SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 16
CURRÍCULO: CONCEITOS Referência: SACRISTÁN.  J. GIMENO O CURRICULO: UMA REFLEXÃO SOBRE A PRÁTICA, 2000
Grundy (1987)  “O currículo não é um conceito, mas uma construção cultural. Isto é, não se trata de um conceito abstrato que tenha algum tipo de existência fora e previamente à experiência humana. É, antes, um modo de organizar uma série de práticas educativas”(Apud Sacristán: 2000, p.5). Heubner (citado por McNeil, 1983)  “ O currículo é a forma de ter acesso ao conhecimento, não podendo esgotar seu significado em algo estático, mas através das condições em que se realiza e se converte numa forma particular de entrar em contato com a cultura” (Apud Sacristán: 2000, p.15). Lundgren (1981, p.40)  “ O currículo é o que tem atrás toda educação transformando suas metas básicas em estratégias de ensino. tratá-lo como algo dado ou uma realidade objetiva e não como um processo no qual podemos realizar cortes transversais e ver como está configurado num dado momento não seria mais que legitimar de antemão a opção estabelecida nos currículos vigentes, fixando-a como indiscutível. O relativismo e a provisionalidade histórica devem ser uma perspectiva nestas afirmações”.(Apud Sacristán: 2000 p.16).
Young, 1980, p.25 “ O currículo é o mecanismo através do qual o conhecimento é distribuído socialmente. Com isso, a natureza do saber distribuído pela escola se situa como um dos problemas centrais a ser colocado e discutido”(Apud Sacristán: 2000, p.19). Whitty, 1985, p.8 “ O currículo passa a ser considerado como uma invenção social que reflete escolhas sociais conscientes e inconscientes, que concordam com os valores e as crenças dos grupos dominantes na sociedade” (Apud Sacristán: 2000, p.19). Bernstein, 1980, p.47) “ O currículo define o que se considera o conhecimento válido, as formas pedagógicas, o que se pondera como a transmissão válido do mesmo, e a avaliação define o que se considera como realização válida do conhecimento” (Apud Sacristán: 2000, p.19). Tyler, 1981, p.18 “O currículo é composto pelas experiências de aprendizagem planejadas e dirigidas pela escola para conseguir os objetivos educativos”(Apud Sacristán:2000, p.19).
Johnson (1967)  “ O currículo é um conjunto de objetivos estruturados que se quer alcançar. Supõe propor a dinâmica meios-fins como esquema racionalizador da prática” (Apud Sacristán: 2000, p.5).
Stenhouse(1984)  “ Currículo como campo de estudo e de prática que se interessa pela inter-relação de dois grandes campos de significados, dados separadamente como conceitos diferenciados de currículo: as intenções para a escola e a realidade da mesma; teoria ou idéias para a prática e condições de realidade de prática”. “ Por um lado o currículo é considerado como uma intenção, um plano ou uma  prescrição, uma idéia acerca do que desejaríamos que acontecesse nas escolas. Por outro lado, é conceituado como o estado das coisas existentes nelas, o que de fato sucede na s mesmas”(Apud Sacristán, p.27). “  Um currículo é uma tentativa para comunicar os princípios e traços essenciais de um propósito educativo, de tal forma que permaneça aberto à discussão crítica e possa ser transferido efetivamente para a prática”(Apud Sacristán, p.29).
ORGANIZAÇÃO DO CURRÍCULO DO ESTADO DE SÃO PAULO:  ÁREAS DO CONHECIMENTO  ESTA ORGANIZAÇÃO É INDICATIVA DE UMA CONCEPÇÃO DE CONHECIMENTO LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS CIÊNCIAS DA NATUREZA E SUAS TECNOLOGIAS MATEMÁTICA  E SUAS TECNOLOGIAS
COMPOSIÇÃO  DAS ÁREAS DO CONHECIMENTO: COMPONENTES CURRICULARES  LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS Língua Portuguesa Língua Estrangeira, Arte e Ed. Física CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS História, Geografia, Filosofia e Sociologia CIÊNCIAS DA NATUREZA E SUAS TECNOLOGIAS Ciências, Biologia, Química e Física MATEMÁTICA  E SUAS TECNOLOGIAS
MATRIZES DE COMPETÊNCIAS  Linguagens, Códigos e suas Tecnologias Ciências da Natureza e suas Tecnologias, Ciências Humanas e suas Tecnologias Representação e Comunicação X Investigação e Compreensão X Contextualização Sócio-Cultural X
 
