SlideShare uma empresa Scribd logo
MODIFICAÇÕES
FISIOLÓGICAS NO CICLO
GRAVÍDICO-PUERPERAL:
Hemodinâmica, Respiratória e
Hematológicas
IPEMED
CMVF
MODIFICAÇÕES CV FISIOLÓGICAS DA GESTAÇÃO
 Alterações importantes
ocorrem no SCV
materno logo após a
concepção:
- Manter perfusão
uterina
- Manter oxigenação
fetal
- Manter entrega de
nutrientes
 ESTAS ALTERAÇÕES
PODEM
DESMASCARAR
DOENÇAS
CARDIOVASCULARES
PREVIAMENTE
DESCONHECIDAS
ALTERAÇÕES CV DA GESTAÇÃO
• Anatômicas: Crescimento uterino
Alterações na distribuição do fluxo
sanguíneo
Alterações anatômicas cardíacas
• Hemodinâmicas Volume Sanguíneo
Freqüência Cardíaca
RVS e RVP
Alterações no Fluxo Regional
ORGÃO MODIFICAÇÕES COMENTÁRIOS
Útero Aumenta 50ml/min com 10 semanas
e 1200ml/min com 37sem.
Rins Aumenta 50% de aumento RFG e
retorna ao normal ao
termo
Extremidades Aumenta Aumenta para as mãos
mais do que para pernas
Pele Aumenta Pele quente, congestão
nasal, mãos úmidas,
teleangiectasias
Fígado Não Modifica
Cérebro Não Modifica
Mama Aumenta Pode causar sons venosos
ALTERAÇÕES CV DA GESTAÇÃO
Volume sanguíneo
∀ ↑ precocemente na gestação e se mantem elevado até
o termo
• Média de aumento de 50%
• Mecanismos:
-↑estrógeno ⇒ ↑ SRAA ⇒ retenção sal
- Relaxamento da musculatura vascular criando um
circuito de baixa resistência, induzidos pela
progesterona
Aumento do Volume Plasmático
 Aumento da renina e aldosterona
 Aumento do ANP – peptídio natriurético atrial
- Liberado pelos átrios devido à expansão volemica
- Vasodilatação
- Aumento do volume sanguíneo
 BNP – pelos ventrículos  redução da RVS
Am J Cardiol 1997; 80:1469-1473
24
20
16
12
8
4
0
Pré-Gestacional
08 16 24 32
Termo
12 24 52
Multípara
Nulípara
ModificaçãonoVolumeSistólico(mL)
Pós-Parto
Semanas
VOLUME SISTÓLICO
ModificaçãoPercentualdos
ValoresPré-gestacionais
+50
+40
+30
+20
+10
0
-10
-20
1o
Trimestre
4 8 12 16 20 24 28 32 36 40
2o
Trimestre 3o
Trimestre Parto
Duração da Gestação (semanas)
Volume
Plasmático
Volume de Hemáceas
(com supl. de Fe)
Volume de
Hemáceas
(sem supl. de Fe)
Hematócrito
(c/ supl. de Ferro)
Hematócrito
(s/ supl. de Ferro)
Modificado de Clin Obstet Gynecol 1976; 19(3)
VOLUME SANGUÍNEO
Frequência Cardíaca
- O ↑ de FC ocorre antes do ↑da demanda
hemodinâmica e continua até 32ª semana -
permanece elevada até 2-5 dias pós-parto
- Média de aumento = 10 a 20 bpm
- Altera com a postura materna
FrequênciaCardíaca(bpm)
110
100
90
80
70
60 4
1o
Trimestre 2o
Trimestre 3o
Trimestre Pós
Parto
8 12 16 20 24 28 32 36 40
Gestação (semanas)
Ortostática
Assentada
Supina
AJM 1980; 69:97-104
FREQUÊNCIA CARDÍACA
Débito Cardíaco
 DC = FC xVol. Sist.
 Varia com a
posição materna
 Ecocardiografia
permite uma
análise sequencial
24
20
16
12
8
4
0
ModificaçãonoDébitoCardíaco(L/min)
08 16 24 32 12 24 52
Semanas
Multípara
Nulípara
PG Termo PP
Am J Cardiol 1997; 80:1469-1473
DÉBITO CARDÍACO
 Aumento da massa doVE e aumento do volume
diastólico final (aumento de até 30% do tamanho do
coração)
 Volume sistólico final e pressão diastólica final se
mantem
 FE não modifica no global, porém pode aumentar
inicialmente e reduzir no final da gravidez
 Parece que a contratilidade miocárdica aumenta
Resistência Vascular
- PA = Fluxo sanguíneo x RVS
− ↓ RVS por estímulo estrogênico e EDRF (ON)
- Vasodilatação por liberação de PGE2 e PGI2
- Resistência à ação da angiotensina II, via prostaciclina
- Placenta  funciona como uma FAV
- PAd reduz mais que PAs
- 85% da redução da PA acontece até a 16ª semana
Pós
Parto
95
90
85
80
75
70
65
10 15 20 25 30 35 40
PressãoArterialMédia(mmHg)
Idade Gestacional - semanas
(média)
Obstet Gynecol 1990; 76:1061-1069
1600
1500
1400
1300
10 15 20 2
5
30 35 40 Pós
Parto
ResistênciaPeriféricaTotal
(média)
Idade Gestacional - semanas
(média)
1200
1100
1000
900
800
700
600
Modificações em
relação a pré-concepção
D C 4,3 ± 0,9 6,2 ± 1,0 +43% *
Freq Card 71,0 ± 10,0 83,0 ± 10,0 +17% *
RVS 1530,0 ± 520,0 1210,0 ± 266,0 - 21% *
RVP 119,0 ± 47,0 78,0 ± 22,0 - 34% *
PAM 86,4 ± 7,5 90,3 ± 5,8 NS
PCP 3,7 ± 2,6 3,6 ± 2,5 NS
PVC 3,7 ± 2,6 3,6 ± 2,5 NS
Índ trab VE 41,0 ± 8,0 48,0 ± 6,0 NS
* P < 0,05 NS = Não significante
MODIFICAÇÕES HEMODINÂMICAS CENTRAIS
DURANTE A GESTAÇÃO
11 - 12 Semanas
Pós-parto
36-38 Semanas
Gestação
Circulation 1999; 99
ALTERAÇÕES CV DA
GESTAÇÃO
Alterações posturais e regionais
∀↓ do retorno venoso e DC secundário à
compressão da veia cava
• Síncope de gravidez
∀↓ tônus vascular dos órgãos reprodutores
Aula 1 modificações fisiologicas 2012
Aula 1 modificações fisiologicas 2012
7
6
5
(L/min)
Débito
Cardíaco
100
90
80
70
(bpm)
Frequência
Cardíaca
85
75
65
55
(mL/bat)
Volume
Sistólico
Entre Contrações Durante Contrações
Supino Decúbito lat. esquerdo
Am J Obstet Gynecol. 1967; 99
ALTERAÇÕES HEMODINÂMICAS NO
TRABALHO DE PARTO
ALTERAÇÕES CV DA GESTAÇÃO
