SlideShare uma empresa Scribd logo
Caminho Ordo Amoris
 O curso Fio de Ouro faz parte do CAMINHO ORDO
AMORIS, um programa de formação humana para
autoconhecimento e cura interior, com o objetivo de
ordenar para o amor as áreas e experiências da vida
humana, levando à maturidade da vida cristã e ao
concreto testemunho de santidade.
 Atualmente o programa é composto de 5
retiros/cursos que utilizam uma metodologia
oracional, ensinos específicos, acompanhamentos e
outros recursos de aprofundamento: “És precioso”,
“Curados para amar”, “Tecendo o Fio de Ouro “,
“Liberdade Interior” e “Maturidade Humana”.
 O curso TECENDO O FIO DE OURO em 8 semanas
é um curso aberto voltado para o autoconhecimento,
reconciliação com a história pessoal, ordenação das
necessidades e valores, cura da identidade,
discernimento do estado de vida e cura da
afetividade.
 Um dos segredos do Caminho Ordo Amoris é o
acompanhamento. Serão 2 acompanhamentos.
 O tempo desse acompanhamento é determinado: nem
mais nem menos que 30 minutos para a pessoa falar
e receber oração.
 Bíblia – é INDISPENSÁVEL o uso da Palavra de
Deus.
 Caderno – cada formando deverá ter um
caderno grosso única e exclusivamente para o
curso e seus exercícios, pois é absolutamente
necessário que se escreva tudo.
 Livro – o ideal é que todos os participantes
tenham o livro correspondente ao retiro do
curso.
O Homem Livre e Responsável
Qual a lei que rege o homem?
O sofrimento tem sentido?
O Pecado e a culpa
O passado do homem, de cada
homem, não pode ser
considerado um destino.
Pe. Amadeu Cencini
 Quem manda/determina em minha vida:
1. Deus ou as circunstâncias?
2. O inconsciente ou a razão?
 Se dizemos que “Jesus é o nosso senhor”,
precisamos crer que ele é o senhor de tudo:
passado, presente e futuro.
 Mais do que isto: precisamos crer e
dar a Deus o senhorio de tudo, não
apenas de forma intelectual, mas
existencial.
 Não podemos ignorar o poder da
Graça de Deus e da ressurreição de
Cristo, que penetra em todas as
áreas do nosso ser.
 O Homem é um ser espiritual, e sendo
espírito, é livre e responsável por sua própria
vida e desenvolvimento.
 Você sempre pode mudar o seu presente e
com isso, mudar o seu futuro.
 Essa é uma expressão típica da liberdade do
ser humano.
 O Homem começa a exercer o dom
da liberdade quando se torna
sujeito de sua existência, quando se
possui.
 Quando aprende a dar significado à
sua existência e aos fatos de sua
vida.
 O passado do homem, de cada homem, não
pode ser considerado um destino, como algo
que aconteceu e terá uma fatal continuação,
sem qualquer outra opção possível.
 NÃO!
 O princípio de base é este: o homem pode não
ser responsável pelo seu passado, mas é
responsável pela atitude que assumir, no
presente, em face desse passado.
 A Graça de Deus é continuamente derramada
sobre nós.
 Em nenhum momento Deus nos deixa sem o
auxílio da Graça para nos santificar, amadurecer e
curar.
 Para tanto, porém, precisamos estar abertos à
Graça de Deus e dar passos de adesão à ela:
buscar a oração, o estudo da Palavra de Deus, a
prática dos sacramentos (Eucaristia, Confissão) e
da adoração ao Santíssimo.
 Há casos que necessitam de
acompanhamento espiritual, uma direção
espiritual.
 Há casos graves, que já se tornaram
patologias psíquicas ou físicas, que
necessitam de apoio profissional.
 Porém, em todos os casos, é preciso dar
abertura à Graça de Deus, que agirá através
do perdão, da reconciliação.
É preciso tomar todos os dias,
corajosamente, o jugo da vida
real, com suas dores,
desafios, combates,
limitações e seguir, confiante
que não falta a força, a graça
do Espírito Santo para
suportá-las.
 O sofrimento é uma possibilidade, inerente à
história humana.
 Como parte inerente a vida, quem recusa o
sofrimento recusa-se a viver.
 O sofrimento não é uma realidade querida por
Deus.
 É fruto do pecado.
 É causado pela a ausência de um bem.
 O medo do sofrimento causa mais dor que o
próprio sofrimento.
 É preciso tomar todos os dias, corajosamente,
o jugo da vida real, com suas dores, desafios,
combates, limitações, a sua cruz no
