SlideShare uma empresa Scribd logo
PROFESSORES E ALUNOS
REFLEXIVOS EM UMA
ESCOLA REFLEXIVA
Isabel Alarcão, doutora em Educação
pela Universidade de Liverpool.
Itapecuru-Mirim
07/05/2009
ADAPTAÇÃO DO TEXTO DE
NOVONOVO
Alunos, professores e escola
face à sociedade da informação
 As escolas são lugares onde novas
competências devem ser adquiridas
ou reconhecidas e desenvolvidas.
 Novas atitudes dos alunos, dos
professores e das escolas.
 A escola não detém o monopólio do saber.
 O professor não é o único transmissor do
saber e tem que aceitar a situar-se nas
mudanças, que são bem mais exigentes.
 O aluno já não é mais o receptor a deixar-se
rechear de conteúdos.
 Precisa aprender a gerir e a relacionar
informações para as transformar no seu
conhecimento e no seu saber.
Sociedade da informação e do
conhecimento – sociedade da
aprendizagem
 A rápida evolução dos conhecimentos
com a evolução das necessidades da
sociedade, exigem de todos uma
permanente aprendizagem individual
e colaborativa.
As novas competências exigidas pela
sociedade da informação e da comunicação,
do conhecimento e da aprendizagem
 Absorver o conhecimento (fatos,
métodos, conceitos e princípios).
 Saber o que fazer e como fazer, com os
conhecimentos.
 Experiência (capacidade de aprender com
o sucesso e com os erros).
 Ter boa relação, formar redes de contatos
e influência, integrar-se.
 Vontade de agir, acreditar, empenhar-se,
aceitar responsabilidades.
 Ser capaz de se adaptar diante das
diferenças.
 Desenvolver a compreensão e a
solidariedade.
 Capacidade de utilizar a linguagem
informática com o fim de pesquisa.
A competência para lidar com a
informação na sociedade da
aprendizagem
 A capacidade de utilizar a informação
de modo rápido e flexível.
 A capacidade para lidar com a
informação e os meios que a tornam
acessível na hora certa.
 Por em ação a mente interpretativa,
seletiva, sistematizadora e criadora.
Os alunos na sociedade da
aprendizagem
 Aprender a ser aprendente ao longo da
vida.
 Tem de se convencer de que tem de ir
à procura do saber.
 Tem de descobrir o prazer de ser uma
mente ativa e não meramente
receptiva.
RESULTADOS
 Afastamento de uma pedagogia da
dependência para uma pedagogia da
autonomia
 Maior consciência crítica
 Maior participação perante os contextos
 Valorização das suas capacidades
 Maior responsabilidade
 Criação de comunidade de aprendizagem
Os professores na sociedade da
aprendizagem
Qual o papel dos professores?
- Criar, estruturar e dinamizar situações
de aprendizagens e estimular a
aprendizagem e a autoconfiança nas
capacidades individuais para
aprender.
- O professor deve se conscientizar de
que é apenas uma fonte deapenas uma fonte de
informaçãoinformação entre muitas outras
 Para não se sentirem ultrapassados,
os professores precisam
urgentemente se recontextualizarem
na sua identidade e responsabilidades
profissionais.
 Precisam estar num constantePrecisam estar num constante
processo de auto - formação eprocesso de auto - formação e
identificaçãoidentificação
A escola na sociedade da
aprendizagem
 A ESCOLA DEVE TER
 Acesso facilitado tanto a livros e revistas
quanto a computadores e base de dados e
aos serviços da internet.
 As escolas precisam funcionar como
comunidades autocríticas, aprendentes e
reflexivas.
O que é uma escola reflexiva?
“é uma escola que sabe onde está e
para onde que ir. Pensa-se, tem um
