SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 56
Baixar para ler offline
EMOÇÃO & COGNIÇÃO
Curso Presencial (Neuroeducamente)
Por Mirela Ramacciotti
EMOÇÕES E COGNIÇÃO
Visão Geral
• Pensar e sentir não são
funções em oposição.
• Não há aprendizagem
cognitiva sem a aprendizagem
afetiva.
Objetivos
o Emoções e Sentimentos
o Emoções e Razão
o Emoções e Tomada de Decisão
o Emoções e Aprendizagem
o Emoções e o Cérebro
o Neurociência afetiva
o Emoções e Atenção
o Estresse e aprendizagem
o Inteligência Emocional
o Afeto e Aprendizagem
THYSSEN BORNEMISSA (MADRI)
DESAFIO
• Após aprender os conteúdos e participar das dinâmicas, pense
em como as seguintes palavras – todas importantes e
relacionadas com a neurociência afetiva - podem ser
empregadas em uma única sentença para descrever sua
relação com o cérebro
Emoções
Comportamento
Aprendizagem
Estresse
Cortisol
Sentimentos
THYSSEN BORNEMISSA (MADRI)
VOCÊ ACHA QUE HÁ EMOÇÕES QUE SEJAM
UNIVERSAIS A TODOS NÓS INDEPENDENTEMENTE
DO CONTEXTO CULTURAL?Dinâmica # 1
O LEGADO DE PAUL EKMAN
(VIDEO DO INSTITUTO IMELCO)
PAUL EKMAN:
6 EMOÇÕES UNIVERSALMENTE PERCEBIDAS
INSIDE OUT (DIVERTIDAMENTE)
https://www.youtube.com/watch?v=uk
QeR3zYncw
COMO PROCESSAMOS AS FACES
• Antes mesmo de falar, bebês podem se comunicar ao ‘ler’
as faces
• Esta habilidade é muito útil não apenas para distinguir os
rostos familiares dos estranhos mas também para
distinguir as 06 emoções universalmente percebidas
• Evidências apontam para o processamento emocional de
faces com desenvolvimento no útero e ativado ao nascer
pois as amígdalas começam a funcionar com o nascimento.
(Winston et al., 2002)
THYSSEN BORNEMISSA (MADRI)
EMOÇÕES E SENTIMENTOS
• Emoções = do latim emotĭon = o impulso que induz à
ação
• Damásio (2003) faz uma distinção clara entre emoções
e sentimentos
 Emoções são do corpo enquanto sentimentos são da mente
 Um sentimento é uma representação mental do estado do
corpo
 Emoções são automáticas e sentimentos são condicionados
 Emoções são reações a estímulos externos ou a sentimentos
• Damásio, A. (2003). Looking for Spinoza: joy, sorrow and the feeling brain.
ANTONIO DAMÁSIO
DINÂMICA #2 – ENTENDENDO EMOÇÕES E SENTIMENTOS
• Ache um par para essa dinâmica
• Cada par receberá uma ficha (veja ao lado)
• Decida com seu parceiro como retratar cada
expressão facial
• Faça o desenho
• Decida quais são emoções (vermelho) e quais são
sentimentos (azul)
• Divida com o grupo
THYSSEN
BORNEMISSA
(MADRI)
EMOÇÃO E RAZÃO
• Racionalidade e razão e seu vínculo com a tomada
de decisão não podem ser separados das
emoções e sentimentos e não significam,
necessariamente, uma melhor decisão
• emoções são essenciais e inevitáveis na tomada
de decisão (Heilman et al, 2010)
• Os caminhos neurais para toda nova
aprendizagem pressupõem uma passagem pela
amígdala (primeiro) e depois pelo hipocampo e
lóbulo frontal
• Emoções e funcionamento social estão
intimamente relacionados (Brackett et al, 2006)
THYSSEN BORNEMISSA (MADRI)
EMOÇÃO E TOMADA DE DECISÃO
• Pekrun (1992;2008) ; Hascher (2010)
• Emoções são fundamentais para a tomada de decisão
• Não há decisão, não importa o quão pequena ou insignificante, que não seja
influenciada pelas emoções
• Emoções negativas e estresse impedem a nova aprendizagem
DINÂMICA # 3 – ENTENDENDO A
TOMADA DE DECISÃO
Slide 2 três
Slide 3 interno
Slide 4 Contagiosas
Slide 5 raiva
Slide 6 Percepção
Slide 7 viéses
Slide 8 recomendações
VOCÊ CONHECE O CASO DE
PHINEAS GAGE?
• Phineas P. Gage (1823-1860) foi um
operário ferroviário que sofreu um
acidente e teve danos em seu CPF
• Passou a ter uma outra personalidade e
uma instabilidade emocional que não
lhe permitia mais tomar decisões
DINÂMICA #4 - ANALISANDO A TOMADA DE DECISÃO
(EMOÇÕES E RAZÃO)
• Conheça como funciona uma rotina do pensamento (trabalho
desenvolvido por Ritchhart, Church e Morrison, 2011)
• Pontos cardeais:
• Norte (Necessidades)
• lEste (o que te Entusiasma)
• Oeste (preOcupações)
• Sul (Sugestões)
• Ouça a situação e percorra os
pontos cardeais contribuindo com cada um
Mais em:
http://www.visiblethinkingpz.org/VisibleThinking_html_files/03_ThinkingRoutines/03c_Core_routines/Comp
assPoints/CompassPoints_Routine.html
THYSSEN
BORNEMISSA
(MADRI)
ESTRESSE E APRENDIZAGEM
Estresse (Tóxico) e
Aprendizagem
• Declínio cognitivo (Sapolsky, 1994)
• Diminuição do hipocampo (Goleman,
1998)
Altos níveis de cortisol
(LeDoux, 1998)
• Alta distração
• Menos eficiência da memória de
trabalho
• Mais erros no processamento das
informações (principalmente da
compreensão da leitura)
THYSSEN
BORNEMISSA
(MADRI)
EMOÇÕES E APRENDIZAGEM
 Amsterlaw et al. (2009)
• Crianças tem consciência dos efeitos de seus estados emocionais (e
fisiológicos) sobre seu desempenho cognitivo
 Vuilleumier et al (2001)
• Estímulo ricos em emoções afetam nossa forma de ver e ouvir (e
não apenas de sentir). O cérebro está processando o estímulo
emocional constantemente
 Frederickson & Braingan (2005)
• Emoções positivas aumentam a atenção
 Storm & Tecott (2005), Salamone & Correa (2002)
• Emoções positivas contribuem para a MLP, maior foco e atenção à
tarefa e motivação aumentada
