SlideShare uma empresa Scribd logo
Trabalho científico: estrutura do relatório e natureza dos itens que o compõem. Profas. Dras. Lucila Pesce e Sonia Ignácio
Questões: O que? (Problema de pesquisa) Por quê? (Justificativa) Para que? (Objetivos - com que finalidade?) Onde? ( Corpus  de análise) Como? (Método) Questões que permeiam o trabalho científico
Itens de um trabalho científico Capa Página de rosto Sumário Apresentação / origem do problema de investigação. Objetivos geral e específicos (a cada etapa da pesquisa). Justificativa: relevância pessoal, social e/ou científica. Definição do problema de investigação (a questão em si). Delimitação do  corpus  de análise ou campo de investigação. Movimento metodológico:  suposição  abordagem metodológica procedimentos de coleta e análise de dados Delineamento do marco teórico. Referências bibliográficas. Cronograma das ações a serem desenvolvidas.
O trabalho científico Introdução - experiências e atividades pessoais e profissionais que o levaram a se interessar por um determinado problema de pesquisa, e querer pesquisá-lo. Problema: definição e delimitação ( O que? Onde? ) -  qual é a questão / problema a ser pesquisada (o)  Onde será desenvolvida a pesquisa  Objetivos ( o que eu pretendo) –  Geral:   em alguns casos, pode vir junto com o problema Específicos: identificar o que espera desenvolver, por partes Justificativa -  É o momento de se dizer qual é a relevância (pessoal, social e científica) de seu problema de pesquisa  Metodologia -  como pretendo coletar os dados necessários para a pesquisa? Qual o método? Quais os procedimentos de coleta e análise? De que recursos necessitarei?  Cronograma  Bibliografia
1 - Pré-texto: . capa . páginas de rosto (folha de rosto, verso e anverso)  . folha de aprovação ou parecer da comissão julgadora . dedicatória (opcional) . agradecimentos (opcional) . epígrafe (opcional) . resumo (com palavras-chave) . sumário . listas de ilustrações, abreviaturas e siglas, símbolos (opcional) – se o corpo do texto tiver tais elementos. O trabalho é composto de 3 partes:
2 - Texto: I –  Introdução: Apresentação / origem do problema de investigação. Objetivos gerais e específicos. Justificativa: relevância social e/ou científica. Definição e delimitação do problema de investigação. Movimento metodológico: suposição, abordagem metodológica e procedimentos de coleta e análise de dados. Apresentação sucinta dos capítulos da pesquisa. II –  Fundamentação teórica:  capítulos geral e específico(s). IV –  Apresentação e análise dos dados:  mediante categorias de análise. V –  Considerações finais : recapitulação dos resultados, manifestação crítica sobre os mesmos, levantamento de propostas de ações e/ou problemas a serem pesquisados.
3 - Pós-texto: VI – Referências bibliográficas. VII – Anexos / Apêndices (opcional). VIII – Glossário (opcional). IX – Capa final.
Tema  e  Problema Tema  e/ou  temática   Idéias amplas que se apresentam dentro de uma (ou diversas/ várias) área. A temática pode envolver títulos, instituição, área, população ou tema. Ex.: Educação a Distância (área); Alunos do curso de Administração da PUCSP (área, população e instituição) “ ...tema (...) problema circunscrito, do qual vemos o começo e o fim. (...) usando exemplo, tema é a árvore e a temática é o bosque: pé fundamental encontrar a árvore, de preferência aquela árvore que podemos tratar melhor, seja porque já lemos alguma coisa a seu respeito, discutimos algo em torno dela...”   (Demo, 2000, p.161)
Escolher o tema significa: a) Selecionar um assunto de acordo com as inclinações, as possibilidades, as aptidões e as tendências de quem se propõe a elaborar um trabalho científico; b) Encontrar um objeto que mereça ser investigado cientificamente e tenha condições de ser formulado e delimitado em função da pesquisa. Responde a pergunta:  O que será explorado???
Problema “ Questão não resolvida e que é objeto de discussão, em qualquer domínio do conhecimento”  (Dicionário Aurélio) É uma dificuldade, teórica ou prática, no conhecimento de alguma coisa de real importância, para a qual se deve encontrar uma solução. Deve ser claro, conciso e objetivo. Quanto mais abrangente for, mais complexa será a pesquisa. Tudo o que for questionado no problema deverá ser respondido, portanto, ele deve ser bem delimitado, simplificado de forma a facilitar a investigação, respeitando o tempo que será dedicado à investigação.
Responde às perguntas:  “O que”, “Onde” e “Como”. O problema deve ser visto  como um conjunto de perguntas de perguntas que o pesquisador: - Precisa - Deseja Julga ser relevante responder Nota : sempre há uma questão norteadora da qual podem decorrer subquestões para investigação.
Delimitação dos objetivos e das perguntas Fazer introdução explicativa Apresentação das justificativas das fontes Como? Com quem desenvolveu a coleta? Procedimentos – deve-se explicar – quais? Descrição de forma sistematizada Análise prévia dos dados
Ao citar, explicar a coleta Fazer introdução - explicitar como foram colhidos os dados...Quais as fontes? Os dados / interpretações devem ser contextualizados – de onde emergiram tais informações? Caracterizar o contexto
Cuidado com as afirmações. Foram coletadas de que fonte??? A importância da escolha das perguntas em entrevistas... Mesmo informais elas devem constar como apêndices. Siglas devem sempre ser decodificadas. Temos dificuldade em enxergar os problemas em nosso contexto...
Estrutura geral de relatórios:  Justificativa para escolha das atividades. Informações sobre as atividades desenvolvidas: - caracterização das atividades: finalidade(s); responsáveis e/ou envolvidos;  - local de realização;  - descrição das atividades / relato;  - contribuições que a atividade proporcionou para você e/ou para os envolvidos.
Usar linguagem e informações de acordo com o destinatário ( para quem é o relatório?) – linguagem formal; Respeitar as orientações formais solicitadas; O relatório costuma ser organizado a partir de um relato,  podendo conter:   - apresentação das atividades,  - descrição dos procedimentos,  - exposição do referencial teórico adotado,  - análise e discussão dos resultados obtidos,  - apresentação da conclusão.
Estrutura do relatório:  capa, índice, introdução, temas e sub-temas, conclusão, bibliografia, anexos, apêndices. Relatório escrito na 1ª ou na 3ª pessoa / digitado e justificado.  Resumo: sempre na 3ª pessoa e sem paragrafação, com esclarecimento do tema, do marco teórico e do movimento metodológico de investigação. Gráficos  – só quando necessário.
Numa pesquisa mais detalhada, alguns dados não são aceitos...ou precisam ser refeitos...  Transcrição de dados do questionário não torna o relatório satisfatório...Precisa análise... O relatório, ainda que seja feito no mesmo lugar que outro/a colega, explicita o meu olhar...
Na análise: interpretação, articulações, explicitar contradições, convergências...que questões emergem??? Cuidado...não devemos simplesmente escolher os entrevistados... Importância dos critérios... Questões e dados devem ter relevância...
BIBLIOGRAFIA DEMO,  Pedro.  Metodologia do Conhecimento Cientifico . São Paulo: Atlas, 2000 LAKATOS, Eva M., MARCONI, Marina de A .  Fundamentos de   Metodologia científica . 5ª ed. São Paulo: Atlas, 2003. PESCUMA, D. & CASTILHO, A. P.  Referências bibliográficas:  um guia para documentar suas pesquisas. São Paulo: Olho d’Água, 2001. ______.  Trabalho acadêmico: o que é? como fazer? .  São Paulo: Olho d’Água, 2002.
Critérios de avaliação do trabalho científico Título  (adequação ao tema da pesquisa) Definição da pesquisa Clareza na definição da questão norteadora Delimitação do problema Adequação entre o problema e o tema de pesquisa Coerência entre o tema e a justificativa (relevância social, científica, pessoal) Quadro teórico Consistência conceitual da revisão de literatura Adequação entre o marco teórico e os objetivos da pesquisa Posicionamento, em relação ao quadro teórico (assumir a autoria do trabalho)
Critérios de avaliação do trabalho científico Metodologia Adequação entre o marco teórico, a abordagem metodológica e os procedimentos de coleta (fontes e instrumentos) Consistência analítica e interpretativa (articulação com o marco teórico) do fenômeno Bibliografia  (adequação às normas da ABNT) Cronograma Adequação ao problema e aos procedimentos metodológicos Exeqüibilidade da pesquisa
Critérios de avaliação do trabalho científico Outro indicadores: Encadeamento e articulação dos itens: clareza de idéias, correção da linguagem, coesão entre as partes, coerência de pensamento. Consistência do corpo teórico: adequada referência dos autores e articulação entre os conceitos, de modo a assumir a autoria do texto. Rigor/densidade na reflexão sobre os conceitos apropriados. Observância da formatação, segundo a última ABNT.
Apêndice I – Exemplo de projeto de pesquisa Título:   Tendências educacionais da EMEF Prof. João Talento. Contexto de produção Autor: Maria Josefina de Abreu Destinatários: academia onde Josefina estuda e EMEI onde Josefina é professora.  Definição da pesquisa Delimitação do problema : análise das principais tendências educacionais da escola escolhida. Definição das questões norteadoras :  O que caracteriza cada uma das tendências educacionais (tradicional, escolanovista, crítico-reprodutivista, crítico-social dos conteúdos, popular)? Em que momento histórico cada uma delas se sobressaiu? Qual a relação entre o contexto histórico do Brasil e a emergência das tendências educacionais? Quais as tendências educacionais que aparecem na história da escola escolhida? Justificativa : a pesquisa proporciona a possibilidade de um olhar mais crítico sobre a relação da escola com as questões sociais mais amplas nas quais se insere.
Desdobramentos metodológicos da delimitação do problema de pesquisa   Quais as diferenças e semelhanças das tendências educacionais da EMEF Prof. João Talento e da Escola Méritas? Qual(is) a(s) tendência(s) educacionais da EMEF Prof. João Talento, ao longo da sua história?  Quais as principais tendências educacionais, ao longo da história da educação brasileira? Tratamento  de análise Instrumentos de coleta Fontes de coleta P/S Tipo de pesquisa Questões norteadoras
Trabalho científico Quadro teórico Revisão de literatura: títulos sobre história da educação, sociologia da educação e história do Brasil. Metodologia Coleta:  Fontes  Primárias (entrevistas, documentos da escola) Secundárias (livros, jornais, dissertações e teses) Instrumentos  Fichas de leitura (para as fontes secundárias) Roteiro de entrevista (para as fontes primárias. Inserir como apêndice) Análise de dados: Organização das fichas de leitura, por afinidade temática. Análise das obras estudadas: recorrências e discrepâncias entre os autores, sobre um mesmo tema; seu posicionamento perante as considerações dos autores.  Análise das entrevistas.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Slide referenciação bibliográfica segundo normas da abnt slide
Slide referenciação bibliográfica segundo normas da abnt slideSlide referenciação bibliográfica segundo normas da abnt slide
Slide referenciação bibliográfica segundo normas da abnt slide
Vera Moreira Matos
 
