SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 38
Baixar para ler offline
O Papel dos Estágios Supervisionados
na Construção de Práticas Ativas e
Inovadoras entre Professores em
Formação na Licenciatura em Ciências
Biológicas da UFPE
Mestranda: Gleize Cristina França de Barros
Orientador: Dr. Marcos Alexandre de Melo Barros
Universidade Federal de Pernambuco
Centro Acadêmico do Agreste
Programa de Pós-Graduação em Educação
em Ciências e Matemática
Prof. Dr. José Ivanildo Felisberto de Carvalho (Examinador Interno)
Universidade Federal de Pernambuco/CAA
Profa. Dra. Maria Auxiliadora Soares Padilha (Examinadora Externa)
Universidade Federal de Pernambuco/CE
Profa. Dra. Suzane Bezerra de França (Examinadora Externa)
Universidade de Pernambuco/UPE
Profa. Dra. Kátia Calligaris Rodrigues (Suplente interno)
Universidade Federal de Pernambuco/CAA
Profa. Dra. Marília Gabriela de Menezes (Suplente externa)
Universidade Federal de Pernambuco/CE
BANCA EXAMINADORA
INTERESSE E
JUSTIFICATIVA
METODOLOGIAOBJETIVOS
MARCO
TEÓRICO
PROBLEMA
DE PESQUISA
RESULTADOS E
DISCUSSÕES
CONSIDERAÇÕES
FINAIS
ESTRUTURA DA APRESENTAÇÃO
CONSIDERAÇÕES INICIAIS
INTERESSE
INOVAÇÃO
PEDAGÓGICA E
METODOLOGIAS
ATIVAS
RESIDÊNCIA
DOCENTE EM
ENSINO DE CIÊNCIAS
- REDEC
ESTÁGIO E
DOCÊNCIA
PROBLEMA DE PESQUISA
Como os estágios supervisionados na
Licenciatura em Ciências Biológicas da
UFPE estão despertando práticas
ativas e inovadoras entre os
professores em formação de ciências e
biologia no último período do curso?
OBJETIVO GERAL
Analisar o papel dos Estágios
Supervisionados na formação docente
na Licenciatura de Ciências Biológicas
através de práticas ativas e inovadoras.
OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Analisar as concepções de inovação
pedagógica e das metodologias ativas
dos licenciandos de Ciências Biológicas
da Universidade Federal de Pernambuco.
Identificar práticas ativas inovadoras na
atuação dos licenciados nos campos
de estágios.
ENSINO DE
CIÊNCIAS
Sala de aula Currículo
Conhecimentos científicos
na
dos
do
enfrenta
relacionados
DESAFIOS
proporcionam
metodologias
apresentam
aspectos
que
contribuem para
uma das possibilidades
de mudanças seriam
tendo como
norte o
através dos
Estágios
Ativas e
Inovadoras
Conservadores
e tradicionais
Baixos
desempenhos
em exames
FORMAÇÃO DE PROFESSORES
Modelos inovadores
de educação
Aluno
protagonista
MARCOTEÓRICO
(POZO; CRESPO, 2009) (CAPECCHI; CARVALHO; SASSERON, 2013) (MORAN, 2015)
METODOLOGIA
Caracterização da pesquisa:
Tipo de pesquisa:
Qualitativa
Estudo de caso
Exploratória
Bibliográfica
Campo: pesquisa-ação
(MINAYO, 2007) (ANDRÉ, 2008) (GIL, 2008) (PERUZZO, 2017)
CONTE
XTO
Curso de licenciatura em
Ciências Biológicas - UFPE
Disciplina de Estágio em
Ensino de Biologia 4 - EEB4
8º período
PARTICIPANTES
18Licenciandosem
CiênciasBiológicas
9 REDEC
9 ESTÁGIO
TRADICIONAL
Outra formação superior: Nenhum (0)
Atua ou atuou na docência:
Sim - 2 (1º cinco meses / 2º um ano,
ambos na rede privada).
Não - 16
1º início da disciplina
2º final da disciplina
QUESTIONÁRIOS
INSTRUMENTOS DE COLETA DE DADOS
(GIL, 2008)
INSTRUMENTOS DE COLETA DE DADOS
Intervenção: Atividade Day1
HOJE AMANHÃ
Onde você está hoje?
Qual o motivo de estar assim?
O que você pode melhorar?
Onde você quer estar amanhã?
Como você pode mudar isso?
O que você pode fazer para
estar melhorar?
MÉTODO PARA ANÁLISE DE DADOS
Análise de
conteúdo Análise
temática
Definição de
categorias
(BARDIN, 2011)
ORGANIZAÇÃO DOS RESULTADOS E DISCUSSÕES
TÓPICOS CATEGO-
RIAS
SUBTÓ-
PICOS
RESULTADOS E DISCUSSÕES
OBJETIVO ESPECÍFICO 01: analisar as concepções de inovação pedagógica e das
metodologias ativas dos licenciandos em Ciências Biológicas da UFPE.
TÓPICOS SUBTÓPICOS CATEGORIAS
Entendimento Sobre
Inovação Pedagógica e
Metodologias Ativas
entre Professores em
Formação
Concepções
sobre
Inovação
Pedagógica
Aprendizagem
Protagonismo
Protagonismo
Provocar Estímulos
Metodologias Inovadoras
Ruptura com o Ensino Tradicional
Novas Metodologias de Ensino/Novidades
Conceitos sobre
Metodologias
Ativas
OBJETIVO ESPECÍFICO 01: analisar as concepções de inovação pedagógica e das
metodologias ativas dos licenciandos em Ciências Biológicas da UFPE.
SUBTÓPICO: Concepções sobre Inovação Pedagógica
Quais as suas concepções sobre
inovação pedagógica?
Trazer novas práticas de ensino para sala de aula,
possibilitando uma vivência mais diversa, tanto
para o discente como para o docente.” (P18).
CATEGORIAS CARACTERÍTICAS
Aprendizagem
Aprendizagem
Significativa
Métodos, técnicas,
abordagens, práticas e
atividades.
Protagonismo Autor da aprendizagem
Aluno ativo
Ruptura com o
Ensino Tradicional
Novas Metodologias
de Ensino/Novidades
Toda atividade que seja pensada com o aluno e que o
educando seja foco ativo no processo de ensino
aprendizado e que o professor seja esse guia da
construção de forma ativa nesse processo que assim
seja pensando FORA do paradigma da educação
tradicional.” (P6).
(CUNHA, 2016)
OBJETIVO ESPECÍFICO 01: analisar as concepções de inovação pedagógica e das
metodologias ativas dos licenciandos em Ciências Biológicas da UFPE.
SUBTÓPICO: Conceitos sobre Metodologias Ativas
Qual seu conceito sobre
Metodologias Ativas?
O aluno no centro de tudo, sendo ele protagonista
e responsável pelo seu aprendizado pela
construção do seu cotidiano” (P18).
CATEGORIAS CARACTERÍTICAS
Aluno como o centro no
processo de ensino e
aprendizagem
Visual, aditivo, senso
crítico...
Protagonismo
Novidades nos métodos
Provocar Estímulos
Metodologias
Inovadoras
“A metodologia ativa, vai envolver todos os componentes
pertencentes ao processo de ensino-aprendizagem,
gerando uma real reflexão dos conteúdos e também do
papel do professor como mediador do conhecimento. Este
tipo de metodologia favorece a construção do
conhecimento e coloca o aluno como agente ativo no
processo.” (P16).
(BARBOSA; MOURA, 2013) (MORAN,2015) (CAVALCANTI; FILATRO, 2018)
OBJETIVO ESPECÍFICO 02: identificar práticas ativas e inovadoras
nos campos de estágios
TÓPICOS SUBTÓPICOS CATEGORIAS OBSERVAÇÃO
Estágios
Supervisionados:
formação e
práticas docentes
ativas e
inovadoras
1° Formação
Ativa e
Inovadora
Não Provocaram
Formação Ativa e
Inovadora
Promoveram
Práticas Ativas e
Inovadoras
Análise Literal
2° Papel dos
estágios na
prática
docente
X
(ABRUCIO, 2016)
OBJETIVO ESPECÍFICO 02: identificar práticas ativas e inovadoras
nos campos de estágios
SUBTÓPICO 01: Formação ativa e inovadora
Os estágios no curso de ciências biológicas
promoveram atividades com a finalidade de
despertar uma formação ativa e inovadora?
1ª CATEGORIA TOTAL EEB4 NÃO
Não Provocaram
Formação
Ativa e Inovadora
06 03 03
NÃO. Eu colocaria a opção: Não em sua maioria. Os
estágios promoveram a minha interação com os
alunos, porém com muitas restrições, sempre
incentivando a promover oficinas. Sabemos que
não é de oficinas que se fazem escolas, e por isso
causa uma dificuldade na hora de interagir como
docente. Estágio 4 tem sido novidades
justamente por nos permitir mergulhar de cabeça
na vivência docente.” (P4).
NÃO. Acho que depois do contato com a residência docente, o
tempo imerso no cotidiano da escola como um todo me
proporcionou ENTENDER mais aspectos da docência os quais não
tive tanta oportunidade em outros estágios”. (P2).
(TARDIF, 2000)
Os estágios no curso de ciências biológicas
promoveram atividades com a finalidade de
despertar uma formação ativa e inovadora?
1ª CATEGORIA TOTAL EEB4 NÃO
Não Provocaram
Formação
Ativa e Inovadora
06 03 03
NÃO. Durante os estágios não fui assistido pelo
orientador da disciplina foi tudo muito simplório
sem diálogo ou construção de conhecimento. Era
