SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 32
Didádita na docência superior,
trabalho e profissão docente.
Alexsandro Prates Freitas
Psicólogo
O QUE É DIDÁTICA DO ENSINO SUPERIOR .
 Durante muito tempo prevaleceu no âmbito do

Ensino Superior a crença de que, para se tornar um
bom professor neste nível, bastaria dispor de
comunicação

fluente

e

sólidos

conhecimentos

relacionados à disciplina que pretendesse lecionar.
O QUE É DIDÁTICA DO ENSINO SUPERIOR .
 Hoje são poucas as pessoas envolvidas com as

questões educacionais que aceitam uma justificativa
desse tipo. O professor universitário, como o de

qualquer outro
sólidos
lecionar,

nível, necessita não apenas de

conhecimentos na área em que pretende
mas

pedagógicas suficientes
aprendizado mais eficaz.

também de habilidades

para tornar o
Qual o lugar da didática na formação
de professores.
 O termo didática deriva do grego didaktiké, que tem o

significado de arte do ensinar.
 Uma definição obtida em dicionário a vê se como

“parte da Pedagogia que trata dos preceitos científicos

que orientam a atividade educativa de modo a torná-la
mais eficiente” (HOUAISS, 2001. pg. 22).
Qual o lugar da didática na formação
de professores.
 Fundamentos da didática:
 Século XIX – Filosofia;
 Final do século XIX- nas ciencias, especialmente na

biologia e psicologia (pesquisas experimentais);
 Século XX - por sua vez,

movimentos de

surgiram numerosos

reforma escolar tanto na Europa

quanto na América.
Qual o lugar da didática na formação
de professores.
 Embora diversos entre si, esses

movimentos

reconheciam a insuficiência da didática tradicional e
aspiravam a uma educação que levasse mais em

conta os aspectos psicológicos
processo

de

ensino.

envolvidos no

Costuma-se

reunir

essas

tendências pedagógicas sob o nome de Pedagogia

da “Escola Nova” ou da “Escola Ativa”
Qual o lugar da didática na formação
de professores.
 A idéia básica da Escola Nova é a de que o aluno

aprende melhor por si próprio. A atenção às
diferenças individuais e a utilização de jogos

educativos passaram, portanto, a ter maior
destaque. Dessa forma, a Didática da escola
Nova passou a considerar o aluno como sujeito
da aprendizagem.
Qual o lugar da didática na formação
de professores.
 A didática passou a ser vista principalmente como

um conjunto de estratégias para proporcionar o

alcance dos produtos educacionais, confundindo-se
com a Metodologia de Ensino.
ENSINO OU APRENDIZAGEM?
 Aprendizagem

as

é

competencias,

comportamento

ou

modificados,

uma

é

o

processo

habilidades,

pelo

qual

conhecimentos,

valores

são

adquiridos

das

funções

mentais

ou
mais

importantes em humanos e animais e também pode ser

aplicada a sistemas artificiais.
ENSINO OU APRENDIZAGEM?
 O ensino é uma forma sistemática de transmissão

de conhecimentos utilizada pelos humanos para
instruir e educar seus semelhante. O ensino pode ser

praticado de diferentes formas. As principais são: o
ensino formal, o ensino informal e o ensino nãoformal.
ENSINO OU APRENDIZAGEM?
 Uma das principais questões relacionadas à atuação

do professor universitário refere- se à relação entre

ensino e aprendizagem. Trata-se de um assunto
bastante

polemico,

apesar

de

alguns

autores

considerarem-no uma falsa questão. Para Abreu e

Masetto (l986), uma das mais importantes opções
feitas pelo professor dá-se entre o ensino que
ministra ao aluno e a aprendizagem que este adquire.
ENSINO OU APRENDIZAGEM?
 Consciente ou inconscientemente, os professores

tendem a enfatizar um ou outro pólo, o que faz com
que sua atuação se diversifique significativamente.
Em apoio à postura que enfatiza o ensino, costumase lembrar que o magistério é uma vocação, que a
missão do professor é a de ensinar, que para isso é
que ele se preparou e que, à medida que seja um

especialista na matéria e que domine por meio da
todologia de ensino, o que é repassado aos alunos.
ENSINO OU APRENDIZAGEM?
À

medida

que

a

ênfase

é

colocada

na

aprendizagem, o papel predominante do professor
deixa de ser o de ensinar, e passa a ser o de ajudar o

aluno a aprender. Neste contexto , educar deixa de
ser a “arte de introduzir idéia na cabeça das
pessoas,

mas

de

fazer

(WERNER, BOWER, 1984, p. 1-15).