seguimento de Cristo e seguir, confiante que
não falta a força, a graça do Espírito Santo
para suportá-las.
 Não existe nada no mal além do próprio mal.
 As contrariedades nos ajudam a caminhar
diante de Deus e de sua verdade.
 Quando não aceitamos um sofrimento,
perdemos a esperança, somos tomados pela
revolta, pelo ressentimento, pelas inquietações
que nos tiram a paz.
 Quando temos a graça de acolher o sofrimento,
ele se torna imediatamente menos doloroso.
 Essa aceitação é ato de liberdade interior.
 “Um sofrimento vivido na paz não é mais
sofrimento” (Santo Cura d’Ars)
 Nossa liberdade tem sempre este poder
maravilhoso de daquilo que nos é tirado
(vida, saúde, emprego, relacionamentos, etc)
algo que é ofertado.
 Quando ofertamos o que nos é tirado e nos
causa dor, o que o mundo chama de
“destino” torna-se livre escolha, o
constrangimento torna-se amor, a perda
torna-se fecundidade.
 O sofrimento é um grande mistério, que
Jesus Cristo vivenciou de maneira
perfeitíssima, dando-lhe sentido ao
ordená-lo para o amor até o extremo.
 Ordenando o sofrimento para o amor,
podemos quebrar o seu poder
destrutivo.
 O homem não tem poder de mudar tudo ao
seu redor, mas com a Graça de Deus,
dispõe da faculdade de dar um sentido
novo a tudo, mesmo ao que não tem
sentido.
 Pela nossa liberdade, não há nenhum
acontecimento de nossa vida que não possa
receber um novo significado, um
significado positivo, ser expressão do amor,
tornar-se abandono, confiança, esperança,
oferta...
Nada poderá nos
afastar do amor de
Deus.
Deus não desiste de
nós quando pecamos.
 Deus não sabe fazer outra coisa a não ser amar.
 Deus nunca nos condena. Deus apenas nos ama.
 A misericórdia de Deus é sua justiça. A justiça de
Deus é sua misericórdia.
 Deus perdoa todos os pecados do homem, por
piores que tenham sido, desde que haja
arrependimento.
 A misericórdia, na realidade, está acompanhada do
perdão, e Deus perdoa sempre aquele que lhe pedir
esse perdão.
 Arrependimento é um dom, uma graça. O
sentimento de culpa não.
 O arrependimento vem de Deus. A culpa vem
do demônio. Porque quem nos acusa é o
demônio. Deus nunca nos acusa.
 O arrependimento leva a conversão.
 A culpa leva à paralisia espiritual, à
depressão, nos afasta da misericórdia de
Deus e do convívio humano.
 A culpa pode nos levar a cometer o pior dos
pecados: o pecado contra o Espírito Santo.
 Aprisionados à culpa, não nos abrimos à
misericórdia e ao amor de Deus.
 E quando aprisionamos o outro à culpa, não
nos permitimos ser livres para amar e
perdoar, nos afastando assim do amor de
Deus.
Acolher e ordenar para o amor
o nosso passado
Viver o presente de forma livre e responsável
 Inicie o PVP orando com ele durante uns 10 minutos.
 Em seguida, responda em seu caderno, de forma concisa,
as perguntas:
1. Segundo o que percebi nesta primeira parte, qual
aspecto ou área do meu passado preciso ainda ordenar
para o amor?
2. Tome cada aspecto e responda sobre ele as seguintes
questões:
Como estou, como gostaria de estar/ser? O que preciso
fazer para isso? Que meios/ajuda vou utilizar para este
fim? Quando farei isso? Que prazo estabeleço para
atingir esse objetivo?
Áreas
Como estou
Como
gostaria de
ser/estar
O que
preciso
fazer para
isto?
Que meios
vou utilizar
para este
fim?
Quando
farei isso?
Relaciona
mento
abalado
com
minha
avó
Muito
ressenti
do. Nem
quero
vê-la
Próximo
a ela,
tendo-a
como
amiga,
amando
Perdoá-
la,
tratá-la
como se
nada
tivesse
aconteci
do,
conversa
r com
ela,
abrir
mão do
ressenti
mento...
1.Oraçã
o
2.Telefo
nar
3.Ir à
casa
dela
4.Fazer
Leccio
Divina
com
Mt 5,
aplican
do ao
nosso
1.Na
oração
pessoa
l
2.Todo
doming
o, às
11h
3.No dia
x
desse
mês
4.No
meu
estudo
Você pode colocar quantas áreas achar que precisa ordenar.
Uma vez por semana você deverá fazer a avaliação de seu
plano e atualizá-lo.
 1ª Semana:
No momento da oração pessoal, faça os
exercícios recomendados no Capítulo I, II, III,
IV e V da Parte I.
 2ª Semana:
• Conforme o que foi visto na palestra,
ainda com a Parte I, leia, reze e faça os
exercícios dos capítulos XIV a XVIII.
SEMPRE: escreva tudo

