com/rodriguinhoquimica
8 GASES IDEAIS
Conclui-se que as bexigas A, B e C foram preenchidas, respectivamente, com
a) hidrogênio, hélio e metano.
b) hélio, metano e hidrogênio.
c) metano, hidrogênio e hélio.
d) hélio, hidrogênio e metano.
e) metano, hélio e hidrogênio.
21. (Uern 2012) Em dois recipientes, ligados por uma válvula, foram colocados dois gases à temperatura
de 25°C. Em um dos recipientes foram colocados 3 L de gás oxigênio (O2) a uma pressao de 1 atm, no
outro recipiente 1 L de gás Hélio (He) e 2 atm de pressão. Abrindo a válvula, os dois gases se misturam.
Sabendo-se que a temperatura permanece a mesma, a pressão parcial do oxigênio é de, aproximadamente,
a) 1,25 atm.
b) 0,597 atm.
c) 0,12 atm.
d) 0,081 atm.
e) 0,75 atm
22. (Ufjf 2007) A calibração dos pneus de um automóvel deve ser feita periodicamente. Sabe-se que o
pneu deve ser calibrado a uma pressão de 30 lb/pol2
em um dia quente, a uma temperatura de 27 °
C.
Supondo que o volume e o número de mol injetados são os mesmos, qual será a pressão de calibração (em
atm) nos dias mais frios, em que a temperatura atinge 12 °
C?
Dado: Considere 1 atm ≈ 15 lb/pol2
.
a) 1,90 atm.
b) 2,11 atm.
c) 4,50 atm.
d) 0,89 atm.
e) 14,3 atm.
23. (Ufg 2005) O processo contínuo da respiração consiste na expansão e contração de músculos da caixa
torácica. Sendo um sistema aberto, quando a pressão intra-alveolar é menor que a atmosférica, ocorre a
entrada do ar e os pulmões expandem-se. Após as trocas gasosas, a pressão intra-alveolar aumenta,
ficando maior que atmosférica. Assim, com a contração da caixa torácica, os gases são expirados.
Considerando a temperatura interna do corpo humano constante e igual a 37,5 °
C, o gráfico que
representa os eventos descritos é:
24. (Faap 1997) Na respiração normal de adulto, num minuto, são inalados 4,0 litros de ar, medidos a
25°
C e 1 atm de pressão. Um mergulhador a 43m abaixo do nível do mar, onde a temperatura é de 25°
C e
a pressão de 5 atmosferas, receberá a MESMA MASSA de oxigênio se inalar:
a) 4,0 litros de ar
b) 8,0 litros de ar
c) 32 litros de ar
d) 20 litros de ar
e) 0,8 litros de ar
Prof.Rodriguinhofacebook.com/rodriguinhoquimica
9 GASES IDEAIS
Gabarito:
Resposta da questão 1:
[C]
A partir da equação geral para um gás ideal, teremos:
inicial inicial final final
inicial final
P V P V
T T
1 atm V
 

 finalP V
298 K


final
(273 621) K
P 3,0 atm


Resposta da questão 2:
[A]
O aumento da temperatura faz aumentar a pressão do gás no interior da lata, o que pode causar uma
explosão do gás butano.
Resposta da questão 3:
[C]
Cálculo da quantidade de átomos que um recipiente selado de 22,4 L, contendo H2, mantido a 2 atm e 273
K:
P V n R T
R constante
De acordo com a tabela :
T constante
V constante
V
n P
R T
n k P
   



 

 
2
n k 2 2k
Para o hidrogênio (H ) :
n 2 2k 4k
  
  
O número de mols é diretamente proporcional à pressão, então:
Recipiente Gás
Temperatura
(K)
Pressão
(atm)
Volume
(l)
n
(mol)
Átomos
(mol)
1 O3 273 1 22,4 k 3k
2 Ne 273 2 22,4 2 k 2 k
3 He 273 4 22,4 4 k 4 k
4 N2 273 1 22,4 k 2k
5 Ar 273 1 22,4 k k
O gás do recipiente 3 (He) contém a mesma quantidade de átomos que um recipiente selado de 22,4 L,
contendo H2, mantido a 2 atm e 273 K, ou seja, 4k átomos.
Resposta da questão 4:
[D]
A partir da equação de Clapeyron (equação do estado de um gás), vem:
Prof.Rodriguinhofacebook.com/rodriguinhoquimica
10 GASES IDEAIS
P  V =
m
M
 R  T
P  0,8 =
7,4
74
 0,08  (37 + 273)
P = 3,1 atm
Resposta da questão 5:
[D]
Teremos:


    
2
1
COM 44 g.mol
m 8800
8,8 kg 8800 g n 200 mols
M 44
 
   
 
  

   

1 1
P V n R T
P 1 atm; R 0,082 atm.K mol .K
T 27 273 300 K
n 200 mols
1 V 200 0,082 300
V 4920,0 L
Resposta da questão 6:
[A]
4 2 2 2CH 2O CO 2H O
16g
  
2mols
40g x
x 5 mols
PV nRT
1 V 5 0,082 300
V 123L


   

Resposta da questão 7:
[B]
Alternativa [A] está incorreta, pois o volume e a temperatura dos gases são diretamente proporcionais, o
que é evidenciado na equação dos gases perfeitos ou de Clapeyron, pV = nRT. Então o balão que
murchou foi colocado em água fria, pois a diminuição da temperatura causou uma contração dos gases da
bexiga.
Alternativa [B] está correta. Os gases sofrem expansão do volume à medida que a temperatura aumenta.
A equação dos gases perfeitos ou de Clapeyron, pV = nRT, indica a relação diretamente proporcional
entre o volume e a temperatura dos gases.
Alternativa [C] está incorreta, o volume do balão que foi colocado em água fria diminuiu, porque a
pressão do sistema diminuiu, reduzindo o choque das partículas de gás com as paredes do balão. Como
pode ser visto na equação dos gases perfeitos ou de Clapeyron, PV = nRT, pressão e temperatura são
diretamente proporcionais; se a temperatura diminui, a pressão também diminui.
Alternativa [D] está incorreta, pois as partículas dos gases não sofrem variação de tamanho. O volume se
altera devido às variações nos espaços vazios entre as partículas, que pode aumentar ou diminuir de
acordo com as variações na temperatura.
Resposta da questão 8:
[A]
Prof.Rodriguinhofacebook.com/rodriguinhoquimica
11 GASES IDEAIS
De acordo com a hipótese de Avogadro, nas mesmas condições de temperatura e pressão o mesmo
volume será ocupado pelo mesmo número de moléculas.
Resposta da questão 9:
[D]
1 crédito equivale a 1 tonelada 6
(10 g) de CO2, então:
6
6
3 3 3
m
P V R T
M
10
1,00 V 0,082 300
44
V 0,559 10 L
V 559 10 L 559 m 600 m
   
   
 
   
Resposta da questão 10:
[B]
O físico irlandês, Robert Boyle (1627-1691) foi o primeiro a constatar que a temperatura de um ser
humano permanece constante. Observou que a relação entre a pressão e o volume de um gás, quando a
massa e a temperatura são mantidas constantes, é inversamente proporcional, ou seja, são grandezas
inversamente proporcionais (P V constante). 
Numa transformação gasosa entre dois estados, mantidas a massa e a temperatura constantes, teremos:
Resposta da questão 11:
[D]
   
  
   
   

