SlideShare uma empresa Scribd logo
Asma
Asma :  Definição A asma é uma  doença  inflamatória crônica das vias aéreas que ataca o sistema respiratório, e resulta na redução ou até mesmo obstrução no fluxo de ar.
Asma Sua  fisiopatologia  está relacionada a interação entre fatores genéticos e ambientais que se manifestam como crises de falta de ar devido ao edema da  mucosa  brônquica, a hiperprodução de muco e a contração da musculatura lisa das vias aéreas, com consequente diminuição de seu diâmetro (broncoespasmo).
Asma
Asma
Asma : sinais e sintomas Dentre os principais sinais e sintomas estão: a tosse, que pode ou não estar acompanhada de alguma expectoração; dificuldade respiratória, com dor ou ardência no peito; além de um chiado(sibilância). Na maioria das vezes não há expectoração ou se tem, é do tipo "clara de ovo". Podem aparecer a qualquer momento do dia, mas tendem a predominar pela manhã ou à noite.
Asma : Sinais e sintomas Os sintomas de asma ocorrem, ou agravam-se, à noite e, também, na presença de exercício, infecção viral, animais com pêlo e penas, ácaros domésticos (nos colchões, nas roupas de cama, nas almofadas, nas carpetes, na mobília acolchoada), fumo, pólenes, alimentos, alterações da temperatura, emoções fortes (riso, choro), aerossóis de produtos químicos e de fármacos.
Asma : Fatores  desencadeantes (exemplos)
Asma : Diagnóstico O diagnóstico da asma tem por base: História clínica :  para determinar a presença de sintomas e as suas características, relacionados com exposições a fatores de agressão;  Exame específico :  para determinar sinais de obstrução brônquica, embora um exame normal possa possibilitar o diagnóstico;  Avaliação funcional respiratória  : para comprovação de obstrução brônquica, da presença de hiperreatividade brônquica e de limitação variável do fluxo aéreo;  Avaliação de atopia ;  Exclusão de situações que podem confundir-se com a asma .
Asma:  Classificação Asma Intermitente: sintomas menos de uma vez por semana;  crises de curta duração (leves); sintomas noturnos esporádicos (não mais do que duas vezes ao mês); provas de função pulmonar normal no período entre as crises.  Asma Persistente Leve: presença de sintomas pelo menos uma vez por semana, porém, menos de uma vez ao dia; presença de sintomas noturnos mais de duas vezes ao mês,porém, menos de uma vez por semana; provas de função pulmonar normal no período entre as crises.  Asma Persistente Moderada: sintomas diários;  as crises podem afetar as atividades diárias e o sono; presença de sintomas noturnos pelo menos uma vez por semana; provas de função pulmonar: pico do fluxo expiratório (PFE) ou volume expiratório forçado no primeiro segundo (VEF) >60% e < 80% do esperado.  Asma Persistente Grave: sintomas diários;  crises frequentes; sintomas noturnos frequentes; provas de função pulmonar: pico do fluxo expiratório (PFE) ou volume expiratório forçado no primeiro segundo (VEF) > 60% do esperado
Asma
Asma:  Tipos de crise Crise ligeira Apresenta dispnéia à marcha (a andar);  Tolera posição de decúbito (posição de quem está deitado);  Apresenta um discurso quase normal; consciente; normalmente calmo ;  Não apresenta habitualmente tiragem respiratória;  A frequência respiratória está habitualmente normal, podendo estar ligeiramente elevada;  A frequência cardíaca está habitualmente abaixo dos 100/min;  Apresenta sibilos (ruídos feitos ao respirar que indicam obstrução parcial dos brônquios) moderados.  Não apresenta pulso paradoxal.
Asma : Tipos de crises Crise moderada Apresenta dispnéia a falar;  Adota a posição de sentado;  Fala com frases curtas;  Está consciente mas ansioso;  Apresenta tiragem respiratória;  A frequência respiratória encontra-se elevada;  A frequência cardíaca encontra-se entre 100 e 120/min;  Apresenta sibilos evidentes;  Pode apresentar pulso paradoxal .
Asma : Tipos de crise Crise grave Apresenta dispnéia em repouso;  Encontra-se inclinado para a frente;  Encontra-se ansioso ou até agitado;  Apresenta tiragem respiratória;  A frequência respiratória é superior a 30/min;  A frequência cardíaca é superior a 120/min;  Apresenta sibilos muito evidentes;  Apresenta geralmente pulso paradoxal .
Asma : Tipos de crise Crise com paragem respiratória iminente Apresenta-se sonolento ou em estado de confusão;  Apresenta bradicardia (diminuição do número normal das contrações cardíacas);  Apresenta silêncio respiratório;  Não apresenta pulso paradoxal.
Asma: Pulso paradoxal Na  medicina , pulso paradoxal é definido como uma queda superior a 15 mmHg na pressão arterial sistólica durante a fase inspiratória da respiração. É um sinal médico indicativo de diversas condições incluindo  tamponamento cardíaco ,  pericardite ,  apneia do sono  crônica,  crupe , e doença obstrutiva dos pulmões, como  asma  e  DPOC .
Asma :  Tratamento Para se tratar a asma, a pessoa deve ter cuidados com o ambiente, principalmente na sua casa e no trabalho, além de usar medicações e manter consultas médicas regulares.Técnicas fisioterapêuticas se mostram bastante eficientes. Os medicamentos podem ser divididos em duas classes: de alívio e de manutenção.
Asma: Tratamento O tratamento da asma tem dois componentes: 1) Uso de um agente aliviador (resgate) na fase aguda (broncodilatador) para reverter a obstrução aguda das vias áereas asmáticas. 2) Uso de medicações controladoras, que modifiquem o ambiente das vias áereas, de forma a diminuir a frequência de broncoconstrição. A asma é uma doença crônica que deve, exceto nas formas mais leves, ser tratada por longo prazo.
Asma :  Tratamento O doente asmático deve procurar cuidados médicos imediatos se:  1. A crise de asma é grave. O doente apresenta-se em insuficiência respiratória global. Nos lactentes e em  crianças  de idade inferior a 5 anos a evolução para um quadro de insuficiência respiratória grave pode ser mais rápida.  2. A resposta ao tratamento broncodilatador inicial não foi imediata e mantida pelo menos durante 3 horas.  3. Há deterioração progressiva do seu estado clínico .
