SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 4
Baixar para ler offline
Boletim Extraordinário CGEB
A Secretaria da Educação do Estado de São Paulo reforça o compromisso da escola e dos
educadores com a diminuição da vulnerabilidade de crianças e adolescentes em situações que
possam vir a comprometer a integridade física, psíquica e emocional dos estudantes.
É crescente o número de adolescentes que necessitam de uma efetiva ajuda pessoal e
social para a superação dos obstáculos ao seu pleno desenvolvimento. O primeiro e mais
decisivo passo para vencer as dificuldades pessoais é a reconciliação do jovem consigo mesmo e
com os outros. Isso exige que se propicie uma possibilidade de socialização que concretize um
caminho mais digno e humano para a vida.
À equipe escolar compete promover o protagonismo de adolescentes e jovens, que
pressupõe uma relação dialógica entre participação, responsabilização e criatividade como
mecanismos de fortalecimento na perspectiva de educar para a valorização da vida.
Dessa forma, os gestores e educadores da rede pública de educação deverão reforçar as
ações pedagógicas de conscientização quanto ao uso seguro da internet e temas relacionados à
melhoria da convivência no ambiente escolar, como o bullying. Assim, se faz necessária a
atenção no que se refere a qualquer manifestação ou comportamento que fuja ao cotidiano,
deixando abertos canais de comunicação entre todos os membros da comunidade escolar. Ao
perceber qualquer atitude alheia ao considerado comum na rotina da escola, a mesma pode e
deve comunicá-la aos órgãos competentes para que ações sejam desenvolvidas.
“A adolescência, como todos sabem, é um período da vida marcado por mudanças,
incertezas e experimentações. É uma fase rica em sonhos e aprendizados, mas também
carregada de riscos e armadilhas”. Nessa fase, os jovens são mobilizados pela necessidade de se
sentir valorizados e pertencentes a um grupo, estando mais suscetíveis a aderir desafios que
comprometam sua integridade, principalmente por estarem “[...]vulneráveis, permanentemente
motivados pelo legítimo desejo de explorar, conhecer, questionar e fragilizados por outro traço
também muito comum nessa fase da vida: a traiçoeira sensação de serem eternos, imortais e
infalíveis” (ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE, 2015, p. 9).
20 DE ABRIL DE 2017 / WWW.INTRANET.EDUCACAO.SP.GOV.BR
EXPEDIENTE - Coordenação: Valéria de Souza; Pauta: Equipes Técnicas CGEB; Revisão e Diagramação: Assistência Técnica da Coordenadoria
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
COORDENADORIA DE GESTÃO DA EDUCAÇÃO BÁSICA
Página 2 de 4
Por isso, é importante que a equipe escolar passe a observar de perto mudanças de
comportamento, fazendo com que o estudante se sinta seguro para socializar situações que
possam colocá-lo em risco.
Considerando o atual contexto, é possível promover ações que possam apoiar a equipe
na perspectiva de integração dos adolescentes e jovens no ambiente escolar, tais como:
1- Criar espaços para o desenvolvimento da Pedagogia da Presença:
Princípio segundo o qual a presença de todos os profissionais da escola deve ser
afirmativa na vida dos alunos. Espera-se que esta presença afirmativa promova a compreensão
do sentido de sua vida, o que requer um novo olhar para seus estudos, a convivência, a
colaboração, a solidariedade, os valores, etc.
2- Incentivar a equipe escolar a fazer a tutoria com os seus alunos:
A Tutoria caracteriza-se pelo atendimento e o acompanhamento dos alunos em sua
