SlideShare uma empresa Scribd logo
O Megalitismo
Menir da Bulhôa
Reguengos de Monsaraz
Mega (grande) + lithos (pedra)
Não há uma cultura megalítica.
O Megalitismo é um fenómeno
comum a diferentes culturas.
Na Europa ocidental, estende-se
desde a Escandinávia, pelo mar
do Norte, Ilhas Britânicas e por
todo o arco atlântico desde a
Bretanha até Gibraltar,
alargando-se depois ao
Mediterrâneo ocidental,
incluindo o norte de África e as
ilhas mediterrânicas, desde os
finais do neolítico até à Idade do
Bronze, isto é, do 5º ao 3º
milénio a. C., aproximadamente.
Stonehenge
Condado de Wiltshire
Inglaterra
3º milénio a. C.
Templo de Mnajdra
Malta
3º milénio a. C.
Os principais tipos de construção megalítica são: o menir,
Almendres
Évora
Bulhôa
Reguengos de Monsaraz
O menir da Bulhôa (ou
Belhoa) ostenta um
motivo solar, rodeado
por motivos
serpentiformes e uma
figura que tem sido
interpretada como um
báculo.
No sul, os menires
ostentam gravuras ou
insculturas, que
incluem motivos em U
e zig-zag, enquanto
que a norte parecem
dominar os esteios
pintados nos dólmenes
Menir da Meada
Castelo de Vide
Menir do Outeiro
Reguengos
Menir do Monte Ribeira
Reguengos Monsaraz
O menir é o tipo mais simples ainda que de significado complexo. É
uma coluna, normalmente de forma fálica, enterrada vertical e
parcialmente no solo. Por vezes, apresenta decorações no topo, por
exemplo, motivos solares e outros símbolos astrais.
O menir de Locmariaquer, na Bretanha francesa, é o maior conhecido, mede mais de 20 m e pesa quase
300 t. A rocha não é proveniente do local onde se erguia o menir.
Bretanha
Capela de S. Dinis
Pavia
Évora
Anta - Capela de S. Brissos
Montemor-o-Novo
Alinhamento: um conjunto de menires dispostos em linha. O mais famoso é o de Carnac (4º
3º milénios a. C.), na Bretanha. É formado por várias linhas paralelas. Desconhece-se o
significado destes conjuntos monumentais.
D megalitismo
D megalitismo
D megalitismo
Merrivale
Devon
Inglaterra
O cromeleque é um conjunto de menires dispostos em forma circular, ou aproximada,
definindo assim um espaço interior que deveria ter funções de templo ou recinto sagrado.
O mais famoso é o de Stonehenge, na planície do Sul de Inglaterra (Salisbury, Wiltshire).
Os esteios chegam aos 4 m e às 40 t. Foi construído em diversas fases, entre os finais do
Neolítico e a Idade do Bronze (c. 3100 a. C. – 1400 a. C.).
Uma das hipóteses mais fascinantes é a que admite a relação astral destas construções,
sugerindo-se que a disposição dos menires tem relação com o firmamento.
Anualmente, por ocasião dos solstícios, ali se reúnem multidões em celebrações rituais.
O Alentejo é a região da Europa com maior
concentração de monumentos megalíticos.
Há vários cromeleques. O mais importante é o de Almendres, perto de Évora.
D megalitismo
Vale Maria Meio
Évora
Cromeleque do Xarez
Reguengos de Monsaraz
Portela de Mogos
Évora
Báculo da Herdade das
Antas
Montemor-o-Novo
Báculo de dorso serrilhado. Proveniente da Anta 4 da Herdade das
Antas; MNA, xisto, Neolítico final, Idade do Cobre, 44cmx 7,5cm.
Loja do
Museu Monográfico de Conimbriga
Abr 2017
As antas, ou dólmenes, são o monumento mais comum. É um monumento funerário que,
na variante mais simples, é formado por esteios que sustentam um tampo, ou mesa,
criando no interior uma câmara. A maior parte foi edificada entre 4000 e 3000 a. C.
Zedes
Carrazeda de Ansiães
Bragança
Aldeia da Mata
Crato
A câmara era destinada a
enterramentos colectivos.
Os esteios eram decorados
por incisões ou pinturas.
Anta Grande do Zambujeiro
Évora
Antelas
Oliveira de Frades
Chão Redondo
Sever do Vouga
Orca dos Juncais
Vila Nova de Paiva
Viseu
Museu Nacional de Arqueologia
Lisboa
D megalitismo
Pedralta
Viseu
www.cm-paredes.com
Os fragmentos dos esteios pintados encontram-se depositados Museu de História Natural
da Faculdade de Ciências do Porto, para onde foram levados em 1926.
Dólmen do Padrão
Paredes
Vilarinho da Castanheira
Bragança
Anta com corredor
Mangualde
