SlideShare uma empresa Scribd logo
PAT R Í C I A D E C A S T I L H O S
Desenvolvimento do
embrião
Considerações iniciais
 Fecundação – ocorre na trompas uterinas
 Forma o Ovo ou Zigoto
 As divisões iniciais do ovo constituem as clivagens e
originam células chamadas de blastômeros.
Considerações iniciais
 Processo de segmentação – depende da quantidade
de vitelo do gameta feminino
 Rápido aumento no numero de células
 Não altera (*) o volume total
 Os blastômeros formados se mantém no interior da
membrana pelúcida.
Considerações iniciais
 Conjunto de blastômeros forma uma esfera maciça de
poucas células (em torno de 16 blastômeros) - Mórula
 3º ao 4º dia
Considerações iniciais
 Mórula (16 a 64 céls)
 Levado passivamente através das trompas
 Nutrição por absorção de líquidos
produzidos pelas trompa
 Membrana pelúcida
 1-2 células internas rodeadas por
células externas
 Formação doTrofoblasto – necessário
para implantação
Considerações iniciais
 Absorção dos líquidos – forma um cavidade
 Rompe a membrana pelúcida
 Nova fase – vesícula com aglomerados de células nos polos
 Blástula
 Estágio de 128 células
 Blastocele (cavidade)
 Trofoblasto
 Massa celular interna
 5º dia.
Liberação da zona pelúcida
Considerações iniciais
 Durante a fase de mórula e a de blástula, o volume total
permanece praticamente constante, embora aumente o
número de células – celularização!
Desenvolvimento do embrião
Blastulação
 Mamíferos
 Massa celular interna – corpo do embrião
 Embrioblasto ou nó embrionário
 Origem a todas as células que formarão o embrião
 Células tronco
 Trofoblasto
 Implantação 5º - 6º dia
blastocisto
Blastulação
 Diferenciação
 Trofoblasto:
 Citotrofoblasto
 Sinciciotrofoblasto
NIDAÇÃO
Implantação - BLASTULA
 Trofoblasto digere endométrio
 Sinciciotrofoblasto
 Obs – trofoblastos
Superiores formam o
Citotrofoblasto
 Âmnio
 Saco vitelínico
Implantação – fase de Blástula
Desenvolvimento do embrião
Implantação - BLASTULA
 Nidação é facilitada também pela mucosa uterina
 Grande processo de secreção
 Glicogênio
 Dia do ciclo menstrual – 20º ao 22º dia
 Fecundação = 24 horas Da ovulação
 5 a 6 dias para implantar
 Nutrição do embrião:
 Secreção materna e sangue extravasado durante a penetração
Desenvolvimento do embrião
Considerações sobre o Trofoblasto
 Implantação
 Participação na
formação da
placenta
 Produção do
hormônio
gonadotrófico
coriônico
 Impede regressão
do corpo lúteo
 Impede a ocorrência
da menstruação
 Diferenciação da Massa
Celular Interna:
 Divisão
 Epiblasto
 Hipoblasto
 No epiblasto há a
formação de uma
pequena cavidade:
Vesícula amniótica
Considerações sobre o Trofoblasto
 Hipoblasto recobre a parede da blastocele
 Formação daVesículaVitelínica
Formação do disco embrionário
 Ponto de união entre as duas cavidades:
 Origem dos constituintes do embrião
 Células que formarão estruturas endodérmicas externas –
saco vitelinico (hipoblasto)
 Células que formarão órgãos ectodérmicos, mesodérmicos do
embrião e do sistema nervoso – superfície do embrião
(epiblasto)
 Princípio da morfogênese = Gastrulação
Gastrulação
 Processo integrado a migração de células e tecidos –
reorganização das células da blástula
 Morfogênese (desenvolvimento da forma do corpo) e é
o evento significativo que ocorre durante a terceira
semana de gravidez (9º dia) nos seres humanos
