SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 58
Doutrina de Deus




Ricardo Gondim

pastorgondim@hotmail.com
A
Doutrina
de Deus
  Criador e
Sustentador de

Todas as Coisas
Como Podemos Saber que Deus Existe?

                         Primeira Resposta

    Todas as pessoas de
  qualquer lugar têm uma                    Rm 1. 15-32; Sl 14.1;
  profunda intuição íntima                   Sl 53.1; Sl 10.3-4;
 de que Deus existe, de que                  Ef 3.17; Fp 3.8, 10;
    são criaturas de Deus                     Cl 1.27; Jo 14.23;
 e de que ele é seu Criador.                       1Pe 1.8


Fp 3-9 E seja achado nele, não tendo a minha justiça que vem da lei, mas
a que vem pela fé em Cristo, a saber, a justiça que vem de Deus pela fé;
Como Podemos Saber que Deus Existe?

           Segunda Resposta

    Além da consciência íntima
       de Deus, que dá claro                                 Rm 1.20
    testemunho do fato de que
      ele existe, encontramos                                At 14.17
     claras evidências da sua                                Sl 19.1-2
     existência nas Escrituras
           e na natureza.
Rm 1-20 Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o
seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se vêem
pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis;
Os Quatro Argumentos Filosóficos da Existência de Deus


              Considera o fato de que toda coisa conhecida do
    I          universo tem uma causa. Portanto, arrazoa o
               argumento, o próprio universo deve também
Cosmológico    necessariamente ter uma causa, e a causa de
                 universo tão grandioso só pode ser Deus.

                Concentra-se na evidência da harmonia, da
               ordem e do planejamento no universo. Como o
    II           universo parece ter sido planejado com um
Teleológico   propósito, deve necessariamente existir um Deus
                 inteligente e determinado que o criou para
                               funcionar assim.
Os Quatro Argumentos Filosóficos da Existência de Deus


               Parte da idéia de Deus, definido como um ser
   III          ―maior do que qualquer coisa que se possa
             imaginar‖. Depois arrazoa que a característica da
Ontológico    existência deve pertencer a tal ser, pois maior é
                           existir que não existir.

              Parte do senso humano do certo e do errado, e da
  IV           necessidade da imposição da justiça, e raciocina
                que deve necessariamente existir um Deus que
 Moral         seja a fonte do certo e do errado e que vá algum
                    dia impor a justiça a todas as pessoas.
Apesar Desses Argumentos...



Só Deus pode superar nosso pecado e
  possibilitar que nos convençamos
           da sua existência.
          Wayne Grudem
A Questão da Revelação de Deus




                        ?
 Será que
 Podemos
Realmente
Conhecer a
  Deus?
A Doutrina de Deus – Perguntas Normativas

Será que Podemos Realmente Conhecer a Deus?

     Primeira Resposta
                                     Mt 11.27
    Deus quis se revelar à            Jo 1.18
   humanidade através da
Bíblia e ela é a única que nos   Rm 1.18,19, 21, 25
  diz como compreender o             1Co 1.21
 testemunho que a natureza
         dá de Deus.                 1Co 2.14
                                     2Co 4.3-4
A Doutrina de Deus – Perguntas Normativas

 Será que Podemos Realmente Conhecer a Deus?
                                   Sl 147.5
    Segunda Resposta
                                  Sl 139.6, 17
                                 1Co 2.10-12
Deus é incompreensível, ou         Rm 11.33
   seja: Ele não pode ser
                                    Is 55.9
plenamente compreendido.
                                   Jó 26.14
                                Sl 139.6, 17-18
                                    Cl 1.10
A Doutrina de Deus – Perguntas Normativas

Será que Podemos Realmente Conhecer a Deus?


   Terceira Resposta
                                  Jo 4.24
 As Escrituras nos falam          Rm 3.26
sobre Deus e nos ensinam
 tudo o que necessitamos          Sl 139.17
     saber sobre ele.            Jr 9.23-24
                                  Hb 8.11
A Questão do Ser de Deus



                         Nomes
   Caráter



Designações
                          Atributos
O Caráter de Deus: Atributos Comunicáveis

                       Amor
  Deus é amor, e nós também somos capazes de amar.
                   Conhecimento
Deus tem conhecimento, e nós também somos capazes de
               alcançar conhecimento.
                    Misericórdia
Deus é misericordioso, e nós também somos capazes de
              demonstrar misericórdia.
                       Justiça
    Deus é justo, e nós também podemos ser justos.
O Caráter de Deus: Atributos Incomunicáveis

                    Independência
Deus não precisa de nós nem do restante da criação para
                         nada.
                      Eternidade
     Deus existe desde a eternidade, mas nós não.
                    Imutabilidade
             Deus não muda, mas nós sim.
                     Onipresença
 Deus está presente em todos os lugares, mas nós só nos
         fazemos presentes num lugar por vez.
Os Nomes e Atributos Dados a Deus nas Escrituras

      Comparações – Deus é comparado a:

Águia (Dt 32.11)              Leão (Is 31.4)
Cordeiro (Is 53.7)            Luz (Sl 27.1)
Galinha (Mt 23.37)            Lâmpada (Ap 21.23)
Sol (Sl 84.11)                Fogo (Hb 12.29)
Estrela da manhã (Ap 22.16)   Manancial (Sl 36.9)
Sombra (Sl 91.1)              Rocha (Dt 32.4)
Escudo (Sl 84.11)             Refúgio (Sl 119.114)
Santuário (Ap 21.22)          Torre (Pv 18.10)
Os Nomes e Atributos Dados a Deus nas Escrituras


         Designações – Deus é chamado de:


Juiz e Rei (Is 33.22)               Noivo (Is 61.10)
Homem de guerra (Êx 15.3)           Marido (Is 54.5)
Arquiteto e Edificador (Hb 11.10)   Pai (Dt 32.6)
Pastor (Sl 23.1)                    Médico (Êx 15.26)
Os Nomes e Atributos Dados a Deus nas Escrituras


Descrições – Deus é descrito como alguém capaz de:


Saber (Gn 18.21)             Pôr à prova (Sl 11.5)
Lembrar (Gn 8.1; Êx 2.24)    Permanecer (Sl 9.7)
Ver (Gn 1.10)                Levantar-se (Sl 68.1)
Ouvir (Êx 2.24)              Andar (Lv 26.12)
Aspirar o cheiro (Gn 8.21)   Enxugar as lágrimas (Is 25.8)
Os Nomes e Atributos Dados a Deus nas Escrituras


Atribuições – Deus é descrito como alguém capaz de:



                             Ira (Jr 7.18-19; Sl 2.5)
Alegria (Is 62.5)
                             Amor (Jo 3.16)
Pesar (Sl 78.40; Is 63.10)
                             Ódio (Dt 16.22)
Os Nomes e Atributos Dados a Deus nas Escrituras

Atividades – Atribuem-se a Deus de modo metafórico:


•Face ou Presença (Êx 33.20, 23)   •Língua (Is 30.27)
•Olhos (Sl 11.4; Hb 4.13)          •Costas (Jr 18.17)
•Pálpebras (Sl 11.4)               •Braço (Êx 15.16)
•Ouvidos (Sl 55.1; Is 59.1)        •Mão (Nm 11.23)
•Narinas (Dt 33.10)                •Dedo (Êx 8.19)
•Boca (Dt 8.3)                     •Coração (Gn 6.6)
•Lábios (Jó 11.5)                  •Pés (Is 66.1)
As Várias Atribuições a Deus que a Bíblia Apresenta:

 Atividades
                                         Designações




  Atribuições


                                      Comparações




As ações e características humanas são utilizadas
    na Bíblia para representar o ser de Deus.
Motivos das Designações sobre Deus:

                       Primeiro
Toda a criação nos revela algo sobre Deus, e que quanto
 mais elevada a criação, especialmente o homem que é
  feito à imagem de Deus, mais plenamente o revela.