 
 
 
 
CURRÍCULO – CADERNO DO PROFESSOR CADERNO DO ALUNO ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],ENVOLVE TODAS AS ÁREAS DO CONHECIMENTO
INTERDISCIPLINARIDADE : DIÁLOGO ENTRE OS SERES E OS COMPONENTES CURRICULARES
CRENÇA: SALTO DE QUALIDADE

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

21.4 Power Sacristan
21.4   Power Sacristan21.4   Power Sacristan
21.4 Power Sacristan
Julia Poletto
 
Currículo escolar em debate
Currículo escolar em debateCurrículo escolar em debate
Currículo escolar em debate
Fatima Costa
 
Teoria s curriculares curso vitória
Teoria s curriculares curso vitóriaTeoria s curriculares curso vitória
Teoria s curriculares curso vitória
Thaty Araujo
 
Sociologia e curriculo
Sociologia e curriculoSociologia e curriculo
Sociologia e curriculo
Ibaiti
 
Teorias do curriculo
Teorias do curriculoTeorias do curriculo
Teorias do curriculo
Natália Luz
 
Teorias de currículo: das tradicionais às críticas
Teorias de currículo: das tradicionais às críticasTeorias de currículo: das tradicionais às críticas
Teorias de currículo: das tradicionais às críticas
Lucila Pesce
 
Documentos de identidade
Documentos de identidadeDocumentos de identidade
Documentos de identidade
asvale2
 

Mais procurados (20)

21.4 Power Sacristan
21.4   Power Sacristan21.4   Power Sacristan
21.4 Power Sacristan
 
Slide curriculos e programas
Slide curriculos e programasSlide curriculos e programas
Slide curriculos e programas
 
Aula 2 definições
Aula 2   definiçõesAula 2   definições
Aula 2 definições
 
Currículo escolar em debate
Currículo escolar em debateCurrículo escolar em debate
Currículo escolar em debate
 
Resumo do caderno 3 etapa I- O curriculo do ensino médio,seus sujeitos e o de...
Resumo do caderno 3 etapa I- O curriculo do ensino médio,seus sujeitos e o de...Resumo do caderno 3 etapa I- O curriculo do ensino médio,seus sujeitos e o de...
Resumo do caderno 3 etapa I- O curriculo do ensino médio,seus sujeitos e o de...
 
Currículo
CurrículoCurrículo
Currículo
 
Teoria s curriculares curso vitória
Teoria s curriculares curso vitóriaTeoria s curriculares curso vitória
Teoria s curriculares curso vitória
 
Curriculo
CurriculoCurriculo
Curriculo
 
Transversalidade
TransversalidadeTransversalidade
Transversalidade
 
Teorias do Currículo
Teorias do CurrículoTeorias do Currículo
Teorias do Currículo
 
Os quarto tipos de currículo Escolar
Os quarto tipos de currículo EscolarOs quarto tipos de currículo Escolar
Os quarto tipos de currículo Escolar
 
Aula 1 plano de currículos e programas
Aula 1   plano de  currículos e programasAula 1   plano de  currículos e programas
Aula 1 plano de currículos e programas
 
Gadotti paulo freire
Gadotti   paulo freireGadotti   paulo freire
Gadotti paulo freire
 
Sociologia e curriculo
Sociologia e curriculoSociologia e curriculo
Sociologia e curriculo
 
A cibercultura e as teorias sociocríticas
A cibercultura e as teorias sociocríticasA cibercultura e as teorias sociocríticas
A cibercultura e as teorias sociocríticas
 