 Processo que estabelece os 3 folhetos germinativos do
embrião
 Endoderme, mesoderme e ectoderme
Gastrulação
 Nova cavidade = arquêntero.
 Blastóporo – comunicação com o meio externo
 Anus – deuterostomios
 Boca - protostomios
Desenvolvimento do embrião
Gastrulação
 Movimentos celulares básicos envolvidos no processo
de gastrulação, movimentos denominados em conjunto
como movimentos morfogenéticos.
 Estes movimentos são: epibolia, invaginação,
involução, ingresso de células e delaminação
Massa celular internaTrofoblasto
Epibolia
 Como os macrômeros se multiplicam
numa velocidade menor do que os
micrômeros, esses se achatam e
escorregam para o interior da
gástrula
 Formação do botão embrionário
 Nó primitivo / Área de Hensen
 Linha primitiva
Invaginação
 É o processo mais simples, onde há dobramento para
dentro, de uma região de células
Invaginação
 Invaginação das células resulta na formação da
mesoderme e substituição de algumas das células para
produzir o endoderme definitivo.
Involução
 É o movimento no qual uma camada celular em
expansão se dobra sobre si mesma formando
uma segunda camada que continua se estendendo no
sentido contrário ao da primeira.
Ingressão de células
 Migração individual e ativa de células para o interior do
embrião.
Delaminação
 É o movimento no qual as células da blastoderme
dividem-se, segundo um plano paralelo à superfície,
formando a endoderme
 Formação de camadas
Gastrulação
 1. Formação da linha primitiva e nódulo de Hensen (dilatação)
– sentido caudocefálico.
 2. Invaginação das células na linha primitiva, por forma a
colocarem-se entre a ectoderme e a mesoderme – 3º folheto
germinativo primário
 3. Invaginação das células na área de Hensen - notocorda ou
corda dorsal
 Começa a esboçar-se a placa neural
Formação da
Notocorda e Placa
Neural
Desenvolvimento do embrião
 Ocorre proliferação celular na superfície do epiblasto, para formação
das camadas germinativas.
 O 1º evento da gastrulação é a migração dessas células que se
proliferaram rumo à linha média longitudinal do disco embrionário
formando a linha primitiva.
 Na extremidade cefálica forma-se uma protusão celular, o nó
primitivo, em cujo centro surge a fosseta primitiva.
 Na extremidade caudal há uma área circular que é a membrana
cloacal (futuro local do ânus).
Gastrulação
Anfioxo
 Exemplo de estudo
Anfíbios
Aves
vitelo
Cavidade
subgerminativa
vitelo vitelo
Epiblasto
Hipoblasto
Mamíferos
 Formação do disco embrionário
 Após a fixação ao endométrio
 Desenvolvimento das camadas germinativas (epiblasto)
 Endoderme, mesoderme e ectoderme
Massa celular internaTrofoblasto
Desenvolvimento do embrião
Anexos embrionários
 Âmnio
 Cavidade líquida – impede desidratação, choques mecânicos, termorregulação
 Alantóide
 Cordão umbilical – troca gasosa e de excretas (placenta)
 Saco vitelínico
 Cório
 Trofoblasto diferenciado – hormonal (HCG) e trocas gasosas (vascularizado)
 Placenta
 Cório + mucosa uterina
Desenvolvimento do embrião
Desenvolvimento do embrião
Formação de gêmeos
 Dizigóticos – processos de fertilizações distintos
 Monozigóticos
 Um único embrião por algum motivo separou suas células
 Separação dos blastômeros iniciais (33%)
 2 córios
 Separação da Massa Celular Interna
 Antes da formação do Âmnio (9º dia) (65%)
 1 cório e 2 amnio
 Após formação dos anexos (2%)
 Gêmeos siameses
Da gastrulação a neurulação

