SlideShare uma empresa Scribd logo
CURSO BÁSICO DE
    ESPIRITISMO
CURSO BÁSICO DE
                ESPIRITISMO



INÍCIO:          Término :
31.01.12         26.06.12
      HORÁRIO: DAS 20:30H ÀS 22:00
 O Curso Básico de Espiritismo é informativo sobre a
 Doutrina Espírita, busca trazer ao aluno os aspectos
 históricos e os princípios básicos do Espiritismo. 

Seu programa é rápido e de natureza simples e objetiva,
 buscando uniformizar os conceitos da doutrina.

Está organizado em reuniões semanais, 1 vez por
 semana, abertas ao público, com duração de 90 minutos
 cada reunião.

Podem participar do Curso Básico jovens com mais de 18
 anos e adultos interessados em conhecer os
 fundamentos da Doutrina Espírita. As inscrições estão
 sempre abertas ao público, sem qualquer restrição.
 Apresentação:

 Livro: “Entendendo o Espiritismo” 18 aulas
  (18 do livro mais 2 acrescidas)
  aula 00,
  15-A

 Livro :”Vinha de Luz”

  Livro: “Sinal Verde”
                             CURSO BÁSICO DE ESPIRITISMO
  DATA       Nº
 31.01.12    00  Apresentação
                  O que é o espiritismo?
 07.02.12   01    Quando surgiu, em que lugar e em que circunstância ?
                  Como criou-se o corpo da Doutrina e quem o criou ?
 14.02.12   02    Ligeira biografia de Allan Kardec.
 28.02.12   03    Como foi a Doutrina difundida pelo mundo?
                  Relação dos continuadores de Kardec na França e em outros
                  países.
 06.03.12    04    Qual a posição da Doutrina entre as demais filosofias e religiões
                  existentes?
                  Quais os setores em que a Doutrina se divide?
13.03.12    05    Qual deve ser considerado o mais importante?
                  Por que?
             06    Diferença entre Espiritismo, Umbanda e religiões afro-indígenas.
20.03.12           
             07    Esboço do Livro dos Espíritos e suas diferentes partes.
27.03.12
                   
 03.04.12    08    Esboço de O Livro dos Médiuns.
 10.04.12    09  Esboço de O Céu e o Inferno.
               Descrição do mundo material e espiritual.
17.04.12    10 Nosso Lar, de André Luiz.
               O intercâmbio através da Mediunidade
          
24.04.12    11 Esboço de A Gênese – Os milagres e predições segundo o
               Espiritismo.
               As Leis da Reencarnação e do Carma.
08.05.12    12 A evolução do Espírito.
               Forma dos Espíritos. Envoltórios espirituais.
15.05.12    13 Períspirito e corpo etéreo.
              
 22.05.12   14 Lei de Ação e Reação.

29.05.12    15 Recordações de existências anteriores.
               Necessidade da prática do bem.
               A formação Cristã da Família.

 05.06.12 15- Introdução das Preces da Fraternidades e da Escalada Completa
           a
               
12.06.12 16 Esboço do Livro “O Evangelho Segundo o Espiritismo” .
               
 19.06.12  17  A vida moral com base no Evangelho de Jesus.
 26.06.12  18  Regras de Conduta
              
 Início:20:30h
 Prece inicial
 Leitura Evangélica
 Reflexões (Livro “Sinal Verde)
 Tema da Aula – Expositor


 Encerramento
   Vibrações finais
 Expositores convidados
  Disciplina:
    Horário = 20:30 hs em ponto devemos iniciar
     a aula, portanto as 20:25hs fecha-se o portão;
 Ao chegar e encontrar o portão fechado, não
  bater;
 Chegando a Casa, tomar o passe de limpeza, para
  poder adentrar ao salão;
 Procurar não conversar no salão para não quebrar
  as vibrações, ter cuidado com o que se fala dentro
  do salão (comentários mundanos,
 programas de TV, doenças, etc.)


   Ouvir as músicas que são escolhidas para ajudar
    na sua harmonização com a espiritualidade.
 Atenção   e respeito ao Expositor. Procure
  interessar-se pelas aulas estudando-as
  antes, quem estuda e se interessa não
  sente sono;
 Evitar dormir, bocejar (falta de interesse);
 Evitar ir ao banheiro e beber água
  durante as exposições, tudo isso deverá
  ser feito antes do início da aula;
 Participem, estudem, perguntem, tirem
  dúvidas;
 Prestar atenção quanto a vestimenta que
  usamos. Adequá-la a cada local e
  situação;
   Evitar conversas paralelas pois isso perturba o outro
    que quer ouvir;
   Vamos iniciar nossa Reforma Íntima
Nosso trabalho já iniciado:

 07/02/12                  COMPANHEIRISMO
O espírito de competição reinante entre grupos e pessoas tem gerado
desentendimentos, incompatibilidades, desuniões.
O que precisamos é combater o personalismo, desenvolver o companheirismo por
todos os meios, para não desviarmos nossa missão de produzir e propagar o bem que
Doutrina nos ensina.
Virtudes sinônimas e relacionadas:
Amizade, fidelidade, consideração, interesse, fraternidade, solidariedade,
respeito e lealdade


   28/02/12                     MALEDICÊNCIA
A tendência perniciosa que trazemos de comentar o mal, freqüentemente se manifesta
nas conversações que costumamos manter nos círculos entre “amigos”. Quando entra
em pauta tecer referências a pessoas, parece ser até irresistível a abordagem dos
aspectos mais desabonadores das criaturas. E não fica apenas nisso. O que é muito
pior são os acréscimos por conta da imaginação doentia, nas calúnias e interpretações
malévolas que se fazem.
Defeitos sinônimos ou relacionados:
Maldade, inimizade, preconceitos, inconseqüência, calúnia.
12/03/12            HUMILDADE, MODÉSTIA, SOBRIEDADE