Teorias do curriculo
Teorias do curriculoTeorias do curriculo
Teorias do curriculo
 
O Que é CurríCulo1
O Que é CurríCulo1O Que é CurríCulo1
O Que é CurríCulo1
 
Teorias de currículo: das tradicionais às críticas
Teorias de currículo: das tradicionais às críticasTeorias de currículo: das tradicionais às críticas
Teorias de currículo: das tradicionais às críticas
 
Documentos de identidade
Documentos de identidadeDocumentos de identidade
Documentos de identidade
 
O curriculo
O curriculoO curriculo
O curriculo
 

Destaque

Dermeval saviani historia das ideias pedagogicas no brasil [2ª ed]
Dermeval saviani   historia das ideias pedagogicas no brasil [2ª ed]Dermeval saviani   historia das ideias pedagogicas no brasil [2ª ed]
Dermeval saviani historia das ideias pedagogicas no brasil [2ª ed]
Luiza Katia
 
20 sacristan compreender e transformar o ensino
20 sacristan compreender e transformar o ensino20 sacristan compreender e transformar o ensino
20 sacristan compreender e transformar o ensino
helioluc
 
Compreender e transformar o ensino
Compreender e transformar o ensinoCompreender e transformar o ensino
Compreender e transformar o ensino
Colégio Parthenon
 
Currículo Oficial e o Ensino das Ciências
Currículo Oficial e o Ensino das CiênciasCurrículo Oficial e o Ensino das Ciências
Currículo Oficial e o Ensino das Ciências
Paulo Garcez
 
Currículo de ciências da natureza e suas tecnologias
Currículo de ciências da natureza e suas tecnologiasCurrículo de ciências da natureza e suas tecnologias
Currículo de ciências da natureza e suas tecnologias
Ricardo Alex de Sousa
 
Currículo de ciências da natureza e suas tecnologias see.sp.final
Currículo de ciências da natureza e suas tecnologias see.sp.finalCurrículo de ciências da natureza e suas tecnologias see.sp.final
Currículo de ciências da natureza e suas tecnologias see.sp.final
telasnorte1
 

Destaque (15)

Currículo escolar
Currículo escolarCurrículo escolar
Currículo escolar
 
História das Idéias Pedagógicas no Brasil
História das Idéias Pedagógicas no BrasilHistória das Idéias Pedagógicas no Brasil
História das Idéias Pedagógicas no Brasil
 
HistóRia Das IdéIas PedagóGicas
HistóRia Das IdéIas PedagóGicasHistóRia Das IdéIas PedagóGicas
HistóRia Das IdéIas PedagóGicas
 
Dermeval saviani historia das ideias pedagogicas no brasil [2ª ed]
Dermeval saviani   historia das ideias pedagogicas no brasil [2ª ed]Dermeval saviani   historia das ideias pedagogicas no brasil [2ª ed]
Dermeval saviani historia das ideias pedagogicas no brasil [2ª ed]
 
Autoavaliação
AutoavaliaçãoAutoavaliação
Autoavaliação
 
O curriculo adaptado e ou flexibilizado
O curriculo adaptado e ou flexibilizadoO curriculo adaptado e ou flexibilizado
O curriculo adaptado e ou flexibilizado
 
Compreender e Transformar o Ensino
Compreender e Transformar o EnsinoCompreender e Transformar o Ensino
Compreender e Transformar o Ensino
 
20 sacristan compreender e transformar o ensino
20 sacristan compreender e transformar o ensino20 sacristan compreender e transformar o ensino
20 sacristan compreender e transformar o ensino
 
Compreender e transformar o ensino
Compreender e transformar o ensinoCompreender e transformar o ensino
Compreender e transformar o ensino
 
O que é currículo
O que é currículoO que é currículo
O que é currículo
 
Acercamiento a las redes sociales. Descripción y uso
Acercamiento a las redes sociales. Descripción y usoAcercamiento a las redes sociales. Descripción y uso
Acercamiento a las redes sociales. Descripción y uso
 
