SONO E 
ENVELHECIMENTO 
Vitor Esteves 
Interno de Formação Específica de MGF 
Drª. Catarina Bettencourt 
Orientadora de Fo...
D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o 
SONO E 
ENVELHECIMENTO 
 Necessidade básica dos ser humano. 
“…estado fisi...
D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o 
SONO E 
ENVELHECIMENTO 
Função do Sono? 
Manter-nos Acordados!
D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o 
SONO E 
ENVELHECIMENTO 
 Necessidade básica dos ser humano. 
 Melhora a c...
D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o 
SONO E 
ENVELHECIMENTO 
“Nem papoila nem mandrágora, 
nem todos os xaropes ...
D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o 
SONO E 
ENVELHECIMENTO 
 Número de horas de sono ao longo da vida: 
16-20h...
D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o 
SONO E 
ENVELHECIMENTO 
 Fases do sono: 
 Sono REM 
 Sono Não-REM 
Acord...
D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o 
SONO E 
ENVELHECIMENTO 
 O padrão do sono modifica-se com a idade. 
O sono...
D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o 
SONO E 
ENVELHECIMENTO 
 Despertares noturnos ao longo da vida: 
1 • 5-10 ...
D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o 
SONO E 
ENVELHECIMENTO 
 O processo de envelhecimento ocasiona 
modificaç...
 Insónia: 
D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o 
SONO E 
ENVELHECIMENTO 
Percepção de insatisfação na qualidade ...
D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o 
SONO E 
ENVELHECIMENTO 
 Consequências da Privação do Sono: 
 Sonolência ...
 Consequências da Privação do Sono: 
 Resistência à insulina 
 Hipertensão 
 Doenças do Coração 
 Obesidade 
 Baixa ...
D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o 
SONO E 
ENVELHECIMENTO 
 Causas de distúrbios do sono no idoso: 
Distúrbio...
D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o 
SONO E 
ENVELHECIMENTO 
Higiene do Sono 
Conjunto de atividades e comporta...
D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o 
SONO E 
ENVELHECIMENTO 
Higiene do Sono 
Falta de horários e rotinas 
Horá...
D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o 
SONO E 
ENVELHECIMENTO 
Higiene do Sono 
Falta de horários e rotinas 
Hábi...
D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o 
SONO E 
ENVELHECIMENTO 
Higiene do Sono 
Quarto de dormir desarrumado e 
d...
D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o 
SONO E 
ENVELHECIMENTO 
Higiene do Sono 
Compensar uma noite de insónia 
d...
D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o 
SONO E 
ENVELHECIMENTO 
Higiene do Sono 
Tentar combater a insónia no leit...
D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o 
SONO E 
ENVELHECIMENTO 
Higiene do Sono 
Sestas diurnas prolongadas 
Não e...
D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o 
SONO E 
ENVELHECIMENTO 
Higiene do Sono 
Vida sedentária reduz necessidade...
D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o 
SONO E 
ENVELHECIMENTO 
Higiene do Sono 
Actividades estimulantes à noite ...
D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o 
SONO E 
ENVELHECIMENTO 
Higiene do Sono 
Substâncias estimulantes 
Não ing...
D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o 
SONO E 
ENVELHECIMENTO 
Higiene do Sono 
Ingestão de líquidos condiciona 
...
D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o 
SONO E 
ENVELHECIMENTO 
Higiene do Sono 
Hábitos que sinalizem a aproximaç...
D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o 
SONO E 
ENVELHECIMENTO 
“Envelhecer é a única forma que temos para 
desfr...
Sono e envelhecimento
Sono e envelhecimento
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Sono e envelhecimento

693 visualizações

Publicada em

Sono e Envelhecimento
Educação para a saúde
Medicina
Medicina Geral e Familiar
O Idoso e o sono
Healthcare, Elderly, Sleep, Insomnia
Insónia