                       Segundo
 Mostra que tudo o que sabemos sobre Deus segundo as
Escrituras nos vem em termos que compreendemos, pois
   descrevem eventos ou coisas comuns à experiência
                       humana.
A Doutrina de Deus – Perguntas Normativas

Em que aspectos Deus é como nós no seu ser?

A. Atributos que descrevem o ser de Deus


1. Espiritualidade - Jo 4.24; Sl 139.7-10; 1Rs 8.27
2. Invisibilidade - Jo 1.18; Jo 6.46; 1Tm 1.17; 1Tm 6.16
A Doutrina de Deus – Perguntas Normativas

Em que aspectos Deus é como nós no seu ser?


B. Atributos Mentais


3. Conhecimento /Onisciência - 1Jo 3.20; 1Co 2.10-11
4. Sabedoria - Rm 16.27; Jó 9.4; Jó 12.13; Sl 104.24
5. Veracidade / Fidelidade - Jr 10.10-11; Jo 17.3
A Doutrina de Deus – Perguntas Normativas

    Em que aspectos Deus é como nós no seu ser?
C. Atributos Morais
6. Bondade - Lc 18.19; Sl 100.5; Rm 12.2; Tg 1.17
7. Amor - Jo 4.8; Jo 17.24; Jo 3.35; Rm 5.8; Jo 3.16
8. Misericórdia (Graça, Paciência) - Êx 34.6; Sl 103.8
9. Santidade - Êx 26.33; Sl 24.3; Êx 20.11; Gn 2.3
10. Paz (ou ordem) - Rm 15.33; 16.20; Fp 4.9; 1Ts 5.23; Hb 13.20
11. Retidão (ou justiça) - Dt 32.4; Gn 18.25; Sl 19.8; Is 45.19
12. Zelo - 2Co 11.2; Êx 20.5; 1Co 4.7; Ap 4.11
13. Ira - Êx 32.9-10; Dt 9.7-8; 29.23; 2Rs 22.13
A Doutrina de Deus – Perguntas Normativas

 Em que aspectos Deus é como nós no seu ser?

D. Atributos de Propósito
14. Vontade - Ef 1.11; Cl 1.16, 17; Rm 11.36; 1Co 8.6
15. Liberdade - Sl 115.3; Pv 21.1; Dn 4.35
16. Onipotência (ou poder, e soberania) - Sl 24.8
A Doutrina de Deus – Perguntas Normativas

Em que aspectos Deus é como nós no seu ser?


E. Atributos de Síntese
17. Perfeição - Mt 5.48; Sl 18.30; Dt 32.4
18. Bem-aventurança - 1Tm 6.15; Gn 1.31; Is 62.5
19. Beleza - Sl 73.25-26; Ap 22.4; 1Pe 3.4; Tt 2.10
20. Glória - Hb 1.3; Jo 17.5; Sl 24.10; Lc 2.9; Ap 21.23
A Questão da Trindade




Como Deus
 pode ser
   três
 pessoas...                       ... porém
                                    um só
                                    Deus?
A Doutrina de Deus – Perguntas Normativas

 Como Deus pode ser três pessoas, porém um só
                   Deus?

                    Resposta

Deus existe eternamente como três pessoas — Pai,
    Filho e Espírito Santo — e cada pessoa é
     plenamente Deus, e existe só um Deus.
                Wayne Grudem
O Resumo Bíblico Sobre a Trindade


Há só um Deus.

     Deus é três pessoas.

       Cada pessoa é plenamente Deus.
O Resumo Bíblico Sobre a Trindade

                 Há só um Deus.

As três diferentes pessoas da Trindade são um, não
 apenas em propósito e em concordância no que
  pensam, mas um em essência, um na sua
natureza essencial. Em outras palavras, Deus é um
                       só ser.

 Dt 6.4-5; Êx 15.11; 1Rs 8.60; Is 45.5-6; 1Tm 2.5;
                 1Co 8.6; Tg 2.19
O Resumo Bíblico Sobre a Trindade

               Deus é três pessoas

O fato de ser Deus três pessoas significa que o Pai
 não é o Filho; são pessoas distintas. Significa
também que o Pai não é o Espírito Santo, mas
           são pessoas distintas.

 Jo 1.1-2 ; 14.26; 17.24; Hb 7. 25; Mt 28.19; 1Co
       12.4-6; 2Co 13.14; Ef 4.4-6; 1Pe 1.2
O Resumo Bíblico Sobre a Trindade


         Cada pessoa é plenamente Deus.

Além do fato de serem as três pessoas distintas, as
Escrituras também dão farto testemunho de que
      cada pessoa é plenamente Deus.
Jo 1.1-4 , Gn 1.1; Jo 20.28; Hb 1.10, Sl 102.25; 1Co
   12.4-6; 2Co 13.14; Ef 4.4-6; 1Pe 1.2; Jd 20-21
Qual a relação entre as três pessoas e o
                      ser de Deus?

     ―E a Fé Católica é esta: que adoramos um só Deus em
 Trindade, e Trindade em Unidade; sem confundir as Pessoas
  nem dividir a Substância [Essência]. Pois existe a Pessoa do
     Pai; outra do Filho; e outra do Espírito Santo. Mas a
Divindade do Pai, do Filho e do Espírito Santo é uma só; igual
é a Glória, a Majestade co-eterna. Assim como o Pai, é o Filho;
             e também assim o Espírito Santo. [...]‖.

                      Credo de Atanásio
Erros Históricos Sobre a Trindade


              Afirma que existe só uma única pessoa,
Modalismo      que se revela a nós de três diferentes
                              formas.

               Nega a plena divindade do Filho e do
 Arianismo
                         Espírito Santo.

                Concepção de que Jesus viveu como
Adocianismo   homem comum até seu batismo, quando
                  Deus o ―adotou‖ como ―Filho‖.
Erros Históricos Sobre a Trindade


    Triteísmo         Nega que só existe um único
                                Deus.

                      O Filho é Deus mas inferior,
Subordinacionismo
                         subordinado ao Pai.

                     O Espírito procede do Pai e do
Expressão filioque
                                 Filho.
A Doutrina de Deus – Perguntas Normativas

Quais as distinções entre o Pai, o Filho e o Espírito
                      Santo?

      As pessoas da
      Trindade têm               Jo 1.3
         funções                 Cl 1.16
       primordiais
                                Sl 33.6, 9
      diferentes em
        relação ao               1Co 8.6
         mundo.                  Hb 1.2
A Importância da Doutrina da Trindade


              I
                                              II
 Se Jesus é meramente um ser
   criado, e não plenamente       Se Jesus não é plenamente
      Deus, então é difícil      Deus, temos todo o direito de
 compreender como ele, uma         duvidar de que ele de fato
criatura, pôde suportar toda a   possa nos salvar totalmente.
  ira de Deus contra todos os    Será que realmente podemos
   nossos pecados. Será que       confiar com fé absoluta em
 qualquer criatura, por maior       que uma criatura vá nos
  que seja, poderia realmente               salvar?
          nos salvar?
A Importância da Doutrina da Trindade

               III                            IV
Se Jesus não é o Deus infinito,      Se alguém prega que
será que devemos nos dirigir a      Cristo foi um ser criado
ele em oração ou adorá-lo? Na        e, mesmo assim, nos
verdade, se Jesus é meramente          salvou, então esse
 uma criatura, por maior que         ensinamento atribui
seja, seria idolatria adorá-lo e,   erroneamente o mérito
no entanto, o Novo Testamento         da salvação a uma
nos ordena fazê-lo (Fp 2.9-11;         criatura, e não ao
          Ap 5.12-14).                   próprio Deus.
A Importância da Doutrina da Trindade


              V                               VI
Se a Trindade não existe, então      Se não há pluralidade
  não houve relacionamentos       perfeita e unidade perfeita
  interpessoais dentro do ser       no próprio Deus, então
divino antes da criação, e, sem       também não temos
  relacionamentos pessoais, é      fundamento para pensar
  difícil entender como Deus       que possa existir alguma
   poderia ser genuinamente         unidade última entre os
 pessoal ou como não teria a         diversos elementos do
 necessidade da criação para               universo.
     com ela relacionar-se.
A Economia da Trindade


            O Pai dirige o Filho e tem autoridade
  Pai                     sobre Ele.