Mistura
o
n 1 2 5 8 mols
T 27 C 273 300 K
P V n R T
P 6 8 0,082 300
P 32,8 atm
Resposta da questão 12:
[B]
[1] Hipótese de Avogadro: o mesmo número de mols de qualquer gás ocupará o mesmo volume mantidas
as condições de pressão e temperatura constantes.
[2] Mantida a temperatura constante, pressão e volume são grandezas inversamente proporcionais.
Prof.Rodriguinhofacebook.com/rodriguinhoquimica
12 GASES IDEAIS
[3] Mantido o volume constante, pressão e temperatura são grandezas diretamente proporcionais.
[4] Mantida a pressão constante, volume e temperatura são grandezas diretamente proporcionais.
Conclusão: 2 (transformação isotérmica) – 3 (transformação isocórica ou isovolumétrica) – 4
(transformação isobárica) – 1 (hipótese de Avogadro).
Resposta da questão 13:
[D]
Teremos:
2 4
m m P M
P V R T
M V R T
P M d R T
d M
R T P
1,14 0.082 300
M 28,044 28 g/mol
1
C H (eteno ou etileno) 28 g/mol

     

  
  

 
  

Resposta da questão 14:
a) Cálculo da pressão sem a ocorrência de reação química:
2
2
2 2
H
O
TOTAL H O
TOTAL
m
n
M
0,200
n 0,100 mol
2
6,400
n 0,200 mol
32
n n n
n 0,100 0,200 0,300 mol

 
 
 
  
1 1
T 0 C 273 273 K
V 4,480 L
22,4
R 0,082 atm L mol K atm L mol K
273
P V n R T
22,4
P 4,480 0,300 273
273
P 1,50 atm
 
   

       
   
   

b) Cálculo da pressão com a ocorrência de reação química:
2 2 22H 1O 1H O
2mol
 
1mol
0,100 mol
excesso
de reagente
2 2 2
0,200 mol
2H 1O 1H O
2mol
 
1mol
0,100 mol 0,050 mol
Excesso de 0,150 mol (0,200 0,050).
Prof.Rodriguinhofacebook.com/rodriguinhoquimica
13 GASES IDEAIS
P V n R T
22,4
P 4,480 0,150 273
273
P 0,75 atm
   
   

Resposta da questão 15:
a) De acordo com a figura, o anel de 4NH C se forma a 6,0 cm da extremidade do algodão com HC
e a 9,0 cm da extremidade do algodão com 3NH . Quanto maior a distância, maior a velocidade do gás
no tubo, concluí-se que o 3NH é o gás que apresenta maior velocidade de difusão.
b) Quanto maior a temperatura, maior a velocidade de difusão das moléculas e a velocidade da reação.
Consequentemente o anel de será formado num tempo menor do que 10 s.
c) Caso o algodão embebido de solução aquosa de 3NH (g) seja colocado no tubo um pouco antes do
algodão que libera HC (g) (e não simultaneamente) o anel de 4NH C será formado a uma distância
maior da extremidade do algodão embebido com 3NH dando a impressão de que a velocidade de difusão
do HC é menor do que a verdadeira. De acordo com a expressão matemática fornecida, quanto menor a
velocidade de difusão, maior a massa molar. Consequentemente, a massa molar do HC parecerá maior
do que a verdadeira.
Resposta da questão 16:
[B]
As figuras permitem observar diferenças no espocar de um champanhe: a 18 °C, logo no início, observa-
se que o volume de CO2 disperso na nuvem gasosa – não detectável na faixa da luz visível, mas sim do
infravermelho – é muito maior do que quando a temperatura é de 4 °C, logo conclui-se que a pressão de
uma quantidade fixa de um gás em um recipiente de volume constante é diretamente proporcional à
temperatura.
Resposta da questão 17:
[C]
Resposta da questão 18:
[B]
Para volume constante teremos: 1 2 2
2 1
1 2 1
P P T
P P
T T T
 
    
 
Resposta da questão 19:
[B]
Podemos considerar que a pressão interna do gás é equivalente à pressão externa exercida pela água.
Ocorre que, durante a subida, a pressão hidrostática vai diminuindo e, portanto, a pressão interna do gás
também sofre diminuição.
Nesse caso, estamos desconsiderando o efeito da temperatura, pois a mesma é constante.
Resposta da questão 20:
[E]
Resposta da questão 21:
[E]
Teremos:
Prof.Rodriguinhofacebook.com/rodriguinhoquimica
14 GASES IDEAIS
2
2
2 2
2
O recipiente 1
O
He recipiente 2
He
total
total
O total O
O
P V 1 3 3
n
RT RT RT
P V 2 1 2
n
RT RT RT
3 2 5
n
RT RT RT
V 1L 3L 4L
P V n RT
3
P 4
RT
 
  
 
  
  
  
  
  RT
2O
3
P 0,75 atm
4
 
Resposta da questão 22:
[A]
Resposta da questão 23:
[A]
Resposta da questão 24:
[E]

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Gabarito das questões de Termologia - 2º Ano
Gabarito das questões de Termologia - 2º AnoGabarito das questões de Termologia - 2º Ano
Gabarito das questões de Termologia - 2º Ano
Edson Marcos Silva
 
Equilíbrio químico
Equilíbrio químicoEquilíbrio químico
Equilíbrio químico
Carlos Kramer
 
Equilíbrio Químico
Equilíbrio QuímicoEquilíbrio Químico
Equilíbrio Químico
José Nunes da Silva Jr.
 
Lista de exercícios – sistema de equações do 1° grau
Lista de exercícios – sistema de equações do 1° grauLista de exercícios – sistema de equações do 1° grau
Lista de exercícios – sistema de equações do 1° grau
Everton Moraes
 
2 ano quimica
2 ano quimica2 ano quimica
2 ano quimica
Luiza Freitas
 
Nomenclatura dos COMPOSTOS ORGÂNICOS
Nomenclatura dos COMPOSTOS  ORGÂNICOS Nomenclatura dos COMPOSTOS  ORGÂNICOS
Nomenclatura dos COMPOSTOS ORGÂNICOS
Adrianne Mendonça
 
Introdução a Quimica orgânica
Introdução a Quimica orgânicaIntrodução a Quimica orgânica
Introdução a Quimica orgânica
Josenildo Vasconcelos
 
Gases perfeitos questões resolvidas - termologia
Gases perfeitos   questões resolvidas - termologiaGases perfeitos   questões resolvidas - termologia
Gases perfeitos questões resolvidas - termologia
Drica Salles
 
Atividade tabela periódica
Atividade   tabela periódicaAtividade   tabela periódica
Atividade tabela periódica
Escola Pública/Particular
 
Análise combinatória
Análise combinatóriaAnálise combinatória
Análise combinatória
betencourt
 
Aula 22 probabilidade - parte 1
Aula 22   probabilidade - parte 1Aula 22   probabilidade - parte 1
Ácidos
ÁcidosÁcidos
Aula de química para o Enem - Reação de Neutralização e Óxidos - Módulo 3
Aula de química para o Enem - Reação de Neutralização e Óxidos - Módulo 3Aula de química para o Enem - Reação de Neutralização e Óxidos - Módulo 3
Aula de química para o Enem - Reação de Neutralização e Óxidos - Módulo 3
Maiquel Vieira
 
Aula sobre ligações químicas
Aula sobre ligações químicasAula sobre ligações químicas
Aula sobre ligações químicas
Profª Alda Ernestina
 
Aula 9 lei de lavoisier e lei de proust
Aula 9   lei de lavoisier e lei de proustAula 9   lei de lavoisier e lei de proust
Aula 9 lei de lavoisier e lei de proust
profNICODEMOS
 