projeto orientador de ação e trabalho
em equipe. É uma comunidade
pensante. Ao pensar a escola, os seus
membros enriquecem-se e
qualificam-se a si próprios.
Nessa medida, a escola é umaNessa medida, a escola é uma
organização simultaneamenteorganização simultaneamente
aprendente e qualificante”.aprendente e qualificante”.
Em que se baseia a noção de
professor reflexivo?
 Baseia-se na consciência da capacidade de
pensamento e reflexão que caracteriza o ser
humano como criativo e não como mero
reprodutor de idéias e práticas.
Qual a relação entre o professor reflexivo e
a escola reflexiva?
- o professor não pode agir isoladamente na
sua escola.
- a escola tem de ser organizada de modo a
criar condições de reflexividade individuais e
coletivas.
Gerir uma escola reflexiva
 Escola é comunidade com projeto
 “ o projeto educativo surge como o
instrumento, por excelência, da construçãoconstrução
da autonomiada autonomia do estabelecimento de
ensino.
 Corresponde a um processo de produção deprodução de
conhecimentos(investigaçãoconhecimentos(investigação), a um
processo de
mudançaorganizacional(inovação) e a um
processo de mudança de representações e
de práticas dos indivíduos(formação)”
Gerir uma escola reflexiva é:
- Ser capaz de liderar e mobilizar as pessoas;
- Saber agir em situação;
- Nortear-se pelo projeto de escola;
- Assegurar uma atuação sistêmica;
- Assegurar uma participação democrática;
- Pensar e escutar antes de decidir.
- Saber avaliar e deixar-se avaliar
 Ser consequente;
 Ser capaz de ultrapassar dicotomias
paralizantes;
 Decidir;
 Acreditar que todos e a própria escola
se encontram num processo de
desenvolvimento e de aprendizagem
Resultado
 O resultado de gerir uma escolaO resultado de gerir uma escola
reflexiva é ter a satisfação de saberreflexiva é ter a satisfação de saber
que a sua instituição tem rostoque a sua instituição tem rosto
próprio e é respeitada por issopróprio e é respeitada por isso
mesmo, como nome próprio, commesmo, como nome próprio, com
identidade.identidade.
AVALIAÇÃO
Como na Escola da Ponte, aqui é bem diferente esse conceito de
avaliação. O aluno avança conforme sua autonomia e seu ritmo.
Assim, em um mesmo espaço convivem crianças que estão
estudando objetivos diferentes, que não percorrem o mesmo
caminho e que avançam amis que outras.
.
Os ritmos são respeitados. O que o aluno não atingiu numritmos são respeitados. O que o aluno não atingiu num
bimestre pode atingir no próximo. Pode, inclusive, levar para obimestre pode atingir no próximo. Pode, inclusive, levar para o
ano seguinte objetivos não alcançados.Ela segue com aquilo queano seguinte objetivos não alcançados.Ela segue com aquilo que
aprendeu e que ainda precisa ser alcançado.aprendeu e que ainda precisa ser alcançado.
Neste sistema o estudante terá sempre que alcançar resultado de
100% em cada objetivo estudado.
Quando ele descobre isso, ele se esforça e realmente aprende.Quando ele descobre isso, ele se esforça e realmente aprende.
“Comece fazendo o que é
necessário, depois o que é possível
e de repente você estará fazendo o
que parecia impossível”.
São Francisco de Assis
NOVONOVO
VERDADEIRA VIRADA NAVERDADEIRA VIRADA NA
EDUCAÇÃO DO COLÉGIOEDUCAÇÃO DO COLÉGIO
SANTOS DUMONT.SANTOS DUMONT.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Concepções pedagógica
Concepções pedagógicaConcepções pedagógica
Concepções pedagógica
Maria de los Dolores J Peña
 
