SlideShare uma empresa Scribd logo
Universidade Do Estado Do Amazonas
                Escola Superior De Ciências Da Saúde
                  Disciplina De Patologia Especial I



            DOENÇA DE KAWASAKI


               ANA CLÁUDIA CUNHA




            Professor: Augusto Castilho
1/12/2011
INTRODUÇÃO




                                                1/12/2011
A Doença de Kawasaki trata-se de:
• Vasculite aguda e multissistêmica;

• Febril e exantemática;

• Compromete predominantemente vasos de médio
  calibre (embora possa afetar vasos de pequeno e
  grande calibre também) (ROBBINS, 1996; SILVA et
  al., 2004).
• Principalmente: Artérias Coronárias.
EPIDEMIOLOGIA




                                                        1/12/2011
   1 a. causa de cardiopatia adquirida na criança no
    Japão e EUA

   Descendentes de Asiáticos

   80% casos: menores de 5 anos, rara em em
    adultos (BURNS, 1996)  M > F (5:1)

   Semelhança com a Síndrome do Choque tóxico
    leva a erros
ETIOLOGIA




                                                  1/12/2011
   Inconsistência de Definição Etiológica

 Bacteriana: Estreptococos, estafilococos
 Viral: Parvorírus, Retrovírus, EBV, HIV

 Fúngica: Cândida



   Reação imune caracterizada pela ativação de
    células T e macrófagos
CRITÉRIOS DIAGNÓSTICOS




                                                  1/12/2011
 Febre com duração de 5 dias ou mais e 4 dos 5
  critérios a seguir:
 Conjuntivite bilateral, não supurativa;

 Inchaço de gânglios linfáticos:

 Exantema polimorfo, sem vesículas;

 Alteração na mucosa oral ou lábios;

 Alterações de extremidades.
DIAGNÓSTICO CLÍNICO




                                                       1/12/2011
1.    Febre maior que 5-7 dias que não melhora com o
      uso de antibióticos.

    A presença de febre com acometimento
     coronariano, mesmo com menos de 4 critérios,
     pode ser considerado Kawasaki atípico ou
     incompleto.
DIAGNÓSTICO CLÍNICO




                                      1/12/2011
2.   Hiperemia ConjuntivalBilateral
DIAGNÓSTICO CLÍNICO




                                   1/12/2011
3.   Alterações na Cavidade Oral
DIAGNÓSTICO CLÍNICO




                                  1/12/2011
4.   Alterações de Extremidades
DIAGNÓSTICO CLÍNICO




                        1/12/2011
5. Exantema Polimorfo
DIAGNÓSTICO CLÍNICO




                                1/12/2011
   Linfonodomegalia Cervical
ALTERAÇÕES CARDIOVASCULARES




                                  1/12/2011
 Miocardite
 Derrame Pericárdico

 Arritmias

 Acometimento Aórtico e Mitral

 Aneurismas Periféricos

 ANEURISMAS CORONARIANOS
1/12/2011
DIAGNÓSTICO LABORATORIAL




                                1/12/2011
 Leucocitose com Neutrofilia
 Trombocitose

 Alterações no hepatograma

 Hipoalbuminemia

 FAN negativo

 VHS aumentado
TRATAMENTO




                                                        1/12/2011
   AAS: 80-100 mg/kg/ dia até 24-48 h após o término
    da febre. Contínuo em casos de aneurisma.

   Gamaglobulina endovenosa: 2g/kg, dose única, em
    8-12 h (até o décimo dia de doença)

   Corticóides: Não responder a IVIG e em caso de
    gangrena periférica.
PROGNÓSTICO




                                                          1/12/2011
   Comprometimento Coronariano

   Diagnóstico e Tratamento Precoces

   Pior: Sexo masculino, idade inferior < 1 ano, febre
    persistente.
1/12/2011
OBRIGADA   PELA ATENÇÃO!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Diabetes
DiabetesDiabetes
Diabetes
Mel Medina
 
Puericultura
PuericulturaPuericultura
Puericultura
Rodrigo Abreu
 
Apresentação diabetes mellitus
Apresentação diabetes mellitusApresentação diabetes mellitus
Apresentação diabetes mellitus
Sérgio Franco - CDPI
 
