SlideShare uma empresa Scribd logo
Da encarnação
dos espíritos
“O Livro dos Espíritos”
questões 132 a 148
Conceitos iniciais:
Encarnação (do latim in
carnare, "fazer-se carne") é
um conceito religioso presente
em diversas religiões.
Reencarnação pode ser
definida como a ação de
encarnar-se sucessivas vezes.
O que estamos fazendo aqui?
Qual o objetivo da existência
humana?
Já que reencarnaremos
diversas vezes, até quando
teremos de passar por esse
processo?
132 - Qual o objetivo da
encarnação dos Espíritos?
“Deus lhes impõe a
encarnação com o fim
de fazê-los chegar à perfeição.
Para uns, é expiação; para
outros, missão.”
“Mas, para alcançarem essa
perfeição, têm que sofrer
todas as vicissitudes da
existência corporal: nisso é
que está a expiação.”
Para entender essa parte da
resposta...
Expiação é o resgate imposto
pela Justiça Divina a espíritos
recalcitrantes.
Prova é o resgate escolhido
por espíritos conscientes de
seus débitos e necessidades.
Missão é uma tarefa a que o
Espírito se propõe a fazer (Q
572), tanto na erraticidade
quanto encarnado.
Tem por objeto o bem,
auxiliando no progresso da
Humanidade, dos povos ou
dos indivíduos (Q 569).
Como identificar o espírito em
expiação?
Como identificar o espírito em
provação?
Alguns exemplos...
Como identificar o espírito em
expiação?
Como identificar o espírito em
expiação?
Geralmente é quem não aceita
seus sofrimentos, as situações
difíceis que enfrenta, rebela-se
e reclama do peso de sua
cruz.
Como identificar o espírito em
provação?
Como identificar o espírito em
provação?
Indivíduo que enfrenta as
atribulações da existência de
forma equilibrada, aceitando-
as sem murmúrios e
imprecações.
É sempre assim? Nada é
definitivo no comportamento
humano, já que temos o livre
arbítrio!
Um espírito em provação, que
fez louváveis planos para a
vida presente, pode refugar o
que planejou.
Um espírito em expiação
pode experimentar um
despertamento da consciência,
dispondo-se a enfrentar suas
dores com dignidade, buscando o
melhor.
Nem toda prova é expiação,
mas em toda expiação há uma
prova, porque diante do
sofrimento expiatório, o
homem ver-se-á convidado a
desenvolver (lutar) pelos
valores da resignação.
(Kardec, ESE Cap V, item 9)
A humanidade é composta por
uma maioria de espíritos
imaturos, sem o necessário
discernimento para planejar
experiências.
Rebeldia, inconformação,
revolta, desespero, são pesos
adicionais que tornam a
jornada bem mais sofrida.
Ainda na questão132 - Qual o
objetivo da encarnação dos
Espíritos?
“... Visa ainda outro fim a
encarnação: o de pôr o Espírito
em condições de suportar a
parte que lhe toca na obra da
criação. ”
“Para executá-la é que, em
cada mundo, toma o Espírito
um instrumento, de harmonia
com a matéria essencial desse
mundo, a fim de aí cumprir,
daquele ponto de vista, as
ordens de Deus. É assim que,
concorrendo para a obra geral,
ele próprio se adianta.”
O progresso material de um
globo segue o progresso
moral de seus habitantes.
Todos são úteis ao conjunto
ao mesmo tempo que são
úteis a si mesmo.
133 - Têm necessidade de
encarnação os Espíritos que,
desde o princípio, seguiram o
caminho do bem?
“Todos são criados simples e
ignorantes e se instruem
nas lutas e tribulações da vida
corporal. “
“Deus, que é justo, não podia
fazer felizes a uns, sem fadigas
e trabalhos, conseguintemente
sem mérito.”
133a - Mas, então, de que
serve aos Espíritos terem
seguido o caminho do bem, se
isso não os isenta dos
sofrimentos da vida corporal?
“Chegam mais depressa ao fim.
Demais, as aflições da vida são
muitas vezes a consequência da
imperfeição do Espírito.“
“Quanto menos imperfeições,
tanto menos tormentos. Aquele
que não é invejoso, nem
ciumento, nem avaro, nem
ambicioso, não sofrerá as
torturas que se originam.”
À medida que o Espírito
progride moralmente, ele se
desmaterializa, isto é, se
subtrai à influência da matéria,
se purifica; sua vida se
espiritualiza, suas faculdades e
sua percepção se ampliam;
sua felicidade está na razão do
progresso realizado.
Para que a encarnação tenha
sucesso, é necessário que o
espírito:
- Viva sua vida com alegria,
sem procurar ou encontrar
motivos para a tristeza e
infelicidade.
- Não importa o que aconteça,
o espírito deve positivar o ato
aplicando nele a felicidade de
participar do Mundo de Deus.
- Não ofenda seus
companheiros de jornada
carnal. Tenha compaixão,
abstendo-se de julgar e
condenar seus irmãos por atos
que praticam.
- Nunca se sinta superior ou
inferior a ninguém quer em
posses materiais, sentimentais
ou intelectuais.
- Não importa o que o outro
faça ou possua, o espírito deve
ver a igualdade que existe
entre todos: somos filhos do
mesmo Deus.
- Perceba que O Pai Nos Ama
tanto que cada trata cada filho
seu como se fosse o único.
Kardec cita, em resposta a
questão concernente à definição
de expiação e prova na “Revista
Espírita” de Setembro de 1863:
“As misérias deste mundo são,
pois, expiações pelo seu lado
efetivo e material, e provas
pelas suas consequências
morais.“
“Qualquer que seja o nome que
se lhes dê, o resultado deve ser o
mesmo: a melhoria. Em presença
de um objetivo tão importante,
seria pueril fazer uma questão de
princípio de uma questão de
palavra; isso provaria que se liga
mais importância às palavras do
que à coisa.“
Finalizando com Emmanuel:
“Cada encarnação é como se
fosse um atalho nas estradas da
ascensão. Por esse motivo, o ser
humano deve amar a sua
existência de lutas e de
amarguras temporárias,
porquanto ela significa uma
benção divina, quase um perdão
de Deus.”
Muita paz em Jesus!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 2 - Deus – lili
Aula 2 - Deus – liliAula 2 - Deus – lili
Aula 2 - Deus – lili
Roseli Lemes
 
Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.
Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.
Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.
Denise Aguiar
 
Retorno à vida corporal 1,5h
Retorno à vida corporal 1,5hRetorno à vida corporal 1,5h
Retorno à vida corporal 1,5h
home
 
Provas da existência deus
Provas da existência deusProvas da existência deus
Provas da existência deus
Denise Aguiar
 
ESDE - Roteiro complementar. Módulo I, roteiro 5: sorte das crianças depois d...
ESDE - Roteiro complementar. Módulo I, roteiro 5: sorte das crianças depois d...ESDE - Roteiro complementar. Módulo I, roteiro 5: sorte das crianças depois d...
ESDE - Roteiro complementar. Módulo I, roteiro 5: sorte das crianças depois d...
Núcleo de Promoção Humana Vinha de Luz
 
Finalidade Da EncarnaçãO
Finalidade Da EncarnaçãOFinalidade Da EncarnaçãO
Finalidade Da EncarnaçãO
Grupo Espírita Cristão
 
Viagem Espírita em 1862
Viagem Espírita em 1862Viagem Espírita em 1862
Viagem Espírita em 1862
igmateus
 
JustiçA da Reencarnação
JustiçA  da  ReencarnaçãoJustiçA  da  Reencarnação
JustiçA da Reencarnação
Jose Maria Magalhaes
 
Capitulo III Retorno da vida corporea a vida espiritual
Capitulo III Retorno da vida corporea a vida espiritualCapitulo III Retorno da vida corporea a vida espiritual
Capitulo III Retorno da vida corporea a vida espiritual
Marta Gomes
 
Esquecimento do passado
Esquecimento do passadoEsquecimento do passado
Esquecimento do passado
Ponte de Luz ASEC
 
Roteiro 4 os reinos da natureza
Roteiro 4   os reinos da naturezaRoteiro 4   os reinos da natureza
Roteiro 4 os reinos da natureza
Bruno Cechinel Filho
 
Gestação e Espiritismo
Gestação e EspiritismoGestação e Espiritismo
Gestação e Espiritismo
Ponte de Luz ASEC
 
Trabalhador espírita
Trabalhador espíritaTrabalhador espírita
Trabalhador espírita
Norberto Tomasini Jr
 
Sonambulismo, êxtase e dupla vista - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
Sonambulismo, êxtase e dupla vista - Livro dos Espíritos - Allan KardecSonambulismo, êxtase e dupla vista - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
Sonambulismo, êxtase e dupla vista - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
marjoriestavismeyer
 
Apresentação do Esde
Apresentação do Esde Apresentação do Esde
Apresentação do Esde
Edna Costa
 
Das ocupações e missões dos espíritos!
Das ocupações e missões dos espíritos!Das ocupações e missões dos espíritos!
Das ocupações e missões dos espíritos!
Leonardo Pereira
 
Evolução segundo espiritismo
Evolução segundo espiritismoEvolução segundo espiritismo
Evolução segundo espiritismo
Ailton Guimaraes
 
Evangeliza - Mediunidade com Jesus
Evangeliza - Mediunidade com JesusEvangeliza - Mediunidade com Jesus
Evangeliza - Mediunidade com Jesus
Antonino Silva
 
Finalidades da reencarnação.pptx2
Finalidades da reencarnação.pptx2Finalidades da reencarnação.pptx2
Finalidades da reencarnação.pptx2
sndteixeira
 
Primeiro Módulo - Aula 9 - Encarnação dos espiritos
Primeiro Módulo - Aula 9 - Encarnação dos espiritosPrimeiro Módulo - Aula 9 - Encarnação dos espiritos
Primeiro Módulo - Aula 9 - Encarnação dos espiritos
CeiClarencio
 

Mais procurados (20)

Aula 2 - Deus – lili
Aula 2 - Deus – liliAula 2 - Deus – lili
Aula 2 - Deus – lili
 
Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.
Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.
Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.
 
Retorno à vida corporal 1,5h
Retorno à vida corporal 1,5hRetorno à vida corporal 1,5h
Retorno à vida corporal 1,5h
 
Provas da existência deus
Provas da existência deusProvas da existência deus
Provas da existência deus
 
ESDE - Roteiro complementar. Módulo I, roteiro 5: sorte das crianças depois d...
ESDE - Roteiro complementar. Módulo I, roteiro 5: sorte das crianças depois d...ESDE - Roteiro complementar. Módulo I, roteiro 5: sorte das crianças depois d...
ESDE - Roteiro complementar. Módulo I, roteiro 5: sorte das crianças depois d...
 
