SlideShare uma empresa Scribd logo
São forças de natureza eletroestática que se
estabelecem entre as moléculas de uma dada
substância e designam-se por interações de
Van der Waals.
A nuvem eletrónica é assimétrica levando a
formação de um dipolo permanente (onde há
maior ou menor concentração de eletrões).
1) Nas moléculas polares
As forças de interação estabelecem-se por atração
eletroestática.
Os eletrões oscilam na nuvem eletrónica
originando dipolos instantâneos (os eletrões
concentram-se, instantaneamente, numa região da
nuvem eletrónica) e dipolos induzidos (dipolo
formado na região oposta ao dipolo instantâneo).
2) Nas moléculas apolares
As forças intermoleculares designam-se por forças
de dispersão ou forças de London.
Nota:
A maioria das substâncias moleculares apolares
encontram-se no estado gasoso, a temperatura
ambiente, porque as forças de dispersão são mais
fracas que as forças de interação das moléculas
polares.
Estabelecem-se entre moléculas polares que
possuam hidrogénio e azoto, oxigénio ou fluor.
3) Ligações por pontes de hidrogénio ou
ligações de hidrogénio
A ligação de hidrogénio estabelece-se por atração
eletroestática entre o polo positivo do hidrogénio e
o polo negativo do azoto, oxigénio ou fluor.
4 interacoes-moleculares
Sólidos amorfos – as unidades estruturais (átomos,
moléculas ou iões) não apresentam
nem têm um arranjo bem definido.
Sólidos cristalinos – as unidades estruturais (átomos,
moléculas ou iões) ocupam
posições específicas bem
definidas com uma ordem rígida
que se repete no espaço.
Os sólidos cristalinos podem ser:
Sólidos moleculares -Constituídos por moléculas;
-São quebradiços e maus
condutores da corrente elétrica;
-p.f. e p.e. baixos.
Sólidos covalentes -Apresentam estruturas gigantes e
muito elaboradas cujas unidades
estruturais são átomos;
-No geral, são duros e quebradiços;
-Maus condutores da corrente
elétrica;
-p.f. e p.e. elevados.
Sólidos iónicos -Constituídos por iões positivos e
negativos formando estruturas gigantes;
-Quebradiços mas resistentes a
deformação;
-A ligação iónica é muito forte;
-p.f. e p.e. elevados;
-Apenas conduzem a corrente elétrica
quando dissolvidos em água.
Sólidos metálicos -Os átomos do metal originam catiões
metálicos quando cedem eletrões
formando estruturas maleáveis;
-Têm elevada densidade;
-Bons condutores térmicos e elétricos;
-p.f. e p.e. elevados.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Forças intermoleculares
Forças intermolecularesForças intermoleculares
Forças intermoleculares
Fernando Lucas
 
Forças intermoleculares (van der waals e ligação
Forças intermoleculares (van der waals e ligaçãoForças intermoleculares (van der waals e ligação
Forças intermoleculares (van der waals e ligação
Adrianne Mendonça
 
Forças intermoleculares[1]
Forças intermoleculares[1]Forças intermoleculares[1]
Forças intermoleculares[1]
Regina Correia
 
Operadores verofuncionais intro
Operadores verofuncionais   introOperadores verofuncionais   intro
Operadores verofuncionais intro
Diogo Santos
 
Apresentação peixes SERMÃO Pd ANTÓNIO VIEIRA
Apresentação peixes SERMÃO Pd ANTÓNIO VIEIRAApresentação peixes SERMÃO Pd ANTÓNIO VIEIRA
Apresentação peixes SERMÃO Pd ANTÓNIO VIEIRA
ecolealcamara
 
Polaridade e interações
Polaridade e interaçõesPolaridade e interações
Polaridade e interações
paolazeroum
 
Recursosexpressivos
RecursosexpressivosRecursosexpressivos
Recursosexpressivos
aly pereira
 
Introdução a interações moleculares
Introdução a interações molecularesIntrodução a interações moleculares
Introdução a interações moleculares
Marília Isabel Tarnowski Correia
 