DINÂMICA # 5 –
MESCLANDO EMOÇÕES
E APRENDIZAGEM
• Dividam-se em 2 grandes grupos
• Proponham um mapa mental que
contenha todas as informações principais
divididas com vocês até agora
• Evitem muitas palavras: concetrem-se no
essencial
THYSSEN
BORNEMISSA
(MADRI)
EMOÇÕES E O CÉREBRO - SISTEMA LÍMBICO
• Centro do processamento emocional
• O tálamo recebe as informações dos sistemas
sensoriais e as envia para a amígdala e o CPF
• Na resposta da amígdala a uma situação de estresse
(lutar ou fugir), há liberação de cortisol
• Efeitos:
• mais energia para o corpo
• coração bate mais rápido
• elevação da pressão arterial
• respiração fica mais rápida
• fígado libera açúcar no sangue para dar mais
energia
NEUROCIÊNCIA AFETIVA = ESTUDO DOS
MECANISMOS NEURAIS DAS EMOÇÕES
Evidências de sobreposição dos
‘hubs’de emoções negativas
Barret & Sapture (2013)
DINÂMICA #6
Complete a analogia
• O Sistema límbico está para as emoções
assim como…
Complete a analogia
• O cortisol está para o estresse assim
como …
THYSSEN BORNEMISSA (MADRI)
EMOÇÕES E ATENÇÃO
 Distinguir igual do diferente (saliência)
 Fazemos através do reconhecimento de padrões
“humanos buscam pelo padrão para prever os
resultados” (Tokuhama- Espinosa, 2014)
 Simultaneamente, o cérebro está e escaneamendo o
ambiente por novidade (que é individualmente
identificada)
 Nosso cérebro se adapta ao que faz sempre:
plasticidade negativa (preconceito; medo)
CEGUEIRA POR DESATENÇÃO
• É fácil deixar
passer coisas
pelas quais não
estamos
buscando” – é
preciso não
apenas estar
consciente, mas
também em
alerta.
ATENÇÃO COMO CONEXÃO
Ted talk – Jeff Klein
• o poder da conexão através da atenção
• Atenção como poder transformador
• RAIN
(Reconhecer/Aceitar/Investigar/aNotar =
perceber)
Entrevista– Victor Frankl
• “entre o estímulo e a resposta há uma espaço”
• A atenção nos permite reconhecer o que está
no ambiente e fazer algo a respeito
ATENÇÃO PERIFÉRICA E SELETIVA
Dinâmica # 7
Preste atenção no carro azul!
https://www.youtube.com/watch?v=qpPYdMs97eE
“NOSSOS CÉREBROS NOS PERMITEM FOCAR EM APENAS UMA
COISA POR VEZ”
https://www.youtube.com/watch?v=14Nb45CS9og
ATENÇÃO& FOCO
• Seletiva
• Periférica
que tipo de atenção você utiliza?
Como sabe disso?
https://youtu.be/iiEzf3J4iFk
Atenção
Seletiva
(central)
Foco (estado
de flow)
Atenção
Periférica
Distração Interrupção
RECAPITULANDO
THYSSEN BORNEMISSA (MADRI)
SISTEMAS DE ATENÇÃO
• Alerta: CAPTURA DA ATENÇÃO
• Orientação: ATENÇÃO FOCADA NO
ESTÍMULO EXTERNO
• Execução: INIBE PENSAMENTO,
MANTÉM O FOCO E REGULA
NOSSAS EMOÇÕES
NOVIDADE
 Dispara os sistemas de alerta e
orientação (Posner & Rothbart, 2007)
 Ajuda no engajamento mas não na
manutenção (funcionamento executivo)
 Em contextos onde não há mudança
visual cria-se a HABITUAÇÃO (= como o
mesmo estímulo apresentado por um
longo período gera a redução do
interesse e até mesmo tédio; mais em
Ariga & Lleras, 2011)
DINÂMICA # 8 –
PRESTANDO ATENÇÃO
ÀS EMOÇÕES
1.Assista o trailer
2. Identifique cada um dos 3 emoticons
3. Quais são os 3 emoticons mais
importantes para você?
4. Como os emoticons podem nos ajudar a
prestar atenção às emoções e sentimentos?
THYSSEN BORNEMISSA (MADRI)
ESTRESSE E APRENDIZAGEM
Schwabe & Wolf (2010) = aprender quando se está
estressado afeta a memória
Pekrun et al (2002) = ansiedade durante provas leva
a altos níveis de cortisol depois da prova enquanto
que estratégias de enfrentamento leva a índices
reduzidos (devido a um maior controle sobre a
ativação fisiológica)
Phillips & Shonkoff (Eds.). (2000) = cérebro na
primeira infância: desamparo aprendido (ausência de
controle sobre eventos ruins repetidos) afeta
negativamente o desempenho
THYSSEN BORNEMISSA (MADRI)
EMOÇÕES, EXPRESSÃO E SONO
A importância das emoções
Expressões faciais são um reflexo das emoções
que indicam a motivação do indivíduo
Crianças que sofreram abuso respondem de
forma disproporcional a expressões faciais de
raiva
Sono e emoção
• Hobson (2009)= Teoria do sono REM
como estado protoconsciente onde
sonhos servem para praticarmos as
emoções
• Valli et al (2008) = sonhos são mais
negativos que a vida real, o que leva à
crença de que sonhos ajudam a praticar
nossas reações a situações ruins
• Coutts (2008) = sugere que sonhos
servem como modificadores e testam
nossos esquemas mentais com base em
sua ‘hipótese de seleção emocional”.
THYSSEN BORNEMISSA (MADRI)
INTELIGÊNCIA EMOCIONAL
• Habilidade de identificar, acessar e controlar as emoções em si mesmo, nos
outros e em grupos.
• Pode ser ensinada? Modelo de Goleman
• 1. Auto percepção = habilidade de conhecer nossas próprias emoções,
pontos fortes, motivações, valores e objetivos e reconhecer o impacto que
têm sobre os outros utilizando nosso sentimentos primordiais para guiar
nossas decisões
• 2. Auto-regulação = involve o controle ou redirecionamento das emoções e
impulsos disruptivos bem como a adaptação à mudança das circunstâncias
• 3. Habilidades Sociais = gerenciamento de relações para levar as pessoas na
direção desejada
• 4. Empatia = consideração pelos sentimentos alheios especialmente ao tomar
decisões