Trabalho de Parto / Parto / Puerpério
• Frequencia cardíaca – pode elevar / não modificar
• A cada contração há elevação das PA s e PAd
• Aumento de cerca de 34% do DC no final do 2o estágio do
trabalho de parto – autohemotransfusão de cerca de 500ml
• Parto vaginal perde ± 600ml de sangue
• Cesariana perde + de 900 ml de sangue
• Episiotomia perde ± 150 ml de sangue
• Cesariana tem maiores flutuações hemodinâmicas, porém
evitam a “autohemotransfusão”
ALTERAÇÕES CV DA GESTAÇÃO
Anestesia
 Reduz as alterações adrenérgicas provocadas pela
dor
 Bloqueio epidural :
↓RVS, ↓retorno venoso, ↓ DC
ALTERAÇÕES CV DA GESTAÇÃO
Pós parto
• Descompressão da veia cava ⇒ ↑ Ret.venoso + taquicardia ⇒
↑↑ DC
∀ ↓ FC após a 1ªh e ↑ progressivo da RVS ⇒ ↓ DC
progressivamente
• Perda sanguínea
• FC vai reduzindo nas primeiras 24 horas e retorna ao normal em 1
semana
• As demais alterações retornam ao normal cerca de 12 semanas
pós-parto.
ALTERAÇÕES RESPIRATÓRIAS
NA GESTAÇÃO
• Mecânicas
- Padrão vent. ~ à distenção abdominal
- ↑dos ângulos costais em 50%
- ↑do θ torácico em 5 - 7 cm
- Elevação do diafragma 4 - 5 cm
• Bioquímicas
- Maior sensibilidade ao CO2
VREVRE
CPTCPT
CICI
CVCV
VRVR
CRFCRF
Clin Chest Med 1992; 13
(~)
↓ 20%
↓ 22%
VOLUMES ESTÁTICOS PULMONARES
5
0
4
0
3
0
2
0
1
0
0
-
10 1 2 3 4 5 6 7 8 9
Ventilação
minuto
Consumo
de O2
Metabolismo
Basal
AlteraçõesPercentuais
Meses de Gravidez
Am J Cardiol 1997; 80:1469-1473
ALTERAÇÕES RESPIRATÓRIAS
NA GESTAÇÃO
• Gases arteriais na gravidez
Parâmetro Valor
ph 7,40 - 7,46
P CO2 26 - 32 mm Hg
PO2 87 - 106 mm Hg
HCO3 18 - 21 mEq/L
RESUMO
1 Trim estre 2 Trimestre 3 Trimestre
Frequencia Cardíaca   
PA Sistólica   
PA Diastólica   
Volume Ejeção   
Débito Cardíaco   
RVS   
Fração de ejeção   
Alterações fisiológicas
Débito cardíaco ↑30 a 50 (%) ↑60 a 80 (%)
Volume sistólico ↑30 a 40
↑60 a 80 Freqüência cardíaca
↑10 a 20 bat. ↓15 a 20 Volume sangüíneo
↑ 40
Volume plasmático ↑40 a 50 ↓5 a 15
Pressão arterial ↓discreta ↑10
RVS, RVP ↓20 a 30 ↓
Resistência vascular pulmonar ↓ ↓
Pressão coloidosmótica (plasma) ↓14%
Hemoglobina ↓2,1 g/dl
Eritrócitos ↑ 20 a30
ALTERAÇÕES RESPIRATÓRIAS
PARTO
GRAVIDE
Z
ALTERAÇÕES CARDIOVASCULARES
SINTOMAS DO ACV NA GESTAÇÃO
NORMAL
• Dispnéia - 70% presente no 3º T, mas inicia no 1º e 2º , de
leve intensidade; secundária a hiperventilação
• Fadiga – efeitos soníferos da progesterona + anemia
fisiológica+ aumento da demanda cardiovascular
• Tonteira e síncope - por reduções do retorno venoso
posturais
• Palpitação – habituais nos jovens e pelo ↑ da FC –
aumento da percepção deste aumento da FC
• Dor Precordial – esofagites, hérnia de hiato, distensão do
 costal
SINAIS DO ACV NA GESTAÇÃO
NORMAL
• Edema: ocorre em 80%, ↑ da pressão capilar
venosa dos MMII e ↓ da pressão coloidosmótica
• Estase Jugular: ↑ pressão jugular no 2º T,
mas cai qdo inclina o tronco a 30°
• Ictus: desviado para esquerda, com bulhas
palpáveis
• Bulhas: B¹ hiperf., B² desdobrada ampla//; B³
audível em 85%
• Sopros: SS suave entre 2-3º EIE; sopros por
dilatação de anéis valvares; sopros venosos (fim
da gestação)
Interpretação de Exames
Complementares
• Rx Tórax: ↑ AC , porém ainda N;
↑aparente da trama vascular pulmonar
por elevação do diafragma; proeminência
do tronco pulmonar; veia ázigos
• Eletrocardiograma: desvio do SÂQRS
para esquerda; ↑ FC; “q” D3 e inversão
de T em D3 que modifica c/ respiração;
onda “q”atenuada em AVF; inversão de
T de V1-V2, V3; infra de ST de até 1mm,
transitórios
The Obstetric Hematology Manual – Pavord and Hunt;
Cambridge University 2010
Hemácias / Leucócitos /
Plaquetas
 Queda da hemoglobina
 HB < 10,4 mg% sugere anemia
 Hb > 13,5 mg% sugere expansão inadequada do volume
plasmático
 VCM levemente aumentado, independente dos níveis de
acido fólico e vitamina B12
 Neutrofilia na gravidez e pós parto imediato, retornando aos
valores normais com 4 semanas pós parto
 Apenas leucograma acima de 16.000 é considerado anormal.
 Reduz durante a gravidez até 115.000
Fatores da Coagulação
 PTTa (via intrínseca) reduz até 4 segundos
 Estrogênio induz ao aumento dos fatores da
coagulação
 Mantem elevados até cerca de 8-12 semanas de
puerpério
ALTERAÇÕES NOS FATORES DA
COAGULAÇÃO
DURANTE A GESTAÇÃOFATORES ALTERAÇÃO
I – Fibrinogênio
II – Protrombina
V - Fator lábil
VII- Proconvertina
VIII- Fator antihemofílico
IX – Fator de Christmas
X – Fator de Stuart
XI – Antec. tromboplastina
Aumenta
Levemente aumentado
Normal / aumentado
Aumenta
Aumenta
Aumenta
Aumenta
Reduz gradualmente
ALTERAÇÕES NA ANTICOAGULAÇÃO
DURANTE A GESTAÇÃO
Proteína C
Proteína S
Não modifica*
Reduz progressiva//
Antitrombina III
Resistência a Proteína C
Ativador do plaminogênio
PAI 1 e 2
Não modifica
Aumenta
Aumenta
Aumenta
*aumenta no puerpério
Aula 1 modificações fisiologicas 2012