Originalmente eram cobertas com pedra e terra, chamada mamoa ou tumulus, sendo já
raros os monumentos que conservam essa cobertura. Excepcional é o monumento de
Newgrange, na Irlanda.
Trata-se de um túmulo megalítico (c. 4 000 a. C.) Um corredor com quase 20 m e 40 esteios
conduz a uma câmara cruciforme
Seefin Cairn
Irlanda
Serra da Aboboreira
Baião
Os Monumentos megalíticos de Alcalar são um conjunto de 18 túmulos megalíticos agrupados em
vários núcleos e com uma grande diversidade arquitectónica. Situada entre o norte da ria de Alvor e o
sopé da serra de Monchique, esta necrópole data do III milénio a.c.
O monumento nº7 é constituído por um cairn que envolve um tholos.
www.netparque.pt/NPShowStory.asp?id=264591
Já para o final do neolítico, na zona
mediterrânica, desenvolve-se uma
tipologia de monumentos de falsa
cúpula, também chamados de
tholoi (sing.: tholos). A função seria
semelhante à dos monumentos
megalíticos, apenas que construídos
com lajes de pequena dimensão,
pelo que podemos falar de
megalitismo sem megálitos.
Cista: túmulo individual de inumação, ou depósito de corpos incinerados, de forma
normalmente rectangular, com paredes formadas por lajes colocadas verticalmente
formando uma pequena câmara.
Fonte: wikipedia
Cista megalítica do Cerro do Malhão (Alcoutim). Vista parcial da cista e do
lajeado exterior.
http://www.igespar.pt/media/uploads/revistaportuguesadearqueologia/6_2/7.pdf
Cistas das Casas Velhas, Melides; Grândola (1500 – 700 a.C.)
Descobertas na década de 70. O conjunto é composto por 2 núcleos. As cistas, individuais,
de planta retangular ou trapezoidal, são constituídas por 4 esteios e variam de dimensão.
Os corpos eram depositados em posição fetal e, por vezes, eram acompanhados por
cerâmica ou objetos metálicos.
Gruta artificial
Alapraia
Cascais
Último quartel do IV milénio a.C.
Sandálias votivas em calcário
Museu dos Condes de Castro Guimarães
Cascais
Bibliografia: O autor de referência no tema do megalitismo e arte megalítica continua a ser o
prof. Vítor Oliveira Jorge, cuja tese de doutoramento data já de 1982. Este autor tem inúmeros
artigos sobre o tema, alguns referenciados na www, como por exemplo (conferido em 05-04-
2010): Interpreting the “megalithic art” of western Iberia: some preliminary remarks; in
http://architectures.home.sapo.pt/JIA%200-VOJ.pdf ; Megalitismo no norte de Portugal um
novo balanço; in http://ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/3621.pdf ; Megalitismo de Entre-
Douro-e-Minho e de Trás-Os-Montes (Norte de Portugal): conhecimentos actuais e linhas de
pesquisa a desenvolver: http://ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/2059.pdf. Uma pesquisa não
muito aturada fornece artigos muito úteis, como por exemplo:
http://www.culture.gouv.fr/culture/arcnat/megalithes/index.html [Mégalithes du Morbihan]
www.ctv.es/USERS/sananton/coloqmeg.pdf [Intervenções do congresso sobre arte megalítica]
ou: www.crookscape.org/ [Grupo de estudos do megalitismo alentejano. Com mapas,
fotografias, textos científicos e hiperligações.]
V. O. Jorge é o responsável pelo capítulo consagrado à pré-história que, a partir da p. 102,
aborda a temática do megalitismo no volume dirigido por Jorge de Alarcão da «Nova História de
Portugal», intitulado Portugal. Das origens à romanização (Lisboa; Editorial Presença; 1990). O
livro de M. Farinha dos Santos (Pré - História de Portugal; Verbo; Lisboa; 3ª ed. actualizada;
1985) continua a ser uma boa aproximação ao tema da arte megalítica. Algumas obras de
História de Portugal contêm excelentes capítulos sobre o assunto, como a dirigida por João
Medina (Lisboa; 1994), cuja Parte V do vol. I, da autoria de Victor S. Gonçalves, inclui um
esclarecedor artigo de Manuel Calado (pp. 561 – 561). Paulo Pereira escreve uma boa síntese no
1º volume da História da Arte Portuguesa (Lisboa; Círculo de Leitores; 1995; pp. 51 – 63). A
prof.ª Raquel Vilaça redige igualmente uma curta síntese no 1º volume da História da Arte em
Portugal (Lisboa; Publicações Alfa; 1986; pp. 23 – 29).

