SlideShare uma empresa Scribd logo
Professor  x  Educador Os  Professores  que temos ! Os Professores que desejamos! Os Professores que Precisamos ! EDUCADORES
Para começar...BEM Estar 100% presente (corpo e alma) em cada momento Ser um participante envolvido / ativo; Focar a aprendizagem / a evolução / ajudar e ser  ajudado; Superar preconceitos, pré-julgamento, barreiras mentais;   Postura aberta ao novo, ao inédito, ao “diferente” para  ampliar a  visão; Ir fundo nas coisas; Praticar efetivamente os valores básicos ( honestidade, transparência e respeito).
Difundiu-se com o aparecimento da obra de Jan Amos Comenius ( 1592 – 1670 ), Didactica Magna, ou tratado da arte universal de ensinar tudo a todos,  publicada em 1657. É uma ciência cujo objetivo fundamental é ocupar-se das estratégias de ensino, das questões práticas relativas à metodologia e das estratégias de aprendizagem.  DIDÁTICA Arte ou Técnica de  Ensinar
“ A  ARTE  de  ENSINAR  é muito mais do que puramente treinar o educando no desempenho de destrezas.” Paulo Freire
A Evolução da Didática Conservadorismo;  Foco no professor  e na aula; Exigência da aprendizagem apenas para o aluno; Não abria mão dos conteúdos tradicionais; Memorização; Aplicar provas para dar notas; Garante a eficiência da aprendizagem; Enfatiza a elaboração de planos de ensino; Seleção de conteúdos; Compromete-se com a qualidade cognitiva das aprendizagens; Professor mediador da preparação dos  alunos  para o pensar . 1930 Hoje 1970
Buscando Definições PEDAGOGIA  – ciência  que investiga a teoria e a prática da educação e sua relação  com a prática social global. EDUCAÇÃO   –  prática social que ocorre em várias instituições e  atividades humanas ( família, escola,trabalho, igrejas...) ENSINO  -  aspecto instrutivo da educação , formação, orientação, transmissão de conhecimentos . APRENDIZAGEM  -  evidencia-se : descoberta, apreensão, modificação de comportamento e aquisição de conhecimentos, que se referem diretamente ao aluno.
Questionamento do Professor ENSINO   Que matéria devo dar? Que programa devo seguir? Que critério deverei utilizar para aprovar ou reporvar os alunos? APRENDIZAGEM  Quais as expectativas dos alunos? Em que medida determinado aprendizado será significativo para os alunos? Que estratégias serão mais adequadas para facilitar o aprendizado desses alunos ?
Os Professores que temos !  Não dispõe de preparação pedagógica; Incentivam os alunos a desenvolverem  habilidades de memorização;   Avaliam  a aprendizagem do aluno através da aplicação das provas  e  das notas; A sua arte é de exposição, são especialistas na disciplina; As ações desenvolvidas em sala de aula  são expressas  pelos verbos:  instruir,orientar, apontar, guiar, dirigir, treinar,  amoldar, preparar, doutrinar ; Centraliza-se em sua própria pessoa,  em suas  qualidades e habilidades.
Os Professores que desejamos! Um professor  que desenvolva nos alunos :  aquisição de uma mentalidade científica, o desenvolvimento das capacidades de análise, síntese e avaliação,  bem como o aprimoramento da imaginação criadora; Um facilitador de aprendizagem que construa conhecimentos; Um professor que adote estratégias de ensino diversificadas: mobilizar menos a memória e mais o raciocínio; Um professor criativo, inventivo, curioso pelo inusitado. Um professor que utilize um conteúdo contextualizado: vida social /pessoal/cotidiano.
Responsabilidade e Funções do Professor Planejar estudos e trabalhos à formação do aluno; Orientar os alunos para perceber e sentir a realidade; Controlar os resultados dos estudos; Graduar dificuldades; Conhecer os alunos para estimulá-los em sua formação integral; Fomentar ideais e atitudes positivas diante da vida, da profissão e da sociedade; Favorecer na construção da autonomia  intelectual. ENSINAR  PARA  A  JUVENTUDE
Auto-estima:   Um dos pilares para que ocorra a aprendizagem é o desenvolvimento da auto-estima, o que faz com que o aluno tenha uma boa imagem de si mesmo.
APRENDER A SER EDUCADOR SOCIAL Ninguém nasce educador social, mas aprende a sê-lo vivenciando processos formativos. É por meio da relação com o aprender que o indivíduo assume sua condição humana, um ser único e integrante de uma comunidade, ou seja, humaniza-se (torna-se homem), singulariza-se (torna-se único) e socializa-se (integra-se ao seu grupo social) (CHARLOT, 2000) Sabemos que nossa identidade se constitui num processo contínuo, por meio de nossas atividades cotidianas, e não-cotidianas, no trabalho, no lazer, na escola, na comunidade e em tantos outros tempos–espaços em que marcamos nossa presença no mundo
Educador francês Bernard Charlot, um dos mais aplaudidos no 2º Fórum Mundial de Educação, defende que toda instituição de ensino deve conviver com: Saber + prazer + tensão = escola
