SlideShare uma empresa Scribd logo
O Homem de bem
3ª Parte – Capítulo XII
Questões 918 e 919
Capítulo XVII – Item 3
CARACTERÍSTICAS DO HOMEM DE BEM
Autoconhecimento
Fé em Deus e
Confiança
Esperança
Resignação
Fraternidade
Perdão
Perseverança
Beneficência Solidariedade
Alteridade Caridade
Indulgência Compreensão
Bondade Humildade
Dedicação AMOR
919. Qual o meio prático mais
eficaz que tem o homem de
se melhorar nesta vida e de
resistir à atração do mal?
Um sábio da antiguidade vo-lo
disse: Conhece-te a ti mesmo.
Oráculo de Delfos
“O homem, conhece-te a ti mesmo e
conhecerás os deuses e o universo”
https://br.pinterest.com/pin/400046379407424812/
Qual é o meio
de o conseguir?
Allan Kardec
1) “Perguntai-vos o que fizeste e com qual
objetivo agistes em tal circunstância”.
2) “Se fizeste alguma coisa que censurais
em outrem”.
3) “Se fizeste alguma coisa que não
ousaríeis confessar”.
4) “Se aprouvesse a Deus me chamar neste
momento (em que estou lendo está página),
reentrando no mundo dos Espíritos, onde
nada é oculto, eu teria o que temer diante
de alguém?”.
5) “Examinai o que podeis ter feito contra
Deus, contra vosso próximo, e enfim,
contra vós mesmos”.
“Fazei o que eu fazia de minha vida sobre a
Terra: ao fim da jornada, eu interrogava
minha consciência, passava em revista o
que fizera, e me perguntava se não faltara
algum dever, se ninguém tinha nada a
lamentar de mim.”
Santo Agostinho
“Tendes um meio de controle que não
vos pode enganar.”
1) “Quando estiverdes indecisos sobre o valor
de uma de vossas ações, perguntai-vos como
a qualificaríeis se fosse feita por outra pessoa;
se a censurais em outrem, ela não pode ser
mais legítima em vós, porque Deus não tem
duas medidas para a justiça.”
2) “Não negligencieis a opinião dos vossos
inimigos, porque estes não têm nenhum
interesse em dissimular a verdade e,
frequentemente, Deus os coloca ao vosso lado
como um espelho para vos advertir com mais
franqueza que o faria um amigo.”
3) “Aquele que tem vontade séria de se
melhorar explore, pois, sua consciência, a fim
de arrancar dela as más tendências.” Santo Agostinho
Benjamin Franklin (1706 – 1790)
Fazia a si mesmo, todas as manhãs, a
mesma pergunta:
- Que bem devo eu fazer nesse dia?
E a mesma pergunta toda noite:
- Qual bem eu fiz hoje?
“Nunca cheguei à perfeição
que eu tinha sido tão
ambicioso em obter, e fiquei
muito aquém dela. Mas eu
era, pelo esforço, um
homem melhor e mais feliz
do que eu deveria ter sido
se não tivesse tentado isso.”
1. Temperança: não comer até o embrutecimento, nem
beber até a embriaguez.
2. Silêncio: Não falar senão o que pode ser benéfico para
os outros, ou para nós mesmos, e evitar as conversas
frívolas.
3. Ordem: Designar um lugar para cada coisa e pôr cada
coisa no seu lugar; destinar uma hora do dia para cada
uma de nossas tarefas.
4. Resolução: Resolver fazer o que é nosso dever; e
cumprir, sem falhar, o que se resolve.
5. Economia: Não fazer despesas senão em benefício
próprio ou de outrem; não desperdiçar nada.
As Treze Virtudes de Benjamin Franklin
6. Aplicação: Não perder tempo; estar sempre ocupado
com alguma coisa útil; suprimir todas as ações
desnecessárias.
7. Sinceridade: Não enganar ninguém, de modo a
prejudicá-lo; pensar de forma honesta e justa; ao falar,
fazê-lo de conformidade com este princípio.
8. Justiça: Não fazer mal a ninguém, nem lhe causando
dano, nem lhe omitindo benefícios que é nosso dever
lhe reconhecer.
9. Moderação: Evitar os extremos; abster-se de guardar
ressentimento pelas injúrias recebidas, na medida em
que elas possam ser consideradas merecidas.
As Treze Virtudes de Benjamin Franklin
10. Limpeza: Não tolerar a falta de limpeza no corpo, no
vestuário ou na habitação.
11. Tranquilidade: Não se perturbar com insignificâncias
nem com acidentes comuns ou inevitáveis.
12. Castidade: Usar raramente do prazer da carne e
apenas para o benefício do organismo ou tendo em
vista a descendência; jamais até o embrutecimento ou
de modo a levar à fraqueza, ou, então, em prejuízo da
própria paz e reputação, ou da de outrem.
13. Humildade: Imitar Jesus e Sócrates.
As Treze Virtudes de Benjamin Franklin
Progresso com esforço e autoestima
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
Temperança
Silêncio
Ordem
Resolução
Economia
Aplicação
Sinceridade
Justiça
Moderação
Limpeza
Tranquilidade
Castidade
Humildade
Tabela das 13 virtudes
Acompanhamento semanal do progresso em praticar as virtudes e
lutar contra o vício e a indolência. Para cada vez que a consciência
avisar de um descumprimento dos princípios, faz-se um (X) no dia
referido.
Você se considera
uma pessoa de bem?
O verdadeiro homem de bem é
o que cumpre a lei de justiça,
de amor e de caridade, na sua
maior pureza.
O Evangelho Segundo o Espiritismo – Cap. 17 - item 3
