SlideShare uma empresa Scribd logo
Livro de Emmanuel
Psicografia de Chico Xavier
Evangelho e Simpatia
Lição 19
 O vernáculo nos define simpatia como “afinidade moral, similitude no sentir e
no pensar que aproxima duas ou mais pessoas.” Também os espíritos nos falam
desta atração entre os espíritos: “A simpatia que atrai um Espírito para outro
resulta da perfeita concordância de seus pendores e instintos.” (questão 301
do Livro dos Espíritos).
 A concordância nos atrai, assim, podemos concluir que o contrário, ou seja, a
discordância, nos afasta. Será simples assim? Nossas relações humanas são
complexas e nem sempre as palavras as alcançam, verdade é que nossa
preferência é estar ao lado dos que nos são simpáticos.
 Emmanuel nos dará a oportunidade de analisar a simpatia de forma muito mais
ampla, eis que será o Cristo a nos ensinar este caminho para a felicidade.
 Iniciemos a lição:
 “Do apostolado de Jesus, destaca-se a simpatia por alicerce da felicidade
humana.” Roteiro
 A afirmativa de Emmanuel nos é de fácil assimilação se pensarmos em nossa
vida cotidiana e em como nos sentimos diante de algumas pessoas. Se temos a
alegria de ter um companheiro ou companheira de jornada em quem
encontramos afinidade moral e similitude no sentir e no pensar, temos uma
união feliz. De igual forma com os amigos e familiares que caminham conosco,
quando estamos em sua companhia sentimos paz, tranquilidade, sentimos a
alegria de podermos nos expressar livremente eis que nos encontramos entre
pessoas que nos acolhem amorosamente.
 Assim viveu Jesus, seus apóstolos não eram apenas aqueles que o seguiam e
acatavam suas idéias e princípios, os apóstolos acima de tudo eram amigos
queridos ao coração de Mestre, caminhavam juntos em profundo amor,
compartilhavam suas atividades alegrando-se uns pelos outros e davam o
testemunho de muito se amarem.
 Vejamos mais um trecho da lição:
 “A violência não consta da sua técnica de conquistar.
 Ainda hoje, vemos vasta fileira de lidadores do
sacerdócio usando, em nome dEle, a imposição e a
crueldade; todavia, o Mestre, invariavelmente,
pautou os seus ensinamentos nas mais amplas
normas de respeito aos seus contemporâneos.”
Roteiro
 É preciso que respeitemos o tempo de cada um, como o Mestre nos
ensinou. Para Pedro que negou-lhe na cruz, mostrou-se paciente e
compassivo, aguardando o despertar da sua fé, para Judas, não
esqueceu-se da amizade e do amor que lhe nutria, mesmo após seus
desatinos em Jerusalém, mas, além túmulo, buscou-lhe a fim de
amainar sua dor e seu sofrimento. Não há violência em Jesus, não
há imposição ou crueldade em seus ensinos, reconhecemos em seus
atos o mais profundo respeito por nossa condição evolutiva, tal qual
um pai que ensina o filho a caminhar, seguindo perto para que não
se machuque gravemente, sem, no entanto, impedi-lo de cair,
dizendo-lhe, tão somente: levanta...continua...
 Prossigamos com o livro Roteiro:
 “Jamais faltou com o entendimento justo para com as pessoas e as
situações.
 Divino Semeador, sabia que não basta plantar os bons princípios e
sim oferecer, antes de tudo, à semente favoráveis condições,
necessárias à germinação e ao crescimento.” Roteiro
 Compreender o próximo é acima de tudo colocar-se em seu lugar num
ato de compaixão. Chico Xavier dizia que é preciso uma gota de
verdade num litro de amor, reconhecendo que apenas o amor fará os
mais belos princípios germinar e será sempre um movimento de dentro
para fora.
 Nem sempre, porém, compreendemos ou somos
compreendidos e nestas horas é bom recordarmos o
ensinamento de Jesus a Pedro:
 “Pedro, o amor verdadeiro e sincero nunca espera
recompensas. A renúncia é o seu ponto de apoio,
como o ato de dar é a essência de sua vida. A
capacidade de sentir grandes afeições já é em si
mesma um tesouro. A compreensão de um amigo
deve ser para nós a maior recompensa. Todavia,
quando a luz do entendimento tardar no espírito
daqueles a quem amamos, deveremos lembrar-nos
de que temos a sagrada compreensão de Deus, que
nos conhece os propósitos mais puros. Ainda que
todos os nossos amigos do mundo se convertessem,
um dia, em nossos adversários, ou mesmo em
nossos algozes, jamais nos poderiam privar da
alegria infinita de lhes haver dado alguma
coisa!...” Humberto de Campos – Boa Nova.
 Prossigamos com a lição:
 “Certo, em se tratando do interesse coletivo, Jesus não menoscaba a
energia benéfica.
 Exprobra o comercialismo desenfreado que humilha o Templo, quanto
profliga os erros de sua época.
 Entretanto, diante das criaturas dominadas pelo mal, enche-se de
profunda compaixão e tolerância construtivas.” Roteiro
 Jesus não se omite diante do erro, não compactua com os
desvarios da sociedade de seu tempo, porém, ele não
combate quem erra, não agride, não condena. Usa da
compaixão e da tolerância construtivas.
 É interessante Emmanuel usar o termo “construtivas”
agregado à compaixão e a tolerância. O que isto nos quer
dizer e alertar?
 A palavra é o instrumento escolhido por Deus para nos
comunicarmos e com ela nos aproximamos das pessoas,
despertando bons sentimentos e ou não. Nem sempre nos
lembraremos, porém, das palavras que ouvimos de
alguém, não obstante, raramente nos esquecemos de
como nos sentimos diante de alguém, se a sensação foi
boa, reconfortante, guardamos isto na lembrança, de igual
forma, o contrário também é uma forte lembrança. E
nisto reside o que construímos no coração daqueles que
estiveram em nossa presença, a palavra é apenas o meio
para chegarmos ao outro, mas é a forma como a pessoa se
sente que define se fizemos ou não bom uso da palavra.
 Jesus nos ensina a termos uma atitude construtiva, ao expressarmos a
compaixão e a tolerância, porque até mesmo estes sentimentos
reconhecidamente nobres podem humilhar e ferir a quem os recebe.
 Humberto de Campos, no livro Boa Nova nos auxilia a compreender
estes dizeres: “Os verdadeiros discípulos das verdades do
céu, esses não aprovam o erro, nem exterminam os que os
sustentam. Trabalham pelo bem, porque sabem que Deus
também está trabalhando."
Sigamos em frente.
“Aos enfermos não indaga
quando à causa das aflições que os vergastam,
para irritá-los com reclamações.
Auxilia-os e cura-os.
Os apontamentos que dirige
aos pecadores e transviados
são recomendações doces e sutis.”
Roteiro
 O Evangelho de Marcos, logo em seu início nos conta das curas que
Jesus realizou e mostra-nos como é verdadeira a assertiva de
Emmanuel:
 - A sogra de Pedro: “E a sogra de Simão estava deitada com febre; e
logo lhe falaram dela. Então, chegando-se a ela, tomou-a pela mão, e
levantou-a; e imediatamente a febre a deixou, e servia-os.” Marcos
1:30,31
 - Cura dos Enfermos e Endemoninhados: “E, tendo chegado a tarde,
quando já se estava pondo o sol, trouxeram-lhe todos os que se
achavam enfermos, e os endemoninhados. E toda a cidade se ajuntou
à porta. E curou muitos que se achavam enfermos de diversas
enfermidades, e expulsou muitos Marcos 1:32-34
 - Cura de um leproso: “E aproximou-se dele um leproso que,
rogando-lhe, e pondo-se de joelhos diante dele, lhe dizia: Se queres,
bem podes limpar-me. E Jesus, movido de grande compaixão,
estendeu a mão, e tocou-o, e disse-lhe: Quero, sê limpo. E, tendo ele
dito isto, logo a lepra desapareceu, e ficou limpo. Marcos 1:40-42
 Auxiliar e curar são os verbos que estamos convidados a aprender. Muitas
vezes somos movidos pela curiosidade, queremos conhecer a causa, sem
maldade ou má intenção, mas isto pode ferir ou mesmo reacender dores sem
necessidade alguma. Se apenas a caridade nos mover, estaremos aptos a agir
como Jesus, auxiliando e curando os que passam pelo nosso caminhar.
