SlideShare uma empresa Scribd logo
POLÍTICA NACIONAL DO MEIO
AMBIENTE
PREVISÃO LEGAL:
- Lei 6.938/81, a qual cria a Política Nacional do Meio Ambiente (PNMA) e
o Sistema Nacional do Meio Ambiente (SISNAMA).
- Embora tenha sido criada antes da CF/88, muitos ambientalistas
consideração a legislação mais importante, já que é a partir desta lei que
há uma sistematização para as políticas públicas ambientais,
estabelecendo objetivos e instrumentos para a preservação do meio
ambiente e do desenvolvimento sustentável.
- A PNMA estabelece diretrizes gerais que tem a finalidade de harmonizar
e de integrar as diversas políticas públicas e ações governamentais (não
apenas na área ambiental) de todos os entes federativos, tornando a
proteção ao meio ambiente mais eficaz.
- Com base na PNMA outros dispositivos legais foram criados, como a
Política Nacional dos Recursos Hídricos, a Política Nacional da Educação
Ambiental, o Sistema Nacional de Unidades de Conservação.
OBJETIVOS:
a) Gerais – art. 2ª da Lei 6.938/81:
- Preservação
- Melhoria e recuperação da qualidade ambiental propícia à vida,
desenvolvimento sócio econômico
- Interesses da segurança nacional
- Proteção da dignidade da vida humana
b) Específicos – art. 4º da Lei 6.938/81:
- A compatibilização do desenvolvimento econômico-social com a
preservação da qualidade do meio ambiente e do equilíbrio ecológico;
- O estabelecimento de critérios e padrões de qualidade ambiental e de
normas relativas ao uso e manejo de recursos ambientais;
- A difusão de tecnologias de manejo do meio ambiente, à divulgação de
dados e informações ambientais e à formação de uma consciência
pública sobre a necessidade de preservação da qualidade ambiental e
do equilíbrio ecológico;
- A imposição, ao poluidor e ao predador, da obrigação de recuperar e/ou
indenizar os danos causados e, ao usuário, da contribuição pela
utilização de recursos ambientais com fins econômicos.
PRINCÍPIOS:
- Na realidade não são princípios, são ações ou metas que devem ser
observadas e cumpridas pela Administração Pública.
- Essas ações decorrem dos princípios gerais de Direito Ambiental.
- Previsão legal: art. 2ª, incisos:
a) racionalização do uso do solo, do subsolo, da água e do ar;
b) planejamento e fiscalização do uso dos recursos ambientais;
c) proteção dos ecossistemas, com a preservação de áreas
representativas;
d) controle e zoneamento das atividades potencial ou efetivamente
poluidoras;
e) recuperação de áreas degradadas;
f) proteção de áreas ameaçadas de degradação;
g) educação ambiental a todos os níveis de ensino, inclusive a educação
da comunidade, objetivando capacitá-la para participação ativa na
defesa do meio ambiente.
OBS.: A educação ambiental não foi implantada como disciplina específica
no currículo de ensino, sendo apenas tema transversal das demais
disciplinas.
CONCEITOS LEGAIS:
- A Lei 6.938/81 elenca a definição de alguns institutos, como:
Meio ambiente: o conjunto de condições, leis, influências e interações de ordem
física, química e biológica, que permite, abriga e rege a vida em todas as suas
formas;
Degradação da qualidade ambiental: a alteração adversa das características
do meio ambiente;
Poluição: a degradação da qualidade ambiental resultante de atividades que
direta ou indiretamente:
a) prejudiquem a saúde, a segurança e o bem-estar da população;
b) criem condições adversas às atividades sociais e econômicas;
c) afetem desfavoravelmente a biota;
d) afetem as condições estéticas ou sanitárias do meio ambiente;
e) lancem matérias ou energia em desacordo com os padrões ambientais
estabelecidos;
Poluidor: a pessoa física ou jurídica, de direito público ou privado, responsável,
direta ou indiretamente, por atividade causadora de degradação ambiental;
Recursos ambientais: a atmosfera, as águas interiores, superficiais e
subterrâneas, os estuários, o mar territorial, o solo, o subsolo, os elementos da
biosfera, a fauna e a flora.
SISTEMA NACIONAL DO MEIO AMBIENTE – SISNAMA:
- Previsão legal: art. 6º da Lei 6.938/81
- Trata-se de um conjunto de órgãos e entidades da União, Estados, DF e
Municípios responsáveis pela proteção e melhoria da qualidade ambiental.
- É um sistema que é de responsabilidade do Poder Executivo, que inicia o
processo de GESTÃO AMBIENTAL no Brasil, através da articulação de todos
os entes federativos e de várias agências governamentais e não
governamentais.
- Tem como objetivo dar cumprimento e segurança na aplicação de
mecanismos capazes de implementar a PNMA.
ESTRUTURA DO SISNAMA:
- O SISNAMA é composto dos seguintes órgãos:
1 – ÓRGÃO SUPERIOR:
- Formado pelo Conselho de Governo, com a função de assessorar o
Presidente da República na formulação da política nacional e nas diretrizes
governamentais para o meio ambiente e os recursos ambientais;
- Em 2003, foi criado também a Câmara de Políticas de Recursos Naturais do
Conselho de Governo.
2 – ÓRGÃO CONSULTIVO E DELIBERATIVO:
- O Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA), com a finalidade de
assessorar, estudar e propor ao Conselho de Governo, diretrizes de políticas
governamentais para o meio ambiente e os recursos naturais e deliberar, no
âmbito de sua competência, sobre normas e padrões compatíveis com o
meio ambiente ecologicamente equilibrado e essencial à sadia qualidade de
vida. Tem poder consultivo/deliberativo e normativa (
- Formado por representantes do Governo (municípios, estados, MP,
