SlideShare uma empresa Scribd logo
Parasitoses Humanas (Vírus e Bactérias) Professor Rodrigo Nogueira
Classificação das Doenças Adquiridas     aquelas que o indivíduo contrai no meio em que vive, sem qualquer ação hereditária.  Podem ser contraídas por ação de um agente: Físico  fogo, radioatividade, eletricidade, ultravioleta);  Químico  ácidos, detergentes, inseticidas, produtos químicos ;  Mecânico   objetos traumatizantes; Biológico   vírus, bactérias, fungos, vermes.
Classificação das Doenças Congênitas     afecções decorrentes de desvios do desenvolvimento embrionário e aquelas que são transmitidas de mãe para filho por via placentária, como por exemplo a Eritroblastose Fetal e as mal-formações decorrentes da rubéola durante a gravidez.
Classificação das Doenças Hereditárias      são aquelas transmitidas de uma geração a outra unicamente através dos genes ou em decorrência de alterações cromossômicas, como por exemplo a hemofilia, o diabetes e síndromes como a de Turner e a de Klinefelter.
Epidemiologia Estudo das doenças transmissíveis ou contagiosas. Podem ser: Doença   de   Contágio   Direto     aquela que se adquire pelo contato com um doente ou através do ar, água, solo ou alimentos e objetos contaminados. Doença   de   Contágio   Indireto     são transmitidas através de um vetor, como um inseto ou um hospedeiro intermediário, como um molusco.
Classificação das Doenças Transmissíveis Doenças   de   Casos   Esporádicos     são aquelas que ocorrem em pequeno número de casos, naturalmente, em certa região ou localidade, como por exemplo tuberculose, hanseníase, difteria, tétano. Endemias     moléstias que afetam um grande número de pessoas em uma região, rotineiramente, como por exemplo malária, doença de Chagas, doença do sono, esquistossomose.
Classificação das Doenças Transmissíveis Epidemias     doenças que aparecem subitamente, com grande incidência de casos, em uma determinada área, como por exemplo poliomielite, meningite, caxumba. Pandemias     doenças que se alastram rapidamente por todo um país, continente ou até mesmo por todo o mundo, como a gripe espanhola, a peste negra, a aids.
Vírus    Submicroscópicos    Infecciosos    Replicam somente em células vivas    Mais de 1000 vírus    500-600 – patógenos de plantas
HISTÓRICO: A existência do vírus foi reconhecida pela primeira vez há 100 anos; Mosaico do fumo.
ORIGEM EVOLUTIVA Desconhece-se a origem dos vírus. TEORIAS:  (1) podem derivar do DNA ou do RNA ou de ambos ácidos nucléicos de células hospedeiras que adquiriram a capacidade de replicação autônoma e evoluíram independentemente.  (2) podem consistir em formas degeneradas de parasitas intracelulares.
VÍRUS: Do latim,  ‘ veneno ’ ; São agentes infectantes de células vivas. São estruturas não celulares que contêm proteína e DNA ou RNA (estrutura molecular).
Partícula viral Estrutura simples Material genético Capsídeo proteico Envelope (nem sempre presente)
Vírus HIV com envelope de lipídeos Envelope lipídico  exterior Proteínas virais  incorporadas no envelope RNA viral Proteínas do capsídio
Material genético DNA  Fita simples Fita-dupla RNA Fita simples Positiva (codante) Negativa (complementar à fita codante) Fita-dupla Associação a enzimas virais (lisozima e polimerases).
Capsídio Capa protéica que envolve o material genético Estrutura tridimensional: Icosaédrica Helicoidal Complexa
Capsídeo Funções: Proteção do material genético Entrada na célula hospedeira Liberação do material genético ao entrar na célula Empacotamento do material genético
Envelope Bicamada lipídica de origem celular Membrana plasmática Membrana do RE Membrana do Golgi Membrana nuclear Contém glicoproteínas virais Entrada da partícula viral na célula Determinantes antigênicos
 
Estrutura do adenovirus (esquerda), e micrografia de  transmissão eletrônica do vírus. Estrutura do papillomavirus (esquerda), e micrografia de  transmissão eletrônica do vírus.   Micrografia de transmissão eletrônica do vírus da influenza.  Vírus – formas
Vírus – formas BACTERIÓFAGOS Capsídeo (cabeça) DNA Pescoço Colar Bainha Fibra da cauda Placa basal
Adsorção do bacteriófago ao seu hospedeiro Vírus – formas
CICLO LÍTICO
CICLO LISOGÊNICO
DNA do fago Cromossoma bacteriano profago divisão celular Bactéria lisogênica Lise Ciclo lisogênico profago lise Bactéria  lisogênica Indução do ciclo lítico por excisão do DNA do fago do  cromossoma bacteriano Lise Ciclo lítico Vírus – ciclo de vida em células procariontes
Vírus – ciclo de vida em células eucariontes O vírus que ataca célula eucarionte pode entrar por fusão com a membrana citoplasmática do hospedeiro.
O vírus pode entrar por endocitose na célula eucarionte. Vírus – ciclo de vida em células eucariontes
 
Vírus da gripe H1N1 visto no microscópio eletrônico
Vírus e Doenças Associadas Características Gerais Tamanho dos vírus Tamanho dos vírus 225 nm 300 nm 1.000 nm 90 nm 150 nm Hemácia 10.000 nm E. Coli (bactéria) 24 nm nm = nanômetro
Detecção de vírus Observação direta por microscopia eletrônica  ex. partículas virais com coloração negativa
AIDS Agente : Vírus (HIV). Transmissão : contato sexual (DST), sangue contaminado, uso de drogas injetáveis, transmissão placentária, leite materno. Sintomas : febre constante, falência do sistema imunológico com aparecimento de infecções oportunistas, diarréias, perda da coordenação motora, da consciência, morte. Prevenção : uso de preservativos, controle dos bancos de sangue, uso de seringas e instrumentos cirúrgicos descartáveis.
Vírus e Doenças Associadas AIDS  -  Sintomas
Gripe Agente : Vírus (influenza). Transmissão : Contagio direto, vírus presente no ar. Sintomas : febre, coriza, cefaléia, tosse, dores musculares, prostração, mal-estar geral. Tratamento : apenas sintomático, como antitérmicos, analgésicos, xaropes, descongestionantes nasais. Importantes o repouso, a dieta com líquidos (sucos de frutas, leite) e vitamina C.
Dengue Agente : Vírus. Transmissão : através da saliva das fêmeas dos mosquitos  Aedes   aegypti  e  A. albopictus . Sintomas : febre, dores musculares, dores nas articulações, cefaléia, diarréia, náuseas, vômitos, anorexia, manchas vermelhas na pele. Prevenção : eliminar focos de reprodução do vetor, como água parada em latas, vasos, pneus, etc. Tratamento : sintomático.
Vírus e Doenças Associadas Dengue
Dengue Hemorrágico Pode acometer indivíduos que já tiveram dengue comum ou acontecer como uma evolução dela. Além dos sintomas daquela doença pode acontecer hemorragias digestivas, distúrbios de coagulação, queda no número de plaquetas e coagulação intravascular, levando à morte.
Febre Amarela Agente : Vírus (arbovírus). Transmissão : através da saliva das fêmeas de mosquitos dos gêneros  Aedes  e  Haemagogus . Sintomas : febre alta, cefaléias, dores musculares, ósseas e articulares, náuseas, vômitos com sangue, icterícia, lesões renais. Prevenção : vacina e combate aos focos dos mosquitos vetores.
Poliomielite Agente : Vírus (poliovírus). Transmissão : gotículas de saliva eliminadas pelo doente, alimentos e utensílios contaminados. Sintomas : infecção da massa cinzenta medular provocando a paralisia dos nervos e atrofia dos músculos. Prevenção : vacina Sabin, administrada via oral aos 2, 6 e 18 meses com dose de reforço após um ano da última.
Vírus e Doenças Associadas Poliomielite
Raiva Agente : Vírus. Transmissão : saliva de animais domésticos (cães e gatos) e silvestres (morcegos, lobos, raposas). Sintomas : atinge o sistema nervoso (periférico e central), hipersensibilidade local e geral, espasmos dolorosos da musculatura, alucinações, convulsões, paralisia respiratória, morte. Prevenção   e   Tratamento : Vacina e soro anti-rábico.
Vírus e Doenças Associadas Raiva
Hepatite Agente : Vírus (tipos A,B,C,D,E,F,G). Transmissão : contagio direto, água, alimentos e utensílios contaminados, sangue contaminado e contato sexual (DST). Sintomas : mal-estar, fraqueza, falta de apetite, náuseas, dores abdominais, icterícia, cirrose hepática. Prevenção : vacinas, medidas de higiene, uso de preservativos, controle dos bancos de sangue.
Rubéola Agente : Vírus. Transmissão : contagio direto por secreções das vias respiratórias. Sintomas : Manchas vermelhas na pele (exantema), febre, mal-estar, inchaço de gânglios linfáticos. Pode provocar malformações congênitas e abortos espontâneos. Prevenção : vacina e isolamento do doente.
Varíola Agente : Vírus. Transmissão : contagio direto por gotículas e utensílios contaminados. Sintomas : exantema, febre, lesões cutâneas com pus. Prevenção : vacina.
Sarampo Agente: Vírus. Transmissão: contágio direto por gotículas. Sintomas: febre, tosse seca, catarro, fotofobia, manchas brancas e posteriormente vermelhas na pele. Pode favorecer infecções oportunistas. Prevenção: vacina.
Vírus e Doenças Associadas Vírus do sarampo Vírus Capsulado Sarampo
Caxumba Agente : Vírus. Transmissão : contagio direto e uso de utensílios contaminados. Sintomas : infecção das glândulas parótidas e, eventualmente outras glândulas (submandibulares, sublinguais, testículos, ovários, pâncreas), febre, cefaléia, anorexia, calafrios, mal-estar. Prevenção : vacina.
Caxumba Vírus e Doenças Associadas
Catapora ou Varicela Agente : Vírus. Transmissão : contagio direto por gotículas e uso de utensílios contaminados. Sintomas : febre, prostração, falta de apetite, náuseas, vesículas na pele. Prevenção : vacina e evitar o contato com doentes.
Vírus e Doenças Associadas Vírus do sarampo Vírus Capsulado Catapora  – (Varicela)
Monera Professor Rodrigo Nogueira
BACTÉRIA –  ESTRUTURA CELULAR
 
