SlideShare uma empresa Scribd logo
MODELO DE AUTO - AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS
                      ESCOLARES

D. Gestão da Biblioteca Escolar

D.1. Articulação da BE com a Escola/ Agrupamento. Acesso e serviços
prestados pela BE

   •   Duas coisas que a/s BE/s    As Bibliotecas escolares devem deixar de se
       devessem deixar de         dedicar à comemoração exagerada de datas
       fazer:                     festivas ou acontecimentos, mas devem
                                  implementar projectos sistemáticos de leitura,
                                  para que os alunos desenvolvam hábitos de leitura
                                  que possam contribuir para o desenvolvimento de
                                  competências leitoras dos alunos e contribuir para
                                  o seu sucesso educativo.

                                  O trabalho demasiado burocrático (registos
                                  quantitativos, registos qualitativos, observações…)
                                  do professor bibliotecário está a retirar tempo para
                                  conceder um apoio mais personalizado aos seus
                                  utilizadores, pois as suas competências permitem-
                                  lhe desenvolver actividades promotoras de
                                  sucesso.

   •   Duas coisas que a/s BE/s   Continuar a promover as literacias através de
       devessem continuar a       actividades e acções, destinadas a toda a
       fazer:                     comunidade escolar. É fundamental que haja um
                                  trabalho articulado com os professores sobretudo
                                  com os que leccionam as ACND, para que através
                                  de actividades inovadoras e usando os recursos da
                                  BE se possa contribuir para o sucesso educativo
                                  dos alunos.

                                  Promover o trabalho colaborativo com os
                                  intervenientes da escola/agrupamento, pois
                                  trabalhar de forma articulada traz muitas
                                  vantagens no processo de ensino/aprendizagem.
•   Duas coisas que a/s BE/s   Definir e implementar uma estratégia de
    devessem começar a         benchmarking de forma mais sistemática e
    fazer:                     eficaz, pois é fundamental um processo de
                               identificação das melhores práticas, mas,
                               principalmente, é preciso que se faça a sua
                               divulgação através das diversas técnicas do
                               Marketing. Pretende-se procurar os melhores
                               processos, as ideias mais inovadoras e os
                               procedimentos de operação mais eficazes que
                               conduzam a um melhor desempenho. Nada
                               tem a ver com competição para descobrir o
                               melhor.

                               Conseguir a orçamentação da BE, para que a
                               actualizar a colecção e a manutenção dos
                               equipamentos.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apresentacao ao Conselho Pedagogico
Apresentacao ao Conselho PedagogicoApresentacao ao Conselho Pedagogico
Apresentacao ao Conselho Pedagogico
nuno.jose.duarte
 
Plano.melhoria+recom.cp. Out. 2011
Plano.melhoria+recom.cp. Out. 2011Plano.melhoria+recom.cp. Out. 2011
Plano.melhoria+recom.cp. Out. 2011
Adelino Madeira
 
Maabe tarefa 4ª sessão
Maabe  tarefa 4ª sessãoMaabe  tarefa 4ª sessão
Maabe tarefa 4ª sessão
sandraazevedo
 
Integracao Do Modelo De Auto Avaliacao Na Escola.Agrupamento
Integracao Do Modelo De Auto Avaliacao Na Escola.AgrupamentoIntegracao Do Modelo De Auto Avaliacao Na Escola.Agrupamento
Integracao Do Modelo De Auto Avaliacao Na Escola.Agrupamento
Susana Martins
 
MONITORAMENTO DE ATIVIDADES EM TEMPOS REMOTOS
MONITORAMENTO DE ATIVIDADES EM TEMPOS REMOTOSMONITORAMENTO DE ATIVIDADES EM TEMPOS REMOTOS
MONITORAMENTO DE ATIVIDADES EM TEMPOS REMOTOS
ELAINE MASSOLIN
 
Powerpoint Modelo De Auto AvaliaçãO Da Be 1
Powerpoint Modelo De Auto AvaliaçãO Da Be   1Powerpoint Modelo De Auto AvaliaçãO Da Be   1
Powerpoint Modelo De Auto AvaliaçãO Da Be 1
anamariabpalma
 
Ppt Pedagogico
Ppt PedagogicoPpt Pedagogico
Ppt Pedagogico
Celia Ganhao
 
IntegraçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Na Escola Tarefa 1 Sessao3
IntegraçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Na Escola Tarefa 1 Sessao3IntegraçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Na Escola Tarefa 1 Sessao3
IntegraçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Na Escola Tarefa 1 Sessao3
Margarida Mota
 