Tendência crítico social dos conteúdos
Tendência crítico social dos conteúdosTendência crítico social dos conteúdos
Tendência crítico social dos conteúdos
Colégio Estadual Padre Fernando Gomes de Melo
 
Avaliação da aprendizagem
Avaliação da aprendizagemAvaliação da aprendizagem
Avaliação da aprendizagem
Cleyton Carvalho
 
Pedagogia da autonomia
Pedagogia da autonomia Pedagogia da autonomia
Pedagogia da autonomia
Gisele Da Fonseca
 
2. Freire. P. Pedagogia Autonomia. Paulo Deloroso
2. Freire. P. Pedagogia Autonomia. Paulo Deloroso2. Freire. P. Pedagogia Autonomia. Paulo Deloroso
2. Freire. P. Pedagogia Autonomia. Paulo Deloroso
Andrea Cortelazzi
 
Gestão de sala de aula
Gestão de sala de aula Gestão de sala de aula
Gestão de sala de aula
mtolentino1507
 
Didatica e formação do professor parte1
Didatica e formação do professor parte1Didatica e formação do professor parte1
Didatica e formação do professor parte1
Naysa Taboada
 
Slides planejamento escolar
Slides planejamento escolarSlides planejamento escolar
Slides planejamento escolar
Ananda Lima
 
Formação Docente Profissional
Formação Docente ProfissionalFormação Docente Profissional
Formação Docente Profissional
profamiriamnavarro
 
O estágio supervisionado na formação continuada docente
O estágio supervisionado na formação continuada docenteO estágio supervisionado na formação continuada docente
O estágio supervisionado na formação continuada docente
Eberson Luz
 
Tardif, maurice saberes docentes e formação profissioanal
Tardif, maurice   saberes docentes e formação profissioanalTardif, maurice   saberes docentes e formação profissioanal
Tardif, maurice saberes docentes e formação profissioanal
marcaocampos
 
4. avaliação
4. avaliação4. avaliação
4. avaliação
Lilian Moreira
 
Competências e habilidades
Competências e habilidadesCompetências e habilidades
Competências e habilidades
Mari_Saracchini
 
Pratica docente es
Pratica docente esPratica docente es
Pratica docente es
Liliane Barros
 
Tendências Pedagógicas
Tendências PedagógicasTendências Pedagógicas
Tendências Pedagógicas
paulamotta
 
Didática relação professor /aluno
Didática relação professor /alunoDidática relação professor /aluno
Didática relação professor /aluno
taniaamorim23
 
Pedagogia da Autonomia - Paulo Freire
Pedagogia da Autonomia - Paulo FreirePedagogia da Autonomia - Paulo Freire
Pedagogia da Autonomia - Paulo Freire
Bruno Carrasco
 
Pedagogia da Autonomia Cap. 2
Pedagogia da Autonomia Cap. 2Pedagogia da Autonomia Cap. 2
Pedagogia da Autonomia Cap. 2
Luciene De Oliveira Maciel
 
Objetivos de ensino
Objetivos de ensinoObjetivos de ensino
Objetivos de ensino
Naysa Taboada
 
Tendências Pedagógicas
Tendências PedagógicasTendências Pedagógicas
Tendências Pedagógicas
Marcelo Assis
 

Mais procurados (20)

Concepções pedagógica
Concepções pedagógicaConcepções pedagógica
Concepções pedagógica
 
Tendência crítico social dos conteúdos
Tendência crítico social dos conteúdosTendência crítico social dos conteúdos
Tendência crítico social dos conteúdos
 
Avaliação da aprendizagem
Avaliação da aprendizagemAvaliação da aprendizagem
Avaliação da aprendizagem
 
Pedagogia da autonomia
Pedagogia da autonomia Pedagogia da autonomia
Pedagogia da autonomia
 
2. Freire. P. Pedagogia Autonomia. Paulo Deloroso
2. Freire. P. Pedagogia Autonomia. Paulo Deloroso2. Freire. P. Pedagogia Autonomia. Paulo Deloroso
2. Freire. P. Pedagogia Autonomia. Paulo Deloroso
 
Gestão de sala de aula
Gestão de sala de aula Gestão de sala de aula
Gestão de sala de aula
 
Didatica e formação do professor parte1
Didatica e formação do professor parte1Didatica e formação do professor parte1
Didatica e formação do professor parte1
 
Slides planejamento escolar
Slides planejamento escolarSlides planejamento escolar
Slides planejamento escolar
 
Formação Docente Profissional
Formação Docente ProfissionalFormação Docente Profissional
Formação Docente Profissional
 
O estágio supervisionado na formação continuada docente
O estágio supervisionado na formação continuada docenteO estágio supervisionado na formação continuada docente
O estágio supervisionado na formação continuada docente
 
Tardif, maurice saberes docentes e formação profissioanal
Tardif, maurice   saberes docentes e formação profissioanalTardif, maurice   saberes docentes e formação profissioanal
Tardif, maurice saberes docentes e formação profissioanal
 
4. avaliação
4. avaliação4. avaliação
4. avaliação
 
Competências e habilidades
Competências e habilidadesCompetências e habilidades
Competências e habilidades
 