 Emmanuel também nos diz que Jesus usava recomendações doces e sutis. Há
tanta dor no mundo e em nossos corações que muitas vezes, em nome de uma
suposta ajuda, projetamos no outro os nossos sentimentos e em vez de auxiliar,
aumentamos a dor e o sofrimento. A docilidade de Jesus consistia em respeitar
o tempo de cada um, esperando pacientemente pelo desabrochar da alma. E sua
paciência até hoje nos assiste e nos espera, porém, é chegada a hora de nos
deixarmos curar para termos a vida plena a que o Mestre veio nos convidar.
 Sigamos com o livro Roteiro.
 “Ao doente curado do Tanque de Betesda, explica
despretensioso: - Vai e não reincidas no erro para que te não
aconteça coisa pior.” Roteiro
 Dentro de uma simbologia belíssima e muito rica, João nos conta no capítulo 5 do
seu Evangelho a cura do doente de Betesda. Da leitura e estudo do trecho podemos
ver que o doente buscava a cura, esperava por ela, ao que foi atendido. Jesus não o
acusa, apenas o aconselha no sentido de que não faça novamente o que estava
fazendo por que algo de pior lhe poderia acontecer. Um conselho amoroso.
 Eis nosso Mestre, eis o modelo. Estamos aptos a segui-lo?
 Vejamos mais um exemplo trazido
por Emmanuel no livro Roteiro.
 “À pobre mulher, apedrejada na praça pública, adverte,
bondoso: _ Vai e não peques mais. Não indica o inferno às
vitimas da sombra. Reergue-as, compassivo, e acende-lhes nova
luz. Compreende os problemas e as lutas de cada um.” Roteiro
 Ainda hoje há quem queira divulgar o cristianismo incutindo medo nos corações,
seja o inferno ou em termos espíritas, o umbral. Mas não é esta a mensagem de
Jesus nem do cristianismo. Sem dúvida nossos atos geram consequências, boas
ou ruins, e somos responsáveis por nosso agir e pensar, no entanto, o erro é
inerente ao ser humano, somos todos criaturas falhas e, como a mulher que seria
apedrejada, precisamos nos reerguer e seguir em frente.
 A beleza da presença do Cristo em nossas vidas é perceber que
quando todos estiverem lhe condenando, acusando, apontando seus
desenganos, bastará relembrarmos a história da mulher adúltera para
perceber que Jesus nos compreende e, compassivo, vem
iluminar a nossa estrada e nos reerguer.
 A compreensão anda na contramão do julgamento. Estamos aptos a
seguir este caminho?
Sigamos em frente com as lições do livro Roteiro.
“Atrai as crianças a si, compadecidamente,
infundindo nova confiança aos corações maternos.
Sabe que Pedro é frágil, mas não desespera e confia nele.
Contempla o torvo drama do espírito de Judas,
no entanto, não o expulsa.
Reconhece que a maioria dos beneficiários
não se revelam à altura das concessões que solicitam,
contudo, não lhes nega assistência.”
Roteiro
 Poucos no mundo merecem as benesses que a vida lhes oferece, em geral, recebemos muito
mais do que merecemos e isto reside no fato de que estamos aqui, justamente, para aprender
sobre o que é amar e ser amado.
 O amor que Jesus nos dirige é incondicional e puro. Ele não nos pede que sejamos
primeiramente bons para depois nos abraçar, ele primeiro nos acolhe em seus braços para que
sintamos a força do amor que ele nutre por nós e, então, nos convida a espalhar este sentimento.
 Crianças, Pedro, Judas, nós, quem poderia levantar-se e dizer-se merecedor de tão profundo
amor? Quantas vezes já nos esquecemos de Jesus distraídos em nossas brincadeiras infantis de
espíritos ainda tão ligados a matéria? Quantas vezes não negamos Jesus com nossas atitudes e
palavras ainda tão cheias de orgulho e egoísmo? Quantas vezes não trocamos os ensinamentos
do Mestre por vantagens que o mundo oferece, não apenas as próprias da matéria, mas também
aqueles que transitam no poder e na vaidade?
 Não obstante a nossa pequenez, Cristo permanece trabalhando por nós e pelo planeta que nos
acolhe. Já não é ora de fazermos a nossa parte? Retribuindo onde pudermos este infinito amor
que recebemos todos os dias?
Caminhemos mais um pouco
com esta belíssima lição do livro Roteiro.
“Preso, recompõe e orelha de Malco,
o soldado.
À frente de Pilatos e da Ántipas,
não pede providências suscetíveis
de lançar a discórdia,
ainda mesmo a título de preservação da justiça.
Longe de impacientar-se
com a presença dos malfeitores
que também sofreram a crucificação,
inclina-se amistosamente para eles
e busca entendê-los e encoraja-los.”
Roteiro
 Não basta a Jesus cuidar dos pobres e oprimidos, dos doentes e desconsolados,
dos frágeis e equivocados, ele auxilia os que não o compreendem, quer o bem
pelo bem, porque já sabe que o amor é a única porta que leva ao Pai Celestial.
 Nós ainda transitamos pelo mundo experimentando as diversas portas que o
orgulho oferece, ora é a vaidade, a prepotência, a arrogância de achar-se melhor
que o outro. Jesus, porém, abre apenas uma porta com suas palavras e atitudes,
que é a do amor.
 Todos os seus pensamentos e atitudes nos encaminham para pensamentos
amorosos, pacíficos e repletos de esperança, e isto decorre do amor que nos
endereça que, como disse Paulo aos Corintios: “tudo espera, tudo suporta, tudo
crê.” (Primeira Carta aos Coríntios, cap. 13)
 Encaminhando-nos para o final, vejamos mais um trecho:
 “Á turba que o rodeia com palavrões e cutiladas envia pensamentos de paz e
votos de perdão. E, ainda além da morte, não foge aos companheiros que
fugiram. Materializa-se, diante deles, induzindo-os ao serviço da regeneração
humana, com o incentivo de sua presença e de seu amor, até ao fim da luta.”
Roteiro
 O exemplo de Jesus nos convida a refletir: Quando nos defrontamos com
notícias de lutas, guerras, conflitos, desastres, como fica o nosso pensamento?
Quando nossos companheiros de jornada se mostram insensíveis ao nosso
chamar, qual a nossa postura?
 É no pensamento que tudo nasce e se materializa, é nele que nossa vontade
encontra as molas propulsoras e dá as diretrizes para a nossa vida. Jesus
tinha pensamentos de paz e votos de perdão, o que nós temos?
 E se não temos ainda pensamentos e atitudes de fraternidade, o que
estamos fazendo para construi-los?
 Encerrando a lição.
 “Em todas as passagens do Evangelho, perante o coração
humano, sentimos no Senhor o campeão da simpatia,
ensinando como sanar o mal e construir o bem. E desde a
Manjedoura, sob a sua divina inspiração, um novo
caminho redentor se abre aos homens, no rumo da paz e
da felicidade, com bases no auxílio mútuo e no espírito de
serviço, na bondade e na confraternização.” Roteiro
 Somos simpáticos aos que se assemelham a nós, diante da
afinidade que sentimos. Jesus quando nos olha, percebe
não apenas a pedra bruta que está sendo lapidada, mas o
belo diamante que nos tornaremos quando atingirmos
patamares evolutivos mais ricos e sólidos. Isto o torna
simpático a nós no sentido apresentado pelo vernáculo
logo no início do estudo, a afinidade que o Mestre sente
decorre de seu amor, mas também de sua sabedoria, eis
que nos reconhece irmãos em trajetória evolutiva, filhos
do Pai Celestial que a todos criou e a todos guia, hoje e
sempre.
 O Mestre anda a nossa frente, mas é
chegada a hora de aprendermos a andar
com Ele, permitindo que ensinamentos
simples como a gentileza, a alegria de estar
junto de alguém, nos acompanhem
também, é chegada a hora de vivermos a
fraternidade em sua mais simples
expressão.
 Que Jesus nos auxilie para que sejamos,
cada vez mais, pessoas que simpatizam
com a dor e os problemas alheios, levando
um pouco de alento e paz aos corações
assombrados.
 Deixemos sua luz brilhar, finalmente,
dentro de nós.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Estudo do livro Roteiro lição 23
Estudo do livro Roteiro lição 23Estudo do livro Roteiro lição 23
Estudo do livro Roteiro lição 23
Candice Gunther
 
