SlideShare uma empresa Scribd logo
150 anos de
“O Céu e o Inferno”
ou a Justiça Divina
segundo o Espiritismo
No prelo, para aparecer em 1º de agosto:
O Céu e o Inferno, ou A Justiça Divina
segundo o Espiritismo, por Allan Kardec. 1
grosso vol. In-12. Preço: 3 fr. 50c.; pelo
correio: 4 fr.
(Allan Kardec)
Revista Espírita, julho de 1865
objetivo
“(...) Ali reunimos todos os elementos próprios
para esclarecer o homem sobre o seu destino.
Como nos nossos outros escritos sobre a
Doutrina Espírita, aí nada introduzimos que
seja produto de um sistema preconcebido, ou
de uma concepção pessoal, que não teria
nenhuma autoridade; tudo aí é deduzido da
observação e da concordância dos fatos.”
(Allan Kardec)
Revista Espírita, setembro de 1865
“Estava dado o golpe de misericórdia nos
dogmas fundamentais da teologia do
cristianismo formalista, tipo inegável de
sincretismo religioso com que o Cristianismo
verdadeiro, essencial e não formal, conseguira
penetrar na massa impura do mundo e levedá-la
à custa de enormes sacrifícios.”
(J. Herculano Pires)
“O Céu e o Inferno”, Allan Kardec – Notícia Sobre o Livro, LAKE
conteúdo
“Lendo-se este livro com atenção, vê-se que a sua
estrutura corresponde a um verdadeiro processo de
julgamento. Na primeira parte temos a exposição dos
fatos que o motivaram e a apreciação judiciosa, sempre
serena, dos seus vários aspectos, com a devida acentuação
dos casos de infração da lei; na segunda parte o
depoimento das testemunhas.”
(J. Herculano Pires)
“O Céu e o Inferno”, Allan Kardec – Notícia Sobre o Livro, LAKE
I – o porvir e o nada
“ – Nós vivemos, nós pensamos, nós agimos – eis o
que é positivo. E nós morremos – o que não é menos
certo. Mas ao deixar a Terra para onde vamos? No
que nos transformamos? Estaremos melhor ou pior?
Seremos ainda nós mesmos ou não mais o seremos? Ser
ou não ser – essa é a alternativa. Ser para todo o
sempre ou nunca mais ser. Tudo ou nada.”
“O Céu e o Inferno”, Allan Kardec
II – a preocupação com a morte
“A preocupação com a morte está ligada à
insuficiência de noções sobre a vida futura.
Por isso, quanto mais ela se liga à necessidade
de viver, mais aumenta o temor da destruição
do corpo como o fim de tudo. Ela é assim
provocada pelo secreto desejo de
sobrevivência da alma, ainda velada pela
incerteza.”
“O Céu e o Inferno”, Allan Kardec
“Para os espíritas a alma não é mais uma abstração. Ela
possui um corpo etéreo que a torna um ser definido, que
podemos conceber pelo pensamento. Isso é o suficiente
para nos esclarecer quanto à sua indicação, suas aptidões
e suas percepções.(...) A dúvida sobre o futuro já não
tendo mais lugar, a preocupação com a morte deixa de ter
razão. Esperamo-la tranquilamente, como uma
libertação, como a porta da vida e não como a do nada.”
“O Céu e o Inferno”, Allan Kardec
III – o céu
“A felicidade dos Espíritos, sendo
inerentes às suas qualidades, eles
gozam por toda parte, onde quer
que se encontrem, na face da Terra,
entre os encarnados ou no espaço.”
“O Céu e o Inferno”, Allan Kardec
IV – o inferno
“Jesus nunca
pronunciou contra
quem quer que
fosse a condenação
irremissível.”
“O Céu e o Inferno”, Allan Kardec
“Os cristãos
exageraram em
muitos pontos o
inferno dos pagãos.”
“O Céu e o Inferno”, Allan Kardec
“O Céu e o Inferno”, Allan Kardec
V – o purgatório
“O purgatório não é, portanto, uma
ideia vaga incerta: é uma realidade
material que vemos, tocamos e
sofremos. Ele se encontra nos
mundos de expiação e a Terra é um
deles.”
“O Céu e o Inferno”, Allan Kardec
“É pois nas encarnações sucessivas que a alma
se liberta pouco a pouco das suas imperfeições,
que ela se purga, numa palavra, até que se
torne bastante pura para merecer libertar-se
dos mundos de expiação e ir para os mundos
mais felizes, deixando esses mais tarde para
gozar da felicidade suprema.”
“O Céu e o Inferno”, Allan Kardec
V I – doutrina das penas eternas
“Quanto mais próximos do estado
primitivo, mais materializados são os
homens. O senso moral é o que se
desenvolve mais tardiamente. Por isso
mesmo só podem fazer uma ideia muito
imperfeita de Deus e de seus atributos, e
igualmente vaga da vida futura.”
“O Céu e o Inferno”, Allan Kardec
“Se Jesus ameaçou os culpados com o
fogo eterno, também os ameaçou de
serem lançados na Geena. Mas o que era
a Geena? Um lugar nas cercanias de
Jerusalém, o depósito de lixo da cidade.”
“O Céu e o Inferno”, Allan Kardec
V II – as penas futuras segundo
o espiritismo
“Desculpar-se dos seus defeitos com a
fraqueza da carne é, pois, lançar mão de
um sofisma para escapar à
responsabilidade. A carne é fraca quando
o Espírito é fraco, o que inverte a questão
e deixa o Espírito a responsabilidade de
todos os seus atos.”
“O Céu e o Inferno”, Allan Kardec
“A justiça de Deus sendo infinita, todo o mal e
todo o bem são rigorosamente levados em
conta. Se não há uma única ação má, um só
pensamento que não tenha consequências
fatais, também não há uma única ação boa,
um só movimento da alma, numa palavra mais
ligeiro mérito que fique perdido. E isso, mesmo
entre os mais perversos, porque representam
um começo de progresso.”
“O Céu e o Inferno”, (Código Penal da Vida Futura) Allan Kardec
“Os anjos são, pois, as almas dos
homens que atingiram o grau de
perfeição acessível à criatura e gozam
da felicidade prometida. Antes de haver
atingido o grau supremo, gozam de
uma felicidade relativa ao seu
adiantamento, mas essa felicidade não
é a do prazer ocioso.”
“O Céu e o Inferno”, Allan Kardec
V III – os anjos
“Não houve pois necessidade da criação de seres
privilegiados, isentos de encargos. Todos, antigos
ou novos, conquistaram a sua elevação através da
luta e pelos próprios méritos. Todos, enfim, são
filhos de suas próprias obras. Assim se cumpre
igualmente a soberana justiça de Deus.”
“O Céu e o Inferno”, Allan Kardec
IX – os demônios
“Segundo o Espiritismo, nem os anjos
nem os demônios são seres à parte: a
criação dos seres inteligentes é uma.
Ligados a corpos materiais, esses seres
constituem a humanidade que povoa a
Terra e os outros planetas habitados; sem
esses corpos, constitui o mundo espiritual
ou dos Espíritos, que povoam os
espaços.”
“O Céu e o Inferno”, Allan Kardec
X – intervenção dos demônios
nas manifestações modernas
“Quando chega o tempo de uma descoberta, os
Espíritos encarregados de produzirem o seu
aparecimento procuram o homem capaz de a realizar,
inspirando-lhe as ideias necessárias, mas deixando-
lhe todo o mérito da sua efetivação. Essas ideias, ele
as têm de elaborar para pô-las em prática. Assim
acontece com todas as grandes realizações da
inteligência humana.”
“O Céu e o Inferno”, Allan Kardec
X I– da proibição de evocar os
mortos
“Moisés, portanto, tinha razão de proibir estas
práticas, dizendo que Deus as considerava
abomináveis. Aliás, essas práticas supersticiosas
sobreviveram até a Idade Média, mas hoje a
razão as afugentou e o Espiritismo veio
demonstrar que as relações além-túmulo têm
um sentido exclusivamente moral, consolador e
portanto religioso.”
“O Céu e o Inferno”, Allan Kardec
2ª parte - exemplos
A transição
Espíritos felizes
Espíritos em condições medianas
Espíritos sofredores
Suicidas
Criminosos arrependidos
Espíritos endurecidos
Expiações terrestres
“A importância deste livro é maior do que realmente se
pensa. No tocante à Teologia, (...) O Céu e o Inferno
antecipou de mais de um século as transformações que ora
se operam no seio das várias igrejas. Se os teólogos, que
pretendem ser homens mais do que os homens, como
Descartes os classificou, pudessem ter a humildade
suficiente para consulta-lo, encontrariam nestas páginas a
solução dos seus mais angustiantes problemas.”
(J. Herculano Pires)
“O Céu e o Inferno”, Allan Kardec – Notícia Sobre o Livro, LAKE
150 ANOS DE "O CÉU E O INFERNO"

