SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 12
Baixar para ler offline
Situações-problema
1ª LEI DE MENDEL
Nas ervilhas, a cor vermelha da flor é condicionada por um gene
dominante B e a cor branca, pelo seu alelo recessivo b.
Que tipos de gametas produzem as plantas BB, bb e Bb?
A pelagem das cobaias pode ser arrepiada ou lisa, dependendo
da presença do gene dominante L e do gene recessivo l. O
resultado do cruzamento entre um macho liso com uma fêmea
arrepiada heterozigota é:
a) 50% lisos e 50% arrepiados heterozigotos;
b) 50% arrepiados e 50% lisos heterozigotos;
c) 100% arrepiados;
d) 100% lisos;
e) 25% arrepiados, 25% lisos e 50% arrepiados heterozigotos.
Que porcentagem dos espermatozoides de um
macho Aa conterá o gene recessivo?
a) 25%
b) 30%
c) 50%
d) 75%
e) 100%
Em uma raça bovina, animais mochos (M) são dominantes a
animais com cornos (m). Um touro mocho foi cruzado com duas
vacas. Com a vaca I, que tem cornos, produziu um bezerro
mocho. Com a vaca II, que é mocha, produziu um bezerro com
cornos. Assinale a alternativa que apresenta corretamente os
genótipos dos animais citados:

a)
b)
c)
d)
e)

TOURO
Mm
Mm
MM
MM
Mm

VACA I
mm
Mm
mm
Mm
mm

VACA II
Mm
Mm
Mm
MM
MM
No milho, um gene produz grãos vermelhos se a espiga for exposta à
luz, mas, se as espigas ficarem cobertas, os grãos permanecem
brancos. O fenômeno descrito ilustra:
a) a atuação do meio das mutações;
b) o processo da seleção natural;
c) a influência do ambiente na alteração do genótipo;
d) a interação do genótipo com o meio ambiente;
e) a transmissão dos caracteres adquiridos.
Se cruzarmos dois gatos, sendo ambos heterozigóticos (Aa), obteremos:

a)
b)
c)
d)

Apenas indivíduos Aa;
Indivíduos AA e aa, na proporção de 3:1, respectivamente;
Indivíduos AA e aa, na proporção de 2:1, respectivamente;
Indivíduos AA, Aa e aa, na proporção de 1:2:1, respectivamente.
Nas cobaias, o gene B para pelagem preta é dominante
sobre b, que condiciona pelagem branca. Duas cobaias
pretas heterozigotas são cruzadas. Calcule:

a) a proporção genotípica;
b) a proporção fenotípica.
A pelagem das cobaias pode ser arrepiada ou lisa, dependendo
da presença do gene dominante L e do gene recessivo l.
Faça o quadro de Punnett e dê as proporções genotípicas e
fenotípicas do cruzamento de indivíduos LL x ll e Ll x Ll
Qual procedimento deve ser feito para se
descobrir se uma planta ou animal é homozigoto
ou heterozigoto para uma característica
fenotípica?
(FUC-MT) Cruzando-se ervilhas verdes vv com ervilhas amarelas Vv, os
descendentes serão:

a)
b)
c)
d)
e)

100% vv, verdes;
100% VV, amarelas;
50% Vv, amarelas; 50% vv, verdes;
25% Vv, amarelas; 50% vv, verdes; 25% VV, amarelas;
25% vv, verdes; 50% Vv, amarelas; 25% VV, verdes.
(Mack-2005) A cor preta dos pelos em porquinhos-da-Índia é condicionada por um gene
dominante em relação ao gene que condiciona pelos brancos. Uma fêmea preta que já
tinha tido filhotes brancos é cruzada com um macho branco. A probabilidade de nascer
uma fêmea branca é de:

a) 1 4
b)1 2
c) 1
d) 0
e) 3 4

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

PARA 3S _ AULA 1 DO SEGUNDO BIMESTRE alelos múltiplos e abo abril 2013
PARA 3S _ AULA 1 DO SEGUNDO BIMESTRE alelos múltiplos e abo abril 2013PARA 3S _ AULA 1 DO SEGUNDO BIMESTRE alelos múltiplos e abo abril 2013
PARA 3S _ AULA 1 DO SEGUNDO BIMESTRE alelos múltiplos e abo abril 2013
Ionara Urrutia Moura
 
