Universidade Estadual do Piauí – UESPI
Campus Prof. Alexandre Alves de Oliveira
Clínica Escola de Odontologia – CEO
Bachar...
Acadêmicos
• Jamyson Santos
• Raphael Machado
Orientação do Prof. Patrick Quelemes
Introdução
• Corte histológico da glândula adrenal
glomerulosa fasciculada reticulada
CORTEX
MEDULA
capsula
Revisão Terapêutica
• Principal glicocorticoide endógeno: Cortisol
• Necessário para a manutenção da vida.
• Síntese e sec...
Revisão Terapêutica
[Glicocorticoides] HPA
Biossíntese de Cortisol
Revisão Terapêutica
• Principais usos terapêuticos:
1. Reposição de cortisol em pacientes com insuficiência
adrenal;
2. Ag...
Biossíntese
Biossíntese
Mecanismo de Ação
Mecanismo de Ação
Mecanismo de Ação
Mecanismo de Ação
Regulação através do ACTH
• O ACTH (hormônio corticotrófico) é o hormônio
responsável por estimular as células do córtex d...
Regulação através do ACTH
• Ação do ACTH
Secreção no
plasma
Ritmo
circadiano
AMPC NA
ADRENAL
CORTISOL
PLASMATICO
OBS: uma
...
Modulação da liberação de ACTH
• As concentrações séricas de ACTH são aumentadas em
resposta ao estresse (traumas, exercíc...
Mecanismos de controle da retroalimentação
• A produção de ACTH pela pituitária é extremamente
sensível supressão pelos ní...
Mecanismos de controle da retroalimentação
Farmacocinética
• Absorção rápida e fácil pelo TGI.
• Absorvidos prontamente pelos espaços sinovial e
conjuntivo, porém le...
Farmacocinética
• A maioria do cortisol circulante está ligado a proteínas
plasmáticas.
Globulina Albumina Livre
80% a 90%
Farmacocinética
• Principais sítios de inativação: Fígado e Rins.
• Vias que levam à inativação:
Redução da dupla ligação ...
Farmacocinética
Resposta Clínica
1. Promovem o metabolismo intermediário normal.
• Favorecem a gliconeogênese.
• Estimulam o catabolismo p...
Resposta Clínica
3. Alteram o nível das células sanguíneas no plasma.
• Diminuição dos eosinófilos, basófilos, monócitos e...
Resposta Clínica
4. Ação anti-inflamatória.
Ácido Araquidônico
Leucotrienos Prostaglandinas Tramboxanas
Lipoxigenase
Fosfo...
Resposta Clínica
4. Ação anti-inflamatória.
Ácido Araquidônico
Fosfolipase A2
Leucotrienos Prostaglandinas Tramboxanas
Lip...
Resposta Clínica
4. Ação anti-inflamatória.
Ácido Araquidônico
Leucotrienos Prostaglandinas Tramboxanas
Lipoxigenase Ciclo...
Resposta Clínica
5. Atuam em outros sistemas.
• Aumenta a produção de pepsina e ácido gástrico.
• Grave perda óssea.
Resposta Clínica
5. Atuam em outros sistemas.
• Aumenta a produção de pepsina e ácido gástrico.
• Grave perda óssea.
Seleção de Fármacos
• A seleção de corticosteroides é baseada basicamente
em três propriedades fundamentais:
Atividade ant...
Seleção de Fármacos
• Cortisol e Cortisona
• Usados apenas em terapias de reposição.
• Não possuem propriedades anti-infla...
Seleção de Fármacos
• Prednisona, Prednisolona, Metilprednisolona
• Primeira escolha para tratamentos anti-inflamatórios e...
Seleção de Fármacos
• Dexametasona e a Betametasona
• Usado em terapias anti-inflamatórias agudas
máximas (choque séptico ...
Usos Terapêuticos
• Vários derivados semissintético dos glicocorticoides são
usados no tratamento de várias condições pato...