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Reconhecendo a paternidade de deus
Reconhecendo a paternidade de deusReconhecendo a paternidade de deus
Reconhecendo a paternidade de deus
Damaris Vieira
 
éTica cristã slides
éTica cristã   slideséTica cristã   slides
éTica cristã slides
Jose Ventura
 
Teorias do conhecimento
Teorias do conhecimentoTeorias do conhecimento
Teorias do conhecimento
Felipe Saraiva Nunes de Pinho
 
Racionalismo x Empirismo
Racionalismo x EmpirismoRacionalismo x Empirismo
Racionalismo x Empirismo
Leonardo Leitão
 
A aprendizagem na perspectiva humanista: Carl R. Rogers - Ferreira.
A aprendizagem na perspectiva humanista: Carl R. Rogers - Ferreira.A aprendizagem na perspectiva humanista: Carl R. Rogers - Ferreira.
A aprendizagem na perspectiva humanista: Carl R. Rogers - Ferreira.
Gabriel De Oliveira Soares
 
Como planejar um culto ao ar livre
Como planejar um  culto ao ar livreComo planejar um  culto ao ar livre
Como planejar um culto ao ar livre
felipe_higa
 
Introdução à fenomenologia
Introdução à fenomenologiaIntrodução à fenomenologia
Introdução à fenomenologia
Felipe Saraiva Nunes de Pinho
 
Aula02 - Metafísica
Aula02 - MetafísicaAula02 - Metafísica
Aula02 - Metafísica
William Ananias
 
Estudo BíBlico Ser E Fazer DiscíPulos, Eis A MissãO
Estudo BíBlico Ser E Fazer DiscíPulos, Eis A MissãOEstudo BíBlico Ser E Fazer DiscíPulos, Eis A MissãO
Estudo BíBlico Ser E Fazer DiscíPulos, Eis A MissãO
guestd0fe75
 
Kant - Prof. Altair Aguilar
Kant  - Prof. Altair AguilarKant  - Prof. Altair Aguilar
Kant - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Filosofia medieval
Filosofia medievalFilosofia medieval
Filosofia medieval
Janimara
 
Filosofia - Idealismo Alemão e outros
Filosofia - Idealismo Alemão e outrosFilosofia - Idealismo Alemão e outros
Filosofia - Idealismo Alemão e outros
Rodrigo Moysés
 
estudo biblico
estudo biblicoestudo biblico
estudo biblico
valmarques
 
Fluxograma filosofia
Fluxograma filosofiaFluxograma filosofia
Fluxograma filosofia
katiagomes89
 
Genealogia da moral nietzsche
Genealogia da moral  nietzscheGenealogia da moral  nietzsche
Genealogia da moral nietzsche
masalas
 
A necessidade de frutificar
A necessidade de frutificarA necessidade de frutificar
A necessidade de frutificar
mario nunes
 
Ética Platão
Ética PlatãoÉtica Platão
Ética Platão
João Paulo Rodrigues
 
Kant criticismo e deontologia
Kant criticismo e deontologiaKant criticismo e deontologia
Kant criticismo e deontologia
Mara Rodrigues Pires
 
Dogmatismo 22
Dogmatismo 22Dogmatismo 22
Dogmatismo 22
Alexandre Misturini
 
Apresentação de romanos 10.pptx
Apresentação de romanos 10.pptxApresentação de romanos 10.pptx
Apresentação de romanos 10.pptx
João Carlos Butske da Silva
 

Mais procurados (20)

Reconhecendo a paternidade de deus
Reconhecendo a paternidade de deusReconhecendo a paternidade de deus
Reconhecendo a paternidade de deus
 
éTica cristã slides
éTica cristã   slideséTica cristã   slides
éTica cristã slides
 
Teorias do conhecimento
Teorias do conhecimentoTeorias do conhecimento
Teorias do conhecimento
 
Racionalismo x Empirismo
Racionalismo x EmpirismoRacionalismo x Empirismo
Racionalismo x Empirismo
 
A aprendizagem na perspectiva humanista: Carl R. Rogers - Ferreira.
A aprendizagem na perspectiva humanista: Carl R. Rogers - Ferreira.A aprendizagem na perspectiva humanista: Carl R. Rogers - Ferreira.
A aprendizagem na perspectiva humanista: Carl R. Rogers - Ferreira.
 