Textos de opinião
Textos de opiniãoTextos de opinião
Textos de opinião
becastanheiradepera
 
Trabalho de quimica Modelo de Niels Bohr
Trabalho de quimica Modelo de Niels BohrTrabalho de quimica Modelo de Niels Bohr
Trabalho de quimica Modelo de Niels Bohr
Rute Queren
 
6 circuitos-eletricos
6 circuitos-eletricos6 circuitos-eletricos
6 circuitos-eletricos
Fisica-Quimica
 
Determinismo Radical
Determinismo RadicalDeterminismo Radical
Determinismo Radical
pauloricardom
 
Análise do episódio "Consílio dos deuses"
Análise do episódio "Consílio dos deuses"Análise do episódio "Consílio dos deuses"
Análise do episódio "Consílio dos deuses"
Inês Moreira
 
Ficha formativa de orações com correção
Ficha formativa de orações com correçãoFicha formativa de orações com correção
Ficha formativa de orações com correção
Raquel Antunes
 
Processos irregulares de formação de palavras
Processos irregulares de formação de palavrasProcessos irregulares de formação de palavras
Processos irregulares de formação de palavras
Lina Claro
 
Subordinação
SubordinaçãoSubordinação
Subordinação
Paula Oliveira Cruz
 
Equilibrio oxidação e redução
Equilibrio oxidação e  reduçãoEquilibrio oxidação e  redução
Equilibrio oxidação e redução
Adrianne Mendonça
 
Processos fonológicos
Processos fonológicosProcessos fonológicos
Processos fonológicos
Sílvia Faim
 
Aula polaridade, geometria molecular e forças intermoleculares
Aula   polaridade,  geometria molecular e forças intermolecularesAula   polaridade,  geometria molecular e forças intermoleculares
Aula polaridade, geometria molecular e forças intermoleculares
Profª Alda Ernestina
 
Determinismo_moderado
Determinismo_moderadoDeterminismo_moderado
Determinismo_moderado
Isabel Moura
 

Mais procurados (20)

Forças intermoleculares
Forças intermolecularesForças intermoleculares
Forças intermoleculares
 
Forças intermoleculares (van der waals e ligação
Forças intermoleculares (van der waals e ligaçãoForças intermoleculares (van der waals e ligação
Forças intermoleculares (van der waals e ligação
 
Forças intermoleculares[1]
Forças intermoleculares[1]Forças intermoleculares[1]
Forças intermoleculares[1]
 
Operadores verofuncionais intro
Operadores verofuncionais   introOperadores verofuncionais   intro
Operadores verofuncionais intro
 
Apresentação peixes SERMÃO Pd ANTÓNIO VIEIRA
Apresentação peixes SERMÃO Pd ANTÓNIO VIEIRAApresentação peixes SERMÃO Pd ANTÓNIO VIEIRA
Apresentação peixes SERMÃO Pd ANTÓNIO VIEIRA
 
Polaridade e interações
Polaridade e interaçõesPolaridade e interações
Polaridade e interações
 
Recursosexpressivos
RecursosexpressivosRecursosexpressivos
Recursosexpressivos
 
Introdução a interações moleculares
Introdução a interações molecularesIntrodução a interações moleculares
Introdução a interações moleculares
 
Textos de opinião
Textos de opiniãoTextos de opinião
Textos de opinião
 
Trabalho de quimica Modelo de Niels Bohr
Trabalho de quimica Modelo de Niels BohrTrabalho de quimica Modelo de Niels Bohr
Trabalho de quimica Modelo de Niels Bohr
 
6 circuitos-eletricos
6 circuitos-eletricos6 circuitos-eletricos
6 circuitos-eletricos
 
Determinismo Radical
Determinismo RadicalDeterminismo Radical
Determinismo Radical
 
Análise do episódio "Consílio dos deuses"
Análise do episódio "Consílio dos deuses"Análise do episódio "Consílio dos deuses"
Análise do episódio "Consílio dos deuses"
 
