SlideShare uma empresa Scribd logo
Formação Geral
   Profa. Dra. Luci Bonini
FORMAÇÃO GERAL (PORT. INEP Nº
     188 DE 12/07/2011)
• Será considerada a formação de um profissional
  ético, competente e comprometido com a sociedade
  em que vive.
• Além do domínio de conhecimentos e de níveis
  diversificados de competências e habilidades para
  perfis profissionais específicos, espera-se que os
  graduandos das IES evidenciem a compreensão de
  temas que transcendam ao seu ambiente próprio de
  formação e importantes para a realidade
  contemporânea.
  – Essa compreensão vincula-se a perspectivas críticas,
    integradoras e à construção de sínteses contextualizadas.
Temas
I.    Arte e cultura;
II.   Avanços tecnológicos;
III.  Ciência, tecnologia e inovação;
IV.   Democracia, ética e cidadania;
V.    Ecologia/biodiversidade;
VI.   Globalização e geopolítica;
VII.  Políticas públicas: educação, habitação, saneamento, saúde, transporte,
      segurança, defesa, desenvolvimento sustentável;
VIII. Relações de trabalho;
IX. Responsabilidade social: setor público, privado, terceiro setor;
X.    Sociodiversidade: multiculturalismo, tolerância, inclusão/exclusão, relações de
XI. gênero;
XII. Tecnologias de Informação e Comunicação;
XIII. Vida urbana e rural;
XIV. Violência.
§ 2º No componente de Formação Geral, serão
            verificadas as capacidades de:
•    I - ler e interpretar textos;
•    II - analisar e criticar informações;
•    III - extrair conclusões por indução e/ou dedução;
•    IV - estabelecer relações, comparações e
     contrastes em diferentes situações;
•    V - detectar contradições;
•    VI - fazer escolhas valorativas avaliando
     conseqüências;
•    VII - questionar a realidade;
•    VIII - argumentar coerentemente.
3º No componente de Formação Geral os
    estudantes deverão mostrar competência para:


•   I - projetar ações de intervenção;
•   II - propor soluções para situações-problema;
•   III - construir perspectivas integradoras;
•   IV - elaborar sínteses;
•   V - administrar conflitos;
•   VI – atuar segundo princípios éticos.
• 4º O componente de Formação Geral do
  Enade 2011 terá 10 (dez) questões, sendo 2
  (duas) discursivas e 8 (oito) de múltipla scolha,
  que abordarão situações-problema, estudos
  de caso, simulações e interpretação de textos,
  imagens, gráficos e tabelas.
• § 5º As questões discursivas avaliarão
  aspectos como clareza, coerência, coesão,
• estratégias argumentativas, utilização de
  vocabulário adequado e correção gramatical
  do texto.
Plano de ensino
• Ementa: Leitura, análise, interpretação e produção
  de textos. Sentido denotativo, conotativo e figuras de
  linguagem. Gêneros textuais e tipologia (diferenças).
  Estratégias de leitura. Construção de sínteses
  contextualizadas (coesão/coerência). Considerações
  obtidas por indução e /ou dedução. Detecção de
  contradições e qualidade. Análise crítica e reflexiva.
  Avaliação de consequências a partir de escolhas
  valorativas. Informações implícitas, pressupostos e
  subtendidos. Argumentação na interpretação.
Objetivos
• Possibilitar ao estudante o conhecimento e
  domínio dos recursos de leitura e escrita da
  língua portuguesa, e desse modo, ampliar sua
  capacidade comunicativa e sua percepção
  para as várias possibilidades de leitura do
  mundo por meio de uma atitude crítica e
  reflexiva.
•
Conteúdos
• Língua, linguagem, discurso e       • Estratégias de leitura
  texto:
  * relacionamento texto, discurso      * processos de
  e gênero.                             compreensão
  * intertextualidade                   * Atividade inferencial:
  * dialogismo (incluir ironia)         indução e/ ou dedução
  * texto verbal, texto não –verbal     * Língua como trabalho
  Gêneros textuais
  * noção de gênero textual, tipo       social
  textual e domínio discursivo.         * Detecção de contradições
  * gêneros integrados.                 * Argumentação coerente
  * sentido denotativo e conotativo
AV1
• Seminários 2,0 pts . Artigo de Opinião 2,0 pts.
  Relatório de pesquisa com a temática
  Dignidade da pessoa humana
ARTE E CULTURA,
SOCIODIVERSIDADE:
MULTICULTURALISMO,
TOLERÂNCIA,
INCLUSÃO/EXCLUSÃO, RELAÇÕES
DE GÊNERO;
“A mente humana
     depois de
  deparar-se com
  uma nova ideia
 nunca mais volta
   a seu estado
  original” O. W.
      Homes
PICASSO E

O CUBISMO
Monet e o Impressionismo
ALFREDO VOLPI
Tarsila do Amaral e o Modernismo brasileiro
Di Cavalcanti – Os retirantes
TODO SER      AS PESSOAS ESTÃO
HUMANO       SEMPRE QUERENDO
DESEJA IR      MUDAR.... MAS
 PARA A      NUNCA SABEM POR
FRENTE....     ONDE COMEÇAR
O QUE DEVEMOS FAZER ENTÃO PARA MUDAR?
CONHECER NOSSOS FILTROS
MENTAIS QUE NOS IMPEDEM DE
VER ADIANTE

ENTENDER NOSSOS BLOQUEIOS...
COMPREENDER A DIVERSIDADE...
DESENVOLVER A TOLERÂNCIA....
FILTROS MENTAIS
MUITAS VEZES NÃO SOMOS CAPAZES DE ENXERGAR
              QUAL O MODO DE
     NOS LIVRARMOS DE UM PROBLEMA....
NOSSOS FILTROS MENTAIS NOS IMPEDEM
DE VER OUTRAS POSSIBILIDADES DE
AGIR... DE CRIAR SOLUÇÕES
O lugar que
nascemos:
nacionalidade,
região, religião,
grupo étnico
podem ser
filtros que nos
impedem de
ver a solução de
um problema
Nossa profissão e educação
também nos impedem de ver o
           novo....
Nossa função,
a empresa que
trabalhamos....
Nossa vida
  social:
  nossa
 família,
 nossos
 amigos,
  nossa
  classe
 social...
Gênero e
   orientação
    sexual...
 Também nos
  fazem ver o
mundo de modo
    diferente
Nosso comportamento depende
  de um contexto particular...
DE UM PONTO DE VISTA
DOS SEUS VALORES....
O QUE VOCÊ CONSIDERA CERTO OU ERRADO?
Quais são seus preconceitos?
Você se acha melhor ou pior do
        que os outros?
QUE FILTROS MENTAIS VOCÊ ACESSA
QUANDO VÊ AS SEGUINTES IMAGENS
Bonito ou feio?
Bonita ou
  feia?
Bonito
ou feio?
ENGRAÇADO OU TRÁGICO?
ENGRAÇADO OU TRÁGICO?
A FELICIDADE E A INFELICIDADE DEPENDE
SEMPRE DE QUEM SOBREVIVE?
O TRÁGICO E CÔMICO, DEPENDEM
SEMPRE DE QUE LADO ESTAMOS
POR ISSO...
Saia da zona de conforto
Reconheça e aceite as diferenças
Procure adaptar-se às diferenças
Desenvolva a empatia
Integre as diferenças
Abrace
diferentes
padrões de
referência
  em sua
 mente...
Analise e avalie diferentes
situações de diferentes culturas
Mantenha-se focado para evitar se
 perder em muitas possibilidades
Aproveite despertar a criatividade
     a partir das diferenças
Mantenha a sinergia
Procure preciosidades em outras
            culturas
Encontre
    a
unidade
   na
diversida
   de
“A mente humana
     depois de
  deparar-se com
  uma nova ideia
 nunca mais volta
   a seu estado
  original” O. W.
      Homes
ECOLOGIA E BIODIVERSIDADE
Quando o
homem não
 trata bem a
 natureza, a
natureza não
 trata bem o
   homem
Qual a
responsabilidade
  do homem na
 reprodução das
   espécies em
    cativeiro?
BIODIVERSIDADE & ECOLOGIA




O Brasil é o país que tem a maior biodiversidade de flora e fauna
do planeta. Essa enorme variedade de
animais,plantas, microrganismos e ecossistemas, muitos únicos em
todo o mundo, deve-se, entre outros fatores, à extensão territorial
e aos diversos climas do país.
A Biodiversidade Brasileira
• Biodiversidade é o estudo da variedade de
  espécies de organismos vivos encontrados nos
  diversos ecossistemas do planeta.
• A Biodiversidade está vinculada tanto ao número
  de diferentes categorias biológicas quanto à
  abundância relativa dessas categorias.

• O termo Biodiversidade foi originado em 1980 por
  Thomas Lovejoy e desde 1986 a nomemclatura
  tem sido usada no que se refere a diversidade da
  natureza viva.
• A biodiversidade é definida pela Convenção
  sobre a Diversidade Biológica como “a
  variabilidade entre os seres vivos de
  todas as origens, inter alia, a terrestre, a
  marinha e outros ecossistemas
  aquáticos e os complexos ecológicos dos
  quais fazem parte: isso inclui a
  diversidade no interior das espécies,
  entre as espécies e entre espécies e
  ecossistemas”.
• O Brasil detém o maior número de espécies
  conhecidas de mamíferos e de peixes
  de água doce, o segundo de anfíbios, o terceiro
  de aves e o quinto de répteis.
• Com mais de 50 mil espécies de
  árvores e arbustos, tem o primeiro lugar
  em biodiversidade vegetal.
• Nenhum outro país tem registrado tantas
  variedades de orquídeas e palmeiras catalogadas.
• Os números impressionam, mas, segundo
  estimativas aceitas pelo Ministério do Meio
  Ambiente o MMA, eles podem representar
  apenas 10% da vida no país.
• Como várias regiões ainda são muito pouco
  estudadas pelos cientistas, os números
  da biodiversidade brasileira tornam-se
  maiores na medida em que aumenta o
  conhecimento.
O caminhar do ser humano deixa a sua
   marca fatal nas areias da praia.
Um saco de plástico pode navegar várias dezenas de anos
                   sem se degradar.




  As tartarugas marinhas confundem-nas com as medusas e
     os comem, afogando-se na tentativa de engoli-los.
Milhares de golfinhos também morrem
             afogados...
Eles não têm capacidade para reconhecer os
 lixos dos humanos, até porque, "tudo o que
           flutua no mar se come".
A tampa plástica de uma garrafa, de maior consistência do que
 o saco plástico, pode permanecer inalterada, navegando nas
             águas do mar por mais de um século.
O Dr. James Ludwig, que
estava estudando a vida
 do albatroz na ilha de
 Midway, no Pacífico, a
   muitas milhas dos
 centros povoados, fez
    uma descoberta
       espantosa.
Numa pesquisa, Dr. Ludwig
                     encontrou no estômago de oito
                      filhotes de albatrozes mortos:
                     42 tampas plásticas de garrafa,
                     18 isqueiros e restos flutuantes
                        que, em sua maioria, eram
                           pequenos pedaços de
                                 plástico.



Esses filhotes haviam sido alimentados por seus pais
     que não conseguiram fazer a distinção dos
                    desperdícios
         no momento de escolher o alimento.
“Não se pode defender o que não se ama, e, não
     se pode amar o que não se conhece".
• Produtos Dove, da Unilever, prometem beleza
  mas geram cenas desagradáveis como
  enormes áreas queimadas e desmatadas para
  a produção de óleo de palma, umas das
  principais matérias-primas da empresa.
Globo terrestre é o nicho ecológico de
           todo o mundo




• Fauna, flora, água, ar, recursos minerais,
  camada de ozônio  diz respeito a todos
04/05/2008
• "O Greenpeace comemorou ontem uma vitória
  importante, quando a gigante dos alimentos e produtos de
  limpeza voltou atrás e anunciou que apenas comprará óleo de
  palma de fornecedores que comprovarem que não destruíram
  florestas." conforme publicado pelo Valor Econômico de 02 de
  maio, em reprodução de artigo originalmente publicado pelo
  Wall Street Journal, em Londres.
   – A Unilever disse que a ação do Greenpeace influenciou pouco a sua
     decisão. Conversa para boi dormir e trouxas meditarem. É evidente que
     toda empresa de capital aberto morre de medo de qualquer ação de
     contra-propaganda ou de relações públicas negativas. Afinal, elas temem
     por qualquer coisa que possa afetar o valor de suas ações e a confiança
     dos acionistas.
GLOBALISMO, MERCADOS E
GLOBALIZAÇÃO – O MUNDO DO
TRABALHO
A FOTO DA AMERICANA MARGARET BOURKE-WHITE (1904-71), APRESENTA DESEMPREGADOS NA FILA DE
ALIMENTOS DURANTE A GRANDE DEPRESSÃO, QUE SE INICIOU EM 1929.
Globalização e diversidade
             • Globalização
               expansão do
               capitalismo
             • Novos pólos de poder
               blocos geopolíticos
Iugoslávia
Tchecoslováquia
União soviética
Muro de Berlim
Blocos geopolíticos
• Forças produtivas básicas  o capital, a
  tecnologia, a força de trabalho e a divisão
  transnacional do trabalho
• Processo civilizatório que desafia, rompe,
  subordina, mutila, destrói ou recria outras
  formas sociais, de vida e de trabalho
• Novos modos de pensar, ser, agir, sentir e
  imaginar
Fábrica de produtos esportivos de
 marca mundialmente conhecida
GLOBAL X REGIONAL
• Quando há interesses globais  o regional
  prevalece - integração no âmbito da globalização
  apenas.
• Só há interesse casos de repercussão
  internacional
   –  caso Jean Charles – morto no metrô em Londres
     confundido com um terrorista

• Ex: Rede Globo e suas afiliadas, Rede
  Bandeirantes e suas afiliadas.... E mais uma série
  de meios de comunicação de massa
Mercado Global
• Bens materiais  tangíveis
• Bens simbólicos  intangíveis
• Mercado Real e virtual  diversas formas de
  capital e contratos
  – Contratos virtuais
  – Publicidade
  – Alianças estratégicas
  – Grandes fusões
  – Força de trabalho barata
TRABALHO SUSTENTABILDIADE
Quais qualidades você tem?


