SlideShare uma empresa Scribd logo
PROJETO:
CONHECER, SENTIR, VIVER
       KARDEC
                SÉRIE:
            CONHENCENDO
               KARDEC
Simpatia e antipatia
Simpatias e antipatias terrenas – LE. q.
386 à 391
Relações de simpatia e antipatia entre
espíritos. Metades eternas – LE. q. 291
a 303a
Simpatia e antipatia
 386. Dois seres que se conhecem
                           e se amam podem se encontrar
                           em outra existência corporal e se
                           reconhecer?


– Reconhecer-se, não; mas

             Allan Kardec – O livro dos Espíritos q. 386
 Frequentemente, as ligações íntimas fundadas numa
 afeição sincera não têm outra causa.




               Allan Kardec – O livro dos Espíritos q. 386
 Dois seres aproximam-se um do outro por consequências
 casuais em aparência, mas que são de fato a atração de
 dois Espíritos que se procuram na multidão.
               Allan Kardec – O livro dos Espíritos q. 386
Simpatia e antipatia
 388Os encontros que ocorrem, algumas
 vezes, e que se atribuem ao acaso não serão
 o efeito de uma certa relação de simpatia?
– Há entre os seres pensantes laços que
                     ainda não conheceis.



– O                 é que dirige
essa ciência, que compreendereis
melhor mais tarde.
             Allan Kardec – O livro dos Espíritos q. 388
 389. De onde vem a repulsa
                   instintiva que se tem por certas
                   pessoas, à primeira vista?


Allan Kardec – O livro dos Espíritos q. 389
 LE.390. A antipatia instintiva é sempre
 um sinal de natureza má?


 – A antipatia pode se originar da

 Mas, à medida que se elevam, as divergências se
 apagam e a antipatia desaparece.
LE. 391. A antipatia entre
                     duas pessoas se manifesta
                        primeiro naquela cujo
                    Espírito é pior ou melhor?
– Tanto em um quanto no outro, mas as causas e os
efeitos são diferentes.
– Um Espírito mau tem antipatia contra qualquer
pessoa que possa julgá-lo e desmascará-lo.
– Ao ver uma pessoa pela primeira vez, sabe que vai ser
desaprovado; seu afastamento dessa pessoa se
transforma em ódio, em ciúme, e lhe inspira o desejo de
fazer o mal.

– O Espírito bom sente repulsa pelo mau porque sabe
que não será compreendido e não partilharão dos
mesmos sentimentos, mas, seguro de sua
superioridade, não tem contra o outro ódio ou
ciúme, contenta-se em evitá-lo e lastimá-lo.
             Allan Kardec – O livro dos Espíritos q. 391
ESE - Amai os vossos inimigos – cap. XII, item 3.
Simpatia e antipatia
 291 Além da simpatia geral de afinidade, os
 Espíritos têm entre si afeições particulares?
            Allan Kardec – O livro dos Espíritos q. 291
R – Sim, como entre os homens. Mas o laço que une os
Espíritos é                                                     , por
não estarem mais expostos às alterações e volubilidades
das paixões.               Allan Kardec – O livro dos Espíritos q. 291
– Somente há ódio entre os                   , e são eles
que provocam entre vós as inimizades e as desavenças.
             Allan Kardec – O livro dos Espíritos q. 292
293.Dois seres que foram inimigos na Terra conservarão
ressentimentos um contra o outro no mundo dos Espíritos?

– Não. Eles compreenderão que seu ódio era uma tolice e o
motivo, pueril.

– Apenas os Espíritos imperfeitos conservam um certo rancor até
que estejam depurados.

Se não há antipatia entre eles, o motivo de discussão não mais
existindo, podem se rever com prazer.
               Allan Kardec – O livro dos Espíritos q. 293
☼NOTA DE KARDEC:
    Como dois escolares que
  atingiram a idade da razão
reconhecem a infantilidade das
brigas que tiveram na infância
   e deixam de se malquerer.
294. A recordação das más ações que dois homens
praticaram um contra o outro é um obstáculo à
simpatia?

                                 – Sim, isso os leva a se
                                     distanciarem.


