SlideShare uma empresa Scribd logo

IDESP - Intervenção - Observação Sala de Aula

PPT - Utilizado nem OT IDESP - DE Centro-Oeste

1 de 12
Baixar para ler offline
SECRETARIA DA EDUCAÇÃO
Coordenadoria de Gestão da Educação Básica
Orientação Técnica - IDESP
1
Rosangela Ap. de Almeida Valim
Dirigente de Ensino
4/4/2014
SECRETARIA DA EDUCAÇÃO
Coordenadoria de Gestão da Educação Básica
Exercitando o olhar
Observação da Sala de Aula
SECRETARIA DA EDUCAÇÃO
Coordenadoria de Gestão da Educação Básica
Das tarefas na escola com foco na formação
docente, você já pensou em quais são as mais
eficazes?
Quais são as ações na rotina escolar que
objetivam a reflexão da prática do professor?
Imagens
crescercomcristo.wordpress.com
SECRETARIA DA EDUCAÇÃO
Coordenadoria de Gestão da Educação Básica
Objetivos
• Eleger a observação de sala de aula como
estratégia para formação de professores.
• Adotar essa prática na rotina escolar,
planejando ações antes, durante e depois da
observação.
SECRETARIA DA EDUCAÇÃO
Coordenadoria de Gestão da Educação Básica
“Por sua própria especificidade, a observação em
sala de aula é a estratégia que mais dados nos
fornece para a intervenção junto aos professores
em processo de formação, pois nela não se
verifica o desenvolvimento do trabalho
exclusivamente no plano do discurso falado ou
escrito, mas essencialmente no plano das
interações, atitudes, valores, objetivos e
intervenções, tendo, por isso um papel
fundamental no processo de transformação da
prática.”
(SCARPA, 1998, p. 95)
SECRETARIA DA EDUCAÇÃO
Coordenadoria de Gestão da Educação Básica
Para que a observação da sala de aula ocorra de forma
eficaz, é necessário planejar. Somente com um bom
planejamento esta ação será uma boa estratégia para
auxiliar os professores na reflexão sobre sua prática. A
este procedimento chamaremos de Protocolo de
Observação.
Segundo Reis (2011), existem três momentos
da metodologia de observação: antes, durante e depois,
e é um processo colaborativo entre gestor e professor.
Protocolo de observação
Anúncio

Recomendados

Avaliação-de-Fluência-Leitora-_ESTADO.pdf
Avaliação-de-Fluência-Leitora-_ESTADO.pdfAvaliação-de-Fluência-Leitora-_ESTADO.pdf
Avaliação-de-Fluência-Leitora-_ESTADO.pdfArlisonMateusDeJesus
 
Roteiro para o conselho de classe
Roteiro para o conselho de classeRoteiro para o conselho de classe
Roteiro para o conselho de classeElisângela Chaves
 
Apresen tação o supervisor escolar em ação- adilaine- - cópia
Apresen tação o supervisor escolar em ação- adilaine- - cópiaApresen tação o supervisor escolar em ação- adilaine- - cópia
Apresen tação o supervisor escolar em ação- adilaine- - cópiaEunice Mendes de Oliveira
 
Slides planejamento escolar
Slides planejamento escolarSlides planejamento escolar
Slides planejamento escolarAnanda Lima
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Slide 1 formação de professores princípios e estratégias formativas
Slide 1   formação de professores princípios e estratégias formativasSlide 1   formação de professores princípios e estratégias formativas
Slide 1 formação de professores princípios e estratégias formativasShirley Lauria
 
Observação de sala de aula
Observação de sala de aulaObservação de sala de aula
Observação de sala de aulaClaudio Ribeiro
 
Formação sobre o papel do supervisor escolar
Formação sobre o papel do supervisor escolarFormação sobre o papel do supervisor escolar
Formação sobre o papel do supervisor escolarMaria Cecilia Silva
 