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Protocolo manejo dos quadros hipertensivos na gestação pp
Protocolo manejo dos quadros hipertensivos na gestação ppProtocolo manejo dos quadros hipertensivos na gestação pp
Protocolo manejo dos quadros hipertensivos na gestação pp
tvf
 
Sangramento Uterino Disfuncional - Ginecologia/Obstetrícia
Sangramento Uterino Disfuncional - Ginecologia/ObstetríciaSangramento Uterino Disfuncional - Ginecologia/Obstetrícia
Sangramento Uterino Disfuncional - Ginecologia/Obstetrícia
UFRN
 
Icterícia Neonatal
Icterícia NeonatalIcterícia Neonatal
Icterícia Neonatal
blogped1
 
Síndromes hipertensivas gestacionais
Síndromes hipertensivas gestacionaisSíndromes hipertensivas gestacionais
Síndromes hipertensivas gestacionais
Anielly Meira
 
Manejo dos quadros hipertensivos na gestação pp
Manejo dos quadros hipertensivos na gestação ppManejo dos quadros hipertensivos na gestação pp
Manejo dos quadros hipertensivos na gestação pp
tvf
 
Caso clínico icterícia neonatal. Goiânia - GO - BRASIL
Caso clínico icterícia neonatal. Goiânia - GO - BRASILCaso clínico icterícia neonatal. Goiânia - GO - BRASIL
Caso clínico icterícia neonatal. Goiânia - GO - BRASIL
Sofía Leal Fuentes
 
Desconforto Respiratório Neonatal
Desconforto Respiratório NeonatalDesconforto Respiratório Neonatal
Desconforto Respiratório Neonatal
blogped1
 
Crise Hipoxemica
Crise HipoxemicaCrise Hipoxemica
Crise Hipoxemica
Rede Leve Pizza Ilhéus
 
Sangramento uterino disfuncional
Sangramento uterino disfuncionalSangramento uterino disfuncional
Sangramento uterino disfuncional
Sarah Sella Langer
 
Ictericia neonata l
Ictericia  neonata lIctericia  neonata l
Ictericia neonata l
Allany Anjos
 
HEMORRAGIA UTERINA DISFUNCIONAL
HEMORRAGIA UTERINA DISFUNCIONALHEMORRAGIA UTERINA DISFUNCIONAL
HEMORRAGIA UTERINA DISFUNCIONAL
Maycon Silva
 
Atendimento gestante traumatizada
Atendimento gestante traumatizadaAtendimento gestante traumatizada
Atendimento gestante traumatizada
Danielly Oliveira
 
Primeiro atendimento em urgências obstétricas
Primeiro atendimento em urgências obstétricasPrimeiro atendimento em urgências obstétricas
Primeiro atendimento em urgências obstétricas
Caroline Reis Gonçalves
 
2012 2_-_afecções_do_recém_na
2012  2_-_afecções_do_recém_na2012  2_-_afecções_do_recém_na
2012 2_-_afecções_do_recém_na
Rafaela Bulhões
 
DoençA Hipertensiva EspecíFica Da Gravidez
DoençA Hipertensiva EspecíFica Da GravidezDoençA Hipertensiva EspecíFica Da Gravidez
DoençA Hipertensiva EspecíFica Da Gravidez
chirlei ferreira
 
Icterícia neonatal
Icterícia neonatalIcterícia neonatal
Icterícia neonatal
Leandro Góis Silva
 
Ictericia
IctericiaIctericia
Ictericia
Cristina Resende
 
Abordagem A Paciente Com Sangramento Chirlei
Abordagem A Paciente Com Sangramento ChirleiAbordagem A Paciente Com Sangramento Chirlei
Abordagem A Paciente Com Sangramento Chirlei
chirlei ferreira
 