Lista de exercícios hidrocarbonetos
Lista de exercícios   hidrocarbonetosLista de exercícios   hidrocarbonetos
Lista de exercícios hidrocarbonetos
Profª Alda Ernestina
 
Questões média mediana e moda
Questões média mediana e modaQuestões média mediana e moda
Questões média mediana e moda
Keyla Christianne
 
Sugestões de temas 1ºano
Sugestões de temas 1ºanoSugestões de temas 1ºano
Sugestões de temas 1ºano
Pollyana Godoy
 
Exercícios extras 9ano densidade
Exercícios extras 9ano densidadeExercícios extras 9ano densidade
Exercícios extras 9ano densidade
Professora Raquel
 
Aula 9 Mol Quantidade De Materia2
Aula 9   Mol   Quantidade De Materia2Aula 9   Mol   Quantidade De Materia2
Aula 9 Mol Quantidade De Materia2
Nelson Virgilio Carvalho Filho
 

Mais procurados (20)

Gabarito das questões de Termologia - 2º Ano
Gabarito das questões de Termologia - 2º AnoGabarito das questões de Termologia - 2º Ano
Gabarito das questões de Termologia - 2º Ano
 
Equilíbrio químico
Equilíbrio químicoEquilíbrio químico
Equilíbrio químico
 
Equilíbrio Químico
Equilíbrio QuímicoEquilíbrio Químico
Equilíbrio Químico
 
Lista de exercícios – sistema de equações do 1° grau
Lista de exercícios – sistema de equações do 1° grauLista de exercícios – sistema de equações do 1° grau
Lista de exercícios – sistema de equações do 1° grau
 
2 ano quimica
2 ano quimica2 ano quimica
2 ano quimica
 
Nomenclatura dos COMPOSTOS ORGÂNICOS
Nomenclatura dos COMPOSTOS  ORGÂNICOS Nomenclatura dos COMPOSTOS  ORGÂNICOS
Nomenclatura dos COMPOSTOS ORGÂNICOS
 
Introdução a Quimica orgânica
Introdução a Quimica orgânicaIntrodução a Quimica orgânica
Introdução a Quimica orgânica
 
Gases perfeitos questões resolvidas - termologia
Gases perfeitos   questões resolvidas - termologiaGases perfeitos   questões resolvidas - termologia
Gases perfeitos questões resolvidas - termologia
 
Atividade tabela periódica
Atividade   tabela periódicaAtividade   tabela periódica
Atividade tabela periódica
 
Análise combinatória
Análise combinatóriaAnálise combinatória
Análise combinatória
 
Aula 22 probabilidade - parte 1
Aula 22   probabilidade - parte 1Aula 22   probabilidade - parte 1
Aula 22 probabilidade - parte 1
 
Ácidos
ÁcidosÁcidos
Ácidos
 
Aula de química para o Enem - Reação de Neutralização e Óxidos - Módulo 3
Aula de química para o Enem - Reação de Neutralização e Óxidos - Módulo 3Aula de química para o Enem - Reação de Neutralização e Óxidos - Módulo 3
Aula de química para o Enem - Reação de Neutralização e Óxidos - Módulo 3
 
Aula sobre ligações químicas
Aula sobre ligações químicasAula sobre ligações químicas
Aula sobre ligações químicas
 
Aula 9 lei de lavoisier e lei de proust
Aula 9   lei de lavoisier e lei de proustAula 9   lei de lavoisier e lei de proust
Aula 9 lei de lavoisier e lei de proust
 
Lista de exercícios hidrocarbonetos
Lista de exercícios   hidrocarbonetosLista de exercícios   hidrocarbonetos
Lista de exercícios hidrocarbonetos
 
Questões média mediana e moda
Questões média mediana e modaQuestões média mediana e moda
Questões média mediana e moda
 
Sugestões de temas 1ºano
Sugestões de temas 1ºanoSugestões de temas 1ºano
Sugestões de temas 1ºano
 
Exercícios extras 9ano densidade
Exercícios extras 9ano densidadeExercícios extras 9ano densidade
Exercícios extras 9ano densidade
 
Aula 9 Mol Quantidade De Materia2
Aula 9   Mol   Quantidade De Materia2Aula 9   Mol   Quantidade De Materia2
Aula 9 Mol Quantidade De Materia2
 

Semelhante a Gases ideais - Questões com gabarito

Gases exercícios
Gases exercíciosGases exercícios
Gases exercícios
Fábio Oisiovici
 
Clapeyron
ClapeyronClapeyron
Gases
GasesGases
Lista 16 estudo dos gases
Lista 16   estudo dos gasesLista 16   estudo dos gases
Lista 16 estudo dos gases
Colegio CMC
 
O estudo-dos-gases
O estudo-dos-gasesO estudo-dos-gases
O estudo-dos-gases
Vitor Paulo Alves de Oliveira
 
Estudo dos gases
Estudo dos gasesEstudo dos gases
Estudo dos gases
Marco Antonio Sanches
 
[Quimica] gases
[Quimica] gases[Quimica] gases
[Quimica] gases
Lavoisier Tucurui
 
Prova fisica 2 ano 2 bimestre
Prova fisica 2 ano 2 bimestreProva fisica 2 ano 2 bimestre
Prova fisica 2 ano 2 bimestre
Edney Marques da Silva
 
Gases
Gases Gases
Estudo dos gases
Estudo dos gasesEstudo dos gases
Estudo dos gases
Thiago Rodrigues
 
Estudo dos gases
Estudo dos gasesEstudo dos gases
Estudo dos gases
Thiago Rodrigues
 
009 fisica termodinamica
009 fisica termodinamica009 fisica termodinamica
009 fisica termodinamica
Evandro Brandão
 
Lista do 1° Físico-Química (UFCG) - Monitoria
Lista do 1° Físico-Química (UFCG) - MonitoriaLista do 1° Físico-Química (UFCG) - Monitoria
Lista do 1° Físico-Química (UFCG) - Monitoria
Anderson Formiga
 
Exerc cinetica termoquimica_solucoes
Exerc cinetica termoquimica_solucoesExerc cinetica termoquimica_solucoes
Exerc cinetica termoquimica_solucoes
Marcy Gomes
 
Lista 14 gases
Lista 14 gasesLista 14 gases
Lista 14 gases
rodrigoateneu
 
Química Geral Aula 09
Química Geral Aula 09Química Geral Aula 09
Química Geral Aula 09
Ednilsom Orestes
 
Gases
GasesGases
Experimento 4 20091 determinação da massa molecular de um gás
Experimento 4 20091 determinação da massa molecular de um gásExperimento 4 20091 determinação da massa molecular de um gás
Experimento 4 20091 determinação da massa molecular de um gás
sergioviroli
 
Unidade4 2012 csa_gabarit_op129a136
Unidade4 2012 csa_gabarit_op129a136Unidade4 2012 csa_gabarit_op129a136
Unidade4 2012 csa_gabarit_op129a136
ProCLAUDIA/LUCIANE MEIJON/SOARES
 
Unidade4 2012 csa_gabarit_op129a136
Unidade4 2012 csa_gabarit_op129a136Unidade4 2012 csa_gabarit_op129a136
Unidade4 2012 csa_gabarit_op129a136
ProCLAUDIA/LUCIANE MEIJON/SOARES
 

Semelhante a Gases ideais - Questões com gabarito (20)