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O TEMPO - PRESENTE DO ETERNO
O TEMPO - PRESENTE DO ETERNOO TEMPO - PRESENTE DO ETERNO
O TEMPO - PRESENTE DO ETERNO
Jorge Luiz dos Santos
 
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMOREFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 5
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 5CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 5
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 5
Patricia Farias
 
Cei 100224-i-cap. 6-doutrina das penas eternas
Cei 100224-i-cap. 6-doutrina das penas eternasCei 100224-i-cap. 6-doutrina das penas eternas
Cei 100224-i-cap. 6-doutrina das penas eternas
Carlos Alberto Freire De Souza
 
A caridade segundo São Paulo
A caridade segundo São PauloA caridade segundo São Paulo
A caridade segundo São Paulo
Izabel Cristina Fonseca
 
Indissolubilidade do casamento
Indissolubilidade do casamento Indissolubilidade do casamento
Indissolubilidade do casamento
Henrique Vieira
 
Evangeliza - Bem aventurados os que tem os olhos fechados
Evangeliza - Bem aventurados os que tem os olhos fechadosEvangeliza - Bem aventurados os que tem os olhos fechados
Evangeliza - Bem aventurados os que tem os olhos fechados
Antonino Silva
 
Falsos Cristos Falsos profetas
Falsos Cristos Falsos profetasFalsos Cristos Falsos profetas
Falsos Cristos Falsos profetas
Vanda Machado
 
Evangelho Segundo o Espiritismo Cap 5 item11
Evangelho Segundo o Espiritismo Cap 5 item11Evangelho Segundo o Espiritismo Cap 5 item11
Evangelho Segundo o Espiritismo Cap 5 item11
Patricia Farias
 
A Eficácia da Prece
A Eficácia da PreceA Eficácia da Prece
A Eficácia da Prece
igmateus
 
Fe e caridade gec 05 12-2015
Fe e caridade  gec 05 12-2015Fe e caridade  gec 05 12-2015
Fe e caridade gec 05 12-2015
Izabel Cristina Fonseca
 
Progressão dos Mundos e dos Espíritos: Há muitas moradas na casa de meu
Progressão dos Mundos e dos Espíritos: Há muitas moradas na casa de meuProgressão dos Mundos e dos Espíritos: Há muitas moradas na casa de meu
Progressão dos Mundos e dos Espíritos: Há muitas moradas na casa de meu
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Parentela Corporal E Espiritual2
Parentela Corporal E Espiritual2Parentela Corporal E Espiritual2
Parentela Corporal E Espiritual2
Grupo Espírita Cristão
 
A piedade
A piedadeA piedade
A piedade
Dalila Melo
 
Retorno à Vida Corporal
Retorno à Vida CorporalRetorno à Vida Corporal
Retorno à Vida Corporal
contatodoutrina2013
 
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
Jorge Luiz dos Santos
 
Avida no plano espiritual
Avida no plano espiritual Avida no plano espiritual
Avida no plano espiritual
Levi Antonio Amancio
 
Evangeliza - Diferentes categorias de mundos habitados
Evangeliza - Diferentes categorias de mundos habitadosEvangeliza - Diferentes categorias de mundos habitados
Evangeliza - Diferentes categorias de mundos habitados
Antonino Silva
 
Palestra O CéU E O Inferno Na VisãO EspíRita
Palestra O CéU E O Inferno Na VisãO EspíRitaPalestra O CéU E O Inferno Na VisãO EspíRita
Palestra O CéU E O Inferno Na VisãO EspíRita
cab3032
 
Palestra Espírita - Missão dos espíritas
Palestra Espírita - Missão dos espíritasPalestra Espírita - Missão dos espíritas
Palestra Espírita - Missão dos espíritas
Divulgador do Espiritismo
 

Mais procurados (20)

O TEMPO - PRESENTE DO ETERNO
O TEMPO - PRESENTE DO ETERNOO TEMPO - PRESENTE DO ETERNO
O TEMPO - PRESENTE DO ETERNO
 
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMOREFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
 
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 5
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 5CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 5
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 5
 