Bombeiros, Polícias) e da Sociedade Civil (indicados por ONG´S ambientais,
sindicatos).
- Funções : art. 8º da Lei 6.938/81 e art. 7º do Decreto 99.274/90.
3 – ÓRGÃO CENTRAL:
- A Secretaria do Meio Ambiente da Presidência da República (hoje
MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE), com a finalidade de planejar,
coordenar, supervisionar e controlar, como órgão federal, a política nacional
e as diretrizes governamentais fixadas para o meio ambiente.
4 – ÓRGÃOS EXECUTORES:
- O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis
- IBAMA e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade -
ICMBIO, com a finalidade de executar e fazer executar a política e as
diretrizes governamentais fixadas para o meio ambiente, de acordo com as
respectivas competências.
5 – ÓRGÃOS SECCCIONAIS:
- Os órgãos ou entidades estaduais responsáveis pela execução de
programas, projetos e pelo controle e fiscalização de atividades capazes
de provocar a degradação ambiental
6 – ÓRGÃOS LOCAIS:
- Os órgãos ou entidades municipais, responsáveis pelo controle e
fiscalização dessas atividades, nas suas respectivas jurisdições
ZONEAMENTO AMBIENTAL
- Também chamado de ZONEAMENTO ECOLÓGICO-ECONÔMICO
(ZEE).
- É instrumento para efetivação da Política Nacional do Meio Ambiente
(art. 9ª, II, da Lei 6.938/81)
- Regulamentado pelo Decreto 4.297/2002.
CONCEITO DE ZEE:
- Trata-se de uma modalidade de intervenção estatal sobre o território,
com a finalidade de reparti-lo em zonas, conforme o melhor interesse na
preservação ambiental e no uso sustentável dos recursos naturais.
OBJETIVOS:
- O ZEE tem por objetivo geral organizar, de forma vinculada, as decisões
dos agentes públicos e privados quanto a planos, programas, projetos e
atividades que, direta ou indiretamente, utilizem recursos naturais,
assegurando a plena manutenção do capital e dos serviços ambientais
dos ecossistemas.
COMPETÊNCIA PARA REALIZAR O ZEE:
- Constitui ação administrativa da União a elaboração do ZEE de âmbito
nacional e regional, cabendo aos estados elaborar o ZEE de âmbito
estadual, em conformidade com os zoneamentos de âmbito nacional e
regional, e aos municípios a elaboração do plano diretor, observando os
ZEEs existentes.
PRESSUPOSTOS:
- A elaboração e implementação do ZEE observarão os pressupostos
técnicos, institucionais e financeiros.
- Estão elencados no art. 8º ao 10 do Decreto 4.297/2002.
ALTERAÇÃO:
- Para ampliação do rigor da proteção ambiental ou em razão de
atualização técnico-científico ou decorrido o prazo de 10 anos de sua
conclusão, após consulta pública e aprovação da Comissão do ZEE,
mediante processo legislativo.
ZONEAMENTO AMBIENTAL INDUSTRIAL:
- Aplica-se a Lei 6.603/80 que regula o zoneamento nas áreas críticas em
razão de atividades que causam poluição.
- Pode ser dividido em:
a) Zonas de uso estritamente industrial:
- Destina-se, preferencialmente, à localização de estabelecimento
industriais cujos resíduos sólidos, líquidos, gasosos, ruídos, vibrações e
emanações possam causar perigo à saúde, mesmo depois de aplicado
os métodos de controle.
- Devem ser adotadas medidas com a finalidade de proteger a vizinhança
contra possíveis efeitos residuais ou acidentes.
b) Zonas de uso predominantemente industrial:
- Destina, preferencialmente, à instalação de industrias cujos processos,
submetidos a métodos adequados de controle e tratamento não causem
incômodos sensíveis às demais atividades urbanas e nem perturbem o
repouso noturno das populações.
OBS.: As zonas acima devem ser classificadas em não saturadas, em vias
e saturação e saturadas para que se defina as políticas ambientais em cada
área.
c) Zonas de uso diversificado:
- Destina-se à localização de estabelecimentos industriais, cujo processo
produtivo seja complementar das atividades do meio urbano ou rural
que se situem, e com elas se compatibilizem, independentemente do
uso de métodos especiais de controle da poluição, não ocasionando,
em qualquer caso, inconvenientes à saúde, ao bem-estar e à segurança
das populações vizinhas.
d) Zonas de reserva ambiental:
- É aquela que por sua característica cultural, ecológica, paisagística ou
pela necessidade de preservação de mananciais e proteção de áreas
especiais, ficará vedada a localização de estabelecimento industriais.
OBS.:
Caso 1: Empresa X já existia e não acabou localizada fora da previsão
legal do zoneamento?
Caso 2: Empresa X iniciou suas atividades em localidade adequada, mas
em razão do crescimento urbano desordenado acabou ficando em meio a
várias residências?
- Não há direito adquirido de poluir ou de prejudicar a saúde humana.
- Duas medidas podem ser realizadas:
1 – A instalação de equipamentos especiais de controle;
2 – A relocalização da empresa em casos mais graves.
- A própria Lei 6803/80 prevê condições de financiamentos especiais para
a relocalização de indústrias.
Caso 3: A empresa X que estava localizada em local correto e foi
necessário ser relocalizada em razão do crescimento desordenado do
município pode receber indenização do Poder Público?
- Em regra, não. Embora a doutrina admita a possibilidade com base em
cada caso concreto para que seja avaliado ato comissivo ou omissivo da
Administração Pública.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Slides leis ambientais
Slides leis ambientaisSlides leis ambientais
Slides leis ambientais
derlonpipcbc
 