AMAMENTAÇÃO
AMAMENTAÇÃOAMAMENTAÇÃO
AMAMENTAÇÃO
blogped1
 
Atendimento e cuidados com pacientes diabéticos
Atendimento e cuidados com pacientes diabéticosAtendimento e cuidados com pacientes diabéticos
Atendimento e cuidados com pacientes diabéticos
Oyara Mello
 
Slide Seminário Hanseníase
Slide Seminário HanseníaseSlide Seminário Hanseníase
Slide Seminário Hanseníase
Nathy Oliveira
 
Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança (PNAISC)
Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança (PNAISC)Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança (PNAISC)
Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança (PNAISC)
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Caso clinico Anemia ferropriva
Caso clinico Anemia ferroprivaCaso clinico Anemia ferropriva
Caso clinico Anemia ferropriva
MAIQUELE SANTANA
 
Desidratação e diarréia
Desidratação e diarréiaDesidratação e diarréia
Desidratação e diarréia
Gladyanny Veras
 
Diabetes
DiabetesDiabetes
Diabetes
resenfe2013
 
Diagnosticando a Sífilis - Interpretação de Exames Laboratoriais
Diagnosticando a Sífilis - Interpretação de Exames Laboratoriais Diagnosticando a Sífilis - Interpretação de Exames Laboratoriais
Diagnosticando a Sífilis - Interpretação de Exames Laboratoriais
Enfº Ícaro Araújo
 
Doenças mais comuns na infância
Doenças mais comuns na infânciaDoenças mais comuns na infância
Doenças mais comuns na infância
Rúben Freitas
 
Desnutrição Infantil
Desnutrição InfantilDesnutrição Infantil
Desnutrição Infantil
Efigênia Barros
 
Sfilis
SfilisSfilis
Hipertensão arterial e diabetes mellitus
Hipertensão arterial e diabetes mellitusHipertensão arterial e diabetes mellitus
Hipertensão arterial e diabetes mellitus
LUNATH
 
HanseníAse.Ppt
HanseníAse.PptHanseníAse.Ppt
HanseníAse.Ppt
guest0cc73a
 
Sífilis - O que é, sintomas, tratamento, formas de contágio e mais
Sífilis - O que é, sintomas, tratamento, formas de contágio e maisSífilis - O que é, sintomas, tratamento, formas de contágio e mais
Sífilis - O que é, sintomas, tratamento, formas de contágio e mais
Isabella Ruas
 
A DOENÇA POLIOMIELITE: Vacinas (VIP) e (VOP)
A DOENÇA POLIOMIELITE: Vacinas (VIP) e (VOP) A DOENÇA POLIOMIELITE: Vacinas (VIP) e (VOP)
A DOENÇA POLIOMIELITE: Vacinas (VIP) e (VOP)
Ana Paula Ribeiro da Fonseca Lopes
 
Hipertensão Arterial
Hipertensão ArterialHipertensão Arterial
Hipertensão Arterial
ivanaferraz
 
Sífilis- Sintomas e Tratamentos
Sífilis- Sintomas e TratamentosSífilis- Sintomas e Tratamentos
Sífilis- Sintomas e Tratamentos
Eduarda Medeiros
 

Mais procurados (20)

Diabetes
DiabetesDiabetes
Diabetes
 
Puericultura
PuericulturaPuericultura
Puericultura
 
Apresentação diabetes mellitus
Apresentação diabetes mellitusApresentação diabetes mellitus
Apresentação diabetes mellitus
 
AMAMENTAÇÃO
AMAMENTAÇÃOAMAMENTAÇÃO
AMAMENTAÇÃO
 
Atendimento e cuidados com pacientes diabéticos
Atendimento e cuidados com pacientes diabéticosAtendimento e cuidados com pacientes diabéticos
Atendimento e cuidados com pacientes diabéticos
 
Slide Seminário Hanseníase
Slide Seminário HanseníaseSlide Seminário Hanseníase
Slide Seminário Hanseníase
 
Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança (PNAISC)
Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança (PNAISC)Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança (PNAISC)
Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança (PNAISC)
 