Atividades 3ºano
Atividades 3ºanoAtividades 3ºano
Atividades 3ºano
ZFSoares
 
Alelos múltiplos
Alelos múltiplosAlelos múltiplos
Alelos múltiplos
hipaciabio
 
Atividade 2ºano genética 2012
Atividade 2ºano   genética 2012Atividade 2ºano   genética 2012
Atividade 2ºano genética 2012
colegioitatiba
 
Lei de morgan, linkage, ligação fatorial
Lei de morgan, linkage, ligação fatorialLei de morgan, linkage, ligação fatorial
Lei de morgan, linkage, ligação fatorial
César Milani
 
Interação gênica 4 e
Interação gênica   4 eInteração gênica   4 e
Interação gênica 4 e
César Milani
 
Linkage
LinkageLinkage
Linkage
letyap
 

Mais procurados (20)

PARA 3S _ AULA 1 DO SEGUNDO BIMESTRE alelos múltiplos e abo abril 2013
PARA 3S _ AULA 1 DO SEGUNDO BIMESTRE alelos múltiplos e abo abril 2013PARA 3S _ AULA 1 DO SEGUNDO BIMESTRE alelos múltiplos e abo abril 2013
PARA 3S _ AULA 1 DO SEGUNDO BIMESTRE alelos múltiplos e abo abril 2013
 
Atividades 3ºano
Atividades 3ºanoAtividades 3ºano
Atividades 3ºano
 
A segunda lei de mendel
A segunda lei de mendelA segunda lei de mendel
A segunda lei de mendel
 
2a lei de mendel
2a lei de mendel2a lei de mendel
2a lei de mendel
 
Alelos múltiplos
Alelos múltiplosAlelos múltiplos
Alelos múltiplos
 
Exercícios de genética – sistema abo e 2ª lei de mendel
Exercícios de genética – sistema abo e 2ª lei de mendelExercícios de genética – sistema abo e 2ª lei de mendel
Exercícios de genética – sistema abo e 2ª lei de mendel
 
Atividade 2ºano genética 2012
Atividade 2ºano   genética 2012Atividade 2ºano   genética 2012
Atividade 2ºano genética 2012
 
Polialelia e dominância incompleta.
Polialelia e dominância incompleta.Polialelia e dominância incompleta.
Polialelia e dominância incompleta.
 
Lei de morgan, linkage, ligação fatorial
Lei de morgan, linkage, ligação fatorialLei de morgan, linkage, ligação fatorial
Lei de morgan, linkage, ligação fatorial
 
Alelos múltiplos
Alelos múltiplosAlelos múltiplos
Alelos múltiplos
 
Lista de exercícios genetica I - 3º ano 2016 - profo james martins
Lista de exercícios   genetica I - 3º ano 2016 - profo james martinsLista de exercícios   genetica I - 3º ano 2016 - profo james martins
Lista de exercícios genetica I - 3º ano 2016 - profo james martins
 
Lista de exercícios genetica I - 3º ano 2016 - profo james martins com gaba...
Lista de exercícios   genetica I - 3º ano 2016 - profo james martins com gaba...Lista de exercícios   genetica I - 3º ano 2016 - profo james martins com gaba...
Lista de exercícios genetica I - 3º ano 2016 - profo james martins com gaba...
 
Interação Gênica
Interação GênicaInteração Gênica
Interação Gênica
 
Interação gênica 4 e
Interação gênica   4 eInteração gênica   4 e
Interação gênica 4 e
 
Interacao genica
Interacao genicaInteracao genica
Interacao genica
 
Epistasia
EpistasiaEpistasia
Epistasia
 
Exercícios - 1º Lei de MENDEL - genética
Exercícios - 1º Lei de MENDEL - genética Exercícios - 1º Lei de MENDEL - genética
Exercícios - 1º Lei de MENDEL - genética
 
Polialelia2
Polialelia2Polialelia2
Polialelia2
 
Linkage
LinkageLinkage
Linkage
 
Herancas quantitativa
Herancas quantitativaHerancas quantitativa
Herancas quantitativa
 

Destaque (7)

2 lei de newton
2 lei de newton2 lei de newton
2 lei de newton
 
2ª lei de newton
2ª lei de newton2ª lei de newton
2ª lei de newton
 
Conteúdo Básicos - Mínimos Ensino Médio do Tocantins - ALINHAMENTO - Educação...
Conteúdo Básicos - Mínimos Ensino Médio do Tocantins - ALINHAMENTO - Educação...Conteúdo Básicos - Mínimos Ensino Médio do Tocantins - ALINHAMENTO - Educação...
Conteúdo Básicos - Mínimos Ensino Médio do Tocantins - ALINHAMENTO - Educação...
 
