SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 34
Baixar para ler offline
Você é o que você come !
• O nome proteína origina-se da palavra grega
proteios,  que    significa   “de   primordial
importância”.

• As    proteínas    são   enormes   moléculas
(macromoléculas) formadas principalmente por
vários aminoácidos ligados entre si.

           Dipeptídeo – 2 aminoácidos
           Tripeptídeo – 3 aminoácidos
       Polipeptídeo – até 100 aminoácidos
     Proteínas – a partir de 100 aminoácidos
• Praticamente todos os aminoácidos possuem o grupo
amino (NH2) e a carboxila (COOH) ligados no mesmo
carbono, . O R, chamado de cadeia lateral é o que
diferencia um aminoácido de outro.
• existem 20 aminoácidos essenciais que nosso corpo
                   não sintetiza:
a insulina humana
O OH do grupo do ácido carboxílico de um aminoácido se
junta a um H do grupo amino do outro aminoácido,
formando água e juntando os 2 aminoácidos.

A reação contrária, de ruptura da ligação peptídica, se
chama hidrólise e produz aminoácidos.
Estrutura primária
É dada pela sequência de
aminoácidos ao longo da
   cadeia polipeptídica.

  Estrutura secundária
  É dada pelo arranjo
espacial de aminoácidos
   próximos entre si na
 sequência primária da
        proteína.

    Estrutura terciária
     Ela descreve a
conformação da proteína
          inteira.

   Estrutura quaternária
Algumas proteínas podem
ter duas ou mais cadeias
      polipeptídicas.
A    desnaturação      é     um    processo     que    se   dá
em moléculas biológicas, principalmente nas proteínas,
expostas a condições diferentes àquelas em que foram
produzidas, como variações de temperatura, mudanças
de pH, força iônica, entre outras. A proteína perde a sua
estrutura tridimensional e, portanto, as suas propriedades.
paulinho
• também        conhecidos       como       hidratos     de
carbono, glicídios, glucídeos, glúcidos, glúcides, sacaríde
os ou açúcares.

• São compostos de função mista
   •poliálcool-cetona
   •poliálcool-aldeído.



                                                     paulinho
1. MONOSSACARÍDEOS
• São os glicídios de
menor tamanho, base
para os demais.

A)ALDOSES: apresentam o
grupo aldeído.

B) CETOSES: apresentam o
grupo cetona.
GLICOSE
• C6H12O6
• Ocorre no mel e frutos doces
• É obtida pela hidrólise do amido em meio ácido
• Usada na fabricação do álcool etílico
•Usada na alimentação de crianças e atletas

 FRUTOSE
• C6H12O6
• Ocorre no mel e frutos doces

                                         paulinho
2. DISSACARÍDEOS
• açúcares formados por dois monossacarídeos
• por hidrólise, liberam os monossacarídeos
SACAROSE
    • C12H22O11

 • Fontes naturais:
 Cana-de-açúcar,
     beterraba

• É o açúcar comum

    • Aplicações
   fundamentais:
   alimentação e
produção de álcool
       etílico
ADOÇANTES
FERMENTAÇÃO ALCOÓLICA:




FERMENTAÇÃO Acética:
ADOÇANTES
3. POLISSACARÍDEOS

• POLÍMEROS (macromoléculas) naturais são constituídos
de milhares de unidades de glicose.
CELULOSE
• (C6H10O5)n
• Ocorre em todos os vegetais
• A massa molecular média é 400.000 u
•Praticamente não é digerível pelo organismo humano
• Usada na fabricação do papel e do tecido de algodão
• Usada também na fabricação de: celulóides, pólvora,
filmes sedas artificiais, vidro de segurança.


 AMIDO
• (C6H10O5)n
• Ocorre em todos os vegetais
• Utilizado na alimentação, produção de álcool,
fabricação da cola
paulinho
• Ésteres produzidos pelos organismos vivos
• Quando    hidrolisados produzem ácidos graxos
(ácidos orgânicos muito grandes com mais de 15
carbonos) e outros produtos.

• Principais características gerais:
           • brancos ou amarelados
           • untuosos ao tato
           • pouco consistentes
           • insolúveis em água
Triglicerídeos

  • triésteres (3 ésteres) de
  glicerol e ácidos graxos.

• os óleos e gorduras  animal
  e vegetal são misturas de
         glicéridos.