dito que meu trabalho possuía erros, porém não
foi dito quais eram estes erros me fazendo
continuar errando.” (P18).
NÃO. Esse tipo de metodologia ativa é bastante
ignorada no curso de biologia, pois poucos
professores defendem a prática dessas
metodologias e acabam dando atenção apenas
a método cartesiano de tudo e esquecem o
lado humano.” (P1).
OBJETIVO ESPECÍFICO 02: identificar práticas ativas e inovadoras
nos campos de estágios
SUBTÓPICO 01: Formação ativa e inovadora
Os estágios no curso de ciências biológicas promoveram atividades
com a finalidade de despertar uma formação ativa e inovadora?
2ª CATEGORIA TOTAL CONTRADIÇÕES AFIRMAM
Promoveram Práticas
Ativas e Inovadoras 12 7 4 1
FALTA DE
ORGANIZAÇÃO
Apenas em
EEB4
Pouca ou
nenhuma
contribuição
efetiva
SIM. A experiência com residência docente me provocou de tal maneira que não pude experimentar em
estágio 1,2, e 3. A possibilidade de mergulhar em todos os âmbitos da escola me faz pensar todos os dias em
estratégias de melhorar a forma de transmissão de conteúdos.” (P3).
SIM. Desde o início dos estágios foi proposto um novo modelo de se ensinar ciências. Prezando pela visão de
formação completa dos alunos, a troca de informação, novas propostas de ensino, ludicidade, cultura etc. Mas o que
era visto era apenas conceitos e em prática era totalmente diferente. Por isso em EEB4 se houve um choque
tão grande de que realmente é possível trabalhar em sala de maneira inovadora. (P5)”.
(CARVALHO; PÉREZ, 2011)
SUBTÓPICO 01: Formação ativa e inovadora
Apenas em
EEB4
Pouca ou
nenhuma
contribuição
efetiva
CONTRADIÇÕES
7
SIM. Apesar de todos os contras e dificuldades vivenciadas nos estágios, a finalidade quase sempre foi de
nos nortear a utilização desse tipo de prática, de sermos reflexivos e inovadores quanto ao tipo de
metodologia que iremos usar em nossas aulas, embora tenha nos mostrado pouco recursos para isso. Os
estágios se resumem muito mais em ir e apenas dar aula, que de fato levantar a reflexão de que
professores seremos e o que faremos para ser.” (P16).
SIM. A todo momento durante meu curso os professores tanto de MEB quanto de estágio apresentou esses
temas como essenciais para a minha formação docente. Por mais que os professores do curso não tivessem esse
tipo de abordagem na sua aula, desde o princípio sabemos que são essenciais essas atividades.” (P13).
SUBTÓPICO 01: Formação ativa e inovadora
Apenas em
EEB4
Pouca ou
nenhuma
contribuição
efetiva
CONTRADIÇÕES
7
OBJETIVO ESPECÍFICO 02: identificar práticas ativas e inovadoras
nos campos de estágios
SUBTÓPICO 02: O papel dos estágios na prática docente
Após os estágios supervisionados, como
você se percebe enquanto professor
para assumir uma sala de aula?
Análise literal
18
participantes
4 se
sentem
preparados
14 não se
sentem
preparados
Justificativa:
Não tem o
básico para
assumir a sala
de aula.
Justificativa:
Necessidade de
buscar mais
conhecimentos e
formações.
(AROEIRA; ALMEIDA, 2012)
A necessidade de contato com o ambiente de atuação,
o cotidiano escolar” (P18)
Estou com um pouco de ansiedade por conta do final do curso, passei muito tempo na
universidade e fico tensa, quando lembro que vou sair dela, estou assim porque sei que
o mercado de trabalho está escasso” (P15)
Hoje estou dando uma pausa em relação a ser futura docente de biologia/ciências por razão
de que ao longo do tempo perdi a vontade/desejo de prosseguir neste ramo, por hoje não
ser tão valorizado” (P17)
Hoje estou indecisa quanto a que área seguir. Porém, planejo algo para mudar isso até o
final do ano, que será minha colação de grau” (P8)
ATIVIDADE DAY1
(1° dia de aula)
Insegurança
Poucas de
experiências
Indecisão
Desmotivação
(CARVALHO, 2017)
Me percebo em tanto ainda fragilizada e despreparada para lidar
com questões sociais e as problemáticas de uma sala. Os estágios
permitem um pouco dessa vivência mas de forma limitada,
acredito que em como aplicar um conteúdo de biologia, que prática
usar, que jeito falar, mas como fazer ou conseguir fazer isso,
visando as realidades das salas hoje, nem tanto.” (P16).
Percebo que ainda não estou preparada o suficiente preciso trabalhar alguns
aspectos negativos em mim. Não estou ainda madura para assumir uma sala de
aula vejo que preciso assumir um compromisso com a profissão e comigo. Não
posso dizer que todos os estágios serviram como experiência” (P17).
Na realidade os estágios 1,2,3 não passei por estágio supervisionado pelo menos
da maneira que era pra ser, pois os professores nunca supervisionou”
Final da disciplina
e do curso
Fragilizados
Despreparados
Limitados
Falta de
acompanhamento
Me percebo bem perante as mil possibilidades que se pode
ter para abordagem de qualquer conteúdo. Vejo que com
muito e com poucos recursos tem como se fazer uma aula
de muita qualidade.” (P9).
Apesar de pouco estímulo durante os estágios, da visão do que
realmente é o estágio, eu acredito que estou preparada para sala
de aula apesar que muita coisa aprendemos realmente
na prática, e o estágio não é suficiente para esta preparação,
pois o tempo é curto e passamos apenas na escola como
“visitantes”, por tanto não é perceptível o que realmente vivemos
na sala de aula, não se sabe o que estar por vim [...] (P14).
CONCLUSÃO
Incipiência sobre o entendimento de inovação
pedagógica (reducionista).
Metodologias ativas focada no protagonismo do aluno,
relacionando com a atuação do professor (geral e
pouco explicativa).
Os estágios em sua maioria não proporcionam um
ambiente que estimulem desenvolvimento de práticas
ativas e inovadoras, exceto: REDEC e estágio 4.
Predominância do modelo de ensino tradicional na
universidade (falta de acompanhamento, feedback).
Dos 04 que pontuaram que estavam preparados para assumir a
sala de aula: 02 justificam que esse sentimento não se deve aos
estágios (negativos), e os outros 02 justificam os estágios e a
formação como um todo.
CONCLUSÃO
Desmotivação por parte dos licenciandos com o olhar
burocratizado sobre o estágio.
Fragilidades no processo de formação inicial dos
professores, dentre os 18 participantes 14 não se sentem
preparados para atuar na sala de aula.
Discrepância entre os alunos que fizeram a imersão no projeto
de REDEC e os demais; Imersão maior, sentimento de
pertencimento, acompanhamento nos campos de estágio e na
universidade, olhar mais crítico e reflexivo sobre os estágios.
LIMITAÇÕES
TEMPO DE COLETA DE DADOS
RELAÇÃO PESQUISADOR
E PARTICIPANTES
ACOMPANHAMENTO NOS
CAMPOS DE ESTÁGIO
CONTRIBUIÇÕES DA PESQUISA
Repensar o modelo de formação inicial (integração das
disciplinas e os estágios).
Rever a organicidade da carga horária das disciplinas de
estágio, como elas estão sendo desenhadas para
proporcionar experiências mais densas e significativas
aos licenciandos.
É fundamental um olhar para os professores que conduzem
essas disciplinas, integrar em sua prática docente
metodologias ativas e inovadoras.
Haver a possibilidade de realizar os estágios em outros
formatos, como os estágios de pesquisa.
CONTRIBUIÇÕES DA PESQUISA
ESTÁGIOS
SUPERVISIONADOS
UNIVERSIDADE
ESCOLA
LICENCIANDO
Investigar esse objeto voltado para a cultura de
inovação.
Pesquisas com o objetivo de analisar as interferências das
disciplinas de metodologias de ensino 1,2 e 3 nos estágios
supervisionados e na formação de professores.
Analisar a influência do PIBID, PIBIC e de projetos de
extensão na formação desses licenciandos.
SUGESTÕES PARA PESQUISAS FUTURAS
Paulo Freire
Se a educação sozinha não
transforma a sociedade,
sem ela tampouco a
sociedade muda”.
gratidão
OBRIGADA!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