Ficha formativa de orações com correção
Ficha formativa de orações com correçãoFicha formativa de orações com correção
Ficha formativa de orações com correção
 
Processos irregulares de formação de palavras
Processos irregulares de formação de palavrasProcessos irregulares de formação de palavras
Processos irregulares de formação de palavras
 
Subordinação
SubordinaçãoSubordinação
Subordinação
 
Equilibrio oxidação e redução
Equilibrio oxidação e  reduçãoEquilibrio oxidação e  redução
Equilibrio oxidação e redução
 
Processos fonológicos
Processos fonológicosProcessos fonológicos
Processos fonológicos
 
Aula polaridade, geometria molecular e forças intermoleculares
Aula   polaridade,  geometria molecular e forças intermolecularesAula   polaridade,  geometria molecular e forças intermoleculares
Aula polaridade, geometria molecular e forças intermoleculares
 
Determinismo_moderado
Determinismo_moderadoDeterminismo_moderado
Determinismo_moderado
 

Semelhante a 4 interacoes-moleculares

Propriedades físicas dos compostos orgânicos
Propriedades físicas dos compostos orgânicosPropriedades físicas dos compostos orgânicos
Propriedades físicas dos compostos orgânicos
Carlos Henrique Souza
 
Propriedades F Sicas
Propriedades F SicasPropriedades F Sicas
Propriedades F Sicas
Telso M Ferreira Junior
 
Ligações químicas intensivo
Ligações químicas intensivoLigações químicas intensivo
Ligações químicas intensivo
quimicadacla
 
Quil006 forças intermolecculares material
Quil006 forças intermolecculares materialQuil006 forças intermolecculares material
Quil006 forças intermolecculares material
Leandro Da Paz Aristides
 
Propriedades físicas dos compostos orgânicos
Propriedades físicas dos compostos orgânicosPropriedades físicas dos compostos orgânicos
Propriedades físicas dos compostos orgânicos
Ana Luisa Santana
 
Propriedades fisicas dos comp. org.
Propriedades fisicas dos comp. org.Propriedades fisicas dos comp. org.
Propriedades fisicas dos comp. org.
JulianaGimenes
 
Ligacoes quimicas
Ligacoes quimicasLigacoes quimicas
Ligacoes quimicas
Damigol Gol
 
Ligacao quimica
Ligacao quimicaLigacao quimica
Ligacao quimica
Roberta Calixto
 
Ligações químicas
Ligações químicasLigações químicas
Ligações químicas
Daniel Levi
 
2a aula Quimica Geral.pptx
2a aula Quimica Geral.pptx2a aula Quimica Geral.pptx
2a aula Quimica Geral.pptx
ArionZandonaFilho
 
Ana muniz forçasintermoleculares
Ana muniz forçasintermolecularesAna muniz forçasintermoleculares
Ana muniz forçasintermoleculares
Ana Paula Muniz
 
Ligações químicas, Forças intermoleculares, Geometria molecular
Ligações químicas, Forças intermoleculares, Geometria molecularLigações químicas, Forças intermoleculares, Geometria molecular
Ligações químicas, Forças intermoleculares, Geometria molecular
Carlos Priante
 
Estados da máteria
Estados da máteriaEstados da máteria
Estados da máteria
JoseAlexandreRocha
 
ligação quimica ifms.ppt
ligação quimica ifms.pptligação quimica ifms.ppt
ligação quimica ifms.ppt
Valquiria Ferreira
 
Apresentação estado sólido 2
Apresentação estado sólido 2Apresentação estado sólido 2
Apresentação estado sólido 2
quimicaufvjmead
 
Apresentação estado sólido 2
Apresentação estado sólido 2Apresentação estado sólido 2
Apresentação estado sólido 2
quimicaufvjmead
 
Geometria molecular, forças intermoleculares e solubilidade
Geometria molecular, forças intermoleculares e solubilidadeGeometria molecular, forças intermoleculares e solubilidade
Geometria molecular, forças intermoleculares e solubilidade
Valquiria R. Nascimento
 
