SlideShare uma empresa Scribd logo
Sumário
 Portugal: pioneiro na expansão europeia.
Aula
O expansionismo europeu
Portugal: pioneiro na expansão europeia
A prioridade portuguesa na expansão
Como é que Portugal, este pequeno país da Europa
Ocidental, se transformou numa potência capaz de se
expandir à escala mundial?
Porquê Portugal em 1º lugar?
Quais terão sido as motivações e condições existentes no
nosso país que fizeram dele o primeiro da Europa a iniciar a
sua expansão?
Coroa
Nobreza
Clero
Burguesia
Povo
 Firmar o seu poder e resolver os problemas económicos do reino.
 Obter terras e cargos.
 Defender e divulgar a fé cristã.
 Procurar novos mercados e produtos, aumentando o seu poder.
 Melhorar as condições de vida.
O expansionismo europeu
Portugal: pioneiro na expansão europeia
Interesses dos grupos sociais
Todos os
grupos
sociais e o
próprio rei
estavam
motivados
para a
Expansão.
Motivações:
Condições
geográficas
Condições
políticas
Condições
técnicas e
científicas
O expansionismo europeu
Portugal: pioneiro na expansão europeia
Condições da prioridade portuguesa
No início do século XV, Portugal reunia um conjunto de condições que permitiram que se
tornasse no primeiro país europeu a avançar para a expansão marítima.
Que condições eram essas?
Condições
geográficas
O expansionismo europeu
Portugal: pioneiro na expansão europeia
Portugal situa-se no extremo ocidental da Europa, perto do Norte de
África;
Tem uma longa costa marítima com excelentes portos naturais, o
que contribuiu para ao desenvolvimento de atividades ligadas ao
mar – pesca e comércio;
Condições da prioridade portuguesa
Condições
políticas
O expansionismo europeu
Portugal: pioneiro na expansão europeia
Estabilidade política;
Período de Paz, desde 1411 com a assinatura de Tratado de Paz com
Castela;
Afirmação da nova Dinastia de Avis no contexto europeu.
Condições da prioridade portuguesa
D. João I 1
Condições
técnicas e
científicas
O expansionismo europeu
Portugal: pioneiro na expansão europeia
A longa presença muçulmana e judaica na Península Ibérica
permitiu:
 conhecimentos de Astronomia;
 contacto com instrumentos e técnicas de orientação e
navegação:
Condições da prioridade portuguesa
O expansionismo europeu
Portugal: pioneiro na expansão europeia
Instrumento utilizado para fazer
medições da altura dos astros.
Instrumento utilizado para conhecer a
altura do Sol, permitindo calcular a
latitude (distância em relação ao
equador).
Astrolábio
Instrumento utilizado para calcular a
altura de um determinado astro em
relação à linha do horizonte.
Condições da prioridade portuguesa
Balestilha
Quadrante
Para determinar o norte.
O expansionismo europeu
Portugal: pioneiro na expansão europeia
Caravela portuguesa com leme fixo à
popa e velas triangulares que permitia
navegar à bolina, ou seja, navegar em
ziguezague com ventos contrários.
Caravela
Bússola
Mapas com registo dos portos e das
linhas de rumo.
Condições da prioridade portuguesa
Portulanos
Cartas
Náuticas
O expansionismo europeu
Portugal: pioneiro na expansão europeia
Condições da prioridade portuguesa
O uso sistemático de instrumentos náuticos permitia fazer medições rigorosas e, assim,
determinar a posição dos navios em alto mar e as rotas que eram registadas nos mapas.
Permitindo
praticar uma
navegação
astronómica
(através da
observação
dos astros)
Condições favoráveis
O expansionismo europeu
Portugal: pioneiro na expansão europeia
Resumindo…
Portugal
inicia a
Expansão
 Localização geográfica
 Paz
 Experiência marítima
 Conhecimentos de Judeus
e de Muçulmanos
Motivações sociais
 Rei: solução para os
problemas económicos e
tornar-se mais poderoso
 Nobres: guerra
 Burgueses e nobres
mercadores: comércio
 Povo: melhores condições
de vida
 Clero: expandir a fé cristã
O expansionismo europeu
Identificar as motivações para a expansão marítima
Atividade [1]
Faz a correspondência entre os elementos da sociedade portuguesa e as
respetivas motivações expansionistas.
Rei Melhores condições de vida.
Clero
Nobreza
Burguesia
Povo
Terras, cargos militares e administrativos.
Novos produtos e mercados.
Soluções para os problemas económicos do
reino e aumento do seu poder.
Terras, privilégios e cristianização dos povos
conquistados.
O expansionismo europeu
Interpretar um documento histórico
Atividade [2]
Os conhecimentos técnicos e científicos foram determinantes para a prioridade
portuguesa na expansão marítima. Descobre o significado das expressões
assinaladas.
Os Portugueses ousaram desafiar o grande oceano.
Entraram por ele dentro sem nenhum receio.
Descobriram [...] novas terras, novos mares, novos
povos [...]. Ora é evidente que estes descobrimentos
de costas, ilhas e terras firmes, não se fizeram indo a
acertar, mas partiram os nossos navegadores muito
ensinados e equipados com instrumentos e regras de
astronomia e geometria [...] e levavam cartas muito
bem rumadas e não já as que os Antigos usavam. E
pode ser esta a razão por que os Antigos só se
atreviam a bolinar e seguiam sempre ao longo da
costa.
NUNES, Pedro – Tratado de defensão da carta de marear
[adaptado]. Séc. XVI.
"o grande oceano"
"sem nenhum receio".
"indo a acertar"
"Antigos"
"seguiam sempre ao longo da costa"
Oceano Atlântico
com coragem
por acaso
gregos e romanos
navegação de cabotagem
O expansionismo europeu
Reconhecer instrumentos de navegação
Atividade [3]
Legenda os instrumentos de navegação.
1 2 3
4 5 6
Astrolábio Quadrante Bússola
Caravela Portulano Balestilha

