SlideShare uma empresa Scribd logo
ESTÉTICA INTEGRADA E
HUMANIZADA
Revolução na Indústria dos Dermocosméticos
Prof.ª Esp. Elizabete Monteiro
● O sabonete,
● O xampu,
● O condicionador,
● A pasta de dente,
● O perfume,
● O hidratante corporal,
● O desodorante,
● O hidratante facial,
● O filtro solar,
● O esfoliante ou óleo
de banho,
● Maquiagem diversa.
O SER HUMANO USA POR DIA EM
MÉDIA MAIS DE 7 PRODUTOS
COSMÉTICOS
● SERÁ QUE TODOS ESSES
COSMÉTICOS FAZEM BEM
PRA SAÚDE?
https://clinicaelegance.com/2017/06/19/estetica-humanizada-e-consciente-nao-faz-uso-de-
cosmeticos-com-xenobiotico/
● Segundo estudos do Instituto Brasileiro de Nutrição Funcional -
IBNF, temos contato constante com mais 40 mil compostos tóxicos,
como hormônios, substâncias alergênicas, agrotóxicos, aditivos
alimentares, medicamentos, drogas, álcool, metais tóxicos,
poluentes do ar, substâncias migrantes de embalagens e produtos
de beleza.
● A longo prazo, a exposição a essas toxinas, mesmo que em
pequenas quantidades, está associada a uma série de efeitos na
saúde, como disfunções do sistema endócrino e reprodutivo,
doenças autoimunes e distúrbios comportamentais.
● Xenobióticos
● do grego “xeno = estranho” e “bio = vida”, são
todas as substâncias “estranhas à vida”, ou
seja, ao organismo, e que apresentam
algum malefício, como toxicidade.
● Geralmente são substâncias químicas,
advindas do ambiente externo, porém
substâncias orgânicas também podem ser
consideradas xenobióticos se estiverem em
quantidade excessiva no corpo, tornando-se
prejudiciais.
XENOBIÓTICOS
http://www.rc.unesp.br/ib/ceis/mundoleveduras/2014/Xenobioticos%20e%20microbiota.pdf
● Plásticos- BPA-BISFENOL A;
● Inseticidas;
● Produtos de limpeza;
● Pesticidas;
● Fármacos- antibióticos;
● Alimentos;
● Poluentes- DIOXINAS E PCBS;
● Até compostos encontrados na própria
natureza, como algumas categorias de
vegetais e fungos.
XENOBIÓTICOS
● Óleo mineral (paraffinum liquidum,
paraffin, petrolatum);
● Os conservantes parabenos (propylparaben,
methylparaben, ethylparaben, butylparaben,
isobutylparaben),
● Conservantes liberadores de formol (quarteniu
m, diazolinidil urea, DMDM hydantoin e
imidazolidinyl urea)
● Propilenoglicol (propylene glycol), bem como os
produtos que utilizem embalagens produzidas a
base de componentes como
o bisfenol A (bisphenol A).
PRINCIPAIS XENOBIÓTICOS
PRESENTES NA COSMETOLOGIA
● Produtos e agentes químicos capazes de exercer
atividade endócrina;
● Substâncias exógenas que provocam a quebra da
homeostase do organismo, durante o desenvolvimento
e diferenciação celular;
● Pesquisas na União Européia mostram que os
disruptores endócrinos tem a capacidade de danificar
diretamente um órgão endócrino, alterando sua
função, também podem reagir com receptores
hormonais ou gerar alteração no metabolismo de um
hormônio em um órgão endocrino.
DISRUPTORES ENDÓCRINOS
(DE)
● Hipófise , glândulas supra-renais,
tireóide, para-tireóides, pâncreas,
ovários e testículos,
ÓRGÃOS ENDÓCRINOS
● Fenóis,
● Bisfenol-A,
● Ftalatos,
● Parabenos,
● Triclosan
● Benzofenona-3.
PRINCIPAIS (DE)
Presentes em formulação cosmética e nas
embalagens.
● Em uma investigação realizada em 2015 foram
registradas a presença de ftalatos,
parabenos e benzofenona-3 na urina de
adultos e crianças e nos adultos a utilização de
produtos cosméticos de uso domiciliar foram
associados com a presença de conservantes
parabenos. Esses resultados evidenciam que o uso
de cosméticos é uma fonte de exposição aos
disruptores endócrinos.
PRINCIPAIS (DE)
● Ação comedogênica (obstrui
os óstios), e por isso, pode
favorecer o aparecimento de
comedões e até mesmo
pústulas, além de interferir nos
mecanismos de hidratação
natural da pele, podendo
colaborar para o
envelhecimento precoce.
● O óleo mineral pode ainda,
causar alergias em algumas
pessoas.
DERIVADOS DO PETRÓLEO
● (Petróleo), Petroleum
Jelly (Óleo de
Vaselina), Petrolatum (Petr
olato), Mineral oil (Óleo
Mineral), Mineral
Jelly (Geleia
Mineral), Liquid
Paraffin (Parafina Líquida).
Composição; Mistura complexa
de hidrocarbonetos parafínicos
e Naftênicos.
● Agentes potencializadores de
causar alergia de contato e
sensibilização;
● Pode contribuir para o
aparecimento de câncer
induzido pela radiação
ultravioleta do sol.
CONSERVANTES- FORMOL
● Quatérnium -15,
● Diazolidinilurea,
● Imidazolidinilurea,
● DMDM Hidantoin.
● Após metabolizado, estudos mostram
evidencias na urina e mama;
● após o uso de 8 produtos cosméticos
contendo essa substância, 6
apresentaram atividade
estrogênica, ou seja, se comporta no
organismo como se fosse o próprio
estrogênio, que está ligado a
problemas hormonais que podem
levar a alterações no ciclo menstrual,
infertilidade, nos ovários, início da
puberdade e ainda interferir no
desenvolvimento de alterações
inestéticas como hipercromias, FEG e
acne.
CONSERVANTES- PARABENOS
● Parabens,
● Methylparaben,
● Ethylparaben,
● Propylparaben e
● Butylparaben..
● Diluente de outras substâncias,
sendo muito usado em uma ampla
variedade de cosméticos;
● Desencadea nas pessoas, alergias e
irritações e dermatites.
PROPILENOGLICOL
● Propyleneglycol
● Os ftalatos são uma classe de
substâncias capazes de conferir
maleabilidade a plásticos rígidos, além
disso, são os responsáveis pela fixação
da cor de esmaltes e permitem que os
perfumes se fixem na pele e durem mais
tempo;
● Em formulações cosméticas, eles
conferem brilho ao produto,
● Embalagens para alimentos, copos
plásticos, tubos de PVC, brinquedos para
crianças, em materiais de construção,
móveis, roupas, sempre com o propósito
de tornar o policloreto de vinila (PVC)
flexível ou plastificado. Também são
utilizados como aditivos em tintas,
inseticidas e produtos farmacêuticos e de
uso pessoal.
FTALATO
● FTALATOS
Dimetil Ftalato (DMP) Dietil Ftalato (DEP) Di-
iso-butil Ftalato (DIBP) Di-n-butil Ftalato (DBP)
Butilbenzil Ftalato (BBP) Dicicloexilo Ftalato
(DCHP) Di-(2-etil-exil) Ftalato (DEHP) Di-n-octil
Ftalato (DOP) Di-isooctil Ftalato (DIOP) Di-iso-
nonil Ftalato (DINP) Di-iso-decil Ftalato (DIDP).
● Triclosan é um bactericida efetivo contra uma
ampla gama de bactérias gram-positivas e
gram-negativas, bem como fungos e bolores.
● Está presente em antitranspirantes,
sabonetes, detergentes, produtos para
barbear, higienizadores de mãos, cremes e
produtos de limpeza doméstica.
● Possui alta permeabilidade e é irritante para
a pele e os olhos, tem efeito xenoestrógeno
no organismo e também é tóxico para
organismos aquáticos, gerando impacto
ambiental quando é despejado “pelo ralo”
TRICLOSAN
● Triclosan (TSC)
● Triclocarban (TCC).
● A uréia é uma ubstância produzida no fígado
a partir da amônia, resultante do
metabolismo das proteínas, sendo eliminada
através da urina.
● Quimicamente é classificada como amida;
● É um composto quaternário, constituído por
nitrogênio, oxigênio, carbono e hidrogênio,
de cor branca, cristalino, de sabor amargo e
solúvel em água e álcool.
● Em laboratório é Produzida pela reação
química da alantoína e do formaldeído na
presença de solução de hidróxido de sódio e
calor. A mistura de reação é
então neutralizada com ácido clorídrico
e evaporada
UREIA- como conservante
● Diazolinidil urea,
imidazolidinyl urea
● Silicones usados em cosméticos para
suavizar, alisar o toque, normalmente em
hidratantes pra pele e cabelo.
● Podem interferir nas funções hormonais e
causar danos ao fígado. Nocivos a peixes e
outros animais e plantas selvagens.
SILICONES
● Siloxanes (Siloxanos): Cyclotet
rasiloxane, cyclopentasiloxane,
cyclohexasyloxane e Cyclomet
hicone (Ciclometicone)
● Em produtos que formam espuma como
xampus, sabonetes líquidos, espumas para
banho. Ressecam a pele e podem causar
alergias e dermatites.
● SLES pode estar contaminado por 1,4-
Dioxane (1,4-Dioxano), que pode causar
câncer.
● SLS pode causar danos ao fígado. Nocivos a
peixes e outros animais e plantas selvagens..
SULFATOS
● Sodium Laureth
Sulphate (SLES, Lauril Éter
Sulfato de Sódio) e Sodium
Lauryl Sulphate (SLS, Lauril
Sulfato de Sódio)
● Usado como plastificante em alguns produtos
pra unhas.
● Tóxico para o sistema reprodutivo e pode
interferir no funcionamento hormonal.
● Nocivo a peixes e outros animais e plantas
selvagens.
DBP- Dibutilftalato
● Dibuthyl Phthalate
● Usado em cosméticos com alta pigmentação
como fixador ou corante como tintas de
cabelo e batom. Neurotoxina, cancerígeno e
cumulativo no corpo, podendo causar
intoxicação.
CHUMBO
● (Lead acetate ou
lead)
● Em tinturas para cabelo e por cores
identificadas como “C.I.” e seguidas por cinco
dígitos em outros produtos**. Potenciais
causadores câncer e podem estar
contaminados por metais pesados.
Coal tar dyes
(corantes de alcatrão de hulha)
● P-Phenylenediamine
● (P-Fenilenodiamina)
Pigmentos naturais e inorgânicos usados
em cosméticos também usam o Color
Index (CI) com números entre 75000 e
77000, respectivamente.
● Usado principalmente em hidratantes e
maquiagens como conservadores. Suspeitos
de causar câncer (BHA) e interferir no
funcionamento hormonal. Nocivos a peixes e
outros animais e plantas selvagens.
BHA e BHT
● Butylated Hydroxyanisole,
Butil-hidroxianisol) e
(Butylated Hydroxytoluene,
Butil-hidroxitolueno
APLICATIVOS PARA LEITURA DE
RÓTULOS DE COSMÉTICOS
•Ingred.
•Desrolutando.
•Think Dirty – Shop Clean.
● O organismo humano neutraliza e excreta
os xenobióticos.
● O fígado neutraliza e as principais vias de
excreção são a urina, as fezes,
a respiração e o suor.
XENOBIÓTICOS
IMPORTÂNCIA DA ELIMINAÇÃO
http://www.rc.unesp.br/ib/ceis/mundoleveduras/2014/Xenobioticos%20e%20microbiota.pdf
● O metabolismo de xenobióticos é efetuado
por enzimas hepáticas em diversos passos:
● o xenobiótico é inicialmente ativado
por oxidação, redução, hidrólise
ou hidratação;
● É então conjugado a moléculas
como sulfato, glucuronato ou glutationa,
sendo posteriormente excretado na bílis ou
urina.
XENOBIÓTICOS
IMPORTÂNCIA DA ELIMINAÇÃO
● Alguns xenobióticos são resistentes à degradação.
● Incluem-se neste tipo de xenobióticos substâncias
como organoclorados sintéticos