Direito Ambiental aula 1
Direito Ambiental aula 1Direito Ambiental aula 1
Direito Ambiental aula 1
Jordano Santos Cerqueira
 
Aula 1 leg. ambiental_claudia do valle
Aula 1 leg. ambiental_claudia do valleAula 1 leg. ambiental_claudia do valle
Aula 1 leg. ambiental_claudia do valle
Lxa Alx
 
Direito Ambiental
Direito AmbientalDireito Ambiental
Direito Ambiental
Antonio Pereira
 
Direito ambiental
Direito ambientalDireito ambiental
Direito ambiental
Eliane Damião Alves
 
Aula 3 sga qualidade
Aula 3   sga qualidadeAula 3   sga qualidade
Aula 3 sga qualidade
Giovanna Ortiz
 
Gestão Ambiental 01 - Introdução a Gestão Ambiental e Sustentabilidade
Gestão Ambiental 01 - Introdução a Gestão Ambiental e SustentabilidadeGestão Ambiental 01 - Introdução a Gestão Ambiental e Sustentabilidade
Gestão Ambiental 01 - Introdução a Gestão Ambiental e Sustentabilidade
Milton Henrique do Couto Neto
 
Aula lei pnma e sisnama
Aula lei pnma e sisnamaAula lei pnma e sisnama
Aula lei pnma e sisnama
João Alfredo Telles Melo
 
Defesa do meio ambiente slides (1)
Defesa do meio ambiente slides (1)Defesa do meio ambiente slides (1)
Defesa do meio ambiente slides (1)
Bruno Marsilli
 
Responsabilidade Civil Por Dano Ambiental
Responsabilidade Civil Por Dano AmbientalResponsabilidade Civil Por Dano Ambiental
Responsabilidade Civil Por Dano Ambiental
Judson De Araujo Barbosa
 
AULA 1 - LEGISLAÇÃO AMBIENTAL.pptx
AULA 1 - LEGISLAÇÃO AMBIENTAL.pptxAULA 1 - LEGISLAÇÃO AMBIENTAL.pptx
AULA 1 - LEGISLAÇÃO AMBIENTAL.pptx
Zoraide6
 
Aula lei pnma e sisnama
Aula lei pnma e sisnamaAula lei pnma e sisnama
Aula lei pnma e sisnama
João Alfredo Telles Melo
 
Aula lei de crimes ambientais atual
Aula lei de crimes ambientais atualAula lei de crimes ambientais atual
Aula lei de crimes ambientais atual
João Alfredo Telles Melo
 
Crimes ambientais
Crimes ambientais Crimes ambientais
Crimes ambientais
Larissa Purificação
 
Palestra Meio Ambiente - SIPAT CPOVOS
Palestra Meio Ambiente - SIPAT CPOVOSPalestra Meio Ambiente - SIPAT CPOVOS
Palestra Meio Ambiente - SIPAT CPOVOS
proftstsergioetm
 
Licenciamento Ambiental
Licenciamento AmbientalLicenciamento Ambiental
Licenciamento Ambiental
Jézili Dias
 
gestão ambiental
gestão ambientalgestão ambiental
gestão ambiental
Neilany Sousa
 
LEIS DE CRIMES AMBIENTAIS
LEIS DE CRIMES AMBIENTAISLEIS DE CRIMES AMBIENTAIS
LEIS DE CRIMES AMBIENTAIS
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Dicas para preservação do meio ambiente
Dicas para preservação do meio ambienteDicas para preservação do meio ambiente
Dicas para preservação do meio ambiente
Sistema de Bibliotecas da PUC-Rio
 
Educação Ambiental e Mudanças de Hábitos
Educação Ambiental e Mudanças de HábitosEducação Ambiental e Mudanças de Hábitos
Educação Ambiental e Mudanças de Hábitos
carlosbidu
 

Mais procurados (20)

Slides leis ambientais
Slides leis ambientaisSlides leis ambientais
Slides leis ambientais
 
Direito Ambiental aula 1
Direito Ambiental aula 1Direito Ambiental aula 1
Direito Ambiental aula 1
 
Aula 1 leg. ambiental_claudia do valle
Aula 1 leg. ambiental_claudia do valleAula 1 leg. ambiental_claudia do valle
Aula 1 leg. ambiental_claudia do valle
 
Direito Ambiental
Direito AmbientalDireito Ambiental
Direito Ambiental
 
Direito ambiental
Direito ambientalDireito ambiental
Direito ambiental
 
Aula 3 sga qualidade
Aula 3   sga qualidadeAula 3   sga qualidade
Aula 3 sga qualidade
 
Gestão Ambiental 01 - Introdução a Gestão Ambiental e Sustentabilidade
Gestão Ambiental 01 - Introdução a Gestão Ambiental e SustentabilidadeGestão Ambiental 01 - Introdução a Gestão Ambiental e Sustentabilidade
Gestão Ambiental 01 - Introdução a Gestão Ambiental e Sustentabilidade
 
Aula lei pnma e sisnama
Aula lei pnma e sisnamaAula lei pnma e sisnama
Aula lei pnma e sisnama
 
Defesa do meio ambiente slides (1)
Defesa do meio ambiente slides (1)Defesa do meio ambiente slides (1)
Defesa do meio ambiente slides (1)
 
Responsabilidade Civil Por Dano Ambiental
Responsabilidade Civil Por Dano AmbientalResponsabilidade Civil Por Dano Ambiental
Responsabilidade Civil Por Dano Ambiental
 
