SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 13
Profª Maria Elizabete de L. Monteiro
CURSO TÉCNICO DE PODOLOGIA
BASE TECNOLÓGICA C/H
Biossegurança 30
COMPETÊNCIAS
Estudo da importância da segurança do trabalho e do trabalhador na Podologia
segundo as normas da Agência Nacional da Vigilância sanitária (ANVISA).
HABILIDADES
O aluno estará apto a identificar de maneira correta a proteção a saúde do
profissional e cliente, o uso dos EPIs, organização, conhecer a importância
funcional de um gabinete de podologia de acordo com as normas nacional da
Vigilância Sanitária.
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
Introdução ao conteúdo de higiene do trabalho, política de resíduos sólidos,
introdução a Biossegurança, EPIs, estrutura e organização de um gabinete de
podologia, identificando os riscos químicos, físicos, biológicos, orgânicos e
acidentais.
Higienização das mãos em serviço de saúde, esterilização e desinfecção das
matérias e direcionamento dos resíduos.
BIBLIOGRAFIA BÁSICA:
HIRA, M.H, MANCINI, J. Fº - Manual de Segurança. Editora Manole Ltda. 1ed
2002.
MASZTROENI, M. F. – Biossegurança aplicada a laboratório e serviços de
saúde 2 ed – Editora Atheu 2006 – São Paulo.
SALIBA, T. M.; CORREIA, M A.C.; AMARAL, L. S. – Higiene do trabalho e
Programa de Prevenção de Riscos Ambientais – 3 ed – LTR Editora Ltda,
2002 – São Paulo, Sp.
VALLE, P. T. S. – BIOSSEGURANÇA Uma Abordagem Multidiciplinar –
Editora Fiocruz (2000) Rio de Janeiro.
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:
Gerenciamento dos Resíduos de Serviço de Saúde- Tecnologia em Serviço
de Saúde – Editora Anvisa- Brasília, 2006.
Higienização das Mãos em Serviços de Saúde – Agência Nacional de
Vigilância Sanitária – Anvisa Brasília, 2007.
Profª Maria Elizabete de L. Monteiro
CURSO TÉCNICO DE PODOLOGIA
PLANO DE ENSINO
BASE TECNOLÓGICA C/H
Cosmetologia 40
COMPETÊNCIAS
Obter conhecimento do curso sobre os princípios e técnicas usadas em
Cosmetologia; aprimorar conceitos e aplicações da Cosmetologia.
HABILIDADES
Ser capaz de identificar cosméticos adequados para tratamentos específicos
de acordo com a necessidade da pele.
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
Pele, estrutura e fisiologia, flora cutânea e principais veículos, produtos para a
pele.
Hidratação por oclusão e ativação, termoterapia, geoterapia, aromaterapia, uso
dos óleos essenciais na atuação do podólogo.
BIBLIOGRAFIA BÁSICA:
FANDOS, L. S. Fundamentos de cosmética. Ita-cosmética I e II, 1 ed.,
Buenos Aires, 2004.
GOMES, R.; K., G. M. Cosmetologia, descomplicando os princípios ativos.
Ed. LMP, São Paulo, 2006
MARTINI, M. C.; CHIVOT, M. Cosmetologia, Biologia Geral e biologia da
pele. Ed. Andrei, São Paulo, 1999.
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:
PEREIRA, M. F. L. Cosmetologia. 1. Editora Difusão 2013. –São Caetano do
Sul, SP.
GUYTON, A. C Fisiologia Humana. Ed. Guanabara, Rio de Janeiro, 1998.
http://www.primesensecosmeticos.com.br
http://harmoniearomaterapia.com.br/aromaterapia-aplicada-a-podologia/
SILVA, M. G.; DINIZ, F. F. M.; OLIVEIRA, R. A: G. – Fitoterápicos: Guia do
Profissional de Saúde. João Pessoa: Secretaria de Estado da Saúde da
Paraíba. Coordenação de Saúde. Núcleo de Assistência Farmacêutica, 2002
(última edição).
Profª Maria Elizabete de L. Monteiro
CURSO TÉCNICO DE PODOLOGIA
PLANO DE ENSINO
BASE TECNOLÓGICA C/H
Bioética 40
COMPETÊNCIAS
Conhecer o progresso de regulamentação profissional, os conceitos de ética e
moral. Compreender a origem histórica da bioética e sua intervenção no
progresso científico da sociedade contemporânea.
HABILIDADES
Atuação social no movimento para a regulamentação profissional, aplicar o
código de ética e os preceitos da bioética na pesquisa científica.
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
Movimento nacional pela regulamentação profissional da ABP (associação
brasileira dos podólogos) lei 151/2015; Código da Ética. Ética como disciplina
filosófica e ciência; conceitos de ética e moral; ética profissional. Nascimento
da bioética; conceitos de bioética; aplicação dos princípios da bioética;
pesquisa em saúde; resolução 196/96 do CNS.
BIBLIOGRAFIA BÁSICA:
ARANHA, M. L. de A. – Filosofando: introdução à filosofia. São Paulo:
Moderna, 2010.
CHAUI, M. – Convite à filosofia. São Paulo: Ática,2010.
LEPARGNEU, H. – Bioética, novo conceito. São Paulo: Loyola, 2009.
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:
FORTES, P. A. de C. – Ética e saúde: questões éticas, deontológicas e legais,
tomadas de decisões, autonomia e direitos do paciente, estudo de casos. São
Paulo: EPU, 2005.
NALINI, J. R. – Ética Geral e profissional. São Paulo: Editora Revista dos
Tribunais, 2011.
SOARES, A. M.; PIÑEIRO, W. E. – Bioética e biodireito. São Paulo: Loyola,
2007.
Profª Maria Elizabete de L. Monteiro
CURSO TÉCNICO DE PODOLOGIA
PLANO DE ENSINO
BASE TECNOLÓGICA C/H
Microbiologia 40
COMPETÊNCIAS
Compreender a estrutura, a fisiologia e a genética dos microrganismos assim
como o seu controle através de agentes físicos e químicos.
HABILIDADES
Relacionar as estruturas básicas e acessórias de um microrganismo com suas
respectivas funções. Adquirir hábitos corretos para o manuseio de material
contaminado. Utilizar adequadamente agentes físicos e químicos para controle
de microrganismos.
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
Bacteriologia Básica: Morfologia; Citologia; Fisiologia; Medidas de crescimento
bacteriano. Controle dos microrganismos: Ação dos agentes físicos com ênfase
em suas aplicações em processos de esterilização e desinfecção.; Mecanismo
de ação das drogas antimicrobianas; Resistência a antimicrobianos. Micróbios,
saúde e doenças, aspectos básicos: Microbiota normal do corpo humano;
Fatores de virulência. Cocos Gram positivos e Bacilos Gram negativos.
Defesas Constitutivas e induzidas do organismo, antígenos, anticorpos,
inflamação, sistema completo.
BIBLIOGRAFIA BÁSICA:
MURRAY, P. R.; ROSENTHAL, K. S.; PFALLER, M. A. – Microbiologia médica.
6 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2010.
TUTORA, G. J FUNKER, B R.; CASE C. L. – Microbiologia. 10 ed. Porto
alegre: Artmed, 2012.
TRABULSI, L. R. – Microbiologia. São Paulo: Atheneu, 2005.
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:
BLACK, J. – Microbiologia- fundamentos e perspectivas. 4 ed. Rio de
janeiro: Guanabara Koogan, 2002.(última edição).
BURTON, G. L. W.; ENGELKIRK, P. G. – Microbiologia para as ciências da
saúde. 7. Ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2005. (última edição).
MEDIGAN, M T.; MATINKO, J. M.; DUNLAP, P. V., CLARK, D.P –
Microbiologia de Brock. 12 ed. Porto alegre: ARTMED, 2010.
SCHAECHTER M.; ENGLEBERG N. C.; EISENSTEIN B. I.; MEDOFF G. –
Microbiologia Mecanismos das Doenças infecciosas. 3 ed. Rio de Janeiro:
Guanabara Koogan, 2002. (última edição).
Profª Maria Elizabete de L. Monteiro
PLANO DE ENSINO
BASE TECNOLÓGICA C/H
Fisiologia 40
COMPETÊNCIAS
Compreender os diversos sistemas fisiológicos do organismo humano e suas
interações para manter a homeostase.
HABILIDADES
Ser capaz de explicar o funcionamento do organismo humano em seus
diversos níveis de organização, estrutura e função de cada sistema fisiológico.
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
Homeostase: A Célula e o organismo; Fisiologia do sistema Nervoso; Fisiologia
do sistema Locomomtor; Fisiologia do Sistema Endrócno; Mecanismo de
agressão e defesa; Fisiologia do sistema Circulatório; Fisiologia da
Respiraçção e circuito dos Gases; Fisiologia do sistema Digestivo e
Metabolismo; Fisiologia do Sistema Excretor; Fisiologia da Reprodução.
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
BERNE, R., M; LEVY, M. N.; KOEPPEN B.M; STATON. B. A. – Fisiologia.
5ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004
GUYTON, A; HALL, J. – Fisiologia humana e mecanismo das doenças. 6
ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1998.
TORTORA, G. J.; GRABOWSKY, S. R. – Princípios de anatomia e fisiologia.
9 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2002.
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
BULLOCK, J.; BOYLE, J.; WANG, M. B. – NNS – Fisiologia. 3 ed. Rio de
janeiro: Guanabara Koogan, 1998.
CARLSON, N. R. - Fisiologia do comportamento. 7 ed. São Paulo: Manoele,
2006.
DAVIES, A.; BLAKELEY, A. G. H.; KIDD, C. – Fisiologia humana. Porto
Alegre: Artmed, 2002.