• 5. Motivação = estar focado em alcançar algo pelo prazer da conquista
• 6. (leva a ) Tomada de decisão melhorada
THYSSEN BORNEMISSA (MADRI)
AFETO & APRENDIZAGEM
• Afeto: como & porque
• COMO nos sentimos sobre uma situação de aprendizagem
muda o quanto podemos aprender bem sobre algo novo (Lee &
Siegle, 2012; Savion & Glisczinski, 2012; Pekrum, Goetz, Titz & Perry, 2002; Pekrum, Goetz,
Frenzel, Barchfeld & Perry, 2011; Van Overwalle, 2009; Vul, Harris, Winkielman & Pashler,
2009).
• COMO o cérebro reage a situação desconfortáveis
(ameaçadoras, estressantes ou de ansiedade) e realmente se
torna incapaz de nova aprendizagem (Lovinger, 2010; Puig & Miller,
2012; Stagg, Bachtiar & Jahnsen-Berg, 2011)
• PORQUE meio ambiente de aprendizagem certo pode facilitar a
liberação dos neurotransmissores certos para melhorar a
probabilidade de aprendizagem (Plotnik & Kouyoumdjian, 2013).
(Tokuhama-Espinosa, 2014, p. 22)
THYSSEN BORNEMISSA (MADRI)
EMOÇÕES E COGNIÇÃO
Visão Geral
• Pensar e sentir não são
funções em oposição.
• Não há aprendizagem
cognitiva sem a aprendizagem
afetiva.
Objetivos
o Emoções e Sentimentos
o Emoções e Razão
o Emoções e Tomada de Decisão
o Emoções e Aprendizagem
o Emoções e o Cérebro
o Neurociência afetiva
o Emoções e Atenção
o Estresse e aprendizagem
o Inteligência Emocional
o Afeto e Aprendizagem
DINÂMICA # 9 - RESPOSTA AO DESAFIO
• Após aprender os conteúdos e participar das dinâmicas, pense
em como as seguintes palavras – todas importantes e
relacionadas com a neurociência afetiva - podem ser
empregadas em uma única sentença para descrever sua
relação com o cérebro
Emoções
Comportamento
Aprendizagem
Estresse
Cortisol
Sentimentos
REFLEXÃO
E
FEEDBACK
APRESENTAÇÃO DISPONÍVEL EM:
REFERÊNCIAS
• Tokuhama-Espinosa, T. (2014). Making classrooms better: 50 practical applications of mind,
brain, and education science. WW Norton & Company.
REFERÊNCIAS
• Amsterlaw, J., Lagattuta, K. H., & Meltzoff, A. N. (2009). Young children’s reasoning about the effects of emotional and physiological states on academic performance. Child Development, 80(1), 115-133.
• Ariga, A., & Lleras, A. (2011). Brief and rare mental “breaks” keep you focused: Deactivation and reactivation of task goals preempt vigilance decrements. Cognition, 118(3), 439-443.
• Brackett, M. A., Rivers, S. E., Shiffman, S., Lerner, N., & Salovey, P. (2006). Relating emotional abilities to social functioning: a comparison of self-report and performance measures of emotional intelligence. Journal
of personality and social psychology, 91(4), 780.
• Coutts, R. (2008). Dreams as modifiers and tests of mental schemas: an emotional selection hypothesis. Psychological reports, 102(2), 561-574.
• Goleman, D. (1998). Working with emotional intelligence. Bantam.
• Hascher, T. (2010). Learning and Emotion: perspectives for theory and research. European Educational Research Journal, 9(1), 13-28.
• Heilman, R. M., Crişan, L. G., Houser, D., Miclea, M., & Miu, A. C. (2010). Emotion regulation and decision making under risk and uncertainty. Emotion, 10(2), 257.
• Hobson, J. A. (2009). REM sleep and dreaming: towards a theory of protoconsciousness. Nature Reviews Neuroscience, 10(11), 803-813.
• LeDoux, J. (1998). Fear and the brain: where have we been, and where are we going?. Biological psychiatry, 44(12), 1229-1238.
• Pekrun.R. (1992). The impact of emotions on learning and achievement: Towards a
theory of cognitive motivational mediators. Applied Psychology: An Internayional Review, 320-390.
• Pekrun, R., Goetz, T., Titz, W., & Perry, R. P. (2002). Academic emotions in students' self-regulated learning and achievement: A program of qualitative and quantitative research. Educational psychologist, 37(2),
91-105.
• Phillips, D. A., & Shonkoff, J. P. (Eds.). (2000). From neurons to neighborhoods: The science of early childhood development. National Academies Press.
• Posner, M. I., & Rothbart, M. K. (2007). Research on attention networks as a model for the integration of psychological science. Annu. Rev. Psychol., 58, 1-23.
• Ritchhart, R., Church, M., & Morrison, K. (2011). Making thinking visible: How to promote engagement, understanding, and independence for all learners. John Wiley & Sons.
• Sapolsky, R. M. (1994). Why zebras don't get ulcers. New York: WH Freeman.
• Schwabe, L., Wolf, O. T., & Oitzl, M. S. (2010). Memory formation under stress: quantity and quality. Neuroscience & Biobehavioral Reviews, 34(4), 584-591.
• Valli, K., Strandholm, T., Sillanmäki, L., & Revonsuo, A. (2008). Dreams are more negative than real life: Implications for the function of dreaming. Cognition and Emotion, 22(5), 833-861.
• Vuilleumier, P., Armony, J. L., Driver, J., & Dolan, R. J. (2001). Effects of attention and emotion on face processing in the human brain: an event-related fMRI study. Neuron, 30(3), 829-841.
• Winston, J. S., Strange, B. A., O'Doherty, J., & Dolan, R. J. (2002). Automatic and intentional brain responses during evaluation of trustworthiness of faces. Nature neuroscience, 5(3), 277-283.
• Mais em www.neuroeducamente.com.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