brotar

idéias”
ENSINO OU APRENDIZAGEM?
 O que de fato ocorre é que a grande maioria dos

professores

universitários

ainda

vê

o

ensino

principalmente como transmissão de conhecimento
através

das

certamente

aulas

atentos

expositivas.
às

inovações

Muitos

estão

pedagógicas,

sobretudo no referente à tecnologia material de
ensino, mas muitos outros mantêm uma atitude
conservadora.
ENSINO OU APRENDIZAGEM?
 Embora a polêmica persista, não é difícil constatar

que o ensino torna-se muito mais eficaz quando os
alunos de fato participam. As aulas tornam-se muito

mais vivas e interessantes quando são entrecortadas
com perguntas feitas aos alunos. Elas conduzem a
rumos diferentes, conforme as respostas dos alunos.
COMO ABORDAR O PROCESSO DE ENSINO
 O fenômeno educativo não é uma realidade acabada

capaz de ser identificada clara eprecisamente em
seus múltiplos aspectos. Por ser um fenômeno
humano e histórico, tende a ser abordado sob
diferentes óticas. Mizukami (l986) define cinco
abordagens:

tradicional,

comportamentalista,

humanista, cognitivista e sociocultural, que são
apresentadas a seguir:
COMO ABORDAR O PROCESSO DE ENSINO
 Abordagem tradicional. Esta abordagem privilegia o

professor

como

especialista,

como

elemento

fundamental na transmissão dos conteúdos. O aluno

é considerado um receptor passivo, até que, de
posse dos conhecimentos necessários, torna-se
capaz

de

ensiná-los

a

outros

eficientemente uma profissão.

e

a

exercer
PEDAGOGIA OU ANDRAGOGIA?
 Abordagem

comportamentalista.

comportamentalista

ou

Para

behavioristas,

os
o

conhecimento é resultado direto da experiência. A
escola é reconhecida como a agencia que educa
formalmente

e

os

modelos

educativos

são

desenvolvidos com base na análise dos processos
por meio dos quais o comportamento é modelado e
reforçado.
PEDAGOGIA OU ANDRAGOGIA?
 Abordagem

humanista.

predominantemente

Esta

foca

desenvolvimento

o

abordagem

da

personalidade dos indivíduos e tem Carl Rogers como

um de seus principais teóricos. O professor não
transite

conteúdos,

estudantes,

aprendizagem.

atuando

mas

dá

como

assistência

aos

facilitador

da
PEDAGOGIA OU ANDRAGOGIA?
 Abordagem

cognitivista

–

Esta

abordagem

é

fundamentalmente interacionista. O conhecimento é
entendido como produto das interações entre sujeito

e objeto, não enfatizando nenhum pólo desta
relação,

como

acontece

na

abordagem

comportamentalista, que enfatiza o objeto, e na

humanista, que enfatiza Bruner.
 Abordagem sociocultural. Esta abordagem enfatiza os

aspectos socioculturais que envolvem o processo de
aprendizagem.

Assim

como

o

construtivismo,

esta

abordagem pode ser considerada interacionista. No
entanto,

confere

ênfase

especial

ao

sujeito

como

elaborador e criador do conhecimento. O ser humano
torna-se efetivamente um “ser sujeito” à medida que,

integrado ao seu contexto, reflete sobre ele e torna
consciência de sua historicidade.
PEDAGOGIA OU ANDRAGOGIA?
 Embora o educador seja visto como o principal

elemento do processo de aprendizagem, ele não tem

por natureza o domínio total de fatores que estão
relacionados

aos

particularidades

estudantes,
pessoais,

tais

como

necessidades

suas
e

interesses.
 Pedagogia refere-se a condução de crianças.
 Andragogia refere-se à arte e a ciencia de orientar

os adultos a aprender.
PEDAGOGIA OU ANDRAGOGIA?

