Seminario mmii camp coventry

2.156 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.156
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
853
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Seminario mmii camp coventry

  1. 1. INCIDÊNCIA CAMP COVENTRYINCIDÊNCIA CAMP COVENTRY Professor:Professor: Magno Cavalheiro CURSO:CURSO: Técnico em radiologiaTécnico em radiologia TURMA:TURMA: 2VN32VN3 ALUNOS: NOVAIS, Cristiane; MATOS, Jéssica; TEREZINHA, Ana; MOTA Josely.ALUNOS: NOVAIS, Cristiane; MATOS, Jéssica; TEREZINHA, Ana; MOTA Josely. 1
  2. 2. IntroduçãoIntrodução O trabalho aborda a região do joelho na osteologia, e umaO trabalho aborda a região do joelho na osteologia, e uma incidência especifica para o estudo da fossa intercondilianaincidência especifica para o estudo da fossa intercondiliana chamada Camp Coventry.chamada Camp Coventry. Expondo os parâmetros técnicos, que melhor se ajustam aosExpondo os parâmetros técnicos, que melhor se ajustam aos estudos das imagens radiológicas adequadas para osestudos das imagens radiológicas adequadas para os estudos das patologias referentes a articulação do joelho, emestudos das patologias referentes a articulação do joelho, em específico a fossa intercondiliana.específico a fossa intercondiliana. 2
  3. 3. Fossa IntercondilianaFossa Intercondiliana A articulação do joelho pode ser descrita como um gínglimo ou articulação em dobradiça (entre o fêmur e a tíbia) e plana (entre o fêmur e a patela). Os dois côndilos do fêmurOs dois côndilos do fêmur apresentam-se separados entre si, atrás e embaixo pelaapresentam-se separados entre si, atrás e embaixo pela fossa intercondiliana, que também recebe outrasfossa intercondiliana, que também recebe outras denominações, tipo incisura intercondilar ou chafranduradenominações, tipo incisura intercondilar ou chafrandura intercondilar. Para o estudo radiográfico da fossaintercondilar. Para o estudo radiográfico da fossa intercondiliana e das margens dos côndilos são necessáriasintercondiliana e das margens dos côndilos são necessárias incidências especiais, pois as radiografias simples de joelhoincidências especiais, pois as radiografias simples de joelho não permitem uma boa análise dessas regiões.não permitem uma boa análise dessas regiões. Examinaremos agora a incidência Camp Coventry.Examinaremos agora a incidência Camp Coventry. 3
  4. 4. Camp CoventryCamp Coventry É um incidência utilizada como complementar no estudoÉ um incidência utilizada como complementar no estudo radiográfico da articulação do joelho.radiográfico da articulação do joelho.11 Está incidência ajuda aEstá incidência ajuda a demonstrar algumas patologias tais como: Côndilos,demonstrar algumas patologias tais como: Côndilos, Femorais, Platôs Tibiais, e a eminência intercondiliana eFemorais, Platôs Tibiais, e a eminência intercondiliana e podem evidenciar patologias ósseas cartilaginosas, defeitospodem evidenciar patologias ósseas cartilaginosas, defeitos osteocondrais ou estreitamento do espaço articular.osteocondrais ou estreitamento do espaço articular.22 41 Biasoli
  5. 5. Posição do paciente:Posição do paciente: O paciente deve estar deitado em decúbito ventral na mesaO paciente deve estar deitado em decúbito ventral na mesa bucky com o membro inferior do lado a ser radiografadobucky com o membro inferior do lado a ser radiografado estendido e posicionado com a superfície anterior apoiada naestendido e posicionado com a superfície anterior apoiada na mesa. Levantar a perna até que forme um ângulo aproximadomesa. Levantar a perna até que forme um ângulo aproximado de 140° com a coxa ou de 40° com a superfície na mesa,de 140° com a coxa ou de 40° com a superfície na mesa, com a articulação do joelho posicionada sobre o filmecom a articulação do joelho posicionada sobre o filme radiológico. Para garantir perfeita imobilização pode serradiológico. Para garantir perfeita imobilização pode ser usado um apoio pra perna.usado um apoio pra perna.33 53 Biasoli