Modelo trabalho na ABNT
Modelo trabalho na ABNTModelo trabalho na ABNT
Modelo trabalho na ABNT
Micheli Wink
 
Slides para Apresentação acadêmica
Slides para Apresentação acadêmicaSlides para Apresentação acadêmica
Slides para Apresentação acadêmica
RafaelBorges3
 
Normas ABNT Apresentação de trabalhos acadêmicos
Normas ABNT Apresentação de trabalhos acadêmicosNormas ABNT Apresentação de trabalhos acadêmicos
Normas ABNT Apresentação de trabalhos acadêmicos
Patrícia Éderson Dias
 
Pesquisa Qualitativa e Quantitativa
Pesquisa Qualitativa e QuantitativaPesquisa Qualitativa e Quantitativa
Pesquisa Qualitativa e Quantitativa
jlpaesjr
 
Revisão bibliográfica
Revisão bibliográficaRevisão bibliográfica
Aula 04 - O Projeto de Pesquisa
Aula 04 - O Projeto de PesquisaAula 04 - O Projeto de Pesquisa
Aula 04 - O Projeto de Pesquisa
Ghiordanno Bruno
 
Apresentação metodologia da pesquisa
Apresentação   metodologia da pesquisaApresentação   metodologia da pesquisa
Apresentação metodologia da pesquisa
Faculdade Metropolitanas Unidas - FMU
 
Modelo de relatório de aula prática
Modelo de relatório de aula práticaModelo de relatório de aula prática
Modelo de relatório de aula prática
TEYSON VASCONCELOS
 
Modelo de pre projeto tcc
Modelo de pre projeto tccModelo de pre projeto tcc
Modelo de pre projeto tcc
Rosane Domingues
 