Gases exercícios
Gases exercíciosGases exercícios
Gases exercícios
 
Clapeyron
ClapeyronClapeyron
Clapeyron
 
Gases
GasesGases
Gases
 
Lista 16 estudo dos gases
Lista 16   estudo dos gasesLista 16   estudo dos gases
Lista 16 estudo dos gases
 
O estudo-dos-gases
O estudo-dos-gasesO estudo-dos-gases
O estudo-dos-gases
 
Estudo dos gases
Estudo dos gasesEstudo dos gases
Estudo dos gases
 
[Quimica] gases
[Quimica] gases[Quimica] gases
[Quimica] gases
 
Prova fisica 2 ano 2 bimestre
Prova fisica 2 ano 2 bimestreProva fisica 2 ano 2 bimestre
Prova fisica 2 ano 2 bimestre
 
Gases
Gases Gases
Gases
 
Estudo dos gases
Estudo dos gasesEstudo dos gases
Estudo dos gases
 
Estudo dos gases
Estudo dos gasesEstudo dos gases
Estudo dos gases
 
009 fisica termodinamica
009 fisica termodinamica009 fisica termodinamica
009 fisica termodinamica
 
Lista do 1° Físico-Química (UFCG) - Monitoria
Lista do 1° Físico-Química (UFCG) - MonitoriaLista do 1° Físico-Química (UFCG) - Monitoria
Lista do 1° Físico-Química (UFCG) - Monitoria
 
Exerc cinetica termoquimica_solucoes
Exerc cinetica termoquimica_solucoesExerc cinetica termoquimica_solucoes
Exerc cinetica termoquimica_solucoes
 
Lista 14 gases
Lista 14 gasesLista 14 gases
Lista 14 gases
 
Química Geral Aula 09
Química Geral Aula 09Química Geral Aula 09
Química Geral Aula 09
 
Gases
GasesGases
Gases
 
Experimento 4 20091 determinação da massa molecular de um gás
Experimento 4 20091 determinação da massa molecular de um gásExperimento 4 20091 determinação da massa molecular de um gás
Experimento 4 20091 determinação da massa molecular de um gás
 
Unidade4 2012 csa_gabarit_op129a136
Unidade4 2012 csa_gabarit_op129a136Unidade4 2012 csa_gabarit_op129a136
Unidade4 2012 csa_gabarit_op129a136
 
Unidade4 2012 csa_gabarit_op129a136
Unidade4 2012 csa_gabarit_op129a136Unidade4 2012 csa_gabarit_op129a136
Unidade4 2012 csa_gabarit_op129a136
 

Mais de Rodrigo Sampaio

Bioquimica revisão
Bioquimica revisãoBioquimica revisão
Bioquimica revisão
Rodrigo Sampaio
 
Resumo separação de misturas heterogêneas
Resumo separação de misturas heterogêneasResumo separação de misturas heterogêneas
Resumo separação de misturas heterogêneas
Rodrigo Sampaio
 
Conceitos básicos de química - estados, mudanças, fenômenos e sistemas
Conceitos básicos de química - estados, mudanças, fenômenos e sistemasConceitos básicos de química - estados, mudanças, fenômenos e sistemas
Conceitos básicos de química - estados, mudanças, fenômenos e sistemas
Rodrigo Sampaio
 
Questões revisão - Prova
Questões revisão - ProvaQuestões revisão - Prova
Questões revisão - Prova
Rodrigo Sampaio
 
Lista equilíbrio
Lista equilíbrioLista equilíbrio
Lista equilíbrio
Rodrigo Sampaio
 
Expressoes de concentração
Expressoes de concentraçãoExpressoes de concentração
Expressoes de concentração
Rodrigo Sampaio
 
Modelo de anteprojeto cultural
Modelo de anteprojeto culturalModelo de anteprojeto cultural
Modelo de anteprojeto cultural
Rodrigo Sampaio
 
Modelo artigo para Maratona Científica
Modelo artigo para Maratona CientíficaModelo artigo para Maratona Científica
Modelo artigo para Maratona Científica
Rodrigo Sampaio
 
Cinética química
Cinética químicaCinética química
Cinética química
Rodrigo Sampaio
 
Radioatividade - Exerícicios
Radioatividade - ExeríciciosRadioatividade - Exerícicios
Radioatividade - Exerícicios
Rodrigo Sampaio
 
Lista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADE
Lista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADELista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADE
Lista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADE
Rodrigo Sampaio
 
lista de questões - Volta são joão - COC
lista de questões - Volta são joão - COClista de questões - Volta são joão - COC
lista de questões - Volta são joão - COC
Rodrigo Sampaio
 
Estequiometria - casos simples Rodriguinho Química de boa
Estequiometria - casos simples Rodriguinho Química de boaEstequiometria - casos simples Rodriguinho Química de boa
Estequiometria - casos simples Rodriguinho Química de boa
Rodrigo Sampaio
 
Estequiometria simples
Estequiometria simplesEstequiometria simples
Estequiometria simples
Rodrigo Sampaio
 
REVISÃO COC POLARIDADE E FORÇAS INTERMOLECULARES
REVISÃO COC POLARIDADE E FORÇAS INTERMOLECULARESREVISÃO COC POLARIDADE E FORÇAS INTERMOLECULARES
REVISÃO COC POLARIDADE E FORÇAS INTERMOLECULARES
Rodrigo Sampaio
 
Lista geometria polaridade TERCEIRÃO SARTRE
Lista geometria polaridade TERCEIRÃO SARTRE Lista geometria polaridade TERCEIRÃO SARTRE
Lista geometria polaridade TERCEIRÃO SARTRE
Rodrigo Sampaio
 
Treinamento Balanceamento pelo método da tentativa
Treinamento Balanceamento pelo método da tentativa Treinamento Balanceamento pelo método da tentativa
Treinamento Balanceamento pelo método da tentativa
Rodrigo Sampaio
 
Lista 2 recuperacao
Lista 2   recuperacaoLista 2   recuperacao
Lista 2 recuperacao
Rodrigo Sampaio
 
Revisao vieira
Revisao vieiraRevisao vieira
Revisao vieira
Rodrigo Sampaio
 
Cinética química questoes
Cinética química questoesCinética química questoes
Cinética química questoes
Rodrigo Sampaio
 

Mais de Rodrigo Sampaio (20)

Bioquimica revisão
Bioquimica revisãoBioquimica revisão
Bioquimica revisão
 
Resumo separação de misturas heterogêneas
Resumo separação de misturas heterogêneasResumo separação de misturas heterogêneas
Resumo separação de misturas heterogêneas
 
Conceitos básicos de química - estados, mudanças, fenômenos e sistemas
Conceitos básicos de química - estados, mudanças, fenômenos e sistemasConceitos básicos de química - estados, mudanças, fenômenos e sistemas
Conceitos básicos de química - estados, mudanças, fenômenos e sistemas
 
Questões revisão - Prova
Questões revisão - ProvaQuestões revisão - Prova
Questões revisão - Prova
 
Lista equilíbrio
Lista equilíbrioLista equilíbrio
Lista equilíbrio
 
Expressoes de concentração
Expressoes de concentraçãoExpressoes de concentração
Expressoes de concentração
 
Modelo de anteprojeto cultural
Modelo de anteprojeto culturalModelo de anteprojeto cultural
Modelo de anteprojeto cultural
 
Modelo artigo para Maratona Científica
Modelo artigo para Maratona CientíficaModelo artigo para Maratona Científica
Modelo artigo para Maratona Científica
 