Ser professor, ser educador sempre foi um ofício carregado de tensões, uma tarefa nada fácil. Um ofício nobre, por um lado, mas árduo por outro, pois exige esforço tanto de quem aprende como de quem ensina. É preciso reconstruir as dimensões humanas da docência e da pedagogia para que os educadores e educandos sejam reconhecidos como gente e não como sujeitos epistêmicos, incorpóreos e irreais, sobre os quais são projetadas imagens românticas e idealizadas. Os educadores não se mostram preocupados em garantir aos jovens somente o domínio técnico, mas se preocupam com seus educandos como seres humanos, como sujeitos socioculturais.
Ser educador não é só chegar na sala com o conteúdo a ser aplicado afinado, tem que conhecer e saber o sentimento do educando. Tem que procurar saber o que há dentro dele, para poder ajudá-lo de alguma forma. Ser educador é ser humano, tem que se preocupar com o seu educando, tem que gostar dele. A dimensão humana da educação é assinalada como característica primordial da docência por vários autores, como Charlot (1996, 2000, 2001, 2005), Gadotti (2005) e Arroyo (2005), uma dimensão, muitas vezes esquecida, que pode contribuir para explicar muitos conflitos nas escolas, entre professores e alunos.
Diferentes Papéis do Educador Especialista Membro de Equipe Conselheiro Professor Didata Aprendiz Diagnosticador de Necessidades Administrador
Relação  Professor  X  Aluno Professores e Educandos  “  Um par educativo” A escolha  do professor baseia-se  nos aspectos : AFETIVO  METODOLÓGICO CONHECIMENTO DO CONTEÚDO HABILIDADES DE ENSINO
Exercício  da Docência
Perceber que ser professor vai além de dominar conhecimentos/saberes/fazeres de determinado campo.  ENVOLVE ATITUDES E VALORES  tais como: Sensibilidade frente ao aluno Valorização dos saberes da experiência  Ênfase nas relações interpessoais Aprendizagem compartilhada Ensinar e aprender com os alunos Ter por meta o desenvolvimento do aluno como pessoa e profissional Exercício  da Docência
COMO MELHORAR A  QUALIDADE DAS AULAS Não existem fórmulas mágicas nem receitas infalíveis para  garantir a eficácia das aulas. Mas há uma série de  recomendações  que podem contribuir.
RECOMENDAÇÕES  MANIFESTAR ESPONTANEIDADE FAZER FEEDBACK DURANTE A AULA UTILIZAR RECURSOS VARIADOS ENCORAJAR A TOMADA DE ANOTAÇÕES PROMOVER REVISÕES ENVOLVER O ALUNO NO SENTIDO DE OBTER SUA  PARTICIPAÇÃO EFETIVA PERCEBER O DESINTERESSE DO ALUNO
Compreendendo Definições   MÉTODO   Refere-se aos papéis e posturas assumidas pelo professor e  alunos durante a situação de ensino. Modelo de ensino que o professor utiliza para maximizar as  chances de aprendizagem eficaz TÉCNICA   Refere-se a forma como o método será desenvolvido. Método de procedimentos, jeito ou maneira especial de ensinar. METODOLOGIA  –  são ações para serem desenvolvidas pelo professor e alunos, em cada etapa do processo ensino-aprendizagem .
“  MESTRE ” ...É aquele que caminha com o tempo, propondo paz, fazendo comunhão, Despertando sabedoria. Mestre é aquele que estende a mão,  Inicia o diálogo e encaminha para  a aventura da vida. Não é o que ensina fórmulas, regras, raciocínios, mas o que  questiona e desperta para  a realidade. Não é aquele que dá de seu saber, mas aquele que faz germinar  o saber, do discípulo. Mestre é um professor amigo que me compreende, me estimula, me comunica e me enriquece com sua presença, seu saber e sua ternura. Eu sempre serei um discípulo na escola da vida. Autor: desconhecido
Na sua opinião o que  é ser um bom professor ? P A R T I C I P E   R  E  S  P  O  N  D  A
REFERÊNCIAS  CANDAU, Vera Maria (Org.).  A Didática em Questão . 7 ed. Petrópolis: Vozes, 1983. CANDAU, Vera Maria.  Rumo a uma nova didática .  Petrópolis: Vozes, 1988.   In: REALI & MIZUKAMI.  Formação de professores, tendências atuais. São Carlos. EDUFSCAR. 1996. ANDRÉ, Marli. "O papel mediador da pesquisa no ensino de Didática". GIL, Antônio Carlos. Didática do Ensino Superior. São Paulo: Atlas, 2006. Ilma (org.) Didática: O ensino e suas relações. Campinas, Papirus, 1996. LIBÂNEO, José C. Didática. São Paulo. Cortez. 1990. LUCKESI, Cipriano C. "Avaliação educacional escolar: para além do autoritarismo". Revista da Ande. São Paulo, Cortez, ano 5, nº 10, 1986 e ano 6, nº 11 1986, (2ª parte). LIBÂNEO, José Carlos.  Didática .  São Paulo: Cortez, 1994. MASETTO, Marcos T.  Didática : a aula como centro. 4. ed. São Paulo: FTD, 1997
Educadora  Ágata Dourado [email_address] (11) 9559-9769 (vivo) (11) 6103-8083 (oi) O B R I G A D A Projovem  Trabalhador www.mte.gov.br/projovem Taboão da Serra / SP www.taboaodaserra.sp.gov.br Associação Horizontes www.ah.org.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Didática para formação
Didática  para formação Didática  para formação
Didática para formação
Cida Cerqueira
 