         Allan Kardec – O livro dos Espíritos q. 294
 295. Após a morte, aqueles a quem fizemos mal,
 nos perdoam se forem bons, se maus ficam
 ressentidos e nos perseguem.
           Allan Kardec – O livro dos Espíritos q. 295
 296. As afeições individuais dos Espíritos são
 passíveis de alteração?
           Allan Kardec – O livro dos Espíritos q. 296
R. Não, porque não podem se enganar. Eles não têm mais
a máscara sob a qual se escondem os hipócritas; eis por que
as suas afeições são inalteráveis quando são puros.
              Allan Kardec – O livro dos Espíritos q. 296
 297 . As afeições da Terra continuam no mundo dos
 espíritos, sendo mais sólidas do que eram, por não terem
 interesses. Allan Kardec – O livro dos Espíritos q. 297
 298.Não existe a predestinação de duas almas na
 sua origem, e que fatalmente se unirão.
           Allan Kardec – O livro dos Espíritos q. 298
299. Não é correta a palavra
“metade” para designar espíritos
simpáticos.


Allan Kardec – O livro dos Espíritos q. 299
300. Dois Espíritos perfeitamente
  simpáticos, uma vez reunidos, o
  serão pela eternidade, ou podem se
  separar e se unir a outros?

Allan Kardec – O livro dos Espíritos q. 300
– Todos os Espíritos são unidos entre
 si. Falo daqueles que atingiram a
 perfeição. Nas esferas inferiores, quando
 um Espírito se eleva, já não tem mais a
 mesma simpatia por aqueles que deixou
 para trás.

Allan Kardec – O livro dos Espíritos q. 300
 301. A simpatia que atrai um
                                  espírito para outro resulta da
                                  perfeita concordância de seus
                                  pendores e instintos.

302 .A identidade necessária à existência da simpatia
perfeita é baseada na                              .

          Allan Kardec – O livro dos Espíritos q. 301 e 302
 303.Todos os espíritos que
 hoje não são simpáticos
 entre si, no futuro serão.


  303 a .Um espírito pode deixar de ser simpática a
   outro se um deles se aperfeiçoar.
           Allan Kardec – O livro dos Espíritos q. 303 e 303 a.
☼ NOTA DE ALLAN KARDEC: A
             teoria das metades eternas é apenas
             uma figura que representa a união de
             dois Espíritos simpáticos.
 É uma expressão usada até mesmo na linguagem
 comum e não deve ser tomada ao pé da letra. Os
 Espíritos que dela se serviram certamente não
 pertencem a uma ordem elevada.
 ☼ É preciso rejeitar essa idéia de dois Espíritos
 criados um para o outro, e que deverão, portanto,
 um dia, fatalmente, se reunir na eternidade, após
 estarem separados durante um espaço de tempo
 mais ou menos longo.
BIBLIOGRAFIA
 Allan Kardec - O Livro dos Espíritos
 Relações de simpatia e antipatia entre espíritos.
  Metades eternas – LE. q. 291 a 303ª
 Simpatias e antipatias terrenas – LE. q. 386 à 391
• Resumo de O Livro dos Espíritos (32ª. edição da
  FEB) - Responsável : Américo Luís Sucena de
  Almeida
Simpatia e antipatia

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Escolha das provas
Escolha das provasEscolha das provas
Escolha das provas
Ponte de Luz ASEC
 
Ansiedade na visão espirita
Ansiedade na visão espirita Ansiedade na visão espirita
Ansiedade na visão espirita
Lisete B.
 
Indulgencia
IndulgenciaIndulgencia
Ese cap 8 bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
Ese cap 8  bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)Ese cap 8  bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
Ese cap 8 bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
Fernando Pinto
 
JustiçA da Reencarnação
JustiçA  da  ReencarnaçãoJustiçA  da  Reencarnação
JustiçA da Reencarnação
Jose Maria Magalhaes
 
Reencarnação e os laços de familia
Reencarnação e os laços de familiaReencarnação e os laços de familia
Reencarnação e os laços de familia
KATIA MARIA FARAH V DA SILVA
 
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
Jorge Luiz dos Santos
 
A dor na nossa evolução
A dor na nossa evoluçãoA dor na nossa evolução
A dor na nossa evolução
Izabel Cristina Fonseca
 
Egoismo
EgoismoEgoismo
Egoismo
Lisete B.
 