AS EMOÇÕES
AS EMOÇÕESAS EMOÇÕES
AS EMOÇÕES
 
Linguagem e Pensamento
Linguagem e Pensamento Linguagem e Pensamento
Linguagem e Pensamento
 
Emoções
EmoçõesEmoções
Emoções
 
Memoria
MemoriaMemoria
Memoria
 
Atençao-FPC
Atençao-FPCAtençao-FPC
Atençao-FPC
 
GESTALT
GESTALTGESTALT
GESTALT
 
Atenção
AtençãoAtenção
Atenção
 
Palestra Inteligência Emocional
Palestra Inteligência EmocionalPalestra Inteligência Emocional
Palestra Inteligência Emocional
 
Inteligência emocional
Inteligência emocionalInteligência emocional
Inteligência emocional
 
Psicopatologia I - Aula 1: Introdução aos Conceitos da Psicopatologia.
Psicopatologia I - Aula 1: Introdução aos Conceitos da Psicopatologia.Psicopatologia I - Aula 1: Introdução aos Conceitos da Psicopatologia.
Psicopatologia I - Aula 1: Introdução aos Conceitos da Psicopatologia.
 
Introdução ao estudo dos processos psicológicos básicos
Introdução ao estudo dos processos psicológicos básicosIntrodução ao estudo dos processos psicológicos básicos
Introdução ao estudo dos processos psicológicos básicos
 
Desenvolvimento infantil
Desenvolvimento infantilDesenvolvimento infantil
Desenvolvimento infantil
 
Princípios de análise do comportamento
Princípios de análise do comportamentoPrincípios de análise do comportamento
Princípios de análise do comportamento
 
Funções executivas e aprendizagem
Funções executivas e aprendizagemFunções executivas e aprendizagem
Funções executivas e aprendizagem
 
Diferentes abordagens da psicologia
Diferentes abordagens da psicologiaDiferentes abordagens da psicologia
Diferentes abordagens da psicologia
 
PERSONALIDADE
PERSONALIDADEPERSONALIDADE
PERSONALIDADE
 
Aprendizagem
AprendizagemAprendizagem
Aprendizagem
 
Behaviorismo
BehaviorismoBehaviorismo
Behaviorismo
 
FREUD E O DESENVOLVIMENTO DA PSICANÁLISE
FREUD E O DESENVOLVIMENTO DA PSICANÁLISEFREUD E O DESENVOLVIMENTO DA PSICANÁLISE
FREUD E O DESENVOLVIMENTO DA PSICANÁLISE
 
Motivação
MotivaçãoMotivação
Motivação
 

Semelhante a Emoções, cognição e aprendizagem em

A importância da raiva.pptx
A importância da raiva.pptxA importância da raiva.pptx
A importância da raiva.pptxdayane694230
 
Neuro linguistica aplicada
Neuro linguistica aplicadaNeuro linguistica aplicada
Neuro linguistica aplicadaRobson S
 
_Emoção- Apresentação.pdf
_Emoção- Apresentação.pdf_Emoção- Apresentação.pdf
_Emoção- Apresentação.pdfCarlaFreire34
 
Relações Familiares, o Papel das Emoções (Vanderlei Miranda) - Cidadão do Fut...
Relações Familiares, o Papel das Emoções (Vanderlei Miranda) - Cidadão do Fut...Relações Familiares, o Papel das Emoções (Vanderlei Miranda) - Cidadão do Fut...
Relações Familiares, o Papel das Emoções (Vanderlei Miranda) - Cidadão do Fut...Smar Brasil
 
Ix encontro de psicopedagogia psicomotricidade e psicopedagogia
Ix encontro de psicopedagogia psicomotricidade e psicopedagogiaIx encontro de psicopedagogia psicomotricidade e psicopedagogia
Ix encontro de psicopedagogia psicomotricidade e psicopedagogiaCristina Maria de S Miranda
 
impulsiona-2020.extra06-empatia.pdf
impulsiona-2020.extra06-empatia.pdfimpulsiona-2020.extra06-empatia.pdf
impulsiona-2020.extra06-empatia.pdfViniciusBetel
 
Inteligência emocional pronto
Inteligência emocional prontoInteligência emocional pronto
Inteligência emocional prontoamandafonseca74
 
Neurolinguística na aprendizagem ap
Neurolinguística na aprendizagem apNeurolinguística na aprendizagem ap
Neurolinguística na aprendizagem apIFCE - Tianguá
 
emoção slide.pdf
emoção slide.pdfemoção slide.pdf
emoção slide.pdfVilciele
 
fabcr22_apresentação_Captação de Recursos com emoção
fabcr22_apresentação_Captação de Recursos com emoçãofabcr22_apresentação_Captação de Recursos com emoção
fabcr22_apresentação_Captação de Recursos com emoçãoABCR
 
2016 1 ebm_ exemplos de estrutura da em
2016 1 ebm_ exemplos de estrutura da em2016 1 ebm_ exemplos de estrutura da em
2016 1 ebm_ exemplos de estrutura da emFlora Couto
 
Psicologia cognitiva- Estresse e Coping.pptx
Psicologia cognitiva- Estresse e Coping.pptxPsicologia cognitiva- Estresse e Coping.pptx
Psicologia cognitiva- Estresse e Coping.pptxFernanda Nocam
 
educação socioemovional.pptx
educação socioemovional.pptxeducação socioemovional.pptx
educação socioemovional.pptxFoxBilingue
 
Apostila de programaçao neurolinguistica lair ribeiro - pnl(2)
Apostila de programaçao neurolinguistica   lair ribeiro - pnl(2)Apostila de programaçao neurolinguistica   lair ribeiro - pnl(2)
Apostila de programaçao neurolinguistica lair ribeiro - pnl(2)vanessa_campinas
 

Semelhante a Emoções, cognição e aprendizagem em (20)

A importância da raiva.pptx
A importância da raiva.pptxA importância da raiva.pptx
A importância da raiva.pptx
 
Neuro linguistica aplicada
Neuro linguistica aplicadaNeuro linguistica aplicada
Neuro linguistica aplicada
 
1 inteligencia emocional
1 inteligencia emocional1 inteligencia emocional
1 inteligencia emocional
 
_Emoção- Apresentação.pdf
_Emoção- Apresentação.pdf_Emoção- Apresentação.pdf
_Emoção- Apresentação.pdf
 
NO LIMITE DAS EMOÇÕES
NO LIMITE DAS EMOÇÕESNO LIMITE DAS EMOÇÕES
NO LIMITE DAS EMOÇÕES
 
Mente asemcoes
Mente asemcoesMente asemcoes
Mente asemcoes
 
ARTIGO 4.pdf
ARTIGO 4.pdfARTIGO 4.pdf
ARTIGO 4.pdf
 
Relações Familiares, o Papel das Emoções (Vanderlei Miranda) - Cidadão do Fut...
Relações Familiares, o Papel das Emoções (Vanderlei Miranda) - Cidadão do Fut...Relações Familiares, o Papel das Emoções (Vanderlei Miranda) - Cidadão do Fut...
Relações Familiares, o Papel das Emoções (Vanderlei Miranda) - Cidadão do Fut...
 