 A andragogia fundamenta-se nos seguintes princípios:

 Conceito de aprendente. Este conceito é adotado como

alternativa ao de “aluno” ou “formando”. O aprendente,
ou aquele que aprende, é autodirigido, o que significa que
a responsável pela sua aprendizagem e estabelece e
delimita o seu percurso educacional.
PEDAGOGIA OU ANDRAGOGIA?
 Necessidade do conhecimento. Os adultos sabem

melhor do que as crianças da necessidade de
conhecimento.

responsáveis

Eles

pela

se

sua

sentem

muito

aprendizagem

delimitação de seu percurso educacional.

e

mais

pela
PEDAGOGIA OU ANDRAGOGIA?
 Motivação para aprender. O modelo andragógico leva

em conta as motivações externas, como melhor
trabalho e aumento salarial, mas também, valoriza,
particularmente,
relacionadas

com

as
sua

motivações
própria

internas

vontade

de

crescimento, como auto-estima, reconhecimento,
autoconfiança e atualização das potencialidades
pessoais.
PEDAGOGIA OU ANDRAGOGIA?
 Papel da experiência. Os adultos entram num

processo

educativo

com

experiências

bastante

diversas e é a partir delas que eles se dispõem a

participar ou não de algum programa educacional.
Por isso, essas experiências devem ser aceitas como
fonte

de

partilhados,
acadêmica.

recursos

servindo

a

serem

base

para

valorizados

a

e

formação
PEDAGOGIA OU ANDRAGOGIA?
 Prontidão para o aprendizado. O adulto tem uma

orientação mais pragmática do que a da criança. O
adulto está pronto para aprender o que decide
aprender. Ele se torna disponível par aprender
quando pretende melhorar seu desempenho em
relação a determinado aspecto de sua vida. Sua
seleção de aprendizagem é natural e realista; por

isso, muitas vezes ele se nega a aprender o que os
outros lhe impõem.
PEDAGOGIA OU ANDRAGOGIA?
 Dessa forma, uma educação no contexto andragógico

requer :
 Elaboração de diagnósticos de necessidades e interesses

dos estudantes;
 Definição de objetivos e planejamento das tarefas com a

participação dos estudantes;
 Estabelecimento de um clima cooperativo, informal e de

suporte a aprendizagem;
 Seleção de conteúdos significativos para os estudantes;
PEDAGOGIA OU ANDRAGOGIA?
 definição de contratos e projetos de aprendizagem;
 aprendizagem orientada para tarefas ou centrada em

problemas; uso de projetos de investigação, estudo
independente e técnicas vivenciais;
 valorização da discussão e da solução de problemas em

grupo;
 utilização de procedimentos de avaliação diretamente

relacionados à aprendizagem.
O QUE TORNA O APRENDIZADO EFICAZ
 Influência sobre a aprendizagem:
 O educando - aptidões, hábitos e motivação.

 O professor – conhecimento, habilidades pedagógicas,

motivação e a percepção acerca da educação.
 O curso – objetivos propostos e os métodos utilizados
O QUE TORNA O APRENDIZADO EFICAZ
 Variáveis relacionadas aos alunos
 Diferenças

individuais, dejeso, hábitos, determinação, etc.

 Variáveis relacionada aos professores
 Habilidades,

motivação,
hábitos
dos
alunos, conhecimento a respeito da matéria que
se diespõe a ensinar, etc.
 Variáveis relacionadas ao curso
 Objetivos, organização.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

90429836 abordagens-pedagogicas-maria-da-graca-nicoletti-mizukami
90429836 abordagens-pedagogicas-maria-da-graca-nicoletti-mizukami90429836 abordagens-pedagogicas-maria-da-graca-nicoletti-mizukami
90429836 abordagens-pedagogicas-maria-da-graca-nicoletti-mizukamicavcap
 
Concepções Teóricas de Aprendizagem Paulo Freire
Concepções Teóricas de Aprendizagem  Paulo FreireConcepções Teóricas de Aprendizagem  Paulo Freire
Concepções Teóricas de Aprendizagem Paulo FreireTatiane Ferreira
 
Relação professor-aluno no contexto escolar - EJA
Relação professor-aluno no contexto escolar - EJARelação professor-aluno no contexto escolar - EJA
Relação professor-aluno no contexto escolar - EJABruno Roots
 
1.ensino as abordagens do processo
1.ensino as abordagens do processo1.ensino as abordagens do processo
1.ensino as abordagens do processoUlisses Vakirtzis
 