6º Tarefa 3
6º   Tarefa 36º   Tarefa 3
6º Tarefa 3
Ana Arminda Moreira
 
Apresentacao
ApresentacaoApresentacao
Apresentacao
MLurdesAlmeida
 
4a Sessao 2 [1]
4a Sessao 2 [1]4a Sessao 2 [1]
4a Sessao 2 [1]
celesteoliveira
 
GestãO Da MudançA
GestãO Da MudançAGestãO Da MudançA
GestãO Da MudançA
Sandra Alves
 
Modelo Auto AvaliaçãO Da Biblioteca Escolar
Modelo Auto AvaliaçãO Da Biblioteca EscolarModelo Auto AvaliaçãO Da Biblioteca Escolar
Modelo Auto AvaliaçãO Da Biblioteca Escolar
mizedomingues
 
Modelo De Auto AvaliaçãO Da Be Carrazeda
Modelo De Auto AvaliaçãO Da Be CarrazedaModelo De Auto AvaliaçãO Da Be Carrazeda
Modelo De Auto AvaliaçãO Da Be Carrazeda
Be Carrazeda
 
Acções Futuras da BE
Acções Futuras da BEAcções Futuras da BE
Acções Futuras da BE
guest0462827d
 

Mais procurados (15)

Apresentacao ao Conselho Pedagogico
Apresentacao ao Conselho PedagogicoApresentacao ao Conselho Pedagogico
Apresentacao ao Conselho Pedagogico
 
Plano.melhoria+recom.cp. Out. 2011
Plano.melhoria+recom.cp. Out. 2011Plano.melhoria+recom.cp. Out. 2011
Plano.melhoria+recom.cp. Out. 2011
 
Maabe tarefa 4ª sessão
Maabe  tarefa 4ª sessãoMaabe  tarefa 4ª sessão
Maabe tarefa 4ª sessão
 
Integracao Do Modelo De Auto Avaliacao Na Escola.Agrupamento
Integracao Do Modelo De Auto Avaliacao Na Escola.AgrupamentoIntegracao Do Modelo De Auto Avaliacao Na Escola.Agrupamento
Integracao Do Modelo De Auto Avaliacao Na Escola.Agrupamento
 
MONITORAMENTO DE ATIVIDADES EM TEMPOS REMOTOS
MONITORAMENTO DE ATIVIDADES EM TEMPOS REMOTOSMONITORAMENTO DE ATIVIDADES EM TEMPOS REMOTOS
MONITORAMENTO DE ATIVIDADES EM TEMPOS REMOTOS
 
Powerpoint Modelo De Auto AvaliaçãO Da Be 1
Powerpoint Modelo De Auto AvaliaçãO Da Be   1Powerpoint Modelo De Auto AvaliaçãO Da Be   1
Powerpoint Modelo De Auto AvaliaçãO Da Be 1
 
Ppt Pedagogico
Ppt PedagogicoPpt Pedagogico
Ppt Pedagogico
 
IntegraçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Na Escola Tarefa 1 Sessao3
IntegraçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Na Escola Tarefa 1 Sessao3IntegraçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Na Escola Tarefa 1 Sessao3
IntegraçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Na Escola Tarefa 1 Sessao3
 
6º Tarefa 3
6º   Tarefa 36º   Tarefa 3
6º Tarefa 3
 
Apresentacao
ApresentacaoApresentacao
Apresentacao
 
4a Sessao 2 [1]
4a Sessao 2 [1]4a Sessao 2 [1]
4a Sessao 2 [1]
 
GestãO Da MudançA
GestãO Da MudançAGestãO Da MudançA
GestãO Da MudançA
 
Modelo Auto AvaliaçãO Da Biblioteca Escolar
Modelo Auto AvaliaçãO Da Biblioteca EscolarModelo Auto AvaliaçãO Da Biblioteca Escolar
Modelo Auto AvaliaçãO Da Biblioteca Escolar
 
Modelo De Auto AvaliaçãO Da Be Carrazeda
Modelo De Auto AvaliaçãO Da Be CarrazedaModelo De Auto AvaliaçãO Da Be Carrazeda
Modelo De Auto AvaliaçãO Da Be Carrazeda
 
Acções Futuras da BE
Acções Futuras da BEAcções Futuras da BE
Acções Futuras da BE
 