Plano de ação gestão 2016 2019
Plano de ação gestão 2016 2019Plano de ação gestão 2016 2019
Plano de ação gestão 2016 2019Lindomar Oliveira
 
Apresentação fluência revisado
Apresentação fluência revisadoApresentação fluência revisado
Apresentação fluência revisadoangelafreire
 
RELATÓRIO DA AULA EXECUTADA
RELATÓRIO DA AULA EXECUTADARELATÓRIO DA AULA EXECUTADA
RELATÓRIO DA AULA EXECUTADAJairo Felipe
 
Formação continuada de professores.
Formação continuada de professores.Formação continuada de professores.
Formação continuada de professores.Magda Marques
 
Instrumento de avaliação
Instrumento de avaliaçãoInstrumento de avaliação
Instrumento de avaliaçãoangelafreire
 
Ata da eleição de lider e vice lider de turma
Ata da eleição de lider e vice lider de turmaAta da eleição de lider e vice lider de turma
Ata da eleição de lider e vice lider de turmaMaria Araújo
 
Roteiro para o conselho de classe C.B.
Roteiro para o conselho de classe C.B. Roteiro para o conselho de classe C.B.
Roteiro para o conselho de classe C.B. Elisângela Chaves
 
Gestão de sala de aula
Gestão de sala de aula Gestão de sala de aula
Gestão de sala de aula mtolentino1507
 
Projeto reforço escolar
Projeto reforço escolarProjeto reforço escolar
Projeto reforço escolarCLEAN LOURENÇO
 
PPT encontro com Professores Coordenadores
PPT encontro com Professores CoordenadoresPPT encontro com Professores Coordenadores
PPT encontro com Professores CoordenadoresGiani de Cássia Santana
 
Descritores spaece - língua portuguesa
Descritores   spaece - língua portuguesaDescritores   spaece - língua portuguesa
Descritores spaece - língua portuguesaPacatubaLei
 
LIBRAS - Língua Brasileira de Sinais
LIBRAS - Língua Brasileira de SinaisLIBRAS - Língua Brasileira de Sinais
LIBRAS - Língua Brasileira de SinaisLene Reis
 
Gestão da sala de aula
Gestão da sala de aulaGestão da sala de aula
Gestão da sala de aulaRaquel Pereira
 

Mais procurados (20)

Observacao sala aula
Observacao sala aulaObservacao sala aula
Observacao sala aula
 
Slide 1 formação de professores princípios e estratégias formativas
Slide 1   formação de professores princípios e estratégias formativasSlide 1   formação de professores princípios e estratégias formativas
Slide 1 formação de professores princípios e estratégias formativas
 
Observação de sala de aula
Observação de sala de aulaObservação de sala de aula
Observação de sala de aula
 
Formação sobre o papel do supervisor escolar
Formação sobre o papel do supervisor escolarFormação sobre o papel do supervisor escolar
Formação sobre o papel do supervisor escolar
 
Plano de ação gestão 2016 2019
Plano de ação gestão 2016 2019Plano de ação gestão 2016 2019
Plano de ação gestão 2016 2019
 
Apresentação fluência revisado
Apresentação fluência revisadoApresentação fluência revisado
Apresentação fluência revisado
 
RELATÓRIO DA AULA EXECUTADA
RELATÓRIO DA AULA EXECUTADARELATÓRIO DA AULA EXECUTADA
RELATÓRIO DA AULA EXECUTADA
 
Formação continuada de professores.
Formação continuada de professores.Formação continuada de professores.
Formação continuada de professores.
 
Instrumento de avaliação
Instrumento de avaliaçãoInstrumento de avaliação
Instrumento de avaliação
 
Plano de ação para coordenação pedagógica
Plano de ação para coordenação pedagógicaPlano de ação para coordenação pedagógica
Plano de ação para coordenação pedagógica
 
Ata da eleição de lider e vice lider de turma
Ata da eleição de lider e vice lider de turmaAta da eleição de lider e vice lider de turma
Ata da eleição de lider e vice lider de turma
 
Gestão da Sala de Aula
Gestão da Sala de Aula Gestão da Sala de Aula
Gestão da Sala de Aula
 
Roteiro para o conselho de classe C.B.
Roteiro para o conselho de classe C.B. Roteiro para o conselho de classe C.B.
Roteiro para o conselho de classe C.B.
 