AULA 1 - LEGISLAÇÃO AMBIENTAL.pptx
AULA 1 - LEGISLAÇÃO AMBIENTAL.pptxAULA 1 - LEGISLAÇÃO AMBIENTAL.pptx
AULA 1 - LEGISLAÇÃO AMBIENTAL.pptx
 
Aula lei pnma e sisnama
Aula lei pnma e sisnamaAula lei pnma e sisnama
Aula lei pnma e sisnama
 
Aula lei de crimes ambientais atual
Aula lei de crimes ambientais atualAula lei de crimes ambientais atual
Aula lei de crimes ambientais atual
 
Crimes ambientais
Crimes ambientais Crimes ambientais
Crimes ambientais
 
Palestra Meio Ambiente - SIPAT CPOVOS
Palestra Meio Ambiente - SIPAT CPOVOSPalestra Meio Ambiente - SIPAT CPOVOS
Palestra Meio Ambiente - SIPAT CPOVOS
 
Licenciamento Ambiental
Licenciamento AmbientalLicenciamento Ambiental
Licenciamento Ambiental
 
gestão ambiental
gestão ambientalgestão ambiental
gestão ambiental
 
LEIS DE CRIMES AMBIENTAIS
LEIS DE CRIMES AMBIENTAISLEIS DE CRIMES AMBIENTAIS
LEIS DE CRIMES AMBIENTAIS
 
Dicas para preservação do meio ambiente
Dicas para preservação do meio ambienteDicas para preservação do meio ambiente
Dicas para preservação do meio ambiente
 
Educação Ambiental e Mudanças de Hábitos
Educação Ambiental e Mudanças de HábitosEducação Ambiental e Mudanças de Hábitos
Educação Ambiental e Mudanças de Hábitos
 

Destaque

Licenciamento ambiental mma
Licenciamento ambiental mmaLicenciamento ambiental mma
Licenciamento ambiental mma
Liana Maia
 
Direito ambiental _aula_1__slides
Direito ambiental _aula_1__slidesDireito ambiental _aula_1__slides
Direito ambiental _aula_1__slides
Luis Olavo
 
A Questão Ambiental na Constituição Federal; Política Nacional do Meio Ambien...
A Questão Ambiental na Constituição Federal; Política Nacional do Meio Ambien...A Questão Ambiental na Constituição Federal; Política Nacional do Meio Ambien...
A Questão Ambiental na Constituição Federal; Política Nacional do Meio Ambien...
nucleosul2svma
 
Licenciamento ambiental
Licenciamento ambientalLicenciamento ambiental
Licenciamento ambiental
Master Ambiental
 
Leis ambientais
Leis ambientaisLeis ambientais
Leis ambientais
GuiGehling
 
Zoneamento ambiental
Zoneamento ambientalZoneamento ambiental
Zoneamento ambiental
Taís Maria
 
Politica nacional do_meio_ambiente
Politica nacional do_meio_ambientePolitica nacional do_meio_ambiente
Politica nacional do_meio_ambiente
danielesa
 
Licenciamento ambiental
Licenciamento ambientalLicenciamento ambiental
Licenciamento ambiental
AtronPhoenix
 
Apresentação
ApresentaçãoApresentação
Apresentação
Luis Olavo
 
Direito ambiental _aula_5__slides
Direito ambiental _aula_5__slidesDireito ambiental _aula_5__slides
Direito ambiental _aula_5__slides
Luis Olavo
 
Direito ambiental _aula_4__slides_1
Direito ambiental _aula_4__slides_1Direito ambiental _aula_4__slides_1
Direito ambiental _aula_4__slides_1
Luis Olavo
 
Direito ambiental _aula_2__slides
Direito ambiental _aula_2__slidesDireito ambiental _aula_2__slides
Direito ambiental _aula_2__slides
Luis Olavo
 
Processo administrativo fiscalização_ambiental_sisti_2012
Processo administrativo fiscalização_ambiental_sisti_2012Processo administrativo fiscalização_ambiental_sisti_2012
Processo administrativo fiscalização_ambiental_sisti_2012
nucleosul2svma
 
Legislação relativa ao licenciamento ambiental e avaliação de impacto ambiental
Legislação relativa ao licenciamento ambiental e avaliação de impacto ambientalLegislação relativa ao licenciamento ambiental e avaliação de impacto ambiental
Legislação relativa ao licenciamento ambiental e avaliação de impacto ambiental
Diego Igawa
 
Processos administrativo, civil e penal em meio ambiente
Processos administrativo, civil e penal em meio ambienteProcessos administrativo, civil e penal em meio ambiente
Processos administrativo, civil e penal em meio ambiente
nucleosul2svma
 
A evolução da legislação ambiental brasileira e a proteção do meio ambiente
A evolução da legislação ambiental brasileira e a proteção do meio ambienteA evolução da legislação ambiental brasileira e a proteção do meio ambiente
A evolução da legislação ambiental brasileira e a proteção do meio ambiente
DireitoCivilContemporaneo
 
Aula 6 legislação ambiental
Aula 6 legislação ambientalAula 6 legislação ambiental
Aula 6 legislação ambiental
sionara14
 
Debate Soluções para o lixo, Apresentação Tatiana Barreto - 28/05/2014
Debate Soluções para o lixo, Apresentação Tatiana Barreto - 28/05/2014 Debate Soluções para o lixo, Apresentação Tatiana Barreto - 28/05/2014
Debate Soluções para o lixo, Apresentação Tatiana Barreto - 28/05/2014
FecomercioSP
 
Integ padro-04-permissao-para-trabalho
Integ padro-04-permissao-para-trabalhoInteg padro-04-permissao-para-trabalho
Integ padro-04-permissao-para-trabalho
EVALDO JUNIO SILVA DA GAMA
 
