SlideShare uma empresa Scribd logo
A revolução liberal portuguesa aula2 (1)
Os antecedentes da Revolução Liberal de 1820.
A Revolução Liberal de 1820 e a Independência
do Brasil.
Realização de Exercícios interativos.
 Identifica os fatores de descontentamento dos
portugueses que levaram à Revolução Liberal.
 Relaciona a ação das Cortes Constituintes com a
independência do Brasil.
Eu sou Manuel Fernandes Tomás, um defensor
das ideias liberais.
Com o apoio de
comerciantes, militares, proprietários e
magistrados fundei uma sociedade secreta -
o Sinédrio.
Às escondidas preparamos uma revolução.!
Agora vou contar-vos como Tudo aconteceu!
Revolução Francesa 1789
Coroação de Napoleão Bonaparte como Imperador dos
Franceses.
Pintura de Jacques-Louis David
Luís XVI é decapitado
Em 1789, ocorreu em França uma Revolução que pôs fim à
monarquia absoluta de Luis XVI
Portugal não adere ao bloqueio Continental
Inglaterra resiste
Fecho
dos
portos
aos
navios
ingleses
A revolução liberal portuguesa aula2 (1)
Fuga para o Brasil do Príncipe Regente de Portugal, D. João VI, e
de toda a família real, no Porto de Belém, às 11 horas da manhã de
27 de Novembro de 1807.
As primeiras tropas francesas sob o comando de Junot entram
em Portugal, pela Beira Baixa, seguem para Castelo
Branco, marcham até Lisboa onde chegam a 30 de Novembro.
 Roubaram as riquezas dos palácios e das igrejas
 Mataram muitas pessoas que se lhes opunham
 Destruíram campos e culturas
O exército Inglês liderado pelo General
Arthur Wellesley desembarcou na figueira da
foz e juntou-se a exercito Português e assim os
franceses foram derrotados nas batalhas da
Roliça e Vimieiro.
Sob o comando de Soult, as tropas
francesas entram em Portugal, em
direcção ao Porto.
Durante a segunda invasão
francesa, comandada por Soult, a
ponte ruiu devido ao peso excessivo
do povo que, em pânico, a
atravessava; viraram-se no rio botes
carregados de gente... e muitas
pessoas morreram.
Desastre da Ponte das Barcas, ligação de Gaia ao Porto
Chefiados pelo marechal Massena,as tropas francesas
entram em Portugal, pela Guarda e marcham em direcção a
Lisboa.
A revolução liberal portuguesa aula2 (1)
Os franceses não conseguiram
passar as linhas de defesa da
cidade de Lisboa.
As linhas de
Torres
Vedras
Derrotados e cansados
retiraram-se definitivamente
de Portugal, em 1811
Os princípios da igualdade, da
liberdade e da divisão de poderes
agradaram a muitos portugueses.
Foram vencidos…
… mas, enquanto por aqui
andaram…
… divulgaram as ideias que
marcaram a Revolução Francesa.
 Enorme perda de vidas humanas
 Paralisação do comércio e indústria
 Pontes cortadas
 Casas e monumentos destruídos e saqueados
 Os ingleses continuavam em Portugal, controlavam quase todo o comércio com o
Brasil, sendo o marechal Beresford a principal autoridade do reino, quer militar, quer civil.
 D. João VI e a corte continuavam no Brasil
 O descontentamento da população, a ausência do rei e as ideias liberais da Revolução
Francesa levaram a que um grupo de portugueses preparasse uma REVOLUÇÃO
O Sinédrio Sociedade secreta, criada no Porto, em 1818
Formado por um conjunto de burgueses portuenses e alguns militares, dirigidos por mim, o
juiz Manuel Fernandes Tomás.
No dia 24 de Agosto de 1820, os
conspiradores fizeram rebentar a
REVOLUÇÃO…
…que começou no PORTO…
…espalhando-se por todo o País
Lisboa em festa, recebe os
revolucionários nortenhos que se
manifestam contra a monarquia
absoluta e contra a presença dos
ingleses
Era o triunfo
da Revolução
Liberal
Os ingleses foram afastados.
Criou-se um Governo Provisório
Fim do Absolutismo
O Governo Provisório
começou imediatamente a
preparar eleições…
Após a REVOLUÇÃO
Formaram-se as
Cortes
Constituintes…
Saiu a primeira
Constituição Portuguesa…
…baseada nos princípios da igualdade e
liberdade!
D.JoãoVI chega do Brasil,
em 1824, e jurou a 1ª
Constituição Portuguesa
Eu, Manuel Fernandes
Tomás, fundador do Sinédrio e autor
das bases da Constituição de 1822.
Documento com as principais leis
do país
Monarquia Absoluta Monarquia Constitucional
comparação ou liberal
O rei tinha
todos os poderes:
Os poderes estão
divididos :
• fazia as leis
• mandava-as cumprir
• era o juiz supremo
Legislativo Executivo Judicial
Pertencia
às.
Cortes.
Os
deputados
eleitos
faziam as
leis.
Pertencia
ao
Governo.
O rei e os
seus
ministros
faziam
cumprir as
leis.
Pertencia
aos
Tribunais.
Os juízes
julgavam
quem não
cumpria as
leis.
D. Pedro (filho de D.
João IV) tinha ficado
como regente.
9 de janeiro de 1822,
D. Pedro recebe uma carta das cortes de Lisboa, exigindo o seu retorno para
Portugal.
D. Pedro respondeu: Diga ao povo
que fico!
Após o Dia do Fico, D. Pedro tomou uma série de medidas que desagradaram à metrópole.
As Cortes Constituintes anularam todos os
poderes de D.Pedro, no Brasil.
Nas margens do rio Ipiranga ,D.Pedro, revoltado,
gritou:
Independênci
a ou morte!
Dia 7 de Setembro de 1822
Seu nome
completo é:
Curiosidade
PEDRO DE
ALCÂNTARA
FRANCISCO
ANTÔNIO
JOÃO CARLOS
XAVIER DE
PAULA MIGUEL
RAFAEL
JOAQUIM JOSÉ
GONZAGA
PASCOAL
CIPRIANO
SERAFIM DE
BRAGANÇA E
BOURBON
Pedro I aclamado pela
população após a proclamação da
independência
As Invasões napoleónicas
Provocam
A saída da corte
para o Brasil
A resistência
Popular
A ajuda dos
Ingleses
Gera o
descontentamento da
população
Revolução de 1820
Origina
A constituição
de 1822
Independência
do Brasil
Monarquia
Liberal