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula gametogênese
Aula gametogêneseAula gametogênese
Aula gametogênese
César Milani
 
Aula 1° fecundação, embriologia e anexos embrionários
Aula 1° fecundação, embriologia e anexos embrionáriosAula 1° fecundação, embriologia e anexos embrionários
Aula 1° fecundação, embriologia e anexos embrionários
MARCIAMP
 
Fecundação
FecundaçãoFecundação
Fecundação
rosapolly
 
Introdução a embriologia aula oficial
Introdução a embriologia aula  oficialIntrodução a embriologia aula  oficial
Introdução a embriologia aula oficial
Daiane Costa
 
Fecundação Humana e Desenvolvimento Embrionário.
Fecundação Humana e Desenvolvimento Embrionário.Fecundação Humana e Desenvolvimento Embrionário.
Fecundação Humana e Desenvolvimento Embrionário.
Martha Gislayne
 
Aula 12 sistema reprodutor masculino e feminino - anatomia e fisiologia
Aula 12   sistema reprodutor masculino e feminino - anatomia e fisiologiaAula 12   sistema reprodutor masculino e feminino - anatomia e fisiologia
Aula 12 sistema reprodutor masculino e feminino - anatomia e fisiologia
Hamilton Nobrega
 
Gravidez e desenvolvimento embrionário
Gravidez e desenvolvimento embrionárioGravidez e desenvolvimento embrionário
Gravidez e desenvolvimento embrionário
Isabel Lopes
 
Placenta e membranas cap08
Placenta e membranas cap08Placenta e membranas cap08
Placenta e membranas cap08
João Monteiro
 
Desenvolvimento Embrionário!
Desenvolvimento Embrionário!Desenvolvimento Embrionário!
Desenvolvimento Embrionário!
Rosalia Azambuja
 
Gametogênese
GametogêneseGametogênese
Gametogênese
naiellyrodrigues
 
Embriologia animal
Embriologia animalEmbriologia animal
Embriologia animal
Thiago Benevides
 
Reprodução humana
Reprodução humanaReprodução humana
Reprodução humana
Bio Sem Limites
 
fecundação, gravidez e início da vida
fecundação, gravidez e início da vida fecundação, gravidez e início da vida
fecundação, gravidez e início da vida
Isabel Lopes
 
Ciclo Celular
Ciclo CelularCiclo Celular
Ciclo Celular
Ana Arsénio
 
1 ano desenvolvimento embrionário e anexos embrionários
1 ano desenvolvimento embrionário e anexos embrionários1 ano desenvolvimento embrionário e anexos embrionários
1 ano desenvolvimento embrionário e anexos embrionários
crisbassanimedeiros
 
Desenvolvimento embrionario
Desenvolvimento embrionarioDesenvolvimento embrionario
Desenvolvimento embrionario
Ana Paula Taveira
 
Embriologia humana 1a a 3a semana
Embriologia humana 1a a 3a semana Embriologia humana 1a a 3a semana
Embriologia humana 1a a 3a semana
Diego Magalhães
 
Produção de gâmetas
Produção de gâmetasProdução de gâmetas
Produção de gâmetas
Tânia Reis
 
Sistema Reprodutor Masculino - Anatomia Humana
Sistema Reprodutor Masculino - Anatomia HumanaSistema Reprodutor Masculino - Anatomia Humana
Sistema Reprodutor Masculino - Anatomia Humana
Enfº Ícaro Araújo
 
Embriologia básica
Embriologia básicaEmbriologia básica
Embriologia básica
Marco Antonio
 

Mais procurados (20)

Aula gametogênese
Aula gametogêneseAula gametogênese
Aula gametogênese
 
Aula 1° fecundação, embriologia e anexos embrionários
Aula 1° fecundação, embriologia e anexos embrionáriosAula 1° fecundação, embriologia e anexos embrionários
Aula 1° fecundação, embriologia e anexos embrionários
 
Fecundação
FecundaçãoFecundação
Fecundação
 
Introdução a embriologia aula oficial
Introdução a embriologia aula  oficialIntrodução a embriologia aula  oficial
Introdução a embriologia aula oficial
 
Fecundação Humana e Desenvolvimento Embrionário.
Fecundação Humana e Desenvolvimento Embrionário.Fecundação Humana e Desenvolvimento Embrionário.
Fecundação Humana e Desenvolvimento Embrionário.
 
Aula 12 sistema reprodutor masculino e feminino - anatomia e fisiologia
Aula 12   sistema reprodutor masculino e feminino - anatomia e fisiologiaAula 12   sistema reprodutor masculino e feminino - anatomia e fisiologia
Aula 12 sistema reprodutor masculino e feminino - anatomia e fisiologia
 
Gravidez e desenvolvimento embrionário
Gravidez e desenvolvimento embrionárioGravidez e desenvolvimento embrionário
Gravidez e desenvolvimento embrionário
 
Placenta e membranas cap08
Placenta e membranas cap08Placenta e membranas cap08
Placenta e membranas cap08
 
Desenvolvimento Embrionário!
Desenvolvimento Embrionário!Desenvolvimento Embrionário!
Desenvolvimento Embrionário!
 