Propriedadesfisicasdoscompostosorganicos 1250879229
Propriedadesfisicasdoscompostosorganicos 1250879229Propriedadesfisicasdoscompostosorganicos 1250879229
Propriedadesfisicasdoscompostosorganicos 1250879229
Fernanda Cordeiro
 
Resumo polaridade, geometria molecular e ligações intermoleculares
Resumo    polaridade, geometria molecular e ligações intermolecularesResumo    polaridade, geometria molecular e ligações intermoleculares
Resumo polaridade, geometria molecular e ligações intermoleculares
Profª Alda Ernestina
 
Ciência dos Materiais
Ciência dos MateriaisCiência dos Materiais
Ciência dos Materiais
Carlos Brito Júnior
 

Semelhante a 4 interacoes-moleculares (20)

Propriedades físicas dos compostos orgânicos
Propriedades físicas dos compostos orgânicosPropriedades físicas dos compostos orgânicos
Propriedades físicas dos compostos orgânicos
 
Propriedades F Sicas
Propriedades F SicasPropriedades F Sicas
Propriedades F Sicas
 
Ligações químicas intensivo
Ligações químicas intensivoLigações químicas intensivo
Ligações químicas intensivo
 
Quil006 forças intermolecculares material
Quil006 forças intermolecculares materialQuil006 forças intermolecculares material
Quil006 forças intermolecculares material
 
Propriedades físicas dos compostos orgânicos
Propriedades físicas dos compostos orgânicosPropriedades físicas dos compostos orgânicos
Propriedades físicas dos compostos orgânicos
 
Propriedades fisicas dos comp. org.
Propriedades fisicas dos comp. org.Propriedades fisicas dos comp. org.
Propriedades fisicas dos comp. org.
 
Ligacoes quimicas
Ligacoes quimicasLigacoes quimicas
Ligacoes quimicas
 
Ligacao quimica
Ligacao quimicaLigacao quimica
Ligacao quimica
 
Ligações químicas
Ligações químicasLigações químicas
Ligações químicas
 
2a aula Quimica Geral.pptx
2a aula Quimica Geral.pptx2a aula Quimica Geral.pptx
2a aula Quimica Geral.pptx
 
Ana muniz forçasintermoleculares
Ana muniz forçasintermolecularesAna muniz forçasintermoleculares
Ana muniz forçasintermoleculares
 
Ligações químicas, Forças intermoleculares, Geometria molecular
Ligações químicas, Forças intermoleculares, Geometria molecularLigações químicas, Forças intermoleculares, Geometria molecular
Ligações químicas, Forças intermoleculares, Geometria molecular
 
Estados da máteria
Estados da máteriaEstados da máteria
Estados da máteria
 
ligação quimica ifms.ppt
ligação quimica ifms.pptligação quimica ifms.ppt
ligação quimica ifms.ppt
 
Apresentação estado sólido 2
Apresentação estado sólido 2Apresentação estado sólido 2
Apresentação estado sólido 2
 
Apresentação estado sólido 2
Apresentação estado sólido 2Apresentação estado sólido 2
Apresentação estado sólido 2
 
Geometria molecular, forças intermoleculares e solubilidade
Geometria molecular, forças intermoleculares e solubilidadeGeometria molecular, forças intermoleculares e solubilidade
Geometria molecular, forças intermoleculares e solubilidade
 
Propriedadesfisicasdoscompostosorganicos 1250879229
Propriedadesfisicasdoscompostosorganicos 1250879229Propriedadesfisicasdoscompostosorganicos 1250879229
Propriedadesfisicasdoscompostosorganicos 1250879229
 
Resumo polaridade, geometria molecular e ligações intermoleculares
Resumo    polaridade, geometria molecular e ligações intermolecularesResumo    polaridade, geometria molecular e ligações intermoleculares
Resumo polaridade, geometria molecular e ligações intermoleculares
 