(como plásticos e pesticidas), ou composto orgânicos
naturais (como hidrocarbonetos poliaromáticos) e
compostos fazendo parte de crude ou carvão.
● Diversos xenobióticos são, no entanto, possíveis de
degradar por microrganismos presentes no solo.
https://pt.wikipedia.org/wiki/Xenobi%C3%B3tico
XENOBIÓTICOS
IMPORTÂNCIA DA ELIMINAÇÃO
● A modificação química anterior à excreção
torna o xenobiótico hidrossolúvel.
● O grupo de enzimas do citocromo P450 é
um dos envolvidos na desintoxicação de
xenobióticos no fígado.
● Enzimas envolvidas neste metabolismo
são importantes para a indústria
farmacêutica por serem responsáveis pela
degradação de medicamentos.
XENOBIÓTICOS
IMPORTÂNCIA DA ELIMINAÇÃO
● Dada a crescente exposição a
compostos químicos, principalmente de
origem industrial, muitas vezes essa
função biológica não é suficiente.
● Isso favorece danos às funções corporais
e o consequente surgimento de patologias.
XENOBIÓTICOS
IMPORTÂNCIA DA ELIMINAÇÃO
● Essa dificuldade se torna ainda mais grave
quando os compostos são lipofílicos, ou
seja, são mais solúveis em lipídios, já que
a bioacumulação se dá principalmente nos
tecidos gordurosos, dificultando ainda mais
sua excreção.
XENOBIÓTICOS
IMPORTÂNCIA DA ELIMINAÇÃO
● Trabalhadores de indústrias;
● Residentes de grandes cidades;
● Usuários recorrentes de fármacos;
● Consumidores de muitos alimentos
industrializados;
● Usuários de cosméticos;
● Idosos e enfermos;
GRUPO DE INDIVÍDUOS
EXPOSTOS
● Diabetes;
● Arteriosclerose;
● Alzheimer;
● Diversos tipos de câncer;
● Modificações epigenéticas.
Doenças geradas
OBS: NAS GESTANTES, por
exemplo, a exposição a disruptores
endócrinos pode causar
modificações epigenéticas nas
próximas duas gerações.
● Acompanhamento médico;
● Descobrindo origem e montar programa
de tratamento natural;
● Terapias alternativas;
● Suplementação para desintoxicar o
organismo,
● Cosméticos biocompatíveis associados às
terapias;
COMO EVITAR
https://saudecomozonio.com.br/xenobioticos-o-que-sao-e-como-eles-podem-interferir-na-saude/
● A Bioacumulação consiste em uma série de efeitos sintomáticos
produzidos quando uma substância tóxica é ingerida ou entra em
contato com a pele, olhos ou membranas mucosas.
● Intoxicação exógena: acontece quando a substância intoxicante está
no ambiente, capaz de contaminar através da ingestão, contato com a
pele ou inalação pelo ar, e as mais comuns são o uso de
medicamentos em doses elevadas, como antidepressivos,
analgésicos, anticonvulsivantes ou ansiolíticos, uso de drogas ilícitas,
picada de animais venenosos, como cobra ou escorpião, consumo de
álcool em excesso ou inalação de produtos químicos,
● Intoxicação endógena: é causada pelo acúmulo de substâncias
maléficas que o próprio organismo produz, como a ureia, mas que
costumam ser eliminadas através da ação do fígado e filtrado pelos
rins, e podem ser acumuladas quando estes órgãos apresentam uma
insuficiência.
BIOACUMULAÇÃO
CONCEITO DE COSMÉTICOS
ECOLOGICAMENTE CORRETO
• São os que não possuem petrolatos em sua
composição ( óleo mineral e parafina);
• São biodegradáveis;
• Usam em sua formulação extratos botânicos ( óleos
vegetais e essenciais), exceto em espécies com
risco de extinção.
CONCEITO
BIODEGRADÁVEL-Que pode ser decomposto ou
destruído pela ação de agentes biológicos
(microrganismos, bactérias etc.); diz-se da
substância que se decompõe pela ação de um
agente biológico.
BIOCOMPATÍVEL- que não produz efeitos nefastos
sobre os tecidos biológicos
COSMÉTICOS BIOCOMPATÍVEIS
• As bases biocompatíveis fazem parte de um
novo conceito de qualidade que vem
crescendo no mercado dos cosméticos
ecologicamente corretos.
• Levam este nome porque são compatíveis
com a membrana celular, compostas por 100%
de óleo vegetal.
● Livres de substâncias tóxicas como
conservantes, parabenos, parafina,
propilenoglicol, petróleo, ativos minerais e
conservantes liberadores de formol.
● Ricos em ômegas 3, 6, 7 e 9;
● Considerados Eco Friendly (amigos da
natureza).
COSMÉTICOS BIOCOMPATÍVEIS
● Produtos com maior porcentagem de
princípios;
● Facilidade na permeação;
https://extratosdaterra.com.br/blog/tag/cosmeticos-biocompativeis/
COSMÉTICOS BIOCOMPATÍVEIS
https://www.epocacosmeticos.com.br/projeto-eco
● COSMÉTICOS ORGÂNICOS
• A maior preocupação do cosmético orgânico é
ser ecologicamente correto e socialmente
justo.
• Eles possuem no mínimo 95% de matérias-
primas orgânicas, necessariamente cultivadas
sem a ação de agrotóxicos e respeitando o
meio ambiente.
• Biodegradáveis e Biocompatíveis
https://www.epocacosmeticos.com.br/projeto-eco/organico
● COSMÉTICOS VEGANOS
• Os cosméticos veganos são aqueles que não
possuem ingredientes de origem animal na
sua composição (leite, cera de abelha,
lanolina, colágeno),
• Nem fazem testes ou qualquer outra prática de
exploração e crueldade contra animais.
● COSMÉTICOS QUE NÃO TESTAM EM
ANIMAIS
● Expressão que vem do inglês e significa "sem
crueldade". Isso significa que não foram feitos
testes em animais na fabricação do produto,
mas não quer dizer que não existem matérias-
primas provenientes de origem animal em sua
composição.
● OS PRODUTOS CONVENCIONAIS –
• Não são passíveis de certificação ambiental, porém
necessitam de regulamentação da Agência Nacional de
Vigilância Sanitária (ANVISA).
• Outra questão que diferencia os cosméticos
convencionais dos outros diz respeito à porcentagem
de ingredientes sintéticos, derivados do petróleo,
testados em animais e geneticamente
modificados presentes no conteúdo do produto.
● COSMÉTICOS NATURAIS
• Cosméticos naturais devem conter no mínimo
5% de ingredientes orgânicos; e 95% de
ingredientes naturais.
• Além de não ter nenhum tipo de aditivo
químico em sua composição, como derivados
de petróleo, propileno, amônia, silicone,
parabeno, entre outros.
• Biodegradáveis e Biocompatíveis
● De acordo com Relatório do Serviço Brasileiro
de Apoio às Micro e Pequenas Empresas
(SEBRAE), os cosméticos naturais não devem
conter aditivos químicos em sua composição.
● Para o Instituto Biodinâmico (IBD) e para
a Ecocert os cosméticos naturais devem
possuir matérias-primas naturais e não podem
conter as matérias-primas proibidas:
https://organis.org.br/associado/ecocert/?gclid=EAIaIQobChMIuMOaoZfw6wIVJoNaBR2SSQM9EAAYASAAEgLlfPD_
BwE
● Para saber se o cosmético é natural, verifique
a ausência dos ingredientes proibidos listados
anteriormente. Se ele apresentar o selo IBD -
Ingredientes Naturais ou o selo ECOCERT, é
mais um fator de confiança de que ele é
realmente um cosmético natural.
• PRODUZIDO DENTRO DE PADRÕES
SUSTENTÁVEIS
 É ecologicamente correto e socialmente justo,
seus resíduos não prejudicam a natureza e o
processo produtivo preocupa-se com as
comunidades envolvidas.
 Contêm óleos essenciais puros e extratos
naturais que possuem propriedades
regenerativas, antioxidantes, antissépticas,
hidratantes, e melhor afinidade com a pele,
https://d.emtempo.com.br/economia/21153
7/venda-de-cosmeticos-cresce-80-durante-
a-pandemia
• De olho no consumidor 3.0 as principais marcas estão
modificando o seu modus operandi. Pensando nisso,
elas estão aderindo a tendência vegana, apostando em
produtos naturais e sem crueldade (“cruelty free”).
• Os consumidores estão cada vez mais sensíveis às
questões ambientais e no bem-estar dos bichos. Além
disso, despontam outros tipos de produtos com essa
pegada ecológica, como: natural, orgânico, entre outros.
● O consumidor 3.0 é qualquer usuário de internet que tenha
algumas características básicas que determinam seu
comportamento em relação ao consumo.
● Hiperconectado, cheio de informação e ciente que pode escolher
o melhor produto, o melhor serviço e o melhor atendimento.
• CRUELTY FREE- livre de crueldade é um rótulo para
produtos ou atividades que não prejudicam ou matam
animais em qualquer lugar do mundo.
• Aplica-se aos produtos de beleza e higiene, que não
são testados em animais. Seu conceito vem sendo
reconhecido cada dia mais. Muitas pessoas buscam
estes produtos, conscientizando-se sobre a evolução
dos cosméticos dentro de laboratórios, sem
necessidade de testá-los em animais.
• A PETA (People for the Ethical Treatment of
Animals), uma das maiores organizações de direitos
dos animais no mundo
https://www.lilianpacce.com.br/e-mais/reciclese/entenda-os-selos-de-certificacao-de-
cosmeticos-veganos/
• 75% dos Millennials já procuram produtos
sustentáveis de beleza. Reds liberou uma pesquisa
sobre o mercado nacional que mostra:
•34% das brasileiras consomem cosméticos naturais,
entre eles maquiagem e produtos para o rosto e
corpo.
•70% das entrevistadas afirmaram ter uma visão
positiva para esse tipo de produto.
https://especialista-pme.com.br/sete-tendencias-do-mundo-dos-
cosmeticos
http://arivegan.com/2018/06/03/nunca-confie-em-selos-veganos-e-cruelty-free-entenda-os-
motivos/
MARCAS QUE USAM SELOS
CRUELTY-FREE MAS ESTÃO
ENVOLVIDAS COM TESTES EM
ANIMAIS:
● Dove:
● Amend:
● Dermage:
● Magic Color:
● D’agua Natural:
● Ruby Rose (usa selo de ONGs sem autorização):
http://arivegan.com/2018/06/03/nunca-confie-em-selos-veganos-e-cruelty-free-entenda-os-motivos/
COSMÉTICOS ECOLOGICAMENTE
CORRETOS
● https://www.grandha.com.br/
● http://papabeauty.com.br/
● https://www.tricologia-abt.com.br/
● https://www.slowbeauty.com.br/
● https://www.useorganico.com.br/
● http://www.belezaverde.com/
● https://idec.org.br/especial/maisorganicos
●
● http://www.surgicalcosmetic.org.br/detalhe-artigo/1/Correlacao-entre-o-efeito-hidratante-da-ureia-
em-diferentes-concentracoes-de-aplicacao--estudo-clinico-e-corneometrico
● https://www.significados.com.br/ureia/
● http://portal.anvisa.gov.br/registros-e-autorizacoes/cosmeticos/produtos/nomenclatura-de-
ingredientes
● http://insumos.com.br/cosmeticos_e_perfumes/artigos/conservantes_n%2044.pdf
● http://www.momentodaestetica.com.br/lista-de-xenobioticos-em-cosmeticos-
diarios/#:~:text=Entre%20os%20principais%20xenobi%C3%B3ticos%20presentes,Diazolinidil%20Ur
ea%2C%20DMDM%20Hydantoin%20e
● https://umavidasemlixo.com/2017/09/ingredientes-toxicos-mais-comuns-em-cosmeticos-para-evitar/