Finalidade Da EncarnaçãO
Finalidade Da EncarnaçãOFinalidade Da EncarnaçãO
Finalidade Da EncarnaçãO
 
Viagem Espírita em 1862
Viagem Espírita em 1862Viagem Espírita em 1862
Viagem Espírita em 1862
 
JustiçA da Reencarnação
JustiçA  da  ReencarnaçãoJustiçA  da  Reencarnação
JustiçA da Reencarnação
 
Capitulo III Retorno da vida corporea a vida espiritual
Capitulo III Retorno da vida corporea a vida espiritualCapitulo III Retorno da vida corporea a vida espiritual
Capitulo III Retorno da vida corporea a vida espiritual
 
Esquecimento do passado
Esquecimento do passadoEsquecimento do passado
Esquecimento do passado
 
Roteiro 4 os reinos da natureza
Roteiro 4   os reinos da naturezaRoteiro 4   os reinos da natureza
Roteiro 4 os reinos da natureza
 
Gestação e Espiritismo
Gestação e EspiritismoGestação e Espiritismo
Gestação e Espiritismo
 
Trabalhador espírita
Trabalhador espíritaTrabalhador espírita
Trabalhador espírita
 
Sonambulismo, êxtase e dupla vista - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
Sonambulismo, êxtase e dupla vista - Livro dos Espíritos - Allan KardecSonambulismo, êxtase e dupla vista - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
Sonambulismo, êxtase e dupla vista - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
 
Apresentação do Esde
Apresentação do Esde Apresentação do Esde
Apresentação do Esde
 
Das ocupações e missões dos espíritos!
Das ocupações e missões dos espíritos!Das ocupações e missões dos espíritos!
Das ocupações e missões dos espíritos!
 
Evolução segundo espiritismo
Evolução segundo espiritismoEvolução segundo espiritismo
Evolução segundo espiritismo
 
Evangeliza - Mediunidade com Jesus
Evangeliza - Mediunidade com JesusEvangeliza - Mediunidade com Jesus
Evangeliza - Mediunidade com Jesus
 
Finalidades da reencarnação.pptx2
Finalidades da reencarnação.pptx2Finalidades da reencarnação.pptx2
Finalidades da reencarnação.pptx2
 
Primeiro Módulo - Aula 9 - Encarnação dos espiritos
Primeiro Módulo - Aula 9 - Encarnação dos espiritosPrimeiro Módulo - Aula 9 - Encarnação dos espiritos
Primeiro Módulo - Aula 9 - Encarnação dos espiritos
 

Destaque

Primeiro Módulo - Aulas 10 e 11 - Retorno da vida corporal e pluralidade das ...
Primeiro Módulo - Aulas 10 e 11 - Retorno da vida corporal e pluralidade das ...Primeiro Módulo - Aulas 10 e 11 - Retorno da vida corporal e pluralidade das ...
Primeiro Módulo - Aulas 10 e 11 - Retorno da vida corporal e pluralidade das ...
CeiClarencio
 
Necessidade da reencarnação - Wilma Badan
Necessidade da reencarnação - Wilma BadanNecessidade da reencarnação - Wilma Badan
Necessidade da reencarnação - Wilma Badan
Wilma Badan C.G.
 
090826 da encarnação dos espíritos – livro ii, cap 2
090826 da encarnação dos espíritos – livro ii, cap 2090826 da encarnação dos espíritos – livro ii, cap 2
090826 da encarnação dos espíritos – livro ii, cap 2
Carlos Alberto Freire De Souza
 
Justiça e necessidade da reencarnação - n.23
Justiça e necessidade da reencarnação - n.23Justiça e necessidade da reencarnação - n.23
Justiça e necessidade da reencarnação - n.23
Graça Maciel
 
Primeiro Módulo - Aula 12 - Pluralidade das existencias
Primeiro Módulo - Aula 12 - Pluralidade das existenciasPrimeiro Módulo - Aula 12 - Pluralidade das existencias
Primeiro Módulo - Aula 12 - Pluralidade das existencias
CeiClarencio
 
Aula 06 - Introdução do Livro dos Espíritos
Aula 06 - Introdução do Livro dos EspíritosAula 06 - Introdução do Livro dos Espíritos
Aula 06 - Introdução do Livro dos Espíritos
contatodoutrina2013
 
O Livro dos Espíritos
O Livro dos EspíritosO Livro dos Espíritos
O Livro dos Espíritos
Instituto Espírita de Educação
 
Corpo, alma e espírito!
Corpo, alma e espírito!Corpo, alma e espírito!
Corpo, alma e espírito!
Leonardo Pereira
 
Resumo dos Pontos Principais Doutrina Espírita
Resumo dos Pontos Principais Doutrina EspíritaResumo dos Pontos Principais Doutrina Espírita
Resumo dos Pontos Principais Doutrina Espírita
Graça Maciel
 
Lei da vida
Lei da vidaLei da vida
Lei da vida
estudandooLE
 
Objetivo da encarnação e união da alma e do corpo - n.21
Objetivo da encarnação e união da alma e do corpo - n.21Objetivo da encarnação e união da alma e do corpo - n.21
Objetivo da encarnação e união da alma e do corpo - n.21Graça Maciel
 
