As mulheres no evangelho

1.012 visualizações

Publicada em

Perpassa sobre o Evangelho destacando Maria, mãe de Jesus, Maria Madalena, Marta e Maria e Joana: esposa de Cusa, procurador de Herodes. Sugiro assistir vídeos sobre o tema no youtube para entender a sequência dos slides.

Publicada em: Espiritual
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.012
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
84
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

As mulheres no evangelho

  1. 1. Livro: Vereda familiar - Médium: J. Raul Teixeira
  2. 2. REGRA NA ÉPOCA DE JESUS: 1. EXCLUSÃO DA MULHER DA VIDA PÚBLICA 2. SEM VOZ 3. TRATADA COM DESCONSIDERAÇÃO 4. APEDREJAMENTO EM PRAÇA PÚBLICA 5. MUTILAÇÕES ALGUNS PAÍSES AINDA PERMANECEM COM ESSES COSTUMES BÁRBAROS PAÍSES DITOS CIVILIZADOS TAMBÉM DISCRIMINAM MULHERES VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA A MULHER DEMONSTRANDO SEU ESTÁGIO REMINISCENTE DE BARBÁRIE. CRISTIANISMO HERDOU DA CULTURA JUDAICA O RANÇO DA CONDENAÇÃO
  3. 3. 1 - cultura mais machista do mundo: SALÁRIOS MENORES PRA MESMA FUNÇÃO mulheres fazem o serviço de casa enquanto homem descansa embora trabalhem da mesma forma estupros , assassinatos sem punição devida e violência doméstica contra a mulher em níveis alarmantes Mulher destacada como objeto de satisfação sexual Mulher que aceita, quietinha, que não reclama das traições por medo das reações violentas dos companheiros.
  4. 4. São poucas as referências à presença da mulher nos tempos de Jesus. Algumas sequer têm o próprio nome citado. Sociedade extremamente machista. DESTAQUE para os feitos masculinos. Mulher relegada a um plano inferior. As poucas passagens onde a mulher aparece permitem que sejam identificadas pela situação em que se deu seu encontro com Jesus:
  5. 5. - Maria, mãe de Tiago Menor. - Salomé: mãe de João e Tiago Maior, primos de Jesus.
  6. 6. E as anônimas: - A mulher samaritana - A viúva de Naim: Jesus devolve a vida ao seu filho, considerado morto. - A adúltera: Jesus foi o único que não a condenou, dizendo aos que a acusavam para que atirassem a primeira pedra quem estivesse sem pecado. - A hemorroísa: Jesus a curou de hemorragia que a afligia por doze anos. - A mulher de Tiro-Sidon: rogou a Jesus as migalhas de seus ensinamentos. - A filha de Jairo: Jesus a atendeu dizendo aos pais que ela não estava morta, mas desnutrida, recomendando que dessem alimento a ela. - A sogra de Pedro: foi curada por Jesus de um forte estado febril.
  7. 7. - Maria, mãe de Jesus: - Maria Madalena - Marta e Maria: irmãs de Lázaro. Jesus se hospedou várias vezes na casa desses irmãos, em Betânia, próximo a Jerusalém. - A Samaritana - Joana: esposa de Cusa, procurador de Herodes. -
  8. 8. Certamente não foram somente essas que Jesus socorreu. Mulheres desorientadas, mães aflitas, viúvas desamparadas, meninas órfãs procuravam refúgio, consolo e orientação de Jesus;
  9. 9. Os Evangelhos afirmam que muitas mulheres seguiam Jesus em suas andanças pela Galiléia e auxiliavam com seus recursos a comprar mantimentos para auxílio aos necessitados. Por isso, pais e maridos consideravam que Jesus as havia enfeitiçado e derramavam sua indignação e seu ódio contra Ele.
  10. 10. muitas passaram a seguir seus ensinamentos sem abandonarem os próprios compromissos familiares, sofrendo em silêncio a incompreensão alheia e as humilhações a que estavam sujeitas.
  11. 11. Ansiando por uma vida mais espiritualizada, Jesus as encantava, já que entendia profundamente a psicologia feminina e as orientava com amor e sabedoria. .