O Papel do Professor/Educador
O Papel do Professor/EducadorO Papel do Professor/Educador
O Papel do Professor/Educadorminizao
 
Procedimentos e métodos de ensino
Procedimentos e métodos de ensinoProcedimentos e métodos de ensino
Procedimentos e métodos de ensinoPoliana Silvesso
 
Métodos e técnicas de ensino
Métodos e técnicas de ensinoMétodos e técnicas de ensino
Métodos e técnicas de ensinoMekinho20
 
Processo de Ensino na Escola
Processo de Ensino na EscolaProcesso de Ensino na Escola
Processo de Ensino na EscolaMarcia Caroline
 
Por uma prática docente crítica e construtiva - Cipriano Carlos Luckesi
Por uma prática docente crítica e construtiva - Cipriano Carlos Luckesi Por uma prática docente crítica e construtiva - Cipriano Carlos Luckesi
Por uma prática docente crítica e construtiva - Cipriano Carlos Luckesi Robson Soares
 
Abordagem sócio cultural
Abordagem sócio culturalAbordagem sócio cultural
Abordagem sócio culturalAriella Araujo
 
Atividades extraclasses e extra
Atividades extraclasses e extraAtividades extraclasses e extra
Atividades extraclasses e extraRenata Peruce
 
4.avaliação da aprendizagem
4.avaliação da aprendizagem4.avaliação da aprendizagem
4.avaliação da aprendizagemUlisses Vakirtzis
 
A sala de aula como espaço de comunicação
A sala de aula como espaço de comunicaçãoA sala de aula como espaço de comunicação
A sala de aula como espaço de comunicaçãoAna Paula Azevedo
 
As Principais Correntes Pedagógicas
As Principais Correntes PedagógicasAs Principais Correntes Pedagógicas
As Principais Correntes PedagógicasJessica Nuvens
 
Abordagens pedagógicas e atividades
Abordagens pedagógicas e atividadesAbordagens pedagógicas e atividades
Abordagens pedagógicas e atividadesAdelaide Dias
 

Mais procurados (18)

90429836 abordagens-pedagogicas-maria-da-graca-nicoletti-mizukami
90429836 abordagens-pedagogicas-maria-da-graca-nicoletti-mizukami90429836 abordagens-pedagogicas-maria-da-graca-nicoletti-mizukami
90429836 abordagens-pedagogicas-maria-da-graca-nicoletti-mizukami
 
Concepções Teóricas de Aprendizagem Paulo Freire
Concepções Teóricas de Aprendizagem  Paulo FreireConcepções Teóricas de Aprendizagem  Paulo Freire
Concepções Teóricas de Aprendizagem Paulo Freire
 
Relação professor-aluno no contexto escolar - EJA
Relação professor-aluno no contexto escolar - EJARelação professor-aluno no contexto escolar - EJA
Relação professor-aluno no contexto escolar - EJA
 
1.ensino as abordagens do processo
1.ensino as abordagens do processo1.ensino as abordagens do processo
1.ensino as abordagens do processo
 
Avaliação Escolar
Avaliação EscolarAvaliação Escolar
Avaliação Escolar
 
O contexto escolar
O contexto escolarO contexto escolar
O contexto escolar
 
O Papel do Professor/Educador
O Papel do Professor/EducadorO Papel do Professor/Educador
O Papel do Professor/Educador
 
Procedimentos e métodos de ensino
Procedimentos e métodos de ensinoProcedimentos e métodos de ensino
Procedimentos e métodos de ensino
 
Métodos e técnicas de ensino
Métodos e técnicas de ensinoMétodos e técnicas de ensino
Métodos e técnicas de ensino
 
Processo de Ensino na Escola
Processo de Ensino na EscolaProcesso de Ensino na Escola
Processo de Ensino na Escola
 
Por uma prática docente crítica e construtiva - Cipriano Carlos Luckesi
Por uma prática docente crítica e construtiva - Cipriano Carlos Luckesi Por uma prática docente crítica e construtiva - Cipriano Carlos Luckesi
Por uma prática docente crítica e construtiva - Cipriano Carlos Luckesi
 
Abordagem sócio cultural
Abordagem sócio culturalAbordagem sócio cultural
Abordagem sócio cultural
 
Atividades extraclasses e extra
Atividades extraclasses e extraAtividades extraclasses e extra
Atividades extraclasses e extra
 