As implicações dos ambientes educativos inovadores para as práticas dos profe...
As implicações dos ambientes educativos inovadores para as práticas dos profe...As implicações dos ambientes educativos inovadores para as práticas dos profe...
As implicações dos ambientes educativos inovadores para as práticas dos profe...
Marisa Correia
 
INICIAÇÃO A DOCÊNCIA: OS RESULTADOS DO PIBID NA VOZ DOS PROFESSORES INICIANTES
INICIAÇÃO A DOCÊNCIA: OS RESULTADOS DO PIBID NA VOZ DOS PROFESSORES INICIANTESINICIAÇÃO A DOCÊNCIA: OS RESULTADOS DO PIBID NA VOZ DOS PROFESSORES INICIANTES
INICIAÇÃO A DOCÊNCIA: OS RESULTADOS DO PIBID NA VOZ DOS PROFESSORES INICIANTES
ProfessorPrincipiante
 
Realidade do ensino por investigação na práxis dos professores dos anos inici...
Realidade do ensino por investigação na práxis dos professores dos anos inici...Realidade do ensino por investigação na práxis dos professores dos anos inici...
Realidade do ensino por investigação na práxis dos professores dos anos inici...
Ronaldo Santana
 
A aprendizagem da geografia no ensino médio
A aprendizagem da geografia no ensino médioA aprendizagem da geografia no ensino médio
A aprendizagem da geografia no ensino médio
EnoqueOliveira
 

Mais procurados (20)

Pesquisando o ensino de ciências por investigação na educação básica utilizan...
Pesquisando o ensino de ciências por investigação na educação básica utilizan...Pesquisando o ensino de ciências por investigação na educação básica utilizan...
Pesquisando o ensino de ciências por investigação na educação básica utilizan...
 