Gametogênese
GametogêneseGametogênese
Gametogênese
 
Embriologia animal
Embriologia animalEmbriologia animal
Embriologia animal
 
Reprodução humana
Reprodução humanaReprodução humana
Reprodução humana
 
fecundação, gravidez e início da vida
fecundação, gravidez e início da vida fecundação, gravidez e início da vida
fecundação, gravidez e início da vida
 
Ciclo Celular
Ciclo CelularCiclo Celular
Ciclo Celular
 
1 ano desenvolvimento embrionário e anexos embrionários
1 ano desenvolvimento embrionário e anexos embrionários1 ano desenvolvimento embrionário e anexos embrionários
1 ano desenvolvimento embrionário e anexos embrionários
 
Desenvolvimento embrionario
Desenvolvimento embrionarioDesenvolvimento embrionario
Desenvolvimento embrionario
 
Embriologia humana 1a a 3a semana
Embriologia humana 1a a 3a semana Embriologia humana 1a a 3a semana
Embriologia humana 1a a 3a semana
 
Produção de gâmetas
Produção de gâmetasProdução de gâmetas
Produção de gâmetas
 
Sistema Reprodutor Masculino - Anatomia Humana
Sistema Reprodutor Masculino - Anatomia HumanaSistema Reprodutor Masculino - Anatomia Humana
Sistema Reprodutor Masculino - Anatomia Humana
 
Embriologia básica
Embriologia básicaEmbriologia básica
Embriologia básica
 

Destaque

Introdução à embriologia
Introdução à embriologiaIntrodução à embriologia
Introdução à embriologia
Patricia de Castilhos
 
Embriologia
EmbriologiaEmbriologia
Embriologia
Altair Hoepers
 
Embriogenese
EmbriogeneseEmbriogenese
Embriogenese
Jolealpp
 
Reino animalia ou metazoa
Reino animalia ou metazoaReino animalia ou metazoa
Reino animalia ou metazoa
Juliana Soares
 
Trabalho parasitismo
Trabalho parasitismoTrabalho parasitismo
Trabalho parasitismo
Alana Wellergton
 
Classificação dos metazoa
Classificação dos metazoaClassificação dos metazoa
Classificação dos metazoa
Colégios particulares
 
Os microorganismos
Os microorganismosOs microorganismos
Os microorganismos
SESI 422 - Americana
 
Parasitismo
ParasitismoParasitismo
Parasitismo
Nelson Bidarra
 
Neurobiologia da aprendizagem
Neurobiologia da aprendizagemNeurobiologia da aprendizagem
Neurobiologia da aprendizagem
Paulo Pedro P. R. Costa
 
Embriogenese
EmbriogeneseEmbriogenese
Embriogenese
César Milani
 
Embriologia
EmbriologiaEmbriologia
Embriologia
aulasdotubao
 
Reino animalia
Reino animaliaReino animalia
Reino animalia
Fatima Comiotto
 
Aulas 1° bimestre (biologia celular) ínicio
Aulas 1° bimestre (biologia celular)   ínicioAulas 1° bimestre (biologia celular)   ínicio
Aulas 1° bimestre (biologia celular) ínicio
santhdalcin
 
Célula eucariotica Animal - Citologia
Célula eucariotica Animal - CitologiaCélula eucariotica Animal - Citologia
Célula eucariotica Animal - Citologia
Dalvânia Santos
 
5 hemostasia e bioquimica do sistema circulatorio
5 hemostasia e bioquimica do sistema circulatorio5 hemostasia e bioquimica do sistema circulatorio
5 hemostasia e bioquimica do sistema circulatorio
manetoufrj
 
Citologia embriologia animal
Citologia   embriologia animalCitologia   embriologia animal
Citologia embriologia animal
Marcos Lopes
 
