As grandes navegações

3.062 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.062
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
558
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
174
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

As grandes navegações

  1. 1. As grandes navegações Profª Janayna Lira
  2. 2. Conceito Conjunto de expedições marítimas realizadas principalmente por portugueses e espanhóis entre os séculos XV e XVI, que se lançaram ao mar em busca de novos territórios, de especiarias e de metais preciosos (interesses econômicos).
  3. 3. Por meio das Grandes Navegações os europeus acabaram colocando em contato povos de diferentes regiões do planeta.
  4. 4. O medo do desconhecido Naquela época, os europeus tiveram que enfrentar muitos perigos nos mares, mas nada era tão assustador como o medo do desconhecido.
  5. 5. Crença de que nos mares e oceanos havia monstros e criaturas amedrontadoras
  6. 6. ALÉM DISSO...
  7. 7. Forma da terra
  8. 8. Com tantos perigos e incertezas, pelo quê se arriscavam? A expansão ultramarina tinha como objetivo atingir o Oriente e as chamadas especiarias.
  9. 9. Também...  A busca de novas minas (ouro e prata);  Expandir a fé católica;  Novas terras.
  10. 10. Lembrando o que são especiarias... Produtos orientais na forma de temperos (condimentos) usados na culinária para proporcionar sabores diferentes nas comidas e para conservar os alimentos. Algumas especiarias também eram, e ainda são, utilizadas na fabricação de cosméticos, óleos e medicamentos. Na época das Grandes Navegações e Descobrimentos Marítimos elas eram muito valorizadas na Europa, pois não podiam ser cultivadas neste continente em função do clima. As especiarias também englobavam ouro, marfim, seda, etc.
  11. 11. Especiaria: cravo da Índia Cravo da índia O botão de sua flor, seco, é utilizado como especiaria desde a Antiguidade, empregado na culinária e na fabricação de medicamentos. O seu óleo tem propriedades anti-sépticas, sendo bastante utilizado em odontologia. Uma das especiarias mais valorizadas, no mercado do início do século XVI um quilo de cravo equivalia a sete gramas de ouro.
  12. 12. Especiaria: pimenta-do-reino Pimenta do reino É uma das mais antigas especiarias conhecidas. Os seus grãos, secos e moídos, são muito usados na culinária de diversos países. Tem um sabor forte, levemente picante, proveniente de um composto químico chamado piperina. Por essa razão foi utilizada desde a Idade Média para disfarçar o sabor dos alimentos em via de decomposição.
  13. 13. Especiaria: gengibre Gengibre Como planta medicinal o gengibre é uma das mais antigas e populares do mundo. Desde a Antiguidade, o gengibre é utilizado na fabricação de xaropes para combater a dor de garganta.
  14. 14. As riquezas vinham do oriente Àquela época, o comércio com o Oriente era controlado por mercadores de Veneza e Gênova. Os produtos eram levados em caravanas de camelos, guiadas pelos árabes, até os portos. Ali, os italianos as compravam e revendiam na Europa: grande lucro. Diante do fato de o Mar Mediterrâneo ser controlado pelos italianos, a alternativa para outros povos para participar do comércio das especiarias foi buscar um novo caminho para o Oriente (Índias).
  15. 15. A tomada de Constantinopla Em 1453, a tomada de Constantinopla pelos turcos-otomanos dificultou ainda mais o acesso dos europeus ao comércio de especiarias. Essa dificuldade acabou estimulando a procura por um novo caminho marítimo para as Índias.
  16. 16. Constantinopla era, até o momento de sua queda, uma das cidades mais importantes no mundo. Devido à sua localização, funcionava como uma ponte para as rotas comerciais que ligavam a Europa à Ásia por terra. Também era o principal porto nas rotas que iam e vinham entre o ma Negro e o ma Mediterrâneo.
  17. 17. Assim, Era preciso...  Quebrar Monopólio Italiano  Encontrar um Novo Caminho para as Índias
  18. 18. De modo geral...  Os Nobres: nova oportunidade de se dedicarem à guerra, podendo assim adquirir novas terras e cargos.  Os Burgueses: encontrar novos produtos e desenvolver o comércio para obter lucros.  O Clero: evangelizar novos povos  O Povo: esperança de conseguir melhores condições de vida.