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Trabalho de geografia secas
Trabalho de geografia   secasTrabalho de geografia   secas
Trabalho de geografia secas
protecaocivil
 
Tipos de Pesca
Tipos de PescaTipos de Pesca
Tipos de Pesca
Geografia .
 
As fragilidades dos sistemas agrários
As fragilidades dos sistemas agráriosAs fragilidades dos sistemas agrários
As fragilidades dos sistemas agrários
Ilda Bicacro
 
Geografia A 10 ano - Recursos Marítimos
Geografia A 10 ano - Recursos MarítimosGeografia A 10 ano - Recursos Marítimos
Geografia A 10 ano - Recursos Marítimos
Raffaella Ergün
 
A primeira república portuguesa
A primeira república portuguesaA primeira república portuguesa
A primeira república portuguesa
cattonia
 
Antigo Regime-Contextualização do Módulo 6
Antigo Regime-Contextualização do Módulo 6Antigo Regime-Contextualização do Módulo 6
Antigo Regime-Contextualização do Módulo 6
Susana Simões
 
União Europeia 11ºano
União Europeia 11ºanoUnião Europeia 11ºano
União Europeia 11ºano
Mariana Couto
 
Regioes agrarias
Regioes agrariasRegioes agrarias
Regioes agrarias
Ilda Bicacro
 
Resumo matéria global - Geografia
Resumo matéria global - GeografiaResumo matéria global - Geografia
Resumo matéria global - Geografia
Ana Delgado
 
Obstáculos ao desenvolvimento
Obstáculos ao desenvolvimentoObstáculos ao desenvolvimento
Obstáculos ao desenvolvimento
Rosária Zamith
 
Geografia11ºano
Geografia11ºanoGeografia11ºano
Geografia11ºano
Gonçalo Paiva
 
Potencialidades do litoral (1)
Potencialidades do litoral (1)Potencialidades do litoral (1)
Potencialidades do litoral (1)
Ilda Bicacro
 
O rapaz do pijama às riscas
O rapaz do pijama às riscasO rapaz do pijama às riscas
O rapaz do pijama às riscas
Odete Almeida
 
Gestão e valorização do litoral e do espaço marítimo (1)
Gestão e valorização do litoral e do espaço marítimo (1)Gestão e valorização do litoral e do espaço marítimo (1)
Gestão e valorização do litoral e do espaço marítimo (1)
Ilda Bicacro
 