• grande utilização industrial,
principalmente na fabricação
        da margarina.
A Diferença entre Óleo e Gordura
exemplos....



      coc
Bioquímica 2012
Bioquímica 2012

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Carboidratos
CarboidratosCarboidratos
Carboidratos
 
Carboidratos
CarboidratosCarboidratos
Carboidratos
 
Bioquimica (completo)
Bioquimica (completo)Bioquimica (completo)
Bioquimica (completo)
 
Carboidratos
CarboidratosCarboidratos
Carboidratos
 
Carboidratos 7ª série
Carboidratos 7ª sérieCarboidratos 7ª série
Carboidratos 7ª série
 
Carboidratos
CarboidratosCarboidratos
Carboidratos
 
Carboidrato estrutural
Carboidrato estruturalCarboidrato estrutural
Carboidrato estrutural
 
Carboidratos
CarboidratosCarboidratos
Carboidratos
 
Carboidratos slideshare
Carboidratos   slideshareCarboidratos   slideshare
Carboidratos slideshare
 
Polissacarídeos
PolissacarídeosPolissacarídeos
Polissacarídeos
 
1°S carboidratos e metabolismo energético_ abril_2014
1°S carboidratos e metabolismo energético_ abril_20141°S carboidratos e metabolismo energético_ abril_2014
1°S carboidratos e metabolismo energético_ abril_2014
 
QuíM. De Alim. I Carboidratos I
QuíM. De Alim. I   Carboidratos IQuíM. De Alim. I   Carboidratos I
QuíM. De Alim. I Carboidratos I
 
Componentes orgânicos: Carboidratos
Componentes orgânicos: CarboidratosComponentes orgânicos: Carboidratos
Componentes orgânicos: Carboidratos
 
Bioquímica_Carboidratos
Bioquímica_Carboidratos Bioquímica_Carboidratos
Bioquímica_Carboidratos
 
Compostos Orgânicos - Carboidratos, Aminoácidos e Proteínas
Compostos Orgânicos - Carboidratos, Aminoácidos e ProteínasCompostos Orgânicos - Carboidratos, Aminoácidos e Proteínas
Compostos Orgânicos - Carboidratos, Aminoácidos e Proteínas
 
Carboidratos
CarboidratosCarboidratos
Carboidratos
 
1 quimica carboidratos
1   quimica carboidratos1   quimica carboidratos
1 quimica carboidratos
 
42951 carboidratos --introdução.2012
42951 carboidratos --introdução.201242951 carboidratos --introdução.2012
42951 carboidratos --introdução.2012
 
Componentes orgânicos: Lipídios
Componentes orgânicos: LipídiosComponentes orgânicos: Lipídios
Componentes orgânicos: Lipídios
 
Glicídios 3a3
Glicídios 3a3Glicídios 3a3
Glicídios 3a3
 

Destaque

Momento Nutrir Diet e Light
Momento Nutrir   Diet e LightMomento Nutrir   Diet e Light
Momento Nutrir Diet e Lightsandra.souzass
 
O que DIET e o que é LIGHT?
O que DIET  e o que é  LIGHT?O que DIET  e o que é  LIGHT?
O que DIET e o que é LIGHT?Marcelo Paiva
 
Cálculos em Química
Cálculos em QuímicaCálculos em Química
Cálculos em Químicaiqscquimica
 
Aulas de Equilíbrio Químico - Parte I
Aulas de Equilíbrio Químico - Parte IAulas de Equilíbrio Químico - Parte I
Aulas de Equilíbrio Químico - Parte Iiqscquimica
 
Deslocamento de Equilíbrio
Deslocamento de EquilíbrioDeslocamento de Equilíbrio
Deslocamento de EquilíbrioPaulo Filho
 
Aula1 Equilibrio Químico
Aula1 Equilibrio QuímicoAula1 Equilibrio Químico
Aula1 Equilibrio Químicoiqscquimica
 
Lista de exercícios equilibrio químico regiane
Lista de exercícios equilibrio químico regianeLista de exercícios equilibrio químico regiane
Lista de exercícios equilibrio químico regianeCaroline Paglia
 
Apostila equilibrio quimico e ionico
Apostila equilibrio quimico e ionicoApostila equilibrio quimico e ionico
Apostila equilibrio quimico e ionicoAnderson Lino
 
Equilibrio Quimico
Equilibrio QuimicoEquilibrio Quimico
Equilibrio Quimicojccm0826
 
Equilibrio Químico - Conteúdo completo
Equilibrio Químico - Conteúdo completoEquilibrio Químico - Conteúdo completo
Equilibrio Químico - Conteúdo completoRosbergue Lúcio
 
Equilibrio químico
Equilibrio químicoEquilibrio químico
Equilibrio químicoMaría Mena
 

Destaque (19)

Momento Nutrir Diet e Light
Momento Nutrir   Diet e LightMomento Nutrir   Diet e Light
Momento Nutrir Diet e Light
 
O que DIET e o que é LIGHT?
O que DIET  e o que é  LIGHT?O que DIET  e o que é  LIGHT?
O que DIET e o que é LIGHT?
 