formação integral, tendo em vista seu pleno desenvolvimento. Para isso, é necessário que o tutor
tenha uma “escuta ativa”.
 Sendo acolhedor, buscando compreender os pensamentos e sentimentos do aluno;
 Estando disponível para ouvi-lo.;
 Mesmo que discorde das opiniões e/ou das ações do estudante, respeite o que ele pensa,
tendo uma postura ética e acolhedora que incentive uma curiosidade crítica e uma
prática reflexiva sobre suas opiniões a partir de outras perspectivas.
3- Desenvolver ações protagonistas entre adolescentes e jovens:
A formação de jovens protagonistas pressupõe a concepção dos adolescentes e jovens
como fonte de iniciativa e não simplesmente como receptores ou porta-vozes daquilo que os
alunos dizem ou fazem com relação a eles, proporcionando-lhes espaços e mecanismos de
escuta e participação autônoma, consequente e democrática. Os Grêmios estudantis, Clubes
Juvenis, participação em colegiados escolares são bons exemplos de protagonismo.
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
COORDENADORIA DE GESTÃO DA EDUCAÇÃO BÁSICA
Página 3 de 4
4- Incentivar os alunos na construção de seus Projetos de Vida:
Ter um Projeto de Vida é refletir sobre o que se quer para seu futuro e planejar ações
concretas para chegar lá. É o traçado entre o ser e o querer ser. O Projeto de Vida é um meio de
motivar os alunos a fazerem bom uso de suas oportunidades, cabendo aos estudantes a
corresponsabilidade do seu desenvolvimento.
5- Orientar as famílias em relação às crianças, adolescentes e jovens a:
 Instruí-los a não adicionar estranhos às redes sociais;
 Controlar o uso da Internet em determinados horários;
 Monitorar o uso das redes sociais;
 Atentar-se à perda de vínculo familiar, isolamento e/ou mudanças nas relações de
amizade;
E, principalmente, acolhê-los e conversar sempre!
Para saber mais:
ARANTES, V. A. Afetividade na escola: alternativas teóricas e práticas. São Paulo: Summus, 2003.
ARAUJO, U.F. Resolução de conflitos e assembleias escolares. Cadernos de Educação.
FaE/PPGE/UFPel – Pelotas [31], jul./dez. 2008, p. 115-131.
ARGÜÍS, R. et al. Tutoria, com a palavra, o aluno. Tradução: Fátima Murad. Porto Alegre:
Artmed, 2002.
COSTA, A. C. G. Por uma pedagogia da presença. Brasília: Ministério da Ação Social, 1991. In:
Protagonismo juvenil: adolescência, educação e participação democrática. São Paulo:
FTD/Fundação Odebrecht, 2006a.
____________. Por uma educação interdimensional. In: GOMES, C. A. (Org.). Abrindo espaços:
múltiplos olhares. Brasilia.Unesco.2008b.
___________. Pedagogia da Presença – da solidão ao encontro. Belo Horizonte: Modus Faciendi,
2001.
FANTE, Cleo. Fenômeno bullying: como prevenir a violência nas escolas e educar para a paz.
Campinas, SP: Verus Editora, 2005.
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
COORDENADORIA DE GESTÃO DA EDUCAÇÃO BÁSICA
Página 4 de 4
MALDONADO, M. T. Bullying e cyberbullying : o que fazemos com o que fazem conosco?
Moderna, São Paulo, 2011.
ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE. Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo.
Adolescer, verbo de transição. Relato sobre o Programa de Saúde do Adolescente do Estado de
São Paulo e as Casas do Adolescente. Brasília, DF: OPAS, 2015.
PUIG, J. Democracia e participação escolar. São Paulo: Moderna, 2000.
RUOTTI, C. et al. Violência na escola, um guia para pais e professores. São Paulo: Imprensa
Oficial,2007.
Atenciosamente,
Valéria de Souza
Coordenadora