Cinética química
Cinética químicaCinética química
Cinética química
 
Radioatividade - Exerícicios
Radioatividade - ExeríciciosRadioatividade - Exerícicios
Radioatividade - Exerícicios
 
Lista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADE
Lista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADELista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADE
Lista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADE
 
lista de questões - Volta são joão - COC
lista de questões - Volta são joão - COClista de questões - Volta são joão - COC
lista de questões - Volta são joão - COC
 
Estequiometria - casos simples Rodriguinho Química de boa
Estequiometria - casos simples Rodriguinho Química de boaEstequiometria - casos simples Rodriguinho Química de boa
Estequiometria - casos simples Rodriguinho Química de boa
 
Estequiometria simples
Estequiometria simplesEstequiometria simples
Estequiometria simples
 
REVISÃO COC POLARIDADE E FORÇAS INTERMOLECULARES
REVISÃO COC POLARIDADE E FORÇAS INTERMOLECULARESREVISÃO COC POLARIDADE E FORÇAS INTERMOLECULARES
REVISÃO COC POLARIDADE E FORÇAS INTERMOLECULARES
 
Lista geometria polaridade TERCEIRÃO SARTRE
Lista geometria polaridade TERCEIRÃO SARTRE Lista geometria polaridade TERCEIRÃO SARTRE
Lista geometria polaridade TERCEIRÃO SARTRE
 
Treinamento Balanceamento pelo método da tentativa
Treinamento Balanceamento pelo método da tentativa Treinamento Balanceamento pelo método da tentativa
Treinamento Balanceamento pelo método da tentativa
 
Lista 2 recuperacao
Lista 2   recuperacaoLista 2   recuperacao
Lista 2 recuperacao
 
Revisao vieira
Revisao vieiraRevisao vieira
Revisao vieira
 
Cinética química questoes
Cinética química questoesCinética química questoes
Cinética química questoes
 

Último

Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Centro Jacques Delors
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
djincognito
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
cmeioctaciliabetesch
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 

Último (20)

Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 

Gases ideais - Questões com gabarito

  • 1. Prof.Rodriguinhofacebook.com/rodriguinhoquimica 1 GASES IDEAIS 1. (Unesp 2012) Os desodorantes do tipo aerossol contêm em sua formulação solventes e propelentes inflamáveis. Por essa razão, as embalagens utilizadas para a comercialização do produto fornecem no rótulo algumas instruções, tais como: - Não expor a embalagem ao sol. - Não usar próximo a chamas. - Não descartar em incinerador. Uma lata desse tipo de desodorante foi lançada em um incinerador a 25 ºC e 1 atm. Quando a temperatura do sistema atingiu 621 ºC, a lata explodiu. Considere que não houve deformação durante o aquecimento. No momento da explosão a pressão no interior da lata era a) 1,0 atm. b) 2,5 atm. c) 3,0 atm. d) 24,8 atm. e) 30,0 atm. 2. (Fuvest 2014) O rótulo de uma lata de desodorante em aerosol apresenta, entre outras, as seguintes informações: “Propelente: gás butano. Mantenha longe do fogo”. A principal razão dessa advertência é: a) O aumento da temperatura faz aumentar a pressão do gás no interior da lata, o que pode causar uma explosão. b) A lata é feita de alumínio, que, pelo aquecimento, pode reagir com o oxigênio do ar. c) O aquecimento provoca o aumento do volume da lata, com a consequente condensação do gás em seu interior. d) O aumento da temperatura provoca a polimerização do gás butano, inutilizando o produto. e) A lata pode se derreter e reagir com as substâncias contidas em seu interior, inutilizando o produto. 3. (Fuvest 2014) A tabela abaixo apresenta informações sobre cinco gases contidos em recipientes separados e selados. Recipiente Gás Temperatura (K) Pressão (atm) Volume (l) 1 O3 273 1 22,4 2 Ne 273 2 22,4 3 He 273 4 22,4 4 N2 273 1 22,4 5 Ar 273 1 22,4 Qual recipiente contém a mesma quantidade de átomos que um recipiente selado de 22,4 L, contendo H2, mantido a 2 atm e 273 K? a) 1 b) 2 c) 3 d) 4 e) 5
  • 2. Prof.Rodriguinhofacebook.com/rodriguinhoquimica 2 GASES IDEAIS 4. (Fuvest 2011) Um laboratório químico descartou um frasco de éter, sem perceber que, em seu interior, havia ainda um resíduo de 7,4 g de éter, parte no estado líquido, parte no estado gasoso. Esse frasco, de 0,8 L de volume, fechado hermeticamente, foi deixado sob o sol e, após um certo tempo, atingiu a temperatura de equilíbrio T = 37 ºC, valor acima da temperatura de ebulição do éter. Se todo o éter no estado líquido tivesse evaporado, a pressão dentro do frasco seria NOTE E ADOTE No interior do frasco descartado havia apenas éter. Massa molar do éter = 74 g K = ºC + 273 R (constante universal dos gases) = 0,08 atm.L / (mol.K) a) 0,37 atm. b) 1,0 atm. c) 2,5 atm. d) 3,1 atm. e) 5,9 atm. 5. (Unesp 2011) Incêndio é uma ocorrência de fogo não controlado, potencialmente perigosa para os seres vivos. Para cada classe de fogo existe pelo menos um tipo de extintor. Quando o fogo é gerado por líquidos inflamáveis como álcool, querosene, combustíveis e óleos, os extintores mais indicados são aqueles com carga de pó químico ou gás carbônico. Considerando-se a massa molar do carbono = 12 g. 1 mol , a massa molar do oxigênio = 16 g. 1 mol e R = 0,082 atm.L. 1 mol .K–1, o volume máximo, em litros, de gás liberado a 27ºC e 1 atm, por um extintor de gás carbônico de 8,8 kg de capacidade, é igual a: a) 442,8. b) 2 460,0. c) 4 477,2. d) 4 920,0. e) 5 400,0. 6. (Acafe 2014) No jornal Folha de São Paulo, de 01 de novembro de 2013, foi publicada um reportagem sobre uma Universidade paulista que foi construída sobre terra que contém lixo orgânico “[...] Com o passar do tempo, esse material começa a emitir gás metano, que é tóxico e explosivo […]”. Quantos litros de O2(g) a 1,00 atm e 27°C são necessários para reagir em uma reação de combustão completa com 40g de gás metano? Dado: Constante universal dos gases  R : 0,082 atm L mol K . C : 12 g / mol, H:1 g / mol.      a) 123L b) 61,5L c) 24,6 L d) 49,2 L 7. (Ufu 2011) Em uma atividade experimental o professor pegou duas garrafas PET vazias e colocou bexigas cheias na boca de cada uma delas. Em seguida, colocou uma das garrafas em uma bacia com água quente e a outra em uma bacia com água fria. Um dos balões murchou e o outro ficou mais cheio. Sobre estes fatos, assinale a alternativa correta. a) O balão que murchou foi colocado em água quente, pois o aumento da temperatura causou uma contração dos gases da bexiga. b) O balão que ficou mais cheio foi colocado em água quente, devido ao aumento da temperatura do sistema e à expansão dos gases presentes na bexiga. c) O volume do balão que foi colocado em água fria diminuiu, porque a pressão do sistema aumentou, reduzindo o choque das partículas de gás com as paredes do balão. d) Em qualquer um dos casos, o volume dos balões foi alterado, porque o tamanho das partículas de gás foi modificado.
  • 3. Prof.Rodriguinhofacebook.com/rodriguinhoquimica 3 GASES IDEAIS 8. (Ufrgs 2010) Considere o enunciado a seguir e as três propostas para completá-lo. Em dada situação, substâncias gasosas encontram-se armazenadas, em idênticas condições de temperatura e pressão, em dois recipientes de mesmo volume, como representado a seguir. Gás carbônico (CO2) Gás nitrogênio (N2) + Gás oxigênio (O2) Recipiente 1 Recipiente 2 Nessa situação, os recipientes 1 e 2 contêm 1 - o mesmo número de moléculas. 2 - a mesma massa de substâncias gasosas. 3 - o mesmo número de átomos de oxigênio. Quais propostas estão corretas? a) Apenas 1. b) Apenas 2. c) Apenas 3. d) Apenas 2 e 3. e) 1, 2 e 3. 9. (Fgv 2014) Créditos de carbono são certificações dadas a empresas, indústrias e países que conseguem reduzir a emissão de gases poluentes na atmosfera. Cada tonelada de CO2 não emitida ou retirada da atmosfera equivale a um crédito de carbono. (http://www.brasil.gov.br/meio-ambiente/2012/04/credito-carbono. Adaptado) Utilizando-se 1 1 R 0,082 atm L mol K ,      a quantidade de CO2 equivalente a 1 (um) crédito de carbono, quando coletado a 1,00 atm e 300 K, ocupa um volume aproximado, em m3 , igual a Dados: C = 12; O = 16. a) 100. b) 200. c) 400. d) 600. e) 800. 10. (Unisinos 2012) Os gases perfeitos obedecem a três leis bastante simples: a lei de Boyle, a lei de Gay-Lussac e a lei de Charles, formuladas segundo o comportamento de três grandezas que descrevem as propriedades dos gases: o volume (V), a pressão (p) e a temperatura absoluta (T). O número de moléculas influencia a pressão exercida pelo gás, ou seja, a pressão depende também, diretamente, da massa do gás. Considerando esses resultados, Paul Emile Clapeyron (1799-1844) estabeleceu uma relação entre as variáveis de estado com esta expressão matemática: pV nRT, onde n é o número de mols, e R é a constante universal dos gases perfeitos. Ao calibrar um pneu, altera-se o número de moléculas de ar no interior dele. Porém, a pressão e o volume podem, também, sofrer modificação com a variação da temperatura. O gráfico pressão versus volume, que representa uma transformação isotérmica de uma quantidade fixa de um gás perfeito, é o
  • 4. Prof.Rodriguinhofacebook.com/rodriguinhoquimica 4 GASES IDEAIS a) b) c) d) e) 11. (Ueg 2011) Considere um recipiente de 6 L de capacidade e 27 ºC de temperatura, o qual apresenta uma mistura de 1, 2 e 5 mols de dióxido de carbono, nitrogênio e argônio, respectivamente. A pressão exercida no recipiente, em atm, será de, aproximadamente: Dado: 1 1 R 0,082 atm L mol K      a) 4,1 b) 8,2 c) 20,5 d) 32,8 12. (Ufpr 2014) A equação geral dos gases ideais é uma equação de estado que correlaciona pressão, temperatura, volume e quantidade de matéria, sendo uma boa aproximação ao comportamento da maioria dos gases. Os exemplos descritos a seguir correspondem às observações realizadas para uma quantidade fixa de matéria de gás e variação de dois parâmetros. Numere as representações gráficas relacionando-as com as seguintes descrições. 1. Ao encher um balão com gás hélio ou oxigênio, o balão apresentará a mesma dimensão. 2. Ao encher um pneu de bicicleta, é necessária uma pressão maior que a utilizada em pneu de carro.