Asma: Tratamento Segundo o principal mecanismo de ação, os medicamentos  usados no tratamento da asma podem ser divididos em duas categorias: os de alívio e os controladores. Os de alívio (ß2 agonistas de curta duração, brometo de ipratrópio, teofilina e derivados, e corticosteróides sistêmicos) são administrados para controle de sintomas agudos.  Os controladores (ß2 agonistas de longa duração,  cromoglicato dissódico, nedocromil sódico, cetotifeno, glico-corticosteróides inalatórios e os antileucotrienos) são administrados por período de tempo prolongado para controle da inflamação.
Asma: Tratamento Tanto os broncodilatadores quanto os anti-inflamatórios podem ser usados de várias formas: *por nebulização; *nebulímetro (&quot;spray&quot; ou &quot;bombinha&quot;);  *inaladores de pó seco;  * comprimido;  *xarope.  Os médicos dão preferência ao uso das medicações por nebulização, nebulímetro ou inaladores de pó seco por serem mais eficazes e causarem menos efeitos indesejáveis.
Asma: Nebulizadores *Use o nebulizador de acordo com as orientações de seu médico e do fabricante.  *Não misture medicamentos no nebulizador ou use o nebulizador de um  medica-mento específico com outro medicamento.  *Em caso de vazamentos ou obstrução, troque o nebulizador.  *Seu nebulizador é de uso individual.  *Sempre limpe e desinfete o nebulizador após cada aplicação.
Asma : Broncodilatadores Utilizados principalmente como medicações de alívio para cortar uma crise de asma. O  broncodilatador  é um medicamento, como o próprio nome diz, que dilata os brônquios (vias aéreas) quando o asmático está com falta de ar, chiado no peito ou crise de tosse.
Asma : Broncodilatadores Existem broncodilatadores chamados beta2-agonistas - uns apresentam efeito curto e outros efeito prolongado (que dura até 12h). Os de efeito curto costumam ser utilizados conforme a necessidade. Já aqueles de efeito prolongado costumam ser utilizados continuamente, a cada 12 horas. Além dos beta2-agonistas, outros broncodilatadores, como teofilinas e anticolinérgicos, podem ser usados.
Asma : Broncodilatadores A  teofilina   é um  broncodilatador que pode ajudar a aliviar os sintomas. O médico pode recomendar monitoração com exames de sangue para assegurar-se que a dosagem está correta. A teofilina encontra-se disponível em várias formas diferentes, inclusive comprimidos ou cápsulas de liberação prolongada. Na forma de liberação prolongada, o medicamento deve ser engolido inteiro, não podendo ser esmagado nem mastigado.  Pergunte ao médico ou farmacêutico sobre como tomar o tipo específico de teofilina receitado .
Asma : Antinflamatórios Utilizados principalmente para evitar crises (manutenção). Os  corticóides inalatórios  são, atualmente, a melhor conduta para combater a inflamação.  São utilizados com o intuito de prevenir as exacerbações da doença ou, pelo menos, minimizá-las e aumentar o tempo livre da doença entre uma crise e outra.  Os anti-inflamatórios devem ser utilizados de maneira contínua (todos os dias), já que combatem a inflamação crônica da mucosa brônquica.
Asma : Corticóides inalatórios É importante bochechar e lavar a boca com água depois de usar esses inaladores a fim de evitar a irritação da boca e da garganta. Alguns exemplos são:  Fluticasona , budesonida , triancinolona , flunisolida, beclometasona e  (combinação de fluticasona e salmeterol). •
Manejo da asma Todo paciente asmático deve ter em mãos um aparelho medidor do pico do fluxo expiratório (PFE). Esse aparelho é tão importante quanto um termômetro ou o aparelho de medir a pressão arterial, pois assim como a temperatura e a pressão, a asma pode ser mais bem controlada quando é medida.
Manejo da asma O medidor do pico do fluxo avalia o fluxo de ar no momento da expiração. Seu médico pode informar qual o valor do PFE esperado, tendo por base sua idade, peso e altura. Quando a asma está sob controle, o fluxo de ar é normal ou muito próximo do valor  esperado. Porém, mesmo antes da percepção dos sintomas de uma crise de asma, o pico do fluxo expiratório pode estar diminuído, evidenciando a obstrução das vias aéreas .
Manejo da asma O  sistema de semáforo  foi estabelecido para ser um guia de ajuda para os pacientes no manejo da asma. Assim que seu PFE for estabelecido, todos os esforços devem ser feitos para manter os valores no mínimo em torno de 80% deste valor.
Manejo da asma Veja o que cada cor do “semáforo” indica:  PFE entre 80% e 100% do melhor PFE esperado: ZONA VERDE SIGA :   Você deve estar relativamente livre de sintomas e pode manter os medicamentos em uso.
MANEJO DA ASMA ZONA AMARELA PFE entre 50% e 80% do PFE esperado:  ATENÇÃO :  A asma está piorando.  Um aumento temporário na medicação para a asma é indicado. Se você usa medicação crônica, a terapia de manutenção irá provavelmente precisar ser aumentada. Entre em contato com seu médico para ajustar seu tratamento.
Manejo da asma ZONA VERMELHA PFE abaixo de 50% do PFE esperado:  PERIGO  -  O controle da asma está falhando. Use seu broncodilatador inalatório. Se o PFE não retornar à zona amarela, entre em contato com seu médico imediatamente, ou inicie o tratamento orientado para os momentos de exacerbação da asma.
A educação terapêutica do paciente asmático Os doentes devem ser ativamente envolvidos no controle da sua própria asma e na prevenção de situações de crise, podendo, assim, viver de forma ativa e produtiva.  Com a ajuda do profissional de saúde, os doentes com asma devem aprender a :  * tomar os medicamentos corretamente  * compreender as diferenças entre o alívio imediato da crise e o tratamento preventivo a longo prazo  * evitar fatores desencadeantes  * monitorizar o estado da sua asma, reconhecer os sintomas e, se possível, analisar os valores do seu PEF  * reconhecer os sinais de agravamento e tomar as medidas necessárias  * procurar a ajuda médica adequada
Fontes * Programa Nacional do controlo da asma Lisboa: Direcção-Geral da Saúde, 2000.  * Asma e Rinite: Linhas de conduta em atenção básica Editora MS Brasília-DF 2004  * Wikipédia
Compilação Aline Maria Sá Nascimento Farmacêutica-Bíoquimica Pos-graduada em Farmácia 12/2011