Palestra reforma íntima
Palestra   reforma íntimaPalestra   reforma íntima
Palestra reforma íntima
KATIA MARIA FARAH V DA SILVA
 
LIMITES DA REENCARNAÇÃO
LIMITES DA REENCARNAÇÃOLIMITES DA REENCARNAÇÃO
LIMITES DA REENCARNAÇÃO
Francisco de Assis Alencar
 
081119 le–livro iv-cap.2–expiação e arrependimento
081119 le–livro iv-cap.2–expiação e arrependimento081119 le–livro iv-cap.2–expiação e arrependimento
081119 le–livro iv-cap.2–expiação e arrependimento
Carlos Alberto Freire De Souza
 
Objetivo da encarnação
Objetivo da encarnaçãoObjetivo da encarnação
Objetivo da encarnação
Izabel Cristina Fonseca
 
Progressão dos Espíritos - 1ª Parte
Progressão dos Espíritos - 1ª ParteProgressão dos Espíritos - 1ª Parte
Progressão dos Espíritos - 1ª Parte
Denise Aguiar
 
Finalidades da reencarnação.pptx2
Finalidades da reencarnação.pptx2Finalidades da reencarnação.pptx2
Finalidades da reencarnação.pptx2
sndteixeira
 
Desencarnação
DesencarnaçãoDesencarnação
Desencarnação
Izabel Cristina Fonseca
 
Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Os Inimigos Desencarnados(Ese)Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Grupo Espírita Cristão
 
2.9.4 Anjos guardiaes, espiritos protetores, familiares ou simpaticos
2.9.4   Anjos guardiaes, espiritos protetores, familiares ou simpaticos2.9.4   Anjos guardiaes, espiritos protetores, familiares ou simpaticos
2.9.4 Anjos guardiaes, espiritos protetores, familiares ou simpaticos
Marta Gomes
 
Criação e evolução a luz do espiritismo!
Criação e evolução a luz do espiritismo!Criação e evolução a luz do espiritismo!
Criação e evolução a luz do espiritismo!
Leonardo Pereira
 
Obsessão e desobsessão
Obsessão e desobsessãoObsessão e desobsessão
Obsessão e desobsessão
KATIA MARIA FARAH V DA SILVA
 

Mais procurados (20)

Escolha das provas
Escolha das provasEscolha das provas
Escolha das provas
 
Ansiedade na visão espirita
Ansiedade na visão espirita Ansiedade na visão espirita
Ansiedade na visão espirita
 
Indulgencia
IndulgenciaIndulgencia
Indulgencia
 
Ese cap 8 bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
Ese cap 8  bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)Ese cap 8  bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
Ese cap 8 bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
 
JustiçA da Reencarnação
JustiçA  da  ReencarnaçãoJustiçA  da  Reencarnação
JustiçA da Reencarnação
 
Reencarnação e os laços de familia
Reencarnação e os laços de familiaReencarnação e os laços de familia
Reencarnação e os laços de familia
 
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
 
A dor na nossa evolução
A dor na nossa evoluçãoA dor na nossa evolução
A dor na nossa evolução
 
Egoismo
EgoismoEgoismo
Egoismo
 
Palestra reforma íntima
Palestra   reforma íntimaPalestra   reforma íntima
Palestra reforma íntima
 
LIMITES DA REENCARNAÇÃO
LIMITES DA REENCARNAÇÃOLIMITES DA REENCARNAÇÃO
LIMITES DA REENCARNAÇÃO
 
081119 le–livro iv-cap.2–expiação e arrependimento
081119 le–livro iv-cap.2–expiação e arrependimento081119 le–livro iv-cap.2–expiação e arrependimento
081119 le–livro iv-cap.2–expiação e arrependimento
 
Objetivo da encarnação
Objetivo da encarnaçãoObjetivo da encarnação
Objetivo da encarnação
 
Progressão dos Espíritos - 1ª Parte
Progressão dos Espíritos - 1ª ParteProgressão dos Espíritos - 1ª Parte
Progressão dos Espíritos - 1ª Parte
 
Finalidades da reencarnação.pptx2
Finalidades da reencarnação.pptx2Finalidades da reencarnação.pptx2
Finalidades da reencarnação.pptx2
 
Desencarnação
DesencarnaçãoDesencarnação
Desencarnação
 
Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Os Inimigos Desencarnados(Ese)Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Os Inimigos Desencarnados(Ese)
 
2.9.4 Anjos guardiaes, espiritos protetores, familiares ou simpaticos
2.9.4   Anjos guardiaes, espiritos protetores, familiares ou simpaticos2.9.4   Anjos guardiaes, espiritos protetores, familiares ou simpaticos
2.9.4 Anjos guardiaes, espiritos protetores, familiares ou simpaticos
 
Criação e evolução a luz do espiritismo!
Criação e evolução a luz do espiritismo!Criação e evolução a luz do espiritismo!
Criação e evolução a luz do espiritismo!
 
