SlideShare uma empresa Scribd logo
Company LOGO
GESTÃO ESCOLAR: ENFRENTANDO
OS DESAFIOS COTIDIANOS EM
ESCOLAS PÚBLICAS
Professor Ulisses Vakirtzis
Maria Lília Imbiriba Sousa Colares
Juracy Machado Pacífico
George Queiroga Estrela
É preciso compreender que a gestão escolar
traz consigo o aspecto pedagógico e, sendo
assim, o gestor/gestora ou diretor/diretora é
antes de tudo um/uma educador/a e a gestão
pedagógica um espaço legítimo de
aprendizagem democrática. Por isso a gestão
escolar precisa ser entendida no âmbito da
sociedade política comprometida com a
própria transformação social.
Gestão Escolar Transformadora
Gestão Escolar e corresponsabilidades
Para a realização do caráter pedagógico da
gestão escolar será preciso não apenas a
partilha do poder com o coletivo escolar,
mas também a corresponsabilização da
gestão da escola e,
corresponsabilização é diferente de
responsabilização apenas de alguns sujeitos
do processo educacional.
Projeto Político Pedagógico
O Projeto Político Pedagógico é um
instrumento fundamental para a
realização efetiva da educação como
direito social, o que implica
qualidade, democracia, autonomia e
participação.
Consciência do Inacabamento
Educar, e ser professor/a,
coordenador/a, gestor ou gestora,
enfim, nas palavras de Freire
(1997), é ter a consciência do
inacabamento e, portanto, ter
apenas uma certeza: a de que
podemos fazer melhor, em outro
tempo, aquilo que acreditamos ter
sido a versão mais acabada e
melhor delineada de um processo.
Planejamento escolar
O processo educativo exige um
planejamento bem elaborado para nortear
as ações, o planejamento global da escola,
envolvendo o processo de reflexão, de
decisões sobre a organização, o
funcionamento e a proposta pedagógica
da instituição.
É um processo de racionalização,
organização e coordenação da ação
docente, articulando a atividade escolar e
a problemática do contexto social.
(LIBÂNEO)
Deve garantir que haja coerência entre as suas diversas
etapas na busca dos objetivos definidos, estabelecendo
vínculo entre atividade escolar e os problemas que
envolvem o contexto social. A harmonia entre as suas
funções é que garantirá a sua execução.
Além disso, deve conter na sua estrutura, instrumentos
que possibilitem ações coordenadas, objetividade e
também que seja flexível, considerando as avaliações e
realinhamentos que possam se fazer dentro do horizonte
temporal previsto.
Planejamento escolar
LDB e PPP
Artigo 12 – Os estabelecimentos de ensino, respeitadas as normas comuns e as do
seu sistema de ensino, terão a incumbência de:
I - elaborar e executar sua proposta pedagógica;
II - administrar seu pessoal e seus recursos materiais e financeiros;
Artigo 13 – Os docentes incumbir-se-ão de:
I - participar da elaboração da proposta pedagógica do estabelecimento de ensino;
II - elaborar e cumprir plano de trabalho, segundo a proposta pedagógica do
estabelecimento de ensino;
Artigo 14 – Os sistemas de ensino definirão as normas da gestão democrática do
ensino público na educação básica, de acordo com as suas peculiaridades e
conforme os seguintes princípios:
I - participação dos profissionais da educação na elaboração do projeto pedagógico
da escola;
II – participação das comunidades escolar e local em conselhos escolares ou
equivalentes.
Art. 67. Os sistemas de ensino promoverão a
valorização dos profissionais da educação,
assegurando-lhes, inclusive nos termos dos
estatutos e dos planos de carreira do magistério
público:
V – período reservado a estudos, planejamento e
avaliação, incluído na carga de trabalho. (LDBEN
9.394/96)
LDB e PPP
Participação da Família na Escola
O que a escola espera da família é uma
participação efetiva na vida escolar dos filhos e
o apoio às ações da escola, manifestados
através de críticas e sugestões para a melhoria
do nosso trabalho, da atenção às necessidades
do filho que muitas vezes não está na simples
ajuda nas atividades, mas no
diálogo aberto e nas manifestações afetivas.
A escola, todavia, precisa incluir em sua
rotina essa presença da família e colocá-la a
par do regimento escolar, do Plano de
Desenvolvimento da Escola, do Projeto
Político-Pedagógico e do colegiado e
incentivar sua participação.
Participação da Família na Escola
CF-88 e participação da família
No artigo 227, do capítulo VII, da Constituição Federal
afirma o seguinte:
“É dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à
criança e ao adolescente, com absoluta prioridade, o
direito à vida, saúde, alimentação, educação, ao lazer,
profissionalização, cultura, à dignidade, ao respeito, à
liberdade e a convivência familiar e comunitária, além de
colocá-los a salvo de toda forma de negligência,
discriminação, exploração, violência, crueldade e
opressão.”
ECA e participação da família
No parágrafo único, do Capítulo IV, do Estatuto
da Criança e do Adolescente (BRASIL, 1990),
diz:
“é direito dos pais ou responsável ter ciência do
processo pedagógico, bem como participar da
definição das propostas educacionais”.
Para que haja uma transformação na
realidade escolar, mudanças deverão
ocorrer no processo educacional, a
começar pela postura dos gestores, os
quais devem criar mecanismos que
possibilitem a vinda dos pais para dentro
da escola, favorecendo a sua participação
efetiva nas decisões das ações da escola:
“São boas as escolas que estão em
sintonia com a comunidade”.
(WERNECK)
Participação da Família na Escola
“Tudo o que a gente puder fazer no
sentido de convocar os que vivem
em torno da escola, e dentro da
escola, no sentido de participarem,
de tomarem um pouco o destino da
escola na mão, também. Tudo o que
a gente puder fazer nesse sentido é
pouco ainda, considerando o
trabalho imenso que se põe diante
de nós que é o de assumir esse país
democraticamente.”
Participação da Família na Escola
“Uma ligação estreita e continuada entre os
professores e os pais leva pois a muita
coisa mais que a informação mútua: este
intercâmbio acaba resultando em ajuda