Ix encontro de psicopedagogia psicomotricidade e psicopedagogia
Ix encontro de psicopedagogia psicomotricidade e psicopedagogiaIx encontro de psicopedagogia psicomotricidade e psicopedagogia
Ix encontro de psicopedagogia psicomotricidade e psicopedagogia
 
impulsiona-2020.extra06-empatia.pdf
impulsiona-2020.extra06-empatia.pdfimpulsiona-2020.extra06-empatia.pdf
impulsiona-2020.extra06-empatia.pdf
 
Inteligência emocional pronto
Inteligência emocional prontoInteligência emocional pronto
Inteligência emocional pronto
 
Neurolinguística na aprendizagem ap
Neurolinguística na aprendizagem apNeurolinguística na aprendizagem ap
Neurolinguística na aprendizagem ap
 
emoção slide.pdf
emoção slide.pdfemoção slide.pdf
emoção slide.pdf
 
fabcr22_apresentação_Captação de Recursos com emoção
fabcr22_apresentação_Captação de Recursos com emoçãofabcr22_apresentação_Captação de Recursos com emoção
fabcr22_apresentação_Captação de Recursos com emoção
 
2016 1 ebm_ exemplos de estrutura da em
2016 1 ebm_ exemplos de estrutura da em2016 1 ebm_ exemplos de estrutura da em
2016 1 ebm_ exemplos de estrutura da em
 
Psicologia cognitiva- Estresse e Coping.pptx
Psicologia cognitiva- Estresse e Coping.pptxPsicologia cognitiva- Estresse e Coping.pptx
Psicologia cognitiva- Estresse e Coping.pptx
 
educação socioemovional.pptx
educação socioemovional.pptxeducação socioemovional.pptx
educação socioemovional.pptx
 
Apostila de programaçao neurolinguistica lair ribeiro - pnl(2)
Apostila de programaçao neurolinguistica   lair ribeiro - pnl(2)Apostila de programaçao neurolinguistica   lair ribeiro - pnl(2)
Apostila de programaçao neurolinguistica lair ribeiro - pnl(2)
 
EMOÇÕES
EMOÇÕESEMOÇÕES
EMOÇÕES
 
Diálogo interno
Diálogo internoDiálogo interno
Diálogo interno
 

Mais de Mirela Ramacciotti

Desenvolvimento e aprendizagem (linguagem)
Desenvolvimento e aprendizagem (linguagem)Desenvolvimento e aprendizagem (linguagem)
Desenvolvimento e aprendizagem (linguagem)Mirela Ramacciotti
 
Neuroscience and learning (furb may, 2018)
Neuroscience and learning (furb may, 2018)Neuroscience and learning (furb may, 2018)
Neuroscience and learning (furb may, 2018)Mirela Ramacciotti
 
Aprendizagem visível emef maria luiza pompeu
Aprendizagem visível   emef maria luiza pompeuAprendizagem visível   emef maria luiza pompeu
Aprendizagem visível emef maria luiza pompeuMirela Ramacciotti
 
How language shapes thought (abridged version)
How language shapes thought (abridged version)How language shapes thought (abridged version)
How language shapes thought (abridged version)Mirela Ramacciotti
 
Exercising the brain of needy students
Exercising the brain of needy studentsExercising the brain of needy students
Exercising the brain of needy studentsMirela Ramacciotti
 
Responsive teaching (braz tesol convention - july 2010)
Responsive teaching (braz tesol convention - july 2010)Responsive teaching (braz tesol convention - july 2010)
Responsive teaching (braz tesol convention - july 2010)Mirela Ramacciotti
 

Mais de Mirela Ramacciotti (11)

Desenvolvimento e aprendizagem (linguagem)
Desenvolvimento e aprendizagem (linguagem)Desenvolvimento e aprendizagem (linguagem)
Desenvolvimento e aprendizagem (linguagem)
 
Neuroscience and learning (furb may, 2018)
Neuroscience and learning (furb may, 2018)Neuroscience and learning (furb may, 2018)
Neuroscience and learning (furb may, 2018)
 
Mbe sig launch
Mbe sig launchMbe sig launch
Mbe sig launch
 
Aprendizagem visível emef maria luiza pompeu
Aprendizagem visível   emef maria luiza pompeuAprendizagem visível   emef maria luiza pompeu
Aprendizagem visível emef maria luiza pompeu
 
Do you know ...(braz tesol)
Do you know ...(braz tesol)Do you know ...(braz tesol)
Do you know ...(braz tesol)
 
Mbe & practices (online)
Mbe & practices (online)Mbe & practices (online)
Mbe & practices (online)
 
How language shapes thought (abridged version)
How language shapes thought (abridged version)How language shapes thought (abridged version)
How language shapes thought (abridged version)
 
Investigating your learning
Investigating your learningInvestigating your learning
Investigating your learning
 
Exercising the brain of needy students
Exercising the brain of needy studentsExercising the brain of needy students
Exercising the brain of needy students
 
Gmat – verbal section
Gmat – verbal sectionGmat – verbal section
Gmat – verbal section
 
Responsive teaching (braz tesol convention - july 2010)
Responsive teaching (braz tesol convention - july 2010)Responsive teaching (braz tesol convention - july 2010)
Responsive teaching (braz tesol convention - july 2010)
 

Último

DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaeliana862656
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.HildegardeAngel
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
As variações do uso da palavra "como" no texto
As variações do uso da palavra "como" no  textoAs variações do uso da palavra "como" no  texto
As variações do uso da palavra "como" no textoMariaPauladeSouzaTur
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxAntonioVieira539017
 

Último (20)

“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escrita
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
As variações do uso da palavra "como" no texto
As variações do uso da palavra "como" no  textoAs variações do uso da palavra "como" no  texto
As variações do uso da palavra "como" no texto
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
 