Estudo do livro Roteiro lição 21
Estudo do livro Roteiro lição 21Estudo do livro Roteiro lição 21
Estudo do livro Roteiro lição 21
Candice Gunther
 
40 nosso lar quem semeia colherá
40 nosso lar  quem semeia colherá40 nosso lar  quem semeia colherá
40 nosso lar quem semeia colherá
Fatoze
 
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros capitulo 07 A queda de otavio
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros   capitulo 07 A queda de otavioEstudando com Andre Luiz - Os Mensageiros   capitulo 07 A queda de otavio
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros capitulo 07 A queda de otavio
Jose Luiz Maio
 
Estudo do livro Roteiro lição 32
Estudo do livro Roteiro lição 32Estudo do livro Roteiro lição 32
Estudo do livro Roteiro lição 32
Candice Gunther
 
Estudo do livro Roteiro, lição 28
Estudo do livro Roteiro, lição 28Estudo do livro Roteiro, lição 28
Estudo do livro Roteiro, lição 28
Candice Gunther
 
Estudando André Luiz Nosso Lar cap. 24 a 33
Estudando André Luiz Nosso Lar cap. 24 a 33Estudando André Luiz Nosso Lar cap. 24 a 33
Estudando André Luiz Nosso Lar cap. 24 a 33
Jose Luiz Maio
 
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros capitulo 06 Advertencias profundas
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros  capitulo 06 Advertencias profundasEstudando com Andre Luiz - Os Mensageiros  capitulo 06 Advertencias profundas
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros capitulo 06 Advertencias profundas
Jose Luiz Maio
 
Estudo do livro Roteiro liçao 16
Estudo do livro Roteiro liçao 16Estudo do livro Roteiro liçao 16
Estudo do livro Roteiro liçao 16
Candice Gunther
 
Estudo do livro Roteiro, lição 25
Estudo do livro Roteiro, lição 25Estudo do livro Roteiro, lição 25
Estudo do livro Roteiro, lição 25
Candice Gunther
 
Estudo do livro Roteiro liçao 11
Estudo do livro Roteiro liçao 11Estudo do livro Roteiro liçao 11
Estudo do livro Roteiro liçao 11
Candice Gunther
 
Palestra Espírita - Os falsos profetas
Palestra Espírita - Os falsos profetasPalestra Espírita - Os falsos profetas
Palestra Espírita - Os falsos profetas
Divulgador do Espiritismo
 
Estudando André Luiz Nosso Lar cap. 34 a 50
Estudando André Luiz   Nosso Lar cap.  34 a 50Estudando André Luiz   Nosso Lar cap.  34 a 50
Estudando André Luiz Nosso Lar cap. 34 a 50
Jose Luiz Maio
 
Os espíritas diante da morte
Os espíritas diante da morteOs espíritas diante da morte
Os espíritas diante da morte
home
 
Reencarnação, objetivo, justiça e escolha das provas
Reencarnação, objetivo, justiça e escolha das provasReencarnação, objetivo, justiça e escolha das provas
Reencarnação, objetivo, justiça e escolha das provas
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Roteiro lição 31
Roteiro lição 31Roteiro lição 31
Roteiro lição 31
Candice Gunther
 
