4. radiologia cervical rx do trauma

2.101 visualizações

Publicada em

radiologia cervical rx do trauma trauma odontoide efeito chicote discopatia degenerativa cervical

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.101
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
89
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

4. radiologia cervical rx do trauma

  1. 1. Curso de MedicinaCurso de Medicina Rx do traumaRx do trauma Região cervicalRegião cervical 2014 Prof Leão HZ (Professor de Morfologia – ULBRA) Juan Zambon (Acadêmico de Medicina – ULBRA) Patrícia Comberlato (Acadêmica de Odontologia – PUCRS) Quino
  2. 2. Movimenta em função de: • tamanho do disco, • compressibilidade do disco, • rigidez das cápsulas articulares • trabalho muscular, • propriedades ligamentares.
  3. 3. Vista lateral da coluna cervical.
  4. 4. Qual é o exame? Coluna cervical. Qual é a incidência? Perfil ou P. Onde está? Processo odontóide Canal medular Corpo de C3 Processo espinhoso de C5 Disco inervetebral entre C6-C7
  5. 5. De acordo com seus conhecimentos, indique o nome da vértebra e determine se a vista é superior ou inferior. Imagem tomográfica renderizada. King, 2010.
  6. 6. De acordo com seus conhecimentos, indique o nome da vértebra e determine se a vista é superior ou inferior. Imagem tomográfica renderizada. King, 2010.
  7. 7. De acordo com seus conhecimentos, indique os nomes das vértebras em evidência e determine se a vista é anterior ou posterior. Imagem tomográfica renderizada. King, 2010.
  8. 8. Reconstrução coronal da junção craniocervical, indicando os ligamentos cervicais superiores (apical em azul e alares em vermelho). Quais as estruturas que estão associadas pelos ligamentos? King, 2010.
  9. 9. Reconstrução sagital da junção craniocervical, indicando os ligamentos cervicais superiores (apical em azul; parte superior do ligamento cruciforme em laranja; parte transversa do ligamento cruciforme em lilás; membrana tectória em verde. Quais as estruturas que estão associadas pelos ligamentos? King, 2010.
  10. 10. Reconstrução tomográfica sagital demonstrando o conceito de duas colunas na região cervical. Escreva “A” para o processo que você julga estar na coluna anterior e “P” para o processo que esteja na coluna posterior. ( ) LLA ( ) lâmina vertebral ( ) corpo vertebral ( ) processo espinhoso ( ) disco intervertebral ( ) articulação zigapofisária ( ) ligamento supraespinal ( ) ligamento amarelo King, 2010.
  11. 11. King, 2010. Radiografia cervical lateral demonstrando o alinhamento normal da linha espinal anterior (vermelha), linha espinal posterior (amarela), linha espinolaminar (azul) e linha supraespinal (verde). Entre quais linhas você posiciona a medula espinal? Qual o valor diagnóstico no estudo destas linhas?
  12. 12. King, 2010. Radiografia anteroposterior da coluna cervical, demonstrando o alinhamento normal dos processos espinhosos e o alinhamento dos pilares articulares (ou zigapofisários). Qual o valor diagnóstico no estudo destas linhas?
  13. 13. King, 2010. Radiografia lateral da coluna suboccipital, mostrando a imagem normal do anel de C2. Fratura de C2 mostrará este anel interrompido. Quais as vértebras que participam da coluna suboccpipital?
  14. 14. King, 2010. Incidência transoral (TO) demonstrando o processo odontoide com alinhamento normal. A distância do processo odontoide em relação às massas laterais da atlas devem ser simétricas (setas) e as facetas articulares devem estar alinhadas. Quais os nomes das articulações da junção craniocervical e seus movimentos normais?
  15. 15. Qual a incidência?Qual a incidência? Qual a anormal e o seu achado?Qual a anormal e o seu achado? AA BB Clínica: Cervicobraquialgia.
  16. 16. Resposta: B. Discopatia degenerativa.Resposta: B. Discopatia degenerativa. Perda da Lordose Fisiológica Pinçamento no espaço discal entre C5-C6 Osteofitos marginais Esclerose Subcondral
  17. 17. Qual é o exame? Coluna cervical Qual é a incidência? Onde estão? Anteroposterior ou AP OBSERVE QUE C1 NÃO APARECE.É POR ISSO QUE SE FAZ A TRANSORAL OU TO. Discos intervertebrais. Pedículos de C7 Processo espinhoso de C6 C1 ? C2 C 3 C4 C5 C6 C7
  18. 18. Vista normal do processo odontóide.
  19. 19. Qual o exame? Coluna cervical Qual a incidência? Transoral ou TO Onde está? Processo odontóide Articulações interfacetárias entre C1-C2
  20. 20. Antero- flexão Hiperextensão Brant-Zawadzki, 2006 Marincek, 2007 FRATURA DO ENFORCADO Mecanismo de hiperextensão/ distração da fratura do enforcado
  21. 21. Netter
  22. 22. Brant-Zawadzki, 2006
  23. 23. Fratura de Jefferson em imagem radiográfica e na TC.
  24. 24. TC demonstrando alargamento do espaço discal C6 e do espaço entre os processos espinhosos de C6 e C7. Sugestivo de ruptura do ligamento.
  25. 25. TC mostrando marcada anterolistese de C7 sobre T1. Veja, ainda, fraturas dos processos espinhosos de C6 e C7.
  26. 26. Clay shoveler’s fracture.
  27. 27. Fratura do Odontóide Clínica Irradial
  28. 28. Fratura odontóide.
  29. 29. Um dos pacientes está tetraplégico.Um dos pacientes está tetraplégico. Qual e por quê?Qual e por quê? A B
  30. 30. Resposta: A.Resposta: A. FRATURA. ESPONDILOLISTESE DE C6 SOBRE C7. SECÇÃO COMPLETA DA MEDULA.
  31. 31. Ross, 2007 Siringomielia
  32. 32. Dr Ronnie P. Alves Serviço de Radiologia da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre Siringomielia

×