recíproca e, frequentemente, em
aperfeiçoamento real dos métodos. Ao
aproximar a escola da vida ou das
preocupações profissionais dos pais, e ao
proporcionar, reciprocamente, aos pais um
interesse pelas coisas da escola, chega-se
até mesmo a uma divisão de
responsabilidade.” (Piaget)
Participação da Família na Escola
Conselho de Escola
Um de nossos desafios será a proposta do
Conselho Escolar, uma instância de interação
escola/comunidade da gestão democrática,
mesmo sabendo que este não elimina a tensão
entre escola e comunidade. Porém, ele se
constitui, sem dúvida, também numa escola para
os pais; ele oferece a possibilidade de uma
aprendizagem de mão-dupla: a escola estendendo
sua função pedagógica para a sociedade e a
sociedade influenciando os destinos da escola.
Desenvolvimento Integral do Aluno
A aprendizagem na escola deve ser integral buscando a
▪ construção da autonomia intelectual do aluno,
▪ desenvolvendo o raciocínio e a
▪ capacidade de tomada de decisões
A aprendizagem tem por objetivo efetivar mudanças que
possibilitem ao aluno uma melhor compreensão do
mundo, propiciando-lhe instrumentos para criticar a
mudança social e contribuir para ela, reafirmando e
renovando as metas de inclusão, de respeito às diferenças
e de solidariedade
Currículo e os Pilares do Conhecimento
O currículo refere-se à organização do
conhecimento escolar. Pensar o currículo na
elaboração do Projeto Político Pedagógico é
pensar o tipo de organização que a escola deseja
adotar.
Construir juntos novos conhecimentos,
alcançando o que Delors define como
“aprendizagens fundamentais que ao longo de
toda a vida, serão de algum modo para cada
individuo, os pilares do conhecimento: aprender a
conhecer, aprender a fazer, a prender a conviver
e aprender a ser”.
Projeto Político Pedagógico
A construção e implementação do PPP na escola
deve ser compreendido por todos como um
processo significativo e fundamental na escola, pois
se configura num referencial de conquista da
autonomia, no qual todos juntos possam conhecer
melhor sua própria escola e também participar em
todos os momentos na busca de uma educação de
qualidade para todos que fazem parte da
comunidade escolar.
Princípios do PPP
A construção do PPP parte dos princípios de
▪ igualdade,
▪ qualidade,
▪ liberdade,
▪ gestão democrática;
▪ valorização dos profissionais da educação
sendo assim, conforme esses princípios, faz-se necessário
compreender e analisar a organização do trabalho
pedagógico.
Cada escola é única em sua realidade e nas relações que
os segmentos estabelecem entre si.
Os movimentos de construção do projeto –
diagnóstico de sua situação atual, discussão das
concepções e planejamento de suas ações bem como sua
execução precisam ser discutidas no coletivo com a
participação da comunidade escolar que conhece sua
cultura, seus problemas, suas perspectivas, suas
necessidades, asseguram que a gestão democrática
aconteça de fato em qualquer instituição escolar que se
diz democrática.
Projeto Político Pedagógico
PPP e Equidade
Estimular a escola na construção coletiva de um projeto
educacional de inclusão social na perspectiva da diversidade
cultural é uma forma de dinamizar a proposta pedagógica
para que a tarefa de ensinar possa se atrelar à complexidade
da realidade em que os educandos estão inseridos.
Problematizar relação ser/estar no mundo.
PPP e a indisciplina
Para Paulo Freire, um projeto de escola que busque a
formação da cidadania precisa ter como objetivos:
• tratar todos os indivíduos com dignidade, com
respeito à divergência, valorizando o que cada um
tem de bom;
• fazer com que a escola se torne mais atualizada para
que os alunos gostem dela;
• garantir espaço para a construção de conhecimentos
científicos significativos, que contribuam para uma
análise crítica da realidade.
TIC na Gestão Escolar
Consideramos que as tecnologias de Informação e
Comunicação precisam primeiramente ser assimiladas
ao processo de formação profissional para que seja
incorporada concretamente no cotidiano, seja na função
docente ou gestora na escola pública. Em outras
palavras, o/a professor/a, o/a gestor/a, precisa atribuir
valor à tecnologia pelo seu potencial na facilitação de
sua própria aprendizagem a fim de que possa
compreender como elas serão úteis na facilitação da
aprendizagem de alunos/as e na comunicação direta
com a comunidade escolar.
Gestão e Avaliação da Aprendizagem
A LDB n.9.394/96, em seu artigo 24, Inciso V,
alínea a, determina que avaliação seja:
“contínua e cumulativa do desempenho do aluno
com prevalência dos aspectos qualitativos sobre
os quantitativos e dos resultados ao longo do
período sobre os de eventuais provas finais”.
Company
Logo
Avaliação Mediadora
Para Hoffmann , a avaliação mediadora possui
três características básicas a fim de vir a ser
este instrumento de superação das dificuldades
dos alunos:
1. extensão no tempo com a observação das
diversas situações de aprendizagem;
2. intensificação no tempo e no próprio espaço
da sala de aula como forma de proporcionar
maior atenção aos que assim o requeiram;
3. articulação dos procedimentos pedagógicos
proporcionando ao professor o replanejamento
da ação docente diante das necessidades de
cada aluno e do grupo
Avaliação Mediadora e Gestão Escolar
A avaliação da aprendizagem não é, pois, um
processo isolado que se faz no interior da
sala de aula e que só diz respeito a
professores e alunos, mas se integra no
projeto político pedagógico da escola, e se
vincula estreitamente ao processo de
avaliação institucional.
Concluindo...
Cabe, portanto, a necessária reflexão
diante das contradições inerentes entre o
discurso e a prática, entre
o pensar em fazer e o querer fazer.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sistema de Organização e Gestão escolar
Sistema de Organização e Gestão escolarSistema de Organização e Gestão escolar
Sistema de Organização e Gestão escolar
Sonia Garrido
 