Usos Terapêuticos
• Corticosteróides em cirúrgias de terceiro molar
• A remoção de terceiros molares é um procedimento
cir...
Usos Terapêuticos
• Corticosteróides em cirúrgias de terceiro molar
• Esses fármacos inibem a enzima fosfolipase A2,
dimin...
Usos Terapêuticos
• Corticosteróides em cirúrgias de terceiro molar
• Os corticosteroides são melhores se comparados
com o...
Fármacos Inibidores da Biossíntese
• Metirapona
• Usos:
• Teste de função adrenal;
• Tratamento de mulheres gestantes com ...
Fármacos Inibidores da Biossíntese
• Metirapona
Fármacos Inibidores da Biossíntese
• Aminoglutetimida
• Usos:
• Tratamento do câncer de mama;
• Tratamento de tumores do c...
Fármacos Inibidores da Biossíntese
• Aminoglutetimida
Fármacos Inibidores da Biossíntese
• Cetoconazol
• Inibe fortemente a síntese de todos os hormônios
esteróides gonadais e ...
Fármacos Inibidores da Biossíntese
• Mifepristona
• Forma um complexo com o receptor glicocorticoide.
• Usos:
• Tratamento...
Efeitos Colaterais
• Exposição excessiva a glicocorticoides
• Síndrome de Cushing;
• É resultado da administração exógena ...
Efeitos Colaterais
• Exposição excessiva a glicocorticoides
• Sinais para a confirmação do diagnostico:
Aumento nas concen...
Efeitos Colaterais
• Exposição excessiva a glicocorticoides
• Possibilidades de tratamentos:
Remoção cirúrgica dos adenoma...
Efeitos Colaterais
• Diminuição na produção de cortisol
• Insuficiência adrenal primária ou secundária:
• Doenças autoimun...
Efeitos Colaterais
• Diminuição na produção de cortisol
• A suspeita de insuficiência adrenal as concentrações
plasmáticas...
Efeitos Colaterais
• Hiperplasia adrenal congênita
• Pode resultar de alterações em algumas das fases da
síntese de esteró...
Efeitos Colaterais
• Glicocorticódes e o eixo HPA
• A supressão do eixo HPA é comum em terapias
prolongadas com glicocorti...
Efeitos Colaterais
• Eixo HPA
Efeitos Colaterais
• Glicocorticoides e os ossos
Osteoporose
Efeitos Colaterais
• Glicocorticoides e glicose
Diabetes mellitus Hiperglicemia
Efeitos Colaterais
• Glicocorticoides e TGI
Desenvolvimento de úlcera péptica
Efeitos Colaterais
• Glicocorticoides e SNC
Excitação Euforia
Depressão Distúrbios do Sono
Comportamento
Psicótico
Efeitos Colaterais
• Glicocorticoides em crianças
Diminuição no crescimento
Referências Bibliográficas
• HOWLAND, R.D.; MYCEK, M.J. Farmacologia Ilustrada. 3ª ed.
Porto Alegre: Artmed, 2008;
• MINNE...
Obrigado pela atenção!
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Glicocorticoides - Farmacologia

3.002 visualizações

Publicada em

Seminário de Farmacologia abordando o tema Glicocorticoides: revisão terapeutica, biossintese, mecanismo de ação, regulação e modulação, dentre outros tópicos.