Como surgiu a didática
Como surgiu a didáticaComo surgiu a didática
Como surgiu a didática
Karina Mareci
 
História da pedagogia e da didática
História da pedagogia e da didáticaHistória da pedagogia e da didática
História da pedagogia e da didática
Prof. Antônio Martins de Almeida Filho
 
Fundamentos da Didática
Fundamentos da DidáticaFundamentos da Didática
Fundamentos da Didática
UNICEP
 
Didática II
Didática IIDidática II
Didática II
Robert Cesar
 
Didática e o fazer docente
Didática e o fazer docenteDidática e o fazer docente
Didática e o fazer docente
Daniele Ferreira
 
TRABALHO DA DISCIPLINA DIDÁTICA - 4º PERÍODO - PEDAGOGIA - UERJ - 2011.1
TRABALHO DA DISCIPLINA DIDÁTICA - 4º PERÍODO - PEDAGOGIA - UERJ - 2011.1TRABALHO DA DISCIPLINA DIDÁTICA - 4º PERÍODO - PEDAGOGIA - UERJ - 2011.1
TRABALHO DA DISCIPLINA DIDÁTICA - 4º PERÍODO - PEDAGOGIA - UERJ - 2011.1
Jana Caetano
 
Didática geral aula 1
Didática geral aula 1Didática geral aula 1
Didática geral aula 1
Fernanda Câmara
 
Didática: A Instrumentalização do Professor.
Didática: A Instrumentalização do Professor.Didática: A Instrumentalização do Professor.
Didática: A Instrumentalização do Professor.
nathmcunha
 
Didática final
Didática finalDidática final
Didática final
Lincoln Tavares
 
Disciplina: Didática
Disciplina: DidáticaDisciplina: Didática
Disciplina: Didática
Maria Cristina Bortolozo
 
Slide sobre Didática.
Slide sobre Didática.Slide sobre Didática.
Slide sobre Didática.
Thaís Boch
 
Questionamentos sobre didática
Questionamentos sobre didáticaQuestionamentos sobre didática
Questionamentos sobre didática
Julio Siqueira
 
O papel da didática na perspectiva da formação superior.
O papel da didática na perspectiva da formação superior.O papel da didática na perspectiva da formação superior.
O papel da didática na perspectiva da formação superior.
Jose Gomes DE Abreu
 
As didatica
As didaticaAs didatica
Curso de didática
Curso de didáticaCurso de didática
Curso de didática
Sebastião Gessy Fonseca
 
apostila de didática
apostila de didáticaapostila de didática
apostila de didática
joaovitorinopolacimatos
 