Como planejar um culto ao ar livre
Como planejar um  culto ao ar livreComo planejar um  culto ao ar livre
Como planejar um culto ao ar livre
 
Introdução à fenomenologia
Introdução à fenomenologiaIntrodução à fenomenologia
Introdução à fenomenologia
 
Aula02 - Metafísica
Aula02 - MetafísicaAula02 - Metafísica
Aula02 - Metafísica
 
Estudo BíBlico Ser E Fazer DiscíPulos, Eis A MissãO
Estudo BíBlico Ser E Fazer DiscíPulos, Eis A MissãOEstudo BíBlico Ser E Fazer DiscíPulos, Eis A MissãO
Estudo BíBlico Ser E Fazer DiscíPulos, Eis A MissãO
 
Kant - Prof. Altair Aguilar
Kant  - Prof. Altair AguilarKant  - Prof. Altair Aguilar
Kant - Prof. Altair Aguilar
 
Filosofia medieval
Filosofia medievalFilosofia medieval
Filosofia medieval
 
Filosofia - Idealismo Alemão e outros
Filosofia - Idealismo Alemão e outrosFilosofia - Idealismo Alemão e outros
Filosofia - Idealismo Alemão e outros
 
estudo biblico
estudo biblicoestudo biblico
estudo biblico
 
Fluxograma filosofia
Fluxograma filosofiaFluxograma filosofia
Fluxograma filosofia
 
Genealogia da moral nietzsche
Genealogia da moral  nietzscheGenealogia da moral  nietzsche
Genealogia da moral nietzsche
 
A necessidade de frutificar
A necessidade de frutificarA necessidade de frutificar
A necessidade de frutificar
 
Ética Platão
Ética PlatãoÉtica Platão
Ética Platão
 
Kant criticismo e deontologia
Kant criticismo e deontologiaKant criticismo e deontologia
Kant criticismo e deontologia
 
Dogmatismo 22
Dogmatismo 22Dogmatismo 22
Dogmatismo 22
 
Apresentação de romanos 10.pptx
Apresentação de romanos 10.pptxApresentação de romanos 10.pptx
Apresentação de romanos 10.pptx
 

Semelhante a O Homem Livre e Responsável

Liberdade interior 2
Liberdade interior 2Liberdade interior 2
Liberdade interior 2
Andréia Gripp
 
Grupo de aconselhamnto
Grupo de aconselhamntoGrupo de aconselhamnto
Grupo de aconselhamnto
MAE, DONA DE CASA
 
Em Que Estou melhorando
Em Que Estou melhorandoEm Que Estou melhorando
Em Que Estou melhorando
Idéias Luz
 
Muitas vidas muitos mestres
Muitas vidas muitos mestresMuitas vidas muitos mestres
Muitas vidas muitos mestres
Miro Mendonza
 
Muitas Vidas, Muitos Mestres
Muitas Vidas, Muitos MestresMuitas Vidas, Muitos Mestres
Muitas Vidas, Muitos Mestres
vaniasampa2012
 
Liberdade interior 3
Liberdade interior 3Liberdade interior 3
Liberdade interior 3
Andréia Gripp
 
FUGINDO DE DEUS
FUGINDO DE DEUSFUGINDO DE DEUS
FUGINDO DE DEUS
Lc Passold
 
Muitas vidas muitos mestres
Muitas vidas muitos mestresMuitas vidas muitos mestres
Muitas vidas muitos mestres
JNR
 
Muitas Vidas, Muitos Mestres.
Muitas Vidas, Muitos Mestres.Muitas Vidas, Muitos Mestres.
Muitas Vidas, Muitos Mestres.
contatodoutrina2013
 
60 oportunidades de praticar o bem
60 oportunidades de praticar o bem60 oportunidades de praticar o bem
60 oportunidades de praticar o bem
Antonio SSantos
 
(28) Cura Interior.pdf
(28) Cura Interior.pdf(28) Cura Interior.pdf
(28) Cura Interior.pdf
LeonardoRangelCruz
 
A procura da felicidade
A procura da felicidadeA procura da felicidade
A procura da felicidade
Olga Lopes Gonçalo
 
O dia da caridade
O dia da caridadeO dia da caridade
O dia da caridade
Helio Cruz
 
Muitas vidas, muitos mestres.
Muitas vidas, muitos mestres.Muitas vidas, muitos mestres.
Muitas vidas, muitos mestres.
Portal SER - Saúde, Energia & Resgate
 
Muitas vidas, muitos mestres.
Muitas vidas, muitos mestres.Muitas vidas, muitos mestres.
Muitas vidas, muitos mestres.
elizacouto
 
49399532 servindo-a-deus
49399532 servindo-a-deus49399532 servindo-a-deus
49399532 servindo-a-deus
Antonio Ferreira
 