Para podermos ser verdadeiramente humildes devemos, quando estivermos nos
dando muito valor, por aquilo que possuímos financeiramente, pela posição social à
qual chegamos, pelo cargo que ocupamos, ou pelo conhecimento adquirido, no
elevado conceito que possamos fazer de nós mesmos, devemos meditar seriamente,
com urgência, no falso rumo em que nos achamos e esforcemo-nos em refrear os
ímpetos de revolta, de inconformação, as exaltações de ânimo, os melindres, as
queixas, indicativos de nosso engano.
Em poucas palavras, podemos dizer que ser humilde, modesto e sóbrio é ser:
despretensioso; conformado; resignado; simples; submisso; respeitoso;
reservado; comedido; moderado.
    27/03/12                     VAIDADE
  A vaidade, sorrateiramente, está quase sempre presente dentro de nós. É muito sutil a
    manifestação da vaidade no nosso íntimo e não é pequeno o esforço que devemos
 fazer na vigilância, para não sermos vítimas daquelas influências que encontram apoio
  nesse nosso defeito. De alguma forma e de variada intensidade, contamos todos com
   uma parcela de vaidade, que pode estar se manifestando nas nossas motivações de
  algo a realizar, o que é certamente válido, até certo ponto. O perigo, no entanto, reside
   no excesso e no desconhecimento das fronteiras entre os impulsos de idealismo, por
     amor a uma causa nobre, e os ímpetos de destaque pessoal, característicos da
                                          vaidade.
 Defeitos sinônimos ou relacionados:       egocentrismo, egoísmo, ostentação, luxúria,
                      frivolidades, materialismo, falsidade, ambição.
10/04/12                             GENEROSIDADE
A generosidade é a característica dos que aplicam a caridade com naturalidade, com
espontaneidade.
Quem é generoso, não sente dificuldade em ser bom, não lhe é um sacrifício. Pelo
contrário, o faz por gosto e satisfação, não se cansa, não se irrita, não se perturba.
A abnegação – que também é oposto do egoísmo - é indicativa daquilo que fazemos
generosamente em favor de alguém, ou de alguma causa, sem interesse próprio, com
esquecimento de nós mesmos, ou até com sacrifício do que possa nos pertencer.
Virtudes sinônimas ou relacionadas :
Beneficência, desprendimento, boa vontade, prodigalidade, doação



  24/04/12                             VIGILÂNCIA
 A observação de nós mesmos deverá ser aplicada de modo permanente, e não apenas quando já
 ocorreu a transgressão.
 Entendemos claramente que a vigilância define um trabalho preventivo e não corretivo.
 A vigilância tem, assim, sua atuação como meio de combate aos defeitos, de algum modo já
 conhecidos e identificados, para que, com a devida antecedência e precaução, evitemos as
 ocorrências dos mesmos.
 Virtudes sinônimas ou relacionadas:
 Abnegação, honestidade, autenticidade, sinceridade, autocrítica.
15/05/12                         OCIOSIDADE
Ser ocioso é gastar o tempo inutilmente, sem proveito; é desperdiçá-lo inativamente. O trabalho é uma
lei imperiosa da Criação, tudo se desenvolve, caminha, evolui, produz-se como conseqüência dele, e
como tal o que a ele se opõe é nocivo, prejudicial.
Defeitos sinônimos ou relativos:
Irresponsabilidade, preguiça, comodismo.


  29/05/12                       AFABILIDADE, DOÇURA
 Aí está a maneira prática de verificarmos, em nosso relacionamento social, se apenas nos servimos do
 verniz superficial, que o mínimo de educação nos ensina, ou se estamos verdadeiramente
 expressando, em nossas cortesias, a benevolência para com os semelhantes.
 Precisamos desenvolver a afabilidade e a doçura, não apenas no trato formal, mas em profundidade,
 interiormente.
 Entendemos , assim, que é necessário valorizar, nosso convívio social, cumprimentos, saudações,
 agradecimentos, votos e quaisquer expressões ditas formalmente em ocasiões que lhe são próprias,
 para aplicarmos o amor ao próximo, procurando, desse modo, sentir com o coração aquilo que
 pronunciamos em benefício de alguém.
 Virtudes sinônimas ou relacionadas:
 Meiguice, ternura, serenidade, suavidade, brandura, cortesia, educação, bondade, carinho,
 pacifismo, gentileza, delicadeza, pureza, bom-humor.
15/05/12 -       ÁLCOOL

Sente-se mais extrovertido ou mais à vontade, em grupos de pessoas, quando toma alguma bebida
alcoólica?
________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________

Tem dificuldade em não se deixar levar pelo desejo de tomar um drinque?
___________________________________________________________________________________




          ÁLCOOL: O alcoolismo deve ser encarado , nos casos mais profundos,
     como uma doença orgânica, como é , por exemplo, o diabetes. Na
     embriaguez, o domínio sobre a vontade do viciado é facilmente realizado
     pelas entidades tenebrosas que o induzem à bebida , nele exercendo grande
     domínio e dele usufruindo as mesmas sensações etílicas. Cria-se desse
     modo, dupla dependência: uma por parte da bebida propriamente dita, com
     toda carga psicológica que a motivou; outra por parte das entidades
     invisíveis que hipnoticamente exercem sua influência, conduzindo, por
     sugestão, o indivíduo à ingestão de álcool.
22/05/12            GULA

Fica tenso, nervoso ou contrariado quando tem que comer menos para dividir com os
outros ?
_________________________________________________________________________


Às vezes o comer muito reflete um desequilíbrio emocional ou psicológico. Acha que seria
esse o seu caso?
__________________________________________________________________________


GULA: A gula também é uma manifestação de egoísmo. A porção
alimentar que poderia sustentar mais uma ou duas pessoas é totalmente
digerida por apenas uma , com visível prejuízo para a coletividade. O
excesso na alimentação é vício igualmente nocivo ao nosso organismo.
Imaginemos a sobrecarga de trabalho que os nossos órgãos são obrigados a
desenvolver desnecessariamente, apenas para satisfazer o exagerado prazer
da gustação. Todo excesso de trabalho leva ao desgaste prematuro, quer de
uma máquina, quer dos órgãos físicos, ou do corpo somático na sua
generalidade.
05/06/12        JOGO