LIDERANÇA NO TRABALHO
paixão                                  Mente aberta


             criatividade
                        sensibilidade
 Ajuda e pede ajuda
                                 honestidade




SE VOCÊ ASSINALOU TODOS ELES, ENTÃO VOCÊ TEM PERFIL DE LÍDER
UM
LÍDER.....
...CONSTRÓI RELACIONAMENTOS
SIGNIFICATIVOS
AGRADECE SEMPRE
PRATICA CORTESIAS SIMPLES: BOM DIA!
DE DESCULPE! MUITO OBRIGADO! POR
            FAVOR! ETC
IDENTIFICA OS MEMBROS
DA EQUIPE COM
PROBLEMAS, OU OS QUE
VOCÊ AINDA NÃO
CONHECE BEM, TENHA
UMA CONVERSA
AMIGÁVEL.
ESTABELECE METAS PARA SEU TIME DE
COLABORADORES
CRIA UM PROGRAMA DE RECOMPENSAS
ENCORAJA DIÁLOGOS ABERTOS PARA A
TROCA DE IDEIAS, PARA AJUDA MÚTUA
CRIA ESTRATÉGIAS PARA O DESENVOLVIMENTO
ESCOLHE UM MOMENTO DO DIA PARA
FAZER UM BALANÇO GERAL DE COMO
         VÃO AS COISAS
CONSTRÓI UM CONTRATO
DE PARCERIA COM SEUS
COLABORADORES
IDENTIFICANDO OS LIMITES
DE CADA UM COM OS DA
EMPRESA
DELEGA TAREFAS
PROMOVE A APRENDIZAGEM:
WORKSHOPS, APOSTILAS, TEXTOS
MANTÉM A EQUIPE FOCADA E COM
      OS PÉS NO CHÃO
ESCUTA SEUS COLABORADORES E
DÁ UM FEEDBACK
UM LÍDER DESENVOLVE OS VALORES ÉTICOS E MORAIS
RELACIONA O COMPORTAMENTO
PROFISSIONAL COM OS VALORES DA EMPRESA
UM LÍDER CONSTRÓI A CONFIANÇA
IDENTIFICA O NÍVEL DE CONFIANÇA DE
CADA MEMBRO DA EQUIPE E FORTALECE
           TODOS OS ELOS
DISCUTE FORMAS DE EVITAR E ELIMINAR
     A FOFOCA, A MALEDICÊNCIA
UM LÍDER SEMPRE DESCOBRE OS
TALENTOS MAIS PRECIOSOS DE SEUS
       COLABORADORES
VIOLÊNCIA, TERRORISMO E
CIDADANIA
Homem é condenado por agredir a ex-
            mulher
• A Justiça do Distrito Federal condenou um
  homem a pagar R$ 20 mil de indenização por
  danos morais à ex-mulher. Ele já havia sido
  condenado criminalmente por agredir a
  vítima. O juiz da 2ª Vara Cível de Brasília
  afirmou que, após condenação criminal, não
  se pode mais questionar a existência do fato,
  ou seja, das agressões contra a mulher.
Lei Maria da Penha
• LEI Nº 11.340, DE 7 DE AGOSTO DE 2006.
• Cria mecanismos para coibir a violência doméstica e
  familiar contra a mulher, nos termos do § 8o do art. 226
  da Constituição Federal, da Convenção sobre a
  Eliminação de Todas as Formas de Discriminação
  contra as Mulheres e da Convenção Interamericana
  para Prevenir, Punir e Erradicar a Violência contra a
  Mulher; dispõe sobre a criação dos Juizados de
  Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher; altera
  o Código de Processo Penal, o Código Penal e a Lei de
  Execução Penal; e dá outras providências.
Violência contra o
      idoso
Violência contra a criança
Trabalho
 escravo
Falhas na Justiça do Irã resultam
           julgamentos injustos
• Irã: morte por apedrejamento, um castigo cruel e
  inaceitável.
• Numa cultura em que nove mulheres e dois homens
  aguardam execução por apedrejamento, no Irã, a Anistia
  Internacional apela às autoridades daquele país para
  abolirem a morte por apedrejamento e que decretem uma
  moratória imediata a esta prática cruel, especialmente
  pensada para aumentar o sofrimento das vítimas.
• No novo relatório publicado, a organização apela
  urgentemente à revisão do Código Penal do país e para
  assegurar, entretanto, a total adesão à moratória aos
  apedrejamentos emitida pelo responsável máximo da
  justiça em 2002.
Violência
no mundo
Violência
Doméstica
2009
Anistia Internacional ...
• ‘A AI congratula-se com as recentes
  movimentações no sentido das reformas e com os
  relatos de que o parlamento iraniano está a discutir
  alterações ao Código Penal que permitam a
  suspensão da sentença, pelo menos em alguns
  casos de apedrejamento, em casos em que seja
  considerado ‘conveniente’’, disse Malcom Smart,
  Diretor do Programa para o Médio Oriente e Norte
  de África na AI.
• O Código Penal iraniano descreve a morte por
  apedrejamento. Chega mesmo a recomendar o
  tamanho das pedras para que estas causem dor,
  mas não causem a morte imediata.
Atentados a torres gêmeas: 10 anos
             Milhares de pessoas visitaram nesta
             segunda-feira o Memorial Nacional do 11 de
             Setembro, construído no terreno onde ficava
             o World Trade Center e que foi aberto ao
             público pela primeira vez um dia depois de
             sua inauguração.
             ...o espaço, que homenageia as quase 3.000
             pessoas mortas no atentado com aviões
             sequestrados contra as torres gêmeas em 11
             de setembro de 2001 e na explosão de uma
             bomba em 1993.
             Os nomes das vítimas estão inscritos em
             painéis de bronze que margeiam dois
             espelhos d'água, com 4.000 metros
             quadrados cada um, ocupando os exatos
             locais onde estavam as torres.
Never
Forget
MOTIVAÇÃO
VOCÊ É FELIZ?




 FELIZ
A pirâmide de Maslow
Estabeleça um grande objetivo
• O caminho tem pequenos objetivos que vão
  para muitas direções
• Na medida em que você aprende a vencer os
  pequenos objetivos, estará motivado aos
  desafios do objetivo maior
Termine o que começou
• Desenvolva o hábito de automotivar-se para
  concluir seus projetos
Compartilhe
                   com os outros




• O compartilhar informações de interesses comuns é
  ajudar mutuamente e motivar
Aprenda a
 aprender


• Depender do
  conhecimento
  dos outros gera
  procrastinação
Crie
 sempre
• A imaginação
  é a melhor
  ferramenta
  nas crises
Harmonize seu
   trabalho com
   seus talentos
      naturais
• O talento natural
  cria motivação que
  gera persistência
  que por sua vez
  gera um trabalho
  concluído
Desenvolva conhecimento que
           inspira você
• Quanto mais você sabe um assunto, mais você
  quer aprendê-lo e assim se desenvolve
Arrisque-se




• Aprenda que o fracasso é uma das etapas do
  sucesso
POLÍTICAS PÚBLICAS: EDUCAÇÃO,
HABITAÇÃO, SANEAMENTO, SAÚDE E
SEGURANÇA
• As chamadas políticas públicas deveriam ser as
  ações de governo nas áreas de educação,
  habitação, saúde, segurança, meio ambiente e
  distribuição de renda atingindo diretamente a
  vida de um conjunto de cidadãos.
• O horário político eleitoral está a todo vapor.
  Comum em todos os discursos, a política pública
  social, como a saúde, educação, segurança,
  habitação e transporte, preenche completamente
  o espaço gratuitamente destinado aos candidatos
  na televisão e no rádio. Precisamos ter cuidado
  com o 'canto da sereia' para não sermos
  facilmente seduzidos. As propostas vazias de
  conteúdos, muitas vezes, nos remetem ao 'País
  das Maravilhas', um lugar onde tudo é possível.
• Os jornais nos alertam e nos deixam a par
  dessas enxurradas de contradições. Ao
  contrário do que é constantemente a nós
  exposto, a saúde, a educação, transporte,
  habitação e segurança são ações que
  necessitam de planejamento e de estudo. O
  'como eu vou fazer' e 'de que maneira eu vou
  fazer' raramente aparece no discurso eleitoral.
• A realidade posta para todos os brasileiros é
  bastante evidente. Todos os dias nos deparamos
  com notícias como greve de professores, balas
  perdidas que matam inocentes, bandidos
  invadindo um hotel de luxo, pacientes morrendo
  na porta de hospitais, entre outros problemas. Se
  o velho Marx fosse cidadão do nosso tempo, ao
  invés de debater as lutas de classes e os conceitos
  de ideologia e falsa consciência, seguramente
  pesquisaria sobre a arte de fazer política e de
  camuflar as realidades usando sempre os
  mesmos argumentos. De modo semelhante às
  crises do capital, no campo eleitoral, porém, a
  freqüência se dá de quatro em quatro anos.
Educação
Analfabetismo: índices 2005 UNESCO
Matrículas no ensino superior
HABITAÇÃO
SEGURANÇA
SAÚDE
Doação de órgãos
REDES SOCIAIS E RESPONSABILIDADE:
STOR PÚBLICO, PRIVADO E TERCEIRO
SETOR
O QUE É UMA REDE SOCIAL
• Rede Social é uma das formas de representação dos
  relacionamentos afetivos ou profissionais dos seres
  humanos entre si ou entre seus agrupamentos de
  interesses mútuos.
• Uma estrutura em rede (...) corresponde também ao que
  seu próprio nome indica: seus integrantes se ligam
  horizontalmente a todos os demais, diretamente ou através
  dos que os cercam. O conjunto resultante é como uma
  malha de múltiplos fios, que pode se espalhar
  indefinidamente para todos os lados, sem que nenhum dos
  seus nós possa ser considerado principal ou central, nem
  representante dos demais.
• Não há um “chefe”, o que há é uma vontade coletiva de
  realizar determinado objetivo. (Withaker, 1998)
SOLIDARIEDADE
• Terceiro setor é uma terminologia sociológica que
  dá significado a todas as iniciativas privadas de
  utilidade pública com origem na sociedade civil. A
  palavra é uma tradução de Third Sector, um
  vocábulo muito utilizado nos Estados Unidos para
  definir as diversas organizações sêm vínculos
  diretos com o Primeiro setor (Público, o Estado) e
  o Segundo setor (Privado, o Mercado).
• Apesar de várias definições encontradas sobre o
  Terceiro Setor, existe uma definição que é
  amplamente utilizada como referência, inclusive
  por organizações multilaterais e governos.
Pastoral da criança
• Dentro das organizações que fazem parte do Terceiro
  Setor, estão as ONGs
• (Organizações Não Governamentais), entidades
  filantrópicas, OSCIP (Organização da Sociedade Civil de
  Interesse Público, organizações sem fins lucrativos e
  outras formas de associações civis sem fins lucrativos.
  No âmbito jurídico, no Brasil, em estudo intitulado “As
  Fundações Privadas e Associações sem Fins Lucrativos
  no Brasil 2002”, realizado pelo Instituto Brasileiro de
  Geografia e Estatística - IBGE e pelo Instituto de
  Pesquisa Econômica Aplicada – IPEA, em parceria com
  a Associação Brasileira de Organizações Não-
  Governamentais - ABONG e o Grupo de Institutos,
  Fundações e Empresas – GIFE, foram identificadas mais
  de 500 mil instituições no Terceiro Setor.
REDES SOCIAIS NA WEB
ARTE E FILOSOFIA
REVOLUÇÃO DA ALMA