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A reacção absolutista
A reacção absolutistaA reacção absolutista
A reacção absolutista
Carla Teixeira
 
A revolução liberal portuguesa. raquel
A revolução liberal portuguesa. raquelA revolução liberal portuguesa. raquel
A revolução liberal portuguesa. raquel
ceufaias
 
Revolução Liberal de 1820
Revolução Liberal de 1820Revolução Liberal de 1820
Revolução Liberal de 1820
ricardup
 
A revolução liberal de 1820
A revolução liberal de 1820A revolução liberal de 1820
A revolução liberal de 1820
joanacunha9406
 
A constituição de 1822
A constituição de 1822A constituição de 1822
A constituição de 1822
Maria Cerqueira
 
Apresentação resumida do liberalismo em Portugal
Apresentação resumida do liberalismo em PortugalApresentação resumida do liberalismo em Portugal
Apresentação resumida do liberalismo em Portugal
Dora Alexandra Batista de Sousa Rocha
 
Revolução liberal 1820
Revolução liberal 1820Revolução liberal 1820
Revolução liberal 1820
José Palma
 
Revolução liberal portuguesa
Revolução liberal portuguesaRevolução liberal portuguesa
Revolução liberal portuguesa
JennyIII
 
14 moodle revolucao liberal portuguesa cartismo setembrismo
14 moodle revolucao liberal portuguesa cartismo setembrismo14 moodle revolucao liberal portuguesa cartismo setembrismo
14 moodle revolucao liberal portuguesa cartismo setembrismo
Vanessa Jorge
 
A revolução liberal portuguesa
A revolução liberal portuguesaA revolução liberal portuguesa
A revolução liberal portuguesa
Eduardo Sousa
 
Revolução liberal de 1820
Revolução liberal de 1820Revolução liberal de 1820
Revolução liberal de 1820
Inês Marques
 
A revolução liberal e a independência do brasil
A revolução liberal e a independência do brasilA revolução liberal e a independência do brasil
A revolução liberal e a independência do brasil
helenasoares
 
A Revolução Liberal Portuguesa
A Revolução Liberal PortuguesaA Revolução Liberal Portuguesa
A Revolução Liberal Portuguesa
kikatitic
 