FACELI - Disciplina Especial - Didática com Márcia Perini Valle - 02 - Evoluç...
FACELI - Disciplina Especial - Didática com Márcia Perini Valle - 02 - Evoluç...FACELI - Disciplina Especial - Didática com Márcia Perini Valle - 02 - Evoluç...
FACELI - Disciplina Especial - Didática com Márcia Perini Valle - 02 - Evoluç...
Jordano Santos Cerqueira
 
Curso didática geral em um arqujivo unesp
Curso didática geral em um arqujivo   unespCurso didática geral em um arqujivo   unesp
Curso didática geral em um arqujivo unesp
Vanderlita Gomes B Marquetti
 
Didatica e formação do professor parte1
Didatica e formação do professor parte1Didatica e formação do professor parte1
Didatica e formação do professor parte1
Naysa Taboada
 

Mais procurados (20)

Didática para formação
Didática  para formação Didática  para formação
Didática para formação
 
Como surgiu a didática
Como surgiu a didáticaComo surgiu a didática
Como surgiu a didática
 
História da pedagogia e da didática
História da pedagogia e da didáticaHistória da pedagogia e da didática
História da pedagogia e da didática
 
Fundamentos da Didática
Fundamentos da DidáticaFundamentos da Didática
Fundamentos da Didática
 
Didática II
Didática IIDidática II
Didática II
 
Didática e o fazer docente
Didática e o fazer docenteDidática e o fazer docente
Didática e o fazer docente
 
TRABALHO DA DISCIPLINA DIDÁTICA - 4º PERÍODO - PEDAGOGIA - UERJ - 2011.1
TRABALHO DA DISCIPLINA DIDÁTICA - 4º PERÍODO - PEDAGOGIA - UERJ - 2011.1TRABALHO DA DISCIPLINA DIDÁTICA - 4º PERÍODO - PEDAGOGIA - UERJ - 2011.1
TRABALHO DA DISCIPLINA DIDÁTICA - 4º PERÍODO - PEDAGOGIA - UERJ - 2011.1
 
Didática geral aula 1
Didática geral aula 1Didática geral aula 1
Didática geral aula 1
 
Didática: A Instrumentalização do Professor.
Didática: A Instrumentalização do Professor.Didática: A Instrumentalização do Professor.
Didática: A Instrumentalização do Professor.
 
Didática final
Didática finalDidática final
Didática final
 
Disciplina: Didática
Disciplina: DidáticaDisciplina: Didática
Disciplina: Didática
 
Slide sobre Didática.
Slide sobre Didática.Slide sobre Didática.
Slide sobre Didática.
 
Questionamentos sobre didática
Questionamentos sobre didáticaQuestionamentos sobre didática
Questionamentos sobre didática
 
O papel da didática na perspectiva da formação superior.
O papel da didática na perspectiva da formação superior.O papel da didática na perspectiva da formação superior.
O papel da didática na perspectiva da formação superior.
 
As didatica
As didaticaAs didatica
As didatica
 
Curso de didática
Curso de didáticaCurso de didática
Curso de didática
 
apostila de didática
apostila de didáticaapostila de didática
apostila de didática
 
FACELI - Disciplina Especial - Didática com Márcia Perini Valle - 02 - Evoluç...
FACELI - Disciplina Especial - Didática com Márcia Perini Valle - 02 - Evoluç...FACELI - Disciplina Especial - Didática com Márcia Perini Valle - 02 - Evoluç...
FACELI - Disciplina Especial - Didática com Márcia Perini Valle - 02 - Evoluç...
 
Curso didática geral em um arqujivo unesp
Curso didática geral em um arqujivo   unespCurso didática geral em um arqujivo   unesp
Curso didática geral em um arqujivo unesp
 
Didatica e formação do professor parte1
Didatica e formação do professor parte1Didatica e formação do professor parte1
Didatica e formação do professor parte1
 

Semelhante a Apresenta..