Caso clinico Anemia ferropriva
Caso clinico Anemia ferroprivaCaso clinico Anemia ferropriva
Caso clinico Anemia ferropriva
 
Desidratação e diarréia
Desidratação e diarréiaDesidratação e diarréia
Desidratação e diarréia
 
Diabetes
DiabetesDiabetes
Diabetes
 
Diagnosticando a Sífilis - Interpretação de Exames Laboratoriais
Diagnosticando a Sífilis - Interpretação de Exames Laboratoriais Diagnosticando a Sífilis - Interpretação de Exames Laboratoriais
Diagnosticando a Sífilis - Interpretação de Exames Laboratoriais
 
Doenças mais comuns na infância
Doenças mais comuns na infânciaDoenças mais comuns na infância
Doenças mais comuns na infância
 
Desnutrição Infantil
Desnutrição InfantilDesnutrição Infantil
Desnutrição Infantil
 
Sfilis
SfilisSfilis
Sfilis
 
Hipertensão arterial e diabetes mellitus
Hipertensão arterial e diabetes mellitusHipertensão arterial e diabetes mellitus
Hipertensão arterial e diabetes mellitus
 
HanseníAse.Ppt
HanseníAse.PptHanseníAse.Ppt
HanseníAse.Ppt
 
Sífilis - O que é, sintomas, tratamento, formas de contágio e mais
Sífilis - O que é, sintomas, tratamento, formas de contágio e maisSífilis - O que é, sintomas, tratamento, formas de contágio e mais
Sífilis - O que é, sintomas, tratamento, formas de contágio e mais
 
A DOENÇA POLIOMIELITE: Vacinas (VIP) e (VOP)
A DOENÇA POLIOMIELITE: Vacinas (VIP) e (VOP) A DOENÇA POLIOMIELITE: Vacinas (VIP) e (VOP)
A DOENÇA POLIOMIELITE: Vacinas (VIP) e (VOP)
 
Hipertensão Arterial
Hipertensão ArterialHipertensão Arterial
Hipertensão Arterial
 
Sífilis- Sintomas e Tratamentos
Sífilis- Sintomas e TratamentosSífilis- Sintomas e Tratamentos
Sífilis- Sintomas e Tratamentos
 

Semelhante a Doença de Kawasaki

Terapia Nutricional no Lúpus
Terapia Nutricional no LúpusTerapia Nutricional no Lúpus
Terapia Nutricional no Lúpus
Wandemberg Pereira Santos
 
Caso Clínico: AVCi com transformação hemorrágica
Caso Clínico: AVCi com transformação hemorrágicaCaso Clínico: AVCi com transformação hemorrágica
Caso Clínico: AVCi com transformação hemorrágica
Juliana Pereira
 
2 fiebre reumatica 2015.
2 fiebre reumatica 2015.2 fiebre reumatica 2015.
2 fiebre reumatica 2015.
honestolopes1994
 
Sessão de raciocínio clínico
Sessão de raciocínio clínicoSessão de raciocínio clínico
Sessão de raciocínio clínico
janinemagalhaes
 
Caso clinico doença de addisson
Caso clinico doença de addissonCaso clinico doença de addisson
Caso clinico doença de addisson
biochemestry
 
Hipertensão e Cetoacidose diabética
Hipertensão e Cetoacidose diabéticaHipertensão e Cetoacidose diabética
Hipertensão e Cetoacidose diabética
Cássio de Araújo
 
Cuidados Odontológicos com Pacientes com Doença Hematológica e Infartos Frequ...
Cuidados Odontológicos com Pacientes com Doença Hematológica e Infartos Frequ...Cuidados Odontológicos com Pacientes com Doença Hematológica e Infartos Frequ...
Cuidados Odontológicos com Pacientes com Doença Hematológica e Infartos Frequ...
casadurvalpaiva
 
A epidemia de dengue no continente Latino Americano
A epidemia de dengue no continente Latino AmericanoA epidemia de dengue no continente Latino Americano
A epidemia de dengue no continente Latino Americano
Irisnara Nunes Silva
 
Doencas pulmonares difusas
Doencas pulmonares difusasDoencas pulmonares difusas
Doencas pulmonares difusas
Flávia Salame
 
