Endometriose no Púbis e Raiz da Coxa

7.402 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
1 comentário
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • meu nome e marlize tenho forte dores no pubis acompanhado de edemas ,suspeita de endometriose fiz tratamento com allurene por 6 meses mas nao resolveu o problema ja fiz varias ultasom ressonancia mostra um esperssamento no musculo com edema
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.402
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
120
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
30
Comentários
1
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Endometriose no Púbis e Raiz da Coxa

  1. 1. ENDOMETRIOSE NO PÚBIS E RAIZ DA COXA - RELATO DE CASO Autores: Dr. Marcelo Resende Bassi Dr. Leonardo Lobo Poncinelli Dr. Márcio Luiz Rinaldi
  2. 2. ENDOMETRIOSE NO PÚBIS E RAIZ DA COXA - RELATO DE CASO <ul><li>Mulher de 36 anos </li></ul><ul><li>Nulípara </li></ul><ul><li>Sem queixas ginecológicas </li></ul><ul><li>Sem história de cirurgia prévia </li></ul><ul><li>Queixa principal: dor e edema no púbis à direita, com irradiação para o membro inferior ipsilateral , em setembro de 2008. </li></ul><ul><li>Posteriormente surgiu uma massa no púbis/raiz da coxa direita e dificuldade para deambular. </li></ul>
  3. 3. ENDOMETRIOSE NO PÚBIS E RAIZ DA COXA - RELATO DE CASO <ul><li>Foram realizadas radiografias de tórax, bacia e articulação coxo-femural D, todas sem alterações. </li></ul>
  4. 4. ENDOMETRIOSE NO PÚBIS E RAIZ DA COXA - RELATO DE CASO <ul><li>ultrassonografia de abdômen </li></ul><ul><li>Lesão hipoecóica sem limites definidos, localizada no plano cutâneo muscular da região supra púbica e face interna da raiz da coxa direita, medindo cerca de 4,0 cm no seu maior diâmetro. </li></ul>
  5. 5. ENDOMETRIOSE NO PÚBIS E RAIZ DA COXA - RELATO DE CASO RM da pelve – sequência axial T1 sem contraste, mostrando formação expansiva arredondada, margens irregulares/espiculadas, com isossinal ao músculo, localizada anterior ao púbis e se estendendo à raiz da coxa direita.
  6. 6. ENDOMETRIOSE NO PÚBIS E RAIZ DA COXA - RELATO DE CASO RM da pelve – sequência axial DP Fat Sat sem contraste mostrando formação expansiva arredondada, margens irregulares/espiculadas, com hipersinal.
  7. 7. ENDOMETRIOSE NO PÚBIS E RAIZ DA COXA - RELATO DE CASO RM da pelve – sequência coronal DP Fat Sat sem contraste mostrando formação expansiva arredondada, margens irregulares/espiculadas, com hipersinal.
  8. 8. ENDOMETRIOSE NO PÚBIS E RAIZ DA COXA - RELATO DE CASO RM da pelve – sequência axial DP Fat Sat + Gd mostrando realce intenso e heterogêneo da lesão pelo meio de contraste paramagnético.
  9. 9. ENDOMETRIOSE NO PÚBIS E RAIZ DA COXA - RELATO DE CASO RM da pelve – sequência sagital DP Fat Sat + Gd mostrando realce intenso e heterogêneo da lesão pelo meio de contraste paramagnético.
  10. 10. ENDOMETRIOSE NO PÚBIS E RAIZ DA COXA - RELATO DE CASO RM da pelve – sequência coronal DP Fat Sat + Gd mostrando realce intenso e heterogêneo da lesão pelo meio de contraste paramagnético.