Slides Sextas inclusivas- práticas pedagógicas
Slides Sextas inclusivas- práticas pedagógicasSlides Sextas inclusivas- práticas pedagógicas
Slides Sextas inclusivas- práticas pedagógicas
Marily Oliveira
 
Formação continuada de professores.
Formação continuada de professores.Formação continuada de professores.
Formação continuada de professores.
Magda Marques
 
Curriculo
CurriculoCurriculo
Gestão democrática
Gestão democráticaGestão democrática
Gestão democrática
appfoz
 
A atuação do pedagogo em espaços não escolares
A atuação do pedagogo em espaços não escolaresA atuação do pedagogo em espaços não escolares
A atuação do pedagogo em espaços não escolares
Elizangela Quintela Miranda Costa
 
inclusão escolar
inclusão escolarinclusão escolar
inclusão escolar
Ulisses Vakirtzis
 
Aula 2 e 3 FUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃO ESPECIAL E INCLUSIVA
Aula 2 e 3 FUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃO ESPECIAL E INCLUSIVAAula 2 e 3 FUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃO ESPECIAL E INCLUSIVA
Aula 2 e 3 FUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃO ESPECIAL E INCLUSIVA
Rute Pereira
 
Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.
Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.
Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.
Instituto Consciência GO
 
Organização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógicoOrganização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógico
Magda Marques
 
Slides planejamento escolar
Slides planejamento escolarSlides planejamento escolar
Slides planejamento escolar
Ananda Lima
 
O que é gestão escolar césar tavares
O que é gestão  escolar césar tavaresO que é gestão  escolar césar tavares
O que é gestão escolar césar tavares
CÉSAR TAVARES
 
Legislação Educacional Brasileira
Legislação Educacional BrasileiraLegislação Educacional Brasileira
Legislação Educacional Brasileira
Messias Mota Vieira
 
Projeto politico pedagogico PPP
Projeto politico pedagogico PPPProjeto politico pedagogico PPP
Projeto politico pedagogico PPP
Profissão Professor
 
Planejamento Educacional
Planejamento EducacionalPlanejamento Educacional
Planejamento Educacional
Simone Lucas
 
Formação continuada de professores
Formação continuada de professoresFormação continuada de professores
Formação continuada de professores
ditadoida
 
EDUCAÇÃO INFANTIL
EDUCAÇÃO INFANTILEDUCAÇÃO INFANTIL
EDUCAÇÃO INFANTIL
Roshelly Milanez
 
Construção da proposta pedagógica da escola
Construção da proposta pedagógica da escolaConstrução da proposta pedagógica da escola
Construção da proposta pedagógica da escola
Marcelo Assis
 
PPT encontro com Professores Coordenadores
PPT encontro com Professores CoordenadoresPPT encontro com Professores Coordenadores
PPT encontro com Professores Coordenadores
Giani de Cássia Santana
 
Gestão de sala de aula 2
Gestão de sala de aula 2Gestão de sala de aula 2
Gestão de sala de aula 2
suelyaparecida
 

Mais procurados (20)

Sistema de Organização e Gestão escolar
Sistema de Organização e Gestão escolarSistema de Organização e Gestão escolar
Sistema de Organização e Gestão escolar
 
Slides Sextas inclusivas- práticas pedagógicas
Slides Sextas inclusivas- práticas pedagógicasSlides Sextas inclusivas- práticas pedagógicas
Slides Sextas inclusivas- práticas pedagógicas
 
Formação continuada de professores.
Formação continuada de professores.Formação continuada de professores.
Formação continuada de professores.
 
Curriculo
CurriculoCurriculo
Curriculo
 
Gestão democrática
Gestão democráticaGestão democrática
Gestão democrática
 
A atuação do pedagogo em espaços não escolares
A atuação do pedagogo em espaços não escolaresA atuação do pedagogo em espaços não escolares
A atuação do pedagogo em espaços não escolares
 
inclusão escolar
inclusão escolarinclusão escolar
inclusão escolar
 
Aula 2 e 3 FUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃO ESPECIAL E INCLUSIVA
Aula 2 e 3 FUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃO ESPECIAL E INCLUSIVAAula 2 e 3 FUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃO ESPECIAL E INCLUSIVA
Aula 2 e 3 FUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃO ESPECIAL E INCLUSIVA
 
Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.
Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.
Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.
 
Organização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógicoOrganização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógico
 
Slides planejamento escolar
Slides planejamento escolarSlides planejamento escolar
Slides planejamento escolar
 
O que é gestão escolar césar tavares
O que é gestão  escolar césar tavaresO que é gestão  escolar césar tavares
O que é gestão escolar césar tavares
 
Legislação Educacional Brasileira
Legislação Educacional BrasileiraLegislação Educacional Brasileira
Legislação Educacional Brasileira
 
Projeto politico pedagogico PPP
Projeto politico pedagogico PPPProjeto politico pedagogico PPP
Projeto politico pedagogico PPP
 
Planejamento Educacional
Planejamento EducacionalPlanejamento Educacional
Planejamento Educacional
 
Formação continuada de professores
Formação continuada de professoresFormação continuada de professores
Formação continuada de professores
 