Cei 100224-i-cap. 6-doutrina das penas eternas
Cei 100224-i-cap. 6-doutrina das penas eternasCei 100224-i-cap. 6-doutrina das penas eternas
Cei 100224-i-cap. 6-doutrina das penas eternas
 
A caridade segundo São Paulo
A caridade segundo São PauloA caridade segundo São Paulo
A caridade segundo São Paulo
 
Indissolubilidade do casamento
Indissolubilidade do casamento Indissolubilidade do casamento
Indissolubilidade do casamento
 
Evangeliza - Bem aventurados os que tem os olhos fechados
Evangeliza - Bem aventurados os que tem os olhos fechadosEvangeliza - Bem aventurados os que tem os olhos fechados
Evangeliza - Bem aventurados os que tem os olhos fechados
 
Falsos Cristos Falsos profetas
Falsos Cristos Falsos profetasFalsos Cristos Falsos profetas
Falsos Cristos Falsos profetas
 
Evangelho Segundo o Espiritismo Cap 5 item11
Evangelho Segundo o Espiritismo Cap 5 item11Evangelho Segundo o Espiritismo Cap 5 item11
Evangelho Segundo o Espiritismo Cap 5 item11
 
A Eficácia da Prece
A Eficácia da PreceA Eficácia da Prece
A Eficácia da Prece
 
Fe e caridade gec 05 12-2015
Fe e caridade  gec 05 12-2015Fe e caridade  gec 05 12-2015
Fe e caridade gec 05 12-2015
 
Progressão dos Mundos e dos Espíritos: Há muitas moradas na casa de meu
Progressão dos Mundos e dos Espíritos: Há muitas moradas na casa de meuProgressão dos Mundos e dos Espíritos: Há muitas moradas na casa de meu
Progressão dos Mundos e dos Espíritos: Há muitas moradas na casa de meu
 
Parentela Corporal E Espiritual2
Parentela Corporal E Espiritual2Parentela Corporal E Espiritual2
Parentela Corporal E Espiritual2
 
A piedade
A piedadeA piedade
A piedade
 
Retorno à Vida Corporal
Retorno à Vida CorporalRetorno à Vida Corporal
Retorno à Vida Corporal
 
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
 
Avida no plano espiritual
Avida no plano espiritual Avida no plano espiritual
Avida no plano espiritual
 
Evangeliza - Diferentes categorias de mundos habitados
Evangeliza - Diferentes categorias de mundos habitadosEvangeliza - Diferentes categorias de mundos habitados
Evangeliza - Diferentes categorias de mundos habitados
 
Palestra O CéU E O Inferno Na VisãO EspíRita
Palestra O CéU E O Inferno Na VisãO EspíRitaPalestra O CéU E O Inferno Na VisãO EspíRita
Palestra O CéU E O Inferno Na VisãO EspíRita
 
Palestra Espírita - Missão dos espíritas
Palestra Espírita - Missão dos espíritasPalestra Espírita - Missão dos espíritas
Palestra Espírita - Missão dos espíritas
 

Destaque

O céu e o Inferno
O céu e o InfernoO céu e o Inferno
O céu e o Inferno
igmateus
 
Palestra o céu e o inferno na visão espírita
Palestra o céu e o inferno na visão espíritaPalestra o céu e o inferno na visão espírita
Palestra o céu e o inferno na visão espírita
carlos freire
 
O CéU E O Inferno
O CéU E O InfernoO CéU E O Inferno
O CéU E O Inferno
Grupo Espírita Cristão
 
O ceu, o inferno, o medo da morte e o desencarne na visão espirita-Marcelo do...
O ceu, o inferno, o medo da morte e o desencarne na visão espirita-Marcelo do...O ceu, o inferno, o medo da morte e o desencarne na visão espirita-Marcelo do...
O ceu, o inferno, o medo da morte e o desencarne na visão espirita-Marcelo do...
Marcelo do Nascimento Rodrigues
 
A questão do inferno, das penas eternas e do sofrimento sob a ótica da doutri...
A questão do inferno, das penas eternas e do sofrimento sob a ótica da doutri...A questão do inferno, das penas eternas e do sofrimento sob a ótica da doutri...
A questão do inferno, das penas eternas e do sofrimento sob a ótica da doutri...
Leonardo Pereira
 
O inferno
O infernoO inferno
Cei 100203-i-cap. 1 e 2-o porvir e o nada-temor da morte
Cei 100203-i-cap. 1 e 2-o porvir e o nada-temor da morteCei 100203-i-cap. 1 e 2-o porvir e o nada-temor da morte
Cei 100203-i-cap. 1 e 2-o porvir e o nada-temor da morte
Carlos Alberto Freire De Souza
 
O Céu e o Inferno (Allan Kardec) / Heaven and Hell (Allan Kardec) / Cielo y e...
O Céu e o Inferno (Allan Kardec) / Heaven and Hell (Allan Kardec) / Cielo y e...O Céu e o Inferno (Allan Kardec) / Heaven and Hell (Allan Kardec) / Cielo y e...
O Céu e o Inferno (Allan Kardec) / Heaven and Hell (Allan Kardec) / Cielo y e...
Marcelo Bomfim de Aguiar
 
O Futuro E O Nada Palestra A PreocupaçãO Com A Morte
O Futuro E O Nada Palestra A PreocupaçãO Com A  MorteO Futuro E O Nada Palestra A PreocupaçãO Com A  Morte
O Futuro E O Nada Palestra A PreocupaçãO Com A Morte
Grupo Espírita Cristão
 
17. o inferno parte 1-slaid
17. o inferno parte 1-slaid17. o inferno parte 1-slaid
17. o inferno parte 1-slaid
Jose Costa
 
Ceu e Inferno Farmacêutico
Ceu e Inferno FarmacêuticoCeu e Inferno Farmacêutico
Ceu e Inferno Farmacêutico
momengtonoticia
 
Céu e Inferno definitivo
Céu e Inferno definitivoCéu e Inferno definitivo
Céu e Inferno definitivo
Euzebio Raimundo
 
Cei 100324-i-cap.10-intervenção dos demônios nas modernas manifestações
Cei 100324-i-cap.10-intervenção dos demônios nas modernas manifestaçõesCei 100324-i-cap.10-intervenção dos demônios nas modernas manifestações
Cei 100324-i-cap.10-intervenção dos demônios nas modernas manifestações
Carlos Alberto Freire De Souza
 
Ceu e inferno
Ceu e infernoCeu e inferno
Ceu e inferno
Cláudio Luciano
 
Ebook ceu inferno_spugeon
Ebook ceu inferno_spugeonEbook ceu inferno_spugeon
Ebook ceu inferno_spugeon
Elisabete Leitao
 