 Sente-se irresistivelmente impulsionado ao jogo ?
 _________________________________________

Admite que a riqueza obtida pelo jogo poderá levá-lo a muitos excessos, cujas
conseqüências são graves ?
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________



  JOGO: A vontade de adquirir pelo jogo uma boa soma de dinheiro, que
  venha preencher algumas necessidades ou realizar ambições materiais,
  denota completa falta de fé nos desígnios divinos, que conhecem todas
  as nossas necessidades. É também uma forma de rebeldia e
  inconformação com as limitadas condições financeiras da nossa
  existência.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Não se pode servir a deus e a mamon ppt
Não se pode servir a deus e a mamon pptNão se pode servir a deus e a mamon ppt
Não se pode servir a deus e a mamon ppt
Silvânio Barcelos
 
Maternidade o triunfo da vida
Maternidade   o triunfo da vidaMaternidade   o triunfo da vida
Maternidade o triunfo da vida
Flavio A. Zanetti
 
Para os espíritas, quem é jesus
Para os espíritas, quem é jesusPara os espíritas, quem é jesus
Para os espíritas, quem é jesus
Tatiana Bonfim
 
Curso Básico de Espiritismo 4
Curso Básico de Espiritismo 4Curso Básico de Espiritismo 4
Curso Básico de Espiritismo 4
Roseli Lemes
 
Palestra Espírita - O espiritismo como educação
Palestra Espírita - O espiritismo como educaçãoPalestra Espírita - O espiritismo como educação
Palestra Espírita - O espiritismo como educação
Divulgador do Espiritismo
 
Missão de Jesus - Evangelização espírita
Missão de Jesus - Evangelização espíritaMissão de Jesus - Evangelização espírita
Missão de Jesus - Evangelização espírita
Larissa Martins
 
Conhece se a árvore pelos frutos gec 03-09-2011
Conhece se a árvore pelos frutos gec 03-09-2011Conhece se a árvore pelos frutos gec 03-09-2011
Conhece se a árvore pelos frutos gec 03-09-2011
Izabel Cristina Fonseca
 
Palestra Espirita - Buscai e Achareis
Palestra Espirita - Buscai e AchareisPalestra Espirita - Buscai e Achareis
Palestra Espirita - Buscai e Achareis
manumino
 
AULA INAUGURAL plano convite Edgard Armond.pptx
AULA INAUGURAL plano convite Edgard Armond.pptxAULA INAUGURAL plano convite Edgard Armond.pptx
AULA INAUGURAL plano convite Edgard Armond.pptx
Wanderley Gomes
 
Palestra ESE cap 8 bem aventurados puros
Palestra ESE cap 8 bem aventurados purosPalestra ESE cap 8 bem aventurados puros
Palestra ESE cap 8 bem aventurados puros
Tiburcio Santos
 
Palestra Espírita - As três revelações
Palestra Espírita - As três revelaçõesPalestra Espírita - As três revelações
Palestra Espírita - As três revelações
Divulgador do Espiritismo
 
Eae 1 aula inaugural rev01
Eae 1   aula inaugural rev01Eae 1   aula inaugural rev01
Eae 1 aula inaugural rev01
Norberto Scavone Augusto
 
A importância do centro espírita na nossa atual existência
A importância do centro espírita na nossa atual existênciaA importância do centro espírita na nossa atual existência
A importância do centro espírita na nossa atual existência
Atendimento_CEACE
 
Transição planetária
Transição planetáriaTransição planetária
Transição planetária
Levi Antonio Amancio
 
O Papel do Centro Espírita
O Papel do Centro EspíritaO Papel do Centro Espírita
O Papel do Centro Espírita
Ricardo Azevedo
 
O compromisso com a tarefa
O compromisso com a tarefaO compromisso com a tarefa
O compromisso com a tarefa
umecamaqua
 
Escola de Aprendizes do Evangelho - 1a
Escola de Aprendizes do Evangelho - 1aEscola de Aprendizes do Evangelho - 1a
Escola de Aprendizes do Evangelho - 1a
Roseli Lemes
 
Criação e evolução a luz do espiritismo!
Criação e evolução a luz do espiritismo!Criação e evolução a luz do espiritismo!
Criação e evolução a luz do espiritismo!
Leonardo Pereira
 
CB 16 Esboço do Livro O Evangelho Segundo o Espiritismo
CB 16 Esboço do Livro O Evangelho Segundo o EspiritismoCB 16 Esboço do Livro O Evangelho Segundo o Espiritismo
CB 16 Esboço do Livro O Evangelho Segundo o Espiritismo
Roseli Lemes
 
O centro espírita
O centro espíritaO centro espírita
O centro espírita
nelmarvoc
 

Mais procurados (20)

Não se pode servir a deus e a mamon ppt
Não se pode servir a deus e a mamon pptNão se pode servir a deus e a mamon ppt
Não se pode servir a deus e a mamon ppt
 
Maternidade o triunfo da vida
Maternidade   o triunfo da vidaMaternidade   o triunfo da vida
Maternidade o triunfo da vida
 
Para os espíritas, quem é jesus
Para os espíritas, quem é jesusPara os espíritas, quem é jesus
Para os espíritas, quem é jesus
 
Curso Básico de Espiritismo 4
Curso Básico de Espiritismo 4Curso Básico de Espiritismo 4
Curso Básico de Espiritismo 4
 
Palestra Espírita - O espiritismo como educação
Palestra Espírita - O espiritismo como educaçãoPalestra Espírita - O espiritismo como educação
Palestra Espírita - O espiritismo como educação
 
Missão de Jesus - Evangelização espírita
Missão de Jesus - Evangelização espíritaMissão de Jesus - Evangelização espírita
Missão de Jesus - Evangelização espírita
 