Parede celular Bactéria Gram -Positiva Bactéria Gram -Negativa
BACTÉRIA -  MORFOLOGIA
BACTÉRIAS AUTOTRÓFICAS FOTOSSÍNTESE   ENERGIA LUMINOSA   CO 2 +H 2 S ---------------- -> C 6 H 12 O 6 +H 2 O+S 2   b acterioclorofila  (glicose) *  H 2 S   = sulfeto e o  S 2 =  gás enxofre OBS: BACTÉRIA NUNCA UTILIZA ÁGUA COMO DOADORA DE HIDROGÊNIO Fotossíntese (realizada pelas algas e pelas plantas): ENERGIA LUMINOSA CO 2 +H 2 O ---------------- -> C 6 H 12 O 6 +H 2 O+O 2 clorofila
BACTÉRIAS AUTOTRÓFICAS QUIMIOSSÍNTESE Reação quimiossintética nas Nitrossomonas:   NH3 (amônia) + O 2  -> NO 2 -  (nitrito) + Energia 6 CO 2  + 6 H 2 O + Energia -> C 6 H 12 O 6  (Glicose - Compostos Orgânicos) + 6 O 2 Reação quimiossintética nas Nitrobacter:   NO2 -  (nitrito) + O2 -> NO3 -  (nitrato) + Energia  6 CO 2  + 6 H 2 O + Energia -> C 6 H 12 O 6  + 6 O 2
BACTÉRIAS HETERÓTROFAS DECOMPOSITORAS
BACTÉRIAS HETERÓTROFAS PARASITAS Coqueluche      Bordetella pertussis Difteria ou Crupe     Corynebacterium diphteriae Tétano      Clostridium tetani  (causado por toxina bacteriana) Febre tifóide     Salmonella typhi Sífilis      Treponema pallidum  (DST) Hanseníase ou Lepra     Mycobacterium leprae .  Febre Maculosa     Rickettsia rickettsii
Disenteria bacilar      Shigella sp Gastroenterites      Salmonella sp Tuberculose     Mycobacterium tuberculosis Meningite      Neisseria meningitidis Gonorréia      Neisseria gonorrheae  (DST) Cólera      Vibrio cholerae Leptospirose      Leptospira enterrogans Antraz      Bacillus anthracis Botulismo      Clostridium botulinium  (causado por toxina bacteriana)
Peste Bubônica     Yersinia pestis Pneumonia      Streptococcus pneumoniae    Diplococcus pneumoniae ANTIBIÓTICOS Medicamentos produzidos especificamente para atuar nas células bacterianas, impedindo sua reprodução ( bacteriostáticos ) ou destruindo-as ( bactericida ). Antibiograma , que consiste em cultivar as bactérias que causam a doença na pessoa e testar qual antibiótico é mais efetivo para o tratamento.
Mutualismo entre bactérias do gênero  Rhizobium  e raiz de planta leguminosa. BACTÉRIAS HETERÓTROFAS mutualistas
BACTÉRIAS - metabolismo Anaeróbias : quando se cataboliza a glicose sem o auxílio do oxigênio C 6 H 12 O 6  -> 2 C 3 H 6 O 3  +  energia Aeróbias : se o catabolismo da glicose é feito com o auxílio de oxigênio C 6 H 12 O 6  + 6 O 2  -> + 6 CO 2  + 6H 2 O +  energia A naeróbias facultativas .
ASSEXUADA   - bipartição, cissiparidade ou divisão binária BACTÉRIAS - reprodução
BACTÉRIAS -  ESPORULAÇÃO
RECOMBINAÇÃO GENÉTICA ( “SEXUADA”) BACTÉRIAS - reprodução
RECOMBINAÇÃO GENÉTICA ( “SEXUADA”) BACTÉRIAS - reprodução Transdução
RECOMBINAÇÃO GENÉTICA ( “SEXUADA”) BACTÉRIAS - reprodução Conjugação
Ciclagem dos Nutrientes Fixação de Nitrogênio Indústria Biorremediação BACTÉRIA –  IMPORTÂNCIA
 
Tuberculose Agente :  Mycobacterium   tuberculosis  (bacilo de Koch). Transmissão : contagio direto por gotículas, utensílios contaminados, ingestão de leite e carne bovina contaminados. Sintomas : tosse, expectoração, falta de apetite, dor torácica, febre, fadiga constante, hemorragia pulmonar. Prevenção : vacina BCG, pasteurização do leite e derivados. Tratamento : antibióticos e quimioterápicos.
Hanseníase ou Lepra Agente :  Mycobacterium   leprae  (bacilo de Hansen). Transmissão : contagio direto. Sintomas : nódulos ou tubérculos subcutâneos com perda da sensibilidade, lesões ulcerosas e deformantes, lesões neurológicas. Prevenção : vacina (BCG) e medidas de higiene e saneamento básico. Tratamento : antibióticos.
Sífilis ou Lues Agente :  Treponema   pallidum  (espiroqueta). Transmissão : contato sexual (DST), uso de objetos contaminados, contaminação placentária. Sintomas : cancros genitais e em outras partes do corpo, inchaço dos gânglios, febre, comprometimento dos sistemas cardiovascular e nervoso. Prevenção : uso de preservativos. Tratamento : antibióticos.
Difteria ou Crupe Agente :  Corynebacterium   diphtheriae  (bacilo diftérico). Transmissão : contagio direto por gotículas. Sintomas : dor de garganta, febre, mal-estar, dificuldade de falar e engolir, destruição de células pela toxina, podendo afetar o coração, rins, sistema nervoso, vias respiratórias. Prevenção : vacina tríplice. Tratamento : soro antidiftérico e antibióticos.
Coqueluche Agente :  Bordetella   pertussis  (bacilo). Transmissão : contágio direto por gotículas. Sintomas : tosse  “ sibilante ” , vômitos, crises espasmódicas, hemorragias nasais. Prevenção : vacina tríplice. Tratamento : antibióticos e antitoxinas.
Pneumonia Bacteriana Agente :  Streptococcus   pneumoniae  (pneumococo). Transmissão : contagio direto por gotículas e objetos contaminados. Sintomas : febre alta, dor torácica, tosse, infecção pulmonar, pleurite, pericardite, artrites, otites. Prevenção : isolamento do paciente. Tratamento : antibióticos e quimioterápicos.
Meningite Meningocócica Agente :  Neisseria   meningitidis  (meningococo). Transmissão : contagio direto e objetos contaminados. Sintomas : secreção nasal, dor de garganta, cefaléia, febre, prostração, rigidez da nuca, vômitos em jato, delírios, coma. Prevenção : vacina (duração pequena). Tratamento : antibióticos e soro imune.
Febre Tifóide Agente :  Salmonella   typhi  (bacilo). Transmissão : água e alimentos contaminados e contágio direto. Sintomas : diarréias intensas com sangue, cólicas, febre, ulceras intestinais. A toxina pode comprometer o sistema nervoso central. Prevenção : vacina, saneamento básico e hábito de higiene. Tratamento : antibióticos.
Cólera Agente :  Vibrio   cholerae  (vibrião). Transmissão : água e alimentos contaminados. Sintomas : diarréia intensa, desidratação grave. Prevenção : vacina (curta duração), saneamento básico, hábitos de higiene. Tratamento : soro reidratante e antibióticos.
Leptospirose Agente :  Leptospira   interrogans  (espiroqueta). Transmissão : água, alimentos e objetos contaminados pela urina ratos, camundongos, cães, galinhas, coelhos. Sintomas : febre alta, calafrios, cefaléia, dores musculares e articulares, anemia, complicações renais, icterícia. Prevenção : vacina, controle dos vetores. Tratamento : antibióticos.
Botulismo Agente :  Clostridium   botulinium  (bacilo). Transmissão : toxina produzida pela bactéria contaminando alimentos. Sintomas : fortes dores abdominais, paralisia neuronal e muscular. Prevenção : cuidado com alimentos enlatados, em conserva ou defumados. Tratamento : soro com antitoxina.
Tétano Agente :  Clostridium   tetani  (bacilo). Transmissão : ferimentos perfurantes, solo contaminado por fezes. Sintomas : cefaléia intensa, febre, dores musculares, paralisia muscular. Prevenção : vacina tríplice. Tratamento : soro (antitoxina).
Micoses Superficiais e Cutâneas Agentes : gêneros  Trichophyton ,  Microsporum  e  Epidermophyton . Transmissão : esporos presentes no ar e em objetos. Sintomas : atingem a epiderme e a derme (frieira ou pé-de-atleta, dermatofitoses e onicomicoses (nas unhas). Prevenção : hábitos de higiene. Tratamento : medicamentos específicos.
 