O céu e o inferno - allan kardec
O céu e o inferno - allan kardecO céu e o inferno - allan kardec
O céu e o inferno - allan kardec
mocidaderp
 
Inferno ApresentaçãO1
Inferno   ApresentaçãO1Inferno   ApresentaçãO1
Inferno ApresentaçãO1
Sergio Menezes
 
O egoismo e
O egoismo eO egoismo e
O egoismo e
Mensagens Virtuais
 
O porvir e o nada vilma
O porvir e o nada vilmaO porvir e o nada vilma
O porvir e o nada vilma
Milena Pinheiro
 
Cei 100303-i-cap.7-as penas futuras segundo o espiritismo
Cei 100303-i-cap.7-as penas futuras segundo o espiritismoCei 100303-i-cap.7-as penas futuras segundo o espiritismo
Cei 100303-i-cap.7-as penas futuras segundo o espiritismo
Carlos Alberto Freire De Souza
 

Destaque (20)

O céu e o Inferno
O céu e o InfernoO céu e o Inferno
O céu e o Inferno
 
Palestra o céu e o inferno na visão espírita
Palestra o céu e o inferno na visão espíritaPalestra o céu e o inferno na visão espírita
Palestra o céu e o inferno na visão espírita
 
O CéU E O Inferno
O CéU E O InfernoO CéU E O Inferno
O CéU E O Inferno
 
O ceu, o inferno, o medo da morte e o desencarne na visão espirita-Marcelo do...
O ceu, o inferno, o medo da morte e o desencarne na visão espirita-Marcelo do...O ceu, o inferno, o medo da morte e o desencarne na visão espirita-Marcelo do...
O ceu, o inferno, o medo da morte e o desencarne na visão espirita-Marcelo do...
 
A questão do inferno, das penas eternas e do sofrimento sob a ótica da doutri...
A questão do inferno, das penas eternas e do sofrimento sob a ótica da doutri...A questão do inferno, das penas eternas e do sofrimento sob a ótica da doutri...
A questão do inferno, das penas eternas e do sofrimento sob a ótica da doutri...
 
O inferno
O infernoO inferno
O inferno
 
Cei 100203-i-cap. 1 e 2-o porvir e o nada-temor da morte
Cei 100203-i-cap. 1 e 2-o porvir e o nada-temor da morteCei 100203-i-cap. 1 e 2-o porvir e o nada-temor da morte
Cei 100203-i-cap. 1 e 2-o porvir e o nada-temor da morte
 
O Céu e o Inferno (Allan Kardec) / Heaven and Hell (Allan Kardec) / Cielo y e...
O Céu e o Inferno (Allan Kardec) / Heaven and Hell (Allan Kardec) / Cielo y e...O Céu e o Inferno (Allan Kardec) / Heaven and Hell (Allan Kardec) / Cielo y e...
O Céu e o Inferno (Allan Kardec) / Heaven and Hell (Allan Kardec) / Cielo y e...
 
O Futuro E O Nada Palestra A PreocupaçãO Com A Morte
O Futuro E O Nada Palestra A PreocupaçãO Com A  MorteO Futuro E O Nada Palestra A PreocupaçãO Com A  Morte
O Futuro E O Nada Palestra A PreocupaçãO Com A Morte
 
17. o inferno parte 1-slaid
17. o inferno parte 1-slaid17. o inferno parte 1-slaid
17. o inferno parte 1-slaid
 
Ceu e Inferno Farmacêutico
Ceu e Inferno FarmacêuticoCeu e Inferno Farmacêutico
Ceu e Inferno Farmacêutico
 
Céu e Inferno definitivo
Céu e Inferno definitivoCéu e Inferno definitivo
Céu e Inferno definitivo
 
Cei 100324-i-cap.10-intervenção dos demônios nas modernas manifestações
Cei 100324-i-cap.10-intervenção dos demônios nas modernas manifestaçõesCei 100324-i-cap.10-intervenção dos demônios nas modernas manifestações
Cei 100324-i-cap.10-intervenção dos demônios nas modernas manifestações
 
Ceu e inferno
Ceu e infernoCeu e inferno
Ceu e inferno
 
Ebook ceu inferno_spugeon
Ebook ceu inferno_spugeonEbook ceu inferno_spugeon
Ebook ceu inferno_spugeon
 
O céu e o inferno - allan kardec
O céu e o inferno - allan kardecO céu e o inferno - allan kardec
O céu e o inferno - allan kardec
 
Inferno ApresentaçãO1
Inferno   ApresentaçãO1Inferno   ApresentaçãO1
Inferno ApresentaçãO1
 
O egoismo e
O egoismo eO egoismo e
O egoismo e
 
O porvir e o nada vilma
O porvir e o nada vilmaO porvir e o nada vilma
O porvir e o nada vilma
 
Cei 100303-i-cap.7-as penas futuras segundo o espiritismo
Cei 100303-i-cap.7-as penas futuras segundo o espiritismoCei 100303-i-cap.7-as penas futuras segundo o espiritismo
Cei 100303-i-cap.7-as penas futuras segundo o espiritismo
 

Semelhante a 150 ANOS DE "O CÉU E O INFERNO"

Palestra_especial_Finados_30.10.18.ppt
Palestra_especial_Finados_30.10.18.pptPalestra_especial_Finados_30.10.18.ppt
Palestra_especial_Finados_30.10.18.ppt
ssuserebdd0d1
 
palestra ceu e inferno.pdf
palestra ceu e inferno.pdfpalestra ceu e inferno.pdf
palestra ceu e inferno.pdf
Simone Ivo Sousa
 
Allan kardec-150-anos-le-120528729896746-2
Allan kardec-150-anos-le-120528729896746-2Allan kardec-150-anos-le-120528729896746-2
Allan kardec-150-anos-le-120528729896746-2
Tacaraci Fernandes Vieira
 
Evolução em dois mundos
Evolução em dois mundosEvolução em dois mundos
Evolução em dois mundos
EWALDO DE SOUZA
 
D 7 Pluralidade dos Mundos Habitados
D 7 Pluralidade dos Mundos HabitadosD 7 Pluralidade dos Mundos Habitados
D 7 Pluralidade dos Mundos Habitados
JPS Junior
 
Palestra Espírita - Ação da prece (transmissão do pensamento)
Palestra Espírita - Ação da prece (transmissão do pensamento)Palestra Espírita - Ação da prece (transmissão do pensamento)
Palestra Espírita - Ação da prece (transmissão do pensamento)
Divulgador do Espiritismo
 