Cálculos em Química
Cálculos em QuímicaCálculos em Química
Cálculos em Química
 
Aulas de Equilíbrio Químico - Parte I
Aulas de Equilíbrio Químico - Parte IAulas de Equilíbrio Químico - Parte I
Aulas de Equilíbrio Químico - Parte I
 
Deslocamento de Equilíbrio
Deslocamento de EquilíbrioDeslocamento de Equilíbrio
Deslocamento de Equilíbrio
 
Equilibrio químico
Equilibrio químicoEquilibrio químico
Equilibrio químico
 
Aula1 Equilibrio Químico
Aula1 Equilibrio QuímicoAula1 Equilibrio Químico
Aula1 Equilibrio Químico
 
Aula 03 hábitos alimentares
Aula 03   hábitos alimentaresAula 03   hábitos alimentares
Aula 03 hábitos alimentares
 
Equilibrio Quimico I
Equilibrio Quimico IEquilibrio Quimico I
Equilibrio Quimico I
 
Lista de exercícios equilibrio químico regiane
Lista de exercícios equilibrio químico regianeLista de exercícios equilibrio químico regiane
Lista de exercícios equilibrio químico regiane
 
Apostila equilibrio quimico e ionico
Apostila equilibrio quimico e ionicoApostila equilibrio quimico e ionico
Apostila equilibrio quimico e ionico
 
Equilíbrio Químico
Equilíbrio QuímicoEquilíbrio Químico
Equilíbrio Químico
 
Equilibrio Quimico
Equilibrio QuimicoEquilibrio Quimico
Equilibrio Quimico
 
Equilibrio QuíMico
Equilibrio QuíMicoEquilibrio QuíMico
Equilibrio QuíMico
 
Equilíbrio Químico
Equilíbrio QuímicoEquilíbrio Químico
Equilíbrio Químico
 
Equilibrio Químico - Conteúdo completo
Equilibrio Químico - Conteúdo completoEquilibrio Químico - Conteúdo completo
Equilibrio Químico - Conteúdo completo
 
EQUILÍBRIO - EXERCÍCIOS
EQUILÍBRIO - EXERCÍCIOSEQUILÍBRIO - EXERCÍCIOS
EQUILÍBRIO - EXERCÍCIOS
 
Equilibrio químico
Equilibrio químicoEquilibrio químico
Equilibrio químico
 
Orações adjetivas
Orações adjetivasOrações adjetivas
Orações adjetivas
 

Semelhante a Bioquímica 2012

Fundamentos da bioquímica - carboidratos.pdf
Fundamentos da bioquímica - carboidratos.pdfFundamentos da bioquímica - carboidratos.pdf
Fundamentos da bioquímica - carboidratos.pdfJorgepedro38
 
Aula 2 e_3_-_carboidratos,_glicólise, _ciclo_de_krebs_e_via_das_pentoses (1)
Aula 2 e_3_-_carboidratos,_glicólise, _ciclo_de_krebs_e_via_das_pentoses (1)Aula 2 e_3_-_carboidratos,_glicólise, _ciclo_de_krebs_e_via_das_pentoses (1)
Aula 2 e_3_-_carboidratos,_glicólise, _ciclo_de_krebs_e_via_das_pentoses (1)Marcialila
 
A base molecular dos seres vivos
A base molecular dos seres vivosA base molecular dos seres vivos
A base molecular dos seres vivosCésar Milani
 
A química da célula - Agua e sais minerais
A química da célula - Agua e sais mineraisA química da célula - Agua e sais minerais
A química da célula - Agua e sais mineraisMatheus de Paula Medeiros
 
Fundamentos químicos da vida
Fundamentos químicos da vidaFundamentos químicos da vida
Fundamentos químicos da vidaletyap
 
A4.1 comp.quimica da célula
A4.1 comp.quimica da célulaA4.1 comp.quimica da célula
A4.1 comp.quimica da célulaSimone Costa
 