Anemias lourdes2
Anemias lourdes2Anemias lourdes2
Anemias lourdes2
ERALDO DOS SANTOS
 
Aula residência ave avc
Aula residência ave avcAula residência ave avc
Aula residência ave avc
Inaiara Bragante
 
Convulsoes na infancia ufop
Convulsoes na infancia ufopConvulsoes na infancia ufop
Convulsoes na infancia ufop
Leonardo Savassi
 
Convulsões na infância ufop
Convulsões na infância ufopConvulsões na infância ufop
Convulsões na infância ufop
Leonardo Savassi
 
Sessão clinica 16 julho
Sessão clinica   16 julhoSessão clinica   16 julho
Sessão clinica 16 julho
janinemagalhaes
 
Patologia
PatologiaPatologia
Patologia
Vanessa Boeira
 
Termologia da área de enfermagem
Termologia da área de enfermagemTermologia da área de enfermagem
Termologia da área de enfermagem
NEELLITON SANTOS
 
Vasculites raras sistêmicas da infância
Vasculites raras sistêmicas da infânciaVasculites raras sistêmicas da infância
Vasculites raras sistêmicas da infância
gisa_legal
 
Avaliação clínico cardiológica e eco sequencial em cr com marfan
Avaliação clínico cardiológica e eco sequencial em cr  com marfanAvaliação clínico cardiológica e eco sequencial em cr  com marfan
Avaliação clínico cardiológica e eco sequencial em cr com marfan
gisa_legal
 
PÚRPURA DE HENOCH- SCHONLEIN
PÚRPURA DE HENOCH- SCHONLEIN PÚRPURA DE HENOCH- SCHONLEIN
PÚRPURA DE HENOCH- SCHONLEIN
blogped1
 
aula 4 - Dispensação e prescrição de medicamentos.pptx
aula 4 - Dispensação e prescrição de medicamentos.pptxaula 4 - Dispensação e prescrição de medicamentos.pptx
aula 4 - Dispensação e prescrição de medicamentos.pptx
PedroNabarrete
 

Semelhante a Doença de Kawasaki (20)

Terapia Nutricional no Lúpus
Terapia Nutricional no LúpusTerapia Nutricional no Lúpus
Terapia Nutricional no Lúpus
 
Caso Clínico: AVCi com transformação hemorrágica
Caso Clínico: AVCi com transformação hemorrágicaCaso Clínico: AVCi com transformação hemorrágica
Caso Clínico: AVCi com transformação hemorrágica
 
2 fiebre reumatica 2015.
2 fiebre reumatica 2015.2 fiebre reumatica 2015.
2 fiebre reumatica 2015.
 
Sessão de raciocínio clínico
Sessão de raciocínio clínicoSessão de raciocínio clínico
Sessão de raciocínio clínico
 
Caso clinico doença de addisson
Caso clinico doença de addissonCaso clinico doença de addisson
Caso clinico doença de addisson
 
Hipertensão e Cetoacidose diabética
Hipertensão e Cetoacidose diabéticaHipertensão e Cetoacidose diabética
Hipertensão e Cetoacidose diabética
 
Cuidados Odontológicos com Pacientes com Doença Hematológica e Infartos Frequ...
Cuidados Odontológicos com Pacientes com Doença Hematológica e Infartos Frequ...Cuidados Odontológicos com Pacientes com Doença Hematológica e Infartos Frequ...
Cuidados Odontológicos com Pacientes com Doença Hematológica e Infartos Frequ...
 
A epidemia de dengue no continente Latino Americano
A epidemia de dengue no continente Latino AmericanoA epidemia de dengue no continente Latino Americano
A epidemia de dengue no continente Latino Americano
 
Doencas pulmonares difusas
Doencas pulmonares difusasDoencas pulmonares difusas
Doencas pulmonares difusas
 
Anemias lourdes2
Anemias lourdes2Anemias lourdes2
Anemias lourdes2
 
Aula residência ave avc
Aula residência ave avcAula residência ave avc
Aula residência ave avc
 
Convulsoes na infancia ufop
Convulsoes na infancia ufopConvulsoes na infancia ufop
Convulsoes na infancia ufop
 