Da encarnação dos Espíritos
Da encarnação dos EspíritosDa encarnação dos Espíritos
Da encarnação dos Espíritos
home
 
O Livro dos Espíritos perg. 128 a 131 Anjos e Demônios.
O Livro dos Espíritos perg. 128 a 131 Anjos e Demônios.O Livro dos Espíritos perg. 128 a 131 Anjos e Demônios.
O Livro dos Espíritos perg. 128 a 131 Anjos e Demônios.
Ana Cláudia Leal Felgueiras
 
Materialismo: O Maior de Todos os Males
Materialismo: O Maior de Todos os MalesMaterialismo: O Maior de Todos os Males
Materialismo: O Maior de Todos os Males
Ricardo Azevedo
 
Aula materialismo, espiritualismo e espiritismo
Aula materialismo, espiritualismo e espiritismoAula materialismo, espiritualismo e espiritismo
Aula materialismo, espiritualismo e espiritismo
Mocidade Bezzerra de Menezes
 
Anjos e demonios
Anjos e demoniosAnjos e demonios
Anjos e demonios
Marcos Antônio Alves
 
Palestra 5 o livro dos espíritos
Palestra 5 o livro dos espíritosPalestra 5 o livro dos espíritos
Palestra 5 o livro dos espíritos
Jose Ferreira Almeida
 
Corpo, Alma E Espírito
Corpo, Alma E EspíritoCorpo, Alma E Espírito
Corpo, Alma E Espírito
Catedral de Adoração
 
Cuidar do corpo e do espírito
Cuidar do corpo e do espíritoCuidar do corpo e do espírito
Cuidar do corpo e do espírito
Izabel Cristina Fonseca
 
7 aula reencarnação
7   aula reencarnação7   aula reencarnação
7 aula reencarnação
Sergio Lima Dias Junior
 

Destaque (20)

Primeiro Módulo - Aulas 10 e 11 - Retorno da vida corporal e pluralidade das ...
Primeiro Módulo - Aulas 10 e 11 - Retorno da vida corporal e pluralidade das ...Primeiro Módulo - Aulas 10 e 11 - Retorno da vida corporal e pluralidade das ...
Primeiro Módulo - Aulas 10 e 11 - Retorno da vida corporal e pluralidade das ...
 
Necessidade da reencarnação - Wilma Badan
Necessidade da reencarnação - Wilma BadanNecessidade da reencarnação - Wilma Badan
Necessidade da reencarnação - Wilma Badan
 
090826 da encarnação dos espíritos – livro ii, cap 2
090826 da encarnação dos espíritos – livro ii, cap 2090826 da encarnação dos espíritos – livro ii, cap 2
090826 da encarnação dos espíritos – livro ii, cap 2
 
Justiça e necessidade da reencarnação - n.23
Justiça e necessidade da reencarnação - n.23Justiça e necessidade da reencarnação - n.23
Justiça e necessidade da reencarnação - n.23
 
Primeiro Módulo - Aula 12 - Pluralidade das existencias
Primeiro Módulo - Aula 12 - Pluralidade das existenciasPrimeiro Módulo - Aula 12 - Pluralidade das existencias
Primeiro Módulo - Aula 12 - Pluralidade das existencias
 
Aula 06 - Introdução do Livro dos Espíritos
Aula 06 - Introdução do Livro dos EspíritosAula 06 - Introdução do Livro dos Espíritos
Aula 06 - Introdução do Livro dos Espíritos
 
O Livro dos Espíritos
O Livro dos EspíritosO Livro dos Espíritos
O Livro dos Espíritos
 
Corpo, alma e espírito!
Corpo, alma e espírito!Corpo, alma e espírito!
Corpo, alma e espírito!
 
Resumo dos Pontos Principais Doutrina Espírita
Resumo dos Pontos Principais Doutrina EspíritaResumo dos Pontos Principais Doutrina Espírita
Resumo dos Pontos Principais Doutrina Espírita
 
Lei da vida
Lei da vidaLei da vida
Lei da vida
 
Objetivo da encarnação e união da alma e do corpo - n.21
Objetivo da encarnação e união da alma e do corpo - n.21Objetivo da encarnação e união da alma e do corpo - n.21
Objetivo da encarnação e união da alma e do corpo - n.21
 
Da encarnação dos Espíritos
Da encarnação dos EspíritosDa encarnação dos Espíritos
Da encarnação dos Espíritos
 
O Livro dos Espíritos perg. 128 a 131 Anjos e Demônios.
O Livro dos Espíritos perg. 128 a 131 Anjos e Demônios.O Livro dos Espíritos perg. 128 a 131 Anjos e Demônios.
O Livro dos Espíritos perg. 128 a 131 Anjos e Demônios.
 