Aristóteles, filósofo grego,
   escreveu este texto "
Revolução da Alma“ no ano
    360 A.C. e é eterno.
Ninguém é dono da sua felicidade,
 por isso não entregue sua alegria,
   sua paz sua vida nas mãos de
ninguém, absolutamente ninguém.
 Somos livres, não pertencemos a
ninguém e não podemos querer ser
 donos dos desejos, da vontade ou
dos sonhos de quem quer que seja.
A razão da sua vida é você mesmo. A
 tua paz interior é a tua meta de vida,
  quando sentires um vazio na alma,
   quando acreditares que ainda está
   faltando algo, mesmo tendo tudo,
 remete teu pensamento para os teus
    desejos mais íntimos e busque a
divindade que existe em você. Pare de
  colocar sua felicidade cada dia mais
           distante de você.
Não coloque objetivo longe
demais de suas mãos, abrace os
 que estão ao seu alcance hoje.
   Se andas desesperado por
     problemas financeiros,
        amorosos, ou de
  relacionamentos familiares,
busca em teu interior a
  resposta para acalmar-te,
você é reflexo do que pensas
 diariamente. Pare de pensar
mal de você mesmo(a), e seja
seu melhor amigo(a) sempre.
Sorrir significa aprovar,
aceitar, felicitar. Então abra
 um sorriso para aprovar o
mundo que te quer oferecer o
           melhor.
Com um sorriso no rosto as
 pessoas terão as melhores
impressões de você, e você
estará afirmando para você
     mesmo, que está
   "pronto"para ser feliz.
Trabalhe, trabalhe muito a
         seu favor.
Pare de esperar a felicidade
       sem esforços.
Pare de exigir das pessoas
    aquilo que nem você
     conquistou ainda.
Critique menos, trabalhe
           mais.
E, não se esqueça nunca de
        agradecer.
Agradeça tudo que está em
 sua vida nesse momento,
      inclusive a dor.
Nossa compreensão do universo,
ainda é muito pequena para julgar
o que quer que seja na nossa vida.
"A grandeza não
consiste em receber
  honras, mas em
   merecê-las."
Sociodiversidade:
 multiculturalismo,
tolerância, inclusão




                       195
Paratodos
                       Chico Buarque
• O meu pai era paulista        • Vi cidades, vi dinheiro
  Meu avô, pernambucano           Bandoleiros, vi hospícios
  O meu bisavô, mineiro           Moças feito passarinho
  Meu tataravô, baiano            Avoando de edifícios
  Meu maestro soberano            Fume Ari, cheire Vinícius
  Foi Antonio Brasileiro          Beba Nelson Cavaquinho
• Foi Antonio Brasileiro        • Para um coração mesquinho
  Quem soprou esta toada          Contra a solidão agreste
  Que cobri de redondilhas        Luiz Gonzaga é tiro certo
  Pra seguir minha jornada        Pixinguinha é inconteste
  E com a vista enevoada          Tome Noel, Cartola, Orestes
  Ver o inferno e maravilhas      Caetano e João Gilberto
• Nessas tortuosas trilhas      • Viva Erasmo, Ben, Roberto
  A viola me redime               Gil e Hermeto, palmas para
  Creia, ilustre cavalheiro       Todos os instrumentistas
  Contra fel, moléstia, crime     Salve Edu, Bituca, Nara
  Use Dorival Caymmi              Gal, Bethania, Rita, Clara
  Vá de Jackson do Pandeiro       Evoé, jovens à vista
Multiculturalismo latino-americano
• Alejo Carpentier (1969): terceiro estilo
   – Contextos raciais: homens de uma mesma nacionalidade
     pertencentes às etnias diferentes, diferentes culturas;
   – Contextos econômicos: instabilidade de uma economia
     sob interesses alheios;
   – Contextos ctônicos: crenças e práticas antigas se
     incorporaram em práticas culturais e religiosas;
   – Contextos de desajustamento cronológico: retardamento
     da chegada de bens intelectuais, científicos idéias políticas
     etc;
   – Contextos culturais: absorve teorias e práticas diferentes
   – Contextos políticos: golpes militares, esquerda tardia e
     caduca
Globalização
• O fenômeno do multiculturalismo força as origens a
  se esconder porque são consideradas menores e
  vergonhosas diante do padrão imposto pela mídia,
  pelos ‘mais evoluídos’
• Bolsões culturais, estratos semióticos são
  descaradamente negados em nome da qualidade da
  Educação (cujo padrão foi forjado nas culturas
  ‘superiores’
DEMOCRACIA E IGUALDADE

• Democracia hoje vontade da maioria com
respeito às minorias




                                           199
• Direitos Humanos vão além: os
  seres humanos são portadores de
  direitos inalienáveis, independente
  da delimitação geopolítica.
MAIORIAS E MINORIAS
•Democracia: maioria escolhe seus governantes.
•Minorias: não podem ser oprimidas pela maioria,
todos têm direitos.




                                             201
• Mas... se todos são considerados
  iguais em suas necessidades,
  desrespeitamos as necessidades
  específicas dos grupos ou indivíduos.
  Ex: crianças, jovens, idosos,
  mulheres, homossexuais, índios,
  sem-teto, agricultores, aposentados,
  deficientes...
DIFERENÇA
•O direito à diferença expressa-se nas diferenças
individuais: crença, gênero, idade...  respeitar e
dar espaço para estas diferenças se manifestarem é
uma atitude democrática e desejável.
•Grau de desenvolvimento de uma democracia pode
ser medido por este respeito.




                                                  203
DESIGUALDADE


        • É social, criada nas
          relações de
          injustiças sociais.
           – Ex: ricos têm direito
             à educação e saúde
             de qualidade, pobres
             não; a sinalização
             nas ruas é pensada
             apenas para os
             “videntes”.

                               204
Tolerância
EQÜIDADE
Portanto, todos são iguais em direitos. Ex: direito
de ir e vir.
Mas... tratar a todos, sem considerar suas
necessidades específicas, gera a desigualdade.




                                                206
EQÜIDADE

Eqüidade: é a diferença dentro da
igualdade.  sem eqüidade não existe
democracia.




                                       207
DESIGUALDADE
Boaventura Souza
Santos, sociólogo
português: "temos
direito a reivindicar
a igualdade sempre
que a diferença nos
inferioriza e temos
direito de reivindicar
a diferença sempre
que a igualdade nos
descaracteriza."


                             208
• Algumas pessoas choram quando
  veem as rosas com espinhos
• Outras pessoas sorriem quando
  descobrem que os espinhos têm
  rosas...
Se você pertencesse a uma cultura
              diferente?
• Imagine que você acordou de manhã e acha-se
  pertencendo auma outra cultura, outro grupo étnico
  ou qualquer outra dimensão da diversidade no
  mundo (religião, cor de pele, sexo etc etc)
   –   Você pode pertencer a qualquer país
   –   Você pode ter uma deficiência física ou mental
   –   Você pode pertencer a qualquer religião
   –   Você pode ser homem ou mulher, jovem ou velho
Quais partes da sua vida foram afetadas?


•   Seus amigos?
•   Suas atividades sociais? Profissionais?
•   Suas comidas mudaram? Quais são agora?
•   Qual a sua religião?
•   Que tipo de roupas você usa?
•   Como é a vizinhança?
•   Em que você trabalha?
•   Você dirige o que?
•   De que música você gosta?
•   Que língua(s) você fala?
•   A que ideologia política você pertence?
What is Diversity?
RESPONDA ÀS
SEGUINTES
PERGUNTAS
QUE PARTES DA SUA VIDA
PERMANECERIAM AS MESMAS?
QUAIS PARTES DE
SUA VIDA SERIAM
DIFERENTES?
COMO VOCÊ SE SENTE SENDO UMA
PESSOA DIFERENTE?
VOCÊ ACHA QUE É CAPAZ DE ENCARAR
UMA OUTRA CULTURA OU SITUAÇÃO
NA SUA VIDA SEM JULGAR?
O QUE É
DIVERSIDADE?
DE ONDE VEM SUA PROGRAMAÇÃO
     CULTURAL? VOCÊ SABE?
ONDE VOCÊ APRENDEU SEUS VALORES,
SUAS FORMAS DE AGIR E PENSAR?
– Cada um de nós nasce numa cultura
  diferente
– Nossas crenças e valores começam na nossa
  família mas continuam a tomar forma ao
  longo de toda a nossa vida
– Na maioria das vezes: atitudes da nossa
  família, nossas crenças, nossa língua e
  outros comportamentos são aceitos sem
  questionar
FAÇA UMA LISTA DAS VÁRIAS
INFLUÊNCIAS QUE VOCÊ TÊM NA SUA
PROGRAMAÇÃO CULTURAL
Você provavelmente respondeu
 • Família
 • Status econômico
 • Etnia
 • Amigos, vizinhos
 • Igreja
 • Mídia: jornais, filmes, canais de televisão
 • Viagens
 • Escola
 • Trabalho
 • Localização geográfica
 • Algum outro?
POR QUE PRECISAMOS FICAR ATENTOS À DIVERSIDADE

• Dois pontos são importantes
  atualmente:
  –Primeiro  o mercado global (onde
   muitas empresas mergulham para se
   tronarem mais competitivas)
  –Segundo  a população de muitos
   países vêm mudando rapidamente
O MERCADO GLOBAL
• Há grandes enganos quando o assunto é
  diversidade:
  – A Chevrolet quando tentou vender pela primeira
    vez seu carro Nova nos países de língua
    espanhola fracassou
     • “No va” significa “Não vai.”
     • Desnecessário dizer que o carro não vendeu....
  – A mesma coisa aconteceu com a Pepsi na China
    quando traduziu o slogan: “Pepsi brings you back
    to life”
     • Este slogan na China significa: “Pepsi traz seus
       ancestrais de volta do túmulo”
MUDANÇAS DEMOGRÁFICAS
• Até 2050 aproximadamente 50% da
  população dos Estados Unidos será não-
  branca
• A partir desta época não haverá nenhuma
  simples maioria neste país  os Estados
  Unidos serão compostos de grupos
  minoritários múltiplos
Grandes companhias estão mudando
          seus paradigmas
• CDO  Chief diversity office (Gestor da diversidade
  nas empresas)
   – Segundo o site empregos.com.br (http://goo.gl/BAuP)
   – A diversidade no ambiente interno empresarial pode
     representar uma melhoria na qualidade de vida do
     trabalho. No ambiente externo, nas relações com o
     mercado e a sociedade, as iniciativas que priorizam a
     diversidade podem significar uma expressiva melhoria na
     imagem de marca.
   – Este novo cenário mundial da gestão empresarial é
     resultado da globalização que exige novas demandas e
     desafios. Produtividade, competitividade e compromisso
     social são requisitos básicos de sustentabilidade e sucesso
     dos negócios.
Vantagens da diversidade (segundo o
        site empregos.com)
• Incremento da competitividade - há uma crescente
  valorização da marca e de produtos e serviços de empresas
  que valorizam a diversidade e, portanto, a responsabilidade
  social.
• Atendimento mais personalizado - a ampliação dos
  negócios muitas vezes se dá pelo emprego de funcionários
  de uma língua oriental ou a formação de equipes femininas
  para atender públicos e consumidores específicos.
• Maior valorização da imagem de marca - a opinião pública
  (e aqui inclui-se o mercado consumidor) tende a prestigiar
  empresas éticas e responsáveis socialmente recomendando
  e comprando seus produtos.
• Fortalecimento do desempenho financeiro - o
  aumento da aceitação de marca contribui
  diretamente para a elevação das vendas e do
  lucro.
• Menor rotatividade de funcionários e aumento
  da satisfação no trabalho - uma empresa
  socialmente responsável estimula a permanência
  e o crescimento profissional de seus funcionários
  e favorece a melhoria do clima organizacional.
• Menor risco de ações trabalhistas - empresas
  que estabelecem ações de gestão
  quecontemplam a prevenção da discriminação e
  do assédio sexual estão menos expostas a ações
  judiciais.
• Maior resistência às mudanças do mercado -
  empresas que contemplam a diversidade estão
  mais fortalecidas frente às mudanças próprias da
  globalização, tais como fusões e incorporações,
  onde culturas tão diferentes estão sendo
  obrigadas a conviver visando um único objetivo.
• Aumento na capacidade de reconhecer
  talentos - a diversidade confere à empresa uma
  maior capacidade em valorizar e reconhecer os
  talentos e empregar as idéias de seus
  funcionários.
O MUNDO É UM MOSAICO
DIMENSÕES DA DIVERSIDADE
•   Gênero               • Capacidade física e
•   Crenças religiosas     mental
•   Etnia                • Orientação sexual
•   Estado civil         • Ocupação
•   Idade                • Língua
•   Educação             • Lugar de
•   Estado parental        nascimento
Nas organizações
• Gênero                  • Educação
• Idade                   • Títulos e cargos
• Etnia                   • Funções no trabalho
• Cultura                 • Habilidades no trabalho
• Religião
                          • Trabalho em equipe e
• Língua/ sotaque           sozinho
• Deficências físicas e
  mentais                 • Meio período/ período
                            integral
• Peso e altura
• Orientação sexual       • Estado civil
                          • Filiação/Ideologia política
Diversidade: o passo a passo
1. conhecimento  Onde encontrar informações
   sobre culturas diferentes?
   livros, jornais, televisão, cinema etc etc
2. Estereótipos  Como generalizar indivíduos ou
   grupos?
   encontrando formas de re-organizar nossas perspectivas a respeitos de
   ser ‘diferente’

3. Comportamento  Qual a sua habilidade de interasgir com
   diferentes pessoas? Você é tímido? Você está aberto a nopvas
   experiências?