Conversando o Evangelho - Verdades e dádivas espirituais
Conversando o Evangelho - Verdades e dádivas espirituaisConversando o Evangelho - Verdades e dádivas espirituais
Conversando o Evangelho - Verdades e dádivas espirituais
Fatoze
 
D 07 Pluralidade dos Mundos Habitados
D 07  Pluralidade dos Mundos HabitadosD 07  Pluralidade dos Mundos Habitados
D 07 Pluralidade dos Mundos Habitados
JPS Junior
 
VIDA APÓS A MORTE
VIDA APÓS A MORTEVIDA APÓS A MORTE
VIDA APÓS A MORTE
Jorge Luiz dos Santos
 
Evangeliza - Doutrina Espírita - Introdução ao espiritismo
Evangeliza - Doutrina Espírita - Introdução ao espiritismoEvangeliza - Doutrina Espírita - Introdução ao espiritismo
Evangeliza - Doutrina Espírita - Introdução ao espiritismo
Antonino Silva
 
O espiritismo e a regeneração da humanidade
O espiritismo e a regeneração da humanidadeO espiritismo e a regeneração da humanidade
O espiritismo e a regeneração da humanidade
Graça Maciel
 
Reencarnação oportunidade divina
Reencarnação oportunidade divinaReencarnação oportunidade divina
Reencarnação oportunidade divina
marcionora
 
Reencarnação Oportunidade Divina
Reencarnação Oportunidade DivinaReencarnação Oportunidade Divina
Reencarnação Oportunidade Divina
Izabel Cristina Fonseca
 
Consolação e Codificação
Consolação e CodificaçãoConsolação e Codificação
Consolação e Codificação
Ricardo Azevedo
 
A Trindade Universal
A Trindade UniversalA Trindade Universal
A Trindade Universal
guestee6037
 
Tríplice Aspecto da Doutrina Espírita
Tríplice Aspecto da Doutrina EspíritaTríplice Aspecto da Doutrina Espírita
Tríplice Aspecto da Doutrina Espírita
Antonino Silva
 
Emmanuel e a codificação espírita
Emmanuel e a codificação espíritaEmmanuel e a codificação espírita
Emmanuel e a codificação espírita
Helio Cruz
 
Allan Kardec 150 Anos LIVRO DOS ESPÍRITOS
Allan Kardec 150 Anos LIVRO DOS ESPÍRITOSAllan Kardec 150 Anos LIVRO DOS ESPÍRITOS
Allan Kardec 150 Anos LIVRO DOS ESPÍRITOS
Fatima Carvalho
 
A caminho de um Mundo de Regeneração - Bases para uma palestra espirita
A caminho de um Mundo de Regeneração - Bases para uma palestra espiritaA caminho de um Mundo de Regeneração - Bases para uma palestra espirita
A caminho de um Mundo de Regeneração - Bases para uma palestra espirita
andreearacha1990
 
4.2.3 - Ressurreição da carne - Paraíso - Inferno - Pugatório.pptx
4.2.3 - Ressurreição da carne - Paraíso - Inferno - Pugatório.pptx4.2.3 - Ressurreição da carne - Paraíso - Inferno - Pugatório.pptx
4.2.3 - Ressurreição da carne - Paraíso - Inferno - Pugatório.pptx
Marta Gomes
 

Semelhante a 150 ANOS DE "O CÉU E O INFERNO" (20)

Palestra_especial_Finados_30.10.18.ppt
Palestra_especial_Finados_30.10.18.pptPalestra_especial_Finados_30.10.18.ppt
Palestra_especial_Finados_30.10.18.ppt
 
palestra ceu e inferno.pdf
palestra ceu e inferno.pdfpalestra ceu e inferno.pdf
palestra ceu e inferno.pdf
 
Allan kardec-150-anos-le-120528729896746-2
Allan kardec-150-anos-le-120528729896746-2Allan kardec-150-anos-le-120528729896746-2
Allan kardec-150-anos-le-120528729896746-2
 
Evolução em dois mundos
Evolução em dois mundosEvolução em dois mundos
Evolução em dois mundos
 
D 7 Pluralidade dos Mundos Habitados
D 7 Pluralidade dos Mundos HabitadosD 7 Pluralidade dos Mundos Habitados
D 7 Pluralidade dos Mundos Habitados
 
Palestra Espírita - Ação da prece (transmissão do pensamento)
Palestra Espírita - Ação da prece (transmissão do pensamento)Palestra Espírita - Ação da prece (transmissão do pensamento)
Palestra Espírita - Ação da prece (transmissão do pensamento)
 
Conversando o Evangelho - Verdades e dádivas espirituais
Conversando o Evangelho - Verdades e dádivas espirituaisConversando o Evangelho - Verdades e dádivas espirituais
Conversando o Evangelho - Verdades e dádivas espirituais
 
D 07 Pluralidade dos Mundos Habitados
D 07  Pluralidade dos Mundos HabitadosD 07  Pluralidade dos Mundos Habitados
D 07 Pluralidade dos Mundos Habitados
 
VIDA APÓS A MORTE
VIDA APÓS A MORTEVIDA APÓS A MORTE
VIDA APÓS A MORTE
 
Evangeliza - Doutrina Espírita - Introdução ao espiritismo
Evangeliza - Doutrina Espírita - Introdução ao espiritismoEvangeliza - Doutrina Espírita - Introdução ao espiritismo
Evangeliza - Doutrina Espírita - Introdução ao espiritismo
 
O espiritismo e a regeneração da humanidade
O espiritismo e a regeneração da humanidadeO espiritismo e a regeneração da humanidade
O espiritismo e a regeneração da humanidade
 
Reencarnação oportunidade divina
Reencarnação oportunidade divinaReencarnação oportunidade divina
Reencarnação oportunidade divina
 
Reencarnação Oportunidade Divina
Reencarnação Oportunidade DivinaReencarnação Oportunidade Divina
Reencarnação Oportunidade Divina
 
Consolação e Codificação
Consolação e CodificaçãoConsolação e Codificação
Consolação e Codificação
 
A Trindade Universal
A Trindade UniversalA Trindade Universal
A Trindade Universal
 
Tríplice Aspecto da Doutrina Espírita
Tríplice Aspecto da Doutrina EspíritaTríplice Aspecto da Doutrina Espírita
Tríplice Aspecto da Doutrina Espírita
 
Emmanuel e a codificação espírita
Emmanuel e a codificação espíritaEmmanuel e a codificação espírita
Emmanuel e a codificação espírita
 