Gestão de sala de aula
Gestão de sala de aula Gestão de sala de aula
Gestão de sala de aula
 
Projeto reforço escolar
Projeto reforço escolarProjeto reforço escolar
Projeto reforço escolar
 
PPT encontro com Professores Coordenadores
PPT encontro com Professores CoordenadoresPPT encontro com Professores Coordenadores
PPT encontro com Professores Coordenadores
 
Descritores spaece - língua portuguesa
Descritores   spaece - língua portuguesaDescritores   spaece - língua portuguesa
Descritores spaece - língua portuguesa
 
A intervenção pedagógica
A intervenção pedagógicaA intervenção pedagógica
A intervenção pedagógica
 
LIBRAS - Língua Brasileira de Sinais
LIBRAS - Língua Brasileira de SinaisLIBRAS - Língua Brasileira de Sinais
LIBRAS - Língua Brasileira de Sinais
 
Gestão da sala de aula
Gestão da sala de aulaGestão da sala de aula
Gestão da sala de aula
 

Destaque

2.1 Comanda da ot idesp 2014
2.1 Comanda da ot idesp 20142.1 Comanda da ot idesp 2014
2.1 Comanda da ot idesp 2014sitedcoeste
 
Calculo do IDESP
Calculo do IDESPCalculo do IDESP
Calculo do IDESPsitedcoeste
 
P pts analise do saresp
P pts analise do sarespP pts analise do saresp
P pts analise do sarespGildo Moitinho
 
Apresentação coaching
Apresentação coachingApresentação coaching
Apresentação coachingmiguepb
 
Nota Técnica 2010
Nota Técnica 2010Nota Técnica 2010
Nota Técnica 2010sitedcoeste
 
Aula 02 orientação educacional
Aula 02   orientação educacionalAula 02   orientação educacional
Aula 02 orientação educacionalKarine Silva
 
Ser professor ... Ser Avaliado
Ser professor ... Ser AvaliadoSer professor ... Ser Avaliado
Ser professor ... Ser AvaliadoMarta Gomes
 
Gestão de sala de aula 2
Gestão de sala de aula 2Gestão de sala de aula 2
Gestão de sala de aula 2suelyaparecida
 
03 Planejamento e Métodos de Ensino
03 Planejamento e Métodos de Ensino03 Planejamento e Métodos de Ensino
03 Planejamento e Métodos de EnsinoDilsilei Monteiro
 
Diário(prática de port. 1)
Diário(prática de port. 1)Diário(prática de port. 1)
Diário(prática de port. 1)elannialins
 
Diário de Bordo da Turma 1
Diário de Bordo da Turma 1Diário de Bordo da Turma 1
Diário de Bordo da Turma 1Edneiderosemery
 
Diário de Bordo 2013 - E. E. Adão Marques das Aleluias
Diário de Bordo 2013 - E. E. Adão Marques das AleluiasDiário de Bordo 2013 - E. E. Adão Marques das Aleluias
Diário de Bordo 2013 - E. E. Adão Marques das AleluiasMarcela S. Rodrigues
 
Procedimentos e métodos de ensino
Procedimentos e métodos de ensinoProcedimentos e métodos de ensino
Procedimentos e métodos de ensinoPoliana Silvesso
 

Destaque (20)

2.1 Comanda da ot idesp 2014
2.1 Comanda da ot idesp 20142.1 Comanda da ot idesp 2014
2.1 Comanda da ot idesp 2014
 
Calculo do IDESP
Calculo do IDESPCalculo do IDESP
Calculo do IDESP
 
P pts analise do saresp
P pts analise do sarespP pts analise do saresp
P pts analise do saresp
 