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Folheto da Visita de estudo da Universidade Sénior Contemporânea a Santiago d...
Folheto da Visita de estudo da Universidade Sénior Contemporânea a Santiago d...Folheto da Visita de estudo da Universidade Sénior Contemporânea a Santiago d...
Folheto da Visita de estudo da Universidade Sénior Contemporânea a Santiago d...
Universidade Sénior Contemporânea do Porto
 
Programa visita de estudo
Programa visita de estudoPrograma visita de estudo
Programa visita de estudo
eb23sroque
 
Patrimonio Mundial
Patrimonio MundialPatrimonio Mundial
Patrimonio Mundial
Helena
 
Património Mundial - A Rússia dos Czares- Artur Filipe dos Santos
Património Mundial - A Rússia dos Czares- Artur Filipe dos SantosPatrimónio Mundial - A Rússia dos Czares- Artur Filipe dos Santos
Património Mundial - A Rússia dos Czares- Artur Filipe dos Santos
Artur Filipe dos Santos
 
A Arquitetura Pré HistóRica2
A Arquitetura Pré HistóRica2A Arquitetura Pré HistóRica2
A Arquitetura Pré HistóRica2
Auriene
 
Patrimonio cultural, natural e artistico de Santa Maria da Feira
Patrimonio cultural, natural e artistico de Santa Maria da FeiraPatrimonio cultural, natural e artistico de Santa Maria da Feira
Patrimonio cultural, natural e artistico de Santa Maria da Feira
Sofia Pais
 
HISTÓRIA DA CIDADE E DOS MONUMENTOS PORTUENSES - A Comunidade Britânica do Po...
HISTÓRIA DA CIDADE E DOS MONUMENTOS PORTUENSES - A Comunidade Britânica do Po...HISTÓRIA DA CIDADE E DOS MONUMENTOS PORTUENSES - A Comunidade Britânica do Po...
HISTÓRIA DA CIDADE E DOS MONUMENTOS PORTUENSES - A Comunidade Britânica do Po...
Artur Filipe dos Santos
 
museu-arquologico-de-s-miguel-de-odrinhas
museu-arquologico-de-s-miguel-de-odrinhasmuseu-arquologico-de-s-miguel-de-odrinhas
museu-arquologico-de-s-miguel-de-odrinhas
silvartes
 
História do porto palacete conde silva monteiro - artur filipe dos santos
História do porto   palacete conde silva monteiro - artur filipe dos santosHistória do porto   palacete conde silva monteiro - artur filipe dos santos
História do porto palacete conde silva monteiro - artur filipe dos santos
Artur Filipe dos Santos
 
Património Cultural
Património CulturalPatrimónio Cultural
Património Cultural
Alfredo Garcia
 
Paço Episcopal - Artur Filipe dos Santos - História do Porto
Paço Episcopal - Artur Filipe dos Santos - História do PortoPaço Episcopal - Artur Filipe dos Santos - História do Porto
Paço Episcopal - Artur Filipe dos Santos - História do Porto
Artur Filipe dos Santos
 
História do Porto - Jardins e Praças do Porto PRAÇA DA REPÚBLICA (Jardim Teóf...
História do Porto - Jardins e Praças do PortoPRAÇA DA REPÚBLICA(Jardim Teóf...História do Porto - Jardins e Praças do PortoPRAÇA DA REPÚBLICA(Jardim Teóf...
História do Porto - Jardins e Praças do Porto PRAÇA DA REPÚBLICA (Jardim Teóf...
Universidade Sénior Contemporânea do Porto
 
Casa do Infante
Casa do InfanteCasa do Infante
Casa do Infante
Alexandra Alves
 
História da cidade e dos monumentos portuenses igreja sra do porto Professo...
História da cidade e dos monumentos portuenses   igreja sra do porto Professo...História da cidade e dos monumentos portuenses   igreja sra do porto Professo...
História da cidade e dos monumentos portuenses igreja sra do porto Professo...
Universidade Sénior Contemporânea do Porto
 
Património à volta da Sé do Porto- Torre Pedro Pitões - Artur Filipe dos Sant...
Património à volta da Sé do Porto- Torre Pedro Pitões - Artur Filipe dos Sant...Património à volta da Sé do Porto- Torre Pedro Pitões - Artur Filipe dos Sant...
Património à volta da Sé do Porto- Torre Pedro Pitões - Artur Filipe dos Sant...
Artur Filipe dos Santos
 
História da cidade e dos monumentos portuenses palacio de cristal
História da cidade e dos monumentos portuenses   palacio de cristalHistória da cidade e dos monumentos portuenses   palacio de cristal
História da cidade e dos monumentos portuenses palacio de cristal
Universidade Sénior Contemporânea do Porto
 
Palácio de Westminster - A noite de Guy Fawkes - Artur Filipe dos Santos
Palácio de Westminster - A noite de Guy Fawkes - Artur Filipe dos Santos Palácio de Westminster - A noite de Guy Fawkes - Artur Filipe dos Santos
Palácio de Westminster - A noite de Guy Fawkes - Artur Filipe dos Santos
Artur Filipe dos Santos
 
Portugal Patrimonio Portugues Classificado Como Patrimonio Da Humanidade
Portugal   Patrimonio Portugues Classificado Como Patrimonio Da HumanidadePortugal   Patrimonio Portugues Classificado Como Patrimonio Da Humanidade
Portugal Patrimonio Portugues Classificado Como Patrimonio Da Humanidade
LizieMoz
 
Patrimonio mundial em portugal
Patrimonio mundial em portugalPatrimonio mundial em portugal
Patrimonio mundial em portugal
Nuno Costa
 

Mais procurados (19)

Folheto da Visita de estudo da Universidade Sénior Contemporânea a Santiago d...
Folheto da Visita de estudo da Universidade Sénior Contemporânea a Santiago d...Folheto da Visita de estudo da Universidade Sénior Contemporânea a Santiago d...
Folheto da Visita de estudo da Universidade Sénior Contemporânea a Santiago d...
 