4.avaliação da aprendizagem
4.avaliação da aprendizagem4.avaliação da aprendizagem
4.avaliação da aprendizagem
 
A sala de aula como espaço de comunicação
A sala de aula como espaço de comunicaçãoA sala de aula como espaço de comunicação
A sala de aula como espaço de comunicação
 
Texto alvarez
Texto alvarezTexto alvarez
Texto alvarez
 
As Principais Correntes Pedagógicas
As Principais Correntes PedagógicasAs Principais Correntes Pedagógicas
As Principais Correntes Pedagógicas
 
Abordagens pedagógicas e atividades
Abordagens pedagógicas e atividadesAbordagens pedagógicas e atividades
Abordagens pedagógicas e atividades
 

Semelhante a Didática no Ensino Superior e Aprendizagem dos Alunos

Apostila de didatica parte 1 - visao geral
Apostila de didatica   parte 1 - visao geralApostila de didatica   parte 1 - visao geral
Apostila de didatica parte 1 - visao geralafpinto
 
Apresentação slaide curso ava
Apresentação slaide curso avaApresentação slaide curso ava
Apresentação slaide curso avaselmatdn
 
Apresentação slaide curso ava
Apresentação slaide curso avaApresentação slaide curso ava
Apresentação slaide curso avaselmatdn
 
Estrutura e tendências politicas
Estrutura e tendências politicasEstrutura e tendências politicas
Estrutura e tendências politicasAlexsandro Prates
 
conhecendoadidtica_um estudo inicial.ppt
conhecendoadidtica_um estudo inicial.pptconhecendoadidtica_um estudo inicial.ppt
conhecendoadidtica_um estudo inicial.pptThaisJussara
 
CONHECENDO A DIDATICA. ENCONTREI NA NET
CONHECENDO A DIDATICA. ENCONTREI NA NETCONHECENDO A DIDATICA. ENCONTREI NA NET
CONHECENDO A DIDATICA. ENCONTREI NA NETCristina Ferreira
 
DIDATICA Didática i aula
DIDATICA Didática i   aulaDIDATICA Didática i   aula
DIDATICA Didática i aulaLeandro Pereira
 
Aula 01 - Métodos pedagógicos.pptx
Aula 01 - Métodos pedagógicos.pptxAula 01 - Métodos pedagógicos.pptx
Aula 01 - Métodos pedagógicos.pptxRafaelaPavanelliChav
 
Neuroeducaçao a medula da educação
Neuroeducaçao a medula da educaçãoNeuroeducaçao a medula da educação
Neuroeducaçao a medula da educaçãoClaudia Loureiro
 
Apresentação aula 1.pptx
Apresentação aula 1.pptxApresentação aula 1.pptx
Apresentação aula 1.pptxDrikaSato
 
Apresentação
Apresentação Apresentação
Apresentação DrikaSato
 
Ensino as abordagens do processo
Ensino as abordagens do processoEnsino as abordagens do processo
Ensino as abordagens do processoNayra Carneiro
 

Semelhante a Didática no Ensino Superior e Aprendizagem dos Alunos (20)

História da pedagogia e da didática
História da pedagogia e da didáticaHistória da pedagogia e da didática
História da pedagogia e da didática
 
História da pedagogia e da didática
História da pedagogia e da didáticaHistória da pedagogia e da didática
História da pedagogia e da didática
 
Apostila de didatica parte 1 - visao geral
Apostila de didatica   parte 1 - visao geralApostila de didatica   parte 1 - visao geral
Apostila de didatica parte 1 - visao geral
 
didatica no ensino superios 3
didatica no ensino superios 3didatica no ensino superios 3
didatica no ensino superios 3
 
aprender e ensinar
aprender e ensinaraprender e ensinar
aprender e ensinar
 
Apresentação slaide curso ava
Apresentação slaide curso avaApresentação slaide curso ava
Apresentação slaide curso ava
 
Apresentação slaide curso ava
Apresentação slaide curso avaApresentação slaide curso ava
Apresentação slaide curso ava
 
Estrutura e tendências politicas
Estrutura e tendências politicasEstrutura e tendências politicas
Estrutura e tendências politicas
 
conhecendoadidtica_um estudo inicial.ppt
conhecendoadidtica_um estudo inicial.pptconhecendoadidtica_um estudo inicial.ppt
conhecendoadidtica_um estudo inicial.ppt
 
CONHECENDO A DIDATICA. ENCONTREI NA NET
CONHECENDO A DIDATICA. ENCONTREI NA NETCONHECENDO A DIDATICA. ENCONTREI NA NET
CONHECENDO A DIDATICA. ENCONTREI NA NET
 
Apresenta..
Apresenta..Apresenta..
Apresenta..
 