Publicada em: Educação
0 comentários
8 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.002
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
155
Comentários
0
Gostaram
8
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Glicocorticoides - Farmacologia

  1. 1. Universidade Estadual do Piauí – UESPI Campus Prof. Alexandre Alves de Oliveira Clínica Escola de Odontologia – CEO Bacharelado em Odontologia Glicocorticoides Parnaíba - PI
  2. 2. Acadêmicos • Jamyson Santos • Raphael Machado Orientação do Prof. Patrick Quelemes
  3. 3. Introdução • Corte histológico da glândula adrenal glomerulosa fasciculada reticulada CORTEX MEDULA capsula
  4. 4. Revisão Terapêutica • Principal glicocorticoide endógeno: Cortisol • Necessário para a manutenção da vida. • Síntese e secreção estritamente reguladas. Regulação do metabolismo intermediário Resposta ao estresse Alguns aspectos da função do SNC Imunidade
  5. 5. Revisão Terapêutica [Glicocorticoides] HPA Biossíntese de Cortisol
  6. 6. Revisão Terapêutica • Principais usos terapêuticos: 1. Reposição de cortisol em pacientes com insuficiência adrenal; 2. Agente anti-inflamatório/imunossupressor; 3. Adjuvante no tratamento de doenças mieloproliferativas e outras condições malignas.
  7. 7. Biossíntese
  8. 8. Biossíntese
  9. 9. Mecanismo de Ação
  10. 10. Mecanismo de Ação
  11. 11. Mecanismo de Ação
  12. 12. Mecanismo de Ação
  13. 13. Regulação através do ACTH • O ACTH (hormônio corticotrófico) é o hormônio responsável por estimular as células do córtex da adrenal. • Ele é sintetizado nas células corticotróficas da glândula pituitária.
  14. 14. Regulação através do ACTH • Ação do ACTH Secreção no plasma Ritmo circadiano AMPC NA ADRENAL CORTISOL PLASMATICO OBS: uma baixa nos níveis de ACTH, resultam em atrofia das adrenais que desencadeia problemas sistêmicos POMC ACTH MSH β-endorfina
  15. 15. Modulação da liberação de ACTH • As concentrações séricas de ACTH são aumentadas em resposta ao estresse (traumas, exercícios severos, estresses psicológicos...) ALTERAÇÕES FISILOGICAS LIBERAÇÃO DE HORMONIOS HIPOTALÂMICOS CRH AVP POMC ACTH
  16. 16. Mecanismos de controle da retroalimentação • A produção de ACTH pela pituitária é extremamente sensível supressão pelos níveis pituitários e hipotalâmicos de cortisol. • Os resultados dessa retroalimentação negativa dura bastante tempo após a interrupção da terapia com glicocorticoides. ATROFIA DAS ADRENAIS PREJÍZOS NA PRODUÇÃO DE ESTEROIDES DIAS ALTERNADOS NA ADM. Solução:
  17. 17. Mecanismos de controle da retroalimentação
  18. 18. Farmacocinética • Absorção rápida e fácil pelo TGI. • Absorvidos prontamente pelos espaços sinovial e conjuntivo, porém lentamente pela pele. • Administração tópica usada apenas brevemente para produzir ação local.
  19. 19. Farmacocinética • A maioria do cortisol circulante está ligado a proteínas plasmáticas. Globulina Albumina Livre 80% a 90%
  20. 20. Farmacocinética • Principais sítios de inativação: Fígado e Rins. • Vias que levam à inativação: Redução da dupla ligação na posição 4/5 Redução do grupo cetona na posição 3 Hidroxilação na posição 6
  21. 21. Farmacocinética
  22. 22. Resposta Clínica 1. Promovem o metabolismo intermediário normal. • Favorecem a gliconeogênese. • Estimulam o catabolismo proteico e a lipólise. 2. Aumentam a resistência ao estresse. • Aumenta o nível de glicose plasmática. • Aumenta modestamente a pressão arterial.
  23. 23. Resposta Clínica 3. Alteram o nível das células sanguíneas no plasma. • Diminuição dos eosinófilos, basófilos, monócitos e linfócitos. • Aumento de hemoglobina, hemácias, plaquetas e neutrófilos.