A Agricultura
A AgriculturaA Agricultura
A Agricultura
Maria Adelaide
 
As redes de transporte no território português - Geografia 11º Ano
As redes de transporte no território português - Geografia 11º AnoAs redes de transporte no território português - Geografia 11º Ano
As redes de transporte no território português - Geografia 11º Ano
713773
 
A gestão do espaço marítimo
A gestão do espaço marítimoA gestão do espaço marítimo
A gestão do espaço marítimo
Oxana Marian
 
Inserção de portugal em diferentes espaços
Inserção de portugal em diferentes espaçosInserção de portugal em diferentes espaços
Inserção de portugal em diferentes espaços
Ilda Bicacro
 
Transporte marítimo
Transporte marítimoTransporte marítimo
Transporte marítimo
Pedro Peixoto
 
Funções urbanas (2)
Funções urbanas (2)Funções urbanas (2)
Funções urbanas (2)
Fátima Cunha Lopes
 

Mais procurados (20)

Trabalho de geografia secas
Trabalho de geografia   secasTrabalho de geografia   secas
Trabalho de geografia secas
 
Tipos de Pesca
Tipos de PescaTipos de Pesca
Tipos de Pesca
 
As fragilidades dos sistemas agrários
As fragilidades dos sistemas agráriosAs fragilidades dos sistemas agrários
As fragilidades dos sistemas agrários
 
Geografia A 10 ano - Recursos Marítimos
Geografia A 10 ano - Recursos MarítimosGeografia A 10 ano - Recursos Marítimos
Geografia A 10 ano - Recursos Marítimos
 
A primeira república portuguesa
A primeira república portuguesaA primeira república portuguesa
A primeira república portuguesa
 
Antigo Regime-Contextualização do Módulo 6
Antigo Regime-Contextualização do Módulo 6Antigo Regime-Contextualização do Módulo 6
Antigo Regime-Contextualização do Módulo 6
 
União Europeia 11ºano
União Europeia 11ºanoUnião Europeia 11ºano
União Europeia 11ºano
 
Regioes agrarias
Regioes agrariasRegioes agrarias
Regioes agrarias
 
Resumo matéria global - Geografia
Resumo matéria global - GeografiaResumo matéria global - Geografia
Resumo matéria global - Geografia
 
Obstáculos ao desenvolvimento
Obstáculos ao desenvolvimentoObstáculos ao desenvolvimento
Obstáculos ao desenvolvimento
 
Geografia11ºano
Geografia11ºanoGeografia11ºano
Geografia11ºano
 
Potencialidades do litoral (1)
Potencialidades do litoral (1)Potencialidades do litoral (1)
Potencialidades do litoral (1)
 
O rapaz do pijama às riscas
O rapaz do pijama às riscasO rapaz do pijama às riscas
O rapaz do pijama às riscas
 
Gestão e valorização do litoral e do espaço marítimo (1)
Gestão e valorização do litoral e do espaço marítimo (1)Gestão e valorização do litoral e do espaço marítimo (1)
Gestão e valorização do litoral e do espaço marítimo (1)
 
A Agricultura
A AgriculturaA Agricultura
A Agricultura
 
As redes de transporte no território português - Geografia 11º Ano
As redes de transporte no território português - Geografia 11º AnoAs redes de transporte no território português - Geografia 11º Ano
As redes de transporte no território português - Geografia 11º Ano
 
A gestão do espaço marítimo
A gestão do espaço marítimoA gestão do espaço marítimo
A gestão do espaço marítimo
 
Inserção de portugal em diferentes espaços
Inserção de portugal em diferentes espaçosInserção de portugal em diferentes espaços
Inserção de portugal em diferentes espaços
 
Transporte marítimo
Transporte marítimoTransporte marítimo
Transporte marítimo
 
Funções urbanas (2)
Funções urbanas (2)Funções urbanas (2)
Funções urbanas (2)
 

Semelhante a [E1] Portugal: pioneiro na expansão europeia.