História da pedagogia e da didática
História da pedagogia e da didáticaHistória da pedagogia e da didática
História da pedagogia e da didática
Prof. Antônio Martins de Almeida Filho
 
aprender e ensinar
aprender e ensinaraprender e ensinar
aprender e ensinar
EMEI VICTOR NOGAROTO KEUSSEYAN
 
Didática III
Didática IIIDidática III
Didática III
Robert Cesar
 
Pedagogia progressista libertadora
Pedagogia progressista libertadoraPedagogia progressista libertadora
Pedagogia progressista libertadora
Thales Rocha
 
DIDATICA Didática i aula
DIDATICA Didática i   aulaDIDATICA Didática i   aula
DIDATICA Didática i aula
Leandro Pereira
 
Aula da cristiane.ppt slide 1(1)
Aula da cristiane.ppt  slide 1(1)Aula da cristiane.ppt  slide 1(1)
Aula da cristiane.ppt slide 1(1)
celiariosalmeida
 
Professores e Alunos reflexivos em uma Escola Reflexiva
Professores e Alunos reflexivos em uma Escola ReflexivaProfessores e Alunos reflexivos em uma Escola Reflexiva
Professores e Alunos reflexivos em uma Escola Reflexiva
Pedro Tavares
 
O que e ensinar
O que e ensinarO que e ensinar
O que e ensinar
prointiced
 
Arq idvol 28-1391209402
Arq idvol 28-1391209402Arq idvol 28-1391209402
Arq idvol 28-1391209402
maria152302
 
didatica no ensino superios 3
didatica no ensino superios 3didatica no ensino superios 3
didatica no ensino superios 3
jairdeoliveirajunior
 
Módulo especifico iii
Módulo especifico iiiMódulo especifico iii
Módulo especifico iii
Alexsandro Prates
 
A CONTRIBUIÇÃO DO PIBID NA FORMAÇÃO DOCENTE INICIANTE
A CONTRIBUIÇÃO DO PIBID NA FORMAÇÃO DOCENTE INICIANTEA CONTRIBUIÇÃO DO PIBID NA FORMAÇÃO DOCENTE INICIANTE
A CONTRIBUIÇÃO DO PIBID NA FORMAÇÃO DOCENTE INICIANTE
ProfessorPrincipiante
 
Conhecendo a didática
Conhecendo a didáticaConhecendo a didática
Disciplina um dos desafios dos tempos modernos
Disciplina   um dos desafios dos tempos modernosDisciplina   um dos desafios dos tempos modernos
Disciplina um dos desafios dos tempos modernos
Valderez Cardoso
 
Didática Modular I
Didática Modular I  Didática Modular I
Didática Modular I
Karina Tafre
 
Projeto para o tcc orientação educacional – mediação e intervenção diante ...
Projeto para o tcc   orientação educacional – mediação e  intervenção diante ...Projeto para o tcc   orientação educacional – mediação e  intervenção diante ...
Projeto para o tcc orientação educacional – mediação e intervenção diante ...
Psicanalista Santos
 
CONHECENDO A DIDATICA. ENCONTREI NA NET
CONHECENDO A DIDATICA. ENCONTREI NA NETCONHECENDO A DIDATICA. ENCONTREI NA NET
CONHECENDO A DIDATICA. ENCONTREI NA NET
Cristina Ferreira
 
Relacionamento interpessoal no ministério educacional pr. andré mourão
Relacionamento interpessoal no ministério educacional   pr. andré mourãoRelacionamento interpessoal no ministério educacional   pr. andré mourão
Relacionamento interpessoal no ministério educacional pr. andré mourão
prvladimir
 
Ensinar e aprender na escola
Ensinar e aprender na escolaEnsinar e aprender na escola
Ensinar e aprender na escola
cefaprodematupa
 
A prática refelxiva no ensino médio
A prática refelxiva no ensino médioA prática refelxiva no ensino médio
A prática refelxiva no ensino médio
Adriana Melo
 

Semelhante a Apresenta.. (20)

História da pedagogia e da didática
História da pedagogia e da didáticaHistória da pedagogia e da didática
História da pedagogia e da didática
 
aprender e ensinar
aprender e ensinaraprender e ensinar
aprender e ensinar
 
Didática III
Didática IIIDidática III
Didática III
 
Pedagogia progressista libertadora
Pedagogia progressista libertadoraPedagogia progressista libertadora
Pedagogia progressista libertadora
 
DIDATICA Didática i aula
DIDATICA Didática i   aulaDIDATICA Didática i   aula
DIDATICA Didática i aula
 
Aula da cristiane.ppt slide 1(1)
Aula da cristiane.ppt  slide 1(1)Aula da cristiane.ppt  slide 1(1)
Aula da cristiane.ppt slide 1(1)
 