Concepção e proposta metodológica da EJA
Concepção e proposta metodológica da EJAConcepção e proposta metodológica da EJA
Concepção e proposta metodológica da EJA
 
Portifólio clicia
 Portifólio clicia Portifólio clicia
Portifólio clicia
 
O PIBID NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE FÍSICA
O PIBID NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE FÍSICAO PIBID NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE FÍSICA
O PIBID NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE FÍSICA
 
A Influência das Conceções Centrais dos Professores no Ensino das Ciências no...
A Influência das Conceções Centrais dos Professores no Ensino das Ciências no...A Influência das Conceções Centrais dos Professores no Ensino das Ciências no...
A Influência das Conceções Centrais dos Professores no Ensino das Ciências no...
 
8732 texto do trabalho-24694-1-10-20160305
8732 texto do trabalho-24694-1-10-201603058732 texto do trabalho-24694-1-10-20160305
8732 texto do trabalho-24694-1-10-20160305
 
Instrumentação para o Ensino de Biologia I
Instrumentação para o Ensino de Biologia IInstrumentação para o Ensino de Biologia I
Instrumentação para o Ensino de Biologia I
 
Ensino de química por meio de atividades
Ensino de química por meio de atividadesEnsino de química por meio de atividades
Ensino de química por meio de atividades
 
As implicações dos ambientes educativos inovadores para as práticas dos profe...
As implicações dos ambientes educativos inovadores para as práticas dos profe...As implicações dos ambientes educativos inovadores para as práticas dos profe...
As implicações dos ambientes educativos inovadores para as práticas dos profe...
 
Oficina de idéias sobre estágio e docencia
Oficina de idéias sobre estágio e docenciaOficina de idéias sobre estágio e docencia
Oficina de idéias sobre estágio e docencia
 
Projeto de Estagio - Educação Especial
Projeto de Estagio - Educação EspecialProjeto de Estagio - Educação Especial
Projeto de Estagio - Educação Especial
 
Poster Projeto Whatsapp na Educação Médica
Poster Projeto Whatsapp na Educação MédicaPoster Projeto Whatsapp na Educação Médica
Poster Projeto Whatsapp na Educação Médica
 
A aplicação da pedagogia de projetos no estágio supervisionado de ensino de l...
A aplicação da pedagogia de projetos no estágio supervisionado de ensino de l...A aplicação da pedagogia de projetos no estágio supervisionado de ensino de l...
A aplicação da pedagogia de projetos no estágio supervisionado de ensino de l...
 
Tcc 172128
Tcc 172128Tcc 172128
Tcc 172128
 
INICIAÇÃO A DOCÊNCIA: OS RESULTADOS DO PIBID NA VOZ DOS PROFESSORES INICIANTES
INICIAÇÃO A DOCÊNCIA: OS RESULTADOS DO PIBID NA VOZ DOS PROFESSORES INICIANTESINICIAÇÃO A DOCÊNCIA: OS RESULTADOS DO PIBID NA VOZ DOS PROFESSORES INICIANTES
INICIAÇÃO A DOCÊNCIA: OS RESULTADOS DO PIBID NA VOZ DOS PROFESSORES INICIANTES
 
PROGRAMAS DE FORMAÇÃO PARA OS PROFESSORES-COLABORADORES DA PEDAGOGIA E EDUCAÇ...
PROGRAMAS DE FORMAÇÃO PARA OS PROFESSORES-COLABORADORES DA PEDAGOGIA E EDUCAÇ...PROGRAMAS DE FORMAÇÃO PARA OS PROFESSORES-COLABORADORES DA PEDAGOGIA E EDUCAÇ...
PROGRAMAS DE FORMAÇÃO PARA OS PROFESSORES-COLABORADORES DA PEDAGOGIA E EDUCAÇ...
 
Realidade do ensino por investigação na práxis dos professores dos anos inici...
Realidade do ensino por investigação na práxis dos professores dos anos inici...Realidade do ensino por investigação na práxis dos professores dos anos inici...
Realidade do ensino por investigação na práxis dos professores dos anos inici...
 
Mais um relato
Mais um relatoMais um relato
Mais um relato
 
A aprendizagem da geografia no ensino médio
A aprendizagem da geografia no ensino médioA aprendizagem da geografia no ensino médio
A aprendizagem da geografia no ensino médio
 
Importância do uso de metodologias alternativas para o ecb
Importância do uso de metodologias alternativas para o ecbImportância do uso de metodologias alternativas para o ecb
Importância do uso de metodologias alternativas para o ecb
 

Semelhante a Apresentação da Defesa de Dissertação de Gleize Barros

Apresentação rondinelle
Apresentação rondinelleApresentação rondinelle
Apresentação rondinelle
familiaestagio
 
Modalidade didática
Modalidade didáticaModalidade didática
Modalidade didática
pibidbio
 
Apresentação rondinelle
Apresentação rondinelleApresentação rondinelle
Apresentação rondinelle
familiaestagio
 
Amanda cristina teagno_lopes_marques
Amanda cristina teagno_lopes_marquesAmanda cristina teagno_lopes_marques
Amanda cristina teagno_lopes_marques
Marcia Gomes
 
A importância da reflexão sobre a
A importância da reflexão sobre aA importância da reflexão sobre a
A importância da reflexão sobre a
Victor Hugo
 
Caderno de estudo edineide vitor-1
Caderno de estudo   edineide vitor-1Caderno de estudo   edineide vitor-1
Caderno de estudo edineide vitor-1
Deyse Elly
 
TORNAR-SE PROFESSOR: OS DESAFIOS DE UMA NOVA ESTRÉGIA
TORNAR-SE PROFESSOR: OS DESAFIOS DE UMA NOVA ESTRÉGIATORNAR-SE PROFESSOR: OS DESAFIOS DE UMA NOVA ESTRÉGIA
TORNAR-SE PROFESSOR: OS DESAFIOS DE UMA NOVA ESTRÉGIA
ProfessorPrincipiante
 
O ensino-aprendizagem como investigação:
O ensino-aprendizagem como investigação:O ensino-aprendizagem como investigação:
O ensino-aprendizagem como investigação:
coisasblog
 
O descompasso entre a formação do licenciado em educação física e a necessida...
O descompasso entre a formação do licenciado em educação física e a necessida...O descompasso entre a formação do licenciado em educação física e a necessida...
O descompasso entre a formação do licenciado em educação física e a necessida...
Alan Ciriaco
 
Sessao1 apresentacao da oficina ciencias preciclo1
Sessao1 apresentacao da oficina ciencias preciclo1Sessao1 apresentacao da oficina ciencias preciclo1
Sessao1 apresentacao da oficina ciencias preciclo1
jifonseca
 