EDUCAÇÃO INFANTIL
EDUCAÇÃO INFANTILEDUCAÇÃO INFANTIL
EDUCAÇÃO INFANTIL
 
Construção da proposta pedagógica da escola
Construção da proposta pedagógica da escolaConstrução da proposta pedagógica da escola
Construção da proposta pedagógica da escola
 
PPT encontro com Professores Coordenadores
PPT encontro com Professores CoordenadoresPPT encontro com Professores Coordenadores
PPT encontro com Professores Coordenadores
 
Gestão de sala de aula 2
Gestão de sala de aula 2Gestão de sala de aula 2
Gestão de sala de aula 2
 

Semelhante a Gestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianos

Projeto politico pedagógico
Projeto politico pedagógicoProjeto politico pedagógico
Projeto politico pedagógico
Heles Souza
 
Cap 3 gestao_democratica
Cap 3 gestao_democraticaCap 3 gestao_democratica
Cap 3 gestao_democratica
Marjorie Klich Nunes
 
Gestão democrática na escola pública
Gestão democrática na escola públicaGestão democrática na escola pública
Gestão democrática na escola pública
Ulisses Vakirtzis
 
1143 texto do artigo-2393-1-10-20191105
1143 texto do artigo-2393-1-10-201911051143 texto do artigo-2393-1-10-20191105
1143 texto do artigo-2393-1-10-20191105
AlanWillianLeonioSil
 
programa mais educação sp
programa mais educação spprograma mais educação sp
programa mais educação sp
Ulisses Vakirtzis
 
Atividade modulo ii respostas
Atividade modulo ii   respostasAtividade modulo ii   respostas
Atividade modulo ii respostas
André Alencar
 
Atividade modulo ii respostas
Atividade modulo ii   respostasAtividade modulo ii   respostas
Atividade modulo ii respostas
André Alencar
 
Gestão democrática participativa
Gestão democrática participativaGestão democrática participativa
Gestão democrática participativa
UERN
 
GESTÃO ESCOLAR DEMOCRÁTICA, UM COMPROMISSO COM A ESCOLA PÚBLICA
GESTÃO ESCOLAR DEMOCRÁTICA, UM COMPROMISSO COM A ESCOLA PÚBLICAGESTÃO ESCOLAR DEMOCRÁTICA, UM COMPROMISSO COM A ESCOLA PÚBLICA
GESTÃO ESCOLAR DEMOCRÁTICA, UM COMPROMISSO COM A ESCOLA PÚBLICA
lissandra pereira
 
A Escola na Perspectiva da Educação Inclusiva construção do projeto pedagógic...
A Escola na Perspectiva da Educação Inclusiva construção do projeto pedagógic...A Escola na Perspectiva da Educação Inclusiva construção do projeto pedagógic...
A Escola na Perspectiva da Educação Inclusiva construção do projeto pedagógic...
Instituto Consciência GO
 
Projeto de pesquisa, para comclusão do curso de pós graduação em gestão escolar
Projeto de pesquisa, para comclusão do curso de pós graduação em gestão escolarProjeto de pesquisa, para comclusão do curso de pós graduação em gestão escolar
Projeto de pesquisa, para comclusão do curso de pós graduação em gestão escolar
stones De moura
 
Integração caderno 5 pacto e o rem
Integração caderno 5 pacto e o remIntegração caderno 5 pacto e o rem
Integração caderno 5 pacto e o rem
pactoensinomedioufu
 
Ensaio aline modulo v
Ensaio aline modulo vEnsaio aline modulo v
Ensaio aline modulo v
Vania Mendes
 
Projeto de Intervenção
Projeto de Intervenção Projeto de Intervenção
Projeto de Intervenção
Superestagio
 
Ilma veiga - PPP VILLAS BOAS.pptx
Ilma veiga - PPP VILLAS BOAS.pptxIlma veiga - PPP VILLAS BOAS.pptx
Ilma veiga - PPP VILLAS BOAS.pptx
VivianeVasconcelos19
 
Educação integral otp
Educação integral   otpEducação integral   otp
Educação integral otp
Jorci Ponce
 
Plano de acao_escola_mundo_de_alice
Plano de acao_escola_mundo_de_alicePlano de acao_escola_mundo_de_alice
Plano de acao_escola_mundo_de_alice
Jesica Hencke
 
Plano de acao_escola_mundo_de_alice
Plano de acao_escola_mundo_de_alicePlano de acao_escola_mundo_de_alice
Plano de acao_escola_mundo_de_alice
Jesica Hencke
 
Ação supervisora: tendências e práticas
Ação supervisora: tendências e práticasAção supervisora: tendências e práticas
Ação supervisora: tendências e práticas
Ulisses Vakirtzis
 
EDUCAÇÃO ESPECIAL: A INCLUSÃO SÓCIO – EDUCATIVA NO ENSINO REGULAR Monalisa A...
EDUCAÇÃO ESPECIAL:  A INCLUSÃO SÓCIO – EDUCATIVA NO ENSINO REGULAR Monalisa A...EDUCAÇÃO ESPECIAL:  A INCLUSÃO SÓCIO – EDUCATIVA NO ENSINO REGULAR Monalisa A...
EDUCAÇÃO ESPECIAL: A INCLUSÃO SÓCIO – EDUCATIVA NO ENSINO REGULAR Monalisa A...
christianceapcursos
 

Semelhante a Gestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianos (20)

Projeto politico pedagógico
Projeto politico pedagógicoProjeto politico pedagógico
Projeto politico pedagógico
 
Cap 3 gestao_democratica
Cap 3 gestao_democraticaCap 3 gestao_democratica
Cap 3 gestao_democratica
 
Gestão democrática na escola pública
Gestão democrática na escola públicaGestão democrática na escola pública
Gestão democrática na escola pública
 