A RevoluçãO Liberal De 1820
A RevoluçãO Liberal De 1820A RevoluçãO Liberal De 1820
A RevoluçãO Liberal De 1820
jdlimaaear
 
Resumos História A
Resumos História AResumos História A
Resumos História A
Ana Catarina
 
Revolução liberal portuguesa
Revolução liberal portuguesaRevolução liberal portuguesa
Revolução liberal portuguesa
cattonia
 
Revolução liberal 1820
Revolução liberal 1820Revolução liberal 1820
Revolução liberal 1820
JoanaRitaSilva
 
Revolução liberal de 1820
Revolução liberal de 1820Revolução liberal de 1820
Revolução liberal de 1820
Temas de História de Portugal
 
Vintismo
VintismoVintismo
Vintismo
Carla Teixeira
 
2ºteste
2ºteste2ºteste
2ºteste
Débora Fino
 

Mais procurados (20)

A reacção absolutista
A reacção absolutistaA reacção absolutista
A reacção absolutista
 
A revolução liberal portuguesa. raquel
A revolução liberal portuguesa. raquelA revolução liberal portuguesa. raquel
A revolução liberal portuguesa. raquel
 
Revolução Liberal de 1820
Revolução Liberal de 1820Revolução Liberal de 1820
Revolução Liberal de 1820
 
A revolução liberal de 1820
A revolução liberal de 1820A revolução liberal de 1820
A revolução liberal de 1820
 
A constituição de 1822
A constituição de 1822A constituição de 1822
A constituição de 1822
 
Apresentação resumida do liberalismo em Portugal
Apresentação resumida do liberalismo em PortugalApresentação resumida do liberalismo em Portugal
Apresentação resumida do liberalismo em Portugal
 
Revolução liberal 1820
Revolução liberal 1820Revolução liberal 1820
Revolução liberal 1820
 
Revolução liberal portuguesa
Revolução liberal portuguesaRevolução liberal portuguesa
Revolução liberal portuguesa
 
14 moodle revolucao liberal portuguesa cartismo setembrismo
14 moodle revolucao liberal portuguesa cartismo setembrismo14 moodle revolucao liberal portuguesa cartismo setembrismo
14 moodle revolucao liberal portuguesa cartismo setembrismo
 
A revolução liberal portuguesa
A revolução liberal portuguesaA revolução liberal portuguesa
A revolução liberal portuguesa
 
Revolução liberal de 1820
Revolução liberal de 1820Revolução liberal de 1820
Revolução liberal de 1820
 
A revolução liberal e a independência do brasil
A revolução liberal e a independência do brasilA revolução liberal e a independência do brasil
A revolução liberal e a independência do brasil
 
A Revolução Liberal Portuguesa
A Revolução Liberal PortuguesaA Revolução Liberal Portuguesa
A Revolução Liberal Portuguesa
 
A RevoluçãO Liberal De 1820
A RevoluçãO Liberal De 1820A RevoluçãO Liberal De 1820
A RevoluçãO Liberal De 1820
 
Resumos História A
Resumos História AResumos História A
Resumos História A
 
Revolução liberal portuguesa
Revolução liberal portuguesaRevolução liberal portuguesa
Revolução liberal portuguesa
 
Revolução liberal 1820
Revolução liberal 1820Revolução liberal 1820
Revolução liberal 1820
 
Revolução liberal de 1820
Revolução liberal de 1820Revolução liberal de 1820
Revolução liberal de 1820
 
Vintismo
VintismoVintismo
Vintismo
 
2ºteste
2ºteste2ºteste
2ºteste
 

Destaque

Invasões francesas
Invasões francesasInvasões francesas
Invasões francesas
Joao Soares
 
Invações francesas em portugal
Invações francesas em portugalInvações francesas em portugal
Invações francesas em portugal
Inês Marques
 
Invasões napoleónicas historia portugal
Invasões napoleónicas   historia portugalInvasões napoleónicas   historia portugal
Invasões napoleónicas historia portugal
Hugo Miguel Carriço
 
Invasões francesas em portugal
Invasões francesas em portugalInvasões francesas em portugal
Invasões francesas em portugal
Sara Catarina
 
Invasões francesas ppt
Invasões francesas   pptInvasões francesas   ppt
Invasões francesas ppt
Álvaro Maurício
 