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Monografia Edivânia Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Edivânia Pedagogia Itiúba 2012Monografia Edivânia Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Edivânia Pedagogia Itiúba 2012Biblioteca Campus VII
 
W L A D I E I+ E F9anos
W L A D I  E I+ E F9anosW L A D I  E I+ E F9anos
W L A D I E I+ E F9anosCenpec
 
A importância da educação infantil para o desempenho do aluno
A importância da educação infantil para o desempenho do alunoA importância da educação infantil para o desempenho do aluno
A importância da educação infantil para o desempenho do alunocibelefernoli
 
Protagonismo Infantil na História Brasileira
Protagonismo Infantil na História BrasileiraProtagonismo Infantil na História Brasileira
Protagonismo Infantil na História BrasileiraImprensa-semec
 
Fundamentos da educação da criança
Fundamentos da educação da criançaFundamentos da educação da criança
Fundamentos da educação da criançacruzacre
 
O eterno conflito entre pais e educadores
O eterno conflito entre pais e educadoresO eterno conflito entre pais e educadores
O eterno conflito entre pais e educadoresSamantha de Sá
 
A orientação educacional e a família do aluno
A orientação educacional e a família do alunoA orientação educacional e a família do aluno
A orientação educacional e a família do alunoMaryanne Monteiro
 
Relação Família Escola
Relação Família EscolaRelação Família Escola
Relação Família EscolaJoaquim Colôa
 
Texto protagonismo infantil grupo 7 - dia 18 de novembro
Texto protagonismo infantil   grupo 7 - dia 18 de novembroTexto protagonismo infantil   grupo 7 - dia 18 de novembro
Texto protagonismo infantil grupo 7 - dia 18 de novembroProfesonline
 
Reflexões sobre a relação família escola
Reflexões sobre a relação família escolaReflexões sobre a relação família escola
Reflexões sobre a relação família escolaSonia Piaya
 
Que alternativas poderiam promover a integração da família na escola?
Que alternativas poderiam promover a integração da família na escola?Que alternativas poderiam promover a integração da família na escola?
Que alternativas poderiam promover a integração da família na escola?Elisandra Manfroi
 

Mais procurados (18)

Monografia Edivânia Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Edivânia Pedagogia Itiúba 2012Monografia Edivânia Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Edivânia Pedagogia Itiúba 2012
 
Slide
Slide Slide
Slide
 
W L A D I E I+ E F9anos
W L A D I  E I+ E F9anosW L A D I  E I+ E F9anos
W L A D I E I+ E F9anos
 
Proj8
Proj8Proj8
Proj8
 
A importância da educação infantil para o desempenho do aluno
A importância da educação infantil para o desempenho do alunoA importância da educação infantil para o desempenho do aluno
A importância da educação infantil para o desempenho do aluno
 
Protagonismo Infantil na História Brasileira
Protagonismo Infantil na História BrasileiraProtagonismo Infantil na História Brasileira
Protagonismo Infantil na História Brasileira
 
Fundamentos da educação da criança
Fundamentos da educação da criançaFundamentos da educação da criança
Fundamentos da educação da criança
 
Família
FamíliaFamília
Família
 
O eterno conflito entre pais e educadores
O eterno conflito entre pais e educadoresO eterno conflito entre pais e educadores
O eterno conflito entre pais e educadores
 
A orientação educacional e a família do aluno
A orientação educacional e a família do alunoA orientação educacional e a família do aluno
A orientação educacional e a família do aluno
 
Relação Família Escola
Relação Família EscolaRelação Família Escola
Relação Família Escola
 
Slide pra palestra problemas sociais
Slide pra palestra problemas sociaisSlide pra palestra problemas sociais
Slide pra palestra problemas sociais
 
Texto protagonismo infantil grupo 7 - dia 18 de novembro
Texto protagonismo infantil   grupo 7 - dia 18 de novembroTexto protagonismo infantil   grupo 7 - dia 18 de novembro
Texto protagonismo infantil grupo 7 - dia 18 de novembro
 
Reflexões sobre a relação família escola
Reflexões sobre a relação família escolaReflexões sobre a relação família escola
Reflexões sobre a relação família escola
 
Que alternativas poderiam promover a integração da família na escola?
Que alternativas poderiam promover a integração da família na escola?Que alternativas poderiam promover a integração da família na escola?
Que alternativas poderiam promover a integração da família na escola?
 