O Expansionismo Europeu
O Expansionismo EuropeuO Expansionismo Europeu
O Expansionismo Europeu
pdalvares
 
13384 13376 HistóRia O Expansionismo Europeu
13384 13376 HistóRia O Expansionismo Europeu13384 13376 HistóRia O Expansionismo Europeu
13384 13376 HistóRia O Expansionismo Europeu
mantorrinhas
 
Expansão Marítima e Comercial Europeia.ppt
Expansão Marítima e Comercial Europeia.pptExpansão Marítima e Comercial Europeia.ppt
Expansão Marítima e Comercial Europeia.ppt
RenanBrito43
 
Condições da prioridade portuguesa na expansão
Condições da prioridade portuguesa na expansãoCondições da prioridade portuguesa na expansão
Condições da prioridade portuguesa na expansão
mbrs4ever
 
História da América
História da AméricaHistória da América
História da América
Professor: Ellington Alexandre
 
Expansão Marítima Europeia
Expansão Marítima EuropeiaExpansão Marítima Europeia
Expansão Marítima Europeia
Luciano Emanuel Silva
 
expansionismo europeu
expansionismo europeuexpansionismo europeu
expansionismo europeu
Beatriz Silva
 
Expansão Marítima- Descobrimentos Portugueses século XV
Expansão Marítima- Descobrimentos Portugueses século XVExpansão Marítima- Descobrimentos Portugueses século XV
Expansão Marítima- Descobrimentos Portugueses século XV
lenapinto
 
Império Português do Oriente
Império Português do OrienteImpério Português do Oriente
Império Português do Oriente
tomas-soares-oliveira
 
A expansão marítima
A expansão marítimaA expansão marítima
A expansão marítima
Nuno Eusébio
 
Ciclo das navegações
Ciclo das navegaçõesCiclo das navegações
Ciclo das navegações
Coronel Mateus Mateus1966
 
As grandes navegações
As grandes navegaçõesAs grandes navegações
As grandes navegações
Janayna Lira
 
A abertura ao mundo
A abertura ao mundoA abertura ao mundo
A abertura ao mundo
Susana Simões
 
Expansao maritima
Expansao maritimaExpansao maritima
Expansao maritima
Daniel Assunção
 
Grandes Navegações
Grandes NavegaçõesGrandes Navegações
Grandes Navegações
Douglas Barraqui
 
As Grandes Navegações2.pdf
As Grandes Navegações2.pdfAs Grandes Navegações2.pdf
As Grandes Navegações2.pdf
DouglasCoelho40
 
Historia 8ºAno
Historia 8ºAnoHistoria 8ºAno
Historia 8ºAno
rodrigoflambo1
 
Portugal Xv Xvi
Portugal Xv XviPortugal Xv Xvi
Portugal Xv Xvi
Luís Ferreira
 
História A - módulo 3, 4 e 6
História A - módulo 3, 4 e 6História A - módulo 3, 4 e 6
História A - módulo 3, 4 e 6
Joana Filipa Rodrigues
 
2 Exp Marit Portug
2 Exp Marit Portug2 Exp Marit Portug
2 Exp Marit Portug
Renato Coutinho
 

Semelhante a [E1] Portugal: pioneiro na expansão europeia. (20)

O Expansionismo Europeu
O Expansionismo EuropeuO Expansionismo Europeu
O Expansionismo Europeu
 
13384 13376 HistóRia O Expansionismo Europeu
13384 13376 HistóRia O Expansionismo Europeu13384 13376 HistóRia O Expansionismo Europeu
13384 13376 HistóRia O Expansionismo Europeu
 
Expansão Marítima e Comercial Europeia.ppt
Expansão Marítima e Comercial Europeia.pptExpansão Marítima e Comercial Europeia.ppt
Expansão Marítima e Comercial Europeia.ppt
 
Condições da prioridade portuguesa na expansão
Condições da prioridade portuguesa na expansãoCondições da prioridade portuguesa na expansão
Condições da prioridade portuguesa na expansão
 
História da América
História da AméricaHistória da América
História da América
 
Expansão Marítima Europeia
Expansão Marítima EuropeiaExpansão Marítima Europeia
Expansão Marítima Europeia
 
expansionismo europeu
expansionismo europeuexpansionismo europeu
expansionismo europeu
 
Expansão Marítima- Descobrimentos Portugueses século XV
Expansão Marítima- Descobrimentos Portugueses século XVExpansão Marítima- Descobrimentos Portugueses século XV
Expansão Marítima- Descobrimentos Portugueses século XV
 
Império Português do Oriente
Império Português do OrienteImpério Português do Oriente
Império Português do Oriente
 