Pratica docente es
Pratica docente esPratica docente es
Pratica docente es
 
Tendências Pedagógicas
Tendências PedagógicasTendências Pedagógicas
Tendências Pedagógicas
 
Didática relação professor /aluno
Didática relação professor /alunoDidática relação professor /aluno
Didática relação professor /aluno
 
Pedagogia da Autonomia - Paulo Freire
Pedagogia da Autonomia - Paulo FreirePedagogia da Autonomia - Paulo Freire
Pedagogia da Autonomia - Paulo Freire
 
Pedagogia da Autonomia Cap. 2
Pedagogia da Autonomia Cap. 2Pedagogia da Autonomia Cap. 2
Pedagogia da Autonomia Cap. 2
 
Objetivos de ensino
Objetivos de ensinoObjetivos de ensino
Objetivos de ensino
 
Tendências Pedagógicas
Tendências PedagógicasTendências Pedagógicas
Tendências Pedagógicas
 

Destaque

Doenças bacterianas 1
Doenças bacterianas 1Doenças bacterianas 1
Ppt paulo freire
Ppt paulo freire Ppt paulo freire
Ppt paulo freire
Jessica Pellegrini Meinerz
 
Pedagogia do oprimido
Pedagogia do oprimidoPedagogia do oprimido
Pedagogia do oprimido
NILLMELLINE
 
III.1 Poríferos e Celenterados
III.1 Poríferos e CelenteradosIII.1 Poríferos e Celenterados
III.1 Poríferos e Celenterados
Rebeca Vale
 
Aula 1° fecundação, embriologia e anexos embrionários
Aula 1° fecundação, embriologia e anexos embrionáriosAula 1° fecundação, embriologia e anexos embrionários
Aula 1° fecundação, embriologia e anexos embrionários
MARCIAMP
 
Bioquímica Celular 2 - Proteínas
Bioquímica Celular 2 - ProteínasBioquímica Celular 2 - Proteínas
Bioquímica Celular 2 - Proteínas
Bio
 
Embriologia
EmbriologiaEmbriologia
Embriologia
Pedro Tavares
 
II. 3 Os ácidos nucléicos
II. 3 Os ácidos nucléicosII. 3 Os ácidos nucléicos
II. 3 Os ácidos nucléicos
Rebeca Vale
 
Mitose Meiose
Mitose MeioseMitose Meiose
Mitose Meiose
guesta61019
 
Embriologia
EmbriologiaEmbriologia
Embriologia
guest51ff04
 
Ácidos Nucléicos (DNA e RNA)
Ácidos Nucléicos (DNA e RNA)Ácidos Nucléicos (DNA e RNA)
Ácidos Nucléicos (DNA e RNA)
Gabriel Resende
 
Fecundação e Desenvolvimento Embrionário
Fecundação e Desenvolvimento EmbrionárioFecundação e Desenvolvimento Embrionário
Fecundação e Desenvolvimento Embrionário
marco :)
 
DNA -estrutura e função
DNA -estrutura e funçãoDNA -estrutura e função
DNA -estrutura e função
Isabel Lopes
 
Fecundação, desenvolvimento embrionário e parto
Fecundação, desenvolvimento embrionário e partoFecundação, desenvolvimento embrionário e parto
Fecundação, desenvolvimento embrionário e parto
Catir
 
I.2 O sistema solar
I.2 O sistema solarI.2 O sistema solar
I.2 O sistema solar
Rebeca Vale
 
IV.4 aves
IV.4 avesIV.4 aves
IV.4 aves
Rebeca Vale
 
II. 1 As células
II. 1 As célulasII. 1 As células
II. 1 As células
Rebeca Vale
 
Divisão Celular (Power Point)
Divisão Celular (Power Point)Divisão Celular (Power Point)
Divisão Celular (Power Point)
Bio
 
Aula Proteínas
Aula ProteínasAula Proteínas
Aula Proteínas
Daniele Teixeira
 

Destaque (19)

Doenças bacterianas 1
Doenças bacterianas 1Doenças bacterianas 1
Doenças bacterianas 1
 
Ppt paulo freire
Ppt paulo freire Ppt paulo freire
Ppt paulo freire
 
Pedagogia do oprimido
Pedagogia do oprimidoPedagogia do oprimido
Pedagogia do oprimido
 