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Farmacotécnica
FarmacotécnicaFarmacotécnica
Farmacotécnica
Julia Martins Ulhoa
 
Cosmetologia
CosmetologiaCosmetologia
Cosmetologia
Marciomimoto
 
Farmacotecnica 03
Farmacotecnica 03Farmacotecnica 03
Farmacotecnica 03
Fernanda Luiza
 
Fotoproteção
FotoproteçãoFotoproteção
Fotoproteção
Larissa Paulo
 
Tecnologia de Comprimidos Revestidos e Drágeas
Tecnologia de Comprimidos Revestidos e DrágeasTecnologia de Comprimidos Revestidos e Drágeas
Tecnologia de Comprimidos Revestidos e Drágeas
Guilherme Becker
 
Cosmetologia da pele II: Envelhecimento Cutâneo
Cosmetologia da pele II: Envelhecimento CutâneoCosmetologia da pele II: Envelhecimento Cutâneo
Cosmetologia da pele II: Envelhecimento Cutâneo
Rodrigo Caixeta
 
Estética- Introdução a cosmetologia
Estética- Introdução a cosmetologiaEstética- Introdução a cosmetologia
Estética- Introdução a cosmetologia
Sueli Mazzero Polizel
 
Cosmetologia - Conceitos gerais.pptx
Cosmetologia - Conceitos gerais.pptxCosmetologia - Conceitos gerais.pptx
Cosmetologia - Conceitos gerais.pptx
RogerMazur1
 
Apostila Farmacotécnica II - Prática 2016
Apostila Farmacotécnica II - Prática 2016Apostila Farmacotécnica II - Prática 2016
Apostila Farmacotécnica II - Prática 2016
Herbert Cristian de Souza
 
Formas farmacêuticas
Formas farmacêuticasFormas farmacêuticas
Formas farmacêuticas
Claudio Luis Venturini
 
Formas farmacêuticas
Formas farmacêuticasFormas farmacêuticas
Formas farmacêuticas
Venturini Cláudio Luís
 
Apresentação desodorantes e antitranspirantes 2016
Apresentação desodorantes e antitranspirantes 2016Apresentação desodorantes e antitranspirantes 2016
Apresentação desodorantes e antitranspirantes 2016
Nemésio Carlos Silva
 
Aula controle de qualidade 1 copia (1)
Aula controle de qualidade 1   copia (1)Aula controle de qualidade 1   copia (1)
Aula controle de qualidade 1 copia (1)
Nemésio Carlos Silva
 
Aula: Câncer de Pele, Protetores Solar e Envelhecimento Cutâneo
Aula: Câncer de Pele, Protetores Solar e Envelhecimento CutâneoAula: Câncer de Pele, Protetores Solar e Envelhecimento Cutâneo
Aula: Câncer de Pele, Protetores Solar e Envelhecimento Cutâneo
Herbert Cristian de Souza
 
Indústria farmacêutica brasileira
Indústria farmacêutica brasileiraIndústria farmacêutica brasileira
Indústria farmacêutica brasileira
Lourdes Martins
 
Formas farmacêuticas
Formas farmacêuticasFormas farmacêuticas
Formas farmacêuticas
Click Farma
 
Aula 1-e-2-de-cosmetologia
Aula 1-e-2-de-cosmetologiaAula 1-e-2-de-cosmetologia
Aula 1-e-2-de-cosmetologia
Romeu Abdala
 
Aula 6 pomadas 2020
Aula 6 pomadas 2020Aula 6 pomadas 2020
Aula 6 pomadas 2020
Nemesio Silva
 
Dermocosmeticos
DermocosmeticosDermocosmeticos
Dermocosmeticos
LariRi
 
Pop encapsulação
Pop   encapsulaçãoPop   encapsulação
Pop encapsulação
Juciê Vasconcelos
 

Mais procurados (20)

Farmacotécnica
FarmacotécnicaFarmacotécnica
Farmacotécnica
 
Cosmetologia
CosmetologiaCosmetologia
Cosmetologia
 
Farmacotecnica 03
Farmacotecnica 03Farmacotecnica 03
Farmacotecnica 03
 
Fotoproteção
FotoproteçãoFotoproteção
Fotoproteção
 
Tecnologia de Comprimidos Revestidos e Drágeas
Tecnologia de Comprimidos Revestidos e DrágeasTecnologia de Comprimidos Revestidos e Drágeas
Tecnologia de Comprimidos Revestidos e Drágeas
 
Cosmetologia da pele II: Envelhecimento Cutâneo
Cosmetologia da pele II: Envelhecimento CutâneoCosmetologia da pele II: Envelhecimento Cutâneo
Cosmetologia da pele II: Envelhecimento Cutâneo
 
Estética- Introdução a cosmetologia
Estética- Introdução a cosmetologiaEstética- Introdução a cosmetologia
Estética- Introdução a cosmetologia
 
Cosmetologia - Conceitos gerais.pptx
Cosmetologia - Conceitos gerais.pptxCosmetologia - Conceitos gerais.pptx
Cosmetologia - Conceitos gerais.pptx
 