Allan Kardec 150 Anos LIVRO DOS ESPÍRITOS
Allan Kardec 150 Anos LIVRO DOS ESPÍRITOSAllan Kardec 150 Anos LIVRO DOS ESPÍRITOS
Allan Kardec 150 Anos LIVRO DOS ESPÍRITOS
 
A caminho de um Mundo de Regeneração - Bases para uma palestra espirita
A caminho de um Mundo de Regeneração - Bases para uma palestra espiritaA caminho de um Mundo de Regeneração - Bases para uma palestra espirita
A caminho de um Mundo de Regeneração - Bases para uma palestra espirita
 
4.2.3 - Ressurreição da carne - Paraíso - Inferno - Pugatório.pptx
4.2.3 - Ressurreição da carne - Paraíso - Inferno - Pugatório.pptx4.2.3 - Ressurreição da carne - Paraíso - Inferno - Pugatório.pptx
4.2.3 - Ressurreição da carne - Paraíso - Inferno - Pugatório.pptx
 

Mais de Jorge Luiz dos Santos

O ESPIRITISMO E A NECESSIDADE DO TRABALHO
O ESPIRITISMO E A NECESSIDADE DO TRABALHOO ESPIRITISMO E A NECESSIDADE DO TRABALHO
O ESPIRITISMO E A NECESSIDADE DO TRABALHO
Jorge Luiz dos Santos
 
O ESPIRITISMO E AS DESIGUALDADES SOCIAIS
O ESPIRITISMO E AS DESIGUALDADES SOCIAISO ESPIRITISMO E AS DESIGUALDADES SOCIAIS
O ESPIRITISMO E AS DESIGUALDADES SOCIAIS
Jorge Luiz dos Santos
 
A VERDADE QUE LIBERTA
A VERDADE QUE LIBERTAA VERDADE QUE LIBERTA
A VERDADE QUE LIBERTA
Jorge Luiz dos Santos
 
A ALMA DA TERRA
A ALMA DA TERRAA ALMA DA TERRA
A ALMA DA TERRA
Jorge Luiz dos Santos
 
MILAGRES À LUZ DO ESPIRITISMO
MILAGRES À LUZ DO ESPIRITISMOMILAGRES À LUZ DO ESPIRITISMO
MILAGRES À LUZ DO ESPIRITISMO
Jorge Luiz dos Santos
 
O PENSAMENTO Uma abordagem espírita
O PENSAMENTO Uma abordagem espíritaO PENSAMENTO Uma abordagem espírita
O PENSAMENTO Uma abordagem espírita
Jorge Luiz dos Santos
 
OS MÉDIUNS
OS MÉDIUNSOS MÉDIUNS
AMAI OS VOSSOS INIMIGOS
AMAI OS VOSSOS INIMIGOSAMAI OS VOSSOS INIMIGOS
AMAI OS VOSSOS INIMIGOS
Jorge Luiz dos Santos
 
MANIFESTAÇÕES FÍSICAS ESPONTÂNEAS
MANIFESTAÇÕES FÍSICAS ESPONTÂNEASMANIFESTAÇÕES FÍSICAS ESPONTÂNEAS
MANIFESTAÇÕES FÍSICAS ESPONTÂNEAS
Jorge Luiz dos Santos
 
LIVRE -ARBÍTRIO E DETERMINISMO
LIVRE -ARBÍTRIO E DETERMINISMOLIVRE -ARBÍTRIO E DETERMINISMO
LIVRE -ARBÍTRIO E DETERMINISMO
Jorge Luiz dos Santos
 
QUAL O TAMANHO DE VOSSA FÉ?
QUAL O TAMANHO DE VOSSA FÉ?QUAL O TAMANHO DE VOSSA FÉ?
QUAL O TAMANHO DE VOSSA FÉ?
Jorge Luiz dos Santos
 
O CONSOLADOR PROMETIDO
O CONSOLADOR PROMETIDOO CONSOLADOR PROMETIDO
O CONSOLADOR PROMETIDO
Jorge Luiz dos Santos
 
QUEM SÃO OS MÉDIUNS?
QUEM SÃO OS MÉDIUNS?QUEM SÃO OS MÉDIUNS?
QUEM SÃO OS MÉDIUNS?
Jorge Luiz dos Santos
 
PERISPÍRITO - MODELO ORGANIZADOR BIOLÓGICO (MOB)
PERISPÍRITO - MODELO ORGANIZADOR BIOLÓGICO (MOB)PERISPÍRITO - MODELO ORGANIZADOR BIOLÓGICO (MOB)
PERISPÍRITO - MODELO ORGANIZADOR BIOLÓGICO (MOB)
Jorge Luiz dos Santos
 
REENCARNAÇÃO - ASPECTOS CIENTÍFICOS, FILOSÓFICOS E MORAIS
REENCARNAÇÃO - ASPECTOS CIENTÍFICOS, FILOSÓFICOS E MORAISREENCARNAÇÃO - ASPECTOS CIENTÍFICOS, FILOSÓFICOS E MORAIS
REENCARNAÇÃO - ASPECTOS CIENTÍFICOS, FILOSÓFICOS E MORAIS
Jorge Luiz dos Santos
 
O DUELO
O DUELOO DUELO
COMODISMO, O GRANDE OBSTÁCULO
COMODISMO, O GRANDE OBSTÁCULOCOMODISMO, O GRANDE OBSTÁCULO
COMODISMO, O GRANDE OBSTÁCULO
Jorge Luiz dos Santos
 
A VIDA CONTRA O ABORTO
A VIDA CONTRA O ABORTOA VIDA CONTRA O ABORTO
A VIDA CONTRA O ABORTO
Jorge Luiz dos Santos
 
UM DESAFIO CHAMADO FAMIÍLIA
UM DESAFIO CHAMADO FAMIÍLIAUM DESAFIO CHAMADO FAMIÍLIA
UM DESAFIO CHAMADO FAMIÍLIA
Jorge Luiz dos Santos
 
Allan kardec, o homem, a missão
Allan kardec, o homem, a missãoAllan kardec, o homem, a missão
Allan kardec, o homem, a missão
Jorge Luiz dos Santos
 

Mais de Jorge Luiz dos Santos (20)

O ESPIRITISMO E A NECESSIDADE DO TRABALHO
O ESPIRITISMO E A NECESSIDADE DO TRABALHOO ESPIRITISMO E A NECESSIDADE DO TRABALHO
O ESPIRITISMO E A NECESSIDADE DO TRABALHO
 