Carta das cidades educadoras
Carta das cidades educadoras Carta das cidades educadoras
Carta das cidades educadoras
 
Família e escola
Família e escolaFamília e escola
Família e escola
 
Cartilha1
Cartilha1Cartilha1
Cartilha1
 

Semelhante a Boletim CGEB orienta escolas sobre adolescência

CONSIDERAÇÕES ENTRE INDISCIPLINA E PRÁTICA PEDAGÓGICA NO COTIDIANO ESCOLAR ...
CONSIDERAÇÕES ENTRE INDISCIPLINA  E PRÁTICA PEDAGÓGICA NO COTIDIANO ESCOLAR  ...CONSIDERAÇÕES ENTRE INDISCIPLINA  E PRÁTICA PEDAGÓGICA NO COTIDIANO ESCOLAR  ...
CONSIDERAÇÕES ENTRE INDISCIPLINA E PRÁTICA PEDAGÓGICA NO COTIDIANO ESCOLAR ...christianceapcursos
 
Ciências peja i e peja ii
Ciências peja i e peja iiCiências peja i e peja ii
Ciências peja i e peja iiIvo Fonseca
 
Plano de Gstão Escola au santo
Plano de Gstão Escola au santoPlano de Gstão Escola au santo
Plano de Gstão Escola au santoLucio Lira
 
Resumo do caderno 2 etapa I - O jovem como sujeito do ensino médio- Orientado...
Resumo do caderno 2 etapa I - O jovem como sujeito do ensino médio- Orientado...Resumo do caderno 2 etapa I - O jovem como sujeito do ensino médio- Orientado...
Resumo do caderno 2 etapa I - O jovem como sujeito do ensino médio- Orientado...KATIA CAVALCANTI
 
Preconceito e Discriminação no contexto escolar
Preconceito e Discriminação no contexto escolarPreconceito e Discriminação no contexto escolar
Preconceito e Discriminação no contexto escolarcaioamorim2000
 
Bebês, crianças ou alunos? Continuidade ou ruptura? Quais os desafios de ente...
Bebês, crianças ou alunos? Continuidade ou ruptura? Quais os desafios de ente...Bebês, crianças ou alunos? Continuidade ou ruptura? Quais os desafios de ente...
Bebês, crianças ou alunos? Continuidade ou ruptura? Quais os desafios de ente...Fábio Peixoto
 
O currículo high
O currículo highO currículo high
O currículo highHeles Souza
 
Educar momentos com os professores.. .pdf
Educar momentos com os professores.. .pdfEducar momentos com os professores.. .pdf
Educar momentos com os professores.. .pdfLucianaAlves773996
 
Atps educação de jovens e adultos etapa 1,2,3
Atps educação de jovens e adultos  etapa 1,2,3Atps educação de jovens e adultos  etapa 1,2,3
Atps educação de jovens e adultos etapa 1,2,3Rosilenelnunes
 
Resumo da proposta de tempo integral
Resumo da proposta de tempo integralResumo da proposta de tempo integral
Resumo da proposta de tempo integralescolabeatriz
 

Semelhante a Boletim CGEB orienta escolas sobre adolescência (20)

Caderno ii
Caderno   iiCaderno   ii
Caderno ii
 
Ensino médio
Ensino médioEnsino médio
Ensino médio
 
CONSIDERAÇÕES ENTRE INDISCIPLINA E PRÁTICA PEDAGÓGICA NO COTIDIANO ESCOLAR ...
CONSIDERAÇÕES ENTRE INDISCIPLINA  E PRÁTICA PEDAGÓGICA NO COTIDIANO ESCOLAR  ...CONSIDERAÇÕES ENTRE INDISCIPLINA  E PRÁTICA PEDAGÓGICA NO COTIDIANO ESCOLAR  ...
CONSIDERAÇÕES ENTRE INDISCIPLINA E PRÁTICA PEDAGÓGICA NO COTIDIANO ESCOLAR ...
 