Invasoes francesas
Invasoes francesasInvasoes francesas
Invasoes francesas
Karishma & Maria
 
AS INVASÕES FRANCESAS
AS INVASÕES FRANCESASAS INVASÕES FRANCESAS
AS INVASÕES FRANCESAS
guest4a6d88ff
 
Revolução liberal do Porto - Altair Aguilar.
Revolução liberal do Porto -  Altair Aguilar.Revolução liberal do Porto -  Altair Aguilar.
Revolução liberal do Porto - Altair Aguilar.
Altair Moisés Aguilar
 
Invasões Francesas em Portugal
Invasões Francesas em PortugalInvasões Francesas em Portugal
Invasões Francesas em Portugal
becresforte
 
Revolução liberal portuguesa esquema
Revolução liberal portuguesa esquemaRevolução liberal portuguesa esquema
Revolução liberal portuguesa esquema
Eduardo Sousa
 
As Invasões Francesas
As Invasões FrancesasAs Invasões Francesas
As Invasões Francesas
Jorge Almeida
 
Revoluções Liberais
Revoluções LiberaisRevoluções Liberais
Revoluções Liberais
Carlos Vieira
 
História A Módulo 5 Unidades 4 e 5
História A Módulo 5 Unidades 4 e 5História A Módulo 5 Unidades 4 e 5
História A Módulo 5 Unidades 4 e 5
Andreia Pacheco
 
Revoluções Liberais
Revoluções LiberaisRevoluções Liberais
Revoluções Liberais
cattonia
 
Liberalismo em portugal
Liberalismo em portugalLiberalismo em portugal
Liberalismo em portugal
cattonia
 
A implantação do liberalismo em portugal
A implantação do liberalismo em portugalA implantação do liberalismo em portugal
A implantação do liberalismo em portugal
BarbaraSilveira9
 
As causas da rev 1820
As causas da rev 1820As causas da rev 1820
As causas da rev 1820
Carla Teixeira
 
As Invasões Francesas
As Invasões FrancesasAs Invasões Francesas
As Invasões Francesas
jdlimaaear
 
1820 e o Triunfo Dos Liberais
1820 e o Triunfo Dos Liberais1820 e o Triunfo Dos Liberais
1820 e o Triunfo Dos Liberais
Sandra Sousa
 

Destaque (19)

Invasões francesas
Invasões francesasInvasões francesas
Invasões francesas
 
Invações francesas em portugal
Invações francesas em portugalInvações francesas em portugal
Invações francesas em portugal
 
Invasões napoleónicas historia portugal
Invasões napoleónicas   historia portugalInvasões napoleónicas   historia portugal
Invasões napoleónicas historia portugal
 
Invasões francesas em portugal
Invasões francesas em portugalInvasões francesas em portugal
Invasões francesas em portugal
 
Invasões francesas ppt
Invasões francesas   pptInvasões francesas   ppt
Invasões francesas ppt
 
Invasoes francesas
Invasoes francesasInvasoes francesas
Invasoes francesas
 
AS INVASÕES FRANCESAS
AS INVASÕES FRANCESASAS INVASÕES FRANCESAS
AS INVASÕES FRANCESAS
 
Revolução liberal do Porto - Altair Aguilar.
Revolução liberal do Porto -  Altair Aguilar.Revolução liberal do Porto -  Altair Aguilar.
Revolução liberal do Porto - Altair Aguilar.
 
Invasões Francesas em Portugal
Invasões Francesas em PortugalInvasões Francesas em Portugal
Invasões Francesas em Portugal
 
Revolução liberal portuguesa esquema
Revolução liberal portuguesa esquemaRevolução liberal portuguesa esquema
Revolução liberal portuguesa esquema
 
As Invasões Francesas
As Invasões FrancesasAs Invasões Francesas
As Invasões Francesas
 
Revoluções Liberais
Revoluções LiberaisRevoluções Liberais
Revoluções Liberais
 
História A Módulo 5 Unidades 4 e 5
História A Módulo 5 Unidades 4 e 5História A Módulo 5 Unidades 4 e 5
História A Módulo 5 Unidades 4 e 5
 
Revoluções Liberais
Revoluções LiberaisRevoluções Liberais
Revoluções Liberais
 
Liberalismo em portugal
Liberalismo em portugalLiberalismo em portugal
Liberalismo em portugal
 