Programa visita de estudo
Programa visita de estudoPrograma visita de estudo
Programa visita de estudo
 
Patrimonio Mundial
Patrimonio MundialPatrimonio Mundial
Patrimonio Mundial
 
Património Mundial - A Rússia dos Czares- Artur Filipe dos Santos
Património Mundial - A Rússia dos Czares- Artur Filipe dos SantosPatrimónio Mundial - A Rússia dos Czares- Artur Filipe dos Santos
Património Mundial - A Rússia dos Czares- Artur Filipe dos Santos
 
A Arquitetura Pré HistóRica2
A Arquitetura Pré HistóRica2A Arquitetura Pré HistóRica2
A Arquitetura Pré HistóRica2
 
Patrimonio cultural, natural e artistico de Santa Maria da Feira
Patrimonio cultural, natural e artistico de Santa Maria da FeiraPatrimonio cultural, natural e artistico de Santa Maria da Feira
Patrimonio cultural, natural e artistico de Santa Maria da Feira
 
HISTÓRIA DA CIDADE E DOS MONUMENTOS PORTUENSES - A Comunidade Britânica do Po...
HISTÓRIA DA CIDADE E DOS MONUMENTOS PORTUENSES - A Comunidade Britânica do Po...HISTÓRIA DA CIDADE E DOS MONUMENTOS PORTUENSES - A Comunidade Britânica do Po...
HISTÓRIA DA CIDADE E DOS MONUMENTOS PORTUENSES - A Comunidade Britânica do Po...
 
museu-arquologico-de-s-miguel-de-odrinhas
museu-arquologico-de-s-miguel-de-odrinhasmuseu-arquologico-de-s-miguel-de-odrinhas
museu-arquologico-de-s-miguel-de-odrinhas
 
História do porto palacete conde silva monteiro - artur filipe dos santos
História do porto   palacete conde silva monteiro - artur filipe dos santosHistória do porto   palacete conde silva monteiro - artur filipe dos santos
História do porto palacete conde silva monteiro - artur filipe dos santos
 
Património Cultural
Património CulturalPatrimónio Cultural
Património Cultural
 
Paço Episcopal - Artur Filipe dos Santos - História do Porto
Paço Episcopal - Artur Filipe dos Santos - História do PortoPaço Episcopal - Artur Filipe dos Santos - História do Porto
Paço Episcopal - Artur Filipe dos Santos - História do Porto
 
História do Porto - Jardins e Praças do Porto PRAÇA DA REPÚBLICA (Jardim Teóf...
História do Porto - Jardins e Praças do PortoPRAÇA DA REPÚBLICA(Jardim Teóf...História do Porto - Jardins e Praças do PortoPRAÇA DA REPÚBLICA(Jardim Teóf...
História do Porto - Jardins e Praças do Porto PRAÇA DA REPÚBLICA (Jardim Teóf...
 
Casa do Infante
Casa do InfanteCasa do Infante
Casa do Infante
 
História da cidade e dos monumentos portuenses igreja sra do porto Professo...
História da cidade e dos monumentos portuenses   igreja sra do porto Professo...História da cidade e dos monumentos portuenses   igreja sra do porto Professo...
História da cidade e dos monumentos portuenses igreja sra do porto Professo...
 
Património à volta da Sé do Porto- Torre Pedro Pitões - Artur Filipe dos Sant...
Património à volta da Sé do Porto- Torre Pedro Pitões - Artur Filipe dos Sant...Património à volta da Sé do Porto- Torre Pedro Pitões - Artur Filipe dos Sant...
Património à volta da Sé do Porto- Torre Pedro Pitões - Artur Filipe dos Sant...
 
História da cidade e dos monumentos portuenses palacio de cristal
História da cidade e dos monumentos portuenses   palacio de cristalHistória da cidade e dos monumentos portuenses   palacio de cristal
História da cidade e dos monumentos portuenses palacio de cristal
 
Palácio de Westminster - A noite de Guy Fawkes - Artur Filipe dos Santos
Palácio de Westminster - A noite de Guy Fawkes - Artur Filipe dos Santos Palácio de Westminster - A noite de Guy Fawkes - Artur Filipe dos Santos
Palácio de Westminster - A noite de Guy Fawkes - Artur Filipe dos Santos
 
Portugal Patrimonio Portugues Classificado Como Patrimonio Da Humanidade
Portugal   Patrimonio Portugues Classificado Como Patrimonio Da HumanidadePortugal   Patrimonio Portugues Classificado Como Patrimonio Da Humanidade
Portugal Patrimonio Portugues Classificado Como Patrimonio Da Humanidade
 
Patrimonio mundial em portugal
Patrimonio mundial em portugalPatrimonio mundial em portugal
Patrimonio mundial em portugal
 

Semelhante a D megalitismo

Megalitismo evora
Megalitismo evoraMegalitismo evora
Megalitismo evora
Angel Hernandez
 
Beatriz francisco
Beatriz franciscoBeatriz francisco
UC História de Portugal C2.pdf
UC História de Portugal C2.pdfUC História de Portugal C2.pdf
UC História de Portugal C2.pdf
BRUNADEJESUSRIOSALME
 