Evolução
Chegar ao topo
O que fazer para ser uma
pessoa de bem?
Interrogue a sua consciência sobre os seus próprios atos, ao fim
do dia:
• Violei a lei de justiça, de amor e de caridade?
• Não pratiquei o mal?
• Fiz todo o bem que eu podia?
• Desprezei intencionalmente alguma ocasião de ser útil?
• Ninguém tem o que reclamar de mim?
• Fiz aos outros tudo o que gostaria que fosse feito por eles?
• Fiz alguma coisa que reprovaria em outra pessoa?
• Fiz alguma coisa que não arriscaria confessar?
• Se aprouvesse a Deus me chamar neste momento (em que
estou lendo está página), reentrando no mundo dos Espíritos,
onde nada é oculto, eu teria o que temer diante de alguém?”.
1 – Autoconhecimento
2 – Fé em Deus e confiança
3 – Esperança
• Aceite as dificuldades da
vida sem se queixar,
compreendendo que as
dores e as decepções são
provas ou expiações.
4 – Resignação
• Doe doses abundantes de caridade e de amor ao próximo.
• Retribua o mal com o bem.
• Faça o bem pelo bem e tome a defesa do fraco contra o forte.
• Seja bondoso com o próximo, sem esperar nada em troca.
5 – Beneficência
Retribuir o mal com o bem
Amar os inimigos é: Ter-lhes uma afeição que
não está na natureza, visto que o contato de
um inimigo nos faz bater o coração de modo
muito diverso do seu bater de um contato
amigo.
ESE – Cap. XII – itens 1 a 4
Beneficência no cotidiano
De quando a quando troquemos os grandes
conceitos de caridade pelos atos miúdos que
lhe confirmem a existência.
André Luiz
• Pense nos outros, antes de pensar em si.
• Encontre satisfação nos serviços que presta, nas
alegrias que leva aos outros, nas lágrimas que
seca, nas consolações que dá aos aflitos.
6 – Solidariedade
• Seja bom, humano e
benevolente com todos,
independente de raça ou
crença.
• Procure ver todas as
pessoas como irmãos.
7 – Fraternidade
• Respeite todas as
convicções sinceras.
• Não reprove aqueles que
não pensam como você.
8 – Alteridade
• Em todas as circunstâncias, tome a caridade como seu guia.
• Exerça o dever de amar o próximo.
• Não prejudique os outros com palavras maliciosas.
• Não ofenda a fragilidade do outro com seu orgulho e seu
desprezo.
• Desista da ideia de causar dor, aborrecimento, mesmo
pequeno, quando pode evitá-lo.
9 – Caridade
• Perdoa e esqueça todas
as ofensas.
• Não alimente ódio,
rancor ou ressentimento.
• Não mantenha desejo de
vingança.
10 – Perdão
• Seja indulgente com as fraquezas dos outros, por
também ser credor de indulgência.
• Lembre das palavras de Jesus: “Aquele que não tem
pecado, atire a primeira pedra”.
11 – Indulgência
12 – Compreensão
• Não evidenciar os defeitos alheios.
• Agir com bom senso procurando
sempre o bem que venha atenuar o
mal.
Estude as próprias imperfeições e trabalhe
incessantemente para combatê-las.
13 – Perseverança
Aproveita todas as ocasiões para fazer ressaltar o
que seja proveitoso nos outros.
14 – Bondade
• Não se envaideça pela riqueza
ou pelas vantagens pessoais,
pois tudo o que temos é
empréstimo e a qualquer
momento pode ser retirado.
• Trate as pessoas sob sua
dependência, com bondade e
benevolência, pois somos iguais
perante Deus.
• Use sua autoridade para elevar o
ânimo dessas pessoas evitando
tornar a posição delas mais
dolorosa.
15 – Humildade
“A humildade não está na
pobreza, não está na indigência,
na penúria, na necessidade, na
nudez e nem na fome. A
humildade está na pessoa que
tendo o direito de reclamar,
julgar, reprovar e tomar qualquer
atitude compreensível no brio
pessoal, apenas abençoa.“
Emmanuel / Chico Xavier
Se subordinado, compreenda os deveres de
sua posição e tenha o cuidado em cumpri-los
honestamente, com satisfação.
16 – Dedicação
Enfim, respeite todos os direitos de seus
semelhantes, como gostaria que os seus
fossem respeitados.
17 – Amor
Estas não são todas as qualidades do homem de bem,
mas quem se esforçar para possuí-las estará mais
próximo das demais.
E assim, será possível...
“Amar o próximo como a si
mesmo: fazer pelos outros
o que quereríamos que os
outros fizessem por nós”.
Toda a religião, toda a
moral se acham encerradas
nestes dois preceitos.
(ESE, Cap. 13, item 9)
Destruindo definitivamente
o orgulho e o egoísmo.
CRÉDITOS:
Formatação: Marta Gomes P. Miranda
Referências:
KARDEC, Allan. O Livro dos Espíritos. Tradução de
Salvador Gentile. 182ª Ed. Araras – SP: IDE, 2009,
Pág. 283 à 287.
KARDEC, Allan. O Evangelho Segundo o Espiritismo.
Tradução De Salvador Gentile. 365ª Ed. Araras – SP:
Ide, 2009 pág. 168-169.
https://luzdoespiritismo.com/palestras-em-
powerpoint/slide-o-homem-de-bem-grande-desafio
Filme: Santo Agostinho O Declínio do Império
Romano
https://www.youtube.com/watch?v=holW-1sj73E
Documentário: Agostinho de Hipona
https://www.youtube.com/watch?v=awJsGLAtPc0
3.12.1 - O Homem de bem.pptx