Currículo Oficial e o Ensino das Ciências
Currículo Oficial e o Ensino das CiênciasCurrículo Oficial e o Ensino das Ciências
Currículo Oficial e o Ensino das Ciências
 
Felicio possani
Felicio possaniFelicio possani
Felicio possani
 
Currículo de ciências da natureza e suas tecnologias
Currículo de ciências da natureza e suas tecnologiasCurrículo de ciências da natureza e suas tecnologias
Currículo de ciências da natureza e suas tecnologias
 
Currículo de ciências da natureza e suas tecnologias see.sp.final
Currículo de ciências da natureza e suas tecnologias see.sp.finalCurrículo de ciências da natureza e suas tecnologias see.sp.final
Currículo de ciências da natureza e suas tecnologias see.sp.final
 

Semelhante a Apresentacao curriculo 12_maio_2011

vdocuments.mx_o-curriculo-uma-reflexao-sobre-a-pratica-j-gimeno-sacristan.ppt
vdocuments.mx_o-curriculo-uma-reflexao-sobre-a-pratica-j-gimeno-sacristan.pptvdocuments.mx_o-curriculo-uma-reflexao-sobre-a-pratica-j-gimeno-sacristan.ppt
vdocuments.mx_o-curriculo-uma-reflexao-sobre-a-pratica-j-gimeno-sacristan.ppt
alexon5
 
AULA 1 O ENSINO DE CIÊNCIAS NO BRASIL.pptx
AULA 1 O ENSINO DE CIÊNCIAS NO BRASIL.pptxAULA 1 O ENSINO DE CIÊNCIAS NO BRASIL.pptx
AULA 1 O ENSINO DE CIÊNCIAS NO BRASIL.pptx
JOAOFILIPERODRIGUES1
 
Diretrizes curriculares versao_preliminar_parte_1
Diretrizes curriculares versao_preliminar_parte_1Diretrizes curriculares versao_preliminar_parte_1
Diretrizes curriculares versao_preliminar_parte_1
Patricia Fcm
 
Diretrizes curriculares versao_preliminar_parte_1
Diretrizes curriculares versao_preliminar_parte_1Diretrizes curriculares versao_preliminar_parte_1
Diretrizes curriculares versao_preliminar_parte_1
Patricia Fcm
 
O dilema da Interdisciplinaridade : Algumas questões para quem forma professo...
O dilema da Interdisciplinaridade : Algumas questões para quem forma professo...O dilema da Interdisciplinaridade : Algumas questões para quem forma professo...
O dilema da Interdisciplinaridade : Algumas questões para quem forma professo...
Seminário Latino-Americano SLIEC
 
A pesquisa e_a_producao_de_conhecimentos
A pesquisa e_a_producao_de_conhecimentosA pesquisa e_a_producao_de_conhecimentos
A pesquisa e_a_producao_de_conhecimentos
Mayam Andrade
 

Semelhante a Apresentacao curriculo 12_maio_2011 (20)

vdocuments.mx_o-curriculo-uma-reflexao-sobre-a-pratica-j-gimeno-sacristan.ppt
vdocuments.mx_o-curriculo-uma-reflexao-sobre-a-pratica-j-gimeno-sacristan.pptvdocuments.mx_o-curriculo-uma-reflexao-sobre-a-pratica-j-gimeno-sacristan.ppt
vdocuments.mx_o-curriculo-uma-reflexao-sobre-a-pratica-j-gimeno-sacristan.ppt
 
AULA 1 O ENSINO DE CIÊNCIAS NO BRASIL.pptx
AULA 1 O ENSINO DE CIÊNCIAS NO BRASIL.pptxAULA 1 O ENSINO DE CIÊNCIAS NO BRASIL.pptx
AULA 1 O ENSINO DE CIÊNCIAS NO BRASIL.pptx
 
O CURRÍCULO ESCOLAR COMO ESPAÇO DE RECONHECIMENTO DE NOSSAS IDENTIDADES CULTU...
O CURRÍCULO ESCOLAR COMO ESPAÇO DE RECONHECIMENTO DE NOSSAS IDENTIDADES CULTU...O CURRÍCULO ESCOLAR COMO ESPAÇO DE RECONHECIMENTO DE NOSSAS IDENTIDADES CULTU...
O CURRÍCULO ESCOLAR COMO ESPAÇO DE RECONHECIMENTO DE NOSSAS IDENTIDADES CULTU...
 