  6. 6. PosicionamentoPosicionamento A perna deveA perna deve permanecer apoiadapermanecer apoiada em um anteparo, deem um anteparo, de maneira que formemaneira que forme um ângulo entre 130°um ângulo entre 130° e 140° com a coxa.e 140° com a coxa.44 6 4 Boisson http://4.bp.blogspot.com/-2E4gVYam05c/UIqiEj983sI/AAAAAAAAAhw/XnBlo2W-QFo/s1600/Camp+Coventry+Method.png
  7. 7. RC:RC: Incide perpendicular ao eixo as perna (ou com umaIncide perpendicular ao eixo as perna (ou com uma inclinação podálica aproximada de 50° caudais para seinclinação podálica aproximada de 50° caudais para se compatibilizar com o grau da flexão), no ponto médio dacompatibilizar com o grau da flexão), no ponto médio da prega poplítea.prega poplítea. ProteçãoProteção:: Colocar escudo de chumbo sobre a área das gônadas. Fixar em volta da cintura na posição de genuflexão e estender a proteção para baixo, até o nível médio do fêmur. DFOFI:DFOFI: 100 cm.100 cm. Chassi:Chassi: 18x24 cm.18x24 cm. 7
  8. 8. Critérios RadiográficosCritérios Radiográficos 8 O centro do campo de colimação de quatro lados RC deve estar direcionado para a região média da articulação do joelho. Nessa incidência, a fossa intercondiliana deve aparecer de perfil, aberta, sem sobreposição da patela. A ausência de rotação será evidenciada pela aparência simétrica dos côndilos femorais posteriores distais e pela sobreposição de aproximadamente metade da cabeça da fíbula pela tíbia. http://www.radiographicceu.com/images/article_pics/knee101.jpg
  9. 9. 99 As facetas articulares e a eminência intercondiliana da tíbia devem estar bem visualizadas, sem sobreposição. A exposição ideal visualizará os tecidos moles no espaço articular do joelho e o contorno da patela através do fêmur. As tramas trabeculares dos côndilos femorais e da proximal da tíbia devem parecer claras e nítidas, sem movimento http://www.radiographicceu.com/images/article_pics/knee101.jpg
  10. 10. RadiografiaRadiografia 10 http://krta.or.kr/krta/kumsa/smc/html/protocol/knee_tunnel.files/image002.jpg
  11. 11. ConclusãoConclusão 11 O trabalho nos orienta sobre uma incidência utilizada no estudo especifico da fossa intercondiliana, fala sobre os parâmetros técnicos, e posicionamento adequado do paciente para estudar a estrutura com a incidência Camp Coventry. Conseguimos observar e nos orientar pela radiografia o exato ponto a ser estudado a fossa intercondiliana. Observamos também a percepção do contraste e densidade óptica da radiografia nos dando maior qualidade de imagem. Mais qualidade na imagem mais detalhes e uma probabilidade de êxito maior no estudo da referente patologia.
  12. 12. 12 Bibliografia  Boisson -Autor: Luiz Fernando Boisson; Editora: Atheneu; Local: SP; Ano: 2007.  Biasoli –Autor: Antônio Mendes Biasoli Jr. ; Editora: Rubio ;Local: SP ; Ano: 2006.  Bontrager –Autor: Kenneth L. Bontrager / John P. Lampignano ; Editora: Mosby ; Local: RJ ; Ano: 2010.
  13. 13. WEBGRAFIAWEBGRAFIA  http://www.auladeanatomia.com/artrologia/artjoelho.htmhttp://www.auladeanatomia.com/artrologia/artjoelho.htm  http://www.gundersenhealth.org/for-clinicians/imaging/diagnostic-http://www.gundersenhealth.org/for-clinicians/imaging/diagnostic- x-ray-protocols/knee-tunnel-camp-coventryx-ray-protocols/knee-tunnel-camp-coventry 13
  14. 14. EpigrafeEpigrafe Ensinar não é transferir conhecimento, mas criar as possibilidades paraEnsinar não é transferir conhecimento, mas criar as possibilidades para a sua própria produção ou a sua construção.a sua própria produção ou a sua construção. Paulo FreirePaulo Freire 14 http://www.onordeste.com/administrador/personalidades/imagem Personalidade/39e61ca2f023faa5e05df4e09d2cce8e273.jpg

×