Universidade Estadual do Piauí – UESPI
Campus Prof. Alexandre Alves de Oliveira
Clínica Escola de Odontologia – CEO
Bachar...
• Husmann Torres
• Raphael Machado
• Orientação do Prof. Robson Sousa
Acadêmicos
Introdução
• Também denominado de CMV e HHV-5.
• Pertence à família Herpesviridae.
• Pode causar infecção no homem, no mac...
Introdução
• Pode permanecer em latência nas células das glândulas
salivares, no endotélio, nos macrófagos e nos linfócito...
Transmissão
• Nas crianças o vírus é
contraído através da
placenta, durante o
parto ou pela
amamentação.
Citomegalovírus
Transmissão
• O pico de transmissão ocorre durante a adolescência,
mediante a troca de líquidos corporais.
• A transmissão...
Prevalência de Transmissão
Citomegalovírus
0%
10%
20%
30%
40%
50%
60%
70%
80%
90%
100%
Neonatal 30 anos 60 anos
Características Clínicas
Citomegalovírus
• Cerca de 90% das infecções são assintomáticas.
• Sintomas:
• Febre
• Dor muscul...
Características Clínicas
Citomegalovírus
• Sialodenite Aguda
• Xerostomia
Características Clínicas
Citomegalovírus
• Pacientes transplantados imunocomprometidos
Febre baixa
temporária
Hepatite
Leu...
Características Clínicas
Citomegalovírus
• Pacientes com AIDS
Coriorretinite
Características Clínicas
Citomegalovírus
• Pacientes com AIDS
Coriorretinite
Características Clínicas
Citomegalovírus
• Pacientes com AIDS
Colite
Forma Congênita
Citomegalovírus
• Ocorre quando uma gestante é exposta ao vírus e o
transmite ao feto.
• Maior gravidade q...
Forma Neonatal
Citomegalovírus
• Ocorre quando a mulher transmite o vírus ao recém-nascido.
• Nos prematuros é maior o ris...
Forma Congênita e Neonatal
Citomegalovírus
Hepatoesplenomegalia
Forma Congênita e Neonatal
Citomegalovírus
Trombocitopenia
Encefalite
Manifestações Orais
Citomegalovírus
Ulcerações crônicas
nas mucosas
Manifestações Orais
• Infecção neonatal/congênita pode produzir defeitos no
desenvolvimento dos dentes.
Citomegalovírus
Hi...
Diagnóstico
• O diagnóstico do citomegalovírus é feito a partir de
combinações de achados clínicos e através de outros
exa...
Diagnóstico
• O diagnostico laboratorial pode ser dado através de algumas
técnicas:
Citomegalovírus
Isolamento do vírus
So...
Diagnóstico: Isolamento do vírus
• O material obtido do paciente (urina, saliva ou fragmentos de
órgãos) é inoculado em cu...
Diagnóstico: Biopsia
• As células de inclusão citomegálica
podem ser demonstradas em
fragmentos de tecidos (célula do
epit...
Diagnóstico: Sorologia
• Técnicas utilizadas para a detecção de anticorpos
específicos para o CMV.
• Os anticorpos da clas...
Tratamento
• Na fase aguda, o tratamento é sintomático.
• O uso de antivirais fica reservado para as formas graves da
doen...
Tratamento: Casos Especiais
• Embora a maioria das infecções por CMV regrida
espontaneamente o tratamento, em muitas vezes...
Tratamento: Recomendações
• O melhor tratamento ainda é a prevenção.
• Não se descuide do uso de preservativo nas relações...
Tratamento: Recomendações
• Esteja atento ao fato de ser portador do citomegalovírus,
pois ele pode provocar uma infecção ...
Obrigado pela atenção!
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Citomegalovírus: Patologia

4.085 visualizações

Publicada em

Seminário de patologia abordando o tema Citomegalovírus. Dentre os tópicos abordados estão caracteristicas gerais, clínicas, manifestações gerais e orais, tratamento e recomendações.