Micoses Sistêmicas e Oportunistas Agentes :  Candida   albicans ,  Mucor  spp.,  Aspergillus  spp.,  Rhizopus  spp. Transmissão : esporos presentes no ar, objetos e alimentos, contagio sexual. Sintomas : feridas nos genitais, infecções nos pulmões, sistema digestório, sistema nervoso, além de toxinas causadoras de tumores no fígado e outros órgãos. Prevenção : uso de preservativos, ação do sistema imunológico. Tratamento : medicamentos específicos.
Amebíase Agente :  Entamoeba   histolytica  (Rizópode). Transmissão : cistos presentes na água e alimentos contaminados. Sintomas : diarréia com sangue, cólicas intensas, náuseas, vômitos, ulcerações nos intestinos, toxina pode atingir outros órgãos. Prevenção : hábitos de higiene e saneamento básico. Tratamento : medicação específica
 
Giardíase Agente :  Giardia   lamblia  ou  Giardia   intestinalis  (flagelados). Transmissão : água e alimentos contaminados. Sintomas : disenteria, cólicas, infecção do intestino e vesícula biliar. Prevenção : hábitos higiênicos e saneamento básico. Tratamento : medicamentos específicos.
Balanditiose Agente :  Balantidium   coli  (ciliado). Transmissão : água e alimentos contaminados. Sintomas : disenteria, cólicas intensas, diarréia com sangue. Prevenção : hábitos de higiene e saneamento básico. Tratamento : medicamentos específicos.
Tricomoníase Agente :  Trichomonas   vaginalis  (flagelado). Transmissão : contagio sexual (DST), uso de roupas intimas e toalhas contaminadas. Sintomas : inflamação vaginal, com prurido e corrimento. Prevenção : uso de preservativos, não compartilhar roupas e toalhas. Tratamento : cremes vaginais e medicamentos por via oral.
Toxoplasmose Agente :  Toxoplasma   gondii  (esporozoário). Transmissão : água, alimentos e objetos contaminados pela urina de ratos, cães, gatos, contendo o protozoário). Sintomas : febre constante, inchaço de gânglios, exantema, infecção do fígado e baço, encefalite. Prevenção : controle dos vetores. Tratamento : quimioterápicos.
Malária Agentes :  Plasmodium   malariae ,  P .  vivax  e  P .  falciparum  (esporozoários). Transmissão : saliva das fêmeas do mosquito  Anopheles   sp . Sintomas : surtos febris periódicos, hemólise, anemia. Prevenção : combate aos focos do vetor. Tratamento : quimioterápicos.
 
Doença de Chagas Agente:  Tripanosoma   Cruzy  (flagelado). Transmissão: contaminação pelas fezes do inseto barbeiro ( Triatoma   infestans ). Sintomas: parasita infesta gânglios linfáticos, parede dos vasos sangüíneos, fibras musculares, miocárdio, sistema nervoso central. Prevenção: combate ao vetor e melhoria das condições de habitação rural.
Leishmaniose Agente :  Leishmania   brasiliensis  (flagelado). Transmissão : saliva das fêmeas do mosquito-palha ( Phlebotomus   intermedius ). Sintomas : ulcerações cutâneas e nas mucosas da boca, nariz e faringe. Prevenção : combate aos focos do vetor. Tratamento : quimioterápicos.
 
Teníase Agente :  Taenia   solium  e  T .  saginata  (platelmintes). Transmissão : carne de porco e gado contaminadas com larvas do parasita. Sintomas : desnutrição, emagrecimento e depauperamento físico. Prevenção : cozinhar ou assar bem a carne de gado ou porco, hábitos de higiene e saneamento básico Tratamento : vermífugo para eliminar o escólex (cabeça)
 
Ciclo da Tênia
Cisticercose Agente : larvas (cisticercos) de  T .  solium  e  T .  saginata . Transmissão : ingestão acidental dos ovos de tênias. Sintomas : larva se aloja na musculatura, pulmão, globo ocular, coração ou cérebro. Prevenção : hábitos de higiene e saneamento básico. Tratamento : cirúrgico.
Hidatidose Agente :  Echinococcus   granulosus  (tênia do cão - platelminto). Transmissão : ingestão acidental de ovos do parasito. Sintomas : larva se instala no fígado, globo ocular, cérebro. Prevenção : cuidado ao manipular animais domésticos, hábitos de higiene. Tratamento : cirúrgico.
Esquistossomose Agente :  Schistosoma   mansoni  (platelminto). Transmissão : larvas  miracídios  no molusco  Biomphalaria  formam as larvas  cercárias  que penetram no homem através da pele e mucosas. Sintomas : hemorragia intestinal, barriga-d ’ água, mal funcionamento do fígado e pâncreas, problemas cardiovasculares. Prevenção : combate ao molusco vetor, hábitos de higiene e saneamento básico.
Ciclo do Esquistossomo
Ascaridíase Agente :  Ascaris   lumbricoides  (lombriga – nematóide). Transmissão : ingestão de ovos através de água e alimentos contaminados. Sintomas : indisposição digestiva ou intestinal, dores abdominais, náuseas, obstrução intestinal. Prevenção : cuidado com água e alimentos crus, hábitos de higiene e saneamento básico.
 
Amarelão Agente :  Ancylostoma   duodenale  e  Necator   americanus  (nematóides). Transmissão : larvas no solo contaminado penetram através da pele. Sintomas : anemia profunda e depauperamento físico. Prevenção : hábitos de higiene e saneamento básico, uso de calçados em áreas rurais. Tratamento : vermífugo específico.
 
Helmintíase Migrante Agente: larvas de  Ancylostoma   brasiliensis  e  A .  caninum  (nematóides). Bicho geográfico. Transmissão: larvas no solo contaminado por fezes de cães e gatos penetram no homem através da pele. Sintomas: galerias subcutâneas formadas pelo deslocamento da larva, causando ardência e coceira. Prevenção: evitar contato com terra úmida e areia onde cães e gatos podem ter evacuado. Tratamento: medicamentos específicos.
Filariose ou Elefantíase Agente :  Wuchereria   bancrofti  (filária – nematóide). Transmissão : saliva de fêmeas do mosquito  Culex sp . Sintomas : derrame da linfa nos tecidos adjacentes com edema progressivo de pernas, braços, mamas e escroto. Prevenção : combate aos focos do vetor. Tratamento : clínico e cirúrgico.
 
Pediculose Agente : Pediculus humanus (piolho – inseto) e Phthirius pubis (chato – inseto). Transmissão : direta, através de contato com indivíduo contaminado. Sintomas : prurido (coceira), devido a picada do parasita que se aloja na cabeça ou dobras do corpo. Prevenção : hábitos de higiene. Tratamento : medicamentos específicos.
Escabiose Agente:  Sarcoptes   scabei  (sarna – ácaro). Transmissão: contato pessoal, roupas, lençóis, cobertores, toalhas. Sintomas: pequenas lesões que provocam coceira. Prevenção: hábitos de higiene e evitar compartilhar roupas, toalhas. Tratamento: medicação tópica.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Doenças causadas por protozoários
Doenças causadas por protozoáriosDoenças causadas por protozoários
Doenças causadas por protozoários
Marcos Santos
 
Epidemiologia das doenças transmissíveis
Epidemiologia das doenças transmissíveisEpidemiologia das doenças transmissíveis
Epidemiologia das doenças transmissíveis
Ricardo Alanís
 
Epidemiologia das doenças infecciosas
Epidemiologia das doenças infecciosasEpidemiologia das doenças infecciosas
Epidemiologia das doenças infecciosas
Adriana Mércia
 
SAÚDE COLETIVA
SAÚDE COLETIVASAÚDE COLETIVA
SAÚDE COLETIVA
Cláudia Hellena Ribeiro
 