1143 texto do artigo-2393-1-10-20191105
1143 texto do artigo-2393-1-10-201911051143 texto do artigo-2393-1-10-20191105
1143 texto do artigo-2393-1-10-20191105
 
programa mais educação sp
programa mais educação spprograma mais educação sp
programa mais educação sp
 
Atividade modulo ii respostas
Atividade modulo ii   respostasAtividade modulo ii   respostas
Atividade modulo ii respostas
 
Atividade modulo ii respostas
Atividade modulo ii   respostasAtividade modulo ii   respostas
Atividade modulo ii respostas
 
Gestão democrática participativa
Gestão democrática participativaGestão democrática participativa
Gestão democrática participativa
 
GESTÃO ESCOLAR DEMOCRÁTICA, UM COMPROMISSO COM A ESCOLA PÚBLICA
GESTÃO ESCOLAR DEMOCRÁTICA, UM COMPROMISSO COM A ESCOLA PÚBLICAGESTÃO ESCOLAR DEMOCRÁTICA, UM COMPROMISSO COM A ESCOLA PÚBLICA
GESTÃO ESCOLAR DEMOCRÁTICA, UM COMPROMISSO COM A ESCOLA PÚBLICA
 
A Escola na Perspectiva da Educação Inclusiva construção do projeto pedagógic...
A Escola na Perspectiva da Educação Inclusiva construção do projeto pedagógic...A Escola na Perspectiva da Educação Inclusiva construção do projeto pedagógic...
A Escola na Perspectiva da Educação Inclusiva construção do projeto pedagógic...
 
Projeto de pesquisa, para comclusão do curso de pós graduação em gestão escolar
Projeto de pesquisa, para comclusão do curso de pós graduação em gestão escolarProjeto de pesquisa, para comclusão do curso de pós graduação em gestão escolar
Projeto de pesquisa, para comclusão do curso de pós graduação em gestão escolar
 
Integração caderno 5 pacto e o rem
Integração caderno 5 pacto e o remIntegração caderno 5 pacto e o rem
Integração caderno 5 pacto e o rem
 
Ensaio aline modulo v
Ensaio aline modulo vEnsaio aline modulo v
Ensaio aline modulo v
 
Projeto de Intervenção
Projeto de Intervenção Projeto de Intervenção
Projeto de Intervenção
 
Ilma veiga - PPP VILLAS BOAS.pptx
Ilma veiga - PPP VILLAS BOAS.pptxIlma veiga - PPP VILLAS BOAS.pptx
Ilma veiga - PPP VILLAS BOAS.pptx
 
Educação integral otp
Educação integral   otpEducação integral   otp
Educação integral otp
 
Plano de acao_escola_mundo_de_alice
Plano de acao_escola_mundo_de_alicePlano de acao_escola_mundo_de_alice
Plano de acao_escola_mundo_de_alice
 
Plano de acao_escola_mundo_de_alice
Plano de acao_escola_mundo_de_alicePlano de acao_escola_mundo_de_alice
Plano de acao_escola_mundo_de_alice
 
Ação supervisora: tendências e práticas
Ação supervisora: tendências e práticasAção supervisora: tendências e práticas
Ação supervisora: tendências e práticas
 
EDUCAÇÃO ESPECIAL: A INCLUSÃO SÓCIO – EDUCATIVA NO ENSINO REGULAR Monalisa A...
EDUCAÇÃO ESPECIAL:  A INCLUSÃO SÓCIO – EDUCATIVA NO ENSINO REGULAR Monalisa A...EDUCAÇÃO ESPECIAL:  A INCLUSÃO SÓCIO – EDUCATIVA NO ENSINO REGULAR Monalisa A...
EDUCAÇÃO ESPECIAL: A INCLUSÃO SÓCIO – EDUCATIVA NO ENSINO REGULAR Monalisa A...
 

Mais de Ulisses Vakirtzis

Orientacoes-para-atendimento-de-estudantes-transtorno-do-espectro-do-autismo.pdf
Orientacoes-para-atendimento-de-estudantes-transtorno-do-espectro-do-autismo.pdfOrientacoes-para-atendimento-de-estudantes-transtorno-do-espectro-do-autismo.pdf
Orientacoes-para-atendimento-de-estudantes-transtorno-do-espectro-do-autismo.pdf
Ulisses Vakirtzis
 
Guia de Publicação Editora Albatroz (1).pdf
Guia de Publicação Editora Albatroz (1).pdfGuia de Publicação Editora Albatroz (1).pdf
Guia de Publicação Editora Albatroz (1).pdf
Ulisses Vakirtzis
 
Como gerenciar o espaço físico da escola
Como gerenciar o espaço físico da escolaComo gerenciar o espaço físico da escola
Como gerenciar o espaço físico da escola
Ulisses Vakirtzis
 
Como gerenciar os recursos financeiros da escola
Como gerenciar os recursos financeiros da escolaComo gerenciar os recursos financeiros da escola
Como gerenciar os recursos financeiros da escola
Ulisses Vakirtzis
 
Como promover a construção ppp
Como promover a construção pppComo promover a construção ppp
Como promover a construção ppp
Ulisses Vakirtzis
 
6.proposta curricular
6.proposta curricular6.proposta curricular
6.proposta curricular
Ulisses Vakirtzis
 
4.avaliação da aprendizagem
4.avaliação da aprendizagem4.avaliação da aprendizagem
4.avaliação da aprendizagem
Ulisses Vakirtzis
 
3.teorias do desenvolvimento adolescência
3.teorias do desenvolvimento adolescência3.teorias do desenvolvimento adolescência
3.teorias do desenvolvimento adolescência
Ulisses Vakirtzis
 