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O maior mandamento
O maior mandamentoO maior mandamento
O maior mandamento
Lorena Dias
 
Falsos Profetas da Erraticidade
Falsos Profetas da ErraticidadeFalsos Profetas da Erraticidade
Falsos Profetas da Erraticidade
igmateus
 
Estudos do evangelho "O egoísmo"
Estudos do evangelho "O egoísmo"Estudos do evangelho "O egoísmo"
Estudos do evangelho "O egoísmo"
Leonardo Pereira
 
A felicidade não é deste mundo
A felicidade não é deste mundoA felicidade não é deste mundo
A felicidade não é deste mundo
Izabel Cristina Fonseca
 
ESE CAP XVII - Sede Perfeitos
ESE CAP XVII - Sede PerfeitosESE CAP XVII - Sede Perfeitos
ESE CAP XVII - Sede Perfeitos
grupodepaisceb
 
Palestra Espírita - O espiritismo como educação
Palestra Espírita - O espiritismo como educaçãoPalestra Espírita - O espiritismo como educação
Palestra Espírita - O espiritismo como educação
Divulgador do Espiritismo
 
Perdão
PerdãoPerdão
Obreiros do senhor!
Obreiros do senhor!Obreiros do senhor!
Obreiros do senhor!
Dalila Melo
 
O Dever e a virtude
O Dever e a virtudeO Dever e a virtude
O Dever e a virtude
Izabel Cristina Fonseca
 
SEDE PERFEITOS
SEDE PERFEITOSSEDE PERFEITOS
SEDE PERFEITOS
Isnande Mota Barros
 
Retribuir o mal com o bem
Retribuir o mal com o bemRetribuir o mal com o bem
Retribuir o mal com o bem
Izabel Cristina Fonseca
 
Pedi e obtereis - O poder transformador da prece
Pedi e obtereis  - O poder transformador da prece Pedi e obtereis  - O poder transformador da prece
Pedi e obtereis - O poder transformador da prece
grupodepaisceb
 
Os superiores e os inferiores
Os superiores e os inferioresOs superiores e os inferiores
Os superiores e os inferiores
Izabel Cristina Fonseca
 
Palestra Evangelho - Não se pode servir a Deus e a Mamon - Rosana De Rosa
Palestra Evangelho - Não se pode servir a Deus e a Mamon - Rosana De Rosa Palestra Evangelho - Não se pode servir a Deus e a Mamon - Rosana De Rosa
Palestra Evangelho - Não se pode servir a Deus e a Mamon - Rosana De Rosa
Rosana De Rosa
 
Caracteres da perfeição
Caracteres da perfeiçãoCaracteres da perfeição
Caracteres da perfeição
home
 
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMOREFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
Justiça ou vingança?
Justiça ou vingança?Justiça ou vingança?
Justiça ou vingança?
Reinaldo Santos
 
Sede perfeitos
Sede perfeitosSede perfeitos
Palestra 29 o homem de bem
Palestra 29 o homem de bemPalestra 29 o homem de bem
Palestra 29 o homem de bem
Jose Ferreira Almeida Almeida
 
Palestra Fora da Caridade não Há Salvação
Palestra Fora da Caridade não Há Salvação Palestra Fora da Caridade não Há Salvação
Palestra Fora da Caridade não Há Salvação
Rodrigo Spinosa
 

Mais procurados (20)

O maior mandamento
O maior mandamentoO maior mandamento
O maior mandamento
 
Falsos Profetas da Erraticidade
Falsos Profetas da ErraticidadeFalsos Profetas da Erraticidade
Falsos Profetas da Erraticidade
 
Estudos do evangelho "O egoísmo"
Estudos do evangelho "O egoísmo"Estudos do evangelho "O egoísmo"
Estudos do evangelho "O egoísmo"
 
A felicidade não é deste mundo
A felicidade não é deste mundoA felicidade não é deste mundo
A felicidade não é deste mundo
 
ESE CAP XVII - Sede Perfeitos
ESE CAP XVII - Sede PerfeitosESE CAP XVII - Sede Perfeitos
ESE CAP XVII - Sede Perfeitos
 
Palestra Espírita - O espiritismo como educação
Palestra Espírita - O espiritismo como educaçãoPalestra Espírita - O espiritismo como educação
Palestra Espírita - O espiritismo como educação
 
Perdão
PerdãoPerdão
Perdão
 
Obreiros do senhor!
Obreiros do senhor!Obreiros do senhor!
Obreiros do senhor!
 
O Dever e a virtude
O Dever e a virtudeO Dever e a virtude
O Dever e a virtude
 
SEDE PERFEITOS
SEDE PERFEITOSSEDE PERFEITOS
SEDE PERFEITOS
 
Retribuir o mal com o bem
Retribuir o mal com o bemRetribuir o mal com o bem
Retribuir o mal com o bem
 
Pedi e obtereis - O poder transformador da prece
Pedi e obtereis  - O poder transformador da prece Pedi e obtereis  - O poder transformador da prece
Pedi e obtereis - O poder transformador da prece
 
Os superiores e os inferiores
Os superiores e os inferioresOs superiores e os inferiores
Os superiores e os inferiores
 
Palestra Evangelho - Não se pode servir a Deus e a Mamon - Rosana De Rosa
Palestra Evangelho - Não se pode servir a Deus e a Mamon - Rosana De Rosa Palestra Evangelho - Não se pode servir a Deus e a Mamon - Rosana De Rosa
Palestra Evangelho - Não se pode servir a Deus e a Mamon - Rosana De Rosa
 
Caracteres da perfeição
Caracteres da perfeiçãoCaracteres da perfeição
Caracteres da perfeição
 
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMOREFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
 
Justiça ou vingança?
Justiça ou vingança?Justiça ou vingança?
Justiça ou vingança?
 