III.1 Poríferos e Celenterados
III.1 Poríferos e CelenteradosIII.1 Poríferos e Celenterados
III.1 Poríferos e Celenterados
 
Aula 1° fecundação, embriologia e anexos embrionários
Aula 1° fecundação, embriologia e anexos embrionáriosAula 1° fecundação, embriologia e anexos embrionários
Aula 1° fecundação, embriologia e anexos embrionários
 
Bioquímica Celular 2 - Proteínas
Bioquímica Celular 2 - ProteínasBioquímica Celular 2 - Proteínas
Bioquímica Celular 2 - Proteínas
 
Embriologia
EmbriologiaEmbriologia
Embriologia
 
II. 3 Os ácidos nucléicos
II. 3 Os ácidos nucléicosII. 3 Os ácidos nucléicos
II. 3 Os ácidos nucléicos
 
Mitose Meiose
Mitose MeioseMitose Meiose
Mitose Meiose
 
Embriologia
EmbriologiaEmbriologia
Embriologia
 
Ácidos Nucléicos (DNA e RNA)
Ácidos Nucléicos (DNA e RNA)Ácidos Nucléicos (DNA e RNA)
Ácidos Nucléicos (DNA e RNA)
 
Fecundação e Desenvolvimento Embrionário
Fecundação e Desenvolvimento EmbrionárioFecundação e Desenvolvimento Embrionário
Fecundação e Desenvolvimento Embrionário
 
DNA -estrutura e função
DNA -estrutura e funçãoDNA -estrutura e função
DNA -estrutura e função
 
Fecundação, desenvolvimento embrionário e parto
Fecundação, desenvolvimento embrionário e partoFecundação, desenvolvimento embrionário e parto
Fecundação, desenvolvimento embrionário e parto
 
I.2 O sistema solar
I.2 O sistema solarI.2 O sistema solar
I.2 O sistema solar
 
IV.4 aves
IV.4 avesIV.4 aves
IV.4 aves
 
II. 1 As células
II. 1 As célulasII. 1 As células
II. 1 As células
 
Divisão Celular (Power Point)
Divisão Celular (Power Point)Divisão Celular (Power Point)
Divisão Celular (Power Point)
 
Aula Proteínas
Aula ProteínasAula Proteínas
Aula Proteínas
 

Semelhante a Professores e Alunos reflexivos em uma Escola Reflexiva

A prática refelxiva no ensino médio
A prática refelxiva no ensino médioA prática refelxiva no ensino médio
A prática refelxiva no ensino médio
Adriana Melo
 
A escola reflexiva resumo
A escola reflexiva   resumoA escola reflexiva   resumo
A escola reflexiva resumo
Kelly Sauerbonn
 
Escola e sociedade
Escola e sociedadeEscola e sociedade
Escola e sociedade
cefaprodematupa
 
Apresenta..
Apresenta..Apresenta..
Apresenta..
Sussy De La Lumier
 
Professor x Educador
Professor x EducadorProfessor x Educador
Professor x Educador
Agâta Dourado
 
Manual da Família Colégio Cerp
Manual da Família Colégio CerpManual da Família Colégio Cerp
Manual da Família Colégio Cerp
Paulo Grisi
 
Trabalho individual currículo escolar
Trabalho individual   currículo escolarTrabalho individual   currículo escolar
Trabalho individual currículo escolar
hamiltondutra
 
Trabalho individual currículo escolar
Trabalho individual   currículo escolarTrabalho individual   currículo escolar
Trabalho individual currículo escolar
elzimarbrito
 
PÓS.2023.ITAJAÍ.CRIANÇA FELIZ, FELIZ A CANTAR, BRILHANTEtransd....ppt
PÓS.2023.ITAJAÍ.CRIANÇA FELIZ, FELIZ A CANTAR, BRILHANTEtransd....pptPÓS.2023.ITAJAÍ.CRIANÇA FELIZ, FELIZ A CANTAR, BRILHANTEtransd....ppt
PÓS.2023.ITAJAÍ.CRIANÇA FELIZ, FELIZ A CANTAR, BRILHANTEtransd....ppt
AndersonEscobar24
 