Destaque

Portada
PortadaPortada
Portada
guest7fda50
 
Eefeitos Das Redes De Alta TensãO De Energia EléTrica Sobre O Ser Humano.Info...
Eefeitos Das Redes De Alta TensãO De Energia EléTrica Sobre O Ser Humano.Info...Eefeitos Das Redes De Alta TensãO De Energia EléTrica Sobre O Ser Humano.Info...
Eefeitos Das Redes De Alta TensãO De Energia EléTrica Sobre O Ser Humano.Info...
Santos de Castro
 
Fiesta Provincial de Teatro '09
Fiesta Provincial de Teatro '09Fiesta Provincial de Teatro '09
Fiesta Provincial de Teatro '09
Patricia Bertolotti
 
Rol De Juegos Fecha 10(1)
Rol De Juegos Fecha 10(1)Rol De Juegos Fecha 10(1)
Rol De Juegos Fecha 10(1)
Kuroneko Castañeda Verdugo
 
''VALOR DESTINO''
''VALOR DESTINO''''VALOR DESTINO''
''VALOR DESTINO''
Dylan Matius
 
Rol De Juegos Post Temporada 1
Rol De Juegos Post Temporada 1Rol De Juegos Post Temporada 1
Rol De Juegos Post Temporada 1
Kuroneko Castañeda Verdugo
 
Fundamento del computador n.3
Fundamento del computador n.3Fundamento del computador n.3
Fundamento del computador n.3
vanessa155
 
Presentación1 sibir
Presentación1 sibirPresentación1 sibir
Presentación1 sibir
belgica06
 
Portafolio de evidencias Edgar
Portafolio de evidencias EdgarPortafolio de evidencias Edgar
Portafolio de evidencias Edgar
edgarnajar
 
Escol
EscolEscol
Escol
Damisa
 
Ativ28
Ativ28Ativ28
Brenda
BrendaBrenda
Brenda
pertileivan
 
Notas explicativas 2015
Notas explicativas 2015Notas explicativas 2015
Montadoscuentaytiendas
MontadoscuentaytiendasMontadoscuentaytiendas
Montadoscuentaytiendas
eduflorencia
 
Rol De Juegos Tercer Lugar Y Finales
Rol De Juegos Tercer Lugar Y FinalesRol De Juegos Tercer Lugar Y Finales
Rol De Juegos Tercer Lugar Y Finales
Kuroneko Castañeda Verdugo
 
Hiperespaços de aprendizagem
Hiperespaços de aprendizagemHiperespaços de aprendizagem
Hiperespaços de aprendizagem
Milena Jorge
 
Catálogo Oficial You Cosméticos (You Take On) - Atualizado - Maio - 2016
Catálogo Oficial You Cosméticos (You Take On) - Atualizado - Maio - 2016Catálogo Oficial You Cosméticos (You Take On) - Atualizado - Maio - 2016
Catálogo Oficial You Cosméticos (You Take On) - Atualizado - Maio - 2016
You Cosméticos BR
 
Cual es mi competencia inicial
Cual es mi competencia inicialCual es mi competencia inicial
Cual es mi competencia inicial
Demetrio Silva
 
SessãO 2 2ª Parte
SessãO 2   2ª ParteSessãO 2   2ª Parte
SessãO 2 2ª Parte
Elisabete Guedes
 

Destaque (20)

Portada
PortadaPortada
Portada
 
Imagenes Chistosas
Imagenes ChistosasImagenes Chistosas
Imagenes Chistosas
 
Eefeitos Das Redes De Alta TensãO De Energia EléTrica Sobre O Ser Humano.Info...
Eefeitos Das Redes De Alta TensãO De Energia EléTrica Sobre O Ser Humano.Info...Eefeitos Das Redes De Alta TensãO De Energia EléTrica Sobre O Ser Humano.Info...
Eefeitos Das Redes De Alta TensãO De Energia EléTrica Sobre O Ser Humano.Info...
 