2ª lei de mendel
2ª lei de mendel2ª lei de mendel
2ª lei de mendel
 
2ª lei de newton
2ª lei de newton2ª lei de newton
2ª lei de newton
 
Segunda Lei de Mendel
Segunda Lei de MendelSegunda Lei de Mendel
Segunda Lei de Mendel
 
2ª Lei De Mendel
2ª Lei De Mendel2ª Lei De Mendel
2ª Lei De Mendel
 

Semelhante a Exercícios 2

3S_ exercicios genetica com resposta
3S_ exercicios genetica  com resposta3S_ exercicios genetica  com resposta
3S_ exercicios genetica com resposta
Ionara Urrutia Moura
 
PARA 3S_ LISTA COMPLETA DE EXERCÍCIOS DE GENÉTICA _ COM RESPOSTA
PARA 3S_ LISTA COMPLETA DE  EXERCÍCIOS DE GENÉTICA _ COM RESPOSTAPARA 3S_ LISTA COMPLETA DE  EXERCÍCIOS DE GENÉTICA _ COM RESPOSTA
PARA 3S_ LISTA COMPLETA DE EXERCÍCIOS DE GENÉTICA _ COM RESPOSTA
Ionara Urrutia Moura
 
Exercícios complementares genética 2012
Exercícios complementares genética 2012Exercícios complementares genética 2012
Exercícios complementares genética 2012
colegioitatiba
 
Lista exercicios genética maio_respondida
Lista  exercicios  genética maio_respondidaLista  exercicios  genética maio_respondida
Lista exercicios genética maio_respondida
Ionara Urrutia Moura
 
Lista exercicios genética maio_respondida
Lista  exercicios  genética maio_respondidaLista  exercicios  genética maio_respondida
Lista exercicios genética maio_respondida
Ionara Urrutia Moura
 
Lista exercicios genética maio_2012
Lista  exercicios  genética maio_2012Lista  exercicios  genética maio_2012
Lista exercicios genética maio_2012
Ionara Urrutia Moura
 

Semelhante a Exercícios 2 (20)

Genética exercícios 2
Genética exercícios 2Genética exercícios 2
Genética exercícios 2
 
Exercícios genética 5
Exercícios genética 5Exercícios genética 5
Exercícios genética 5
 
Lista2exerciciosgeneticacomresposta
Lista2exerciciosgeneticacomresposta Lista2exerciciosgeneticacomresposta
Lista2exerciciosgeneticacomresposta
 
Lista 2 exercicios_genetica_ com resposta
Lista  2 exercicios_genetica_ com respostaLista  2 exercicios_genetica_ com resposta
Lista 2 exercicios_genetica_ com resposta
 
3S_ exercicios genetica com resposta
3S_ exercicios genetica  com resposta3S_ exercicios genetica  com resposta
3S_ exercicios genetica com resposta
 
PARA 3S_ LISTA COMPLETA DE EXERCÍCIOS DE GENÉTICA _ COM RESPOSTA
PARA 3S_ LISTA COMPLETA DE  EXERCÍCIOS DE GENÉTICA _ COM RESPOSTAPARA 3S_ LISTA COMPLETA DE  EXERCÍCIOS DE GENÉTICA _ COM RESPOSTA
PARA 3S_ LISTA COMPLETA DE EXERCÍCIOS DE GENÉTICA _ COM RESPOSTA
 
Testes de genética prof. poty
Testes de genética   prof. potyTestes de genética   prof. poty
Testes de genética prof. poty
 
Exercícios de genética – 2ª lei de mendel
Exercícios de genética – 2ª lei de mendelExercícios de genética – 2ª lei de mendel
Exercícios de genética – 2ª lei de mendel
 