Eu superior o verdadeiro mestre apostila 05
Eu superior o verdadeiro mestre   apostila 05Eu superior o verdadeiro mestre   apostila 05
Eu superior o verdadeiro mestre apostila 05
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Traumas emocionais benne den
Traumas emocionais   benne denTraumas emocionais   benne den
Traumas emocionais benne den
Gabriela Villar
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
ConservoConstrues
 
Boletim o pae julho 2018
Boletim o pae   julho 2018Boletim o pae   julho 2018
Boletim o pae julho 2018
O PAE PAE
 

Semelhante a O Homem Livre e Responsável (20)

Liberdade interior 2
Liberdade interior 2Liberdade interior 2
Liberdade interior 2
 
Grupo de aconselhamnto
Grupo de aconselhamntoGrupo de aconselhamnto
Grupo de aconselhamnto
 
Em Que Estou melhorando
Em Que Estou melhorandoEm Que Estou melhorando
Em Que Estou melhorando
 
Muitas vidas muitos mestres
Muitas vidas muitos mestresMuitas vidas muitos mestres
Muitas vidas muitos mestres
 
Muitas Vidas, Muitos Mestres
Muitas Vidas, Muitos MestresMuitas Vidas, Muitos Mestres
Muitas Vidas, Muitos Mestres
 
Liberdade interior 3
Liberdade interior 3Liberdade interior 3
Liberdade interior 3
 
FUGINDO DE DEUS
FUGINDO DE DEUSFUGINDO DE DEUS
FUGINDO DE DEUS
 
Muitas vidas muitos mestres
Muitas vidas muitos mestresMuitas vidas muitos mestres
Muitas vidas muitos mestres
 
Muitas Vidas, Muitos Mestres.
Muitas Vidas, Muitos Mestres.Muitas Vidas, Muitos Mestres.
Muitas Vidas, Muitos Mestres.
 
60 oportunidades de praticar o bem
60 oportunidades de praticar o bem60 oportunidades de praticar o bem
60 oportunidades de praticar o bem
 
(28) Cura Interior.pdf
(28) Cura Interior.pdf(28) Cura Interior.pdf
(28) Cura Interior.pdf
 
A procura da felicidade
A procura da felicidadeA procura da felicidade
A procura da felicidade
 
O dia da caridade
O dia da caridadeO dia da caridade
O dia da caridade
 
Muitas vidas, muitos mestres.
Muitas vidas, muitos mestres.Muitas vidas, muitos mestres.
Muitas vidas, muitos mestres.
 
Muitas vidas, muitos mestres.
Muitas vidas, muitos mestres.Muitas vidas, muitos mestres.
Muitas vidas, muitos mestres.
 
49399532 servindo-a-deus
49399532 servindo-a-deus49399532 servindo-a-deus
49399532 servindo-a-deus
 
Eu superior o verdadeiro mestre apostila 05
Eu superior o verdadeiro mestre   apostila 05Eu superior o verdadeiro mestre   apostila 05
Eu superior o verdadeiro mestre apostila 05
 
Traumas emocionais benne den
Traumas emocionais   benne denTraumas emocionais   benne den
Traumas emocionais benne den
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
 
Boletim o pae julho 2018
Boletim o pae   julho 2018Boletim o pae   julho 2018
Boletim o pae julho 2018
 

Mais de Andréia Gripp

Como escrever para sites e jornais católicos
Como escrever para sites e jornais católicosComo escrever para sites e jornais católicos
Como escrever para sites e jornais católicos
Andréia Gripp
 
A igreja diante da cultura midiática digital (artigo completo)
A igreja diante da cultura midiática digital (artigo completo)A igreja diante da cultura midiática digital (artigo completo)
A igreja diante da cultura midiática digital (artigo completo)
Andréia Gripp
 
Da pastoral dos meios para uma pastoral da comunicação
Da pastoral dos meios para uma pastoral da comunicaçãoDa pastoral dos meios para uma pastoral da comunicação
Da pastoral dos meios para uma pastoral da comunicação
Andréia Gripp
 
A ação pastoral da Igreja diante da cultura midiática digital
A ação pastoral da Igreja diante da cultura midiática digital A ação pastoral da Igreja diante da cultura midiática digital
A ação pastoral da Igreja diante da cultura midiática digital
Andréia Gripp
 
Comunicação, missão e corresponsabilidade na cultura midiática digital
Comunicação, missão e corresponsabilidade na cultura midiática digitalComunicação, missão e corresponsabilidade na cultura midiática digital
Comunicação, missão e corresponsabilidade na cultura midiática digital
Andréia Gripp
 