A expansão marítima
A expansão marítimaA expansão marítima
A expansão marítima
 
Ciclo das navegações
Ciclo das navegaçõesCiclo das navegações
Ciclo das navegações
 
As grandes navegações
As grandes navegaçõesAs grandes navegações
As grandes navegações
 
A abertura ao mundo
A abertura ao mundoA abertura ao mundo
A abertura ao mundo
 
Expansao maritima
Expansao maritimaExpansao maritima
Expansao maritima
 
Grandes Navegações
Grandes NavegaçõesGrandes Navegações
Grandes Navegações
 
As Grandes Navegações2.pdf
As Grandes Navegações2.pdfAs Grandes Navegações2.pdf
As Grandes Navegações2.pdf
 
Historia 8ºAno
Historia 8ºAnoHistoria 8ºAno
Historia 8ºAno
 
Portugal Xv Xvi
Portugal Xv XviPortugal Xv Xvi
Portugal Xv Xvi
 
História A - módulo 3, 4 e 6
História A - módulo 3, 4 e 6História A - módulo 3, 4 e 6
História A - módulo 3, 4 e 6
 
2 Exp Marit Portug
2 Exp Marit Portug2 Exp Marit Portug
2 Exp Marit Portug
 

Mais de khistoria

A questão de Timor
A questão de TimorA questão de Timor
A questão de Timor
khistoria
 
Mundo Helénico - A arte: a arquitetura, a escultura e a pintura.
Mundo Helénico - A arte: a arquitetura, a escultura e a pintura.Mundo Helénico - A arte: a arquitetura, a escultura e a pintura.
Mundo Helénico - A arte: a arquitetura, a escultura e a pintura.
khistoria
 
Ficha de autoavaliação de história
Ficha de autoavaliação de históriaFicha de autoavaliação de história
Ficha de autoavaliação de história
khistoria
 
Metas Curriculares de História 8º Ano
Metas Curriculares de História 8º AnoMetas Curriculares de História 8º Ano
Metas Curriculares de História 8º Ano
khistoria
 
Metas Curriculares de História 7º Ano
Metas Curriculares de História 7º AnoMetas Curriculares de História 7º Ano
Metas Curriculares de História 7º Ano
khistoria
 
Capacidades transversais a desenvolver ao longo do 3.º Ciclo do Ensino Básico...
Capacidades transversais a desenvolver ao longo do 3.º Ciclo do Ensino Básico...Capacidades transversais a desenvolver ao longo do 3.º Ciclo do Ensino Básico...
Capacidades transversais a desenvolver ao longo do 3.º Ciclo do Ensino Básico...
khistoria
 
Metas Curriculares de História e Geografia de Portugal 5ºAno
Metas Curriculares de História e Geografia de Portugal 5ºAnoMetas Curriculares de História e Geografia de Portugal 5ºAno
Metas Curriculares de História e Geografia de Portugal 5ºAno
khistoria
 
Capacidades transversais a desenvolver ao longo do 2.º Ciclo do Ensino Básico...
Capacidades transversais a desenvolver ao longo do 2.º Ciclo do Ensino Básico...Capacidades transversais a desenvolver ao longo do 2.º Ciclo do Ensino Básico...
Capacidades transversais a desenvolver ao longo do 2.º Ciclo do Ensino Básico...
khistoria
 
Reis de Portugal 4ª Dinastia
Reis de Portugal 4ª DinastiaReis de Portugal 4ª Dinastia
Reis de Portugal 4ª Dinastia
khistoria
 
Reis de Portugal 3ª Dinastia
Reis de Portugal 3ª DinastiaReis de Portugal 3ª Dinastia
Reis de Portugal 3ª Dinastia
khistoria
 
Reis de portugal 2ª Dinastia
Reis de portugal 2ª DinastiaReis de portugal 2ª Dinastia
Reis de portugal 2ª Dinastia
khistoria
 
Reis de Portugal 1ª Dinastia
Reis de Portugal 1ª DinastiaReis de Portugal 1ª Dinastia
Reis de Portugal 1ª Dinastia
khistoria
 

Mais de khistoria (12)

A questão de Timor
A questão de TimorA questão de Timor
A questão de Timor
 
Mundo Helénico - A arte: a arquitetura, a escultura e a pintura.
Mundo Helénico - A arte: a arquitetura, a escultura e a pintura.Mundo Helénico - A arte: a arquitetura, a escultura e a pintura.
Mundo Helénico - A arte: a arquitetura, a escultura e a pintura.
 