GUYTON, A; HALL, J. – Fisiologia humana. 6 ed. Rio de Janeiro: Guanabara
Koogan, 1988.
SILVERTHON – Fisiologia humana; abordagem integrada. 2 ed. São Paulo:
Manoele: 2003.
Profª Maria Elizabete de L. Monteiro
CURSO TÉCNICO DE PODOLOGIA
PLANO DE ENSINO
BASE TECNOLÓGICA C/H
Anatomia Humana 40
COMPETÊNCIAS
Discorrer acerca da constituição, forma e disposição dos órgãos do corpo
humano; Correlacionar as principais estruturas da anatomia humana.
HABILIDADES
Ser capaz de identificar as estruturas anatômicas do corpo humano.
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
Introdução à Anatomia; osteologia; artrologia; miologia; sistemas circulatório e
respiratório; Patologia óssea dos pés, deformidade óssea dos pés, deformidade
óssea do calcâneo, deformidade óssea dos dedos.
Estrutura anatômica dos pés e lâmina ungueal.
BIBLIOGRAFIA BÁSICA:
YUE, A. (Coord). Atlas de fisiologia humana. Tradução: Neila Freitas.
Barueri: Girassol; Frienzer: Giunti Gruppo Editorial, 2009. 2888 p.
AUGUSTO, A. B. ET AL. Curso Didático de estética: Volume 1. São Caetano
do Sul: Yendis, 2008. 265 p. ABRAHAMS, P. Atlas Descritivo do Corpo
humano. 1 ed. São Paulo: Rideel, 2009. 176 p.
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:
BEGA e LAROSA. Podologia bases clínicas e anatômicas, _São Paulo:.
Martinari,2010
TUTORA, G J. Princípios de anatomia e Fisiologia. Tradução Alexandre
Lins. 12 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2010.
Profª Maria Elizabete de L. Monteiro
CURSO TÉCNICO DE PODOLOGIA
PLANO DE ENSINO
BASE TECNOLÓGICA C/H
ELETROTERAPIA 30
COMPETÊNCIA
Capacitar o discente a avaliar e identificar os principais recursos
eletroterápicos aplicados á podologia. Reconhecendo sua utilização e
aplicabilidade para o emprego de técnicas necessárias ao tratamento de
patologias, podopatias e onicopatias e onicodistrofias ungueais.
HABILIDADES
O aluno será capaz de reconhecer cada recurso eletroterápico, sabendo
distinguir sua funcionalidade e aplicabilidade na podologia.
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
I- Noções de grandeza elétrica ( tensão, corrente, potência, cargas elétricas);
Noões físicas sobre eletrofísica (polaridade, resistência, capacitância
impedância, amperagem, condutores, isolantes, circuito e campo elétrico)
principais correntes usadas, (alta, média e baixa frequência), efeitos da
corrente elétrica. Uso do Laser e Lad na regeneração tecidual, cicatrização e
tratamentos para onicomicoses, onicocriptose e onicodistrofias ungueais.
II-Aulas práticas demonstrativas em laboratórios.
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
BEGA e LOROSA. Podologia bases Clínicas e Anatômicas cap. V - São
Paulo, Martinari 2010.
AGNES,J. E. – Eu sei eletroterapia. 2 ed. Santa Maria (RS), editora Orium,
2011.
PEREIRA, F. – Eletroterapia sem mistérios – Aplicação em estética facial e
corporal. 3 ed. Rio de Janeiro: Rubio, 2007.
CORANZZA.s. – Beleza inteligente. São Paulo, editora Mandras, 2001.
Profª Maria Elizabete de L. Monteiro
PLANO DE ENSINO
BASE TECNOLÓGICA C/H
PROCEDIMENTOS E PRÁTICA 400
COMPETÊNCIA
São desenvolvidas competências de maior complexidade que envolve
a avaliação de alterações podológicas, seleção e aplicação de técnicas que
permitem a recuperação e a reabilitação.
HABILIDADES
Capacitar os alunos com relação a atenção a clientes portadores de
afecções, tais como portadores de cardiopatias, diabetes, neuropatias, dentre
outras que requeiram ações diferenciadas.
visitas técnicas, simulações, vivências em laboratório, atendimento e
acompanhamento a clientes e definição de Protocolos.
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
Visitas técnicas, simulações, vivências em laboratório, atendimento e
acompanhamento a clientes e definições de protocolos. Atendimento externo
em instituições sociais definindo protocolos de acordo com a necessidade de
cada cliente.
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
TIXA, S. Atlas de Anatomia Palpatória do Membro Inferior. São Paulo:
editora Manole, 2000.
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:
LELLIS VLC. Avaliação, prevenção e intervenção no “pé em risco”.
Diabetes Clínica 4(5): 371-75; 2000
NERY, ES. Salve seus pés. Jornal BD Bom dia 16(68); 2003.
CURSO TÉCNICO DE PODOLOGIA
Profª Maria Elizabete de L. Monteiro
PLANO DE ENSINO
BASE TECNOLÓGICA C/H
Primeiros Socorros 60
Os acidentes e suas conseqüências (traumatismos, ferimentos, lesões) são a
maior causa de morte, de incapacidade permanente, de internamentos e idas
a urgências.
O profissional podólogo deve saber o que fazer no momento em que
acontecer acidentes emergenciais ou situações problemas onde o paciente
necessite de auxílio.
HABILIDADES
Levar ao aluno noções básicas de primeiros socorros;
Capacitá-los a realizar procedimentos básicos do primeiro atendimento;
Informar sobre as medidas a serem tomadas, bem como o que não deve ser
realizado, evitando-se assim o agravo da vítima;
Atuar com eficiência nas situações de urgência/emergência definidas no
conteúdo programático;
Formar agentes multiplicadores.
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
Caracterização, funções, aspectos fundamentais. Acidentes: características e
tipologia. Emergências: gravidade da lesão e condição da vítima; cuidados
gerais e preliminares. Hemorragias. Ferimentos: superficiais e profundos; na
cabeça; fraturas e luxações. Métodos de Respiração. Parada Respiratória.
Massagem Cardíaca. Envenenamentos. Corpos estranhos. Picadas de Insetos
e de Cobras. Lesões na Coluna Vertebral. Estado de Choque. Queimaduras.
Transporte de Acidentados.
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
COMITÊ DO PHTLS DA NATIONAL ASSOCIATION. Atendimento pré-
hospitalar ao traumatizado: básico e avançado: PHTLS. Rio de Janeiro:
Elsevier, 2007. 451 p. ISBN 85-352-1362-7
HAFEN, Karen, Frandsen. Brent, Keith, Kathyr. Primeiros Socorros para
estudantes. Manole, 2002, 7.ª edição.
MARTINS, Herlon Saraiva, Pronto Socorro: Diagnóstico e Tratamento em
Emergências. Ed:2008, São Paulo.
Profª Maria Elizabete de L. Monteiro
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
SCHETTINO, Guilherme; MATTAR JUNIOR, Jorge; CARDOSO, Luiz
Francisco; MATTAR JUNIOR, Jorge; TORGGER FILHO, Francisco. Paciente
crítico: diagnóstico e tratamento. Barueri: Manole, 2006.
ERAZO, Manual de Urgências em Pronto-Socorro. Ed. Guanabara-Koogan, 8°
Ed., 2006, Rio de Janeiro
MICHEL, Osvaldo. Guia de Primeiros Socorros. Ed. Ltr, 2002, São Paulo
MARINO, Paul L. Compêndio de UTI. 3.ed. Porto Alegre: Artmed, 2008.
Profª Maria Elizabete de L. Monteiro
CURSO TÉCNICO DE PODOLOGIA
PLANO DE ENSINO
BASE TECNOLÓGICA C/H
Gestão empreendedora 30
COMPETÊNCIAS
Proporcionar ao aluno o conhecimento das características empreendedoras, a
busca das oportunidades de negócios e o desenvolvimento do plano de
negócio na podologia.
HABILIDADES
Apresentar e discutir o conceito de empreendedorismo e seu objetivo;
Analisar e discutir o principal perfil do empreendedor; Apresentar e discutir
sobre reconversão profissional;
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
Definir o objetivo da gestão e empreendedorismo na podologia, Fundamentos
de empreendedorismo; Perfil do empreendedor; noções sobre oportunidades
de futuro na gestão e no empreendedorismo; reconversão profissional, o futuro
nas organizações; a importância de empreender com conhecimento em
nichos de mercado; inovação e competitividade o segredo do sucesso; a
importância da negociação.
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
CHIAVENATTO. I. Empreendedorismo: dando asas ao espírito empreendedor.
São Paulo: Sarava, 2005.
DORNELAS, José Carlos Assis. Empreendedorismo: transformando ideias em
negócios. Rio de Janeiro: Campus, 2001.
Profª Maria Elizabete de L. Monteiro
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
BARON, Robert A.; SHANE, Scott A Empreendedorismo: uma visão do
processo. São Paulo: Thomson Learning, 2007.
FARAH, Osvaldo Elias; CAVALCANTI, Marly; MARCONDES, Luciana Passos.
(Orgs.).
Empreendedorismo Estratégico: criação e gestão de pequenas empresas.
São Paulo: Cengage Learning, 2008.
________. Empreendedorismo: transformando ideias em negócios. 3. ed. Rio
de Janeiro: Elsevier, 2008. 5ª reimpressão. ORTIGARA, Anacleto Ângelo. A
Cabeça do Empreendedor: o pensamento do fundador de uma empresa de
sucesso. Florianópolis: Editora Insular, 2008.
Profª Maria Elizabete de L. Monteiro