Semelhante a Apresentação da Defesa de Dissertação de Gleize Barros (20)

Apresentação rondinelle
Apresentação rondinelleApresentação rondinelle
Apresentação rondinelle
 
Ensino com pesquisa
Ensino com pesquisaEnsino com pesquisa
Ensino com pesquisa
 
Modalidade didática
Modalidade didáticaModalidade didática
Modalidade didática
 
apresentação TCC UEMA.pptx
apresentação TCC UEMA.pptxapresentação TCC UEMA.pptx
apresentação TCC UEMA.pptx
 
Vt6[1]
Vt6[1]Vt6[1]
Vt6[1]
 
Apresentação rondinelle
Apresentação rondinelleApresentação rondinelle
Apresentação rondinelle
 
guia-de-disciplina-de-pratica-pedagogica-geral.pdf
guia-de-disciplina-de-pratica-pedagogica-geral.pdfguia-de-disciplina-de-pratica-pedagogica-geral.pdf
guia-de-disciplina-de-pratica-pedagogica-geral.pdf
 
Amanda cristina teagno_lopes_marques
Amanda cristina teagno_lopes_marquesAmanda cristina teagno_lopes_marques
Amanda cristina teagno_lopes_marques
 
A importância da reflexão sobre a
A importância da reflexão sobre aA importância da reflexão sobre a
A importância da reflexão sobre a
 
Caderno de estudo edineide vitor-1
Caderno de estudo   edineide vitor-1Caderno de estudo   edineide vitor-1
Caderno de estudo edineide vitor-1
 
10753-Texto do artigo-31858-1-10-20180514.pdf
10753-Texto do artigo-31858-1-10-20180514.pdf10753-Texto do artigo-31858-1-10-20180514.pdf
10753-Texto do artigo-31858-1-10-20180514.pdf
 
TORNAR-SE PROFESSOR: OS DESAFIOS DE UMA NOVA ESTRÉGIA
TORNAR-SE PROFESSOR: OS DESAFIOS DE UMA NOVA ESTRÉGIATORNAR-SE PROFESSOR: OS DESAFIOS DE UMA NOVA ESTRÉGIA
TORNAR-SE PROFESSOR: OS DESAFIOS DE UMA NOVA ESTRÉGIA
 
EstáGio Supervisionado Ponta Grossa
EstáGio Supervisionado Ponta GrossaEstáGio Supervisionado Ponta Grossa
EstáGio Supervisionado Ponta Grossa
 
O ensino-aprendizagem como investigação:
O ensino-aprendizagem como investigação:O ensino-aprendizagem como investigação:
O ensino-aprendizagem como investigação:
 
O descompasso entre a formação do licenciado em educação física e a necessida...
O descompasso entre a formação do licenciado em educação física e a necessida...O descompasso entre a formação do licenciado em educação física e a necessida...
O descompasso entre a formação do licenciado em educação física e a necessida...
 
Projeto "Seis passos com TIC para @prender" na ESECS (Leiria)
Projeto "Seis passos com TIC para @prender" na ESECS (Leiria)Projeto "Seis passos com TIC para @prender" na ESECS (Leiria)
Projeto "Seis passos com TIC para @prender" na ESECS (Leiria)
 
TRABALHO LABORATORIAL E PRÁTICAS DE AVALIAÇÃO DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS FÍSI...
TRABALHO LABORATORIAL E PRÁTICAS DE AVALIAÇÃO DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS FÍSI...TRABALHO LABORATORIAL E PRÁTICAS DE AVALIAÇÃO DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS FÍSI...
TRABALHO LABORATORIAL E PRÁTICAS DE AVALIAÇÃO DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS FÍSI...
 
Conceções e Práticas de professores do 1.º Ciclo acerca do trabalho laboratorial
Conceções e Práticas de professores do 1.º Ciclo acerca do trabalho laboratorialConceções e Práticas de professores do 1.º Ciclo acerca do trabalho laboratorial
Conceções e Práticas de professores do 1.º Ciclo acerca do trabalho laboratorial
 
Sessao1 apresentacao da oficina ciencias preciclo1
Sessao1 apresentacao da oficina ciencias preciclo1Sessao1 apresentacao da oficina ciencias preciclo1
Sessao1 apresentacao da oficina ciencias preciclo1
 
Saberes pedagógicos e práticas docentes no ensino de
Saberes pedagógicos e práticas docentes no ensino deSaberes pedagógicos e práticas docentes no ensino de
Saberes pedagógicos e práticas docentes no ensino de
 

Mais de Universidade Federal de Pernambuco

Mais de Universidade Federal de Pernambuco (20)

Dia a Dia da Educação Remota: criatividade e interação
Dia a Dia da Educação Remota: criatividade e interaçãoDia a Dia da Educação Remota: criatividade e interação
Dia a Dia da Educação Remota: criatividade e interação
 
Educação 5.0
Educação 5.0Educação 5.0
Educação 5.0
 
Arte e Ensino
Arte e EnsinoArte e Ensino
Arte e Ensino
 
Metodologias ativas e Inovadoras
Metodologias ativas e InovadorasMetodologias ativas e Inovadoras
Metodologias ativas e Inovadoras
 
Aprendizagem Através do Encantamento
Aprendizagem Através do Encantamento Aprendizagem Através do Encantamento
Aprendizagem Através do Encantamento
 
Aprendizagem Através da Diversao
Aprendizagem Através da DiversaoAprendizagem Através da Diversao
Aprendizagem Através da Diversao
 
Tecnologias Digitais para Aprendizagem Cri-Ativa
Tecnologias Digitais para Aprendizagem Cri-AtivaTecnologias Digitais para Aprendizagem Cri-Ativa
Tecnologias Digitais para Aprendizagem Cri-Ativa
 
Metodologias Ativas
Metodologias AtivasMetodologias Ativas
Metodologias Ativas
 
Apresentação Colégio Imaculado Coração de Maria
Apresentação Colégio Imaculado Coração de MariaApresentação Colégio Imaculado Coração de Maria
Apresentação Colégio Imaculado Coração de Maria
 
Hub Educat UFPE
Hub Educat UFPEHub Educat UFPE
Hub Educat UFPE
 
Residência Docente em Ensino de Ciências
Residência Docente em Ensino de CiênciasResidência Docente em Ensino de Ciências
Residência Docente em Ensino de Ciências
 
Metodologias Ativas, Imersivas e Inovadoras
Metodologias Ativas, Imersivas e InovadorasMetodologias Ativas, Imersivas e Inovadoras
Metodologias Ativas, Imersivas e Inovadoras
 
EMPOWERMENT OF VULNERABLE WOMEN THROUGH EMOTIONAL
EMPOWERMENT OF VULNERABLE WOMEN THROUGH EMOTIONALEMPOWERMENT OF VULNERABLE WOMEN THROUGH EMOTIONAL
EMPOWERMENT OF VULNERABLE WOMEN THROUGH EMOTIONAL
 
Coreografias Institucionais no Mapeamento de Políticas Educativas em Cidades...
Coreografias Institucionais no Mapeamento de Políticas Educativas em Cidades...Coreografias Institucionais no Mapeamento de Políticas Educativas em Cidades...
Coreografias Institucionais no Mapeamento de Políticas Educativas em Cidades...
 