Emoções, cognição e aprendizagem em

  • 1. EMOÇÃO & COGNIÇÃO Curso Presencial (Neuroeducamente) Por Mirela Ramacciotti
  • 2. EMOÇÕES E COGNIÇÃO Visão Geral • Pensar e sentir não são funções em oposição. • Não há aprendizagem cognitiva sem a aprendizagem afetiva. Objetivos o Emoções e Sentimentos o Emoções e Razão o Emoções e Tomada de Decisão o Emoções e Aprendizagem o Emoções e o Cérebro o Neurociência afetiva o Emoções e Atenção o Estresse e aprendizagem o Inteligência Emocional o Afeto e Aprendizagem
  • 4. DESAFIO • Após aprender os conteúdos e participar das dinâmicas, pense em como as seguintes palavras – todas importantes e relacionadas com a neurociência afetiva - podem ser empregadas em uma única sentença para descrever sua relação com o cérebro Emoções Comportamento Aprendizagem Estresse Cortisol Sentimentos
  • 6. VOCÊ ACHA QUE HÁ EMOÇÕES QUE SEJAM UNIVERSAIS A TODOS NÓS INDEPENDENTEMENTE DO CONTEXTO CULTURAL?Dinâmica # 1
  • 7. O LEGADO DE PAUL EKMAN (VIDEO DO INSTITUTO IMELCO)
  • 8. PAUL EKMAN: 6 EMOÇÕES UNIVERSALMENTE PERCEBIDAS
  • 10. COMO PROCESSAMOS AS FACES • Antes mesmo de falar, bebês podem se comunicar ao ‘ler’ as faces • Esta habilidade é muito útil não apenas para distinguir os rostos familiares dos estranhos mas também para distinguir as 06 emoções universalmente percebidas • Evidências apontam para o processamento emocional de faces com desenvolvimento no útero e ativado ao nascer pois as amígdalas começam a funcionar com o nascimento. (Winston et al., 2002)
  • 12. EMOÇÕES E SENTIMENTOS • Emoções = do latim emotĭon = o impulso que induz à ação • Damásio (2003) faz uma distinção clara entre emoções e sentimentos  Emoções são do corpo enquanto sentimentos são da mente  Um sentimento é uma representação mental do estado do corpo  Emoções são automáticas e sentimentos são condicionados  Emoções são reações a estímulos externos ou a sentimentos • Damásio, A. (2003). Looking for Spinoza: joy, sorrow and the feeling brain.
  • 14. DINÂMICA #2 – ENTENDENDO EMOÇÕES E SENTIMENTOS • Ache um par para essa dinâmica • Cada par receberá uma ficha (veja ao lado) • Decida com seu parceiro como retratar cada expressão facial • Faça o desenho • Decida quais são emoções (vermelho) e quais são sentimentos (azul) • Divida com o grupo
  • 16. EMOÇÃO E RAZÃO • Racionalidade e razão e seu vínculo com a tomada de decisão não podem ser separados das emoções e sentimentos e não significam, necessariamente, uma melhor decisão • emoções são essenciais e inevitáveis na tomada de decisão (Heilman et al, 2010) • Os caminhos neurais para toda nova aprendizagem pressupõem uma passagem pela amígdala (primeiro) e depois pelo hipocampo e lóbulo frontal • Emoções e funcionamento social estão intimamente relacionados (Brackett et al, 2006)
  • 18. EMOÇÃO E TOMADA DE DECISÃO • Pekrun (1992;2008) ; Hascher (2010) • Emoções são fundamentais para a tomada de decisão • Não há decisão, não importa o quão pequena ou insignificante, que não seja influenciada pelas emoções • Emoções negativas e estresse impedem a nova aprendizagem
  • 19. DINÂMICA # 3 – ENTENDENDO A TOMADA DE DECISÃO Slide 2 três Slide 3 interno Slide 4 Contagiosas Slide 5 raiva Slide 6 Percepção Slide 7 viéses Slide 8 recomendações
  • 20. VOCÊ CONHECE O CASO DE PHINEAS GAGE? • Phineas P. Gage (1823-1860) foi um operário ferroviário que sofreu um acidente e teve danos em seu CPF • Passou a ter uma outra personalidade e uma instabilidade emocional que não lhe permitia mais tomar decisões
  • 21. DINÂMICA #4 - ANALISANDO A TOMADA DE DECISÃO (EMOÇÕES E RAZÃO) • Conheça como funciona uma rotina do pensamento (trabalho desenvolvido por Ritchhart, Church e Morrison, 2011) • Pontos cardeais: • Norte (Necessidades) • lEste (o que te Entusiasma) • Oeste (preOcupações) • Sul (Sugestões) • Ouça a situação e percorra os pontos cardeais contribuindo com cada um Mais em: http://www.visiblethinkingpz.org/VisibleThinking_html_files/03_ThinkingRoutines/03c_Core_routines/Comp assPoints/CompassPoints_Routine.html
  • 23. ESTRESSE E APRENDIZAGEM Estresse (Tóxico) e Aprendizagem • Declínio cognitivo (Sapolsky, 1994) • Diminuição do hipocampo (Goleman, 1998) Altos níveis de cortisol (LeDoux, 1998) • Alta distração • Menos eficiência da memória de trabalho • Mais erros no processamento das informações (principalmente da compreensão da leitura)
  • 25. EMOÇÕES E APRENDIZAGEM  Amsterlaw et al. (2009) • Crianças tem consciência dos efeitos de seus estados emocionais (e fisiológicos) sobre seu desempenho cognitivo  Vuilleumier et al (2001) • Estímulo ricos em emoções afetam nossa forma de ver e ouvir (e não apenas de sentir). O cérebro está processando o estímulo emocional constantemente  Frederickson & Braingan (2005) • Emoções positivas aumentam a atenção  Storm & Tecott (2005), Salamone & Correa (2002) • Emoções positivas contribuem para a MLP, maior foco e atenção à tarefa e motivação aumentada
  • 26. DINÂMICA # 5 – MESCLANDO EMOÇÕES E APRENDIZAGEM • Dividam-se em 2 grandes grupos • Proponham um mapa mental que contenha todas as informações principais divididas com vocês até agora • Evitem muitas palavras: concetrem-se no essencial
  • 28. EMOÇÕES E O CÉREBRO - SISTEMA LÍMBICO • Centro do processamento emocional • O tálamo recebe as informações dos sistemas sensoriais e as envia para a amígdala e o CPF • Na resposta da amígdala a uma situação de estresse (lutar ou fugir), há liberação de cortisol • Efeitos: • mais energia para o corpo • coração bate mais rápido • elevação da pressão arterial • respiração fica mais rápida • fígado libera açúcar no sangue para dar mais energia
  • 29. NEUROCIÊNCIA AFETIVA = ESTUDO DOS MECANISMOS NEURAIS DAS EMOÇÕES Evidências de sobreposição dos ‘hubs’de emoções negativas Barret & Sapture (2013)
  • 30. DINÂMICA #6 Complete a analogia • O Sistema límbico está para as emoções assim como… Complete a analogia • O cortisol está para o estresse assim como …
  • 32. EMOÇÕES E ATENÇÃO  Distinguir igual do diferente (saliência)  Fazemos através do reconhecimento de padrões “humanos buscam pelo padrão para prever os resultados” (Tokuhama- Espinosa, 2014)  Simultaneamente, o cérebro está e escaneamendo o ambiente por novidade (que é individualmente identificada)  Nosso cérebro se adapta ao que faz sempre: plasticidade negativa (preconceito; medo)
  • 33. CEGUEIRA POR DESATENÇÃO • É fácil deixar passer coisas pelas quais não estamos buscando” – é preciso não apenas estar consciente, mas também em alerta.
  • 34. ATENÇÃO COMO CONEXÃO Ted talk – Jeff Klein • o poder da conexão através da atenção • Atenção como poder transformador • RAIN (Reconhecer/Aceitar/Investigar/aNotar = perceber) Entrevista– Victor Frankl • “entre o estímulo e a resposta há uma espaço” • A atenção nos permite reconhecer o que está no ambiente e fazer algo a respeito
  • 35. ATENÇÃO PERIFÉRICA E SELETIVA Dinâmica # 7 Preste atenção no carro azul! https://www.youtube.com/watch?v=qpPYdMs97eE “NOSSOS CÉREBROS NOS PERMITEM FOCAR EM APENAS UMA COISA POR VEZ” https://www.youtube.com/watch?v=14Nb45CS9og
  • 36. ATENÇÃO& FOCO • Seletiva • Periférica que tipo de atenção você utiliza? Como sabe disso? https://youtu.be/iiEzf3J4iFk
  • 39. SISTEMAS DE ATENÇÃO • Alerta: CAPTURA DA ATENÇÃO • Orientação: ATENÇÃO FOCADA NO ESTÍMULO EXTERNO • Execução: INIBE PENSAMENTO, MANTÉM O FOCO E REGULA NOSSAS EMOÇÕES
