Trabalho e sociedade

13.536 visualizações

Publicada em

Uma aula teste preparada

0 comentários
7 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
13.536
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
340
Comentários
0
Gostaram
7
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Trabalho e sociedade

  1. 1. TRABALHO E SOCIEDADE" Ariella Silva Araujo ariella.unesp@gmail.com
  2. 2. O QUE É OTRABALHO?Há muitas definições na Sociologia sobre a categoria trabalho;Historicamente o trabalho assumiu diversas conotaçõesCategoria trabalho torna-se pedra de toque na sociologia burguesa ousociologia marxista – Claus Offe;Que tipo de conceito adotaremos – o marxistaTrabalho em Marx assume um significado ontológico,
  3. 3. O TRABALHO NAS DIFERENTESSOCIEDADES – MODOS DE PRODUÇÃO Embora o trabalho seja um fenômeno essencialmente humano e realizado somente pelo homem, as formas como ele age sobre a natureza a fim de satisfazer suas necessidades variam com a história e com a sociedade; O trabalho é assim não só um processo entre um homem e a natureza mas supõe uma forma de sociedade”, dependência uns em relação aos outros, realizando-se em certas “condições sociais”, as “relações sociais de produção”. - Modo de produção Dessa forma, a humanidade conheceu diversos modos de produção
  4. 4. PRÉ CAPITALISTA São modos de produção que precederam o capitalista; São eles: Comunal-Primitivo; Escravista; Asiático Feudal
  5. 5. COMUNAL- PRIMITIVO Período muito longo, desde o aparecimento da sociedade humana. A comunidade primitiva existiu durante centenas de milhares de anos, enquanto o período compreendido pelo escravismo, pelo feudalismo e pelo capitalismo mal ultrapassa cinco milênios. Primeira forma de organização humana; Trabalho: conjunto. Meios de produção e os frutos do trabalho: propriedade coletiva, ou seja, de todos. Não existia ainda a idéia da propriedade privada dos meios de produção, nem havia a oposição proprietários x não proprietários.
  6. 6. COMUNAL- PRIMITIVO Estado: também não existia.Este só passou a existir quando alguns homens começaram a dominar outros.O estado surgiu como instrumento de organização social e de dominação.Existiu em diversas partes do mundo. Pode-se ainda encontrar esta forma deorganizaçao social em países como África, Nova Zelândia, na região daAmazonia e até mesmo no Brasil;
  7. 7. MODO DE PRODUÇÃO ESCRAVISTA Meios de produção + escravizados = propriedade do senhor. Relações de produção - relações de domínio e de sujeição: senhores x escravizados. Um pequeno número de senhores explorava a massa de escravizados, que não tinham nenhum direito. Os senhores eram proprietários da força de trabalho (os escravizados), dos meios de produção (terras, gado, minas, instrumentos de produção) e do produto de trabalho. No modo de produção comunal como os bens e a terra eram propriedade coletiva não havia a necessidade de qualquer tipo de coerção ou violência física, monopólio legítimo do Estado, segundo Max Weber
  8. 8. MODO DE PRODUÇÃO ESCRAVISTA Necessário o surgimento do Estado para garantir o direito dos senhores ; O modo de produção era essencialmente agrário; Tanto na Grécia quanto em Roma antiga o poder, o exercício da política, o conhecimento, a escrita, o teatro e todas as artes floresceram nas cidades; Na Grecia antiga, os cidadãos livres eleboravam teorias avançadas (políticia, filosofia); construíam templos, escreviam teatro etc; - Tudo era financiado pelo trabalho escravizado no campo. A cidade não era local para produção, exceto para os escravizados domésticos; Trabalho manual era ostensivamente desprezado pela cultura grega Sociedade Romana repetiu o mesmo modelo
  9. 9. MODO ASIÁTICO – SOCIEDADE HIDRÁULICA Predominou na India e no Egito da Antiguidade, bem como nas civilizações pré- colombianas dos incas (países andinos), maias (leste do México) e astecas (México- Nicarágua) Sociedades fechadas, caracterizadas por um Estado forte e uma burocracia eficiente, capaz de manter o poder total do Estado (sociedade subordinada) Meios de produção e a força de trabalho – pertenciam ao Estado, encarnado no Imperador . Abaixo dele sacerdotes, nobres e guerreiros. Grupo mais poderoso – administradores públicos (atuavam em nome do Estado) Sucumbiram aos próprios excessos, mas também por conta das invaçoes estrangeiras; No caso da sociedade asteca e inca, a conquista de seu território pelos invasores espanhóis, no século XVI, determinou seu desaparecimento;
  10. 10. MODO DEPRODUÇÃO FEUDAL Predominou na Europa ocidental entre o século V-XVI Em alguns casos prolongou-se pelo XVIII-XIX; Mas nem todos os países europeus experiementaram esse modo de produção (cidades-estado italianas – Veneza/Florença; península Ibérica – Portugal/Espanha) Estruturou-se sobre a divisao entre senhores e servos Relações de produção - propriedade do senhor sobre a terra e no trabalho agrícola do servo; Os servos não viviam como os escravizados, pois possuíam o direito de cultivar um pedaço de terra cedido pelo senhor, sendo obrigado a pagar-lhe impostos (renda ou trabalho)
