Sono - Drª Teresa Paiva

12.618 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
12.618
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
692
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
133
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sono - Drª Teresa Paiva

  1. 1. bom sono, boa vida “Os problemas do sono são individuais, com enorme importância para cada indivíduo e universais, com grande impacto socioeconómico numa sociedade globalizada e a funcionar 24 horas seguidas.” adaptado do livro "Bom sono, boa vida" de Dr.ª Teresa Paiva
  2. 2. dormir bem é uma bênção “O sono tem, ainda hoje, uma função que se desconhece, mas sabe-se que está intimamente ligado à vigília e que é mais essencial à sobrevivência que comer e beber.” adaptado do livro "Bom sono, boa vida" de Dr.ª Teresa Paiva
  3. 3. o sono, apesar de variar entre aspessoas, tem regras básicascomuns A temperatura em volta do nosso rosto, ou do focinho dos animais, no momento de adormecer é uma constante universal, sendo igual em todas as latitudes e em climas quentes e frios: daí a tendência para cobrir o rosto (ou o focinho) quando está frio, e para o destapar quando está calor. adaptado do livro "Bom sono, boa vida" de Dr.ª Teresa Paiva
  4. 4. se dormir bem viverá melhor  Durante o sono, mudamos de posição algumas vezes e passamos por diversos ciclos de sono que duram aproximadamente 90 minutos.  Em cada ciclo, figurativamente, “subimos e descemos degraus”, isto é, após o adormecimento passamos do sono superficial para o sono profundo, depois novamente para o sono superficial e seguido de sono paradoxal ou REM, e de um acordar transitório.  Esta sequência de fases é bem organizada e relativamente sistemática, e vai repetir-se cerca de 4 a 6 vezes por noite. adaptado do livro "Bom sono, boa vida" de Dr.ª Teresa Paiva
  5. 5. sono profundo  No sono profundo, também chamado fase 3, o cérebro está muito lento, as frequências cardíaca e respiratória baixam, é muito difícil acordar, e produzem-se hormonas, como a hormona do crescimento.  As temperaturas do corpo e do cérebro baixam significativamente.  Os sonhos são raros e limitam-se a pensamentos abstractos com memórias muito reduzidas.  Este sono é essencial, e se tivermos privação do sono será o primeiro a ser recuperado, porque é aqui que algumas funções essenciais são exercidas, designadamente as que têm que ver com a homeostase, ou seja, o equilíbrio interno ou balanço perfeito do nosso organismo, e também é aqui que recuperamos o corpo de todos os gastos e abusos da vigília. adaptado do livro "Bom sono, boa vida" de Dr.ª Teresa Paiva
  6. 6. sono profundo  É por isso que na privação deste sono temos dificuldades de desempenho das nossas tarefas, ficamos “baços”, com um discernimento incompleto.  Se acordamos subitamente nesta fase, não conseguimos de imediato recompor-nos e podemos ficar transitoriamente confusos. adaptado do livro "Bom sono, boa vida" de Dr.ª Teresa Paiva
  7. 7. sono profundo Esta fase, que domina na primeira metade do sono, ocupa no adulto cerca de 20% de toda a noite , é mais prolongada nas crianças, mas vai-se reduzindo com o progredir da idade. adaptado do livro "Bom sono, boa vida" de Dr.ª Teresa Paiva
  8. 8. sono superficial  No sono superficial, constituído pelas fases 1 e 2, o cérebro está moderadamente lento e um pouco oscilante;  Acontecem pequenos eventos cerebrais que protegem o nosso córtex cerebral do acordar, e que se chamam fusos de sono;  Existe alguma reactividade a estímulos exteriores, e o nosso córtex reage a eles com uns elementos característicos, chamados complexos K e pontas de vértice;  A capacidade para acordar é relativa.  Esta fase ocupa cerca de 50% de toda a noite os sonhos são possíveis mas pouco frequentes e de recordação limitada. adaptado do livro "Bom sono, boa vida" de Dr.ª Teresa Paiva