Icteria Neonatal - Liga de Pediatria UNICID
Icteria Neonatal - Liga de Pediatria UNICIDIcteria Neonatal - Liga de Pediatria UNICID
Icteria Neonatal - Liga de Pediatria UNICID
Liga De Pediatria Med Unicid
 
Protocolo de Manejo das Hemorragias Puerperais - Maternidade Odete Valadares
Protocolo de Manejo das Hemorragias Puerperais - Maternidade Odete ValadaresProtocolo de Manejo das Hemorragias Puerperais - Maternidade Odete Valadares
Protocolo de Manejo das Hemorragias Puerperais - Maternidade Odete Valadares
Caroline Reis Gonçalves
 

Mais procurados (20)

Protocolo manejo dos quadros hipertensivos na gestação pp
Protocolo manejo dos quadros hipertensivos na gestação ppProtocolo manejo dos quadros hipertensivos na gestação pp
Protocolo manejo dos quadros hipertensivos na gestação pp
 
Sangramento Uterino Disfuncional - Ginecologia/Obstetrícia
Sangramento Uterino Disfuncional - Ginecologia/ObstetríciaSangramento Uterino Disfuncional - Ginecologia/Obstetrícia
Sangramento Uterino Disfuncional - Ginecologia/Obstetrícia
 
Icterícia Neonatal
Icterícia NeonatalIcterícia Neonatal
Icterícia Neonatal
 
Síndromes hipertensivas gestacionais
Síndromes hipertensivas gestacionaisSíndromes hipertensivas gestacionais
Síndromes hipertensivas gestacionais
 
Manejo dos quadros hipertensivos na gestação pp
Manejo dos quadros hipertensivos na gestação ppManejo dos quadros hipertensivos na gestação pp
Manejo dos quadros hipertensivos na gestação pp
 
Caso clínico icterícia neonatal. Goiânia - GO - BRASIL
Caso clínico icterícia neonatal. Goiânia - GO - BRASILCaso clínico icterícia neonatal. Goiânia - GO - BRASIL
Caso clínico icterícia neonatal. Goiânia - GO - BRASIL
 
Desconforto Respiratório Neonatal
Desconforto Respiratório NeonatalDesconforto Respiratório Neonatal
Desconforto Respiratório Neonatal
 
Crise Hipoxemica
Crise HipoxemicaCrise Hipoxemica
Crise Hipoxemica
 
Sangramento uterino disfuncional
Sangramento uterino disfuncionalSangramento uterino disfuncional
Sangramento uterino disfuncional
 
Ictericia neonata l
Ictericia  neonata lIctericia  neonata l
Ictericia neonata l
 
HEMORRAGIA UTERINA DISFUNCIONAL
HEMORRAGIA UTERINA DISFUNCIONALHEMORRAGIA UTERINA DISFUNCIONAL
HEMORRAGIA UTERINA DISFUNCIONAL
 
Atendimento gestante traumatizada
Atendimento gestante traumatizadaAtendimento gestante traumatizada
Atendimento gestante traumatizada
 
Primeiro atendimento em urgências obstétricas
Primeiro atendimento em urgências obstétricasPrimeiro atendimento em urgências obstétricas
Primeiro atendimento em urgências obstétricas
 
2012 2_-_afecções_do_recém_na
2012  2_-_afecções_do_recém_na2012  2_-_afecções_do_recém_na
2012 2_-_afecções_do_recém_na
 
DoençA Hipertensiva EspecíFica Da Gravidez
DoençA Hipertensiva EspecíFica Da GravidezDoençA Hipertensiva EspecíFica Da Gravidez
DoençA Hipertensiva EspecíFica Da Gravidez
 
Icterícia neonatal
Icterícia neonatalIcterícia neonatal
Icterícia neonatal
 
Ictericia
IctericiaIctericia
Ictericia
 
Abordagem A Paciente Com Sangramento Chirlei
Abordagem A Paciente Com Sangramento ChirleiAbordagem A Paciente Com Sangramento Chirlei
Abordagem A Paciente Com Sangramento Chirlei
 
Icteria Neonatal - Liga de Pediatria UNICID
Icteria Neonatal - Liga de Pediatria UNICIDIcteria Neonatal - Liga de Pediatria UNICID
Icteria Neonatal - Liga de Pediatria UNICID
 
Protocolo de Manejo das Hemorragias Puerperais - Maternidade Odete Valadares
Protocolo de Manejo das Hemorragias Puerperais - Maternidade Odete ValadaresProtocolo de Manejo das Hemorragias Puerperais - Maternidade Odete Valadares
Protocolo de Manejo das Hemorragias Puerperais - Maternidade Odete Valadares
 

Destaque

Moda, Estilo e Conforto na Gestação
Moda, Estilo e Conforto na GestaçãoModa, Estilo e Conforto na Gestação
Moda, Estilo e Conforto na Gestação
anafrancops
 
Manual da Gestante
Manual da GestanteManual da Gestante
Manual da Gestante
Dr. Benevenuto
 
Dermatologia na gestante
Dermatologia na gestanteDermatologia na gestante
Dermatologia na gestante
gloryal
 
Gravidez e pele
Gravidez e peleGravidez e pele
Gravidez e pele
Tatiana Cruz
 
Alterações fisiológicas da gravidez curso de pré-natal - jean mendes
Alterações fisiológicas da gravidez   curso de pré-natal - jean mendesAlterações fisiológicas da gravidez   curso de pré-natal - jean mendes
Alterações fisiológicas da gravidez curso de pré-natal - jean mendes
drjeanmendes
 
Modificações sistêmicas da gestação
Modificações sistêmicas da gestaçãoModificações sistêmicas da gestação
Modificações sistêmicas da gestação
clinicansl
 
Tratamentos de estética da grávida e criança
Tratamentos de estética da grávida e criançaTratamentos de estética da grávida e criança
Tratamentos de estética da grávida e criança
Teresa Castilho
 