Aula 1 metodologia científica
Aula 1   metodologia científicaAula 1   metodologia científica
Aula 1 metodologia científica
Ludmila Moura
 
Apresentação iniciação científica
Apresentação   iniciação científicaApresentação   iniciação científica
Apresentação iniciação científica
Gerdian Teixeira
 
Introdução à Metodologia da Pesquisa Científica
Introdução à Metodologia da Pesquisa Científica   Introdução à Metodologia da Pesquisa Científica
Introdução à Metodologia da Pesquisa Científica
jessicalaryl
 
Como elaborar um projeto de pesquisa
Como elaborar um projeto de pesquisaComo elaborar um projeto de pesquisa
Como elaborar um projeto de pesquisa
Deborah Cattani
 
Slide de Iniciação Científica - 2º e 3º do ensino médio da EEJNSC
Slide de Iniciação Científica - 2º e 3º do ensino médio da EEJNSCSlide de Iniciação Científica - 2º e 3º do ensino médio da EEJNSC
Slide de Iniciação Científica - 2º e 3º do ensino médio da EEJNSC
Cândido Silva
 
Modelo de-fichamento em word
Modelo de-fichamento em wordModelo de-fichamento em word
Modelo de-fichamento em word
Mister B
 
Escrita Académica
Escrita AcadémicaEscrita Académica
Escrita Académica
Ana Carla Amaro
 
Pesquisa - Quantitativa e Qualitativa
Pesquisa - Quantitativa e Qualitativa Pesquisa - Quantitativa e Qualitativa
Pesquisa - Quantitativa e Qualitativa
Rosane Domingues
 
Apresentação abnt citações
Apresentação abnt citaçõesApresentação abnt citações
Apresentação abnt citações
Diogo Maxwell
 
Fichamento de Texto
Fichamento de TextoFichamento de Texto
Fichamento de Texto
Portal do Vestibulando
 

Mais procurados (20)

Slide referenciação bibliográfica segundo normas da abnt slide
Slide referenciação bibliográfica segundo normas da abnt slideSlide referenciação bibliográfica segundo normas da abnt slide
Slide referenciação bibliográfica segundo normas da abnt slide
 
Modelo trabalho na ABNT
Modelo trabalho na ABNTModelo trabalho na ABNT
Modelo trabalho na ABNT
 
Slides para Apresentação acadêmica
Slides para Apresentação acadêmicaSlides para Apresentação acadêmica
Slides para Apresentação acadêmica
 
Normas ABNT Apresentação de trabalhos acadêmicos
Normas ABNT Apresentação de trabalhos acadêmicosNormas ABNT Apresentação de trabalhos acadêmicos
Normas ABNT Apresentação de trabalhos acadêmicos
 
Pesquisa Qualitativa e Quantitativa
Pesquisa Qualitativa e QuantitativaPesquisa Qualitativa e Quantitativa
Pesquisa Qualitativa e Quantitativa
 
Revisão bibliográfica
Revisão bibliográficaRevisão bibliográfica
Revisão bibliográfica
 
Aula 04 - O Projeto de Pesquisa
Aula 04 - O Projeto de PesquisaAula 04 - O Projeto de Pesquisa
Aula 04 - O Projeto de Pesquisa
 
Apresentação metodologia da pesquisa
Apresentação   metodologia da pesquisaApresentação   metodologia da pesquisa
Apresentação metodologia da pesquisa
 
Modelo de relatório de aula prática
Modelo de relatório de aula práticaModelo de relatório de aula prática
Modelo de relatório de aula prática
 
Modelo de pre projeto tcc
Modelo de pre projeto tccModelo de pre projeto tcc
Modelo de pre projeto tcc
 
Aula 1 metodologia científica
Aula 1   metodologia científicaAula 1   metodologia científica
Aula 1 metodologia científica
 
Apresentação iniciação científica
Apresentação   iniciação científicaApresentação   iniciação científica
Apresentação iniciação científica
 
Introdução à Metodologia da Pesquisa Científica
Introdução à Metodologia da Pesquisa Científica   Introdução à Metodologia da Pesquisa Científica
Introdução à Metodologia da Pesquisa Científica
 
Como elaborar um projeto de pesquisa
Como elaborar um projeto de pesquisaComo elaborar um projeto de pesquisa
Como elaborar um projeto de pesquisa
 
Slide de Iniciação Científica - 2º e 3º do ensino médio da EEJNSC
Slide de Iniciação Científica - 2º e 3º do ensino médio da EEJNSCSlide de Iniciação Científica - 2º e 3º do ensino médio da EEJNSC
Slide de Iniciação Científica - 2º e 3º do ensino médio da EEJNSC
 
Modelo de-fichamento em word
Modelo de-fichamento em wordModelo de-fichamento em word
Modelo de-fichamento em word
 
Escrita Académica
Escrita AcadémicaEscrita Académica
Escrita Académica
 
Pesquisa - Quantitativa e Qualitativa
Pesquisa - Quantitativa e Qualitativa Pesquisa - Quantitativa e Qualitativa
Pesquisa - Quantitativa e Qualitativa
 
Apresentação abnt citações
Apresentação abnt citaçõesApresentação abnt citações
Apresentação abnt citações
 
Fichamento de Texto
Fichamento de TextoFichamento de Texto
Fichamento de Texto
 

Destaque

A autonomia da política
A autonomia da políticaA autonomia da política
A autonomia da política
Thayro Soares da Paixão
 
Iluminismo, Revolução Francesa e Período Napoleônico
Iluminismo, Revolução Francesa e Período NapoleônicoIluminismo, Revolução Francesa e Período Napoleônico
Iluminismo, Revolução Francesa e Período Napoleônico
Paulo Alexandre
 
Du dh
Du dhDu dh
Manual de investigação
Manual de investigaçãoManual de investigação
Manual de investigação
Pedro Alexandre Silva Pereira
 
Movimento Operário e Doutrinas Sociais
Movimento Operário e Doutrinas SociaisMovimento Operário e Doutrinas Sociais
Movimento Operário e Doutrinas Sociais
eiprofessor
 
Aula 02 Mtc Mba 2009
Aula 02 Mtc Mba 2009Aula 02 Mtc Mba 2009
Aula 02 Mtc Mba 2009
Rodrigo Corrêa Leite
 
Iluminismo e Revolução Francesa
Iluminismo e Revolução FrancesaIluminismo e Revolução Francesa
Iluminismo e Revolução Francesa
Paulo Alexandre
 