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

FISSURA PLANTAR E O USO DE DERMOCOSMÉTICOS COMO FORMA DE TRATAMENTO
FISSURA PLANTAR E O USO DE DERMOCOSMÉTICOS COMO FORMA DE TRATAMENTOFISSURA PLANTAR E O USO DE DERMOCOSMÉTICOS COMO FORMA DE TRATAMENTO
FISSURA PLANTAR E O USO DE DERMOCOSMÉTICOS COMO FORMA DE TRATAMENTOMARIA ELIZABETE DE LIMA MONTEIRO
 
Cosmetologia corporal Fisioterapia Dermato Funcional
Cosmetologia corporal   Fisioterapia Dermato FuncionalCosmetologia corporal   Fisioterapia Dermato Funcional
Cosmetologia corporal Fisioterapia Dermato FuncionalMayara Rodrigues
 
Introdução à Cosmetologia: Histórico e Composição
Introdução à Cosmetologia: Histórico e ComposiçãoIntrodução à Cosmetologia: Histórico e Composição
Introdução à Cosmetologia: Histórico e ComposiçãoRodrigo Caixeta
 
Biomedicina Estética, uma nova área de atuação
Biomedicina Estética, uma nova área de atuação Biomedicina Estética, uma nova área de atuação
Biomedicina Estética, uma nova área de atuação Larah Oliveira
 
Aula 1-e-2-de-cosmetologia
Aula 1-e-2-de-cosmetologiaAula 1-e-2-de-cosmetologia
Aula 1-e-2-de-cosmetologiaRomeu Abdala
 