Apostila Farmacotécnica II - Prática 2016
Apostila Farmacotécnica II - Prática 2016Apostila Farmacotécnica II - Prática 2016
Apostila Farmacotécnica II - Prática 2016
 
Formas farmacêuticas
Formas farmacêuticasFormas farmacêuticas
Formas farmacêuticas
 
Formas farmacêuticas
Formas farmacêuticasFormas farmacêuticas
Formas farmacêuticas
 
Apresentação desodorantes e antitranspirantes 2016
Apresentação desodorantes e antitranspirantes 2016Apresentação desodorantes e antitranspirantes 2016
Apresentação desodorantes e antitranspirantes 2016
 
Aula controle de qualidade 1 copia (1)
Aula controle de qualidade 1   copia (1)Aula controle de qualidade 1   copia (1)
Aula controle de qualidade 1 copia (1)
 
Aula: Câncer de Pele, Protetores Solar e Envelhecimento Cutâneo
Aula: Câncer de Pele, Protetores Solar e Envelhecimento CutâneoAula: Câncer de Pele, Protetores Solar e Envelhecimento Cutâneo
Aula: Câncer de Pele, Protetores Solar e Envelhecimento Cutâneo
 
Indústria farmacêutica brasileira
Indústria farmacêutica brasileiraIndústria farmacêutica brasileira
Indústria farmacêutica brasileira
 
Formas farmacêuticas
Formas farmacêuticasFormas farmacêuticas
Formas farmacêuticas
 
Aula 1-e-2-de-cosmetologia
Aula 1-e-2-de-cosmetologiaAula 1-e-2-de-cosmetologia
Aula 1-e-2-de-cosmetologia
 
Aula 6 pomadas 2020
Aula 6 pomadas 2020Aula 6 pomadas 2020
Aula 6 pomadas 2020
 
Dermocosmeticos
DermocosmeticosDermocosmeticos
Dermocosmeticos
 
Pop encapsulação
Pop   encapsulaçãoPop   encapsulação
Pop encapsulação
 

Semelhante a Cosmeticos livres dos_xenobioticos

apresentação de seminario de saponinas - farmacognosia i
apresentação de seminario de saponinas - farmacognosia iapresentação de seminario de saponinas - farmacognosia i
apresentação de seminario de saponinas - farmacognosia i
AndreAlvesdosSantos1
 
9 leão, p.v.s - desenvolvimento e análise físico-química da planta citronel...
9   leão, p.v.s - desenvolvimento e análise físico-química da planta citronel...9   leão, p.v.s - desenvolvimento e análise físico-química da planta citronel...
9 leão, p.v.s - desenvolvimento e análise físico-química da planta citronel...
Patricia Virna
 
Cópia de fun es_org_nicas
Cópia de fun  es_org_nicasCópia de fun  es_org_nicas
Cópia de fun es_org_nicas
cejlrodrigues
 
Cópia de fun es_org_nicas
Cópia de fun  es_org_nicasCópia de fun  es_org_nicas
Cópia de fun es_org_nicas
cejlrodrigues
 
Solventes
Solventes Solventes
Solventes
Anabel Aguiar
 
Seminário de poluição
Seminário de poluiçãoSeminário de poluição
Seminário de poluição
Danielly Garcia
 
Comprimidos 2006
Comprimidos 2006Comprimidos 2006
Comprimidos 2006
Ranielha Lima
 
Toxicidade de cosméticos na gestação
Toxicidade de cosméticos na gestaçãoToxicidade de cosméticos na gestação
Toxicidade de cosméticos na gestação
ICosmetologia Educacional
 
Glifosato como desregulador endócrino
Glifosato  como desregulador endócrinoGlifosato  como desregulador endócrino
Glifosato como desregulador endócrino
João Siqueira da Mata
 
Glifosato como desregulador endócrino
Glifosato  como desregulador endócrinoGlifosato  como desregulador endócrino
Glifosato como desregulador endócrino
João Siqueira da Mata
 
QuíM. De Alim. I Aditivos QuíMicos
QuíM. De Alim. I   Aditivos QuíMicosQuíM. De Alim. I   Aditivos QuíMicos
QuíM. De Alim. I Aditivos QuíMicos
Ricardo Stefani
 
Haloperidol
HaloperidolHaloperidol
Haloperidol
Denise Selegato
 
Cosmetologia - Buona Vita Cosméticos
Cosmetologia - Buona Vita CosméticosCosmetologia - Buona Vita Cosméticos
Cosmetologia - Buona Vita Cosméticos
Buona Vita
 
Cartilha sobre agrotóxicos
Cartilha sobre agrotóxicosCartilha sobre agrotóxicos
Cartilha sobre agrotóxicos
Gabriel Pinto
 
Anvisa cartilha
Anvisa cartilhaAnvisa cartilha
Anvisa cartilha
Lenildo Araujo
 
Desvendando a química dos cosméticos: quais os ingredientes que realmente faz...
Desvendando a química dos cosméticos: quais os ingredientes que realmente faz...Desvendando a química dos cosméticos: quais os ingredientes que realmente faz...
Desvendando a química dos cosméticos: quais os ingredientes que realmente faz...
Cleber Barros
 
Conservantes em cosméticos
Conservantes em cosméticosConservantes em cosméticos
Conservantes em cosméticos
Jean Carlos
 
Apresentação Inseticidas - Inibidores da Respiração Celular e Neonicotinóides...
Apresentação Inseticidas - Inibidores da Respiração Celular e Neonicotinóides...Apresentação Inseticidas - Inibidores da Respiração Celular e Neonicotinóides...
Apresentação Inseticidas - Inibidores da Respiração Celular e Neonicotinóides...
GETA - UFG
 
A 5 esterilização e desinfecção
A 5 esterilização e desinfecçãoA 5 esterilização e desinfecção
A 5 esterilização e desinfecção
Rômulo S. Dias
 
6 solventes
6 solventes6 solventes
6 solventes
Nilton Goulart
 

Semelhante a Cosmeticos livres dos_xenobioticos (20)

apresentação de seminario de saponinas - farmacognosia i
apresentação de seminario de saponinas - farmacognosia iapresentação de seminario de saponinas - farmacognosia i
apresentação de seminario de saponinas - farmacognosia i
 
9 leão, p.v.s - desenvolvimento e análise físico-química da planta citronel...
9   leão, p.v.s - desenvolvimento e análise físico-química da planta citronel...9   leão, p.v.s - desenvolvimento e análise físico-química da planta citronel...
9 leão, p.v.s - desenvolvimento e análise físico-química da planta citronel...
 
Cópia de fun es_org_nicas
Cópia de fun  es_org_nicasCópia de fun  es_org_nicas
Cópia de fun es_org_nicas
 
Cópia de fun es_org_nicas
Cópia de fun  es_org_nicasCópia de fun  es_org_nicas
Cópia de fun es_org_nicas
 
Solventes
Solventes Solventes
Solventes
 
Seminário de poluição
Seminário de poluiçãoSeminário de poluição
Seminário de poluição
 
Comprimidos 2006
Comprimidos 2006Comprimidos 2006
Comprimidos 2006
 
Toxicidade de cosméticos na gestação
Toxicidade de cosméticos na gestaçãoToxicidade de cosméticos na gestação
Toxicidade de cosméticos na gestação
 
Glifosato como desregulador endócrino
Glifosato  como desregulador endócrinoGlifosato  como desregulador endócrino
Glifosato como desregulador endócrino
 
Glifosato como desregulador endócrino
Glifosato  como desregulador endócrinoGlifosato  como desregulador endócrino
Glifosato como desregulador endócrino
 
QuíM. De Alim. I Aditivos QuíMicos
QuíM. De Alim. I   Aditivos QuíMicosQuíM. De Alim. I   Aditivos QuíMicos
QuíM. De Alim. I Aditivos QuíMicos
 
Haloperidol
HaloperidolHaloperidol
Haloperidol
 
Cosmetologia - Buona Vita Cosméticos
Cosmetologia - Buona Vita CosméticosCosmetologia - Buona Vita Cosméticos
Cosmetologia - Buona Vita Cosméticos
 
Cartilha sobre agrotóxicos
Cartilha sobre agrotóxicosCartilha sobre agrotóxicos
Cartilha sobre agrotóxicos
 
Anvisa cartilha
Anvisa cartilhaAnvisa cartilha
Anvisa cartilha
 
Desvendando a química dos cosméticos: quais os ingredientes que realmente faz...
Desvendando a química dos cosméticos: quais os ingredientes que realmente faz...Desvendando a química dos cosméticos: quais os ingredientes que realmente faz...
Desvendando a química dos cosméticos: quais os ingredientes que realmente faz...
 
Conservantes em cosméticos
Conservantes em cosméticosConservantes em cosméticos
Conservantes em cosméticos
 
Apresentação Inseticidas - Inibidores da Respiração Celular e Neonicotinóides...
Apresentação Inseticidas - Inibidores da Respiração Celular e Neonicotinóides...Apresentação Inseticidas - Inibidores da Respiração Celular e Neonicotinóides...
Apresentação Inseticidas - Inibidores da Respiração Celular e Neonicotinóides...
 