A escola que educa para o pensar
A escola que educa para o pensarA escola que educa para o pensar
A escola que educa para o pensar
Renata Peruce
 
Ensaio maria nilza modulo iv
Ensaio maria nilza modulo ivEnsaio maria nilza modulo iv
Ensaio maria nilza modulo iv
Vania Mendes
 
Resumo do livro professores reflexivos
Resumo do livro professores reflexivosResumo do livro professores reflexivos
Resumo do livro professores reflexivos
profis123
 
didatica no ensino superios 3
didatica no ensino superios 3didatica no ensino superios 3
didatica no ensino superios 3
jairdeoliveirajunior
 
Arq idvol 28-1391209402
Arq idvol 28-1391209402Arq idvol 28-1391209402
Arq idvol 28-1391209402
maria152302
 
Introdução
IntroduçãoIntrodução
Introdução
170477
 
Introdução
IntroduçãoIntrodução
Introdução
170477
 
ApresentaçãO1vff12507sol Vera Fascio Fascio
ApresentaçãO1vff12507sol Vera Fascio FascioApresentaçãO1vff12507sol Vera Fascio Fascio
ApresentaçãO1vff12507sol Vera Fascio Fascio
cefaprotga
 
3ºENCONTRO ANUAL.pptx
3ºENCONTRO ANUAL.pptx3ºENCONTRO ANUAL.pptx
3ºENCONTRO ANUAL.pptx
FransuelenCarvalhoSo
 
Textos de paulo freire (1) (1)
Textos de paulo freire (1) (1)Textos de paulo freire (1) (1)
Textos de paulo freire (1) (1)
Maria Vieira
 
O professor no atual contexto profissional
O professor no atual contexto profissionalO professor no atual contexto profissional
O professor no atual contexto profissional
Gerdian Teixeira
 

Semelhante a Professores e Alunos reflexivos em uma Escola Reflexiva (20)

A prática refelxiva no ensino médio
A prática refelxiva no ensino médioA prática refelxiva no ensino médio
A prática refelxiva no ensino médio
 
A escola reflexiva resumo
A escola reflexiva   resumoA escola reflexiva   resumo
A escola reflexiva resumo
 
Escola e sociedade
Escola e sociedadeEscola e sociedade
Escola e sociedade
 
Apresenta..
Apresenta..Apresenta..
Apresenta..
 
Professor x Educador
Professor x EducadorProfessor x Educador
Professor x Educador
 
Manual da Família Colégio Cerp
Manual da Família Colégio CerpManual da Família Colégio Cerp
Manual da Família Colégio Cerp
 
Trabalho individual currículo escolar
Trabalho individual   currículo escolarTrabalho individual   currículo escolar
Trabalho individual currículo escolar
 
Trabalho individual currículo escolar
Trabalho individual   currículo escolarTrabalho individual   currículo escolar
Trabalho individual currículo escolar
 
PÓS.2023.ITAJAÍ.CRIANÇA FELIZ, FELIZ A CANTAR, BRILHANTEtransd....ppt
PÓS.2023.ITAJAÍ.CRIANÇA FELIZ, FELIZ A CANTAR, BRILHANTEtransd....pptPÓS.2023.ITAJAÍ.CRIANÇA FELIZ, FELIZ A CANTAR, BRILHANTEtransd....ppt
PÓS.2023.ITAJAÍ.CRIANÇA FELIZ, FELIZ A CANTAR, BRILHANTEtransd....ppt
 
A escola que educa para o pensar
A escola que educa para o pensarA escola que educa para o pensar
A escola que educa para o pensar
 
Ensaio maria nilza modulo iv
Ensaio maria nilza modulo ivEnsaio maria nilza modulo iv
Ensaio maria nilza modulo iv
 
Resumo do livro professores reflexivos
Resumo do livro professores reflexivosResumo do livro professores reflexivos
Resumo do livro professores reflexivos
 
didatica no ensino superios 3
didatica no ensino superios 3didatica no ensino superios 3
didatica no ensino superios 3
 
Arq idvol 28-1391209402
Arq idvol 28-1391209402Arq idvol 28-1391209402
Arq idvol 28-1391209402
 