Obsessão e desobsessão
Obsessão e desobsessãoObsessão e desobsessão
Obsessão e desobsessão
 

Semelhante a Simpatia e antipatia

Afeições e simpatias
Afeições e simpatiasAfeições e simpatias
Afeições e simpatias
Graça Maciel
 
2.6.7 Relacoes simpaticas e antipaticas dos espiritos
2.6.7   Relacoes simpaticas e antipaticas dos espiritos2.6.7   Relacoes simpaticas e antipaticas dos espiritos
2.6.7 Relacoes simpaticas e antipaticas dos espiritos
Marta Gomes
 
Laços familia pps
Laços familia ppsLaços familia pps
Laços familia pps
Luciane Belchior
 
090916 as relações de além túmulo-metades eternas-recordações – livro ii, cap 6
090916 as relações de além túmulo-metades eternas-recordações – livro ii, cap 6090916 as relações de além túmulo-metades eternas-recordações – livro ii, cap 6
090916 as relações de além túmulo-metades eternas-recordações – livro ii, cap 6
Carlos Alberto Freire De Souza
 
Obsessão e suas consequências
Obsessão e suas consequênciasObsessão e suas consequências
Obsessão e suas consequências
Graça Maciel
 
Palestra Antipatia e simpatia terrena//Reconciliar adversários
Palestra  Antipatia e simpatia terrena//Reconciliar adversáriosPalestra  Antipatia e simpatia terrena//Reconciliar adversários
Palestra Antipatia e simpatia terrena//Reconciliar adversários
Oribes Teixeira
 
A vida no mundo espiritual
A vida no mundo espiritualA vida no mundo espiritual
A vida no mundo espiritual
Graça Maciel
 
2.7.7 Simpatias e antipatias terrestres
2.7.7   Simpatias e antipatias terrestres2.7.7   Simpatias e antipatias terrestres
2.7.7 Simpatias e antipatias terrestres
Marta Gomes
 
Livro dos espiritos capitulo 6
Livro dos espiritos capitulo 6Livro dos espiritos capitulo 6
Livro dos espiritos capitulo 6
hannahxa
 
Comemoração dos mortos
Comemoração dos mortosComemoração dos mortos
Comemoração dos mortos
Graça Maciel
 
Lesões afetivas
Lesões afetivas Lesões afetivas
Lesões afetivas
Rita Bernadete
 
Matrimônio e divórcio (centro espírita nosso lar)
Matrimônio e divórcio (centro espírita nosso lar)Matrimônio e divórcio (centro espírita nosso lar)
Matrimônio e divórcio (centro espírita nosso lar)
Webber Stelling
 
A caridade da lingua
A caridade da linguaA caridade da lingua
A caridade da lingua
Helio Cruz
 
Os inimigos desencarnados e sua ação contra os grupos espíritas
Os inimigos desencarnados e sua ação contra os grupos espíritasOs inimigos desencarnados e sua ação contra os grupos espíritas
Os inimigos desencarnados e sua ação contra os grupos espíritas
Graça Maciel
 
Casamento na ótica espirita
Casamento na ótica espiritaCasamento na ótica espirita
Casamento na ótica espirita
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Afastamento dos maus espíritos
Afastamento dos maus espíritosAfastamento dos maus espíritos
Afastamento dos maus espíritos
Graça Maciel
 
Livro dos Espiritos Q 298 e 299 ESE cap25 item 4 e 5
Livro dos Espiritos Q 298 e 299 ESE cap25 item 4 e 5Livro dos Espiritos Q 298 e 299 ESE cap25 item 4 e 5
Livro dos Espiritos Q 298 e 299 ESE cap25 item 4 e 5
Patricia Farias
 