Iluminismo, Revolução Industrial e Revolução Francesa
Iluminismo, Revolução Industrial e Revolução FrancesaIluminismo, Revolução Industrial e Revolução Francesa
Iluminismo, Revolução Industrial e Revolução Francesa
Carlos Glufke
 
Como realizar um Trabalho Científico
Como realizar um Trabalho CientíficoComo realizar um Trabalho Científico
Como realizar um Trabalho Científico
ligasmedicas
 
Slides revolução francesa
Slides revolução francesaSlides revolução francesa
Slides revolução francesa
profalced04
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesa
edna2
 
Etapas EvoluçãO Hstoria Da Terra
Etapas EvoluçãO Hstoria Da TerraEtapas EvoluçãO Hstoria Da Terra
Etapas EvoluçãO Hstoria Da Terra
Sérgio Luiz
 

Destaque (12)

A autonomia da política
A autonomia da políticaA autonomia da política
A autonomia da política
 
Iluminismo, Revolução Francesa e Período Napoleônico
Iluminismo, Revolução Francesa e Período NapoleônicoIluminismo, Revolução Francesa e Período Napoleônico
Iluminismo, Revolução Francesa e Período Napoleônico
 
Du dh
Du dhDu dh
Du dh
 
Manual de investigação
Manual de investigaçãoManual de investigação
Manual de investigação
 
Movimento Operário e Doutrinas Sociais
Movimento Operário e Doutrinas SociaisMovimento Operário e Doutrinas Sociais
Movimento Operário e Doutrinas Sociais
 
Aula 02 Mtc Mba 2009
Aula 02 Mtc Mba 2009Aula 02 Mtc Mba 2009
Aula 02 Mtc Mba 2009
 
Iluminismo e Revolução Francesa
Iluminismo e Revolução FrancesaIluminismo e Revolução Francesa
Iluminismo e Revolução Francesa
 
Iluminismo, Revolução Industrial e Revolução Francesa
Iluminismo, Revolução Industrial e Revolução FrancesaIluminismo, Revolução Industrial e Revolução Francesa
Iluminismo, Revolução Industrial e Revolução Francesa
 
Como realizar um Trabalho Científico
Como realizar um Trabalho CientíficoComo realizar um Trabalho Científico
Como realizar um Trabalho Científico
 
Slides revolução francesa
Slides revolução francesaSlides revolução francesa
Slides revolução francesa
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesa
 
Etapas EvoluçãO Hstoria Da Terra
Etapas EvoluçãO Hstoria Da TerraEtapas EvoluçãO Hstoria Da Terra
Etapas EvoluçãO Hstoria Da Terra
 

Semelhante a Como Fazer Trabalho Cientifico

Como fazer projeto de pesquisa e relatório
Como fazer projeto de pesquisa e relatórioComo fazer projeto de pesquisa e relatório
Como fazer projeto de pesquisa e relatório
Lucila Pesce
 
Roteiro elaboracao-projeto-de-pesquisa
Roteiro elaboracao-projeto-de-pesquisaRoteiro elaboracao-projeto-de-pesquisa
Roteiro elaboracao-projeto-de-pesquisa
joseney nonato de souuza
 
Como elaborar um projeto de pesquisa - profa. Elizabeth Fantauzzi
Como elaborar um projeto de pesquisa - profa. Elizabeth FantauzziComo elaborar um projeto de pesquisa - profa. Elizabeth Fantauzzi
Como elaborar um projeto de pesquisa - profa. Elizabeth Fantauzzi
Elizabeth Fantauzzi
 
Projeto de Pesquisa - Metodologia
Projeto de Pesquisa - MetodologiaProjeto de Pesquisa - Metodologia
Projeto de Pesquisa - Metodologia
Karlos Aires
 
Projeto de pesquisa
Projeto de pesquisaProjeto de pesquisa
Projeto de pesquisa
Karlos Aires
 
Análise de Pesquisas científicas [roteiro] (2).pptx
Análise de Pesquisas científicas [roteiro] (2).pptxAnálise de Pesquisas científicas [roteiro] (2).pptx
Análise de Pesquisas científicas [roteiro] (2).pptx
gerathird
 
1 seminário - como orientar um trabalho de fim de curso
1  seminário - como orientar um trabalho de fim de curso1  seminário - como orientar um trabalho de fim de curso
1 seminário - como orientar um trabalho de fim de curso
Zoraya Gonçalves Araujo
 
Projeto de pesquisa
Projeto de pesquisa  Projeto de pesquisa
Projeto de pesquisa
Professor de Química
 
Programa institucional iniciacao -projeto de pesquisa
Programa institucional iniciacao -projeto de pesquisaPrograma institucional iniciacao -projeto de pesquisa
Programa institucional iniciacao -projeto de pesquisa
Cidinha Santos
 
SLIDE METODOLOGIA DE PESQUISA USP (1).pptx
SLIDE METODOLOGIA DE PESQUISA USP (1).pptxSLIDE METODOLOGIA DE PESQUISA USP (1).pptx
SLIDE METODOLOGIA DE PESQUISA USP (1).pptx
FABOLASOARESDOSREIS
 
Modelo de fichamento
Modelo de fichamentoModelo de fichamento
Modelo de fichamento
Juliana Fonseca Duarte
 
Manual de projetos científicos
Manual de projetos científicosManual de projetos científicos
Manual de projetos científicos
Leonilto Manoel da Cruz
 
Pesquisa
PesquisaPesquisa
Pesquisa
Marta Gomes
 
Manual projeto de pesquisa(3)
Manual projeto de pesquisa(3)Manual projeto de pesquisa(3)
Manual projeto de pesquisa(3)
Dejane Silva Santana Andrade
 
PTCC - Metodologia
PTCC -  MetodologiaPTCC -  Metodologia
PTCC - Metodologia
alemartins10
 
Desenvolvendo sua pesquisa! O que é uma investigação científica?
Desenvolvendo sua pesquisa! O que é uma investigação científica?Desenvolvendo sua pesquisa! O que é uma investigação científica?
Desenvolvendo sua pesquisa! O que é uma investigação científica?
Giuliafs
 
TCC 1: PROJETO DE PESQUISA (Aulas de revisão) aulas 6, 7, 8, 9
TCC 1: PROJETO DE PESQUISA (Aulas de revisão) aulas 6, 7, 8, 9TCC 1: PROJETO DE PESQUISA (Aulas de revisão) aulas 6, 7, 8, 9
TCC 1: PROJETO DE PESQUISA (Aulas de revisão) aulas 6, 7, 8, 9
Jordano Santos Cerqueira
 