Calculo saresp
Calculo sarespCalculo saresp
Calculo saresp
 
Ot apresentação saresp
Ot apresentação sarespOt apresentação saresp
Ot apresentação saresp
 
Apresentação coaching
Apresentação coachingApresentação coaching
Apresentação coaching
 
Técnicas de ensino
Técnicas de ensinoTécnicas de ensino
Técnicas de ensino
 
Nota Técnica 2010
Nota Técnica 2010Nota Técnica 2010
Nota Técnica 2010
 
Aula 02 orientação educacional
Aula 02   orientação educacionalAula 02   orientação educacional
Aula 02 orientação educacional
 
Ppp 05 Set
Ppp 05 SetPpp 05 Set
Ppp 05 Set
 
Observação
ObservaçãoObservação
Observação
 
Ser professor ... Ser Avaliado
Ser professor ... Ser AvaliadoSer professor ... Ser Avaliado
Ser professor ... Ser Avaliado
 
Gestão de sala de aula 2
Gestão de sala de aula 2Gestão de sala de aula 2
Gestão de sala de aula 2
 
Ppt planejamento 2016 rosina
Ppt   planejamento 2016 rosinaPpt   planejamento 2016 rosina
Ppt planejamento 2016 rosina
 
03 Planejamento e Métodos de Ensino
03 Planejamento e Métodos de Ensino03 Planejamento e Métodos de Ensino
03 Planejamento e Métodos de Ensino
 
Diário(prática de port. 1)
Diário(prática de port. 1)Diário(prática de port. 1)
Diário(prática de port. 1)
 
Diário de Bordo da Turma 1
Diário de Bordo da Turma 1Diário de Bordo da Turma 1
Diário de Bordo da Turma 1
 
Diário de Bordo 2013 - E. E. Adão Marques das Aleluias
Diário de Bordo 2013 - E. E. Adão Marques das AleluiasDiário de Bordo 2013 - E. E. Adão Marques das Aleluias
Diário de Bordo 2013 - E. E. Adão Marques das Aleluias
 
Orientação educacional slide 2
Orientação educacional   slide 2Orientação educacional   slide 2
Orientação educacional slide 2
 
Procedimentos e métodos de ensino
Procedimentos e métodos de ensinoProcedimentos e métodos de ensino
Procedimentos e métodos de ensino
 

Semelhante a IDESP - Intervenção - Observação Sala de Aula

ATPCG - PAUTA 28 04 2023.pptx
ATPCG - PAUTA 28 04 2023.pptxATPCG - PAUTA 28 04 2023.pptx
ATPCG - PAUTA 28 04 2023.pptxSheilaSilverio3
 
Orientação Técnica - Formação Pedagógica para PC do EFe EM
Orientação Técnica - Formação Pedagógica para PC do EFe EMOrientação Técnica - Formação Pedagógica para PC do EFe EM
Orientação Técnica - Formação Pedagógica para PC do EFe EMbetenitz
 
Corrigido planejando as visitas às salas de aula -
Corrigido planejando as visitas às salas de aula -Corrigido planejando as visitas às salas de aula -
Corrigido planejando as visitas às salas de aula -Eunice Mendes de Oliveira
 
Tutoria caderno itaú
Tutoria caderno itaúTutoria caderno itaú
Tutoria caderno itaúGigi Sergio
 
Como-fazer-observacao-de-sala-de-aula.pdf
Como-fazer-observacao-de-sala-de-aula.pdfComo-fazer-observacao-de-sala-de-aula.pdf
Como-fazer-observacao-de-sala-de-aula.pdfANDREAMAYERVEIGA1
 
Observação de aula desafios
Observação de aula desafiosObservação de aula desafios
Observação de aula desafiosSolangedme
 