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros capitulo 01 Renovação
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros   capitulo 01 RenovaçãoEstudando com Andre Luiz - Os Mensageiros   capitulo 01 Renovação
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros capitulo 01 Renovação
Jose Luiz Maio
 
Estudo do livro Roteiro lição 40
Estudo do livro Roteiro lição 40Estudo do livro Roteiro lição 40
Estudo do livro Roteiro lição 40
Candice Gunther
 
Desencarne na visão espírita
Desencarne na visão espíritaDesencarne na visão espírita
Desencarne na visão espírita
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Estudo do livro Roteiro lição 38
Estudo do livro Roteiro lição 38Estudo do livro Roteiro lição 38
Estudo do livro Roteiro lição 38
Candice Gunther
 

Mais procurados (20)

Estudo do livro Roteiro lição 23
Estudo do livro Roteiro lição 23Estudo do livro Roteiro lição 23
Estudo do livro Roteiro lição 23
 
Estudo do livro Roteiro lição 21
Estudo do livro Roteiro lição 21Estudo do livro Roteiro lição 21
Estudo do livro Roteiro lição 21
 
40 nosso lar quem semeia colherá
40 nosso lar  quem semeia colherá40 nosso lar  quem semeia colherá
40 nosso lar quem semeia colherá
 
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros capitulo 07 A queda de otavio
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros   capitulo 07 A queda de otavioEstudando com Andre Luiz - Os Mensageiros   capitulo 07 A queda de otavio
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros capitulo 07 A queda de otavio
 
Estudo do livro Roteiro lição 32
Estudo do livro Roteiro lição 32Estudo do livro Roteiro lição 32
Estudo do livro Roteiro lição 32
 
Estudo do livro Roteiro, lição 28
Estudo do livro Roteiro, lição 28Estudo do livro Roteiro, lição 28
Estudo do livro Roteiro, lição 28
 
Estudando André Luiz Nosso Lar cap. 24 a 33
Estudando André Luiz Nosso Lar cap. 24 a 33Estudando André Luiz Nosso Lar cap. 24 a 33
Estudando André Luiz Nosso Lar cap. 24 a 33
 
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros capitulo 06 Advertencias profundas
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros  capitulo 06 Advertencias profundasEstudando com Andre Luiz - Os Mensageiros  capitulo 06 Advertencias profundas
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros capitulo 06 Advertencias profundas
 
Estudo do livro Roteiro liçao 16
Estudo do livro Roteiro liçao 16Estudo do livro Roteiro liçao 16
Estudo do livro Roteiro liçao 16
 
Estudo do livro Roteiro, lição 25
Estudo do livro Roteiro, lição 25Estudo do livro Roteiro, lição 25
Estudo do livro Roteiro, lição 25
 
Estudo do livro Roteiro liçao 11
Estudo do livro Roteiro liçao 11Estudo do livro Roteiro liçao 11
Estudo do livro Roteiro liçao 11
 
Palestra Espírita - Os falsos profetas
Palestra Espírita - Os falsos profetasPalestra Espírita - Os falsos profetas
Palestra Espírita - Os falsos profetas
 
Estudando André Luiz Nosso Lar cap. 34 a 50
Estudando André Luiz   Nosso Lar cap.  34 a 50Estudando André Luiz   Nosso Lar cap.  34 a 50
Estudando André Luiz Nosso Lar cap. 34 a 50
 
Os espíritas diante da morte
Os espíritas diante da morteOs espíritas diante da morte
Os espíritas diante da morte
 
Reencarnação, objetivo, justiça e escolha das provas
Reencarnação, objetivo, justiça e escolha das provasReencarnação, objetivo, justiça e escolha das provas
Reencarnação, objetivo, justiça e escolha das provas
 
Roteiro lição 31
Roteiro lição 31Roteiro lição 31
Roteiro lição 31
 
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros capitulo 01 Renovação
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros   capitulo 01 RenovaçãoEstudando com Andre Luiz - Os Mensageiros   capitulo 01 Renovação
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros capitulo 01 Renovação
 
Estudo do livro Roteiro lição 40
Estudo do livro Roteiro lição 40Estudo do livro Roteiro lição 40
Estudo do livro Roteiro lição 40
 
Desencarne na visão espírita
Desencarne na visão espíritaDesencarne na visão espírita
Desencarne na visão espírita
 
Estudo do livro Roteiro lição 38
Estudo do livro Roteiro lição 38Estudo do livro Roteiro lição 38
Estudo do livro Roteiro lição 38
 

Semelhante a Estudo do livro Roteiro lição 19

Estudo do livro Roteiro lição 33
Estudo do livro Roteiro lição 33Estudo do livro Roteiro lição 33
Estudo do livro Roteiro lição 33
Candice Gunther
 
Resolvendo os nossos problemas
Resolvendo os nossos problemasResolvendo os nossos problemas
Resolvendo os nossos problemas
Helio Cruz
 
Palestra Fora da Caridade não Há Salvação
Palestra Fora da Caridade não Há Salvação Palestra Fora da Caridade não Há Salvação
Palestra Fora da Caridade não Há Salvação
Rodrigo Spinosa
 
Resolvendo nossos problemas
Resolvendo nossos problemasResolvendo nossos problemas
Resolvendo nossos problemas
Helio Cruz
 
O sofrimento
O sofrimentoO sofrimento
O sofrimento
pr_afsalbergaria
 
Dia nacional da caridade
Dia nacional da caridadeDia nacional da caridade
Dia nacional da caridade
Helio Cruz
 
Palestra ese 15 fora da caridade 20160824 v1
Palestra ese 15 fora da caridade 20160824 v1Palestra ese 15 fora da caridade 20160824 v1
Palestra ese 15 fora da caridade 20160824 v1
Tiburcio Santos
 
O perdão a indulgencia
O perdão a indulgenciaO perdão a indulgencia
O perdão a indulgencia
Henrique Vieira
 
A SEMENTE 4 novembro
A  SEMENTE  4 novembroA  SEMENTE  4 novembro
A SEMENTE 4 novembro
Centro Espírita Antoninho Marmo
 
Resenha de estudos espiritas 05
Resenha de estudos espiritas 05Resenha de estudos espiritas 05
Resenha de estudos espiritas 05
MRS
 
Fora Da Caridade NãO Há SalvaçãO
Fora Da Caridade NãO Há SalvaçãOFora Da Caridade NãO Há SalvaçãO
Fora Da Caridade NãO Há SalvaçãO
Sergio Menezes
 