Fiesta Provincial de Teatro '09
Fiesta Provincial de Teatro '09Fiesta Provincial de Teatro '09
Fiesta Provincial de Teatro '09
 
Rol De Juegos Fecha 10(1)
Rol De Juegos Fecha 10(1)Rol De Juegos Fecha 10(1)
Rol De Juegos Fecha 10(1)
 
''VALOR DESTINO''
''VALOR DESTINO''''VALOR DESTINO''
''VALOR DESTINO''
 
Rol De Juegos Post Temporada 1
Rol De Juegos Post Temporada 1Rol De Juegos Post Temporada 1
Rol De Juegos Post Temporada 1
 
Fundamento del computador n.3
Fundamento del computador n.3Fundamento del computador n.3
Fundamento del computador n.3
 
Presentación1 sibir
Presentación1 sibirPresentación1 sibir
Presentación1 sibir
 
Portafolio de evidencias Edgar
Portafolio de evidencias EdgarPortafolio de evidencias Edgar
Portafolio de evidencias Edgar
 
Escol
EscolEscol
Escol
 
Ativ28
Ativ28Ativ28
Ativ28
 
Brenda
BrendaBrenda
Brenda
 
Notas explicativas 2015
Notas explicativas 2015Notas explicativas 2015
Notas explicativas 2015
 
Montadoscuentaytiendas
MontadoscuentaytiendasMontadoscuentaytiendas
Montadoscuentaytiendas
 
Rol De Juegos Tercer Lugar Y Finales
Rol De Juegos Tercer Lugar Y FinalesRol De Juegos Tercer Lugar Y Finales
Rol De Juegos Tercer Lugar Y Finales
 
Hiperespaços de aprendizagem
Hiperespaços de aprendizagemHiperespaços de aprendizagem
Hiperespaços de aprendizagem
 
Catálogo Oficial You Cosméticos (You Take On) - Atualizado - Maio - 2016
Catálogo Oficial You Cosméticos (You Take On) - Atualizado - Maio - 2016Catálogo Oficial You Cosméticos (You Take On) - Atualizado - Maio - 2016
Catálogo Oficial You Cosméticos (You Take On) - Atualizado - Maio - 2016
 
Cual es mi competencia inicial
Cual es mi competencia inicialCual es mi competencia inicial
Cual es mi competencia inicial
 
SessãO 2 2ª Parte
SessãO 2   2ª ParteSessãO 2   2ª Parte
SessãO 2 2ª Parte
 

Semelhante a Af

O Modelo De Auto
O Modelo De AutoO Modelo De Auto
O Modelo De Auto
claudinapires
 
O Modelo Auto-Avaliação 1
O Modelo Auto-Avaliação 1O Modelo Auto-Avaliação 1
O Modelo Auto-Avaliação 1
claudinapires
 
Plano De AvaliaçãO
Plano De AvaliaçãOPlano De AvaliaçãO
Plano De AvaliaçãO
claudinapires
 
Modelo Auto-avaliação BE
Modelo Auto-avaliação BEModelo Auto-avaliação BE
Modelo Auto-avaliação BE
lidia76
 
Acções Futuras D.1
Acções Futuras D.1Acções Futuras D.1
Acções Futuras D.1
mariaemilianovais
 
Modelo AutoavaliaçãO No PedagóGico Zé
Modelo AutoavaliaçãO No PedagóGico ZéModelo AutoavaliaçãO No PedagóGico Zé
Modelo AutoavaliaçãO No PedagóGico Zé
mizedomingues
 
Modelo Auto-avaliação das Bibliotecas Escolares
Modelo Auto-avaliação das Bibliotecas EscolaresModelo Auto-avaliação das Bibliotecas Escolares
Modelo Auto-avaliação das Bibliotecas Escolares
mizedomingues
 
3ª SessãO Power Point
3ª SessãO   Power Point3ª SessãO   Power Point
3ª SessãO Power Point
gabriel crespo
 
Apresentação em pedagógico
Apresentação em pedagógicoApresentação em pedagógico
Apresentação em pedagógico
Fátima Correia
 
3
33
Modelo PortuguêS De Auto AvaliaçãO Das Bibliotecas Escolares
Modelo PortuguêS De Auto AvaliaçãO Das Bibliotecas EscolaresModelo PortuguêS De Auto AvaliaçãO Das Bibliotecas Escolares
Modelo PortuguêS De Auto AvaliaçãO Das Bibliotecas Escolares
BE/CRE
 
Trabalho Da 4ª SessãO Tarefa 1 ApresentaçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Em P...
Trabalho Da 4ª SessãO Tarefa 1  ApresentaçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Em P...Trabalho Da 4ª SessãO Tarefa 1  ApresentaçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Em P...
Trabalho Da 4ª SessãO Tarefa 1 ApresentaçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Em P...
margaridaalbuquerque
 