 Filho         O Filho obedece e é submisso
                     às ordens do Pai.

Espírito   O Espírito Santo é obediente às ordens
 Santo
               tanto do Pai quanto do Filho.
Deus Criou do Nada...


                Gn 1.1; Sl 33.6, 9; Jo 1.3; At 17.24;
 O Universo         Hb 11.3; Cl 1.16; Ap 4.11

O Homem e a
            Gn 2.7; 2.21-22; 2.23; 1Co 11.8-9
  Mulher

                   Jó 36.26; Sl 90.2, 4; Jo 8.58;
  O Tempo                2Pe 3.8; Ap 1.8
Teorias Seculares Incompatíveis com a
                  Criação Divina

                  O Teísmo Evolucionista

        Argumento                   Objeção           Ref.

Advoga a crença em Deus e                          Sl 33.6, 9;
   também na evolução. Deus       A Bíblia nega    Gn 1.11;
     interveio no processo em     isso pelo fato   Sl 139.13;
    alguns pontos críticos: Na    de que não há
                                                   Sl 104.14;
       criação da matéria no      possibilidade
                                 de uma criação     Mt 6.30;
  princípio. Na criação da                          Gn 12;
                                   que evoluiu.
forma mais simples de vida.                         Lc 3.38
Teorias Seculares Incompatíveis com a Criação
                       Divina

                     A Teoria da Evolução


                          Argumento


A idéia de que―substâncias não vivas deram origem ao primeiro
material vivo, que em seqüência se reproduziu e se diversificou,
       gerando todos os organismos extintos e existentes.
Objeções



                           I.
Após mais de cem anos de cruzamentos experimentais
de espécies diversas de animais e plantas, a quantidade
    de variação que se pode produzir (mesmo com
      cruzamentos deliberados, não aleatórios) é
extremamente limitada, em virtude da faixa restrita de
      variação genética em cada tipo de ser vivo.
Objeções



                          II.
Nos atuais argumentos dos evolucionistas, considera-
  se popularmente que a idéia da ―sobrevivência do
  mais apto‖ (ou ―seleção natural‖) significa que os
 animais cujas características distintas lhes dão uma
  vantagem relativa acabam sobrevivendo, e que os
outros morrem. Mas na prática mesmo, virtualmente
 qualquer característica pode ser considerada como
             vantagem ou desvantagem.
Objeções


                           III.
As mutações numerosas e complexas demandadas para a
 geração de órgãos complexos como um olho ou a asa de
um pássaro (ou centenas de outros órgãos) não poderiam
 ter ocorrido como minúsculas mutações acumuladas ao
longo de milhares de gerações, porque as partes distintas
do órgão são inúteis (e não proporcionam ―vantagem‖) a
            menos que todo o órgão funcione.
Objeções



                             IV.
    O testemunho dos fósseis era o maior problema de
      Darwin em 1859, e de lá para cá esse problema
 simplesmente só fez piorar. No tempo de Darwin, havia
já centenas de fósseis que demonstravam a existência de
muitas espécies distintas de animais e vegetais do passado
 remoto. Mas Darwin foi incapaz de encontrar qualquer
  fóssil das ―espécies intermediárias‖ para preencher as
         lacunas entre espécies distintas de animais.
Objeções


                       V.
 As estruturas moleculares dos organismos vivos
mostram de fato semelhanças, mas os darwinistas
simplesmente pressupõem que essas semelhanças
 implicam ancestralidade comum, alegação que
         certamente não foi comprovada.
Objeções


                           VI.
      A geração espontânea mesmo do mais simples
  organismo capaz de vida independente (a célula das
bactérias procariotes) a partir de materiais inorgânicos
   na terra não pode ter acontecido pela combinação
   aleatória de substâncias químicas: é algo que exige
desígnio inteligente e engenhosidade tão complexa que
 nem mesmo o mais avançado laboratório científico do
                mundo conseguiu fazê-lo.
Resumo dos Ensinos Bíblicos Sobre a Criação

 Deus criou o universo do nada.

 A criação é distinta de Deus, porém sempre dependente de
  Deus.

 Deus criou o universo para revelar a sua glória.

 O universo que Deus criou era muito bom.

 Não haverá conflito definitivo entre as Escrituras e a ciência.

 As teorias seculares que negam Deus como Criador, incluindo
  a evolução darwiniana, são nitidamente incompatíveis com a fé
  na Bíblia.
P              A Providência Divina
R
E
S
E    Deus preserva todas as coisas criadas como
R      elementos existentes, que conservam as
V        propriedades com que ele os criou.
A
    Hb 1.3; Lc 5.18; Jo 2.8; 2Tm 4.13; Cl 1.17; At
Ç
A   17.28; Ne 9.6; 2Pe 3.7; Jó 34.14-15; Sl 104.29.
O
A Providência Divina

                    Preserva-as como elementos existentes,
                   que conservam as propriedades com que
  Deus está                      ele os criou.

continuamente
                   Coopera com as coisas criadas em cada
envolvido com       ato, dirigindo as suas propriedades
todas as coisas     características a fim de fazê-las agir
                                 como agem.
  criadas de
forma tal que:
                    Orienta-as no cumprimento dos seus
                                propósitos.
A Providência Divina

C
O
O
       Deus coopera com as coisas criadas em cada ato,
P
    dirigindo as suas propriedades características a fim de
E
                   fazê-las agir como agem.
R
       Ef 1.11; Sl 148.8; Jó 37.6-13; Sl 135.6, 7; 104.4;
A
Ç                     Jó 38.32; Mt 5.45s
A
O
A Providência Divina



G
O   Deus tem um propósito em tudo o que faz no mundo, e
V   providencialmente governa ou dirige todas as coisas a
       fim de que cumpram esses propósitos divinos.
E
R     Sl 103.19; Dn 4.35; 1Co 15.27; Ef 1.11; Fp 2.10-11;
N                          Rm 8.28
O
Os Seres Espirituais - Anjos




             Os anjos não existem desde
              sempre; fazem parte do
              universo que Deus criou.
             Ne 9.6; Sl 148.2, 5; Cl 1.16;
               2Pe 2.4; Jd 6; Mt 28.5;
              At 12.6-11; Ap 4.11; 5.11
Os Seres Espirituais - Anjos


                  Receberam a tarefa de guardar a entrada do
                  jardim do Éden (Gn 3.24), e o próprio Deus
 Querubins
                     está entronizado acima dos querubins
                            (Sl 18.10; Ez 10.1-22).

                  Continuamente adoram ao Senhor e clamam
  Serafins
                          uns para os outros (Is 6.3).

                          Circundam o trono de Deus
Seres Viventes
                             (Ez 1.5-14; Ap 4.6-8).
Os Seres Espirituais - Demônios




          São seres espirituais criados,
        dotados de discernimento moral e
            elevada inteligência, mas
          desprovidos de corpos físicos.
        Anjos maus que pecaram contra
           Deus e hoje continuamente
           praticam o mal no mundo.
             Gn 3.1-5; 2Pe 2.4; Jd 6
Os Seres Espirituais - Satanás


 É o nome do chefe dos
 demônios. Seu nome
significa ―adversário‖.
 Mt 4.1; 13.39; 25.41;
    Ap 12.9; 20.2; ;
 Gn 3.1, 14; 2Co 11.3;
Ap 12.9; 20.2; Mt 10.25;
  12.24, 27; Lc 11.15;
Jo 12.31; Jo 14.30; 16.11

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Conhecendo a salvação
Conhecendo a salvaçãoConhecendo a salvação
Conhecendo a salvaçãoJosue Lima
 
Princípios para uma Vida de Santidade
Princípios para uma Vida de SantidadePrincípios para uma Vida de Santidade
Princípios para uma Vida de SantidadeIBMemorialJC
 
A doutrina do espírito santo
A doutrina do espírito santo A doutrina do espírito santo
A doutrina do espírito santo André Rocha
 