Introdução
IntroduçãoIntrodução
Introdução
 
Introdução
IntroduçãoIntrodução
Introdução
 
ApresentaçãO1vff12507sol Vera Fascio Fascio
ApresentaçãO1vff12507sol Vera Fascio FascioApresentaçãO1vff12507sol Vera Fascio Fascio
ApresentaçãO1vff12507sol Vera Fascio Fascio
 
3ºENCONTRO ANUAL.pptx
3ºENCONTRO ANUAL.pptx3ºENCONTRO ANUAL.pptx
3ºENCONTRO ANUAL.pptx
 
Textos de paulo freire (1) (1)
Textos de paulo freire (1) (1)Textos de paulo freire (1) (1)
Textos de paulo freire (1) (1)
 
O professor no atual contexto profissional
O professor no atual contexto profissionalO professor no atual contexto profissional
O professor no atual contexto profissional
 

Último

UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃOAUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
FernandaOliveira758273
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
vitorreissouzasilva
 
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdfConcurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
TathyLopes1
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
TiagoLouro8
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
AlineOliveira625820
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
WELTONROBERTOFREITAS
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
AdrianoMontagna1
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
katbrochier1
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
A importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino MédioA importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino Médio
nunesly
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 

Último (20)

UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃOAUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
 
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdfConcurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
A importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino MédioA importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino Médio
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 