Responsabilidade Ambiental: Riscos e Perspectivas
Responsabilidade Ambiental: Riscos e PerspectivasResponsabilidade Ambiental: Riscos e Perspectivas
Responsabilidade Ambiental: Riscos e Perspectivas
Moura Tavares Advogados
 

Destaque (20)

Licenciamento ambiental mma
Licenciamento ambiental mmaLicenciamento ambiental mma
Licenciamento ambiental mma
 
Direito ambiental _aula_1__slides
Direito ambiental _aula_1__slidesDireito ambiental _aula_1__slides
Direito ambiental _aula_1__slides
 
A Questão Ambiental na Constituição Federal; Política Nacional do Meio Ambien...
A Questão Ambiental na Constituição Federal; Política Nacional do Meio Ambien...A Questão Ambiental na Constituição Federal; Política Nacional do Meio Ambien...
A Questão Ambiental na Constituição Federal; Política Nacional do Meio Ambien...
 
Licenciamento ambiental
Licenciamento ambientalLicenciamento ambiental
Licenciamento ambiental
 
Leis ambientais
Leis ambientaisLeis ambientais
Leis ambientais
 
Zoneamento ambiental
Zoneamento ambientalZoneamento ambiental
Zoneamento ambiental
 
Politica nacional do_meio_ambiente
Politica nacional do_meio_ambientePolitica nacional do_meio_ambiente
Politica nacional do_meio_ambiente
 
Licenciamento ambiental
Licenciamento ambientalLicenciamento ambiental
Licenciamento ambiental
 
Apresentação
ApresentaçãoApresentação
Apresentação
 
Direito ambiental _aula_5__slides
Direito ambiental _aula_5__slidesDireito ambiental _aula_5__slides
Direito ambiental _aula_5__slides
 
Direito ambiental _aula_4__slides_1
Direito ambiental _aula_4__slides_1Direito ambiental _aula_4__slides_1
Direito ambiental _aula_4__slides_1
 
Direito ambiental _aula_2__slides
Direito ambiental _aula_2__slidesDireito ambiental _aula_2__slides
Direito ambiental _aula_2__slides
 
Processo administrativo fiscalização_ambiental_sisti_2012
Processo administrativo fiscalização_ambiental_sisti_2012Processo administrativo fiscalização_ambiental_sisti_2012
Processo administrativo fiscalização_ambiental_sisti_2012
 
Legislação relativa ao licenciamento ambiental e avaliação de impacto ambiental
Legislação relativa ao licenciamento ambiental e avaliação de impacto ambientalLegislação relativa ao licenciamento ambiental e avaliação de impacto ambiental
Legislação relativa ao licenciamento ambiental e avaliação de impacto ambiental
 
Processos administrativo, civil e penal em meio ambiente
Processos administrativo, civil e penal em meio ambienteProcessos administrativo, civil e penal em meio ambiente
Processos administrativo, civil e penal em meio ambiente
 
A evolução da legislação ambiental brasileira e a proteção do meio ambiente
A evolução da legislação ambiental brasileira e a proteção do meio ambienteA evolução da legislação ambiental brasileira e a proteção do meio ambiente
A evolução da legislação ambiental brasileira e a proteção do meio ambiente
 
Aula 6 legislação ambiental
Aula 6 legislação ambientalAula 6 legislação ambiental
Aula 6 legislação ambiental
 
Debate Soluções para o lixo, Apresentação Tatiana Barreto - 28/05/2014
Debate Soluções para o lixo, Apresentação Tatiana Barreto - 28/05/2014 Debate Soluções para o lixo, Apresentação Tatiana Barreto - 28/05/2014
Debate Soluções para o lixo, Apresentação Tatiana Barreto - 28/05/2014
 
Integ padro-04-permissao-para-trabalho
Integ padro-04-permissao-para-trabalhoInteg padro-04-permissao-para-trabalho
Integ padro-04-permissao-para-trabalho
 
Responsabilidade Ambiental: Riscos e Perspectivas
Responsabilidade Ambiental: Riscos e PerspectivasResponsabilidade Ambiental: Riscos e Perspectivas
Responsabilidade Ambiental: Riscos e Perspectivas
 

Semelhante a Direito ambiental _aula_6__slides

Aula lei pnma e sisnama
Aula lei pnma e sisnamaAula lei pnma e sisnama
Aula lei pnma e sisnama
João Alfredo Telles Melo
 
Aula lei pnma e sisnama
Aula lei pnma e sisnamaAula lei pnma e sisnama
Aula lei pnma e sisnama
João Alfredo Telles Melo
 
Aula lei pnma e sisnama
Aula lei pnma e sisnamaAula lei pnma e sisnama
Aula lei pnma e sisnama
João Alfredo Telles Melo
 
Aula lei pnma e sisnama
Aula lei pnma e sisnamaAula lei pnma e sisnama
Aula lei pnma e sisnama
João Alfredo Telles Melo
 
Aula lei pnma e sisnama
Aula lei pnma e sisnamaAula lei pnma e sisnama
Aula lei pnma e sisnama
João Alfredo Telles Melo
 
Lei complementar nº 272
Lei complementar nº 272Lei complementar nº 272
Lei complementar nº 272
Johnny Medeiros
 
LEI 6.938 - PNMA.pdf
LEI 6.938 - PNMA.pdfLEI 6.938 - PNMA.pdf
LEI 6.938 - PNMA.pdf
VinciusFonseca17
 