Professores e Alunos reflexivos em uma Escola Reflexiva
Professores e Alunos reflexivos em uma Escola ReflexivaProfessores e Alunos reflexivos em uma Escola Reflexiva
Professores e Alunos reflexivos em uma Escola Reflexiva
 
O que e ensinar
O que e ensinarO que e ensinar
O que e ensinar
 
Arq idvol 28-1391209402
Arq idvol 28-1391209402Arq idvol 28-1391209402
Arq idvol 28-1391209402
 
didatica no ensino superios 3
didatica no ensino superios 3didatica no ensino superios 3
didatica no ensino superios 3
 
Módulo especifico iii
Módulo especifico iiiMódulo especifico iii
Módulo especifico iii
 
A CONTRIBUIÇÃO DO PIBID NA FORMAÇÃO DOCENTE INICIANTE
A CONTRIBUIÇÃO DO PIBID NA FORMAÇÃO DOCENTE INICIANTEA CONTRIBUIÇÃO DO PIBID NA FORMAÇÃO DOCENTE INICIANTE
A CONTRIBUIÇÃO DO PIBID NA FORMAÇÃO DOCENTE INICIANTE
 
Conhecendo a didática
Conhecendo a didáticaConhecendo a didática
Conhecendo a didática
 
Disciplina um dos desafios dos tempos modernos
Disciplina   um dos desafios dos tempos modernosDisciplina   um dos desafios dos tempos modernos
Disciplina um dos desafios dos tempos modernos
 
Didática Modular I
Didática Modular I  Didática Modular I
Didática Modular I
 
Projeto para o tcc orientação educacional – mediação e intervenção diante ...
Projeto para o tcc   orientação educacional – mediação e  intervenção diante ...Projeto para o tcc   orientação educacional – mediação e  intervenção diante ...
Projeto para o tcc orientação educacional – mediação e intervenção diante ...
 
CONHECENDO A DIDATICA. ENCONTREI NA NET
CONHECENDO A DIDATICA. ENCONTREI NA NETCONHECENDO A DIDATICA. ENCONTREI NA NET
CONHECENDO A DIDATICA. ENCONTREI NA NET
 
Relacionamento interpessoal no ministério educacional pr. andré mourão
Relacionamento interpessoal no ministério educacional   pr. andré mourãoRelacionamento interpessoal no ministério educacional   pr. andré mourão
Relacionamento interpessoal no ministério educacional pr. andré mourão
 
Ensinar e aprender na escola
Ensinar e aprender na escolaEnsinar e aprender na escola
Ensinar e aprender na escola
 
A prática refelxiva no ensino médio
A prática refelxiva no ensino médioA prática refelxiva no ensino médio
A prática refelxiva no ensino médio
 

Apresenta..