Sede perfeitos
Sede perfeitosSede perfeitos
Sede perfeitos
 
Palestra 29 o homem de bem
Palestra 29 o homem de bemPalestra 29 o homem de bem
Palestra 29 o homem de bem
 
Palestra Fora da Caridade não Há Salvação
Palestra Fora da Caridade não Há Salvação Palestra Fora da Caridade não Há Salvação
Palestra Fora da Caridade não Há Salvação
 

Semelhante a 3.12.1 - O Homem de bem.pptx

O homem de bem
O homem de bemO homem de bem
O homem de bem
Kclitiacadente
 
Palestra29ohomemdebem 140705123117-phpapp01
Palestra29ohomemdebem 140705123117-phpapp01Palestra29ohomemdebem 140705123117-phpapp01
Palestra29ohomemdebem 140705123117-phpapp01
seara2015
 
O Homem de bem.docx
O Homem de bem.docxO Homem de bem.docx
O Homem de bem.docx
Marta Gomes
 
Ohomemdebemgrandedesafio 120918080952-phpapp01 (1)
Ohomemdebemgrandedesafio 120918080952-phpapp01 (1)Ohomemdebemgrandedesafio 120918080952-phpapp01 (1)
Ohomemdebemgrandedesafio 120918080952-phpapp01 (1)
fabio antonio motta dutra
 
Segundo Módulo - Aula 13 - Perfição moral as virtudes e os vicios
Segundo Módulo - Aula 13 - Perfição moral as virtudes e os viciosSegundo Módulo - Aula 13 - Perfição moral as virtudes e os vicios
Segundo Módulo - Aula 13 - Perfição moral as virtudes e os vicios
CeiClarencio
 
Capítulo XII - Perfeição Moral.docx
Capítulo XII - Perfeição Moral.docxCapítulo XII - Perfeição Moral.docx
Capítulo XII - Perfeição Moral.docx
Marta Gomes
 
O Homem de Bem
O Homem de BemO Homem de Bem
O Homem de Bem
igmateus
 
O BOM ESPIRITA 29 10 2022.doc
O BOM ESPIRITA 29 10 2022.docO BOM ESPIRITA 29 10 2022.doc
O BOM ESPIRITA 29 10 2022.doc
Andrea Leite
 
Reforma intima
Reforma intimaReforma intima
Reforma intima
Alfredo Lopes
 
Estudos do evangelho19
Estudos do evangelho19Estudos do evangelho19
Estudos do evangelho19
Leonardo Pereira
 
Caridade na ótica espirita
Caridade na ótica espiritaCaridade na ótica espirita
Caridade na ótica espirita
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Memoria do coracao kssf
Memoria do coracao kssfMemoria do coracao kssf
Memoria do coracao kssf
Clea Alves
 
O homem de bem e a evolução!
O homem de bem e  a evolução! O homem de bem e  a evolução!
O homem de bem e a evolução!
Leonardo Pereira
 
11 - Sede perfeitos
11 - Sede perfeitos11 - Sede perfeitos
11 - Sede perfeitos
JPS Junior
 
200_mensagens_espiritas_de_chico_xavier.pdf
200_mensagens_espiritas_de_chico_xavier.pdf200_mensagens_espiritas_de_chico_xavier.pdf
200_mensagens_espiritas_de_chico_xavier.pdf
Gleiciane Diamantino Felix
 
Seminário: Hipocrisia mal que assola a humanidade
Seminário: Hipocrisia mal que assola a humanidadeSeminário: Hipocrisia mal que assola a humanidade
Seminário: Hipocrisia mal que assola a humanidade
Graça Maciel
 
15 Coisas que você precisa abandonar para ser Feliz! ( Leonardo Pereira).
15 Coisas que você precisa abandonar para ser Feliz! ( Leonardo Pereira). 15 Coisas que você precisa abandonar para ser Feliz! ( Leonardo Pereira).
15 Coisas que você precisa abandonar para ser Feliz! ( Leonardo Pereira).
Leonardo Pereira
 
A intolerancia em nossas vidas
A intolerancia em nossas vidasA intolerancia em nossas vidas
A intolerancia em nossas vidas
Lisete B.
 
Código de vida rosacruz slides
Código de vida rosacruz slidesCódigo de vida rosacruz slides
Código de vida rosacruz slides
Leonardo Toledo
 
Estudos do evangelho "Bem aventurados os misericordiosos "resumo"
Estudos do evangelho "Bem aventurados os misericordiosos "resumo"Estudos do evangelho "Bem aventurados os misericordiosos "resumo"
Estudos do evangelho "Bem aventurados os misericordiosos "resumo"
Leonardo Pereira
 

Semelhante a 3.12.1 - O Homem de bem.pptx (20)

O homem de bem
O homem de bemO homem de bem
O homem de bem
 
Palestra29ohomemdebem 140705123117-phpapp01
Palestra29ohomemdebem 140705123117-phpapp01Palestra29ohomemdebem 140705123117-phpapp01
Palestra29ohomemdebem 140705123117-phpapp01
 
O Homem de bem.docx
O Homem de bem.docxO Homem de bem.docx
O Homem de bem.docx
 
Ohomemdebemgrandedesafio 120918080952-phpapp01 (1)
Ohomemdebemgrandedesafio 120918080952-phpapp01 (1)Ohomemdebemgrandedesafio 120918080952-phpapp01 (1)
Ohomemdebemgrandedesafio 120918080952-phpapp01 (1)
 
Segundo Módulo - Aula 13 - Perfição moral as virtudes e os vicios
Segundo Módulo - Aula 13 - Perfição moral as virtudes e os viciosSegundo Módulo - Aula 13 - Perfição moral as virtudes e os vicios
Segundo Módulo - Aula 13 - Perfição moral as virtudes e os vicios
 
Capítulo XII - Perfeição Moral.docx
Capítulo XII - Perfeição Moral.docxCapítulo XII - Perfeição Moral.docx
Capítulo XII - Perfeição Moral.docx
 
O Homem de Bem
O Homem de BemO Homem de Bem
O Homem de Bem
 
O BOM ESPIRITA 29 10 2022.doc
O BOM ESPIRITA 29 10 2022.docO BOM ESPIRITA 29 10 2022.doc
O BOM ESPIRITA 29 10 2022.doc
 
Reforma intima
Reforma intimaReforma intima
Reforma intima
 
Estudos do evangelho19
Estudos do evangelho19Estudos do evangelho19
Estudos do evangelho19
 
Caridade na ótica espirita
Caridade na ótica espiritaCaridade na ótica espirita
Caridade na ótica espirita
 
Memoria do coracao kssf
Memoria do coracao kssfMemoria do coracao kssf
Memoria do coracao kssf
 
O homem de bem e a evolução!
O homem de bem e  a evolução! O homem de bem e  a evolução!
O homem de bem e a evolução!
 