Maabe problemáticas e conceitos implicados - sessão 2 - trabalho final
Maabe   problemáticas e conceitos implicados - sessão 2 - trabalho finalMaabe   problemáticas e conceitos implicados - sessão 2 - trabalho final
Maabe problemáticas e conceitos implicados - sessão 2 - trabalho final
oliviaqueiroz4
 
Plano avaliação
Plano avaliaçãoPlano avaliação
Plano avaliação
Sílvia Bastos
 
Maabe tarefa 2ª sessão
Maabe  tarefa 2ª sessãoMaabe  tarefa 2ª sessão
Maabe tarefa 2ª sessão
sandraazevedo
 
Maabe tarefa 2ª sessão
Maabe  tarefa 2ª sessãoMaabe  tarefa 2ª sessão
Maabe tarefa 2ª sessão
sandraazevedo
 
Síntese Modelo Autoavaliação da Biblioteca Escolar
Síntese Modelo Autoavaliação da Biblioteca EscolarSíntese Modelo Autoavaliação da Biblioteca Escolar
Síntese Modelo Autoavaliação da Biblioteca Escolar
florafialho
 
Plano De AvaliaçãO
Plano De AvaliaçãOPlano De AvaliaçãO
Plano De AvaliaçãO
Filipe Pereira
 
Tarefa 2
Tarefa 2Tarefa 2
Tarefa 2
Sílvia Bastos
 
Workshop 1ª Parte
Workshop 1ª ParteWorkshop 1ª Parte
Workshop 1ª Parte
MARIA NOGUE
 

Semelhante a Af (20)

O Modelo De Auto
O Modelo De AutoO Modelo De Auto
O Modelo De Auto
 
O Modelo Auto-Avaliação 1
O Modelo Auto-Avaliação 1O Modelo Auto-Avaliação 1
O Modelo Auto-Avaliação 1
 
Plano De AvaliaçãO
Plano De AvaliaçãOPlano De AvaliaçãO
Plano De AvaliaçãO
 
Modelo Auto-avaliação BE
Modelo Auto-avaliação BEModelo Auto-avaliação BE
Modelo Auto-avaliação BE
 
Acções Futuras D.1
Acções Futuras D.1Acções Futuras D.1
Acções Futuras D.1
 
Modelo AutoavaliaçãO No PedagóGico Zé
Modelo AutoavaliaçãO No PedagóGico ZéModelo AutoavaliaçãO No PedagóGico Zé
Modelo AutoavaliaçãO No PedagóGico Zé
 
Modelo Auto-avaliação das Bibliotecas Escolares
Modelo Auto-avaliação das Bibliotecas EscolaresModelo Auto-avaliação das Bibliotecas Escolares
Modelo Auto-avaliação das Bibliotecas Escolares
 
3ª SessãO Power Point
3ª SessãO   Power Point3ª SessãO   Power Point
3ª SessãO Power Point
 
Apresentação em pedagógico
Apresentação em pedagógicoApresentação em pedagógico
Apresentação em pedagógico
 
3
33
3
 
Modelo PortuguêS De Auto AvaliaçãO Das Bibliotecas Escolares
Modelo PortuguêS De Auto AvaliaçãO Das Bibliotecas EscolaresModelo PortuguêS De Auto AvaliaçãO Das Bibliotecas Escolares
Modelo PortuguêS De Auto AvaliaçãO Das Bibliotecas Escolares
 
Trabalho Da 4ª SessãO Tarefa 1 ApresentaçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Em P...
Trabalho Da 4ª SessãO Tarefa 1  ApresentaçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Em P...Trabalho Da 4ª SessãO Tarefa 1  ApresentaçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Em P...
Trabalho Da 4ª SessãO Tarefa 1 ApresentaçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Em P...
 
Maabe problemáticas e conceitos implicados - sessão 2 - trabalho final
Maabe   problemáticas e conceitos implicados - sessão 2 - trabalho finalMaabe   problemáticas e conceitos implicados - sessão 2 - trabalho final
Maabe problemáticas e conceitos implicados - sessão 2 - trabalho final
 
Plano avaliação
Plano avaliaçãoPlano avaliação
Plano avaliação
 
Maabe tarefa 2ª sessão
Maabe  tarefa 2ª sessãoMaabe  tarefa 2ª sessão
Maabe tarefa 2ª sessão
 
Maabe tarefa 2ª sessão
Maabe  tarefa 2ª sessãoMaabe  tarefa 2ª sessão
Maabe tarefa 2ª sessão
 