Publicada em: Educação
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.085
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
16
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
121
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Da mesma família do vírus da catapora, herpes simples, genital e zoster.
    DNA linear dupla cadeia, capsídeo icosaédrico, envelope de glicoproteinas
  • Período de latência: pode haver reativação em condições favoráveis (imunossupressão)
    Oportunista
    Nunca abandona o individuo
  • Pico na adolescencia devido ao início da atividade sexual.
  • Neonatal: 0,5% a 2,5%
    maior em países em desenvolvimento,  estado socioeconômico menor
  • Infecção sintomática não deve ocorrer em pacientes imunocompetentes
    Sintomas semelhantes aos da Mononucleose
  • Raro em pacientes imunocompetentes.
    (inflamação) Gl. ↑ volume e dolorida: obliteração do ducto (xerostomia)
    Local de latência
    Submandibular e Parotida (foto)
  • Hepatite: degeneração do fígado
    Leucopenia: ↓ nº leucócitos no sangue
    Pneumonite: inflamação no pulmão
  • Um terço
    inflamação da Retina e da Corioide
    Progressão rápida: cegueira
  • Um terço
    inflamação da Retina e da Corioide
    Progressão rápida: cegueira
  • Bastante comum
    Inflamação no intestino grosso (colon)
    Diarreia sanguinolenta
    Responde a med. antivirais
  • Placenta
    Contato pela primeira vez (primo-infecção), não latente.
  • Parto e Amamentação
    Prematuro: imaturidade imunológica
    Baixo peso = prematuro
    Evitar amamentação?
  • Aumento do tamanho do fígado e baço
  • redução do número de plaquetas no sangue
    Infecção aguda do cérebro: retardo mental e motor
  • imunossupressão -> epidemia da AIDS
    Alterações pelo CMV em biopsia
  • Atrição: cervico-oclusal
    coloração amarelada da dentina subjacente
  • Com o avanço da tecnologia existe outras técnicas para se verificar a presença do CMV...
  • ISOLAMENTO DO VIRUS ------ Por meio de técnicas de cultura
    BIOPSIA ------------ retirada de um pedaço de tecido infec. Para analise em lab
    SOROLOGIA---------------- exame de sangue que busca indicios de infecções IgM, IgG
  • Vamos pegar o material e colocar em meio propicio para multiplicação do vírus e depois de algumas semanas analisá-lo
    geralmente verifica a urina do recém-nascido

    entretanto, o método mais sensível para a detecção das infecções congênitas, permitindo diagnosticar grande número de casos assintomáticos
  • Este é baseado retirada do tecido infectado e sua posterior analise por meio do microscpio., um pedaço do tecido do epitelio salivar ductal (ducto salivar) pode ser ultilizado, CELULAS OLHO DE CORUJA!
    Inclusões citomegalicas---- cel. Infectadas por CMV
  • Exame de Sague para identificar anticorpos que são indícios de uma possível infecção por CMV
  • Como boa parte das doenças virais vc só trata os sintomas ,tipo dor de cabeça febre e etc... Com paratecetamol ,dip.

    O uso deve ser mantido pelo menos durante um mês
  • O granciclovir apresenta eficacia em 75% dos PCTs entretantos o medicamento deve ser mantido pra previnir uma recindiva.
  • Para evitar a transmissão pela saliva
  • Citomegalovírus: Patologia