  • 5. Prof.Rodriguinhofacebook.com/rodriguinhoquimica 5 GASES IDEAIS 3. O cozimento de alimentos é mais rápido em maiores pressões. 4. Uma bola de basquete cheia no verão provavelmente terá aparência de mais vazia no inverno, mesmo que não tenha vazado ar. Assinale a alternativa que apresenta a sequência correta na numeração das representações gráficas. a) 1 – 3 – 4 – 2. b) 2 – 3 – 4 – 1. c) 4 – 2 – 1 – 3. d) 4 – 3 – 1 – 2. e) 2 – 4 – 3 – 1. 13. (Fgv 2012) O Brasil é um grande exportador de frutas frescas, que são enviadas por transporte marítimo para diversos países da Europa. Para que possam chegar com a qualidade adequada ao consumidor europeu, os frutos são colhidos prematuramente e sua completa maturação ocorre nos navios, numa câmara contendo um gás que funciona como um hormônio vegetal, acelerando seu amadurecimento. Esse gás a 27 C tem densidade 1 1,14 g L  sob pressão de 1,00 atm. A fórmula molecular desse gás é Dado: 1 1 R 0,082 atm L mol K     a) Xe. b) 3O . c) 4CH . d) 2 4C H . e) 2 4N O . 14. (Uel 2014) Em um balão de paredes rígidas, foram colocados 0,200 g de gás hidrogênio, 6,400 g de gás oxigênio e um material sólido que absorve água. O volume do balão é de 4,480 L e é mantido à temperatura de 0 ºC. No balão, passa-se uma faísca elétrica de modo que haja reação e a água formada seja retirada pelo material absorvente, não exercendo pressão significativa. Com base nesse problema, responda aos itens a seguir. a) Supondo um comportamento ideal, qual é a pressão no balão (em atmosferas) após inserção de oxigênio e hidrogênio? Considere atm L R 0,082 ;P V n R T mol K        b) Após a reação, mantendo-se a temperatura inicial e o volume, qual a pressão no interior do balão? 15. (Fuvest 2012) Uma estudante de Química realizou um experimento para investigar as velocidades de difusão dos gases HC e NH3. Para tanto, colocou, simultaneamente, dois chumaços de algodão nas extremidades de um
  • 6. Prof.Rodriguinhofacebook.com/rodriguinhoquimica 6 GASES IDEAIS tubo de vidro, como mostrado na figura acima. Um dos chumaços estava embebido de solução aquosa de HC (g), e o outro, de solução aquosa de NH3(g). Cada um desses chumaços liberou o respectivo gás. No ponto de encontro dos gases, dentro do tubo, formou-se, após 10 s, um anel de sólido branco ( 4NH C ), distante 6,0 cm do chumaço que liberava HC (g). a) Qual dos dois gases, desse experimento, tem maior velocidade de difusão? Explique. b) Quando o experimento foi repetido a uma temperatura mais alta, o anel de 4NH C (s) se formou na mesma posição. O tempo necessário para a formação do anel, a essa nova temperatura, foi igual a, maior ou menor do que 10 s? Justifique. c) Com os dados do experimento descrito, e sabendo-se a massa molar de um dos dois gases, pode-se determinar a massa molar do outro. Para isso, utiliza-se a expressão 3 3 velocidade de difusão do NH (g) massa molar do HC velocidade de difusão do HC (g) massa molar do NH  Considere que se queira determinar a massa molar do HC . Caso o algodão embebido de solução aquosa de NH3 (g) seja colocado no tubo um pouco antes do algodão que libera HC (g) (e não simultaneamente), como isso afetará o valor obtido para a massa molar do HC ? Explique. 16. (Unesp 2013) Uma equipe de cientistas franceses obteve imagens em infravermelho da saída de rolhas e o consequente escape de dióxido de carbono em garrafas de champanhe que haviam sido mantidas por 24 horas a diferentes temperaturas. As figuras 1 e 2 mostram duas sequências de fotografias tiradas a intervalos de tempo iguais, usando garrafas idênticas e sob duas condições de temperatura. As figuras permitem observar diferenças no espocar de um champanhe: a 18 °C, logo no início, observa- se que o volume de CO2 disperso na nuvem gasosa – não detectável na faixa da luz visível, mas sim do infravermelho – é muito maior do que quando a temperatura é de 4 °C. Numa festa de fim de ano, os estudantes utilizaram os dados desse experimento para demonstrar a lei que diz: a) O volume ocupado por uma amostra de gás sob pressão e temperaturas constantes é diretamente proporcional ao número de moléculas presentes. b) A pressão de uma quantidade fixa de um gás em um recipiente de volume constante é diretamente proporcional à temperatura. c) Ao aumentar a temperatura de um gás, a velocidade de suas moléculas permanece constante. d) A pressão de uma quantidade fixa de um gás em temperatura constante é diretamente proporcional à quantidade de matéria. e) O volume molar de uma substância é o volume ocupado por um mol de moléculas.
  • 7. Prof.Rodriguinhofacebook.com/rodriguinhoquimica 7 GASES IDEAIS 17. (Cesgranrio 1991) A análise do gráfico anterior, que mostra as transformações sofridas por um gás ideal quando variamos a sua temperatura, pressão ou volume, nos permite afirmar que o gás evolui: a) Isobaricamente de 1 a 2. b) Isotermicamente de 2 a 3. c) Isobaricamente de 3 a 4. d) Isometricamente de 4 a 2. e) Isometricamente de 3 a 4. 18. (Ufop 2010) A pressão interna do pneu de um carro aumenta quando este é conduzido em uma rodovia por trajetórias longas. A razão disso é que o atrito aquece os pneus, e o volume permanece praticamente constante. Pressão inicial do pneu = P1 Pressão final do pneu = P2 Temperatura inicial do pneu = T1 Temperatura final do pneu = T2 Com base nessa ilustração e considerando o volume do pneu constante, a equação que permite calcular a pressão do pneu após longas trajetórias é a) P2 = P1(T1/T2) b) P2 = P1(T2/T1) c) P2 = nR(T1/T2) / V2 d) P2 = nR(T2/T1) / V2 19. (Ufg 2013) Analise o esquema a seguir. Ao se introduzir uma bolha de gás na base do cilindro, ela inicia sua ascensão ao longo da coluna de líquido, à temperatura constante. A pressão interna da bolha e a pressão a que ela está submetida, respectivamente, a) aumenta e diminui. b) diminui e diminui. c) aumenta e permanece a mesma. d) permanece a mesma e diminui. e) diminui e permanece a mesma. 20. (Fuvest 2008) A velocidade com que um gás atravessa uma membrana é inversamente proporcional à raiz quadrada de sua massa molar. Três bexigas idênticas, feitas com membrana permeável a gases, expostas ao ar e inicialmente vazias, foram preenchidas, cada uma, com um gás diferente. Os gases utilizados foram hélio, hidrogênio e metano, não necessariamente nesta ordem. As bexigas foram amarradas, com cordões idênticos, a um suporte. Decorrido algum tempo, observou-se que as bexigas estavam como na figura.
  • 8. Prof.Rodriguinhofacebook.com/rodriguinhoquimica 8 GASES IDEAIS Conclui-se que as bexigas A, B e C foram preenchidas, respectivamente, com a) hidrogênio, hélio e metano. b) hélio, metano e hidrogênio. c) metano, hidrogênio e hélio. d) hélio, hidrogênio e metano. e) metano, hélio e hidrogênio. 21. (Uern 2012) Em dois recipientes, ligados por uma válvula, foram colocados dois gases à temperatura de 25°C. Em um dos recipientes foram colocados 3 L de gás oxigênio (O2) a uma pressao de 1 atm, no outro recipiente 1 L de gás Hélio (He) e 2 atm de pressão. Abrindo a válvula, os dois gases se misturam. Sabendo-se que a temperatura permanece a mesma, a pressão parcial do oxigênio é de, aproximadamente, a) 1,25 atm. b) 0,597 atm. c) 0,12 atm. d) 0,081 atm. e) 0,75 atm 22. (Ufjf 2007) A calibração dos pneus de um automóvel deve ser feita periodicamente. Sabe-se que o pneu deve ser calibrado a uma pressão de 30 lb/pol2 em um dia quente, a uma temperatura de 27 ° C. Supondo que o volume e o número de mol injetados são os mesmos, qual será a pressão de calibração (em atm) nos dias mais frios, em que a temperatura atinge 12 ° C? Dado: Considere 1 atm ≈ 15 lb/pol2 . a) 1,90 atm. b) 2,11 atm. c) 4,50 atm. d) 0,89 atm. e) 14,3 atm. 23. (Ufg 2005) O processo contínuo da respiração consiste na expansão e contração de músculos da caixa torácica. Sendo um sistema aberto, quando a pressão intra-alveolar é menor que a atmosférica, ocorre a entrada do ar e os pulmões expandem-se. Após as trocas gasosas, a pressão intra-alveolar aumenta, ficando maior que atmosférica. Assim, com a contração da caixa torácica, os gases são expirados. Considerando a temperatura interna do corpo humano constante e igual a 37,5 ° C, o gráfico que representa os eventos descritos é: 24. (Faap 1997) Na respiração normal de adulto, num minuto, são inalados 4,0 litros de ar, medidos a 25° C e 1 atm de pressão. Um mergulhador a 43m abaixo do nível do mar, onde a temperatura é de 25° C e a pressão de 5 atmosferas, receberá a MESMA MASSA de oxigênio se inalar: a) 4,0 litros de ar b) 8,0 litros de ar c) 32 litros de ar d) 20 litros de ar e) 0,8 litros de ar