O dia da caridade
O dia da caridadeO dia da caridade
O dia da caridade
Helio Cruz
 
Boletim o pae abril 2019
Boletim o pae   abril 2019Boletim o pae   abril 2019
Boletim o pae abril 2019
O PAE PAE
 
O jugo suave e o fardo leve
O jugo suave e o fardo leveO jugo suave e o fardo leve
O jugo suave e o fardo leve
Helio Cruz
 
ReconciliaçãO Com Os AdversáRios
ReconciliaçãO Com Os AdversáRiosReconciliaçãO Com Os AdversáRios
ReconciliaçãO Com Os AdversáRios
Grupo Espírita Cristão
 
Caridade e lei do amor
Caridade e lei do amorCaridade e lei do amor
Caridade e lei do amor
Alice Lirio
 
O Perdão,lei de Evolução e Progresso
O Perdão,lei de Evolução e ProgressoO Perdão,lei de Evolução e Progresso
O Perdão,lei de Evolução e Progresso
Ceile Bernardo
 
Beume xx (3)
Beume xx (3)Beume xx (3)
Beume xx (3)
decoumsm
 
Beume xx (3)
Beume xx (3)Beume xx (3)
Beume xx (3)
decoumsm
 
Enquanto estamos a caminho
Enquanto estamos a caminhoEnquanto estamos a caminho
Enquanto estamos a caminho
Helio Cruz
 

Semelhante a Estudo do livro Roteiro lição 19 (20)

Estudo do livro Roteiro lição 33
Estudo do livro Roteiro lição 33Estudo do livro Roteiro lição 33
Estudo do livro Roteiro lição 33
 
Resolvendo os nossos problemas
Resolvendo os nossos problemasResolvendo os nossos problemas
Resolvendo os nossos problemas
 
Palestra Fora da Caridade não Há Salvação
Palestra Fora da Caridade não Há Salvação Palestra Fora da Caridade não Há Salvação
Palestra Fora da Caridade não Há Salvação
 
Resolvendo nossos problemas
Resolvendo nossos problemasResolvendo nossos problemas
Resolvendo nossos problemas
 
O sofrimento
O sofrimentoO sofrimento
O sofrimento
 
Dia nacional da caridade
Dia nacional da caridadeDia nacional da caridade
Dia nacional da caridade
 
Palestra ese 15 fora da caridade 20160824 v1
Palestra ese 15 fora da caridade 20160824 v1Palestra ese 15 fora da caridade 20160824 v1
Palestra ese 15 fora da caridade 20160824 v1
 
O perdão a indulgencia
O perdão a indulgenciaO perdão a indulgencia
O perdão a indulgencia
 
A SEMENTE 4 novembro
A  SEMENTE  4 novembroA  SEMENTE  4 novembro
A SEMENTE 4 novembro
 
Resenha de estudos espiritas 05
Resenha de estudos espiritas 05Resenha de estudos espiritas 05
Resenha de estudos espiritas 05
 
Fora Da Caridade NãO Há SalvaçãO
Fora Da Caridade NãO Há SalvaçãOFora Da Caridade NãO Há SalvaçãO
Fora Da Caridade NãO Há SalvaçãO
 
O dia da caridade
O dia da caridadeO dia da caridade
O dia da caridade
 
Boletim o pae abril 2019
Boletim o pae   abril 2019Boletim o pae   abril 2019
Boletim o pae abril 2019
 
O jugo suave e o fardo leve
O jugo suave e o fardo leveO jugo suave e o fardo leve
O jugo suave e o fardo leve
 
ReconciliaçãO Com Os AdversáRios
ReconciliaçãO Com Os AdversáRiosReconciliaçãO Com Os AdversáRios
ReconciliaçãO Com Os AdversáRios
 
Caridade e lei do amor
Caridade e lei do amorCaridade e lei do amor
Caridade e lei do amor
 
O Perdão,lei de Evolução e Progresso
O Perdão,lei de Evolução e ProgressoO Perdão,lei de Evolução e Progresso
O Perdão,lei de Evolução e Progresso
 
Beume xx (3)
Beume xx (3)Beume xx (3)
Beume xx (3)
 
Beume xx (3)
Beume xx (3)Beume xx (3)
Beume xx (3)
 
Enquanto estamos a caminho
Enquanto estamos a caminhoEnquanto estamos a caminho
Enquanto estamos a caminho
 

Mais de Candice Gunther

Poesias Maria Dolores - Serie Max Rive
Poesias Maria Dolores - Serie Max RivePoesias Maria Dolores - Serie Max Rive
Poesias Maria Dolores - Serie Max Rive
Candice Gunther
 
A obra de Chico Xavier
A obra de Chico XavierA obra de Chico Xavier
A obra de Chico Xavier
Candice Gunther
 
Carta aos Corintios com Emmanuel - Sabedoria
Carta aos Corintios com Emmanuel - SabedoriaCarta aos Corintios com Emmanuel - Sabedoria
Carta aos Corintios com Emmanuel - Sabedoria
Candice Gunther
 
Dissensões
Dissensões Dissensões
Dissensões
Candice Gunther
 
Carta aos Coríntios com Emmanuel - A Cidade de Corinto
Carta aos Coríntios com Emmanuel - A Cidade de CorintoCarta aos Coríntios com Emmanuel - A Cidade de Corinto
Carta aos Coríntios com Emmanuel - A Cidade de Corinto
Candice Gunther
 
Estudo do livro Roteiro lição 39
Estudo do livro Roteiro lição 39Estudo do livro Roteiro lição 39
Estudo do livro Roteiro lição 39
Candice Gunther
 
Poesias de Maria Dolores - Serie Turner
Poesias de Maria Dolores - Serie TurnerPoesias de Maria Dolores - Serie Turner
Poesias de Maria Dolores - Serie Turner
Candice Gunther
 
Estudo do livro Roteiro lição 35
Estudo do livro Roteiro lição 35Estudo do livro Roteiro lição 35
Estudo do livro Roteiro lição 35
Candice Gunther
 
Viver com misericórdia
Viver com misericórdiaViver com misericórdia
Viver com misericórdia
Candice Gunther
 
Estudo do livro Roteiro lição 30
Estudo do livro Roteiro lição 30Estudo do livro Roteiro lição 30
Estudo do livro Roteiro lição 30
Candice Gunther
 
Estudo do livro Roteiro lição 27
Estudo do livro Roteiro lição 27Estudo do livro Roteiro lição 27
Estudo do livro Roteiro lição 27
Candice Gunther
 
Estudo do livro Roteiro lição 26
Estudo do livro Roteiro lição 26Estudo do livro Roteiro lição 26
Estudo do livro Roteiro lição 26
Candice Gunther
 