Convulsões na infância ufop
Convulsões na infância ufopConvulsões na infância ufop
Convulsões na infância ufop
 
Sessão clinica 16 julho
Sessão clinica   16 julhoSessão clinica   16 julho
Sessão clinica 16 julho
 
Patologia
PatologiaPatologia
Patologia
 
Termologia da área de enfermagem
Termologia da área de enfermagemTermologia da área de enfermagem
Termologia da área de enfermagem
 
Vasculites raras sistêmicas da infância
Vasculites raras sistêmicas da infânciaVasculites raras sistêmicas da infância
Vasculites raras sistêmicas da infância
 
Avaliação clínico cardiológica e eco sequencial em cr com marfan
Avaliação clínico cardiológica e eco sequencial em cr  com marfanAvaliação clínico cardiológica e eco sequencial em cr  com marfan
Avaliação clínico cardiológica e eco sequencial em cr com marfan
 
PÚRPURA DE HENOCH- SCHONLEIN
PÚRPURA DE HENOCH- SCHONLEIN PÚRPURA DE HENOCH- SCHONLEIN
PÚRPURA DE HENOCH- SCHONLEIN
 
aula 4 - Dispensação e prescrição de medicamentos.pptx
aula 4 - Dispensação e prescrição de medicamentos.pptxaula 4 - Dispensação e prescrição de medicamentos.pptx
aula 4 - Dispensação e prescrição de medicamentos.pptx
 

Mais de UEA - Universidade do Estado do Amazonas

Reanimação Neonatal em Sala de Parto
Reanimação Neonatal em Sala de PartoReanimação Neonatal em Sala de Parto
Reanimação Neonatal em Sala de Parto
UEA - Universidade do Estado do Amazonas
 
Manejo da Neutropenia Febril em Pacientes Oncológicos
Manejo da Neutropenia Febril em Pacientes OncológicosManejo da Neutropenia Febril em Pacientes Oncológicos
Manejo da Neutropenia Febril em Pacientes Oncológicos
UEA - Universidade do Estado do Amazonas
 
Neoplasias Periampulares
Neoplasias PeriampularesNeoplasias Periampulares
A Importância do Pré-Natal
A Importância do Pré-NatalA Importância do Pré-Natal
A Importância do Pré-Natal
UEA - Universidade do Estado do Amazonas
 
Coagulação, Anticoagulação e Fibrinólise
Coagulação, Anticoagulação e FibrinóliseCoagulação, Anticoagulação e Fibrinólise
Coagulação, Anticoagulação e Fibrinólise
UEA - Universidade do Estado do Amazonas
 
Ameloblastoma
AmeloblastomaAmeloblastoma
Violência doméstica
Violência doméstica   Violência doméstica
Imperícias Profissionais na Saúde
Imperícias Profissionais na Saúde Imperícias Profissionais na Saúde
Imperícias Profissionais na Saúde
UEA - Universidade do Estado do Amazonas
 
Hipertireodismo e Tireoidites
Hipertireodismo e Tireoidites   Hipertireodismo e Tireoidites
Hipertireodismo e Tireoidites
UEA - Universidade do Estado do Amazonas
 

Mais de UEA - Universidade do Estado do Amazonas (9)

Reanimação Neonatal em Sala de Parto
Reanimação Neonatal em Sala de PartoReanimação Neonatal em Sala de Parto
Reanimação Neonatal em Sala de Parto
 
Manejo da Neutropenia Febril em Pacientes Oncológicos
Manejo da Neutropenia Febril em Pacientes OncológicosManejo da Neutropenia Febril em Pacientes Oncológicos
Manejo da Neutropenia Febril em Pacientes Oncológicos
 
Neoplasias Periampulares
Neoplasias PeriampularesNeoplasias Periampulares
Neoplasias Periampulares
 
A Importância do Pré-Natal
A Importância do Pré-NatalA Importância do Pré-Natal
A Importância do Pré-Natal
 
Coagulação, Anticoagulação e Fibrinólise
Coagulação, Anticoagulação e FibrinóliseCoagulação, Anticoagulação e Fibrinólise
Coagulação, Anticoagulação e Fibrinólise
 