A implantação do liberalismo em portugal
A implantação do liberalismo em portugalA implantação do liberalismo em portugal
A implantação do liberalismo em portugal
 
As causas da rev 1820
As causas da rev 1820As causas da rev 1820
As causas da rev 1820
 
As Invasões Francesas
As Invasões FrancesasAs Invasões Francesas
As Invasões Francesas
 
1820 e o Triunfo Dos Liberais
1820 e o Triunfo Dos Liberais1820 e o Triunfo Dos Liberais
1820 e o Triunfo Dos Liberais
 

Semelhante a A revolução liberal portuguesa aula2 (1)

1820 liberalismoppt-hgp6-2010-11-111128064940-phpapp01
1820 liberalismoppt-hgp6-2010-11-111128064940-phpapp011820 liberalismoppt-hgp6-2010-11-111128064940-phpapp01
1820 liberalismoppt-hgp6-2010-11-111128064940-phpapp01
blade40p
 
1820 e o liberalismo
1820 e o liberalismo1820 e o liberalismo
1820 e o liberalismo
Carolina Tavares
 
1820 e o liberalismo
1820 e o liberalismo1820 e o liberalismo
1820 e o liberalismo
cruchinho
 
1820 e o liberalismo
1820 e o liberalismo1820 e o liberalismo
1820 e o liberalismo
Joana12so
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
MC123456789
 
Ficha formativa 1820 e o liberalismo correcao
Ficha formativa 1820 e o liberalismo correcaoFicha formativa 1820 e o liberalismo correcao
Ficha formativa 1820 e o liberalismo correcao
Ana Barreiros
 
Revolução Liberal em Portugal
Revolução Liberal em PortugalRevolução Liberal em Portugal
Revolução Liberal em Portugal
Susana Simões
 
RevisõEs 2.º Teste
RevisõEs 2.º TesteRevisõEs 2.º Teste
RevisõEs 2.º Teste
jdlimaaear
 
A revolução liberal em portugal
A revolução liberal em portugalA revolução liberal em portugal
A revolução liberal em portugal
QI- Centro de Estudos
 
Revolução Francesa e Governo Napoleônico
Revolução Francesa e Governo NapoleônicoRevolução Francesa e Governo Napoleônico
Revolução Francesa e Governo Napoleônico
alunoitv
 
1ª república
1ª república1ª república
1ª república
ticemformacao
 
5 04 a implantacao do liberalismo em portugal
5 04 a implantacao do liberalismo em portugal5 04 a implantacao do liberalismo em portugal
5 04 a implantacao do liberalismo em portugal
Vítor Santos
 
5 04 a implantação do liberalismo em portugal
5 04 a implantação do liberalismo em portugal5 04 a implantação do liberalismo em portugal
5 04 a implantação do liberalismo em portugal
Vítor Santos
 
A história da 1ª republica
A história da 1ª republicaA história da 1ª republica
A história da 1ª republica
anabelasilvasobral
 
Caderno diário O Liberalismo em Portugal n.º9 1415
Caderno diário O Liberalismo em Portugal n.º9 1415Caderno diário O Liberalismo em Portugal n.º9 1415
Caderno diário O Liberalismo em Portugal n.º9 1415
Laboratório de História
 
A revolução francesa
A revolução francesaA revolução francesa
A revolução francesa
ceufaias
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
António Teixeira
 
Resumos Para O Teste
Resumos Para O TesteResumos Para O Teste
Resumos Para O Teste
jdlimaaear
 
14 1820 e o liberalismo
14 1820 e o liberalismo14 1820 e o liberalismo
14 1820 e o liberalismo
Vanessa Jorge
 
1296233736 powerpoint da_revoluo_republicana
1296233736 powerpoint da_revoluo_republicana1296233736 powerpoint da_revoluo_republicana
1296233736 powerpoint da_revoluo_republicana
Pelo Siro
 

Semelhante a A revolução liberal portuguesa aula2 (1) (20)

1820 liberalismoppt-hgp6-2010-11-111128064940-phpapp01
1820 liberalismoppt-hgp6-2010-11-111128064940-phpapp011820 liberalismoppt-hgp6-2010-11-111128064940-phpapp01
1820 liberalismoppt-hgp6-2010-11-111128064940-phpapp01
 
1820 e o liberalismo
1820 e o liberalismo1820 e o liberalismo
1820 e o liberalismo
 