  12. 12. Sempre que a comitiva se aproximava de alguma paragem, eram elas que chegavam primeiro, a fim de preparar o repouso do Senhor. Organizavam o caminhos das caravanas, ofereciam seus préstimos financeiros
  13. 13. Eles, os Apóstolos, foram chamados pela palavra;
  14. 14. Elas, as Servidoras Fiéis, foram convocadas pelo olhar
  15. 15. Numa época em que as mulheres geralmente eram tratadas como inferiores, o evangelho de João revela que Jesus Cristo tratava as mulheres com compaixão e respeito “Jesus Cristo foi o maior defensor do sexo feminino no mundo”. João destaca a compreensão que Jesus tinha das diversas circunstâncias da vida delas e registra as bênçãos que cada mulher recebeu por sua fé em Jesus Cristo.
  16. 16. Os homens daqueles tempos consideravam aquelas mulheres como perturbadas ou loucas (mediunidade). Os Evangelhos dizem que Jesus expulsou espíritos malignos de muitas delas, oferecendo, ao mesmo tempo, o caminho libertador pela prática constante do amor ao próximo e da confiança em Deus. . Grande era o alívio que sentiam, entusiasmando-se para seguir os ensinamentos do Mestre Amado.
  17. 17. A Fé exercida por Maria, precedeu o primeiro milagre público João apresenta Maria bem no início de seu evangelho. nas bodas de Caná contém um tributo à fé exercida por Maria. Maria cargo de responsabilidade naquele casamento.2 Quando os convidados “[quiseram] vinho, a mãe de Jesus lhe disse: Não têm vinho” (João 2:3). Essa passagem sugere que, quando se virou para Jesus Cristo pedindo ajuda, Maria pode ter respeitosamente esperado um milagre.3
  18. 18. O relato então descreve a contínua fé exercida por Maria ao instruir os servos a obedecerem a Jesus Cristo: “Fazei tudo quanto ele vos disser” (João 2:5).
  19. 19. As talhas de água foram enchidas, e Jesus transformou a água em vinho atendendo ao pedido de ajuda de Maria para servir aos convidados do casamento.
  20. 20. JOANA DE CUSA esposa de Cusa, procurador de Herodes.
  21. 21. Quando Joana se encontrou com Jesus, ele a curou de uma doença que não está especificada ou a libertou de um espírito mau que controlava sua vida (Lc 8.2). Então Joana decidiu seguir Jesus. Ela escolheu colocar em risco seu estilo de vida confortável para tornar-se uma seguidora de Jesus Cristo Mas Jesus disse-lhe que no momento, Sua tarefa era junto à família
  22. 22. - Joana de Cusa: seguia e ajuda à distância Depois da morte do marido Foi seguir Jesus A vida era difícil para as mulheres que serviam a Jesus e seus discípulos. Mas Joana uniu-se a essas mulheres que generosamente doavam não apenas seu tempo e energia, mas também o dinheiro que dispunham para apoiar o ministério do Senhor.
  23. 23. Ela poderia ter vivido desfrutando do luxo e privilégios proporcionados por sua riqueza e marido influente. Preferiu abrir mão de sua mansão terrena em favor da mansão celestial que sabia que herdaria quando se comprometesse com Cristo.
  24. 24. - Joana de Cusa: Terminou seus dias em grande miséria, morrendo na fogueira por ser cristã, juntamente com seu filho, em Roma. Filho pede para abjurar Mas ela se mantém firme
  25. 25. Espírito que se faz conhecido pelo nome Joanna de Ângelis foi: 1. Joana de Cusa, 2. Uma discípula de Francisco de Assis; 3. A grandiosa Soror Juana Inés de La Cruz 4. e a destemida Joana Angélica de Jesus. Reencarnações seguintes servindo ao Bem
  26. 26. Espírito Joanna de Ângelis 5 maio de 1964 (51 anos) mentora de Divaldo Franco
  27. 27. A mulher que João apresenta ao leitor em seguida é a de Samaria. Jesus voltando de uma missão na Judeia, em direção à Galileia, o que levava 3 dias, passava por Samaria, território no qual tanto judeu quanto galileus eram hostilizados
  28. 28. Parábola do bom samaritano
  29. 29. Os samaritanos eram considerados, desde o berço, como impuros em último grau. Impossível qualquer casamento entre samaritanos e judeus.