OT. Sociologia 2015
OT. Sociologia 2015OT. Sociologia 2015
OT. Sociologia 2015Valdeavare
 
documento-orientador-protocolo-de-observao-em-sala-de-aula.pdf
documento-orientador-protocolo-de-observao-em-sala-de-aula.pdfdocumento-orientador-protocolo-de-observao-em-sala-de-aula.pdf
documento-orientador-protocolo-de-observao-em-sala-de-aula.pdfAparecidadeArajoSilv
 
Dicas para uma boa aula aos docentes em início de carreira
Dicas para uma boa aula aos docentes em início de carreiraDicas para uma boa aula aos docentes em início de carreira
Dicas para uma boa aula aos docentes em início de carreiraAndré Boaratti
 
Dicas para uma boa aula aos docentes em início de carreira
Dicas para uma boa aula aos docentes em início de carreiraDicas para uma boa aula aos docentes em início de carreira
Dicas para uma boa aula aos docentes em início de carreiraAndré Boaratti
 
PPT_Orientação da diversificada 01.ppt
PPT_Orientação da diversificada 01.pptPPT_Orientação da diversificada 01.ppt
PPT_Orientação da diversificada 01.pptTati Borlote Varanda
 
Pauta formativa e observação sala de aula
Pauta formativa e observação sala de aulaPauta formativa e observação sala de aula
Pauta formativa e observação sala de aulaGelson Rocha
 

Semelhante a IDESP - Intervenção - Observação Sala de Aula (20)

ATPCG - PAUTA 28 04 2023.pptx
ATPCG - PAUTA 28 04 2023.pptxATPCG - PAUTA 28 04 2023.pptx
ATPCG - PAUTA 28 04 2023.pptx
 
Formação
FormaçãoFormação
Formação
 
Orientação Técnica - Formação Pedagógica para PC do EFe EM
Orientação Técnica - Formação Pedagógica para PC do EFe EMOrientação Técnica - Formação Pedagógica para PC do EFe EM
Orientação Técnica - Formação Pedagógica para PC do EFe EM
 
Formador de formadores
Formador de formadoresFormador de formadores
Formador de formadores
 
Formador de formadores
Formador de formadoresFormador de formadores
Formador de formadores
 
Corrigido planejando as visitas às salas de aula -
Corrigido planejando as visitas às salas de aula -Corrigido planejando as visitas às salas de aula -
Corrigido planejando as visitas às salas de aula -
 
Tutoria caderno itaú
Tutoria caderno itaúTutoria caderno itaú
Tutoria caderno itaú
 
Como-fazer-observacao-de-sala-de-aula.pdf
Como-fazer-observacao-de-sala-de-aula.pdfComo-fazer-observacao-de-sala-de-aula.pdf
Como-fazer-observacao-de-sala-de-aula.pdf
 
Observação de aula desafios
Observação de aula desafiosObservação de aula desafios
Observação de aula desafios
 
Ot. 2015
Ot. 2015Ot. 2015
Ot. 2015
 
OT. Sociologia 2015
OT. Sociologia 2015OT. Sociologia 2015
OT. Sociologia 2015
 
Ot pc
Ot pcOt pc
Ot pc
 
documento-orientador-protocolo-de-observao-em-sala-de-aula.pdf
documento-orientador-protocolo-de-observao-em-sala-de-aula.pdfdocumento-orientador-protocolo-de-observao-em-sala-de-aula.pdf
documento-orientador-protocolo-de-observao-em-sala-de-aula.pdf
 
Guia de tutoria.pdf
Guia de tutoria.pdfGuia de tutoria.pdf
Guia de tutoria.pdf
 
Planejamento e PPP 2
Planejamento e PPP 2Planejamento e PPP 2
Planejamento e PPP 2
 
Apresentacao
ApresentacaoApresentacao
Apresentacao
 
Dicas para uma boa aula aos docentes em início de carreira
Dicas para uma boa aula aos docentes em início de carreiraDicas para uma boa aula aos docentes em início de carreira
Dicas para uma boa aula aos docentes em início de carreira
 