Metolodogia daniela cartoni - slides - parte 08 - estrutura do projeto
Metolodogia   daniela cartoni - slides - parte 08 - estrutura do projetoMetolodogia   daniela cartoni - slides - parte 08 - estrutura do projeto
Metolodogia daniela cartoni - slides - parte 08 - estrutura do projeto
Daniela Cartoni
 
Análise de Dados
Análise de DadosAnálise de Dados
Análise de Dados
Lucila Pesce
 
Construindo_o_seu_TCC_passo_a_passo.pdf
Construindo_o_seu_TCC_passo_a_passo.pdfConstruindo_o_seu_TCC_passo_a_passo.pdf
Construindo_o_seu_TCC_passo_a_passo.pdf
Roberta Giovanini
 

Semelhante a Como Fazer Trabalho Cientifico (20)

Como fazer projeto de pesquisa e relatório
Como fazer projeto de pesquisa e relatórioComo fazer projeto de pesquisa e relatório
Como fazer projeto de pesquisa e relatório
 
Roteiro elaboracao-projeto-de-pesquisa
Roteiro elaboracao-projeto-de-pesquisaRoteiro elaboracao-projeto-de-pesquisa
Roteiro elaboracao-projeto-de-pesquisa
 
Como elaborar um projeto de pesquisa - profa. Elizabeth Fantauzzi
Como elaborar um projeto de pesquisa - profa. Elizabeth FantauzziComo elaborar um projeto de pesquisa - profa. Elizabeth Fantauzzi
Como elaborar um projeto de pesquisa - profa. Elizabeth Fantauzzi
 
Projeto de Pesquisa - Metodologia
Projeto de Pesquisa - MetodologiaProjeto de Pesquisa - Metodologia
Projeto de Pesquisa - Metodologia
 
Projeto de pesquisa
Projeto de pesquisaProjeto de pesquisa
Projeto de pesquisa
 
Análise de Pesquisas científicas [roteiro] (2).pptx
Análise de Pesquisas científicas [roteiro] (2).pptxAnálise de Pesquisas científicas [roteiro] (2).pptx
Análise de Pesquisas científicas [roteiro] (2).pptx
 
1 seminário - como orientar um trabalho de fim de curso
1  seminário - como orientar um trabalho de fim de curso1  seminário - como orientar um trabalho de fim de curso
1 seminário - como orientar um trabalho de fim de curso
 
Projeto de pesquisa
Projeto de pesquisa  Projeto de pesquisa
Projeto de pesquisa
 
Programa institucional iniciacao -projeto de pesquisa
Programa institucional iniciacao -projeto de pesquisaPrograma institucional iniciacao -projeto de pesquisa
Programa institucional iniciacao -projeto de pesquisa
 
SLIDE METODOLOGIA DE PESQUISA USP (1).pptx
SLIDE METODOLOGIA DE PESQUISA USP (1).pptxSLIDE METODOLOGIA DE PESQUISA USP (1).pptx
SLIDE METODOLOGIA DE PESQUISA USP (1).pptx
 
Modelo de fichamento
Modelo de fichamentoModelo de fichamento
Modelo de fichamento
 
Manual de projetos científicos
Manual de projetos científicosManual de projetos científicos
Manual de projetos científicos
 
Pesquisa
PesquisaPesquisa
Pesquisa
 
Manual projeto de pesquisa(3)
Manual projeto de pesquisa(3)Manual projeto de pesquisa(3)
Manual projeto de pesquisa(3)
 
PTCC - Metodologia
PTCC -  MetodologiaPTCC -  Metodologia
PTCC - Metodologia
 
Desenvolvendo sua pesquisa! O que é uma investigação científica?
Desenvolvendo sua pesquisa! O que é uma investigação científica?Desenvolvendo sua pesquisa! O que é uma investigação científica?
Desenvolvendo sua pesquisa! O que é uma investigação científica?
 
TCC 1: PROJETO DE PESQUISA (Aulas de revisão) aulas 6, 7, 8, 9
TCC 1: PROJETO DE PESQUISA (Aulas de revisão) aulas 6, 7, 8, 9TCC 1: PROJETO DE PESQUISA (Aulas de revisão) aulas 6, 7, 8, 9
TCC 1: PROJETO DE PESQUISA (Aulas de revisão) aulas 6, 7, 8, 9
 
Metolodogia daniela cartoni - slides - parte 08 - estrutura do projeto
Metolodogia   daniela cartoni - slides - parte 08 - estrutura do projetoMetolodogia   daniela cartoni - slides - parte 08 - estrutura do projeto
Metolodogia daniela cartoni - slides - parte 08 - estrutura do projeto
 
Análise de Dados
Análise de DadosAnálise de Dados
Análise de Dados
 
Construindo_o_seu_TCC_passo_a_passo.pdf
Construindo_o_seu_TCC_passo_a_passo.pdfConstruindo_o_seu_TCC_passo_a_passo.pdf
Construindo_o_seu_TCC_passo_a_passo.pdf
 

Mais de Lucila Pesce

Versão correta - Docência universitária e cultura digital: contribuições e de...
Versão correta - Docência universitária e cultura digital: contribuições e de...Versão correta - Docência universitária e cultura digital: contribuições e de...
Versão correta - Docência universitária e cultura digital: contribuições e de...
Lucila Pesce
 
Linguagens hipermidiáticas e processos formativos: uma inovação?
Linguagens hipermidiáticas e processos formativos: uma inovação?Linguagens hipermidiáticas e processos formativos: uma inovação?
Linguagens hipermidiáticas e processos formativos: uma inovação?
Lucila Pesce
 
Paulo Freire e educação mediada: inspirações
Paulo Freire e educação mediada: inspiraçõesPaulo Freire e educação mediada: inspirações
Paulo Freire e educação mediada: inspirações
Lucila Pesce
 
DIGITAL TECHNOLOGIES OF INFORMATION AND COMMUNICATION
DIGITAL TECHNOLOGIES OF INFORMATION AND COMMUNICATIONDIGITAL TECHNOLOGIES OF INFORMATION AND COMMUNICATION
DIGITAL TECHNOLOGIES OF INFORMATION AND COMMUNICATION
Lucila Pesce
 
Cepem 2018 apresentacao_silvia_lucila_short
Cepem 2018 apresentacao_silvia_lucila_shortCepem 2018 apresentacao_silvia_lucila_short
Cepem 2018 apresentacao_silvia_lucila_short
Lucila Pesce
 