A igreja diante da cultura midiática digital (Eclesiocom)
A igreja diante da cultura midiática digital (Eclesiocom)A igreja diante da cultura midiática digital (Eclesiocom)
A igreja diante da cultura midiática digital (Eclesiocom)
Andréia Gripp
 
Liberdade interior 1
Liberdade interior 1Liberdade interior 1
Liberdade interior 1
Andréia Gripp
 
Deus como pessoa
Deus como pessoaDeus como pessoa
Deus como pessoa
Andréia Gripp
 
Coerência de vida e maturidade humana
Coerência de vida e maturidade humanaCoerência de vida e maturidade humana
Coerência de vida e maturidade humana
Andréia Gripp
 
A igreja como fonte da boa notícia
A igreja como fonte da boa notíciaA igreja como fonte da boa notícia
A igreja como fonte da boa notícia
Andréia Gripp
 
Pascom nos Documentos da Igreja - do Inter Mirifica (1963) ao Rápido Desenvol...
Pascom nos Documentos da Igreja - do Inter Mirifica (1963) ao Rápido Desenvol...Pascom nos Documentos da Igreja - do Inter Mirifica (1963) ao Rápido Desenvol...
Pascom nos Documentos da Igreja - do Inter Mirifica (1963) ao Rápido Desenvol...
Andréia Gripp
 
O texto jornalístico na comunicação eclesial
O texto jornalístico na comunicação eclesialO texto jornalístico na comunicação eclesial
O texto jornalístico na comunicação eclesial
Andréia Gripp
 
Como implantar a Pascom
Como implantar a PascomComo implantar a Pascom
Como implantar a Pascom
Andréia Gripp
 

Mais de Andréia Gripp (13)

Como escrever para sites e jornais católicos
Como escrever para sites e jornais católicosComo escrever para sites e jornais católicos
Como escrever para sites e jornais católicos
 
A igreja diante da cultura midiática digital (artigo completo)
A igreja diante da cultura midiática digital (artigo completo)A igreja diante da cultura midiática digital (artigo completo)
A igreja diante da cultura midiática digital (artigo completo)
 
Da pastoral dos meios para uma pastoral da comunicação
Da pastoral dos meios para uma pastoral da comunicaçãoDa pastoral dos meios para uma pastoral da comunicação
Da pastoral dos meios para uma pastoral da comunicação
 
A ação pastoral da Igreja diante da cultura midiática digital
A ação pastoral da Igreja diante da cultura midiática digital A ação pastoral da Igreja diante da cultura midiática digital
A ação pastoral da Igreja diante da cultura midiática digital
 
Comunicação, missão e corresponsabilidade na cultura midiática digital
Comunicação, missão e corresponsabilidade na cultura midiática digitalComunicação, missão e corresponsabilidade na cultura midiática digital
Comunicação, missão e corresponsabilidade na cultura midiática digital
 
A igreja diante da cultura midiática digital (Eclesiocom)
A igreja diante da cultura midiática digital (Eclesiocom)A igreja diante da cultura midiática digital (Eclesiocom)
A igreja diante da cultura midiática digital (Eclesiocom)
 
Liberdade interior 1
Liberdade interior 1Liberdade interior 1
Liberdade interior 1
 
Deus como pessoa
Deus como pessoaDeus como pessoa
Deus como pessoa
 
Coerência de vida e maturidade humana
Coerência de vida e maturidade humanaCoerência de vida e maturidade humana
Coerência de vida e maturidade humana
 
A igreja como fonte da boa notícia
A igreja como fonte da boa notíciaA igreja como fonte da boa notícia
A igreja como fonte da boa notícia
 
Pascom nos Documentos da Igreja - do Inter Mirifica (1963) ao Rápido Desenvol...
Pascom nos Documentos da Igreja - do Inter Mirifica (1963) ao Rápido Desenvol...Pascom nos Documentos da Igreja - do Inter Mirifica (1963) ao Rápido Desenvol...
Pascom nos Documentos da Igreja - do Inter Mirifica (1963) ao Rápido Desenvol...
 