Aula 18 Estrutura de carboidratos.pdf
Aula 18 Estrutura de carboidratos.pdfAula 18 Estrutura de carboidratos.pdf
Aula 18 Estrutura de carboidratos.pdfrobertocordeiro909
 
Aula sobre os Carboidratos nas Plantasss
Aula sobre os Carboidratos nas PlantasssAula sobre os Carboidratos nas Plantasss
Aula sobre os Carboidratos nas PlantasssJeanMarcelo21
 
Composição química da célula- Elementos químicos.ppt
Composição química da célula- Elementos químicos.pptComposição química da célula- Elementos químicos.ppt
Composição química da célula- Elementos químicos.pptkassiasilva1571
 
Bioquímica ii 12 biossíntese do colesterol (arlindo netto)
Bioquímica ii 12   biossíntese do colesterol (arlindo netto)Bioquímica ii 12   biossíntese do colesterol (arlindo netto)
Bioquímica ii 12 biossíntese do colesterol (arlindo netto)Jucie Vasconcelos
 
Composição Química Carboidratos e Lipídios
Composição Química Carboidratos e LipídiosComposição Química Carboidratos e Lipídios
Composição Química Carboidratos e LipídiosLaguat
 
Carboidratos shared
Carboidratos sharedCarboidratos shared
Carboidratos sharedErica Alves
 
Respiracao celular
Respiracao celularRespiracao celular
Respiracao celularLaguat
 

Semelhante a Bioquímica 2012 (20)

Quimica da vida
Quimica da vida   Quimica da vida
Quimica da vida
 
Fundamentos da bioquímica - carboidratos.pdf
Fundamentos da bioquímica - carboidratos.pdfFundamentos da bioquímica - carboidratos.pdf
Fundamentos da bioquímica - carboidratos.pdf
 
Aula 2 e_3_-_carboidratos,_glicólise, _ciclo_de_krebs_e_via_das_pentoses (1)
Aula 2 e_3_-_carboidratos,_glicólise, _ciclo_de_krebs_e_via_das_pentoses (1)Aula 2 e_3_-_carboidratos,_glicólise, _ciclo_de_krebs_e_via_das_pentoses (1)
Aula 2 e_3_-_carboidratos,_glicólise, _ciclo_de_krebs_e_via_das_pentoses (1)
 
Biologia molecular
Biologia molecularBiologia molecular
Biologia molecular
 
A base molecular dos seres vivos
A base molecular dos seres vivosA base molecular dos seres vivos
A base molecular dos seres vivos
 
A química da célula - Agua e sais minerais
A química da célula - Agua e sais mineraisA química da célula - Agua e sais minerais
A química da célula - Agua e sais minerais
 
Fundamentos químicos da vida
Fundamentos químicos da vidaFundamentos químicos da vida
Fundamentos químicos da vida
 
A4.1 comp.quimica da célula
A4.1 comp.quimica da célulaA4.1 comp.quimica da célula
A4.1 comp.quimica da célula
 
A quimica dos seres vivos
A quimica dos seres vivosA quimica dos seres vivos
A quimica dos seres vivos
 
Aula 18 Estrutura de carboidratos.pdf
Aula 18 Estrutura de carboidratos.pdfAula 18 Estrutura de carboidratos.pdf
Aula 18 Estrutura de carboidratos.pdf
 
Aula sobre os Carboidratos nas Plantasss
Aula sobre os Carboidratos nas PlantasssAula sobre os Carboidratos nas Plantasss
Aula sobre os Carboidratos nas Plantasss
 
Biologia bmrn
Biologia bmrnBiologia bmrn
Biologia bmrn
 
CARBOIDRATOS.pdf
CARBOIDRATOS.pdfCARBOIDRATOS.pdf
CARBOIDRATOS.pdf
 
Bioquímica.
Bioquímica.Bioquímica.
Bioquímica.
 