Educação híbrida, práticas sociais e cibercultura
Educação híbrida, práticas sociais e ciberculturaEducação híbrida, práticas sociais e cibercultura
Educação híbrida, práticas sociais e cibercultura
Lucila Pesce
 
Lec 2019 ufopa
Lec 2019 ufopaLec 2019 ufopa
Lec 2019 ufopa
Lucila Pesce
 
Educação Aberta, Recursos Educacionais Abertos e Redes Sociais
Educação Aberta, Recursos Educacionais Abertos e Redes SociaisEducação Aberta, Recursos Educacionais Abertos e Redes Sociais
Educação Aberta, Recursos Educacionais Abertos e Redes Sociais
Lucila Pesce
 
Cultura digital, racionalidade comunicativa e empoderamento em tempos de pand...
Cultura digital, racionalidade comunicativa e empoderamento em tempos de pand...Cultura digital, racionalidade comunicativa e empoderamento em tempos de pand...
Cultura digital, racionalidade comunicativa e empoderamento em tempos de pand...
Lucila Pesce
 
Fundamentos ontológicos e epistemológicos da aprendizagem online em tempos de...
Fundamentos ontológicos e epistemológicos da aprendizagem online em tempos de...Fundamentos ontológicos e epistemológicos da aprendizagem online em tempos de...
Fundamentos ontológicos e epistemológicos da aprendizagem online em tempos de...
Lucila Pesce
 
Tce freitas da escrita_a_internet
Tce freitas da escrita_a_internetTce freitas da escrita_a_internet
Tce freitas da escrita_a_internet
Lucila Pesce
 
E moderacao - Paulo Dias
E moderacao - Paulo DiasE moderacao - Paulo Dias
E moderacao - Paulo Dias
Lucila Pesce
 
TCE - Valente - Uso da internet na sala de aula
TCE - Valente - Uso da internet na sala de aulaTCE - Valente - Uso da internet na sala de aula
TCE - Valente - Uso da internet na sala de aula
Lucila Pesce
 
TCE - Santaella - Interatividade no ciberespaco
TCE - Santaella - Interatividade no ciberespacoTCE - Santaella - Interatividade no ciberespaco
TCE - Santaella - Interatividade no ciberespaco
Lucila Pesce
 
TCE - Pesce - O professor em foco
TCE - Pesce - O professor em focoTCE - Pesce - O professor em foco
TCE - Pesce - O professor em foco
Lucila Pesce
 
Tce levy nova_relacao_com_o_saber
Tce levy nova_relacao_com_o_saberTce levy nova_relacao_com_o_saber
Tce levy nova_relacao_com_o_saber
Lucila Pesce
 
TCE - Kenski - nova logica do ensino na sociedade da informacao
TCE - Kenski - nova logica do ensino na sociedade da informacaoTCE - Kenski - nova logica do ensino na sociedade da informacao
TCE - Kenski - nova logica do ensino na sociedade da informacao
Lucila Pesce
 
TCE - Demo - Tecnologia Educacao Aprendizagem
TCE - Demo - Tecnologia Educacao AprendizagemTCE - Demo - Tecnologia Educacao Aprendizagem
TCE - Demo - Tecnologia Educacao Aprendizagem
Lucila Pesce
 
TCE Belloni tecnologia
TCE Belloni tecnologiaTCE Belloni tecnologia
TCE Belloni tecnologia
Lucila Pesce
 
TCE Belloni Midia e educacao
TCE Belloni Midia e educacaoTCE Belloni Midia e educacao
TCE Belloni Midia e educacao
Lucila Pesce
 

Mais de Lucila Pesce (20)

Versão correta - Docência universitária e cultura digital: contribuições e de...
Versão correta - Docência universitária e cultura digital: contribuições e de...Versão correta - Docência universitária e cultura digital: contribuições e de...
Versão correta - Docência universitária e cultura digital: contribuições e de...
 
Linguagens hipermidiáticas e processos formativos: uma inovação?
Linguagens hipermidiáticas e processos formativos: uma inovação?Linguagens hipermidiáticas e processos formativos: uma inovação?
Linguagens hipermidiáticas e processos formativos: uma inovação?
 
Paulo Freire e educação mediada: inspirações
Paulo Freire e educação mediada: inspiraçõesPaulo Freire e educação mediada: inspirações
Paulo Freire e educação mediada: inspirações
 
DIGITAL TECHNOLOGIES OF INFORMATION AND COMMUNICATION
DIGITAL TECHNOLOGIES OF INFORMATION AND COMMUNICATIONDIGITAL TECHNOLOGIES OF INFORMATION AND COMMUNICATION
DIGITAL TECHNOLOGIES OF INFORMATION AND COMMUNICATION
 
Cepem 2018 apresentacao_silvia_lucila_short
Cepem 2018 apresentacao_silvia_lucila_shortCepem 2018 apresentacao_silvia_lucila_short
Cepem 2018 apresentacao_silvia_lucila_short
 
Educação híbrida, práticas sociais e cibercultura
Educação híbrida, práticas sociais e ciberculturaEducação híbrida, práticas sociais e cibercultura
Educação híbrida, práticas sociais e cibercultura
 
Lec 2019 ufopa
Lec 2019 ufopaLec 2019 ufopa
Lec 2019 ufopa
 
Educação Aberta, Recursos Educacionais Abertos e Redes Sociais
Educação Aberta, Recursos Educacionais Abertos e Redes SociaisEducação Aberta, Recursos Educacionais Abertos e Redes Sociais
Educação Aberta, Recursos Educacionais Abertos e Redes Sociais
 
Cultura digital, racionalidade comunicativa e empoderamento em tempos de pand...
Cultura digital, racionalidade comunicativa e empoderamento em tempos de pand...Cultura digital, racionalidade comunicativa e empoderamento em tempos de pand...
Cultura digital, racionalidade comunicativa e empoderamento em tempos de pand...
 
Fundamentos ontológicos e epistemológicos da aprendizagem online em tempos de...
Fundamentos ontológicos e epistemológicos da aprendizagem online em tempos de...Fundamentos ontológicos e epistemológicos da aprendizagem online em tempos de...
Fundamentos ontológicos e epistemológicos da aprendizagem online em tempos de...
 