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Asma Brônquica
Asma BrônquicaAsma Brônquica
Asma Brônquica
Cassyano Correr
 
Exame físico do sist. respiratório
Exame físico do sist. respiratórioExame físico do sist. respiratório
Exame físico do sist. respiratório
resenfe2013
 
Aula 09 oxigênioterapia
Aula 09  oxigênioterapiaAula 09  oxigênioterapia
Aula 09 oxigênioterapia
Rodrigo Abreu
 
Pneumonia
PneumoniaPneumonia
Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica
Doença Pulmonar Obstrutiva CrônicaDoença Pulmonar Obstrutiva Crônica
Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica
Amanda Thomé
 
DPOC - Doenca Pulmonar Obstrutiva Cronica
DPOC - Doenca Pulmonar Obstrutiva CronicaDPOC - Doenca Pulmonar Obstrutiva Cronica
DPOC - Doenca Pulmonar Obstrutiva Cronica
Ana Hollanders
 
Enfisema Pulmonar
Enfisema PulmonarEnfisema Pulmonar
Enfisema Pulmonar
Bruno Cavalcante Costa
 
Hipertensão
Hipertensão Hipertensão
Hipertensão
Nome Sobrenome
 
DPOC
DPOCDPOC
Oxigenoterapia - Dr. José Alexandre Pires de Almeida
Oxigenoterapia - Dr. José Alexandre Pires de AlmeidaOxigenoterapia - Dr. José Alexandre Pires de Almeida
Oxigenoterapia - Dr. José Alexandre Pires de Almeida
José Alexandre Pires de Almeida
 
Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica - DPOC
Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica - DPOCDoença Pulmonar Obstrutiva Crônica - DPOC
Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica - DPOC
Fernando Didier
 
3.asma (27jan2015)
3.asma (27jan2015)3.asma (27jan2015)
3.asma (27jan2015)
Mônica Firmida
 
Asma
Asma Asma
Pneumonias Conceito Classificações Fisiopatologia Manifestações Clínicas Diag...
Pneumonias Conceito Classificações Fisiopatologia Manifestações Clínicas Diag...Pneumonias Conceito Classificações Fisiopatologia Manifestações Clínicas Diag...
Pneumonias Conceito Classificações Fisiopatologia Manifestações Clínicas Diag...
Alexandre Naime Barbosa
 
DPOC
DPOCDPOC
Bronquiolíte viral viral aguda
Bronquiolíte viral viral agudaBronquiolíte viral viral aguda
Bronquiolíte viral viral aguda
saulo vinicius
 
Edema Agudo de Pulmão
Edema Agudo de PulmãoEdema Agudo de Pulmão
Edema Agudo de Pulmão
resenfe2013
 
Aerossolterapia
AerossolterapiaAerossolterapia
Aerossolterapia
Alexandre Donha
 
Cuidados de enfermagem ao paciente com pneumonia
Cuidados de enfermagem ao paciente com pneumoniaCuidados de enfermagem ao paciente com pneumonia
Cuidados de enfermagem ao paciente com pneumonia
Manoela Correia
 
Asma na Infância
Asma na InfânciaAsma na Infância

Mais procurados (20)

Asma Brônquica
Asma BrônquicaAsma Brônquica
Asma Brônquica
 
Exame físico do sist. respiratório
Exame físico do sist. respiratórioExame físico do sist. respiratório
Exame físico do sist. respiratório
 
Aula 09 oxigênioterapia
Aula 09  oxigênioterapiaAula 09  oxigênioterapia
Aula 09 oxigênioterapia
 
Pneumonia
PneumoniaPneumonia
Pneumonia
 
Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica
Doença Pulmonar Obstrutiva CrônicaDoença Pulmonar Obstrutiva Crônica
Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica
 
DPOC - Doenca Pulmonar Obstrutiva Cronica
DPOC - Doenca Pulmonar Obstrutiva CronicaDPOC - Doenca Pulmonar Obstrutiva Cronica
DPOC - Doenca Pulmonar Obstrutiva Cronica
 