11 - Sede perfeitos
11 - Sede perfeitos11 - Sede perfeitos
11 - Sede perfeitos
 
200_mensagens_espiritas_de_chico_xavier.pdf
200_mensagens_espiritas_de_chico_xavier.pdf200_mensagens_espiritas_de_chico_xavier.pdf
200_mensagens_espiritas_de_chico_xavier.pdf
 
Seminário: Hipocrisia mal que assola a humanidade
Seminário: Hipocrisia mal que assola a humanidadeSeminário: Hipocrisia mal que assola a humanidade
Seminário: Hipocrisia mal que assola a humanidade
 
15 Coisas que você precisa abandonar para ser Feliz! ( Leonardo Pereira).
15 Coisas que você precisa abandonar para ser Feliz! ( Leonardo Pereira). 15 Coisas que você precisa abandonar para ser Feliz! ( Leonardo Pereira).
15 Coisas que você precisa abandonar para ser Feliz! ( Leonardo Pereira).
 
A intolerancia em nossas vidas
A intolerancia em nossas vidasA intolerancia em nossas vidas
A intolerancia em nossas vidas
 
Código de vida rosacruz slides
Código de vida rosacruz slidesCódigo de vida rosacruz slides
Código de vida rosacruz slides
 
Estudos do evangelho "Bem aventurados os misericordiosos "resumo"
Estudos do evangelho "Bem aventurados os misericordiosos "resumo"Estudos do evangelho "Bem aventurados os misericordiosos "resumo"
Estudos do evangelho "Bem aventurados os misericordiosos "resumo"
 

Mais de Marta Gomes

Capitulo III - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à c...
Capitulo III - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à c...Capitulo III - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à c...
Capitulo III - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à c...
Marta Gomes
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
Marta Gomes
 
Capitulo II - Elementos Gerais do Universo.docx
Capitulo II - Elementos Gerais do Universo.docxCapitulo II - Elementos Gerais do Universo.docx
Capitulo II - Elementos Gerais do Universo.docx
Marta Gomes
 
1.2 - Elementos Gerais do Universo.pptx
1.2 - Elementos Gerais do  Universo.pptx1.2 - Elementos Gerais do  Universo.pptx
1.2 - Elementos Gerais do Universo.pptx
Marta Gomes
 
Capitulo I - Deus. Deus e o infinito. Panteísmo
Capitulo I - Deus. Deus e o infinito. PanteísmoCapitulo I - Deus. Deus e o infinito. Panteísmo
Capitulo I - Deus. Deus e o infinito. Panteísmo
Marta Gomes
 
1.1 - Deus. Deus e o infinito. Panteísmo
1.1 - Deus. Deus e o infinito. Panteísmo1.1 - Deus. Deus e o infinito. Panteísmo
1.1 - Deus. Deus e o infinito. Panteísmo
Marta Gomes
 
Apresentação da doutrina espírita e do Livro dos Espíritos.docx
Apresentação da doutrina espírita e do Livro dos Espíritos.docxApresentação da doutrina espírita e do Livro dos Espíritos.docx
Apresentação da doutrina espírita e do Livro dos Espíritos.docx
Marta Gomes
 
Apresentação da Doutrina Espírita e do Livro dos Espíritos.pptx
Apresentação da Doutrina Espírita e do Livro dos Espíritos.pptxApresentação da Doutrina Espírita e do Livro dos Espíritos.pptx
Apresentação da Doutrina Espírita e do Livro dos Espíritos.pptx
Marta Gomes
 
Capítulo II - Penas e Gozos Futuros.docx
Capítulo II - Penas e Gozos Futuros.docxCapítulo II - Penas e Gozos Futuros.docx
Capítulo II - Penas e Gozos Futuros.docx
Marta Gomes
 
4.2.3 - Ressurreição da carne - Paraíso - Inferno - Pugatório.pptx
4.2.3 - Ressurreição da carne - Paraíso - Inferno - Pugatório.pptx4.2.3 - Ressurreição da carne - Paraíso - Inferno - Pugatório.pptx
4.2.3 - Ressurreição da carne - Paraíso - Inferno - Pugatório.pptx
Marta Gomes
 
4.2.2 - Penas e gozos futuros.pptx
4.2.2 - Penas e gozos futuros.pptx4.2.2 - Penas e gozos futuros.pptx
4.2.2 - Penas e gozos futuros.pptx
Marta Gomes
 
4.2.1 - Vida futura.pptx
4.2.1 - Vida futura.pptx4.2.1 - Vida futura.pptx
4.2.1 - Vida futura.pptx
Marta Gomes
 
Capítulo I - Penas e Gozos Terrestres.docx
Capítulo I - Penas e Gozos Terrestres.docxCapítulo I - Penas e Gozos Terrestres.docx
Capítulo I - Penas e Gozos Terrestres.docx
Marta Gomes
 
4.1.3 - Suicídio.pptx
4.1.3 - Suicídio.pptx4.1.3 - Suicídio.pptx
4.1.3 - Suicídio.pptx
Marta Gomes
 