Dicas para uma boa aula aos docentes em início de carreira
Dicas para uma boa aula aos docentes em início de carreiraDicas para uma boa aula aos docentes em início de carreira
Dicas para uma boa aula aos docentes em início de carreira
 
PPT_Orientação da diversificada 01.ppt
PPT_Orientação da diversificada 01.pptPPT_Orientação da diversificada 01.ppt
PPT_Orientação da diversificada 01.ppt
 
Pauta formativa e observação sala de aula
Pauta formativa e observação sala de aulaPauta formativa e observação sala de aula
Pauta formativa e observação sala de aula
 

Mais de sitedcoeste

Ações do professor coordenador
Ações do professor coordenadorAções do professor coordenador
Ações do professor coordenadorsitedcoeste
 
Observação da sala de aula - Roteiro de obervação
Observação da sala de aula - Roteiro de obervaçãoObservação da sala de aula - Roteiro de obervação
Observação da sala de aula - Roteiro de obervaçãositedcoeste
 
Observação sala de aula pedro reis
Observação sala de aula pedro reisObservação sala de aula pedro reis
Observação sala de aula pedro reissitedcoeste
 
4. ppt saresp 2013 matematica geral
4. ppt saresp 2013 matematica geral4. ppt saresp 2013 matematica geral
4. ppt saresp 2013 matematica geralsitedcoeste
 
3. ppt saresp 2013 relatório pedagógico - lp
3. ppt saresp 2013  relatório pedagógico - lp3. ppt saresp 2013  relatório pedagógico - lp
3. ppt saresp 2013 relatório pedagógico - lpsitedcoeste
 
2.2. Comanda restrospectiva
2.2. Comanda restrospectiva2.2. Comanda restrospectiva
2.2. Comanda restrospectivasitedcoeste
 
2. Retrospectiva 22
2. Retrospectiva 222. Retrospectiva 22
2. Retrospectiva 22sitedcoeste
 
E.e. brasílio machado
E.e. brasílio machadoE.e. brasílio machado
E.e. brasílio machadositedcoeste
 
EE Lourival G Machado
EE Lourival G MachadoEE Lourival G Machado
EE Lourival G Machadositedcoeste
 
Projetos EE Guiomar Rocha Rinaldi
Projetos EE Guiomar Rocha RinaldiProjetos EE Guiomar Rocha Rinaldi
Projetos EE Guiomar Rocha Rinaldisitedcoeste
 
Verificações censo escolar 2012_orientaçãotec
Verificações censo escolar 2012_orientaçãotecVerificações censo escolar 2012_orientaçãotec
Verificações censo escolar 2012_orientaçãotecsitedcoeste
 
Acesso censo 2012 educacenso-v2
Acesso censo 2012 educacenso-v2Acesso censo 2012 educacenso-v2
Acesso censo 2012 educacenso-v2sitedcoeste
 
Texto para reflexão colcha de retalhos
Texto para reflexão  colcha de retalhosTexto para reflexão  colcha de retalhos
Texto para reflexão colcha de retalhossitedcoeste
 
Reunião de diretores 19 de junho de 2012
Reunião de diretores 19 de junho de 2012Reunião de diretores 19 de junho de 2012
Reunião de diretores 19 de junho de 2012sitedcoeste
 
Texto para reflexão colcha de retalhos
Texto para reflexão colcha de retalhosTexto para reflexão colcha de retalhos
Texto para reflexão colcha de retalhossitedcoeste
 
Ee alcides vidigal
Ee alcides vidigalEe alcides vidigal
Ee alcides vidigalsitedcoeste
 
EE Augusto do Amaral
EE Augusto do AmaralEE Augusto do Amaral
EE Augusto do Amaralsitedcoeste
 

Mais de sitedcoeste (20)

Ações do professor coordenador
Ações do professor coordenadorAções do professor coordenador
Ações do professor coordenador
 