Revista Refletir EdInf nº04
Revista Refletir EdInf nº04Revista Refletir EdInf nº04
Revista Refletir EdInf nº04
 
Ciências peja i e peja ii
Ciências peja i e peja iiCiências peja i e peja ii
Ciências peja i e peja ii
 
Plano de Gstão Escola au santo
Plano de Gstão Escola au santoPlano de Gstão Escola au santo
Plano de Gstão Escola au santo
 
Resumo do caderno 2 etapa I - O jovem como sujeito do ensino médio- Orientado...
Resumo do caderno 2 etapa I - O jovem como sujeito do ensino médio- Orientado...Resumo do caderno 2 etapa I - O jovem como sujeito do ensino médio- Orientado...
Resumo do caderno 2 etapa I - O jovem como sujeito do ensino médio- Orientado...
 
Aulas de protagonismo juvenil ef
Aulas de protagonismo juvenil efAulas de protagonismo juvenil ef
Aulas de protagonismo juvenil ef
 
Unidade 3
Unidade 3Unidade 3
Unidade 3
 
Artigo5
Artigo5Artigo5
Artigo5
 
Preconceito e Discriminação no contexto escolar
Preconceito e Discriminação no contexto escolarPreconceito e Discriminação no contexto escolar
Preconceito e Discriminação no contexto escolar
 
Bebês, crianças ou alunos? Continuidade ou ruptura? Quais os desafios de ente...
Bebês, crianças ou alunos? Continuidade ou ruptura? Quais os desafios de ente...Bebês, crianças ou alunos? Continuidade ou ruptura? Quais os desafios de ente...
Bebês, crianças ou alunos? Continuidade ou ruptura? Quais os desafios de ente...
 
O currículo high
O currículo highO currículo high
O currículo high
 
Educar momentos com os professores.. .pdf
Educar momentos com os professores.. .pdfEducar momentos com os professores.. .pdf
Educar momentos com os professores.. .pdf
 
Atps educação de jovens e adultos etapa 1,2,3
Atps educação de jovens e adultos  etapa 1,2,3Atps educação de jovens e adultos  etapa 1,2,3
Atps educação de jovens e adultos etapa 1,2,3
 
Jennifer alyne maria
Jennifer alyne mariaJennifer alyne maria
Jennifer alyne maria
 
Jovem_EM_Davi
Jovem_EM_DaviJovem_EM_Davi
Jovem_EM_Davi
 
Resumo da proposta de tempo integral
Resumo da proposta de tempo integralResumo da proposta de tempo integral
Resumo da proposta de tempo integral
 
Função social da escrita eliane poster
Função social da escrita eliane  posterFunção social da escrita eliane  poster
Função social da escrita eliane poster
 
Planejamento cad 2016
Planejamento cad 2016Planejamento cad 2016
Planejamento cad 2016
 

Mais de Gelson Rocha

Boletim dsg 01_maio_2020_ (2)
Boletim dsg 01_maio_2020_ (2)Boletim dsg 01_maio_2020_ (2)
Boletim dsg 01_maio_2020_ (2)Gelson Rocha
 
Boletim dsg 02.2020 julho (2)
Boletim dsg 02.2020 julho (2)Boletim dsg 02.2020 julho (2)
Boletim dsg 02.2020 julho (2)Gelson Rocha
 
Pauta roteiro de estudo e o protagonismo
Pauta roteiro de estudo e o protagonismoPauta roteiro de estudo e o protagonismo
Pauta roteiro de estudo e o protagonismoGelson Rocha
 
Pauta roteiro de estudo e o protagonismo
Pauta roteiro de estudo e o protagonismoPauta roteiro de estudo e o protagonismo
Pauta roteiro de estudo e o protagonismoGelson Rocha
 
Metodologias ativas significativas para a eja
Metodologias ativas significativas para a ejaMetodologias ativas significativas para a eja
Metodologias ativas significativas para a ejaGelson Rocha
 
Documento concepcao e-proposta-metodologica final (1)
Documento concepcao e-proposta-metodologica final (1)Documento concepcao e-proposta-metodologica final (1)
Documento concepcao e-proposta-metodologica final (1)Gelson Rocha
 
Comunicado COPED 21 janeiro
Comunicado COPED 21 janeiroComunicado COPED 21 janeiro
Comunicado COPED 21 janeiroGelson Rocha
 