Estudo do livro Roteiro liçao 18
Estudo do livro Roteiro liçao 18Estudo do livro Roteiro liçao 18
Estudo do livro Roteiro liçao 18
Candice Gunther
 
Estudo do livro Roteiro lição 17
Estudo do livro Roteiro lição 17Estudo do livro Roteiro lição 17
Estudo do livro Roteiro lição 17
Candice Gunther
 

Mais de Candice Gunther (14)

Poesias Maria Dolores - Serie Max Rive
Poesias Maria Dolores - Serie Max RivePoesias Maria Dolores - Serie Max Rive
Poesias Maria Dolores - Serie Max Rive
 
A obra de Chico Xavier
A obra de Chico XavierA obra de Chico Xavier
A obra de Chico Xavier
 
Carta aos Corintios com Emmanuel - Sabedoria
Carta aos Corintios com Emmanuel - SabedoriaCarta aos Corintios com Emmanuel - Sabedoria
Carta aos Corintios com Emmanuel - Sabedoria
 
Dissensões
Dissensões Dissensões
Dissensões
 
Carta aos Coríntios com Emmanuel - A Cidade de Corinto
Carta aos Coríntios com Emmanuel - A Cidade de CorintoCarta aos Coríntios com Emmanuel - A Cidade de Corinto
Carta aos Coríntios com Emmanuel - A Cidade de Corinto
 
Estudo do livro Roteiro lição 39
Estudo do livro Roteiro lição 39Estudo do livro Roteiro lição 39
Estudo do livro Roteiro lição 39
 
Poesias de Maria Dolores - Serie Turner
Poesias de Maria Dolores - Serie TurnerPoesias de Maria Dolores - Serie Turner
Poesias de Maria Dolores - Serie Turner
 
Estudo do livro Roteiro lição 35
Estudo do livro Roteiro lição 35Estudo do livro Roteiro lição 35
Estudo do livro Roteiro lição 35
 
Viver com misericórdia
Viver com misericórdiaViver com misericórdia
Viver com misericórdia
 
Estudo do livro Roteiro lição 30
Estudo do livro Roteiro lição 30Estudo do livro Roteiro lição 30
Estudo do livro Roteiro lição 30
 
Estudo do livro Roteiro lição 27
Estudo do livro Roteiro lição 27Estudo do livro Roteiro lição 27
Estudo do livro Roteiro lição 27
 
Estudo do livro Roteiro lição 26
Estudo do livro Roteiro lição 26Estudo do livro Roteiro lição 26
Estudo do livro Roteiro lição 26
 
Estudo do livro Roteiro liçao 18
Estudo do livro Roteiro liçao 18Estudo do livro Roteiro liçao 18
Estudo do livro Roteiro liçao 18
 
Estudo do livro Roteiro lição 17
Estudo do livro Roteiro lição 17Estudo do livro Roteiro lição 17
Estudo do livro Roteiro lição 17
 

Último

Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Lourhana
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
ESCRIBA DE CRISTO
 
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docxPONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
ElijainaVelozoGonalv
 
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino FinalTornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
André Ricardo Marcondes
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
AlessandroSanches8
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Celso Napoleon
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
Nelson Pereira
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Nilson Almeida
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
ESCRIBA DE CRISTO
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
JonasRibeiro61
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Nilson Almeida
 
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdfAula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
SrgioLinsPessoa
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Celso Napoleon
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
ayronleonardo
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
ESCRIBA DE CRISTO
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
ESCRIBA DE CRISTO
 

Último (18)

Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
 
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
 
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docxPONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
 
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino FinalTornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
 
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdfAula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
 