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
693
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
25
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • O sono é uma necessidade básica dos seres humanos e, portanto, tem influência na nossa qualidade de vida. Sabe-se que a experiência de um sono insatisfatório ou insuficiente é muito desagradável, refletindo no desempenho da pessoa em suas atividades diárias, comportamento e bem-estar. Particularmente para os idosos, as  perturbações do sono também representam fatores de risco ligados à institucionalização
    e à mortalidade
  • - São segregadas todas as hormonas anabolizantes, que permitem o crescimento, a duplicação celular.
    - São estabilizados processos imunológicos A redução do sono aumenta a probabilidade de ter doenças infeciosas. São estabelecidos e sedimentados diversos processos cognitivos, sobretudo os que têm a ver com a memória, com encontrar soluções e com a aprendizagem, entre outros;
    - Através dos sonhos é restabelecido o equilíbrio emocional e são reforçados os comportamentos próprios da espécie.
  • O sono é uma necessidade básica dos seres humanos e, portanto, tem influência na nossa qualidade de vida. Sabe-se que a experiência de um sono insatisfatório ou insuficiente é muito desagradável, refletindo no desempenho da pessoa em suas atividades diárias, comportamento e bem-estar. Particularmente para os idosos, as  perturbações do sono também representam fatores de risco ligados à institucionalização
    e à mortalidade
  • O sono é uma necessidade básica dos seres humanos e, portanto, tem influência na nossa qualidade de vida. Sabe-se que a experiência de um sono insatisfatório ou insuficiente é muito desagradável, refletindo no desempenho da pessoa em suas atividades diárias, comportamento e bem-estar. Particularmente para os idosos, as  perturbações do sono também representam fatores de risco ligados à institucionalização
    e à mortalidade
  • O sono é uma necessidade básica dos seres humanos e, portanto, tem influência na nossa qualidade de vida. Sabe-se que a experiência de um sono insatisfatório ou insuficiente é muito desagradável, refletindo no desempenho da pessoa em suas atividades diárias, comportamento e bem-estar. Particularmente para os idosos, as  perturbações do sono também representam fatores de risco ligados à institucionalização
    e à mortalidade
  • sono é constituído por diferentes estágios, de acordo com a frequência e a amplitude típicas das ondas elétricas cerebrais geradas durante o fenômeno. A organização e a proporção que ocupam os vários estágios são conhecidas como o padrão do sono, que se modifica com o envelhecimento.

    Sono REM (Rapid Eyes Movement) –  paradoxal. Existência de movimentos rápidos dos olhos; ocorre 90 minutos após início do sono; sonhos  predominantemente emocionais, vividos e mais facilmente retidos se acordar nesta fase

    Sono NREM (N1, N2 e N3) - Sono lento, sincronizado. Não há movimento rápido dos olhos. Caracterizado por um EEG (eletroencefalograma) em que dominam as frequências baixas; ativação parassimpática é dominante temperatura central decresce ligeiramente; a atividade cognitiva persiste, embora os sonhos sejam facilmente esquecidos; Possuí três níveis, N1, N2 e N3. A qualidade do sono da fase N1 à fase N3 torna-se sucessivamente profunda, à à medida que as ondas cerebrais se tornam progressivamente mais lentas e é mais difícil acordar uma pessoa.