Brazil presentation the CCA Forum12
Brazil presentation the CCA Forum12Brazil presentation the CCA Forum12
Brazil presentation the CCA Forum12
Andre Gibrail
 
Apresentação gestantes
Apresentação gestantesApresentação gestantes
Apresentação gestantes
Juliane Stivanin da Silva
 
Massagem para gestante e shantala
Massagem para gestante e shantalaMassagem para gestante e shantala
Massagem para gestante e shantala
Tatiane F. S. Medeiros
 
Transformações na gestação
Transformações na gestaçãoTransformações na gestação
Transformações na gestação
Alinebrauna Brauna
 
Orientações a gestantes
Orientações a gestantesOrientações a gestantes
Orientações a gestantes
Mishela Kelly Almeida
 
ALTERAÇÕES FISIOLÓGICAS DA GRAVIDEZ
ALTERAÇÕES FISIOLÓGICAS DA GRAVIDEZALTERAÇÕES FISIOLÓGICAS DA GRAVIDEZ
ALTERAÇÕES FISIOLÓGICAS DA GRAVIDEZ
chirlei ferreira
 
Modificações no organismo da gestante
Modificações no organismo da gestanteModificações no organismo da gestante
Modificações no organismo da gestante
albaguilherme
 
Gravidez
GravidezGravidez
Gravidez
adrianasc
 
Grupo com gestantes
Grupo com gestantesGrupo com gestantes
Grupo com gestantes
Alinebrauna Brauna
 
a perspectiva bíblica sobre a auto-estima
a perspectiva bíblica sobre a auto-estimaa perspectiva bíblica sobre a auto-estima
a perspectiva bíblica sobre a auto-estima
ESTUDANTETEOLOGIA
 
Gestação
GestaçãoGestação
Gestação
Sandra Semedo
 

Destaque (18)

Moda, Estilo e Conforto na Gestação
Moda, Estilo e Conforto na GestaçãoModa, Estilo e Conforto na Gestação
Moda, Estilo e Conforto na Gestação
 
Manual da Gestante
Manual da GestanteManual da Gestante
Manual da Gestante
 
Dermatologia na gestante
Dermatologia na gestanteDermatologia na gestante
Dermatologia na gestante
 
Gravidez e pele
Gravidez e peleGravidez e pele
Gravidez e pele
 
Alterações fisiológicas da gravidez curso de pré-natal - jean mendes
Alterações fisiológicas da gravidez   curso de pré-natal - jean mendesAlterações fisiológicas da gravidez   curso de pré-natal - jean mendes
Alterações fisiológicas da gravidez curso de pré-natal - jean mendes
 
Modificações sistêmicas da gestação
Modificações sistêmicas da gestaçãoModificações sistêmicas da gestação
Modificações sistêmicas da gestação
 
Tratamentos de estética da grávida e criança
Tratamentos de estética da grávida e criançaTratamentos de estética da grávida e criança
Tratamentos de estética da grávida e criança
 
Brazil presentation the CCA Forum12
Brazil presentation the CCA Forum12Brazil presentation the CCA Forum12
Brazil presentation the CCA Forum12
 
Apresentação gestantes
Apresentação gestantesApresentação gestantes
Apresentação gestantes
 
Massagem para gestante e shantala
Massagem para gestante e shantalaMassagem para gestante e shantala
Massagem para gestante e shantala
 
Transformações na gestação
Transformações na gestaçãoTransformações na gestação
Transformações na gestação
 
Orientações a gestantes
Orientações a gestantesOrientações a gestantes
Orientações a gestantes
 
ALTERAÇÕES FISIOLÓGICAS DA GRAVIDEZ
ALTERAÇÕES FISIOLÓGICAS DA GRAVIDEZALTERAÇÕES FISIOLÓGICAS DA GRAVIDEZ
ALTERAÇÕES FISIOLÓGICAS DA GRAVIDEZ
 
Modificações no organismo da gestante
Modificações no organismo da gestanteModificações no organismo da gestante
Modificações no organismo da gestante
 
Gravidez
GravidezGravidez
Gravidez
 
Grupo com gestantes
Grupo com gestantesGrupo com gestantes
Grupo com gestantes
 
a perspectiva bíblica sobre a auto-estima
a perspectiva bíblica sobre a auto-estimaa perspectiva bíblica sobre a auto-estima
a perspectiva bíblica sobre a auto-estima
 
Gestação
GestaçãoGestação
Gestação
 

Semelhante a Aula 1 modificações fisiologicas 2012

Cardiotocografia
CardiotocografiaCardiotocografia
Cardiotocografia
Flavia Garcez
 
Cardiopatias em Neonatologia
Cardiopatias em NeonatologiaCardiopatias em Neonatologia
Cardiopatias em Neonatologia
Amanda Thomé
 
Fisiologia Cardiovascular
Fisiologia CardiovascularFisiologia Cardiovascular
Fisiologia Cardiovascular
Alessandro Marlos
 
MonitorizaçãO HemodinâMica
MonitorizaçãO HemodinâMicaMonitorizaçãO HemodinâMica
MonitorizaçãO HemodinâMica
galegoo
 
MonitorizaçãO HemodinâMica
MonitorizaçãO HemodinâMicaMonitorizaçãO HemodinâMica
MonitorizaçãO HemodinâMica
galegoo
 
Modificações cardiovasculares durante a infância
Modificações cardiovasculares durante a infânciaModificações cardiovasculares durante a infância
Modificações cardiovasculares durante a infância
João Antônio Granzotti
 
Choques
ChoquesChoques
Ciclo Cardíaco 4.ppt
Ciclo Cardíaco 4.pptCiclo Cardíaco 4.ppt
Ciclo Cardíaco 4.ppt
tobiaslourenconi
 
RCP
RCPRCP
Choque circulatório
Choque circulatórioChoque circulatório
Choque circulatório
gabrielrb87
 
rcp.pdf
rcp.pdfrcp.pdf
rcp.pdf
ThyagoSouza17
 
Hipertensão Pulmonar
Hipertensão PulmonarHipertensão Pulmonar
Hipertensão Pulmonar
Flávia Salame
 