Os Indígenas Hoje
Os Indígenas HojeOs Indígenas Hoje
Os Indígenas HojeGelson Rocha
 
Edital --cultura-africana (2)
Edital --cultura-africana (2)Edital --cultura-africana (2)
Edital --cultura-africana (2)Gelson Rocha
 
Primeiros dias letivos cgeb (1)
Primeiros dias letivos   cgeb (1)Primeiros dias letivos   cgeb (1)
Primeiros dias letivos cgeb (1)Gelson Rocha
 
Primeiros dias letivos cgeb
Primeiros dias letivos   cgebPrimeiros dias letivos   cgeb
Primeiros dias letivos cgebGelson Rocha
 
PPT Narrativas Quilombolas
PPT Narrativas QuilombolasPPT Narrativas Quilombolas
PPT Narrativas QuilombolasGelson Rocha
 
Agendamento set e out
Agendamento set e outAgendamento set e out
Agendamento set e outGelson Rocha
 
Reunião de Trabalho EJA
Reunião de Trabalho EJAReunião de Trabalho EJA
Reunião de Trabalho EJAGelson Rocha
 
Reunião de Trabalho EJA
Reunião de Trabalho EJAReunião de Trabalho EJA
Reunião de Trabalho EJAGelson Rocha
 

Mais de Gelson Rocha (20)

Acolhimento eja
Acolhimento ejaAcolhimento eja
Acolhimento eja
 
Boletim dsg 01_maio_2020_ (2)
Boletim dsg 01_maio_2020_ (2)Boletim dsg 01_maio_2020_ (2)
Boletim dsg 01_maio_2020_ (2)
 
Boletim dsg 02.2020 julho (2)
Boletim dsg 02.2020 julho (2)Boletim dsg 02.2020 julho (2)
Boletim dsg 02.2020 julho (2)
 
Pauta roteiro de estudo e o protagonismo
Pauta roteiro de estudo e o protagonismoPauta roteiro de estudo e o protagonismo
Pauta roteiro de estudo e o protagonismo
 
Pauta roteiro de estudo e o protagonismo
Pauta roteiro de estudo e o protagonismoPauta roteiro de estudo e o protagonismo
Pauta roteiro de estudo e o protagonismo
 
Metodologias ativas significativas para a eja
Metodologias ativas significativas para a ejaMetodologias ativas significativas para a eja
Metodologias ativas significativas para a eja
 
Documento concepcao e-proposta-metodologica final (1)
Documento concepcao e-proposta-metodologica final (1)Documento concepcao e-proposta-metodologica final (1)
Documento concepcao e-proposta-metodologica final (1)
 
COMUNICADO 24 JAN
COMUNICADO 24 JANCOMUNICADO 24 JAN
COMUNICADO 24 JAN
 
Comunicado COPED 21 janeiro
Comunicado COPED 21 janeiroComunicado COPED 21 janeiro
Comunicado COPED 21 janeiro
 
Os Indígenas Hoje
Os Indígenas HojeOs Indígenas Hoje
Os Indígenas Hoje
 
Edital proeja
Edital proejaEdital proeja
Edital proeja
 
Edital --cultura-africana (2)
Edital --cultura-africana (2)Edital --cultura-africana (2)
Edital --cultura-africana (2)
 
Primeiros dias letivos cgeb (1)
Primeiros dias letivos   cgeb (1)Primeiros dias letivos   cgeb (1)
Primeiros dias letivos cgeb (1)
 
Primeiros dias letivos cgeb
Primeiros dias letivos   cgebPrimeiros dias letivos   cgeb
Primeiros dias letivos cgeb
 
PPT Narrativas Quilombolas
PPT Narrativas QuilombolasPPT Narrativas Quilombolas
PPT Narrativas Quilombolas
 
Ensino religioso
Ensino religiosoEnsino religioso
Ensino religioso
 
Agendamento set e out
Agendamento set e outAgendamento set e out
Agendamento set e out
 