Formacao humanas bncc
Formacao humanas   bnccFormacao humanas   bncc
Formacao humanas bncc
 
Pedagogia da Alternância e seus referenciais teróricos.pptx
Pedagogia da Alternância e seus referenciais teróricos.pptxPedagogia da Alternância e seus referenciais teróricos.pptx
Pedagogia da Alternância e seus referenciais teróricos.pptx
 
Currículo referência ciências da natureza 6º ao 9º ano
Currículo referência ciências da natureza 6º ao 9º anoCurrículo referência ciências da natureza 6º ao 9º ano
Currículo referência ciências da natureza 6º ao 9º ano
 
Aula Visões de ciências e sobre cientista entre estudantes do ensino médio
Aula Visões de ciências e sobre cientista entre estudantes do ensino médioAula Visões de ciências e sobre cientista entre estudantes do ensino médio
Aula Visões de ciências e sobre cientista entre estudantes do ensino médio
 
Diretrizes curriculares versao_preliminar_parte_1
Diretrizes curriculares versao_preliminar_parte_1Diretrizes curriculares versao_preliminar_parte_1
Diretrizes curriculares versao_preliminar_parte_1
 
Diretrizes curriculares versao_preliminar_parte_1
Diretrizes curriculares versao_preliminar_parte_1Diretrizes curriculares versao_preliminar_parte_1
Diretrizes curriculares versao_preliminar_parte_1
 
PNAIC 2015 - Currículo na perspectiva da inclusão e da diversidade
PNAIC 2015 - Currículo na perspectiva da inclusão e da diversidadePNAIC 2015 - Currículo na perspectiva da inclusão e da diversidade
PNAIC 2015 - Currículo na perspectiva da inclusão e da diversidade
 
Planejamento educacional
Planejamento educacionalPlanejamento educacional
Planejamento educacional
 
Slide TURMA DA BARRA.pptx apresetação carlos
Slide TURMA DA BARRA.pptx apresetação  carlosSlide TURMA DA BARRA.pptx apresetação  carlos
Slide TURMA DA BARRA.pptx apresetação carlos
 
Semana ed. 2010
Semana ed. 2010Semana ed. 2010
Semana ed. 2010
 
Multicultuiralismo
MulticultuiralismoMulticultuiralismo
Multicultuiralismo
 
Cultura organizacional da escola .[6]
Cultura organizacional da escola .[6]Cultura organizacional da escola .[6]
Cultura organizacional da escola .[6]
 
Apresentacao humanas
Apresentacao humanasApresentacao humanas
Apresentacao humanas
 
O dilema da Interdisciplinaridade : Algumas questões para quem forma professo...
O dilema da Interdisciplinaridade : Algumas questões para quem forma professo...O dilema da Interdisciplinaridade : Algumas questões para quem forma professo...
O dilema da Interdisciplinaridade : Algumas questões para quem forma professo...
 
Ecopedagogia
EcopedagogiaEcopedagogia
Ecopedagogia
 
Pcn Ensino Mdio
Pcn Ensino MdioPcn Ensino Mdio
Pcn Ensino Mdio
 
A pesquisa e_a_producao_de_conhecimentos
A pesquisa e_a_producao_de_conhecimentosA pesquisa e_a_producao_de_conhecimentos
A pesquisa e_a_producao_de_conhecimentos
 

Mais de Mari_Saracchini (17)

Cartão Natal
Cartão NatalCartão Natal
Cartão Natal
 
Avaliação da aprendizagem em processo (aap) julho 2013
Avaliação da aprendizagem em processo  (aap) julho 2013Avaliação da aprendizagem em processo  (aap) julho 2013
Avaliação da aprendizagem em processo (aap) julho 2013
 