Roteiro histórico da pré-história à romanidade
Roteiro histórico da pré-história à romanidadeRoteiro histórico da pré-história à romanidade
Roteiro histórico da pré-história à romanidade
silvartes
 
UFCD - STC6 - Modelo Urbanismo e Mobilidade
UFCD - STC6 - Modelo Urbanismo e MobilidadeUFCD - STC6 - Modelo Urbanismo e Mobilidade
UFCD - STC6 - Modelo Urbanismo e Mobilidade
Nome Sobrenome
 
pre historia e antiguidade na arquitetura e hurbanismo
pre historia e antiguidade na arquitetura e hurbanismopre historia e antiguidade na arquitetura e hurbanismo
pre historia e antiguidade na arquitetura e hurbanismo
Lidia Bandelli Soria
 
Arte na pré história [modo de compatibilidade]
Arte na pré história [modo de compatibilidade]Arte na pré história [modo de compatibilidade]
Arte na pré história [modo de compatibilidade]
Viviane Marques
 
Visita a mértola
Visita a mértolaVisita a mértola
Visita a mértola
Lídia Fortunato
 
Vila do Bispo Arqueológica
Vila do Bispo ArqueológicaVila do Bispo Arqueológica
Vila do Bispo Arqueológica
arqueomike
 
Eira velha uma_estacao_viaria_romana_na
Eira velha uma_estacao_viaria_romana_naEira velha uma_estacao_viaria_romana_na
Eira velha uma_estacao_viaria_romana_na
anabela explicaexplica
 
Pré historia
Pré historiaPré historia
Pré historia
Andrea32480502
 
Aglomerado de todas as pesquisas história
Aglomerado de todas as pesquisas   históriaAglomerado de todas as pesquisas   história
Aglomerado de todas as pesquisas história
antoniopedropinheiro
 
História I - Unidade 01 PRÉ HISTÓRIA.pptx
História I - Unidade 01 PRÉ HISTÓRIA.pptxHistória I - Unidade 01 PRÉ HISTÓRIA.pptx
História I - Unidade 01 PRÉ HISTÓRIA.pptx
ssuser53f060
 
Santuário de Nossa Senhora dos Remédios de Lamego - Artur Filipe dos Santos
Santuário de Nossa Senhora dos Remédios de Lamego - Artur Filipe dos SantosSantuário de Nossa Senhora dos Remédios de Lamego - Artur Filipe dos Santos
Santuário de Nossa Senhora dos Remédios de Lamego - Artur Filipe dos Santos
Artur Filipe dos Santos
 
94
9494
94
9494
História do Porto - Mosteiro de Leça do Balio - Caminho Português de Santiago...
História do Porto - Mosteiro de Leça do Balio - Caminho Português de Santiago...História do Porto - Mosteiro de Leça do Balio - Caminho Português de Santiago...
História do Porto - Mosteiro de Leça do Balio - Caminho Português de Santiago...
Artur Filipe dos Santos
 
F bronze final e ferro
F bronze final e ferroF bronze final e ferro
F bronze final e ferro
António Silva
 
Trabalho De Pesquisa Monsaraz Miguel Lopes
Trabalho De Pesquisa  Monsaraz    Miguel  LopesTrabalho De Pesquisa  Monsaraz    Miguel  Lopes
Trabalho De Pesquisa Monsaraz Miguel Lopes
Ana Baltazar
 
As Espirais de Newgrange
As Espirais de Newgrange As Espirais de Newgrange
As Espirais de Newgrange
Rowena A. Senėwėen
 

Semelhante a D megalitismo (20)

Megalitismo evora
Megalitismo evoraMegalitismo evora
Megalitismo evora
 
Beatriz francisco
Beatriz franciscoBeatriz francisco
Beatriz francisco
 
UC História de Portugal C2.pdf
UC História de Portugal C2.pdfUC História de Portugal C2.pdf
UC História de Portugal C2.pdf
 
Roteiro histórico da pré-história à romanidade
Roteiro histórico da pré-história à romanidadeRoteiro histórico da pré-história à romanidade
Roteiro histórico da pré-história à romanidade
 
UFCD - STC6 - Modelo Urbanismo e Mobilidade
UFCD - STC6 - Modelo Urbanismo e MobilidadeUFCD - STC6 - Modelo Urbanismo e Mobilidade
UFCD - STC6 - Modelo Urbanismo e Mobilidade
 
pre historia e antiguidade na arquitetura e hurbanismo
pre historia e antiguidade na arquitetura e hurbanismopre historia e antiguidade na arquitetura e hurbanismo
pre historia e antiguidade na arquitetura e hurbanismo
 
Arte na pré história [modo de compatibilidade]
Arte na pré história [modo de compatibilidade]Arte na pré história [modo de compatibilidade]
Arte na pré história [modo de compatibilidade]
 
Visita a mértola
Visita a mértolaVisita a mértola
Visita a mértola
 
Vila do Bispo Arqueológica
Vila do Bispo ArqueológicaVila do Bispo Arqueológica
Vila do Bispo Arqueológica
 
Eira velha uma_estacao_viaria_romana_na
Eira velha uma_estacao_viaria_romana_naEira velha uma_estacao_viaria_romana_na
Eira velha uma_estacao_viaria_romana_na
 