LILIANA MENDES Mini curso jovem gastro df cirrose e suas complicações
LILIANA MENDES Mini curso jovem gastro df cirrose e suas complicações LILIANA MENDES Mini curso jovem gastro df cirrose e suas complicações
LILIANA MENDES Mini curso jovem gastro df cirrose e suas complicações
Liliana Mendes
 
Choque
ChoqueChoque
Choque
dapab
 
Fisiologia da circulação fetal
Fisiologia da circulação fetalFisiologia da circulação fetal
Fisiologia da circulação fetal
gisa_legal
 
Anóxia neonatal.pdf
Anóxia neonatal.pdfAnóxia neonatal.pdf
Anóxia neonatal.pdf
claudia42399
 
Iv curso teórico prático monitorização hemod
Iv curso teórico prático monitorização hemodIv curso teórico prático monitorização hemod
Iv curso teórico prático monitorização hemod
ctisaolucascopacabana
 
Ciclo cardiaco
Ciclo cardiacoCiclo cardiaco
Ciclo cardiaco
MAIQUELE SANTANA
 
Valvopatia
ValvopatiaValvopatia
Valvopatia
dapab
 
Miocardiopatia Hipertrófica - Ablação Septal Alcoolica
Miocardiopatia Hipertrófica - Ablação Septal AlcoolicaMiocardiopatia Hipertrófica - Ablação Septal Alcoolica
Miocardiopatia Hipertrófica - Ablação Septal Alcoolica
Evandro Martins Filho
 

Semelhante a Aula 1 modificações fisiologicas 2012 (20)

Cardiotocografia
CardiotocografiaCardiotocografia
Cardiotocografia
 
Cardiopatias em Neonatologia
Cardiopatias em NeonatologiaCardiopatias em Neonatologia
Cardiopatias em Neonatologia
 
Fisiologia Cardiovascular
Fisiologia CardiovascularFisiologia Cardiovascular
Fisiologia Cardiovascular
 
MonitorizaçãO HemodinâMica
MonitorizaçãO HemodinâMicaMonitorizaçãO HemodinâMica
MonitorizaçãO HemodinâMica
 
MonitorizaçãO HemodinâMica
MonitorizaçãO HemodinâMicaMonitorizaçãO HemodinâMica
MonitorizaçãO HemodinâMica
 
Modificações cardiovasculares durante a infância
Modificações cardiovasculares durante a infânciaModificações cardiovasculares durante a infância
Modificações cardiovasculares durante a infância
 
Choques
ChoquesChoques
Choques
 
Ciclo Cardíaco 4.ppt
Ciclo Cardíaco 4.pptCiclo Cardíaco 4.ppt
Ciclo Cardíaco 4.ppt
 
RCP
RCPRCP
RCP
 
Choque circulatório
Choque circulatórioChoque circulatório
Choque circulatório
 
rcp.pdf
rcp.pdfrcp.pdf
rcp.pdf
 
Hipertensão Pulmonar
Hipertensão PulmonarHipertensão Pulmonar
Hipertensão Pulmonar
 
LILIANA MENDES Mini curso jovem gastro df cirrose e suas complicações
LILIANA MENDES Mini curso jovem gastro df cirrose e suas complicações LILIANA MENDES Mini curso jovem gastro df cirrose e suas complicações
LILIANA MENDES Mini curso jovem gastro df cirrose e suas complicações
 
Choque
ChoqueChoque
Choque
 
Fisiologia da circulação fetal
Fisiologia da circulação fetalFisiologia da circulação fetal
Fisiologia da circulação fetal
 
Anóxia neonatal.pdf
Anóxia neonatal.pdfAnóxia neonatal.pdf
Anóxia neonatal.pdf
 
Iv curso teórico prático monitorização hemod
Iv curso teórico prático monitorização hemodIv curso teórico prático monitorização hemod
Iv curso teórico prático monitorização hemod
 
Ciclo cardiaco
Ciclo cardiacoCiclo cardiaco
Ciclo cardiaco
 
Valvopatia
ValvopatiaValvopatia
Valvopatia
 
Miocardiopatia Hipertrófica - Ablação Septal Alcoolica
Miocardiopatia Hipertrófica - Ablação Septal AlcoolicaMiocardiopatia Hipertrófica - Ablação Septal Alcoolica
Miocardiopatia Hipertrófica - Ablação Septal Alcoolica
 