A caridade da língua
A caridade da línguaA caridade da língua
A caridade da língua
Helio Cruz
 
Aula Vida Espirita
Aula Vida EspiritaAula Vida Espirita
Aula Vida Espirita
Ceile Bernardo
 
Simpatias e antipatias terrenas
Simpatias e antipatias terrenasSimpatias e antipatias terrenas
Simpatias e antipatias terrenas
Ana Cláudia Leal Felgueiras
 

Semelhante a Simpatia e antipatia (20)

Afeições e simpatias
Afeições e simpatiasAfeições e simpatias
Afeições e simpatias
 
2.6.7 Relacoes simpaticas e antipaticas dos espiritos
2.6.7   Relacoes simpaticas e antipaticas dos espiritos2.6.7   Relacoes simpaticas e antipaticas dos espiritos
2.6.7 Relacoes simpaticas e antipaticas dos espiritos
 
Laços familia pps
Laços familia ppsLaços familia pps
Laços familia pps
 
090916 as relações de além túmulo-metades eternas-recordações – livro ii, cap 6
090916 as relações de além túmulo-metades eternas-recordações – livro ii, cap 6090916 as relações de além túmulo-metades eternas-recordações – livro ii, cap 6
090916 as relações de além túmulo-metades eternas-recordações – livro ii, cap 6
 
Obsessão e suas consequências
Obsessão e suas consequênciasObsessão e suas consequências
Obsessão e suas consequências
 
Palestra Antipatia e simpatia terrena//Reconciliar adversários
Palestra  Antipatia e simpatia terrena//Reconciliar adversáriosPalestra  Antipatia e simpatia terrena//Reconciliar adversários
Palestra Antipatia e simpatia terrena//Reconciliar adversários
 
A vida no mundo espiritual
A vida no mundo espiritualA vida no mundo espiritual
A vida no mundo espiritual
 
2.7.7 Simpatias e antipatias terrestres
2.7.7   Simpatias e antipatias terrestres2.7.7   Simpatias e antipatias terrestres
2.7.7 Simpatias e antipatias terrestres
 
Livro dos espiritos capitulo 6
Livro dos espiritos capitulo 6Livro dos espiritos capitulo 6
Livro dos espiritos capitulo 6
 
Comemoração dos mortos
Comemoração dos mortosComemoração dos mortos
Comemoração dos mortos
 
Lesões afetivas
Lesões afetivas Lesões afetivas
Lesões afetivas
 
Matrimônio e divórcio (centro espírita nosso lar)
Matrimônio e divórcio (centro espírita nosso lar)Matrimônio e divórcio (centro espírita nosso lar)
Matrimônio e divórcio (centro espírita nosso lar)
 
A caridade da lingua
A caridade da linguaA caridade da lingua
A caridade da lingua
 
Os inimigos desencarnados e sua ação contra os grupos espíritas
Os inimigos desencarnados e sua ação contra os grupos espíritasOs inimigos desencarnados e sua ação contra os grupos espíritas
Os inimigos desencarnados e sua ação contra os grupos espíritas
 
Casamento na ótica espirita
Casamento na ótica espiritaCasamento na ótica espirita
Casamento na ótica espirita
 
Afastamento dos maus espíritos
Afastamento dos maus espíritosAfastamento dos maus espíritos
Afastamento dos maus espíritos
 
Livro dos Espiritos Q 298 e 299 ESE cap25 item 4 e 5
Livro dos Espiritos Q 298 e 299 ESE cap25 item 4 e 5Livro dos Espiritos Q 298 e 299 ESE cap25 item 4 e 5
Livro dos Espiritos Q 298 e 299 ESE cap25 item 4 e 5
 
A caridade da língua
A caridade da línguaA caridade da língua
A caridade da língua
 
Aula Vida Espirita
Aula Vida EspiritaAula Vida Espirita
Aula Vida Espirita
 
Simpatias e antipatias terrenas
Simpatias e antipatias terrenasSimpatias e antipatias terrenas
Simpatias e antipatias terrenas
 

Mais de Graça Maciel

Missao dos Espiritas
Missao dos EspiritasMissao dos Espiritas
Missao dos Espiritas
Graça Maciel
 