Conhece se a árvore pelos frutos gec 03-09-2011
Conhece se a árvore pelos frutos gec 03-09-2011Conhece se a árvore pelos frutos gec 03-09-2011
Conhece se a árvore pelos frutos gec 03-09-2011
 
Palestra Espirita - Buscai e Achareis
Palestra Espirita - Buscai e AchareisPalestra Espirita - Buscai e Achareis
Palestra Espirita - Buscai e Achareis
 
AULA INAUGURAL plano convite Edgard Armond.pptx
AULA INAUGURAL plano convite Edgard Armond.pptxAULA INAUGURAL plano convite Edgard Armond.pptx
AULA INAUGURAL plano convite Edgard Armond.pptx
 
Palestra ESE cap 8 bem aventurados puros
Palestra ESE cap 8 bem aventurados purosPalestra ESE cap 8 bem aventurados puros
Palestra ESE cap 8 bem aventurados puros
 
Palestra Espírita - As três revelações
Palestra Espírita - As três revelaçõesPalestra Espírita - As três revelações
Palestra Espírita - As três revelações
 
Eae 1 aula inaugural rev01
Eae 1   aula inaugural rev01Eae 1   aula inaugural rev01
Eae 1 aula inaugural rev01
 
A importância do centro espírita na nossa atual existência
A importância do centro espírita na nossa atual existênciaA importância do centro espírita na nossa atual existência
A importância do centro espírita na nossa atual existência
 
Transição planetária
Transição planetáriaTransição planetária
Transição planetária
 
O Papel do Centro Espírita
O Papel do Centro EspíritaO Papel do Centro Espírita
O Papel do Centro Espírita
 
O compromisso com a tarefa
O compromisso com a tarefaO compromisso com a tarefa
O compromisso com a tarefa
 
Escola de Aprendizes do Evangelho - 1a
Escola de Aprendizes do Evangelho - 1aEscola de Aprendizes do Evangelho - 1a
Escola de Aprendizes do Evangelho - 1a
 
Criação e evolução a luz do espiritismo!
Criação e evolução a luz do espiritismo!Criação e evolução a luz do espiritismo!
Criação e evolução a luz do espiritismo!
 
CB 16 Esboço do Livro O Evangelho Segundo o Espiritismo
CB 16 Esboço do Livro O Evangelho Segundo o EspiritismoCB 16 Esboço do Livro O Evangelho Segundo o Espiritismo
CB 16 Esboço do Livro O Evangelho Segundo o Espiritismo
 
O centro espírita
O centro espíritaO centro espírita
O centro espírita
 

Destaque

Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 04
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 04Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 04
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 04
ADEP Portugal
 
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 03
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 03Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 03
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 03
ADEP Portugal
 
Curso Básico de Espiritismo 2
Curso Básico de Espiritismo 2Curso Básico de Espiritismo 2
Curso Básico de Espiritismo 2
Roseli Lemes
 
Curso Básico de Espiritismo 5
Curso Básico de Espiritismo 5Curso Básico de Espiritismo 5
Curso Básico de Espiritismo 5
Roseli Lemes
 
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 02
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 02Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 02
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 02
ADEP Portugal
 
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 01
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 01Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 01
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 01
ADEP Portugal
 
Curso Básico de Espiritismo 6
Curso Básico de Espiritismo 6Curso Básico de Espiritismo 6
Curso Básico de Espiritismo 6
Roseli Lemes
 
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 08
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 08Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 08
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 08
ADEP Portugal
 
Curso Básico de Espiritismo - Caderno 0
Curso Básico de Espiritismo - Caderno 0Curso Básico de Espiritismo - Caderno 0
Curso Básico de Espiritismo - Caderno 0
ADEP Portugal
 

Destaque (9)

Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 04
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 04Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 04
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 04
 
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 03
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 03Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 03
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 03
 
Curso Básico de Espiritismo 2
Curso Básico de Espiritismo 2Curso Básico de Espiritismo 2
Curso Básico de Espiritismo 2
 
Curso Básico de Espiritismo 5
Curso Básico de Espiritismo 5Curso Básico de Espiritismo 5
Curso Básico de Espiritismo 5
 
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 02
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 02Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 02
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 02
 
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 01
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 01Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 01
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 01
 
Curso Básico de Espiritismo 6
Curso Básico de Espiritismo 6Curso Básico de Espiritismo 6
Curso Básico de Espiritismo 6
 
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 08
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 08Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 08
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 08
 
Curso Básico de Espiritismo - Caderno 0
Curso Básico de Espiritismo - Caderno 0Curso Básico de Espiritismo - Caderno 0
Curso Básico de Espiritismo - Caderno 0
 

Semelhante a Apresentação - Curso Básico de Espiritismo

Aula 00 - Apresentaao do Curso Basico de Espiritismo.ppt
Aula 00 - Apresentaao do Curso Basico de Espiritismo.pptAula 00 - Apresentaao do Curso Basico de Espiritismo.ppt
Aula 00 - Apresentaao do Curso Basico de Espiritismo.ppt
elsfisio
 
André Luiz - Conduta Espírita - Psicografia de Waldo Vieira.pdf
André Luiz - Conduta Espírita - Psicografia de Waldo Vieira.pdfAndré Luiz - Conduta Espírita - Psicografia de Waldo Vieira.pdf
André Luiz - Conduta Espírita - Psicografia de Waldo Vieira.pdf
VIEIRA RESENDE
 
Atendimento fraterno seminário
Atendimento fraterno  seminárioAtendimento fraterno  seminário
Atendimento fraterno seminário
Movimento da Fraternidade
 
Aulas 108 e 109 Escola de Aprendizes do Evangelho
Aulas 108 e 109 Escola de Aprendizes do EvangelhoAulas 108 e 109 Escola de Aprendizes do Evangelho
Aulas 108 e 109 Escola de Aprendizes do Evangelho
liliancostadias
 