O texto jornalístico na comunicação eclesial
O texto jornalístico na comunicação eclesialO texto jornalístico na comunicação eclesial
O texto jornalístico na comunicação eclesial
 
Como implantar a Pascom
Como implantar a PascomComo implantar a Pascom
Como implantar a Pascom
 

Último

15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
PIB Penha
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
PIB Penha
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
marcusviniciussabino1
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
PIB Penha
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
PIB Penha
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
Nilson Almeida
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
PIB Penha
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Ricardo Azevedo
 
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptxPalestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
NEDIONOSSOMUNDO
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
CleideTeles3
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
PIB Penha
 

Último (14)

15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
 
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptxPalestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
 

O Homem Livre e Responsável

  • 2.  O curso Fio de Ouro faz parte do CAMINHO ORDO AMORIS, um programa de formação humana para autoconhecimento e cura interior, com o objetivo de ordenar para o amor as áreas e experiências da vida humana, levando à maturidade da vida cristã e ao concreto testemunho de santidade.  Atualmente o programa é composto de 5 retiros/cursos que utilizam uma metodologia oracional, ensinos específicos, acompanhamentos e outros recursos de aprofundamento: “És precioso”, “Curados para amar”, “Tecendo o Fio de Ouro “, “Liberdade Interior” e “Maturidade Humana”.
  • 3.  O curso TECENDO O FIO DE OURO em 8 semanas é um curso aberto voltado para o autoconhecimento, reconciliação com a história pessoal, ordenação das necessidades e valores, cura da identidade, discernimento do estado de vida e cura da afetividade.  Um dos segredos do Caminho Ordo Amoris é o acompanhamento. Serão 2 acompanhamentos.  O tempo desse acompanhamento é determinado: nem mais nem menos que 30 minutos para a pessoa falar e receber oração.
  • 4.  Bíblia – é INDISPENSÁVEL o uso da Palavra de Deus.  Caderno – cada formando deverá ter um caderno grosso única e exclusivamente para o curso e seus exercícios, pois é absolutamente necessário que se escreva tudo.  Livro – o ideal é que todos os participantes tenham o livro correspondente ao retiro do curso.
  • 6. Qual a lei que rege o homem? O sofrimento tem sentido? O Pecado e a culpa
  • 7. O passado do homem, de cada homem, não pode ser considerado um destino. Pe. Amadeu Cencini
  • 8.  Quem manda/determina em minha vida: 1. Deus ou as circunstâncias? 2. O inconsciente ou a razão?  Se dizemos que “Jesus é o nosso senhor”, precisamos crer que ele é o senhor de tudo: passado, presente e futuro.
  • 9.  Mais do que isto: precisamos crer e dar a Deus o senhorio de tudo, não apenas de forma intelectual, mas existencial.  Não podemos ignorar o poder da Graça de Deus e da ressurreição de Cristo, que penetra em todas as áreas do nosso ser.
  • 10.  O Homem é um ser espiritual, e sendo espírito, é livre e responsável por sua própria vida e desenvolvimento.  Você sempre pode mudar o seu presente e com isso, mudar o seu futuro.  Essa é uma expressão típica da liberdade do ser humano.
  • 11.  O Homem começa a exercer o dom da liberdade quando se torna sujeito de sua existência, quando se possui.  Quando aprende a dar significado à sua existência e aos fatos de sua vida.
  • 12.  O passado do homem, de cada homem, não pode ser considerado um destino, como algo que aconteceu e terá uma fatal continuação, sem qualquer outra opção possível.  NÃO!  O princípio de base é este: o homem pode não ser responsável pelo seu passado, mas é responsável pela atitude que assumir, no presente, em face desse passado.
  • 13.  A Graça de Deus é continuamente derramada sobre nós.  Em nenhum momento Deus nos deixa sem o auxílio da Graça para nos santificar, amadurecer e curar.  Para tanto, porém, precisamos estar abertos à Graça de Deus e dar passos de adesão à ela: buscar a oração, o estudo da Palavra de Deus, a prática dos sacramentos (Eucaristia, Confissão) e da adoração ao Santíssimo.
  • 14.  Há casos que necessitam de acompanhamento espiritual, uma direção espiritual.  Há casos graves, que já se tornaram patologias psíquicas ou físicas, que necessitam de apoio profissional.  Porém, em todos os casos, é preciso dar abertura à Graça de Deus, que agirá através do perdão, da reconciliação.