Ficha de autoavaliação de história
Ficha de autoavaliação de históriaFicha de autoavaliação de história
Ficha de autoavaliação de história
 
Metas Curriculares de História 8º Ano
Metas Curriculares de História 8º AnoMetas Curriculares de História 8º Ano
Metas Curriculares de História 8º Ano
 
Metas Curriculares de História 7º Ano
Metas Curriculares de História 7º AnoMetas Curriculares de História 7º Ano
Metas Curriculares de História 7º Ano
 
Capacidades transversais a desenvolver ao longo do 3.º Ciclo do Ensino Básico...
Capacidades transversais a desenvolver ao longo do 3.º Ciclo do Ensino Básico...Capacidades transversais a desenvolver ao longo do 3.º Ciclo do Ensino Básico...
Capacidades transversais a desenvolver ao longo do 3.º Ciclo do Ensino Básico...
 
Metas Curriculares de História e Geografia de Portugal 5ºAno
Metas Curriculares de História e Geografia de Portugal 5ºAnoMetas Curriculares de História e Geografia de Portugal 5ºAno
Metas Curriculares de História e Geografia de Portugal 5ºAno
 
Capacidades transversais a desenvolver ao longo do 2.º Ciclo do Ensino Básico...
Capacidades transversais a desenvolver ao longo do 2.º Ciclo do Ensino Básico...Capacidades transversais a desenvolver ao longo do 2.º Ciclo do Ensino Básico...
Capacidades transversais a desenvolver ao longo do 2.º Ciclo do Ensino Básico...
 
Reis de Portugal 4ª Dinastia
Reis de Portugal 4ª DinastiaReis de Portugal 4ª Dinastia
Reis de Portugal 4ª Dinastia
 
Reis de Portugal 3ª Dinastia
Reis de Portugal 3ª DinastiaReis de Portugal 3ª Dinastia
Reis de Portugal 3ª Dinastia
 
Reis de portugal 2ª Dinastia
Reis de portugal 2ª DinastiaReis de portugal 2ª Dinastia
Reis de portugal 2ª Dinastia
 
Reis de Portugal 1ª Dinastia
Reis de Portugal 1ª DinastiaReis de Portugal 1ª Dinastia
Reis de Portugal 1ª Dinastia
 

Último

EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
antonio carlos
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.pptNR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
Vanessa F. Rezende
 
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsxSe A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Luzia Gabriele
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
marcos oliveira
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Falcão Brasil
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
mozalgebrista
 

Último (20)

EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.pptNR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
 
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsxSe A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
 

[E1] Portugal: pioneiro na expansão europeia.