Parasitologia
ParasitologiaParasitologia
Parasitologia
Brunno Lemes de Melo
 
Aula de Parasitologia Básica
Aula de Parasitologia BásicaAula de Parasitologia Básica
Aula de Parasitologia Básica
Jaqueline Almeida
 
Leishmaniose visceral
Leishmaniose visceralLeishmaniose visceral
Leishmaniose visceral
HIAGO SANTOS
 
Aula n° 4 leishmaniose
Aula n° 4   leishmanioseAula n° 4   leishmaniose
Aula n° 4 leishmaniose
Gildo Crispim
 
Código de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagemCódigo de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagem
Centro Universitário Ages
 
Infecções Sexualmente Transmissíveis
Infecções Sexualmente TransmissíveisInfecções Sexualmente Transmissíveis
Infecções Sexualmente Transmissíveis
eborges
 
EPIDEMIOLOGIA
EPIDEMIOLOGIAEPIDEMIOLOGIA
EPIDEMIOLOGIA
Ana Carolina Costa
 
Doença de chagas
Doença de chagasDoença de chagas
Doença de chagas
Laís Hildebrand
 
Leishmaniose Visceral
Leishmaniose VisceralLeishmaniose Visceral
Leishmaniose Visceral
Mari Sousa
 
Protozooses
ProtozoosesProtozooses
Protozooses
rnogueira
 
Aula 1 conceitos gerais de parasitologia
Aula 1 conceitos gerais de parasitologiaAula 1 conceitos gerais de parasitologia
Aula 1 conceitos gerais de parasitologia
Adila Trubat
 
Aula 4 biossegurança ii
Aula 4   biossegurança iiAula 4   biossegurança ii
Aula 4 biossegurança ii
José Vitor Alves
 
Giardia
GiardiaGiardia
Historia Da Enfermagem
Historia Da EnfermagemHistoria Da Enfermagem
Historia Da Enfermagem
Fernando Dias
 
Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH)
 Comissão de  Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) Comissão de  Controle de Infecção Hospitalar (CCIH)
Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH)
ivanaferraz
 
Sondagem gastrointestinal
Sondagem gastrointestinalSondagem gastrointestinal
Sondagem gastrointestinal
Rodrigo Abreu
 

Mais procurados (20)

Doenças causadas por protozoários
Doenças causadas por protozoáriosDoenças causadas por protozoários
Doenças causadas por protozoários
 
Epidemiologia das doenças transmissíveis
Epidemiologia das doenças transmissíveisEpidemiologia das doenças transmissíveis
Epidemiologia das doenças transmissíveis
 
Epidemiologia das doenças infecciosas
Epidemiologia das doenças infecciosasEpidemiologia das doenças infecciosas
Epidemiologia das doenças infecciosas
 
SAÚDE COLETIVA
SAÚDE COLETIVASAÚDE COLETIVA
SAÚDE COLETIVA
 
Parasitologia
ParasitologiaParasitologia
Parasitologia
 
Aula de Parasitologia Básica
Aula de Parasitologia BásicaAula de Parasitologia Básica
Aula de Parasitologia Básica
 
Leishmaniose visceral
Leishmaniose visceralLeishmaniose visceral
Leishmaniose visceral
 
Aula n° 4 leishmaniose
Aula n° 4   leishmanioseAula n° 4   leishmaniose
Aula n° 4 leishmaniose
 
Código de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagemCódigo de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagem
 
Infecções Sexualmente Transmissíveis
Infecções Sexualmente TransmissíveisInfecções Sexualmente Transmissíveis
Infecções Sexualmente Transmissíveis
 
EPIDEMIOLOGIA
EPIDEMIOLOGIAEPIDEMIOLOGIA
EPIDEMIOLOGIA
 
Doença de chagas
Doença de chagasDoença de chagas
Doença de chagas
 
Leishmaniose Visceral
Leishmaniose VisceralLeishmaniose Visceral
Leishmaniose Visceral
 
Protozooses
ProtozoosesProtozooses
Protozooses
 
Aula 1 conceitos gerais de parasitologia
Aula 1 conceitos gerais de parasitologiaAula 1 conceitos gerais de parasitologia
Aula 1 conceitos gerais de parasitologia
 
Aula 4 biossegurança ii
Aula 4   biossegurança iiAula 4   biossegurança ii
Aula 4 biossegurança ii
 
Giardia
GiardiaGiardia
Giardia
 
Historia Da Enfermagem
Historia Da EnfermagemHistoria Da Enfermagem
Historia Da Enfermagem
 
Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH)
 Comissão de  Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) Comissão de  Controle de Infecção Hospitalar (CCIH)
Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH)
 
Sondagem gastrointestinal
Sondagem gastrointestinalSondagem gastrointestinal
Sondagem gastrointestinal
 

Destaque

Parasitoses
ParasitosesParasitoses
Parasitoses
Débora Neves
 
Adenovirus parvovirus polyomavirus
Adenovirus  parvovirus  polyomavirusAdenovirus  parvovirus  polyomavirus
Adenovirus parvovirus polyomavirus
Julian Lopez Solarte
 
Aula 01
Aula 01Aula 01
Parasitologia l
Parasitologia lParasitologia l
Parasitologia l
Monara Bittencourt
 
Trabalho de parasitologia
Trabalho de parasitologiaTrabalho de parasitologia
Trabalho de parasitologia
Patrícia Oliver
 
Cestodos Clase 2010
Cestodos Clase 2010Cestodos Clase 2010
Cestodos Clase 2010
Carlos Federico Ensuncho Hoyos
 
Atlas de parasitos
Atlas de parasitosAtlas de parasitos
Atlas de parasitos
Miguel Santamaria
 
Imagenes de parasitologia
Imagenes de parasitologiaImagenes de parasitologia
Imagenes de parasitologia
Roger Lopez
 
Apostila de parasitologia clínica
Apostila de parasitologia clínicaApostila de parasitologia clínica
Apostila de parasitologia clínica
Kelwey Da Hora Farias
 
Parasitologia
ParasitologiaParasitologia
Parasitologia
Bete Tatui
 
Bases Ii Aula 1 IntroduçãO à Parasitologia 24082009
Bases Ii   Aula 1   IntroduçãO à Parasitologia   24082009Bases Ii   Aula 1   IntroduçãO à Parasitologia   24082009
Bases Ii Aula 1 IntroduçãO à Parasitologia 24082009
nynynha
 
Cestodo
CestodoCestodo
Parasitologia
ParasitologiaParasitologia
Manual Total parasilotolgia
Manual Total parasilotolgiaManual Total parasilotolgia
Manual Total parasilotolgia
1395872
 
Atlas de Parasitologia Clínica
Atlas de Parasitologia ClínicaAtlas de Parasitologia Clínica
Atlas de Parasitologia Clínica
railuz07
 
Parasitoses Intestinais
Parasitoses IntestinaisParasitoses Intestinais
Parasitoses Intestinais
Jonas Cesar Andrade Barbosa
 
CéStodos
CéStodosCéStodos
Cestodos
CestodosCestodos
Atlasdeparasitologia 100604001209-phpapp02
Atlasdeparasitologia 100604001209-phpapp02Atlasdeparasitologia 100604001209-phpapp02
Atlasdeparasitologia 100604001209-phpapp02
Jeanderson Nunes
 
Cestodos ppt
Cestodos pptCestodos ppt
Cestodos ppt
Dayanis Sanchez
 

Destaque (20)

Parasitoses
ParasitosesParasitoses
Parasitoses
 
Adenovirus parvovirus polyomavirus
Adenovirus  parvovirus  polyomavirusAdenovirus  parvovirus  polyomavirus
Adenovirus parvovirus polyomavirus
 
Aula 01
Aula 01Aula 01
Aula 01
 
Parasitologia l
Parasitologia lParasitologia l
Parasitologia l
 
Trabalho de parasitologia
Trabalho de parasitologiaTrabalho de parasitologia
Trabalho de parasitologia
 
Cestodos Clase 2010
Cestodos Clase 2010Cestodos Clase 2010
Cestodos Clase 2010
 
Atlas de parasitos
Atlas de parasitosAtlas de parasitos
Atlas de parasitos
 
Imagenes de parasitologia
Imagenes de parasitologiaImagenes de parasitologia
Imagenes de parasitologia
 
Apostila de parasitologia clínica
Apostila de parasitologia clínicaApostila de parasitologia clínica
Apostila de parasitologia clínica
 
Parasitologia
ParasitologiaParasitologia
Parasitologia
 
Bases Ii Aula 1 IntroduçãO à Parasitologia 24082009
Bases Ii   Aula 1   IntroduçãO à Parasitologia   24082009Bases Ii   Aula 1   IntroduçãO à Parasitologia   24082009
Bases Ii Aula 1 IntroduçãO à Parasitologia 24082009
 
Cestodo
CestodoCestodo
Cestodo
 
Parasitologia
ParasitologiaParasitologia
Parasitologia
 
Manual Total parasilotolgia
Manual Total parasilotolgiaManual Total parasilotolgia
Manual Total parasilotolgia
 