4.1.2 - Perda de pessoas amadas.pptx
4.1.2 - Perda de pessoas amadas.pptx4.1.2 - Perda de pessoas amadas.pptx
4.1.2 - Perda de pessoas amadas.pptx
Marta Gomes
 
4.1.1 - Felicidade e infelicidade relativas.pptx
4.1.1 - Felicidade e infelicidade relativas.pptx4.1.1 - Felicidade e infelicidade relativas.pptx
4.1.1 - Felicidade e infelicidade relativas.pptx
Marta Gomes
 
Inveja e Ciúme.docx
Inveja e Ciúme.docxInveja e Ciúme.docx
Inveja e Ciúme.docx
Marta Gomes
 
0.5 - Inveja e ciúme.pptx
0.5 - Inveja e ciúme.pptx0.5 - Inveja e ciúme.pptx
0.5 - Inveja e ciúme.pptx
Marta Gomes
 
PASSE ESPÍRITA.docx
PASSE ESPÍRITA.docxPASSE ESPÍRITA.docx
PASSE ESPÍRITA.docx
Marta Gomes
 
PASSE ESPÍRITA.pptx
PASSE ESPÍRITA.pptxPASSE ESPÍRITA.pptx
PASSE ESPÍRITA.pptx
Marta Gomes
 

Mais de Marta Gomes (20)

Capitulo III - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à c...
Capitulo III - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à c...Capitulo III - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à c...
Capitulo III - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à c...
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
 
Capitulo II - Elementos Gerais do Universo.docx
Capitulo II - Elementos Gerais do Universo.docxCapitulo II - Elementos Gerais do Universo.docx
Capitulo II - Elementos Gerais do Universo.docx
 
1.2 - Elementos Gerais do Universo.pptx
1.2 - Elementos Gerais do  Universo.pptx1.2 - Elementos Gerais do  Universo.pptx
1.2 - Elementos Gerais do Universo.pptx
 
Capitulo I - Deus. Deus e o infinito. Panteísmo
Capitulo I - Deus. Deus e o infinito. PanteísmoCapitulo I - Deus. Deus e o infinito. Panteísmo
Capitulo I - Deus. Deus e o infinito. Panteísmo
 
1.1 - Deus. Deus e o infinito. Panteísmo
1.1 - Deus. Deus e o infinito. Panteísmo1.1 - Deus. Deus e o infinito. Panteísmo
1.1 - Deus. Deus e o infinito. Panteísmo
 
Apresentação da doutrina espírita e do Livro dos Espíritos.docx
Apresentação da doutrina espírita e do Livro dos Espíritos.docxApresentação da doutrina espírita e do Livro dos Espíritos.docx
Apresentação da doutrina espírita e do Livro dos Espíritos.docx
 
Apresentação da Doutrina Espírita e do Livro dos Espíritos.pptx
Apresentação da Doutrina Espírita e do Livro dos Espíritos.pptxApresentação da Doutrina Espírita e do Livro dos Espíritos.pptx
Apresentação da Doutrina Espírita e do Livro dos Espíritos.pptx
 
Capítulo II - Penas e Gozos Futuros.docx
Capítulo II - Penas e Gozos Futuros.docxCapítulo II - Penas e Gozos Futuros.docx
Capítulo II - Penas e Gozos Futuros.docx
 
4.2.3 - Ressurreição da carne - Paraíso - Inferno - Pugatório.pptx
4.2.3 - Ressurreição da carne - Paraíso - Inferno - Pugatório.pptx4.2.3 - Ressurreição da carne - Paraíso - Inferno - Pugatório.pptx
4.2.3 - Ressurreição da carne - Paraíso - Inferno - Pugatório.pptx
 
4.2.2 - Penas e gozos futuros.pptx
4.2.2 - Penas e gozos futuros.pptx4.2.2 - Penas e gozos futuros.pptx
4.2.2 - Penas e gozos futuros.pptx
 
4.2.1 - Vida futura.pptx
4.2.1 - Vida futura.pptx4.2.1 - Vida futura.pptx
4.2.1 - Vida futura.pptx
 
Capítulo I - Penas e Gozos Terrestres.docx
Capítulo I - Penas e Gozos Terrestres.docxCapítulo I - Penas e Gozos Terrestres.docx
Capítulo I - Penas e Gozos Terrestres.docx
 
4.1.3 - Suicídio.pptx
4.1.3 - Suicídio.pptx4.1.3 - Suicídio.pptx
4.1.3 - Suicídio.pptx
 
4.1.2 - Perda de pessoas amadas.pptx
4.1.2 - Perda de pessoas amadas.pptx4.1.2 - Perda de pessoas amadas.pptx
4.1.2 - Perda de pessoas amadas.pptx
 
4.1.1 - Felicidade e infelicidade relativas.pptx
4.1.1 - Felicidade e infelicidade relativas.pptx4.1.1 - Felicidade e infelicidade relativas.pptx
4.1.1 - Felicidade e infelicidade relativas.pptx
 
Inveja e Ciúme.docx
Inveja e Ciúme.docxInveja e Ciúme.docx
Inveja e Ciúme.docx
 
0.5 - Inveja e ciúme.pptx
0.5 - Inveja e ciúme.pptx0.5 - Inveja e ciúme.pptx
0.5 - Inveja e ciúme.pptx
 
PASSE ESPÍRITA.docx
PASSE ESPÍRITA.docxPASSE ESPÍRITA.docx
PASSE ESPÍRITA.docx
 
PASSE ESPÍRITA.pptx
PASSE ESPÍRITA.pptxPASSE ESPÍRITA.pptx
PASSE ESPÍRITA.pptx
 

Último

metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdfmetafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
GuilhermeCerqueira17
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
PIB Penha
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
marcusviniciussabino1
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
Nilson Almeida
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
PIB Penha
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
PIB Penha
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
PIB Penha
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
PIB Penha
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
PIB Penha
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
CleideTeles3
 