Regeneração da humanidade
Regeneração da humanidadeRegeneração da humanidade
Regeneração da humanidade
Graça Maciel
 
Regeneração da humanidade
Regeneração da humanidadeRegeneração da humanidade
Regeneração da humanidade
Graça Maciel
 
Obsessão por fascinação - parte 4
Obsessão por fascinação - parte 4Obsessão por fascinação - parte 4
Obsessão por fascinação - parte 4
Graça Maciel
 
Obsessão por fascinação - parte 3
Obsessão por fascinação - parte 3Obsessão por fascinação - parte 3
Obsessão por fascinação - parte 3
Graça Maciel
 
Obsessão por fascinação - parte 2
Obsessão por fascinação - parte 2Obsessão por fascinação - parte 2
Obsessão por fascinação - parte 2
Graça Maciel
 
Obsessão por fascinação - parte 1
Obsessão por fascinação - parte 1Obsessão por fascinação - parte 1
Obsessão por fascinação - parte 1
Graça Maciel
 
Missão dos espíritas
Missão dos espíritasMissão dos espíritas
Missão dos espíritas
Graça Maciel
 
Não vim destruir a lei
Não vim destruir a leiNão vim destruir a lei
Não vim destruir a lei
Graça Maciel
 
Pecado por pensamento
Pecado por pensamentoPecado por pensamento
Pecado por pensamento
Graça Maciel
 
Amai os vossos inimigos
Amai  os  vossos  inimigosAmai  os  vossos  inimigos
Amai os vossos inimigos
Graça Maciel
 
Ação da prece
Ação da preceAção da prece
Ação da prece
Graça Maciel
 
Pressentimentos
PressentimentosPressentimentos
Pressentimentos
Graça Maciel
 
Adoração
AdoraçãoAdoração
Adoração
Graça Maciel
 
Ajuda-te a ti mesmo que o céu te ajudará
Ajuda-te a ti mesmo que o céu te ajudaráAjuda-te a ti mesmo que o céu te ajudará
Ajuda-te a ti mesmo que o céu te ajudará
Graça Maciel
 
Pensamento benévolo
Pensamento benévoloPensamento benévolo
Pensamento benévolo
Graça Maciel
 
Missão dos Pais
Missão dos PaisMissão dos Pais
Missão dos Pais
Graça Maciel
 
Obsessão nos grupos espíritas
Obsessão nos grupos espíritasObsessão nos grupos espíritas
Obsessão nos grupos espíritas
Graça Maciel
 
Consolador prometido
Consolador prometidoConsolador prometido
Consolador prometido
Graça Maciel
 
O mau pensamento como se reconhece
O mau pensamento como se reconheceO mau pensamento como se reconhece
O mau pensamento como se reconhece
Graça Maciel
 

Mais de Graça Maciel (20)

Missao dos Espiritas
Missao dos EspiritasMissao dos Espiritas
Missao dos Espiritas
 
Regeneração da humanidade
Regeneração da humanidadeRegeneração da humanidade
Regeneração da humanidade
 
Regeneração da humanidade
Regeneração da humanidadeRegeneração da humanidade
Regeneração da humanidade
 
Obsessão por fascinação - parte 4
Obsessão por fascinação - parte 4Obsessão por fascinação - parte 4
Obsessão por fascinação - parte 4
 
Obsessão por fascinação - parte 3
Obsessão por fascinação - parte 3Obsessão por fascinação - parte 3
Obsessão por fascinação - parte 3
 
Obsessão por fascinação - parte 2
Obsessão por fascinação - parte 2Obsessão por fascinação - parte 2
Obsessão por fascinação - parte 2
 
Obsessão por fascinação - parte 1
Obsessão por fascinação - parte 1Obsessão por fascinação - parte 1
Obsessão por fascinação - parte 1
 
Missão dos espíritas
Missão dos espíritasMissão dos espíritas
Missão dos espíritas
 
Não vim destruir a lei
Não vim destruir a leiNão vim destruir a lei
Não vim destruir a lei
 
Pecado por pensamento
Pecado por pensamentoPecado por pensamento
Pecado por pensamento
 
Amai os vossos inimigos
Amai  os  vossos  inimigosAmai  os  vossos  inimigos
Amai os vossos inimigos
 