  • 9. Prof.Rodriguinhofacebook.com/rodriguinhoquimica 9 GASES IDEAIS Gabarito: Resposta da questão 1: [C] A partir da equação geral para um gás ideal, teremos: inicial inicial final final inicial final P V P V T T 1 atm V     finalP V 298 K   final (273 621) K P 3,0 atm   Resposta da questão 2: [A] O aumento da temperatura faz aumentar a pressão do gás no interior da lata, o que pode causar uma explosão do gás butano. Resposta da questão 3: [C] Cálculo da quantidade de átomos que um recipiente selado de 22,4 L, contendo H2, mantido a 2 atm e 273 K: P V n R T R constante De acordo com a tabela : T constante V constante V n P R T n k P             2 n k 2 2k Para o hidrogênio (H ) : n 2 2k 4k       O número de mols é diretamente proporcional à pressão, então: Recipiente Gás Temperatura (K) Pressão (atm) Volume (l) n (mol) Átomos (mol) 1 O3 273 1 22,4 k 3k 2 Ne 273 2 22,4 2 k 2 k 3 He 273 4 22,4 4 k 4 k 4 N2 273 1 22,4 k 2k 5 Ar 273 1 22,4 k k O gás do recipiente 3 (He) contém a mesma quantidade de átomos que um recipiente selado de 22,4 L, contendo H2, mantido a 2 atm e 273 K, ou seja, 4k átomos. Resposta da questão 4: [D] A partir da equação de Clapeyron (equação do estado de um gás), vem:
  • 10. Prof.Rodriguinhofacebook.com/rodriguinhoquimica 10 GASES IDEAIS P  V = m M  R  T P  0,8 = 7,4 74  0,08  (37 + 273) P = 3,1 atm Resposta da questão 5: [D] Teremos:        2 1 COM 44 g.mol m 8800 8,8 kg 8800 g n 200 mols M 44                  1 1 P V n R T P 1 atm; R 0,082 atm.K mol .K T 27 273 300 K n 200 mols 1 V 200 0,082 300 V 4920,0 L Resposta da questão 6: [A] 4 2 2 2CH 2O CO 2H O 16g    2mols 40g x x 5 mols PV nRT 1 V 5 0,082 300 V 123L        Resposta da questão 7: [B] Alternativa [A] está incorreta, pois o volume e a temperatura dos gases são diretamente proporcionais, o que é evidenciado na equação dos gases perfeitos ou de Clapeyron, pV = nRT. Então o balão que murchou foi colocado em água fria, pois a diminuição da temperatura causou uma contração dos gases da bexiga. Alternativa [B] está correta. Os gases sofrem expansão do volume à medida que a temperatura aumenta. A equação dos gases perfeitos ou de Clapeyron, pV = nRT, indica a relação diretamente proporcional entre o volume e a temperatura dos gases. Alternativa [C] está incorreta, o volume do balão que foi colocado em água fria diminuiu, porque a pressão do sistema diminuiu, reduzindo o choque das partículas de gás com as paredes do balão. Como pode ser visto na equação dos gases perfeitos ou de Clapeyron, PV = nRT, pressão e temperatura são diretamente proporcionais; se a temperatura diminui, a pressão também diminui. Alternativa [D] está incorreta, pois as partículas dos gases não sofrem variação de tamanho. O volume se altera devido às variações nos espaços vazios entre as partículas, que pode aumentar ou diminuir de acordo com as variações na temperatura. Resposta da questão 8: [A]
  • 11. Prof.Rodriguinhofacebook.com/rodriguinhoquimica 11 GASES IDEAIS De acordo com a hipótese de Avogadro, nas mesmas condições de temperatura e pressão o mesmo volume será ocupado pelo mesmo número de moléculas. Resposta da questão 9: [D] 1 crédito equivale a 1 tonelada 6 (10 g) de CO2, então: 6 6 3 3 3 m P V R T M 10 1,00 V 0,082 300 44 V 0,559 10 L V 559 10 L 559 m 600 m               Resposta da questão 10: [B] O físico irlandês, Robert Boyle (1627-1691) foi o primeiro a constatar que a temperatura de um ser humano permanece constante. Observou que a relação entre a pressão e o volume de um gás, quando a massa e a temperatura são mantidas constantes, é inversamente proporcional, ou seja, são grandezas inversamente proporcionais (P V constante).  Numa transformação gasosa entre dois estados, mantidas a massa e a temperatura constantes, teremos: Resposta da questão 11: [D]                 Mistura o n 1 2 5 8 mols T 27 C 273 300 K P V n R T P 6 8 0,082 300 P 32,8 atm Resposta da questão 12: [B] [1] Hipótese de Avogadro: o mesmo número de mols de qualquer gás ocupará o mesmo volume mantidas as condições de pressão e temperatura constantes. [2] Mantida a temperatura constante, pressão e volume são grandezas inversamente proporcionais.
  • 12. Prof.Rodriguinhofacebook.com/rodriguinhoquimica 12 GASES IDEAIS [3] Mantido o volume constante, pressão e temperatura são grandezas diretamente proporcionais. [4] Mantida a pressão constante, volume e temperatura são grandezas diretamente proporcionais. Conclusão: 2 (transformação isotérmica) – 3 (transformação isocórica ou isovolumétrica) – 4 (transformação isobárica) – 1 (hipótese de Avogadro). Resposta da questão 13: [D] Teremos: 2 4 m m P M P V R T M V R T P M d R T d M R T P 1,14 0.082 300 M 28,044 28 g/mol 1 C H (eteno ou etileno) 28 g/mol                      Resposta da questão 14: a) Cálculo da pressão sem a ocorrência de reação química: 2 2 2 2 H O TOTAL H O TOTAL m n M 0,200 n 0,100 mol 2 6,400 n 0,200 mol 32 n n n n 0,100 0,200 0,300 mol           1 1 T 0 C 273 273 K V 4,480 L 22,4 R 0,082 atm L mol K atm L mol K 273 P V n R T 22,4 P 4,480 0,300 273 273 P 1,50 atm                         b) Cálculo da pressão com a ocorrência de reação química: 2 2 22H 1O 1H O 2mol   1mol 0,100 mol excesso de reagente 2 2 2 0,200 mol 2H 1O 1H O 2mol   1mol 0,100 mol 0,050 mol Excesso de 0,150 mol (0,200 0,050).
  • 13. Prof.Rodriguinhofacebook.com/rodriguinhoquimica 13 GASES IDEAIS P V n R T 22,4 P 4,480 0,150 273 273 P 0,75 atm          Resposta da questão 15: a) De acordo com a figura, o anel de 4NH C se forma a 6,0 cm da extremidade do algodão com HC e a 9,0 cm da extremidade do algodão com 3NH . Quanto maior a distância, maior a velocidade do gás no tubo, concluí-se que o 3NH é o gás que apresenta maior velocidade de difusão. b) Quanto maior a temperatura, maior a velocidade de difusão das moléculas e a velocidade da reação. Consequentemente o anel de será formado num tempo menor do que 10 s. c) Caso o algodão embebido de solução aquosa de 3NH (g) seja colocado no tubo um pouco antes do algodão que libera HC (g) (e não simultaneamente) o anel de 4NH C será formado a uma distância maior da extremidade do algodão embebido com 3NH dando a impressão de que a velocidade de difusão do HC é menor do que a verdadeira. De acordo com a expressão matemática fornecida, quanto menor a velocidade de difusão, maior a massa molar. Consequentemente, a massa molar do HC parecerá maior do que a verdadeira. Resposta da questão 16: [B] As figuras permitem observar diferenças no espocar de um champanhe: a 18 °C, logo no início, observa- se que o volume de CO2 disperso na nuvem gasosa – não detectável na faixa da luz visível, mas sim do infravermelho – é muito maior do que quando a temperatura é de 4 °C, logo conclui-se que a pressão de uma quantidade fixa de um gás em um recipiente de volume constante é diretamente proporcional à temperatura. Resposta da questão 17: [C] Resposta da questão 18: [B] Para volume constante teremos: 1 2 2 2 1 1 2 1 P P T P P T T T          Resposta da questão 19: [B] Podemos considerar que a pressão interna do gás é equivalente à pressão externa exercida pela água. Ocorre que, durante a subida, a pressão hidrostática vai diminuindo e, portanto, a pressão interna do gás também sofre diminuição. Nesse caso, estamos desconsiderando o efeito da temperatura, pois a mesma é constante. Resposta da questão 20: [E] Resposta da questão 21: [E] Teremos:
  • 14. Prof.Rodriguinhofacebook.com/rodriguinhoquimica 14 GASES IDEAIS 2 2 2 2 2 O recipiente 1 O He recipiente 2 He total total O total O O P V 1 3 3 n RT RT RT P V 2 1 2 n RT RT RT 3 2 5 n RT RT RT V 1L 3L 4L P V n RT 3 P 4 RT                      RT 2O 3 P 0,75 atm 4   Resposta da questão 22: [A] Resposta da questão 23: [A] Resposta da questão 24: [E]