Enfisema Pulmonar
Enfisema PulmonarEnfisema Pulmonar
Enfisema Pulmonar
 
Hipertensão
Hipertensão Hipertensão
Hipertensão
 
DPOC
DPOCDPOC
DPOC
 
Oxigenoterapia - Dr. José Alexandre Pires de Almeida
Oxigenoterapia - Dr. José Alexandre Pires de AlmeidaOxigenoterapia - Dr. José Alexandre Pires de Almeida
Oxigenoterapia - Dr. José Alexandre Pires de Almeida
 
Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica - DPOC
Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica - DPOCDoença Pulmonar Obstrutiva Crônica - DPOC
Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica - DPOC
 
3.asma (27jan2015)
3.asma (27jan2015)3.asma (27jan2015)
3.asma (27jan2015)
 
Asma
Asma Asma
Asma
 
Pneumonias Conceito Classificações Fisiopatologia Manifestações Clínicas Diag...
Pneumonias Conceito Classificações Fisiopatologia Manifestações Clínicas Diag...Pneumonias Conceito Classificações Fisiopatologia Manifestações Clínicas Diag...
Pneumonias Conceito Classificações Fisiopatologia Manifestações Clínicas Diag...
 
DPOC
DPOCDPOC
DPOC
 
Bronquiolíte viral viral aguda
Bronquiolíte viral viral agudaBronquiolíte viral viral aguda
Bronquiolíte viral viral aguda
 
Edema Agudo de Pulmão
Edema Agudo de PulmãoEdema Agudo de Pulmão
Edema Agudo de Pulmão
 
Aerossolterapia
AerossolterapiaAerossolterapia
Aerossolterapia
 
Cuidados de enfermagem ao paciente com pneumonia
Cuidados de enfermagem ao paciente com pneumoniaCuidados de enfermagem ao paciente com pneumonia
Cuidados de enfermagem ao paciente com pneumonia
 
Asma na Infância
Asma na InfânciaAsma na Infância
Asma na Infância
 

Destaque

Asma - Fisiologia Humana
Asma - Fisiologia HumanaAsma - Fisiologia Humana
Asma - Fisiologia Humana
Juninho Almeida
 
ASMA - Aula residência Pediatria Santa Casa
ASMA - Aula residência Pediatria Santa CasaASMA - Aula residência Pediatria Santa Casa
ASMA - Aula residência Pediatria Santa Casa
LIPED
 
Asma brônquica alérgica
Asma brônquica alérgicaAsma brônquica alérgica
Asma brônquica alérgica
Renan Ribeiro
 
Laringite - causas, sintomas e tratamento
Laringite - causas, sintomas e tratamentoLaringite - causas, sintomas e tratamento
Laringite - causas, sintomas e tratamento
diiogotk
 
ASMA
ASMAASMA
Asma (Pediatria)
Asma (Pediatria)Asma (Pediatria)
Asma (Pediatria)
Lorena de Assis
 
Asma Final0303
Asma Final0303Asma Final0303
Asma Final0303
rachelfreeslideshare
 
Asma em pediatria
Asma em pediatriaAsma em pediatria
Asma em pediatria
Lorena de Assis
 
Distúrbios respiratórios agudos no P.S. infantil: laringite x crise asmática
Distúrbios respiratórios agudos no P.S. infantil: laringite x crise asmáticaDistúrbios respiratórios agudos no P.S. infantil: laringite x crise asmática
Distúrbios respiratórios agudos no P.S. infantil: laringite x crise asmática
Laped Ufrn
 
Consenso Asma 2012
Consenso Asma 2012Consenso Asma 2012
Consenso Asma 2012
Flávia Salame
 
Cancro do pulmão
Cancro do pulmãoCancro do pulmão
Cancro do pulmão
joaoalmeiida
 
Pneumonia
PneumoniaPneumonia
Câncer de Pulmão
Câncer de Pulmão Câncer de Pulmão
Câncer de Pulmão
Oncoguia
 
Asma
AsmaAsma
Asma Bronquial
Asma Bronquial Asma Bronquial
Asma Bronquial
Mittier Reyes
 
EL ASMA
EL ASMAEL ASMA
EL ASMA
guesta68fa2
 
Asma bronquial
Asma bronquialAsma bronquial
Asma bronquial
Andrea Rdz
 
Cartilha asma
Cartilha asmaCartilha asma
Cartilha asma
Robson Peixoto
 

Destaque (18)

Asma - Fisiologia Humana
Asma - Fisiologia HumanaAsma - Fisiologia Humana
Asma - Fisiologia Humana
 
ASMA - Aula residência Pediatria Santa Casa
ASMA - Aula residência Pediatria Santa CasaASMA - Aula residência Pediatria Santa Casa
ASMA - Aula residência Pediatria Santa Casa
 
Asma brônquica alérgica
Asma brônquica alérgicaAsma brônquica alérgica
Asma brônquica alérgica
 
Laringite - causas, sintomas e tratamento
Laringite - causas, sintomas e tratamentoLaringite - causas, sintomas e tratamento
Laringite - causas, sintomas e tratamento
 
ASMA
ASMAASMA
ASMA
 
Asma (Pediatria)
Asma (Pediatria)Asma (Pediatria)
Asma (Pediatria)
 
Asma Final0303
Asma Final0303Asma Final0303
Asma Final0303
 
Asma em pediatria
Asma em pediatriaAsma em pediatria
Asma em pediatria
 
Distúrbios respiratórios agudos no P.S. infantil: laringite x crise asmática
Distúrbios respiratórios agudos no P.S. infantil: laringite x crise asmáticaDistúrbios respiratórios agudos no P.S. infantil: laringite x crise asmática
Distúrbios respiratórios agudos no P.S. infantil: laringite x crise asmática
 