Materialismo: O Maior de Todos os Males
Materialismo: O Maior de Todos os MalesMaterialismo: O Maior de Todos os Males
Materialismo: O Maior de Todos os Males
 
Aula materialismo, espiritualismo e espiritismo
Aula materialismo, espiritualismo e espiritismoAula materialismo, espiritualismo e espiritismo
Aula materialismo, espiritualismo e espiritismo
 
Anjos e demonios
Anjos e demoniosAnjos e demonios
Anjos e demonios
 
Palestra 5 o livro dos espíritos
Palestra 5 o livro dos espíritosPalestra 5 o livro dos espíritos
Palestra 5 o livro dos espíritos
 
Corpo, Alma E Espírito
Corpo, Alma E EspíritoCorpo, Alma E Espírito
Corpo, Alma E Espírito
 
Cuidar do corpo e do espírito
Cuidar do corpo e do espíritoCuidar do corpo e do espírito
Cuidar do corpo e do espírito
 
7 aula reencarnação
7   aula reencarnação7   aula reencarnação
7 aula reencarnação
 

Semelhante a Da encarnação dos espíritos

ESDE Modulo VI Roteiro 1 Reencarnação
ESDE Modulo VI Roteiro 1 ReencarnaçãoESDE Modulo VI Roteiro 1 Reencarnação
ESDE Modulo VI Roteiro 1 Reencarnação
Carlos Alberto
 
Finalidades da reencarnação.pptx2
Finalidades da reencarnação.pptx2Finalidades da reencarnação.pptx2
Finalidades da reencarnação.pptx2
sndteixeira
 
56º Encontro de Evangelização de Espíritos (Sacramento MG) - Julho 2017
56º Encontro de Evangelização de Espíritos (Sacramento MG) - Julho 201756º Encontro de Evangelização de Espíritos (Sacramento MG) - Julho 2017
56º Encontro de Evangelização de Espíritos (Sacramento MG) - Julho 2017
cak_sacramento
 
Capitulo II encarnacao dos espiritos
Capitulo II   encarnacao dos espiritosCapitulo II   encarnacao dos espiritos
Capitulo II encarnacao dos espiritos
Marta Gomes
 
Evangeliza - Terra - Planeta de Provas e Expiações
Evangeliza - Terra - Planeta de Provas e ExpiaçõesEvangeliza - Terra - Planeta de Provas e Expiações
Evangeliza - Terra - Planeta de Provas e Expiações
Antonino Silva
 
Fund1Mod06Rot1
Fund1Mod06Rot1Fund1Mod06Rot1
Fund1Mod06Rot1
Guto Ovsky
 
Livro dos Espíritos Q.558 e ESE Cap 6 - item11
Livro dos Espíritos Q.558 e ESE Cap 6 - item11Livro dos Espíritos Q.558 e ESE Cap 6 - item11
Livro dos Espíritos Q.558 e ESE Cap 6 - item11
Patricia Farias
 
A divina aventura do espírito na matéria
A divina aventura do espírito na matériaA divina aventura do espírito na matéria
A divina aventura do espírito na matéria
Fórum Espírita
 
Aula 12 curso básico aliança espírita evangélica
Aula 12 curso básico aliança espírita evangélicaAula 12 curso básico aliança espírita evangélica
Aula 12 curso básico aliança espírita evangélica
Denise Tofoli
 
05 ciclo basico
05 ciclo basico05 ciclo basico
05 ciclo basico
05 ciclo basico05 ciclo basico
Capitulo IV Pluralidade das existencias
Capitulo IV   Pluralidade das existenciasCapitulo IV   Pluralidade das existencias
Capitulo IV Pluralidade das existencias
Marta Gomes
 
curso básico de espiritismo 14
curso básico de espiritismo 14curso básico de espiritismo 14
curso básico de espiritismo 14
Roseli Lemes
 
Sentido da vida 17jul10
Sentido da vida   17jul10Sentido da vida   17jul10
Sentido da vida 17jul10
Fraternidade Hilaríon de Monte Nebo
 
11 de julho de 2014 Qual o objetivo da encarnação?
11 de julho de 2014   Qual o objetivo da encarnação?11 de julho de 2014   Qual o objetivo da encarnação?
11 de julho de 2014 Qual o objetivo da encarnação?
Lar Irmã Zarabatana
 
O progresso espiritual
O progresso espiritualO progresso espiritual
O progresso espiritual
Helio Cruz
 
11 de julho de 2014 qual o objetivo da encarnação
11 de julho de 2014   qual o objetivo da encarnação11 de julho de 2014   qual o objetivo da encarnação
11 de julho de 2014 qual o objetivo da encarnação
Lar Irmã Zarabatana
 
Diversidades emmanuel vinha de luz
Diversidades emmanuel vinha de luzDiversidades emmanuel vinha de luz
Diversidades emmanuel vinha de luz
Izabel Cristina Fonseca
 
FEB-ERV.Vt-Turma-7-Livro-I-Temas-3.4.4XVII-ao-XVIII.pdf
FEB-ERV.Vt-Turma-7-Livro-I-Temas-3.4.4XVII-ao-XVIII.pdfFEB-ERV.Vt-Turma-7-Livro-I-Temas-3.4.4XVII-ao-XVIII.pdf
FEB-ERV.Vt-Turma-7-Livro-I-Temas-3.4.4XVII-ao-XVIII.pdf
galerinhamineblox
 
Livro dos Espiritos 184 Evangelho13 10
Livro dos Espiritos 184 Evangelho13 10Livro dos Espiritos 184 Evangelho13 10
Livro dos Espiritos 184 Evangelho13 10
Patricia Farias
 

Semelhante a Da encarnação dos espíritos (20)