Reunião de Trabalho EJA
Reunião de Trabalho EJAReunião de Trabalho EJA
Reunião de Trabalho EJA
 
Reunião de Trabalho EJA
Reunião de Trabalho EJAReunião de Trabalho EJA
Reunião de Trabalho EJA
 
Movimento Negro
Movimento Negro Movimento Negro
Movimento Negro
 

Último

LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfAdrianaCunha84
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfPastor Robson Colaço
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxIsabelaRafael2
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoMary Alvarenga
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Centro Jacques Delors
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 anoandrealeitetorres
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024Jeanoliveira597523
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfEyshilaKelly1
 

Último (20)

LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
 
Em tempo de Quaresma .
Em tempo de Quaresma                            .Em tempo de Quaresma                            .
Em tempo de Quaresma .
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
 

Boletim CGEB orienta escolas sobre adolescência

  • 1. Boletim Extraordinário CGEB A Secretaria da Educação do Estado de São Paulo reforça o compromisso da escola e dos educadores com a diminuição da vulnerabilidade de crianças e adolescentes em situações que possam vir a comprometer a integridade física, psíquica e emocional dos estudantes. É crescente o número de adolescentes que necessitam de uma efetiva ajuda pessoal e social para a superação dos obstáculos ao seu pleno desenvolvimento. O primeiro e mais decisivo passo para vencer as dificuldades pessoais é a reconciliação do jovem consigo mesmo e com os outros. Isso exige que se propicie uma possibilidade de socialização que concretize um caminho mais digno e humano para a vida. À equipe escolar compete promover o protagonismo de adolescentes e jovens, que pressupõe uma relação dialógica entre participação, responsabilização e criatividade como mecanismos de fortalecimento na perspectiva de educar para a valorização da vida. Dessa forma, os gestores e educadores da rede pública de educação deverão reforçar as ações pedagógicas de conscientização quanto ao uso seguro da internet e temas relacionados à melhoria da convivência no ambiente escolar, como o bullying. Assim, se faz necessária a atenção no que se refere a qualquer manifestação ou comportamento que fuja ao cotidiano, deixando abertos canais de comunicação entre todos os membros da comunidade escolar. Ao perceber qualquer atitude alheia ao considerado comum na rotina da escola, a mesma pode e deve comunicá-la aos órgãos competentes para que ações sejam desenvolvidas. “A adolescência, como todos sabem, é um período da vida marcado por mudanças, incertezas e experimentações. É uma fase rica em sonhos e aprendizados, mas também carregada de riscos e armadilhas”. Nessa fase, os jovens são mobilizados pela necessidade de se sentir valorizados e pertencentes a um grupo, estando mais suscetíveis a aderir desafios que comprometam sua integridade, principalmente por estarem “[...]vulneráveis, permanentemente motivados pelo legítimo desejo de explorar, conhecer, questionar e fragilizados por outro traço também muito comum nessa fase da vida: a traiçoeira sensação de serem eternos, imortais e infalíveis” (ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE, 2015, p. 9). 20 DE ABRIL DE 2017 / WWW.INTRANET.EDUCACAO.SP.GOV.BR EXPEDIENTE - Coordenação: Valéria de Souza; Pauta: Equipes Técnicas CGEB; Revisão e Diagramação: Assistência Técnica da Coordenadoria