Professor x Educador
Professor x EducadorProfessor x Educador
Professor x Educador
 
DIDATICA Didática i aula
DIDATICA Didática i   aulaDIDATICA Didática i   aula
DIDATICA Didática i aula
 
Conhecendo a didática
Conhecendo a didáticaConhecendo a didática
Conhecendo a didática
 
Aula 01 - Métodos pedagógicos.pptx
Aula 01 - Métodos pedagógicos.pptxAula 01 - Métodos pedagógicos.pptx
Aula 01 - Métodos pedagógicos.pptx
 
Neuroeducaçao a medula da educação
Neuroeducaçao a medula da educaçãoNeuroeducaçao a medula da educação
Neuroeducaçao a medula da educação
 
Apresentação aula 1.pptx
Apresentação aula 1.pptxApresentação aula 1.pptx
Apresentação aula 1.pptx
 
Apresentação
Apresentação Apresentação
Apresentação
 
20265 87941-1-pb
20265 87941-1-pb20265 87941-1-pb
20265 87941-1-pb
 
Ensino as abordagens do processo
Ensino as abordagens do processoEnsino as abordagens do processo
Ensino as abordagens do processo
 

Didática no Ensino Superior e Aprendizagem dos Alunos

  • 1. Didádita na docência superior, trabalho e profissão docente. Alexsandro Prates Freitas Psicólogo
  • 2. O QUE É DIDÁTICA DO ENSINO SUPERIOR .  Durante muito tempo prevaleceu no âmbito do Ensino Superior a crença de que, para se tornar um bom professor neste nível, bastaria dispor de comunicação fluente e sólidos conhecimentos relacionados à disciplina que pretendesse lecionar.
  • 3. O QUE É DIDÁTICA DO ENSINO SUPERIOR .  Hoje são poucas as pessoas envolvidas com as questões educacionais que aceitam uma justificativa desse tipo. O professor universitário, como o de qualquer outro sólidos lecionar, nível, necessita não apenas de conhecimentos na área em que pretende mas pedagógicas suficientes aprendizado mais eficaz. também de habilidades para tornar o
  • 4. Qual o lugar da didática na formação de professores.  O termo didática deriva do grego didaktiké, que tem o significado de arte do ensinar.  Uma definição obtida em dicionário a vê se como “parte da Pedagogia que trata dos preceitos científicos que orientam a atividade educativa de modo a torná-la mais eficiente” (HOUAISS, 2001. pg. 22).
  • 5. Qual o lugar da didática na formação de professores.  Fundamentos da didática:  Século XIX – Filosofia;  Final do século XIX- nas ciencias, especialmente na biologia e psicologia (pesquisas experimentais);  Século XX - por sua vez, movimentos de surgiram numerosos reforma escolar tanto na Europa quanto na América.
  • 6. Qual o lugar da didática na formação de professores.  Embora diversos entre si, esses movimentos reconheciam a insuficiência da didática tradicional e aspiravam a uma educação que levasse mais em conta os aspectos psicológicos processo de ensino. envolvidos no Costuma-se reunir essas tendências pedagógicas sob o nome de Pedagogia da “Escola Nova” ou da “Escola Ativa”
  • 7. Qual o lugar da didática na formação de professores.  A idéia básica da Escola Nova é a de que o aluno aprende melhor por si próprio. A atenção às diferenças individuais e a utilização de jogos educativos passaram, portanto, a ter maior destaque. Dessa forma, a Didática da escola Nova passou a considerar o aluno como sujeito da aprendizagem.
  • 8. Qual o lugar da didática na formação de professores.  A didática passou a ser vista principalmente como um conjunto de estratégias para proporcionar o alcance dos produtos educacionais, confundindo-se com a Metodologia de Ensino.
  • 9. ENSINO OU APRENDIZAGEM?  Aprendizagem as é competencias, comportamento ou modificados, uma é o processo habilidades, pelo qual conhecimentos, valores são adquiridos das funções mentais ou mais importantes em humanos e animais e também pode ser aplicada a sistemas artificiais.
  • 10. ENSINO OU APRENDIZAGEM?  O ensino é uma forma sistemática de transmissão de conhecimentos utilizada pelos humanos para instruir e educar seus semelhante. O ensino pode ser praticado de diferentes formas. As principais são: o ensino formal, o ensino informal e o ensino nãoformal.