Agir no bem: mensagens cotidianas
Agir no bem: mensagens cotidianasAgir no bem: mensagens cotidianas
Agir no bem: mensagens cotidianas
EducadorCriativo
 
Manifestação da mente de deus
Manifestação da mente de deusManifestação da mente de deus
Manifestação da mente de deus
Alice Negrão
 
Ed esp para_jovem_14_04_2010
Ed esp para_jovem_14_04_2010Ed esp para_jovem_14_04_2010
Ed esp para_jovem_14_04_2010
Dalila Melo
 
Fora Da Caridade NãO Há SalvaçãO
Fora Da Caridade NãO Há SalvaçãOFora Da Caridade NãO Há SalvaçãO
Fora Da Caridade NãO Há SalvaçãO
Sergio Menezes
 
Evangelhoterapia - a cura espiritual do Homem!
Evangelhoterapia - a cura espiritual do Homem! Evangelhoterapia - a cura espiritual do Homem!
Evangelhoterapia - a cura espiritual do Homem!
Leonardo Pereira
 
A Compreensão espiritual dos Relacionamentos
A Compreensão espiritual dos RelacionamentosA Compreensão espiritual dos Relacionamentos
A Compreensão espiritual dos Relacionamentos
mommentumadinfinitum
 
emoção.pptx
emoção.pptxemoção.pptx
emoção.pptx
IAMComarcaJaragudoSu
 
Caridade e lei do amor
Caridade e lei do amorCaridade e lei do amor
Caridade e lei do amor
Alice Lirio
 
Apostila obsessão lar rubataiana -2009 .doc - 09 doc
Apostila obsessão   lar rubataiana -2009 .doc - 09 docApostila obsessão   lar rubataiana -2009 .doc - 09 doc
Apostila obsessão lar rubataiana -2009 .doc - 09 doc
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Apostila obsessão lar rubataiana -2009 .doc - 14 doc
Apostila obsessão   lar rubataiana -2009 .doc - 14 docApostila obsessão   lar rubataiana -2009 .doc - 14 doc
Apostila obsessão lar rubataiana -2009 .doc - 14 doc
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Apostila obsessão lar rubataiana -doc - 14 doc
Apostila obsessão   lar rubataiana -doc - 14 docApostila obsessão   lar rubataiana -doc - 14 doc
Apostila obsessão lar rubataiana -doc - 14 doc
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Fora Caridade não existe Salvação - A Caridade Horizontal e Caridade Vertical
Fora Caridade não existe Salvação - A Caridade Horizontal e Caridade VerticalFora Caridade não existe Salvação - A Caridade Horizontal e Caridade Vertical
Fora Caridade não existe Salvação - A Caridade Horizontal e Caridade Vertical
ADALBERTO COELHO DA SILVA JR
 
A MALEDICÊNCIA
A MALEDICÊNCIAA MALEDICÊNCIA
Gentileza
GentilezaGentileza
Moral cristã e caridade
Moral cristã e caridadeMoral cristã e caridade
Moral cristã e caridade
Marcel Jefferson Gonçalves
 
# Amália silveira - o egoísmo - [ espiritismo]
#   Amália silveira - o egoísmo - [ espiritismo]#   Amália silveira - o egoísmo - [ espiritismo]
# Amália silveira - o egoísmo - [ espiritismo]
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 

Semelhante a Apresentação - Curso Básico de Espiritismo (20)

Aula 00 - Apresentaao do Curso Basico de Espiritismo.ppt
Aula 00 - Apresentaao do Curso Basico de Espiritismo.pptAula 00 - Apresentaao do Curso Basico de Espiritismo.ppt
Aula 00 - Apresentaao do Curso Basico de Espiritismo.ppt
 
André Luiz - Conduta Espírita - Psicografia de Waldo Vieira.pdf
André Luiz - Conduta Espírita - Psicografia de Waldo Vieira.pdfAndré Luiz - Conduta Espírita - Psicografia de Waldo Vieira.pdf
André Luiz - Conduta Espírita - Psicografia de Waldo Vieira.pdf
 
Atendimento fraterno seminário
Atendimento fraterno  seminárioAtendimento fraterno  seminário
Atendimento fraterno seminário
 
Aulas 108 e 109 Escola de Aprendizes do Evangelho
Aulas 108 e 109 Escola de Aprendizes do EvangelhoAulas 108 e 109 Escola de Aprendizes do Evangelho
Aulas 108 e 109 Escola de Aprendizes do Evangelho
 
Agir no bem: mensagens cotidianas
Agir no bem: mensagens cotidianasAgir no bem: mensagens cotidianas
Agir no bem: mensagens cotidianas
 
Manifestação da mente de deus
Manifestação da mente de deusManifestação da mente de deus
Manifestação da mente de deus
 
Ed esp para_jovem_14_04_2010
Ed esp para_jovem_14_04_2010Ed esp para_jovem_14_04_2010
Ed esp para_jovem_14_04_2010
 
Fora Da Caridade NãO Há SalvaçãO
Fora Da Caridade NãO Há SalvaçãOFora Da Caridade NãO Há SalvaçãO
Fora Da Caridade NãO Há SalvaçãO
 
Evangelhoterapia - a cura espiritual do Homem!
Evangelhoterapia - a cura espiritual do Homem! Evangelhoterapia - a cura espiritual do Homem!
Evangelhoterapia - a cura espiritual do Homem!
 