Biomecânica e Cinesiologia Aplicados a Podologia
Biomecânica e Cinesiologia Aplicados a PodologiaBiomecânica e Cinesiologia Aplicados a Podologia
Biomecânica e Cinesiologia Aplicados a PodologiaCíntia Luna
 
Tratamento de feridas - Aula 01
Tratamento de feridas - Aula 01Tratamento de feridas - Aula 01
Tratamento de feridas - Aula 01SMS - Petrópolis
 
Dermato funcional
Dermato funcional Dermato funcional
Dermato funcional Breno Luan
 
AULA 1 - Introdução a Podologia (1).pptx
AULA 1 - Introdução a Podologia (1).pptxAULA 1 - Introdução a Podologia (1).pptx
AULA 1 - Introdução a Podologia (1).pptxCRISTIANEFARIASROCHA1
 
Processo Saúde-Doença e Deterninantes Sociais de Saúde
Processo Saúde-Doença e Deterninantes Sociais de SaúdeProcesso Saúde-Doença e Deterninantes Sociais de Saúde
Processo Saúde-Doença e Deterninantes Sociais de Saúdeferaps
 
2 aula de farmacologia
2 aula de farmacologia2 aula de farmacologia
2 aula de farmacologiamarigrace23
 

Mais procurados (20)

Fissura plantar
Fissura plantarFissura plantar
Fissura plantar
 
PODOLOGIA COSMÉTICA
PODOLOGIA COSMÉTICAPODOLOGIA COSMÉTICA
PODOLOGIA COSMÉTICA
 
FISSURA PLANTAR E FORMAS DE TRATAMENTO
FISSURA PLANTAR E FORMAS DE TRATAMENTOFISSURA PLANTAR E FORMAS DE TRATAMENTO
FISSURA PLANTAR E FORMAS DE TRATAMENTO
 
BIOSSEGURANÇA NA ESTÉTICA
BIOSSEGURANÇA NA ESTÉTICABIOSSEGURANÇA NA ESTÉTICA
BIOSSEGURANÇA NA ESTÉTICA
 
FISSURA PLANTAR E O USO DE DERMOCOSMÉTICOS COMO FORMA DE TRATAMENTO
FISSURA PLANTAR E O USO DE DERMOCOSMÉTICOS COMO FORMA DE TRATAMENTOFISSURA PLANTAR E O USO DE DERMOCOSMÉTICOS COMO FORMA DE TRATAMENTO
FISSURA PLANTAR E O USO DE DERMOCOSMÉTICOS COMO FORMA DE TRATAMENTO
 
ELETROTERAPIA NA PODOLOGIA
ELETROTERAPIA NA PODOLOGIAELETROTERAPIA NA PODOLOGIA
ELETROTERAPIA NA PODOLOGIA
 
Ler dort
Ler dort Ler dort
Ler dort
 
Cosmetologia corporal Fisioterapia Dermato Funcional
Cosmetologia corporal   Fisioterapia Dermato FuncionalCosmetologia corporal   Fisioterapia Dermato Funcional
Cosmetologia corporal Fisioterapia Dermato Funcional
 
Introdução à Cosmetologia: Histórico e Composição
Introdução à Cosmetologia: Histórico e ComposiçãoIntrodução à Cosmetologia: Histórico e Composição
Introdução à Cosmetologia: Histórico e Composição
 
Biomedicina Estética, uma nova área de atuação
Biomedicina Estética, uma nova área de atuação Biomedicina Estética, uma nova área de atuação
Biomedicina Estética, uma nova área de atuação
 
Aula 1-e-2-de-cosmetologia
Aula 1-e-2-de-cosmetologiaAula 1-e-2-de-cosmetologia
Aula 1-e-2-de-cosmetologia
 
Biomecânica e Cinesiologia Aplicados a Podologia
Biomecânica e Cinesiologia Aplicados a PodologiaBiomecânica e Cinesiologia Aplicados a Podologia
Biomecânica e Cinesiologia Aplicados a Podologia
 
Tratamento de feridas - Aula 01
Tratamento de feridas - Aula 01Tratamento de feridas - Aula 01
Tratamento de feridas - Aula 01
 
Dermato funcional
Dermato funcional Dermato funcional
Dermato funcional
 
AULA 1 - Introdução a Podologia (1).pptx
AULA 1 - Introdução a Podologia (1).pptxAULA 1 - Introdução a Podologia (1).pptx
AULA 1 - Introdução a Podologia (1).pptx
 
Processo Saúde-Doença e Deterninantes Sociais de Saúde
Processo Saúde-Doença e Deterninantes Sociais de SaúdeProcesso Saúde-Doença e Deterninantes Sociais de Saúde
Processo Saúde-Doença e Deterninantes Sociais de Saúde
 
Acne Fisioterapia Dermatofuncional
Acne Fisioterapia DermatofuncionalAcne Fisioterapia Dermatofuncional
Acne Fisioterapia Dermatofuncional
 
2 aula de farmacologia
2 aula de farmacologia2 aula de farmacologia
2 aula de farmacologia
 
Artrose
ArtroseArtrose
Artrose
 
Apostila Cosmetologia Prática 2015 02
Apostila Cosmetologia Prática 2015 02Apostila Cosmetologia Prática 2015 02
Apostila Cosmetologia Prática 2015 02
 

Semelhante a Curso de Podologia Ementas I

Docslide.com.br aula 1-simbologia-definicoes-rotulagem
Docslide.com.br aula 1-simbologia-definicoes-rotulagemDocslide.com.br aula 1-simbologia-definicoes-rotulagem
Docslide.com.br aula 1-simbologia-definicoes-rotulagemPaula Rocha
 
SAÚDE BUCAL - CONTEUDO CENTRAL.pdf
SAÚDE BUCAL - CONTEUDO CENTRAL.pdfSAÚDE BUCAL - CONTEUDO CENTRAL.pdf
SAÚDE BUCAL - CONTEUDO CENTRAL.pdfjessika879512
 
Ementa Química subsequente
Ementa Química subsequenteEmenta Química subsequente
Ementa Química subsequenteCamilaClivati
 
Psicologia Clínica e Saúde Coletiva 2014,2- Faculdade Castro Alves
Psicologia Clínica e Saúde Coletiva 2014,2- Faculdade Castro Alves Psicologia Clínica e Saúde Coletiva 2014,2- Faculdade Castro Alves
Psicologia Clínica e Saúde Coletiva 2014,2- Faculdade Castro Alves Adalene Sales
 
Conceituando a deficiência [amiralian,2000]
Conceituando a deficiência [amiralian,2000]Conceituando a deficiência [amiralian,2000]
Conceituando a deficiência [amiralian,2000]Cleidiane Vitoria
 
Epidemologia atoxicologia st
Epidemologia atoxicologia stEpidemologia atoxicologia st
Epidemologia atoxicologia stroaugustus2010
 
Cronograma 2010 2
Cronograma 2010 2Cronograma 2010 2
Cronograma 2010 2fernando
 
Humanização em Unidade de Terapia Intensiva UTI Slides
Humanização em Unidade de Terapia Intensiva UTI SlidesHumanização em Unidade de Terapia Intensiva UTI Slides
Humanização em Unidade de Terapia Intensiva UTI SlidesCleiton Ribeiro Alves
 