Pré historia
Pré historiaPré historia
Pré historia
 
Aglomerado de todas as pesquisas história
Aglomerado de todas as pesquisas   históriaAglomerado de todas as pesquisas   história
Aglomerado de todas as pesquisas história
 
História I - Unidade 01 PRÉ HISTÓRIA.pptx
História I - Unidade 01 PRÉ HISTÓRIA.pptxHistória I - Unidade 01 PRÉ HISTÓRIA.pptx
História I - Unidade 01 PRÉ HISTÓRIA.pptx
 
Santuário de Nossa Senhora dos Remédios de Lamego - Artur Filipe dos Santos
Santuário de Nossa Senhora dos Remédios de Lamego - Artur Filipe dos SantosSantuário de Nossa Senhora dos Remédios de Lamego - Artur Filipe dos Santos
Santuário de Nossa Senhora dos Remédios de Lamego - Artur Filipe dos Santos
 
94
9494
94
 
94
9494
94
 
História do Porto - Mosteiro de Leça do Balio - Caminho Português de Santiago...
História do Porto - Mosteiro de Leça do Balio - Caminho Português de Santiago...História do Porto - Mosteiro de Leça do Balio - Caminho Português de Santiago...
História do Porto - Mosteiro de Leça do Balio - Caminho Português de Santiago...
 
F bronze final e ferro
F bronze final e ferroF bronze final e ferro
F bronze final e ferro
 
Trabalho De Pesquisa Monsaraz Miguel Lopes
Trabalho De Pesquisa  Monsaraz    Miguel  LopesTrabalho De Pesquisa  Monsaraz    Miguel  Lopes
Trabalho De Pesquisa Monsaraz Miguel Lopes
 
As Espirais de Newgrange
As Espirais de Newgrange As Espirais de Newgrange
As Espirais de Newgrange
 

Mais de António Silva

J arte românica
J arte românicaJ arte românica
J arte românica
António Silva
 
I arte islâmica em portugal
I arte islâmica em portugalI arte islâmica em portugal
I arte islâmica em portugal
António Silva
 
H visigodos e moçárabes
H visigodos e moçárabesH visigodos e moçárabes
H visigodos e moçárabes
António Silva
 
Grécia escultura 3
Grécia escultura 3Grécia escultura 3
Grécia escultura 3
António Silva
 
Grécia escultura 2
Grécia escultura 2Grécia escultura 2
Grécia escultura 2
António Silva
 
Grécia escultura 1
Grécia escultura 1Grécia escultura 1
Grécia escultura 1
António Silva
 
Grécia arquitectura
Grécia arquitecturaGrécia arquitectura
Grécia arquitectura
António Silva
 
G arte romana em portugal
G arte romana em portugalG arte romana em portugal
G arte romana em portugal
António Silva
 
E arte levantina
E arte levantinaE arte levantina
E arte levantina
António Silva
 
C arte paleolítico superior
C arte paleolítico superiorC arte paleolítico superior
C arte paleolítico superior
António Silva
 
A escultura romana
A escultura romanaA escultura romana
A escultura romana
António Silva
 
A arquitectura romana
A arquitectura romanaA arquitectura romana
A arquitectura romana
António Silva
 
B património
B patrimónioB património
B património
António Silva
 
A o que é arte
A o que é arteA o que é arte
A o que é arte
António Silva
 
100 filmes
100 filmes100 filmes
100 filmes
António Silva
 
100 pinturas
100 pinturas100 pinturas
100 pinturas
António Silva
 
Arte islâmica em portugal
Arte islâmica em portugalArte islâmica em portugal
Arte islâmica em portugal
António Silva
 
A pintura portuguesa no séc. xvi
A pintura portuguesa no séc. xviA pintura portuguesa no séc. xvi
A pintura portuguesa no séc. xvi
António Silva
 
A estatuária pública e a escultura monumental
A estatuária pública e a escultura monumentalA estatuária pública e a escultura monumental
A estatuária pública e a escultura monumental
António Silva
 
A escultura portuguesa de frei cipriano da cruz a soares dos reis
A escultura portuguesa de frei cipriano da cruz a soares dos reisA escultura portuguesa de frei cipriano da cruz a soares dos reis
A escultura portuguesa de frei cipriano da cruz a soares dos reis
António Silva
 

Mais de António Silva (20)

J arte românica
J arte românicaJ arte românica
J arte românica
 
I arte islâmica em portugal
I arte islâmica em portugalI arte islâmica em portugal
I arte islâmica em portugal
 
H visigodos e moçárabes
H visigodos e moçárabesH visigodos e moçárabes
H visigodos e moçárabes
 
Grécia escultura 3
Grécia escultura 3Grécia escultura 3
Grécia escultura 3
 
Grécia escultura 2
Grécia escultura 2Grécia escultura 2
Grécia escultura 2
 
Grécia escultura 1
Grécia escultura 1Grécia escultura 1
Grécia escultura 1
 
Grécia arquitectura
Grécia arquitecturaGrécia arquitectura
Grécia arquitectura
 
G arte romana em portugal
G arte romana em portugalG arte romana em portugal
G arte romana em portugal
 