Atlas de Parasitologia Clínica
Atlas de Parasitologia ClínicaAtlas de Parasitologia Clínica
Atlas de Parasitologia Clínica
 
Parasitoses Intestinais
Parasitoses IntestinaisParasitoses Intestinais
Parasitoses Intestinais
 
CéStodos
CéStodosCéStodos
CéStodos
 
Cestodos
CestodosCestodos
Cestodos
 
Atlasdeparasitologia 100604001209-phpapp02
Atlasdeparasitologia 100604001209-phpapp02Atlasdeparasitologia 100604001209-phpapp02
Atlasdeparasitologia 100604001209-phpapp02
 
Cestodos ppt
Cestodos pptCestodos ppt
Cestodos ppt
 

Semelhante a Parasitoses humanas rodrigo

Doenças bio-katiaqueiroz
Doenças bio-katiaqueirozDoenças bio-katiaqueiroz
Doenças bio-katiaqueiroz
MARISTA , UVA, FIC, FAINTER, GÊNESIS
 
Vírus 7º ano ab
Vírus 7º ano abVírus 7º ano ab
Vírus 7º ano ab
Rosana Cunha Bueno
 
Artropodos med
Artropodos medArtropodos med
Artropodos med
Michel Giotto da Silva
 
Vruseviroses 2010-100221102456-phpapp01
Vruseviroses 2010-100221102456-phpapp01Vruseviroses 2010-100221102456-phpapp01
Vruseviroses 2010-100221102456-phpapp01
MARISTA , UVA, FIC, FAINTER, GÊNESIS
 
13 aulamedicinadenguechikzika
13 aulamedicinadenguechikzika13 aulamedicinadenguechikzika
13 aulamedicinadenguechikzika
Damblya Vilas Boas
 
13 aulamedicinadenguechikzika
13 aulamedicinadenguechikzika13 aulamedicinadenguechikzika
13 aulamedicinadenguechikzika
Roberto de Paula Souza
 
13 aulamedicinadenguechikzika (1)
13 aulamedicinadenguechikzika (1)13 aulamedicinadenguechikzika (1)
13 aulamedicinadenguechikzika (1)
andrime tapajós tapajós
 
O que é HIV ? Como se contrai o vírus? O que é AIDS?
O que é HIV ? Como se contrai o vírus?  O que é AIDS?O que é HIV ? Como se contrai o vírus?  O que é AIDS?
O que é HIV ? Como se contrai o vírus? O que é AIDS?
Berenice Damasceno
 
seminariohivslides-161017165137 (1).pdf
seminariohivslides-161017165137 (1).pdfseminariohivslides-161017165137 (1).pdf
seminariohivslides-161017165137 (1).pdf
TiagoSantos74563
 
Doenças: Vírus, Bactérias e Vermes
Doenças: Vírus, Bactérias e VermesDoenças: Vírus, Bactérias e Vermes
Doenças: Vírus, Bactérias e Vermes
Carlos Priante
 
Aula virus e doenças viróticas
Aula virus e doenças viróticasAula virus e doenças viróticas
Aula virus e doenças viróticas
biologiajr
 
VíRus E Viroses 2010
VíRus E Viroses 2010VíRus E Viroses 2010
VíRus E Viroses 2010
katia queiroz
 
Aula 7 - Doenças Previníveis por Vacinação - Parte II.pdf
Aula 7 - Doenças Previníveis por Vacinação - Parte II.pdfAula 7 - Doenças Previníveis por Vacinação - Parte II.pdf
Aula 7 - Doenças Previníveis por Vacinação - Parte II.pdf
Giza Carla Nitz
 
Virologia ICM.pptx
Virologia ICM.pptxVirologia ICM.pptx
Virologia ICM.pptx
Isaias Mavunice
 
Virologia
VirologiaVirologia
Aula 19 bactérias e vírus
Aula 19   bactérias e vírusAula 19   bactérias e vírus
Aula 19 bactérias e vírus
Jonatas Carlos
 
1 vírus
1 vírus1 vírus
1 vírus
JessicaGondran
 
Virus e viroses
Virus e virosesVirus e viroses
Virus e viroses
Elizabete Costa
 
CEET_Aula sobre os vírus - 2º ano
CEET_Aula sobre os vírus - 2º anoCEET_Aula sobre os vírus - 2º ano
CEET_Aula sobre os vírus - 2º ano
PCachoeira
 
Sistema Imunitário I
Sistema Imunitário ISistema Imunitário I
Sistema Imunitário I
Artur Melo
 

Semelhante a Parasitoses humanas rodrigo (20)

Doenças bio-katiaqueiroz
Doenças bio-katiaqueirozDoenças bio-katiaqueiroz
Doenças bio-katiaqueiroz
 
Vírus 7º ano ab
Vírus 7º ano abVírus 7º ano ab
Vírus 7º ano ab
 
Artropodos med
Artropodos medArtropodos med
Artropodos med
 
Vruseviroses 2010-100221102456-phpapp01
Vruseviroses 2010-100221102456-phpapp01Vruseviroses 2010-100221102456-phpapp01
Vruseviroses 2010-100221102456-phpapp01
 
13 aulamedicinadenguechikzika
13 aulamedicinadenguechikzika13 aulamedicinadenguechikzika
13 aulamedicinadenguechikzika
 
13 aulamedicinadenguechikzika
13 aulamedicinadenguechikzika13 aulamedicinadenguechikzika
13 aulamedicinadenguechikzika
 
13 aulamedicinadenguechikzika (1)
13 aulamedicinadenguechikzika (1)13 aulamedicinadenguechikzika (1)
13 aulamedicinadenguechikzika (1)
 
O que é HIV ? Como se contrai o vírus? O que é AIDS?
O que é HIV ? Como se contrai o vírus?  O que é AIDS?O que é HIV ? Como se contrai o vírus?  O que é AIDS?
O que é HIV ? Como se contrai o vírus? O que é AIDS?
 
seminariohivslides-161017165137 (1).pdf
seminariohivslides-161017165137 (1).pdfseminariohivslides-161017165137 (1).pdf
seminariohivslides-161017165137 (1).pdf
 
Doenças: Vírus, Bactérias e Vermes
Doenças: Vírus, Bactérias e VermesDoenças: Vírus, Bactérias e Vermes
Doenças: Vírus, Bactérias e Vermes
 
Aula virus e doenças viróticas
Aula virus e doenças viróticasAula virus e doenças viróticas
Aula virus e doenças viróticas
 
VíRus E Viroses 2010
VíRus E Viroses 2010VíRus E Viroses 2010
VíRus E Viroses 2010
 
Aula 7 - Doenças Previníveis por Vacinação - Parte II.pdf
Aula 7 - Doenças Previníveis por Vacinação - Parte II.pdfAula 7 - Doenças Previníveis por Vacinação - Parte II.pdf
Aula 7 - Doenças Previníveis por Vacinação - Parte II.pdf
 
Virologia ICM.pptx
Virologia ICM.pptxVirologia ICM.pptx
Virologia ICM.pptx
 
Virologia
VirologiaVirologia
Virologia
 
Aula 19 bactérias e vírus
Aula 19   bactérias e vírusAula 19   bactérias e vírus
Aula 19 bactérias e vírus
 
1 vírus
1 vírus1 vírus
1 vírus
 
Virus e viroses
Virus e virosesVirus e viroses
Virus e viroses
 
CEET_Aula sobre os vírus - 2º ano
CEET_Aula sobre os vírus - 2º anoCEET_Aula sobre os vírus - 2º ano
CEET_Aula sobre os vírus - 2º ano
 
Sistema Imunitário I
Sistema Imunitário ISistema Imunitário I
Sistema Imunitário I
 

Mais de rnogueira

Uso de tecnologia em sala
Uso de tecnologia em salaUso de tecnologia em sala
Uso de tecnologia em sala
rnogueira
 
Citologia
CitologiaCitologia
Citologia
rnogueira
 
Midias digitaiseducacao
Midias digitaiseducacaoMidias digitaiseducacao
Midias digitaiseducacao
rnogueira
 
Coleguiumclassificacao2012
Coleguiumclassificacao2012Coleguiumclassificacao2012
Coleguiumclassificacao2012
rnogueira
 
Bioquimica celular rodrigo
Bioquimica celular rodrigoBioquimica celular rodrigo
Bioquimica celular rodrigo
rnogueira
 
Ecologia 2012 1.0
Ecologia 2012 1.0Ecologia 2012 1.0
Ecologia 2012 1.0
rnogueira
 

Mais de rnogueira (6)

Uso de tecnologia em sala
Uso de tecnologia em salaUso de tecnologia em sala
Uso de tecnologia em sala
 
Citologia
CitologiaCitologia
Citologia
 
Midias digitaiseducacao
Midias digitaiseducacaoMidias digitaiseducacao
Midias digitaiseducacao
 
Coleguiumclassificacao2012
Coleguiumclassificacao2012Coleguiumclassificacao2012
Coleguiumclassificacao2012
 