Ação da prece
Ação da preceAção da prece
Ação da prece
 
Pressentimentos
PressentimentosPressentimentos
Pressentimentos
 
Adoração
AdoraçãoAdoração
Adoração
 
Ajuda-te a ti mesmo que o céu te ajudará
Ajuda-te a ti mesmo que o céu te ajudaráAjuda-te a ti mesmo que o céu te ajudará
Ajuda-te a ti mesmo que o céu te ajudará
 
Pensamento benévolo
Pensamento benévoloPensamento benévolo
Pensamento benévolo
 
Missão dos Pais
Missão dos PaisMissão dos Pais
Missão dos Pais
 
Obsessão nos grupos espíritas
Obsessão nos grupos espíritasObsessão nos grupos espíritas
Obsessão nos grupos espíritas
 
Consolador prometido
Consolador prometidoConsolador prometido
Consolador prometido
 
O mau pensamento como se reconhece
O mau pensamento como se reconheceO mau pensamento como se reconhece
O mau pensamento como se reconhece
 

Último

16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
PIB Penha
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
marcusviniciussabino1
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
PIB Penha
 
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptxPalestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
NEDIONOSSOMUNDO
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
PIB Penha
 
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdfmetafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
GuilhermeCerqueira17
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
CleideTeles3
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
PIB Penha
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
PIB Penha
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Ricardo Azevedo
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
Nilson Almeida
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
PIB Penha
 
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdfDiscipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
LEILANEGOUVEIA1
 

Último (14)

16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
 
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptxPalestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
 
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdfmetafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
 
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdfDiscipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
 