Observação da sala de aula - Roteiro de obervação
Observação da sala de aula - Roteiro de obervaçãoObservação da sala de aula - Roteiro de obervação
Observação da sala de aula - Roteiro de obervação
 
Observação sala de aula pedro reis
Observação sala de aula pedro reisObservação sala de aula pedro reis
Observação sala de aula pedro reis
 
4. ppt saresp 2013 matematica geral
4. ppt saresp 2013 matematica geral4. ppt saresp 2013 matematica geral
4. ppt saresp 2013 matematica geral
 
3. ppt saresp 2013 relatório pedagógico - lp
3. ppt saresp 2013  relatório pedagógico - lp3. ppt saresp 2013  relatório pedagógico - lp
3. ppt saresp 2013 relatório pedagógico - lp
 
2.2. Comanda restrospectiva
2.2. Comanda restrospectiva2.2. Comanda restrospectiva
2.2. Comanda restrospectiva
 
2. Retrospectiva 22
2. Retrospectiva 222. Retrospectiva 22
2. Retrospectiva 22
 
E.e. brasílio machado
E.e. brasílio machadoE.e. brasílio machado
E.e. brasílio machado
 
Área Linguagem
Área LinguagemÁrea Linguagem
Área Linguagem
 
EE Lourival G Machado
EE Lourival G MachadoEE Lourival G Machado
EE Lourival G Machado
 
Projetos EE Guiomar Rocha Rinaldi
Projetos EE Guiomar Rocha RinaldiProjetos EE Guiomar Rocha Rinaldi
Projetos EE Guiomar Rocha Rinaldi
 
Verificações censo escolar 2012_orientaçãotec
Verificações censo escolar 2012_orientaçãotecVerificações censo escolar 2012_orientaçãotec
Verificações censo escolar 2012_orientaçãotec
 
Acesso censo 2012 educacenso-v2
Acesso censo 2012 educacenso-v2Acesso censo 2012 educacenso-v2
Acesso censo 2012 educacenso-v2
 
Texto para reflexão colcha de retalhos
Texto para reflexão  colcha de retalhosTexto para reflexão  colcha de retalhos
Texto para reflexão colcha de retalhos
 
Reunião de diretores 19 de junho de 2012
Reunião de diretores 19 de junho de 2012Reunião de diretores 19 de junho de 2012
Reunião de diretores 19 de junho de 2012
 
Texto para reflexão colcha de retalhos
Texto para reflexão colcha de retalhosTexto para reflexão colcha de retalhos
Texto para reflexão colcha de retalhos
 
Ee almeida jr
Ee almeida jrEe almeida jr
Ee almeida jr
 
Ee alcides vidigal
Ee alcides vidigalEe alcides vidigal
Ee alcides vidigal
 
EE Augusto do Amaral
EE Augusto do AmaralEE Augusto do Amaral
EE Augusto do Amaral
 
Dia do Índio
Dia do ÍndioDia do Índio
Dia do Índio
 

Último

a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...excellenceeducaciona
 
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Mary Alvarenga
 
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...azulassessoriaacadem3
 
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdf
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdfAtividade O homem mais rico da Babilônia.pdf
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdfRuannSolza
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...azulassessoriaacadem3
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...azulassessoriaacadem3
 
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docxCRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docxJean Carlos Nunes Paixão
 
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...azulassessoriaacadem3
 
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...apoioacademicoead
 
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!Psyc company
 
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...azulassessoriaacadem3
 
Planejamento do 1º semestre de Ciências 2024 9º ano.pdf
Planejamento do 1º semestre  de Ciências 2024 9º ano.pdfPlanejamento do 1º semestre  de Ciências 2024 9º ano.pdf
Planejamento do 1º semestre de Ciências 2024 9º ano.pdfJanielleCristina1
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...azulassessoriaacadem3
 
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdfCOSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdfalexandrerodriguespk
 
A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...
A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...
A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...excellenceeducaciona
 