Bioquimica celular rodrigo
Bioquimica celular rodrigoBioquimica celular rodrigo
Bioquimica celular rodrigo
 
Ecologia 2012 1.0
Ecologia 2012 1.0Ecologia 2012 1.0
Ecologia 2012 1.0
 

Parasitoses humanas rodrigo

  • 1. Parasitoses Humanas (Vírus e Bactérias) Professor Rodrigo Nogueira
  • 2. Classificação das Doenças Adquiridas  aquelas que o indivíduo contrai no meio em que vive, sem qualquer ação hereditária. Podem ser contraídas por ação de um agente: Físico fogo, radioatividade, eletricidade, ultravioleta); Químico ácidos, detergentes, inseticidas, produtos químicos ; Mecânico objetos traumatizantes; Biológico vírus, bactérias, fungos, vermes.
  • 3. Classificação das Doenças Congênitas  afecções decorrentes de desvios do desenvolvimento embrionário e aquelas que são transmitidas de mãe para filho por via placentária, como por exemplo a Eritroblastose Fetal e as mal-formações decorrentes da rubéola durante a gravidez.
  • 4. Classificação das Doenças Hereditárias  são aquelas transmitidas de uma geração a outra unicamente através dos genes ou em decorrência de alterações cromossômicas, como por exemplo a hemofilia, o diabetes e síndromes como a de Turner e a de Klinefelter.
  • 5. Epidemiologia Estudo das doenças transmissíveis ou contagiosas. Podem ser: Doença de Contágio Direto  aquela que se adquire pelo contato com um doente ou através do ar, água, solo ou alimentos e objetos contaminados. Doença de Contágio Indireto  são transmitidas através de um vetor, como um inseto ou um hospedeiro intermediário, como um molusco.
  • 6. Classificação das Doenças Transmissíveis Doenças de Casos Esporádicos  são aquelas que ocorrem em pequeno número de casos, naturalmente, em certa região ou localidade, como por exemplo tuberculose, hanseníase, difteria, tétano. Endemias  moléstias que afetam um grande número de pessoas em uma região, rotineiramente, como por exemplo malária, doença de Chagas, doença do sono, esquistossomose.
  • 7. Classificação das Doenças Transmissíveis Epidemias  doenças que aparecem subitamente, com grande incidência de casos, em uma determinada área, como por exemplo poliomielite, meningite, caxumba. Pandemias  doenças que se alastram rapidamente por todo um país, continente ou até mesmo por todo o mundo, como a gripe espanhola, a peste negra, a aids.
  • 8. Vírus  Submicroscópicos  Infecciosos  Replicam somente em células vivas  Mais de 1000 vírus  500-600 – patógenos de plantas
  • 9. HISTÓRICO: A existência do vírus foi reconhecida pela primeira vez há 100 anos; Mosaico do fumo.
  • 10. ORIGEM EVOLUTIVA Desconhece-se a origem dos vírus. TEORIAS: (1) podem derivar do DNA ou do RNA ou de ambos ácidos nucléicos de células hospedeiras que adquiriram a capacidade de replicação autônoma e evoluíram independentemente. (2) podem consistir em formas degeneradas de parasitas intracelulares.
  • 11. VÍRUS: Do latim, ‘ veneno ’ ; São agentes infectantes de células vivas. São estruturas não celulares que contêm proteína e DNA ou RNA (estrutura molecular).
  • 12. Partícula viral Estrutura simples Material genético Capsídeo proteico Envelope (nem sempre presente)
  • 13. Vírus HIV com envelope de lipídeos Envelope lipídico exterior Proteínas virais incorporadas no envelope RNA viral Proteínas do capsídio
  • 14. Material genético DNA Fita simples Fita-dupla RNA Fita simples Positiva (codante) Negativa (complementar à fita codante) Fita-dupla Associação a enzimas virais (lisozima e polimerases).
  • 15. Capsídio Capa protéica que envolve o material genético Estrutura tridimensional: Icosaédrica Helicoidal Complexa
  • 16. Capsídeo Funções: Proteção do material genético Entrada na célula hospedeira Liberação do material genético ao entrar na célula Empacotamento do material genético
  • 17. Envelope Bicamada lipídica de origem celular Membrana plasmática Membrana do RE Membrana do Golgi Membrana nuclear Contém glicoproteínas virais Entrada da partícula viral na célula Determinantes antigênicos
  • 18.  
  • 19. Estrutura do adenovirus (esquerda), e micrografia de transmissão eletrônica do vírus. Estrutura do papillomavirus (esquerda), e micrografia de transmissão eletrônica do vírus. Micrografia de transmissão eletrônica do vírus da influenza. Vírus – formas
  • 20. Vírus – formas BACTERIÓFAGOS Capsídeo (cabeça) DNA Pescoço Colar Bainha Fibra da cauda Placa basal
  • 21. Adsorção do bacteriófago ao seu hospedeiro Vírus – formas
  • 24. DNA do fago Cromossoma bacteriano profago divisão celular Bactéria lisogênica Lise Ciclo lisogênico profago lise Bactéria lisogênica Indução do ciclo lítico por excisão do DNA do fago do cromossoma bacteriano Lise Ciclo lítico Vírus – ciclo de vida em células procariontes
  • 25. Vírus – ciclo de vida em células eucariontes O vírus que ataca célula eucarionte pode entrar por fusão com a membrana citoplasmática do hospedeiro.
  • 26. O vírus pode entrar por endocitose na célula eucarionte. Vírus – ciclo de vida em células eucariontes
  • 27.  
  • 28. Vírus da gripe H1N1 visto no microscópio eletrônico
  • 29. Vírus e Doenças Associadas Características Gerais Tamanho dos vírus Tamanho dos vírus 225 nm 300 nm 1.000 nm 90 nm 150 nm Hemácia 10.000 nm E. Coli (bactéria) 24 nm nm = nanômetro
  • 30. Detecção de vírus Observação direta por microscopia eletrônica ex. partículas virais com coloração negativa
  • 31. AIDS Agente : Vírus (HIV). Transmissão : contato sexual (DST), sangue contaminado, uso de drogas injetáveis, transmissão placentária, leite materno. Sintomas : febre constante, falência do sistema imunológico com aparecimento de infecções oportunistas, diarréias, perda da coordenação motora, da consciência, morte. Prevenção : uso de preservativos, controle dos bancos de sangue, uso de seringas e instrumentos cirúrgicos descartáveis.
  • 32. Vírus e Doenças Associadas AIDS - Sintomas
  • 33. Gripe Agente : Vírus (influenza). Transmissão : Contagio direto, vírus presente no ar. Sintomas : febre, coriza, cefaléia, tosse, dores musculares, prostração, mal-estar geral. Tratamento : apenas sintomático, como antitérmicos, analgésicos, xaropes, descongestionantes nasais. Importantes o repouso, a dieta com líquidos (sucos de frutas, leite) e vitamina C.
  • 34. Dengue Agente : Vírus. Transmissão : através da saliva das fêmeas dos mosquitos Aedes aegypti e A. albopictus . Sintomas : febre, dores musculares, dores nas articulações, cefaléia, diarréia, náuseas, vômitos, anorexia, manchas vermelhas na pele. Prevenção : eliminar focos de reprodução do vetor, como água parada em latas, vasos, pneus, etc. Tratamento : sintomático.
  • 35. Vírus e Doenças Associadas Dengue
  • 36. Dengue Hemorrágico Pode acometer indivíduos que já tiveram dengue comum ou acontecer como uma evolução dela. Além dos sintomas daquela doença pode acontecer hemorragias digestivas, distúrbios de coagulação, queda no número de plaquetas e coagulação intravascular, levando à morte.
  • 37. Febre Amarela Agente : Vírus (arbovírus). Transmissão : através da saliva das fêmeas de mosquitos dos gêneros Aedes e Haemagogus . Sintomas : febre alta, cefaléias, dores musculares, ósseas e articulares, náuseas, vômitos com sangue, icterícia, lesões renais. Prevenção : vacina e combate aos focos dos mosquitos vetores.
  • 38. Poliomielite Agente : Vírus (poliovírus). Transmissão : gotículas de saliva eliminadas pelo doente, alimentos e utensílios contaminados. Sintomas : infecção da massa cinzenta medular provocando a paralisia dos nervos e atrofia dos músculos. Prevenção : vacina Sabin, administrada via oral aos 2, 6 e 18 meses com dose de reforço após um ano da última.
  • 39. Vírus e Doenças Associadas Poliomielite