1820 e o liberalismo
1820 e o liberalismo1820 e o liberalismo
1820 e o liberalismo
 
1820 e o liberalismo
1820 e o liberalismo1820 e o liberalismo
1820 e o liberalismo
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
 
Ficha formativa 1820 e o liberalismo correcao
Ficha formativa 1820 e o liberalismo correcaoFicha formativa 1820 e o liberalismo correcao
Ficha formativa 1820 e o liberalismo correcao
 
Revolução Liberal em Portugal
Revolução Liberal em PortugalRevolução Liberal em Portugal
Revolução Liberal em Portugal
 
RevisõEs 2.º Teste
RevisõEs 2.º TesteRevisõEs 2.º Teste
RevisõEs 2.º Teste
 
A revolução liberal em portugal
A revolução liberal em portugalA revolução liberal em portugal
A revolução liberal em portugal
 
Revolução Francesa e Governo Napoleônico
Revolução Francesa e Governo NapoleônicoRevolução Francesa e Governo Napoleônico
Revolução Francesa e Governo Napoleônico
 
1ª república
1ª república1ª república
1ª república
 
5 04 a implantacao do liberalismo em portugal
5 04 a implantacao do liberalismo em portugal5 04 a implantacao do liberalismo em portugal
5 04 a implantacao do liberalismo em portugal
 
5 04 a implantação do liberalismo em portugal
5 04 a implantação do liberalismo em portugal5 04 a implantação do liberalismo em portugal
5 04 a implantação do liberalismo em portugal
 
A história da 1ª republica
A história da 1ª republicaA história da 1ª republica
A história da 1ª republica
 
Caderno diário O Liberalismo em Portugal n.º9 1415
Caderno diário O Liberalismo em Portugal n.º9 1415Caderno diário O Liberalismo em Portugal n.º9 1415
Caderno diário O Liberalismo em Portugal n.º9 1415
 
A revolução francesa
A revolução francesaA revolução francesa
A revolução francesa
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
 
Resumos Para O Teste
Resumos Para O TesteResumos Para O Teste
Resumos Para O Teste
 
14 1820 e o liberalismo
14 1820 e o liberalismo14 1820 e o liberalismo
14 1820 e o liberalismo
 
1296233736 powerpoint da_revoluo_republicana
1296233736 powerpoint da_revoluo_republicana1296233736 powerpoint da_revoluo_republicana
1296233736 powerpoint da_revoluo_republicana
 

A revolução liberal portuguesa aula2 (1)