Aula 1 modificações fisiologicas 2012

  • 2. MODIFICAÇÕES CV FISIOLÓGICAS DA GESTAÇÃO  Alterações importantes ocorrem no SCV materno logo após a concepção: - Manter perfusão uterina - Manter oxigenação fetal - Manter entrega de nutrientes  ESTAS ALTERAÇÕES PODEM DESMASCARAR DOENÇAS CARDIOVASCULARES PREVIAMENTE DESCONHECIDAS
  • 3. ALTERAÇÕES CV DA GESTAÇÃO • Anatômicas: Crescimento uterino Alterações na distribuição do fluxo sanguíneo Alterações anatômicas cardíacas • Hemodinâmicas Volume Sanguíneo Freqüência Cardíaca RVS e RVP
  • 4. Alterações no Fluxo Regional ORGÃO MODIFICAÇÕES COMENTÁRIOS Útero Aumenta 50ml/min com 10 semanas e 1200ml/min com 37sem. Rins Aumenta 50% de aumento RFG e retorna ao normal ao termo Extremidades Aumenta Aumenta para as mãos mais do que para pernas Pele Aumenta Pele quente, congestão nasal, mãos úmidas, teleangiectasias Fígado Não Modifica Cérebro Não Modifica Mama Aumenta Pode causar sons venosos
  • 5. ALTERAÇÕES CV DA GESTAÇÃO Volume sanguíneo ∀ ↑ precocemente na gestação e se mantem elevado até o termo • Média de aumento de 50% • Mecanismos: -↑estrógeno ⇒ ↑ SRAA ⇒ retenção sal - Relaxamento da musculatura vascular criando um circuito de baixa resistência, induzidos pela progesterona
  • 6. Aumento do Volume Plasmático  Aumento da renina e aldosterona  Aumento do ANP – peptídio natriurético atrial - Liberado pelos átrios devido à expansão volemica - Vasodilatação - Aumento do volume sanguíneo  BNP – pelos ventrículos  redução da RVS
  • 7. Am J Cardiol 1997; 80:1469-1473 24 20 16 12 8 4 0 Pré-Gestacional 08 16 24 32 Termo 12 24 52 Multípara Nulípara ModificaçãonoVolumeSistólico(mL) Pós-Parto Semanas VOLUME SISTÓLICO
  • 8. ModificaçãoPercentualdos ValoresPré-gestacionais +50 +40 +30 +20 +10 0 -10 -20 1o Trimestre 4 8 12 16 20 24 28 32 36 40 2o Trimestre 3o Trimestre Parto Duração da Gestação (semanas) Volume Plasmático Volume de Hemáceas (com supl. de Fe) Volume de Hemáceas (sem supl. de Fe) Hematócrito (c/ supl. de Ferro) Hematócrito (s/ supl. de Ferro) Modificado de Clin Obstet Gynecol 1976; 19(3) VOLUME SANGUÍNEO
  • 9. Frequência Cardíaca - O ↑ de FC ocorre antes do ↑da demanda hemodinâmica e continua até 32ª semana - permanece elevada até 2-5 dias pós-parto - Média de aumento = 10 a 20 bpm - Altera com a postura materna
  • 10. FrequênciaCardíaca(bpm) 110 100 90 80 70 60 4 1o Trimestre 2o Trimestre 3o Trimestre Pós Parto 8 12 16 20 24 28 32 36 40 Gestação (semanas) Ortostática Assentada Supina AJM 1980; 69:97-104 FREQUÊNCIA CARDÍACA
  • 11. Débito Cardíaco  DC = FC xVol. Sist.  Varia com a posição materna  Ecocardiografia permite uma análise sequencial
  • 12. 24 20 16 12 8 4 0 ModificaçãonoDébitoCardíaco(L/min) 08 16 24 32 12 24 52 Semanas Multípara Nulípara PG Termo PP Am J Cardiol 1997; 80:1469-1473 DÉBITO CARDÍACO
  • 13.  Aumento da massa doVE e aumento do volume diastólico final (aumento de até 30% do tamanho do coração)  Volume sistólico final e pressão diastólica final se mantem  FE não modifica no global, porém pode aumentar inicialmente e reduzir no final da gravidez  Parece que a contratilidade miocárdica aumenta
  • 14. Resistência Vascular - PA = Fluxo sanguíneo x RVS − ↓ RVS por estímulo estrogênico e EDRF (ON) - Vasodilatação por liberação de PGE2 e PGI2 - Resistência à ação da angiotensina II, via prostaciclina - Placenta  funciona como uma FAV - PAd reduz mais que PAs - 85% da redução da PA acontece até a 16ª semana
  • 15. Pós Parto 95 90 85 80 75 70 65 10 15 20 25 30 35 40 PressãoArterialMédia(mmHg) Idade Gestacional - semanas (média) Obstet Gynecol 1990; 76:1061-1069 1600 1500 1400 1300 10 15 20 2 5 30 35 40 Pós Parto ResistênciaPeriféricaTotal (média) Idade Gestacional - semanas (média) 1200 1100 1000 900 800 700 600
  • 16. Modificações em relação a pré-concepção D C 4,3 ± 0,9 6,2 ± 1,0 +43% * Freq Card 71,0 ± 10,0 83,0 ± 10,0 +17% * RVS 1530,0 ± 520,0 1210,0 ± 266,0 - 21% * RVP 119,0 ± 47,0 78,0 ± 22,0 - 34% * PAM 86,4 ± 7,5 90,3 ± 5,8 NS PCP 3,7 ± 2,6 3,6 ± 2,5 NS PVC 3,7 ± 2,6 3,6 ± 2,5 NS Índ trab VE 41,0 ± 8,0 48,0 ± 6,0 NS * P < 0,05 NS = Não significante MODIFICAÇÕES HEMODINÂMICAS CENTRAIS DURANTE A GESTAÇÃO 11 - 12 Semanas Pós-parto 36-38 Semanas Gestação Circulation 1999; 99
  • 17. ALTERAÇÕES CV DA GESTAÇÃO Alterações posturais e regionais ∀↓ do retorno venoso e DC secundário à compressão da veia cava • Síncope de gravidez ∀↓ tônus vascular dos órgãos reprodutores
  • 20. 7 6 5 (L/min) Débito Cardíaco 100 90 80 70 (bpm) Frequência Cardíaca 85 75 65 55 (mL/bat) Volume Sistólico Entre Contrações Durante Contrações Supino Decúbito lat. esquerdo Am J Obstet Gynecol. 1967; 99 ALTERAÇÕES HEMODINÂMICAS NO TRABALHO DE PARTO