4. Self-Awareness             Você está apto a compreender os valores,
   motivos e às características pessoais dos outros? Você se considera
   sensível e compreensível às diferenças dos outros?
Exemplos
– Quando a American Airlines quis anunciar sua
  primeira classe com bancos de couro no mercado
  mexicano usou a expressão: “Fly In Leather”
  traduzindo para  “Vuela en cueros”, que significa
  em espanhol: voe pelado
– Quando a Gerber iniciou suas vendas de comida de
  bebê para a África , usou a mesma embalagem que
  eles utilizavam nos EUA  com um bebê sorrindo no
  rótulo.
   • Tempos depois eles descobriram que as companias africanas
     colocavam nos rótulos o que havia dentro da embalagem
     porque muitas pessoas não sabiam ler….
• Quando as esferográficas Parker Pen
  chegaram ao México, seus anúncios deveriam
  dizer "It won't leak in your pocket and
  embarrass you" (Não vazam no seu bolso
  envergonhando você).
  – A companhia pensou que a palavra "embarazar"
    significava o mesmo que "embarrass"
    (envergonhar), mas no final os anúncios diziam:
    "Não vazam no seu bolso fazendo você
    engravidar".
Quais são os benefícios da
              diversidade?
• Enriquece qualquer experiência: no trabalho, na
  escola, nos grupos sociais
• Faz as pessoas progredirem em relação aos
  preconceitos e ideias pré-concebidas
• Aumenta o pder das comunidades, do lugar de
  trabalho
• Ajuda a competitividade.
AVANÇOS TECNOLÓGICOS
CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO
TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E
COMUNICAÇÃO
• Media (mídia) é um vocábulo latino que
  em português é utilizado para significar meios
  de comunicação.
• Anos 60, Marshall McLuhan: ''o meio é a
  mensagem”
  – A televisão
  – O jornal
  – O rádio
     • Enfim.....cada um dos meios acaba criando sua própria
       linguagem e captando seus leitores, espectadores,
       ‘consumidores’
• Midiosfera  conjunto cumulativo
  dos meios de comunicação
• Midiosfera  conjunto cumulativo
  dos meios de comunicação
"Demora dias para se aprender Marketing.
Infelizmente, leva-se uma vida inteira para ser um
mestre."
[ Philip Kotler ]
"Barulho não prova
nada.
Uma galinha bota um
ovo
e cacareja como se
estivesse
botado um asteróide."
--Mark Twain
"A propaganda é um fator
 econômico valioso
porque ela é o meio
mais barato de se
vender bens,
especialmente se os
bens não valem nada."
--Sinclair Lewis (1885 - 1951)
"A filosofia por trás de
muita propaganda é baseada
na velha observação de que
todo homem é na realidade
dois homens —
o homem que ele é
e o homem que ele quer ser."
--William Feather
PAPEL DA MÍDIA ??? PAPEL???☺

• REPRESENTAÇÃO DA REALIDADE
CARACTERÍSTICAS
• Capacidade de confrontar o mundo em seu
  imediatismo
• Em sua complexidade
• Em seus perigos, reais e imaginados.
  – Mobilização da sociologia e da Antropologia
  – Teorias que enfocam processos sociais de exercício do
    poder
  – Da formação de comunidades
  – Da determinação de identidades. ( Silverstone, apud Ubiratan Muarrek)
• Mídia tecnologias e processos de mediação, ou
  seja, instrumentos que permitem maneiras de
  encontrar, assegurar e comunicar significados".
                                              (idem, ib)
Mídia  todos
os meios de
comunicação,
ou seja, os
veículos que
são utilizados
para a
divulgação de
conteúdos
simbólicos.
A MÍDIA ESCLARECE OU OBSCURECE A NOSSA
         PERCEPÇÃO DA REALIDADE?
• O QUE NOS VEM À
  MENTE QUANDO
  LEMOS ESSA
  PERGUNTA E
  VEMOS A FOTO?
PROPAGANDA
   AMERICANA
   CHAMANDO
 SOLDADOS PARA
  COMBATER NA
SEGUNDA GUERRA
    MUNDIAL
A QUE CONCLUSÕES PODEMOS
         CHEGAR?
   O QUE OS EDITORES DAS PRIMEIRAS
   PÁGINAS QUISERAM SALIENTAR COM
          ESSAS MANCHETES?
A diversidade
 étnico-cultural
    mundial
começou com as
  navegações
Continuou
   com o
 desenvolvi
 mento dos
  meios de
transportes
Acentuou-se com
 os movimentos
 migratórios em
consequência da
guerras mundiais
Sempre
impulsionada
pela economia
E pelos Meios
      de
Comunicação
  de Massa
O que era
  exótico
passou a ser
obrigatório
O que era uma revolução....
E uma provocação....
Virou realidade....
Conscientização....
Respeito à diversidade virou papel da
    mídia!!!! ???? Verdade????
A FAMÍLIA
   FELIZ

 PADRÃO
GLOBAL DE
FELICIDADE
Alvo certo???????
Propaganda de guerra
Propaganda
dos correios
na Austrália
As
 redes
sociais
Problemas
•  O uso crescente de novas mídias levou algumas pessoas a ter
  problemas. Na Holanda, assaltantes foram presos com a ajuda
  de uma câmera que postou imagens deles no Google.
• Um assaltante britânico enviou sua foto a um jornal porque
  não gostou de sua imagem de procurado divulgada pela
  polícia.
  Nos EUA, dois pilotos da Northwest voaram 250 quilômetros
  além de seu destino.
• Eles disseram que se distraíram porque estavam usando
  laptops pessoais na cabine do avião.
•   Biodiversidade e Ecologia;
•   Sociodiversidade: multiculturalismo, tolerância, inclusão/exclusão, relações de gênero;
•   Globalização e geopolítica;
•   Violência.
•   Políticas públicas: educação, habitação, saneamento, saúde, transporte, segurança, defesa,
    desenvolvimento sustentável;
•   Avanços tecnológicos;
•   Redes sociais e responsabilidade: setor público, privado e terceiro setor;
•   Arte e cultura;
•   Relações de trabalho;
•   Vida urbana e rural.
•   Ciência, tecnologia e inovação;
•   Democracia, ética e cidadania;
•   Tecnologias de Informação e Comunicação;

Mais conteúdo relacionado

Destaque

Formação geral - ENADE 2013
Formação geral - ENADE 2013Formação geral - ENADE 2013
Formação geral - ENADE 2013
Luci Bonini
 
Trabalho de geografia
Trabalho de geografiaTrabalho de geografia
Trabalho de geografia
Cesarina Sousa
 
aula de geografia petróleo o ouro negro
aula de geografia petróleo o ouro negroaula de geografia petróleo o ouro negro
aula de geografia petróleo o ouro negro
Escola Estadual Zé de Calu
 
Aula 02 a política nacional de resíduos sólidos e a reciclagem de materiais
Aula 02   a política nacional de resíduos sólidos e a reciclagem de materiaisAula 02   a política nacional de resíduos sólidos e a reciclagem de materiais
Aula 02 a política nacional de resíduos sólidos e a reciclagem de materiais
Julyanne Rodrigues
 
Seminário integrado boas vindas!!
Seminário integrado boas vindas!!Seminário integrado boas vindas!!
Seminário integrado boas vindas!!
Paula Assumpção
 
Biodiversidade
BiodiversidadeBiodiversidade
Biodiversidade
Mayjö .
 
Trabalho de economia - Setor Público
Trabalho de economia - Setor PúblicoTrabalho de economia - Setor Público
Trabalho de economia - Setor Público
Ismael Paulo Santos
 
Petróleo - Uso e Derivados
Petróleo - Uso e DerivadosPetróleo - Uso e Derivados
Petróleo - Uso e Derivados
Kelly Ruas
 
Sociodiversidade, inclusão, exclusao e minorias
Sociodiversidade, inclusão, exclusao e minoriasSociodiversidade, inclusão, exclusao e minorias
Sociodiversidade, inclusão, exclusao e minorias
Fabio Santos
 
Políticas.Publicas.Saúde.1945/1965
Políticas.Publicas.Saúde.1945/1965Políticas.Publicas.Saúde.1945/1965
Políticas.Publicas.Saúde.1945/1965
otineto
 
Slides para apresentação de seminário integrado
Slides para apresentação de seminário integradoSlides para apresentação de seminário integrado
Slides para apresentação de seminário integrado
Cristina Silva
 
Geopolítica do petróleo
Geopolítica do petróleoGeopolítica do petróleo
Geopolítica do petróleo
Iara Oliveira
 
Aula petroleo-2010
Aula petroleo-2010Aula petroleo-2010
Mauro Kreus - Ciclo Palestras CFA - Enade
Mauro Kreus -  Ciclo Palestras CFA - EnadeMauro Kreus -  Ciclo Palestras CFA - Enade
Mauro Kreus - Ciclo Palestras CFA - Enade
Cra-es Conselho
 
Globalização
GlobalizaçãoGlobalização
Globalização
Abner de Paula
 
Trabalho de quimica - EXTRAÇÃO E REFINO DE PRETOLEO
Trabalho de quimica - EXTRAÇÃO E REFINO DE PRETOLEOTrabalho de quimica - EXTRAÇÃO E REFINO DE PRETOLEO
Trabalho de quimica - EXTRAÇÃO E REFINO DE PRETOLEO
Tom Souza
 
Palestra Dr. irineu Barreto Jr
Palestra Dr. irineu Barreto JrPalestra Dr. irineu Barreto Jr
Palestra Dr. irineu Barreto Jr
UVVES
 
Simulado 01 enade_famerc
Simulado 01 enade_famercSimulado 01 enade_famerc
Simulado 01 enade_famerc
wesleypm
 
SemináRio Gt De ResíDuos SóLidos CâMara Dos Deputados
SemináRio Gt De ResíDuos SóLidos CâMara Dos DeputadosSemináRio Gt De ResíDuos SóLidos CâMara Dos Deputados
SemináRio Gt De ResíDuos SóLidos CâMara Dos Deputados
Drica Guzzi
 
Enem 2010, Simulado Guia Do Estudante
Enem 2010, Simulado Guia Do EstudanteEnem 2010, Simulado Guia Do Estudante
Enem 2010, Simulado Guia Do Estudante
ma.no.el.ne.ves
 

Destaque (20)

Formação geral - ENADE 2013
Formação geral - ENADE 2013Formação geral - ENADE 2013
Formação geral - ENADE 2013
 
Trabalho de geografia
Trabalho de geografiaTrabalho de geografia
Trabalho de geografia
 
aula de geografia petróleo o ouro negro
aula de geografia petróleo o ouro negroaula de geografia petróleo o ouro negro
aula de geografia petróleo o ouro negro
 
Aula 02 a política nacional de resíduos sólidos e a reciclagem de materiais
Aula 02   a política nacional de resíduos sólidos e a reciclagem de materiaisAula 02   a política nacional de resíduos sólidos e a reciclagem de materiais
Aula 02 a política nacional de resíduos sólidos e a reciclagem de materiais
 
Seminário integrado boas vindas!!
Seminário integrado boas vindas!!Seminário integrado boas vindas!!
Seminário integrado boas vindas!!
 
Biodiversidade
BiodiversidadeBiodiversidade
Biodiversidade
 
Trabalho de economia - Setor Público
Trabalho de economia - Setor PúblicoTrabalho de economia - Setor Público
Trabalho de economia - Setor Público
 
Petróleo - Uso e Derivados
Petróleo - Uso e DerivadosPetróleo - Uso e Derivados
Petróleo - Uso e Derivados
 
Sociodiversidade, inclusão, exclusao e minorias
Sociodiversidade, inclusão, exclusao e minoriasSociodiversidade, inclusão, exclusao e minorias
Sociodiversidade, inclusão, exclusao e minorias
 
Políticas.Publicas.Saúde.1945/1965
Políticas.Publicas.Saúde.1945/1965Políticas.Publicas.Saúde.1945/1965
Políticas.Publicas.Saúde.1945/1965
 
Slides para apresentação de seminário integrado
Slides para apresentação de seminário integradoSlides para apresentação de seminário integrado
Slides para apresentação de seminário integrado
 
Geopolítica do petróleo
Geopolítica do petróleoGeopolítica do petróleo
Geopolítica do petróleo
 
Aula petroleo-2010
Aula petroleo-2010Aula petroleo-2010
Aula petroleo-2010
 
Mauro Kreus - Ciclo Palestras CFA - Enade
Mauro Kreus -  Ciclo Palestras CFA - EnadeMauro Kreus -  Ciclo Palestras CFA - Enade
Mauro Kreus - Ciclo Palestras CFA - Enade
 
Globalização
GlobalizaçãoGlobalização
Globalização
 
Trabalho de quimica - EXTRAÇÃO E REFINO DE PRETOLEO
Trabalho de quimica - EXTRAÇÃO E REFINO DE PRETOLEOTrabalho de quimica - EXTRAÇÃO E REFINO DE PRETOLEO
Trabalho de quimica - EXTRAÇÃO E REFINO DE PRETOLEO
 
Palestra Dr. irineu Barreto Jr
Palestra Dr. irineu Barreto JrPalestra Dr. irineu Barreto Jr
Palestra Dr. irineu Barreto Jr
 
Simulado 01 enade_famerc
Simulado 01 enade_famercSimulado 01 enade_famerc
Simulado 01 enade_famerc
 
SemináRio Gt De ResíDuos SóLidos CâMara Dos Deputados
SemináRio Gt De ResíDuos SóLidos CâMara Dos DeputadosSemináRio Gt De ResíDuos SóLidos CâMara Dos Deputados
SemináRio Gt De ResíDuos SóLidos CâMara Dos Deputados
 
Enem 2010, Simulado Guia Do Estudante
Enem 2010, Simulado Guia Do EstudanteEnem 2010, Simulado Guia Do Estudante
Enem 2010, Simulado Guia Do Estudante
 