ESDE Modulo VI Roteiro 1 Reencarnação
ESDE Modulo VI Roteiro 1 ReencarnaçãoESDE Modulo VI Roteiro 1 Reencarnação
ESDE Modulo VI Roteiro 1 Reencarnação
 
Finalidades da reencarnação.pptx2
Finalidades da reencarnação.pptx2Finalidades da reencarnação.pptx2
Finalidades da reencarnação.pptx2
 
56º Encontro de Evangelização de Espíritos (Sacramento MG) - Julho 2017
56º Encontro de Evangelização de Espíritos (Sacramento MG) - Julho 201756º Encontro de Evangelização de Espíritos (Sacramento MG) - Julho 2017
56º Encontro de Evangelização de Espíritos (Sacramento MG) - Julho 2017
 
Capitulo II encarnacao dos espiritos
Capitulo II   encarnacao dos espiritosCapitulo II   encarnacao dos espiritos
Capitulo II encarnacao dos espiritos
 
Evangeliza - Terra - Planeta de Provas e Expiações
Evangeliza - Terra - Planeta de Provas e ExpiaçõesEvangeliza - Terra - Planeta de Provas e Expiações
Evangeliza - Terra - Planeta de Provas e Expiações
 
Fund1Mod06Rot1
Fund1Mod06Rot1Fund1Mod06Rot1
Fund1Mod06Rot1
 
Livro dos Espíritos Q.558 e ESE Cap 6 - item11
Livro dos Espíritos Q.558 e ESE Cap 6 - item11Livro dos Espíritos Q.558 e ESE Cap 6 - item11
Livro dos Espíritos Q.558 e ESE Cap 6 - item11
 
A divina aventura do espírito na matéria
A divina aventura do espírito na matériaA divina aventura do espírito na matéria
A divina aventura do espírito na matéria
 
Aula 12 curso básico aliança espírita evangélica
Aula 12 curso básico aliança espírita evangélicaAula 12 curso básico aliança espírita evangélica
Aula 12 curso básico aliança espírita evangélica
 
05 ciclo basico
05 ciclo basico05 ciclo basico
05 ciclo basico
 
05 ciclo basico
05 ciclo basico05 ciclo basico
05 ciclo basico
 
Capitulo IV Pluralidade das existencias
Capitulo IV   Pluralidade das existenciasCapitulo IV   Pluralidade das existencias
Capitulo IV Pluralidade das existencias
 
curso básico de espiritismo 14
curso básico de espiritismo 14curso básico de espiritismo 14
curso básico de espiritismo 14
 
Sentido da vida 17jul10
Sentido da vida   17jul10Sentido da vida   17jul10
Sentido da vida 17jul10
 
11 de julho de 2014 Qual o objetivo da encarnação?
11 de julho de 2014   Qual o objetivo da encarnação?11 de julho de 2014   Qual o objetivo da encarnação?
11 de julho de 2014 Qual o objetivo da encarnação?
 
O progresso espiritual
O progresso espiritualO progresso espiritual
O progresso espiritual
 
11 de julho de 2014 qual o objetivo da encarnação
11 de julho de 2014   qual o objetivo da encarnação11 de julho de 2014   qual o objetivo da encarnação
11 de julho de 2014 qual o objetivo da encarnação
 
Diversidades emmanuel vinha de luz
Diversidades emmanuel vinha de luzDiversidades emmanuel vinha de luz
Diversidades emmanuel vinha de luz
 
FEB-ERV.Vt-Turma-7-Livro-I-Temas-3.4.4XVII-ao-XVIII.pdf
FEB-ERV.Vt-Turma-7-Livro-I-Temas-3.4.4XVII-ao-XVIII.pdfFEB-ERV.Vt-Turma-7-Livro-I-Temas-3.4.4XVII-ao-XVIII.pdf
FEB-ERV.Vt-Turma-7-Livro-I-Temas-3.4.4XVII-ao-XVIII.pdf
 
Livro dos Espiritos 184 Evangelho13 10
Livro dos Espiritos 184 Evangelho13 10Livro dos Espiritos 184 Evangelho13 10
Livro dos Espiritos 184 Evangelho13 10
 

Mais de Marcos Antônio Alves

Esperança (Palestra Espirita)
Esperança (Palestra Espirita)Esperança (Palestra Espirita)
Esperança (Palestra Espirita)
Marcos Antônio Alves
 
A crise dos valores na sociedade atual (Palestra Espírita)
A crise dos valores na sociedade atual (Palestra Espírita)A crise dos valores na sociedade atual (Palestra Espírita)
A crise dos valores na sociedade atual (Palestra Espírita)
Marcos Antônio Alves
 
Ressurreição e Reencarnação (Palestra Espírita)
Ressurreição e Reencarnação (Palestra Espírita)Ressurreição e Reencarnação (Palestra Espírita)
Ressurreição e Reencarnação (Palestra Espírita)
Marcos Antônio Alves
 
Meu Reino não é deste mundo (Palestra Espírita)
Meu Reino não é deste mundo (Palestra Espírita)Meu Reino não é deste mundo (Palestra Espírita)
Meu Reino não é deste mundo (Palestra Espírita)
Marcos Antônio Alves
 
A Porta Estreita (Palestra Espírita)
A Porta Estreita (Palestra Espírita)A Porta Estreita (Palestra Espírita)
A Porta Estreita (Palestra Espírita)
Marcos Antônio Alves
 