Reino Animalia (Metazoa)
Reino Animalia (Metazoa)Reino Animalia (Metazoa)
Reino Animalia (Metazoa)
Diego Yamazaki Bolano
 
Animais
AnimaisAnimais
Anemias carenciais na infância
Anemias carenciais na infânciaAnemias carenciais na infância
Anemias carenciais na infância
Henrique Fiorillo
 
Aula organogênese
Aula organogêneseAula organogênese
Aula organogênese
Pedro Lopes
 

Destaque (20)

Introdução à embriologia
Introdução à embriologiaIntrodução à embriologia
Introdução à embriologia
 
Embriologia
EmbriologiaEmbriologia
Embriologia
 
Embriogenese
EmbriogeneseEmbriogenese
Embriogenese
 
Reino animalia ou metazoa
Reino animalia ou metazoaReino animalia ou metazoa
Reino animalia ou metazoa
 
Trabalho parasitismo
Trabalho parasitismoTrabalho parasitismo
Trabalho parasitismo
 
Classificação dos metazoa
Classificação dos metazoaClassificação dos metazoa
Classificação dos metazoa
 
Os microorganismos
Os microorganismosOs microorganismos
Os microorganismos
 
Parasitismo
ParasitismoParasitismo
Parasitismo
 
Neurobiologia da aprendizagem
Neurobiologia da aprendizagemNeurobiologia da aprendizagem
Neurobiologia da aprendizagem
 
Embriogenese
EmbriogeneseEmbriogenese
Embriogenese
 
Embriologia
EmbriologiaEmbriologia
Embriologia
 
Reino animalia
Reino animaliaReino animalia
Reino animalia
 
Aulas 1° bimestre (biologia celular) ínicio
Aulas 1° bimestre (biologia celular)   ínicioAulas 1° bimestre (biologia celular)   ínicio
Aulas 1° bimestre (biologia celular) ínicio
 
Célula eucariotica Animal - Citologia
Célula eucariotica Animal - CitologiaCélula eucariotica Animal - Citologia
Célula eucariotica Animal - Citologia
 
5 hemostasia e bioquimica do sistema circulatorio
5 hemostasia e bioquimica do sistema circulatorio5 hemostasia e bioquimica do sistema circulatorio
5 hemostasia e bioquimica do sistema circulatorio
 
Citologia embriologia animal
Citologia   embriologia animalCitologia   embriologia animal
Citologia embriologia animal
 
Reino Animalia (Metazoa)
Reino Animalia (Metazoa)Reino Animalia (Metazoa)
Reino Animalia (Metazoa)
 
Animais
AnimaisAnimais
Animais
 
Anemias carenciais na infância
Anemias carenciais na infânciaAnemias carenciais na infância
Anemias carenciais na infância
 
Aula organogênese
Aula organogêneseAula organogênese
Aula organogênese
 

Semelhante a Desenvolvimento do embrião

Embriologia
EmbriologiaEmbriologia
Embriologia
Isadora Oliveira
 
Fecundação e segmentação 2012.1
Fecundação e segmentação 2012.1Fecundação e segmentação 2012.1
Fecundação e segmentação 2012.1
Márcio Edvaldo
 
Apresentação biologia, ju e bi
Apresentação biologia, ju e biApresentação biologia, ju e bi
Apresentação biologia, ju e bi
Roberto Bagatini
 
Mapa conceitual embriologia
Mapa conceitual embriologiaMapa conceitual embriologia
Mapa conceitual embriologia
Alisson pereira
 
Embriologia e Anexos Embrionários
Embriologia e Anexos EmbrionáriosEmbriologia e Anexos Embrionários
Embriologia e Anexos Embrionários
aulasdoaris
 
Embriologia
EmbriologiaEmbriologia
Embriologia
URCA
 
Embrio091107 resumo para 3s2011
Embrio091107 resumo para 3s2011Embrio091107 resumo para 3s2011
Embrio091107 resumo para 3s2011
Ionara Urrutia Moura
 
Embriologia médica
Embriologia médicaEmbriologia médica
Embriologia médica
naiellyrodrigues
 
Desenvolvimento embrionário dos animais 2
Desenvolvimento embrionário dos animais 2Desenvolvimento embrionário dos animais 2
Desenvolvimento embrionário dos animais 2
letyap
 
