Os microorganismos

4.504 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.504
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
241
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
109
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Os microorganismos

  1. 1. Parasitas são organismos que vivem em associação com outros aos quais retiram os meiospara a sua sobrevivência, normalmente prejudicando o organismo hospedeiro, um processo conhecido por parasitismo.Todas as doenças infecciosas e as infestações dos animais e das plantas são causadas por seres considerados, em última análise, parasitas. O efeito de um parasita no hospedeiro pode ser mínimo, sem lhe afetar as funções vitais, como é o caso dos piolhos, até poder causar a sua morte, como é o caso de muitos vírus e bactérias patogênicas. Neste caso extremo, o parasita normalmente morre com o seu hospedeiro, mas em muitoscasos, o parasita pode ter-se reproduzido e disseminado os seus descendentes, que podem ter infestado outros hospedeiros, perpetuando assim a espécie.
  2. 2. Os parasitas podem classificar-se segundo a parte do corpo do hospedeiro que atacam: • Ectoparasitas atacam a parte exterior do corpo do hospedeiro; e • Endoparasitas vivem no interior do corpo do hospedeiro. • Hemoparasita parasita que vive na corrente sangüínea. Outra forma de classificar os parasitas depende dos hospedeiros e da relação entre parasita e hospedeiro: • Parasitas obrigatórios só vivem se tiverem hospedeiro, como os vírus • Parasitas facultativos não dependem do hospedeiro para sobreviver, e sim optam por parasitá-lo. Os parasitas obrigatórios são considerados mais adaptados para o parasitismo que os facultativos, uma vez que possuem adaptações para isso. Muitas vezes, um hospedeiroobrigatório desenvolve defesas contra um parasita e, se o parasita consegue desenvolver um mecanismo para ultrapassar essas defesas, pode levar a um processo chamado co- evolução. Os parasitas mais comuns são: os vírus, as bactérias, os vermes, os artrópodes e os protozoários
  3. 3. As adaptações ao parasitismo são assombrosas - desde a transformaçãodas probóscides dos mosquitos num aparelho de sucção, até à redução ou mesmo desaparecimento de praticamente todos os órgãos, com exceção dos órgãos da alimentação e os reprodutores, como acontece com as tênias e lombrigas. Alguns parasitas são de tal forma modificados que se torna difícil associá-los a espécies afins que têm vida livre, como acontece com muitos crustáceos (por exemplo, o rizocéfalo).Um outro caso de adaptação relaciona-se com a sua forma de disseminação: noscasos do plasmódio da malária ou da bilhárzia, a reprodução sexuada não se dádentro do hospedeiro, mas sim dentro de outra espécie, que pode servir apenas de vetor para a infecção de outro hospedeiro.
  4. 4. Os vírus são seres que não possuem células, são constituídos por ácido nucléico que pode ser o DNA ou o RNA, envolvido por um invólucro protéico denominado capsídeo. Possuem cerca de 0,1µm de diâmetro, com dimensões apenas observáveis ao microscópio eletrônico. Por serem tão pequenos conseguem invadir células, inclusive a de organismos unicelulares, como as bactérias.É parasitando células de outros organismos que os vírus conseguem reproduzir-se. Como são parasitas obrigatórios eles causam nos seres parasitados doenças denominadas viroses.
  5. 5. Os vírus apresentam formas de Esse material genético sofre organismo bastante modificações, ou seja diferenciadas, mas todos mutações, com freqüência,possuem uma cápsula feita de levando ao surgimento de proteína, onde fica o material variedades (subtipos) de um genético desses seres. mesmo vírus.Isso dificulta o seu combate e A capacidade de sofrer compromete a eficiência de mutações genéticas é uma das várias vacinas, que são características que os vírus preparadas para combater têm em comum com os seres tipos específicos de vivos. microorganismo.
  6. 6. A palavra vírus tem origem O nosso corpo tem defesas latina e significa "veneno". naturais, como os anticorpos,Provavelmente esse nome foi que são proteínas produzidas dado devido às viroses, que por células especiais do são doenças causadas por sangue contra agentes vírus. causadores de doenças. Quando a temperatura axilar ultrapassa 37,5 graus Celcius,A própria febre representa um porém, a pessoa deve ser mecanismo de combate as tratada pelo médico.infecções, pois o aumento da temperatura ativa o Além disso, contamos com metabolismo e acelera a produtos como vacinas, sorosreação dos glóbulos brancos. e alguns medicamentos antivirais (não confundir com antibióticos).