  30. 30. Jesus mostrou-lhe respeito apesar de ser de Samaria. E depois a todas as mulheres sem distinção de nacionalidade ou formação religiosa.
  31. 31. Depois de viajar sob um sol escaldante, Jesus parou para descansar e beber água. Iniciou uma conversa com a mulher samaritana no poço pedindo-lhe água para beber.
  32. 32. Como podes tu, judeu, me pedires água para beber, eu que sou samaritana ? (já tinha introjetado o quanto era desprezível sua condição)
  33. 33. Jesus ensinou-lhe que tinha a “água viva” (João 4:10) e que aqueles que bebessem dela jamais teriam sede. Intrigada, a mulher fez mais perguntas. Jesus Cristo então revelou a vida passada da samaritana e seu relacionamento pecaminoso atual. Samaritana – teve 5 maridos e convivia com alguém com quem não era casada.
  34. 34. Embora ela possa ter-se sentido constrangida, talvez também tenha sentido que Jesus Cristo lhe falou com respeito, porque respondeu, pensativa: “Senhor, vejo que és profeta” (João 4:19). “Mulher (minha senhora), crê-me” (João 4:21)
  35. 35. À samaritana, desprezada por ser mulher, estrangeira , impura e de má conduta, Jesus se revela como o Messias (Jo 4, 29b-30)
  36. 36. Gradualmente ao longo da conversa, ela adquiriu um testemunho de Sua divindade. Ela se converte em apóstola e dá aos outros, testemunho de Jesus.
  37. 37. Deixando o pote de água (que simbolizava suas posses terrenas), ela foi até a cidade e anunciou: “Vinde, vede um homem que me disse tudo quanto tenho feito. Porventura não é este o Cristo?” (João 4:29.)
  38. 38. Também ela rompe costumes porque anuncia aos samaritanos uma mensagem de salvação que vem dos judeus. Diz João que muitos samaritanos acreditaram nele por causa da palavra da mulher.
  39. 39. Jesus mostrou compaixão pela Mulher Apanhada em Adultério FARISEUS : FORMA RUDE JESUS : COMPAIXÃO E RESPEITO
  40. 40. Estando Jesus em viagem, entrou numa aldeia, onde uma mulher chamada Marta, o recebeu em sua casa. Tinha ela uma irmã por nome Maria, que se assentou aos pés do Senhor para ouvi-lo falar. .
  41. 41. Marta, toda preocupada na lida da casa, veio a Jesus e disse: Senhor, não te importas que minha irmã me deixe só a servir? Dize-lhe que me ajude.
  42. 42. Os horizontes das mulheres se abrem, transcendendo os afazeres domésticos.
  43. 43. Maria escolheu a boa parte porque concedeu o valor preciso às necessidades de hospedagem e alimentação. A maior parte do seu tempo, os esforços e energias foram canalizados para o essencial. O Cristo encontrava-se presente em sua casa, por algumas horas. Talvez, não mais o visse naquela reencarnação. Assim, por que perder esses instantes, tão especiais, para se dedicar mais tempo às coisas materiais, ainda que estas fossem importantes?
  44. 44. 1. As palavras de Jesus transcendem os costumes da época. 2. No aspecto religioso as palavras e atitudes de Jesus detonam e superam o machismo dominante. 3. No tempo de Jesus as mulheres não podiam entrar nas sinagogas nem conhecer a Lei. Como iriam explicá-la? 4. Não podiam aparecer em público nem exercer função religiosa 5. Jesus convocava a não fazer distinção entre discípulos e discípulas. 6. Ele rompe tabus ao se relacionar com as mulheres. 7. Jesus revoluciona os costumes legalistas e a ética moralizante vigentes na época, denunciando normais e leis discriminatórias em relação às mulheres e aos homens.