Tce freitas da escrita_a_internet
Tce freitas da escrita_a_internetTce freitas da escrita_a_internet
Tce freitas da escrita_a_internet
 
E moderacao - Paulo Dias
E moderacao - Paulo DiasE moderacao - Paulo Dias
E moderacao - Paulo Dias
 
TCE - Valente - Uso da internet na sala de aula
TCE - Valente - Uso da internet na sala de aulaTCE - Valente - Uso da internet na sala de aula
TCE - Valente - Uso da internet na sala de aula
 
TCE - Santaella - Interatividade no ciberespaco
TCE - Santaella - Interatividade no ciberespacoTCE - Santaella - Interatividade no ciberespaco
TCE - Santaella - Interatividade no ciberespaco
 
TCE - Pesce - O professor em foco
TCE - Pesce - O professor em focoTCE - Pesce - O professor em foco
TCE - Pesce - O professor em foco
 
Tce levy nova_relacao_com_o_saber
Tce levy nova_relacao_com_o_saberTce levy nova_relacao_com_o_saber
Tce levy nova_relacao_com_o_saber
 
TCE - Kenski - nova logica do ensino na sociedade da informacao
TCE - Kenski - nova logica do ensino na sociedade da informacaoTCE - Kenski - nova logica do ensino na sociedade da informacao
TCE - Kenski - nova logica do ensino na sociedade da informacao
 
TCE - Demo - Tecnologia Educacao Aprendizagem
TCE - Demo - Tecnologia Educacao AprendizagemTCE - Demo - Tecnologia Educacao Aprendizagem
TCE - Demo - Tecnologia Educacao Aprendizagem
 
TCE Belloni tecnologia
TCE Belloni tecnologiaTCE Belloni tecnologia
TCE Belloni tecnologia
 
TCE Belloni Midia e educacao
TCE Belloni Midia e educacaoTCE Belloni Midia e educacao
TCE Belloni Midia e educacao
 

Último

A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
mailabueno45
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
Sandra Pratas
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptxA Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
tamirissousa11
 

Último (20)

A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptxA Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
 