Professores e Alunos reflexivos em uma Escola Reflexiva

  • 1. PROFESSORES E ALUNOS REFLEXIVOS EM UMA ESCOLA REFLEXIVA Isabel Alarcão, doutora em Educação pela Universidade de Liverpool. Itapecuru-Mirim 07/05/2009 ADAPTAÇÃO DO TEXTO DE NOVONOVO
  • 2. Alunos, professores e escola face à sociedade da informação  As escolas são lugares onde novas competências devem ser adquiridas ou reconhecidas e desenvolvidas.  Novas atitudes dos alunos, dos professores e das escolas.
  • 3.  A escola não detém o monopólio do saber.  O professor não é o único transmissor do saber e tem que aceitar a situar-se nas mudanças, que são bem mais exigentes.  O aluno já não é mais o receptor a deixar-se rechear de conteúdos.  Precisa aprender a gerir e a relacionar informações para as transformar no seu conhecimento e no seu saber.
  • 4. Sociedade da informação e do conhecimento – sociedade da aprendizagem  A rápida evolução dos conhecimentos com a evolução das necessidades da sociedade, exigem de todos uma permanente aprendizagem individual e colaborativa.
  • 5. As novas competências exigidas pela sociedade da informação e da comunicação, do conhecimento e da aprendizagem  Absorver o conhecimento (fatos, métodos, conceitos e princípios).  Saber o que fazer e como fazer, com os conhecimentos.  Experiência (capacidade de aprender com o sucesso e com os erros).  Ter boa relação, formar redes de contatos e influência, integrar-se.
  • 6.  Vontade de agir, acreditar, empenhar-se, aceitar responsabilidades.  Ser capaz de se adaptar diante das diferenças.  Desenvolver a compreensão e a solidariedade.  Capacidade de utilizar a linguagem informática com o fim de pesquisa.
  • 7. A competência para lidar com a informação na sociedade da aprendizagem  A capacidade de utilizar a informação de modo rápido e flexível.  A capacidade para lidar com a informação e os meios que a tornam acessível na hora certa.  Por em ação a mente interpretativa, seletiva, sistematizadora e criadora.
  • 8. Os alunos na sociedade da aprendizagem  Aprender a ser aprendente ao longo da vida.  Tem de se convencer de que tem de ir à procura do saber.  Tem de descobrir o prazer de ser uma mente ativa e não meramente receptiva.
  • 9. RESULTADOS  Afastamento de uma pedagogia da dependência para uma pedagogia da autonomia  Maior consciência crítica  Maior participação perante os contextos  Valorização das suas capacidades  Maior responsabilidade  Criação de comunidade de aprendizagem
  • 10. Os professores na sociedade da aprendizagem Qual o papel dos professores? - Criar, estruturar e dinamizar situações de aprendizagens e estimular a aprendizagem e a autoconfiança nas capacidades individuais para aprender. - O professor deve se conscientizar de que é apenas uma fonte deapenas uma fonte de informaçãoinformação entre muitas outras
  • 11.  Para não se sentirem ultrapassados, os professores precisam urgentemente se recontextualizarem na sua identidade e responsabilidades profissionais.  Precisam estar num constantePrecisam estar num constante processo de auto - formação eprocesso de auto - formação e identificaçãoidentificação
  • 12. A escola na sociedade da aprendizagem  A ESCOLA DEVE TER  Acesso facilitado tanto a livros e revistas quanto a computadores e base de dados e aos serviços da internet.  As escolas precisam funcionar como comunidades autocríticas, aprendentes e reflexivas.
  • 13. O que é uma escola reflexiva? “é uma escola que sabe onde está e para onde que ir. Pensa-se, tem um projeto orientador de ação e trabalho em equipe. É uma comunidade pensante. Ao pensar a escola, os seus membros enriquecem-se e qualificam-se a si próprios. Nessa medida, a escola é umaNessa medida, a escola é uma organização simultaneamenteorganização simultaneamente aprendente e qualificante”.aprendente e qualificante”.
  • 14. Em que se baseia a noção de professor reflexivo?  Baseia-se na consciência da capacidade de pensamento e reflexão que caracteriza o ser humano como criativo e não como mero reprodutor de idéias e práticas. Qual a relação entre o professor reflexivo e a escola reflexiva? - o professor não pode agir isoladamente na sua escola. - a escola tem de ser organizada de modo a criar condições de reflexividade individuais e coletivas.
  • 15. Gerir uma escola reflexiva  Escola é comunidade com projeto  “ o projeto educativo surge como o instrumento, por excelência, da construçãoconstrução da autonomiada autonomia do estabelecimento de ensino.  Corresponde a um processo de produção deprodução de conhecimentos(investigaçãoconhecimentos(investigação), a um processo de mudançaorganizacional(inovação) e a um processo de mudança de representações e de práticas dos indivíduos(formação)”
  • 16. Gerir uma escola reflexiva é: - Ser capaz de liderar e mobilizar as pessoas; - Saber agir em situação; - Nortear-se pelo projeto de escola; - Assegurar uma atuação sistêmica; - Assegurar uma participação democrática; - Pensar e escutar antes de decidir. - Saber avaliar e deixar-se avaliar
  • 17.  Ser consequente;  Ser capaz de ultrapassar dicotomias paralizantes;  Decidir;  Acreditar que todos e a própria escola se encontram num processo de desenvolvimento e de aprendizagem
  • 18. Resultado  O resultado de gerir uma escolaO resultado de gerir uma escola reflexiva é ter a satisfação de saberreflexiva é ter a satisfação de saber que a sua instituição tem rostoque a sua instituição tem rosto próprio e é respeitada por issopróprio e é respeitada por isso mesmo, como nome próprio, commesmo, como nome próprio, com identidade.identidade.
  • 19. AVALIAÇÃO Como na Escola da Ponte, aqui é bem diferente esse conceito de avaliação. O aluno avança conforme sua autonomia e seu ritmo. Assim, em um mesmo espaço convivem crianças que estão estudando objetivos diferentes, que não percorrem o mesmo caminho e que avançam amis que outras. . Os ritmos são respeitados. O que o aluno não atingiu numritmos são respeitados. O que o aluno não atingiu num bimestre pode atingir no próximo. Pode, inclusive, levar para obimestre pode atingir no próximo. Pode, inclusive, levar para o ano seguinte objetivos não alcançados.Ela segue com aquilo queano seguinte objetivos não alcançados.Ela segue com aquilo que aprendeu e que ainda precisa ser alcançado.aprendeu e que ainda precisa ser alcançado. Neste sistema o estudante terá sempre que alcançar resultado de 100% em cada objetivo estudado. Quando ele descobre isso, ele se esforça e realmente aprende.Quando ele descobre isso, ele se esforça e realmente aprende.
  • 20. “Comece fazendo o que é necessário, depois o que é possível e de repente você estará fazendo o que parecia impossível”. São Francisco de Assis NOVONOVO VERDADEIRA VIRADA NAVERDADEIRA VIRADA NA EDUCAÇÃO DO COLÉGIOEDUCAÇÃO DO COLÉGIO SANTOS DUMONT.SANTOS DUMONT.