Ciência dos Materiais
Ciência dos MateriaisCiência dos Materiais
Ciência dos Materiais
 

Mais de Fisica-Quimica

Matriz 28-maio
Matriz 28-maioMatriz 28-maio
Matriz 28-maio
Fisica-Quimica
 
Unidade 2 energia em movimentos
Unidade 2 energia em movimentosUnidade 2 energia em movimentos
Unidade 2 energia em movimentos
Fisica-Quimica
 
Guião trabalhos 9º ano eletromagnetismo2
Guião trabalhos 9º ano eletromagnetismo2Guião trabalhos 9º ano eletromagnetismo2
Guião trabalhos 9º ano eletromagnetismo2
Fisica-Quimica
 
Guião trabalhos 9º ano eletromagnetismo
Guião trabalhos 9º ano eletromagnetismoGuião trabalhos 9º ano eletromagnetismo
Guião trabalhos 9º ano eletromagnetismo
Fisica-Quimica
 
Guião trabalhos 9º ano eletromagnetismo3
Guião trabalhos 9º ano eletromagnetismo3Guião trabalhos 9º ano eletromagnetismo3
Guião trabalhos 9º ano eletromagnetismo3
Fisica-Quimica
 
Convocatória reunião 19 10-2010
Convocatória reunião 19 10-2010Convocatória reunião 19 10-2010
Convocatória reunião 19 10-2010
Fisica-Quimica
 
Reflexão crítica 11º b
Reflexão crítica 11º bReflexão crítica 11º b
Reflexão crítica 11º b
Fisica-Quimica
 
Pag 167 190
Pag 167 190Pag 167 190
Pag 167 190
Fisica-Quimica
 
5 compostos-carbono
5 compostos-carbono5 compostos-carbono
5 compostos-carbono
Fisica-Quimica
 
1 caracteristicas ondas
1 caracteristicas ondas1 caracteristicas ondas
1 caracteristicas ondas
Fisica-Quimica
 
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal5
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal5Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal5
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal5
Fisica-Quimica
 
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal3
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal3Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal3
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal3
Fisica-Quimica
 
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal2
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal2Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal2
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal2
Fisica-Quimica
 
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobalGuião trabalhos 8º ano mudançaglobal
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal
Fisica-Quimica
 
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal4
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal4Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal4
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal4
Fisica-Quimica
 
Painéis fotovoltaicos
Painéis fotovoltaicosPainéis fotovoltaicos
Painéis fotovoltaicos
Fisica-Quimica
 
Matriz 2-maio
Matriz 2-maioMatriz 2-maio
Matriz 2-maio
Fisica-Quimica
 
3 geometria-moleculas
3 geometria-moleculas3 geometria-moleculas
3 geometria-moleculas
Fisica-Quimica
 
2 ligacao
2 ligacao2 ligacao
2 ligacao
Fisica-Quimica
 
1 grupos-t.p.
1 grupos-t.p.1 grupos-t.p.
1 grupos-t.p.
Fisica-Quimica
 

Mais de Fisica-Quimica (20)

Matriz 28-maio
Matriz 28-maioMatriz 28-maio
Matriz 28-maio
 
Unidade 2 energia em movimentos
Unidade 2 energia em movimentosUnidade 2 energia em movimentos
Unidade 2 energia em movimentos
 
Guião trabalhos 9º ano eletromagnetismo2
Guião trabalhos 9º ano eletromagnetismo2Guião trabalhos 9º ano eletromagnetismo2
Guião trabalhos 9º ano eletromagnetismo2
 
Guião trabalhos 9º ano eletromagnetismo
Guião trabalhos 9º ano eletromagnetismoGuião trabalhos 9º ano eletromagnetismo
Guião trabalhos 9º ano eletromagnetismo
 
Guião trabalhos 9º ano eletromagnetismo3
Guião trabalhos 9º ano eletromagnetismo3Guião trabalhos 9º ano eletromagnetismo3
Guião trabalhos 9º ano eletromagnetismo3
 