Conhecimento do Futuro (Palestra Espírita)
Conhecimento do Futuro (Palestra Espírita)Conhecimento do Futuro (Palestra Espírita)
Conhecimento do Futuro (Palestra Espírita)
Marcos Antônio Alves
 
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Marcos Antônio Alves
 
Se alguem te ferir a face direita
Se alguem te ferir a face direitaSe alguem te ferir a face direita
Se alguem te ferir a face direita
Marcos Antônio Alves
 
Os sofrimentos voluntarios
Os sofrimentos voluntariosOs sofrimentos voluntarios
Os sofrimentos voluntarios
Marcos Antônio Alves
 
Causas anteriores das aflições
Causas anteriores das afliçõesCausas anteriores das aflições
Causas anteriores das aflições
Marcos Antônio Alves
 
A moral evangelica do espiritismo
A moral evangelica do espiritismoA moral evangelica do espiritismo
A moral evangelica do espiritismo
Marcos Antônio Alves
 
Indulgencia
IndulgenciaIndulgencia
Parábola do semeador
Parábola do semeadorParábola do semeador
Parábola do semeador
Marcos Antônio Alves
 
Relações de além tumulo
Relações de além tumuloRelações de além tumulo
Relações de além tumulo
Marcos Antônio Alves
 

Mais de Marcos Antônio Alves (14)

Esperança (Palestra Espirita)
Esperança (Palestra Espirita)Esperança (Palestra Espirita)
Esperança (Palestra Espirita)
 
A crise dos valores na sociedade atual (Palestra Espírita)
A crise dos valores na sociedade atual (Palestra Espírita)A crise dos valores na sociedade atual (Palestra Espírita)
A crise dos valores na sociedade atual (Palestra Espírita)
 
Ressurreição e Reencarnação (Palestra Espírita)
Ressurreição e Reencarnação (Palestra Espírita)Ressurreição e Reencarnação (Palestra Espírita)
Ressurreição e Reencarnação (Palestra Espírita)
 
Meu Reino não é deste mundo (Palestra Espírita)
Meu Reino não é deste mundo (Palestra Espírita)Meu Reino não é deste mundo (Palestra Espírita)
Meu Reino não é deste mundo (Palestra Espírita)
 
A Porta Estreita (Palestra Espírita)
A Porta Estreita (Palestra Espírita)A Porta Estreita (Palestra Espírita)
A Porta Estreita (Palestra Espírita)
 
Conhecimento do Futuro (Palestra Espírita)
Conhecimento do Futuro (Palestra Espírita)Conhecimento do Futuro (Palestra Espírita)
Conhecimento do Futuro (Palestra Espírita)
 
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
 
Se alguem te ferir a face direita
Se alguem te ferir a face direitaSe alguem te ferir a face direita
Se alguem te ferir a face direita
 
Os sofrimentos voluntarios
Os sofrimentos voluntariosOs sofrimentos voluntarios
Os sofrimentos voluntarios
 
Causas anteriores das aflições
Causas anteriores das afliçõesCausas anteriores das aflições
Causas anteriores das aflições
 
A moral evangelica do espiritismo
A moral evangelica do espiritismoA moral evangelica do espiritismo
A moral evangelica do espiritismo
 
Indulgencia
IndulgenciaIndulgencia
Indulgencia
 
Parábola do semeador
Parábola do semeadorParábola do semeador
Parábola do semeador
 
Relações de além tumulo
Relações de além tumuloRelações de além tumulo
Relações de além tumulo
 

Último

Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
ayronleonardo
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Celso Napoleon
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
ESCRIBA DE CRISTO
 
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
ESCRIBA DE CRISTO
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
ESCRIBA DE CRISTO
 
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
ESCRIBA DE CRISTO
 
CARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADAS
CARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADASCARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADAS
CARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADAS
ESCRIBA DE CRISTO
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Lourhana
 
Manual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docx
Manual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docx
Manual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docx
Janilson Noca
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
JonasRibeiro61
 
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
ESCRIBA DE CRISTO
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 
Escola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTAS
Escola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTASEscola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTAS
Escola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTAS
ceciliafonseca16
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Nilson Almeida
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Celso Napoleon
 
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 

Último (16)

Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
 
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
 
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
 
CARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADAS
CARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADASCARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADAS
CARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADAS
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
 
Manual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docx
Manual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docx
Manual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docx
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
 
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
 
Escola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTAS
Escola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTASEscola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTAS
Escola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTAS
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
 