A 5 esterilização e desinfecção
A 5 esterilização e desinfecçãoA 5 esterilização e desinfecção
A 5 esterilização e desinfecção
 
6 solventes
6 solventes6 solventes
6 solventes
 

Mais de MARIA ELIZABETE DE LIMA MONTEIRO

Elizabete monteiro estética e micropigmentação
Elizabete monteiro estética e micropigmentaçãoElizabete monteiro estética e micropigmentação
Elizabete monteiro estética e micropigmentação
MARIA ELIZABETE DE LIMA MONTEIRO
 
MANUAL DE CONTROLE NOS PROCESSOS DE ESTERILIZAÇÃO- MODELO
MANUAL DE CONTROLE NOS PROCESSOS DE ESTERILIZAÇÃO- MODELOMANUAL DE CONTROLE NOS PROCESSOS DE ESTERILIZAÇÃO- MODELO
MANUAL DE CONTROLE NOS PROCESSOS DE ESTERILIZAÇÃO- MODELO
MARIA ELIZABETE DE LIMA MONTEIRO
 
PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO
PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃOPROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO
PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO
MARIA ELIZABETE DE LIMA MONTEIRO
 
Ementas II
Ementas IIEmentas II
Curso de Podologia Ementas I
Curso de Podologia Ementas ICurso de Podologia Ementas I
Curso de Podologia Ementas I
MARIA ELIZABETE DE LIMA MONTEIRO
 
Profilaxia Podal
Profilaxia PodalProfilaxia Podal
Manicure e Pedicure; SENAC-PB: Projeto da planta Física da Esmalteria Bellas...
 Manicure e Pedicure; SENAC-PB: Projeto da planta Física da Esmalteria Bellas... Manicure e Pedicure; SENAC-PB: Projeto da planta Física da Esmalteria Bellas...
Manicure e Pedicure; SENAC-PB: Projeto da planta Física da Esmalteria Bellas...
MARIA ELIZABETE DE LIMA MONTEIRO
 
MANICURE E PEDICURE: PROJETO - PLANO DE NEGÓCIO E PLANTA FÍSICA
MANICURE E PEDICURE: PROJETO - PLANO DE NEGÓCIO E PLANTA FÍSICAMANICURE E PEDICURE: PROJETO - PLANO DE NEGÓCIO E PLANTA FÍSICA
MANICURE E PEDICURE: PROJETO - PLANO DE NEGÓCIO E PLANTA FÍSICA
MARIA ELIZABETE DE LIMA MONTEIRO
 
PODOLOGIA FINALIZAÇÃO PAULISTA CURSOS-PARAÍBA 2016.1
PODOLOGIA FINALIZAÇÃO PAULISTA CURSOS-PARAÍBA 2016.1PODOLOGIA FINALIZAÇÃO PAULISTA CURSOS-PARAÍBA 2016.1
PODOLOGIA FINALIZAÇÃO PAULISTA CURSOS-PARAÍBA 2016.1
MARIA ELIZABETE DE LIMA MONTEIRO
 
DESIGNER DE SOBRANCELHA
DESIGNER DE SOBRANCELHA DESIGNER DE SOBRANCELHA
DESIGNER DE SOBRANCELHA
MARIA ELIZABETE DE LIMA MONTEIRO
 
ESTRUTURA DA LÂMINA UNGUEAL
ESTRUTURA DA LÂMINA UNGUEALESTRUTURA DA LÂMINA UNGUEAL
ESTRUTURA DA LÂMINA UNGUEAL
MARIA ELIZABETE DE LIMA MONTEIRO
 
ELETROTERAPIA NA PODOLOGIA
ELETROTERAPIA NA PODOLOGIAELETROTERAPIA NA PODOLOGIA
ELETROTERAPIA NA PODOLOGIA
MARIA ELIZABETE DE LIMA MONTEIRO
 
FISSURA PLANTAR E FORMAS DE TRATAMENTO
FISSURA PLANTAR E FORMAS DE TRATAMENTOFISSURA PLANTAR E FORMAS DE TRATAMENTO
FISSURA PLANTAR E FORMAS DE TRATAMENTO
MARIA ELIZABETE DE LIMA MONTEIRO
 
Biossegurança na Podologia
Biossegurança na PodologiaBiossegurança na Podologia
Biossegurança na Podologia
MARIA ELIZABETE DE LIMA MONTEIRO
 
PÉS DIABÉTICOS
PÉS DIABÉTICOSPÉS DIABÉTICOS
História da podologia
História da podologiaHistória da podologia
História da podologia
MARIA ELIZABETE DE LIMA MONTEIRO
 
FISSURA PLANTAR E O USO DE DERMOCOSMÉTICOS COMO FORMA DE TRATAMENTO
FISSURA PLANTAR E O USO DE DERMOCOSMÉTICOS COMO FORMA DE TRATAMENTOFISSURA PLANTAR E O USO DE DERMOCOSMÉTICOS COMO FORMA DE TRATAMENTO
FISSURA PLANTAR E O USO DE DERMOCOSMÉTICOS COMO FORMA DE TRATAMENTO
MARIA ELIZABETE DE LIMA MONTEIRO
 
PODOLOGIA COSMÉTICA
PODOLOGIA COSMÉTICAPODOLOGIA COSMÉTICA
PODOLOGIA COSMÉTICA
MARIA ELIZABETE DE LIMA MONTEIRO
 
BIOSSEGURANÇA NA ESTÉTICA
BIOSSEGURANÇA NA ESTÉTICABIOSSEGURANÇA NA ESTÉTICA
BIOSSEGURANÇA NA ESTÉTICA
MARIA ELIZABETE DE LIMA MONTEIRO
 

Mais de MARIA ELIZABETE DE LIMA MONTEIRO (19)

Elizabete monteiro estética e micropigmentação
Elizabete monteiro estética e micropigmentaçãoElizabete monteiro estética e micropigmentação
Elizabete monteiro estética e micropigmentação
 
MANUAL DE CONTROLE NOS PROCESSOS DE ESTERILIZAÇÃO- MODELO
MANUAL DE CONTROLE NOS PROCESSOS DE ESTERILIZAÇÃO- MODELOMANUAL DE CONTROLE NOS PROCESSOS DE ESTERILIZAÇÃO- MODELO
MANUAL DE CONTROLE NOS PROCESSOS DE ESTERILIZAÇÃO- MODELO
 
PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO
PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃOPROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO
PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO
 
Ementas II
Ementas IIEmentas II
Ementas II
 
Curso de Podologia Ementas I
Curso de Podologia Ementas ICurso de Podologia Ementas I
Curso de Podologia Ementas I
 
Profilaxia Podal
Profilaxia PodalProfilaxia Podal
Profilaxia Podal
 
Manicure e Pedicure; SENAC-PB: Projeto da planta Física da Esmalteria Bellas...
 Manicure e Pedicure; SENAC-PB: Projeto da planta Física da Esmalteria Bellas... Manicure e Pedicure; SENAC-PB: Projeto da planta Física da Esmalteria Bellas...
Manicure e Pedicure; SENAC-PB: Projeto da planta Física da Esmalteria Bellas...
 
MANICURE E PEDICURE: PROJETO - PLANO DE NEGÓCIO E PLANTA FÍSICA
MANICURE E PEDICURE: PROJETO - PLANO DE NEGÓCIO E PLANTA FÍSICAMANICURE E PEDICURE: PROJETO - PLANO DE NEGÓCIO E PLANTA FÍSICA
MANICURE E PEDICURE: PROJETO - PLANO DE NEGÓCIO E PLANTA FÍSICA
 
PODOLOGIA FINALIZAÇÃO PAULISTA CURSOS-PARAÍBA 2016.1
PODOLOGIA FINALIZAÇÃO PAULISTA CURSOS-PARAÍBA 2016.1PODOLOGIA FINALIZAÇÃO PAULISTA CURSOS-PARAÍBA 2016.1
PODOLOGIA FINALIZAÇÃO PAULISTA CURSOS-PARAÍBA 2016.1
 
DESIGNER DE SOBRANCELHA
DESIGNER DE SOBRANCELHA DESIGNER DE SOBRANCELHA
DESIGNER DE SOBRANCELHA
 
ESTRUTURA DA LÂMINA UNGUEAL
ESTRUTURA DA LÂMINA UNGUEALESTRUTURA DA LÂMINA UNGUEAL
ESTRUTURA DA LÂMINA UNGUEAL
 
ELETROTERAPIA NA PODOLOGIA
ELETROTERAPIA NA PODOLOGIAELETROTERAPIA NA PODOLOGIA
ELETROTERAPIA NA PODOLOGIA
 
FISSURA PLANTAR E FORMAS DE TRATAMENTO
FISSURA PLANTAR E FORMAS DE TRATAMENTOFISSURA PLANTAR E FORMAS DE TRATAMENTO
FISSURA PLANTAR E FORMAS DE TRATAMENTO
 
Biossegurança na Podologia
Biossegurança na PodologiaBiossegurança na Podologia
Biossegurança na Podologia
 
PÉS DIABÉTICOS
PÉS DIABÉTICOSPÉS DIABÉTICOS
PÉS DIABÉTICOS
 
História da podologia
História da podologiaHistória da podologia
História da podologia
 
FISSURA PLANTAR E O USO DE DERMOCOSMÉTICOS COMO FORMA DE TRATAMENTO
FISSURA PLANTAR E O USO DE DERMOCOSMÉTICOS COMO FORMA DE TRATAMENTOFISSURA PLANTAR E O USO DE DERMOCOSMÉTICOS COMO FORMA DE TRATAMENTO
FISSURA PLANTAR E O USO DE DERMOCOSMÉTICOS COMO FORMA DE TRATAMENTO
 
PODOLOGIA COSMÉTICA
PODOLOGIA COSMÉTICAPODOLOGIA COSMÉTICA
PODOLOGIA COSMÉTICA
 
BIOSSEGURANÇA NA ESTÉTICA
BIOSSEGURANÇA NA ESTÉTICABIOSSEGURANÇA NA ESTÉTICA
BIOSSEGURANÇA NA ESTÉTICA
 

Último

Bioquímica [Salvo automaticamente] [Salvo automaticamente].pptx
Bioquímica [Salvo automaticamente] [Salvo automaticamente].pptxBioquímica [Salvo automaticamente] [Salvo automaticamente].pptx
Bioquímica [Salvo automaticamente] [Salvo automaticamente].pptx
BeatrizLittig1
 