  45. 45. MARIA MADALENA A REVIVIDA DE MAGDALA:
  46. 46. MADALENA – prostituta ANTES DO ENCONTRO COM JESUS, VIDA SEM SENTIDO, VAZIA, APESAR DE TODOS OS LUXOS E FACILIDADES
  47. 47. Seu palácio era procurado pelos príncipes das sinagogas, ricos negociantes, opulentos senhores de terras e de escravos, funcionários de alta categoria da administração herodiana, que lhe depositavam no regaço moedas de ouro, jóias, dracmas de prata, perfumes raros, presentes exóticos. Ela se dava ao luxo de escolher quem lhe aprouvesse e se tornou detentora dos segredos dos fariseus, aqueles que baixavam a cabeça na rua, com ares pudicos, mas que a buscavam, embuçados em mantos negros, a horas mortas. capítulo 20 da obra Boa Nova, ditada pelo espírito Humberto de Campos
  48. 48. Maria, de Magdala ou Madalena, contudo, não era feliz. Surda tristeza a minava, entregando-se, por vezes, dias seguidos, à profunda amargura. Espíritos infelizes a tomavam, em noites variadas, deixando-a alheada, olhos perdidos no mistério de insondáveis distâncias. capítulo 20 da obra Boa Nova, ditada pelo espírito Humberto de Campos
  49. 49. Nessas horas, as servas despediam, do átrio, todos os que a buscassem. Alguns homens, sentindo-se preteridos, dobravam as ofertas pelas horas de prazer que anteviam. Tudo em vão. capítulo 20 da obra Boa Nova, ditada pelo espírito Humberto de Campos
  50. 50. Serva de confiança, dedicada e fiel fala sobre o Rabi que andava pelas estradas da Galiléia e da Judéia. Sentiu a esperança renascer, ante a informação de que aquele Rabi convivia com os pecadores, os excluídos. Ele viera para encontrar o que estava perdido. capítulo 20 da obra Boa Nova, ditada pelo espírito Humberto de Campos
  51. 51. Soube que Jesus e dois de seus discípulos haviam "merecido" a distinção de um banquete na rica vivenda de Simão. Quase ao seu final, ouviram-se gritos e altercações. Depois, rompendo a segurança, Madalena irrompe na sala.
  52. 52. Simão se enche de cólera, ante o epílogo desastroso do seu jantar. Teme mandar expulsá-la, porque sabe da sua coragem e ousadia. Ela o conhece muito bem, como a tantos outros que ali se apresentam como homens de honra.
  53. 53. JÁ ANSIAVA POR ALGO MAIOR E PELA VIBRAÇÃO ESPIRITUAL SUPERIOR DO CRISTO, ELA SE TRANSFORMA QUANDO A LUZ SE FAZ, A SOMBRA SE DISSIPA IMANTAÇÃO ENERGÉTICA
  54. 54. BACELLI – CHICO XAVIER – ENCANTAMENTO DA PRESENÇA SE ESQUECE QUE TEM CORPO. PASSA HORAS SEM COMER, SEM BEBER, SEM IR AO BANHEIRO (Divaldo 88 anos: emendou debate e palestra mais de 3 h duração) ESPÍRITOS MISSIONÁRIOS CUJA IMANTAÇÃO ENERGÉTICA NOS ENVOLVE E CAUSA TRANSFORMAÇÕES AUTOMÁTICAS, COMO UM ANTIBIÓTICO COMBATENDO NOSSAS INFECÇÕES MENTAIS, NOS ABRINDO OS OLHOS ESPIRITUAIS PARA A REALIDADE MAIOR. A GENTE SAI DALI QUERENDO MUDAR TOTALMENTE NOSSA VIDA .
  55. 55. “Maria de Magdala ouvira as pregações do Evangelho do Reino, não longe da vila principesca onde vivia entregue a prazeres, em companhia de patrícios romanos, e tomara-se de admiração profunda pelo Messias. capítulo 20 da obra Boa Nova, ditada pelo espírito Humberto de Campos
  56. 56. Que novo amor era aquele apregoado aos pescadores singelos por lábios tão divinos? Até ali, caminhara ela sobre as rosas rubras do desejo, embriagando-se com o vinho de condenáveis alegrias. No entanto, seu coração estava sequioso e em desalento. capítulo 20 da obra Boa Nova, ditada pelo espírito Humberto de Campos
  57. 57. O Profeta nazareno havia plantado em sua alma novos pensamentos. Depois que lhe ouvira a palavra, observou que as facilidades da vida lhe traziam agora um tédio mortal ao espírito sensível.