  • 15. É preciso tomar todos os dias, corajosamente, o jugo da vida real, com suas dores, desafios, combates, limitações e seguir, confiante que não falta a força, a graça do Espírito Santo para suportá-las.
  • 16.  O sofrimento é uma possibilidade, inerente à história humana.  Como parte inerente a vida, quem recusa o sofrimento recusa-se a viver.  O sofrimento não é uma realidade querida por Deus.  É fruto do pecado.  É causado pela a ausência de um bem.  O medo do sofrimento causa mais dor que o próprio sofrimento.
  • 17.  É preciso tomar todos os dias, corajosamente, o jugo da vida real, com suas dores, desafios, combates, limitações, a sua cruz no seguimento de Cristo e seguir, confiante que não falta a força, a graça do Espírito Santo para suportá-las.  Não existe nada no mal além do próprio mal.  As contrariedades nos ajudam a caminhar diante de Deus e de sua verdade.
  • 18.  Quando não aceitamos um sofrimento, perdemos a esperança, somos tomados pela revolta, pelo ressentimento, pelas inquietações que nos tiram a paz.  Quando temos a graça de acolher o sofrimento, ele se torna imediatamente menos doloroso.  Essa aceitação é ato de liberdade interior.  “Um sofrimento vivido na paz não é mais sofrimento” (Santo Cura d’Ars)
  • 19.  Nossa liberdade tem sempre este poder maravilhoso de daquilo que nos é tirado (vida, saúde, emprego, relacionamentos, etc) algo que é ofertado.  Quando ofertamos o que nos é tirado e nos causa dor, o que o mundo chama de “destino” torna-se livre escolha, o constrangimento torna-se amor, a perda torna-se fecundidade.
  • 20.  O sofrimento é um grande mistério, que Jesus Cristo vivenciou de maneira perfeitíssima, dando-lhe sentido ao ordená-lo para o amor até o extremo.  Ordenando o sofrimento para o amor, podemos quebrar o seu poder destrutivo.
  • 21.  O homem não tem poder de mudar tudo ao seu redor, mas com a Graça de Deus, dispõe da faculdade de dar um sentido novo a tudo, mesmo ao que não tem sentido.  Pela nossa liberdade, não há nenhum acontecimento de nossa vida que não possa receber um novo significado, um significado positivo, ser expressão do amor, tornar-se abandono, confiança, esperança, oferta...
  • 22. Nada poderá nos afastar do amor de Deus. Deus não desiste de nós quando pecamos.
  • 23.  Deus não sabe fazer outra coisa a não ser amar.  Deus nunca nos condena. Deus apenas nos ama.  A misericórdia de Deus é sua justiça. A justiça de Deus é sua misericórdia.  Deus perdoa todos os pecados do homem, por piores que tenham sido, desde que haja arrependimento.  A misericórdia, na realidade, está acompanhada do perdão, e Deus perdoa sempre aquele que lhe pedir esse perdão.
  • 24.  Arrependimento é um dom, uma graça. O sentimento de culpa não.  O arrependimento vem de Deus. A culpa vem do demônio. Porque quem nos acusa é o demônio. Deus nunca nos acusa.  O arrependimento leva a conversão.  A culpa leva à paralisia espiritual, à depressão, nos afasta da misericórdia de Deus e do convívio humano.
  • 25.  A culpa pode nos levar a cometer o pior dos pecados: o pecado contra o Espírito Santo.  Aprisionados à culpa, não nos abrimos à misericórdia e ao amor de Deus.  E quando aprisionamos o outro à culpa, não nos permitimos ser livres para amar e perdoar, nos afastando assim do amor de Deus.
  • 26. Acolher e ordenar para o amor o nosso passado Viver o presente de forma livre e responsável
  • 27.  Inicie o PVP orando com ele durante uns 10 minutos.  Em seguida, responda em seu caderno, de forma concisa, as perguntas: 1. Segundo o que percebi nesta primeira parte, qual aspecto ou área do meu passado preciso ainda ordenar para o amor? 2. Tome cada aspecto e responda sobre ele as seguintes questões: Como estou, como gostaria de estar/ser? O que preciso fazer para isso? Que meios/ajuda vou utilizar para este fim? Quando farei isso? Que prazo estabeleço para atingir esse objetivo?
  • 28. Áreas Como estou Como gostaria de ser/estar O que preciso fazer para isto? Que meios vou utilizar para este fim? Quando farei isso? Relaciona mento abalado com minha avó Muito ressenti do. Nem quero vê-la Próximo a ela, tendo-a como amiga, amando Perdoá- la, tratá-la como se nada tivesse aconteci do, conversa r com ela, abrir mão do ressenti mento... 1.Oraçã o 2.Telefo nar 3.Ir à casa dela 4.Fazer Leccio Divina com Mt 5, aplican do ao nosso 1.Na oração pessoa l 2.Todo doming o, às 11h 3.No dia x desse mês 4.No meu estudo Você pode colocar quantas áreas achar que precisa ordenar. Uma vez por semana você deverá fazer a avaliação de seu plano e atualizá-lo.
  • 29.  1ª Semana: No momento da oração pessoal, faça os exercícios recomendados no Capítulo I, II, III, IV e V da Parte I.  2ª Semana: • Conforme o que foi visto na palestra, ainda com a Parte I, leia, reze e faça os exercícios dos capítulos XIV a XVIII. SEMPRE: escreva tudo