Plano de Ensino do Módulo Saúde do Adulto- I UC-III - 2011 - 1
Plano de Ensino do Módulo Saúde do Adulto- I  UC-III -  2011 - 1Plano de Ensino do Módulo Saúde do Adulto- I  UC-III -  2011 - 1
Plano de Ensino do Módulo Saúde do Adulto- I UC-III - 2011 - 1Dr. João Félix Dias
 
Proposta curricular de biologia brazilino viegas cris
Proposta curricular de biologia brazilino viegas   crisProposta curricular de biologia brazilino viegas   cris
Proposta curricular de biologia brazilino viegas crisfamiliaestagio
 
Conteúdo Básicos - Mínimos Ensino Médio do Tocantins - ALINHAMENTO - Biologia
Conteúdo Básicos - Mínimos Ensino Médio do Tocantins - ALINHAMENTO - BiologiaConteúdo Básicos - Mínimos Ensino Médio do Tocantins - ALINHAMENTO - Biologia
Conteúdo Básicos - Mínimos Ensino Médio do Tocantins - ALINHAMENTO - Biologiadenisealvesf
 
7º a, b.ciências cida-pdf
7º a, b.ciências cida-pdf7º a, b.ciências cida-pdf
7º a, b.ciências cida-pdfFatima Moraes
 
Planos das unidades 2º ano
Planos das unidades   2º anoPlanos das unidades   2º ano
Planos das unidades 2º anofamiliaestagio
 

Semelhante a Curso de Podologia Ementas I (20)

201304 patologia-geral
201304 patologia-geral201304 patologia-geral
201304 patologia-geral
 
Docslide.com.br aula 1-simbologia-definicoes-rotulagem
Docslide.com.br aula 1-simbologia-definicoes-rotulagemDocslide.com.br aula 1-simbologia-definicoes-rotulagem
Docslide.com.br aula 1-simbologia-definicoes-rotulagem
 
Aula 1. simbologia definições rotulagem
Aula 1. simbologia definições rotulagemAula 1. simbologia definições rotulagem
Aula 1. simbologia definições rotulagem
 
Livros didáticos adquiridos em 2012
Livros didáticos adquiridos em 2012Livros didáticos adquiridos em 2012
Livros didáticos adquiridos em 2012
 
Livros Didáticos Adquiridos em 2016
Livros Didáticos Adquiridos em 2016Livros Didáticos Adquiridos em 2016
Livros Didáticos Adquiridos em 2016
 
SAÚDE BUCAL - CONTEUDO CENTRAL.pdf
SAÚDE BUCAL - CONTEUDO CENTRAL.pdfSAÚDE BUCAL - CONTEUDO CENTRAL.pdf
SAÚDE BUCAL - CONTEUDO CENTRAL.pdf
 
Ementa Química subsequente
Ementa Química subsequenteEmenta Química subsequente
Ementa Química subsequente
 
Psicologia Clínica e Saúde Coletiva 2014,2- Faculdade Castro Alves
Psicologia Clínica e Saúde Coletiva 2014,2- Faculdade Castro Alves Psicologia Clínica e Saúde Coletiva 2014,2- Faculdade Castro Alves
Psicologia Clínica e Saúde Coletiva 2014,2- Faculdade Castro Alves
 
Conceituando a deficiência [amiralian,2000]
Conceituando a deficiência [amiralian,2000]Conceituando a deficiência [amiralian,2000]
Conceituando a deficiência [amiralian,2000]
 
Epidemologia atoxicologia st
Epidemologia atoxicologia stEpidemologia atoxicologia st
Epidemologia atoxicologia st
 
Cronograma 2010 2
Cronograma 2010 2Cronograma 2010 2
Cronograma 2010 2
 
Humanização em Unidade de Terapia Intensiva UTI Slides
Humanização em Unidade de Terapia Intensiva UTI SlidesHumanização em Unidade de Terapia Intensiva UTI Slides
Humanização em Unidade de Terapia Intensiva UTI Slides
 
05 cosmeticos final2
05 cosmeticos final205 cosmeticos final2
05 cosmeticos final2
 
Plano de Ensino do Módulo Saúde do Adulto- I UC-III - 2011 - 1
Plano de Ensino do Módulo Saúde do Adulto- I  UC-III -  2011 - 1Plano de Ensino do Módulo Saúde do Adulto- I  UC-III -  2011 - 1
Plano de Ensino do Módulo Saúde do Adulto- I UC-III - 2011 - 1
 
Proposta curricular de biologia brazilino viegas cris
Proposta curricular de biologia brazilino viegas   crisProposta curricular de biologia brazilino viegas   cris
Proposta curricular de biologia brazilino viegas cris
 
Conteúdo Básicos - Mínimos Ensino Médio do Tocantins - ALINHAMENTO - Biologia
Conteúdo Básicos - Mínimos Ensino Médio do Tocantins - ALINHAMENTO - BiologiaConteúdo Básicos - Mínimos Ensino Médio do Tocantins - ALINHAMENTO - Biologia
Conteúdo Básicos - Mínimos Ensino Médio do Tocantins - ALINHAMENTO - Biologia
 
05 cosmeticos final2
05 cosmeticos final205 cosmeticos final2
05 cosmeticos final2
 
7º a, b.ciências cida-pdf
7º a, b.ciências cida-pdf7º a, b.ciências cida-pdf
7º a, b.ciências cida-pdf
 
Anais do-Iv-Simpósio-de-Entomologia
Anais do-Iv-Simpósio-de-EntomologiaAnais do-Iv-Simpósio-de-Entomologia
Anais do-Iv-Simpósio-de-Entomologia
 
Planos das unidades 2º ano
Planos das unidades   2º anoPlanos das unidades   2º ano
Planos das unidades 2º ano
 

Mais de MARIA ELIZABETE DE LIMA MONTEIRO (10)

Elizabete monteiro estética e micropigmentação
Elizabete monteiro estética e micropigmentaçãoElizabete monteiro estética e micropigmentação
Elizabete monteiro estética e micropigmentação
 
Cosmeticos livres dos_xenobioticos
Cosmeticos livres dos_xenobioticosCosmeticos livres dos_xenobioticos
Cosmeticos livres dos_xenobioticos
 
MANUAL DE CONTROLE NOS PROCESSOS DE ESTERILIZAÇÃO- MODELO
MANUAL DE CONTROLE NOS PROCESSOS DE ESTERILIZAÇÃO- MODELOMANUAL DE CONTROLE NOS PROCESSOS DE ESTERILIZAÇÃO- MODELO
MANUAL DE CONTROLE NOS PROCESSOS DE ESTERILIZAÇÃO- MODELO
 
PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO
PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃOPROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO
PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO
 
Manicure e Pedicure; SENAC-PB: Projeto da planta Física da Esmalteria Bellas...
 Manicure e Pedicure; SENAC-PB: Projeto da planta Física da Esmalteria Bellas... Manicure e Pedicure; SENAC-PB: Projeto da planta Física da Esmalteria Bellas...
Manicure e Pedicure; SENAC-PB: Projeto da planta Física da Esmalteria Bellas...
 