    Uma noite de sono é constituída por ciclos com duração média de 70 a 100 minutos, que se repetem de 4 a 5 vezes, sendo que um ciclo típico é constituído das fases N1, N2 e N3 do NREM seguidos por um período de sono REM. Sabe-se ainda que na primeira metade da noite, o sono é mais profundo (predomínio da fase NREM) e na segunda metade da noite predomínio das fases mais superficiais (N1 e N2) do sono NREM e de sono REM.
  • Os estágios 3 e 4 , chamados ondas lentas ou delta. São atingidos 1 hora após adormecer, a pessoa está totalmente relaxada ,insensível aos estímulos exteriores.
  • O sono é uma necessidade básica dos seres humanos e, portanto, tem influência na nossa qualidade de vida. Sabe-se que a experiência de um sono insatisfatório ou insuficiente é muito desagradável, refletindo no desempenho da pessoa em suas atividades diárias, comportamento e bem-estar. Particularmente para os idosos, as  perturbações do sono também representam fatores de risco ligados à institucionalização
    e à mortalidade
  • Inicial
    Intermédia – sono interrompido por despertares frequentes
    Tardia
    É uma dificuldade em obter o quantitativo de sono necessário para um funcionamento diário eficiente
  • . Doenças - Dor: Artrite, Dç OE, Neuropatia, Angina, Insuficiência Cardíaca, Bronquite, Azia (DRGE), Úlcera gástrica, Diabetes, Tiróide, Hiperplasia Benigna da Próstata, incontinência
    . Medicamentos:
    Alteram o sono – Descongestionantes nasais, Antidepressivos, Corticóides, Medicações com caféína
    Causam sonolência – Analgésicos (narcóticos), antihistaminicos, antidepressivos,
    .Primárias – as alterações do sono são o principal ou único sintoma do problema (Narcolepsia, Apneia do Sono)
    . Psiquiátricas e Neurológicas: Ansiedade, Depressão, Demência, D. Movimento
  • Hábitos de vida inadquados no idoso
  • Hábitos que sinalizem a aproximação do horário de dormir: Preparar a cama, roupa apropriada, banho morno, rezar
  • Manter ambiente do quarto arejado e fresco. Perfumar com óleos essenciais
  • Compensar uma noite de insónia dormindo de manhã até mais tarde vai condicionar a próxima noite, desencadeando um círculo vicioso.
  • Tentar combater a insónia no leito não traz o sono de volta. Ao despertar à noite, o idoso deve sair da cama e fazer algo pouco estimulante (leitura serena, música relaxante).
    Acender luzes fortes à noite condiciona o reinício do sono.

  • Hábitos de vida inadquados no idoso
  • Vida sedentária reduz a necessidade de sono. O idoso poderá ter um sono restaurador em poucas horas e despertar de madrugada
  • Atividades estimulantes à noite podem aumentar a latência do sono. Alterar palno de caminhadas do fim da tarde para a manhã e se desligarem a TV mais cedo
    Exercício físixo deve ser feito no máximo 4-6 antes de ir para a cama
  • Bebidas contendo cafeína (refrigerante tipo cola, chá preto e café) aumentam a latência do sono e frequência de despertares noturnos.
    Comer alimentos leves à noite - Não se deitar com os estômago cheio
  • Manter ambiente do quarto arejado e fresco. Perfumar com óleos essenciais
  • Manter ambiente do quarto arejado e fresco. Perfumar com óleos essenciais
  • Hábitos de vida inadquados no idoso
  • Sono e envelhecimento