  24. 24. Resposta Clínica 4. Ação anti-inflamatória. Ácido Araquidônico Leucotrienos Prostaglandinas Tramboxanas Lipoxigenase Fosfolipase A2 Cicloxigenase
  25. 25. Resposta Clínica 4. Ação anti-inflamatória. Ácido Araquidônico Fosfolipase A2 Leucotrienos Prostaglandinas Tramboxanas Lipoxigenase Glicocorticoide Lipocortina Cicloxigenase
  26. 26. Resposta Clínica 4. Ação anti-inflamatória. Ácido Araquidônico Leucotrienos Prostaglandinas Tramboxanas Lipoxigenase Cicloxigenase Glicocorticoide
  27. 27. Resposta Clínica 5. Atuam em outros sistemas. • Aumenta a produção de pepsina e ácido gástrico. • Grave perda óssea.
  28. 28. Resposta Clínica 5. Atuam em outros sistemas. • Aumenta a produção de pepsina e ácido gástrico. • Grave perda óssea.
  29. 29. Seleção de Fármacos • A seleção de corticosteroides é baseada basicamente em três propriedades fundamentais: Atividade anti-inflamatória Atividade mineralocorticoide Meia vida plasmática
  30. 30. Seleção de Fármacos • Cortisol e Cortisona • Usados apenas em terapias de reposição. • Não possuem propriedades anti-inflamatória. • Atividade mineralocorticoide relativamente alta.
  31. 31. Seleção de Fármacos • Prednisona, Prednisolona, Metilprednisolona • Primeira escolha para tratamentos anti-inflamatórios e imunossupressores a longo prazo (LED e Poliosite- dermatosite) e DPOC. • Meia vida plasmática intermediaria. • Atividade mineralocorticoide relativamente baixa.
  32. 32. Seleção de Fármacos • Dexametasona e a Betametasona • Usado em terapias anti-inflamatórias agudas máximas (choque séptico e edema cerebral). • Meia vida plasmática longa e atividade mineralocorticoide mínima. • Apresenta propriedades supressoras de crescimento. ATIVIDADE ANTINFLAMATÓRIA
  33. 33. Usos Terapêuticos • Vários derivados semissintético dos glicocorticoides são usados no tratamento de várias condições patológicas tais como: Insuficiência adrenocortical Diagnóstico da síndrome de Cushing Alivio dos sintomas inflamatórios Tratamento de alergias/transplantes de órgãos Aceleração da maturação pulmonar
  34. 34. Usos Terapêuticos • Corticosteróides em cirúrgias de terceiro molar • A remoção de terceiros molares é um procedimento cirúrgico comum realizado por cirurgiões-dentistas. • O corticosteroide tem sido utilizado com eficácia para a redução destas complicações. Trismo Dor Edema
  35. 35. Usos Terapêuticos • Corticosteróides em cirúrgias de terceiro molar • Esses fármacos inibem a enzima fosfolipase A2, diminuindo a disponibilidade de ácido araquidônico na célula e provoca a diminuição de metabolitos da COX 2. • O uso pré-operatório de corticosteroide é uma abordagem farmacológica empregada para a redução de edema, e normal uso pós-operatório.
  36. 36. Usos Terapêuticos • Corticosteróides em cirúrgias de terceiro molar • Os corticosteroides são melhores se comparados com os (AINES), já que possuem uma meia vida e potência mais elevada. • Alguns autores defendem que pode haver uma associação de AINES com corticosteróides. Dexametasona 4mg
  37. 37. Fármacos Inibidores da Biossíntese • Metirapona • Usos: • Teste de função adrenal; • Tratamento de mulheres gestantes com síndrome de Cushing. • Efeitos Adversos: • Retenção de sal e água; • Hirsutismo; • Tontura transitória; • Distúrbios do TGI.
  38. 38. Fármacos Inibidores da Biossíntese • Metirapona
  39. 39. Fármacos Inibidores da Biossíntese • Aminoglutetimida • Usos: • Tratamento do câncer de mama; • Tratamento de tumores do córtex da adrenal.
  40. 40. Fármacos Inibidores da Biossíntese • Aminoglutetimida
  41. 41. Fármacos Inibidores da Biossíntese • Cetoconazol • Inibe fortemente a síntese de todos os hormônios esteróides gonadais e adrenais. • Usos: • Tratamento de pacientes com síndrome de Cushing.