  • 2. Os antecedentes da Revolução Liberal de 1820. A Revolução Liberal de 1820 e a Independência do Brasil. Realização de Exercícios interativos.
  • 3.  Identifica os fatores de descontentamento dos portugueses que levaram à Revolução Liberal.  Relaciona a ação das Cortes Constituintes com a independência do Brasil.
  • 4. Eu sou Manuel Fernandes Tomás, um defensor das ideias liberais. Com o apoio de comerciantes, militares, proprietários e magistrados fundei uma sociedade secreta - o Sinédrio. Às escondidas preparamos uma revolução.! Agora vou contar-vos como Tudo aconteceu!
  • 5. Revolução Francesa 1789 Coroação de Napoleão Bonaparte como Imperador dos Franceses. Pintura de Jacques-Louis David Luís XVI é decapitado Em 1789, ocorreu em França uma Revolução que pôs fim à monarquia absoluta de Luis XVI
  • 6. Portugal não adere ao bloqueio Continental Inglaterra resiste Fecho dos portos aos navios ingleses
  • 8. Fuga para o Brasil do Príncipe Regente de Portugal, D. João VI, e de toda a família real, no Porto de Belém, às 11 horas da manhã de 27 de Novembro de 1807. As primeiras tropas francesas sob o comando de Junot entram em Portugal, pela Beira Baixa, seguem para Castelo Branco, marcham até Lisboa onde chegam a 30 de Novembro.
  • 9.  Roubaram as riquezas dos palácios e das igrejas  Mataram muitas pessoas que se lhes opunham  Destruíram campos e culturas
  • 10. O exército Inglês liderado pelo General Arthur Wellesley desembarcou na figueira da foz e juntou-se a exercito Português e assim os franceses foram derrotados nas batalhas da Roliça e Vimieiro.
  • 11. Sob o comando de Soult, as tropas francesas entram em Portugal, em direcção ao Porto.
  • 12. Durante a segunda invasão francesa, comandada por Soult, a ponte ruiu devido ao peso excessivo do povo que, em pânico, a atravessava; viraram-se no rio botes carregados de gente... e muitas pessoas morreram. Desastre da Ponte das Barcas, ligação de Gaia ao Porto
  • 13. Chefiados pelo marechal Massena,as tropas francesas entram em Portugal, pela Guarda e marcham em direcção a Lisboa.
  • 15. Os franceses não conseguiram passar as linhas de defesa da cidade de Lisboa. As linhas de Torres Vedras Derrotados e cansados retiraram-se definitivamente de Portugal, em 1811
  • 16. Os princípios da igualdade, da liberdade e da divisão de poderes agradaram a muitos portugueses. Foram vencidos… … mas, enquanto por aqui andaram… … divulgaram as ideias que marcaram a Revolução Francesa.
  • 17.  Enorme perda de vidas humanas  Paralisação do comércio e indústria  Pontes cortadas  Casas e monumentos destruídos e saqueados  Os ingleses continuavam em Portugal, controlavam quase todo o comércio com o Brasil, sendo o marechal Beresford a principal autoridade do reino, quer militar, quer civil.  D. João VI e a corte continuavam no Brasil  O descontentamento da população, a ausência do rei e as ideias liberais da Revolução Francesa levaram a que um grupo de portugueses preparasse uma REVOLUÇÃO
  • 18. O Sinédrio Sociedade secreta, criada no Porto, em 1818 Formado por um conjunto de burgueses portuenses e alguns militares, dirigidos por mim, o juiz Manuel Fernandes Tomás. No dia 24 de Agosto de 1820, os conspiradores fizeram rebentar a REVOLUÇÃO… …que começou no PORTO… …espalhando-se por todo o País Lisboa em festa, recebe os revolucionários nortenhos que se manifestam contra a monarquia absoluta e contra a presença dos ingleses Era o triunfo da Revolução Liberal Os ingleses foram afastados. Criou-se um Governo Provisório Fim do Absolutismo
  • 19. O Governo Provisório começou imediatamente a preparar eleições… Após a REVOLUÇÃO Formaram-se as Cortes Constituintes… Saiu a primeira Constituição Portuguesa… …baseada nos princípios da igualdade e liberdade! D.JoãoVI chega do Brasil, em 1824, e jurou a 1ª Constituição Portuguesa Eu, Manuel Fernandes Tomás, fundador do Sinédrio e autor das bases da Constituição de 1822. Documento com as principais leis do país
  • 20. Monarquia Absoluta Monarquia Constitucional comparação ou liberal O rei tinha todos os poderes: Os poderes estão divididos : • fazia as leis • mandava-as cumprir • era o juiz supremo Legislativo Executivo Judicial Pertencia às. Cortes. Os deputados eleitos faziam as leis. Pertencia ao Governo. O rei e os seus ministros faziam cumprir as leis. Pertencia aos Tribunais. Os juízes julgavam quem não cumpria as leis.
  • 21. D. Pedro (filho de D. João IV) tinha ficado como regente. 9 de janeiro de 1822, D. Pedro recebe uma carta das cortes de Lisboa, exigindo o seu retorno para Portugal. D. Pedro respondeu: Diga ao povo que fico! Após o Dia do Fico, D. Pedro tomou uma série de medidas que desagradaram à metrópole. As Cortes Constituintes anularam todos os poderes de D.Pedro, no Brasil. Nas margens do rio Ipiranga ,D.Pedro, revoltado, gritou: Independênci a ou morte! Dia 7 de Setembro de 1822
  • 22. Seu nome completo é: Curiosidade PEDRO DE ALCÂNTARA FRANCISCO ANTÔNIO JOÃO CARLOS XAVIER DE PAULA MIGUEL RAFAEL JOAQUIM JOSÉ GONZAGA PASCOAL CIPRIANO SERAFIM DE BRAGANÇA E BOURBON Pedro I aclamado pela população após a proclamação da independência
  • 23. As Invasões napoleónicas Provocam A saída da corte para o Brasil A resistência Popular A ajuda dos Ingleses Gera o descontentamento da população Revolução de 1820 Origina A constituição de 1822 Independência do Brasil Monarquia Liberal