Simpatia e antipatia

  • 1. PROJETO: CONHECER, SENTIR, VIVER KARDEC SÉRIE: CONHENCENDO KARDEC
  • 3. Simpatias e antipatias terrenas – LE. q. 386 à 391 Relações de simpatia e antipatia entre espíritos. Metades eternas – LE. q. 291 a 303a
  • 5.  386. Dois seres que se conhecem e se amam podem se encontrar em outra existência corporal e se reconhecer? – Reconhecer-se, não; mas Allan Kardec – O livro dos Espíritos q. 386
  • 6.  Frequentemente, as ligações íntimas fundadas numa afeição sincera não têm outra causa. Allan Kardec – O livro dos Espíritos q. 386
  • 7.  Dois seres aproximam-se um do outro por consequências casuais em aparência, mas que são de fato a atração de dois Espíritos que se procuram na multidão. Allan Kardec – O livro dos Espíritos q. 386
  • 9.  388Os encontros que ocorrem, algumas vezes, e que se atribuem ao acaso não serão o efeito de uma certa relação de simpatia?
  • 10. – Há entre os seres pensantes laços que ainda não conheceis. – O é que dirige essa ciência, que compreendereis melhor mais tarde. Allan Kardec – O livro dos Espíritos q. 388
  • 11.  389. De onde vem a repulsa instintiva que se tem por certas pessoas, à primeira vista? Allan Kardec – O livro dos Espíritos q. 389
  • 12.  LE.390. A antipatia instintiva é sempre um sinal de natureza má? – A antipatia pode se originar da Mas, à medida que se elevam, as divergências se apagam e a antipatia desaparece.
  • 13. LE. 391. A antipatia entre duas pessoas se manifesta primeiro naquela cujo Espírito é pior ou melhor? – Tanto em um quanto no outro, mas as causas e os efeitos são diferentes. – Um Espírito mau tem antipatia contra qualquer pessoa que possa julgá-lo e desmascará-lo.
  • 14. – Ao ver uma pessoa pela primeira vez, sabe que vai ser desaprovado; seu afastamento dessa pessoa se transforma em ódio, em ciúme, e lhe inspira o desejo de fazer o mal. – O Espírito bom sente repulsa pelo mau porque sabe que não será compreendido e não partilharão dos mesmos sentimentos, mas, seguro de sua superioridade, não tem contra o outro ódio ou ciúme, contenta-se em evitá-lo e lastimá-lo. Allan Kardec – O livro dos Espíritos q. 391
  • 15. ESE - Amai os vossos inimigos – cap. XII, item 3.
  • 17.  291 Além da simpatia geral de afinidade, os Espíritos têm entre si afeições particulares? Allan Kardec – O livro dos Espíritos q. 291
  • 18. R – Sim, como entre os homens. Mas o laço que une os Espíritos é , por não estarem mais expostos às alterações e volubilidades das paixões. Allan Kardec – O livro dos Espíritos q. 291
  • 19. – Somente há ódio entre os , e são eles que provocam entre vós as inimizades e as desavenças. Allan Kardec – O livro dos Espíritos q. 292
  • 20. 293.Dois seres que foram inimigos na Terra conservarão ressentimentos um contra o outro no mundo dos Espíritos? – Não. Eles compreenderão que seu ódio era uma tolice e o motivo, pueril. – Apenas os Espíritos imperfeitos conservam um certo rancor até que estejam depurados. Se não há antipatia entre eles, o motivo de discussão não mais existindo, podem se rever com prazer. Allan Kardec – O livro dos Espíritos q. 293
  • 21. ☼NOTA DE KARDEC: Como dois escolares que atingiram a idade da razão reconhecem a infantilidade das brigas que tiveram na infância e deixam de se malquerer.
  • 22. 294. A recordação das más ações que dois homens praticaram um contra o outro é um obstáculo à simpatia? – Sim, isso os leva a se distanciarem. Allan Kardec – O livro dos Espíritos q. 294
  • 23.  295. Após a morte, aqueles a quem fizemos mal, nos perdoam se forem bons, se maus ficam ressentidos e nos perseguem. Allan Kardec – O livro dos Espíritos q. 295
  • 24.  296. As afeições individuais dos Espíritos são passíveis de alteração? Allan Kardec – O livro dos Espíritos q. 296
  • 25. R. Não, porque não podem se enganar. Eles não têm mais a máscara sob a qual se escondem os hipócritas; eis por que as suas afeições são inalteráveis quando são puros. Allan Kardec – O livro dos Espíritos q. 296
  • 26.  297 . As afeições da Terra continuam no mundo dos espíritos, sendo mais sólidas do que eram, por não terem interesses. Allan Kardec – O livro dos Espíritos q. 297
  • 27.  298.Não existe a predestinação de duas almas na sua origem, e que fatalmente se unirão. Allan Kardec – O livro dos Espíritos q. 298
  • 28. 299. Não é correta a palavra “metade” para designar espíritos simpáticos. Allan Kardec – O livro dos Espíritos q. 299
  • 29. 300. Dois Espíritos perfeitamente simpáticos, uma vez reunidos, o serão pela eternidade, ou podem se separar e se unir a outros? Allan Kardec – O livro dos Espíritos q. 300
  • 30. – Todos os Espíritos são unidos entre si. Falo daqueles que atingiram a perfeição. Nas esferas inferiores, quando um Espírito se eleva, já não tem mais a mesma simpatia por aqueles que deixou para trás. Allan Kardec – O livro dos Espíritos q. 300
  • 31.  301. A simpatia que atrai um espírito para outro resulta da perfeita concordância de seus pendores e instintos. 302 .A identidade necessária à existência da simpatia perfeita é baseada na . Allan Kardec – O livro dos Espíritos q. 301 e 302
  • 32.  303.Todos os espíritos que hoje não são simpáticos entre si, no futuro serão.  303 a .Um espírito pode deixar de ser simpática a outro se um deles se aperfeiçoar. Allan Kardec – O livro dos Espíritos q. 303 e 303 a.
  • 33. ☼ NOTA DE ALLAN KARDEC: A teoria das metades eternas é apenas uma figura que representa a união de dois Espíritos simpáticos.  É uma expressão usada até mesmo na linguagem comum e não deve ser tomada ao pé da letra. Os Espíritos que dela se serviram certamente não pertencem a uma ordem elevada.
  • 34.  ☼ É preciso rejeitar essa idéia de dois Espíritos criados um para o outro, e que deverão, portanto, um dia, fatalmente, se reunir na eternidade, após estarem separados durante um espaço de tempo mais ou menos longo.
  • 35. BIBLIOGRAFIA  Allan Kardec - O Livro dos Espíritos  Relações de simpatia e antipatia entre espíritos. Metades eternas – LE. q. 291 a 303ª  Simpatias e antipatias terrenas – LE. q. 386 à 391 • Resumo de O Livro dos Espíritos (32ª. edição da FEB) - Responsável : Américo Luís Sucena de Almeida