Bibliologia - Cânon biblico
Bibliologia - Cânon biblicoBibliologia - Cânon biblico
Bibliologia - Cânon biblicoRODRIGO FERREIRA
 
Bibliologia - IBADEP: AULA 01
Bibliologia - IBADEP: AULA 01Bibliologia - IBADEP: AULA 01
Bibliologia - IBADEP: AULA 01Coop. Fabio Silva
 
Aula #001 Dons do Espírito Santo[2011]
Aula #001 Dons do Espírito Santo[2011]Aula #001 Dons do Espírito Santo[2011]
Aula #001 Dons do Espírito Santo[2011]TH
 
Lição 11 - A Importância da Bíblia como única regra de Fé
Lição 11 - A Importância da Bíblia como única regra de FéLição 11 - A Importância da Bíblia como única regra de Fé
Lição 11 - A Importância da Bíblia como única regra de FéÉder Tomé
 
Introdução a teologia aula 1
Introdução a teologia  aula 1Introdução a teologia  aula 1
Introdução a teologia aula 1Aniel Wagner Cruz
 
CETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do Obreiro
CETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do ObreiroCETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do Obreiro
CETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do ObreiroEdnilson do Valle
 
Curso para novos membros
Curso para novos membrosCurso para novos membros
Curso para novos membrosViva a Igreja
 

Mais procurados (20)

Hamartiologia
HamartiologiaHamartiologia
Hamartiologia
 
Cristologia aula02
Cristologia aula02Cristologia aula02
Cristologia aula02
 
Conhecendo a salvação
Conhecendo a salvaçãoConhecendo a salvação
Conhecendo a salvação
 
Princípios para uma Vida de Santidade
Princípios para uma Vida de SantidadePrincípios para uma Vida de Santidade
Princípios para uma Vida de Santidade
 
A doutrina do espírito santo
A doutrina do espírito santo A doutrina do espírito santo
A doutrina do espírito santo
 
Homilética
HomiléticaHomilética
Homilética
 
Teontologia - AULA 02
Teontologia - AULA 02Teontologia - AULA 02
Teontologia - AULA 02
 
Bibliologia - Cânon biblico
Bibliologia - Cânon biblicoBibliologia - Cânon biblico
Bibliologia - Cânon biblico
 
Cristologia aula03
Cristologia aula03Cristologia aula03
Cristologia aula03
 
Bibliologia - IBADEP: AULA 01
Bibliologia - IBADEP: AULA 01Bibliologia - IBADEP: AULA 01
Bibliologia - IBADEP: AULA 01
 
Teontologia - AULA 03
Teontologia - AULA 03Teontologia - AULA 03
Teontologia - AULA 03
 
Aula #001 Dons do Espírito Santo[2011]
Aula #001 Dons do Espírito Santo[2011]Aula #001 Dons do Espírito Santo[2011]
Aula #001 Dons do Espírito Santo[2011]
 
Dons espirituais
Dons espirituaisDons espirituais
Dons espirituais
 
Lição 11 - A Importância da Bíblia como única regra de Fé
Lição 11 - A Importância da Bíblia como única regra de FéLição 11 - A Importância da Bíblia como única regra de Fé
Lição 11 - A Importância da Bíblia como única regra de Fé
 
Introdução a teologia aula 1
Introdução a teologia  aula 1Introdução a teologia  aula 1
Introdução a teologia aula 1
 
Estudo biblico 22
Estudo biblico 22Estudo biblico 22
Estudo biblico 22
 
Teontologia - AULA 01
Teontologia - AULA 01Teontologia - AULA 01
Teontologia - AULA 01
 
O pentateuco
O pentateucoO pentateuco
O pentateuco
 
CETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do Obreiro
CETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do ObreiroCETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do Obreiro
CETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do Obreiro
 
Curso para novos membros
Curso para novos membrosCurso para novos membros
Curso para novos membros
 

Destaque

2º Aula de Teologia - Doutrina de Deus - 1° Bimestre
2º Aula de Teologia - Doutrina de Deus - 1° Bimestre2º Aula de Teologia - Doutrina de Deus - 1° Bimestre
2º Aula de Teologia - Doutrina de Deus - 1° BimestreJefferson Evangelista
 
MINI-CURSO DE TEOLOGIA - TEONTOLOGIA
MINI-CURSO DE TEOLOGIA - TEONTOLOGIAMINI-CURSO DE TEOLOGIA - TEONTOLOGIA
MINI-CURSO DE TEOLOGIA - TEONTOLOGIALeonam dos Santos
 
Atributos de deus
Atributos de deusAtributos de deus
Atributos de deusugleybson
 
6º Aula de Teologia - Doutrina de Deus - 1° bimestre
6º Aula de Teologia - Doutrina de Deus - 1° bimestre6º Aula de Teologia - Doutrina de Deus - 1° bimestre
6º Aula de Teologia - Doutrina de Deus - 1° bimestreJefferson Evangelista
 
Aula 2 - Deus – lili
Aula 2 - Deus – liliAula 2 - Deus – lili
Aula 2 - Deus – liliRoseli Lemes
 
Atributos da divindade - n.9
Atributos da  divindade - n.9Atributos da  divindade - n.9
Atributos da divindade - n.9Graça Maciel
 
Curso de teologia IBADEP
Curso de teologia IBADEPCurso de teologia IBADEP
Curso de teologia IBADEPMoisés Sampaio
 
O Único Deus Verdadeiro - Paul Washer
O Único Deus Verdadeiro - Paul WasherO Único Deus Verdadeiro - Paul Washer
O Único Deus Verdadeiro - Paul WasherPortal Cristão
 
Apresentação provas da existência de deus
Apresentação provas da existência de deusApresentação provas da existência de deus
Apresentação provas da existência de deuspaulomanesantos
 
SEITAS E HERESIAS - TESTEMUNHAS DE JEOVÁ
SEITAS E HERESIAS - TESTEMUNHAS DE JEOVÁSEITAS E HERESIAS - TESTEMUNHAS DE JEOVÁ
SEITAS E HERESIAS - TESTEMUNHAS DE JEOVÁLeonam dos Santos
 
Provas da existência de Deus!
Provas da existência de Deus! Provas da existência de Deus!
Provas da existência de Deus! Leonardo Pereira
 

Destaque (20)

2º Aula de Teologia - Doutrina de Deus - 1° Bimestre
2º Aula de Teologia - Doutrina de Deus - 1° Bimestre2º Aula de Teologia - Doutrina de Deus - 1° Bimestre
2º Aula de Teologia - Doutrina de Deus - 1° Bimestre
 
Deus (teontologia)
Deus (teontologia)Deus (teontologia)
Deus (teontologia)
 
MINI-CURSO DE TEOLOGIA - TEONTOLOGIA
MINI-CURSO DE TEOLOGIA - TEONTOLOGIAMINI-CURSO DE TEOLOGIA - TEONTOLOGIA
MINI-CURSO DE TEOLOGIA - TEONTOLOGIA
 
Curso de teologia_doutrina_de_deus
Curso de teologia_doutrina_de_deusCurso de teologia_doutrina_de_deus
Curso de teologia_doutrina_de_deus
 
Teologia de Deus aula 2
Teologia de Deus aula 2Teologia de Deus aula 2
Teologia de Deus aula 2
 
Atributos de Deus
Atributos de DeusAtributos de Deus
Atributos de Deus
 
Os atributos de deus
Os atributos de deusOs atributos de deus
Os atributos de deus
 
Atributos de deus
Atributos de deusAtributos de deus
Atributos de deus
 
6º Aula de Teologia - Doutrina de Deus - 1° bimestre
6º Aula de Teologia - Doutrina de Deus - 1° bimestre6º Aula de Teologia - Doutrina de Deus - 1° bimestre
6º Aula de Teologia - Doutrina de Deus - 1° bimestre
 
Nomes e atributos de Deus
Nomes e atributos de DeusNomes e atributos de Deus
Nomes e atributos de Deus
 
Os nomes de deus
Os nomes de deusOs nomes de deus
Os nomes de deus
 
Atributos de Deus
Atributos de DeusAtributos de Deus
Atributos de Deus
 
Aula 2 - Deus – lili
Aula 2 - Deus – liliAula 2 - Deus – lili
Aula 2 - Deus – lili
 