A Compreensão espiritual dos Relacionamentos
A Compreensão espiritual dos RelacionamentosA Compreensão espiritual dos Relacionamentos
A Compreensão espiritual dos Relacionamentos
 
emoção.pptx
emoção.pptxemoção.pptx
emoção.pptx
 
Caridade e lei do amor
Caridade e lei do amorCaridade e lei do amor
Caridade e lei do amor
 
Apostila obsessão lar rubataiana -2009 .doc - 09 doc
Apostila obsessão   lar rubataiana -2009 .doc - 09 docApostila obsessão   lar rubataiana -2009 .doc - 09 doc
Apostila obsessão lar rubataiana -2009 .doc - 09 doc
 
Apostila obsessão lar rubataiana -2009 .doc - 14 doc
Apostila obsessão   lar rubataiana -2009 .doc - 14 docApostila obsessão   lar rubataiana -2009 .doc - 14 doc
Apostila obsessão lar rubataiana -2009 .doc - 14 doc
 
Apostila obsessão lar rubataiana -doc - 14 doc
Apostila obsessão   lar rubataiana -doc - 14 docApostila obsessão   lar rubataiana -doc - 14 doc
Apostila obsessão lar rubataiana -doc - 14 doc
 
Fora Caridade não existe Salvação - A Caridade Horizontal e Caridade Vertical
Fora Caridade não existe Salvação - A Caridade Horizontal e Caridade VerticalFora Caridade não existe Salvação - A Caridade Horizontal e Caridade Vertical
Fora Caridade não existe Salvação - A Caridade Horizontal e Caridade Vertical
 
A MALEDICÊNCIA
A MALEDICÊNCIAA MALEDICÊNCIA
A MALEDICÊNCIA
 
Gentileza
GentilezaGentileza
Gentileza
 
Moral cristã e caridade
Moral cristã e caridadeMoral cristã e caridade
Moral cristã e caridade
 
# Amália silveira - o egoísmo - [ espiritismo]
#   Amália silveira - o egoísmo - [ espiritismo]#   Amália silveira - o egoísmo - [ espiritismo]
# Amália silveira - o egoísmo - [ espiritismo]
 

Mais de Flávio Darin Buongermino

Aula 1 inaugural - 18ª Turma
Aula 1   inaugural - 18ª Turma Aula 1   inaugural - 18ª Turma
Aula 1 inaugural - 18ª Turma
Flávio Darin Buongermino
 
Aula 1a - inaugural - 18ª Turma - EAE
Aula 1a - inaugural - 18ª Turma - EAEAula 1a - inaugural - 18ª Turma - EAE
Aula 1a - inaugural - 18ª Turma - EAE
Flávio Darin Buongermino
 
Exemplo - Caderneta Pessoal - Escola de Aprendizes do Evangelho
Exemplo - Caderneta Pessoal - Escola de Aprendizes do EvangelhoExemplo - Caderneta Pessoal - Escola de Aprendizes do Evangelho
Exemplo - Caderneta Pessoal - Escola de Aprendizes do Evangelho
Flávio Darin Buongermino
 
Aula 13 - EAE - Implantação do Caderno de Temas
Aula 13 - EAE - Implantação do Caderno de TemasAula 13 - EAE - Implantação do Caderno de Temas
Aula 13 - EAE - Implantação do Caderno de Temas
Flávio Darin Buongermino
 
Aula 43 - Identidade
Aula 43 - IdentidadeAula 43 - Identidade
Aula 43 - Identidade
Flávio Darin Buongermino
 
Curso de Dirigentes e EAE - Programa referencias Bibliograficas
Curso de Dirigentes e EAE - Programa referencias BibliograficasCurso de Dirigentes e EAE - Programa referencias Bibliograficas
Curso de Dirigentes e EAE - Programa referencias BibliograficasFlávio Darin Buongermino
 
Aula 31 - Mocidade Espírita
Aula 31  - Mocidade EspíritaAula 31  - Mocidade Espírita
Aula 31 - Mocidade Espírita
Flávio Darin Buongermino
 

Mais de Flávio Darin Buongermino (7)

Aula 1 inaugural - 18ª Turma
Aula 1   inaugural - 18ª Turma Aula 1   inaugural - 18ª Turma
Aula 1 inaugural - 18ª Turma
 
Aula 1a - inaugural - 18ª Turma - EAE
Aula 1a - inaugural - 18ª Turma - EAEAula 1a - inaugural - 18ª Turma - EAE
Aula 1a - inaugural - 18ª Turma - EAE
 
Exemplo - Caderneta Pessoal - Escola de Aprendizes do Evangelho
Exemplo - Caderneta Pessoal - Escola de Aprendizes do EvangelhoExemplo - Caderneta Pessoal - Escola de Aprendizes do Evangelho
Exemplo - Caderneta Pessoal - Escola de Aprendizes do Evangelho
 
Aula 13 - EAE - Implantação do Caderno de Temas
Aula 13 - EAE - Implantação do Caderno de TemasAula 13 - EAE - Implantação do Caderno de Temas
Aula 13 - EAE - Implantação do Caderno de Temas
 
Aula 43 - Identidade
Aula 43 - IdentidadeAula 43 - Identidade
Aula 43 - Identidade
 
Curso de Dirigentes e EAE - Programa referencias Bibliograficas
Curso de Dirigentes e EAE - Programa referencias BibliograficasCurso de Dirigentes e EAE - Programa referencias Bibliograficas
Curso de Dirigentes e EAE - Programa referencias Bibliograficas
 
Aula 31 - Mocidade Espírita
Aula 31  - Mocidade EspíritaAula 31  - Mocidade Espírita
Aula 31 - Mocidade Espírita
 

Último

Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Celso Napoleon
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Nilson Almeida
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
AlessandroSanches8
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
ESCRIBA DE CRISTO
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Lourhana
 
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
ESCRIBA DE CRISTO
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
JonasRibeiro61
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Celso Napoleon
 
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
ESCRIBA DE CRISTO
 
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
ESCRIBA DE CRISTO
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
ESCRIBA DE CRISTO
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
ESCRIBA DE CRISTO
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
ayronleonardo
 

Último (16)

Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
 
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
 
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
 
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
 
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
 

Apresentação - Curso Básico de Espiritismo

  • 1. CURSO BÁSICO DE ESPIRITISMO
  • 2. CURSO BÁSICO DE ESPIRITISMO INÍCIO: Término : 31.01.12 26.06.12 HORÁRIO: DAS 20:30H ÀS 22:00
  • 3.  O Curso Básico de Espiritismo é informativo sobre a Doutrina Espírita, busca trazer ao aluno os aspectos históricos e os princípios básicos do Espiritismo.  Seu programa é rápido e de natureza simples e objetiva, buscando uniformizar os conceitos da doutrina. Está organizado em reuniões semanais, 1 vez por semana, abertas ao público, com duração de 90 minutos cada reunião. Podem participar do Curso Básico jovens com mais de 18 anos e adultos interessados em conhecer os fundamentos da Doutrina Espírita. As inscrições estão sempre abertas ao público, sem qualquer restrição.
  • 4.  Apresentação: Livro: “Entendendo o Espiritismo” 18 aulas (18 do livro mais 2 acrescidas)  aula 00,  15-A Livro :”Vinha de Luz” Livro: “Sinal Verde”
  • 5.     CURSO BÁSICO DE ESPIRITISMO DATA Nº  31.01.12  00  Apresentação     O que é o espiritismo? 07.02.12 01 Quando surgiu, em que lugar e em que circunstância ?     Como criou-se o corpo da Doutrina e quem o criou ? 14.02.12 02 Ligeira biografia de Allan Kardec.  28.02.12 03 Como foi a Doutrina difundida pelo mundo? Relação dos continuadores de Kardec na França e em outros países.  06.03.12  04  Qual a posição da Doutrina entre as demais filosofias e religiões existentes?     Quais os setores em que a Doutrina se divide? 13.03.12 05 Qual deve ser considerado o mais importante? Por que?  06  Diferença entre Espiritismo, Umbanda e religiões afro-indígenas. 20.03.12    07  Esboço do Livro dos Espíritos e suas diferentes partes. 27.03.12   03.04.12  08  Esboço de O Livro dos Médiuns.  10.04.12  09  Esboço de O Céu e o Inferno.     Descrição do mundo material e espiritual. 17.04.12 10 Nosso Lar, de André Luiz. O intercâmbio através da Mediunidade
  • 6.     24.04.12 11 Esboço de A Gênese – Os milagres e predições segundo o Espiritismo.     As Leis da Reencarnação e do Carma. 08.05.12 12 A evolução do Espírito.     Forma dos Espíritos. Envoltórios espirituais. 15.05.12 13 Períspirito e corpo etéreo.     22.05.12 14 Lei de Ação e Reação. 29.05.12 15 Recordações de existências anteriores. Necessidade da prática do bem. A formação Cristã da Família.  05.06.12 15- Introdução das Preces da Fraternidades e da Escalada Completa a       12.06.12 16 Esboço do Livro “O Evangelho Segundo o Espiritismo” .    19.06.12  17  A vida moral com base no Evangelho de Jesus.  26.06.12  18  Regras de Conduta  
  • 7.  Início:20:30h  Prece inicial  Leitura Evangélica  Reflexões (Livro “Sinal Verde)  Tema da Aula – Expositor  Encerramento  Vibrações finais
  • 8.  Expositores convidados Disciplina: Horário = 20:30 hs em ponto devemos iniciar a aula, portanto as 20:25hs fecha-se o portão;  Ao chegar e encontrar o portão fechado, não bater;  Chegando a Casa, tomar o passe de limpeza, para poder adentrar ao salão;  Procurar não conversar no salão para não quebrar as vibrações, ter cuidado com o que se fala dentro do salão (comentários mundanos, programas de TV, doenças, etc.)  Ouvir as músicas que são escolhidas para ajudar na sua harmonização com a espiritualidade.
  • 9.  Atenção e respeito ao Expositor. Procure interessar-se pelas aulas estudando-as antes, quem estuda e se interessa não sente sono;  Evitar dormir, bocejar (falta de interesse);  Evitar ir ao banheiro e beber água durante as exposições, tudo isso deverá ser feito antes do início da aula;  Participem, estudem, perguntem, tirem dúvidas;  Prestar atenção quanto a vestimenta que usamos. Adequá-la a cada local e situação;
  • 10. Evitar conversas paralelas pois isso perturba o outro que quer ouvir;  Vamos iniciar nossa Reforma Íntima
  • 11. Nosso trabalho já iniciado: 07/02/12 COMPANHEIRISMO O espírito de competição reinante entre grupos e pessoas tem gerado desentendimentos, incompatibilidades, desuniões. O que precisamos é combater o personalismo, desenvolver o companheirismo por todos os meios, para não desviarmos nossa missão de produzir e propagar o bem que Doutrina nos ensina. Virtudes sinônimas e relacionadas: Amizade, fidelidade, consideração, interesse, fraternidade, solidariedade, respeito e lealdade 28/02/12 MALEDICÊNCIA A tendência perniciosa que trazemos de comentar o mal, freqüentemente se manifesta nas conversações que costumamos manter nos círculos entre “amigos”. Quando entra em pauta tecer referências a pessoas, parece ser até irresistível a abordagem dos aspectos mais desabonadores das criaturas. E não fica apenas nisso. O que é muito pior são os acréscimos por conta da imaginação doentia, nas calúnias e interpretações malévolas que se fazem. Defeitos sinônimos ou relacionados: Maldade, inimizade, preconceitos, inconseqüência, calúnia.