Estudo do livro Roteiro lição 19

  • 1. Livro de Emmanuel Psicografia de Chico Xavier Evangelho e Simpatia Lição 19
  • 2.  O vernáculo nos define simpatia como “afinidade moral, similitude no sentir e no pensar que aproxima duas ou mais pessoas.” Também os espíritos nos falam desta atração entre os espíritos: “A simpatia que atrai um Espírito para outro resulta da perfeita concordância de seus pendores e instintos.” (questão 301 do Livro dos Espíritos).  A concordância nos atrai, assim, podemos concluir que o contrário, ou seja, a discordância, nos afasta. Será simples assim? Nossas relações humanas são complexas e nem sempre as palavras as alcançam, verdade é que nossa preferência é estar ao lado dos que nos são simpáticos.  Emmanuel nos dará a oportunidade de analisar a simpatia de forma muito mais ampla, eis que será o Cristo a nos ensinar este caminho para a felicidade.
  • 3.  Iniciemos a lição:  “Do apostolado de Jesus, destaca-se a simpatia por alicerce da felicidade humana.” Roteiro  A afirmativa de Emmanuel nos é de fácil assimilação se pensarmos em nossa vida cotidiana e em como nos sentimos diante de algumas pessoas. Se temos a alegria de ter um companheiro ou companheira de jornada em quem encontramos afinidade moral e similitude no sentir e no pensar, temos uma união feliz. De igual forma com os amigos e familiares que caminham conosco, quando estamos em sua companhia sentimos paz, tranquilidade, sentimos a alegria de podermos nos expressar livremente eis que nos encontramos entre pessoas que nos acolhem amorosamente.  Assim viveu Jesus, seus apóstolos não eram apenas aqueles que o seguiam e acatavam suas idéias e princípios, os apóstolos acima de tudo eram amigos queridos ao coração de Mestre, caminhavam juntos em profundo amor, compartilhavam suas atividades alegrando-se uns pelos outros e davam o testemunho de muito se amarem.
  • 4.  Vejamos mais um trecho da lição:  “A violência não consta da sua técnica de conquistar.  Ainda hoje, vemos vasta fileira de lidadores do sacerdócio usando, em nome dEle, a imposição e a crueldade; todavia, o Mestre, invariavelmente, pautou os seus ensinamentos nas mais amplas normas de respeito aos seus contemporâneos.” Roteiro  É preciso que respeitemos o tempo de cada um, como o Mestre nos ensinou. Para Pedro que negou-lhe na cruz, mostrou-se paciente e compassivo, aguardando o despertar da sua fé, para Judas, não esqueceu-se da amizade e do amor que lhe nutria, mesmo após seus desatinos em Jerusalém, mas, além túmulo, buscou-lhe a fim de amainar sua dor e seu sofrimento. Não há violência em Jesus, não há imposição ou crueldade em seus ensinos, reconhecemos em seus atos o mais profundo respeito por nossa condição evolutiva, tal qual um pai que ensina o filho a caminhar, seguindo perto para que não se machuque gravemente, sem, no entanto, impedi-lo de cair, dizendo-lhe, tão somente: levanta...continua...
  • 5.  Prossigamos com o livro Roteiro:  “Jamais faltou com o entendimento justo para com as pessoas e as situações.  Divino Semeador, sabia que não basta plantar os bons princípios e sim oferecer, antes de tudo, à semente favoráveis condições, necessárias à germinação e ao crescimento.” Roteiro  Compreender o próximo é acima de tudo colocar-se em seu lugar num ato de compaixão. Chico Xavier dizia que é preciso uma gota de verdade num litro de amor, reconhecendo que apenas o amor fará os mais belos princípios germinar e será sempre um movimento de dentro para fora.
  • 6.  Nem sempre, porém, compreendemos ou somos compreendidos e nestas horas é bom recordarmos o ensinamento de Jesus a Pedro:  “Pedro, o amor verdadeiro e sincero nunca espera recompensas. A renúncia é o seu ponto de apoio, como o ato de dar é a essência de sua vida. A capacidade de sentir grandes afeições já é em si mesma um tesouro. A compreensão de um amigo deve ser para nós a maior recompensa. Todavia, quando a luz do entendimento tardar no espírito daqueles a quem amamos, deveremos lembrar-nos de que temos a sagrada compreensão de Deus, que nos conhece os propósitos mais puros. Ainda que todos os nossos amigos do mundo se convertessem, um dia, em nossos adversários, ou mesmo em nossos algozes, jamais nos poderiam privar da alegria infinita de lhes haver dado alguma coisa!...” Humberto de Campos – Boa Nova.
  • 7.  Prossigamos com a lição:  “Certo, em se tratando do interesse coletivo, Jesus não menoscaba a energia benéfica.  Exprobra o comercialismo desenfreado que humilha o Templo, quanto profliga os erros de sua época.  Entretanto, diante das criaturas dominadas pelo mal, enche-se de profunda compaixão e tolerância construtivas.” Roteiro
  • 8.  Jesus não se omite diante do erro, não compactua com os desvarios da sociedade de seu tempo, porém, ele não combate quem erra, não agride, não condena. Usa da compaixão e da tolerância construtivas.  É interessante Emmanuel usar o termo “construtivas” agregado à compaixão e a tolerância. O que isto nos quer dizer e alertar?  A palavra é o instrumento escolhido por Deus para nos comunicarmos e com ela nos aproximamos das pessoas, despertando bons sentimentos e ou não. Nem sempre nos lembraremos, porém, das palavras que ouvimos de alguém, não obstante, raramente nos esquecemos de como nos sentimos diante de alguém, se a sensação foi boa, reconfortante, guardamos isto na lembrança, de igual forma, o contrário também é uma forte lembrança. E nisto reside o que construímos no coração daqueles que estiveram em nossa presença, a palavra é apenas o meio para chegarmos ao outro, mas é a forma como a pessoa se sente que define se fizemos ou não bom uso da palavra.
  • 9.  Jesus nos ensina a termos uma atitude construtiva, ao expressarmos a compaixão e a tolerância, porque até mesmo estes sentimentos reconhecidamente nobres podem humilhar e ferir a quem os recebe.  Humberto de Campos, no livro Boa Nova nos auxilia a compreender estes dizeres: “Os verdadeiros discípulos das verdades do céu, esses não aprovam o erro, nem exterminam os que os sustentam. Trabalham pelo bem, porque sabem que Deus também está trabalhando."
  • 10. Sigamos em frente. “Aos enfermos não indaga quando à causa das aflições que os vergastam, para irritá-los com reclamações. Auxilia-os e cura-os. Os apontamentos que dirige aos pecadores e transviados são recomendações doces e sutis.” Roteiro
  • 11.  O Evangelho de Marcos, logo em seu início nos conta das curas que Jesus realizou e mostra-nos como é verdadeira a assertiva de Emmanuel:  - A sogra de Pedro: “E a sogra de Simão estava deitada com febre; e logo lhe falaram dela. Então, chegando-se a ela, tomou-a pela mão, e levantou-a; e imediatamente a febre a deixou, e servia-os.” Marcos 1:30,31  - Cura dos Enfermos e Endemoninhados: “E, tendo chegado a tarde, quando já se estava pondo o sol, trouxeram-lhe todos os que se achavam enfermos, e os endemoninhados. E toda a cidade se ajuntou à porta. E curou muitos que se achavam enfermos de diversas enfermidades, e expulsou muitos Marcos 1:32-34  - Cura de um leproso: “E aproximou-se dele um leproso que, rogando-lhe, e pondo-se de joelhos diante dele, lhe dizia: Se queres, bem podes limpar-me. E Jesus, movido de grande compaixão, estendeu a mão, e tocou-o, e disse-lhe: Quero, sê limpo. E, tendo ele dito isto, logo a lepra desapareceu, e ficou limpo. Marcos 1:40-42