Atributos da divindade - n.9
Atributos da  divindade - n.9Atributos da  divindade - n.9
Atributos da divindade - n.9
 
Seitas e heresias
Seitas e heresiasSeitas e heresias
Seitas e heresias
 
Curso de teologia IBADEP
Curso de teologia IBADEPCurso de teologia IBADEP
Curso de teologia IBADEP
 
O Único Deus Verdadeiro - Paul Washer
O Único Deus Verdadeiro - Paul WasherO Único Deus Verdadeiro - Paul Washer
O Único Deus Verdadeiro - Paul Washer
 
Apresentação provas da existência de deus
Apresentação provas da existência de deusApresentação provas da existência de deus
Apresentação provas da existência de deus
 
SEITAS E HERESIAS - TESTEMUNHAS DE JEOVÁ
SEITAS E HERESIAS - TESTEMUNHAS DE JEOVÁSEITAS E HERESIAS - TESTEMUNHAS DE JEOVÁ
SEITAS E HERESIAS - TESTEMUNHAS DE JEOVÁ
 
Provas da existência de Deus!
Provas da existência de Deus! Provas da existência de Deus!
Provas da existência de Deus!
 

Semelhante a Doutrina de deus

Teologia Sistemática doutrina de Deus pai.ppt
Teologia Sistemática doutrina de Deus pai.pptTeologia Sistemática doutrina de Deus pai.ppt
Teologia Sistemática doutrina de Deus pai.pptThye Oliver
 
Aula 4 fundamentos da teologia
Aula 4   fundamentos da teologiaAula 4   fundamentos da teologia
Aula 4 fundamentos da teologiaArthur Monteiro
 
Disciplina Introdução a Teologia - Completo.ppt
Disciplina Introdução a Teologia - Completo.pptDisciplina Introdução a Teologia - Completo.ppt
Disciplina Introdução a Teologia - Completo.pptTatianeHernandes3
 
Os Atributos de Deus.pdf
Os Atributos de Deus.pdfOs Atributos de Deus.pdf
Os Atributos de Deus.pdfAureoSilva2
 
Airton evangelista da_costa_-_150_perguntas_e_respostas
Airton evangelista da_costa_-_150_perguntas_e_respostasAirton evangelista da_costa_-_150_perguntas_e_respostas
Airton evangelista da_costa_-_150_perguntas_e_respostasINOVAR CLUB
 
@Lição 02 deus
@Lição 02   deus@Lição 02   deus
@Lição 02 deusajcm3110
 
Pneumatologia ibaderj pdf Prof. Dangelo nascimento
Pneumatologia ibaderj pdf Prof. Dangelo nascimentoPneumatologia ibaderj pdf Prof. Dangelo nascimento
Pneumatologia ibaderj pdf Prof. Dangelo nascimentoDangelo Nascimento
 
5º módulo 1ª aula
5º módulo   1ª aula5º módulo   1ª aula
5º módulo 1ª aulaJoel Silva
 
1. a existência de deus 2015
1. a existência de deus 20151. a existência de deus 2015
1. a existência de deus 2015Alexandre Aguiar
 
Lição 13 relacionamentos com deus
Lição 13 relacionamentos com deusLição 13 relacionamentos com deus
Lição 13 relacionamentos com deusboasnovassena
 
A bíblia e a fé cristã (1)
A bíblia e a fé cristã (1)A bíblia e a fé cristã (1)
A bíblia e a fé cristã (1)Recife Metro
 
Apostila 03teologia
Apostila 03teologiaApostila 03teologia
Apostila 03teologiaOmar Gebara
 

Semelhante a Doutrina de deus (20)

Teologia Sistemática doutrina de Deus pai.ppt
Teologia Sistemática doutrina de Deus pai.pptTeologia Sistemática doutrina de Deus pai.ppt
Teologia Sistemática doutrina de Deus pai.ppt
 
Doutrina do homem
Doutrina do homemDoutrina do homem
Doutrina do homem
 
Revista conhecendo Deus
Revista   conhecendo DeusRevista   conhecendo Deus
Revista conhecendo Deus
 
Aula 4 fundamentos da teologia
Aula 4   fundamentos da teologiaAula 4   fundamentos da teologia
Aula 4 fundamentos da teologia
 
Disciplina Introdução a Teologia - Completo.ppt
Disciplina Introdução a Teologia - Completo.pptDisciplina Introdução a Teologia - Completo.ppt
Disciplina Introdução a Teologia - Completo.ppt
 
Os Atributos de Deus.pdf
Os Atributos de Deus.pdfOs Atributos de Deus.pdf
Os Atributos de Deus.pdf
 
Declaração Doutrinária
Declaração DoutrináriaDeclaração Doutrinária
Declaração Doutrinária
 
Airton evangelista da_costa_-_150_perguntas_e_respostas
Airton evangelista da_costa_-_150_perguntas_e_respostasAirton evangelista da_costa_-_150_perguntas_e_respostas
Airton evangelista da_costa_-_150_perguntas_e_respostas
 
@Lição 02 deus
@Lição 02   deus@Lição 02   deus
@Lição 02 deus
 
A importância de deus em nossas vidas
A importância de deus em nossas  vidasA importância de deus em nossas  vidas
A importância de deus em nossas vidas
 
Pneumatologia ibaderj pdf Prof. Dangelo nascimento
Pneumatologia ibaderj pdf Prof. Dangelo nascimentoPneumatologia ibaderj pdf Prof. Dangelo nascimento
Pneumatologia ibaderj pdf Prof. Dangelo nascimento
 
Teologia de deus
Teologia de deusTeologia de deus
Teologia de deus
 
5º módulo 1ª aula
5º módulo   1ª aula5º módulo   1ª aula
5º módulo 1ª aula
 
5º módulo 1ª aula
5º módulo   1ª aula5º módulo   1ª aula
5º módulo 1ª aula
 
1. a existência de deus 2015
1. a existência de deus 20151. a existência de deus 2015
1. a existência de deus 2015
 
A doutrina da trindade
A doutrina da trindadeA doutrina da trindade
A doutrina da trindade
 
Lição 13 relacionamentos com deus
Lição 13 relacionamentos com deusLição 13 relacionamentos com deus
Lição 13 relacionamentos com deus
 
Declaração doutrinária
Declaração doutrináriaDeclaração doutrinária
Declaração doutrinária
 
A bíblia e a fé cristã (1)
A bíblia e a fé cristã (1)A bíblia e a fé cristã (1)
A bíblia e a fé cristã (1)
 
Apostila 03teologia
Apostila 03teologiaApostila 03teologia
Apostila 03teologia
 

Mais de Gcom digital factory (20)

Bacharel em teologia
Bacharel em teologiaBacharel em teologia
Bacharel em teologia
 
Eleição - João Calvino
Eleição - João CalvinoEleição - João Calvino
Eleição - João Calvino
 
face to face
face to faceface to face
face to face
 
Novo Mapa das Religiões no Brasil
Novo Mapa das Religiões no BrasilNovo Mapa das Religiões no Brasil
Novo Mapa das Religiões no Brasil
 
Doutrina da palavra
Doutrina da palavraDoutrina da palavra
Doutrina da palavra
 
Teologia sistemática, introdução
Teologia sistemática, introduçãoTeologia sistemática, introdução
Teologia sistemática, introdução
 
Teodicéia e teologia do AT
Teodicéia e teologia do ATTeodicéia e teologia do AT
Teodicéia e teologia do AT
 
Teologia do AT tipologia
Teologia do AT tipologiaTeologia do AT tipologia
Teologia do AT tipologia
 
Como ler o antigo testamento
Como ler o antigo testamentoComo ler o antigo testamento
Como ler o antigo testamento
 
Teo at 3 credo historico
Teo at 3   credo historicoTeo at 3   credo historico
Teo at 3 credo historico
 
Deus no antigo testamento
Deus no antigo testamentoDeus no antigo testamento
Deus no antigo testamento
 