  • 1. Sumário  Portugal: pioneiro na expansão europeia. Aula
  • 2. O expansionismo europeu Portugal: pioneiro na expansão europeia A prioridade portuguesa na expansão Como é que Portugal, este pequeno país da Europa Ocidental, se transformou numa potência capaz de se expandir à escala mundial? Porquê Portugal em 1º lugar? Quais terão sido as motivações e condições existentes no nosso país que fizeram dele o primeiro da Europa a iniciar a sua expansão?
  • 3. Coroa Nobreza Clero Burguesia Povo  Firmar o seu poder e resolver os problemas económicos do reino.  Obter terras e cargos.  Defender e divulgar a fé cristã.  Procurar novos mercados e produtos, aumentando o seu poder.  Melhorar as condições de vida. O expansionismo europeu Portugal: pioneiro na expansão europeia Interesses dos grupos sociais Todos os grupos sociais e o próprio rei estavam motivados para a Expansão. Motivações:
  • 4. Condições geográficas Condições políticas Condições técnicas e científicas O expansionismo europeu Portugal: pioneiro na expansão europeia Condições da prioridade portuguesa No início do século XV, Portugal reunia um conjunto de condições que permitiram que se tornasse no primeiro país europeu a avançar para a expansão marítima. Que condições eram essas?
  • 5. Condições geográficas O expansionismo europeu Portugal: pioneiro na expansão europeia Portugal situa-se no extremo ocidental da Europa, perto do Norte de África; Tem uma longa costa marítima com excelentes portos naturais, o que contribuiu para ao desenvolvimento de atividades ligadas ao mar – pesca e comércio; Condições da prioridade portuguesa
  • 6. Condições políticas O expansionismo europeu Portugal: pioneiro na expansão europeia Estabilidade política; Período de Paz, desde 1411 com a assinatura de Tratado de Paz com Castela; Afirmação da nova Dinastia de Avis no contexto europeu. Condições da prioridade portuguesa D. João I 1
  • 7. Condições técnicas e científicas O expansionismo europeu Portugal: pioneiro na expansão europeia A longa presença muçulmana e judaica na Península Ibérica permitiu:  conhecimentos de Astronomia;  contacto com instrumentos e técnicas de orientação e navegação: Condições da prioridade portuguesa
  • 8. O expansionismo europeu Portugal: pioneiro na expansão europeia Instrumento utilizado para fazer medições da altura dos astros. Instrumento utilizado para conhecer a altura do Sol, permitindo calcular a latitude (distância em relação ao equador). Astrolábio Instrumento utilizado para calcular a altura de um determinado astro em relação à linha do horizonte. Condições da prioridade portuguesa Balestilha Quadrante
  • 9. Para determinar o norte. O expansionismo europeu Portugal: pioneiro na expansão europeia Caravela portuguesa com leme fixo à popa e velas triangulares que permitia navegar à bolina, ou seja, navegar em ziguezague com ventos contrários. Caravela Bússola Mapas com registo dos portos e das linhas de rumo. Condições da prioridade portuguesa Portulanos Cartas Náuticas
  • 10. O expansionismo europeu Portugal: pioneiro na expansão europeia Condições da prioridade portuguesa O uso sistemático de instrumentos náuticos permitia fazer medições rigorosas e, assim, determinar a posição dos navios em alto mar e as rotas que eram registadas nos mapas. Permitindo praticar uma navegação astronómica (através da observação dos astros)
  • 11. Condições favoráveis O expansionismo europeu Portugal: pioneiro na expansão europeia Resumindo… Portugal inicia a Expansão  Localização geográfica  Paz  Experiência marítima  Conhecimentos de Judeus e de Muçulmanos Motivações sociais  Rei: solução para os problemas económicos e tornar-se mais poderoso  Nobres: guerra  Burgueses e nobres mercadores: comércio  Povo: melhores condições de vida  Clero: expandir a fé cristã
  • 12. O expansionismo europeu Identificar as motivações para a expansão marítima Atividade [1] Faz a correspondência entre os elementos da sociedade portuguesa e as respetivas motivações expansionistas. Rei Melhores condições de vida. Clero Nobreza Burguesia Povo Terras, cargos militares e administrativos. Novos produtos e mercados. Soluções para os problemas económicos do reino e aumento do seu poder. Terras, privilégios e cristianização dos povos conquistados.
  • 13. O expansionismo europeu Interpretar um documento histórico Atividade [2] Os conhecimentos técnicos e científicos foram determinantes para a prioridade portuguesa na expansão marítima. Descobre o significado das expressões assinaladas. Os Portugueses ousaram desafiar o grande oceano. Entraram por ele dentro sem nenhum receio. Descobriram [...] novas terras, novos mares, novos povos [...]. Ora é evidente que estes descobrimentos de costas, ilhas e terras firmes, não se fizeram indo a acertar, mas partiram os nossos navegadores muito ensinados e equipados com instrumentos e regras de astronomia e geometria [...] e levavam cartas muito bem rumadas e não já as que os Antigos usavam. E pode ser esta a razão por que os Antigos só se atreviam a bolinar e seguiam sempre ao longo da costa. NUNES, Pedro – Tratado de defensão da carta de marear [adaptado]. Séc. XVI. "o grande oceano" "sem nenhum receio". "indo a acertar" "Antigos" "seguiam sempre ao longo da costa" Oceano Atlântico com coragem por acaso gregos e romanos navegação de cabotagem
  • 14. O expansionismo europeu Reconhecer instrumentos de navegação Atividade [3] Legenda os instrumentos de navegação. 1 2 3 4 5 6 Astrolábio Quadrante Bússola Caravela Portulano Balestilha