2.comunidades de aprendizagem e educação escolar
2.comunidades de aprendizagem e educação escolar2.comunidades de aprendizagem e educação escolar
2.comunidades de aprendizagem e educação escolar
Ulisses Vakirtzis
 
1.ensino as abordagens do processo
1.ensino as abordagens do processo1.ensino as abordagens do processo
1.ensino as abordagens do processo
Ulisses Vakirtzis
 
8.teorias psicogeneticas
8.teorias psicogeneticas8.teorias psicogeneticas
8.teorias psicogeneticas
Ulisses Vakirtzis
 
4.politicas docentes no brasil
4.politicas docentes no brasil4.politicas docentes no brasil
4.politicas docentes no brasil
Ulisses Vakirtzis
 
3.freitas eliminação adiada
3.freitas eliminação adiada3.freitas eliminação adiada
3.freitas eliminação adiada
Ulisses Vakirtzis
 
2. escola e conhecimento
2. escola e conhecimento2. escola e conhecimento
2. escola e conhecimento
Ulisses Vakirtzis
 
1. teixeira escola pública
1. teixeira escola pública1. teixeira escola pública
1. teixeira escola pública
Ulisses Vakirtzis
 
4. decretos 54.454 portaria 5941
4. decretos 54.454 portaria 59414. decretos 54.454 portaria 5941
4. decretos 54.454 portaria 5941
Ulisses Vakirtzis
 
3. decreto 54.542 portaria 5930
3. decreto 54.542 portaria 59303. decreto 54.542 portaria 5930
3. decreto 54.542 portaria 5930
Ulisses Vakirtzis
 
2. dialogos interdisciplinares
2. dialogos interdisciplinares2. dialogos interdisciplinares
2. dialogos interdisciplinares
Ulisses Vakirtzis
 
1. programa mais educação sp
1. programa mais educação sp1. programa mais educação sp
1. programa mais educação sp
Ulisses Vakirtzis
 
A Supervisão Escolar na Rede Municipal
A Supervisão Escolar na Rede MunicipalA Supervisão Escolar na Rede Municipal
A Supervisão Escolar na Rede Municipal
Ulisses Vakirtzis
 

Mais de Ulisses Vakirtzis (20)

Orientacoes-para-atendimento-de-estudantes-transtorno-do-espectro-do-autismo.pdf
Orientacoes-para-atendimento-de-estudantes-transtorno-do-espectro-do-autismo.pdfOrientacoes-para-atendimento-de-estudantes-transtorno-do-espectro-do-autismo.pdf
Orientacoes-para-atendimento-de-estudantes-transtorno-do-espectro-do-autismo.pdf
 
Guia de Publicação Editora Albatroz (1).pdf
Guia de Publicação Editora Albatroz (1).pdfGuia de Publicação Editora Albatroz (1).pdf
Guia de Publicação Editora Albatroz (1).pdf
 
Como gerenciar o espaço físico da escola
Como gerenciar o espaço físico da escolaComo gerenciar o espaço físico da escola
Como gerenciar o espaço físico da escola
 
Como gerenciar os recursos financeiros da escola
Como gerenciar os recursos financeiros da escolaComo gerenciar os recursos financeiros da escola
Como gerenciar os recursos financeiros da escola
 
Como promover a construção ppp
Como promover a construção pppComo promover a construção ppp
Como promover a construção ppp
 
6.proposta curricular
6.proposta curricular6.proposta curricular
6.proposta curricular
 
4.avaliação da aprendizagem
4.avaliação da aprendizagem4.avaliação da aprendizagem
4.avaliação da aprendizagem
 
3.teorias do desenvolvimento adolescência
3.teorias do desenvolvimento adolescência3.teorias do desenvolvimento adolescência
3.teorias do desenvolvimento adolescência
 
2.comunidades de aprendizagem e educação escolar
2.comunidades de aprendizagem e educação escolar2.comunidades de aprendizagem e educação escolar
2.comunidades de aprendizagem e educação escolar
 
1.ensino as abordagens do processo
1.ensino as abordagens do processo1.ensino as abordagens do processo
1.ensino as abordagens do processo
 
8.teorias psicogeneticas
8.teorias psicogeneticas8.teorias psicogeneticas
8.teorias psicogeneticas
 
4.politicas docentes no brasil
4.politicas docentes no brasil4.politicas docentes no brasil
4.politicas docentes no brasil
 
3.freitas eliminação adiada
3.freitas eliminação adiada3.freitas eliminação adiada
3.freitas eliminação adiada
 
2. escola e conhecimento
2. escola e conhecimento2. escola e conhecimento
2. escola e conhecimento
 
1. teixeira escola pública
1. teixeira escola pública1. teixeira escola pública
1. teixeira escola pública
 
4. decretos 54.454 portaria 5941
4. decretos 54.454 portaria 59414. decretos 54.454 portaria 5941
4. decretos 54.454 portaria 5941
 
3. decreto 54.542 portaria 5930
3. decreto 54.542 portaria 59303. decreto 54.542 portaria 5930
3. decreto 54.542 portaria 5930
 
2. dialogos interdisciplinares
2. dialogos interdisciplinares2. dialogos interdisciplinares
2. dialogos interdisciplinares
 
1. programa mais educação sp
1. programa mais educação sp1. programa mais educação sp
1. programa mais educação sp
 
A Supervisão Escolar na Rede Municipal
A Supervisão Escolar na Rede MunicipalA Supervisão Escolar na Rede Municipal
A Supervisão Escolar na Rede Municipal
 

Último

Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
beathrizalves131
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
VictorEmanoel37
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
Mary Alvarenga
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
jetroescola
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
antonio carlos
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFVRegistros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Yan Kayk da Cruz Ferreira
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
mozalgebrista
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa CivilSeminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
EduardoLealSilva
 

Último (20)

Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFVRegistros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa CivilSeminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
 

Gestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianos

  • 1. Company LOGO GESTÃO ESCOLAR: ENFRENTANDO OS DESAFIOS COTIDIANOS EM ESCOLAS PÚBLICAS Professor Ulisses Vakirtzis Maria Lília Imbiriba Sousa Colares Juracy Machado Pacífico George Queiroga Estrela
  • 2. É preciso compreender que a gestão escolar traz consigo o aspecto pedagógico e, sendo assim, o gestor/gestora ou diretor/diretora é antes de tudo um/uma educador/a e a gestão pedagógica um espaço legítimo de aprendizagem democrática. Por isso a gestão escolar precisa ser entendida no âmbito da sociedade política comprometida com a própria transformação social. Gestão Escolar Transformadora
  • 3. Gestão Escolar e corresponsabilidades Para a realização do caráter pedagógico da gestão escolar será preciso não apenas a partilha do poder com o coletivo escolar, mas também a corresponsabilização da gestão da escola e, corresponsabilização é diferente de responsabilização apenas de alguns sujeitos do processo educacional.
  • 4. Projeto Político Pedagógico O Projeto Político Pedagógico é um instrumento fundamental para a realização efetiva da educação como direito social, o que implica qualidade, democracia, autonomia e participação.
  • 5. Consciência do Inacabamento Educar, e ser professor/a, coordenador/a, gestor ou gestora, enfim, nas palavras de Freire (1997), é ter a consciência do inacabamento e, portanto, ter apenas uma certeza: a de que podemos fazer melhor, em outro tempo, aquilo que acreditamos ter sido a versão mais acabada e melhor delineada de um processo.
  • 6. Planejamento escolar O processo educativo exige um planejamento bem elaborado para nortear as ações, o planejamento global da escola, envolvendo o processo de reflexão, de decisões sobre a organização, o funcionamento e a proposta pedagógica da instituição. É um processo de racionalização, organização e coordenação da ação docente, articulando a atividade escolar e a problemática do contexto social. (LIBÂNEO)
  • 7. Deve garantir que haja coerência entre as suas diversas etapas na busca dos objetivos definidos, estabelecendo vínculo entre atividade escolar e os problemas que envolvem o contexto social. A harmonia entre as suas funções é que garantirá a sua execução. Além disso, deve conter na sua estrutura, instrumentos que possibilitem ações coordenadas, objetividade e também que seja flexível, considerando as avaliações e realinhamentos que possam se fazer dentro do horizonte temporal previsto. Planejamento escolar
  • 8. LDB e PPP Artigo 12 – Os estabelecimentos de ensino, respeitadas as normas comuns e as do seu sistema de ensino, terão a incumbência de: I - elaborar e executar sua proposta pedagógica; II - administrar seu pessoal e seus recursos materiais e financeiros; Artigo 13 – Os docentes incumbir-se-ão de: I - participar da elaboração da proposta pedagógica do estabelecimento de ensino; II - elaborar e cumprir plano de trabalho, segundo a proposta pedagógica do estabelecimento de ensino; Artigo 14 – Os sistemas de ensino definirão as normas da gestão democrática do ensino público na educação básica, de acordo com as suas peculiaridades e conforme os seguintes princípios: I - participação dos profissionais da educação na elaboração do projeto pedagógico da escola; II – participação das comunidades escolar e local em conselhos escolares ou equivalentes.
  • 9. Art. 67. Os sistemas de ensino promoverão a valorização dos profissionais da educação, assegurando-lhes, inclusive nos termos dos estatutos e dos planos de carreira do magistério público: V – período reservado a estudos, planejamento e avaliação, incluído na carga de trabalho. (LDBEN 9.394/96) LDB e PPP
  • 10. Participação da Família na Escola O que a escola espera da família é uma participação efetiva na vida escolar dos filhos e o apoio às ações da escola, manifestados através de críticas e sugestões para a melhoria do nosso trabalho, da atenção às necessidades do filho que muitas vezes não está na simples ajuda nas atividades, mas no diálogo aberto e nas manifestações afetivas.
  • 11. A escola, todavia, precisa incluir em sua rotina essa presença da família e colocá-la a par do regimento escolar, do Plano de Desenvolvimento da Escola, do Projeto Político-Pedagógico e do colegiado e incentivar sua participação. Participação da Família na Escola
  • 12. CF-88 e participação da família No artigo 227, do capítulo VII, da Constituição Federal afirma o seguinte: “É dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança e ao adolescente, com absoluta prioridade, o direito à vida, saúde, alimentação, educação, ao lazer, profissionalização, cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e a convivência familiar e comunitária, além de colocá-los a salvo de toda forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão.”
  • 13. ECA e participação da família No parágrafo único, do Capítulo IV, do Estatuto da Criança e do Adolescente (BRASIL, 1990), diz: “é direito dos pais ou responsável ter ciência do processo pedagógico, bem como participar da definição das propostas educacionais”.
  • 14. Para que haja uma transformação na realidade escolar, mudanças deverão ocorrer no processo educacional, a começar pela postura dos gestores, os quais devem criar mecanismos que possibilitem a vinda dos pais para dentro da escola, favorecendo a sua participação efetiva nas decisões das ações da escola: “São boas as escolas que estão em sintonia com a comunidade”. (WERNECK) Participação da Família na Escola
  • 15. “Tudo o que a gente puder fazer no sentido de convocar os que vivem em torno da escola, e dentro da escola, no sentido de participarem, de tomarem um pouco o destino da escola na mão, também. Tudo o que a gente puder fazer nesse sentido é pouco ainda, considerando o trabalho imenso que se põe diante de nós que é o de assumir esse país democraticamente.” Participação da Família na Escola