Política Nacional de Meio Ambiente
Política Nacional de Meio AmbientePolítica Nacional de Meio Ambiente
Política Nacional de Meio Ambiente
marcelabarquet
 
lei 6938 politica nacional do meio ambiente.pdf
lei 6938 politica nacional do meio ambiente.pdflei 6938 politica nacional do meio ambiente.pdf
lei 6938 politica nacional do meio ambiente.pdf
PerfectPrint1
 
Licenciamento e legislação ambiental
Licenciamento e legislação ambientalLicenciamento e legislação ambiental
Licenciamento e legislação ambiental
Isadora Oliveira
 
Poltiica nacional meio ambiente
Poltiica nacional meio ambientePoltiica nacional meio ambiente
Poltiica nacional meio ambiente
Leili Almeida
 
Direito Ambiental aula 3
Direito Ambiental aula 3Direito Ambiental aula 3
Direito Ambiental aula 3
Jordano Santos Cerqueira
 
AULA POLITICAS AMBIENTAIS NO BRASIL.pdf
AULA POLITICAS AMBIENTAIS NO BRASIL.pdfAULA POLITICAS AMBIENTAIS NO BRASIL.pdf
AULA POLITICAS AMBIENTAIS NO BRASIL.pdf
PaulaMariaMagalhesTe
 
Lei 6938 politica nacional de meio ambiente
Lei 6938   politica nacional de meio ambienteLei 6938   politica nacional de meio ambiente
Lei 6938 politica nacional de meio ambiente
CMMASLZ
 
Licenciamento aia e sga
Licenciamento aia e sgaLicenciamento aia e sga
Licenciamento aia e sga
Catarina Peixoto
 
Codigo Ambiental do Município de São Paulo PL 252 /2009
Codigo Ambiental do Município de São Paulo PL 252  /2009Codigo Ambiental do Município de São Paulo PL 252  /2009
Codigo Ambiental do Município de São Paulo PL 252 /2009
Chico Macena
 
Apostila legislacao ambiental
Apostila legislacao ambientalApostila legislacao ambiental
Apostila legislacao ambiental
Robson alex santos
 
Código Ambiental de Santa Catarina
Código Ambiental de Santa CatarinaCódigo Ambiental de Santa Catarina
Código Ambiental de Santa Catarina
ProjetoBr
 
Projeto de lei nº 19.552 2011
Projeto de lei nº 19.552 2011Projeto de lei nº 19.552 2011
Projeto de lei nº 19.552 2011
almacks luiz silva
 
Dicionário ambiental em direito
Dicionário ambiental em direitoDicionário ambiental em direito
Dicionário ambiental em direito
cfrancisca
 

Semelhante a Direito ambiental _aula_6__slides (20)

Aula lei pnma e sisnama
Aula lei pnma e sisnamaAula lei pnma e sisnama
Aula lei pnma e sisnama
 
Aula lei pnma e sisnama
Aula lei pnma e sisnamaAula lei pnma e sisnama
Aula lei pnma e sisnama
 
Aula lei pnma e sisnama
Aula lei pnma e sisnamaAula lei pnma e sisnama
Aula lei pnma e sisnama
 
Aula lei pnma e sisnama
Aula lei pnma e sisnamaAula lei pnma e sisnama
Aula lei pnma e sisnama
 
Aula lei pnma e sisnama
Aula lei pnma e sisnamaAula lei pnma e sisnama
Aula lei pnma e sisnama
 
Lei complementar nº 272
Lei complementar nº 272Lei complementar nº 272
Lei complementar nº 272
 
LEI 6.938 - PNMA.pdf
LEI 6.938 - PNMA.pdfLEI 6.938 - PNMA.pdf
LEI 6.938 - PNMA.pdf
 
Política Nacional de Meio Ambiente
Política Nacional de Meio AmbientePolítica Nacional de Meio Ambiente
Política Nacional de Meio Ambiente
 
lei 6938 politica nacional do meio ambiente.pdf
lei 6938 politica nacional do meio ambiente.pdflei 6938 politica nacional do meio ambiente.pdf
lei 6938 politica nacional do meio ambiente.pdf
 
Licenciamento e legislação ambiental
Licenciamento e legislação ambientalLicenciamento e legislação ambiental
Licenciamento e legislação ambiental
 
Poltiica nacional meio ambiente
Poltiica nacional meio ambientePoltiica nacional meio ambiente
Poltiica nacional meio ambiente
 
Direito Ambiental aula 3
Direito Ambiental aula 3Direito Ambiental aula 3
Direito Ambiental aula 3
 
AULA POLITICAS AMBIENTAIS NO BRASIL.pdf
AULA POLITICAS AMBIENTAIS NO BRASIL.pdfAULA POLITICAS AMBIENTAIS NO BRASIL.pdf
AULA POLITICAS AMBIENTAIS NO BRASIL.pdf
 
Lei 6938 politica nacional de meio ambiente
Lei 6938   politica nacional de meio ambienteLei 6938   politica nacional de meio ambiente
Lei 6938 politica nacional de meio ambiente
 
Licenciamento aia e sga
Licenciamento aia e sgaLicenciamento aia e sga
Licenciamento aia e sga
 
Codigo Ambiental do Município de São Paulo PL 252 /2009
Codigo Ambiental do Município de São Paulo PL 252  /2009Codigo Ambiental do Município de São Paulo PL 252  /2009
Codigo Ambiental do Município de São Paulo PL 252 /2009
 
Apostila legislacao ambiental
Apostila legislacao ambientalApostila legislacao ambiental
Apostila legislacao ambiental
 
Código Ambiental de Santa Catarina
Código Ambiental de Santa CatarinaCódigo Ambiental de Santa Catarina
Código Ambiental de Santa Catarina
 