  • 11. ENSINO OU APRENDIZAGEM?  Uma das principais questões relacionadas à atuação do professor universitário refere- se à relação entre ensino e aprendizagem. Trata-se de um assunto bastante polemico, apesar de alguns autores considerarem-no uma falsa questão. Para Abreu e Masetto (l986), uma das mais importantes opções feitas pelo professor dá-se entre o ensino que ministra ao aluno e a aprendizagem que este adquire.
  • 12. ENSINO OU APRENDIZAGEM?  Consciente ou inconscientemente, os professores tendem a enfatizar um ou outro pólo, o que faz com que sua atuação se diversifique significativamente. Em apoio à postura que enfatiza o ensino, costumase lembrar que o magistério é uma vocação, que a missão do professor é a de ensinar, que para isso é que ele se preparou e que, à medida que seja um especialista na matéria e que domine por meio da todologia de ensino, o que é repassado aos alunos.
  • 13. ENSINO OU APRENDIZAGEM? À medida que a ênfase é colocada na aprendizagem, o papel predominante do professor deixa de ser o de ensinar, e passa a ser o de ajudar o aluno a aprender. Neste contexto , educar deixa de ser a “arte de introduzir idéia na cabeça das pessoas, mas de fazer (WERNER, BOWER, 1984, p. 1-15). brotar idéias”
  • 14. ENSINO OU APRENDIZAGEM?  O que de fato ocorre é que a grande maioria dos professores universitários ainda vê o ensino principalmente como transmissão de conhecimento através das certamente aulas atentos expositivas. às inovações Muitos estão pedagógicas, sobretudo no referente à tecnologia material de ensino, mas muitos outros mantêm uma atitude conservadora.
  • 15. ENSINO OU APRENDIZAGEM?  Embora a polêmica persista, não é difícil constatar que o ensino torna-se muito mais eficaz quando os alunos de fato participam. As aulas tornam-se muito mais vivas e interessantes quando são entrecortadas com perguntas feitas aos alunos. Elas conduzem a rumos diferentes, conforme as respostas dos alunos.
  • 16. COMO ABORDAR O PROCESSO DE ENSINO  O fenômeno educativo não é uma realidade acabada capaz de ser identificada clara eprecisamente em seus múltiplos aspectos. Por ser um fenômeno humano e histórico, tende a ser abordado sob diferentes óticas. Mizukami (l986) define cinco abordagens: tradicional, comportamentalista, humanista, cognitivista e sociocultural, que são apresentadas a seguir:
  • 17. COMO ABORDAR O PROCESSO DE ENSINO  Abordagem tradicional. Esta abordagem privilegia o professor como especialista, como elemento fundamental na transmissão dos conteúdos. O aluno é considerado um receptor passivo, até que, de posse dos conhecimentos necessários, torna-se capaz de ensiná-los a outros eficientemente uma profissão. e a exercer
  • 18. PEDAGOGIA OU ANDRAGOGIA?  Abordagem comportamentalista. comportamentalista ou Para behavioristas, os o conhecimento é resultado direto da experiência. A escola é reconhecida como a agencia que educa formalmente e os modelos educativos são desenvolvidos com base na análise dos processos por meio dos quais o comportamento é modelado e reforçado.
  • 19. PEDAGOGIA OU ANDRAGOGIA?  Abordagem humanista. predominantemente Esta foca desenvolvimento o abordagem da personalidade dos indivíduos e tem Carl Rogers como um de seus principais teóricos. O professor não transite conteúdos, estudantes, aprendizagem. atuando mas dá como assistência aos facilitador da
  • 20. PEDAGOGIA OU ANDRAGOGIA?  Abordagem cognitivista – Esta abordagem é fundamentalmente interacionista. O conhecimento é entendido como produto das interações entre sujeito e objeto, não enfatizando nenhum pólo desta relação, como acontece na abordagem comportamentalista, que enfatiza o objeto, e na humanista, que enfatiza Bruner.