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdfDiscipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
LEILANEGOUVEIA1
 
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptxPalestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
NEDIONOSSOMUNDO
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Ricardo Azevedo
 

Último (14)

metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdfmetafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
 
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdfDiscipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
 
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptxPalestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
 

3.12.1 - O Homem de bem.pptx

  • 2. 3ª Parte – Capítulo XII Questões 918 e 919 Capítulo XVII – Item 3
  • 3. CARACTERÍSTICAS DO HOMEM DE BEM Autoconhecimento Fé em Deus e Confiança Esperança Resignação Fraternidade Perdão Perseverança Beneficência Solidariedade Alteridade Caridade Indulgência Compreensão Bondade Humildade Dedicação AMOR
  • 4. 919. Qual o meio prático mais eficaz que tem o homem de se melhorar nesta vida e de resistir à atração do mal? Um sábio da antiguidade vo-lo disse: Conhece-te a ti mesmo. Oráculo de Delfos “O homem, conhece-te a ti mesmo e conhecerás os deuses e o universo” https://br.pinterest.com/pin/400046379407424812/
  • 5. Qual é o meio de o conseguir? Allan Kardec
  • 6. 1) “Perguntai-vos o que fizeste e com qual objetivo agistes em tal circunstância”. 2) “Se fizeste alguma coisa que censurais em outrem”. 3) “Se fizeste alguma coisa que não ousaríeis confessar”. 4) “Se aprouvesse a Deus me chamar neste momento (em que estou lendo está página), reentrando no mundo dos Espíritos, onde nada é oculto, eu teria o que temer diante de alguém?”. 5) “Examinai o que podeis ter feito contra Deus, contra vosso próximo, e enfim, contra vós mesmos”. “Fazei o que eu fazia de minha vida sobre a Terra: ao fim da jornada, eu interrogava minha consciência, passava em revista o que fizera, e me perguntava se não faltara algum dever, se ninguém tinha nada a lamentar de mim.” Santo Agostinho
  • 7. “Tendes um meio de controle que não vos pode enganar.” 1) “Quando estiverdes indecisos sobre o valor de uma de vossas ações, perguntai-vos como a qualificaríeis se fosse feita por outra pessoa; se a censurais em outrem, ela não pode ser mais legítima em vós, porque Deus não tem duas medidas para a justiça.” 2) “Não negligencieis a opinião dos vossos inimigos, porque estes não têm nenhum interesse em dissimular a verdade e, frequentemente, Deus os coloca ao vosso lado como um espelho para vos advertir com mais franqueza que o faria um amigo.” 3) “Aquele que tem vontade séria de se melhorar explore, pois, sua consciência, a fim de arrancar dela as más tendências.” Santo Agostinho
  • 8. Benjamin Franklin (1706 – 1790) Fazia a si mesmo, todas as manhãs, a mesma pergunta: - Que bem devo eu fazer nesse dia? E a mesma pergunta toda noite: - Qual bem eu fiz hoje? “Nunca cheguei à perfeição que eu tinha sido tão ambicioso em obter, e fiquei muito aquém dela. Mas eu era, pelo esforço, um homem melhor e mais feliz do que eu deveria ter sido se não tivesse tentado isso.”
  • 9. 1. Temperança: não comer até o embrutecimento, nem beber até a embriaguez. 2. Silêncio: Não falar senão o que pode ser benéfico para os outros, ou para nós mesmos, e evitar as conversas frívolas. 3. Ordem: Designar um lugar para cada coisa e pôr cada coisa no seu lugar; destinar uma hora do dia para cada uma de nossas tarefas. 4. Resolução: Resolver fazer o que é nosso dever; e cumprir, sem falhar, o que se resolve. 5. Economia: Não fazer despesas senão em benefício próprio ou de outrem; não desperdiçar nada. As Treze Virtudes de Benjamin Franklin
  • 10. 6. Aplicação: Não perder tempo; estar sempre ocupado com alguma coisa útil; suprimir todas as ações desnecessárias. 7. Sinceridade: Não enganar ninguém, de modo a prejudicá-lo; pensar de forma honesta e justa; ao falar, fazê-lo de conformidade com este princípio. 8. Justiça: Não fazer mal a ninguém, nem lhe causando dano, nem lhe omitindo benefícios que é nosso dever lhe reconhecer. 9. Moderação: Evitar os extremos; abster-se de guardar ressentimento pelas injúrias recebidas, na medida em que elas possam ser consideradas merecidas. As Treze Virtudes de Benjamin Franklin
  • 11. 10. Limpeza: Não tolerar a falta de limpeza no corpo, no vestuário ou na habitação. 11. Tranquilidade: Não se perturbar com insignificâncias nem com acidentes comuns ou inevitáveis. 12. Castidade: Usar raramente do prazer da carne e apenas para o benefício do organismo ou tendo em vista a descendência; jamais até o embrutecimento ou de modo a levar à fraqueza, ou, então, em prejuízo da própria paz e reputação, ou da de outrem. 13. Humildade: Imitar Jesus e Sócrates. As Treze Virtudes de Benjamin Franklin
  • 12. Progresso com esforço e autoestima Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab Temperança Silêncio Ordem Resolução Economia Aplicação Sinceridade Justiça Moderação Limpeza Tranquilidade Castidade Humildade Tabela das 13 virtudes Acompanhamento semanal do progresso em praticar as virtudes e lutar contra o vício e a indolência. Para cada vez que a consciência avisar de um descumprimento dos princípios, faz-se um (X) no dia referido.