Projeto de lei nº 19.552 2011
Projeto de lei nº 19.552 2011Projeto de lei nº 19.552 2011
Projeto de lei nº 19.552 2011
 
Dicionário ambiental em direito
Dicionário ambiental em direitoDicionário ambiental em direito
Dicionário ambiental em direito
 

Direito ambiental _aula_6__slides

  • 1. POLÍTICA NACIONAL DO MEIO AMBIENTE PREVISÃO LEGAL: - Lei 6.938/81, a qual cria a Política Nacional do Meio Ambiente (PNMA) e o Sistema Nacional do Meio Ambiente (SISNAMA). - Embora tenha sido criada antes da CF/88, muitos ambientalistas consideração a legislação mais importante, já que é a partir desta lei que há uma sistematização para as políticas públicas ambientais, estabelecendo objetivos e instrumentos para a preservação do meio ambiente e do desenvolvimento sustentável. - A PNMA estabelece diretrizes gerais que tem a finalidade de harmonizar e de integrar as diversas políticas públicas e ações governamentais (não apenas na área ambiental) de todos os entes federativos, tornando a proteção ao meio ambiente mais eficaz. - Com base na PNMA outros dispositivos legais foram criados, como a Política Nacional dos Recursos Hídricos, a Política Nacional da Educação Ambiental, o Sistema Nacional de Unidades de Conservação.
  • 2. OBJETIVOS: a) Gerais – art. 2ª da Lei 6.938/81: - Preservação - Melhoria e recuperação da qualidade ambiental propícia à vida, desenvolvimento sócio econômico - Interesses da segurança nacional - Proteção da dignidade da vida humana b) Específicos – art. 4º da Lei 6.938/81: - A compatibilização do desenvolvimento econômico-social com a preservação da qualidade do meio ambiente e do equilíbrio ecológico; - O estabelecimento de critérios e padrões de qualidade ambiental e de normas relativas ao uso e manejo de recursos ambientais; - A difusão de tecnologias de manejo do meio ambiente, à divulgação de dados e informações ambientais e à formação de uma consciência pública sobre a necessidade de preservação da qualidade ambiental e do equilíbrio ecológico; - A imposição, ao poluidor e ao predador, da obrigação de recuperar e/ou indenizar os danos causados e, ao usuário, da contribuição pela utilização de recursos ambientais com fins econômicos.
  • 3. PRINCÍPIOS: - Na realidade não são princípios, são ações ou metas que devem ser observadas e cumpridas pela Administração Pública. - Essas ações decorrem dos princípios gerais de Direito Ambiental. - Previsão legal: art. 2ª, incisos: a) racionalização do uso do solo, do subsolo, da água e do ar; b) planejamento e fiscalização do uso dos recursos ambientais; c) proteção dos ecossistemas, com a preservação de áreas representativas; d) controle e zoneamento das atividades potencial ou efetivamente poluidoras; e) recuperação de áreas degradadas; f) proteção de áreas ameaçadas de degradação; g) educação ambiental a todos os níveis de ensino, inclusive a educação da comunidade, objetivando capacitá-la para participação ativa na defesa do meio ambiente. OBS.: A educação ambiental não foi implantada como disciplina específica no currículo de ensino, sendo apenas tema transversal das demais disciplinas.
  • 4. CONCEITOS LEGAIS: - A Lei 6.938/81 elenca a definição de alguns institutos, como: Meio ambiente: o conjunto de condições, leis, influências e interações de ordem física, química e biológica, que permite, abriga e rege a vida em todas as suas formas; Degradação da qualidade ambiental: a alteração adversa das características do meio ambiente; Poluição: a degradação da qualidade ambiental resultante de atividades que direta ou indiretamente: a) prejudiquem a saúde, a segurança e o bem-estar da população; b) criem condições adversas às atividades sociais e econômicas; c) afetem desfavoravelmente a biota; d) afetem as condições estéticas ou sanitárias do meio ambiente; e) lancem matérias ou energia em desacordo com os padrões ambientais estabelecidos; Poluidor: a pessoa física ou jurídica, de direito público ou privado, responsável, direta ou indiretamente, por atividade causadora de degradação ambiental; Recursos ambientais: a atmosfera, as águas interiores, superficiais e subterrâneas, os estuários, o mar territorial, o solo, o subsolo, os elementos da biosfera, a fauna e a flora.
  • 5. SISTEMA NACIONAL DO MEIO AMBIENTE – SISNAMA: - Previsão legal: art. 6º da Lei 6.938/81 - Trata-se de um conjunto de órgãos e entidades da União, Estados, DF e Municípios responsáveis pela proteção e melhoria da qualidade ambiental. - É um sistema que é de responsabilidade do Poder Executivo, que inicia o processo de GESTÃO AMBIENTAL no Brasil, através da articulação de todos os entes federativos e de várias agências governamentais e não governamentais. - Tem como objetivo dar cumprimento e segurança na aplicação de mecanismos capazes de implementar a PNMA. ESTRUTURA DO SISNAMA: - O SISNAMA é composto dos seguintes órgãos: 1 – ÓRGÃO SUPERIOR: - Formado pelo Conselho de Governo, com a função de assessorar o Presidente da República na formulação da política nacional e nas diretrizes governamentais para o meio ambiente e os recursos ambientais; - Em 2003, foi criado também a Câmara de Políticas de Recursos Naturais do Conselho de Governo.