Composição química da célula- Elementos químicos.ppt
Composição química da célula- Elementos químicos.pptComposição química da célula- Elementos químicos.ppt
Composição química da célula- Elementos químicos.ppt
 
Bioquímica ii 12 biossíntese do colesterol (arlindo netto)
Bioquímica ii 12   biossíntese do colesterol (arlindo netto)Bioquímica ii 12   biossíntese do colesterol (arlindo netto)
Bioquímica ii 12 biossíntese do colesterol (arlindo netto)
 
Composição Química Carboidratos e Lipídios
Composição Química Carboidratos e LipídiosComposição Química Carboidratos e Lipídios
Composição Química Carboidratos e Lipídios
 
Carboidratos shared
Carboidratos sharedCarboidratos shared
Carboidratos shared
 
Lipid1
Lipid1Lipid1
Lipid1
 
Respiracao celular
Respiracao celularRespiracao celular
Respiracao celular
 

Mais de Paulo Filho

Bioquímica Porto 2012
Bioquímica Porto 2012Bioquímica Porto 2012
Bioquímica Porto 2012Paulo Filho
 
Equilíbrio Químico
Equilíbrio QuímicoEquilíbrio Químico
Equilíbrio QuímicoPaulo Filho
 
Modelo Quântico - Aprofundamento MÁXIMO 2012
Modelo Quântico - Aprofundamento MÁXIMO  2012Modelo Quântico - Aprofundamento MÁXIMO  2012
Modelo Quântico - Aprofundamento MÁXIMO 2012Paulo Filho
 
Tabela periódica 2012 porto
Tabela periódica 2012 portoTabela periódica 2012 porto
Tabela periódica 2012 portoPaulo Filho
 
Tabela Periódica 2012 ANGLO
Tabela Periódica 2012 ANGLOTabela Periódica 2012 ANGLO
Tabela Periódica 2012 ANGLOPaulo Filho
 
Clonagem por micropropagação - Projeto Kyklos
Clonagem por micropropagação - Projeto KyklosClonagem por micropropagação - Projeto Kyklos
Clonagem por micropropagação - Projeto KyklosPaulo Filho
 
Mecânica-cinemática 2012
Mecânica-cinemática 2012Mecânica-cinemática 2012
Mecânica-cinemática 2012Paulo Filho
 
Equilíbrio Iônico
Equilíbrio IônicoEquilíbrio Iônico
Equilíbrio IônicoPaulo Filho
 
Aula de Isomeria Óptica
Aula de Isomeria ÓpticaAula de Isomeria Óptica
Aula de Isomeria ÓpticaPaulo Filho
 
Isomeria Geométrica
Isomeria GeométricaIsomeria Geométrica
Isomeria GeométricaPaulo Filho
 
Funções Orgânicas
Funções OrgânicasFunções Orgânicas
Funções OrgânicasPaulo Filho
 

Mais de Paulo Filho (18)

Termologia
TermologiaTermologia
Termologia
 
Petróleo 2012
Petróleo 2012Petróleo 2012
Petróleo 2012
 
Bioquímica Porto 2012
Bioquímica Porto 2012Bioquímica Porto 2012
Bioquímica Porto 2012
 
Equilíbrio Químico
Equilíbrio QuímicoEquilíbrio Químico
Equilíbrio Químico
 
Modelo Quântico - Aprofundamento MÁXIMO 2012
Modelo Quântico - Aprofundamento MÁXIMO  2012Modelo Quântico - Aprofundamento MÁXIMO  2012
Modelo Quântico - Aprofundamento MÁXIMO 2012
 
Tabela periódica 2012 porto
Tabela periódica 2012 portoTabela periódica 2012 porto
Tabela periódica 2012 porto
 
Tabela Periódica 2012 ANGLO
Tabela Periódica 2012 ANGLOTabela Periódica 2012 ANGLO
Tabela Periódica 2012 ANGLO
 
Clonagem por micropropagação - Projeto Kyklos
Clonagem por micropropagação - Projeto KyklosClonagem por micropropagação - Projeto Kyklos
Clonagem por micropropagação - Projeto Kyklos
 
Mecânica-cinemática 2012
Mecânica-cinemática 2012Mecânica-cinemática 2012
Mecânica-cinemática 2012
 
Equilíbrio Iônico
Equilíbrio IônicoEquilíbrio Iônico
Equilíbrio Iônico
 
Polímeros
PolímerosPolímeros
Polímeros
 
Aula de Isomeria Óptica
Aula de Isomeria ÓpticaAula de Isomeria Óptica
Aula de Isomeria Óptica
 