Ot pc replanejamento
Ot pc replanejamentoOt pc replanejamento
Ot pc replanejamento
 
Replanejamento 2013.ppt [salvo automaticamente]
Replanejamento  2013.ppt [salvo automaticamente]Replanejamento  2013.ppt [salvo automaticamente]
Replanejamento 2013.ppt [salvo automaticamente]
 
Resultados avaliação da aprendizagem em processo
Resultados avaliação da aprendizagem em processoResultados avaliação da aprendizagem em processo
Resultados avaliação da aprendizagem em processo
 
Apresentação sa artes visuais
Apresentação sa   artes visuaisApresentação sa   artes visuais
Apresentação sa artes visuais
 
Minha apresentação 2
Minha apresentação 2Minha apresentação 2
Minha apresentação 2
 
Ler escrever
Ler escreverLer escrever
Ler escrever
 
Moodle -curso cb inicial[1]
Moodle  -curso cb inicial[1]Moodle  -curso cb inicial[1]
Moodle -curso cb inicial[1]
 
Saresp 2011
Saresp 2011Saresp 2011
Saresp 2011
 
História da educação no brasil
História da educação no brasilHistória da educação no brasil
História da educação no brasil
 
Figuras para linha do tempo reduzidas
Figuras para linha do tempo   reduzidasFiguras para linha do tempo   reduzidas
Figuras para linha do tempo reduzidas
 
Experiências bem sucedidas em gestão pedagógica
Experiências bem sucedidas em gestão pedagógicaExperiências bem sucedidas em gestão pedagógica
Experiências bem sucedidas em gestão pedagógica
 
Lugares de aprender
Lugares de aprenderLugares de aprender
Lugares de aprender
 
Cinema vai à escola
Cinema vai à escolaCinema vai à escola
Cinema vai à escola
 
Competências e habilidades
Competências e habilidadesCompetências e habilidades
Competências e habilidades
 
Cronograma midias
Cronograma midiasCronograma midias
Cronograma midias
 

Último

Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Eró Cunha
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
azulassessoria9
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
aulasgege
 

Último (20)

Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
 
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da provaESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
 
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptxSlides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
 
12_mch9_nervoso.pptx...........................
12_mch9_nervoso.pptx...........................12_mch9_nervoso.pptx...........................
12_mch9_nervoso.pptx...........................
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 
Questões sobre o Mito da Caverna de Platão
Questões sobre o Mito da Caverna de PlatãoQuestões sobre o Mito da Caverna de Platão
Questões sobre o Mito da Caverna de Platão
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
 
Novena de Pentecostes com textos de São João Eudes
Novena de Pentecostes com textos de São João EudesNovena de Pentecostes com textos de São João Eudes
Novena de Pentecostes com textos de São João Eudes
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
 
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da CapivaraPré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
 
Teatro como estrategias de ensino secundario
Teatro como estrategias de ensino secundarioTeatro como estrategias de ensino secundario
Teatro como estrategias de ensino secundario
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
 
INTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOS
INTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOSINTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOS
INTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOS
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 