Biologia hereditariedade 3º ano 2º bimestre
Biologia   hereditariedade 3º ano 2º bimestreBiologia   hereditariedade 3º ano 2º bimestre
Biologia hereditariedade 3º ano 2º bimestre
 
Biologia herança quantitativa
Biologia herança quantitativa Biologia herança quantitativa
Biologia herança quantitativa
 
Linkage e Mapeamento genético: quando nao se aplica a segunda lei
Linkage e Mapeamento genético: quando nao se aplica a segunda leiLinkage e Mapeamento genético: quando nao se aplica a segunda lei
Linkage e Mapeamento genético: quando nao se aplica a segunda lei
 
Genética - Aula 2
Genética - Aula 2Genética - Aula 2
Genética - Aula 2
 
8 ano exercicio fundamentos_de_genetica
8 ano exercicio fundamentos_de_genetica8 ano exercicio fundamentos_de_genetica
8 ano exercicio fundamentos_de_genetica
 
Exercícios complementares genética 2012
Exercícios complementares genética 2012Exercícios complementares genética 2012
Exercícios complementares genética 2012
 
3s interações gênicas setembro 2014
3s interações gênicas  setembro 20143s interações gênicas  setembro 2014
3s interações gênicas setembro 2014
 
Genetica -1ª lei de mendel
Genetica -1ª lei de mendelGenetica -1ª lei de mendel
Genetica -1ª lei de mendel
 
Exercícios de genética – 1ª lei de mendel
Exercícios de genética – 1ª lei de mendelExercícios de genética – 1ª lei de mendel
Exercícios de genética – 1ª lei de mendel
 
Lista exercicios genética maio_respondida
Lista  exercicios  genética maio_respondidaLista  exercicios  genética maio_respondida
Lista exercicios genética maio_respondida
 
Lista exercicios genética maio_respondida
Lista  exercicios  genética maio_respondidaLista  exercicios  genética maio_respondida
Lista exercicios genética maio_respondida
 
Lista exercicios genética maio_2012
Lista  exercicios  genética maio_2012Lista  exercicios  genética maio_2012
Lista exercicios genética maio_2012
 

Mais de SESI 422 - Americana (20)

Origem da vida e Evolução
Origem da vida e EvoluçãoOrigem da vida e Evolução
Origem da vida e Evolução
 
Genética de populações
Genética de populaçõesGenética de populações
Genética de populações
 
Bioquímica básica
Bioquímica básicaBioquímica básica
Bioquímica básica
 
Expressividade e penetrância
Expressividade e penetrânciaExpressividade e penetrância
Expressividade e penetrância
 
Alelos múltiplos
Alelos múltiplosAlelos múltiplos
Alelos múltiplos
 
Casos especiais de herança
Casos especiais de herançaCasos especiais de herança
Casos especiais de herança
 
Probabilidades e heredogramas
Probabilidades e heredogramasProbabilidades e heredogramas
Probabilidades e heredogramas
 
Textos novas espécies
Textos novas espéciesTextos novas espécies
Textos novas espécies
 
Exercícios
ExercíciosExercícios
Exercícios
 
Taxonomia
TaxonomiaTaxonomia
Taxonomia
 
Cromossomos, genes e alelos
Cromossomos, genes e alelosCromossomos, genes e alelos
Cromossomos, genes e alelos
 
Genética mendeliana básica
Genética mendeliana básicaGenética mendeliana básica
Genética mendeliana básica
 
Evidências da evolução
Evidências da evoluçãoEvidências da evolução
Evidências da evolução
 
Projeto terrário
Projeto terrárioProjeto terrário
Projeto terrário
 
Projeto paleontólogos
Projeto paleontólogosProjeto paleontólogos
Projeto paleontólogos
 
Garça branca
Garça brancaGarça branca
Garça branca
 
Reportagem jornalística – coalas
Reportagem jornalística – coalasReportagem jornalística – coalas
Reportagem jornalística – coalas
 
Capivara o maior roedor do mundo
Capivara o maior roedor do mundoCapivara o maior roedor do mundo
Capivara o maior roedor do mundo
 