  • 40. Raiva Agente : Vírus. Transmissão : saliva de animais domésticos (cães e gatos) e silvestres (morcegos, lobos, raposas). Sintomas : atinge o sistema nervoso (periférico e central), hipersensibilidade local e geral, espasmos dolorosos da musculatura, alucinações, convulsões, paralisia respiratória, morte. Prevenção e Tratamento : Vacina e soro anti-rábico.
  • 41. Vírus e Doenças Associadas Raiva
  • 42. Hepatite Agente : Vírus (tipos A,B,C,D,E,F,G). Transmissão : contagio direto, água, alimentos e utensílios contaminados, sangue contaminado e contato sexual (DST). Sintomas : mal-estar, fraqueza, falta de apetite, náuseas, dores abdominais, icterícia, cirrose hepática. Prevenção : vacinas, medidas de higiene, uso de preservativos, controle dos bancos de sangue.
  • 43. Rubéola Agente : Vírus. Transmissão : contagio direto por secreções das vias respiratórias. Sintomas : Manchas vermelhas na pele (exantema), febre, mal-estar, inchaço de gânglios linfáticos. Pode provocar malformações congênitas e abortos espontâneos. Prevenção : vacina e isolamento do doente.
  • 44. Varíola Agente : Vírus. Transmissão : contagio direto por gotículas e utensílios contaminados. Sintomas : exantema, febre, lesões cutâneas com pus. Prevenção : vacina.
  • 45. Sarampo Agente: Vírus. Transmissão: contágio direto por gotículas. Sintomas: febre, tosse seca, catarro, fotofobia, manchas brancas e posteriormente vermelhas na pele. Pode favorecer infecções oportunistas. Prevenção: vacina.
  • 46. Vírus e Doenças Associadas Vírus do sarampo Vírus Capsulado Sarampo
  • 47. Caxumba Agente : Vírus. Transmissão : contagio direto e uso de utensílios contaminados. Sintomas : infecção das glândulas parótidas e, eventualmente outras glândulas (submandibulares, sublinguais, testículos, ovários, pâncreas), febre, cefaléia, anorexia, calafrios, mal-estar. Prevenção : vacina.
  • 48. Caxumba Vírus e Doenças Associadas
  • 49. Catapora ou Varicela Agente : Vírus. Transmissão : contagio direto por gotículas e uso de utensílios contaminados. Sintomas : febre, prostração, falta de apetite, náuseas, vesículas na pele. Prevenção : vacina e evitar o contato com doentes.
  • 50. Vírus e Doenças Associadas Vírus do sarampo Vírus Capsulado Catapora – (Varicela)
  • 52. BACTÉRIA – ESTRUTURA CELULAR
  • 53.  
  • 54. Parede celular Bactéria Gram -Positiva Bactéria Gram -Negativa
  • 55. BACTÉRIA - MORFOLOGIA
  • 56. BACTÉRIAS AUTOTRÓFICAS FOTOSSÍNTESE ENERGIA LUMINOSA CO 2 +H 2 S ---------------- -> C 6 H 12 O 6 +H 2 O+S 2 b acterioclorofila (glicose) * H 2 S = sulfeto e o S 2 = gás enxofre OBS: BACTÉRIA NUNCA UTILIZA ÁGUA COMO DOADORA DE HIDROGÊNIO Fotossíntese (realizada pelas algas e pelas plantas): ENERGIA LUMINOSA CO 2 +H 2 O ---------------- -> C 6 H 12 O 6 +H 2 O+O 2 clorofila
  • 57. BACTÉRIAS AUTOTRÓFICAS QUIMIOSSÍNTESE Reação quimiossintética nas Nitrossomonas: NH3 (amônia) + O 2 -> NO 2 - (nitrito) + Energia 6 CO 2 + 6 H 2 O + Energia -> C 6 H 12 O 6 (Glicose - Compostos Orgânicos) + 6 O 2 Reação quimiossintética nas Nitrobacter: NO2 - (nitrito) + O2 -> NO3 - (nitrato) + Energia 6 CO 2 + 6 H 2 O + Energia -> C 6 H 12 O 6 + 6 O 2
  • 59. BACTÉRIAS HETERÓTROFAS PARASITAS Coqueluche  Bordetella pertussis Difteria ou Crupe  Corynebacterium diphteriae Tétano  Clostridium tetani (causado por toxina bacteriana) Febre tifóide  Salmonella typhi Sífilis  Treponema pallidum (DST) Hanseníase ou Lepra  Mycobacterium leprae . Febre Maculosa  Rickettsia rickettsii
  • 60. Disenteria bacilar  Shigella sp Gastroenterites  Salmonella sp Tuberculose  Mycobacterium tuberculosis Meningite  Neisseria meningitidis Gonorréia  Neisseria gonorrheae (DST) Cólera  Vibrio cholerae Leptospirose  Leptospira enterrogans Antraz  Bacillus anthracis Botulismo  Clostridium botulinium (causado por toxina bacteriana)
  • 61. Peste Bubônica  Yersinia pestis Pneumonia  Streptococcus pneumoniae  Diplococcus pneumoniae ANTIBIÓTICOS Medicamentos produzidos especificamente para atuar nas células bacterianas, impedindo sua reprodução ( bacteriostáticos ) ou destruindo-as ( bactericida ). Antibiograma , que consiste em cultivar as bactérias que causam a doença na pessoa e testar qual antibiótico é mais efetivo para o tratamento.
  • 62. Mutualismo entre bactérias do gênero Rhizobium e raiz de planta leguminosa. BACTÉRIAS HETERÓTROFAS mutualistas
  • 63. BACTÉRIAS - metabolismo Anaeróbias : quando se cataboliza a glicose sem o auxílio do oxigênio C 6 H 12 O 6 -> 2 C 3 H 6 O 3 + energia Aeróbias : se o catabolismo da glicose é feito com o auxílio de oxigênio C 6 H 12 O 6 + 6 O 2 -> + 6 CO 2 + 6H 2 O + energia A naeróbias facultativas .
  • 64. ASSEXUADA - bipartição, cissiparidade ou divisão binária BACTÉRIAS - reprodução
  • 65. BACTÉRIAS - ESPORULAÇÃO
  • 66. RECOMBINAÇÃO GENÉTICA ( “SEXUADA”) BACTÉRIAS - reprodução
  • 67. RECOMBINAÇÃO GENÉTICA ( “SEXUADA”) BACTÉRIAS - reprodução Transdução
  • 68. RECOMBINAÇÃO GENÉTICA ( “SEXUADA”) BACTÉRIAS - reprodução Conjugação
  • 69. Ciclagem dos Nutrientes Fixação de Nitrogênio Indústria Biorremediação BACTÉRIA – IMPORTÂNCIA
  • 70.  
  • 71. Tuberculose Agente : Mycobacterium tuberculosis (bacilo de Koch). Transmissão : contagio direto por gotículas, utensílios contaminados, ingestão de leite e carne bovina contaminados. Sintomas : tosse, expectoração, falta de apetite, dor torácica, febre, fadiga constante, hemorragia pulmonar. Prevenção : vacina BCG, pasteurização do leite e derivados. Tratamento : antibióticos e quimioterápicos.
  • 72. Hanseníase ou Lepra Agente : Mycobacterium leprae (bacilo de Hansen). Transmissão : contagio direto. Sintomas : nódulos ou tubérculos subcutâneos com perda da sensibilidade, lesões ulcerosas e deformantes, lesões neurológicas. Prevenção : vacina (BCG) e medidas de higiene e saneamento básico. Tratamento : antibióticos.
  • 73. Sífilis ou Lues Agente : Treponema pallidum (espiroqueta). Transmissão : contato sexual (DST), uso de objetos contaminados, contaminação placentária. Sintomas : cancros genitais e em outras partes do corpo, inchaço dos gânglios, febre, comprometimento dos sistemas cardiovascular e nervoso. Prevenção : uso de preservativos. Tratamento : antibióticos.
  • 74. Difteria ou Crupe Agente : Corynebacterium diphtheriae (bacilo diftérico). Transmissão : contagio direto por gotículas. Sintomas : dor de garganta, febre, mal-estar, dificuldade de falar e engolir, destruição de células pela toxina, podendo afetar o coração, rins, sistema nervoso, vias respiratórias. Prevenção : vacina tríplice. Tratamento : soro antidiftérico e antibióticos.
  • 75. Coqueluche Agente : Bordetella pertussis (bacilo). Transmissão : contágio direto por gotículas. Sintomas : tosse “ sibilante ” , vômitos, crises espasmódicas, hemorragias nasais. Prevenção : vacina tríplice. Tratamento : antibióticos e antitoxinas.
  • 76. Pneumonia Bacteriana Agente : Streptococcus pneumoniae (pneumococo). Transmissão : contagio direto por gotículas e objetos contaminados. Sintomas : febre alta, dor torácica, tosse, infecção pulmonar, pleurite, pericardite, artrites, otites. Prevenção : isolamento do paciente. Tratamento : antibióticos e quimioterápicos.
  • 77. Meningite Meningocócica Agente : Neisseria meningitidis (meningococo). Transmissão : contagio direto e objetos contaminados. Sintomas : secreção nasal, dor de garganta, cefaléia, febre, prostração, rigidez da nuca, vômitos em jato, delírios, coma. Prevenção : vacina (duração pequena). Tratamento : antibióticos e soro imune.
  • 78. Febre Tifóide Agente : Salmonella typhi (bacilo). Transmissão : água e alimentos contaminados e contágio direto. Sintomas : diarréias intensas com sangue, cólicas, febre, ulceras intestinais. A toxina pode comprometer o sistema nervoso central. Prevenção : vacina, saneamento básico e hábito de higiene. Tratamento : antibióticos.