  • 16. “Uma ligação estreita e continuada entre os professores e os pais leva pois a muita coisa mais que a informação mútua: este intercâmbio acaba resultando em ajuda recíproca e, frequentemente, em aperfeiçoamento real dos métodos. Ao aproximar a escola da vida ou das preocupações profissionais dos pais, e ao proporcionar, reciprocamente, aos pais um interesse pelas coisas da escola, chega-se até mesmo a uma divisão de responsabilidade.” (Piaget) Participação da Família na Escola
  • 17. Conselho de Escola Um de nossos desafios será a proposta do Conselho Escolar, uma instância de interação escola/comunidade da gestão democrática, mesmo sabendo que este não elimina a tensão entre escola e comunidade. Porém, ele se constitui, sem dúvida, também numa escola para os pais; ele oferece a possibilidade de uma aprendizagem de mão-dupla: a escola estendendo sua função pedagógica para a sociedade e a sociedade influenciando os destinos da escola.
  • 18. Desenvolvimento Integral do Aluno A aprendizagem na escola deve ser integral buscando a ▪ construção da autonomia intelectual do aluno, ▪ desenvolvendo o raciocínio e a ▪ capacidade de tomada de decisões A aprendizagem tem por objetivo efetivar mudanças que possibilitem ao aluno uma melhor compreensão do mundo, propiciando-lhe instrumentos para criticar a mudança social e contribuir para ela, reafirmando e renovando as metas de inclusão, de respeito às diferenças e de solidariedade
  • 19. Currículo e os Pilares do Conhecimento O currículo refere-se à organização do conhecimento escolar. Pensar o currículo na elaboração do Projeto Político Pedagógico é pensar o tipo de organização que a escola deseja adotar. Construir juntos novos conhecimentos, alcançando o que Delors define como “aprendizagens fundamentais que ao longo de toda a vida, serão de algum modo para cada individuo, os pilares do conhecimento: aprender a conhecer, aprender a fazer, a prender a conviver e aprender a ser”.
  • 20. Projeto Político Pedagógico A construção e implementação do PPP na escola deve ser compreendido por todos como um processo significativo e fundamental na escola, pois se configura num referencial de conquista da autonomia, no qual todos juntos possam conhecer melhor sua própria escola e também participar em todos os momentos na busca de uma educação de qualidade para todos que fazem parte da comunidade escolar.
  • 21. Princípios do PPP A construção do PPP parte dos princípios de ▪ igualdade, ▪ qualidade, ▪ liberdade, ▪ gestão democrática; ▪ valorização dos profissionais da educação sendo assim, conforme esses princípios, faz-se necessário compreender e analisar a organização do trabalho pedagógico.
  • 22. Cada escola é única em sua realidade e nas relações que os segmentos estabelecem entre si. Os movimentos de construção do projeto – diagnóstico de sua situação atual, discussão das concepções e planejamento de suas ações bem como sua execução precisam ser discutidas no coletivo com a participação da comunidade escolar que conhece sua cultura, seus problemas, suas perspectivas, suas necessidades, asseguram que a gestão democrática aconteça de fato em qualquer instituição escolar que se diz democrática. Projeto Político Pedagógico
  • 23. PPP e Equidade Estimular a escola na construção coletiva de um projeto educacional de inclusão social na perspectiva da diversidade cultural é uma forma de dinamizar a proposta pedagógica para que a tarefa de ensinar possa se atrelar à complexidade da realidade em que os educandos estão inseridos. Problematizar relação ser/estar no mundo.
  • 24. PPP e a indisciplina Para Paulo Freire, um projeto de escola que busque a formação da cidadania precisa ter como objetivos: • tratar todos os indivíduos com dignidade, com respeito à divergência, valorizando o que cada um tem de bom; • fazer com que a escola se torne mais atualizada para que os alunos gostem dela; • garantir espaço para a construção de conhecimentos científicos significativos, que contribuam para uma análise crítica da realidade.
  • 25. TIC na Gestão Escolar Consideramos que as tecnologias de Informação e Comunicação precisam primeiramente ser assimiladas ao processo de formação profissional para que seja incorporada concretamente no cotidiano, seja na função docente ou gestora na escola pública. Em outras palavras, o/a professor/a, o/a gestor/a, precisa atribuir valor à tecnologia pelo seu potencial na facilitação de sua própria aprendizagem a fim de que possa compreender como elas serão úteis na facilitação da aprendizagem de alunos/as e na comunicação direta com a comunidade escolar.
  • 26. Gestão e Avaliação da Aprendizagem A LDB n.9.394/96, em seu artigo 24, Inciso V, alínea a, determina que avaliação seja: “contínua e cumulativa do desempenho do aluno com prevalência dos aspectos qualitativos sobre os quantitativos e dos resultados ao longo do período sobre os de eventuais provas finais”. Company Logo
  • 27. Avaliação Mediadora Para Hoffmann , a avaliação mediadora possui três características básicas a fim de vir a ser este instrumento de superação das dificuldades dos alunos: 1. extensão no tempo com a observação das diversas situações de aprendizagem; 2. intensificação no tempo e no próprio espaço da sala de aula como forma de proporcionar maior atenção aos que assim o requeiram; 3. articulação dos procedimentos pedagógicos proporcionando ao professor o replanejamento da ação docente diante das necessidades de cada aluno e do grupo
  • 28. Avaliação Mediadora e Gestão Escolar A avaliação da aprendizagem não é, pois, um processo isolado que se faz no interior da sala de aula e que só diz respeito a professores e alunos, mas se integra no projeto político pedagógico da escola, e se vincula estreitamente ao processo de avaliação institucional.
  • 29. Concluindo... Cabe, portanto, a necessária reflexão diante das contradições inerentes entre o discurso e a prática, entre o pensar em fazer e o querer fazer.