Consenso Asma 2012
Consenso Asma 2012Consenso Asma 2012
Consenso Asma 2012
 
Cancro do pulmão
Cancro do pulmãoCancro do pulmão
Cancro do pulmão
 
Pneumonia
PneumoniaPneumonia
Pneumonia
 
Câncer de Pulmão
Câncer de Pulmão Câncer de Pulmão
Câncer de Pulmão
 
Asma
AsmaAsma
Asma
 
Asma Bronquial
Asma Bronquial Asma Bronquial
Asma Bronquial
 
EL ASMA
EL ASMAEL ASMA
EL ASMA
 
Asma bronquial
Asma bronquialAsma bronquial
Asma bronquial
 
Cartilha asma
Cartilha asmaCartilha asma
Cartilha asma
 

Semelhante a Asma

Nocoes sobre a asma
Nocoes sobre a asmaNocoes sobre a asma
Nocoes sobre a asma
Calculos Na Veia
 
Asma CiêNcias
Asma   CiêNciasAsma   CiêNcias
Asma CiêNcias
FELIPE TYLER
 
Asma
AsmaAsma
Asma
AsmaAsma
Distúrbios pulmonares obstrutivos crônicos
Distúrbios pulmonares obstrutivos crônicosDistúrbios pulmonares obstrutivos crônicos
Distúrbios pulmonares obstrutivos crônicos
Naiara Wonghon
 
Doença pulmonar-obstrutiva-crônica-dpoc
Doença pulmonar-obstrutiva-crônica-dpocDoença pulmonar-obstrutiva-crônica-dpoc
Doença pulmonar-obstrutiva-crônica-dpoc
saulo vinicius
 
Como tratar a asma
Como tratar a asmaComo tratar a asma
Como tratar a asma
Tookmed
 
5.doc
5.doc5.doc
Manual asma
Manual asmaManual asma
Manual asma
Licínia Simões
 
Aula de tosse
Aula de tosseAula de tosse
Aula de tosse
Flávia Salame
 
aula-de-asma-7c2ba-alunos.ppt
aula-de-asma-7c2ba-alunos.pptaula-de-asma-7c2ba-alunos.ppt
aula-de-asma-7c2ba-alunos.ppt
DanielCatundaperes
 
Endometriose
EndometrioseEndometriose
Endometriose
Mário Ornelas
 
0326 asma - Marion
0326 asma - Marion0326 asma - Marion
0326 asma - Marion
laiscarlini
 
Serviços natal parte 2 EXCELÊNCIA FARMACÊUTICA
Serviços natal parte 2 EXCELÊNCIA FARMACÊUTICAServiços natal parte 2 EXCELÊNCIA FARMACÊUTICA
Serviços natal parte 2 EXCELÊNCIA FARMACÊUTICA
farmaefarma
 
Pneumonia.pptx
Pneumonia.pptxPneumonia.pptx
Pneumonia.pptx
FlvioFreitas19
 
Pneumonia.pptx
Pneumonia.pptxPneumonia.pptx
Pneumonia.pptx
Flávio Freitas
 
Projeto educacional respire bem
Projeto educacional respire bemProjeto educacional respire bem
Projeto educacional respire bem
MARCIO LOPES
 
Asma
AsmaAsma
Sistema respiratório
Sistema respiratórioSistema respiratório
Sistema respiratório
Cleo Lima
 
Sistema Respiratório - Casos Clínicos - Farmacologia
Sistema Respiratório - Casos Clínicos - FarmacologiaSistema Respiratório - Casos Clínicos - Farmacologia
Sistema Respiratório - Casos Clínicos - Farmacologia
RAYANE DORNELAS
 

Semelhante a Asma (20)

Nocoes sobre a asma
Nocoes sobre a asmaNocoes sobre a asma
Nocoes sobre a asma
 
Asma CiêNcias
Asma   CiêNciasAsma   CiêNcias
Asma CiêNcias
 
Asma
AsmaAsma
Asma
 
Asma
AsmaAsma
Asma
 
Distúrbios pulmonares obstrutivos crônicos
Distúrbios pulmonares obstrutivos crônicosDistúrbios pulmonares obstrutivos crônicos
Distúrbios pulmonares obstrutivos crônicos
 
Doença pulmonar-obstrutiva-crônica-dpoc
Doença pulmonar-obstrutiva-crônica-dpocDoença pulmonar-obstrutiva-crônica-dpoc
Doença pulmonar-obstrutiva-crônica-dpoc
 
Como tratar a asma
Como tratar a asmaComo tratar a asma
Como tratar a asma
 
5.doc
5.doc5.doc
5.doc
 
Manual asma
Manual asmaManual asma
Manual asma
 
Aula de tosse
Aula de tosseAula de tosse
Aula de tosse
 
aula-de-asma-7c2ba-alunos.ppt
aula-de-asma-7c2ba-alunos.pptaula-de-asma-7c2ba-alunos.ppt
aula-de-asma-7c2ba-alunos.ppt
 
Endometriose
EndometrioseEndometriose
Endometriose
 
0326 asma - Marion
0326 asma - Marion0326 asma - Marion
0326 asma - Marion
 
Serviços natal parte 2 EXCELÊNCIA FARMACÊUTICA
Serviços natal parte 2 EXCELÊNCIA FARMACÊUTICAServiços natal parte 2 EXCELÊNCIA FARMACÊUTICA
Serviços natal parte 2 EXCELÊNCIA FARMACÊUTICA
 