Desenen. embri
Desenen. embriDesenen. embri
Desenen. embri
Alisson pereira
 
Enfermagem
Enfermagem Enfermagem
Enfermagem
Rayan Ribeiro
 
Embrio Ia
Embrio IaEmbrio Ia
Embrio Ia
Natalianeto
 
desenvolvimentoembrionriodosanimais2-110117092527-phpapp02.pdf
desenvolvimentoembrionriodosanimais2-110117092527-phpapp02.pdfdesenvolvimentoembrionriodosanimais2-110117092527-phpapp02.pdf
desenvolvimentoembrionriodosanimais2-110117092527-phpapp02.pdf
RhuanPablo26
 
embriologia animal.pptx
embriologia animal.pptxembriologia animal.pptx
embriologia animal.pptx
RhuanPablo26
 
Embriologia animal
Embriologia animalEmbriologia animal
Embriologia animal
Werner Mendoza Blanco
 
1 até 3ª semana do desenvolvimento embrionário aluno
1 até 3ª semana do desenvolvimento embrionário aluno1 até 3ª semana do desenvolvimento embrionário aluno
1 até 3ª semana do desenvolvimento embrionário aluno
Jaqueline Almeida
 
Embriologia geral
Embriologia geralEmbriologia geral
Embriologia geral
Carlos Priante
 
Aula4embriologia 150510143838-lva1-app6892
Aula4embriologia 150510143838-lva1-app6892Aula4embriologia 150510143838-lva1-app6892
Aula4embriologia 150510143838-lva1-app6892
MARISTA , UVA, FIC, FAINTER, GÊNESIS
 
2.5.GestaçãO D
2.5.GestaçãO D2.5.GestaçãO D
2.5.GestaçãO D
Cidalia Aguiar
 
2.5.GestaçãO D
2.5.GestaçãO D2.5.GestaçãO D
2.5.GestaçãO D
Cidalia Aguiar
 

Semelhante a Desenvolvimento do embrião (20)

Embriologia
EmbriologiaEmbriologia
Embriologia
 
Fecundação e segmentação 2012.1
Fecundação e segmentação 2012.1Fecundação e segmentação 2012.1
Fecundação e segmentação 2012.1
 
Apresentação biologia, ju e bi
Apresentação biologia, ju e biApresentação biologia, ju e bi
Apresentação biologia, ju e bi
 
Mapa conceitual embriologia
Mapa conceitual embriologiaMapa conceitual embriologia
Mapa conceitual embriologia
 
Embriologia e Anexos Embrionários
Embriologia e Anexos EmbrionáriosEmbriologia e Anexos Embrionários
Embriologia e Anexos Embrionários
 
Embriologia
EmbriologiaEmbriologia
Embriologia
 
Embrio091107 resumo para 3s2011
Embrio091107 resumo para 3s2011Embrio091107 resumo para 3s2011
Embrio091107 resumo para 3s2011
 
Embriologia médica
Embriologia médicaEmbriologia médica
Embriologia médica
 
Desenvolvimento embrionário dos animais 2
Desenvolvimento embrionário dos animais 2Desenvolvimento embrionário dos animais 2
Desenvolvimento embrionário dos animais 2
 
Desenen. embri
Desenen. embriDesenen. embri
Desenen. embri
 
Enfermagem
Enfermagem Enfermagem
Enfermagem
 
Embrio Ia
Embrio IaEmbrio Ia
Embrio Ia
 
desenvolvimentoembrionriodosanimais2-110117092527-phpapp02.pdf
desenvolvimentoembrionriodosanimais2-110117092527-phpapp02.pdfdesenvolvimentoembrionriodosanimais2-110117092527-phpapp02.pdf
desenvolvimentoembrionriodosanimais2-110117092527-phpapp02.pdf
 
embriologia animal.pptx
embriologia animal.pptxembriologia animal.pptx
embriologia animal.pptx
 
Embriologia animal
Embriologia animalEmbriologia animal
Embriologia animal
 
1 até 3ª semana do desenvolvimento embrionário aluno
1 até 3ª semana do desenvolvimento embrionário aluno1 até 3ª semana do desenvolvimento embrionário aluno
1 até 3ª semana do desenvolvimento embrionário aluno
 