  58. 58. As músicas voluptuosas não encontravam mais eco em seu íntimo, os enfeites romanos de sua habitação se tornaram áridos e tristes. Maria chorou longamente, embora não compreendesse ainda o que pleiteava o profeta desconhecido. capítulo 20 da obra Boa Nova, ditada pelo espírito Humberto de Campos
  59. 59. Entretanto, seu convite amoroso parecia ressoar-lhe nas fibras mais sensíveis de mulher. Jesus chamava os homens para uma vida nova”. capítulo 20 da obra Boa Nova, ditada pelo espírito Humberto de Campos
  60. 60. Logo toda Magdala soube, pasmada, a notícia da conversão da pecadora. Distribuíra tudo quanto possuía e, com o estritamente necessário, iniciara nova vida. As vozes da desonra e do despeito sussurravam que ela voltaria às noites de prazer, que enlouquecera, que sempre fora louca.
  61. 61. Ela se juntou aos que seguiam o Mestre.
  62. 62. Discreta, mais de uma vez, recebeu a bofetada da desconfiança. Sabia que não confiavam em sua renovação, nem se davam conta de quantas tentações ela estava procurando sublimar.
  63. 63. Chegados os dias da denúncia de Judas, a prisão de Jesus, o julgamento arbitrário, ei-la, caminhando para o Gólgota, acompanhando-O.
  64. 64. Permaneceu ao pé da cruz, junto à Maria e ao discípulo João. Quando a cabeça D'Ele pendeu, desejou cingir-lhe outra vez os pés e osculá- los com ternura, mas se sentiu imobilizada."
  65. 65. No domingo, indo ao túmulo com Joana de Cusa, Maria, a mãe de Marcos e outras mulheres, encontrou a pedra do sepulcro removida, dobrados os lençóis que lhe haviam envolvido o corpo. Ela temeu que os judeus houvessem roubado o seu corpo. Enquanto as demais mulheres retornaram a Jerusalém a informar o ocorrido, ela permaneceu no jardim, a chorar.
  66. 66. À Madalena, designa a missão de anunciar aos discípulos sua Ressurreição. Lei Judaica – a mulher não serve como testemunha. Jesus valorizou o testemunho de mulheres
  67. 67. MARIA MADALENA A REVIVIDA DE MAGDALA: Devido às experiências sexuais desregradas maculou totalmente seu veículo físico com a possibilidade da maternidade. Jesus disse: Maria, qual será a maior aos olhos de Deus? A que se dedicou totalmente aos filhos de sua carne ou a que se consagrou em espírito, aos filhos das outras mães? E ela sai dali verdadeiramente transformada.
  68. 68. Depois da morte do Cristo, Madalena foi residir em Dalmanuta, quando certo dia, um grupo de leprosos veio procurá-la. Procediam da Iduméia aqueles infelizes em supremo abandono. Perguntavam por Jesus Nazareno, mas todas as portas se lhes fechavam. Maria foi ter com eles, e reuniu-os sob as árvores da praia e lhes transmitiu as palavras de Mestre.
  69. 69. As autoridades locais, entretanto, ordenaram a expulsão imediata dos enfermos. Maria Madalena, diante disso, se pôs em marcha para Jerusalém, na companhia deles.
  70. 70. Passando a viver no Vale dos Leprosos, em breve tempo, sua pele apresentava, igualmente, manchas violáceas e tristes da lepra. Sentindo-se ao termo de sua tarefa meritória, Maria de Magdala abandonou o vale, para ir ao encontro de seu círculo pessoal em Éfeso.
  71. 71. Uma noite, atingiram o auge as profundas dores que sentia. Em dado instante, observou-se que seu peito não mais arfava. Maria, no entanto, experimentava sensação de alívio. Foi quando viu Jesus aproximar-se, mais belo que nunca. Seu olhar tinha o reflexo do céu e o semblante trazia um júbilo indefinível. O Mestre estendeu-lhe as mãos e ela se prosternou, exclamando, como antigamente: -Senhor!... - Jesus recolheu-a brandamente nos braços e murmurou: - Maria, já passaste a porta estreita!... Amaste muito! Vem! Eu te espero aqui!
  72. 72. Todas as religiões cristãs reverenciam, com extremo carinho e profunda gratidão, a figura ímpar de Maria de Nazaré, a sublime mãe de Jesus.