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
jhordana1
 
MICROBIOLOGIA E PARASITOLOGIA na Enfermagem
MICROBIOLOGIA E PARASITOLOGIA na EnfermagemMICROBIOLOGIA E PARASITOLOGIA na Enfermagem
MICROBIOLOGIA E PARASITOLOGIA na Enfermagem
sidneyjmg
 
Historia de FLORENCE NIGHTINGALE na enfermagem
Historia de FLORENCE NIGHTINGALE na enfermagemHistoria de FLORENCE NIGHTINGALE na enfermagem
Historia de FLORENCE NIGHTINGALE na enfermagem
sidneyjmg
 
AULA BANHO NO LEITO DE ENFERMAGEM...pptx
AULA BANHO NO LEITO DE ENFERMAGEM...pptxAULA BANHO NO LEITO DE ENFERMAGEM...pptx
AULA BANHO NO LEITO DE ENFERMAGEM...pptx
DiegoFernandes857616
 
643727227-7233-Afetvidade-e-sexualidade-das-pessoas-com-deficie-ncia-mental.pptx
643727227-7233-Afetvidade-e-sexualidade-das-pessoas-com-deficie-ncia-mental.pptx643727227-7233-Afetvidade-e-sexualidade-das-pessoas-com-deficie-ncia-mental.pptx
643727227-7233-Afetvidade-e-sexualidade-das-pessoas-com-deficie-ncia-mental.pptx
SusanaMatos22
 
Principios do treinamento desportivo. Ed Física
Principios do treinamento desportivo. Ed FísicaPrincipios do treinamento desportivo. Ed Física
Principios do treinamento desportivo. Ed Física
AllanNovais4
 
Teoria de enfermagem de Callista Roy.pdf
Teoria de enfermagem de Callista Roy.pdfTeoria de enfermagem de Callista Roy.pdf
Teoria de enfermagem de Callista Roy.pdf
jhordana1
 
higienização de espaços e equipamentos
higienização de    espaços e equipamentoshigienização de    espaços e equipamentos
higienização de espaços e equipamentos
Manuel Pacheco Vieira
 
Pompoarismo - uma abordagem para a saúde
Pompoarismo - uma abordagem para a saúdePompoarismo - uma abordagem para a saúde
Pompoarismo - uma abordagem para a saúde
FernandaCastro768379
 
Cartilha Digital exercícios para OMBRO.pdf
Cartilha Digital exercícios para OMBRO.pdfCartilha Digital exercícios para OMBRO.pdf
Cartilha Digital exercícios para OMBRO.pdf
Camila Lorranna
 
doenças transmitidas pelas arboviroses ARBOVIROSES - GALGON.pptx
doenças transmitidas pelas arboviroses ARBOVIROSES - GALGON.pptxdoenças transmitidas pelas arboviroses ARBOVIROSES - GALGON.pptx
doenças transmitidas pelas arboviroses ARBOVIROSES - GALGON.pptx
ccursog
 

Último (12)

Bioquímica [Salvo automaticamente] [Salvo automaticamente].pptx
Bioquímica [Salvo automaticamente] [Salvo automaticamente].pptxBioquímica [Salvo automaticamente] [Salvo automaticamente].pptx
Bioquímica [Salvo automaticamente] [Salvo automaticamente].pptx
 
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
 
MICROBIOLOGIA E PARASITOLOGIA na Enfermagem
MICROBIOLOGIA E PARASITOLOGIA na EnfermagemMICROBIOLOGIA E PARASITOLOGIA na Enfermagem
MICROBIOLOGIA E PARASITOLOGIA na Enfermagem
 
Historia de FLORENCE NIGHTINGALE na enfermagem
Historia de FLORENCE NIGHTINGALE na enfermagemHistoria de FLORENCE NIGHTINGALE na enfermagem
Historia de FLORENCE NIGHTINGALE na enfermagem
 
AULA BANHO NO LEITO DE ENFERMAGEM...pptx
AULA BANHO NO LEITO DE ENFERMAGEM...pptxAULA BANHO NO LEITO DE ENFERMAGEM...pptx
AULA BANHO NO LEITO DE ENFERMAGEM...pptx
 
643727227-7233-Afetvidade-e-sexualidade-das-pessoas-com-deficie-ncia-mental.pptx
643727227-7233-Afetvidade-e-sexualidade-das-pessoas-com-deficie-ncia-mental.pptx643727227-7233-Afetvidade-e-sexualidade-das-pessoas-com-deficie-ncia-mental.pptx
643727227-7233-Afetvidade-e-sexualidade-das-pessoas-com-deficie-ncia-mental.pptx
 
Principios do treinamento desportivo. Ed Física
Principios do treinamento desportivo. Ed FísicaPrincipios do treinamento desportivo. Ed Física
Principios do treinamento desportivo. Ed Física
 
Teoria de enfermagem de Callista Roy.pdf
Teoria de enfermagem de Callista Roy.pdfTeoria de enfermagem de Callista Roy.pdf
Teoria de enfermagem de Callista Roy.pdf
 
higienização de espaços e equipamentos
higienização de    espaços e equipamentoshigienização de    espaços e equipamentos
higienização de espaços e equipamentos
 
Pompoarismo - uma abordagem para a saúde
Pompoarismo - uma abordagem para a saúdePompoarismo - uma abordagem para a saúde
Pompoarismo - uma abordagem para a saúde
 
Cartilha Digital exercícios para OMBRO.pdf
Cartilha Digital exercícios para OMBRO.pdfCartilha Digital exercícios para OMBRO.pdf
Cartilha Digital exercícios para OMBRO.pdf
 
doenças transmitidas pelas arboviroses ARBOVIROSES - GALGON.pptx
doenças transmitidas pelas arboviroses ARBOVIROSES - GALGON.pptxdoenças transmitidas pelas arboviroses ARBOVIROSES - GALGON.pptx
doenças transmitidas pelas arboviroses ARBOVIROSES - GALGON.pptx
 