Embriologia geral
Embriologia geralEmbriologia geral
Embriologia geral
 
Aula4embriologia 150510143838-lva1-app6892
Aula4embriologia 150510143838-lva1-app6892Aula4embriologia 150510143838-lva1-app6892
Aula4embriologia 150510143838-lva1-app6892
 
2.5.GestaçãO D
2.5.GestaçãO D2.5.GestaçãO D
2.5.GestaçãO D
 
2.5.GestaçãO D
2.5.GestaçãO D2.5.GestaçãO D
2.5.GestaçãO D
 

Último

Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
jetroescola
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Relatório de Atividades 2018 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2018 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2018 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2018 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
responder de alfabetização e questoe.pdf
responder de alfabetização e questoe.pdfresponder de alfabetização e questoe.pdf
responder de alfabetização e questoe.pdf
marcos oliveira
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 

Último (20)

Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
 
Relatório de Atividades 2018 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2018 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2018 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2018 CENSIPAM.pdf
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
responder de alfabetização e questoe.pdf
responder de alfabetização e questoe.pdfresponder de alfabetização e questoe.pdf
responder de alfabetização e questoe.pdf
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 

Desenvolvimento do embrião

  • 1. PAT R Í C I A D E C A S T I L H O S Desenvolvimento do embrião
  • 2. Considerações iniciais  Fecundação – ocorre na trompas uterinas  Forma o Ovo ou Zigoto  As divisões iniciais do ovo constituem as clivagens e originam células chamadas de blastômeros.
  • 3. Considerações iniciais  Processo de segmentação – depende da quantidade de vitelo do gameta feminino  Rápido aumento no numero de células  Não altera (*) o volume total  Os blastômeros formados se mantém no interior da membrana pelúcida.
  • 4. Considerações iniciais  Conjunto de blastômeros forma uma esfera maciça de poucas células (em torno de 16 blastômeros) - Mórula  3º ao 4º dia
  • 5. Considerações iniciais  Mórula (16 a 64 céls)  Levado passivamente através das trompas  Nutrição por absorção de líquidos produzidos pelas trompa  Membrana pelúcida  1-2 células internas rodeadas por células externas  Formação doTrofoblasto – necessário para implantação
  • 6. Considerações iniciais  Absorção dos líquidos – forma um cavidade  Rompe a membrana pelúcida  Nova fase – vesícula com aglomerados de células nos polos  Blástula  Estágio de 128 células  Blastocele (cavidade)  Trofoblasto  Massa celular interna  5º dia.
  • 8. Considerações iniciais  Durante a fase de mórula e a de blástula, o volume total permanece praticamente constante, embora aumente o número de células – celularização!
  • 10. Blastulação  Mamíferos  Massa celular interna – corpo do embrião  Embrioblasto ou nó embrionário  Origem a todas as células que formarão o embrião  Células tronco  Trofoblasto  Implantação 5º - 6º dia blastocisto
  • 11. Blastulação  Diferenciação  Trofoblasto:  Citotrofoblasto  Sinciciotrofoblasto NIDAÇÃO
  • 12. Implantação - BLASTULA  Trofoblasto digere endométrio  Sinciciotrofoblasto  Obs – trofoblastos Superiores formam o Citotrofoblasto  Âmnio  Saco vitelínico
  • 13. Implantação – fase de Blástula
  • 15. Implantação - BLASTULA  Nidação é facilitada também pela mucosa uterina  Grande processo de secreção  Glicogênio  Dia do ciclo menstrual – 20º ao 22º dia  Fecundação = 24 horas Da ovulação  5 a 6 dias para implantar  Nutrição do embrião:  Secreção materna e sangue extravasado durante a penetração
  • 17. Considerações sobre o Trofoblasto  Implantação  Participação na formação da placenta  Produção do hormônio gonadotrófico coriônico  Impede regressão do corpo lúteo  Impede a ocorrência da menstruação