  • 40. NOVIDADE  Dispara os sistemas de alerta e orientação (Posner & Rothbart, 2007)  Ajuda no engajamento mas não na manutenção (funcionamento executivo)  Em contextos onde não há mudança visual cria-se a HABITUAÇÃO (= como o mesmo estímulo apresentado por um longo período gera a redução do interesse e até mesmo tédio; mais em Ariga & Lleras, 2011)
  • 41. DINÂMICA # 8 – PRESTANDO ATENÇÃO ÀS EMOÇÕES 1.Assista o trailer 2. Identifique cada um dos 3 emoticons 3. Quais são os 3 emoticons mais importantes para você? 4. Como os emoticons podem nos ajudar a prestar atenção às emoções e sentimentos?
  • 43. ESTRESSE E APRENDIZAGEM Schwabe & Wolf (2010) = aprender quando se está estressado afeta a memória Pekrun et al (2002) = ansiedade durante provas leva a altos níveis de cortisol depois da prova enquanto que estratégias de enfrentamento leva a índices reduzidos (devido a um maior controle sobre a ativação fisiológica) Phillips & Shonkoff (Eds.). (2000) = cérebro na primeira infância: desamparo aprendido (ausência de controle sobre eventos ruins repetidos) afeta negativamente o desempenho
  • 45. EMOÇÕES, EXPRESSÃO E SONO A importância das emoções Expressões faciais são um reflexo das emoções que indicam a motivação do indivíduo Crianças que sofreram abuso respondem de forma disproporcional a expressões faciais de raiva Sono e emoção • Hobson (2009)= Teoria do sono REM como estado protoconsciente onde sonhos servem para praticarmos as emoções • Valli et al (2008) = sonhos são mais negativos que a vida real, o que leva à crença de que sonhos ajudam a praticar nossas reações a situações ruins • Coutts (2008) = sugere que sonhos servem como modificadores e testam nossos esquemas mentais com base em sua ‘hipótese de seleção emocional”.
  • 47. INTELIGÊNCIA EMOCIONAL • Habilidade de identificar, acessar e controlar as emoções em si mesmo, nos outros e em grupos. • Pode ser ensinada? Modelo de Goleman • 1. Auto percepção = habilidade de conhecer nossas próprias emoções, pontos fortes, motivações, valores e objetivos e reconhecer o impacto que têm sobre os outros utilizando nosso sentimentos primordiais para guiar nossas decisões • 2. Auto-regulação = involve o controle ou redirecionamento das emoções e impulsos disruptivos bem como a adaptação à mudança das circunstâncias • 3. Habilidades Sociais = gerenciamento de relações para levar as pessoas na direção desejada • 4. Empatia = consideração pelos sentimentos alheios especialmente ao tomar decisões • 5. Motivação = estar focado em alcançar algo pelo prazer da conquista • 6. (leva a ) Tomada de decisão melhorada
  • 49. AFETO & APRENDIZAGEM • Afeto: como & porque • COMO nos sentimos sobre uma situação de aprendizagem muda o quanto podemos aprender bem sobre algo novo (Lee & Siegle, 2012; Savion & Glisczinski, 2012; Pekrum, Goetz, Titz & Perry, 2002; Pekrum, Goetz, Frenzel, Barchfeld & Perry, 2011; Van Overwalle, 2009; Vul, Harris, Winkielman & Pashler, 2009). • COMO o cérebro reage a situação desconfortáveis (ameaçadoras, estressantes ou de ansiedade) e realmente se torna incapaz de nova aprendizagem (Lovinger, 2010; Puig & Miller, 2012; Stagg, Bachtiar & Jahnsen-Berg, 2011) • PORQUE meio ambiente de aprendizagem certo pode facilitar a liberação dos neurotransmissores certos para melhorar a probabilidade de aprendizagem (Plotnik & Kouyoumdjian, 2013). (Tokuhama-Espinosa, 2014, p. 22)
  • 51. EMOÇÕES E COGNIÇÃO Visão Geral • Pensar e sentir não são funções em oposição. • Não há aprendizagem cognitiva sem a aprendizagem afetiva. Objetivos o Emoções e Sentimentos o Emoções e Razão o Emoções e Tomada de Decisão o Emoções e Aprendizagem o Emoções e o Cérebro o Neurociência afetiva o Emoções e Atenção o Estresse e aprendizagem o Inteligência Emocional o Afeto e Aprendizagem
  • 52. DINÂMICA # 9 - RESPOSTA AO DESAFIO • Após aprender os conteúdos e participar das dinâmicas, pense em como as seguintes palavras – todas importantes e relacionadas com a neurociência afetiva - podem ser empregadas em uma única sentença para descrever sua relação com o cérebro Emoções Comportamento Aprendizagem Estresse Cortisol Sentimentos
  • 55. REFERÊNCIAS • Tokuhama-Espinosa, T. (2014). Making classrooms better: 50 practical applications of mind, brain, and education science. WW Norton & Company.
  • 56. REFERÊNCIAS • Amsterlaw, J., Lagattuta, K. H., & Meltzoff, A. N. (2009). Young children’s reasoning about the effects of emotional and physiological states on academic performance. Child Development, 80(1), 115-133. • Ariga, A., & Lleras, A. (2011). Brief and rare mental “breaks” keep you focused: Deactivation and reactivation of task goals preempt vigilance decrements. Cognition, 118(3), 439-443. • Brackett, M. A., Rivers, S. E., Shiffman, S., Lerner, N., & Salovey, P. (2006). Relating emotional abilities to social functioning: a comparison of self-report and performance measures of emotional intelligence. Journal of personality and social psychology, 91(4), 780. • Coutts, R. (2008). Dreams as modifiers and tests of mental schemas: an emotional selection hypothesis. Psychological reports, 102(2), 561-574. • Goleman, D. (1998). Working with emotional intelligence. Bantam. • Hascher, T. (2010). Learning and Emotion: perspectives for theory and research. European Educational Research Journal, 9(1), 13-28. • Heilman, R. M., Crişan, L. G., Houser, D., Miclea, M., & Miu, A. C. (2010). Emotion regulation and decision making under risk and uncertainty. Emotion, 10(2), 257. • Hobson, J. A. (2009). REM sleep and dreaming: towards a theory of protoconsciousness. Nature Reviews Neuroscience, 10(11), 803-813. • LeDoux, J. (1998). Fear and the brain: where have we been, and where are we going?. Biological psychiatry, 44(12), 1229-1238. • Pekrun.R. (1992). The impact of emotions on learning and achievement: Towards a theory of cognitive motivational mediators. Applied Psychology: An Internayional Review, 320-390. • Pekrun, R., Goetz, T., Titz, W., & Perry, R. P. (2002). Academic emotions in students' self-regulated learning and achievement: A program of qualitative and quantitative research. Educational psychologist, 37(2), 91-105. • Phillips, D. A., & Shonkoff, J. P. (Eds.). (2000). From neurons to neighborhoods: The science of early childhood development. National Academies Press. • Posner, M. I., & Rothbart, M. K. (2007). Research on attention networks as a model for the integration of psychological science. Annu. Rev. Psychol., 58, 1-23. • Ritchhart, R., Church, M., & Morrison, K. (2011). Making thinking visible: How to promote engagement, understanding, and independence for all learners. John Wiley & Sons. • Sapolsky, R. M. (1994). Why zebras don't get ulcers. New York: WH Freeman. • Schwabe, L., Wolf, O. T., & Oitzl, M. S. (2010). Memory formation under stress: quantity and quality. Neuroscience & Biobehavioral Reviews, 34(4), 584-591. • Valli, K., Strandholm, T., Sillanmäki, L., & Revonsuo, A. (2008). Dreams are more negative than real life: Implications for the function of dreaming. Cognition and Emotion, 22(5), 833-861. • Vuilleumier, P., Armony, J. L., Driver, J., & Dolan, R. J. (2001). Effects of attention and emotion on face processing in the human brain: an event-related fMRI study. Neuron, 30(3), 829-841. • Winston, J. S., Strange, B. A., O'Doherty, J., & Dolan, R. J. (2002). Automatic and intentional brain responses during evaluation of trustworthiness of faces. Nature neuroscience, 5(3), 277-283. • Mais em www.neuroeducamente.com.br