Semelhante a FORMAÇÃO GERAL

Temas para a AV2
Temas para a AV2Temas para a AV2
Temas para a AV2
Luci Bonini
 
3º ano
3º ano 3º ano
CULTURA.ppt
CULTURA.pptCULTURA.ppt
CULTURA.ppt
JosWilliam14
 
Anual cn5
Anual cn5Anual cn5
Anual cn5
Pedro Tonyzinho
 
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural (1).pdf
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural (1).pdfO Ser Humano e sua Dimensão Cultural (1).pdf
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural (1).pdf
Luziane Santos
 
Plano de Ensino de Ciências
Plano de Ensino de Ciências Plano de Ensino de Ciências
Plano de Ensino de Ciências
LOCIMAR MASSALAI
 
Ficha de trabalho
Ficha de trabalho Ficha de trabalho
Ficha de trabalho
j_sdias
 
Cultura e sociedade
Cultura e sociedadeCultura e sociedade
Cultura e sociedade
Flávio Paz II
 
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.ppt
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.pptO Ser Humano e sua Dimensão Cultural.ppt
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.ppt
MARCELACARNEIROGOMES
 
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.ppt
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.pptO Ser Humano e sua Dimensão Cultural.ppt
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.ppt
Fábio Caires Correia
 
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.ppt
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.pptO Ser Humano e sua Dimensão Cultural.ppt
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.ppt
Israel615975
 
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.pptx
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.pptxO Ser Humano e sua Dimensão Cultural.pptx
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.pptx
BrincandocomAlicia
 
Cultura
CulturaCultura
Cultura
Silvia Revez
 
cultura e alteridadade (itinerário).pptx
cultura e alteridadade (itinerário).pptxcultura e alteridadade (itinerário).pptx
cultura e alteridadade (itinerário).pptx
Antonio Gilberto De Aquino e Silva
 
Aula dia 29 01
Aula dia 29 01Aula dia 29 01
Aula dia 29 01
Colégio Tiradentes III
 
1 slide modulo 3
1 slide  modulo 31 slide  modulo 3
1 slide modulo 3
Maria Ludes Maria
 
Proposta curricular tais, paula e charlene
Proposta curricular tais, paula e charleneProposta curricular tais, paula e charlene
Proposta curricular tais, paula e charlene
familiaestagio
 
Proposta curricular tais, paula e charlene
Proposta curricular tais, paula e charleneProposta curricular tais, paula e charlene
Proposta curricular tais, paula e charlene
familiaestagio
 
Exercícios de Etnocentrismo - Antropologia
Exercícios de Etnocentrismo - AntropologiaExercícios de Etnocentrismo - Antropologia
Exercícios de Etnocentrismo - Antropologia
Psicologia_2015
 
Aulão enem
Aulão enemAulão enem

Semelhante a FORMAÇÃO GERAL (20)

Temas para a AV2
Temas para a AV2Temas para a AV2
Temas para a AV2
 
3º ano
3º ano 3º ano
3º ano
 
CULTURA.ppt
CULTURA.pptCULTURA.ppt
CULTURA.ppt
 
Anual cn5
Anual cn5Anual cn5
Anual cn5
 
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural (1).pdf
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural (1).pdfO Ser Humano e sua Dimensão Cultural (1).pdf
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural (1).pdf
 
Plano de Ensino de Ciências
Plano de Ensino de Ciências Plano de Ensino de Ciências
Plano de Ensino de Ciências
 
Ficha de trabalho
Ficha de trabalho Ficha de trabalho
Ficha de trabalho
 
Cultura e sociedade
Cultura e sociedadeCultura e sociedade
Cultura e sociedade
 
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.ppt
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.pptO Ser Humano e sua Dimensão Cultural.ppt
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.ppt
 
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.ppt
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.pptO Ser Humano e sua Dimensão Cultural.ppt
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.ppt
 
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.ppt
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.pptO Ser Humano e sua Dimensão Cultural.ppt
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.ppt
 
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.pptx
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.pptxO Ser Humano e sua Dimensão Cultural.pptx
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.pptx
 
Cultura
CulturaCultura
Cultura
 
cultura e alteridadade (itinerário).pptx
cultura e alteridadade (itinerário).pptxcultura e alteridadade (itinerário).pptx
cultura e alteridadade (itinerário).pptx
 
Aula dia 29 01
Aula dia 29 01Aula dia 29 01
Aula dia 29 01
 
1 slide modulo 3
1 slide  modulo 31 slide  modulo 3
1 slide modulo 3
 
Proposta curricular tais, paula e charlene
Proposta curricular tais, paula e charleneProposta curricular tais, paula e charlene
Proposta curricular tais, paula e charlene
 
Proposta curricular tais, paula e charlene
Proposta curricular tais, paula e charleneProposta curricular tais, paula e charlene
Proposta curricular tais, paula e charlene
 
Exercícios de Etnocentrismo - Antropologia
Exercícios de Etnocentrismo - AntropologiaExercícios de Etnocentrismo - Antropologia
Exercícios de Etnocentrismo - Antropologia
 
Aulão enem
Aulão enemAulão enem
Aulão enem
 

Mais de Luci Bonini

Comunicação e expressão
Comunicação e expressãoComunicação e expressão
Comunicação e expressão
Luci Bonini
 
Uma longa caminhada para a liberdade - Mandela
Uma longa caminhada para a liberdade - MandelaUma longa caminhada para a liberdade - Mandela
Uma longa caminhada para a liberdade - Mandela
Luci Bonini
 
DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA À LUZ DO ESTADO DE PROTEÇÃO SOCIAL
DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA À LUZ DO ESTADO DE PROTEÇÃO SOCIALDIGNIDADE DA PESSOA HUMANA À LUZ DO ESTADO DE PROTEÇÃO SOCIAL
DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA À LUZ DO ESTADO DE PROTEÇÃO SOCIAL
Luci Bonini
 
Apontamentos de Filosofia
Apontamentos de FilosofiaApontamentos de Filosofia
Apontamentos de Filosofia
Luci Bonini
 
Filosofia do Direito 2014
Filosofia do Direito 2014Filosofia do Direito 2014
Filosofia do Direito 2014
Luci Bonini
 
O pacto federativo e a educação de qualidade
O pacto federativo e a educação de qualidadeO pacto federativo e a educação de qualidade
O pacto federativo e a educação de qualidade
Luci Bonini
 
Diversidade cultural e criatividade na cultura popular brasileira
Diversidade cultural e criatividade na cultura popular brasileiraDiversidade cultural e criatividade na cultura popular brasileira
Diversidade cultural e criatividade na cultura popular brasileira
Luci Bonini
 
Eu odeio política
Eu odeio políticaEu odeio política
Eu odeio política
Luci Bonini
 
Federalismo e regionalização
Federalismo e regionalizaçãoFederalismo e regionalização
Federalismo e regionalização
Luci Bonini
 
Federalismo fiscal brasileiro
Federalismo fiscal brasileiroFederalismo fiscal brasileiro
Federalismo fiscal brasileiro
Luci Bonini
 
Políticas públicas e dignidade humana
Políticas públicas e dignidade humanaPolíticas públicas e dignidade humana
Políticas públicas e dignidade humana
Luci Bonini
 
Dignidade humana no Alto Tietê
Dignidade humana  no Alto TietêDignidade humana  no Alto Tietê
Dignidade humana no Alto Tietê
Luci Bonini
 
Políticas públicas e formação humana
Políticas públicas e formação humanaPolíticas públicas e formação humana
Políticas públicas e formação humana
Luci Bonini
 
A apologia de sócrates
A apologia de sócratesA apologia de sócrates
A apologia de sócrates
Luci Bonini
 
Período pós socrático a Idade Média
Período pós socrático a Idade Média Período pós socrático a Idade Média
Período pós socrático a Idade Média
Luci Bonini
 
Filosofia Grécia
Filosofia GréciaFilosofia Grécia
Filosofia Grécia
Luci Bonini
 
filosofia
filosofiafilosofia
filosofia
Luci Bonini
 
Cidadania e dignidade humana no Alto Tietê
Cidadania e dignidade humana no Alto TietêCidadania e dignidade humana no Alto Tietê
Cidadania e dignidade humana no Alto Tietê
Luci Bonini
 
Latim e o direito
Latim e o direito Latim e o direito
Latim e o direito
Luci Bonini
 
Apostila de Filosofia
Apostila de FilosofiaApostila de Filosofia
Apostila de Filosofia
Luci Bonini
 

Mais de Luci Bonini (20)

Comunicação e expressão
Comunicação e expressãoComunicação e expressão
Comunicação e expressão
 
Uma longa caminhada para a liberdade - Mandela
Uma longa caminhada para a liberdade - MandelaUma longa caminhada para a liberdade - Mandela
Uma longa caminhada para a liberdade - Mandela
 
DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA À LUZ DO ESTADO DE PROTEÇÃO SOCIAL
DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA À LUZ DO ESTADO DE PROTEÇÃO SOCIALDIGNIDADE DA PESSOA HUMANA À LUZ DO ESTADO DE PROTEÇÃO SOCIAL
DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA À LUZ DO ESTADO DE PROTEÇÃO SOCIAL
 
Apontamentos de Filosofia
Apontamentos de FilosofiaApontamentos de Filosofia
Apontamentos de Filosofia
 
Filosofia do Direito 2014
Filosofia do Direito 2014Filosofia do Direito 2014
Filosofia do Direito 2014
 
O pacto federativo e a educação de qualidade
O pacto federativo e a educação de qualidadeO pacto federativo e a educação de qualidade
O pacto federativo e a educação de qualidade
 
Diversidade cultural e criatividade na cultura popular brasileira
Diversidade cultural e criatividade na cultura popular brasileiraDiversidade cultural e criatividade na cultura popular brasileira
Diversidade cultural e criatividade na cultura popular brasileira
 
Eu odeio política
Eu odeio políticaEu odeio política
Eu odeio política
 
Federalismo e regionalização
Federalismo e regionalizaçãoFederalismo e regionalização
Federalismo e regionalização
 
Federalismo fiscal brasileiro
Federalismo fiscal brasileiroFederalismo fiscal brasileiro
Federalismo fiscal brasileiro
 
Políticas públicas e dignidade humana
Políticas públicas e dignidade humanaPolíticas públicas e dignidade humana
Políticas públicas e dignidade humana
 
Dignidade humana no Alto Tietê
Dignidade humana  no Alto TietêDignidade humana  no Alto Tietê
Dignidade humana no Alto Tietê
 
Políticas públicas e formação humana
Políticas públicas e formação humanaPolíticas públicas e formação humana
Políticas públicas e formação humana
 
A apologia de sócrates
A apologia de sócratesA apologia de sócrates
A apologia de sócrates
 
Período pós socrático a Idade Média
Período pós socrático a Idade Média Período pós socrático a Idade Média
Período pós socrático a Idade Média
 
Filosofia Grécia
Filosofia GréciaFilosofia Grécia
Filosofia Grécia
 
filosofia
filosofiafilosofia
filosofia
 
Cidadania e dignidade humana no Alto Tietê
Cidadania e dignidade humana no Alto TietêCidadania e dignidade humana no Alto Tietê
Cidadania e dignidade humana no Alto Tietê
 
Latim e o direito
Latim e o direito Latim e o direito
Latim e o direito
 
Apostila de Filosofia
Apostila de FilosofiaApostila de Filosofia
Apostila de Filosofia
 

Último

Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
edivirgesribeiro1
 
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinhaatividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
Suzy De Abreu Santana
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 

Último (20)

Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
 
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinhaatividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 