  • 1. Professor x Educador Os Professores que temos ! Os Professores que desejamos! Os Professores que Precisamos ! EDUCADORES
  • 2. Para começar...BEM Estar 100% presente (corpo e alma) em cada momento Ser um participante envolvido / ativo; Focar a aprendizagem / a evolução / ajudar e ser ajudado; Superar preconceitos, pré-julgamento, barreiras mentais; Postura aberta ao novo, ao inédito, ao “diferente” para ampliar a visão; Ir fundo nas coisas; Praticar efetivamente os valores básicos ( honestidade, transparência e respeito).
  • 3. Difundiu-se com o aparecimento da obra de Jan Amos Comenius ( 1592 – 1670 ), Didactica Magna, ou tratado da arte universal de ensinar tudo a todos, publicada em 1657. É uma ciência cujo objetivo fundamental é ocupar-se das estratégias de ensino, das questões práticas relativas à metodologia e das estratégias de aprendizagem. DIDÁTICA Arte ou Técnica de Ensinar
  • 4. “ A ARTE de ENSINAR é muito mais do que puramente treinar o educando no desempenho de destrezas.” Paulo Freire
  • 5. A Evolução da Didática Conservadorismo; Foco no professor e na aula; Exigência da aprendizagem apenas para o aluno; Não abria mão dos conteúdos tradicionais; Memorização; Aplicar provas para dar notas; Garante a eficiência da aprendizagem; Enfatiza a elaboração de planos de ensino; Seleção de conteúdos; Compromete-se com a qualidade cognitiva das aprendizagens; Professor mediador da preparação dos alunos para o pensar . 1930 Hoje 1970
  • 6. Buscando Definições PEDAGOGIA – ciência que investiga a teoria e a prática da educação e sua relação com a prática social global. EDUCAÇÃO – prática social que ocorre em várias instituições e atividades humanas ( família, escola,trabalho, igrejas...) ENSINO - aspecto instrutivo da educação , formação, orientação, transmissão de conhecimentos . APRENDIZAGEM - evidencia-se : descoberta, apreensão, modificação de comportamento e aquisição de conhecimentos, que se referem diretamente ao aluno.
  • 7. Questionamento do Professor ENSINO Que matéria devo dar? Que programa devo seguir? Que critério deverei utilizar para aprovar ou reporvar os alunos? APRENDIZAGEM Quais as expectativas dos alunos? Em que medida determinado aprendizado será significativo para os alunos? Que estratégias serão mais adequadas para facilitar o aprendizado desses alunos ?
  • 8. Os Professores que temos ! Não dispõe de preparação pedagógica; Incentivam os alunos a desenvolverem habilidades de memorização; Avaliam a aprendizagem do aluno através da aplicação das provas e das notas; A sua arte é de exposição, são especialistas na disciplina; As ações desenvolvidas em sala de aula são expressas pelos verbos: instruir,orientar, apontar, guiar, dirigir, treinar, amoldar, preparar, doutrinar ; Centraliza-se em sua própria pessoa, em suas qualidades e habilidades.
  • 9. Os Professores que desejamos! Um professor que desenvolva nos alunos : aquisição de uma mentalidade científica, o desenvolvimento das capacidades de análise, síntese e avaliação, bem como o aprimoramento da imaginação criadora; Um facilitador de aprendizagem que construa conhecimentos; Um professor que adote estratégias de ensino diversificadas: mobilizar menos a memória e mais o raciocínio; Um professor criativo, inventivo, curioso pelo inusitado. Um professor que utilize um conteúdo contextualizado: vida social /pessoal/cotidiano.
  • 10. Responsabilidade e Funções do Professor Planejar estudos e trabalhos à formação do aluno; Orientar os alunos para perceber e sentir a realidade; Controlar os resultados dos estudos; Graduar dificuldades; Conhecer os alunos para estimulá-los em sua formação integral; Fomentar ideais e atitudes positivas diante da vida, da profissão e da sociedade; Favorecer na construção da autonomia intelectual. ENSINAR PARA A JUVENTUDE
  • 11. Auto-estima: Um dos pilares para que ocorra a aprendizagem é o desenvolvimento da auto-estima, o que faz com que o aluno tenha uma boa imagem de si mesmo.
  • 12. APRENDER A SER EDUCADOR SOCIAL Ninguém nasce educador social, mas aprende a sê-lo vivenciando processos formativos. É por meio da relação com o aprender que o indivíduo assume sua condição humana, um ser único e integrante de uma comunidade, ou seja, humaniza-se (torna-se homem), singulariza-se (torna-se único) e socializa-se (integra-se ao seu grupo social) (CHARLOT, 2000) Sabemos que nossa identidade se constitui num processo contínuo, por meio de nossas atividades cotidianas, e não-cotidianas, no trabalho, no lazer, na escola, na comunidade e em tantos outros tempos–espaços em que marcamos nossa presença no mundo
  • 13. Educador francês Bernard Charlot, um dos mais aplaudidos no 2º Fórum Mundial de Educação, defende que toda instituição de ensino deve conviver com: Saber + prazer + tensão = escola