  9. 9. sono superficial  Na fase 2 acontecem múltiplos fenómenos normais ou anormais. Falar a dormir (chama-se sonilóquia) é relativamente normal se não for excessivo, mas gritar ou fazer outro tipo de ruídos (ressonar, grunhir, etc.) já é anormal.  As apneias (paragens da respiração), a enurese (micção involuntária), as mioclonias (esticões bruscos dos membros) e muitos outros fenómenos surgem predominantemente aqui. adaptado do livro "Bom sono, boa vida" de Dr.ª Teresa Paiva
  10. 10. sono REM Rapid Eye MovementsNo sono REM o cérebro volta a estar relativamente rápido, existem movimentos rápidos dos olhos, como se fossem sacadas para um lado e outro, o coração acelera e desacelera, a respiração é irregular, a temperatura do corpo deixa de ser controlada, e passamos por isso a estar sujeitos à temperatura ambiente, os músculos estão paralisados e sonhamos. adaptado do livro "Bom sono, boa vida" de Dr.ª Teresa Paiva
  11. 11. sono REM O acordar espontâneo é frequente mas é difícil acordar alguém em sono REM. Os sonhos mais elaborados surgem nesta fase do sono, que predomina na segunda metade da sua duração, ocupando cerca de 20% do total no adulto. adaptado do livro "Bom sono, boa vida" de Dr.ª Teresa Paiva
  12. 12. sono REM Nas crianças recém-nascidas esta fase é muito prolongada, cerca de 60% a 80% de todo o sono. É também uma fase essencial e, após privação, a grande consequência é a tentativa do nosso corpo de recuperar o sono REM perdido. adaptado do livro "Bom sono, boa vida" de Dr.ª Teresa Paiva
  13. 13. sono REM Tem funções essenciais na aprendizagem, na organização da memória e na estabilidade psicoafectiva. É aqui que pode haver problemas cardiocirculatórios em pessoas susceptíveis; É também aqui que surgem os pesadelos e as parassónias do REM. adaptado do livro "Bom sono, boa vida" de Dr.ª Teresa Paiva
  14. 14. durante o sono  São segregadas todas as hormonas anabolizantes, designadamente a hormona do crescimento e a prolactina. adaptado do livro "Bom sono, boa vida" de Dr.ª Teresa Paiva
  15. 15. durante o sono É controlada a produção de hormonas catabolizantes, como o cortisol.  Quando não se dorme ele está mais alto de manhã, aumentando o risco de hipertensão arterial adaptado do livro "Bom sono, boa vida" de Dr.ª Teresa Paiva
  16. 16. durante o sono  São estabilizados processos imunológicos, ou seja, as defesas do organismo e a resistência às infecções.  A reduçãodo sono aumenta a probabilidade de ter doenças infecciosas. adaptado do livro "Bom sono, boa vida" de Dr.ª Teresa Paiva
  17. 17. durante o sono  As temperaturas do cérebro e do corpo, e o metabolismo em geral são reduzidos. Por isso, quando dormimos temos de nos tapar; caso contrário, acordamos com frio.  São estabelecidos e sedimentados diversos processos cognitivos, sobretudo os que têm que ver com a memória, com o encontrar soluções e com a aprendizagem.  Através dos sonhos é restabelecido o equilíbrio emocional e são reforçados os comportamentos próprios da espécie. adaptado do livro "Bom sono, boa vida" de Dr.ª Teresa Paiva
  18. 18. dormir e ... acordar  Uma das funções principais do sono é manter-nos acordados.  Senão dormimos o suficiente estamos sonolentos ou com menor capacidade para desempenhar as tarefas do nosso dia-a-dia.adaptado do livro "Bom sono, boa vida" de Dr.ª Teresa Paiva