Teologia do antigo testamento p1
Teologia do antigo testamento p1Teologia do antigo testamento p1
Teologia do antigo testamento p1
 
Introdução
IntroduçãoIntrodução
Introdução
 
O problema do mal
O problema do malO problema do mal
O problema do mal
 
Liberalismo Teológico
Liberalismo TeológicoLiberalismo Teológico
Liberalismo Teológico
 
Teologia Contemporânea
Teologia ContemporâneaTeologia Contemporânea
Teologia Contemporânea
 
Revista contemporanea
Revista contemporaneaRevista contemporanea
Revista contemporanea
 
Teologia gay
Teologia gayTeologia gay
Teologia gay
 
Teologia da prosperidade
Teologia da prosperidadeTeologia da prosperidade
Teologia da prosperidade
 
Teísmo aberto
Teísmo abertoTeísmo aberto
Teísmo aberto
 

Último

ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024LeonardoQuintanilha4
 
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfStelaWilbert
 
Oração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De CássiaOração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De CássiaNilson Almeida
 
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - ApresentaçãoCurso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentaçãoantonio211075
 
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxEspecialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxViniciusPetersen1
 
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptxLivro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptxPIB Penha
 
Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............MilyFonceca
 
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptxBíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024thandreola
 
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoNilson Almeida
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaRicardo Azevedo
 
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...M.R.L
 
Auxiliar adolescentes 2° trimestre de 2024.
Auxiliar adolescentes 2° trimestre de 2024.Auxiliar adolescentes 2° trimestre de 2024.
Auxiliar adolescentes 2° trimestre de 2024.Priscilatrigodecamar
 
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptxCelso Napoleon
 

Último (15)

ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
 
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
 
Oração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De CássiaOração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De Cássia
 
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - ApresentaçãoCurso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
 
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxEspecialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
 
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptxLivro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
 
Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............
 
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptxBíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
 
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
 
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
 
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
 
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
 
Auxiliar adolescentes 2° trimestre de 2024.
Auxiliar adolescentes 2° trimestre de 2024.Auxiliar adolescentes 2° trimestre de 2024.
Auxiliar adolescentes 2° trimestre de 2024.
 
