Trabalho e Produção

1.714 visualizações

Publicada em

Slides de Sociologia!

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.714
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
55
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Trabalho e Produção

  1. 1. Trabalho e Produção
  2. 2. O Amolador Francesco Goya
  3. 3. Máquina a Vapor
  4. 4. Indústrias
  5. 5. O que é Trabalho? Trabalho: • Origem: do latim Tripalium (sacrifício, esforço) • Palavra Polissêmica • Max Scheler: 1. Atividade manual ou mecânica 2. Produto pronto 3. Meta futura a ser alcançada
  6. 6. O que é Trabalho? • Na Sociologia: Marx e Engels: Um processo entre o homem e a natureza, durante o qual o homem, mediante sua própria atividade, medeia, regula e controla o intercâmbio de substâncias entre ele e a natureza! Trabalho como atividade racional que em um processo contínuo, transforma o meio natural em que vivem os homens. Ato de Criação e de Aprendizagem !
  7. 7. Evolução do Trabalho Evolução do Homem: trabalho para a sobrevivência. Paleolítico: nômades busca de alimentos instrumentos primitivos Neolítico: sedentários instrumentos melhores agricultura pecuária produção (necessidades) divisão do trabalho chefes idade dos Metais escrita
  8. 8. Evolução do Trabalho Divisão do Trabalho: 1. Divisão Sexual do Trabalho gerou noção de propriedade dos objetos necessários para cada atividade. Mantém-se também o que é coletivo (canoa, terra, caverna) 2. Divisão Social do Trabalho surgiu da idéia de que a terra onde eles cultivam e criam seus animais também lhes pertenciam.
  9. 9. Evolução do Trabalho • O domínio das fontes alimentares gerou a propriedade e o excedente de produtos (além da necessidade). Nasceu uma camada de homens que podia se dar ao luxo do ócio permanente e do acúmulo de riqueza. • O próximo passo foi escravizar os semelhantes, fazendo-os trabalhar para essa elite. • As civilizações da Antiguidade formam os primeiros Impérios e consolida-se a idéia de PODER!
  10. 10. Evolução do Trabalho • Novas transformações ocorrem como passar do tempo especialmente devido aos conflitos entre as classes sociais. • A Burguesia e o Capitalismo Comercial se consolidaram com a Revolução Comercial, Grandes Navegações e as Manufaturas. • Com as Revoluções Industriais (1ª. e 2ª.), o Capitalismo evolui para o Capitalismo Industrial e para o Capitalismo Financeiro. • A terceira Revolução Tecnológica (informatização da produção e das comunicações) acelerou as Transformações Sociais.
  11. 11. Marx e a Práxis Humana Marx: Trabalho como elemento que transforma a natureza e estabelece necessariamente uma relação entre homens, em um processo constante de satisfação das sempre crescentes necessidades humanas. Adam Smith: Toda pessoa está continuamente empenhada em encontrar o emprego mais vantajoso para o capital de que dispõe. É sua vantagem pessoal na realidade, e não a da sociedade, o que tem em vista. Mas o estudo de sua vantagem pessoal, naturalmente, ou melhor, necessariamente o leva a preferir o emprego mais vantajoso para a sociedade.
  12. 12. Marx e a Práxis Humana • Práxis: concepção de trabalho coletivo, transformador da natureza, exterior ao homem e também da natureza do próprio homem. O ser humano é um ser de necessidades, não somente individuais, mas também sociais! Essas necessidades só podem ser satisfeitas de forma racional e consciente. Les Demoiselles d’Avignon Dance of youth
  13. 13. Marx e a Práxis Humana Níveis: 1. Base = forças produtivas, técnicas e os sistemas de produção. 2. Estruturas = dentre as quais se destacam as relações de propriedade entre as classes sociais. 3. Superestruturas = como as religiões, artes, ideologias Permeando todos os níveis estariam os conhecimentos científicos, a linguagem e o direito, por exemplo.