Educação 5.0 e as Metodologias Ativas e Inovadoras: encantando e engajando o ...
Educação 5.0 e as Metodologias Ativas e Inovadoras: encantando e engajando o ...Educação 5.0 e as Metodologias Ativas e Inovadoras: encantando e engajando o ...
Educação 5.0 e as Metodologias Ativas e Inovadoras: encantando e engajando o ...
 
Educação 5.0 e Metodologias Ativas e Inovadoras
Educação 5.0 e Metodologias Ativas e InovadorasEducação 5.0 e Metodologias Ativas e Inovadoras
Educação 5.0 e Metodologias Ativas e Inovadoras
 
Resiliência na Ambiência Escolar: Desafios no enfrentamento de um Contexto Ed...
Resiliência na Ambiência Escolar: Desafios no enfrentamento de um Contexto Ed...Resiliência na Ambiência Escolar: Desafios no enfrentamento de um Contexto Ed...
Resiliência na Ambiência Escolar: Desafios no enfrentamento de um Contexto Ed...
 
Engajamento Docente A Partir Das Habilidades Emocionais No Uso De Práticas At...
Engajamento Docente A Partir Das Habilidades Emocionais No Uso De Práticas At...Engajamento Docente A Partir Das Habilidades Emocionais No Uso De Práticas At...
Engajamento Docente A Partir Das Habilidades Emocionais No Uso De Práticas At...
 
Residencia Docente em Ensino de Ciências em Feira Nova
Residencia Docente em Ensino de Ciências em Feira NovaResidencia Docente em Ensino de Ciências em Feira Nova
Residencia Docente em Ensino de Ciências em Feira Nova
 
Cultura de Inovação em Escolas Integrais: novos Designs e Cenários para a Sal...
Cultura de Inovação em Escolas Integrais: novos Designs e Cenários para a Sal...Cultura de Inovação em Escolas Integrais: novos Designs e Cenários para a Sal...
Cultura de Inovação em Escolas Integrais: novos Designs e Cenários para a Sal...
 

Último

Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
profbrunogeo95
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Eró Cunha
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
VALMIRARIBEIRO1
 

Último (20)

Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
 

Apresentação da Defesa de Dissertação de Gleize Barros

  • 1. O Papel dos Estágios Supervisionados na Construção de Práticas Ativas e Inovadoras entre Professores em Formação na Licenciatura em Ciências Biológicas da UFPE Mestranda: Gleize Cristina França de Barros Orientador: Dr. Marcos Alexandre de Melo Barros Universidade Federal de Pernambuco Centro Acadêmico do Agreste Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemática
  • 2. Prof. Dr. José Ivanildo Felisberto de Carvalho (Examinador Interno) Universidade Federal de Pernambuco/CAA Profa. Dra. Maria Auxiliadora Soares Padilha (Examinadora Externa) Universidade Federal de Pernambuco/CE Profa. Dra. Suzane Bezerra de França (Examinadora Externa) Universidade de Pernambuco/UPE Profa. Dra. Kátia Calligaris Rodrigues (Suplente interno) Universidade Federal de Pernambuco/CAA Profa. Dra. Marília Gabriela de Menezes (Suplente externa) Universidade Federal de Pernambuco/CE BANCA EXAMINADORA
  • 3. INTERESSE E JUSTIFICATIVA METODOLOGIAOBJETIVOS MARCO TEÓRICO PROBLEMA DE PESQUISA RESULTADOS E DISCUSSÕES CONSIDERAÇÕES FINAIS ESTRUTURA DA APRESENTAÇÃO
  • 5. PROBLEMA DE PESQUISA Como os estágios supervisionados na Licenciatura em Ciências Biológicas da UFPE estão despertando práticas ativas e inovadoras entre os professores em formação de ciências e biologia no último período do curso?
  • 6. OBJETIVO GERAL Analisar o papel dos Estágios Supervisionados na formação docente na Licenciatura de Ciências Biológicas através de práticas ativas e inovadoras.
  • 7. OBJETIVOS ESPECÍFICOS Analisar as concepções de inovação pedagógica e das metodologias ativas dos licenciandos de Ciências Biológicas da Universidade Federal de Pernambuco. Identificar práticas ativas inovadoras na atuação dos licenciados nos campos de estágios.
  • 8. ENSINO DE CIÊNCIAS Sala de aula Currículo Conhecimentos científicos na dos do enfrenta relacionados DESAFIOS proporcionam metodologias apresentam aspectos que contribuem para uma das possibilidades de mudanças seriam tendo como norte o através dos Estágios Ativas e Inovadoras Conservadores e tradicionais Baixos desempenhos em exames FORMAÇÃO DE PROFESSORES Modelos inovadores de educação Aluno protagonista MARCOTEÓRICO (POZO; CRESPO, 2009) (CAPECCHI; CARVALHO; SASSERON, 2013) (MORAN, 2015)
  • 9. METODOLOGIA Caracterização da pesquisa: Tipo de pesquisa: Qualitativa Estudo de caso Exploratória Bibliográfica Campo: pesquisa-ação (MINAYO, 2007) (ANDRÉ, 2008) (GIL, 2008) (PERUZZO, 2017)
  • 10. CONTE XTO Curso de licenciatura em Ciências Biológicas - UFPE Disciplina de Estágio em Ensino de Biologia 4 - EEB4 8º período
  • 11. PARTICIPANTES 18Licenciandosem CiênciasBiológicas 9 REDEC 9 ESTÁGIO TRADICIONAL Outra formação superior: Nenhum (0) Atua ou atuou na docência: Sim - 2 (1º cinco meses / 2º um ano, ambos na rede privada). Não - 16
  • 12. 1º início da disciplina 2º final da disciplina QUESTIONÁRIOS INSTRUMENTOS DE COLETA DE DADOS (GIL, 2008)
  • 13. INSTRUMENTOS DE COLETA DE DADOS Intervenção: Atividade Day1 HOJE AMANHÃ Onde você está hoje? Qual o motivo de estar assim? O que você pode melhorar? Onde você quer estar amanhã? Como você pode mudar isso? O que você pode fazer para estar melhorar?
  • 14. MÉTODO PARA ANÁLISE DE DADOS Análise de conteúdo Análise temática Definição de categorias (BARDIN, 2011)
  • 15. ORGANIZAÇÃO DOS RESULTADOS E DISCUSSÕES TÓPICOS CATEGO- RIAS SUBTÓ- PICOS
  • 17. OBJETIVO ESPECÍFICO 01: analisar as concepções de inovação pedagógica e das metodologias ativas dos licenciandos em Ciências Biológicas da UFPE. TÓPICOS SUBTÓPICOS CATEGORIAS Entendimento Sobre Inovação Pedagógica e Metodologias Ativas entre Professores em Formação Concepções sobre Inovação Pedagógica Aprendizagem Protagonismo Protagonismo Provocar Estímulos Metodologias Inovadoras Ruptura com o Ensino Tradicional Novas Metodologias de Ensino/Novidades Conceitos sobre Metodologias Ativas
  • 18. OBJETIVO ESPECÍFICO 01: analisar as concepções de inovação pedagógica e das metodologias ativas dos licenciandos em Ciências Biológicas da UFPE. SUBTÓPICO: Concepções sobre Inovação Pedagógica Quais as suas concepções sobre inovação pedagógica? Trazer novas práticas de ensino para sala de aula, possibilitando uma vivência mais diversa, tanto para o discente como para o docente.” (P18). CATEGORIAS CARACTERÍTICAS Aprendizagem Aprendizagem Significativa Métodos, técnicas, abordagens, práticas e atividades. Protagonismo Autor da aprendizagem Aluno ativo Ruptura com o Ensino Tradicional Novas Metodologias de Ensino/Novidades Toda atividade que seja pensada com o aluno e que o educando seja foco ativo no processo de ensino aprendizado e que o professor seja esse guia da construção de forma ativa nesse processo que assim seja pensando FORA do paradigma da educação tradicional.” (P6). (CUNHA, 2016)
  • 19. OBJETIVO ESPECÍFICO 01: analisar as concepções de inovação pedagógica e das metodologias ativas dos licenciandos em Ciências Biológicas da UFPE. SUBTÓPICO: Conceitos sobre Metodologias Ativas Qual seu conceito sobre Metodologias Ativas? O aluno no centro de tudo, sendo ele protagonista e responsável pelo seu aprendizado pela construção do seu cotidiano” (P18). CATEGORIAS CARACTERÍTICAS Aluno como o centro no processo de ensino e aprendizagem Visual, aditivo, senso crítico... Protagonismo Novidades nos métodos Provocar Estímulos Metodologias Inovadoras “A metodologia ativa, vai envolver todos os componentes pertencentes ao processo de ensino-aprendizagem, gerando uma real reflexão dos conteúdos e também do papel do professor como mediador do conhecimento. Este tipo de metodologia favorece a construção do conhecimento e coloca o aluno como agente ativo no processo.” (P16). (BARBOSA; MOURA, 2013) (MORAN,2015) (CAVALCANTI; FILATRO, 2018)
  • 20. OBJETIVO ESPECÍFICO 02: identificar práticas ativas e inovadoras nos campos de estágios TÓPICOS SUBTÓPICOS CATEGORIAS OBSERVAÇÃO Estágios Supervisionados: formação e práticas docentes ativas e inovadoras 1° Formação Ativa e Inovadora Não Provocaram Formação Ativa e Inovadora Promoveram Práticas Ativas e Inovadoras Análise Literal 2° Papel dos estágios na prática docente X
  • 21. (ABRUCIO, 2016) OBJETIVO ESPECÍFICO 02: identificar práticas ativas e inovadoras nos campos de estágios SUBTÓPICO 01: Formação ativa e inovadora Os estágios no curso de ciências biológicas promoveram atividades com a finalidade de despertar uma formação ativa e inovadora? 1ª CATEGORIA TOTAL EEB4 NÃO Não Provocaram Formação Ativa e Inovadora 06 03 03 NÃO. Eu colocaria a opção: Não em sua maioria. Os estágios promoveram a minha interação com os alunos, porém com muitas restrições, sempre incentivando a promover oficinas. Sabemos que não é de oficinas que se fazem escolas, e por isso causa uma dificuldade na hora de interagir como docente. Estágio 4 tem sido novidades justamente por nos permitir mergulhar de cabeça na vivência docente.” (P4). NÃO. Acho que depois do contato com a residência docente, o tempo imerso no cotidiano da escola como um todo me proporcionou ENTENDER mais aspectos da docência os quais não tive tanta oportunidade em outros estágios”. (P2).