  • 18.  Diferenciação da Massa Celular Interna:  Divisão  Epiblasto  Hipoblasto  No epiblasto há a formação de uma pequena cavidade: Vesícula amniótica
  • 19. Considerações sobre o Trofoblasto  Hipoblasto recobre a parede da blastocele  Formação daVesículaVitelínica
  • 20. Formação do disco embrionário  Ponto de união entre as duas cavidades:  Origem dos constituintes do embrião  Células que formarão estruturas endodérmicas externas – saco vitelinico (hipoblasto)  Células que formarão órgãos ectodérmicos, mesodérmicos do embrião e do sistema nervoso – superfície do embrião (epiblasto)  Princípio da morfogênese = Gastrulação
  • 21. Gastrulação  Processo integrado a migração de células e tecidos – reorganização das células da blástula  Morfogênese (desenvolvimento da forma do corpo) e é o evento significativo que ocorre durante a terceira semana de gravidez (9º dia) nos seres humanos  Processo que estabelece os 3 folhetos germinativos do embrião  Endoderme, mesoderme e ectoderme
  • 22. Gastrulação  Nova cavidade = arquêntero.  Blastóporo – comunicação com o meio externo  Anus – deuterostomios  Boca - protostomios
  • 24. Gastrulação  Movimentos celulares básicos envolvidos no processo de gastrulação, movimentos denominados em conjunto como movimentos morfogenéticos.  Estes movimentos são: epibolia, invaginação, involução, ingresso de células e delaminação Massa celular internaTrofoblasto
  • 25. Epibolia  Como os macrômeros se multiplicam numa velocidade menor do que os micrômeros, esses se achatam e escorregam para o interior da gástrula  Formação do botão embrionário  Nó primitivo / Área de Hensen  Linha primitiva
  • 26. Invaginação  É o processo mais simples, onde há dobramento para dentro, de uma região de células
  • 27. Invaginação  Invaginação das células resulta na formação da mesoderme e substituição de algumas das células para produzir o endoderme definitivo.
  • 28. Involução  É o movimento no qual uma camada celular em expansão se dobra sobre si mesma formando uma segunda camada que continua se estendendo no sentido contrário ao da primeira.
  • 29. Ingressão de células  Migração individual e ativa de células para o interior do embrião.
  • 30. Delaminação  É o movimento no qual as células da blastoderme dividem-se, segundo um plano paralelo à superfície, formando a endoderme  Formação de camadas
  • 31. Gastrulação  1. Formação da linha primitiva e nódulo de Hensen (dilatação) – sentido caudocefálico.  2. Invaginação das células na linha primitiva, por forma a colocarem-se entre a ectoderme e a mesoderme – 3º folheto germinativo primário  3. Invaginação das células na área de Hensen - notocorda ou corda dorsal  Começa a esboçar-se a placa neural
  • 34.  Ocorre proliferação celular na superfície do epiblasto, para formação das camadas germinativas.  O 1º evento da gastrulação é a migração dessas células que se proliferaram rumo à linha média longitudinal do disco embrionário formando a linha primitiva.  Na extremidade cefálica forma-se uma protusão celular, o nó primitivo, em cujo centro surge a fosseta primitiva.  Na extremidade caudal há uma área circular que é a membrana cloacal (futuro local do ânus).
  • 39. Mamíferos  Formação do disco embrionário  Após a fixação ao endométrio  Desenvolvimento das camadas germinativas (epiblasto)  Endoderme, mesoderme e ectoderme Massa celular internaTrofoblasto
  • 41. Anexos embrionários  Âmnio  Cavidade líquida – impede desidratação, choques mecânicos, termorregulação  Alantóide  Cordão umbilical – troca gasosa e de excretas (placenta)  Saco vitelínico  Cório  Trofoblasto diferenciado – hormonal (HCG) e trocas gasosas (vascularizado)  Placenta  Cório + mucosa uterina
  • 44. Formação de gêmeos  Dizigóticos – processos de fertilizações distintos  Monozigóticos  Um único embrião por algum motivo separou suas células  Separação dos blastômeros iniciais (33%)  2 córios  Separação da Massa Celular Interna  Antes da formação do Âmnio (9º dia) (65%)  1 cório e 2 amnio  Após formação dos anexos (2%)  Gêmeos siameses
  • 45. Da gastrulação a neurulação