  11. 11. ENDOMETRIOSE NO PÚBIS E RAIZ DA COXA - RELATO DE CASO <ul><li>core biopsia guiada por tomografia computadorizada </li></ul><ul><li>Devido à apresentação clínica complexa e à morfologia multifacetada de suas lesões, principalmente no caso da nossa paciente, em que a doença se manifestou em um local pouco comum, as hipóteses diagnósticas principais foram tumor desmóide (fibromatose agressiva) ou algum tipo de sarcoma de partes moles. </li></ul>
  12. 12. ENDOMETRIOSE NO PÚBIS E RAIZ DA COXA - RELATO DE CASO <ul><li>retirada cirúrgica da lesão. </li></ul><ul><li>o diagnóstico definitivo só foi obtido com a biópsia pós cirúrgica e imunohistoquímica: </li></ul><ul><li>Fragmento de tecido adiposo medindo 9,0 x 7,5 x 4,0 cm apresentando superfície de corte amarelada com tecido brancacento elástico trabeculado entremeado por pontilhados vinhosos. </li></ul><ul><li>Conclusão: endometriose de partes moles. </li></ul><ul><li>ausência de malignidade na amostra. </li></ul>
  13. 13. ENDOMETRIOSE NO PÚBIS E RAIZ DA COXA - RELATO DE CASO <ul><li>A endometriose é definida como a presença de tecido endometrial heterotópico que responde às ações cíclicas dos hormônios ovarianos </li></ul><ul><li>Descrita por Rokitansky, em 1860, considerada uma das doenças ginecológicas mais comuns atualmente atingindo 4% a 20% das mulheres em idade reprodutiva, a endometriose permanece um desafio para os clínicos no que diz respeito ao seu diagnóstico, evolução natural e tratamento. </li></ul>
  14. 14. ENDOMETRIOSE NO PÚBIS E RAIZ DA COXA - RELATO DE CASO <ul><li>A pesquisa sobre endometriose enfrenta dificuldades devido à sua complexa apresentação clínica, à morfologia multifacetada das lesões e à necessidade de métodos diagnósticos invasivos e não-invasivos para se ter uma resposta conclusiva. </li></ul>
  15. 15. ENDOMETRIOSE NO PÚBIS E RAIZ DA COXA - RELATO DE CASO <ul><li>Locais mais comuns de acometimento: </li></ul><ul><li>Fundo de Saco de Douglas </li></ul><ul><li>Septo reto-vaginal </li></ul><ul><li>Trompas </li></ul><ul><li>Ovários </li></ul><ul><li>Superfície do reto </li></ul><ul><li>Ligamentos uterinos </li></ul><ul><li>Bexiga </li></ul><ul><li>Parede da pelve </li></ul>
  16. 16. ENDOMETRIOSE NO PÚBIS E RAIZ DA COXA - RELATO DE CASO <ul><li>Manifestações clínicas: </li></ul><ul><li>Dismenorréia </li></ul><ul><li>Dispareunia </li></ul><ul><li>Dor pélvica crônica </li></ul><ul><li>Infertilidade </li></ul>
  17. 17. ENDOMETRIOSE NO PÚBIS E RAIZ DA COXA - RELATO DE CASO <ul><li>Diagnóstico: </li></ul><ul><li>exame histopatológico de material retirado em cirurgia, seja laparoscópica ou laparotômica, ou em caso de fácil acesso, por core biópsia. </li></ul>
  18. 18. ENDOMETRIOSE NO PÚBIS E RAIZ DA COXA - RELATO DE CASO <ul><li>Bibliografia: </li></ul><ul><li>Abrão MS. OS FENÓTIPOS DA ENDOMETRIOSE PÉLVICA; Rev Assoc Med Bras 2003; 49(2): 117-36 </li></ul><ul><li>Ojeda VC, Ribeiro LC, Aguilar-Nascimento JE. DISSEMINAÇÃO LINFÁTICA NA ENDOMETRIOSE COLORRETAL; Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões — Vol. 27 – no 4 </li></ul><ul><li>Fontana GCN, Nastri CO, Wellington P Martins WP, Filho FM . ACHADOS ULTRA-SONOGRÁFICOS NA ENDOMETRIOSE. Experts in Ultrasound: Reviews and Perspectives EURP 2009; 1(2): 57-65 </li></ul><ul><li>Werner HJr, Brandão A, Daltro P. RESSONÂNCIA MAGNÉTICA EM OBSTETRÍCIA E GINECOLOGIA, 2003, cap. 09. Editora Revinter </li></ul>

×