MANICURE E PEDICURE: PROJETO - PLANO DE NEGÓCIO E PLANTA FÍSICA
MANICURE E PEDICURE: PROJETO - PLANO DE NEGÓCIO E PLANTA FÍSICAMANICURE E PEDICURE: PROJETO - PLANO DE NEGÓCIO E PLANTA FÍSICA
MANICURE E PEDICURE: PROJETO - PLANO DE NEGÓCIO E PLANTA FÍSICA
 
PODOLOGIA FINALIZAÇÃO PAULISTA CURSOS-PARAÍBA 2016.1
PODOLOGIA FINALIZAÇÃO PAULISTA CURSOS-PARAÍBA 2016.1PODOLOGIA FINALIZAÇÃO PAULISTA CURSOS-PARAÍBA 2016.1
PODOLOGIA FINALIZAÇÃO PAULISTA CURSOS-PARAÍBA 2016.1
 
DESIGNER DE SOBRANCELHA
DESIGNER DE SOBRANCELHA DESIGNER DE SOBRANCELHA
DESIGNER DE SOBRANCELHA
 
ESTRUTURA DA LÂMINA UNGUEAL
ESTRUTURA DA LÂMINA UNGUEALESTRUTURA DA LÂMINA UNGUEAL
ESTRUTURA DA LÂMINA UNGUEAL
 
PÉS DIABÉTICOS
PÉS DIABÉTICOSPÉS DIABÉTICOS
PÉS DIABÉTICOS
 

Último

Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdfdanielagracia9
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalcarlamgalves5
 
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxSismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxpatriciapedroso82
 
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persaConteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persafelipescherner
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Mary Alvarenga
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaCludiaRodrigues693635
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosFernanda Ledesma
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitlerhabiwo1978
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorialNeuroppIsnayaLciaMar
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Rosana Andrea Miranda
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAbdLuxemBourg
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisIlda Bicacro
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteIpdaWellington
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaHenrique Santos
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoVALMIRARIBEIRO1
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfandreaLisboa7
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfmaria794949
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptxlucioalmeida2702
 

Último (20)

Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxSismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
 
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persaConteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
 