Lírios
LíriosLírios
Lírios
 
áGuia
áGuiaáGuia
áGuia
 

Último

clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaclubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
LuanaAlves940822
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
ssuserbb4ac2
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
carlaOliveira438
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Pastor Robson Colaço
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
rarakey779
 
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
edjailmax
 
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfGRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
rarakey779
 
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docxCONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
EduardaMedeiros18
 

Último (20)

clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaclubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfRespostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdfLabor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
 
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimentoApresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
 
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfGRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docxCONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
 
AULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptx
AULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptxAULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptx
AULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptx
 

Exercícios 2

  • 2. Nas ervilhas, a cor vermelha da flor é condicionada por um gene dominante B e a cor branca, pelo seu alelo recessivo b. Que tipos de gametas produzem as plantas BB, bb e Bb?
  • 3. A pelagem das cobaias pode ser arrepiada ou lisa, dependendo da presença do gene dominante L e do gene recessivo l. O resultado do cruzamento entre um macho liso com uma fêmea arrepiada heterozigota é: a) 50% lisos e 50% arrepiados heterozigotos; b) 50% arrepiados e 50% lisos heterozigotos; c) 100% arrepiados; d) 100% lisos; e) 25% arrepiados, 25% lisos e 50% arrepiados heterozigotos.
  • 4. Que porcentagem dos espermatozoides de um macho Aa conterá o gene recessivo? a) 25% b) 30% c) 50% d) 75% e) 100%
  • 5. Em uma raça bovina, animais mochos (M) são dominantes a animais com cornos (m). Um touro mocho foi cruzado com duas vacas. Com a vaca I, que tem cornos, produziu um bezerro mocho. Com a vaca II, que é mocha, produziu um bezerro com cornos. Assinale a alternativa que apresenta corretamente os genótipos dos animais citados: a) b) c) d) e) TOURO Mm Mm MM MM Mm VACA I mm Mm mm Mm mm VACA II Mm Mm Mm MM MM
  • 6. No milho, um gene produz grãos vermelhos se a espiga for exposta à luz, mas, se as espigas ficarem cobertas, os grãos permanecem brancos. O fenômeno descrito ilustra: a) a atuação do meio das mutações; b) o processo da seleção natural; c) a influência do ambiente na alteração do genótipo; d) a interação do genótipo com o meio ambiente; e) a transmissão dos caracteres adquiridos.
  • 7. Se cruzarmos dois gatos, sendo ambos heterozigóticos (Aa), obteremos: a) b) c) d) Apenas indivíduos Aa; Indivíduos AA e aa, na proporção de 3:1, respectivamente; Indivíduos AA e aa, na proporção de 2:1, respectivamente; Indivíduos AA, Aa e aa, na proporção de 1:2:1, respectivamente.
  • 8. Nas cobaias, o gene B para pelagem preta é dominante sobre b, que condiciona pelagem branca. Duas cobaias pretas heterozigotas são cruzadas. Calcule: a) a proporção genotípica; b) a proporção fenotípica.
  • 9. A pelagem das cobaias pode ser arrepiada ou lisa, dependendo da presença do gene dominante L e do gene recessivo l. Faça o quadro de Punnett e dê as proporções genotípicas e fenotípicas do cruzamento de indivíduos LL x ll e Ll x Ll
  • 10. Qual procedimento deve ser feito para se descobrir se uma planta ou animal é homozigoto ou heterozigoto para uma característica fenotípica?
  • 11. (FUC-MT) Cruzando-se ervilhas verdes vv com ervilhas amarelas Vv, os descendentes serão: a) b) c) d) e) 100% vv, verdes; 100% VV, amarelas; 50% Vv, amarelas; 50% vv, verdes; 25% Vv, amarelas; 50% vv, verdes; 25% VV, amarelas; 25% vv, verdes; 50% Vv, amarelas; 25% VV, verdes.
  • 12. (Mack-2005) A cor preta dos pelos em porquinhos-da-Índia é condicionada por um gene dominante em relação ao gene que condiciona pelos brancos. Uma fêmea preta que já tinha tido filhotes brancos é cruzada com um macho branco. A probabilidade de nascer uma fêmea branca é de: a) 1 4 b)1 2 c) 1 d) 0 e) 3 4