    1. 1. SONO E ENVELHECIMENTO Vitor Esteves Interno de Formação Específica de MGF Drª. Catarina Bettencourt Orientadora de Formação D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o 2 0 1 4
    2. 2. D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o SONO E ENVELHECIMENTO  Necessidade básica dos ser humano. “…estado fisiológico complexo necessário ao restabelecimento da homeostasia do organismo…” ”…um período de repouso para o corpo e a mente, durante o qual a consciência está em inatividade parcial ou completamente…”
    3. 3. D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o SONO E ENVELHECIMENTO Função do Sono? Manter-nos Acordados!
    4. 4. D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o SONO E ENVELHECIMENTO  Necessidade básica dos ser humano.  Melhora a capacidade de memorização  Diminui a frequência cardíaca  Repara os tecidos  Relaxa os músculos  Estabiliza os níveis da respiração
    5. 5. D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o SONO E ENVELHECIMENTO “Nem papoila nem mandrágora, nem todos os xaropes narcóticos do mundo jamais te devolverão esse doce sono que ontem tinhas." Shakespeare, in Otelo
    6. 6. D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o SONO E ENVELHECIMENTO  Número de horas de sono ao longo da vida: 16-20h • Recém-nascido 10-12h • Criança 10-8h • Adolescente 8-7h • Adulto 5-6h • Idoso
    7. 7. D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o SONO E ENVELHECIMENTO  Fases do sono:  Sono REM  Sono Não-REM Acordado _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ 1 2 3 4 REM – Rápido Movimento dos Olhos
    8. 8. D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o SONO E ENVELHECIMENTO  O padrão do sono modifica-se com a idade. O sono profundo diminui Dificuldade em adormecer Despertares mais frequentes Despertar mais cedo
    9. 9. D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o SONO E ENVELHECIMENTO  Despertares noturnos ao longo da vida: 1 • 5-10 anos 2 • 20-30 anos 4 • 40-50 anos 8 • 70-80 anos
    10. 10. D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o SONO E ENVELHECIMENTO  O processo de envelhecimento ocasiona modificações na quantidade e qualidade do sono.  A partir dos 65 anos de idade:  > 50%dos idosos que vivem em suas casas  > 70%dos idosos institucionalizados Impacto negativo na qualidade de vida!
    11. 11.  Insónia: D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o SONO E ENVELHECIMENTO Percepção de insatisfação na qualidade ou quantidade do sono
    12. 12. D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o SONO E ENVELHECIMENTO  Consequências da Privação do Sono:  Sonolência  Fadiga e falta de vigor  Ansiedade e Irritabilidade  Falta de concentração  Confusão  Lapsos de memória e acidentes  Defeitos da compreensão da linguagem verbal
    13. 13.  Consequências da Privação do Sono:  Resistência à insulina  Hipertensão  Doenças do Coração  Obesidade  Baixa das defesas imunológicas  Dor Crónica D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o SONO E ENVELHECIMENTO Diabetes
    14. 14. D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o SONO E ENVELHECIMENTO  Causas de distúrbios do sono no idoso: Distúrbio do Sono Medicamentos Doenças Orgânicas HIGIENE DO SONO PRECÁRIA Alterações Primárias do sono Doenças Psiquiátricas
    15. 15. D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o SONO E ENVELHECIMENTO Higiene do Sono Conjunto de atividades e comportamentos que melhoram a qualidade do sono. Envolve hábitos regulares e um ambiente físico adequado para dormir.
    16. 16. D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o SONO E ENVELHECIMENTO Higiene do Sono Falta de horários e rotinas Horários e rotinas regulares: Deitar, despertar, refeições, actividade física Regularizar o relógio biológico
    17. 17. D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o SONO E ENVELHECIMENTO Higiene do Sono Falta de horários e rotinas Hábitos que sinalizam a aproximação do deitar: Preparar a cama, roupa apropriada, banho morno, rezar, etc.
    18. 18. D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o SONO E ENVELHECIMENTO Higiene do Sono Quarto de dormir desarrumado e desconfortável Manter ambiente do quarto ameno, agradável e arejado Eliminar fontes de ruído e luz
    19. 19. D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o SONO E ENVELHECIMENTO Higiene do Sono Compensar uma noite de insónia dormindo até mais tarde Manter o horário de deitar e levantar
    20. 20. D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o SONO E ENVELHECIMENTO Higiene do Sono Tentar combater a insónia no leito. Acender luzes fortes à noite Realizar actividades pouco estimulantes: Leitura serena, música relaxante
    21. 21. D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o SONO E ENVELHECIMENTO Higiene do Sono Sestas diurnas prolongadas Não exceder os 40-60 min Evitar após as 15h
    22. 22. D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o SONO E ENVELHECIMENTO Higiene do Sono Vida sedentária reduz necessidade de sono Praticar exercício físico
    23. 23. D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o SONO E ENVELHECIMENTO Higiene do Sono Actividades estimulantes à noite Desligar a TV mais cedo Evitar leituras empolgantes Alterar plano de caminhadas
    24. 24. D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o SONO E ENVELHECIMENTO Higiene do Sono Substâncias estimulantes Não ingerir Alcóol, Café, Chá, Chocolate ou Fumar Ingerir refeição leve à noite
    25. 25. D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o SONO E ENVELHECIMENTO Higiene do Sono Ingestão de líquidos condiciona aumento da diurese Limitar a partir do final da tarde
    26. 26. D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o SONO E ENVELHECIMENTO Higiene do Sono Hábitos que sinalizem a aproximação do deitar Sestas não superiores a 40-60 min Evitar actividades estimulantes Evitar substâncias estimulantes Horários e rotinas regulares Limitar ingestão de líquidos Ambiente do quarto agradável Praticar exercício físico
    27. 27. D i a I n t e r n a c i o n a l d o I d o s o SONO E ENVELHECIMENTO “Envelhecer é a única forma que temos para desfrutar de uma vida longa”

    ×