  • 13. Você se considera uma pessoa de bem? O verdadeiro homem de bem é o que cumpre a lei de justiça, de amor e de caridade, na sua maior pureza. O Evangelho Segundo o Espiritismo – Cap. 17 - item 3
  • 15. O que fazer para ser uma pessoa de bem?
  • 16. Interrogue a sua consciência sobre os seus próprios atos, ao fim do dia: • Violei a lei de justiça, de amor e de caridade? • Não pratiquei o mal? • Fiz todo o bem que eu podia? • Desprezei intencionalmente alguma ocasião de ser útil? • Ninguém tem o que reclamar de mim? • Fiz aos outros tudo o que gostaria que fosse feito por eles? • Fiz alguma coisa que reprovaria em outra pessoa? • Fiz alguma coisa que não arriscaria confessar? • Se aprouvesse a Deus me chamar neste momento (em que estou lendo está página), reentrando no mundo dos Espíritos, onde nada é oculto, eu teria o que temer diante de alguém?”. 1 – Autoconhecimento
  • 17. 2 – Fé em Deus e confiança
  • 19. • Aceite as dificuldades da vida sem se queixar, compreendendo que as dores e as decepções são provas ou expiações. 4 – Resignação
  • 20. • Doe doses abundantes de caridade e de amor ao próximo. • Retribua o mal com o bem. • Faça o bem pelo bem e tome a defesa do fraco contra o forte. • Seja bondoso com o próximo, sem esperar nada em troca. 5 – Beneficência
  • 21. Retribuir o mal com o bem Amar os inimigos é: Ter-lhes uma afeição que não está na natureza, visto que o contato de um inimigo nos faz bater o coração de modo muito diverso do seu bater de um contato amigo. ESE – Cap. XII – itens 1 a 4 Beneficência no cotidiano De quando a quando troquemos os grandes conceitos de caridade pelos atos miúdos que lhe confirmem a existência. André Luiz
  • 22. • Pense nos outros, antes de pensar em si. • Encontre satisfação nos serviços que presta, nas alegrias que leva aos outros, nas lágrimas que seca, nas consolações que dá aos aflitos. 6 – Solidariedade
  • 23. • Seja bom, humano e benevolente com todos, independente de raça ou crença. • Procure ver todas as pessoas como irmãos. 7 – Fraternidade
  • 24. • Respeite todas as convicções sinceras. • Não reprove aqueles que não pensam como você. 8 – Alteridade
  • 25. • Em todas as circunstâncias, tome a caridade como seu guia. • Exerça o dever de amar o próximo. • Não prejudique os outros com palavras maliciosas. • Não ofenda a fragilidade do outro com seu orgulho e seu desprezo. • Desista da ideia de causar dor, aborrecimento, mesmo pequeno, quando pode evitá-lo. 9 – Caridade
  • 26. • Perdoa e esqueça todas as ofensas. • Não alimente ódio, rancor ou ressentimento. • Não mantenha desejo de vingança. 10 – Perdão
  • 27. • Seja indulgente com as fraquezas dos outros, por também ser credor de indulgência. • Lembre das palavras de Jesus: “Aquele que não tem pecado, atire a primeira pedra”. 11 – Indulgência
  • 28. 12 – Compreensão • Não evidenciar os defeitos alheios. • Agir com bom senso procurando sempre o bem que venha atenuar o mal.
  • 29. Estude as próprias imperfeições e trabalhe incessantemente para combatê-las. 13 – Perseverança
  • 30. Aproveita todas as ocasiões para fazer ressaltar o que seja proveitoso nos outros. 14 – Bondade
  • 31. • Não se envaideça pela riqueza ou pelas vantagens pessoais, pois tudo o que temos é empréstimo e a qualquer momento pode ser retirado. • Trate as pessoas sob sua dependência, com bondade e benevolência, pois somos iguais perante Deus. • Use sua autoridade para elevar o ânimo dessas pessoas evitando tornar a posição delas mais dolorosa. 15 – Humildade
  • 32. “A humildade não está na pobreza, não está na indigência, na penúria, na necessidade, na nudez e nem na fome. A humildade está na pessoa que tendo o direito de reclamar, julgar, reprovar e tomar qualquer atitude compreensível no brio pessoal, apenas abençoa.“ Emmanuel / Chico Xavier
  • 33. Se subordinado, compreenda os deveres de sua posição e tenha o cuidado em cumpri-los honestamente, com satisfação. 16 – Dedicação
  • 34. Enfim, respeite todos os direitos de seus semelhantes, como gostaria que os seus fossem respeitados. 17 – Amor
  • 35. Estas não são todas as qualidades do homem de bem, mas quem se esforçar para possuí-las estará mais próximo das demais.
  • 36. E assim, será possível... “Amar o próximo como a si mesmo: fazer pelos outros o que quereríamos que os outros fizessem por nós”. Toda a religião, toda a moral se acham encerradas nestes dois preceitos. (ESE, Cap. 13, item 9) Destruindo definitivamente o orgulho e o egoísmo.
  • 37. CRÉDITOS: Formatação: Marta Gomes P. Miranda Referências: KARDEC, Allan. O Livro dos Espíritos. Tradução de Salvador Gentile. 182ª Ed. Araras – SP: IDE, 2009, Pág. 283 à 287. KARDEC, Allan. O Evangelho Segundo o Espiritismo. Tradução De Salvador Gentile. 365ª Ed. Araras – SP: Ide, 2009 pág. 168-169. https://luzdoespiritismo.com/palestras-em- powerpoint/slide-o-homem-de-bem-grande-desafio Filme: Santo Agostinho O Declínio do Império Romano https://www.youtube.com/watch?v=holW-1sj73E Documentário: Agostinho de Hipona https://www.youtube.com/watch?v=awJsGLAtPc0