E arte levantina
E arte levantinaE arte levantina
E arte levantina
 
C arte paleolítico superior
C arte paleolítico superiorC arte paleolítico superior
C arte paleolítico superior
 
A escultura romana
A escultura romanaA escultura romana
A escultura romana
 
A arquitectura romana
A arquitectura romanaA arquitectura romana
A arquitectura romana
 
B património
B patrimónioB património
B património
 
A o que é arte
A o que é arteA o que é arte
A o que é arte
 
100 filmes
100 filmes100 filmes
100 filmes
 
100 pinturas
100 pinturas100 pinturas
100 pinturas
 
Arte islâmica em portugal
Arte islâmica em portugalArte islâmica em portugal
Arte islâmica em portugal
 
A pintura portuguesa no séc. xvi
A pintura portuguesa no séc. xviA pintura portuguesa no séc. xvi
A pintura portuguesa no séc. xvi
 
A estatuária pública e a escultura monumental
A estatuária pública e a escultura monumentalA estatuária pública e a escultura monumental
A estatuária pública e a escultura monumental
 
A escultura portuguesa de frei cipriano da cruz a soares dos reis
A escultura portuguesa de frei cipriano da cruz a soares dos reisA escultura portuguesa de frei cipriano da cruz a soares dos reis
A escultura portuguesa de frei cipriano da cruz a soares dos reis
 

Último

Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Instituto Walter Alencar
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
AntHropológicas Visual PPGA-UFPE
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 

Último (20)

Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 

D megalitismo

  • 1. O Megalitismo Menir da Bulhôa Reguengos de Monsaraz
  • 2. Mega (grande) + lithos (pedra)
  • 3. Não há uma cultura megalítica. O Megalitismo é um fenómeno comum a diferentes culturas. Na Europa ocidental, estende-se desde a Escandinávia, pelo mar do Norte, Ilhas Britânicas e por todo o arco atlântico desde a Bretanha até Gibraltar, alargando-se depois ao Mediterrâneo ocidental, incluindo o norte de África e as ilhas mediterrânicas, desde os finais do neolítico até à Idade do Bronze, isto é, do 5º ao 3º milénio a. C., aproximadamente.
  • 6. Os principais tipos de construção megalítica são: o menir, Almendres Évora Bulhôa Reguengos de Monsaraz
  • 7. O menir da Bulhôa (ou Belhoa) ostenta um motivo solar, rodeado por motivos serpentiformes e uma figura que tem sido interpretada como um báculo. No sul, os menires ostentam gravuras ou insculturas, que incluem motivos em U e zig-zag, enquanto que a norte parecem dominar os esteios pintados nos dólmenes
  • 8. Menir da Meada Castelo de Vide Menir do Outeiro Reguengos Menir do Monte Ribeira Reguengos Monsaraz
  • 9. O menir é o tipo mais simples ainda que de significado complexo. É uma coluna, normalmente de forma fálica, enterrada vertical e parcialmente no solo. Por vezes, apresenta decorações no topo, por exemplo, motivos solares e outros símbolos astrais. O menir de Locmariaquer, na Bretanha francesa, é o maior conhecido, mede mais de 20 m e pesa quase 300 t. A rocha não é proveniente do local onde se erguia o menir.
  • 11. Capela de S. Dinis Pavia Évora
  • 12. Anta - Capela de S. Brissos Montemor-o-Novo
  • 13. Alinhamento: um conjunto de menires dispostos em linha. O mais famoso é o de Carnac (4º 3º milénios a. C.), na Bretanha. É formado por várias linhas paralelas. Desconhece-se o significado destes conjuntos monumentais.
  • 18. O cromeleque é um conjunto de menires dispostos em forma circular, ou aproximada, definindo assim um espaço interior que deveria ter funções de templo ou recinto sagrado.
  • 19. O mais famoso é o de Stonehenge, na planície do Sul de Inglaterra (Salisbury, Wiltshire).
  • 20. Os esteios chegam aos 4 m e às 40 t. Foi construído em diversas fases, entre os finais do Neolítico e a Idade do Bronze (c. 3100 a. C. – 1400 a. C.).
  • 21. Uma das hipóteses mais fascinantes é a que admite a relação astral destas construções, sugerindo-se que a disposição dos menires tem relação com o firmamento.
  • 22. Anualmente, por ocasião dos solstícios, ali se reúnem multidões em celebrações rituais.
  • 23. O Alentejo é a região da Europa com maior concentração de monumentos megalíticos.
  • 24. Há vários cromeleques. O mais importante é o de Almendres, perto de Évora.
  • 27. Cromeleque do Xarez Reguengos de Monsaraz Portela de Mogos Évora
  • 28. Báculo da Herdade das Antas Montemor-o-Novo Báculo de dorso serrilhado. Proveniente da Anta 4 da Herdade das Antas; MNA, xisto, Neolítico final, Idade do Cobre, 44cmx 7,5cm.
  • 29. Loja do Museu Monográfico de Conimbriga Abr 2017
  • 30. As antas, ou dólmenes, são o monumento mais comum. É um monumento funerário que, na variante mais simples, é formado por esteios que sustentam um tampo, ou mesa, criando no interior uma câmara. A maior parte foi edificada entre 4000 e 3000 a. C. Zedes Carrazeda de Ansiães Bragança
  • 32. A câmara era destinada a enterramentos colectivos. Os esteios eram decorados por incisões ou pinturas. Anta Grande do Zambujeiro Évora
  • 35. Orca dos Juncais Vila Nova de Paiva Viseu Museu Nacional de Arqueologia Lisboa
  • 38. www.cm-paredes.com Os fragmentos dos esteios pintados encontram-se depositados Museu de História Natural da Faculdade de Ciências do Porto, para onde foram levados em 1926. Dólmen do Padrão Paredes
  • 41. Originalmente eram cobertas com pedra e terra, chamada mamoa ou tumulus, sendo já raros os monumentos que conservam essa cobertura. Excepcional é o monumento de Newgrange, na Irlanda. Trata-se de um túmulo megalítico (c. 4 000 a. C.) Um corredor com quase 20 m e 40 esteios conduz a uma câmara cruciforme
  • 44. Os Monumentos megalíticos de Alcalar são um conjunto de 18 túmulos megalíticos agrupados em vários núcleos e com uma grande diversidade arquitectónica. Situada entre o norte da ria de Alvor e o sopé da serra de Monchique, esta necrópole data do III milénio a.c. O monumento nº7 é constituído por um cairn que envolve um tholos. www.netparque.pt/NPShowStory.asp?id=264591
  • 45. Já para o final do neolítico, na zona mediterrânica, desenvolve-se uma tipologia de monumentos de falsa cúpula, também chamados de tholoi (sing.: tholos). A função seria semelhante à dos monumentos megalíticos, apenas que construídos com lajes de pequena dimensão, pelo que podemos falar de megalitismo sem megálitos.
  • 46. Cista: túmulo individual de inumação, ou depósito de corpos incinerados, de forma normalmente rectangular, com paredes formadas por lajes colocadas verticalmente formando uma pequena câmara. Fonte: wikipedia Cista megalítica do Cerro do Malhão (Alcoutim). Vista parcial da cista e do lajeado exterior. http://www.igespar.pt/media/uploads/revistaportuguesadearqueologia/6_2/7.pdf
  • 47. Cistas das Casas Velhas, Melides; Grândola (1500 – 700 a.C.) Descobertas na década de 70. O conjunto é composto por 2 núcleos. As cistas, individuais, de planta retangular ou trapezoidal, são constituídas por 4 esteios e variam de dimensão. Os corpos eram depositados em posição fetal e, por vezes, eram acompanhados por cerâmica ou objetos metálicos.
  • 48. Gruta artificial Alapraia Cascais Último quartel do IV milénio a.C. Sandálias votivas em calcário Museu dos Condes de Castro Guimarães Cascais
  • 49. Bibliografia: O autor de referência no tema do megalitismo e arte megalítica continua a ser o prof. Vítor Oliveira Jorge, cuja tese de doutoramento data já de 1982. Este autor tem inúmeros artigos sobre o tema, alguns referenciados na www, como por exemplo (conferido em 05-04- 2010): Interpreting the “megalithic art” of western Iberia: some preliminary remarks; in http://architectures.home.sapo.pt/JIA%200-VOJ.pdf ; Megalitismo no norte de Portugal um novo balanço; in http://ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/3621.pdf ; Megalitismo de Entre- Douro-e-Minho e de Trás-Os-Montes (Norte de Portugal): conhecimentos actuais e linhas de pesquisa a desenvolver: http://ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/2059.pdf. Uma pesquisa não muito aturada fornece artigos muito úteis, como por exemplo: http://www.culture.gouv.fr/culture/arcnat/megalithes/index.html [Mégalithes du Morbihan] www.ctv.es/USERS/sananton/coloqmeg.pdf [Intervenções do congresso sobre arte megalítica] ou: www.crookscape.org/ [Grupo de estudos do megalitismo alentejano. Com mapas, fotografias, textos científicos e hiperligações.] V. O. Jorge é o responsável pelo capítulo consagrado à pré-história que, a partir da p. 102, aborda a temática do megalitismo no volume dirigido por Jorge de Alarcão da «Nova História de Portugal», intitulado Portugal. Das origens à romanização (Lisboa; Editorial Presença; 1990). O livro de M. Farinha dos Santos (Pré - História de Portugal; Verbo; Lisboa; 3ª ed. actualizada; 1985) continua a ser uma boa aproximação ao tema da arte megalítica. Algumas obras de História de Portugal contêm excelentes capítulos sobre o assunto, como a dirigida por João Medina (Lisboa; 1994), cuja Parte V do vol. I, da autoria de Victor S. Gonçalves, inclui um esclarecedor artigo de Manuel Calado (pp. 561 – 561). Paulo Pereira escreve uma boa síntese no 1º volume da História da Arte Portuguesa (Lisboa; Círculo de Leitores; 1995; pp. 51 – 63). A prof.ª Raquel Vilaça redige igualmente uma curta síntese no 1º volume da História da Arte em Portugal (Lisboa; Publicações Alfa; 1986; pp. 23 – 29).

Notas do Editor

  1. 16 Abril