Pneumonia.pptx
Pneumonia.pptxPneumonia.pptx
Pneumonia.pptx
 
Pneumonia.pptx
Pneumonia.pptxPneumonia.pptx
Pneumonia.pptx
 
Projeto educacional respire bem
Projeto educacional respire bemProjeto educacional respire bem
Projeto educacional respire bem
 
Asma
AsmaAsma
Asma
 
Sistema respiratório
Sistema respiratórioSistema respiratório
Sistema respiratório
 
Sistema Respiratório - Casos Clínicos - Farmacologia
Sistema Respiratório - Casos Clínicos - FarmacologiaSistema Respiratório - Casos Clínicos - Farmacologia
Sistema Respiratório - Casos Clínicos - Farmacologia
 

Mais de Aline Maria Sá Nascimento

Uso indiscriminado de medicamentos
Uso indiscriminado de medicamentosUso indiscriminado de medicamentos
Uso indiscriminado de medicamentos
Aline Maria Sá Nascimento
 
Indiscriminate use of medicines
Indiscriminate use of medicinesIndiscriminate use of medicines
Indiscriminate use of medicines
Aline Maria Sá Nascimento
 
Tabagismo
TabagismoTabagismo
Medicamentos e amamentação
Medicamentos e amamentaçãoMedicamentos e amamentação
Medicamentos e amamentação
Aline Maria Sá Nascimento
 
Torcicolo (cervicalgia)
Torcicolo (cervicalgia)Torcicolo (cervicalgia)
Torcicolo (cervicalgia)
Aline Maria Sá Nascimento
 
Hiperplasia prostática benigna
Hiperplasia prostática benignaHiperplasia prostática benigna
Hiperplasia prostática benigna
Aline Maria Sá Nascimento
 
Intolerância ao glúten
Intolerância ao glútenIntolerância ao glúten
Intolerância ao glúten
Aline Maria Sá Nascimento
 
Aftas
AftasAftas
Atenção farmacêutica
Atenção farmacêuticaAtenção farmacêutica
Atenção farmacêutica
Aline Maria Sá Nascimento
 
Rinite alérgica
Rinite alérgicaRinite alérgica
Rinite alérgica
Aline Maria Sá Nascimento
 
Acne
AcneAcne

Mais de Aline Maria Sá Nascimento (11)

Uso indiscriminado de medicamentos
Uso indiscriminado de medicamentosUso indiscriminado de medicamentos
Uso indiscriminado de medicamentos
 
Indiscriminate use of medicines
Indiscriminate use of medicinesIndiscriminate use of medicines
Indiscriminate use of medicines
 
Tabagismo
TabagismoTabagismo
Tabagismo
 
Medicamentos e amamentação
Medicamentos e amamentaçãoMedicamentos e amamentação
Medicamentos e amamentação
 
Torcicolo (cervicalgia)
Torcicolo (cervicalgia)Torcicolo (cervicalgia)
Torcicolo (cervicalgia)
 
Hiperplasia prostática benigna
Hiperplasia prostática benignaHiperplasia prostática benigna
Hiperplasia prostática benigna
 
Intolerância ao glúten
Intolerância ao glútenIntolerância ao glúten
Intolerância ao glúten
 
Aftas
AftasAftas
Aftas
 
Atenção farmacêutica
Atenção farmacêuticaAtenção farmacêutica
Atenção farmacêutica
 
Rinite alérgica
Rinite alérgicaRinite alérgica
Rinite alérgica
 
Acne
AcneAcne
Acne
 

Último

UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdfUFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
Manuais Formação
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
IslanderAndrade
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
djincognito
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
DeuzinhaAzevedo
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Mary Alvarenga
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
JulianeMelo17
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
cmeioctaciliabetesch
 

Último (20)

UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdfUFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
 