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 

Doutrina de deus

  • 1. Doutrina de Deus Ricardo Gondim pastorgondim@hotmail.com
  • 2. A Doutrina de Deus Criador e Sustentador de Todas as Coisas
  • 3. Como Podemos Saber que Deus Existe? Primeira Resposta Todas as pessoas de qualquer lugar têm uma Rm 1. 15-32; Sl 14.1; profunda intuição íntima Sl 53.1; Sl 10.3-4; de que Deus existe, de que Ef 3.17; Fp 3.8, 10; são criaturas de Deus Cl 1.27; Jo 14.23; e de que ele é seu Criador. 1Pe 1.8 Fp 3-9 E seja achado nele, não tendo a minha justiça que vem da lei, mas a que vem pela fé em Cristo, a saber, a justiça que vem de Deus pela fé;
  • 4. Como Podemos Saber que Deus Existe? Segunda Resposta Além da consciência íntima de Deus, que dá claro Rm 1.20 testemunho do fato de que ele existe, encontramos At 14.17 claras evidências da sua Sl 19.1-2 existência nas Escrituras e na natureza. Rm 1-20 Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis;
  • 5. Os Quatro Argumentos Filosóficos da Existência de Deus Considera o fato de que toda coisa conhecida do I universo tem uma causa. Portanto, arrazoa o argumento, o próprio universo deve também Cosmológico necessariamente ter uma causa, e a causa de universo tão grandioso só pode ser Deus. Concentra-se na evidência da harmonia, da ordem e do planejamento no universo. Como o II universo parece ter sido planejado com um Teleológico propósito, deve necessariamente existir um Deus inteligente e determinado que o criou para funcionar assim.
  • 6. Os Quatro Argumentos Filosóficos da Existência de Deus Parte da idéia de Deus, definido como um ser III ―maior do que qualquer coisa que se possa imaginar‖. Depois arrazoa que a característica da Ontológico existência deve pertencer a tal ser, pois maior é existir que não existir. Parte do senso humano do certo e do errado, e da IV necessidade da imposição da justiça, e raciocina que deve necessariamente existir um Deus que Moral seja a fonte do certo e do errado e que vá algum dia impor a justiça a todas as pessoas.
  • 7. Apesar Desses Argumentos... Só Deus pode superar nosso pecado e possibilitar que nos convençamos da sua existência. Wayne Grudem
  • 8. A Questão da Revelação de Deus ? Será que Podemos Realmente Conhecer a Deus?
  • 9. A Doutrina de Deus – Perguntas Normativas Será que Podemos Realmente Conhecer a Deus? Primeira Resposta Mt 11.27 Deus quis se revelar à Jo 1.18 humanidade através da Bíblia e ela é a única que nos Rm 1.18,19, 21, 25 diz como compreender o 1Co 1.21 testemunho que a natureza dá de Deus. 1Co 2.14 2Co 4.3-4
  • 10. A Doutrina de Deus – Perguntas Normativas Será que Podemos Realmente Conhecer a Deus? Sl 147.5 Segunda Resposta Sl 139.6, 17 1Co 2.10-12 Deus é incompreensível, ou Rm 11.33 seja: Ele não pode ser Is 55.9 plenamente compreendido. Jó 26.14 Sl 139.6, 17-18 Cl 1.10
  • 11. A Doutrina de Deus – Perguntas Normativas Será que Podemos Realmente Conhecer a Deus? Terceira Resposta Jo 4.24 As Escrituras nos falam Rm 3.26 sobre Deus e nos ensinam tudo o que necessitamos Sl 139.17 saber sobre ele. Jr 9.23-24 Hb 8.11
  • 12. A Questão do Ser de Deus Nomes Caráter Designações Atributos
  • 13. O Caráter de Deus: Atributos Comunicáveis Amor Deus é amor, e nós também somos capazes de amar. Conhecimento Deus tem conhecimento, e nós também somos capazes de alcançar conhecimento. Misericórdia Deus é misericordioso, e nós também somos capazes de demonstrar misericórdia. Justiça Deus é justo, e nós também podemos ser justos.
  • 14. O Caráter de Deus: Atributos Incomunicáveis Independência Deus não precisa de nós nem do restante da criação para nada. Eternidade Deus existe desde a eternidade, mas nós não. Imutabilidade Deus não muda, mas nós sim. Onipresença Deus está presente em todos os lugares, mas nós só nos fazemos presentes num lugar por vez.
  • 15. Os Nomes e Atributos Dados a Deus nas Escrituras Comparações – Deus é comparado a: Águia (Dt 32.11) Leão (Is 31.4) Cordeiro (Is 53.7) Luz (Sl 27.1) Galinha (Mt 23.37) Lâmpada (Ap 21.23) Sol (Sl 84.11) Fogo (Hb 12.29) Estrela da manhã (Ap 22.16) Manancial (Sl 36.9) Sombra (Sl 91.1) Rocha (Dt 32.4) Escudo (Sl 84.11) Refúgio (Sl 119.114) Santuário (Ap 21.22) Torre (Pv 18.10)
  • 16. Os Nomes e Atributos Dados a Deus nas Escrituras Designações – Deus é chamado de: Juiz e Rei (Is 33.22) Noivo (Is 61.10) Homem de guerra (Êx 15.3) Marido (Is 54.5) Arquiteto e Edificador (Hb 11.10) Pai (Dt 32.6) Pastor (Sl 23.1) Médico (Êx 15.26)
  • 17. Os Nomes e Atributos Dados a Deus nas Escrituras Descrições – Deus é descrito como alguém capaz de: Saber (Gn 18.21) Pôr à prova (Sl 11.5) Lembrar (Gn 8.1; Êx 2.24) Permanecer (Sl 9.7) Ver (Gn 1.10) Levantar-se (Sl 68.1) Ouvir (Êx 2.24) Andar (Lv 26.12) Aspirar o cheiro (Gn 8.21) Enxugar as lágrimas (Is 25.8)
  • 18. Os Nomes e Atributos Dados a Deus nas Escrituras Atribuições – Deus é descrito como alguém capaz de: Ira (Jr 7.18-19; Sl 2.5) Alegria (Is 62.5) Amor (Jo 3.16) Pesar (Sl 78.40; Is 63.10) Ódio (Dt 16.22)
  • 19. Os Nomes e Atributos Dados a Deus nas Escrituras Atividades – Atribuem-se a Deus de modo metafórico: •Face ou Presença (Êx 33.20, 23) •Língua (Is 30.27) •Olhos (Sl 11.4; Hb 4.13) •Costas (Jr 18.17) •Pálpebras (Sl 11.4) •Braço (Êx 15.16) •Ouvidos (Sl 55.1; Is 59.1) •Mão (Nm 11.23) •Narinas (Dt 33.10) •Dedo (Êx 8.19) •Boca (Dt 8.3) •Coração (Gn 6.6) •Lábios (Jó 11.5) •Pés (Is 66.1)
  • 20. As Várias Atribuições a Deus que a Bíblia Apresenta: Atividades Designações Atribuições  Comparações As ações e características humanas são utilizadas na Bíblia para representar o ser de Deus.
  • 21. Motivos das Designações sobre Deus: Primeiro Toda a criação nos revela algo sobre Deus, e que quanto mais elevada a criação, especialmente o homem que é feito à imagem de Deus, mais plenamente o revela. Segundo Mostra que tudo o que sabemos sobre Deus segundo as Escrituras nos vem em termos que compreendemos, pois descrevem eventos ou coisas comuns à experiência humana.
  • 22. A Doutrina de Deus – Perguntas Normativas Em que aspectos Deus é como nós no seu ser? A. Atributos que descrevem o ser de Deus 1. Espiritualidade - Jo 4.24; Sl 139.7-10; 1Rs 8.27 2. Invisibilidade - Jo 1.18; Jo 6.46; 1Tm 1.17; 1Tm 6.16
  • 23. A Doutrina de Deus – Perguntas Normativas Em que aspectos Deus é como nós no seu ser? B. Atributos Mentais 3. Conhecimento /Onisciência - 1Jo 3.20; 1Co 2.10-11 4. Sabedoria - Rm 16.27; Jó 9.4; Jó 12.13; Sl 104.24 5. Veracidade / Fidelidade - Jr 10.10-11; Jo 17.3
  • 24. A Doutrina de Deus – Perguntas Normativas Em que aspectos Deus é como nós no seu ser? C. Atributos Morais 6. Bondade - Lc 18.19; Sl 100.5; Rm 12.2; Tg 1.17 7. Amor - Jo 4.8; Jo 17.24; Jo 3.35; Rm 5.8; Jo 3.16 8. Misericórdia (Graça, Paciência) - Êx 34.6; Sl 103.8 9. Santidade - Êx 26.33; Sl 24.3; Êx 20.11; Gn 2.3 10. Paz (ou ordem) - Rm 15.33; 16.20; Fp 4.9; 1Ts 5.23; Hb 13.20 11. Retidão (ou justiça) - Dt 32.4; Gn 18.25; Sl 19.8; Is 45.19 12. Zelo - 2Co 11.2; Êx 20.5; 1Co 4.7; Ap 4.11 13. Ira - Êx 32.9-10; Dt 9.7-8; 29.23; 2Rs 22.13
  • 25. A Doutrina de Deus – Perguntas Normativas Em que aspectos Deus é como nós no seu ser? D. Atributos de Propósito 14. Vontade - Ef 1.11; Cl 1.16, 17; Rm 11.36; 1Co 8.6 15. Liberdade - Sl 115.3; Pv 21.1; Dn 4.35 16. Onipotência (ou poder, e soberania) - Sl 24.8
  • 26. A Doutrina de Deus – Perguntas Normativas Em que aspectos Deus é como nós no seu ser? E. Atributos de Síntese 17. Perfeição - Mt 5.48; Sl 18.30; Dt 32.4 18. Bem-aventurança - 1Tm 6.15; Gn 1.31; Is 62.5 19. Beleza - Sl 73.25-26; Ap 22.4; 1Pe 3.4; Tt 2.10 20. Glória - Hb 1.3; Jo 17.5; Sl 24.10; Lc 2.9; Ap 21.23
  • 27. A Questão da Trindade Como Deus pode ser três pessoas... ... porém um só Deus?
  • 28. A Doutrina de Deus – Perguntas Normativas Como Deus pode ser três pessoas, porém um só Deus? Resposta Deus existe eternamente como três pessoas — Pai, Filho e Espírito Santo — e cada pessoa é plenamente Deus, e existe só um Deus. Wayne Grudem
  • 29. O Resumo Bíblico Sobre a Trindade Há só um Deus. Deus é três pessoas. Cada pessoa é plenamente Deus.
  • 30. O Resumo Bíblico Sobre a Trindade Há só um Deus. As três diferentes pessoas da Trindade são um, não apenas em propósito e em concordância no que pensam, mas um em essência, um na sua natureza essencial. Em outras palavras, Deus é um só ser. Dt 6.4-5; Êx 15.11; 1Rs 8.60; Is 45.5-6; 1Tm 2.5; 1Co 8.6; Tg 2.19
  • 31. O Resumo Bíblico Sobre a Trindade Deus é três pessoas O fato de ser Deus três pessoas significa que o Pai não é o Filho; são pessoas distintas. Significa também que o Pai não é o Espírito Santo, mas são pessoas distintas. Jo 1.1-2 ; 14.26; 17.24; Hb 7. 25; Mt 28.19; 1Co 12.4-6; 2Co 13.14; Ef 4.4-6; 1Pe 1.2