Convocatória reunião 19 10-2010
Convocatória reunião 19 10-2010Convocatória reunião 19 10-2010
Convocatória reunião 19 10-2010
 
Reflexão crítica 11º b
Reflexão crítica 11º bReflexão crítica 11º b
Reflexão crítica 11º b
 
Pag 167 190
Pag 167 190Pag 167 190
Pag 167 190
 
5 compostos-carbono
5 compostos-carbono5 compostos-carbono
5 compostos-carbono
 
1 caracteristicas ondas
1 caracteristicas ondas1 caracteristicas ondas
1 caracteristicas ondas
 
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal5
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal5Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal5
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal5
 
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal3
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal3Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal3
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal3
 
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal2
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal2Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal2
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal2
 
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobalGuião trabalhos 8º ano mudançaglobal
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal
 
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal4
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal4Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal4
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal4
 
Painéis fotovoltaicos
Painéis fotovoltaicosPainéis fotovoltaicos
Painéis fotovoltaicos
 
Matriz 2-maio
Matriz 2-maioMatriz 2-maio
Matriz 2-maio
 
3 geometria-moleculas
3 geometria-moleculas3 geometria-moleculas
3 geometria-moleculas
 
2 ligacao
2 ligacao2 ligacao
2 ligacao
 
1 grupos-t.p.
1 grupos-t.p.1 grupos-t.p.
1 grupos-t.p.
 

4 interacoes-moleculares

  • 1. São forças de natureza eletroestática que se estabelecem entre as moléculas de uma dada substância e designam-se por interações de Van der Waals.
  • 2. A nuvem eletrónica é assimétrica levando a formação de um dipolo permanente (onde há maior ou menor concentração de eletrões). 1) Nas moléculas polares As forças de interação estabelecem-se por atração eletroestática.
  • 3. Os eletrões oscilam na nuvem eletrónica originando dipolos instantâneos (os eletrões concentram-se, instantaneamente, numa região da nuvem eletrónica) e dipolos induzidos (dipolo formado na região oposta ao dipolo instantâneo). 2) Nas moléculas apolares As forças intermoleculares designam-se por forças de dispersão ou forças de London.
  • 4. Nota: A maioria das substâncias moleculares apolares encontram-se no estado gasoso, a temperatura ambiente, porque as forças de dispersão são mais fracas que as forças de interação das moléculas polares.
  • 5. Estabelecem-se entre moléculas polares que possuam hidrogénio e azoto, oxigénio ou fluor. 3) Ligações por pontes de hidrogénio ou ligações de hidrogénio A ligação de hidrogénio estabelece-se por atração eletroestática entre o polo positivo do hidrogénio e o polo negativo do azoto, oxigénio ou fluor.
  • 7. Sólidos amorfos – as unidades estruturais (átomos, moléculas ou iões) não apresentam nem têm um arranjo bem definido. Sólidos cristalinos – as unidades estruturais (átomos, moléculas ou iões) ocupam posições específicas bem definidas com uma ordem rígida que se repete no espaço.
  • 8. Os sólidos cristalinos podem ser: Sólidos moleculares -Constituídos por moléculas; -São quebradiços e maus condutores da corrente elétrica; -p.f. e p.e. baixos. Sólidos covalentes -Apresentam estruturas gigantes e muito elaboradas cujas unidades estruturais são átomos; -No geral, são duros e quebradiços; -Maus condutores da corrente elétrica; -p.f. e p.e. elevados.
  • 9. Sólidos iónicos -Constituídos por iões positivos e negativos formando estruturas gigantes; -Quebradiços mas resistentes a deformação; -A ligação iónica é muito forte; -p.f. e p.e. elevados; -Apenas conduzem a corrente elétrica quando dissolvidos em água.
  • 10. Sólidos metálicos -Os átomos do metal originam catiões metálicos quando cedem eletrões formando estruturas maleáveis; -Têm elevada densidade; -Bons condutores térmicos e elétricos; -p.f. e p.e. elevados.