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...AaAssessoriadll
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...azulassessoriaacadem3
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...azulassessoriaacadem3
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...azulassessoriaacadem3
 

Último (20)

a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
 
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
 
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
 
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdf
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdfAtividade O homem mais rico da Babilônia.pdf
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdf
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
 
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docxCRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
 
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
 
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
 
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
 
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
 
Planejamento do 1º semestre de Ciências 2024 9º ano.pdf
Planejamento do 1º semestre  de Ciências 2024 9º ano.pdfPlanejamento do 1º semestre  de Ciências 2024 9º ano.pdf
Planejamento do 1º semestre de Ciências 2024 9º ano.pdf
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdfCOSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
 
A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...
A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...
A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...
 
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
 
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptxSlides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 

IDESP - Intervenção - Observação Sala de Aula

  • 1. SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica Orientação Técnica - IDESP 1 Rosangela Ap. de Almeida Valim Dirigente de Ensino 4/4/2014
  • 2. SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica Exercitando o olhar Observação da Sala de Aula
  • 3. SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica Das tarefas na escola com foco na formação docente, você já pensou em quais são as mais eficazes? Quais são as ações na rotina escolar que objetivam a reflexão da prática do professor? Imagens crescercomcristo.wordpress.com
  • 4. SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica Objetivos • Eleger a observação de sala de aula como estratégia para formação de professores. • Adotar essa prática na rotina escolar, planejando ações antes, durante e depois da observação.
  • 5. SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica “Por sua própria especificidade, a observação em sala de aula é a estratégia que mais dados nos fornece para a intervenção junto aos professores em processo de formação, pois nela não se verifica o desenvolvimento do trabalho exclusivamente no plano do discurso falado ou escrito, mas essencialmente no plano das interações, atitudes, valores, objetivos e intervenções, tendo, por isso um papel fundamental no processo de transformação da prática.” (SCARPA, 1998, p. 95)
  • 6. SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica Para que a observação da sala de aula ocorra de forma eficaz, é necessário planejar. Somente com um bom planejamento esta ação será uma boa estratégia para auxiliar os professores na reflexão sobre sua prática. A este procedimento chamaremos de Protocolo de Observação. Segundo Reis (2011), existem três momentos da metodologia de observação: antes, durante e depois, e é um processo colaborativo entre gestor e professor. Protocolo de observação
  • 7. SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica Protocolo de observação ANTES Definir foco; Criar coletivamente o protocolo com indicadores; Planejar: dia, horário e como ocorrerá a entrada em sala de aula.
  • 8. SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica Protocolo de observação DURANTE Registrar as observações; Intervir com os alunos, se combinado antes; Atenção ao foco de observação.
  • 9. SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica Protocolo de observação
  • 10. SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica Dialogando... A equipe escolar: gestores e professores devem conversar esclarecendo que o objetivo da observação da sala de aula é servir de apoio aos professores, a partir das necessidades de ensino e conhecer boas práticas que podem ser compartilhadas com o corpo docente. Focando... É interessante eleger o foco de observação a partir do trabalho ou tema que já estão trabalhando nas reuniões coletivas na escola. Por exemplo, se estão trabalhando como envolver a leitura e escrita em todas as áreas do conhecimento, esse deve ser o foco da observação das aulas. Então, como conseguir isso? Imagens www.ogirassol.com.br http://attitude-dinamica.blogspot.com.br/2012/12/mude-seu-foco.html
  • 11. SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica “Observar uma situação pedagógica não é vigiá-la mas sim, fazer vigília por ela, isto é, estar e permanecer acordado por ela, na cumplicidade da construção do projeto, na cumplicidade pedagógica”. Madalena Freire Observação da Sala de Aula
  • 12. SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica Agradecemos a presença de todos. Jane Rubia Adami Diretora NPE Jacqueline Arruda Luciane Collares PCNP de Tecnologia Equipe Núcleo Pedagógico