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
 

Asma

  • 2. Asma : Definição A asma é uma doença inflamatória crônica das vias aéreas que ataca o sistema respiratório, e resulta na redução ou até mesmo obstrução no fluxo de ar.
  • 3. Asma Sua fisiopatologia está relacionada a interação entre fatores genéticos e ambientais que se manifestam como crises de falta de ar devido ao edema da mucosa brônquica, a hiperprodução de muco e a contração da musculatura lisa das vias aéreas, com consequente diminuição de seu diâmetro (broncoespasmo).
  • 6. Asma : sinais e sintomas Dentre os principais sinais e sintomas estão: a tosse, que pode ou não estar acompanhada de alguma expectoração; dificuldade respiratória, com dor ou ardência no peito; além de um chiado(sibilância). Na maioria das vezes não há expectoração ou se tem, é do tipo &quot;clara de ovo&quot;. Podem aparecer a qualquer momento do dia, mas tendem a predominar pela manhã ou à noite.
  • 7. Asma : Sinais e sintomas Os sintomas de asma ocorrem, ou agravam-se, à noite e, também, na presença de exercício, infecção viral, animais com pêlo e penas, ácaros domésticos (nos colchões, nas roupas de cama, nas almofadas, nas carpetes, na mobília acolchoada), fumo, pólenes, alimentos, alterações da temperatura, emoções fortes (riso, choro), aerossóis de produtos químicos e de fármacos.
  • 8. Asma : Fatores desencadeantes (exemplos)
  • 9. Asma : Diagnóstico O diagnóstico da asma tem por base: História clínica : para determinar a presença de sintomas e as suas características, relacionados com exposições a fatores de agressão; Exame específico : para determinar sinais de obstrução brônquica, embora um exame normal possa possibilitar o diagnóstico; Avaliação funcional respiratória : para comprovação de obstrução brônquica, da presença de hiperreatividade brônquica e de limitação variável do fluxo aéreo; Avaliação de atopia ; Exclusão de situações que podem confundir-se com a asma .
  • 10. Asma: Classificação Asma Intermitente: sintomas menos de uma vez por semana; crises de curta duração (leves); sintomas noturnos esporádicos (não mais do que duas vezes ao mês); provas de função pulmonar normal no período entre as crises. Asma Persistente Leve: presença de sintomas pelo menos uma vez por semana, porém, menos de uma vez ao dia; presença de sintomas noturnos mais de duas vezes ao mês,porém, menos de uma vez por semana; provas de função pulmonar normal no período entre as crises. Asma Persistente Moderada: sintomas diários; as crises podem afetar as atividades diárias e o sono; presença de sintomas noturnos pelo menos uma vez por semana; provas de função pulmonar: pico do fluxo expiratório (PFE) ou volume expiratório forçado no primeiro segundo (VEF) >60% e < 80% do esperado. Asma Persistente Grave: sintomas diários; crises frequentes; sintomas noturnos frequentes; provas de função pulmonar: pico do fluxo expiratório (PFE) ou volume expiratório forçado no primeiro segundo (VEF) > 60% do esperado
  • 11. Asma
  • 12. Asma: Tipos de crise Crise ligeira Apresenta dispnéia à marcha (a andar); Tolera posição de decúbito (posição de quem está deitado); Apresenta um discurso quase normal; consciente; normalmente calmo ; Não apresenta habitualmente tiragem respiratória; A frequência respiratória está habitualmente normal, podendo estar ligeiramente elevada; A frequência cardíaca está habitualmente abaixo dos 100/min; Apresenta sibilos (ruídos feitos ao respirar que indicam obstrução parcial dos brônquios) moderados. Não apresenta pulso paradoxal.
  • 13. Asma : Tipos de crises Crise moderada Apresenta dispnéia a falar; Adota a posição de sentado; Fala com frases curtas; Está consciente mas ansioso; Apresenta tiragem respiratória; A frequência respiratória encontra-se elevada; A frequência cardíaca encontra-se entre 100 e 120/min; Apresenta sibilos evidentes; Pode apresentar pulso paradoxal .
  • 14. Asma : Tipos de crise Crise grave Apresenta dispnéia em repouso; Encontra-se inclinado para a frente; Encontra-se ansioso ou até agitado; Apresenta tiragem respiratória; A frequência respiratória é superior a 30/min; A frequência cardíaca é superior a 120/min; Apresenta sibilos muito evidentes; Apresenta geralmente pulso paradoxal .
  • 15. Asma : Tipos de crise Crise com paragem respiratória iminente Apresenta-se sonolento ou em estado de confusão; Apresenta bradicardia (diminuição do número normal das contrações cardíacas); Apresenta silêncio respiratório; Não apresenta pulso paradoxal.
  • 16. Asma: Pulso paradoxal Na medicina , pulso paradoxal é definido como uma queda superior a 15 mmHg na pressão arterial sistólica durante a fase inspiratória da respiração. É um sinal médico indicativo de diversas condições incluindo tamponamento cardíaco , pericardite , apneia do sono crônica, crupe , e doença obstrutiva dos pulmões, como asma e DPOC .
  • 17. Asma : Tratamento Para se tratar a asma, a pessoa deve ter cuidados com o ambiente, principalmente na sua casa e no trabalho, além de usar medicações e manter consultas médicas regulares.Técnicas fisioterapêuticas se mostram bastante eficientes. Os medicamentos podem ser divididos em duas classes: de alívio e de manutenção.
  • 18. Asma: Tratamento O tratamento da asma tem dois componentes: 1) Uso de um agente aliviador (resgate) na fase aguda (broncodilatador) para reverter a obstrução aguda das vias áereas asmáticas. 2) Uso de medicações controladoras, que modifiquem o ambiente das vias áereas, de forma a diminuir a frequência de broncoconstrição. A asma é uma doença crônica que deve, exceto nas formas mais leves, ser tratada por longo prazo.
  • 19. Asma : Tratamento O doente asmático deve procurar cuidados médicos imediatos se: 1. A crise de asma é grave. O doente apresenta-se em insuficiência respiratória global. Nos lactentes e em crianças de idade inferior a 5 anos a evolução para um quadro de insuficiência respiratória grave pode ser mais rápida. 2. A resposta ao tratamento broncodilatador inicial não foi imediata e mantida pelo menos durante 3 horas. 3. Há deterioração progressiva do seu estado clínico .