  • 32. O Resumo Bíblico Sobre a Trindade Cada pessoa é plenamente Deus. Além do fato de serem as três pessoas distintas, as Escrituras também dão farto testemunho de que cada pessoa é plenamente Deus. Jo 1.1-4 , Gn 1.1; Jo 20.28; Hb 1.10, Sl 102.25; 1Co 12.4-6; 2Co 13.14; Ef 4.4-6; 1Pe 1.2; Jd 20-21
  • 33. Qual a relação entre as três pessoas e o ser de Deus? ―E a Fé Católica é esta: que adoramos um só Deus em Trindade, e Trindade em Unidade; sem confundir as Pessoas nem dividir a Substância [Essência]. Pois existe a Pessoa do Pai; outra do Filho; e outra do Espírito Santo. Mas a Divindade do Pai, do Filho e do Espírito Santo é uma só; igual é a Glória, a Majestade co-eterna. Assim como o Pai, é o Filho; e também assim o Espírito Santo. [...]‖. Credo de Atanásio
  • 34. Erros Históricos Sobre a Trindade Afirma que existe só uma única pessoa, Modalismo que se revela a nós de três diferentes formas. Nega a plena divindade do Filho e do Arianismo Espírito Santo. Concepção de que Jesus viveu como Adocianismo homem comum até seu batismo, quando Deus o ―adotou‖ como ―Filho‖.
  • 35. Erros Históricos Sobre a Trindade Triteísmo Nega que só existe um único Deus. O Filho é Deus mas inferior, Subordinacionismo subordinado ao Pai. O Espírito procede do Pai e do Expressão filioque Filho.
  • 36. A Doutrina de Deus – Perguntas Normativas Quais as distinções entre o Pai, o Filho e o Espírito Santo? As pessoas da Trindade têm Jo 1.3 funções Cl 1.16 primordiais Sl 33.6, 9 diferentes em relação ao 1Co 8.6 mundo. Hb 1.2
  • 37. A Importância da Doutrina da Trindade I II Se Jesus é meramente um ser criado, e não plenamente Se Jesus não é plenamente Deus, então é difícil Deus, temos todo o direito de compreender como ele, uma duvidar de que ele de fato criatura, pôde suportar toda a possa nos salvar totalmente. ira de Deus contra todos os Será que realmente podemos nossos pecados. Será que confiar com fé absoluta em qualquer criatura, por maior que uma criatura vá nos que seja, poderia realmente salvar? nos salvar?
  • 38. A Importância da Doutrina da Trindade III IV Se Jesus não é o Deus infinito, Se alguém prega que será que devemos nos dirigir a Cristo foi um ser criado ele em oração ou adorá-lo? Na e, mesmo assim, nos verdade, se Jesus é meramente salvou, então esse uma criatura, por maior que ensinamento atribui seja, seria idolatria adorá-lo e, erroneamente o mérito no entanto, o Novo Testamento da salvação a uma nos ordena fazê-lo (Fp 2.9-11; criatura, e não ao Ap 5.12-14). próprio Deus.
  • 39. A Importância da Doutrina da Trindade V VI Se a Trindade não existe, então Se não há pluralidade não houve relacionamentos perfeita e unidade perfeita interpessoais dentro do ser no próprio Deus, então divino antes da criação, e, sem também não temos relacionamentos pessoais, é fundamento para pensar difícil entender como Deus que possa existir alguma poderia ser genuinamente unidade última entre os pessoal ou como não teria a diversos elementos do necessidade da criação para universo. com ela relacionar-se.
  • 40. A Economia da Trindade O Pai dirige o Filho e tem autoridade Pai sobre Ele. Filho O Filho obedece e é submisso às ordens do Pai. Espírito O Espírito Santo é obediente às ordens Santo tanto do Pai quanto do Filho.
  • 41. Deus Criou do Nada... Gn 1.1; Sl 33.6, 9; Jo 1.3; At 17.24; O Universo Hb 11.3; Cl 1.16; Ap 4.11 O Homem e a Gn 2.7; 2.21-22; 2.23; 1Co 11.8-9 Mulher Jó 36.26; Sl 90.2, 4; Jo 8.58; O Tempo 2Pe 3.8; Ap 1.8
  • 42. Teorias Seculares Incompatíveis com a Criação Divina O Teísmo Evolucionista Argumento Objeção Ref. Advoga a crença em Deus e Sl 33.6, 9; também na evolução. Deus A Bíblia nega Gn 1.11; interveio no processo em isso pelo fato Sl 139.13; alguns pontos críticos: Na de que não há Sl 104.14; criação da matéria no possibilidade de uma criação Mt 6.30; princípio. Na criação da Gn 12; que evoluiu. forma mais simples de vida. Lc 3.38
  • 43. Teorias Seculares Incompatíveis com a Criação Divina A Teoria da Evolução Argumento A idéia de que―substâncias não vivas deram origem ao primeiro material vivo, que em seqüência se reproduziu e se diversificou, gerando todos os organismos extintos e existentes.
  • 44. Objeções I. Após mais de cem anos de cruzamentos experimentais de espécies diversas de animais e plantas, a quantidade de variação que se pode produzir (mesmo com cruzamentos deliberados, não aleatórios) é extremamente limitada, em virtude da faixa restrita de variação genética em cada tipo de ser vivo.
  • 45. Objeções II. Nos atuais argumentos dos evolucionistas, considera- se popularmente que a idéia da ―sobrevivência do mais apto‖ (ou ―seleção natural‖) significa que os animais cujas características distintas lhes dão uma vantagem relativa acabam sobrevivendo, e que os outros morrem. Mas na prática mesmo, virtualmente qualquer característica pode ser considerada como vantagem ou desvantagem.
  • 46. Objeções III. As mutações numerosas e complexas demandadas para a geração de órgãos complexos como um olho ou a asa de um pássaro (ou centenas de outros órgãos) não poderiam ter ocorrido como minúsculas mutações acumuladas ao longo de milhares de gerações, porque as partes distintas do órgão são inúteis (e não proporcionam ―vantagem‖) a menos que todo o órgão funcione.
  • 47. Objeções IV. O testemunho dos fósseis era o maior problema de Darwin em 1859, e de lá para cá esse problema simplesmente só fez piorar. No tempo de Darwin, havia já centenas de fósseis que demonstravam a existência de muitas espécies distintas de animais e vegetais do passado remoto. Mas Darwin foi incapaz de encontrar qualquer fóssil das ―espécies intermediárias‖ para preencher as lacunas entre espécies distintas de animais.
  • 48. Objeções V. As estruturas moleculares dos organismos vivos mostram de fato semelhanças, mas os darwinistas simplesmente pressupõem que essas semelhanças implicam ancestralidade comum, alegação que certamente não foi comprovada.
  • 49. Objeções VI. A geração espontânea mesmo do mais simples organismo capaz de vida independente (a célula das bactérias procariotes) a partir de materiais inorgânicos na terra não pode ter acontecido pela combinação aleatória de substâncias químicas: é algo que exige desígnio inteligente e engenhosidade tão complexa que nem mesmo o mais avançado laboratório científico do mundo conseguiu fazê-lo.
  • 50. Resumo dos Ensinos Bíblicos Sobre a Criação  Deus criou o universo do nada.  A criação é distinta de Deus, porém sempre dependente de Deus.  Deus criou o universo para revelar a sua glória.  O universo que Deus criou era muito bom.  Não haverá conflito definitivo entre as Escrituras e a ciência.  As teorias seculares que negam Deus como Criador, incluindo a evolução darwiniana, são nitidamente incompatíveis com a fé na Bíblia.
  • 51. P A Providência Divina R E S E Deus preserva todas as coisas criadas como R elementos existentes, que conservam as V propriedades com que ele os criou. A Hb 1.3; Lc 5.18; Jo 2.8; 2Tm 4.13; Cl 1.17; At Ç A 17.28; Ne 9.6; 2Pe 3.7; Jó 34.14-15; Sl 104.29. O
  • 52. A Providência Divina Preserva-as como elementos existentes, que conservam as propriedades com que Deus está ele os criou. continuamente Coopera com as coisas criadas em cada envolvido com ato, dirigindo as suas propriedades todas as coisas características a fim de fazê-las agir como agem. criadas de forma tal que: Orienta-as no cumprimento dos seus propósitos.
  • 53. A Providência Divina C O O Deus coopera com as coisas criadas em cada ato, P dirigindo as suas propriedades características a fim de E fazê-las agir como agem. R Ef 1.11; Sl 148.8; Jó 37.6-13; Sl 135.6, 7; 104.4; A Ç Jó 38.32; Mt 5.45s A O
  • 54. A Providência Divina G O Deus tem um propósito em tudo o que faz no mundo, e V providencialmente governa ou dirige todas as coisas a fim de que cumpram esses propósitos divinos. E R Sl 103.19; Dn 4.35; 1Co 15.27; Ef 1.11; Fp 2.10-11; N Rm 8.28 O
  • 55. Os Seres Espirituais - Anjos Os anjos não existem desde sempre; fazem parte do universo que Deus criou. Ne 9.6; Sl 148.2, 5; Cl 1.16; 2Pe 2.4; Jd 6; Mt 28.5; At 12.6-11; Ap 4.11; 5.11
  • 56. Os Seres Espirituais - Anjos Receberam a tarefa de guardar a entrada do jardim do Éden (Gn 3.24), e o próprio Deus Querubins está entronizado acima dos querubins (Sl 18.10; Ez 10.1-22). Continuamente adoram ao Senhor e clamam Serafins uns para os outros (Is 6.3). Circundam o trono de Deus Seres Viventes (Ez 1.5-14; Ap 4.6-8).
  • 57. Os Seres Espirituais - Demônios São seres espirituais criados, dotados de discernimento moral e elevada inteligência, mas desprovidos de corpos físicos. Anjos maus que pecaram contra Deus e hoje continuamente praticam o mal no mundo. Gn 3.1-5; 2Pe 2.4; Jd 6
  • 58. Os Seres Espirituais - Satanás É o nome do chefe dos demônios. Seu nome significa ―adversário‖. Mt 4.1; 13.39; 25.41; Ap 12.9; 20.2; ; Gn 3.1, 14; 2Co 11.3; Ap 12.9; 20.2; Mt 10.25; 12.24, 27; Lc 11.15; Jo 12.31; Jo 14.30; 16.11