Apresentacao curriculo 12_maio_2011

  • 1. CURRÍCULO: CONCEITOS Referência: SACRISTÁN. J. GIMENO O CURRICULO: UMA REFLEXÃO SOBRE A PRÁTICA, 2000
  • 2. Grundy (1987) “O currículo não é um conceito, mas uma construção cultural. Isto é, não se trata de um conceito abstrato que tenha algum tipo de existência fora e previamente à experiência humana. É, antes, um modo de organizar uma série de práticas educativas”(Apud Sacristán: 2000, p.5). Heubner (citado por McNeil, 1983) “ O currículo é a forma de ter acesso ao conhecimento, não podendo esgotar seu significado em algo estático, mas através das condições em que se realiza e se converte numa forma particular de entrar em contato com a cultura” (Apud Sacristán: 2000, p.15). Lundgren (1981, p.40) “ O currículo é o que tem atrás toda educação transformando suas metas básicas em estratégias de ensino. tratá-lo como algo dado ou uma realidade objetiva e não como um processo no qual podemos realizar cortes transversais e ver como está configurado num dado momento não seria mais que legitimar de antemão a opção estabelecida nos currículos vigentes, fixando-a como indiscutível. O relativismo e a provisionalidade histórica devem ser uma perspectiva nestas afirmações”.(Apud Sacristán: 2000 p.16).
  • 3. Young, 1980, p.25 “ O currículo é o mecanismo através do qual o conhecimento é distribuído socialmente. Com isso, a natureza do saber distribuído pela escola se situa como um dos problemas centrais a ser colocado e discutido”(Apud Sacristán: 2000, p.19). Whitty, 1985, p.8 “ O currículo passa a ser considerado como uma invenção social que reflete escolhas sociais conscientes e inconscientes, que concordam com os valores e as crenças dos grupos dominantes na sociedade” (Apud Sacristán: 2000, p.19). Bernstein, 1980, p.47) “ O currículo define o que se considera o conhecimento válido, as formas pedagógicas, o que se pondera como a transmissão válido do mesmo, e a avaliação define o que se considera como realização válida do conhecimento” (Apud Sacristán: 2000, p.19). Tyler, 1981, p.18 “O currículo é composto pelas experiências de aprendizagem planejadas e dirigidas pela escola para conseguir os objetivos educativos”(Apud Sacristán:2000, p.19).
  • 4. Johnson (1967) “ O currículo é um conjunto de objetivos estruturados que se quer alcançar. Supõe propor a dinâmica meios-fins como esquema racionalizador da prática” (Apud Sacristán: 2000, p.5).
  • 5. Stenhouse(1984) “ Currículo como campo de estudo e de prática que se interessa pela inter-relação de dois grandes campos de significados, dados separadamente como conceitos diferenciados de currículo: as intenções para a escola e a realidade da mesma; teoria ou idéias para a prática e condições de realidade de prática”. “ Por um lado o currículo é considerado como uma intenção, um plano ou uma prescrição, uma idéia acerca do que desejaríamos que acontecesse nas escolas. Por outro lado, é conceituado como o estado das coisas existentes nelas, o que de fato sucede na s mesmas”(Apud Sacristán, p.27). “ Um currículo é uma tentativa para comunicar os princípios e traços essenciais de um propósito educativo, de tal forma que permaneça aberto à discussão crítica e possa ser transferido efetivamente para a prática”(Apud Sacristán, p.29).
  • 6. ORGANIZAÇÃO DO CURRÍCULO DO ESTADO DE SÃO PAULO: ÁREAS DO CONHECIMENTO ESTA ORGANIZAÇÃO É INDICATIVA DE UMA CONCEPÇÃO DE CONHECIMENTO LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS CIÊNCIAS DA NATUREZA E SUAS TECNOLOGIAS MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS
  • 7. COMPOSIÇÃO DAS ÁREAS DO CONHECIMENTO: COMPONENTES CURRICULARES LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS Língua Portuguesa Língua Estrangeira, Arte e Ed. Física CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS História, Geografia, Filosofia e Sociologia CIÊNCIAS DA NATUREZA E SUAS TECNOLOGIAS Ciências, Biologia, Química e Física MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS
  • 8. MATRIZES DE COMPETÊNCIAS Linguagens, Códigos e suas Tecnologias Ciências da Natureza e suas Tecnologias, Ciências Humanas e suas Tecnologias Representação e Comunicação X Investigação e Compreensão X Contextualização Sócio-Cultural X
  • 9.  
  • 10.  
  • 11.  
  • 12.  
  • 13.  
  • 14.
  • 15. INTERDISCIPLINARIDADE : DIÁLOGO ENTRE OS SERES E OS COMPONENTES CURRICULARES
  • 16. CRENÇA: SALTO DE QUALIDADE