FORMAÇÃO GERAL

  • 1. Formação Geral Profa. Dra. Luci Bonini
  • 2. FORMAÇÃO GERAL (PORT. INEP Nº 188 DE 12/07/2011)
  • 3. • Será considerada a formação de um profissional ético, competente e comprometido com a sociedade em que vive. • Além do domínio de conhecimentos e de níveis diversificados de competências e habilidades para perfis profissionais específicos, espera-se que os graduandos das IES evidenciem a compreensão de temas que transcendam ao seu ambiente próprio de formação e importantes para a realidade contemporânea. – Essa compreensão vincula-se a perspectivas críticas, integradoras e à construção de sínteses contextualizadas.
  • 4.
  • 5. Temas I. Arte e cultura; II. Avanços tecnológicos; III. Ciência, tecnologia e inovação; IV. Democracia, ética e cidadania; V. Ecologia/biodiversidade; VI. Globalização e geopolítica; VII. Políticas públicas: educação, habitação, saneamento, saúde, transporte, segurança, defesa, desenvolvimento sustentável; VIII. Relações de trabalho; IX. Responsabilidade social: setor público, privado, terceiro setor; X. Sociodiversidade: multiculturalismo, tolerância, inclusão/exclusão, relações de XI. gênero; XII. Tecnologias de Informação e Comunicação; XIII. Vida urbana e rural; XIV. Violência.
  • 6.
  • 7. § 2º No componente de Formação Geral, serão verificadas as capacidades de: • I - ler e interpretar textos; • II - analisar e criticar informações; • III - extrair conclusões por indução e/ou dedução; • IV - estabelecer relações, comparações e contrastes em diferentes situações; • V - detectar contradições; • VI - fazer escolhas valorativas avaliando conseqüências; • VII - questionar a realidade; • VIII - argumentar coerentemente.
  • 8.
  • 9. 3º No componente de Formação Geral os estudantes deverão mostrar competência para: • I - projetar ações de intervenção; • II - propor soluções para situações-problema; • III - construir perspectivas integradoras; • IV - elaborar sínteses; • V - administrar conflitos; • VI – atuar segundo princípios éticos.
  • 10. • 4º O componente de Formação Geral do Enade 2011 terá 10 (dez) questões, sendo 2 (duas) discursivas e 8 (oito) de múltipla scolha, que abordarão situações-problema, estudos de caso, simulações e interpretação de textos, imagens, gráficos e tabelas.
  • 11. • § 5º As questões discursivas avaliarão aspectos como clareza, coerência, coesão, • estratégias argumentativas, utilização de vocabulário adequado e correção gramatical do texto.
  • 12.
  • 13.
  • 14.
  • 15.
  • 16. Plano de ensino • Ementa: Leitura, análise, interpretação e produção de textos. Sentido denotativo, conotativo e figuras de linguagem. Gêneros textuais e tipologia (diferenças). Estratégias de leitura. Construção de sínteses contextualizadas (coesão/coerência). Considerações obtidas por indução e /ou dedução. Detecção de contradições e qualidade. Análise crítica e reflexiva. Avaliação de consequências a partir de escolhas valorativas. Informações implícitas, pressupostos e subtendidos. Argumentação na interpretação.
  • 17. Objetivos • Possibilitar ao estudante o conhecimento e domínio dos recursos de leitura e escrita da língua portuguesa, e desse modo, ampliar sua capacidade comunicativa e sua percepção para as várias possibilidades de leitura do mundo por meio de uma atitude crítica e reflexiva. •
  • 18. Conteúdos • Língua, linguagem, discurso e • Estratégias de leitura texto: * relacionamento texto, discurso * processos de e gênero. compreensão * intertextualidade * Atividade inferencial: * dialogismo (incluir ironia) indução e/ ou dedução * texto verbal, texto não –verbal * Língua como trabalho Gêneros textuais * noção de gênero textual, tipo social textual e domínio discursivo. * Detecção de contradições * gêneros integrados. * Argumentação coerente * sentido denotativo e conotativo
  • 19. AV1 • Seminários 2,0 pts . Artigo de Opinião 2,0 pts. Relatório de pesquisa com a temática Dignidade da pessoa humana
  • 21. “A mente humana depois de deparar-se com uma nova ideia nunca mais volta a seu estado original” O. W. Homes
  • 23. Monet e o Impressionismo
  • 25. Tarsila do Amaral e o Modernismo brasileiro
  • 26. Di Cavalcanti – Os retirantes
  • 27. TODO SER AS PESSOAS ESTÃO HUMANO SEMPRE QUERENDO DESEJA IR MUDAR.... MAS PARA A NUNCA SABEM POR FRENTE.... ONDE COMEÇAR
  • 28.
  • 29. O QUE DEVEMOS FAZER ENTÃO PARA MUDAR?
  • 30. CONHECER NOSSOS FILTROS MENTAIS QUE NOS IMPEDEM DE VER ADIANTE ENTENDER NOSSOS BLOQUEIOS... COMPREENDER A DIVERSIDADE... DESENVOLVER A TOLERÂNCIA....
  • 32. MUITAS VEZES NÃO SOMOS CAPAZES DE ENXERGAR QUAL O MODO DE NOS LIVRARMOS DE UM PROBLEMA....
  • 33. NOSSOS FILTROS MENTAIS NOS IMPEDEM DE VER OUTRAS POSSIBILIDADES DE AGIR... DE CRIAR SOLUÇÕES
  • 34. O lugar que nascemos: nacionalidade, região, religião, grupo étnico podem ser filtros que nos impedem de ver a solução de um problema
  • 35. Nossa profissão e educação também nos impedem de ver o novo....
  • 36. Nossa função, a empresa que trabalhamos....
  • 37. Nossa vida social: nossa família, nossos amigos, nossa classe social...
  • 38. Gênero e orientação sexual... Também nos fazem ver o mundo de modo diferente
  • 39. Nosso comportamento depende de um contexto particular...
  • 40. DE UM PONTO DE VISTA
  • 42. O QUE VOCÊ CONSIDERA CERTO OU ERRADO?
  • 43.
  • 44.
  • 45.
  • 46. Quais são seus preconceitos?
  • 47. Você se acha melhor ou pior do que os outros?
  • 48. QUE FILTROS MENTAIS VOCÊ ACESSA QUANDO VÊ AS SEGUINTES IMAGENS
  • 50. Bonita ou feia?
  • 54.
  • 55.
  • 56. A FELICIDADE E A INFELICIDADE DEPENDE SEMPRE DE QUEM SOBREVIVE?
  • 57. O TRÁGICO E CÔMICO, DEPENDEM SEMPRE DE QUE LADO ESTAMOS
  • 59. Saia da zona de conforto
  • 60. Reconheça e aceite as diferenças
  • 61. Procure adaptar-se às diferenças
  • 65. Analise e avalie diferentes situações de diferentes culturas
  • 66. Mantenha-se focado para evitar se perder em muitas possibilidades
  • 67. Aproveite despertar a criatividade a partir das diferenças
  • 69. Procure preciosidades em outras culturas
  • 70. Encontre a unidade na diversida de
  • 71. “A mente humana depois de deparar-se com uma nova ideia nunca mais volta a seu estado original” O. W. Homes
  • 72.
  • 74. Quando o homem não trata bem a natureza, a natureza não trata bem o homem
  • 75. Qual a responsabilidade do homem na reprodução das espécies em cativeiro?
  • 76.
  • 77. BIODIVERSIDADE & ECOLOGIA O Brasil é o país que tem a maior biodiversidade de flora e fauna do planeta. Essa enorme variedade de animais,plantas, microrganismos e ecossistemas, muitos únicos em todo o mundo, deve-se, entre outros fatores, à extensão territorial e aos diversos climas do país.
  • 78. A Biodiversidade Brasileira • Biodiversidade é o estudo da variedade de espécies de organismos vivos encontrados nos diversos ecossistemas do planeta. • A Biodiversidade está vinculada tanto ao número de diferentes categorias biológicas quanto à abundância relativa dessas categorias. • O termo Biodiversidade foi originado em 1980 por Thomas Lovejoy e desde 1986 a nomemclatura tem sido usada no que se refere a diversidade da natureza viva.
  • 79. • A biodiversidade é definida pela Convenção sobre a Diversidade Biológica como “a variabilidade entre os seres vivos de todas as origens, inter alia, a terrestre, a marinha e outros ecossistemas aquáticos e os complexos ecológicos dos quais fazem parte: isso inclui a diversidade no interior das espécies, entre as espécies e entre espécies e ecossistemas”.
  • 80. • O Brasil detém o maior número de espécies conhecidas de mamíferos e de peixes de água doce, o segundo de anfíbios, o terceiro de aves e o quinto de répteis. • Com mais de 50 mil espécies de árvores e arbustos, tem o primeiro lugar em biodiversidade vegetal. • Nenhum outro país tem registrado tantas variedades de orquídeas e palmeiras catalogadas. • Os números impressionam, mas, segundo estimativas aceitas pelo Ministério do Meio Ambiente o MMA, eles podem representar apenas 10% da vida no país.
  • 81. • Como várias regiões ainda são muito pouco estudadas pelos cientistas, os números da biodiversidade brasileira tornam-se maiores na medida em que aumenta o conhecimento.
  • 82.
  • 83.
  • 84. O caminhar do ser humano deixa a sua marca fatal nas areias da praia.
  • 85.
  • 86. Um saco de plástico pode navegar várias dezenas de anos sem se degradar. As tartarugas marinhas confundem-nas com as medusas e os comem, afogando-se na tentativa de engoli-los.
  • 87. Milhares de golfinhos também morrem afogados...
  • 88. Eles não têm capacidade para reconhecer os lixos dos humanos, até porque, "tudo o que flutua no mar se come". A tampa plástica de uma garrafa, de maior consistência do que o saco plástico, pode permanecer inalterada, navegando nas águas do mar por mais de um século.
  • 89. O Dr. James Ludwig, que estava estudando a vida do albatroz na ilha de Midway, no Pacífico, a muitas milhas dos centros povoados, fez uma descoberta espantosa.
  • 90. Numa pesquisa, Dr. Ludwig encontrou no estômago de oito filhotes de albatrozes mortos: 42 tampas plásticas de garrafa, 18 isqueiros e restos flutuantes que, em sua maioria, eram pequenos pedaços de plástico. Esses filhotes haviam sido alimentados por seus pais que não conseguiram fazer a distinção dos desperdícios no momento de escolher o alimento.
  • 91. “Não se pode defender o que não se ama, e, não se pode amar o que não se conhece".
  • 92. • Produtos Dove, da Unilever, prometem beleza mas geram cenas desagradáveis como enormes áreas queimadas e desmatadas para a produção de óleo de palma, umas das principais matérias-primas da empresa.
  • 93. Globo terrestre é o nicho ecológico de todo o mundo • Fauna, flora, água, ar, recursos minerais, camada de ozônio  diz respeito a todos
  • 94. 04/05/2008 • "O Greenpeace comemorou ontem uma vitória importante, quando a gigante dos alimentos e produtos de limpeza voltou atrás e anunciou que apenas comprará óleo de palma de fornecedores que comprovarem que não destruíram florestas." conforme publicado pelo Valor Econômico de 02 de maio, em reprodução de artigo originalmente publicado pelo Wall Street Journal, em Londres. – A Unilever disse que a ação do Greenpeace influenciou pouco a sua decisão. Conversa para boi dormir e trouxas meditarem. É evidente que toda empresa de capital aberto morre de medo de qualquer ação de contra-propaganda ou de relações públicas negativas. Afinal, elas temem por qualquer coisa que possa afetar o valor de suas ações e a confiança dos acionistas.
  • 95. GLOBALISMO, MERCADOS E GLOBALIZAÇÃO – O MUNDO DO TRABALHO
  • 96. A FOTO DA AMERICANA MARGARET BOURKE-WHITE (1904-71), APRESENTA DESEMPREGADOS NA FILA DE ALIMENTOS DURANTE A GRANDE DEPRESSÃO, QUE SE INICIOU EM 1929.
  • 97. Globalização e diversidade • Globalização expansão do capitalismo • Novos pólos de poder blocos geopolíticos
  • 103. • Forças produtivas básicas  o capital, a tecnologia, a força de trabalho e a divisão transnacional do trabalho • Processo civilizatório que desafia, rompe, subordina, mutila, destrói ou recria outras formas sociais, de vida e de trabalho • Novos modos de pensar, ser, agir, sentir e imaginar
  • 104. Fábrica de produtos esportivos de marca mundialmente conhecida
  • 105. GLOBAL X REGIONAL • Quando há interesses globais  o regional prevalece - integração no âmbito da globalização apenas. • Só há interesse casos de repercussão internacional –  caso Jean Charles – morto no metrô em Londres confundido com um terrorista • Ex: Rede Globo e suas afiliadas, Rede Bandeirantes e suas afiliadas.... E mais uma série de meios de comunicação de massa
  • 106. Mercado Global • Bens materiais  tangíveis • Bens simbólicos  intangíveis • Mercado Real e virtual  diversas formas de capital e contratos – Contratos virtuais – Publicidade – Alianças estratégicas – Grandes fusões – Força de trabalho barata
  • 108. Quais qualidades você tem? LIDERANÇA NO TRABALHO
  • 109. paixão Mente aberta criatividade sensibilidade Ajuda e pede ajuda honestidade SE VOCÊ ASSINALOU TODOS ELES, ENTÃO VOCÊ TEM PERFIL DE LÍDER
  • 113. PRATICA CORTESIAS SIMPLES: BOM DIA! DE DESCULPE! MUITO OBRIGADO! POR FAVOR! ETC
  • 114. IDENTIFICA OS MEMBROS DA EQUIPE COM PROBLEMAS, OU OS QUE VOCÊ AINDA NÃO CONHECE BEM, TENHA UMA CONVERSA AMIGÁVEL.
  • 115. ESTABELECE METAS PARA SEU TIME DE COLABORADORES
  • 116. CRIA UM PROGRAMA DE RECOMPENSAS
  • 117. ENCORAJA DIÁLOGOS ABERTOS PARA A TROCA DE IDEIAS, PARA AJUDA MÚTUA
  • 118. CRIA ESTRATÉGIAS PARA O DESENVOLVIMENTO
  • 119. ESCOLHE UM MOMENTO DO DIA PARA FAZER UM BALANÇO GERAL DE COMO VÃO AS COISAS
  • 120. CONSTRÓI UM CONTRATO DE PARCERIA COM SEUS COLABORADORES IDENTIFICANDO OS LIMITES DE CADA UM COM OS DA EMPRESA