  • 6. 2 – ÓRGÃO CONSULTIVO E DELIBERATIVO: - O Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA), com a finalidade de assessorar, estudar e propor ao Conselho de Governo, diretrizes de políticas governamentais para o meio ambiente e os recursos naturais e deliberar, no âmbito de sua competência, sobre normas e padrões compatíveis com o meio ambiente ecologicamente equilibrado e essencial à sadia qualidade de vida. Tem poder consultivo/deliberativo e normativa ( - Formado por representantes do Governo (municípios, estados, MP, Bombeiros, Polícias) e da Sociedade Civil (indicados por ONG´S ambientais, sindicatos). - Funções : art. 8º da Lei 6.938/81 e art. 7º do Decreto 99.274/90. 3 – ÓRGÃO CENTRAL: - A Secretaria do Meio Ambiente da Presidência da República (hoje MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE), com a finalidade de planejar, coordenar, supervisionar e controlar, como órgão federal, a política nacional e as diretrizes governamentais fixadas para o meio ambiente. 4 – ÓRGÃOS EXECUTORES: - O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis - IBAMA e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade - ICMBIO, com a finalidade de executar e fazer executar a política e as diretrizes governamentais fixadas para o meio ambiente, de acordo com as respectivas competências.
  • 7. 5 – ÓRGÃOS SECCCIONAIS: - Os órgãos ou entidades estaduais responsáveis pela execução de programas, projetos e pelo controle e fiscalização de atividades capazes de provocar a degradação ambiental 6 – ÓRGÃOS LOCAIS: - Os órgãos ou entidades municipais, responsáveis pelo controle e fiscalização dessas atividades, nas suas respectivas jurisdições
  • 8. ZONEAMENTO AMBIENTAL - Também chamado de ZONEAMENTO ECOLÓGICO-ECONÔMICO (ZEE). - É instrumento para efetivação da Política Nacional do Meio Ambiente (art. 9ª, II, da Lei 6.938/81) - Regulamentado pelo Decreto 4.297/2002. CONCEITO DE ZEE: - Trata-se de uma modalidade de intervenção estatal sobre o território, com a finalidade de reparti-lo em zonas, conforme o melhor interesse na preservação ambiental e no uso sustentável dos recursos naturais. OBJETIVOS: - O ZEE tem por objetivo geral organizar, de forma vinculada, as decisões dos agentes públicos e privados quanto a planos, programas, projetos e atividades que, direta ou indiretamente, utilizem recursos naturais, assegurando a plena manutenção do capital e dos serviços ambientais dos ecossistemas.
  • 9. COMPETÊNCIA PARA REALIZAR O ZEE: - Constitui ação administrativa da União a elaboração do ZEE de âmbito nacional e regional, cabendo aos estados elaborar o ZEE de âmbito estadual, em conformidade com os zoneamentos de âmbito nacional e regional, e aos municípios a elaboração do plano diretor, observando os ZEEs existentes. PRESSUPOSTOS: - A elaboração e implementação do ZEE observarão os pressupostos técnicos, institucionais e financeiros. - Estão elencados no art. 8º ao 10 do Decreto 4.297/2002. ALTERAÇÃO: - Para ampliação do rigor da proteção ambiental ou em razão de atualização técnico-científico ou decorrido o prazo de 10 anos de sua conclusão, após consulta pública e aprovação da Comissão do ZEE, mediante processo legislativo.
  • 10. ZONEAMENTO AMBIENTAL INDUSTRIAL: - Aplica-se a Lei 6.603/80 que regula o zoneamento nas áreas críticas em razão de atividades que causam poluição. - Pode ser dividido em: a) Zonas de uso estritamente industrial: - Destina-se, preferencialmente, à localização de estabelecimento industriais cujos resíduos sólidos, líquidos, gasosos, ruídos, vibrações e emanações possam causar perigo à saúde, mesmo depois de aplicado os métodos de controle. - Devem ser adotadas medidas com a finalidade de proteger a vizinhança contra possíveis efeitos residuais ou acidentes. b) Zonas de uso predominantemente industrial: - Destina, preferencialmente, à instalação de industrias cujos processos, submetidos a métodos adequados de controle e tratamento não causem incômodos sensíveis às demais atividades urbanas e nem perturbem o repouso noturno das populações. OBS.: As zonas acima devem ser classificadas em não saturadas, em vias e saturação e saturadas para que se defina as políticas ambientais em cada área.
  • 11. c) Zonas de uso diversificado: - Destina-se à localização de estabelecimentos industriais, cujo processo produtivo seja complementar das atividades do meio urbano ou rural que se situem, e com elas se compatibilizem, independentemente do uso de métodos especiais de controle da poluição, não ocasionando, em qualquer caso, inconvenientes à saúde, ao bem-estar e à segurança das populações vizinhas. d) Zonas de reserva ambiental: - É aquela que por sua característica cultural, ecológica, paisagística ou pela necessidade de preservação de mananciais e proteção de áreas especiais, ficará vedada a localização de estabelecimento industriais. OBS.: Caso 1: Empresa X já existia e não acabou localizada fora da previsão legal do zoneamento? Caso 2: Empresa X iniciou suas atividades em localidade adequada, mas em razão do crescimento urbano desordenado acabou ficando em meio a várias residências?
  • 12. - Não há direito adquirido de poluir ou de prejudicar a saúde humana. - Duas medidas podem ser realizadas: 1 – A instalação de equipamentos especiais de controle; 2 – A relocalização da empresa em casos mais graves. - A própria Lei 6803/80 prevê condições de financiamentos especiais para a relocalização de indústrias. Caso 3: A empresa X que estava localizada em local correto e foi necessário ser relocalizada em razão do crescimento desordenado do município pode receber indenização do Poder Público? - Em regra, não. Embora a doutrina admita a possibilidade com base em cada caso concreto para que seja avaliado ato comissivo ou omissivo da Administração Pública.