  14. 14. Marx e a Práxis Humana • Divisão: 1. Repetitiva = repete e não cria o novo. 2. Mimética = tende a copiar modelos sem a preocupação de entendê-los. 3. Inovadora = atividade revolucionária que possibilita os saltos técnicos, políticos e culturais que o homem deu na História.
  15. 15. Produção e Produtividade Produção: Resultado concreto do trabalho
  16. 16. Produção e Produtividade Produtividade: Relação entre a produção e o tempo
  17. 17. Produção e Produtividade Práxis Coletiva Inovadora: Manufaturas (séc. XV e XVI) ▼ Capitalistas ▼ Crescimento do mercado ▼ Divisão Técnica do Trabalho ▼ Aumento da Produtividade ▼ Observação de cada etapa da Produção ▼ Máquinas (séc. XVIII e XIX)
  18. 18. Produção e Produtividade Manufatura ► Maquinofatura O artesão detentor dos segredos de toda a produção desapareceu para dar lugar ao operário que era responsável por apenas uma fase da processo produtivo e que competia com uma grande massa de desempregados substituídos pelas máquinas! Exército Industrial de Reserva Agravamento dos Problemas Sociais
  19. 19. Divisão Internacional do Trabalho Séc. XIX e XX Produtores de • Matéria-Prima • Mercados Consumidores Fornecedores de • Produtos Industrializados • Tecnologia
  20. 20. Frederick Taylor Frederick Winslow Taylor (1856 - 1915) • métodos científicos cartesianos na administração de empresas. • Em relação ao desenvolvimento de pessoal: Treinar operários para fazê-los produzir mais e com melhor qualidade. • Em relação ao Planejamento: Metodologia própria visando sempre o seu máximo desenvolvimento da produção.
  21. 21. Frederick Taylor • Em relação à Produtividade e à participação dos recursos humanos: Estabelecida a co-participação entre o capital e o trabalho • Em relação ao autocontrole das atividades desenvolvidas e às normas procedimentais: Introduziu o controle com o objetivo de que o trabalho seja executado de acordo com uma seqüência e um tempo pré- programados, de modo a não haver desperdício operacional. • Supervisão Funcional: Fases de um trabalho devem ser acompanhadas de modo a verificar se as operações estão sendo desenvolvidas em conformidades com as instruções programadas.
  22. 22. Henri Fayol Jules Henri Fayol (1841 – 1925) • 1. Divisão do trabalho (especialização) • 2. Autoridade e responsabilidade • 3. Disciplina • 4. Unidade de comando • 5. Unidade de direção (um único plano para cada conjunto de atividades, com o mesmo objetivo) • 6. Subordinação dos interesses individuais aos da organização • 7. Remuneração do pessoal (justa e garantida)
  23. 23. Henri Fayol • 8. Centralização (da autoridade no nível superior) • 9. Cadeia escolar (considerando a linha de autoridade desde os níveis mais elevados) • 10. Ordem (para cada coisa e lugar) • 11. Equidade (amabilidade e justiça para conquistar lealdade) • 12. Estabilidade do pessoal (pois a rotatividade é prejudicial) • 13. Iniciativa (assegurar pessoalmente que um plano será realizado) • 14. Espírito de equipe.
  24. 24. Henri Ford Henry Ford (1863 – 1947) Produção em grande quantidade de automóveis a baixo custo por meio da utilização do artifício conhecido como "linha de montagem", o qual tinha condições de fabricar um carro a cada 98 minutos, além dos altos salários oferecidos a seus operários, notavelmente o valor de 5 dólares por dia, adotado em 1914.
  25. 25. Henry Ford começava a popularizar o automóvel no mundo com o lançamento do modelo T. De 1908 a 1927 foram comercializados 15 milhões de unidades do automóvel que revolucionou a industria automobilística. O primeiro Modelo T foi produzido no dia 1º de outubro de 1908. Ele foi um marco por se tratar do primeiro automóvel de baixo preço e produção em massa, com a oferta de peças para reposição. Ele tinha motor de quatro cilindros, de 20 cv, pesava 540 kg e atingia a velocidade máxima de 72 km/h, com consumo de 5,5 km/l a 9 km/l de gasolina. Até 27 de maio de 1927 foram produzidas 15 milhões de unidades. Neste dia a Ford decretou oficialmente o fim da produção do carro que Henry Ford chamava de “universal”.

×