Ameloblastoma
AmeloblastomaAmeloblastoma
Ameloblastoma
 
Violência doméstica
Violência doméstica   Violência doméstica
Violência doméstica
 
Imperícias Profissionais na Saúde
Imperícias Profissionais na Saúde Imperícias Profissionais na Saúde
Imperícias Profissionais na Saúde
 
Hipertireodismo e Tireoidites
Hipertireodismo e Tireoidites   Hipertireodismo e Tireoidites
Hipertireodismo e Tireoidites
 

Doença de Kawasaki

  • 1. Universidade Do Estado Do Amazonas Escola Superior De Ciências Da Saúde Disciplina De Patologia Especial I DOENÇA DE KAWASAKI ANA CLÁUDIA CUNHA Professor: Augusto Castilho 1/12/2011
  • 2. INTRODUÇÃO 1/12/2011 A Doença de Kawasaki trata-se de: • Vasculite aguda e multissistêmica; • Febril e exantemática; • Compromete predominantemente vasos de médio calibre (embora possa afetar vasos de pequeno e grande calibre também) (ROBBINS, 1996; SILVA et al., 2004). • Principalmente: Artérias Coronárias.
  • 3. EPIDEMIOLOGIA 1/12/2011  1 a. causa de cardiopatia adquirida na criança no Japão e EUA  Descendentes de Asiáticos  80% casos: menores de 5 anos, rara em em adultos (BURNS, 1996)  M > F (5:1)  Semelhança com a Síndrome do Choque tóxico leva a erros
  • 4. ETIOLOGIA 1/12/2011  Inconsistência de Definição Etiológica  Bacteriana: Estreptococos, estafilococos  Viral: Parvorírus, Retrovírus, EBV, HIV  Fúngica: Cândida  Reação imune caracterizada pela ativação de células T e macrófagos
  • 5. CRITÉRIOS DIAGNÓSTICOS 1/12/2011  Febre com duração de 5 dias ou mais e 4 dos 5 critérios a seguir:  Conjuntivite bilateral, não supurativa;  Inchaço de gânglios linfáticos:  Exantema polimorfo, sem vesículas;  Alteração na mucosa oral ou lábios;  Alterações de extremidades.
  • 6. DIAGNÓSTICO CLÍNICO 1/12/2011 1. Febre maior que 5-7 dias que não melhora com o uso de antibióticos.  A presença de febre com acometimento coronariano, mesmo com menos de 4 critérios, pode ser considerado Kawasaki atípico ou incompleto.
  • 7. DIAGNÓSTICO CLÍNICO 1/12/2011 2. Hiperemia ConjuntivalBilateral
  • 8. DIAGNÓSTICO CLÍNICO 1/12/2011 3. Alterações na Cavidade Oral
  • 9. DIAGNÓSTICO CLÍNICO 1/12/2011 4. Alterações de Extremidades
  • 10. DIAGNÓSTICO CLÍNICO 1/12/2011 5. Exantema Polimorfo
  • 11. DIAGNÓSTICO CLÍNICO 1/12/2011  Linfonodomegalia Cervical
  • 12. ALTERAÇÕES CARDIOVASCULARES 1/12/2011  Miocardite  Derrame Pericárdico  Arritmias  Acometimento Aórtico e Mitral  Aneurismas Periféricos  ANEURISMAS CORONARIANOS
  • 14. DIAGNÓSTICO LABORATORIAL 1/12/2011  Leucocitose com Neutrofilia  Trombocitose  Alterações no hepatograma  Hipoalbuminemia  FAN negativo  VHS aumentado
  • 15. TRATAMENTO 1/12/2011  AAS: 80-100 mg/kg/ dia até 24-48 h após o término da febre. Contínuo em casos de aneurisma.  Gamaglobulina endovenosa: 2g/kg, dose única, em 8-12 h (até o décimo dia de doença)  Corticóides: Não responder a IVIG e em caso de gangrena periférica.
  • 16. PROGNÓSTICO 1/12/2011  Comprometimento Coronariano  Diagnóstico e Tratamento Precoces  Pior: Sexo masculino, idade inferior < 1 ano, febre persistente.
  • 17. 1/12/2011 OBRIGADA PELA ATENÇÃO!