  73. 73. O tríplice aspecto da Doutrina Espírita
  74. 74. ESPIRITISMO: RECONHECE em Maria uma ENTIDADE EVOLUIDÍSSIMA , que já havia conquistado, há mais de 2000 anos , elevadas virtudes. APTA a desempenhar na crosta terrestre tão elevada missão , recebendo em seus braços o Emissário de Deus que se fez menino para se transformar “no modelo da perfeição moral que a Humanidade pode pretender sobre a Terra”( L.E.).
  75. 75. RELIGIOSA - como Cristianismo redivivo, caracteriza o Consolador prometido por Jesus
  76. 76. PREPARATIVO E INÍCIO DA MISSÃO Conta-nos Emmanuel que, precedendo a vinda de Jesus , entidades angélicas se movimentaram, tomando vastas e importantes providências no Plano Espiritual. ‘Escolhem-se os instrutores, os precursores imediatos, os auxiliares divinos. Uma atividade única registra-se, então , nas esferas mais próximas do planeta (..) Ref. A caminho da Luz e Boa Nova
  77. 77. Com a chegada do Mestre “a manjedoura assinalava o ponto inicial da lição salvadora de Cristo, como a dizer que a humildade representa a chave de todas as virtudes (..).
  78. 78. PREPARATIVO E INÍCIO DA MISSÃO Debalde os escritores materialistas de todos os tempos vulgarizaram o grande acontecimento, ironizando os altos fenômenos mediúnicos que o precederam. As figuras de Simão, Ana, Isabel, João Batista, José, bem como a personalidade sublimada de Maria , têm sido muitas vezes objeto de observação injustas e maliciosas, mas a realidade é que somente com o concurso daqueles mensageiros da Boa Nova, portadores da contribuição de fervor , crença e vida , poderia Jesus lançar na Terra os fundamentos da verdade inabalável. Ref. A caminho da Luz e Boa Nova
  79. 79. VIDEO DO NASCIMENTO DE JESUS
  80. 80. MARIA E ISABEL FALAM DOS MENINOS O Espírito de Humberto de Campos narra, num de seus livros, a importante visita que Isabel e seu filho João Batista fizeram ao lar de Jesus, em Nazaré, propiciando oportuno encontro entre as duas crianças que revolucionariam o Mundo. O diálogo entre as duas primas é muito significativo, revelando-se perfeitamente preparadas para a sublime tarefa, como veremos neste pequeno trecho: “- o que me espanta – dizia Isabel com caricioso sorriso – é o temperamento de João , dado às mais fundas meditações, apesar da sua pouca idade.
  81. 81. (..) – Essas crianças, a meu ver – respondeu-lhe Maria, intensificando o brilho suave de seus olhos – trazem para a humanidade a luz divina de um caminho novo. Meu filho também é assim, envolvendo-me o coração numa atmosfera de incessantes cuidados. Por vezes, vou encontrá-lo a sós, junto das águas, e, de outras , em conversação profundas com os viajantes que demandam a Samaria ou as aldeias mais distantes , nas adjacências do lago. Quase sempre, surpreendo-lhe a palavra caridosa que dirige às lavadeiras, aos transeuntes , aos mendigos sofredores. Fala de sua comunhão com Deus com uma eloquência que nunca encontrei nas observações dos nossos doutores e, constantemente, ando a cismar, em relação ao seu destino.”
  82. 82. Último capítulo dedicado à Maria. descrevendo a suas impressões íntimas diante do filho crucificado …a sua curta estadia em Batanéa…a mudança, com João Evangelista, para Éfeso, onde “estabeleceriam um pouso e refúgio aos desamparados, ensinariam as verdades do Evangelho a todos os espíritos de boa vontade e, como mãe e filho, iniciaria uma nova era de amor, na comunidade universal”
  83. 83. De fato, “a casa de João, ao cabo de algumas semanas, se transformou num ponto de assembleias adoráveis (…) Maria externava as suas lembranças. Falava dele com maternal enternecimento, enquanto o apóstolo comentava as verdades evangélicas, apreciando os ensinos recebidos. E não foi só. Decorridos alguns meses, grandes fileiras de necessitados acorriam ao sítio singelo e generoso(….)