  • 123. MANTÉM A EQUIPE FOCADA E COM OS PÉS NO CHÃO
  • 124. ESCUTA SEUS COLABORADORES E DÁ UM FEEDBACK
  • 125. UM LÍDER DESENVOLVE OS VALORES ÉTICOS E MORAIS
  • 126. RELACIONA O COMPORTAMENTO PROFISSIONAL COM OS VALORES DA EMPRESA
  • 127. UM LÍDER CONSTRÓI A CONFIANÇA
  • 128. IDENTIFICA O NÍVEL DE CONFIANÇA DE CADA MEMBRO DA EQUIPE E FORTALECE TODOS OS ELOS
  • 129. DISCUTE FORMAS DE EVITAR E ELIMINAR A FOFOCA, A MALEDICÊNCIA
  • 130. UM LÍDER SEMPRE DESCOBRE OS TALENTOS MAIS PRECIOSOS DE SEUS COLABORADORES
  • 132. Homem é condenado por agredir a ex- mulher • A Justiça do Distrito Federal condenou um homem a pagar R$ 20 mil de indenização por danos morais à ex-mulher. Ele já havia sido condenado criminalmente por agredir a vítima. O juiz da 2ª Vara Cível de Brasília afirmou que, após condenação criminal, não se pode mais questionar a existência do fato, ou seja, das agressões contra a mulher.
  • 133. Lei Maria da Penha • LEI Nº 11.340, DE 7 DE AGOSTO DE 2006. • Cria mecanismos para coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher, nos termos do § 8o do art. 226 da Constituição Federal, da Convenção sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra as Mulheres e da Convenção Interamericana para Prevenir, Punir e Erradicar a Violência contra a Mulher; dispõe sobre a criação dos Juizados de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher; altera o Código de Processo Penal, o Código Penal e a Lei de Execução Penal; e dá outras providências.
  • 135. Violência contra a criança
  • 137. Falhas na Justiça do Irã resultam julgamentos injustos • Irã: morte por apedrejamento, um castigo cruel e inaceitável. • Numa cultura em que nove mulheres e dois homens aguardam execução por apedrejamento, no Irã, a Anistia Internacional apela às autoridades daquele país para abolirem a morte por apedrejamento e que decretem uma moratória imediata a esta prática cruel, especialmente pensada para aumentar o sofrimento das vítimas. • No novo relatório publicado, a organização apela urgentemente à revisão do Código Penal do país e para assegurar, entretanto, a total adesão à moratória aos apedrejamentos emitida pelo responsável máximo da justiça em 2002.
  • 138.
  • 140.
  • 142. 2009
  • 143. Anistia Internacional ... • ‘A AI congratula-se com as recentes movimentações no sentido das reformas e com os relatos de que o parlamento iraniano está a discutir alterações ao Código Penal que permitam a suspensão da sentença, pelo menos em alguns casos de apedrejamento, em casos em que seja considerado ‘conveniente’’, disse Malcom Smart, Diretor do Programa para o Médio Oriente e Norte de África na AI. • O Código Penal iraniano descreve a morte por apedrejamento. Chega mesmo a recomendar o tamanho das pedras para que estas causem dor, mas não causem a morte imediata.
  • 144.
  • 145. Atentados a torres gêmeas: 10 anos Milhares de pessoas visitaram nesta segunda-feira o Memorial Nacional do 11 de Setembro, construído no terreno onde ficava o World Trade Center e que foi aberto ao público pela primeira vez um dia depois de sua inauguração. ...o espaço, que homenageia as quase 3.000 pessoas mortas no atentado com aviões sequestrados contra as torres gêmeas em 11 de setembro de 2001 e na explosão de uma bomba em 1993. Os nomes das vítimas estão inscritos em painéis de bronze que margeiam dois espelhos d'água, com 4.000 metros quadrados cada um, ocupando os exatos locais onde estavam as torres.
  • 147.
  • 148.
  • 149.
  • 151. VOCÊ É FELIZ? FELIZ
  • 152. A pirâmide de Maslow
  • 153. Estabeleça um grande objetivo • O caminho tem pequenos objetivos que vão para muitas direções • Na medida em que você aprende a vencer os pequenos objetivos, estará motivado aos desafios do objetivo maior
  • 154. Termine o que começou • Desenvolva o hábito de automotivar-se para concluir seus projetos
  • 155. Compartilhe com os outros • O compartilhar informações de interesses comuns é ajudar mutuamente e motivar
  • 156. Aprenda a aprender • Depender do conhecimento dos outros gera procrastinação
  • 157. Crie sempre • A imaginação é a melhor ferramenta nas crises
  • 158. Harmonize seu trabalho com seus talentos naturais • O talento natural cria motivação que gera persistência que por sua vez gera um trabalho concluído
  • 159. Desenvolva conhecimento que inspira você • Quanto mais você sabe um assunto, mais você quer aprendê-lo e assim se desenvolve
  • 160. Arrisque-se • Aprenda que o fracasso é uma das etapas do sucesso
  • 161. POLÍTICAS PÚBLICAS: EDUCAÇÃO, HABITAÇÃO, SANEAMENTO, SAÚDE E SEGURANÇA
  • 162. • As chamadas políticas públicas deveriam ser as ações de governo nas áreas de educação, habitação, saúde, segurança, meio ambiente e distribuição de renda atingindo diretamente a vida de um conjunto de cidadãos.
  • 163. • O horário político eleitoral está a todo vapor. Comum em todos os discursos, a política pública social, como a saúde, educação, segurança, habitação e transporte, preenche completamente o espaço gratuitamente destinado aos candidatos na televisão e no rádio. Precisamos ter cuidado com o 'canto da sereia' para não sermos facilmente seduzidos. As propostas vazias de conteúdos, muitas vezes, nos remetem ao 'País das Maravilhas', um lugar onde tudo é possível.
  • 164. • Os jornais nos alertam e nos deixam a par dessas enxurradas de contradições. Ao contrário do que é constantemente a nós exposto, a saúde, a educação, transporte, habitação e segurança são ações que necessitam de planejamento e de estudo. O 'como eu vou fazer' e 'de que maneira eu vou fazer' raramente aparece no discurso eleitoral.
  • 165. • A realidade posta para todos os brasileiros é bastante evidente. Todos os dias nos deparamos com notícias como greve de professores, balas perdidas que matam inocentes, bandidos invadindo um hotel de luxo, pacientes morrendo na porta de hospitais, entre outros problemas. Se o velho Marx fosse cidadão do nosso tempo, ao invés de debater as lutas de classes e os conceitos de ideologia e falsa consciência, seguramente pesquisaria sobre a arte de fazer política e de camuflar as realidades usando sempre os mesmos argumentos. De modo semelhante às crises do capital, no campo eleitoral, porém, a freqüência se dá de quatro em quatro anos.
  • 171. SAÚDE
  • 173.
  • 174.
  • 175. REDES SOCIAIS E RESPONSABILIDADE: STOR PÚBLICO, PRIVADO E TERCEIRO SETOR
  • 176. O QUE É UMA REDE SOCIAL • Rede Social é uma das formas de representação dos relacionamentos afetivos ou profissionais dos seres humanos entre si ou entre seus agrupamentos de interesses mútuos. • Uma estrutura em rede (...) corresponde também ao que seu próprio nome indica: seus integrantes se ligam horizontalmente a todos os demais, diretamente ou através dos que os cercam. O conjunto resultante é como uma malha de múltiplos fios, que pode se espalhar indefinidamente para todos os lados, sem que nenhum dos seus nós possa ser considerado principal ou central, nem representante dos demais. • Não há um “chefe”, o que há é uma vontade coletiva de realizar determinado objetivo. (Withaker, 1998)
  • 178. • Terceiro setor é uma terminologia sociológica que dá significado a todas as iniciativas privadas de utilidade pública com origem na sociedade civil. A palavra é uma tradução de Third Sector, um vocábulo muito utilizado nos Estados Unidos para definir as diversas organizações sêm vínculos diretos com o Primeiro setor (Público, o Estado) e o Segundo setor (Privado, o Mercado). • Apesar de várias definições encontradas sobre o Terceiro Setor, existe uma definição que é amplamente utilizada como referência, inclusive por organizações multilaterais e governos.
  • 180. • Dentro das organizações que fazem parte do Terceiro Setor, estão as ONGs • (Organizações Não Governamentais), entidades filantrópicas, OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público, organizações sem fins lucrativos e outras formas de associações civis sem fins lucrativos. No âmbito jurídico, no Brasil, em estudo intitulado “As Fundações Privadas e Associações sem Fins Lucrativos no Brasil 2002”, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE e pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – IPEA, em parceria com a Associação Brasileira de Organizações Não- Governamentais - ABONG e o Grupo de Institutos, Fundações e Empresas – GIFE, foram identificadas mais de 500 mil instituições no Terceiro Setor.
  • 183. REVOLUÇÃO DA ALMA Aristóteles, filósofo grego, escreveu este texto " Revolução da Alma“ no ano 360 A.C. e é eterno.
  • 184. Ninguém é dono da sua felicidade, por isso não entregue sua alegria, sua paz sua vida nas mãos de ninguém, absolutamente ninguém. Somos livres, não pertencemos a ninguém e não podemos querer ser donos dos desejos, da vontade ou dos sonhos de quem quer que seja.
  • 185. A razão da sua vida é você mesmo. A tua paz interior é a tua meta de vida, quando sentires um vazio na alma, quando acreditares que ainda está faltando algo, mesmo tendo tudo, remete teu pensamento para os teus desejos mais íntimos e busque a divindade que existe em você. Pare de colocar sua felicidade cada dia mais distante de você.
  • 186. Não coloque objetivo longe demais de suas mãos, abrace os que estão ao seu alcance hoje. Se andas desesperado por problemas financeiros, amorosos, ou de relacionamentos familiares,
  • 187. busca em teu interior a resposta para acalmar-te, você é reflexo do que pensas diariamente. Pare de pensar mal de você mesmo(a), e seja seu melhor amigo(a) sempre.
  • 188. Sorrir significa aprovar, aceitar, felicitar. Então abra um sorriso para aprovar o mundo que te quer oferecer o melhor.
  • 189. Com um sorriso no rosto as pessoas terão as melhores impressões de você, e você estará afirmando para você mesmo, que está "pronto"para ser feliz.
  • 190. Trabalhe, trabalhe muito a seu favor. Pare de esperar a felicidade sem esforços. Pare de exigir das pessoas aquilo que nem você conquistou ainda.
  • 191. Critique menos, trabalhe mais. E, não se esqueça nunca de agradecer.
  • 192. Agradeça tudo que está em sua vida nesse momento, inclusive a dor.
  • 193. Nossa compreensão do universo, ainda é muito pequena para julgar o que quer que seja na nossa vida.
  • 194. "A grandeza não consiste em receber honras, mas em merecê-las."
  • 196. Paratodos Chico Buarque • O meu pai era paulista • Vi cidades, vi dinheiro Meu avô, pernambucano Bandoleiros, vi hospícios O meu bisavô, mineiro Moças feito passarinho Meu tataravô, baiano Avoando de edifícios Meu maestro soberano Fume Ari, cheire Vinícius Foi Antonio Brasileiro Beba Nelson Cavaquinho • Foi Antonio Brasileiro • Para um coração mesquinho Quem soprou esta toada Contra a solidão agreste Que cobri de redondilhas Luiz Gonzaga é tiro certo Pra seguir minha jornada Pixinguinha é inconteste E com a vista enevoada Tome Noel, Cartola, Orestes Ver o inferno e maravilhas Caetano e João Gilberto • Nessas tortuosas trilhas • Viva Erasmo, Ben, Roberto A viola me redime Gil e Hermeto, palmas para Creia, ilustre cavalheiro Todos os instrumentistas Contra fel, moléstia, crime Salve Edu, Bituca, Nara Use Dorival Caymmi Gal, Bethania, Rita, Clara Vá de Jackson do Pandeiro Evoé, jovens à vista
  • 197. Multiculturalismo latino-americano • Alejo Carpentier (1969): terceiro estilo – Contextos raciais: homens de uma mesma nacionalidade pertencentes às etnias diferentes, diferentes culturas; – Contextos econômicos: instabilidade de uma economia sob interesses alheios; – Contextos ctônicos: crenças e práticas antigas se incorporaram em práticas culturais e religiosas; – Contextos de desajustamento cronológico: retardamento da chegada de bens intelectuais, científicos idéias políticas etc; – Contextos culturais: absorve teorias e práticas diferentes – Contextos políticos: golpes militares, esquerda tardia e caduca
  • 198. Globalização • O fenômeno do multiculturalismo força as origens a se esconder porque são consideradas menores e vergonhosas diante do padrão imposto pela mídia, pelos ‘mais evoluídos’ • Bolsões culturais, estratos semióticos são descaradamente negados em nome da qualidade da Educação (cujo padrão foi forjado nas culturas ‘superiores’
  • 199. DEMOCRACIA E IGUALDADE • Democracia hoje vontade da maioria com respeito às minorias 199
  • 200. • Direitos Humanos vão além: os seres humanos são portadores de direitos inalienáveis, independente da delimitação geopolítica.
  • 201. MAIORIAS E MINORIAS •Democracia: maioria escolhe seus governantes. •Minorias: não podem ser oprimidas pela maioria, todos têm direitos. 201