    1. 1. Universidade Estadual do Piauí – UESPI Campus Prof. Alexandre Alves de Oliveira Clínica Escola de Odontologia – CEO Bacharelado em Odontologia Citomegalovírus Patologia Parnaíba - PI
    2. 2. • Husmann Torres • Raphael Machado • Orientação do Prof. Robson Sousa Acadêmicos
    3. 3. Introdução • Também denominado de CMV e HHV-5. • Pertence à família Herpesviridae. • Pode causar infecção no homem, no macaco e em roedores. Citomegalovírus
    4. 4. Introdução • Pode permanecer em latência nas células das glândulas salivares, no endotélio, nos macrófagos e nos linfócitos. • Mais observada em recém-nascidos e em adultos imunodeprimidos. Citomegalovírus
    5. 5. Transmissão • Nas crianças o vírus é contraído através da placenta, durante o parto ou pela amamentação. Citomegalovírus
    6. 6. Transmissão • O pico de transmissão ocorre durante a adolescência, mediante a troca de líquidos corporais. • A transmissão também ocorre por meio de transfusão de sangue e transplante de órgãos. Citomegalovírus
    7. 7. Prevalência de Transmissão Citomegalovírus 0% 10% 20% 30% 40% 50% 60% 70% 80% 90% 100% Neonatal 30 anos 60 anos
    8. 8. Características Clínicas Citomegalovírus • Cerca de 90% das infecções são assintomáticas. • Sintomas: • Febre • Dor muscular e articular • Tremor • Dor abdominal • Tosse não-produtiva • Erupção cutânea • Diarreia Ocorrência
    9. 9. Características Clínicas Citomegalovírus • Sialodenite Aguda • Xerostomia
    10. 10. Características Clínicas Citomegalovírus • Pacientes transplantados imunocomprometidos Febre baixa temporária Hepatite Leucopenia Pneumonite
    11. 11. Características Clínicas Citomegalovírus • Pacientes com AIDS Coriorretinite
    12. 12. Características Clínicas Citomegalovírus • Pacientes com AIDS Coriorretinite
    13. 13. Características Clínicas Citomegalovírus • Pacientes com AIDS Colite
    14. 14. Forma Congênita Citomegalovírus • Ocorre quando uma gestante é exposta ao vírus e o transmite ao feto. • Maior gravidade quando a transmissão ocorre nas fases iniciais da gestação. • A maior probabilidade de contaminação ocorre no último trimestre.
    15. 15. Forma Neonatal Citomegalovírus • Ocorre quando a mulher transmite o vírus ao recém-nascido. • Nos prematuros é maior o risco de doença sintomática e sequela.
    16. 16. Forma Congênita e Neonatal Citomegalovírus Hepatoesplenomegalia
    17. 17. Forma Congênita e Neonatal Citomegalovírus Trombocitopenia Encefalite
    18. 18. Manifestações Orais Citomegalovírus Ulcerações crônicas nas mucosas
    19. 19. Manifestações Orais • Infecção neonatal/congênita pode produzir defeitos no desenvolvimento dos dentes. Citomegalovírus Hipoplasia difusa de esmalte Atrição Hipomaturação do esmalte
    20. 20. Diagnóstico • O diagnóstico do citomegalovírus é feito a partir de combinações de achados clínicos e através de outros exames. • Antigamente o seu diagnóstico era baseado apenas em achados clínicos. Citomegalovírus
    21. 21. Diagnóstico • O diagnostico laboratorial pode ser dado através de algumas técnicas: Citomegalovírus Isolamento do vírus Sorologia Biopsia
    22. 22. Diagnóstico: Isolamento do vírus • O material obtido do paciente (urina, saliva ou fragmentos de órgãos) é inoculado em culturas de fibroblastos humanos; • Essa técnica além de trabalhosa exige às vezes mais de quatro semanas para obter-se o resultado, entretanto, é o método mais sensível para a detecção das infecções congênitas. • Uma vez presente, pode persistir durante meses ou anos, ainda que não haja qualquer sinal de atividade da doença. Citomegalovírus
    23. 23. Diagnóstico: Biopsia • As células de inclusão citomegálica podem ser demonstradas em fragmentos de tecidos (célula do epitélio bucal infectada). • O CMV forma células características: grandes, com inclusões intranucleares, vistas facilmente quando coradas por hematoxilina-eosina. Citomegalovírus
    24. 24. Diagnóstico: Sorologia • Técnicas utilizadas para a detecção de anticorpos específicos para o CMV. • Os anticorpos da classe IgM estão presentes apenas na fase aguda da infecção e os da classe IgG também aparecem na fase aguda, mas persistem por toda a vida. Citomegalovírus
    25. 25. Tratamento • Na fase aguda, o tratamento é sintomático. • O uso de antivirais fica reservado para as formas graves da doença. • A grande preocupação é com o efeito tóxico dessas drogas sobre os glóbulos do sangue e aos rins. Citomegalovírus
    26. 26. Tratamento: Casos Especiais • Embora a maioria das infecções por CMV regrida espontaneamente o tratamento, em muitas vezes, é necessário nos pacientes imunodeprimidos. • O ganciclovir é usado no tratamento de, manifestações agudas, em pacientes imunodeprimidos. • Em caso de persistência das ulcerações bucais, o ganciclovir intravenoso resolverá a maioria dos casos. Citomegalovírus
    27. 27. Tratamento: Recomendações • O melhor tratamento ainda é a prevenção. • Não se descuide do uso de preservativo nas relações sexuais como forma de evitar a transmissão do citomegalovírus. • Procure não usar copos, xícaras e talheres se não tiver certeza de que foram bem lavados. Citomegalovírus
    28. 28. Tratamento: Recomendações • Esteja atento ao fato de ser portador do citomegalovírus, pois ele pode provocar uma infecção aguda se suas reservas imunológicas se esgotarem. • Lembre-se de que a transmissão vertical do CMV durante a gestação é a principal causa de retardo mental nas crianças. Siga rigorosamente as orientações médicas para evitar que isso aconteça. Citomegalovírus
    29. 29. Obrigado pela atenção!

    ×