Curso de Podologia Ementas I

  • 1. Profª Maria Elizabete de L. Monteiro CURSO TÉCNICO DE PODOLOGIA BASE TECNOLÓGICA C/H Biossegurança 30 COMPETÊNCIAS Estudo da importância da segurança do trabalho e do trabalhador na Podologia segundo as normas da Agência Nacional da Vigilância sanitária (ANVISA). HABILIDADES O aluno estará apto a identificar de maneira correta a proteção a saúde do profissional e cliente, o uso dos EPIs, organização, conhecer a importância funcional de um gabinete de podologia de acordo com as normas nacional da Vigilância Sanitária. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Introdução ao conteúdo de higiene do trabalho, política de resíduos sólidos, introdução a Biossegurança, EPIs, estrutura e organização de um gabinete de podologia, identificando os riscos químicos, físicos, biológicos, orgânicos e acidentais. Higienização das mãos em serviço de saúde, esterilização e desinfecção das matérias e direcionamento dos resíduos. BIBLIOGRAFIA BÁSICA: HIRA, M.H, MANCINI, J. Fº - Manual de Segurança. Editora Manole Ltda. 1ed 2002. MASZTROENI, M. F. – Biossegurança aplicada a laboratório e serviços de saúde 2 ed – Editora Atheu 2006 – São Paulo. SALIBA, T. M.; CORREIA, M A.C.; AMARAL, L. S. – Higiene do trabalho e Programa de Prevenção de Riscos Ambientais – 3 ed – LTR Editora Ltda, 2002 – São Paulo, Sp. VALLE, P. T. S. – BIOSSEGURANÇA Uma Abordagem Multidiciplinar – Editora Fiocruz (2000) Rio de Janeiro. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: Gerenciamento dos Resíduos de Serviço de Saúde- Tecnologia em Serviço de Saúde – Editora Anvisa- Brasília, 2006. Higienização das Mãos em Serviços de Saúde – Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa Brasília, 2007.
  • 2. Profª Maria Elizabete de L. Monteiro CURSO TÉCNICO DE PODOLOGIA PLANO DE ENSINO BASE TECNOLÓGICA C/H Cosmetologia 40 COMPETÊNCIAS Obter conhecimento do curso sobre os princípios e técnicas usadas em Cosmetologia; aprimorar conceitos e aplicações da Cosmetologia. HABILIDADES Ser capaz de identificar cosméticos adequados para tratamentos específicos de acordo com a necessidade da pele. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Pele, estrutura e fisiologia, flora cutânea e principais veículos, produtos para a pele. Hidratação por oclusão e ativação, termoterapia, geoterapia, aromaterapia, uso dos óleos essenciais na atuação do podólogo. BIBLIOGRAFIA BÁSICA: FANDOS, L. S. Fundamentos de cosmética. Ita-cosmética I e II, 1 ed., Buenos Aires, 2004. GOMES, R.; K., G. M. Cosmetologia, descomplicando os princípios ativos. Ed. LMP, São Paulo, 2006 MARTINI, M. C.; CHIVOT, M. Cosmetologia, Biologia Geral e biologia da pele. Ed. Andrei, São Paulo, 1999. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: PEREIRA, M. F. L. Cosmetologia. 1. Editora Difusão 2013. –São Caetano do Sul, SP. GUYTON, A. C Fisiologia Humana. Ed. Guanabara, Rio de Janeiro, 1998. http://www.primesensecosmeticos.com.br http://harmoniearomaterapia.com.br/aromaterapia-aplicada-a-podologia/ SILVA, M. G.; DINIZ, F. F. M.; OLIVEIRA, R. A: G. – Fitoterápicos: Guia do Profissional de Saúde. João Pessoa: Secretaria de Estado da Saúde da Paraíba. Coordenação de Saúde. Núcleo de Assistência Farmacêutica, 2002 (última edição).
  • 3. Profª Maria Elizabete de L. Monteiro CURSO TÉCNICO DE PODOLOGIA PLANO DE ENSINO BASE TECNOLÓGICA C/H Bioética 40 COMPETÊNCIAS Conhecer o progresso de regulamentação profissional, os conceitos de ética e moral. Compreender a origem histórica da bioética e sua intervenção no progresso científico da sociedade contemporânea. HABILIDADES Atuação social no movimento para a regulamentação profissional, aplicar o código de ética e os preceitos da bioética na pesquisa científica. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Movimento nacional pela regulamentação profissional da ABP (associação brasileira dos podólogos) lei 151/2015; Código da Ética. Ética como disciplina filosófica e ciência; conceitos de ética e moral; ética profissional. Nascimento da bioética; conceitos de bioética; aplicação dos princípios da bioética; pesquisa em saúde; resolução 196/96 do CNS. BIBLIOGRAFIA BÁSICA: ARANHA, M. L. de A. – Filosofando: introdução à filosofia. São Paulo: Moderna, 2010. CHAUI, M. – Convite à filosofia. São Paulo: Ática,2010. LEPARGNEU, H. – Bioética, novo conceito. São Paulo: Loyola, 2009. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: FORTES, P. A. de C. – Ética e saúde: questões éticas, deontológicas e legais, tomadas de decisões, autonomia e direitos do paciente, estudo de casos. São Paulo: EPU, 2005. NALINI, J. R. – Ética Geral e profissional. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 2011. SOARES, A. M.; PIÑEIRO, W. E. – Bioética e biodireito. São Paulo: Loyola, 2007.
  • 4. Profª Maria Elizabete de L. Monteiro CURSO TÉCNICO DE PODOLOGIA PLANO DE ENSINO BASE TECNOLÓGICA C/H Microbiologia 40 COMPETÊNCIAS Compreender a estrutura, a fisiologia e a genética dos microrganismos assim como o seu controle através de agentes físicos e químicos. HABILIDADES Relacionar as estruturas básicas e acessórias de um microrganismo com suas respectivas funções. Adquirir hábitos corretos para o manuseio de material contaminado. Utilizar adequadamente agentes físicos e químicos para controle de microrganismos. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Bacteriologia Básica: Morfologia; Citologia; Fisiologia; Medidas de crescimento bacteriano. Controle dos microrganismos: Ação dos agentes físicos com ênfase em suas aplicações em processos de esterilização e desinfecção.; Mecanismo de ação das drogas antimicrobianas; Resistência a antimicrobianos. Micróbios, saúde e doenças, aspectos básicos: Microbiota normal do corpo humano; Fatores de virulência. Cocos Gram positivos e Bacilos Gram negativos. Defesas Constitutivas e induzidas do organismo, antígenos, anticorpos, inflamação, sistema completo. BIBLIOGRAFIA BÁSICA: MURRAY, P. R.; ROSENTHAL, K. S.; PFALLER, M. A. – Microbiologia médica. 6 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2010. TUTORA, G. J FUNKER, B R.; CASE C. L. – Microbiologia. 10 ed. Porto alegre: Artmed, 2012. TRABULSI, L. R. – Microbiologia. São Paulo: Atheneu, 2005. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: BLACK, J. – Microbiologia- fundamentos e perspectivas. 4 ed. Rio de janeiro: Guanabara Koogan, 2002.(última edição). BURTON, G. L. W.; ENGELKIRK, P. G. – Microbiologia para as ciências da saúde. 7. Ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2005. (última edição). MEDIGAN, M T.; MATINKO, J. M.; DUNLAP, P. V., CLARK, D.P – Microbiologia de Brock. 12 ed. Porto alegre: ARTMED, 2010. SCHAECHTER M.; ENGLEBERG N. C.; EISENSTEIN B. I.; MEDOFF G. – Microbiologia Mecanismos das Doenças infecciosas. 3 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2002. (última edição).
  • 5. Profª Maria Elizabete de L. Monteiro PLANO DE ENSINO BASE TECNOLÓGICA C/H Fisiologia 40 COMPETÊNCIAS Compreender os diversos sistemas fisiológicos do organismo humano e suas interações para manter a homeostase. HABILIDADES Ser capaz de explicar o funcionamento do organismo humano em seus diversos níveis de organização, estrutura e função de cada sistema fisiológico. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Homeostase: A Célula e o organismo; Fisiologia do sistema Nervoso; Fisiologia do sistema Locomomtor; Fisiologia do Sistema Endrócno; Mecanismo de agressão e defesa; Fisiologia do sistema Circulatório; Fisiologia da Respiraçção e circuito dos Gases; Fisiologia do sistema Digestivo e Metabolismo; Fisiologia do Sistema Excretor; Fisiologia da Reprodução. BIBLIOGRAFIA BÁSICA BERNE, R., M; LEVY, M. N.; KOEPPEN B.M; STATON. B. A. – Fisiologia. 5ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004 GUYTON, A; HALL, J. – Fisiologia humana e mecanismo das doenças. 6 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1998. TORTORA, G. J.; GRABOWSKY, S. R. – Princípios de anatomia e fisiologia. 9 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2002. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR BULLOCK, J.; BOYLE, J.; WANG, M. B. – NNS – Fisiologia. 3 ed. Rio de janeiro: Guanabara Koogan, 1998. CARLSON, N. R. - Fisiologia do comportamento. 7 ed. São Paulo: Manoele, 2006. DAVIES, A.; BLAKELEY, A. G. H.; KIDD, C. – Fisiologia humana. Porto Alegre: Artmed, 2002. GUYTON, A; HALL, J. – Fisiologia humana. 6 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1988. SILVERTHON – Fisiologia humana; abordagem integrada. 2 ed. São Paulo: Manoele: 2003.