Isomeria Geométrica
Isomeria GeométricaIsomeria Geométrica
Isomeria Geométrica
 
Isomeria Plana
Isomeria PlanaIsomeria Plana
Isomeria Plana
 
Funções Orgânicas
Funções OrgânicasFunções Orgânicas
Funções Orgânicas
 
Eletrodinâmica
EletrodinâmicaEletrodinâmica
Eletrodinâmica
 
Eletrostática
EletrostáticaEletrostática
Eletrostática
 
HOPI VENTURI
HOPI VENTURIHOPI VENTURI
HOPI VENTURI
 

Bioquímica 2012

  • 1. Você é o que você come !
  • 2.
  • 3. • O nome proteína origina-se da palavra grega proteios, que significa “de primordial importância”. • As proteínas são enormes moléculas (macromoléculas) formadas principalmente por vários aminoácidos ligados entre si. Dipeptídeo – 2 aminoácidos Tripeptídeo – 3 aminoácidos Polipeptídeo – até 100 aminoácidos Proteínas – a partir de 100 aminoácidos
  • 4.
  • 5. • Praticamente todos os aminoácidos possuem o grupo amino (NH2) e a carboxila (COOH) ligados no mesmo carbono, . O R, chamado de cadeia lateral é o que diferencia um aminoácido de outro.
  • 6. • existem 20 aminoácidos essenciais que nosso corpo não sintetiza:
  • 7.
  • 9. O OH do grupo do ácido carboxílico de um aminoácido se junta a um H do grupo amino do outro aminoácido, formando água e juntando os 2 aminoácidos. A reação contrária, de ruptura da ligação peptídica, se chama hidrólise e produz aminoácidos.
  • 10.
  • 11.
  • 12. Estrutura primária É dada pela sequência de aminoácidos ao longo da cadeia polipeptídica. Estrutura secundária É dada pelo arranjo espacial de aminoácidos próximos entre si na sequência primária da proteína. Estrutura terciária Ela descreve a conformação da proteína inteira. Estrutura quaternária Algumas proteínas podem ter duas ou mais cadeias polipeptídicas.
  • 13.
  • 14. A desnaturação é um processo que se dá em moléculas biológicas, principalmente nas proteínas, expostas a condições diferentes àquelas em que foram produzidas, como variações de temperatura, mudanças de pH, força iônica, entre outras. A proteína perde a sua estrutura tridimensional e, portanto, as suas propriedades.
  • 15.
  • 17. • também conhecidos como hidratos de carbono, glicídios, glucídeos, glúcidos, glúcides, sacaríde os ou açúcares. • São compostos de função mista •poliálcool-cetona •poliálcool-aldeído. paulinho
  • 18. 1. MONOSSACARÍDEOS • São os glicídios de menor tamanho, base para os demais. A)ALDOSES: apresentam o grupo aldeído. B) CETOSES: apresentam o grupo cetona.
  • 19. GLICOSE • C6H12O6 • Ocorre no mel e frutos doces • É obtida pela hidrólise do amido em meio ácido • Usada na fabricação do álcool etílico •Usada na alimentação de crianças e atletas FRUTOSE • C6H12O6 • Ocorre no mel e frutos doces paulinho
  • 20. 2. DISSACARÍDEOS • açúcares formados por dois monossacarídeos • por hidrólise, liberam os monossacarídeos
  • 21. SACAROSE • C12H22O11 • Fontes naturais: Cana-de-açúcar, beterraba • É o açúcar comum • Aplicações fundamentais: alimentação e produção de álcool etílico
  • 25.
  • 26. 3. POLISSACARÍDEOS • POLÍMEROS (macromoléculas) naturais são constituídos de milhares de unidades de glicose.
  • 27. CELULOSE • (C6H10O5)n • Ocorre em todos os vegetais • A massa molecular média é 400.000 u •Praticamente não é digerível pelo organismo humano • Usada na fabricação do papel e do tecido de algodão • Usada também na fabricação de: celulóides, pólvora, filmes sedas artificiais, vidro de segurança. AMIDO • (C6H10O5)n • Ocorre em todos os vegetais • Utilizado na alimentação, produção de álcool, fabricação da cola
  • 29. • Ésteres produzidos pelos organismos vivos • Quando hidrolisados produzem ácidos graxos (ácidos orgânicos muito grandes com mais de 15 carbonos) e outros produtos. • Principais características gerais: • brancos ou amarelados • untuosos ao tato • pouco consistentes • insolúveis em água
  • 30. Triglicerídeos • triésteres (3 ésteres) de glicerol e ácidos graxos. • os óleos e gorduras animal e vegetal são misturas de glicéridos. • grande utilização industrial, principalmente na fabricação da margarina.
  • 31. A Diferença entre Óleo e Gordura