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
 

Da encarnação dos espíritos

  • 1. Da encarnação dos espíritos “O Livro dos Espíritos” questões 132 a 148
  • 2. Conceitos iniciais: Encarnação (do latim in carnare, "fazer-se carne") é um conceito religioso presente em diversas religiões. Reencarnação pode ser definida como a ação de encarnar-se sucessivas vezes.
  • 3. O que estamos fazendo aqui? Qual o objetivo da existência humana? Já que reencarnaremos diversas vezes, até quando teremos de passar por esse processo?
  • 4. 132 - Qual o objetivo da encarnação dos Espíritos? “Deus lhes impõe a encarnação com o fim de fazê-los chegar à perfeição. Para uns, é expiação; para outros, missão.”
  • 5. “Mas, para alcançarem essa perfeição, têm que sofrer todas as vicissitudes da existência corporal: nisso é que está a expiação.”
  • 6. Para entender essa parte da resposta... Expiação é o resgate imposto pela Justiça Divina a espíritos recalcitrantes. Prova é o resgate escolhido por espíritos conscientes de seus débitos e necessidades.
  • 7. Missão é uma tarefa a que o Espírito se propõe a fazer (Q 572), tanto na erraticidade quanto encarnado. Tem por objeto o bem, auxiliando no progresso da Humanidade, dos povos ou dos indivíduos (Q 569).
  • 8. Como identificar o espírito em expiação? Como identificar o espírito em provação? Alguns exemplos...
  • 9. Como identificar o espírito em expiação?
  • 10. Como identificar o espírito em expiação? Geralmente é quem não aceita seus sofrimentos, as situações difíceis que enfrenta, rebela-se e reclama do peso de sua cruz.
  • 11. Como identificar o espírito em provação?
  • 12. Como identificar o espírito em provação? Indivíduo que enfrenta as atribulações da existência de forma equilibrada, aceitando- as sem murmúrios e imprecações.
  • 13. É sempre assim? Nada é definitivo no comportamento humano, já que temos o livre arbítrio!
  • 14. Um espírito em provação, que fez louváveis planos para a vida presente, pode refugar o que planejou.
  • 15. Um espírito em expiação pode experimentar um despertamento da consciência, dispondo-se a enfrentar suas dores com dignidade, buscando o melhor.
  • 16. Nem toda prova é expiação, mas em toda expiação há uma prova, porque diante do sofrimento expiatório, o homem ver-se-á convidado a desenvolver (lutar) pelos valores da resignação. (Kardec, ESE Cap V, item 9)
  • 17. A humanidade é composta por uma maioria de espíritos imaturos, sem o necessário discernimento para planejar experiências. Rebeldia, inconformação, revolta, desespero, são pesos adicionais que tornam a jornada bem mais sofrida.
  • 18. Ainda na questão132 - Qual o objetivo da encarnação dos Espíritos? “... Visa ainda outro fim a encarnação: o de pôr o Espírito em condições de suportar a parte que lhe toca na obra da criação. ”
  • 19. “Para executá-la é que, em cada mundo, toma o Espírito um instrumento, de harmonia com a matéria essencial desse mundo, a fim de aí cumprir, daquele ponto de vista, as ordens de Deus. É assim que, concorrendo para a obra geral, ele próprio se adianta.”
  • 20. O progresso material de um globo segue o progresso moral de seus habitantes. Todos são úteis ao conjunto ao mesmo tempo que são úteis a si mesmo.
  • 21. 133 - Têm necessidade de encarnação os Espíritos que, desde o princípio, seguiram o caminho do bem? “Todos são criados simples e ignorantes e se instruem nas lutas e tribulações da vida corporal. “
  • 22. “Deus, que é justo, não podia fazer felizes a uns, sem fadigas e trabalhos, conseguintemente sem mérito.”
  • 23. 133a - Mas, então, de que serve aos Espíritos terem seguido o caminho do bem, se isso não os isenta dos sofrimentos da vida corporal? “Chegam mais depressa ao fim. Demais, as aflições da vida são muitas vezes a consequência da imperfeição do Espírito.“
  • 24. “Quanto menos imperfeições, tanto menos tormentos. Aquele que não é invejoso, nem ciumento, nem avaro, nem ambicioso, não sofrerá as torturas que se originam.”
  • 25. À medida que o Espírito progride moralmente, ele se desmaterializa, isto é, se subtrai à influência da matéria, se purifica; sua vida se espiritualiza, suas faculdades e sua percepção se ampliam; sua felicidade está na razão do progresso realizado.
  • 26. Para que a encarnação tenha sucesso, é necessário que o espírito: - Viva sua vida com alegria, sem procurar ou encontrar motivos para a tristeza e infelicidade.
  • 27. - Não importa o que aconteça, o espírito deve positivar o ato aplicando nele a felicidade de participar do Mundo de Deus.
  • 28. - Não ofenda seus companheiros de jornada carnal. Tenha compaixão, abstendo-se de julgar e condenar seus irmãos por atos que praticam.
  • 29. - Nunca se sinta superior ou inferior a ninguém quer em posses materiais, sentimentais ou intelectuais.
  • 30. - Não importa o que o outro faça ou possua, o espírito deve ver a igualdade que existe entre todos: somos filhos do mesmo Deus.
  • 31. - Perceba que O Pai Nos Ama tanto que cada trata cada filho seu como se fosse o único.
  • 32. Kardec cita, em resposta a questão concernente à definição de expiação e prova na “Revista Espírita” de Setembro de 1863: “As misérias deste mundo são, pois, expiações pelo seu lado efetivo e material, e provas pelas suas consequências morais.“
  • 33. “Qualquer que seja o nome que se lhes dê, o resultado deve ser o mesmo: a melhoria. Em presença de um objetivo tão importante, seria pueril fazer uma questão de princípio de uma questão de palavra; isso provaria que se liga mais importância às palavras do que à coisa.“
  • 34. Finalizando com Emmanuel: “Cada encarnação é como se fosse um atalho nas estradas da ascensão. Por esse motivo, o ser humano deve amar a sua existência de lutas e de amarguras temporárias, porquanto ela significa uma benção divina, quase um perdão de Deus.”
  • 35. Muita paz em Jesus!