  • 12.  Auxiliar e curar são os verbos que estamos convidados a aprender. Muitas vezes somos movidos pela curiosidade, queremos conhecer a causa, sem maldade ou má intenção, mas isto pode ferir ou mesmo reacender dores sem necessidade alguma. Se apenas a caridade nos mover, estaremos aptos a agir como Jesus, auxiliando e curando os que passam pelo nosso caminhar.  Emmanuel também nos diz que Jesus usava recomendações doces e sutis. Há tanta dor no mundo e em nossos corações que muitas vezes, em nome de uma suposta ajuda, projetamos no outro os nossos sentimentos e em vez de auxiliar, aumentamos a dor e o sofrimento. A docilidade de Jesus consistia em respeitar o tempo de cada um, esperando pacientemente pelo desabrochar da alma. E sua paciência até hoje nos assiste e nos espera, porém, é chegada a hora de nos deixarmos curar para termos a vida plena a que o Mestre veio nos convidar.
  • 13.  Sigamos com o livro Roteiro.  “Ao doente curado do Tanque de Betesda, explica despretensioso: - Vai e não reincidas no erro para que te não aconteça coisa pior.” Roteiro  Dentro de uma simbologia belíssima e muito rica, João nos conta no capítulo 5 do seu Evangelho a cura do doente de Betesda. Da leitura e estudo do trecho podemos ver que o doente buscava a cura, esperava por ela, ao que foi atendido. Jesus não o acusa, apenas o aconselha no sentido de que não faça novamente o que estava fazendo por que algo de pior lhe poderia acontecer. Um conselho amoroso.  Eis nosso Mestre, eis o modelo. Estamos aptos a segui-lo?
  • 14.  Vejamos mais um exemplo trazido por Emmanuel no livro Roteiro.  “À pobre mulher, apedrejada na praça pública, adverte, bondoso: _ Vai e não peques mais. Não indica o inferno às vitimas da sombra. Reergue-as, compassivo, e acende-lhes nova luz. Compreende os problemas e as lutas de cada um.” Roteiro  Ainda hoje há quem queira divulgar o cristianismo incutindo medo nos corações, seja o inferno ou em termos espíritas, o umbral. Mas não é esta a mensagem de Jesus nem do cristianismo. Sem dúvida nossos atos geram consequências, boas ou ruins, e somos responsáveis por nosso agir e pensar, no entanto, o erro é inerente ao ser humano, somos todos criaturas falhas e, como a mulher que seria apedrejada, precisamos nos reerguer e seguir em frente.
  • 15.  A beleza da presença do Cristo em nossas vidas é perceber que quando todos estiverem lhe condenando, acusando, apontando seus desenganos, bastará relembrarmos a história da mulher adúltera para perceber que Jesus nos compreende e, compassivo, vem iluminar a nossa estrada e nos reerguer.  A compreensão anda na contramão do julgamento. Estamos aptos a seguir este caminho?
  • 16. Sigamos em frente com as lições do livro Roteiro. “Atrai as crianças a si, compadecidamente, infundindo nova confiança aos corações maternos. Sabe que Pedro é frágil, mas não desespera e confia nele. Contempla o torvo drama do espírito de Judas, no entanto, não o expulsa. Reconhece que a maioria dos beneficiários não se revelam à altura das concessões que solicitam, contudo, não lhes nega assistência.” Roteiro
  • 17.  Poucos no mundo merecem as benesses que a vida lhes oferece, em geral, recebemos muito mais do que merecemos e isto reside no fato de que estamos aqui, justamente, para aprender sobre o que é amar e ser amado.  O amor que Jesus nos dirige é incondicional e puro. Ele não nos pede que sejamos primeiramente bons para depois nos abraçar, ele primeiro nos acolhe em seus braços para que sintamos a força do amor que ele nutre por nós e, então, nos convida a espalhar este sentimento.  Crianças, Pedro, Judas, nós, quem poderia levantar-se e dizer-se merecedor de tão profundo amor? Quantas vezes já nos esquecemos de Jesus distraídos em nossas brincadeiras infantis de espíritos ainda tão ligados a matéria? Quantas vezes não negamos Jesus com nossas atitudes e palavras ainda tão cheias de orgulho e egoísmo? Quantas vezes não trocamos os ensinamentos do Mestre por vantagens que o mundo oferece, não apenas as próprias da matéria, mas também aqueles que transitam no poder e na vaidade?  Não obstante a nossa pequenez, Cristo permanece trabalhando por nós e pelo planeta que nos acolhe. Já não é ora de fazermos a nossa parte? Retribuindo onde pudermos este infinito amor que recebemos todos os dias?
  • 18. Caminhemos mais um pouco com esta belíssima lição do livro Roteiro. “Preso, recompõe e orelha de Malco, o soldado. À frente de Pilatos e da Ántipas, não pede providências suscetíveis de lançar a discórdia, ainda mesmo a título de preservação da justiça. Longe de impacientar-se com a presença dos malfeitores que também sofreram a crucificação, inclina-se amistosamente para eles e busca entendê-los e encoraja-los.” Roteiro
  • 19.  Não basta a Jesus cuidar dos pobres e oprimidos, dos doentes e desconsolados, dos frágeis e equivocados, ele auxilia os que não o compreendem, quer o bem pelo bem, porque já sabe que o amor é a única porta que leva ao Pai Celestial.  Nós ainda transitamos pelo mundo experimentando as diversas portas que o orgulho oferece, ora é a vaidade, a prepotência, a arrogância de achar-se melhor que o outro. Jesus, porém, abre apenas uma porta com suas palavras e atitudes, que é a do amor.  Todos os seus pensamentos e atitudes nos encaminham para pensamentos amorosos, pacíficos e repletos de esperança, e isto decorre do amor que nos endereça que, como disse Paulo aos Corintios: “tudo espera, tudo suporta, tudo crê.” (Primeira Carta aos Coríntios, cap. 13)
  • 20.  Encaminhando-nos para o final, vejamos mais um trecho:  “Á turba que o rodeia com palavrões e cutiladas envia pensamentos de paz e votos de perdão. E, ainda além da morte, não foge aos companheiros que fugiram. Materializa-se, diante deles, induzindo-os ao serviço da regeneração humana, com o incentivo de sua presença e de seu amor, até ao fim da luta.” Roteiro  O exemplo de Jesus nos convida a refletir: Quando nos defrontamos com notícias de lutas, guerras, conflitos, desastres, como fica o nosso pensamento? Quando nossos companheiros de jornada se mostram insensíveis ao nosso chamar, qual a nossa postura?  É no pensamento que tudo nasce e se materializa, é nele que nossa vontade encontra as molas propulsoras e dá as diretrizes para a nossa vida. Jesus tinha pensamentos de paz e votos de perdão, o que nós temos?  E se não temos ainda pensamentos e atitudes de fraternidade, o que estamos fazendo para construi-los?
  • 21.  Encerrando a lição.  “Em todas as passagens do Evangelho, perante o coração humano, sentimos no Senhor o campeão da simpatia, ensinando como sanar o mal e construir o bem. E desde a Manjedoura, sob a sua divina inspiração, um novo caminho redentor se abre aos homens, no rumo da paz e da felicidade, com bases no auxílio mútuo e no espírito de serviço, na bondade e na confraternização.” Roteiro  Somos simpáticos aos que se assemelham a nós, diante da afinidade que sentimos. Jesus quando nos olha, percebe não apenas a pedra bruta que está sendo lapidada, mas o belo diamante que nos tornaremos quando atingirmos patamares evolutivos mais ricos e sólidos. Isto o torna simpático a nós no sentido apresentado pelo vernáculo logo no início do estudo, a afinidade que o Mestre sente decorre de seu amor, mas também de sua sabedoria, eis que nos reconhece irmãos em trajetória evolutiva, filhos do Pai Celestial que a todos criou e a todos guia, hoje e sempre.
  • 22.  O Mestre anda a nossa frente, mas é chegada a hora de aprendermos a andar com Ele, permitindo que ensinamentos simples como a gentileza, a alegria de estar junto de alguém, nos acompanhem também, é chegada a hora de vivermos a fraternidade em sua mais simples expressão.  Que Jesus nos auxilie para que sejamos, cada vez mais, pessoas que simpatizam com a dor e os problemas alheios, levando um pouco de alento e paz aos corações assombrados.  Deixemos sua luz brilhar, finalmente, dentro de nós.