Postura Ética - Jovem Candango

551 visualizações

Publicada em

Abordagem geral sobre postura ética, sanções disciplinares, ética e mora, uso de redes sociais no local de trabalho e assédio moral.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
551
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
19
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Postura Ética - Jovem Candango

  1. 1. 15º Encontro: POSTURA ÉTICA Instrutor: Jader Windson Fevereiro 2015
  2. 2. “Chamamos de Ética o conjunto de coisas que as pessoas fazem quando todos estão olhando. O conjunto de coisas que as pessoas fazem quando ninguém está olhando chamamos de Caráter.” Oscar Wilde
  3. 3. Parte da Filosofia que estuda os valores morais e os princípios ideais da conduta humana. Do grego (ethiké), conjunto de princípios morais que se devem observar no exercício de uma profissão.
  4. 4. Seria um erro pensar que, desde sempre, os homens têm as mesmas respostas para questões desse tipo. Com o passar do tempo, as sociedades mudam e também mudam os homens que as compõem. Exemplos:  Escravidão;  Direitos femininos;  Torturas;  Racismo.
  5. 5. Moral Costumes e hábitos aprendidos em uma determinada sociedade. Conjunto de regras ou princípios traçados, de forma racional, em uma determinada sociedade. Ética
  6. 6. As empresas são como extensões da sociedade. Portanto, é dever de todo profissional ter uma postura ética profissional e humana equilibrada, tanto na sociedade, quanto dentro das empresas.
  7. 7. Regras pré-determinadas pelo empregador, para disciplina no ambiente de trabalho. Elas estarão dispostas no contrato de trabalho e deverão ser respeitadas. Existem limites e não podem ser abusivas, pois a CLT protege o profissional.
  8. 8. “II – falta disciplinar grave” (BRASIL, Decreto nº 5.598, Estatuto da Criança e do Adolescente – ECA , de 1º de dezembro de 2005, Seção VIII Artigo 28)
  9. 9.  Advertência – Forma de chamar atenção do trabalhador para um ato/comportamento reprovável. Não cumprindo com as determinações, poderá sofrer reincidência, e ser advertido novamente. Será transcrita no livro ou ficha de registro de empregados, pois é considerada penalidade.
  10. 10.  Suspensão – Forma de disciplinar o trabalhador por um ato/comportamento grave. Podem ser aplicadas após advertência ou conversa sobre a insatisfação que tal atitude causou na empresa. Pode ser de 1, 2, 5, 10 ou 30 dias de suspensão do local de trabalho, conforme o ato faltoso e descontado na folha de pagamento dos dias não trabalhados.
  11. 11.  Desligamento - A justa causa dar-se-á pelos motivos dispostos no art. 482 da CLT. Ela é a penalidade máxima que se pode impor ao trabalhador, porque além de perder seu emprego, seus direitos na rescisão contratual serão limitados e estará no registro profissional do empregado a má conduta.
  12. 12.  Quais os principais cuidados que o funcionário deve ter quanto ao uso da rede social no ambiente de trabalho? Cumpre salientar que o empregado é contratado para laborar durante sua jornada de trabalho e consequentemente é pago por esse motivo (trata-se do contrato de trabalho artigo 442 da CLT). Sendo assim, o empregado não pode "gastar" seu tempo de trabalho em redes sociais ou em atividades diversas da que foi contratado. Fonte: RH Portal
  13. 13.  É permitido/legal tornar pública foto do local de trabalho sem permissão/conhecimento dos superiores? Em hipótese nenhuma o empregado pode publicar imagens com produtos, serviços ou locais da empresa na internet, haja vista que não se trata de um ambiente que lhe pertence e sim do empregador. Desta forma, o empregado não pode dispor o que não é seu, sob pena de justa causa, conforme artigo 482 da CLT. Fonte: RH Portal
  14. 14.  Smartphones são os vilões no escritório A coach e colunista do UOL Empregos e Carreiras Daniela do Lago é a favor da liberação do uso das redes sociais nas organizações. "Se a empresa não permite, o funcionário se conecta pelo smartphone", diz. De acordo com a especialista, não é o Facebook que está acabando com o tempo e a produtividade, é o colaborador que não está sabendo usar a rede de maneira produtiva. "Se o funcionário cumpre com seu trabalho com excelência, qual é o problema de usar redes sociais? Mais do que nunca, a conduta do líder deve ser clara na exigência de tarefas, prazos e metas de cada membro da equipe". Fonte: Economia UOL
  15. 15. Exposição do funcionário a situações humilhantes e constrangedoras, de forma constantemente, durante a jornada de trabalho e no exercício de suas funções, geralmente por relações hierárquicas autoritárias, através de condutas negativas ou relações desumanas forçando o funcionário a desistir do emprego.
  16. 16. Aspectos do assédio moral – Isolamento do grupo de funcionários; Inferioridade; Culpabilidade; Desestabilização; Fragilização e Perca da autoestima.
  17. 17. As manifestações do assédio segundo o sexo:  Com as mulheres: os controles são diversificados e visa intimidar, submeter, proibir a fala, interditar a fisiologia, controlando tempo e frequência de permanência nos banheiros. Relacionam atestados médicos e faltas à suspensão de cestas básicas ou promoções.  Com os homens: atingem a virilidade, preferencialmente.
  18. 18. O que é Humilhação? É sentir-se um ninguém, sem valor, inútil. Magoado/a, revoltado/a, perturbado/a, mortificado/a, traído/a, envergonhado/a, indignado/a e com raiva. A humilhação causa dor, tristeza e sofrimento.
  19. 19. Em resumo: um ato isolado de humilhação não é assédio moral. Este pressupõe:  Repetição sistemática;  Intencionalidade (forçar o outro a abrir mão do emprego);  Direcionalidade (uma pessoa do grupo é escolhida como bode expiatório);  Temporalidade (durante a jornada, por dias e meses);  Degradação deliberada das condições de trabalho.
  20. 20.  Formação de Coletivo Social (sindicatos, advogados, médicos do trabalho e outros profissionais de saúde, sociólogos, antropólogos e grupos de reflexão sobre o assédio moral.).  Informar ao seu Sindicato, Centro de Referência em Saúde dos Trabalhadores (CRST), Comissão de Direitos Humanos e Núcleo de Promoção de Igualdade e Oportunidades e de Combate a Discriminação ou Delegacia Regional do Trabalho.  Testemunha denuncie!

×