  7. 7. De modo geral, as viroses provocam mal-estar, dores e febre, mas cada virose tem seus sintomas próprios e pode ser mais ou menos grave. Cada tipo de vírus "ataca" células específicas.O vírus da caxumba, por exemplo, parasita as células das glândulas salivares ou parótidas, provocando inchaço e dor nas laterais do pescoço. Em algumas doenças, incluindo certas viroses, a transmissão depende da ação de um vetor. Esse termo se refere ao ser que não provoca por si mesmo a doença em outros seres, mas que, carrega no seu corpo o agente causador, podendo transmiti-lo. Comoexemplo, temos certas espécies de mosquito que transmitem vírus ao picar os indivíduos doentes e, depois, os indivíduos saudáveis, espalhando a doença. Atualmente foram identificadas aproximadamente 3.600 espécies de vírus, que podem infectar bactérias, plantas e animais, bem como se instalar e causar doenças no homem. Cada doença com particularidades quanto ao modo de transmissão, características da infecção e medidas profiláticas.
  8. 8. As doenças viróticas que mais acometem o organismo humano são as seguintes: • Gripe • Catapora ou Varicela • Caxumba • Dengue • Febre Amarela • Hepatite • Rubéola • Sarampo • Varíola • Herpes • Raiva
  9. 9. Se há um grupo de seres que apresenta grande diversidade metabólica, certamente é o das bactérias. Existem espécies heterótrofas e espécies autótrofas.Dentre as primeiras, destacam-se as parasitas, as decompositoras de matéria orgânica e as que obtêm matéria orgânica de outros seres vivos, com os quais se associam sem prejudicá-los. Dentre as autótrofas, existem espécies que produzem matéria orgânica por fotossíntese e outras que produzem por quimiossíntese.
  10. 10. O Reino Monera é formado por bactérias, cianobactérias e arqueobactérias (tambémchamadas arqueas), todos seres muito simples, unicelulares e com célula procariótica (sem núcleo diferenciado). Esses seres microscópios são geralmente menores do que 8 micrômetros ( 1µm = 0,001 mm).As bactérias (do grego bakteria: bastão) são encontrados em todos os ecossistemas da Terra e são de grande importância para a saúde, para o ambiente e a economia. As bactérias são encontradas em qualquer tipo de meio: mar, água doce, solo, ar e, inclusive, no interior de muitos seres vivos.
  11. 11. Decomposição de matéria orgânica morta. Esse processo é efetuado tanto aeróbia, quanto anaerobiamente; Patologias no homem;Processos industriais, como por exemplo, os lactobacilos, utilizados na indústria de transformação do leite em coalhada;Ciclo do nitrogênio, em que atuam em diversas fases, fazendo com que o nitrogênio atmosférico possa ser utilizado pelas plantas; Engenharia Genética e Biotecnologia para a síntese de várias substâncias, entre elas a insulina e o hormônio de crescimento.
  12. 12. Bactérias são microorganismos unicelulares, procariotos, podendo viver isoladamente ou construir agrupamentos coloniais de diversos formatos. As células bacterianas contém os quatro componentes fundamentais a qualquer célula: membrana plasmática, citoplasma, ribossomos e cromatina, no caso, uma molécula de DNA circular, que constitui o único cromossomo bacteriano.A região ocupada pelo cromossomo bacteriano costuma ser denominada nucleóide. Externamente à membrana plasmática existe uma parede celular (membrana esquelética, de composição química específica de bactérias). É comum existirem plasmídios - moléculas de DNA não ligada ao cromossomo bacteriano - espalhados pelo hialoplasma. Plasmídios costumam conter genes para resistência a antibióticos.
  13. 13. Algumas espécies de bactérias possuem, externamente à membrana esquelética, outro envoltório, mucilaginoso, chamado de cápsula. É o caso dos pneumococos (bactérias causadoras de pneumonia). Descobriu-se que a periculosidade dessas bactérias reside na cápsula em umexperimento, ratos infectados com pneumococo sem cápsula tiveram a doença porém não morreram, enquanto pneumococos capsulados causaram pneumonia letal.A parede da célula bacteriana, também conhecida como membrana esquelética, reveste externamente a membrana plasmática, e é constituída de uma substância química exclusiva das bactérias conhecida como mureína (ácido n-acetil murâmico).