  • 79. Cólera Agente : Vibrio cholerae (vibrião). Transmissão : água e alimentos contaminados. Sintomas : diarréia intensa, desidratação grave. Prevenção : vacina (curta duração), saneamento básico, hábitos de higiene. Tratamento : soro reidratante e antibióticos.
  • 80. Leptospirose Agente : Leptospira interrogans (espiroqueta). Transmissão : água, alimentos e objetos contaminados pela urina ratos, camundongos, cães, galinhas, coelhos. Sintomas : febre alta, calafrios, cefaléia, dores musculares e articulares, anemia, complicações renais, icterícia. Prevenção : vacina, controle dos vetores. Tratamento : antibióticos.
  • 81. Botulismo Agente : Clostridium botulinium (bacilo). Transmissão : toxina produzida pela bactéria contaminando alimentos. Sintomas : fortes dores abdominais, paralisia neuronal e muscular. Prevenção : cuidado com alimentos enlatados, em conserva ou defumados. Tratamento : soro com antitoxina.
  • 82. Tétano Agente : Clostridium tetani (bacilo). Transmissão : ferimentos perfurantes, solo contaminado por fezes. Sintomas : cefaléia intensa, febre, dores musculares, paralisia muscular. Prevenção : vacina tríplice. Tratamento : soro (antitoxina).
  • 83. Micoses Superficiais e Cutâneas Agentes : gêneros Trichophyton , Microsporum e Epidermophyton . Transmissão : esporos presentes no ar e em objetos. Sintomas : atingem a epiderme e a derme (frieira ou pé-de-atleta, dermatofitoses e onicomicoses (nas unhas). Prevenção : hábitos de higiene. Tratamento : medicamentos específicos.
  • 84.  
  • 85. Micoses Sistêmicas e Oportunistas Agentes : Candida albicans , Mucor spp., Aspergillus spp., Rhizopus spp. Transmissão : esporos presentes no ar, objetos e alimentos, contagio sexual. Sintomas : feridas nos genitais, infecções nos pulmões, sistema digestório, sistema nervoso, além de toxinas causadoras de tumores no fígado e outros órgãos. Prevenção : uso de preservativos, ação do sistema imunológico. Tratamento : medicamentos específicos.
  • 86. Amebíase Agente : Entamoeba histolytica (Rizópode). Transmissão : cistos presentes na água e alimentos contaminados. Sintomas : diarréia com sangue, cólicas intensas, náuseas, vômitos, ulcerações nos intestinos, toxina pode atingir outros órgãos. Prevenção : hábitos de higiene e saneamento básico. Tratamento : medicação específica
  • 87.  
  • 88. Giardíase Agente : Giardia lamblia ou Giardia intestinalis (flagelados). Transmissão : água e alimentos contaminados. Sintomas : disenteria, cólicas, infecção do intestino e vesícula biliar. Prevenção : hábitos higiênicos e saneamento básico. Tratamento : medicamentos específicos.
  • 89. Balanditiose Agente : Balantidium coli (ciliado). Transmissão : água e alimentos contaminados. Sintomas : disenteria, cólicas intensas, diarréia com sangue. Prevenção : hábitos de higiene e saneamento básico. Tratamento : medicamentos específicos.
  • 90. Tricomoníase Agente : Trichomonas vaginalis (flagelado). Transmissão : contagio sexual (DST), uso de roupas intimas e toalhas contaminadas. Sintomas : inflamação vaginal, com prurido e corrimento. Prevenção : uso de preservativos, não compartilhar roupas e toalhas. Tratamento : cremes vaginais e medicamentos por via oral.
  • 91. Toxoplasmose Agente : Toxoplasma gondii (esporozoário). Transmissão : água, alimentos e objetos contaminados pela urina de ratos, cães, gatos, contendo o protozoário). Sintomas : febre constante, inchaço de gânglios, exantema, infecção do fígado e baço, encefalite. Prevenção : controle dos vetores. Tratamento : quimioterápicos.
  • 92. Malária Agentes : Plasmodium malariae , P . vivax e P . falciparum (esporozoários). Transmissão : saliva das fêmeas do mosquito Anopheles sp . Sintomas : surtos febris periódicos, hemólise, anemia. Prevenção : combate aos focos do vetor. Tratamento : quimioterápicos.
  • 93.  
  • 94. Doença de Chagas Agente: Tripanosoma Cruzy (flagelado). Transmissão: contaminação pelas fezes do inseto barbeiro ( Triatoma infestans ). Sintomas: parasita infesta gânglios linfáticos, parede dos vasos sangüíneos, fibras musculares, miocárdio, sistema nervoso central. Prevenção: combate ao vetor e melhoria das condições de habitação rural.
  • 95. Leishmaniose Agente : Leishmania brasiliensis (flagelado). Transmissão : saliva das fêmeas do mosquito-palha ( Phlebotomus intermedius ). Sintomas : ulcerações cutâneas e nas mucosas da boca, nariz e faringe. Prevenção : combate aos focos do vetor. Tratamento : quimioterápicos.
  • 96.  
  • 97. Teníase Agente : Taenia solium e T . saginata (platelmintes). Transmissão : carne de porco e gado contaminadas com larvas do parasita. Sintomas : desnutrição, emagrecimento e depauperamento físico. Prevenção : cozinhar ou assar bem a carne de gado ou porco, hábitos de higiene e saneamento básico Tratamento : vermífugo para eliminar o escólex (cabeça)
  • 98.  
  • 100. Cisticercose Agente : larvas (cisticercos) de T . solium e T . saginata . Transmissão : ingestão acidental dos ovos de tênias. Sintomas : larva se aloja na musculatura, pulmão, globo ocular, coração ou cérebro. Prevenção : hábitos de higiene e saneamento básico. Tratamento : cirúrgico.
  • 101. Hidatidose Agente : Echinococcus granulosus (tênia do cão - platelminto). Transmissão : ingestão acidental de ovos do parasito. Sintomas : larva se instala no fígado, globo ocular, cérebro. Prevenção : cuidado ao manipular animais domésticos, hábitos de higiene. Tratamento : cirúrgico.
  • 102. Esquistossomose Agente : Schistosoma mansoni (platelminto). Transmissão : larvas miracídios no molusco Biomphalaria formam as larvas cercárias que penetram no homem através da pele e mucosas. Sintomas : hemorragia intestinal, barriga-d ’ água, mal funcionamento do fígado e pâncreas, problemas cardiovasculares. Prevenção : combate ao molusco vetor, hábitos de higiene e saneamento básico.
  • 104. Ascaridíase Agente : Ascaris lumbricoides (lombriga – nematóide). Transmissão : ingestão de ovos através de água e alimentos contaminados. Sintomas : indisposição digestiva ou intestinal, dores abdominais, náuseas, obstrução intestinal. Prevenção : cuidado com água e alimentos crus, hábitos de higiene e saneamento básico.
  • 105.  
  • 106. Amarelão Agente : Ancylostoma duodenale e Necator americanus (nematóides). Transmissão : larvas no solo contaminado penetram através da pele. Sintomas : anemia profunda e depauperamento físico. Prevenção : hábitos de higiene e saneamento básico, uso de calçados em áreas rurais. Tratamento : vermífugo específico.
  • 107.  
  • 108. Helmintíase Migrante Agente: larvas de Ancylostoma brasiliensis e A . caninum (nematóides). Bicho geográfico. Transmissão: larvas no solo contaminado por fezes de cães e gatos penetram no homem através da pele. Sintomas: galerias subcutâneas formadas pelo deslocamento da larva, causando ardência e coceira. Prevenção: evitar contato com terra úmida e areia onde cães e gatos podem ter evacuado. Tratamento: medicamentos específicos.
  • 109. Filariose ou Elefantíase Agente : Wuchereria bancrofti (filária – nematóide). Transmissão : saliva de fêmeas do mosquito Culex sp . Sintomas : derrame da linfa nos tecidos adjacentes com edema progressivo de pernas, braços, mamas e escroto. Prevenção : combate aos focos do vetor. Tratamento : clínico e cirúrgico.
  • 110.  
  • 111. Pediculose Agente : Pediculus humanus (piolho – inseto) e Phthirius pubis (chato – inseto). Transmissão : direta, através de contato com indivíduo contaminado. Sintomas : prurido (coceira), devido a picada do parasita que se aloja na cabeça ou dobras do corpo. Prevenção : hábitos de higiene. Tratamento : medicamentos específicos.
  • 112. Escabiose Agente: Sarcoptes scabei (sarna – ácaro). Transmissão: contato pessoal, roupas, lençóis, cobertores, toalhas. Sintomas: pequenas lesões que provocam coceira. Prevenção: hábitos de higiene e evitar compartilhar roupas, toalhas. Tratamento: medicação tópica.