  • 2. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO COORDENADORIA DE GESTÃO DA EDUCAÇÃO BÁSICA Página 2 de 4 Por isso, é importante que a equipe escolar passe a observar de perto mudanças de comportamento, fazendo com que o estudante se sinta seguro para socializar situações que possam colocá-lo em risco. Considerando o atual contexto, é possível promover ações que possam apoiar a equipe na perspectiva de integração dos adolescentes e jovens no ambiente escolar, tais como: 1- Criar espaços para o desenvolvimento da Pedagogia da Presença: Princípio segundo o qual a presença de todos os profissionais da escola deve ser afirmativa na vida dos alunos. Espera-se que esta presença afirmativa promova a compreensão do sentido de sua vida, o que requer um novo olhar para seus estudos, a convivência, a colaboração, a solidariedade, os valores, etc. 2- Incentivar a equipe escolar a fazer a tutoria com os seus alunos: A Tutoria caracteriza-se pelo atendimento e o acompanhamento dos alunos em sua formação integral, tendo em vista seu pleno desenvolvimento. Para isso, é necessário que o tutor tenha uma “escuta ativa”.  Sendo acolhedor, buscando compreender os pensamentos e sentimentos do aluno;  Estando disponível para ouvi-lo.;  Mesmo que discorde das opiniões e/ou das ações do estudante, respeite o que ele pensa, tendo uma postura ética e acolhedora que incentive uma curiosidade crítica e uma prática reflexiva sobre suas opiniões a partir de outras perspectivas. 3- Desenvolver ações protagonistas entre adolescentes e jovens: A formação de jovens protagonistas pressupõe a concepção dos adolescentes e jovens como fonte de iniciativa e não simplesmente como receptores ou porta-vozes daquilo que os alunos dizem ou fazem com relação a eles, proporcionando-lhes espaços e mecanismos de escuta e participação autônoma, consequente e democrática. Os Grêmios estudantis, Clubes Juvenis, participação em colegiados escolares são bons exemplos de protagonismo.
  • 3. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO COORDENADORIA DE GESTÃO DA EDUCAÇÃO BÁSICA Página 3 de 4 4- Incentivar os alunos na construção de seus Projetos de Vida: Ter um Projeto de Vida é refletir sobre o que se quer para seu futuro e planejar ações concretas para chegar lá. É o traçado entre o ser e o querer ser. O Projeto de Vida é um meio de motivar os alunos a fazerem bom uso de suas oportunidades, cabendo aos estudantes a corresponsabilidade do seu desenvolvimento. 5- Orientar as famílias em relação às crianças, adolescentes e jovens a:  Instruí-los a não adicionar estranhos às redes sociais;  Controlar o uso da Internet em determinados horários;  Monitorar o uso das redes sociais;  Atentar-se à perda de vínculo familiar, isolamento e/ou mudanças nas relações de amizade; E, principalmente, acolhê-los e conversar sempre! Para saber mais: ARANTES, V. A. Afetividade na escola: alternativas teóricas e práticas. São Paulo: Summus, 2003. ARAUJO, U.F. Resolução de conflitos e assembleias escolares. Cadernos de Educação. FaE/PPGE/UFPel – Pelotas [31], jul./dez. 2008, p. 115-131. ARGÜÍS, R. et al. Tutoria, com a palavra, o aluno. Tradução: Fátima Murad. Porto Alegre: Artmed, 2002. COSTA, A. C. G. Por uma pedagogia da presença. Brasília: Ministério da Ação Social, 1991. In: Protagonismo juvenil: adolescência, educação e participação democrática. São Paulo: FTD/Fundação Odebrecht, 2006a. ____________. Por uma educação interdimensional. In: GOMES, C. A. (Org.). Abrindo espaços: múltiplos olhares. Brasilia.Unesco.2008b. ___________. Pedagogia da Presença – da solidão ao encontro. Belo Horizonte: Modus Faciendi, 2001. FANTE, Cleo. Fenômeno bullying: como prevenir a violência nas escolas e educar para a paz. Campinas, SP: Verus Editora, 2005.
  • 4. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO COORDENADORIA DE GESTÃO DA EDUCAÇÃO BÁSICA Página 4 de 4 MALDONADO, M. T. Bullying e cyberbullying : o que fazemos com o que fazem conosco? Moderna, São Paulo, 2011. ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE. Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo. Adolescer, verbo de transição. Relato sobre o Programa de Saúde do Adolescente do Estado de São Paulo e as Casas do Adolescente. Brasília, DF: OPAS, 2015. PUIG, J. Democracia e participação escolar. São Paulo: Moderna, 2000. RUOTTI, C. et al. Violência na escola, um guia para pais e professores. São Paulo: Imprensa Oficial,2007. Atenciosamente, Valéria de Souza Coordenadora