  • 202. • Mas... se todos são considerados iguais em suas necessidades, desrespeitamos as necessidades específicas dos grupos ou indivíduos. Ex: crianças, jovens, idosos, mulheres, homossexuais, índios, sem-teto, agricultores, aposentados, deficientes...
  • 203. DIFERENÇA •O direito à diferença expressa-se nas diferenças individuais: crença, gênero, idade...  respeitar e dar espaço para estas diferenças se manifestarem é uma atitude democrática e desejável. •Grau de desenvolvimento de uma democracia pode ser medido por este respeito. 203
  • 204. DESIGUALDADE • É social, criada nas relações de injustiças sociais. – Ex: ricos têm direito à educação e saúde de qualidade, pobres não; a sinalização nas ruas é pensada apenas para os “videntes”. 204
  • 206. EQÜIDADE Portanto, todos são iguais em direitos. Ex: direito de ir e vir. Mas... tratar a todos, sem considerar suas necessidades específicas, gera a desigualdade. 206
  • 207. EQÜIDADE Eqüidade: é a diferença dentro da igualdade.  sem eqüidade não existe democracia. 207
  • 208. DESIGUALDADE Boaventura Souza Santos, sociólogo português: "temos direito a reivindicar a igualdade sempre que a diferença nos inferioriza e temos direito de reivindicar a diferença sempre que a igualdade nos descaracteriza." 208
  • 209. • Algumas pessoas choram quando veem as rosas com espinhos • Outras pessoas sorriem quando descobrem que os espinhos têm rosas...
  • 210.
  • 211. Se você pertencesse a uma cultura diferente? • Imagine que você acordou de manhã e acha-se pertencendo auma outra cultura, outro grupo étnico ou qualquer outra dimensão da diversidade no mundo (religião, cor de pele, sexo etc etc) – Você pode pertencer a qualquer país – Você pode ter uma deficiência física ou mental – Você pode pertencer a qualquer religião – Você pode ser homem ou mulher, jovem ou velho
  • 212. Quais partes da sua vida foram afetadas? • Seus amigos? • Suas atividades sociais? Profissionais? • Suas comidas mudaram? Quais são agora? • Qual a sua religião? • Que tipo de roupas você usa? • Como é a vizinhança? • Em que você trabalha? • Você dirige o que? • De que música você gosta? • Que língua(s) você fala? • A que ideologia política você pertence?
  • 215. QUE PARTES DA SUA VIDA PERMANECERIAM AS MESMAS?
  • 216. QUAIS PARTES DE SUA VIDA SERIAM DIFERENTES?
  • 217. COMO VOCÊ SE SENTE SENDO UMA PESSOA DIFERENTE?
  • 218. VOCÊ ACHA QUE É CAPAZ DE ENCARAR UMA OUTRA CULTURA OU SITUAÇÃO NA SUA VIDA SEM JULGAR?
  • 220. DE ONDE VEM SUA PROGRAMAÇÃO CULTURAL? VOCÊ SABE?
  • 221. ONDE VOCÊ APRENDEU SEUS VALORES, SUAS FORMAS DE AGIR E PENSAR?
  • 222. – Cada um de nós nasce numa cultura diferente – Nossas crenças e valores começam na nossa família mas continuam a tomar forma ao longo de toda a nossa vida – Na maioria das vezes: atitudes da nossa família, nossas crenças, nossa língua e outros comportamentos são aceitos sem questionar
  • 223. FAÇA UMA LISTA DAS VÁRIAS INFLUÊNCIAS QUE VOCÊ TÊM NA SUA PROGRAMAÇÃO CULTURAL
  • 224. Você provavelmente respondeu • Família • Status econômico • Etnia • Amigos, vizinhos • Igreja • Mídia: jornais, filmes, canais de televisão • Viagens • Escola • Trabalho • Localização geográfica • Algum outro?
  • 225. POR QUE PRECISAMOS FICAR ATENTOS À DIVERSIDADE • Dois pontos são importantes atualmente: –Primeiro  o mercado global (onde muitas empresas mergulham para se tronarem mais competitivas) –Segundo  a população de muitos países vêm mudando rapidamente
  • 226. O MERCADO GLOBAL • Há grandes enganos quando o assunto é diversidade: – A Chevrolet quando tentou vender pela primeira vez seu carro Nova nos países de língua espanhola fracassou • “No va” significa “Não vai.” • Desnecessário dizer que o carro não vendeu.... – A mesma coisa aconteceu com a Pepsi na China quando traduziu o slogan: “Pepsi brings you back to life” • Este slogan na China significa: “Pepsi traz seus ancestrais de volta do túmulo”
  • 227. MUDANÇAS DEMOGRÁFICAS • Até 2050 aproximadamente 50% da população dos Estados Unidos será não- branca • A partir desta época não haverá nenhuma simples maioria neste país  os Estados Unidos serão compostos de grupos minoritários múltiplos
  • 228. Grandes companhias estão mudando seus paradigmas • CDO  Chief diversity office (Gestor da diversidade nas empresas) – Segundo o site empregos.com.br (http://goo.gl/BAuP) – A diversidade no ambiente interno empresarial pode representar uma melhoria na qualidade de vida do trabalho. No ambiente externo, nas relações com o mercado e a sociedade, as iniciativas que priorizam a diversidade podem significar uma expressiva melhoria na imagem de marca. – Este novo cenário mundial da gestão empresarial é resultado da globalização que exige novas demandas e desafios. Produtividade, competitividade e compromisso social são requisitos básicos de sustentabilidade e sucesso dos negócios.
  • 229. Vantagens da diversidade (segundo o site empregos.com) • Incremento da competitividade - há uma crescente valorização da marca e de produtos e serviços de empresas que valorizam a diversidade e, portanto, a responsabilidade social. • Atendimento mais personalizado - a ampliação dos negócios muitas vezes se dá pelo emprego de funcionários de uma língua oriental ou a formação de equipes femininas para atender públicos e consumidores específicos. • Maior valorização da imagem de marca - a opinião pública (e aqui inclui-se o mercado consumidor) tende a prestigiar empresas éticas e responsáveis socialmente recomendando e comprando seus produtos.
  • 230. • Fortalecimento do desempenho financeiro - o aumento da aceitação de marca contribui diretamente para a elevação das vendas e do lucro. • Menor rotatividade de funcionários e aumento da satisfação no trabalho - uma empresa socialmente responsável estimula a permanência e o crescimento profissional de seus funcionários e favorece a melhoria do clima organizacional. • Menor risco de ações trabalhistas - empresas que estabelecem ações de gestão quecontemplam a prevenção da discriminação e do assédio sexual estão menos expostas a ações judiciais.
  • 231. • Maior resistência às mudanças do mercado - empresas que contemplam a diversidade estão mais fortalecidas frente às mudanças próprias da globalização, tais como fusões e incorporações, onde culturas tão diferentes estão sendo obrigadas a conviver visando um único objetivo. • Aumento na capacidade de reconhecer talentos - a diversidade confere à empresa uma maior capacidade em valorizar e reconhecer os talentos e empregar as idéias de seus funcionários.
  • 232. O MUNDO É UM MOSAICO
  • 233. DIMENSÕES DA DIVERSIDADE • Gênero • Capacidade física e • Crenças religiosas mental • Etnia • Orientação sexual • Estado civil • Ocupação • Idade • Língua • Educação • Lugar de • Estado parental nascimento
  • 234. Nas organizações • Gênero • Educação • Idade • Títulos e cargos • Etnia • Funções no trabalho • Cultura • Habilidades no trabalho • Religião • Trabalho em equipe e • Língua/ sotaque sozinho • Deficências físicas e mentais • Meio período/ período integral • Peso e altura • Orientação sexual • Estado civil • Filiação/Ideologia política
  • 235. Diversidade: o passo a passo 1. conhecimento  Onde encontrar informações sobre culturas diferentes? livros, jornais, televisão, cinema etc etc 2. Estereótipos  Como generalizar indivíduos ou grupos? encontrando formas de re-organizar nossas perspectivas a respeitos de ser ‘diferente’ 3. Comportamento  Qual a sua habilidade de interasgir com diferentes pessoas? Você é tímido? Você está aberto a nopvas experiências? 4. Self-Awareness  Você está apto a compreender os valores, motivos e às características pessoais dos outros? Você se considera sensível e compreensível às diferenças dos outros?
  • 236. Exemplos – Quando a American Airlines quis anunciar sua primeira classe com bancos de couro no mercado mexicano usou a expressão: “Fly In Leather” traduzindo para  “Vuela en cueros”, que significa em espanhol: voe pelado – Quando a Gerber iniciou suas vendas de comida de bebê para a África , usou a mesma embalagem que eles utilizavam nos EUA  com um bebê sorrindo no rótulo. • Tempos depois eles descobriram que as companias africanas colocavam nos rótulos o que havia dentro da embalagem porque muitas pessoas não sabiam ler….
  • 237. • Quando as esferográficas Parker Pen chegaram ao México, seus anúncios deveriam dizer "It won't leak in your pocket and embarrass you" (Não vazam no seu bolso envergonhando você). – A companhia pensou que a palavra "embarazar" significava o mesmo que "embarrass" (envergonhar), mas no final os anúncios diziam: "Não vazam no seu bolso fazendo você engravidar".
  • 238. Quais são os benefícios da diversidade? • Enriquece qualquer experiência: no trabalho, na escola, nos grupos sociais • Faz as pessoas progredirem em relação aos preconceitos e ideias pré-concebidas • Aumenta o pder das comunidades, do lugar de trabalho • Ajuda a competitividade.
  • 239. AVANÇOS TECNOLÓGICOS CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO
  • 240. • Media (mídia) é um vocábulo latino que em português é utilizado para significar meios de comunicação.
  • 241. • Anos 60, Marshall McLuhan: ''o meio é a mensagem” – A televisão – O jornal – O rádio • Enfim.....cada um dos meios acaba criando sua própria linguagem e captando seus leitores, espectadores, ‘consumidores’
  • 242. • Midiosfera  conjunto cumulativo dos meios de comunicação
  • 243. • Midiosfera  conjunto cumulativo dos meios de comunicação
  • 244.
  • 245. "Demora dias para se aprender Marketing. Infelizmente, leva-se uma vida inteira para ser um mestre." [ Philip Kotler ]
  • 246. "Barulho não prova nada. Uma galinha bota um ovo e cacareja como se estivesse botado um asteróide." --Mark Twain
  • 247. "A propaganda é um fator econômico valioso porque ela é o meio mais barato de se vender bens, especialmente se os bens não valem nada." --Sinclair Lewis (1885 - 1951)
  • 248. "A filosofia por trás de muita propaganda é baseada na velha observação de que todo homem é na realidade dois homens — o homem que ele é e o homem que ele quer ser." --William Feather
  • 249. PAPEL DA MÍDIA ??? PAPEL???☺ • REPRESENTAÇÃO DA REALIDADE
  • 250. CARACTERÍSTICAS • Capacidade de confrontar o mundo em seu imediatismo • Em sua complexidade • Em seus perigos, reais e imaginados. – Mobilização da sociologia e da Antropologia – Teorias que enfocam processos sociais de exercício do poder – Da formação de comunidades – Da determinação de identidades. ( Silverstone, apud Ubiratan Muarrek)
  • 251. • Mídia tecnologias e processos de mediação, ou seja, instrumentos que permitem maneiras de encontrar, assegurar e comunicar significados". (idem, ib)
  • 252. Mídia  todos os meios de comunicação, ou seja, os veículos que são utilizados para a divulgação de conteúdos simbólicos.
  • 253. A MÍDIA ESCLARECE OU OBSCURECE A NOSSA PERCEPÇÃO DA REALIDADE?
  • 254. • O QUE NOS VEM À MENTE QUANDO LEMOS ESSA PERGUNTA E VEMOS A FOTO?
  • 255. PROPAGANDA AMERICANA CHAMANDO SOLDADOS PARA COMBATER NA SEGUNDA GUERRA MUNDIAL
  • 256. A QUE CONCLUSÕES PODEMOS CHEGAR? O QUE OS EDITORES DAS PRIMEIRAS PÁGINAS QUISERAM SALIENTAR COM ESSAS MANCHETES?
  • 257. A diversidade étnico-cultural mundial começou com as navegações
  • 258. Continuou com o desenvolvi mento dos meios de transportes
  • 259. Acentuou-se com os movimentos migratórios em consequência da guerras mundiais
  • 261. E pelos Meios de Comunicação de Massa
  • 262.
  • 263. O que era exótico passou a ser obrigatório
  • 264. O que era uma revolução....
  • 268. Respeito à diversidade virou papel da mídia!!!! ???? Verdade????
  • 269. A FAMÍLIA FELIZ PADRÃO GLOBAL DE FELICIDADE
  • 274.
  • 275. Problemas • O uso crescente de novas mídias levou algumas pessoas a ter problemas. Na Holanda, assaltantes foram presos com a ajuda de uma câmera que postou imagens deles no Google. • Um assaltante britânico enviou sua foto a um jornal porque não gostou de sua imagem de procurado divulgada pela polícia. Nos EUA, dois pilotos da Northwest voaram 250 quilômetros além de seu destino. • Eles disseram que se distraíram porque estavam usando laptops pessoais na cabine do avião.
  • 276.
  • 277.
  • 278.
  • 279.
  • 280.
  • 281.
  • 282. Biodiversidade e Ecologia; • Sociodiversidade: multiculturalismo, tolerância, inclusão/exclusão, relações de gênero; • Globalização e geopolítica; • Violência. • Políticas públicas: educação, habitação, saneamento, saúde, transporte, segurança, defesa, desenvolvimento sustentável; • Avanços tecnológicos; • Redes sociais e responsabilidade: setor público, privado e terceiro setor; • Arte e cultura; • Relações de trabalho; • Vida urbana e rural. • Ciência, tecnologia e inovação; • Democracia, ética e cidadania; • Tecnologias de Informação e Comunicação;