Cosmeticos livres dos_xenobioticos

  • 1. ESTÉTICA INTEGRADA E HUMANIZADA Revolução na Indústria dos Dermocosméticos Prof.ª Esp. Elizabete Monteiro
  • 2. ● O sabonete, ● O xampu, ● O condicionador, ● A pasta de dente, ● O perfume, ● O hidratante corporal, ● O desodorante, ● O hidratante facial, ● O filtro solar, ● O esfoliante ou óleo de banho, ● Maquiagem diversa. O SER HUMANO USA POR DIA EM MÉDIA MAIS DE 7 PRODUTOS COSMÉTICOS ● SERÁ QUE TODOS ESSES COSMÉTICOS FAZEM BEM PRA SAÚDE?
  • 4. ● Segundo estudos do Instituto Brasileiro de Nutrição Funcional - IBNF, temos contato constante com mais 40 mil compostos tóxicos, como hormônios, substâncias alergênicas, agrotóxicos, aditivos alimentares, medicamentos, drogas, álcool, metais tóxicos, poluentes do ar, substâncias migrantes de embalagens e produtos de beleza. ● A longo prazo, a exposição a essas toxinas, mesmo que em pequenas quantidades, está associada a uma série de efeitos na saúde, como disfunções do sistema endócrino e reprodutivo, doenças autoimunes e distúrbios comportamentais.
  • 5. ● Xenobióticos ● do grego “xeno = estranho” e “bio = vida”, são todas as substâncias “estranhas à vida”, ou seja, ao organismo, e que apresentam algum malefício, como toxicidade. ● Geralmente são substâncias químicas, advindas do ambiente externo, porém substâncias orgânicas também podem ser consideradas xenobióticos se estiverem em quantidade excessiva no corpo, tornando-se prejudiciais. XENOBIÓTICOS http://www.rc.unesp.br/ib/ceis/mundoleveduras/2014/Xenobioticos%20e%20microbiota.pdf
  • 6. ● Plásticos- BPA-BISFENOL A; ● Inseticidas; ● Produtos de limpeza; ● Pesticidas; ● Fármacos- antibióticos; ● Alimentos; ● Poluentes- DIOXINAS E PCBS; ● Até compostos encontrados na própria natureza, como algumas categorias de vegetais e fungos. XENOBIÓTICOS
  • 7. ● Óleo mineral (paraffinum liquidum, paraffin, petrolatum); ● Os conservantes parabenos (propylparaben, methylparaben, ethylparaben, butylparaben, isobutylparaben), ● Conservantes liberadores de formol (quarteniu m, diazolinidil urea, DMDM hydantoin e imidazolidinyl urea) ● Propilenoglicol (propylene glycol), bem como os produtos que utilizem embalagens produzidas a base de componentes como o bisfenol A (bisphenol A). PRINCIPAIS XENOBIÓTICOS PRESENTES NA COSMETOLOGIA
  • 8. ● Produtos e agentes químicos capazes de exercer atividade endócrina; ● Substâncias exógenas que provocam a quebra da homeostase do organismo, durante o desenvolvimento e diferenciação celular; ● Pesquisas na União Européia mostram que os disruptores endócrinos tem a capacidade de danificar diretamente um órgão endócrino, alterando sua função, também podem reagir com receptores hormonais ou gerar alteração no metabolismo de um hormônio em um órgão endocrino. DISRUPTORES ENDÓCRINOS (DE)
  • 9. ● Hipófise , glândulas supra-renais, tireóide, para-tireóides, pâncreas, ovários e testículos, ÓRGÃOS ENDÓCRINOS
  • 10. ● Fenóis, ● Bisfenol-A, ● Ftalatos, ● Parabenos, ● Triclosan ● Benzofenona-3. PRINCIPAIS (DE) Presentes em formulação cosmética e nas embalagens.
  • 11. ● Em uma investigação realizada em 2015 foram registradas a presença de ftalatos, parabenos e benzofenona-3 na urina de adultos e crianças e nos adultos a utilização de produtos cosméticos de uso domiciliar foram associados com a presença de conservantes parabenos. Esses resultados evidenciam que o uso de cosméticos é uma fonte de exposição aos disruptores endócrinos. PRINCIPAIS (DE)
  • 12. ● Ação comedogênica (obstrui os óstios), e por isso, pode favorecer o aparecimento de comedões e até mesmo pústulas, além de interferir nos mecanismos de hidratação natural da pele, podendo colaborar para o envelhecimento precoce. ● O óleo mineral pode ainda, causar alergias em algumas pessoas. DERIVADOS DO PETRÓLEO ● (Petróleo), Petroleum Jelly (Óleo de Vaselina), Petrolatum (Petr olato), Mineral oil (Óleo Mineral), Mineral Jelly (Geleia Mineral), Liquid Paraffin (Parafina Líquida). Composição; Mistura complexa de hidrocarbonetos parafínicos e Naftênicos.
  • 13. ● Agentes potencializadores de causar alergia de contato e sensibilização; ● Pode contribuir para o aparecimento de câncer induzido pela radiação ultravioleta do sol. CONSERVANTES- FORMOL ● Quatérnium -15, ● Diazolidinilurea, ● Imidazolidinilurea, ● DMDM Hidantoin.
  • 14. ● Após metabolizado, estudos mostram evidencias na urina e mama; ● após o uso de 8 produtos cosméticos contendo essa substância, 6 apresentaram atividade estrogênica, ou seja, se comporta no organismo como se fosse o próprio estrogênio, que está ligado a problemas hormonais que podem levar a alterações no ciclo menstrual, infertilidade, nos ovários, início da puberdade e ainda interferir no desenvolvimento de alterações inestéticas como hipercromias, FEG e acne. CONSERVANTES- PARABENOS ● Parabens, ● Methylparaben, ● Ethylparaben, ● Propylparaben e ● Butylparaben..
  • 15. ● Diluente de outras substâncias, sendo muito usado em uma ampla variedade de cosméticos; ● Desencadea nas pessoas, alergias e irritações e dermatites. PROPILENOGLICOL ● Propyleneglycol
  • 16. ● Os ftalatos são uma classe de substâncias capazes de conferir maleabilidade a plásticos rígidos, além disso, são os responsáveis pela fixação da cor de esmaltes e permitem que os perfumes se fixem na pele e durem mais tempo; ● Em formulações cosméticas, eles conferem brilho ao produto, ● Embalagens para alimentos, copos plásticos, tubos de PVC, brinquedos para crianças, em materiais de construção, móveis, roupas, sempre com o propósito de tornar o policloreto de vinila (PVC) flexível ou plastificado. Também são utilizados como aditivos em tintas, inseticidas e produtos farmacêuticos e de uso pessoal. FTALATO ● FTALATOS Dimetil Ftalato (DMP) Dietil Ftalato (DEP) Di- iso-butil Ftalato (DIBP) Di-n-butil Ftalato (DBP) Butilbenzil Ftalato (BBP) Dicicloexilo Ftalato (DCHP) Di-(2-etil-exil) Ftalato (DEHP) Di-n-octil Ftalato (DOP) Di-isooctil Ftalato (DIOP) Di-iso- nonil Ftalato (DINP) Di-iso-decil Ftalato (DIDP).
  • 17. ● Triclosan é um bactericida efetivo contra uma ampla gama de bactérias gram-positivas e gram-negativas, bem como fungos e bolores. ● Está presente em antitranspirantes, sabonetes, detergentes, produtos para barbear, higienizadores de mãos, cremes e produtos de limpeza doméstica. ● Possui alta permeabilidade e é irritante para a pele e os olhos, tem efeito xenoestrógeno no organismo e também é tóxico para organismos aquáticos, gerando impacto ambiental quando é despejado “pelo ralo” TRICLOSAN ● Triclosan (TSC) ● Triclocarban (TCC).
  • 18. ● A uréia é uma ubstância produzida no fígado a partir da amônia, resultante do metabolismo das proteínas, sendo eliminada através da urina. ● Quimicamente é classificada como amida; ● É um composto quaternário, constituído por nitrogênio, oxigênio, carbono e hidrogênio, de cor branca, cristalino, de sabor amargo e solúvel em água e álcool. ● Em laboratório é Produzida pela reação química da alantoína e do formaldeído na presença de solução de hidróxido de sódio e calor. A mistura de reação é então neutralizada com ácido clorídrico e evaporada UREIA- como conservante ● Diazolinidil urea, imidazolidinyl urea
  • 19. ● Silicones usados em cosméticos para suavizar, alisar o toque, normalmente em hidratantes pra pele e cabelo. ● Podem interferir nas funções hormonais e causar danos ao fígado. Nocivos a peixes e outros animais e plantas selvagens. SILICONES ● Siloxanes (Siloxanos): Cyclotet rasiloxane, cyclopentasiloxane, cyclohexasyloxane e Cyclomet hicone (Ciclometicone)
  • 20. ● Em produtos que formam espuma como xampus, sabonetes líquidos, espumas para banho. Ressecam a pele e podem causar alergias e dermatites. ● SLES pode estar contaminado por 1,4- Dioxane (1,4-Dioxano), que pode causar câncer. ● SLS pode causar danos ao fígado. Nocivos a peixes e outros animais e plantas selvagens.. SULFATOS ● Sodium Laureth Sulphate (SLES, Lauril Éter Sulfato de Sódio) e Sodium Lauryl Sulphate (SLS, Lauril Sulfato de Sódio)
  • 21. ● Usado como plastificante em alguns produtos pra unhas. ● Tóxico para o sistema reprodutivo e pode interferir no funcionamento hormonal. ● Nocivo a peixes e outros animais e plantas selvagens. DBP- Dibutilftalato ● Dibuthyl Phthalate
  • 22. ● Usado em cosméticos com alta pigmentação como fixador ou corante como tintas de cabelo e batom. Neurotoxina, cancerígeno e cumulativo no corpo, podendo causar intoxicação. CHUMBO ● (Lead acetate ou lead)
  • 23. ● Em tinturas para cabelo e por cores identificadas como “C.I.” e seguidas por cinco dígitos em outros produtos**. Potenciais causadores câncer e podem estar contaminados por metais pesados. Coal tar dyes (corantes de alcatrão de hulha) ● P-Phenylenediamine ● (P-Fenilenodiamina) Pigmentos naturais e inorgânicos usados em cosméticos também usam o Color Index (CI) com números entre 75000 e 77000, respectivamente.
  • 24. ● Usado principalmente em hidratantes e maquiagens como conservadores. Suspeitos de causar câncer (BHA) e interferir no funcionamento hormonal. Nocivos a peixes e outros animais e plantas selvagens. BHA e BHT ● Butylated Hydroxyanisole, Butil-hidroxianisol) e (Butylated Hydroxytoluene, Butil-hidroxitolueno
  • 25. APLICATIVOS PARA LEITURA DE RÓTULOS DE COSMÉTICOS •Ingred. •Desrolutando. •Think Dirty – Shop Clean.
  • 26. ● O organismo humano neutraliza e excreta os xenobióticos. ● O fígado neutraliza e as principais vias de excreção são a urina, as fezes, a respiração e o suor. XENOBIÓTICOS IMPORTÂNCIA DA ELIMINAÇÃO http://www.rc.unesp.br/ib/ceis/mundoleveduras/2014/Xenobioticos%20e%20microbiota.pdf
  • 27. ● O metabolismo de xenobióticos é efetuado por enzimas hepáticas em diversos passos: ● o xenobiótico é inicialmente ativado por oxidação, redução, hidrólise ou hidratação; ● É então conjugado a moléculas como sulfato, glucuronato ou glutationa, sendo posteriormente excretado na bílis ou urina. XENOBIÓTICOS IMPORTÂNCIA DA ELIMINAÇÃO