  14. 14. As bactérias patogênicas são aquelas que causam doenças, como a tuberculose e a lepra. Os antibióticos são medicamentos utilizados no combate às doenças causadas por bactérias; porém, o seu uso não deve ser indiscriminado, isto é, sem receita médica ou por períodos de tempo incorreto. Isso acaba por selecionar e favorecer linhagens de bactérias resistentes, dificultando a cura de várias infecções.
  15. 15. TuberculoseLeptospirose Hanseníase Difteria Cólera Meningite Tétano
  16. 16. Os protozoários são Protozoário é uma palavra seres heterótrofos. Podem de origem grega que viver isolados ou formarsignifica "animal primitivo". colônias, ter vida livre ouOs protozoários receberam associar-se a outros esse nome porque, no organismos, e habitam ospassado, alguns deles, ao mais variados tipos de serem estudados, foram ambiente.confundidos com animais. Algumas espécies são parasitas de seres diversos, até mesmo do ser humano.
  17. 17. Sarcodíneos ou Rizópodes- são protozoários que se locomovem estendendo pseudópodes, expansões em sua célula que atuam como "falsos pés". As amebas são um exemplo de sarcodíneo.Flagelados - são os que "nadam" com auxílio de flagelos (longos filamentosque vibram e permitem a locomoção). Um exemplo de flagelado é a giardia. Ciliados - são seres que utilizam cílios (pequenos filamentos ao longo do corpo) na locomoção, como o paramécio. Esporozoários- são protozoários que não possuem estruturas de locomoção. Eles são todos parasitas e causam doenças. Entre eles está o plasmódio, causador da malária.
  18. 18. Doenças causadas por protozoários parasitas envolvem, basicamente, dois locais deparasitismo: o sangue e o tubo digestório.No entanto, a pele, o coração, os órgãs do sistema genital e os sistema linfático tambémconstituem locais em que os parasitas podem se instalar. Essas doenças envolvem, emseu ciclo, hospedeiros, isto é, organismos vivos em que os parasitas se desenvolvem.Caso o agente parasitário utilize dois hospedeiros para completar o seu ciclo de vida,considera-se como: • Hospedeiro definitivo aquele local no qual o parasita se reproduz sexuadamente. • Hospedeiro intermediário é aquele no qual o parasita se reproduz assexuadamente.Quase sempre o homem atua como hospedeiro definitivo; na malária, no entanto, areprodução sexuada dos parasitas ocorre nos pernilongos que são, então, consideradoshospedeiros definitivos, sendo o homem o hospedeiro intermediário.
  19. 19. Protozooses mais comuns no Brasil: •Malária •Amebíase •Doença de Chagas •Giardíase •Tricomoníase
  20. 20. Os platelmintos são vermes que surgiram na Terra há provavelmente cerca de 600 milhões de anos.Esses animais têm o corpo geralmente achatado, daí o nome do grupo: platelmintos (do grego platy: achatado; e helmin: verme).Os platelmintos, que compreendem em torno de 15 mil espécies, vivem principalmente em ambientes aquáticos, como oceanos, rios e lagos; são encontrados também em ambientes terrestres úmidos. Alguns têm vida livre, outros parasitam animais diversos, especialmente vertebrados. Medindo desde alguns milímetros até metros de comprimento, os platelmintos possuem tubo digestório incompleto, ou seja, têm apenas uma abertura - a boca-, por onde ingerem alimentos e eliminam as fezes; portanto, não possuem ânus.Alguns nem tubo digestório têm e vivem adaptados à vida parasitária, absorvendo, através da pele, o alimento previamente digerido pelo organismo hospedeiro.
  21. 21. Os nematelmintos (do grego nematos: filamento, e helmin: vermes) são vermes de corpocilíndrico, afilado nas extremidades. Muitas espécies são de vida livre e vivem em ambienteaquático outerrestre; outras são parasitas de plantas e de animais, inclusive o ser humano.Há mais de 10 mil espécies desse tipo de vermes catalogadas, mas cálculos feitos indicam a existência de muitas outras espécies, ainda desconhecidas. Ao contrário dos platelmintos, os nematelmintos possuem tubo digestório completo, com boca e ânus. Geralmente têm sexos separados, e as diferenças entre o macho e a fêmea podem ser bem nítidas, como no caso dos principais parasitas humanos. De modo geral o macho é menor do que a fêmea da mesma idade e sua extremidade posterior possui forma de gancho. Esses animais são envolvidos por uma fina e delicada película protetora, que é bem lisa e resistente.
  22. 22. • Teníase Platelmintos: • Esquistossomose • Oxiuríase • Filaríase • AscaridíaseNematelmintos: • Ancilostomíase

×