  19. 19. Portugal: pioneiro Ainda na Baixa Idade Média, ocorreu um processo de fortalecimento do poder real que contou com o apoio tanto da burguesia quanto da nobreza. Portugal foi o primeiro Estado moderno europeu e o processo de centralização de poder nas mãos do rei ocorrido teve relação direta com as lutas para a expulsão dos árabes do seu território (séc. VIII – XII).
  20. 20. Principais Fatores do pioneirismo português Poder centralizado (rei) Posição geográfica privilegiada Conhecimento sobre navegação (Escola de Sagres) Burguesia mercantil Paz interna
  21. 21. Vista sobre a Fortaleza de Sagres
  22. 22. Escola de sagres Centro de estudos náuticos que reunia geógrafos, astrônomos, matemáticos, construtores, tradutores e cartógrafos para desenvolver instrumentos de navegação, mapas e estudos sobre a ciência náutica, com base em diários de bordo e roteiros de viagem. Fundada por d. Henrique, filho do então rei de Portugal, d. João I, com a intenção de planejar os passos a serem dados no avanço pelo Atlântico.
  23. 23. Inovações técnicas (bússola, caravela, astrolábio, mapas)
  24. 24. Invenções Bússola: uma agulha magnética permanentemente apontada para o norte, permitia aos navegantes saber a direção em que estavam navegando. Foi inventada pelos chineses e levada para a Europa pelos árabes.
  25. 25. Invenções Caravela: invenção portuguesa. Conseguiam obter uma boa velocidade em dias de vento forte. Porém, como os sistemas de navegação da época eram precários, muitas vezes os navegadores saíam das rotas originais se perdendo pelo oceano.
  26. 26. Invenções Astrolábio: possibilitava calcular a posição do navio em relação à linha do Equador.
  27. 27. Mapas
  28. 28. Passo a passo da expansão marítima portuguesa Périplo africano: estratégia portuguesa de alcançar o Oriente contornando o litoral sul africano. Através das expedições, os portugueses puderam entrar em contato com as populações locais e tomar conhecimento da geografia e das correntes marítimas. Isso possibilitou um aprimoramento dos mapas e abriu caminho para que novos marinheiros se aventurassem pelo Oceano Atlântico.
  29. 29. O périplo africano
  30. 30. Etapas  Ceuta (1415)  Ilha da Madeira (1418-1419)  Açores (1427-1428).  1434 – o cabo do Bojador foi ultrapassado.  1487-1488 – Bartolomeu Dias atravessou o Cabo das Tormentas, chamado depois de Cabo da Boa Esperança  1498 – Vasco da Gama chegou às Índias.
  31. 31. A expansão espanhola  Fatores do atraso: União de Castela e Aragão: reino espanhol (1469) – centralização política. Expulsão dos mouros de Granada (1492)  Teoria de Cristóvão Colombo: chegar ao Oriente rumo ao Ocidente – idéia de esfericidade da Terra (redonda). 1492: Colombo “descobre” a América.
  32. 32. Colombo
  33. 33. Cristóvão Colombo
  34. 34. A partilha do mundo entre Portugal e Espanha.  Diversos acordos: Tentativa de garantir a posse do território Expectativa de encontrar terras.  Tratado de Toledo (1480): garantia a Portugal o direito sobre as terras descobertas ao sul das Canárias e a preferência sobre as rotas do Atlântico Sul. Chegada de Colombo à América alterou a disposição dos dois países sobre o estabelecido.
  35. 35. Tratado de Alcáçovas- Toledo: Direito sobre terras descobertas ao sul das Ilhas Canárias
  36. 36. Tratados (cont.)  Bula Intercoetera (1493): apenas as terras situadas a até 100 léguas a oeste do arquipélago de Cabo Verde seriam possessão portuguesa. Todas as que se localizassem além dessa “linha imaginária” seriam possessão espanhola. Portugal não aceitou a decisão do papa Alexandre VI.
  37. 37. Bula Intercoetera – Terras situadas a 100 léguas a oeste de Cabo Verde seriam possessão portuguesa.
  38. 38. E então...
  39. 39. Tratados (cont.)  Tratado de Tordesilhas (1494) - todas as terras a 370 léguas a oeste do arquipélago de Cabo Verde seriam portuguesas e as terras a leste seriam espanholas. Portugal e Espanha passam a ser as grandes potências do século XVI.
  40. 40. A chegada ao Brasil (1500)  Expedição comandada por Pedro Álvares Cabral  Objetivo: Buscar especiarias Estabelecer contatos comerciais com os indianos.  “Descoberta” do Brasil: 22 de abril de 1500 Acaso?
  41. 41. Cabral
  42. 42. Cabral
  43. 43. Revisando...

×