  • 28. ● Alguns xenobióticos são resistentes à degradação. ● Incluem-se neste tipo de xenobióticos substâncias como organoclorados sintéticos (como plásticos e pesticidas), ou composto orgânicos naturais (como hidrocarbonetos poliaromáticos) e compostos fazendo parte de crude ou carvão. ● Diversos xenobióticos são, no entanto, possíveis de degradar por microrganismos presentes no solo. https://pt.wikipedia.org/wiki/Xenobi%C3%B3tico XENOBIÓTICOS IMPORTÂNCIA DA ELIMINAÇÃO
  • 29. ● A modificação química anterior à excreção torna o xenobiótico hidrossolúvel. ● O grupo de enzimas do citocromo P450 é um dos envolvidos na desintoxicação de xenobióticos no fígado. ● Enzimas envolvidas neste metabolismo são importantes para a indústria farmacêutica por serem responsáveis pela degradação de medicamentos. XENOBIÓTICOS IMPORTÂNCIA DA ELIMINAÇÃO
  • 30. ● Dada a crescente exposição a compostos químicos, principalmente de origem industrial, muitas vezes essa função biológica não é suficiente. ● Isso favorece danos às funções corporais e o consequente surgimento de patologias. XENOBIÓTICOS IMPORTÂNCIA DA ELIMINAÇÃO
  • 31. ● Essa dificuldade se torna ainda mais grave quando os compostos são lipofílicos, ou seja, são mais solúveis em lipídios, já que a bioacumulação se dá principalmente nos tecidos gordurosos, dificultando ainda mais sua excreção. XENOBIÓTICOS IMPORTÂNCIA DA ELIMINAÇÃO
  • 32. ● Trabalhadores de indústrias; ● Residentes de grandes cidades; ● Usuários recorrentes de fármacos; ● Consumidores de muitos alimentos industrializados; ● Usuários de cosméticos; ● Idosos e enfermos; GRUPO DE INDIVÍDUOS EXPOSTOS
  • 33. ● Diabetes; ● Arteriosclerose; ● Alzheimer; ● Diversos tipos de câncer; ● Modificações epigenéticas. Doenças geradas OBS: NAS GESTANTES, por exemplo, a exposição a disruptores endócrinos pode causar modificações epigenéticas nas próximas duas gerações.
  • 34. ● Acompanhamento médico; ● Descobrindo origem e montar programa de tratamento natural; ● Terapias alternativas; ● Suplementação para desintoxicar o organismo, ● Cosméticos biocompatíveis associados às terapias; COMO EVITAR https://saudecomozonio.com.br/xenobioticos-o-que-sao-e-como-eles-podem-interferir-na-saude/
  • 35. ● A Bioacumulação consiste em uma série de efeitos sintomáticos produzidos quando uma substância tóxica é ingerida ou entra em contato com a pele, olhos ou membranas mucosas. ● Intoxicação exógena: acontece quando a substância intoxicante está no ambiente, capaz de contaminar através da ingestão, contato com a pele ou inalação pelo ar, e as mais comuns são o uso de medicamentos em doses elevadas, como antidepressivos, analgésicos, anticonvulsivantes ou ansiolíticos, uso de drogas ilícitas, picada de animais venenosos, como cobra ou escorpião, consumo de álcool em excesso ou inalação de produtos químicos, ● Intoxicação endógena: é causada pelo acúmulo de substâncias maléficas que o próprio organismo produz, como a ureia, mas que costumam ser eliminadas através da ação do fígado e filtrado pelos rins, e podem ser acumuladas quando estes órgãos apresentam uma insuficiência. BIOACUMULAÇÃO
  • 36. CONCEITO DE COSMÉTICOS ECOLOGICAMENTE CORRETO • São os que não possuem petrolatos em sua composição ( óleo mineral e parafina); • São biodegradáveis; • Usam em sua formulação extratos botânicos ( óleos vegetais e essenciais), exceto em espécies com risco de extinção.
  • 37. CONCEITO BIODEGRADÁVEL-Que pode ser decomposto ou destruído pela ação de agentes biológicos (microrganismos, bactérias etc.); diz-se da substância que se decompõe pela ação de um agente biológico. BIOCOMPATÍVEL- que não produz efeitos nefastos sobre os tecidos biológicos
  • 38. COSMÉTICOS BIOCOMPATÍVEIS • As bases biocompatíveis fazem parte de um novo conceito de qualidade que vem crescendo no mercado dos cosméticos ecologicamente corretos. • Levam este nome porque são compatíveis com a membrana celular, compostas por 100% de óleo vegetal.
  • 39. ● Livres de substâncias tóxicas como conservantes, parabenos, parafina, propilenoglicol, petróleo, ativos minerais e conservantes liberadores de formol. ● Ricos em ômegas 3, 6, 7 e 9; ● Considerados Eco Friendly (amigos da natureza). COSMÉTICOS BIOCOMPATÍVEIS
  • 40. ● Produtos com maior porcentagem de princípios; ● Facilidade na permeação; https://extratosdaterra.com.br/blog/tag/cosmeticos-biocompativeis/ COSMÉTICOS BIOCOMPATÍVEIS
  • 42. ● COSMÉTICOS ORGÂNICOS • A maior preocupação do cosmético orgânico é ser ecologicamente correto e socialmente justo. • Eles possuem no mínimo 95% de matérias- primas orgânicas, necessariamente cultivadas sem a ação de agrotóxicos e respeitando o meio ambiente. • Biodegradáveis e Biocompatíveis https://www.epocacosmeticos.com.br/projeto-eco/organico
  • 43. ● COSMÉTICOS VEGANOS • Os cosméticos veganos são aqueles que não possuem ingredientes de origem animal na sua composição (leite, cera de abelha, lanolina, colágeno), • Nem fazem testes ou qualquer outra prática de exploração e crueldade contra animais.
  • 44. ● COSMÉTICOS QUE NÃO TESTAM EM ANIMAIS ● Expressão que vem do inglês e significa "sem crueldade". Isso significa que não foram feitos testes em animais na fabricação do produto, mas não quer dizer que não existem matérias- primas provenientes de origem animal em sua composição.
  • 45. ● OS PRODUTOS CONVENCIONAIS – • Não são passíveis de certificação ambiental, porém necessitam de regulamentação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). • Outra questão que diferencia os cosméticos convencionais dos outros diz respeito à porcentagem de ingredientes sintéticos, derivados do petróleo, testados em animais e geneticamente modificados presentes no conteúdo do produto.
  • 46. ● COSMÉTICOS NATURAIS • Cosméticos naturais devem conter no mínimo 5% de ingredientes orgânicos; e 95% de ingredientes naturais. • Além de não ter nenhum tipo de aditivo químico em sua composição, como derivados de petróleo, propileno, amônia, silicone, parabeno, entre outros. • Biodegradáveis e Biocompatíveis
  • 47. ● De acordo com Relatório do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), os cosméticos naturais não devem conter aditivos químicos em sua composição. ● Para o Instituto Biodinâmico (IBD) e para a Ecocert os cosméticos naturais devem possuir matérias-primas naturais e não podem conter as matérias-primas proibidas:
  • 48.
  • 50. ● Para saber se o cosmético é natural, verifique a ausência dos ingredientes proibidos listados anteriormente. Se ele apresentar o selo IBD - Ingredientes Naturais ou o selo ECOCERT, é mais um fator de confiança de que ele é realmente um cosmético natural.
  • 51. • PRODUZIDO DENTRO DE PADRÕES SUSTENTÁVEIS  É ecologicamente correto e socialmente justo, seus resíduos não prejudicam a natureza e o processo produtivo preocupa-se com as comunidades envolvidas.  Contêm óleos essenciais puros e extratos naturais que possuem propriedades regenerativas, antioxidantes, antissépticas, hidratantes, e melhor afinidade com a pele,
  • 53. • De olho no consumidor 3.0 as principais marcas estão modificando o seu modus operandi. Pensando nisso, elas estão aderindo a tendência vegana, apostando em produtos naturais e sem crueldade (“cruelty free”). • Os consumidores estão cada vez mais sensíveis às questões ambientais e no bem-estar dos bichos. Além disso, despontam outros tipos de produtos com essa pegada ecológica, como: natural, orgânico, entre outros.
  • 54. ● O consumidor 3.0 é qualquer usuário de internet que tenha algumas características básicas que determinam seu comportamento em relação ao consumo. ● Hiperconectado, cheio de informação e ciente que pode escolher o melhor produto, o melhor serviço e o melhor atendimento.
  • 55. • CRUELTY FREE- livre de crueldade é um rótulo para produtos ou atividades que não prejudicam ou matam animais em qualquer lugar do mundo. • Aplica-se aos produtos de beleza e higiene, que não são testados em animais. Seu conceito vem sendo reconhecido cada dia mais. Muitas pessoas buscam estes produtos, conscientizando-se sobre a evolução dos cosméticos dentro de laboratórios, sem necessidade de testá-los em animais. • A PETA (People for the Ethical Treatment of Animals), uma das maiores organizações de direitos dos animais no mundo
  • 57. • 75% dos Millennials já procuram produtos sustentáveis de beleza. Reds liberou uma pesquisa sobre o mercado nacional que mostra: •34% das brasileiras consomem cosméticos naturais, entre eles maquiagem e produtos para o rosto e corpo. •70% das entrevistadas afirmaram ter uma visão positiva para esse tipo de produto. https://especialista-pme.com.br/sete-tendencias-do-mundo-dos- cosmeticos
  • 59. MARCAS QUE USAM SELOS CRUELTY-FREE MAS ESTÃO ENVOLVIDAS COM TESTES EM ANIMAIS: ● Dove: ● Amend: ● Dermage: ● Magic Color: ● D’agua Natural: ● Ruby Rose (usa selo de ONGs sem autorização): http://arivegan.com/2018/06/03/nunca-confie-em-selos-veganos-e-cruelty-free-entenda-os-motivos/
  • 60. COSMÉTICOS ECOLOGICAMENTE CORRETOS ● https://www.grandha.com.br/ ● http://papabeauty.com.br/ ● https://www.tricologia-abt.com.br/ ● https://www.slowbeauty.com.br/ ● https://www.useorganico.com.br/ ● http://www.belezaverde.com/ ● https://idec.org.br/especial/maisorganicos ●
  • 61. ● http://www.surgicalcosmetic.org.br/detalhe-artigo/1/Correlacao-entre-o-efeito-hidratante-da-ureia- em-diferentes-concentracoes-de-aplicacao--estudo-clinico-e-corneometrico ● https://www.significados.com.br/ureia/ ● http://portal.anvisa.gov.br/registros-e-autorizacoes/cosmeticos/produtos/nomenclatura-de- ingredientes ● http://insumos.com.br/cosmeticos_e_perfumes/artigos/conservantes_n%2044.pdf ● http://www.momentodaestetica.com.br/lista-de-xenobioticos-em-cosmeticos- diarios/#:~:text=Entre%20os%20principais%20xenobi%C3%B3ticos%20presentes,Diazolinidil%20Ur ea%2C%20DMDM%20Hydantoin%20e ● https://umavidasemlixo.com/2017/09/ingredientes-toxicos-mais-comuns-em-cosmeticos-para-evitar/