  • 21. ALTERAÇÕES CV DA GESTAÇÃO Trabalho de Parto / Parto / Puerpério • Frequencia cardíaca – pode elevar / não modificar • A cada contração há elevação das PA s e PAd • Aumento de cerca de 34% do DC no final do 2o estágio do trabalho de parto – autohemotransfusão de cerca de 500ml • Parto vaginal perde ± 600ml de sangue • Cesariana perde + de 900 ml de sangue • Episiotomia perde ± 150 ml de sangue • Cesariana tem maiores flutuações hemodinâmicas, porém evitam a “autohemotransfusão”
  • 22. ALTERAÇÕES CV DA GESTAÇÃO Anestesia  Reduz as alterações adrenérgicas provocadas pela dor  Bloqueio epidural : ↓RVS, ↓retorno venoso, ↓ DC
  • 23. ALTERAÇÕES CV DA GESTAÇÃO Pós parto • Descompressão da veia cava ⇒ ↑ Ret.venoso + taquicardia ⇒ ↑↑ DC ∀ ↓ FC após a 1ªh e ↑ progressivo da RVS ⇒ ↓ DC progressivamente • Perda sanguínea • FC vai reduzindo nas primeiras 24 horas e retorna ao normal em 1 semana • As demais alterações retornam ao normal cerca de 12 semanas pós-parto.
  • 24. ALTERAÇÕES RESPIRATÓRIAS NA GESTAÇÃO • Mecânicas - Padrão vent. ~ à distenção abdominal - ↑dos ângulos costais em 50% - ↑do θ torácico em 5 - 7 cm - Elevação do diafragma 4 - 5 cm • Bioquímicas - Maior sensibilidade ao CO2
  • 25. VREVRE CPTCPT CICI CVCV VRVR CRFCRF Clin Chest Med 1992; 13 (~) ↓ 20% ↓ 22% VOLUMES ESTÁTICOS PULMONARES
  • 26. 5 0 4 0 3 0 2 0 1 0 0 - 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 Ventilação minuto Consumo de O2 Metabolismo Basal AlteraçõesPercentuais Meses de Gravidez Am J Cardiol 1997; 80:1469-1473
  • 27. ALTERAÇÕES RESPIRATÓRIAS NA GESTAÇÃO • Gases arteriais na gravidez Parâmetro Valor ph 7,40 - 7,46 P CO2 26 - 32 mm Hg PO2 87 - 106 mm Hg HCO3 18 - 21 mEq/L
  • 28. RESUMO 1 Trim estre 2 Trimestre 3 Trimestre Frequencia Cardíaca    PA Sistólica    PA Diastólica    Volume Ejeção    Débito Cardíaco    RVS    Fração de ejeção   
  • 29. Alterações fisiológicas Débito cardíaco ↑30 a 50 (%) ↑60 a 80 (%) Volume sistólico ↑30 a 40 ↑60 a 80 Freqüência cardíaca ↑10 a 20 bat. ↓15 a 20 Volume sangüíneo ↑ 40 Volume plasmático ↑40 a 50 ↓5 a 15 Pressão arterial ↓discreta ↑10 RVS, RVP ↓20 a 30 ↓ Resistência vascular pulmonar ↓ ↓ Pressão coloidosmótica (plasma) ↓14% Hemoglobina ↓2,1 g/dl Eritrócitos ↑ 20 a30 ALTERAÇÕES RESPIRATÓRIAS PARTO GRAVIDE Z ALTERAÇÕES CARDIOVASCULARES
  • 30. SINTOMAS DO ACV NA GESTAÇÃO NORMAL • Dispnéia - 70% presente no 3º T, mas inicia no 1º e 2º , de leve intensidade; secundária a hiperventilação • Fadiga – efeitos soníferos da progesterona + anemia fisiológica+ aumento da demanda cardiovascular • Tonteira e síncope - por reduções do retorno venoso posturais • Palpitação – habituais nos jovens e pelo ↑ da FC – aumento da percepção deste aumento da FC • Dor Precordial – esofagites, hérnia de hiato, distensão do  costal
  • 31. SINAIS DO ACV NA GESTAÇÃO NORMAL • Edema: ocorre em 80%, ↑ da pressão capilar venosa dos MMII e ↓ da pressão coloidosmótica • Estase Jugular: ↑ pressão jugular no 2º T, mas cai qdo inclina o tronco a 30° • Ictus: desviado para esquerda, com bulhas palpáveis • Bulhas: B¹ hiperf., B² desdobrada ampla//; B³ audível em 85% • Sopros: SS suave entre 2-3º EIE; sopros por dilatação de anéis valvares; sopros venosos (fim da gestação)
  • 32. Interpretação de Exames Complementares • Rx Tórax: ↑ AC , porém ainda N; ↑aparente da trama vascular pulmonar por elevação do diafragma; proeminência do tronco pulmonar; veia ázigos • Eletrocardiograma: desvio do SÂQRS para esquerda; ↑ FC; “q” D3 e inversão de T em D3 que modifica c/ respiração; onda “q”atenuada em AVF; inversão de T de V1-V2, V3; infra de ST de até 1mm, transitórios
  • 33. The Obstetric Hematology Manual – Pavord and Hunt; Cambridge University 2010
  • 34. Hemácias / Leucócitos / Plaquetas  Queda da hemoglobina  HB < 10,4 mg% sugere anemia  Hb > 13,5 mg% sugere expansão inadequada do volume plasmático  VCM levemente aumentado, independente dos níveis de acido fólico e vitamina B12  Neutrofilia na gravidez e pós parto imediato, retornando aos valores normais com 4 semanas pós parto  Apenas leucograma acima de 16.000 é considerado anormal.  Reduz durante a gravidez até 115.000
  • 35. Fatores da Coagulação  PTTa (via intrínseca) reduz até 4 segundos  Estrogênio induz ao aumento dos fatores da coagulação  Mantem elevados até cerca de 8-12 semanas de puerpério
  • 36. ALTERAÇÕES NOS FATORES DA COAGULAÇÃO DURANTE A GESTAÇÃOFATORES ALTERAÇÃO I – Fibrinogênio II – Protrombina V - Fator lábil VII- Proconvertina VIII- Fator antihemofílico IX – Fator de Christmas X – Fator de Stuart XI – Antec. tromboplastina Aumenta Levemente aumentado Normal / aumentado Aumenta Aumenta Aumenta Aumenta Reduz gradualmente
  • 37. ALTERAÇÕES NA ANTICOAGULAÇÃO DURANTE A GESTAÇÃO Proteína C Proteína S Não modifica* Reduz progressiva// Antitrombina III Resistência a Proteína C Ativador do plaminogênio PAI 1 e 2 Não modifica Aumenta Aumenta Aumenta *aumenta no puerpério