  • 21.  Abordagem sociocultural. Esta abordagem enfatiza os aspectos socioculturais que envolvem o processo de aprendizagem. Assim como o construtivismo, esta abordagem pode ser considerada interacionista. No entanto, confere ênfase especial ao sujeito como elaborador e criador do conhecimento. O ser humano torna-se efetivamente um “ser sujeito” à medida que, integrado ao seu contexto, reflete sobre ele e torna consciência de sua historicidade.
  • 22. PEDAGOGIA OU ANDRAGOGIA?  Embora o educador seja visto como o principal elemento do processo de aprendizagem, ele não tem por natureza o domínio total de fatores que estão relacionados aos particularidades estudantes, pessoais, tais como necessidades suas e interesses.  Pedagogia refere-se a condução de crianças.  Andragogia refere-se à arte e a ciencia de orientar os adultos a aprender.
  • 23. PEDAGOGIA OU ANDRAGOGIA?  A andragogia fundamenta-se nos seguintes princípios:  Conceito de aprendente. Este conceito é adotado como alternativa ao de “aluno” ou “formando”. O aprendente, ou aquele que aprende, é autodirigido, o que significa que a responsável pela sua aprendizagem e estabelece e delimita o seu percurso educacional.
  • 24. PEDAGOGIA OU ANDRAGOGIA?  Necessidade do conhecimento. Os adultos sabem melhor do que as crianças da necessidade de conhecimento. responsáveis Eles pela se sua sentem muito aprendizagem delimitação de seu percurso educacional. e mais pela
  • 25. PEDAGOGIA OU ANDRAGOGIA?  Motivação para aprender. O modelo andragógico leva em conta as motivações externas, como melhor trabalho e aumento salarial, mas também, valoriza, particularmente, relacionadas com as sua motivações própria internas vontade de crescimento, como auto-estima, reconhecimento, autoconfiança e atualização das potencialidades pessoais.
  • 26. PEDAGOGIA OU ANDRAGOGIA?  Papel da experiência. Os adultos entram num processo educativo com experiências bastante diversas e é a partir delas que eles se dispõem a participar ou não de algum programa educacional. Por isso, essas experiências devem ser aceitas como fonte de partilhados, acadêmica. recursos servindo a serem base para valorizados a e formação
  • 27. PEDAGOGIA OU ANDRAGOGIA?  Prontidão para o aprendizado. O adulto tem uma orientação mais pragmática do que a da criança. O adulto está pronto para aprender o que decide aprender. Ele se torna disponível par aprender quando pretende melhorar seu desempenho em relação a determinado aspecto de sua vida. Sua seleção de aprendizagem é natural e realista; por isso, muitas vezes ele se nega a aprender o que os outros lhe impõem.
  • 28. PEDAGOGIA OU ANDRAGOGIA?  Dessa forma, uma educação no contexto andragógico requer :  Elaboração de diagnósticos de necessidades e interesses dos estudantes;  Definição de objetivos e planejamento das tarefas com a participação dos estudantes;  Estabelecimento de um clima cooperativo, informal e de suporte a aprendizagem;  Seleção de conteúdos significativos para os estudantes;
  • 29. PEDAGOGIA OU ANDRAGOGIA?  definição de contratos e projetos de aprendizagem;  aprendizagem orientada para tarefas ou centrada em problemas; uso de projetos de investigação, estudo independente e técnicas vivenciais;  valorização da discussão e da solução de problemas em grupo;  utilização de procedimentos de avaliação diretamente relacionados à aprendizagem.
  • 30. O QUE TORNA O APRENDIZADO EFICAZ  Influência sobre a aprendizagem:  O educando - aptidões, hábitos e motivação.  O professor – conhecimento, habilidades pedagógicas, motivação e a percepção acerca da educação.  O curso – objetivos propostos e os métodos utilizados
  • 31. O QUE TORNA O APRENDIZADO EFICAZ  Variáveis relacionadas aos alunos  Diferenças individuais, dejeso, hábitos, determinação, etc.  Variáveis relacionada aos professores  Habilidades, motivação, hábitos dos alunos, conhecimento a respeito da matéria que se diespõe a ensinar, etc.
  • 32.  Variáveis relacionadas ao curso  Objetivos, organização.