  • 6. Profª Maria Elizabete de L. Monteiro CURSO TÉCNICO DE PODOLOGIA PLANO DE ENSINO BASE TECNOLÓGICA C/H Anatomia Humana 40 COMPETÊNCIAS Discorrer acerca da constituição, forma e disposição dos órgãos do corpo humano; Correlacionar as principais estruturas da anatomia humana. HABILIDADES Ser capaz de identificar as estruturas anatômicas do corpo humano. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Introdução à Anatomia; osteologia; artrologia; miologia; sistemas circulatório e respiratório; Patologia óssea dos pés, deformidade óssea dos pés, deformidade óssea do calcâneo, deformidade óssea dos dedos. Estrutura anatômica dos pés e lâmina ungueal. BIBLIOGRAFIA BÁSICA: YUE, A. (Coord). Atlas de fisiologia humana. Tradução: Neila Freitas. Barueri: Girassol; Frienzer: Giunti Gruppo Editorial, 2009. 2888 p. AUGUSTO, A. B. ET AL. Curso Didático de estética: Volume 1. São Caetano do Sul: Yendis, 2008. 265 p. ABRAHAMS, P. Atlas Descritivo do Corpo humano. 1 ed. São Paulo: Rideel, 2009. 176 p. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: BEGA e LAROSA. Podologia bases clínicas e anatômicas, _São Paulo:. Martinari,2010 TUTORA, G J. Princípios de anatomia e Fisiologia. Tradução Alexandre Lins. 12 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2010.
  • 7. Profª Maria Elizabete de L. Monteiro CURSO TÉCNICO DE PODOLOGIA PLANO DE ENSINO BASE TECNOLÓGICA C/H ELETROTERAPIA 30 COMPETÊNCIA Capacitar o discente a avaliar e identificar os principais recursos eletroterápicos aplicados á podologia. Reconhecendo sua utilização e aplicabilidade para o emprego de técnicas necessárias ao tratamento de patologias, podopatias e onicopatias e onicodistrofias ungueais. HABILIDADES O aluno será capaz de reconhecer cada recurso eletroterápico, sabendo distinguir sua funcionalidade e aplicabilidade na podologia. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO I- Noções de grandeza elétrica ( tensão, corrente, potência, cargas elétricas); Noões físicas sobre eletrofísica (polaridade, resistência, capacitância impedância, amperagem, condutores, isolantes, circuito e campo elétrico) principais correntes usadas, (alta, média e baixa frequência), efeitos da corrente elétrica. Uso do Laser e Lad na regeneração tecidual, cicatrização e tratamentos para onicomicoses, onicocriptose e onicodistrofias ungueais. II-Aulas práticas demonstrativas em laboratórios. BIBLIOGRAFIA BÁSICA BEGA e LOROSA. Podologia bases Clínicas e Anatômicas cap. V - São Paulo, Martinari 2010. AGNES,J. E. – Eu sei eletroterapia. 2 ed. Santa Maria (RS), editora Orium, 2011. PEREIRA, F. – Eletroterapia sem mistérios – Aplicação em estética facial e corporal. 3 ed. Rio de Janeiro: Rubio, 2007. CORANZZA.s. – Beleza inteligente. São Paulo, editora Mandras, 2001.
  • 8. Profª Maria Elizabete de L. Monteiro PLANO DE ENSINO BASE TECNOLÓGICA C/H PROCEDIMENTOS E PRÁTICA 400 COMPETÊNCIA São desenvolvidas competências de maior complexidade que envolve a avaliação de alterações podológicas, seleção e aplicação de técnicas que permitem a recuperação e a reabilitação. HABILIDADES Capacitar os alunos com relação a atenção a clientes portadores de afecções, tais como portadores de cardiopatias, diabetes, neuropatias, dentre outras que requeiram ações diferenciadas. visitas técnicas, simulações, vivências em laboratório, atendimento e acompanhamento a clientes e definição de Protocolos. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Visitas técnicas, simulações, vivências em laboratório, atendimento e acompanhamento a clientes e definições de protocolos. Atendimento externo em instituições sociais definindo protocolos de acordo com a necessidade de cada cliente. BIBLIOGRAFIA BÁSICA TIXA, S. Atlas de Anatomia Palpatória do Membro Inferior. São Paulo: editora Manole, 2000. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: LELLIS VLC. Avaliação, prevenção e intervenção no “pé em risco”. Diabetes Clínica 4(5): 371-75; 2000 NERY, ES. Salve seus pés. Jornal BD Bom dia 16(68); 2003. CURSO TÉCNICO DE PODOLOGIA
  • 9. Profª Maria Elizabete de L. Monteiro PLANO DE ENSINO BASE TECNOLÓGICA C/H Primeiros Socorros 60 Os acidentes e suas conseqüências (traumatismos, ferimentos, lesões) são a maior causa de morte, de incapacidade permanente, de internamentos e idas a urgências. O profissional podólogo deve saber o que fazer no momento em que acontecer acidentes emergenciais ou situações problemas onde o paciente necessite de auxílio. HABILIDADES Levar ao aluno noções básicas de primeiros socorros; Capacitá-los a realizar procedimentos básicos do primeiro atendimento; Informar sobre as medidas a serem tomadas, bem como o que não deve ser realizado, evitando-se assim o agravo da vítima; Atuar com eficiência nas situações de urgência/emergência definidas no conteúdo programático; Formar agentes multiplicadores. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Caracterização, funções, aspectos fundamentais. Acidentes: características e tipologia. Emergências: gravidade da lesão e condição da vítima; cuidados gerais e preliminares. Hemorragias. Ferimentos: superficiais e profundos; na cabeça; fraturas e luxações. Métodos de Respiração. Parada Respiratória. Massagem Cardíaca. Envenenamentos. Corpos estranhos. Picadas de Insetos e de Cobras. Lesões na Coluna Vertebral. Estado de Choque. Queimaduras. Transporte de Acidentados. BIBLIOGRAFIA BÁSICA COMITÊ DO PHTLS DA NATIONAL ASSOCIATION. Atendimento pré- hospitalar ao traumatizado: básico e avançado: PHTLS. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007. 451 p. ISBN 85-352-1362-7 HAFEN, Karen, Frandsen. Brent, Keith, Kathyr. Primeiros Socorros para estudantes. Manole, 2002, 7.ª edição. MARTINS, Herlon Saraiva, Pronto Socorro: Diagnóstico e Tratamento em Emergências. Ed:2008, São Paulo.
  • 10. Profª Maria Elizabete de L. Monteiro BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR SCHETTINO, Guilherme; MATTAR JUNIOR, Jorge; CARDOSO, Luiz Francisco; MATTAR JUNIOR, Jorge; TORGGER FILHO, Francisco. Paciente crítico: diagnóstico e tratamento. Barueri: Manole, 2006. ERAZO, Manual de Urgências em Pronto-Socorro. Ed. Guanabara-Koogan, 8° Ed., 2006, Rio de Janeiro MICHEL, Osvaldo. Guia de Primeiros Socorros. Ed. Ltr, 2002, São Paulo MARINO, Paul L. Compêndio de UTI. 3.ed. Porto Alegre: Artmed, 2008.
  • 11. Profª Maria Elizabete de L. Monteiro CURSO TÉCNICO DE PODOLOGIA PLANO DE ENSINO BASE TECNOLÓGICA C/H Gestão empreendedora 30 COMPETÊNCIAS Proporcionar ao aluno o conhecimento das características empreendedoras, a busca das oportunidades de negócios e o desenvolvimento do plano de negócio na podologia. HABILIDADES Apresentar e discutir o conceito de empreendedorismo e seu objetivo; Analisar e discutir o principal perfil do empreendedor; Apresentar e discutir sobre reconversão profissional; CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Definir o objetivo da gestão e empreendedorismo na podologia, Fundamentos de empreendedorismo; Perfil do empreendedor; noções sobre oportunidades de futuro na gestão e no empreendedorismo; reconversão profissional, o futuro nas organizações; a importância de empreender com conhecimento em nichos de mercado; inovação e competitividade o segredo do sucesso; a importância da negociação. BIBLIOGRAFIA BÁSICA CHIAVENATTO. I. Empreendedorismo: dando asas ao espírito empreendedor. São Paulo: Sarava, 2005. DORNELAS, José Carlos Assis. Empreendedorismo: transformando ideias em negócios. Rio de Janeiro: Campus, 2001.
  • 12. Profª Maria Elizabete de L. Monteiro BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR BARON, Robert A.; SHANE, Scott A Empreendedorismo: uma visão do processo. São Paulo: Thomson Learning, 2007. FARAH, Osvaldo Elias; CAVALCANTI, Marly; MARCONDES, Luciana Passos. (Orgs.). Empreendedorismo Estratégico: criação e gestão de pequenas empresas. São Paulo: Cengage Learning, 2008. ________. Empreendedorismo: transformando ideias em negócios. 3. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2008. 5ª reimpressão. ORTIGARA, Anacleto Ângelo. A Cabeça do Empreendedor: o pensamento do fundador de uma empresa de sucesso. Florianópolis: Editora Insular, 2008.
  • 13. Profª Maria Elizabete de L. Monteiro