  • 12. 12/03/12 HUMILDADE, MODÉSTIA, SOBRIEDADE Para podermos ser verdadeiramente humildes devemos, quando estivermos nos dando muito valor, por aquilo que possuímos financeiramente, pela posição social à qual chegamos, pelo cargo que ocupamos, ou pelo conhecimento adquirido, no elevado conceito que possamos fazer de nós mesmos, devemos meditar seriamente, com urgência, no falso rumo em que nos achamos e esforcemo-nos em refrear os ímpetos de revolta, de inconformação, as exaltações de ânimo, os melindres, as queixas, indicativos de nosso engano. Em poucas palavras, podemos dizer que ser humilde, modesto e sóbrio é ser: despretensioso; conformado; resignado; simples; submisso; respeitoso; reservado; comedido; moderado. 27/03/12 VAIDADE A vaidade, sorrateiramente, está quase sempre presente dentro de nós. É muito sutil a manifestação da vaidade no nosso íntimo e não é pequeno o esforço que devemos fazer na vigilância, para não sermos vítimas daquelas influências que encontram apoio nesse nosso defeito. De alguma forma e de variada intensidade, contamos todos com uma parcela de vaidade, que pode estar se manifestando nas nossas motivações de algo a realizar, o que é certamente válido, até certo ponto. O perigo, no entanto, reside no excesso e no desconhecimento das fronteiras entre os impulsos de idealismo, por amor a uma causa nobre, e os ímpetos de destaque pessoal, característicos da vaidade. Defeitos sinônimos ou relacionados: egocentrismo, egoísmo, ostentação, luxúria, frivolidades, materialismo, falsidade, ambição.
  • 13. 10/04/12 GENEROSIDADE A generosidade é a característica dos que aplicam a caridade com naturalidade, com espontaneidade. Quem é generoso, não sente dificuldade em ser bom, não lhe é um sacrifício. Pelo contrário, o faz por gosto e satisfação, não se cansa, não se irrita, não se perturba. A abnegação – que também é oposto do egoísmo - é indicativa daquilo que fazemos generosamente em favor de alguém, ou de alguma causa, sem interesse próprio, com esquecimento de nós mesmos, ou até com sacrifício do que possa nos pertencer. Virtudes sinônimas ou relacionadas : Beneficência, desprendimento, boa vontade, prodigalidade, doação 24/04/12 VIGILÂNCIA A observação de nós mesmos deverá ser aplicada de modo permanente, e não apenas quando já ocorreu a transgressão. Entendemos claramente que a vigilância define um trabalho preventivo e não corretivo. A vigilância tem, assim, sua atuação como meio de combate aos defeitos, de algum modo já conhecidos e identificados, para que, com a devida antecedência e precaução, evitemos as ocorrências dos mesmos. Virtudes sinônimas ou relacionadas: Abnegação, honestidade, autenticidade, sinceridade, autocrítica.
  • 14. 15/05/12 OCIOSIDADE Ser ocioso é gastar o tempo inutilmente, sem proveito; é desperdiçá-lo inativamente. O trabalho é uma lei imperiosa da Criação, tudo se desenvolve, caminha, evolui, produz-se como conseqüência dele, e como tal o que a ele se opõe é nocivo, prejudicial. Defeitos sinônimos ou relativos: Irresponsabilidade, preguiça, comodismo. 29/05/12 AFABILIDADE, DOÇURA Aí está a maneira prática de verificarmos, em nosso relacionamento social, se apenas nos servimos do verniz superficial, que o mínimo de educação nos ensina, ou se estamos verdadeiramente expressando, em nossas cortesias, a benevolência para com os semelhantes. Precisamos desenvolver a afabilidade e a doçura, não apenas no trato formal, mas em profundidade, interiormente. Entendemos , assim, que é necessário valorizar, nosso convívio social, cumprimentos, saudações, agradecimentos, votos e quaisquer expressões ditas formalmente em ocasiões que lhe são próprias, para aplicarmos o amor ao próximo, procurando, desse modo, sentir com o coração aquilo que pronunciamos em benefício de alguém. Virtudes sinônimas ou relacionadas: Meiguice, ternura, serenidade, suavidade, brandura, cortesia, educação, bondade, carinho, pacifismo, gentileza, delicadeza, pureza, bom-humor.
  • 15. 15/05/12 - ÁLCOOL Sente-se mais extrovertido ou mais à vontade, em grupos de pessoas, quando toma alguma bebida alcoólica? ________________________________________________________________________________ ________________________________________________________________________________ Tem dificuldade em não se deixar levar pelo desejo de tomar um drinque? ___________________________________________________________________________________ ÁLCOOL: O alcoolismo deve ser encarado , nos casos mais profundos, como uma doença orgânica, como é , por exemplo, o diabetes. Na embriaguez, o domínio sobre a vontade do viciado é facilmente realizado pelas entidades tenebrosas que o induzem à bebida , nele exercendo grande domínio e dele usufruindo as mesmas sensações etílicas. Cria-se desse modo, dupla dependência: uma por parte da bebida propriamente dita, com toda carga psicológica que a motivou; outra por parte das entidades invisíveis que hipnoticamente exercem sua influência, conduzindo, por sugestão, o indivíduo à ingestão de álcool.
  • 16. 22/05/12 GULA Fica tenso, nervoso ou contrariado quando tem que comer menos para dividir com os outros ? _________________________________________________________________________ Às vezes o comer muito reflete um desequilíbrio emocional ou psicológico. Acha que seria esse o seu caso? __________________________________________________________________________ GULA: A gula também é uma manifestação de egoísmo. A porção alimentar que poderia sustentar mais uma ou duas pessoas é totalmente digerida por apenas uma , com visível prejuízo para a coletividade. O excesso na alimentação é vício igualmente nocivo ao nosso organismo. Imaginemos a sobrecarga de trabalho que os nossos órgãos são obrigados a desenvolver desnecessariamente, apenas para satisfazer o exagerado prazer da gustação. Todo excesso de trabalho leva ao desgaste prematuro, quer de uma máquina, quer dos órgãos físicos, ou do corpo somático na sua generalidade.
  • 17. 05/06/12 JOGO Sente-se irresistivelmente impulsionado ao jogo ? _________________________________________ Admite que a riqueza obtida pelo jogo poderá levá-lo a muitos excessos, cujas conseqüências são graves ? ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ JOGO: A vontade de adquirir pelo jogo uma boa soma de dinheiro, que venha preencher algumas necessidades ou realizar ambições materiais, denota completa falta de fé nos desígnios divinos, que conhecem todas as nossas necessidades. É também uma forma de rebeldia e inconformação com as limitadas condições financeiras da nossa existência.