  • 14. Ser professor, ser educador sempre foi um ofício carregado de tensões, uma tarefa nada fácil. Um ofício nobre, por um lado, mas árduo por outro, pois exige esforço tanto de quem aprende como de quem ensina. É preciso reconstruir as dimensões humanas da docência e da pedagogia para que os educadores e educandos sejam reconhecidos como gente e não como sujeitos epistêmicos, incorpóreos e irreais, sobre os quais são projetadas imagens românticas e idealizadas. Os educadores não se mostram preocupados em garantir aos jovens somente o domínio técnico, mas se preocupam com seus educandos como seres humanos, como sujeitos socioculturais.
  • 15. Ser educador não é só chegar na sala com o conteúdo a ser aplicado afinado, tem que conhecer e saber o sentimento do educando. Tem que procurar saber o que há dentro dele, para poder ajudá-lo de alguma forma. Ser educador é ser humano, tem que se preocupar com o seu educando, tem que gostar dele. A dimensão humana da educação é assinalada como característica primordial da docência por vários autores, como Charlot (1996, 2000, 2001, 2005), Gadotti (2005) e Arroyo (2005), uma dimensão, muitas vezes esquecida, que pode contribuir para explicar muitos conflitos nas escolas, entre professores e alunos.
  • 16. Diferentes Papéis do Educador Especialista Membro de Equipe Conselheiro Professor Didata Aprendiz Diagnosticador de Necessidades Administrador
  • 17. Relação Professor X Aluno Professores e Educandos “ Um par educativo” A escolha do professor baseia-se nos aspectos : AFETIVO METODOLÓGICO CONHECIMENTO DO CONTEÚDO HABILIDADES DE ENSINO
  • 18. Exercício da Docência
  • 19. Perceber que ser professor vai além de dominar conhecimentos/saberes/fazeres de determinado campo. ENVOLVE ATITUDES E VALORES tais como: Sensibilidade frente ao aluno Valorização dos saberes da experiência Ênfase nas relações interpessoais Aprendizagem compartilhada Ensinar e aprender com os alunos Ter por meta o desenvolvimento do aluno como pessoa e profissional Exercício da Docência
  • 20. COMO MELHORAR A QUALIDADE DAS AULAS Não existem fórmulas mágicas nem receitas infalíveis para garantir a eficácia das aulas. Mas há uma série de recomendações que podem contribuir.
  • 21. RECOMENDAÇÕES MANIFESTAR ESPONTANEIDADE FAZER FEEDBACK DURANTE A AULA UTILIZAR RECURSOS VARIADOS ENCORAJAR A TOMADA DE ANOTAÇÕES PROMOVER REVISÕES ENVOLVER O ALUNO NO SENTIDO DE OBTER SUA PARTICIPAÇÃO EFETIVA PERCEBER O DESINTERESSE DO ALUNO
  • 22. Compreendendo Definições MÉTODO Refere-se aos papéis e posturas assumidas pelo professor e alunos durante a situação de ensino. Modelo de ensino que o professor utiliza para maximizar as chances de aprendizagem eficaz TÉCNICA Refere-se a forma como o método será desenvolvido. Método de procedimentos, jeito ou maneira especial de ensinar. METODOLOGIA – são ações para serem desenvolvidas pelo professor e alunos, em cada etapa do processo ensino-aprendizagem .
  • 23. “ MESTRE ” ...É aquele que caminha com o tempo, propondo paz, fazendo comunhão, Despertando sabedoria. Mestre é aquele que estende a mão, Inicia o diálogo e encaminha para a aventura da vida. Não é o que ensina fórmulas, regras, raciocínios, mas o que questiona e desperta para a realidade. Não é aquele que dá de seu saber, mas aquele que faz germinar o saber, do discípulo. Mestre é um professor amigo que me compreende, me estimula, me comunica e me enriquece com sua presença, seu saber e sua ternura. Eu sempre serei um discípulo na escola da vida. Autor: desconhecido
  • 24. Na sua opinião o que é ser um bom professor ? P A R T I C I P E R E S P O N D A
  • 25. REFERÊNCIAS CANDAU, Vera Maria (Org.). A Didática em Questão . 7 ed. Petrópolis: Vozes, 1983. CANDAU, Vera Maria. Rumo a uma nova didática . Petrópolis: Vozes, 1988.   In: REALI & MIZUKAMI. Formação de professores, tendências atuais. São Carlos. EDUFSCAR. 1996. ANDRÉ, Marli. "O papel mediador da pesquisa no ensino de Didática". GIL, Antônio Carlos. Didática do Ensino Superior. São Paulo: Atlas, 2006. Ilma (org.) Didática: O ensino e suas relações. Campinas, Papirus, 1996. LIBÂNEO, José C. Didática. São Paulo. Cortez. 1990. LUCKESI, Cipriano C. "Avaliação educacional escolar: para além do autoritarismo". Revista da Ande. São Paulo, Cortez, ano 5, nº 10, 1986 e ano 6, nº 11 1986, (2ª parte). LIBÂNEO, José Carlos. Didática . São Paulo: Cortez, 1994. MASETTO, Marcos T. Didática : a aula como centro. 4. ed. São Paulo: FTD, 1997
  • 26. Educadora Ágata Dourado [email_address] (11) 9559-9769 (vivo) (11) 6103-8083 (oi) O B R I G A D A Projovem Trabalhador www.mte.gov.br/projovem Taboão da Serra / SP www.taboaodaserra.sp.gov.br Associação Horizontes www.ah.org.br