Síntese Modelo Autoavaliação da Biblioteca Escolar
Síntese Modelo Autoavaliação da Biblioteca EscolarSíntese Modelo Autoavaliação da Biblioteca Escolar
Síntese Modelo Autoavaliação da Biblioteca Escolar
 
Plano De AvaliaçãO
Plano De AvaliaçãOPlano De AvaliaçãO
Plano De AvaliaçãO
 
Tarefa 2
Tarefa 2Tarefa 2
Tarefa 2
 
Workshop 1ª Parte
Workshop 1ª ParteWorkshop 1ª Parte
Workshop 1ª Parte
 

Mais de bibliosatao

PlanificaçãO Semana De Leitura MarçO
PlanificaçãO Semana De Leitura MarçOPlanificaçãO Semana De Leitura MarçO
PlanificaçãO Semana De Leitura MarçO
bibliosatao
 
A
AA
E
EE
A C
A CA C
Q
QQ
T D
T DT D
Pa
PaPa
Cp
CpCp
Ma
MaMa
Plano Workshop
Plano WorkshopPlano Workshop
Plano Workshop
bibliosatao
 
TM
TMTM

Mais de bibliosatao (11)

PlanificaçãO Semana De Leitura MarçO
PlanificaçãO Semana De Leitura MarçOPlanificaçãO Semana De Leitura MarçO
PlanificaçãO Semana De Leitura MarçO
 
A
AA
A
 
E
EE
E
 
A C
A CA C
A C
 
Q
QQ
Q
 
T D
T DT D
T D
 
Pa
PaPa
Pa
 
Cp
CpCp
Cp
 
Ma
MaMa
Ma
 
Plano Workshop
Plano WorkshopPlano Workshop
Plano Workshop
 
TM
TMTM
TM
 

Último

TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdfTOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
Momento da Informática
 
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptxHistória da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
TomasSousa7
 
Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas PráticasSegurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Danilo Pinotti
 
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdfManual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptxLogica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Momento da Informática
 
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdfCertificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
joaovmp3
 
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
Faga1939
 
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdfEscola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
Gabriel de Mattos Faustino
 

Último (8)

TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdfTOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
 
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptxHistória da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
 
Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas PráticasSegurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
 
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdfManual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
 
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptxLogica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
 
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdfCertificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
 
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
 
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdfEscola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
 

Af

  • 1. MODELO DE AUTO - AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES D. Gestão da Biblioteca Escolar D.1. Articulação da BE com a Escola/ Agrupamento. Acesso e serviços prestados pela BE • Duas coisas que a/s BE/s As Bibliotecas escolares devem deixar de se devessem deixar de dedicar à comemoração exagerada de datas fazer: festivas ou acontecimentos, mas devem implementar projectos sistemáticos de leitura, para que os alunos desenvolvam hábitos de leitura que possam contribuir para o desenvolvimento de competências leitoras dos alunos e contribuir para o seu sucesso educativo. O trabalho demasiado burocrático (registos quantitativos, registos qualitativos, observações…) do professor bibliotecário está a retirar tempo para conceder um apoio mais personalizado aos seus utilizadores, pois as suas competências permitem- lhe desenvolver actividades promotoras de sucesso. • Duas coisas que a/s BE/s Continuar a promover as literacias através de devessem continuar a actividades e acções, destinadas a toda a fazer: comunidade escolar. É fundamental que haja um trabalho articulado com os professores sobretudo com os que leccionam as ACND, para que através de actividades inovadoras e usando os recursos da BE se possa contribuir para o sucesso educativo dos alunos. Promover o trabalho colaborativo com os intervenientes da escola/agrupamento, pois trabalhar de forma articulada traz muitas vantagens no processo de ensino/aprendizagem.
  • 2. Duas coisas que a/s BE/s Definir e implementar uma estratégia de devessem começar a benchmarking de forma mais sistemática e fazer: eficaz, pois é fundamental um processo de identificação das melhores práticas, mas, principalmente, é preciso que se faça a sua divulgação através das diversas técnicas do Marketing. Pretende-se procurar os melhores processos, as ideias mais inovadoras e os procedimentos de operação mais eficazes que conduzam a um melhor desempenho. Nada tem a ver com competição para descobrir o melhor. Conseguir a orçamentação da BE, para que a actualizar a colecção e a manutenção dos equipamentos.