  84. 84. Sua choupana era, então, conhecida pelo nome de Casa da Santíssima (..) Eram velhos trôpegos e desenganados do mundo, que lhe vinham ouvir as palavras confortadoras e afetuosas, enfermos que invocavam a sua proteção, mães infortunadas que pediam a benção de seu carinho .
  85. 85. Último capítulo dedicado à Maria. A DESENCARNAÇÃO E SEU PRIMEIRO TRABALHO NO MUNDO MAIOR
  86. 86. Elevada nas suas meditações, Maria viu aproximar-se o vulto de um pedinte. – Minha mãe – exclamou o recém chegado, como tantos outros que recorriam ao seu carinho – venho fazer-te companhia e receber a tua benção. Maternalmente, ela o convidou a entrar, impressionada com aquela voz que lhe inspirava profunda simpatia . O peregrino lhe falou do céu, confortando-a delicadamente . Comentou as bem-aventuranças divinas que aguardam a todos os devotados e sinceros filhos de Deus, dando a entender que lhe compreendia as mais ternas saudades do coração. Maria sentiu-se empolgada por tocante surpresa.
  87. 87. Que mendigo seria aquele que lhe acalmava as dores secretas da alma saudosa, com bálsamos tão dulçorosos ? Nenhum lhe surgira até então para dar; era sempre para pedir alguma coisa . No entanto, aquela viandante desconhecido lhe derramava no intimo as mais santas consolações. Onde ouvira noutros tempos aquela voz meiga e caridosa?! Que emoções eram aquelas que lhe faziam pulsar o coração de tanta caricia? Seus olhos se umedeceram de ventura, sem que conseguisse explicar a razão de sua terna emotividade.
  88. 88. Foi quando o hospede anônimo lhe estendeu as mãos generosas e lhe falou com profundo acento de amor: – Minha mãe, vem aos meus braços…………
  89. 89. A alvorada desdobrava o seu formoso leque de luz quando aquela alma eleita se elevou da Terra, onde quantas vezes chorava de júbilo, de saudade e de esperança.
  90. 90. Não mais via seu filho bem-amado que certamente a esperaria, com boas-vindas, no seu reino de amor; mas, extensas multidões de entidades angélicas a cercavam cantando hinos de glorificação.
  91. 91. A DESENCARNAÇÃO E SEU PRIMEIRO TRABALHO NO MUNDO MAIOR Ao libertar-se do vaso físico, Ela desejou, primeiramente, rever a Galiléia e logo em seguida visitou os cárceres sombrios de Roma, repletos de discípulos do Mestre que aguardavam a morte certa, quando lhes infundiu a força da alegria cristã, transmitindo a seguinte sugestão a uma jovem encarcerada: " - Canta, minha filha! Tenhamos bom ânimo!.... Convertamos as nossas dores da Terra em alegrias para o Céu!..."
  92. 92. (...) Logo, a caravana majestosa conduziu ao Reino do Mestre a bendita entre as mulheres e, desde esse dia, nos tormentos mais duros, os discípulos de Jesus têm cantado na Terra, exprimindo o seu bom ânimo e a sua alegria, guardando a suave herança de nossa mãe Santíssima."
  93. 93. Daquele momento em diante estaríamos sob a tutela direta de uma das mais importantes agremiações pertencentes à Legião chefiada pelo grande Espírito Maria de Nazaré, ser angélico e sublime que na Terra mereceu a missão honrosa de seguir, com solicitudes maternais, aquele que foi o redentor dos Homens!
  94. 94. { Legião dos Servos de Maria -Colônia Correcional CAPÍTULO III No Hospital "Maria de Nazaré”
  95. 95. . Realizado aos poucos, desde meados de 1983, com retoques sucessivos realizados pela grande habilidade de Vicente, em mais de vinte contatos com o médium mineiro, na Capital paulista.
  96. 96. Por essa razão, irmãos meus, quando ouvirdes o cântico nos templos das diversas famílias religiosas do Cristianismo, não vos esqueçais de fazer no coração um brando silêncio, para que a Rosa Mística de Nazaré espalhe aí o seu perfume” Do livro “Boa Nova” Humberto de Campos/Chico Xavier.

×