Como Fazer Trabalho Cientifico

  • 1. Trabalho científico: estrutura do relatório e natureza dos itens que o compõem. Profas. Dras. Lucila Pesce e Sonia Ignácio
  • 2. Questões: O que? (Problema de pesquisa) Por quê? (Justificativa) Para que? (Objetivos - com que finalidade?) Onde? ( Corpus de análise) Como? (Método) Questões que permeiam o trabalho científico
  • 3. Itens de um trabalho científico Capa Página de rosto Sumário Apresentação / origem do problema de investigação. Objetivos geral e específicos (a cada etapa da pesquisa). Justificativa: relevância pessoal, social e/ou científica. Definição do problema de investigação (a questão em si). Delimitação do corpus de análise ou campo de investigação. Movimento metodológico: suposição abordagem metodológica procedimentos de coleta e análise de dados Delineamento do marco teórico. Referências bibliográficas. Cronograma das ações a serem desenvolvidas.
  • 4. O trabalho científico Introdução - experiências e atividades pessoais e profissionais que o levaram a se interessar por um determinado problema de pesquisa, e querer pesquisá-lo. Problema: definição e delimitação ( O que? Onde? ) - qual é a questão / problema a ser pesquisada (o) Onde será desenvolvida a pesquisa Objetivos ( o que eu pretendo) – Geral: em alguns casos, pode vir junto com o problema Específicos: identificar o que espera desenvolver, por partes Justificativa - É o momento de se dizer qual é a relevância (pessoal, social e científica) de seu problema de pesquisa Metodologia - como pretendo coletar os dados necessários para a pesquisa? Qual o método? Quais os procedimentos de coleta e análise? De que recursos necessitarei? Cronograma Bibliografia
  • 5. 1 - Pré-texto: . capa . páginas de rosto (folha de rosto, verso e anverso) . folha de aprovação ou parecer da comissão julgadora . dedicatória (opcional) . agradecimentos (opcional) . epígrafe (opcional) . resumo (com palavras-chave) . sumário . listas de ilustrações, abreviaturas e siglas, símbolos (opcional) – se o corpo do texto tiver tais elementos. O trabalho é composto de 3 partes:
  • 6. 2 - Texto: I – Introdução: Apresentação / origem do problema de investigação. Objetivos gerais e específicos. Justificativa: relevância social e/ou científica. Definição e delimitação do problema de investigação. Movimento metodológico: suposição, abordagem metodológica e procedimentos de coleta e análise de dados. Apresentação sucinta dos capítulos da pesquisa. II – Fundamentação teórica: capítulos geral e específico(s). IV – Apresentação e análise dos dados: mediante categorias de análise. V – Considerações finais : recapitulação dos resultados, manifestação crítica sobre os mesmos, levantamento de propostas de ações e/ou problemas a serem pesquisados.
  • 7. 3 - Pós-texto: VI – Referências bibliográficas. VII – Anexos / Apêndices (opcional). VIII – Glossário (opcional). IX – Capa final.
  • 8. Tema e Problema Tema e/ou temática Idéias amplas que se apresentam dentro de uma (ou diversas/ várias) área. A temática pode envolver títulos, instituição, área, população ou tema. Ex.: Educação a Distância (área); Alunos do curso de Administração da PUCSP (área, população e instituição) “ ...tema (...) problema circunscrito, do qual vemos o começo e o fim. (...) usando exemplo, tema é a árvore e a temática é o bosque: pé fundamental encontrar a árvore, de preferência aquela árvore que podemos tratar melhor, seja porque já lemos alguma coisa a seu respeito, discutimos algo em torno dela...” (Demo, 2000, p.161)
  • 9. Escolher o tema significa: a) Selecionar um assunto de acordo com as inclinações, as possibilidades, as aptidões e as tendências de quem se propõe a elaborar um trabalho científico; b) Encontrar um objeto que mereça ser investigado cientificamente e tenha condições de ser formulado e delimitado em função da pesquisa. Responde a pergunta: O que será explorado???
  • 10. Problema “ Questão não resolvida e que é objeto de discussão, em qualquer domínio do conhecimento” (Dicionário Aurélio) É uma dificuldade, teórica ou prática, no conhecimento de alguma coisa de real importância, para a qual se deve encontrar uma solução. Deve ser claro, conciso e objetivo. Quanto mais abrangente for, mais complexa será a pesquisa. Tudo o que for questionado no problema deverá ser respondido, portanto, ele deve ser bem delimitado, simplificado de forma a facilitar a investigação, respeitando o tempo que será dedicado à investigação.
  • 11. Responde às perguntas: “O que”, “Onde” e “Como”. O problema deve ser visto como um conjunto de perguntas de perguntas que o pesquisador: - Precisa - Deseja Julga ser relevante responder Nota : sempre há uma questão norteadora da qual podem decorrer subquestões para investigação.
  • 12. Delimitação dos objetivos e das perguntas Fazer introdução explicativa Apresentação das justificativas das fontes Como? Com quem desenvolveu a coleta? Procedimentos – deve-se explicar – quais? Descrição de forma sistematizada Análise prévia dos dados
  • 13. Ao citar, explicar a coleta Fazer introdução - explicitar como foram colhidos os dados...Quais as fontes? Os dados / interpretações devem ser contextualizados – de onde emergiram tais informações? Caracterizar o contexto
  • 14. Cuidado com as afirmações. Foram coletadas de que fonte??? A importância da escolha das perguntas em entrevistas... Mesmo informais elas devem constar como apêndices. Siglas devem sempre ser decodificadas. Temos dificuldade em enxergar os problemas em nosso contexto...
  • 15. Estrutura geral de relatórios: Justificativa para escolha das atividades. Informações sobre as atividades desenvolvidas: - caracterização das atividades: finalidade(s); responsáveis e/ou envolvidos; - local de realização; - descrição das atividades / relato; - contribuições que a atividade proporcionou para você e/ou para os envolvidos.
  • 16. Usar linguagem e informações de acordo com o destinatário ( para quem é o relatório?) – linguagem formal; Respeitar as orientações formais solicitadas; O relatório costuma ser organizado a partir de um relato, podendo conter: - apresentação das atividades, - descrição dos procedimentos, - exposição do referencial teórico adotado, - análise e discussão dos resultados obtidos, - apresentação da conclusão.
  • 17. Estrutura do relatório: capa, índice, introdução, temas e sub-temas, conclusão, bibliografia, anexos, apêndices. Relatório escrito na 1ª ou na 3ª pessoa / digitado e justificado. Resumo: sempre na 3ª pessoa e sem paragrafação, com esclarecimento do tema, do marco teórico e do movimento metodológico de investigação. Gráficos – só quando necessário.
  • 18. Numa pesquisa mais detalhada, alguns dados não são aceitos...ou precisam ser refeitos... Transcrição de dados do questionário não torna o relatório satisfatório...Precisa análise... O relatório, ainda que seja feito no mesmo lugar que outro/a colega, explicita o meu olhar...
  • 19. Na análise: interpretação, articulações, explicitar contradições, convergências...que questões emergem??? Cuidado...não devemos simplesmente escolher os entrevistados... Importância dos critérios... Questões e dados devem ter relevância...
  • 20. BIBLIOGRAFIA DEMO, Pedro. Metodologia do Conhecimento Cientifico . São Paulo: Atlas, 2000 LAKATOS, Eva M., MARCONI, Marina de A . Fundamentos de Metodologia científica . 5ª ed. São Paulo: Atlas, 2003. PESCUMA, D. & CASTILHO, A. P. Referências bibliográficas: um guia para documentar suas pesquisas. São Paulo: Olho d’Água, 2001. ______. Trabalho acadêmico: o que é? como fazer? . São Paulo: Olho d’Água, 2002.
  • 21. Critérios de avaliação do trabalho científico Título (adequação ao tema da pesquisa) Definição da pesquisa Clareza na definição da questão norteadora Delimitação do problema Adequação entre o problema e o tema de pesquisa Coerência entre o tema e a justificativa (relevância social, científica, pessoal) Quadro teórico Consistência conceitual da revisão de literatura Adequação entre o marco teórico e os objetivos da pesquisa Posicionamento, em relação ao quadro teórico (assumir a autoria do trabalho)
  • 22. Critérios de avaliação do trabalho científico Metodologia Adequação entre o marco teórico, a abordagem metodológica e os procedimentos de coleta (fontes e instrumentos) Consistência analítica e interpretativa (articulação com o marco teórico) do fenômeno Bibliografia (adequação às normas da ABNT) Cronograma Adequação ao problema e aos procedimentos metodológicos Exeqüibilidade da pesquisa
  • 23. Critérios de avaliação do trabalho científico Outro indicadores: Encadeamento e articulação dos itens: clareza de idéias, correção da linguagem, coesão entre as partes, coerência de pensamento. Consistência do corpo teórico: adequada referência dos autores e articulação entre os conceitos, de modo a assumir a autoria do texto. Rigor/densidade na reflexão sobre os conceitos apropriados. Observância da formatação, segundo a última ABNT.
  • 24. Apêndice I – Exemplo de projeto de pesquisa Título: Tendências educacionais da EMEF Prof. João Talento. Contexto de produção Autor: Maria Josefina de Abreu Destinatários: academia onde Josefina estuda e EMEI onde Josefina é professora. Definição da pesquisa Delimitação do problema : análise das principais tendências educacionais da escola escolhida. Definição das questões norteadoras : O que caracteriza cada uma das tendências educacionais (tradicional, escolanovista, crítico-reprodutivista, crítico-social dos conteúdos, popular)? Em que momento histórico cada uma delas se sobressaiu? Qual a relação entre o contexto histórico do Brasil e a emergência das tendências educacionais? Quais as tendências educacionais que aparecem na história da escola escolhida? Justificativa : a pesquisa proporciona a possibilidade de um olhar mais crítico sobre a relação da escola com as questões sociais mais amplas nas quais se insere.
  • 25. Desdobramentos metodológicos da delimitação do problema de pesquisa Quais as diferenças e semelhanças das tendências educacionais da EMEF Prof. João Talento e da Escola Méritas? Qual(is) a(s) tendência(s) educacionais da EMEF Prof. João Talento, ao longo da sua história? Quais as principais tendências educacionais, ao longo da história da educação brasileira? Tratamento de análise Instrumentos de coleta Fontes de coleta P/S Tipo de pesquisa Questões norteadoras
  • 26. Trabalho científico Quadro teórico Revisão de literatura: títulos sobre história da educação, sociologia da educação e história do Brasil. Metodologia Coleta: Fontes Primárias (entrevistas, documentos da escola) Secundárias (livros, jornais, dissertações e teses) Instrumentos Fichas de leitura (para as fontes secundárias) Roteiro de entrevista (para as fontes primárias. Inserir como apêndice) Análise de dados: Organização das fichas de leitura, por afinidade temática. Análise das obras estudadas: recorrências e discrepâncias entre os autores, sobre um mesmo tema; seu posicionamento perante as considerações dos autores. Análise das entrevistas.