  19. 19. consequências da privação desono  Sonolência  Fadiga e falta de vigor  Ansiedade e irritabilidade  Falta de concentração  Confusão  Distorções de percepção  Alucinações  Lapsos e acidentes  Defeitos de compreensão da linguagem verbal adaptado do livro "Bom sono, boa vida" de Dr.ª Teresa Paiva
  20. 20. quantas horas se deve dormir?  85% a 90% dos adultos saudáveis dormem entre sete e oito horas por noite,  5% precisam de dormir menos de seis,  5% precisam de dormir entre nove e dez horas. adaptado do livro "Bom sono, boa vida" de Dr.ª Teresa Paiva
  21. 21. quantas horas se deve dormir?  A partir dos 60 anos dorme-se menos, e um indivíduo idoso dorme cinco a seis horas por noite.  Nós somos um animal diurno; por isso, o dormir de dia não é tão eficaz como o dormir de noite, e é negativo acordar cedo de mais, designadamente antes das seis da manhã. adaptado do livro "Bom sono, boa vida" de Dr.ª Teresa Paiva
  22. 22. café, tabaco e álcool  A sensibilidade ao café é determinada geneticamente, sendo muito variável entre indivíduos.  O mesmo acontece com o tabaco.  Tanto o café como o tabaco têm efeitos deletérios sobre o sono. adaptado do livro "Bom sono, boa vida" de Dr.ª Teresa Paiva
  23. 23. café, tabaco e álcool O álcool é socialmente aceite como hipnótico pela sua capacidade de induzir o sono, mas tem efeitos negativos, porque torna o sono mais superficial, favorecendo o ressonar. adaptado do livro "Bom sono, boa vida" de Dr.ª Teresa Paiva
  24. 24. sesta  A tendência para a sesta é fisiológica: a seguir ao almoço há uma baixa da nossa temperatura e daí a maior tendência para a sonolência.  Em indivíduos saudáveis, sestas de 20 a 30 minutos são desejáveis e refrescantes.  A prática da sesta está a ser seguida em muitas empresas no Japão e nos EUA, por se saber que melhora a capacidade de trabalho nas horas subsequentes. adaptado do livro "Bom sono, boa vida" de Dr.ª Teresa Paiva
  25. 25. quem não deve dormir sesta?  Os que sofrem de insónias, porque vão dormir menos e pior à noite;  Os doentes com epilepsia ou com enxaquecas relacionadas com o sono, porque a sesta pode desencadear as respectivas crises;  Os doentes que o fazem para suplantar um tratamento ineficaz de uma apneia do sono;  Os doentes deprimidos, porque o prolongar das sestas aumenta a depressão. adaptado do livro "Bom sono, boa vida" de Dr.ª Teresa Paiva
  26. 26. A criança deve serensinada desde quenasce a ter hábitosregulares de sono, mas aorganização necessáriavaria com a idade. adaptado do livro "Bom sono, boa vida" de Dr.ª Teresa Paiva
  27. 27. As crianças não devem teractividades excessivas, vistoque o dia se reflecte nanoite;Nem devem reduzir o sono,uma vez que a noite se vaireflectir no dia.adaptado do livro "Bom sono, boa vida" de Dr.ª Teresa Paiva
  28. 28. Os adolescentes, para terem êxitoe se sentirem bem, precisam deuma vida organizada.As noitadas e os regressos demadrugada, com álcool e drogas,têm um risco sério de acidentes.É estúpido morrer na estrada naflor da idade. adaptado de: Teresa Paiva “Bom sono, boa vida”
  29. 29. Portugal é um país privado desonoEssa privação em crianças e adolescentes, numa fase da vida em que há importantes processos de maturação do corpo e do cérebro, vai ter neles consequências muito negativas para o resto da vida, com risco de doenças graves e crónicas como a hipertensão, diabetes, obesidade, depressão e insónia. adaptado do livro "Bom sono, boa vida" de Dr.ª Teresa Paiva

×