  • 22. (TARDIF, 2000) Os estágios no curso de ciências biológicas promoveram atividades com a finalidade de despertar uma formação ativa e inovadora? 1ª CATEGORIA TOTAL EEB4 NÃO Não Provocaram Formação Ativa e Inovadora 06 03 03 NÃO. Durante os estágios não fui assistido pelo orientador da disciplina foi tudo muito simplório sem diálogo ou construção de conhecimento. Era dito que meu trabalho possuía erros, porém não foi dito quais eram estes erros me fazendo continuar errando.” (P18). NÃO. Esse tipo de metodologia ativa é bastante ignorada no curso de biologia, pois poucos professores defendem a prática dessas metodologias e acabam dando atenção apenas a método cartesiano de tudo e esquecem o lado humano.” (P1).
  • 23. OBJETIVO ESPECÍFICO 02: identificar práticas ativas e inovadoras nos campos de estágios SUBTÓPICO 01: Formação ativa e inovadora Os estágios no curso de ciências biológicas promoveram atividades com a finalidade de despertar uma formação ativa e inovadora? 2ª CATEGORIA TOTAL CONTRADIÇÕES AFIRMAM Promoveram Práticas Ativas e Inovadoras 12 7 4 1 FALTA DE ORGANIZAÇÃO Apenas em EEB4 Pouca ou nenhuma contribuição efetiva
  • 24. SIM. A experiência com residência docente me provocou de tal maneira que não pude experimentar em estágio 1,2, e 3. A possibilidade de mergulhar em todos os âmbitos da escola me faz pensar todos os dias em estratégias de melhorar a forma de transmissão de conteúdos.” (P3). SIM. Desde o início dos estágios foi proposto um novo modelo de se ensinar ciências. Prezando pela visão de formação completa dos alunos, a troca de informação, novas propostas de ensino, ludicidade, cultura etc. Mas o que era visto era apenas conceitos e em prática era totalmente diferente. Por isso em EEB4 se houve um choque tão grande de que realmente é possível trabalhar em sala de maneira inovadora. (P5)”. (CARVALHO; PÉREZ, 2011) SUBTÓPICO 01: Formação ativa e inovadora Apenas em EEB4 Pouca ou nenhuma contribuição efetiva CONTRADIÇÕES 7
  • 25. SIM. Apesar de todos os contras e dificuldades vivenciadas nos estágios, a finalidade quase sempre foi de nos nortear a utilização desse tipo de prática, de sermos reflexivos e inovadores quanto ao tipo de metodologia que iremos usar em nossas aulas, embora tenha nos mostrado pouco recursos para isso. Os estágios se resumem muito mais em ir e apenas dar aula, que de fato levantar a reflexão de que professores seremos e o que faremos para ser.” (P16). SIM. A todo momento durante meu curso os professores tanto de MEB quanto de estágio apresentou esses temas como essenciais para a minha formação docente. Por mais que os professores do curso não tivessem esse tipo de abordagem na sua aula, desde o princípio sabemos que são essenciais essas atividades.” (P13). SUBTÓPICO 01: Formação ativa e inovadora Apenas em EEB4 Pouca ou nenhuma contribuição efetiva CONTRADIÇÕES 7
  • 26. OBJETIVO ESPECÍFICO 02: identificar práticas ativas e inovadoras nos campos de estágios SUBTÓPICO 02: O papel dos estágios na prática docente Após os estágios supervisionados, como você se percebe enquanto professor para assumir uma sala de aula? Análise literal 18 participantes 4 se sentem preparados 14 não se sentem preparados Justificativa: Não tem o básico para assumir a sala de aula. Justificativa: Necessidade de buscar mais conhecimentos e formações.
  • 27. (AROEIRA; ALMEIDA, 2012) A necessidade de contato com o ambiente de atuação, o cotidiano escolar” (P18) Estou com um pouco de ansiedade por conta do final do curso, passei muito tempo na universidade e fico tensa, quando lembro que vou sair dela, estou assim porque sei que o mercado de trabalho está escasso” (P15) Hoje estou dando uma pausa em relação a ser futura docente de biologia/ciências por razão de que ao longo do tempo perdi a vontade/desejo de prosseguir neste ramo, por hoje não ser tão valorizado” (P17) Hoje estou indecisa quanto a que área seguir. Porém, planejo algo para mudar isso até o final do ano, que será minha colação de grau” (P8) ATIVIDADE DAY1 (1° dia de aula) Insegurança Poucas de experiências Indecisão Desmotivação
  • 28. (CARVALHO, 2017) Me percebo em tanto ainda fragilizada e despreparada para lidar com questões sociais e as problemáticas de uma sala. Os estágios permitem um pouco dessa vivência mas de forma limitada, acredito que em como aplicar um conteúdo de biologia, que prática usar, que jeito falar, mas como fazer ou conseguir fazer isso, visando as realidades das salas hoje, nem tanto.” (P16). Percebo que ainda não estou preparada o suficiente preciso trabalhar alguns aspectos negativos em mim. Não estou ainda madura para assumir uma sala de aula vejo que preciso assumir um compromisso com a profissão e comigo. Não posso dizer que todos os estágios serviram como experiência” (P17). Na realidade os estágios 1,2,3 não passei por estágio supervisionado pelo menos da maneira que era pra ser, pois os professores nunca supervisionou” Final da disciplina e do curso Fragilizados Despreparados Limitados Falta de acompanhamento
  • 29. Me percebo bem perante as mil possibilidades que se pode ter para abordagem de qualquer conteúdo. Vejo que com muito e com poucos recursos tem como se fazer uma aula de muita qualidade.” (P9). Apesar de pouco estímulo durante os estágios, da visão do que realmente é o estágio, eu acredito que estou preparada para sala de aula apesar que muita coisa aprendemos realmente na prática, e o estágio não é suficiente para esta preparação, pois o tempo é curto e passamos apenas na escola como “visitantes”, por tanto não é perceptível o que realmente vivemos na sala de aula, não se sabe o que estar por vim [...] (P14).
  • 30. CONCLUSÃO Incipiência sobre o entendimento de inovação pedagógica (reducionista). Metodologias ativas focada no protagonismo do aluno, relacionando com a atuação do professor (geral e pouco explicativa). Os estágios em sua maioria não proporcionam um ambiente que estimulem desenvolvimento de práticas ativas e inovadoras, exceto: REDEC e estágio 4. Predominância do modelo de ensino tradicional na universidade (falta de acompanhamento, feedback).
  • 31. Dos 04 que pontuaram que estavam preparados para assumir a sala de aula: 02 justificam que esse sentimento não se deve aos estágios (negativos), e os outros 02 justificam os estágios e a formação como um todo. CONCLUSÃO Desmotivação por parte dos licenciandos com o olhar burocratizado sobre o estágio. Fragilidades no processo de formação inicial dos professores, dentre os 18 participantes 14 não se sentem preparados para atuar na sala de aula. Discrepância entre os alunos que fizeram a imersão no projeto de REDEC e os demais; Imersão maior, sentimento de pertencimento, acompanhamento nos campos de estágio e na universidade, olhar mais crítico e reflexivo sobre os estágios.
  • 32. LIMITAÇÕES TEMPO DE COLETA DE DADOS RELAÇÃO PESQUISADOR E PARTICIPANTES ACOMPANHAMENTO NOS CAMPOS DE ESTÁGIO
  • 33. CONTRIBUIÇÕES DA PESQUISA Repensar o modelo de formação inicial (integração das disciplinas e os estágios). Rever a organicidade da carga horária das disciplinas de estágio, como elas estão sendo desenhadas para proporcionar experiências mais densas e significativas aos licenciandos. É fundamental um olhar para os professores que conduzem essas disciplinas, integrar em sua prática docente metodologias ativas e inovadoras. Haver a possibilidade de realizar os estágios em outros formatos, como os estágios de pesquisa.
  • 35. Investigar esse objeto voltado para a cultura de inovação. Pesquisas com o objetivo de analisar as interferências das disciplinas de metodologias de ensino 1,2 e 3 nos estágios supervisionados e na formação de professores. Analisar a influência do PIBID, PIBIC e de projetos de extensão na formação desses licenciandos. SUGESTÕES PARA PESQUISAS FUTURAS
  • 36. Paulo Freire Se a educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela tampouco a sociedade muda”.