  11. 11. MODO DEPRODUÇÃO FEUDAL O servo tinha direito do usufruto da terra (não podia comprá-la ou vendê-la) O senhor feudal tinha o poder econômico (terra) e político (produziam suas leis) Economia essencialmente agrária A produção no feudalismo era voltada para a satisfação das necessidades imediatas; Servo diferentemente do escravizado, não era propriedade do seu senhor, mas estava ligado à terra. Caso o senhor vendesse esse lote a outra pessoa, esta era obrigada a manter o servo na propriedade (estratificação baseada em castas)
  12. 12. AS BASES DO TRABALHO NA SOCIEDADE MODERNA – O MODO DE PRODUÇÃO CAPITALISTA Modo de produção capitalista: relações assalariadas de produção + propriedade privada dos meios de produção Trabalho assalariado ocupa o lugar do trabalho servil A burguesia é proprietária dos meios de produção e da circulação de riquezas Trabalhador é livre para trabalhar onde quiser, o que não acontecia com o servo, que esta diretamente ligado a terra; A produção – movido pelo desejo de lucro. É para aumentar seus rendimentos e expandir seus lucros/baixo custo. Para isso, recorrem a técnicas racionalizadoras do trabalho
  13. 13. ETAPAS DO CAPITALISMO Das origem, final da I. Média, aos dias de hoje, o capitalismo passou pelas seguintes fases: Pré-capitalismo. Capitalismo comercial ou mercantil Capitalismo industrial Capitalismo financeiro Sociedade pós-industrial
  14. 14. PRÉ-CAPITALISMO Do século XI ao XV O comércio e a produçao artesanal começam a se Expandir, mas o trabalho assalariado ainda é uma exceção: predomina o trabalho independente dos artesãos, donos dos meios de produção (oficinas e ferramentas), bem como da matéria-prima; Nos campos, prossegue ainda o trabalho servil, que começa a ser substituído pelo trabalho assalariado por formas de arrendamento da terra;
  15. 15. CAPITALISMO COMERCIAL OU MERCANTILDo século XV ao XVIIIO trabalho independente ainda predomina;Mas se expande o regime assalariado;A maior parte dos lucros concentra-se na mão doscomerciantes
  16. 16. CAPITALISMO INDUSTRIAL Do século XVIII ao XX Com a Revolução Industrial, o capital passa a ser investido basicamente na indústria, que se torna a atividade econômica dominante;O trabalho assalariado firma-se definitivamente;
  17. 17. CAPITALISMO FINANCEIRO Maior parte do século XX Os bancos e outras instituições financeiras passam a controlar as demais atividades econômicas por meio de financiamentos à agricultura, à pecuária, à indústria e ao comércio;
  18. 18. SOCIEDADE PÓS- INDUSTRIALDo século XX ao XXIO capital financeiro continua a dominar os outros setores daeconomia como na fase anterior;Com a globalização e o desenvolvimento das redes de computadores,grandes massas de capital passam a ser aplicadas nos países queoferecem maior lucratividade, reiterando-se deles ao menor sinal decrise; ao mesmo tempo, a indústria e a agricultura perdem importânciaem relaçao ao setor de serviços;Além disso, crescem gigantescamente os meios de comunição e osetor da informática, assim como a automação e a indústria de altatecnologia
  19. 19. SOCIALISMO: UM NOVO MODO DEPRODUÇÃO? Fundamento da sociedade socialista é a propriedade social (coletiva)dos meios de produção Nao existe empresa privada (ou apenas pequena parcela) já que os meios são coletivos/públicos Objetivo: satisfação completa das necessidades materiais e culturais da sociedade Desaparece a seração entre proprietários do capital e força de trabalho; Ainda assim, permacene diferenças individuais e saláriais, já que há a sepraçao de qualificação Economia planificada (necessidade e não lucro) Marx e Engels – Comunismo (fim das classes) ultima etapa do processo histórico; fim do Estado
  20. 20. CONCLUSÃ O Podemos perceber atraves da exposição que o percepção sobre a categoria trabalho muda de acordo com o tempo e a com a sociedade;
  21. 21. CONCLUSÃ O Sociedade greco-romanas – o trabalho escravizado era a base da economia da sociedade; Sociedade feudal – base da produção era o feudo, sendo responsável o servo; Sociedade Capitalista – a produção está vinculada ao burguês e ao proletariado, que vende sua força de trabalho (mercadoria)
  22. 22. CONCLUSÃ O Diferença entre Trabalho e Emprego , às vezes consideradas sinônimos; Trabalhar – atividade humana, consciente, deliberada (necessidade não só material, mas simbólica - artística e cultural); O trabalho existiu em todas as sociedades humanas, enquanto que o emprego é uma característica da sociedade capitalista (homens livres e iguais perante a lei) Emprego – relação contratual entre trabalhador e empregador

×