Notas do Editor

  1. Além do foco seletivo e periférico, a atenção é porganizada em 03 diferentes sistemas, segudno estudos e trabalho do especialista mais respeitado nessa àrea, Michael POSner. Esses sistemas são: alerta, quando um circuito se mobiliza em direção ao estímulo que captará nossa atenção,; o Sistema de orientação que envolve um rede dedicada a selecinoar o estímulo opara o qual prestará a atenção e canalizar nossa atenção para ele e~a função executive ou Sistema de execução que permite com a~sustenção da atenção para a execução da tarefa. Entender eses 03 diferentes sistemas é crucial para compreender transtonnor com o de defecit de atenção que justamente se dá no Sistema de orientação da atenção.
  2. Sabemos que o afeto tem papel enorme no como, porque, e quando uma pessoa consegue aprender: como nos sentimos sobre uma situação de aprendizagem muda o quanto podemos aprender bem sobre algo novo (Lee & Siegle, 2012; Savion & Glisczinski, 2012; Pekrum, Goetz, Titz & Perry, 2002; Pekrum, Goetz, Frenzel, Barchfeld & Perry, 2011; Van Overwalle, 2009; Vul, Harris, Winkielman & PAshler, 2009). Anteriormente, especulava-se que aspectos emocionais e psicológicos da aprendizagem eram medidas não confiáveis sobre como ensinar, mas com a ajuda da tecnologia, podemos agora ver como o cérebro reage a situação desconfortáveis (ameaçadoras, estressantes ou de ansiedade) e realmente se torna incapaz de nova aprendizagem (Lovinger, 2010; Puig & Miller, 2012; Stagg, Bachtiar & Jahnsen-Berg, 2011) ou como o meio ambiente de aprendizagem certo pode facilitar a liberação dos neurotransmissores certos para melhorar a probabilidade de aprendizagem (Plotnik & Kouyoumdjian, 2013). Tokuhama-Espinosa, 2014, p. 22