  42. 42. Fármacos Inibidores da Biossíntese • Mifepristona • Forma um complexo com o receptor glicocorticoide. • Usos: • Tratamento de pacientes inoperáveis com síndrome de ACTH ectópico.
  43. 43. Efeitos Colaterais • Exposição excessiva a glicocorticoides • Síndrome de Cushing; • É resultado da administração exógena excessiva de glicocorticoides, mas também pode ser desencadeada por problemas endógenos: ADENOMAS ADRENAIS PRODUÇÃO DE ACTH ECTÓPICA OU
  44. 44. Efeitos Colaterais • Exposição excessiva a glicocorticoides • Sinais para a confirmação do diagnostico: Aumento nas concentrações de cortisol livre na urina Incapacidade de suprimir a concentração de cortisol sérico
  45. 45. Efeitos Colaterais • Exposição excessiva a glicocorticoides • Possibilidades de tratamentos: Remoção cirúrgica dos adenomas Tratamento com inibidores biossintéticos
  46. 46. Efeitos Colaterais • Diminuição na produção de cortisol • Insuficiência adrenal primária ou secundária: • Doenças autoimunes endócrinas; • Tuberculose; • Hemorragia adrenal. PRIMÁRIA • Administração prolongada de glicocorticoides; • Efeito colateral do tratamento da síndrome de Cushing. SECUNDÁRIA
  47. 47. Efeitos Colaterais • Diminuição na produção de cortisol • A suspeita de insuficiência adrenal as concentrações plasmáticas de cortisol devem ser medidas. ADMININSTRÇÃO INTRAVENOSA DE HIDROCORTISONA INICIO DA REPOSIÇÃO DE CORTISOL Teste posterior para confirmar o diagnóstico
  48. 48. Efeitos Colaterais • Hiperplasia adrenal congênita • Pode resultar de alterações em algumas das fases da síntese de esteróides. • Acarretando assim um excesso na secreção de andrógenos. • O tratamento é a base de glicocorticoides para suprimir a secreção de ACTH. SECREÇÃO DE CORTISOL LIBERAÇÃO DE ACTH
  49. 49. Efeitos Colaterais • Glicocorticódes e o eixo HPA • A supressão do eixo HPA é comum em terapias prolongadas com glicocorticóides. • O tempo necessário para a recuperação do eixo depende do medicamento tomado e existem casos em que essa recuperação pode levar de um ano ou mais. 5mg de prednisona diária por mais de duas semanas
  50. 50. Efeitos Colaterais • Eixo HPA
  51. 51. Efeitos Colaterais • Glicocorticoides e os ossos Osteoporose
  52. 52. Efeitos Colaterais • Glicocorticoides e glicose Diabetes mellitus Hiperglicemia
  53. 53. Efeitos Colaterais • Glicocorticoides e TGI Desenvolvimento de úlcera péptica
  54. 54. Efeitos Colaterais • Glicocorticoides e SNC Excitação Euforia Depressão Distúrbios do Sono Comportamento Psicótico
  55. 55. Efeitos Colaterais • Glicocorticoides em crianças Diminuição no crescimento
  56. 56. Referências Bibliográficas • HOWLAND, R.D.; MYCEK, M.J. Farmacologia Ilustrada. 3ª ed. Porto Alegre: Artmed, 2008; • MINNEMAN, K.P.; WECKER L.B. Farmacologia Humana. 4ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2006; • RANG, H.P.; DALE, M.M.; RITTER, J.M. & MOORE, P.K. Farmacologia. 5ª ed. Guanabara Koogan S.A, 2003; • DARVEAU, R.P. Periodontitis: a polymicrobial disruption of host homeostasis. Nat Rev Microbiol. 2010; 8:481-90.
  57. 57. Obrigado pela atenção!

×