O ESPIRITISMO E AS DESIGUALDADES SOCIAIS
O ESPIRITISMO E AS DESIGUALDADES SOCIAISO ESPIRITISMO E AS DESIGUALDADES SOCIAIS
O ESPIRITISMO E AS DESIGUALDADES SOCIAIS
 
A VERDADE QUE LIBERTA
A VERDADE QUE LIBERTAA VERDADE QUE LIBERTA
A VERDADE QUE LIBERTA
 
A ALMA DA TERRA
A ALMA DA TERRAA ALMA DA TERRA
A ALMA DA TERRA
 
MILAGRES À LUZ DO ESPIRITISMO
MILAGRES À LUZ DO ESPIRITISMOMILAGRES À LUZ DO ESPIRITISMO
MILAGRES À LUZ DO ESPIRITISMO
 
O PENSAMENTO Uma abordagem espírita
O PENSAMENTO Uma abordagem espíritaO PENSAMENTO Uma abordagem espírita
O PENSAMENTO Uma abordagem espírita
 
OS MÉDIUNS
OS MÉDIUNSOS MÉDIUNS
OS MÉDIUNS
 
AMAI OS VOSSOS INIMIGOS
AMAI OS VOSSOS INIMIGOSAMAI OS VOSSOS INIMIGOS
AMAI OS VOSSOS INIMIGOS
 
MANIFESTAÇÕES FÍSICAS ESPONTÂNEAS
MANIFESTAÇÕES FÍSICAS ESPONTÂNEASMANIFESTAÇÕES FÍSICAS ESPONTÂNEAS
MANIFESTAÇÕES FÍSICAS ESPONTÂNEAS
 
LIVRE -ARBÍTRIO E DETERMINISMO
LIVRE -ARBÍTRIO E DETERMINISMOLIVRE -ARBÍTRIO E DETERMINISMO
LIVRE -ARBÍTRIO E DETERMINISMO
 
QUAL O TAMANHO DE VOSSA FÉ?
QUAL O TAMANHO DE VOSSA FÉ?QUAL O TAMANHO DE VOSSA FÉ?
QUAL O TAMANHO DE VOSSA FÉ?
 
O CONSOLADOR PROMETIDO
O CONSOLADOR PROMETIDOO CONSOLADOR PROMETIDO
O CONSOLADOR PROMETIDO
 
QUEM SÃO OS MÉDIUNS?
QUEM SÃO OS MÉDIUNS?QUEM SÃO OS MÉDIUNS?
QUEM SÃO OS MÉDIUNS?
 
PERISPÍRITO - MODELO ORGANIZADOR BIOLÓGICO (MOB)
PERISPÍRITO - MODELO ORGANIZADOR BIOLÓGICO (MOB)PERISPÍRITO - MODELO ORGANIZADOR BIOLÓGICO (MOB)
PERISPÍRITO - MODELO ORGANIZADOR BIOLÓGICO (MOB)
 
REENCARNAÇÃO - ASPECTOS CIENTÍFICOS, FILOSÓFICOS E MORAIS
REENCARNAÇÃO - ASPECTOS CIENTÍFICOS, FILOSÓFICOS E MORAISREENCARNAÇÃO - ASPECTOS CIENTÍFICOS, FILOSÓFICOS E MORAIS
REENCARNAÇÃO - ASPECTOS CIENTÍFICOS, FILOSÓFICOS E MORAIS
 
O DUELO
O DUELOO DUELO
O DUELO
 
COMODISMO, O GRANDE OBSTÁCULO
COMODISMO, O GRANDE OBSTÁCULOCOMODISMO, O GRANDE OBSTÁCULO
COMODISMO, O GRANDE OBSTÁCULO
 
A VIDA CONTRA O ABORTO
A VIDA CONTRA O ABORTOA VIDA CONTRA O ABORTO
A VIDA CONTRA O ABORTO
 
UM DESAFIO CHAMADO FAMIÍLIA
UM DESAFIO CHAMADO FAMIÍLIAUM DESAFIO CHAMADO FAMIÍLIA
UM DESAFIO CHAMADO FAMIÍLIA
 
Allan kardec, o homem, a missão
Allan kardec, o homem, a missãoAllan kardec, o homem, a missão
Allan kardec, o homem, a missão
 

Último

edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf radedgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
carla983678
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
Marta Gomes
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
nadeclarice
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Ricardo Azevedo
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
SanturioTacararu
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
AntonioMugiba
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
Nilson Almeida
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
AlexandreCarvalho858758
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
DavidBertelli3
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 

Último (14)

edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf radedgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 