  • 20. Asma: Tratamento Segundo o principal mecanismo de ação, os medicamentos usados no tratamento da asma podem ser divididos em duas categorias: os de alívio e os controladores. Os de alívio (ß2 agonistas de curta duração, brometo de ipratrópio, teofilina e derivados, e corticosteróides sistêmicos) são administrados para controle de sintomas agudos. Os controladores (ß2 agonistas de longa duração, cromoglicato dissódico, nedocromil sódico, cetotifeno, glico-corticosteróides inalatórios e os antileucotrienos) são administrados por período de tempo prolongado para controle da inflamação.
  • 21. Asma: Tratamento Tanto os broncodilatadores quanto os anti-inflamatórios podem ser usados de várias formas: *por nebulização; *nebulímetro (&quot;spray&quot; ou &quot;bombinha&quot;); *inaladores de pó seco; * comprimido; *xarope. Os médicos dão preferência ao uso das medicações por nebulização, nebulímetro ou inaladores de pó seco por serem mais eficazes e causarem menos efeitos indesejáveis.
  • 22. Asma: Nebulizadores *Use o nebulizador de acordo com as orientações de seu médico e do fabricante. *Não misture medicamentos no nebulizador ou use o nebulizador de um medica-mento específico com outro medicamento. *Em caso de vazamentos ou obstrução, troque o nebulizador. *Seu nebulizador é de uso individual. *Sempre limpe e desinfete o nebulizador após cada aplicação.
  • 23. Asma : Broncodilatadores Utilizados principalmente como medicações de alívio para cortar uma crise de asma. O broncodilatador é um medicamento, como o próprio nome diz, que dilata os brônquios (vias aéreas) quando o asmático está com falta de ar, chiado no peito ou crise de tosse.
  • 24. Asma : Broncodilatadores Existem broncodilatadores chamados beta2-agonistas - uns apresentam efeito curto e outros efeito prolongado (que dura até 12h). Os de efeito curto costumam ser utilizados conforme a necessidade. Já aqueles de efeito prolongado costumam ser utilizados continuamente, a cada 12 horas. Além dos beta2-agonistas, outros broncodilatadores, como teofilinas e anticolinérgicos, podem ser usados.
  • 25. Asma : Broncodilatadores A teofilina é um broncodilatador que pode ajudar a aliviar os sintomas. O médico pode recomendar monitoração com exames de sangue para assegurar-se que a dosagem está correta. A teofilina encontra-se disponível em várias formas diferentes, inclusive comprimidos ou cápsulas de liberação prolongada. Na forma de liberação prolongada, o medicamento deve ser engolido inteiro, não podendo ser esmagado nem mastigado. Pergunte ao médico ou farmacêutico sobre como tomar o tipo específico de teofilina receitado .
  • 26. Asma : Antinflamatórios Utilizados principalmente para evitar crises (manutenção). Os corticóides inalatórios são, atualmente, a melhor conduta para combater a inflamação. São utilizados com o intuito de prevenir as exacerbações da doença ou, pelo menos, minimizá-las e aumentar o tempo livre da doença entre uma crise e outra. Os anti-inflamatórios devem ser utilizados de maneira contínua (todos os dias), já que combatem a inflamação crônica da mucosa brônquica.
  • 27. Asma : Corticóides inalatórios É importante bochechar e lavar a boca com água depois de usar esses inaladores a fim de evitar a irritação da boca e da garganta. Alguns exemplos são: Fluticasona , budesonida , triancinolona , flunisolida, beclometasona e (combinação de fluticasona e salmeterol). •
  • 28. Manejo da asma Todo paciente asmático deve ter em mãos um aparelho medidor do pico do fluxo expiratório (PFE). Esse aparelho é tão importante quanto um termômetro ou o aparelho de medir a pressão arterial, pois assim como a temperatura e a pressão, a asma pode ser mais bem controlada quando é medida.
  • 29. Manejo da asma O medidor do pico do fluxo avalia o fluxo de ar no momento da expiração. Seu médico pode informar qual o valor do PFE esperado, tendo por base sua idade, peso e altura. Quando a asma está sob controle, o fluxo de ar é normal ou muito próximo do valor esperado. Porém, mesmo antes da percepção dos sintomas de uma crise de asma, o pico do fluxo expiratório pode estar diminuído, evidenciando a obstrução das vias aéreas .
  • 30. Manejo da asma O sistema de semáforo foi estabelecido para ser um guia de ajuda para os pacientes no manejo da asma. Assim que seu PFE for estabelecido, todos os esforços devem ser feitos para manter os valores no mínimo em torno de 80% deste valor.
  • 31. Manejo da asma Veja o que cada cor do “semáforo” indica: PFE entre 80% e 100% do melhor PFE esperado: ZONA VERDE SIGA : Você deve estar relativamente livre de sintomas e pode manter os medicamentos em uso.
  • 32. MANEJO DA ASMA ZONA AMARELA PFE entre 50% e 80% do PFE esperado: ATENÇÃO : A asma está piorando. Um aumento temporário na medicação para a asma é indicado. Se você usa medicação crônica, a terapia de manutenção irá provavelmente precisar ser aumentada. Entre em contato com seu médico para ajustar seu tratamento.
  • 33. Manejo da asma ZONA VERMELHA PFE abaixo de 50% do PFE esperado: PERIGO - O controle da asma está falhando. Use seu broncodilatador inalatório. Se o PFE não retornar à zona amarela, entre em contato com seu médico imediatamente, ou inicie o tratamento orientado para os momentos de exacerbação da asma.
  • 34. A educação terapêutica do paciente asmático Os doentes devem ser ativamente envolvidos no controle da sua própria asma e na prevenção de situações de crise, podendo, assim, viver de forma ativa e produtiva. Com a ajuda do profissional de saúde, os doentes com asma devem aprender a : * tomar os medicamentos corretamente * compreender as diferenças entre o alívio imediato da crise e o tratamento preventivo a longo prazo * evitar fatores desencadeantes * monitorizar o estado da sua asma, reconhecer os sintomas e, se possível, analisar os valores do seu PEF * reconhecer os sinais de agravamento e tomar as medidas necessárias * procurar a ajuda médica adequada
  • 35. Fontes * Programa Nacional do controlo da asma Lisboa: Direcção-Geral da Saúde, 2000. * Asma e Rinite: Linhas de conduta em atenção básica Editora MS Brasília-DF 2004 * Wikipédia
  • 36. Compilação Aline Maria Sá Nascimento Farmacêutica-Bíoquimica Pos-graduada em Farmácia 12/2011