150 ANOS DE "O CÉU E O INFERNO"

  • 1. 150 anos de “O Céu e o Inferno” ou a Justiça Divina segundo o Espiritismo
  • 2. No prelo, para aparecer em 1º de agosto: O Céu e o Inferno, ou A Justiça Divina segundo o Espiritismo, por Allan Kardec. 1 grosso vol. In-12. Preço: 3 fr. 50c.; pelo correio: 4 fr. (Allan Kardec) Revista Espírita, julho de 1865
  • 3. objetivo “(...) Ali reunimos todos os elementos próprios para esclarecer o homem sobre o seu destino. Como nos nossos outros escritos sobre a Doutrina Espírita, aí nada introduzimos que seja produto de um sistema preconcebido, ou de uma concepção pessoal, que não teria nenhuma autoridade; tudo aí é deduzido da observação e da concordância dos fatos.” (Allan Kardec) Revista Espírita, setembro de 1865
  • 4. “Estava dado o golpe de misericórdia nos dogmas fundamentais da teologia do cristianismo formalista, tipo inegável de sincretismo religioso com que o Cristianismo verdadeiro, essencial e não formal, conseguira penetrar na massa impura do mundo e levedá-la à custa de enormes sacrifícios.” (J. Herculano Pires) “O Céu e o Inferno”, Allan Kardec – Notícia Sobre o Livro, LAKE
  • 5. conteúdo “Lendo-se este livro com atenção, vê-se que a sua estrutura corresponde a um verdadeiro processo de julgamento. Na primeira parte temos a exposição dos fatos que o motivaram e a apreciação judiciosa, sempre serena, dos seus vários aspectos, com a devida acentuação dos casos de infração da lei; na segunda parte o depoimento das testemunhas.” (J. Herculano Pires) “O Céu e o Inferno”, Allan Kardec – Notícia Sobre o Livro, LAKE
  • 6. I – o porvir e o nada “ – Nós vivemos, nós pensamos, nós agimos – eis o que é positivo. E nós morremos – o que não é menos certo. Mas ao deixar a Terra para onde vamos? No que nos transformamos? Estaremos melhor ou pior? Seremos ainda nós mesmos ou não mais o seremos? Ser ou não ser – essa é a alternativa. Ser para todo o sempre ou nunca mais ser. Tudo ou nada.” “O Céu e o Inferno”, Allan Kardec
  • 7. II – a preocupação com a morte “A preocupação com a morte está ligada à insuficiência de noções sobre a vida futura. Por isso, quanto mais ela se liga à necessidade de viver, mais aumenta o temor da destruição do corpo como o fim de tudo. Ela é assim provocada pelo secreto desejo de sobrevivência da alma, ainda velada pela incerteza.” “O Céu e o Inferno”, Allan Kardec
  • 8. “Para os espíritas a alma não é mais uma abstração. Ela possui um corpo etéreo que a torna um ser definido, que podemos conceber pelo pensamento. Isso é o suficiente para nos esclarecer quanto à sua indicação, suas aptidões e suas percepções.(...) A dúvida sobre o futuro já não tendo mais lugar, a preocupação com a morte deixa de ter razão. Esperamo-la tranquilamente, como uma libertação, como a porta da vida e não como a do nada.” “O Céu e o Inferno”, Allan Kardec
  • 9. III – o céu “A felicidade dos Espíritos, sendo inerentes às suas qualidades, eles gozam por toda parte, onde quer que se encontrem, na face da Terra, entre os encarnados ou no espaço.” “O Céu e o Inferno”, Allan Kardec
  • 10. IV – o inferno “Jesus nunca pronunciou contra quem quer que fosse a condenação irremissível.” “O Céu e o Inferno”, Allan Kardec
  • 11. “Os cristãos exageraram em muitos pontos o inferno dos pagãos.” “O Céu e o Inferno”, Allan Kardec
  • 12. “O Céu e o Inferno”, Allan Kardec
  • 13. V – o purgatório “O purgatório não é, portanto, uma ideia vaga incerta: é uma realidade material que vemos, tocamos e sofremos. Ele se encontra nos mundos de expiação e a Terra é um deles.” “O Céu e o Inferno”, Allan Kardec
  • 14. “É pois nas encarnações sucessivas que a alma se liberta pouco a pouco das suas imperfeições, que ela se purga, numa palavra, até que se torne bastante pura para merecer libertar-se dos mundos de expiação e ir para os mundos mais felizes, deixando esses mais tarde para gozar da felicidade suprema.” “O Céu e o Inferno”, Allan Kardec
  • 15. V I – doutrina das penas eternas “Quanto mais próximos do estado primitivo, mais materializados são os homens. O senso moral é o que se desenvolve mais tardiamente. Por isso mesmo só podem fazer uma ideia muito imperfeita de Deus e de seus atributos, e igualmente vaga da vida futura.” “O Céu e o Inferno”, Allan Kardec
  • 16. “Se Jesus ameaçou os culpados com o fogo eterno, também os ameaçou de serem lançados na Geena. Mas o que era a Geena? Um lugar nas cercanias de Jerusalém, o depósito de lixo da cidade.” “O Céu e o Inferno”, Allan Kardec
  • 17. V II – as penas futuras segundo o espiritismo “Desculpar-se dos seus defeitos com a fraqueza da carne é, pois, lançar mão de um sofisma para escapar à responsabilidade. A carne é fraca quando o Espírito é fraco, o que inverte a questão e deixa o Espírito a responsabilidade de todos os seus atos.” “O Céu e o Inferno”, Allan Kardec
  • 18. “A justiça de Deus sendo infinita, todo o mal e todo o bem são rigorosamente levados em conta. Se não há uma única ação má, um só pensamento que não tenha consequências fatais, também não há uma única ação boa, um só movimento da alma, numa palavra mais ligeiro mérito que fique perdido. E isso, mesmo entre os mais perversos, porque representam um começo de progresso.” “O Céu e o Inferno”, (Código Penal da Vida Futura) Allan Kardec
  • 19. “Os anjos são, pois, as almas dos homens que atingiram o grau de perfeição acessível à criatura e gozam da felicidade prometida. Antes de haver atingido o grau supremo, gozam de uma felicidade relativa ao seu adiantamento, mas essa felicidade não é a do prazer ocioso.” “O Céu e o Inferno”, Allan Kardec V III – os anjos
  • 20. “Não houve pois necessidade da criação de seres privilegiados, isentos de encargos. Todos, antigos ou novos, conquistaram a sua elevação através da luta e pelos próprios méritos. Todos, enfim, são filhos de suas próprias obras. Assim se cumpre igualmente a soberana justiça de Deus.” “O Céu e o Inferno”, Allan Kardec
  • 21. IX – os demônios “Segundo o Espiritismo, nem os anjos nem os demônios são seres à parte: a criação dos seres inteligentes é uma. Ligados a corpos materiais, esses seres constituem a humanidade que povoa a Terra e os outros planetas habitados; sem esses corpos, constitui o mundo espiritual ou dos Espíritos, que povoam os espaços.” “O Céu e o Inferno”, Allan Kardec
  • 22. X – intervenção dos demônios nas manifestações modernas “Quando chega o tempo de uma descoberta, os Espíritos encarregados de produzirem o seu aparecimento procuram o homem capaz de a realizar, inspirando-lhe as ideias necessárias, mas deixando- lhe todo o mérito da sua efetivação. Essas ideias, ele as têm de elaborar para pô-las em prática. Assim acontece com todas as grandes realizações da inteligência humana.” “O Céu e o Inferno”, Allan Kardec
  • 23. X I– da proibição de evocar os mortos “Moisés, portanto, tinha razão de proibir estas práticas, dizendo que Deus as considerava abomináveis. Aliás, essas práticas supersticiosas sobreviveram até a Idade Média, mas hoje a razão as afugentou e o Espiritismo veio demonstrar que as relações além-túmulo têm um sentido exclusivamente moral, consolador e portanto religioso.” “O Céu e o Inferno”, Allan Kardec
  • 24. 2ª parte - exemplos A transição Espíritos felizes Espíritos em condições medianas Espíritos sofredores
  • 26. “A importância deste livro é maior do que realmente se pensa. No tocante à Teologia, (...) O Céu e o Inferno antecipou de mais de um século as transformações que ora se operam no seio das várias igrejas. Se os teólogos, que pretendem ser homens mais do que os homens, como Descartes os classificou, pudessem ter a humildade suficiente para consulta-lo, encontrariam nestas páginas a solução dos seus mais angustiantes problemas.” (J. Herculano Pires) “O Céu e o Inferno”, Allan Kardec – Notícia Sobre o Livro, LAKE